A causa como atitude da marca Rodolfo Araújo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A causa como atitude da marca Rodolfo Araújo"

Transcrição

1 A causa como atitude da marca Rodolfo Araújo

2 Que mundo é esse?

3

4 É um mundo impresivel e complexo, com novas variáveis.

5 E nesse contexto, quem cuida de uma marca?

6 TODOS.

7 Quais forças regem esse cenário?

8 1. O poder se desloca da instituição para o cidadão.

9 O poder do cidadão PORTA-VOZES MAIS CONFIÁVEIS PARA FORMAR OPINIÃO SOBRE UMA EMPRESA NO BRASIL PESSOA COMUM ACADÊMICO 84% 83% CEO FUNCIONÁRIO 63% 59% TRUST BAROMETER, 2015

10 O poder do cidadão CRIADORES DE CONTEÚDO MAIS CRÍVEIS NOS MEIOS DIGITAIS - BRASIL AMIGOS E PARENTES ACADÊMICO 84% 81% EMPRESAS QUE USO JORNALISTA 68% 74% TRUST BAROMETER, 2015

11 De Para

12 2. Todas as paredes são de vidro.

13

14

15 3. A responsabilidade das empresas é maior. Não importa o tamanho.

16 A responsabilidade das marcas CONFIANÇA NAS INSTITUIÇÕES BRASIL EMPRESAS 73% ONGs 70% MÍDIA 56% GOVERNO 37% TRUST BAROMETER, 2015

17 4. As pessoas não querem saber só o que você diz, mas o que você FAZ.

18 O comportamento determina a confiança MAIORES DIFERENÇAS ENTRE EXPECTATIVA E ENTREGA RELATIVAS AOS ATRIBUTOS MAIS IMPORTANTES PARA A CONSTRUÇÃO DE CONFIANÇA NAS MARCAS, NO BRASIL INTEGRIDADE Tem Práticas Empresariais Éticas Adota Ações Responsáveis para Abordar uma Questão ou Crise Tem Práticas Empresariais Transparentes e Abertas ENGAJAMENTO Trata Bem os Funcionários Ouve as Necessidades e a Opinião do Consumidor Coloca os Consumidores Acima dos Lucros Comunica com Frequência e Honestidade a Situação de seus Negócios PRODUTOS Oferece Produtos ou Serviços de Boa Qualidade É Inovador de Novos Produtos, Serviços ou Ideias PROPÓSITO Trabalha Para Proteger e Melhorar o Meio Ambiente Cria Programas que Têm Impacto Positivo na Comunidade Local Atende às Necessidades da Sociedade em suas Atividades Cotidianas Associa-se a ONGs, Governo e Terceiros para Atender a Necessidades Sociais OPERAÇÕES Tem Alta Liderança Muito Respeitada e Amplamente Admirada Entra em Ranking Global, como Melhores para se Trabalhar ou Mais Admiradas Entrega Retornos Financeiros Consistentes aos Investidores 22% 23% 25% 25% 24% 26% 26% 25% 28% 28% 27% 28% 27% 30% 29% 32% 34% 34% 34% 37% 40% 44% 44% 48% 50% 54% 53% 55% 55% 57% 57% 58% DIFERENÇA TRUST BAROMETER, 2015

19 5. E, antes disso, as pessoas querem saber no que você acredita. Ou seja: o que você representa.

20 87% Dos brasileiros desejam relações com as marcas pautadas por significado. BRANDSHARE, 2014

21 6. E onde você conta as suas histórias.

22 2 em 3 Dizem que as marcas não estão indo na direção correta na forma como elas se comunicam EARNED BRAND, 2015

23

24

25 É, as coisas mudaram.

26 A força de uma marca

27 qual é a sua conduta? o comportamento da marca se revela nos seus passos. atitudes coerentes tornam as relações consistentes.

28 O que é Atitude de Marca TODA FORMA DE AGIR DA MARCA R marca agir Patrocínios, parcerias Programas, projetos e eventos Marketing relacionado a causas Promoções com conteúdo Investimento Social Privado Agenda de sustentabilidade

29 Princípio da atitude de marca Toda interação de uma marca com seus públicos por meio de causas e conteúdos R agir falar envolver marca Publicidade Promoção Design Rel. Públicas Clientes Consumidores Colaboradores Acionistas Mktg direto Governo Meios digitais Fornecedores Imprensa Formadores de opinião Quando a marca age antes de falar, comunica-se por atitude

30 Princípio da atitude de marca subsídios R agir ATITUDE DE MARCA Posicionamento BRANDING Propósito/Missão/Valores marca Atributos Arquitetura Linguagem tangibilização 30

31 Princípio da atitude de marca consistência R agir ATITUDE DE MARCA SUSTENTABILIDADE Valores/transparência/governança Relacionamento com stakeholders marca Articulação para políticas públicas Gestão socioambiental da cadeia de valor percepção 31

32 Organização do agir OBJETIVOS ESTRATÉGICOS DAS ATITUDES CAUSA 1 CAUSA 2 CAUSA PROGRAMA A PROGRAMA B PROGRAMA C PROGRAMA D PROGRAMA E PROGRAMA ATRIBUTOS ATRIBUTOS ATRIBUTOS ATRIBUTOS ATRIBUTOS ATRIBUTOS PÚBLICOS PÚBLICOS PÚBLICOS PÚBLICOS PÚBLICOS PÚBLICOS

33 10 Fatores de sucesso para a atitude de marca 1. RELEVÂNCIA PARA OS STAKEHOLDERS 2. CONEXÃO AO NEGÓCIO 3. ALINHAMENTO À MARCA 4. VISÃO DE LONGO PRAZO 5. ENVOLVIMENTO INTERNO 6. CLAREZA E FOCO 7. POSICIONAMENTO ÚNICO 8. PARCERIAS CONFIÁVEIS E QUALIFICADAS 9. COMUNICAÇÃO ADEQUADA 10.MONITORAMENTO DE RESULTADOS 33

34 Obrigado! F: /EdelmanSignifica W: edelman.com.br

35

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO 01/06/2018 SUMÁRIO 1 CONCEITOS... 3 2 OBJETIVO... 4 3 ABRANGÊNCIA... 4 4 REFERÊNCIAS... 4 5 DIRETRIZES... 5 6 RESPONSABILIDADES... 6 7 INFORMAÇÕES DE CONTROLE... 7 1 CONCEITOS A B3 reconhece a comunicação

Leia mais

OS DESAFIOS DA GESTÃO DA REPUTAÇÃO CORPORATIVA E DAS MARCAS ENTENDA COMO AS EMPRESAS DEVEM GERAR VALOR NO CONTEXTO DAS MÍDIAS SOCIAIS E DA PÓS VERDADE

OS DESAFIOS DA GESTÃO DA REPUTAÇÃO CORPORATIVA E DAS MARCAS ENTENDA COMO AS EMPRESAS DEVEM GERAR VALOR NO CONTEXTO DAS MÍDIAS SOCIAIS E DA PÓS VERDADE OS DESAFIOS DA GESTÃO DA REPUTAÇÃO CORPORATIVA E DAS MARCAS ENTENDA COMO AS EMPRESAS DEVEM GERAR VALOR NO CONTEXTO DAS MÍDIAS SOCIAIS E DA PÓS VERDADE Dario Menezes Professor e Consultor Agenda Conceitos

Leia mais

Como ser um influenciador dentro da empresa? Isabela Pimentel - Comunicação Integrada Amcham RJ 09/11/2018

Como ser um influenciador dentro da empresa? Isabela Pimentel - Comunicação Integrada Amcham RJ 09/11/2018 Como ser um influenciador dentro da empresa? Isabela Pimentel - Comunicação Integrada Amcham RJ 09/11/2018 Apresentação Sou Especialista em Comunicação Integrada pela Escola Superior de Propaganda e Marketing

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO 1. ATA DE APROVAÇÃO Política aprovada pelo Conselho de Administração da TBG, pauta 59/17 em 24 de agosto de 2017. 2. ABRANGÊNCIA Aplica-se à TBG. 3. PRINCÍPIOS 3.1. A companhia

Leia mais

Construindo confiança de dentro para fora EDELMAN TRUST BAROMETER

Construindo confiança de dentro para fora EDELMAN TRUST BAROMETER Construindo confiança de dentro para fora EDELMAN TRUST BAROMETER Edelman Trust Barometer 2014: importância crescente dos funcionários em construir a confiança 14ª edição anual e a maior análise global

Leia mais

www.significa.com.br 5ª Pesquisa Anual "Atitude de marca nas maiores empresas do Brasil Realização Significa. Todos os direitos reservados.

www.significa.com.br 5ª Pesquisa Anual Atitude de marca nas maiores empresas do Brasil Realização Significa. Todos os direitos reservados. www.significa.com.br 5A. PESQUISA ANUAL ATITUDE DE MARCA NAS MAIORES EMPRESAS DO BRASIL 2008 O que é atitude de marca AGIR ANTES DE FALAR TODA INTERAÇÃO DE UMA MARCA COM SEUS PÚBLICOS POR MEIO DE CAUSAS

Leia mais

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade...

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade... ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS Folha 1/8 ÍNDICE 1. Objetivo...2 2. Abrangência...2 3. Definições...2 4. Diretrizes...3 5. Materialidade...7 Folha 2/8 1. Objetivos 1. Estabelecer as diretrizes que devem orientar

Leia mais

ÂMBITO 1 POLÍTICAS CORPORATIVAS CAPÍTULO I MANUAL DE PROCESSOS ADMINISTRATIVOS SEÇÃO XIII POLÍTICA DE PORTA-VOZES

ÂMBITO 1 POLÍTICAS CORPORATIVAS CAPÍTULO I MANUAL DE PROCESSOS ADMINISTRATIVOS SEÇÃO XIII POLÍTICA DE PORTA-VOZES ÂMBITO 1 POLÍTICAS CORPORATIVAS CAPÍTULO I MANUAL DE PROCESSOS ADMINISTRATIVOS SEÇÃO XIII POLÍTICA DE PORTA-VOZES JUNHO 2018 ÍNDICE OBJETIVOS... 4 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 4 CONCEITOS... 4 RESPONSÁVEL

Leia mais

Tendências da Comunicação Corporativa no Brasil para Março 2015

Tendências da Comunicação Corporativa no Brasil para Março 2015 Tendências da Comunicação Corporativa no Brasil para 2015 Março 2015 2015 ABERJE Tendências na Comunicação Corporativa no Brasil 2015 Concepção e planejamento: Prof. Dr. Paulo Nassar Coordenação: Carlos

Leia mais

Norma Permanente. Página 1 de 8. Assunto: Engajamento com Partes Interessadas Código da Norma: NAD-42

Norma Permanente. Página 1 de 8. Assunto: Engajamento com Partes Interessadas Código da Norma: NAD-42 Página 1 de 8 Índice Resumo: Estabelece as diretrizes para o engajamento com partes interessadas. 1. OBJETIVO 2. ABRANGÊNCIA 3. DEFINIÇÕES 3.1. PARTE INTERESSADA 3.2. ENGAJAMENTO DE PARTES INTERESSADAS

Leia mais

Estratégia da Marca Banco Real

Estratégia da Marca Banco Real Estratégia da Marca Banco Real 24 de junho de 2008 Caminhante não há caminho, faz-se caminho ao andar.. Antonio Machado 16 Agenda Inspiração e provocações Marca como ativo estratégico Nossa essência de

Leia mais

Prof. Heráclito Ney Suiter

Prof. Heráclito Ney Suiter Prof. Heráclito Ney Suiter Definições importantes: Pensamento Complexo: Não predomina o raciocínio fragmentado (o modelo mental binário do ou/ou ).Nem o utopismo da primazia do todo - o sistemismo reducionista..

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA STRATURA ASFALTOS S.A. Aprovador Diretor Administrativo Financeiro Data: 24/09/2018

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA STRATURA ASFALTOS S.A. Aprovador Diretor Administrativo Financeiro Data: 24/09/2018 Código: PG-0ST-0011-0 CORPORATIVO POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA STRATURA ASFALTOS S.A. Órgão aprovador: ST CA Órgão gestor: ST CGRC Status: Aprovada Aprovador Diretor Administrativo Financeiro Data: 24/09/2018

Leia mais

A promissora indústria farmacêutica

A promissora indústria farmacêutica 10Minutos 19ª Pesquisa Global com CEOs Setor farmacêutico A promissora indústria farmacêutica Destaques Maio 2016 Destaques Entre os líderes ouvidos na nossa pesquisa, os CEOs das indústrias farmacêutica

Leia mais

Tendências do voluntariado empresarial estratégico

Tendências do voluntariado empresarial estratégico Grupo de Estudos do Voluntariado Empresarial Tendências do voluntariado empresarial estratégico Reinaldo Bulgarelli Txai Consultoria e Educação CVSP, 05 de outubro de 2011 NOSSA AGENDA DE TRABALHO: 8h30

Leia mais

Política de Sustentabilidade do Grupo Neoenergia

Política de Sustentabilidade do Grupo Neoenergia Política de Sustentabilidade do Grupo Neoenergia 1 Índice: 1. Introdução 2. Objetivo 3. Abrangência e público-alvo 4. Referências 5. Valores 6. Princípios de Sustentabilidade 7. Responsabilidades 8. Atualização

Leia mais

Reputação das empresas e das instituições

Reputação das empresas e das instituições Reputação das empresas e das instituições Tel. (21) 9768 3186 e-mail: cris_demello@terra.com.br Reputação A maneira de se conseguir boa reputação reside no esforço em se ser aquilo que se deseja parecer."

Leia mais

749, item 11, de Pauta nº 176

749, item 11, de Pauta nº 176 POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA PETROBRAS DISTRIBUIDORA 1. ATA DE APROVAÇÃO Política aprovada pelo Conselho de Administração da Petrobras Distribuidora - ATA BR 749, item 11, de 15-12-2017 - Pauta nº 176 2.

Leia mais

2. MODELO EVOLUCIONÁRIO Incerteza Adaptação aos ambientes interno e externo

2. MODELO EVOLUCIONÁRIO Incerteza Adaptação aos ambientes interno e externo 3 PARADIGMAS DE GESTÃO 1. MODELO RACIONAL Passos no desenvolvimento da estratégia 1. Definição da missão - Definir utilidade - Definir objetivos estratégicos 2. Análise SWOT - Análise interna - Previsão

Leia mais

INTEGRIDADE: ELEMENTO ESSENCIAL PARA UM MUNDO ÉTICO E JUSTO

INTEGRIDADE: ELEMENTO ESSENCIAL PARA UM MUNDO ÉTICO E JUSTO TRANSPARÊNCIA E ÉTICA EM TUDO QUE FAZEMOS INTEGRIDADE: ELEMENTO ESSENCIAL PARA UM MUNDO ÉTICO E JUSTO A APSEN E O MERCADO HONESTIDADE NO MANUSEIO DO PATRIMÔNIO DA APSEN RESPEITO NAS RELAÇÕES A INTEGRIDADE

Leia mais

Engajamento uma via de mão dupla

Engajamento uma via de mão dupla Pré-Congresso uma via de mão dupla Agatha Machado Núcleo de Lanakaná Psicológa com especialização em Dinâmica dos Grupos pelo SBDG, pós graduada em Administração de RH pela FAAP e MBA em Gestão de RH,

Leia mais

Estratégia de sustentabilidade

Estratégia de sustentabilidade Estratégia de sustentabilidade Fusão I Itaú + Unibanco Visão I Itaú Unibanco Perguntas norteadoras I 2010 - Itaú Unibanco 1 2 3 O que é Performance Sustentável e qual a relação entre Performance Sustentável

Leia mais

Governança Corporativa e Compliance. Marly Vidal Diretora Adm e Pessoas Diretora ABRH-DF

Governança Corporativa e Compliance. Marly Vidal Diretora Adm e Pessoas Diretora ABRH-DF Governança Corporativa e Compliance Marly Vidal Diretora Adm e Pessoas Diretora ABRH-DF QUEM SOMOS Negócio: Promoção à saúde. Missão: Oferecer serviços de saúde com excelência. Visão: Ser referência em

Leia mais

Sumário. 1. Política de Sustentabilidade da Rede D Or São Luiz Objetivos Abrangência Diretrizes...2

Sumário. 1. Política de Sustentabilidade da Rede D Or São Luiz Objetivos Abrangência Diretrizes...2 Rede D Or São Luiz Sumário 1. Política de Sustentabilidade da Rede D Or São Luiz...2 1.1. Objetivos...2 1.2. Abrangência...2 1.3. Diretrizes...2 Diretriz Econômica...2 Diretriz Social...3 Diretriz Ambiental...4

Leia mais

Comunicação para mudança de cultura do Grupo Estre Ambiental com conceitos de Sustentabilidade

Comunicação para mudança de cultura do Grupo Estre Ambiental com conceitos de Sustentabilidade Descrição do Case Este case não é apenas um evento que procurou focar, por meio das estratégias de Relações Públicas, alguma ação de sustentabilidade. É na verdade um projeto de comunicação integrada de

Leia mais

Mensagens Corporativas

Mensagens Corporativas Estratégia Global de Marca da Prudential Mensagens Corporativas Nossa Arquitetura de Mensagens Conselho de Administração Robbins 091107 1 Alinhar nossas Mensagens Corporativas EXPECTATIVA Nossa hierarquia

Leia mais

Endomarketing: Indo além da comunicação interna.

Endomarketing: Indo além da comunicação interna. Endomarketing: Indo além da comunicação interna. twitter.com/tioflavio facebook.com/tioflavio MERCADO MUDANÇAS Nativos Digitais Fonte: http://caldinas.com.br 5 MARCA BRANDING 1 IDENTIDADE POSICIONAMENTO

Leia mais

Histórico das ações. Preço histórico ação - Base 100. Var. 16 x 10-92% corretoras corretoras corretoras

Histórico das ações. Preço histórico ação - Base 100. Var. 16 x 10-92% corretoras corretoras corretoras nov-10 jan-11 mar-11 mai-11 jul-11 set-11 nov-11 jan-12 mar-12 mai-12 jul-12 set-12 nov-12 jan-13 mar-13 mai-13 jul-13 set-13 nov-13 jan-14 mar-14 mai-14 jul-14 set-14 nov-14 jan-15 mar-15 mai-15 jul-15

Leia mais

Responsabilidade Social, Sustentabilidade e a Cadeia de Valor do Varejo

Responsabilidade Social, Sustentabilidade e a Cadeia de Valor do Varejo Responsabilidade Social, Sustentabilidade e a Cadeia de Valor do Varejo Juracy Parente GVcev - Centro de Excelência em Varejo 17 de Outubro 2007 VISÃO HOLISTICA Visão Holística = Somos todos (seres humanos,

Leia mais

Como alinhar o investimento social privado na construção do futuro desejado.

Como alinhar o investimento social privado na construção do futuro desejado. Como alinhar o investimento social privado na construção do futuro desejado. José Luiz Esteves da Fonseca Gestor Executivo de SSMA DAE Qualidade Sustentabilidade O que é Investimento Social Privado? RESPONSABILIDADE

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DA SUSTENTABILIDADE

PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DA SUSTENTABILIDADE PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DA SUSTENTABILIDADE 1 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. O novo contexto de negócios (48 horas) 2. Economia de Baixo Carbono (44 horas) 3. Governança, Responsabilidade Corporativa

Leia mais

C A P I T A L I S M O C O N S C I E N T E

C A P I T A L I S M O C O N S C I E N T E C A P I T A L I S M O C O N S C I E N T E A intenção desse material é divulgar os conceitos Capitalismo Consciente. A Trustin apoia o Movimento Capitalismo Consciente. O R I G E M Embora a publicação de

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS O INDICADORES ETHOS Os Indicadores Ethos são uma ferramenta de gestão criada em 2000 pelo Instituto Ethos e que esta em sua terceira geração.

Leia mais

28 de outubro de 2010

28 de outubro de 2010 Agenda Boas vindas Sonia Favaretto O contexto brasileiro Israel Klabin Resultados da pesquisa Clarissa Lins e Jean-Philippe Renaut O contexto internacional Mark Lee Pausa para café Painel de discussão

Leia mais

TENDÊNCIAS NAS PRÁTICAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO VAREJO

TENDÊNCIAS NAS PRÁTICAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO VAREJO TENDÊNCIAS NAS PRÁTICAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO VAREJO Juracy Parente 26 de outubro de 2006 RESPONSABILIDADE SOCIAL (um conceito em evolução) Qual a razão da existência de uma empresa, ou de um negócio?

Leia mais

PORQUE, HOJE, FOCO EM PESSOAS? Qual a razão?

PORQUE, HOJE, FOCO EM PESSOAS? Qual a razão? PORQUE, HOJE, FOCO EM PESSOAS? Qual a razão? A ERA DO CONHECIMENTO - O fenômeno da Participação / grupos / etc. - A técnica ainda não envolve a ação administrativa - SABER X SABER FAZER X FAZER FAZER -

Leia mais

3a. Pesquisa Anual Comunicação por Atitude nas Maiores Empresas do Brasil. realização:

3a. Pesquisa Anual Comunicação por Atitude nas Maiores Empresas do Brasil. realização: www.significa.com.br 3a. Pesquisa Anual Comunicação por Atitude nas Maiores Empresas do Brasil 2006 realização: Método e amostra Pesquisa quantitativa Entrevistas telefônicas Questionário estruturado Período

Leia mais

Workshop Engenharia de Vendas

Workshop Engenharia de Vendas Workshop Engenharia de Vendas As características de uma venda complexa Um case de Sucesso Henrique de Oliveira Santos Agenda Case de Sucesso Trabalhando a oportunidade Relacionamento com o Cliente Atendendo

Leia mais

Código de Conduta do Grupo Cindapa Copyright 2019 Todos os Direitos Reservados à CINDAPA DOC-0180 Versão 01. DOC-0180 Versão 01

Código de Conduta do Grupo Cindapa Copyright 2019 Todos os Direitos Reservados à CINDAPA DOC-0180 Versão 01. DOC-0180 Versão 01 cindapa.com.br 1 Nossa Missão Fornecer soluções em segurança patrimonial privada, mitigando riscos e prevenindo perdas, ser excelência em atendimento e serviços, gerando a satisfação e resultados aos clientes,

Leia mais

A nova era da Responsabilidade Social mútua e o papel do consumidor. Fabián Echegaray MARKET ANALYSIS

A nova era da Responsabilidade Social mútua e o papel do consumidor. Fabián Echegaray MARKET ANALYSIS A nova era da Responsabilidade Social mútua e o papel do consumidor Fabián Echegaray MARKET ANALYSIS Bem-vindos à nova era!! 2 Bem-vindos à nova era!! 7 vezes + exposição e visibilidade na mídia nacional

Leia mais

Aonde você quer chegar?

Aonde você quer chegar? contato@aniksuzuki.com.br 55 (51) 3028-2880 aniksuzuki.com.br Aonde você quer chegar? Platinum Tower Avenida Carlos Gomes, 700/1001 Auxiliadora - Porto Alegre/RS 90480-000 A ANK é uma empresa especializada

Leia mais

SERVIÇOS COMPREENSÃO E DIMENSÕES DA QUALIDADE.

SERVIÇOS COMPREENSÃO E DIMENSÕES DA QUALIDADE. SEMANA DA ENGENHARIA 2015 Instituto de Engenharia do Paraná SERVIÇOS COMPREENSÃO E DIMENSÕES DA QUALIDADE. Rogério Mainardes 11 de dezembro de 2015 PREMISSAS BÁSICAS DAS MARCAS As pessoas devem confiar

Leia mais

CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE PROGRAMAS DE EXTENSÃO

CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE PROGRAMAS DE EXTENSÃO Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Relações Empresariais e Comunitárias Diretoria de Extensão CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE PROGRAMAS DE EXTENSÃO

Leia mais

CARTA DE PRINCÍPIOS Indústria Brasileira de Árvores (Ibá)

CARTA DE PRINCÍPIOS Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) CARTA DE PRINCÍPIOS Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), entidade que representa institucionalmente as principais empresas do setor de árvores plantadas, criada

Leia mais

SOBRE A PROJECTS EVOLUTION

SOBRE A PROJECTS EVOLUTION PROJECTS EVOLUTION 2 SOBRE A PROJECTS EVOLUTION Empresa fundada em 2009 tem o compromisso de trazer solução através de serviços e produtos de qualidade, produzidos com tecnologia adequada, metodologia

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS O INDICADORES ETHOS Os Indicadores Ethos são uma ferramenta de gestão criada em 2000 pelo Instituto Ethos e que esta em sua terceira geração.

Leia mais

Pauta. Os compromissos AMAGGI e o Potencializa; Investigação apreciativa: ciclo do projeto. Resultados Rede e Agenda. Avaliação e Monitoramento

Pauta. Os compromissos AMAGGI e o Potencializa; Investigação apreciativa: ciclo do projeto. Resultados Rede e Agenda. Avaliação e Monitoramento Potencializa Pauta Os compromissos AMAGGI e o Potencializa; Investigação apreciativa: ciclo do projeto Resultados Rede e Agenda Avaliação e Monitoramento Avaliação do processo metodológico. Os compromissos

Leia mais

comunicação que reinventa_

comunicação que reinventa_ portfólio comunicação que reinventa_ reinventando-se a cada dia_ Ao mesmo tempo em que nunca tivemos tantos instrumentos à mão para nos comunicar, na mesma proporção, tem sido um desafio hercúleo estabelecer

Leia mais

DOCUMENTO DE GESTÃO Número 007/2019 Conselho de Administração 27 de fevereiro de 2019

DOCUMENTO DE GESTÃO Número 007/2019 Conselho de Administração 27 de fevereiro de 2019 DOCUMENTO DE GESTÃO Número 007/2019 Conselho de Administração 27 de fevereiro de 2019 POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE PORTA-VOZES INTERESSADO Conselho de Administração UNIDADE RESPONSÁVEL Presidência

Leia mais

A Responsabilidade Social Empresarial O Balanço Social

A Responsabilidade Social Empresarial O Balanço Social A Responsabilidade Social Empresarial O Balanço Social A. Domingues Azevedo Bastonário da OTOC XXIV Seminário Internacional de Paises Latinos Europa América 2 de Novembro 2011 Argentina 1 Preocupação social

Leia mais

MC2 Código de conduta

MC2 Código de conduta MC2 Código de conduta MENSAGEM DO PRESIDENTE Em 1991 a MC2 foi fundada imaginando-se construir uma agência que oferecesse experiências inovadoras, eficiência, qualidade e compromisso com nossas ideias.

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS, NOSSOS VALORES, NOSSA ATITUDE.

NOSSOS PRINCÍPIOS, NOSSOS VALORES, NOSSA ATITUDE. CÓDIGO DE CONDUTA NOSSOS PRINCÍPIOS, NOSSOS VALORES, NOSSA ATITUDE. Mensagem do presidente. Quando criamos a Heads Propaganda, em 1989, partíamos de um princípio: fazer uma agência que oferecesse comunicação

Leia mais

ENDOMARKETING DE EXPERIÊNCIAS

ENDOMARKETING DE EXPERIÊNCIAS ENDOMARKETING DE EXPERIÊNCIAS Juliani Monçores sobre a autora Publicitária por formação, criativa por vocação e comunicadora por paixão. Publicitária e Especialista em Comunicação e Marketing, com MBA

Leia mais

IPACKCHEM OFERECEMOS SOLUÇÕES DE EMBALAGEM PARA O SETOR DE PRODUTOS QUÍMICOS ESPECIAIS

IPACKCHEM OFERECEMOS SOLUÇÕES DE EMBALAGEM PARA O SETOR DE PRODUTOS QUÍMICOS ESPECIAIS 2017 ESSENCIAL IPACKCHEM OFERECEMOS SOLUÇÕES DE EMBALAGEM PARA O SETOR DE PRODUTOS QUÍMICOS ESPECIAIS Nossas atividades BRASIL REINO UNIDO FRANÇA HUNGRIA RÚSSIA ÁFRICA DO SUL O Grupo IPACKCHEM desenvolve

Leia mais

VALORES E PRINCÍPIOS DA SIKA

VALORES E PRINCÍPIOS DA SIKA CONSTRUINDO CONFIANÇA SIKA UM LÍDER GLOBAL COM PRINCÍPIOS E TRADIÇÃO Fundada na Suíça pelo criador visionário Sr. Kaspar Winkler há mais de 100 anos, a Sika tornou-se uma empresa de sucesso mundial assumindo

Leia mais

PERCEPÇÃO DA SOCIEDADE SOBRE A QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E A SUSTENTABILIDADE DOS NEGÓCIOS. Flávia Flamínio

PERCEPÇÃO DA SOCIEDADE SOBRE A QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E A SUSTENTABILIDADE DOS NEGÓCIOS. Flávia Flamínio PERCEPÇÃO DA SOCIEDADE SOBRE A QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E A SUSTENTABILIDADE DOS NEGÓCIOS Flávia Flamínio flavia@espm.br O MUNDO E AS EMPRESAS MUDARAM O AMBIENTE DE NEGÓCIOS DA EMPRESA Fornecedores

Leia mais

O Baobá. é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade.

O Baobá. é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade. O Baobá é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade. Especializada em gestão e sociedade, com foco em sustentabilidade para os setores público e privado.

Leia mais

POLÍTICA DE PORTA - VOZES DO BANCO DO ESTADO DO PARÁ S.A

POLÍTICA DE PORTA - VOZES DO BANCO DO ESTADO DO PARÁ S.A POLÍTICA DE PORTA - VOZES DO BANCO DO ESTADO DO PARÁ S.A DICRI/NURIN SETEMBRO/2017 Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVOS... 3 3. PORTA-VOZES... 4 4. POSTURA... 4 5. CONVITE PARA EVENTOS... 4 6. PENALIDADES...

Leia mais

política de sustentabilidade política de SUSTENTABILIDADE

política de sustentabilidade política de SUSTENTABILIDADE política de SUSTENTABILIDADE INTRODUÇÃO Esta Política representa o compromisso da Santos Brasil em enraizar a Sustentabilidade em sua cultura, nas decisões de negócio e em suas práticas diárias, servindo

Leia mais

Como empreender em Comunicação na Era Digital?

Como empreender em Comunicação na Era Digital? Como empreender em Comunicação na Era Digital? Excesso de informação. Economia da atenção. Como se comunicar nesse ambiente? Como integrar e humanizar a comunicação, multiplicando conhecimentos e inspirando?

Leia mais

ATITUDE E EXPECTATIVAS DO CONSUMIDOR: A CRIAÇÃO DE VÍNCULOS COM AS MARCAS

ATITUDE E EXPECTATIVAS DO CONSUMIDOR: A CRIAÇÃO DE VÍNCULOS COM AS MARCAS 9º ENCONTRO DE MARKETING DA UNIMED DO BRASIL ATITUDE E EXPECTATIVAS DO CONSUMIDOR: A CRIAÇÃO DE VÍNCULOS COM AS MARCAS SHARON HESS Engajamento para construção de marca Transcendência da função para o

Leia mais

O próximo grande salto evolutivo da humanidade será a descoberta de que cooperar é melhor que competir. Pietro Ubaldi

O próximo grande salto evolutivo da humanidade será a descoberta de que cooperar é melhor que competir. Pietro Ubaldi O próximo grande salto evolutivo da humanidade será a descoberta de que cooperar é melhor que competir. Pietro Ubaldi Começamos a esquecer que somos cooperativas concorrendo com empresas do mercado. Não

Leia mais

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Geral Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Indicador 1 - Compromisso Fundamental 1. A empresa, por meio de sua alta administração,

Leia mais

A importância da Marca no posicionamento estratégico dos destinos turísticos

A importância da Marca no posicionamento estratégico dos destinos turísticos A importância da Marca no posicionamento estratégico dos destinos turísticos 29 de Março de 2006 Joana Neves INSTITUTO DUPERIOR DE TECNOLOGIAS E GESTÃO DE PORTALEGRE Agenda Os Novos Motores do Turismo

Leia mais

POLÍTICAS DOS ÓRGÃOS DE GESTÃO

POLÍTICAS DOS ÓRGÃOS DE GESTÃO POLÍTICAS DOS ÓRGÃOS DE GESTÃO Processo Sustentabilidade Sub-Processo Sustentabilidade Emissão Código 25/05/2018 POG.10.000.R10 br.ccb.com Informação Confidencial Propriedade do CCB Brasil 1 1. OBJETIVO

Leia mais

Cordiais saudações para todos os participantes ao Congresso da parte de ACCA. The global body for professional accountants

Cordiais saudações para todos os participantes ao Congresso da parte de ACCA. The global body for professional accountants Cordiais saudações para todos os participantes ao Congresso da parte de ACCA Uma introdução à ACCA A MISSÃO EM 1904: dar a todos aqueles que pretendem ter acesso a profissão, e podem provar por exame

Leia mais

Apresentação da Agência

Apresentação da Agência Apresentação da Agência MVMA - Apresentações Digitais São Paulo - Brasil Vamos pensar juntos sobre a sua próxima Apresentação Digital? 2 Olá, tudo bem? Somos uma agência digital apaixonada por design,

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos

Política Nacional de Resíduos Sólidos Em 2010, após 20 anos de tramitação no Congresso Nacional, o Presidente Lula sanciona a Lei 12.305, marco importante para a mudança de patamar da gestão de resíduos sólidos no Brasil. Lei 1.242 de 02/07/2008

Leia mais

Novo cenário da COMUNICAÇÃO

Novo cenário da COMUNICAÇÃO Novo cenário da COMUNICAÇÃO O que influencia a visão dos Millenials em relação a marcas e serviços? O que influencia a visão dos Millenials em relação a marcas e serviços? 1. Alta qualidade do produto

Leia mais

Quando a organização é percebida positivamente. por esses públicos, estes, naturalmente, tendem a. ter uma atitude favorável à empresa.

Quando a organização é percebida positivamente. por esses públicos, estes, naturalmente, tendem a. ter uma atitude favorável à empresa. 16 Dario Menezes Gestão de Riscos Reputacionais: práticas e desafios Se você perder o dinheiro da empresa, eu irei compreender. Se você prejudicar a nossa reputação, eu serei impiedoso. Warren Buffet ano

Leia mais

[WEBINAR] PRODUÇÃO DE EVENTOS EXPERIENCIAIS PARA MARCAS. Alexandre Gemmal

[WEBINAR] PRODUÇÃO DE EVENTOS EXPERIENCIAIS PARA MARCAS. Alexandre Gemmal [WEBINAR] PRODUÇÃO DE EVENTOS EXPERIENCIAIS PARA MARCAS Alexandre Gemmal alexgemmal@terra.com.br 1 COMO APROVEITAR BEM O CURSO? Interaja no chat, compartilhe suas experiências relacionadas ao conteúdo;

Leia mais

REVISTA DOS CARIOCAS RELEVÂNCIA EDITORIAL E VISIBILIDADE PARA O PATROCINADOR

REVISTA DOS CARIOCAS RELEVÂNCIA EDITORIAL E VISIBILIDADE PARA O PATROCINADOR REVISTA DOS CARIOCAS RELEVÂNCIA EDITORIAL E VISIBILIDADE PARA O PATROCINADOR A revista traz um panorama completo da pesquisa que revela as preferências do carioca nas áreas de indústria, comércio, varejo

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE 1. Identificação do Curso UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE a. Curso de Especialização em: Marketing e Comunicação Integrada b. Área: Ciências Sociais Aplicadas c. Área temática (tema): Comunicação

Leia mais

Neurociências Aplicadas ao Branding MANUAL DO CURSO

Neurociências Aplicadas ao Branding MANUAL DO CURSO Neurociências Aplicadas ao Branding MANUAL DO CURSO ESPM Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo - SP Informações Central de Relacionamento: (11) 5081-8200 (opção 1) Segunda a sexta 9h às 20h30

Leia mais

Checklist. Sua empresa está preparada para gerir crises nas redes sociais?

Checklist. Sua empresa está preparada para gerir crises nas redes sociais? Checklist Sua empresa está preparada para gerir crises nas redes sociais? O cenário da comunicação mudou. Com o advento das redes sociais e a maior proximidade entre usuários, clientes, consumidores e

Leia mais

Gestão de Stakeholders: a importância da comunidade

Gestão de Stakeholders: a importância da comunidade Gestão de Stakeholders: a importância da comunidade Cecilia Seravalli Soares É a forma de gestão que se define pela relação ética e transparente da empresa com todos os públicos com os quais ela se relaciona

Leia mais

A Sustentabilidade no Grupo Boticário

A Sustentabilidade no Grupo Boticário A Sustentabilidade no Grupo Boticário BELEZA É O QUE A GENTE FAZ O Grupo Boticário é brasileiro e tem orgulho disso Está entre as maiores empresas mundiais nos segmentos de cosméticos e perfumaria Tem

Leia mais

Gestão de Pessoas por Competência

Gestão de Pessoas por Competência Gestão de Pessoas por Competência Introdução Um modelo de gestão de pessoas é entendido como a maneira pela qual uma instituição gerencia e orienta o comportamento humano no trabalho e, para que isso ocorra,

Leia mais

Agenda. Relembrando as Diretrizes Plataforma da Marca Workshop Arquitetura de Marcas e Posicionamento

Agenda. Relembrando as Diretrizes Plataforma da Marca Workshop Arquitetura de Marcas e Posicionamento Agenda Relembrando as Diretrizes Plataforma da Marca Workshop Arquitetura de Marcas e Posicionamento Branding para a Eletrobrás por onde passamos: Reunião de kickoff Entrevistas com executivos da Eletrobrás

Leia mais

APLICAÇÃO DO BPM PARA REESTRUTURAÇÃO DO PORTFÓLIO DE SERVIÇOS DA APEX-BRASIL

APLICAÇÃO DO BPM PARA REESTRUTURAÇÃO DO PORTFÓLIO DE SERVIÇOS DA APEX-BRASIL APLICAÇÃO DO BPM PARA REESTRUTURAÇÃO DO PORTFÓLIO DE SERVIÇOS DA APEX-BRASIL BPM Congress Brasília, 27 de novembro de 2012. Carlos Padilla, CBPP, Assessor da Gerência de Negócios. PANORAMA DA APEX-BRASIL

Leia mais

Marketing Aplicado à Sustentabilidade

Marketing Aplicado à Sustentabilidade Marketing Aplicado à Sustentabilidade MANUAL DO CURSO ESPM Rua Joaquim Távora, 1.240 Vila Mariana São Paulo - SP Informações Central de Relacionamento: (11) 5081-8200 (opção 1) Segunda a sexta 9h às 20h30

Leia mais

O desafio da profissão da qualidade

O desafio da profissão da qualidade O desafio da profissão da Para todas as organizações, o desenvolvimento de produtos e serviços de alta é essencial. As consequências do fracasso são cada vez mais significativas no mundo de hoje de aumento

Leia mais

NÃO EXISTE GESTÃO SEM COMUNICAÇÃO DANIEL COSTA

NÃO EXISTE GESTÃO SEM COMUNICAÇÃO DANIEL COSTA NÃO EXISTE GESTÃO SEM COMUNICAÇÃO DANIEL COSTA O que é engajamento? Engajamento no trabalho é uma forma de agir em que o indivíduo, motivado por uma causa, expressa sua vontade e predisposição de fazer

Leia mais

CURSO GESTÃO DA QUALIDADE. Disciplina Indicadores de Desempenho

CURSO GESTÃO DA QUALIDADE. Disciplina Indicadores de Desempenho 1 CURSO GESTÃO DA QUALIDADE Disciplina Indicadores de Desempenho 2 Visão estratégica, Missão, Visão, Valores e Fatores Críticos de Sucesso. (Aula 6) 3 Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que

Leia mais

05/03/2009. Comunicação Interna. Interna. Definição

05/03/2009. Comunicação Interna. Interna. Definição COMUNICAÇÃO INTERNA, INSTITUCIONAL E PARA O CONSUMIDOR Institucional Interna Endomarketing Interna Definição comunicação interna é um setor planejado, com objetivos bem definidos, para viabilizar toda

Leia mais

Sistema CFQ/CRQ Planejamento Estratégico INOVAÇÃO & INTEGRAÇÃO

Sistema CFQ/CRQ Planejamento Estratégico INOVAÇÃO & INTEGRAÇÃO Sistema CFQ/CRQ Planejamento Estratégico 2018-2028 INOVAÇÃO & INTEGRAÇÃO A importância do pensar e agir estrategicamente nos dias atuais 1. Ter uma unica gestão estratégica 2. Ter um direcionamento estratégico

Leia mais

Processo de geração de valor do Bradesco. Limites dos Aspectos Materiais (G4-20 e G4-21)

Processo de geração de valor do Bradesco. Limites dos Aspectos Materiais (G4-20 e G4-21) Processo de geração de valor do Limites dos Aspectos Materiais (G-20 e G-21) Matriz de Relevância A definição dos temas a serem abordados no Relatório Anual 201 baseou-se na nova Matriz de Relevância do,

Leia mais

NORMAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL. 3 de Março de 2011

NORMAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL. 3 de Março de 2011 NORMAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 3 de Março de 2011 Estrutura da norma ISO 26000 Cláusula 1: Âmbito Cláusula 2: Termos e definições Cláusula 3: Compreender a RS Cláusula 4: Princípios da RS Cláusula 5:

Leia mais

UMA MARCA EM PROL DO SISTEMA UNIMED

UMA MARCA EM PROL DO SISTEMA UNIMED UMA MARCA EM PROL DO SISTEMA UNIMED AGENDA 1. A Importância do Branding 2. A Marca Unimed 3. Outras entregas do MKT 4. Diretrizes da Comunicação 5. Papel da Sustentabilidade e NDH 6. Ações do CAS 7. Outras

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios A Sociedade mudou e os indivíduos se organizam em rede Uma nova sociedade exige um novo jeito de fazer negócios e uma nova liderança! Negócios lucrativos criados a partir

Leia mais

Tema: EVP mais que uma proposta de valor, um passo para o Engajamento Palestrante: Renata Mazoco - VALE

Tema: EVP mais que uma proposta de valor, um passo para o Engajamento Palestrante: Renata Mazoco - VALE Tema: EVP mais que uma proposta de valor, um passo para o Engajamento Palestrante: Renata Mazoco - VALE Vamos falar de... EXPERIÊNCIA EXPERIÊNCIA = cria sentido, vínculo, relevância, oportunidade, mexe

Leia mais

CONSTRUINDO VALORES E RELACIONAMENTOS

CONSTRUINDO VALORES E RELACIONAMENTOS CONSTRUINDO VALORES E RELACIONAMENTOS Nascemos em 2015 com o objetivo de estreitar a relação entre consumidores e empresas. Com a consultoria empresarial, nos dedicamos ao seu sucesso e à melhoria constante

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA (RSC)

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA (RSC) RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA (RSC) Caroline Pinto Guedes Ferreira ANTECEDENTES Revolução industrial Processo rápido r e intenso de urbanização Uso intenso e indiscriminado dos recursos naturais

Leia mais

AGENDA. 10:15-10:30 Break. 10:30 11:30 Ferramentas de CI. 09:00-10:15 Atividade Entendendo sobre CI

AGENDA. 10:15-10:30 Break. 10:30 11:30 Ferramentas de CI. 09:00-10:15 Atividade Entendendo sobre CI Boas Práticas AGENDA 09:00-10:15 Atividade Entendendo sobre CI 10:15-10:30 Break 10:30 11:30 Ferramentas de CI Esquenta... Cada mesa possui um case a ser resolvido. Leia com atenção e a mesa deve fazer

Leia mais

Expectativas em relação ao governo

Expectativas em relação ao governo 10Minutos 19ª Pesquisa Global com CEOs O novo sentido do sucesso Expectativas em relação ao governo Agosto de 2016 Destaques A escassez de talentos continua a ser uma ameaça. Como muitas organizações públicas

Leia mais

Documento: Iniciativas, Ações e Atividades do Plano Estratégico Data:

Documento: Iniciativas, Ações e Atividades do Plano Estratégico Data: Documento:, e Atividades do Plano Estratégico 2016 Data: 19-11-2015 Responsáveis: Heloisa Bedicks / Adriane de Almeida / Emilio Martos Propósito IBGC Ser referência em governança corporativa, contribuindo

Leia mais

PRESENTE E FUTURO NA GOVERNANÇA DE ASSOCIAÇÕES E ENTIDADES DE CLASSE

PRESENTE E FUTURO NA GOVERNANÇA DE ASSOCIAÇÕES E ENTIDADES DE CLASSE PRESENTE E FUTURO NA GOVERNANÇA DE ASSOCIAÇÕES E ENTIDADES DE CLASSE -2018- POR QUE PENSAR UMA NOVA GESTÃO PARA ASSOCIAÇÕES? 03 MÉTODOS DA CAU SE 04 CONSTRUIR O FUTURO 05 GERIR O PRESENTE 06 SOBRE A CAU

Leia mais

Diretriz Nacional de Comunicação. Sistema Unimed

Diretriz Nacional de Comunicação. Sistema Unimed Diretriz Nacional de Comunicação Sistema Unimed Diretriz de Comunicação Definição Política ou Diretriz de Comunicação é um processo articulado de definição de valores, objetivos, diretrizes, normas e estruturas,

Leia mais

PLANO DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES

PLANO DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES PLANO DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES Definição O presente plano foi elaborado nos termos da legislação em vigor e estabelece os procedimentos para que o Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA)

Leia mais