Marketing no Desporto

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Marketing no Desporto"

Transcrição

1 Marketing Desportivo Funchal, 23 de Abril 2007 Rui Pedro Caramez Marketing no Desporto O conceito emergente de mercado O novo papel do cliente de desporto Isolado Relacionado O Clube Desportivo Participa no processo de criação de valor e procura vantagens sociais, económicas O mercado: Criação conjunta de experiências de valor único, no contexto de um indivíduo num determinado momento O cliente: Participa no processo de criação de valor e procura vantagens pessoais Ignorante Informado Passivo Activo O mercado está integrado no processo de criação de valor os Clubes Desportivos devem também privilegiar a criação, dinamização e o envolvimento de comunidades de adeptos e praticantes de Desporto e Actividade Física 1

2 Premissa Estrutura tradicional vs Estrutura emergente para a criação de valor O valor é criado pelo clube O valor é criado em Conjunto pelo adepto e pelo clube Produtos e serviços são a base do valor As experiências de criação conjunta são a base do valor Os adeptos representam a procura pela oferta do clube O indivíduo é central na experiência de criação conjunta de valor Marketing das experiências fenómenos de identificação, diferenciação e interacção que reforçam momentos, memórias, sentimentos e identidades. Implicação A interface entre clube-adepto é o local de extracção de valor A interacção entre o adepto e o clube é o local de criação de valor Desenvolver e disponibilizar variedade na oferta Variedade na criação de experiências através de interacções heterogéneas Padronizar a oferta e criar a experiência Personalização da experiência de Criação conjunta de valor Manifestação O foco é nas cadeias de valor e na qualidade dos processos internos O foco é na qualidade das interacções entre o adepto e o clube O foco é na inovação tecnológica de produtos e processos O foco é em inovar nos ambientes de experiência O foco é nas cadeias de fornecimento e gestão da procura O foco é nas redes de experiência Adaptado de Prahalad e Ramaswamy, 2004 Ideias que vão ao encontro de uma abertura de horizontes e possibilidades a explorar, prementes na época da globalização. Criando mecanismos de aproximação aos nossos consumidores Telemóvel Fun Zone AdverGames 2

3 TV Online Site Institucional Novos mercados 3

4 Orientação para o consumidor Devemos construir a oferta às necessidades dos seus clientes, dando-lhes um benefício evidente. Quem são O que querem O que precisam Pensar, decidir e agir em função do consumidor final. Não podemos estar orientados para o produto, mas sim para o mercado. Quem é o Rei? Mas o que é que o Consumidor de desporto anda à procura? Entretenimento Diversão Paixão Emoção Tudo começa com um bom produto! Considerar a sua completa dedicação emocional 4

5 Atenção!!!! Marca Excessiva orientação para o produto característica das organizações desportivas Abordagem de curto prazo e dependente dos últimos resultados. Os resultados desportivos são a única coisa que importa, a qualquer custo? Quais os valores associados à marca da organização desportiva? Notoriedade da Marca Imagem de Marca Lealdade à Marca 5

6 O poder da Marca no Desporto Nome, design, símbolo ou outra combinação Processo de diferenciação entre os demais produtos Um produto é uma coisa fabricada numa fábrica; uma marca é qualquer coisa que é comprada pelo consumidor. Um produto pode ser copiado por um concorrente; uma marca é única. Um produto pode perder o seu valor muito rapidamente; uma marca é eterna. Aaker, D. (1991) Managing Brand Equity, The Free Press Dimensões na criação e desenvolvimento da marca Actividade Desportiva (envolvendo jogadores, equipa e o seu sucesso no desporto) Actividade social (criando a base da ligação emocional) Actividade empresarial (onde os resultados são medidos, fontes de retorno, controlo de custos e consolidação financeira ) Antes de criar uma marca, devem criar um produto. Patrocínio 6

7 Factores PATROCÍNIO O QUE GANHA A EMPRESA COM O PATROCÍNIO? AUDIÊNCIA (Directa / Indirecta) NOTORIEDADE PRESTÍGIO CRIAÇÃO DE BASES DE DADOS INCENTIVAR A COMPRA RESPONSABILIDADE SOCIAL INTERESSE (Público / Empresa) PRESTÍGIO VISIBILIDADE RESULTADOS CRIAR INTERACTIVIDADE COM O PÚBLICO ALVO DIFERENCIAÇÃO FACE À CONCORRÊNCIA MOLDAR AS ATITUDES DO CONSUMIDOR OPORTUNIDADE DE MERCHANDISING COMUNICAÇÃO INTERNA DA EMPRESA ACÇÕES DE RELAÇÕES PÚBLICAS DEMONSTRAÇÃO DE PRODUTOS INCENTIVOS PARA INTERMEDIÁRIOS (REVENDEDORES) Estratégia de Patrocínio Avaliação do Projecto Identificando os valores da Organização Desportiva Imagem (impacto do projecto na marca? Criação de Valor?) Relações Públicas (possibilidades de melhoria das relações públicas com clientes) Especificidades da participação na entidade patrocinada Alinhamento dos objectivos da empresa: Preço, pagamento e lucros Impacto do projecto, identificando interesses comuns Actividades complementares de publicidade Comunicações Internas e Externas Medir e Avaliar Os atributos para uma proposta bem sucedida: VENDA BENEFÍCIOS, NÃO CARACTERÍSTICAS! Os patrocinadores precisam de sentir que têm benefícios. SATISFAÇA AS NECESSIDADES DO PATROCINADOR! Que soluções são apresentadas aos patrocinadores? ADAPTE AS PROPOSTAS CONSOANTE A NATUREZA DO NEGÓCIO! Há que adaptar em função do posicionamento da empresa e do tipo de negócio que esta está a gerar DEMONSTRE O EFEITO DAS PROMOÇÕES! Prove que vale a pena apostar no evento, meça o retorno; MINIMIZE O RISCO! Evite problemas na operacionalização das contrapartidas; crie confiança! INCLUA O VALOR GLOBAL DA PROPOSTA! Some os vários aspectos que tornam atractivo o investimento por parte da empresa 7

8 Retorno do Investimento Não se deve vender patrocínios Avaliar o patrocínio SEMPRE Não há uma ferramenta ideal para avaliar devemos desenvolver uma relação que faça tudo para se adaptar ao patrocinador e os seus públicos alvo. Oferece-se algo que sirva os seus interesses específicos Cada empresa tem objectivos específicos e valoriza diferentes factores estratégicos Umas valorizam a publicidade; outras as relações institucionais; valorizam o impacto da reputação social O Plano de Marketing Desportivo Análise ao ambiente interno da organização Análise ao ambiente externo da organização Análise SWOT Objectivos de Marketing e estratégias Plano de Acção Plano Orçamental Cronograma Controlo Análise ao ambiente interno da organização Historial da organização / equipa / Atleta Missão Organizacional Visão Organizacional Objectivos Estratégicos Produtos e Serviços oferecidos Análise Financeira Estrutura Organizacional Instalações Actividades de Marketing Estratégia de Produto Preço Estratégia Promocional Plano de Distribuição Actividades de Relações Públicas Equipa de Vendas Resultados de Vendas Esperados 8

9 Análise ao ambiente externo da organização Matriz SWOT Forças de Mercado Tendências de Mercado Análise dos clientes Análise da Concorrência Análise Interna FORÇAS (Strengths) FRAQUEZAS (Weeknessess) OPORTUNIDADES (Oportunities) AMEAÇAS (Threats) Análise Externa OBJECTIVOS ORGANIZACIONAIS vs MARKETING GOALS Objectivos Organizacional - Indicadores ao longo do caminho que ajudam a organização a focalizar no seu propósito a longo prazo. Exemplos obj. financeiros incluem: crescimento em retornos; crescimento em vendas Exemplos obj. estratégicos incluem: melhoria da imagem do clube; aumento da satisfação do cliente MARKETING GOALS Apropriados Passíveis de serem medidos Exequíveis Aceites dentro da Organização Flexíveis Motivantes Compreensíveis Segmentação do Mercado Avaliação do Segmento Selecção de Segmento Posicionamento 9

10 Plano de Acção Desenvolvimento dos Produtos / Serviços Preço Plano de Comunicação / promoção Lugar / Distribuição Plano de difusão pelos Media Propostas de Patrocínio Plano Orçamental Cronograma Controlo do Plano Análise de Vendas Análise dos Lucros Satisfação do Cliente Auditorias de Marketing Marketing Desportivo Funchal, 23 de Abril 2007 Rui Pedro Caramez 10

Manual de Ecodesign InEDIC

Manual de Ecodesign InEDIC Manual de Ecodesign InEDIC Ferramenta 4: A ferramenta da análise do mercado fornece uma abordagem prática aos conceitos teóricos explicados no capítulo 5. Com o objetivo de determinar o potencial do mercado

Leia mais

Ambiente externo e interno. Prof. Doutora Maria José Sousa

Ambiente externo e interno. Prof. Doutora Maria José Sousa Ambiente externo e interno 1 Prof. Doutora Maria José Sousa Ambiente Externo e Interno A estratégia global de uma empresa deve ponderar a interacção entre a envolvente externa (macro-ambiente e ambiente

Leia mais

Delta Cafés O Valor da Marca. Horeca Portugal. Portalegre NERPOR 28 Abril 2014

Delta Cafés O Valor da Marca. Horeca Portugal. Portalegre NERPOR 28 Abril 2014 Horeca Portugal Portalegre NERPOR 28 Abril 2014 vantagem competitiva Mudança no papel do consumidor de isolado para conectado de desconhecedor para informado de passivo para activo Acesso à informação

Leia mais

Introdução. Sucesso organizacional + Ambiente de Mudança. Adotar uma ESTRATÉGIA. Criar vantagem competitiva sustentada

Introdução. Sucesso organizacional + Ambiente de Mudança. Adotar uma ESTRATÉGIA. Criar vantagem competitiva sustentada Introdução Sucesso organizacional + Ambiente de Mudança Adotar uma ESTRATÉGIA Criar vantagem competitiva sustentada Elemento unificador que dá coerência e direcção às decisões individuais da empresa Introdução

Leia mais

Índice CONCEITOS E FUNDAMENTOS. Parte I. Capítulo 1 A natureza do problema estratégico 21

Índice CONCEITOS E FUNDAMENTOS. Parte I. Capítulo 1 A natureza do problema estratégico 21 Índice Introdução 15 Parte I CONCEITOS E FUNDAMENTOS Capítulo 1 A natureza do problema estratégico 21 1. Introdução 21 2. A estratégia deve assegurar a satisfação equilibrada das diversas legitimidades

Leia mais

Gestão baseada no desempenho

Gestão baseada no desempenho Gestão baseada no desempenho Enquadramento conceptual do modelo em aplicação no Centro Hospitalar de Lisboa Central Daniel Ferro 7.12.2007 Modelo de Gestão do desempenho Permite: aumento da produtividade

Leia mais

A importância da Marca no posicionamento estratégico dos destinos turísticos

A importância da Marca no posicionamento estratégico dos destinos turísticos A importância da Marca no posicionamento estratégico dos destinos turísticos 29 de Março de 2006 Joana Neves INSTITUTO DUPERIOR DE TECNOLOGIAS E GESTÃO DE PORTALEGRE Agenda Os Novos Motores do Turismo

Leia mais

Módulo 3 Técnicas para envolvimento. 3c Comunicação estratégica

Módulo 3 Técnicas para envolvimento. 3c Comunicação estratégica Módulo 3 Técnicas para envolvimento 3c Comunicação estratégica No Módulo 3c... Porquê e o que comunicar? Comunicação eficaz Uso de redes Ser estratégico Sessão de trabalho Porquê e o que comunicar? A comunicação,

Leia mais

Patrocínios. Organização e Gestão de Eventos Marketing, Publicidade e Relações Públicas Fernando Casal 2007/2008

Patrocínios. Organização e Gestão de Eventos Marketing, Publicidade e Relações Públicas Fernando Casal 2007/2008 Patrocínios Marketing, Publicidade e Relações Públicas /2008 ACTORES NOS EVENTOS Fonte: ALLEN, Johnny (2003) O EVENTO procura: Investimento financeiro Exposição aos meios de comunicação Serviços gratuitos

Leia mais

A empresa e o seu ambiente

A empresa e o seu ambiente A empresa e o seu ambiente 1. Noção de empresa A) EMPRESA VS ORGANIZAÇÃO (A. SOUSA, 1994) Perspectiva 1 (externa): Inserção da organização no meio socioeconómico «Entidades que surgem para operar tecnologias

Leia mais

Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis. Paula Trindade LNEG

Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis. Paula Trindade LNEG Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis Paula Trindade LNEG Conferência Compras Públicas Sustentáveis LNEG, 25 Março 2010 Muitas organizações têm experiências em compras sustentáveis! Mas sem

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico SWOT Porter Roberto César 1 17:09 Análise SWOT Esta análise mostra a situação de uma empresa em um determinado momento, ela é feita de forma integrada levando em consideração os

Leia mais

As PME s em Moçambique

As PME s em Moçambique MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO Seminário Económico Moçambique Portugal As em Moçambique Por Claire Zimba Existimos para Auditório da Culturgest, 10:40Hrs 11:00Hrs, 17 de Julho de 2015, Lisboa - Portugal

Leia mais

Universidade de Aveiro 2010/02/05

Universidade de Aveiro 2010/02/05 Universidade de Aveiro 2010/02/05 Conteúdo - Apresentação da empresa - Porquê a certificação em NP 4457:2007? - Contexto para a certificação - Processo de implementação - Factores críticos de sucesso visão.c

Leia mais

O processo de. definição e implementação da Estratégia. Chapter Title. 15/e PPT

O processo de. definição e implementação da Estratégia. Chapter Title. 15/e PPT McGraw-Hill/Irwin 2007 The McGraw-Hill Companies, Inc. All rights reserved. 2 O processo de Chapter Title definição e implementação da Estratégia 15/e PPT Screen graphics created by: Jana F. Kuzmicki,

Leia mais

CAPÍTULO 5 A EXPORTAÇÃO

CAPÍTULO 5 A EXPORTAÇÃO CAPÍTULO 5 A EXPORTAÇÃO 5.1 PORQUÊ EXPORTAR? EXPORTAÇÃO: A FORMA MAIS COMUM DE INTERNACIONALIZAÇÃO PORQUÊ? FACTORES CONDUCENTES À EXPORTAÇÃO ASPECTOS INTERNOS Características do Produto/Serviço Características

Leia mais

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A Gestão da Inovação Proposta de Utilização do Guia de Boas Práticas de IDI e das ferramentas desenvolvidas no âmbito da iniciativa DSIE da COTEC para o desenvolvimento do sistema

Leia mais

Palestra Virtual Como Fazer um Planejamento Estratégico. Maicon Putti Consultor Empresarial CRA/PR 19270

Palestra Virtual Como Fazer um Planejamento Estratégico. Maicon Putti Consultor Empresarial CRA/PR 19270 Palestra Virtual Como Fazer um Planejamento Estratégico Maicon Putti Consultor Empresarial CRA/PR 19270 Definição Planejamento Estratégico Podemos definir planejamento estratégico como o método pelo qual

Leia mais

Marketing Desportivo. Conceito. Patrocínio Desportivo. Benefícios do Patrocínio. Copyright DecisionMaster

Marketing Desportivo.  Conceito. Patrocínio Desportivo. Benefícios do Patrocínio. Copyright DecisionMaster P U B L I C A Ç Ã O N º 1 4 2 6 M A I O 2 0 1 0 Marketing Desportivo PONTOS DE INTERESSE: Conceito Patrocínio Desportivo Benefícios do Patrocínio Marketing desportivo, ou marketing para desporto como também

Leia mais

Nota Prévia 7 Prefácio... 23

Nota Prévia 7 Prefácio... 23 Indice Nota Prévia 7 Prefácio................................................... 23 I PARTE - Definição, classificações e funções da Publicidade 25 O Que é Publicidade? 27 Importância e Desenvolvimento

Leia mais

P U B L I C A Ç Ã O N º N O V E M B R O

P U B L I C A Ç Ã O N º N O V E M B R O P U B L I C A Ç Ã O N º 1 1 8 N O V E M B R O 2 0 0 9 Online Marketing PONTOS DE INTERESSE: O que é? Vantagens Marketing Online, também conhecido como I-Marketing, Web Marketing ou E-Marketing, é o marketing

Leia mais

Banco do Brasil Revisão Véspera

Banco do Brasil Revisão Véspera Banco do Brasil Revisão Véspera Estratégias Genéricas de Marketing Marketing de resposta: Ocorre quando se identifica uma necessidade e prepara-se uma solução para atender a essa necessidade. Marketing

Leia mais

ONGs e o desafio da mensuração do impacto social: melhor é (im)possível?

ONGs e o desafio da mensuração do impacto social: melhor é (im)possível? ONGs e o desafio da mensuração do impacto social: melhor é (im)possível? Aurora A.C. Teixeira CEF.UP, Faculdade de Economia, Universidade do Porto; OBEGEF; INESC TEC Dimensão do 3º setor e tipos de organizações

Leia mais

PATROCÍNIO ESPORTIVO. Prof. Msdo Eduardo de Oliveira Cruz Carlassara

PATROCÍNIO ESPORTIVO. Prof. Msdo Eduardo de Oliveira Cruz Carlassara PATROCÍNIO ESPORTIVO Prof. Msdo Eduardo de Oliveira Cruz Carlassara Agenda O consumidor esportivo Fases do comportamento de consumo Tipos de marketing esportivo Patrocínio esportivo ( objetivo, seleção,

Leia mais

SUMÁRIO AULA. Empreendedorismo. Curso de Empreendedorismo USP Escola de Engenharia de Lorena. Aula 04 Planejamento Mercadológico

SUMÁRIO AULA. Empreendedorismo. Curso de Empreendedorismo USP Escola de Engenharia de Lorena. Aula 04 Planejamento Mercadológico Empreendedorismo Aula 04 Planejamento Mercadológico SUMÁRIO AULA Pesquisa e análise de mercado Estratégias e ações para atingir o mercado Análise Concorrência Como criar negócios de alto crescimento Habitats

Leia mais

Universidade Veiga de Almeida. Estratégia Empresarial. Análise SWOT

Universidade Veiga de Almeida. Estratégia Empresarial. Análise SWOT Universidade Veiga de Almeida Estratégia Empresarial Análise SWOT Antonio Damique Teixeira Matr 021273014 1.0 - Análise SWOT Por que usamos a análise SWOT, nas organizações e empresas. Porque a análise

Leia mais

Objetivos desta aula. Noções de Marketing 21/10/09

Objetivos desta aula. Noções de Marketing 21/10/09 Noções de Marketing 21/10/09 Atendimento. Marketing em empresas de serviços. Marketing de relacionamento. Segmentação de mercado e segmentação do setor bancário. Propaganda e Promoção. Satisfação, Valor

Leia mais

GESTÃO Marketing 5.2-Segmentação, escolha de segmentos de mercado alvo (targeting) e posicionamento

GESTÃO Marketing 5.2-Segmentação, escolha de segmentos de mercado alvo (targeting) e posicionamento GESTÃO 5. - Marketing 5.2-Segmentação, escolha de segmentos de mercado alvo (targeting) e posicionamento Os mercados e o marketing foram encarados com visões distintas ao longo do tempo Marketing de massas

Leia mais

ANEXO I MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS

ANEXO I MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS ANEXO I MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS 1. Resumo Executivo (Síntese das principais informações que constam em seu PN. É a principal seção do Plano de Negócios, pois através dele é que o leitor decidirá se

Leia mais

Sumário. Nota Sobre os Autores, XV Prefácio I, XVII Prefácio II, XIX

Sumário. Nota Sobre os Autores, XV Prefácio I, XVII Prefácio II, XIX Sumário Nota Sobre os Autores, XV Prefácio I, XVII Prefácio II, XIX Parte I Cenários Contemporâneos em Marketing, 1 1 Marketing e Vantagem Competitiva, 3 Prof. André Giovanini Antas 1.1 Introdução, 4 1.2

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

Soluções Globais de Comunicação Digital. Aliamos a tecnologia digital ao processo estratégico e criativo

Soluções Globais de Comunicação Digital. Aliamos a tecnologia digital ao processo estratégico e criativo Soluções Globais de Comunicação Digital Aliamos a tecnologia digital ao processo estratégico e criativo SOLUÇÕES GLOBAIS DE COMUNICAÇÃO DIGITAL www.groovit.pt 2 Full Service Digital Marketing Aliamos a

Leia mais

Marketing. Conceitos Fundamentais Evolução do Conceito de. Marketing. Análise ambiental

Marketing. Conceitos Fundamentais Evolução do Conceito de. Marketing. Análise ambiental Marketing Conceitos Fundamentais Evolução do Conceito de Marketing Análise ambiental Bibliografia : Princípios de Marketing KOTLER e ARMSTRONG; Marketing Criando valor para o cliente CHURCHILL JR e PETER;

Leia mais

Workshop de Gestão de Recursos Humanos Objetivos Gerais Dotar os participantes de técnicas, métodos e instrumentos que vão fazer melhorar o planeamento, o acompanhamento e a Gestão dos Recursos Humanos.

Leia mais

Gestão Estratégica A BATALHA DE KURSK. Aula 6 Estratégia Competitiva. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira

Gestão Estratégica A BATALHA DE KURSK. Aula 6 Estratégia Competitiva. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Gestão Estratégica Aula 6 Estratégia Competitiva Prof. Dr. Marco Antonio Pereira marcopereira@usp.br A BATALHA DE KURSK 1 Modelo de Porter As 5 forças Competitivas Estratégias Genéricas Propósito da Empresa

Leia mais

Fundamentos de Gestão

Fundamentos de Gestão Fundamentos de Gestão Escolha estratégica LCI FEUP/FLUP 2009/10 Rui Padrão Vantagens competitivas Escolha da estratégia Identificação de mercado(s) alvo 1 Identificação de mercado(s) alvo: Quem? Que clientes

Leia mais

Anexo II - Princípios das Normas ISO aplicáveis a organizações de saúde

Anexo II - Princípios das Normas ISO aplicáveis a organizações de saúde Anexo II - Princípios das Normas ISO aplicáveis a organizações de saúde 95 96 Princípios das Normas ISO aplicáveis a organizações de saúde Princípio 1 Foco no cliente: dado que as organizações dependem

Leia mais

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE ANOS DA CRIAÇÃO DO CIUEM 3ª FASE DO DESENVOLVIMENTO DO CIUEM 2009 2013 TICs PARA TODOS NO ENSINO, INOVAÇÃO E INVESTIGAÇÃO Tecnologias de Informação e Comunicação A expansão

Leia mais

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE ESCOLA SECUNDÁRIA DO RESTELO 402679 PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE 2010-2011 Desp.n.º 16034-2010, ME (20 Out.) VERTENTE PROFISSIONAL, SOCIAL E ÉTICA Compromisso com a construção e o uso do conhecimento

Leia mais

introdução ao marketing - gestão do design

introdução ao marketing - gestão do design introdução ao marketing - gestão do design Universidade Presbiteriana Mackenzie curso desenho industrial 3 pp e pv profa. dra. teresa riccetti Fevereiro 2009 A gestão de design, o management design, é

Leia mais

GESTÃO DA COMUNICAÇÃO DIGITAL. Marketing nas Redes Sociais + Google Adwords

GESTÃO DA COMUNICAÇÃO DIGITAL. Marketing nas Redes Sociais + Google Adwords Marketing nas Redes Sociais Prezado(a), Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o

Leia mais

DEFINIÇÃO DE ANÁLISE DO AMBIENTE

DEFINIÇÃO DE ANÁLISE DO AMBIENTE Análise do Ambiente DEFINIÇÃO DE ANÁLISE DO AMBIENTE - É o processo de monitoração do ambiente organizacional que visa identificar os riscos e oportunidades, tanto presentes como futuros, que possam influenciar

Leia mais

Branding para a Eletrobras

Branding para a Eletrobras Branding para a Eletrobras por onde passamos: Reunião de kickoff Entrevistas com executivos da Eletrobras e formadores de opinião 1º Comitê - Diagnóstico de Branding º Comitê - Plataforma da Marca 3º Comitê

Leia mais

PLANEJAMENTO DE CAMPANHA II

PLANEJAMENTO DE CAMPANHA II PLANEJAMENTO DE CAMPANHA II MIX DE MARKETING MIX DE MARKETING CONTEXTO EMPRESARIAL MACRO-AMBIENTE MICRO-AMBIENTE EMPRESA MARKETING MIX DE MARKETING Motiva Persuade Cria Preferência Cria Clima Favorável

Leia mais

O Processo de Certificação do Sistema de Gestão da Inovação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) NP 4457:2007

O Processo de Certificação do Sistema de Gestão da Inovação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) NP 4457:2007 O Processo de Certificação do Sistema de Gestão da Inovação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) NP 4457:2007 Aveiro 21 de Abril de 2010 Rita Cunha-Porto rita.porto@apcer.pt Agenda Apresentação APCER O papel

Leia mais

Comunicação Integrada. Principais ferramentes de comunicação

Comunicação Integrada. Principais ferramentes de comunicação Comunicação Integrada Principais ferramentes de comunicação Marca (qualidade) $ Posicionamento Embalagem Vendedor Promoção de Vendas (P.D.V) Posição( Visibilidade) Nomes usados no mercado Branding MKT

Leia mais

RECURSOS HUMANOS GESTÃO ESTRATÉGICA

RECURSOS HUMANOS GESTÃO ESTRATÉGICA RECURSOS HUMANOS GESTÃO ESTRATÉGICA Introdução Estudo de caso SCP/SLB Os RH s e a formulação estratégica Os RH s e a implementação estratégica A gestão estratégica de RH s Introdução Estudo de caso SCP/SLB

Leia mais

Nº7349 Marketing Internacional. Resumo

Nº7349 Marketing Internacional. Resumo Resumo Com este trabalho, pretendo demonstrar que a distribuição assume um papel de extrema importância no processo de internacionalização de uma empresa ou organização. Começo com uma breve introdução,

Leia mais

PROMOÇÃO DE VENDAS & MERCHANDISING

PROMOÇÃO DE VENDAS & MERCHANDISING PROMOÇÃO DE VENDAS & Prof. Msc. Nilvo A. Colucci 2s 2016 OBJETIVOS DA AULA Aula inaugural: apresentações iniciais e do conteúdo. Fundamentação teórica e alinhamento de conceitos. 1 - Definições e conceitos;

Leia mais

Planeamento como Ferramenta para a Sustentabilidade. Paulo Teixeira

Planeamento como Ferramenta para a Sustentabilidade. Paulo Teixeira Planeamento como Ferramenta para a Sustentabilidade Paulo Teixeira Pensar Estratégicamente a Organização Há várias razões para uma organização apostar em pensarse estratégicamente mas a principal é Para

Leia mais

Unidade 3 Prof. Wagner Veloso

Unidade 3 Prof. Wagner Veloso Análise de Swot e Mercado Unidade 3 ANÁLISE DE SWOT A Análise SWOT é uma ferramenta utilizada para fazer análise de cenário (ou análise de ambiente), sendo usado como base para gestão e planejamento estratégico

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO SECRETARIA Serviço ou Organismo NIF FICHA DE AVALIAÇÃO PARA OS DIRIGENTES DE NÍVEL INTERMÉDIO A preencher pelo avaliador Avaliador Cargo NIF Avaliado Cargo Unidade orgânica NIF Período em avaliação a 1.

Leia mais

João Mesquita Marketing [ANÁLISE SWOT]

João Mesquita Marketing [ANÁLISE SWOT] 2012 João Mesquita Marketing [ANÁLISE SWOT] CONTEÚDO Meio Envolvente... 2 Mercado... 3 A concorrência... 5 Clientes Consumidores... 6 Análise Interna... 7 Ameaças e Oportunidades (RESUMO)... 9 Analise

Leia mais

MARKETING INTERNACIONAL

MARKETING INTERNACIONAL MARKETING INTERNACIONAL Aula 05 Marketing Internacional e Global objetivos, funções, gráficos. E-mail: frentzen@labmundo.org MARKETING INTERNACIONAL Processo que visa otimizar os recursos e focar os objetivos

Leia mais

Estratégia Empresarial. Capítulo 2 Análise da Envolvente

Estratégia Empresarial. Capítulo 2 Análise da Envolvente Estratégia Empresarial Capítulo 2 Análise da Envolvente João Pedro Couto ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Pensamento Estratégico Análise do Meio Envolvente Missão, Objectivos e Estratégia Produtos-Mercados Análise

Leia mais

Os Territórios e a Economia do Conhecimento: que Respostas face aos Novos Desafios?

Os Territórios e a Economia do Conhecimento: que Respostas face aos Novos Desafios? Os Territórios e a Economia do Conhecimento: que Respostas face aos Novos Desafios? Domingos Santos CICS-UM, 3 de Novembro de 2011 Agenda 1. Novos desafios para os territórios. 2. O que nos dizem as abordagens

Leia mais

Relatório de Estágio Supervisionado II Diagnóstico organizacional da Empresa Criativa Publicidade

Relatório de Estágio Supervisionado II Diagnóstico organizacional da Empresa Criativa Publicidade Faculdade Luciano Feijão Luís Gustavo de Andrade Frederico Relatório de Estágio Supervisionado II Diagnóstico organizacional da Empresa Criativa Publicidade Sobral/2015 Faculdade Luciano Feijão Luís Gustavo

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO. Identificação do avaliado

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO. Identificação do avaliado ANEXO II AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE RELATÓRIO DE AUTO AVALIAÇÃO Identificação do avaliado Nome Categoria profissional actual Anos de serviço no ensino superior Anos de serviço na Unidade

Leia mais

Tema do Painel: Um novo paradigma de desenvolvimento profissional: Valorização de percursos e competências. Tema da Comunicação:

Tema do Painel: Um novo paradigma de desenvolvimento profissional: Valorização de percursos e competências. Tema da Comunicação: Tema do Painel: Um novo paradigma de desenvolvimento profissional: Valorização de percursos e competências Tema da Comunicação: O envolvimento das organizações e dos enfermeiros no desenvolvimento e reconhecimento

Leia mais

Anexo A. Protocolo do Estudo de Caso

Anexo A. Protocolo do Estudo de Caso Anexo A Protocolo do Estudo de Caso 140 Protocolo do Estudo de Caso - Especificação do Processo de Recolha de Informação O processo de recolha de informação no decorrer do estudo de caso respeita a três

Leia mais

Todos Juntos Somos de Menos

Todos Juntos Somos de Menos VISEU 7 de Janeiro de 2006 Políticas Educativas e Sociais no Desporto Todos Juntos Somos de Menos ISPV - Escola Superior de Educação de Viseu Abel Figueiredo Escola Superior de Educação Instituto Superior

Leia mais

DICAS... Sobre como usar o marketing de conteúdo para VENDER MAIS

DICAS... Sobre como usar o marketing de conteúdo para VENDER MAIS DICAS... Sobre como usar o marketing de conteúdo para VENDER MAIS O conteúdo não é REI... ele é o reino inteiro... José de Almeida Marketing de conteúdo é criar e partilhar conteúdo relevante para captar,

Leia mais

INOVAÇÃO NA AGRICULTURA, AGRO-INDÚSTRIA E FLORESTA

INOVAÇÃO NA AGRICULTURA, AGRO-INDÚSTRIA E FLORESTA O Futuro do Território Rural JOVENS EMPRESÁRIOS NO ESPAÇO RURAL Firmino Cordeiro Director-Geral da AJAP Organização: Apoio Institucional: AGRICULTURA NACIONAL - Agricultura profissional deve continuar

Leia mais

Agenda Factores de Competitividade

Agenda Factores de Competitividade QREN Agenda Factores de Competitividade 12 Novembro 07 1 Objectivos desenvolvimento de uma economia baseada no conhecimento e na inovação; incremento da produção transaccionável e de uma maior orientação

Leia mais

Factores-chave para a Gestão da Inovação

Factores-chave para a Gestão da Inovação Factores-chave para a Gestão da Inovação Uma proposta João M. Alves da Cunha CCDR Alg, Maio de 009 Introdução O Innovation Scoring enquanto instrumento de apoio à gestão da Inovação SG IDI Sistema de Gestão

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE OPORTUNIDADES DE MERCADO. Planejamento e Marketing Estratégico

IDENTIFICAÇÃO DE OPORTUNIDADES DE MERCADO. Planejamento e Marketing Estratégico IDENTIFICAÇÃO DE OPORTUNIDADES DE MERCADO Planejamento e Marketing Estratégico A oportunidade e o PEM A BASE DA CONSTRUÇÃO DE OBJETIVOS ESTÁ NA ANÁLISE DOS ELEMENTOS INTERNOS (forças e fraquezas) EXTERNOS

Leia mais

Business Case (Caso de Negócio)

Business Case (Caso de Negócio) Terceiro Módulo: Parte 5 Business Case (Caso de Negócio) AN V 3.0 [54] Rildo F Santos (@rildosan) rildo.santos@etecnologia.com.br www.etecnologia.com.br http://etecnologia.ning.com 1 Business Case: Duas

Leia mais

O que é planejamento estratégico?

O que é planejamento estratégico? O que é planejamento estratégico? Um dos fatores de sucesso das empresas é possuir um bom planejamento. Mas o que é planejamento? Nós planejamos diariamente, planejamos nossas atividades, nossas finanças,

Leia mais

Rua Comendador Raínho, 1192, S. João da Madeira Tlf.: / 234 Fax:

Rua Comendador Raínho, 1192, S. João da Madeira Tlf.: / 234 Fax: 1 Negócios & Empreendedorismo Gestão de Redes de Comercialização - amrconsult 2010 2 1- Consultoria em Consultoria em : Um modelo ou sistema de desenvolvimento de negócios em parceria, através do qual

Leia mais

Capítulo 13 - A Análise SWOT

Capítulo 13 - A Análise SWOT Capítulo 13 - A Análise SWOT O objetivo da SWOT é definir estratégias para manter pontos fortes, reduzir a intensidade de pontos fracos, aproveitando oportunidades e protegendo-se de ameaças.(vana, Monteiro

Leia mais

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 leitos 19 leitos de UTI 5 Salas Cirúrgicas 300 Cirurgias/mês

Leia mais

Branding Imobiliário Escolha os canais certos onde investir

Branding Imobiliário Escolha os canais certos onde investir Portal Nacional de Imobiliário desde 2001 Fonte: Netscope Escolha os canais certos onde investir casa.sapo.pt Quais os canais disponíveis: offline vs online A importância da escolha nos canais certos Em

Leia mais

Criando um Plano de Negócios Eficiente e Colocando em Prática

Criando um Plano de Negócios Eficiente e Colocando em Prática Criando um Plano de Negócios Eficiente e Colocando em Prática 1 OBJETIVO Transformar idéias em negócios com impacto social e ambiental Escrever um plano de negócio força você a pensar disciplinadamente

Leia mais

Guia Prático do Planejamento Estratégico

Guia Prático do Planejamento Estratégico Guia Prático do Planejamento Estratégico Introdução A todo o momento surgem ideias para melhorar nossas vidas. A maior parte destas ideias morre, porque não são sistematizadas. Numa empresa também é assim,

Leia mais

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique República de Moçambique African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique Direcção Nacional da Industria Desenvolvimento Industrial em Moçambique Eng. Mateus Matusse

Leia mais

CONCURSO DE IDEIAS. Já tens uma ideia? Vamos agora preencher o formulário?

CONCURSO DE IDEIAS. Já tens uma ideia? Vamos agora preencher o formulário? CONCURSO DE IDEIAS Já tens uma ideia? Vamos agora preencher o formulário? Identificação dos promotores e professores Os promotores é quem desenvolve o projeto VOCÊS! Identifiquem os dados de todos os elementos

Leia mais

ISO Sistema de gestão para a sustentabilidade de eventos

ISO Sistema de gestão para a sustentabilidade de eventos ISO 20121 Sistema de gestão para a sustentabilidade de eventos ISO 20121 Objetivo ISO 20121 - Sistemas de gestão de sustentabilidade de eventos. Requisitos e linhas de orientação A ISO 20121 tem como finalidade

Leia mais

AS ALTERAÇÕES NO MERCADO E O SEU IMPACTO ESTRATÉGIA DE MARKETING DAS EMPRESAS

AS ALTERAÇÕES NO MERCADO E O SEU IMPACTO ESTRATÉGIA DE MARKETING DAS EMPRESAS AS ALTERAÇÕES NO MERCADO E O SEU IMPACTO ESTRATÉGIA DE MARKETING DAS EMPRESAS Proyecto ATLANWOOD Estrategias de marketing y comunicación Dezembro de 2006 1 AS ALTERAÇÕES NO MERCADO E O SEU IMPACTO NA ESTRATÉGIA

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Cooperação Territorial Europeia 2007/2013 Que oportunidades para Lisboa e Vale do Tejo? Centro Cultural de Belém 31 de Março 2008 Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Cooperação territorial

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de Acompanhamento, sendo composto por duas partes: EIXO 1 COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE APOIO A INFRA-ESTRUTURAS CIENTÍFICAS E TECNOLÓGICAS O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da Comissão de

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

História das juniores empresas

História das juniores empresas História das juniores empresas A primeira Júnior Empresa surgiu na ESSEC (L'Ecole Empresarial Supérieure des Sciences Economiques et Commerciales de Paris) no ano de 1967, na FRANÇA em PARIS. Os alunos

Leia mais

Local e Data: A GESTÃO DA INOVAÇÃO

Local e Data: A GESTÃO DA INOVAÇÃO A GESTÃO DA INOVAÇÃO Enquadramento: O ambiente no qual hoje actuam as empresas mudou radicalmente: imprevisibilidade, turbulência, mudança, rapidez,..., são constantes do processo de decisão. Num mundo

Leia mais

Ferramenta SG IDI para o STV

Ferramenta SG IDI para o STV para o STV 31 de maio de 2012 Assunção Mesquita amesquita@citeve.pt para o STV SG IDI o que são? Sua importância no STV Estrutura da ferramenta SG IDI o que são? para o STV Estruturas empresariais alinhadas

Leia mais

Os 4Ps, 4Cs e 4Es do Marketing

Os 4Ps, 4Cs e 4Es do Marketing Os 4Ps, 4Cs e 4Es do Marketing Prof. Fábio Campos Nos anos 50 e 60 surgem os teóricos e teorizadores Jerome McCarthy criou os 4Ps no final dos anos 50, quando o marketing ainda era centrado no produto

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM MARKETING ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA

ESPECIALIZAÇÃO EM MARKETING ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA ESPECIALIZAÇÃO EM MARKETING ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA APRES ENTAÇÃO O mundo globalizado está em constante transformação em função da implementação de novas tecnologias ao ambiente dos

Leia mais

Gestão Operacional de Redes Hoteleiras: Conceitos e Boas Práticas Objetivos Gerais Este curso pretende dotar os participantes de conhecimentos e competências das boas práticas na área do turismo e hotelaria.

Leia mais

GESTÃO de PROJECTOS. Condições prévias de sucesso para a maioria dos projectos

GESTÃO de PROJECTOS. Condições prévias de sucesso para a maioria dos projectos GESTÃO de PROJECTOS para a maioria dos projectos Gestor de Projectos Luís Manuel Borges Gouveia 1 atitude positiva dos clientes (empresa, alta direcção) inter-relações e empenho geral as fases de definição

Leia mais

Programa MOVE. Contribuição para a Melhoria da Competitividade das Empresas: Apresentação de boas práticas. Lisboa, 29 de Setembro de 2011

Programa MOVE. Contribuição para a Melhoria da Competitividade das Empresas: Apresentação de boas práticas. Lisboa, 29 de Setembro de 2011 Programa MOVE Contribuição para a Melhoria da Competitividade das Empresas: Apresentação de boas práticas Lisboa, 29 de Setembro de 2011 INDÍCE 1. Breve Apresentação da Empresa 2. Porquê participar no

Leia mais

O papel da AICEP nas Feiras Internacionais. 20 de fevereiro de 2013

O papel da AICEP nas Feiras Internacionais. 20 de fevereiro de 2013 O papel da AICEP nas Feiras Internacionais 20 de fevereiro de 2013 Tópicos da apresentação 1. Feiras Internacionais no contexto da globalização 2. Papel da AICEP nas feiras internacionais 2.1 Organização

Leia mais

GUIA PRÁTICO: COMO E POR QUE APLICAR ANÁLISE SWOT NO SEU NEGÓCIO

GUIA PRÁTICO: COMO E POR QUE APLICAR ANÁLISE SWOT NO SEU NEGÓCIO GUIA PRÁTICO: COMO E POR QUE APLICAR ANÁLISE SWOT NO SEU NEGÓCIO SUMÁRIO Introdução - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE AMBIENTE INTERNO: PONTOS FORTES E PONTOS FRACOS GT2 Gestão da Qualidade no Ensino Superior 13.11.2103 / IPAM Porto Introdução Trabalho fruto

Leia mais

Negociação Comercial

Negociação Comercial Negociação Comercial Aula 6-17/02/09 1 Negociação Comercial CONCEITOS BSC - BALANCE SCORECARD 2 O QUE É BALANCE SCORECARD O BSC é uma nova abordagem para administração estratégica, desenvolvida por Robert

Leia mais

BALANCED SCORECARD. PARA MANUTENÇÃO para melhorar a performance do departamento. Elabore, Planeie, Implemente. Curso.

BALANCED SCORECARD. PARA MANUTENÇÃO para melhorar a performance do departamento. Elabore, Planeie, Implemente. Curso. Curso Elabore, Planeie, Implemente BALANCED SCORECARD PARA MANUTENÇÃO para melhorar a performance do departamento Balanced Scorecard como ferramenta de gestão estratégica Como elaborar o mapa estratégico

Leia mais

INOVAR PARA CRESCER A MAIA NO CENTRO DA CRIAÇÃO DE EMPREGO

INOVAR PARA CRESCER A MAIA NO CENTRO DA CRIAÇÃO DE EMPREGO INOVAR PARA CRESCER A MAIA NO CENTRO DA CRIAÇÃO DE EMPREGO 1- O Mundo Global e os fenómenos de inserção colectiva O processo de globalização competitiva, o terrorismo religioso, a escassez do petróleo

Leia mais

2ª Parte Competindo com a Tecnologia de Informação

2ª Parte Competindo com a Tecnologia de Informação 2ª Parte Competindo com a Tecnologia de Informação Objectivos de Aprendizagem Identificar várias estratégias competitivas básicas e explicar como elas podem utilizar Tecnologias da Informação para confrontar

Leia mais

GESTÃO NO DESIGN DE INTERIORES: O Designer, Métodos e Práticas Interdisciplinares I. Professora: Bárbara Ribeiro

GESTÃO NO DESIGN DE INTERIORES: O Designer, Métodos e Práticas Interdisciplinares I. Professora: Bárbara Ribeiro GESTÃO NO DESIGN DE INTERIORES: O Designer, Métodos e Práticas Interdisciplinares I Professora: Bárbara Ribeiro B-RIBEIRO.COM Aula 07: 09-Junho A ASSINATURA COMO MARCA BRAND X BRANDING (S) Nome: Philippe

Leia mais

Objetivo e Benefícios de um Plano de Marketing

Objetivo e Benefícios de um Plano de Marketing AULA 14 Marketing Objetivo e Benefícios de um Plano de Marketing Objetivo - Estabelecer todas as bases para a ação no mercado. Benefícios - Explorar uma oportunidade oferecida pelo mercado. - Integrar

Leia mais

MARKETING ESTRATÉGICO

MARKETING ESTRATÉGICO Curso de Extensão 4ª Turma MARKETING ESTRATÉGICO PARA EMPREENDEDORES E NEGÓCIOS DE SUCESSO Professores: Apresentação Observar e analisar o ambiente externo são essenciais para a empresa que deseja conquistar

Leia mais

Estratégias para a Saúde

Estratégias para a Saúde Estratégias para a Saúde V.1) Cadernos do PNS Acções e Recomendações Promoção da Cidadania em Saúde (Versão Discussão) ESTRATÉGIAS PARA A SAÚDE V.1) CADERNOS DO PNS - ACÇÕES E RECOMENDAÇÕES PROMOÇÃO DA

Leia mais