Processo de geração de valor do Bradesco. Limites dos Aspectos Materiais (G4-20 e G4-21)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Processo de geração de valor do Bradesco. Limites dos Aspectos Materiais (G4-20 e G4-21)"

Transcrição

1 Processo de geração de valor do Limites dos Aspectos Materiais (G-20 e G-21)

2 Matriz de Relevância A definição dos temas a serem abordados no Relatório Anual 201 baseou-se na nova Matriz de Relevância do, construída em 201, com base no conceito de materialidade proposto pelo IIRC. O objetivo desse trabalho foi apresentar uma matriz que contemplasse não somente aspectos socioambientais, mas temas relevantes para o processo de geração e proteção de valor no curto, médio e longo prazos. O processo de construção teve três etapas: o Levantamento dos temas; o Avaliação dos temas considerando a percepção das partes interessadas o Priorização e agrupamento dos temas utilizando critérios como alcance do impacto no território, impacto no processo de proteção e geração de valor e grau de exigência (legal, legais iminentes ou outros compromissos). Mais informações podem ser encontradas no Relatório Anual 2015, página 10.

3 O conjunto de temas relevantes foram classificados e organizados na lógica dos capitais propostos pela Estrutura Internacional para Relato Integrado: Os temas que afetam de maneira significativa a capacidade do no seu processo de proteção e geração de valor podem ser visualizados sob uma lógica de capitais. Capital Financeiro Capital Manufaturado Capital Intelectual Recursos disponíveis ou que possam ser obtidos com a operação ou captados via emissão de dívida ou ações Infraestrutura e equipamentos para a organização desenvolver seus serviços É composto pelos intangíveis baseados no conhecimento, como patentes, direitos e sistemas Capital Social Relacionamento que a organização possui na comunidade e com clientes, fornecedores, acionistas, reguladores, etc. Capital Humano Está ligado às competências, habilidades e motivações da equipe de trabalho Capital Natural É formado pelos ativos ambientais, renováveis ou não, que fornecem ou permitem o fornecimento de bem ou serviços para a organização

4 Na etapa de avaliação, foi realizada a avaliação do processo de geração de valor do. Fonte: Estrutura Internacional para Relato Integrado (http://integratedreporting.org/)

5 Fluxo de valor : Capital Financeiro Acionistas Analistas de mercado Agências reguladoras Bolsas de Valores Concorrência Acionistas Corretores de Seguros Valor capturado Terceiro setor Mercado de capitais Segurados Desenvolvimento econômico local e Regional Fornecedores Empresas ligadas Stakeholders impactados pelas externalidades do negócio

6 Fluxo de valor : Capital Humano Sindicatos Ministérios Universidades Associações estudantis Mercado de trabalho Associações que proporcionam ingresso de jovens no mercado de trabalho Empresas terceirizadas (prestadores de serviços) Universidades Parceiras Valor capturado Fornecedores Fundação Sociedade Cadeia de valor Mercado de trabalho Analistas Fundação Stakeholders impactados pelas externalidades do negócio

7 Fluxo de valor : Capital Intelectual Analistas de mercado e Concorrentes Universidades e Institutos de pesquisa Consultorias Fornecedores de tecnologia Universidades parceiras Parceiros estratégicos Valor capturado Acionistas Associações de Classe Organização Fundação Analistas e investidores Desenvolvimento intelectual da sociedade Órgãos Reguladores Mercado (boas práticas) Stakeholders impactados pelas externalidades do negócio

8 Fluxo de valor : Capital Natural ONGs Instituições parceiras Ministérios Mídia Concessionárias de água e energia Fornecedores de insumos (não manufaturados) Concessionárias de água e energia Comunidades locais Prestadores de serviços Valor capturado Fornecedores Stakeholders impactados pelas externalidades do negócio

9 9 Fluxo de valor : Capital Manufaturado Correspondentes bancários Mercado imobiliário Certificações Concorrência Fornecedores e prestadores de Serviço Transporte de numerário Locatários e agentes imobiliários Fornecedores de manutenção e aquisição de veículos Conectividade: Telefonia e internet Valor capturado Empresas de TI Prestadores de Serviço Desenvolvimento comercial local Comunidade do entorno Desenvolvimento e infraestrutura Fornecedores de software e hardware Stakeholders impactados pelas externalidades do negócio

10 Fluxo de valor : Capital Social e de Relacionamento Bolsas de Valores Mídia ONGs Organismos Internacionais Órgãos Reguladores Instituições relacionadas ao Mercado de Capitais Associações de Classe Fundação Instituições parceiras Empresas ligadas Sindicatos de trabalhadores Valor capturado Fundação ONGs Empresas de comunicação e empresas Cadeia de fornecedores Comunidades locais Mídia Stakeholders impactados pelas externalidades do negócio 10

3. O Framework é um manual/guia de como elaborar o relato integrado? Justifique.

3. O Framework é um manual/guia de como elaborar o relato integrado? Justifique. Questões Relato Integrado 1. O que é A4S? De que forma essa organização influenciou a criação do relato integrado. A4S é o projeto do príncipe de Gales Accounting for Sustainability, foi a organização

Leia mais

MICRO AMBIENTE CONCORRENTE A. Administração Mercadológica I. Forças tecnológicas. Forças naturais. Empresa

MICRO AMBIENTE CONCORRENTE A. Administração Mercadológica I. Forças tecnológicas. Forças naturais. Empresa de Marketing Parte 02 Micro e Macro Os profissionais precisam praticar a administração de relacionamento de parceria. Eles devem trabalhar em estreito contato com parceiros de outros departamentos da empresa

Leia mais

Centro Federal do Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca Departamento de Engenharia de Produção

Centro Federal do Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca Departamento de Engenharia de Produção Centro Federal do Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca Departamento de Engenharia de Produção A empresa Perfil da empresa (EXEMPLO) A Gerdau é líder no segmento de aços longos nas Américas e uma

Leia mais

GT de Empresas Pioneiras em Relatórios de Sustentabilidade. Conectividade: comunicação entre empresas e investidores para o avanço das questões ASG

GT de Empresas Pioneiras em Relatórios de Sustentabilidade. Conectividade: comunicação entre empresas e investidores para o avanço das questões ASG GT de Empresas Pioneiras em Relatórios de Sustentabilidade Conectividade: comunicação entre empresas e investidores para o avanço das questões ASG 07/12/2015 Agenda Introdução Integração à Estratégia Riscos

Leia mais

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade...

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade... ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS Folha 1/8 ÍNDICE 1. Objetivo...2 2. Abrangência...2 3. Definições...2 4. Diretrizes...3 5. Materialidade...7 Folha 2/8 1. Objetivos 1. Estabelecer as diretrizes que devem orientar

Leia mais

O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE.

O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE. PROGRAMAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS 2º semestre de 2017 FOZ DO IGUAÇU O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE. CURSOS TÉCNICOS SENAC. Transações Imobiliárias A HORA DE INVESTIR

Leia mais

Aula 3 Administração Integrada

Aula 3 Administração Integrada Aula 3 Administração Integrada MEG O MEG está descrito em três versões: Critérios de Excelência, para organização em estágios avançados; Rumo à Excelência, para organizações em estágios intermediários;

Leia mais

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Securitas Portugal O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Agosto de 2016 1 O Sistema de Gestão da Responsabilidade Social A SECURITAS desenvolveu e implementou um Sistema de Gestão de aspetos de

Leia mais

Gestão Por Processos. Prof. Me. Silvio Mota Fone:

Gestão Por Processos. Prof. Me. Silvio Mota Fone: Gestão Por Processos Prof. Me. Silvio Mota Fone: 55 11 3285 6539 contato@daryus.com.br Biografia Mestre em Administração de Empresas, Pós Graduado em Análise de Sistemas, atua no mercado prestando consultoria

Leia mais

Auditoria e o Fator de Sucesso. Luciano Medeiros

Auditoria e o Fator de Sucesso. Luciano Medeiros Auditoria e o Fator de Sucesso Luciano Medeiros O Mercado de Auditoria No Brasil há cerca de 360 auditores PJ registrados na CVM; Há, também, por volta de 70 auditores PF com registro na CVM; Por outro

Leia mais

Análise de temas relevantes

Análise de temas relevantes Análise de temas relevantes A Braskem avalia a materialidade, isto é, a relevância, dos temas de sustentabilidade periodicamente para embasar a sua estratégia de contribuição ao desenvolvimento sustentável.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Lista de Exercícios 03. Luiz Leão

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Lista de Exercícios 03. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Exercício 01 É o sistema de informações desenvolvido para atender às necessidades do nível estratégico da corporação. auxilia a direção da corporação

Leia mais

Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, não há sucesso no que não se gerencia.

Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, não há sucesso no que não se gerencia. Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, não há sucesso no que não se gerencia. William Edwards Deming Não se gerencia o que não se mede,

Leia mais

Gestão Estratégica da Informação Prof. Esp. André Luís Belini

Gestão Estratégica da Informação Prof. Esp. André Luís Belini Gestão Estratégica da Informação Prof. Esp. André Luís Belini Apresentação do Professor Formação Acadêmica: Bacharel em Sistemas de Informação Pós graduado em Didática e Metodologia para o Ensino Superior

Leia mais

v 19 INTELIGÊNCIA TI TELECOM

v 19 INTELIGÊNCIA TI TELECOM v 19 INTELIGÊNCIA TI TELECOM Índice v 19 Índice Gestão Plena IP FIXA MÓVEL Inúmeras funcionalidades para interligar pessoas, independente da tecnologia utilizada. Índice Gestão Plena Gestão dos Recursos

Leia mais

Avaliação dos Intangíveis: Capital Intelectual na valoração das empresas

Avaliação dos Intangíveis: Capital Intelectual na valoração das empresas Avaliação dos Intangíveis: Capital Intelectual na valoração das empresas Lidiane Delesderrier Gonçalves Setembro de 2010 AGENDA 1. BREVE INTRODUÇÃO 2. AVALIAÇÃO DE INTANGÍVEIS 3. O CASO BNDES AGENDA 1.

Leia mais

Índice de Imagem e Reputação

Índice de Imagem e Reputação Índice de Imagem e Reputação Que percepção os seus públicos têm da sua empresa? Com que outras empresas comparam? Qual o peso de cada público na imagem e reputação da sua empresa? Apresentação Expressão

Leia mais

O Baobá. é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade.

O Baobá. é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade. O Baobá é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade. Especializada em gestão e sociedade, com foco em sustentabilidade para os setores público e privado.

Leia mais

1º LATAM ESG 2014 ESTÁGIO ATUAL DE EVOLUÇÃO DO RELATO INTEGRADO. São Paulo, 29 de abril de 2014

1º LATAM ESG 2014 ESTÁGIO ATUAL DE EVOLUÇÃO DO RELATO INTEGRADO. São Paulo, 29 de abril de 2014 1º LATAM ESG 2014 ESTÁGIO ATUAL DE EVOLUÇÃO DO RELATO INTEGRADO São Paulo, 29 de abril de 2014 1 Papel da Informação Transparente Confiável Informação é subsídio para a tomada de decisão Tempestiva Comparável

Leia mais

Aula 2 Partes Interessadas. Rosely Gaeta

Aula 2 Partes Interessadas. Rosely Gaeta Aula 2 Partes Interessadas Rosely Gaeta Definição São os indivíduos e grupos capazes de afetar e serem afetados pelos resultados estratégicos alcançados e que possuam reivindicações aplicáveis e vigentes

Leia mais

APRESENTAÇÃO Fundada Boutique de Seguros EQUIPE Premium EQUIPE

APRESENTAÇÃO Fundada Boutique de Seguros EQUIPE Premium EQUIPE APRESENTAÇÃO Fundada em 1951 a Equipe Seguros é uma empresa que está no mercado de Seguros há mais de 60 anos, sempre prestando serviços, orientando e oferecendo as melhores alternativas de seguros à seus

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES ABINEE TEC 2009 ENITEE - 2º Encontro Nacional da Inovação Tecnológica da Indústria Elétrica e Eletrônica BNDES Área Industrial Departamento

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Unidade 2: Análise e diagnóstico do ambiente e objetivos organizacionais 1 SEÇÃO 2.1 ANÁLISE DO AMBIENTE GERAL E DO SETOR 2 Objetivo Coleta de informações Objetivo: Avaliação para

Leia mais

Gestão Por Processos (BPM): instrumento para redução dos custos e melhoria da qualidade

Gestão Por Processos (BPM): instrumento para redução dos custos e melhoria da qualidade Gestão Por Processos (BPM): instrumento para redução dos custos e melhoria da qualidade Prof. Me. Silvio Mota Fone: 55 11 3285 6539 contato@daryus.com.br Biografia Mestre em Administração de Empresas,

Leia mais

Sustentabilidade. Gestão

Sustentabilidade. Gestão Inovação Solução Completa em Tecnologia da Informação Unimed. Sustentabilidade Competitividade Solução Gestão Integração Capacitação Solução Completa em Tecnologia da Informação Unimed. Processos, pessoas

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA GESTÃO SECRETARIAL. Palestrante Márcia Siqueira

COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA GESTÃO SECRETARIAL. Palestrante Márcia Siqueira COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DA GESTÃO SECRETARIAL Palestrante Márcia Siqueira Proposta 1. Refletir sobre as competências profissionais que contribuirão para solidificação da identidade, fortalecimento e continuidade

Leia mais

Volkswagen do Brasil. 3º Fórum IQA da Qualidade Automotiva

Volkswagen do Brasil. 3º Fórum IQA da Qualidade Automotiva Volkswagen do Brasil 3º Fórum IQA da Qualidade Automotiva A Excelência da Montadora no Foco do Cliente Richard Schwarzwald Richard Schwarzwald Engenheiro pela Escola Politécnica; Mestre pela FGV Redes

Leia mais

RIGESA - Divisão Florestal. A CADEIA PRODUTIVA DA MADEIRA E SEU NOVO CONTEXTO EMPRESARIAL Heuzer Saraiva Guimarães

RIGESA - Divisão Florestal. A CADEIA PRODUTIVA DA MADEIRA E SEU NOVO CONTEXTO EMPRESARIAL Heuzer Saraiva Guimarães XIV SEMINÁRIO DE ATUALIZAÇÃO SOBRE SISTEMAS DE COLHEITA DE MADEIRA E TRANSPORTE FLORESTAL RIGESA - Divisão Florestal A CADEIA PRODUTIVA DA MADEIRA E SEU NOVO CONTEXTO EMPRESARIAL Heuzer Saraiva Guimarães

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS E PROJETOS

GESTÃO DE PESSOAS E PROJETOS GESTÃO DE PESSOAS E PROJETOS Stakeholders Definições, análise, necessidades e expectativas Ref. Gray e Larson, Cap. 10 - Liderança Prof. Luciel H. de Oliveira Gerenciamento dos stakeholders Interessados

Leia mais

Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho

Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho O QUE É O MODELO O Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho é uma ferramenta de diagnóstico e auto-avaliação que propõe às indústrias brasileiras uma reflexão

Leia mais

Empreendedorismo. Prof. MSc. Márcio Rogério de Oliveira

Empreendedorismo. Prof. MSc. Márcio Rogério de Oliveira Empreendedorismo Prof. MSc. Márcio Rogério de Oliveira Unidades da Disciplina: As Empresas; Mortalidade, Competitividade e Inovação Empresarial; Empreendedorismo; Processo Empreendedor; Instituições de

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação. Aula 5- Desafios Gerenciais da Tecnologia da Informação.

Administração de Sistemas de Informação. Aula 5- Desafios Gerenciais da Tecnologia da Informação. Aula 5- Desafios Gerenciais da Tecnologia da Informação. Conteúdo Programático desta aula Perceber o ambiente em transformação contínua e a necessidade de que a TI seja encarada na organização como um

Leia mais

OBJETIVO PÚBLICO-ALVO PROGRAMA

OBJETIVO PÚBLICO-ALVO PROGRAMA Curso de Auditoria Interna, Controle Interno e Gestão de Riscos carga-horária: 16 horas OBJETIVO Fornecer aos participantes o conhecimento básico e bases técnicas e práticas fundamentais para que possam

Leia mais

Lisboa, 25 de novembro de 2011

Lisboa, 25 de novembro de 2011 Lisboa, 25 de novembro de 2011 A reabilitação urbana constitui um fator essencial no desenvolvimento do setor do turismo, enquanto elemento integrante da nossa oferta turística A regeneração urbana estabelece

Leia mais

Sustentabilidade como alavanca de valor. Campinas, 7 novembro de 2013

Sustentabilidade como alavanca de valor. Campinas, 7 novembro de 2013 Sustentabilidade como alavanca de valor Campinas, 7 novembro de 2013 Visão Energia é essencial ao bem-estar das pessoas e ao desenvolvimento da sociedade. Nós acreditamos que produzir e utilizar energia

Leia mais

Bradesco. Sustentabilidade nos negócios e práticas socioambientais. Ivani Benazzi de Andrade Gerente do Departamento de Relações com o Mercado

Bradesco. Sustentabilidade nos negócios e práticas socioambientais. Ivani Benazzi de Andrade Gerente do Departamento de Relações com o Mercado Bradesco Sustentabilidade nos negócios e práticas socioambientais Ivani Benazzi de Andrade Gerente do Influência nos negócios... Sustentabilidade Corporativa Posicionamento Bradesco 71 anos de experiência

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Apresentação, Missão e Valores A RAYEL, MIRANDA e WEIGAND SOCIEDADE DE ADVOGADOS, sociedade de advocacia especializada em Direito Empresarial, possui a missão de gerar resultados

Leia mais

Centro Paroquial e Social de Barroselas Casa de S.Pedro

Centro Paroquial e Social de Barroselas Casa de S.Pedro Centro Paroquial e Social de Barroselas Casa de S.Pedro Estudos, certificação, auditoria e assessoria no contexto da implementação de sistema solar térmico, sistema fotovoltaico e bomba de calor Proposta

Leia mais

1º SIMPÓSIO GESTÃO DE ATIVOS

1º SIMPÓSIO GESTÃO DE ATIVOS 1º SIMPÓSIO GESTÃO DE ATIVOS MBA de Gestão de Ativos Ênfase em Excelência rial e Operacional. João Esmeraldo da Silva. Eng. Industrial Mecânico - Doutor em Engenharia de Produção. FUNDAÇÃO GORCEIX. Belo

Leia mais

A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PARTES INTERESSADAS

A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PARTES INTERESSADAS A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PARTES INTERESSADAS Antonio de Pádua Matheus Julho de 2013 Partes Interessadas, do inglês stakeholders, são grupos que interferem ou podem sofrer interferência do trabalho de organizações.

Leia mais

Guia Sudoe - Para a elaboração e gestão de projetos Versão Portuguesa Ficha 8.4 Custos de peritos e serviços externos

Guia Sudoe - Para a elaboração e gestão de projetos Versão Portuguesa Ficha 8.4 Custos de peritos e serviços externos Guia Sudoe - Para a elaboração e gestão de projetos Versão Portuguesa Ficha 8.4 Custos de peritos e serviços externos 2 Ficha 8.4 Custos de peritos e serviços externos Índice 1 Custos de peritos e serviços

Leia mais

EXPANSÃO DAS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS

EXPANSÃO DAS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS EXPANSÃO DAS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos

Leia mais

Módulo 5 Ambiente financeiro, relatórios, auditoria interna, conclusões e exercícios

Módulo 5 Ambiente financeiro, relatórios, auditoria interna, conclusões e exercícios Módulo 5 Ambiente financeiro, relatórios, auditoria interna, conclusões e exercícios O Ambiente Financeiro Global Nenhuma economia ou governo de sucesso, pode operar atualmente sem inter-conectividade

Leia mais

Apoio à Inovação. Novembro 2009

Apoio à Inovação. Novembro 2009 Apoio à Inovação Novembro 2009 Agenda O BNDES Inovação Política de Inovação do BNDES Instrumentos de Apoio à Inovação Linhas Programas Fundos Produtos Prioridades 1950 1960 1970 1980 1990 Infra-estrutura

Leia mais

Tendências da Comunicação Corporativa no Brasil para Março 2015

Tendências da Comunicação Corporativa no Brasil para Março 2015 Tendências da Comunicação Corporativa no Brasil para 2015 Março 2015 2015 ABERJE Tendências na Comunicação Corporativa no Brasil 2015 Concepção e planejamento: Prof. Dr. Paulo Nassar Coordenação: Carlos

Leia mais

DESCRITORES (TÍTULOS E TERMOS)

DESCRITORES (TÍTULOS E TERMOS) SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE FAMÍLIA NBR ISO 9000 INDEXAÇÃO TEMÁTICA Abordagem de processo [VT: Princípios de Gestão da Qualidade] 0.2 / 2.4 0.2 / 4.3 0.2 Abordagem de sistemas de gestão da qualidade

Leia mais

Painel Smart Grid Redes Inteligentes Sistemas que compõem o Smart Grid

Painel Smart Grid Redes Inteligentes Sistemas que compõem o Smart Grid Painel Smart Grid Redes Inteligentes Sistemas que compõem o Smart Grid Daniel Senna Guimarães Gestor do Projeto Cidades do Futuro da CEMIG D A convite da Abradee e Abinee 30 de março de 2011 A CEMIG e

Leia mais

Indústria 4.0 A nova fronteira da competitividade

Indústria 4.0 A nova fronteira da competitividade Indústria 4.0 A nova fronteira da competitividade João Emilio Gonçalves Gerente Executivo - Unidade de Política Industrial Diretoria de Desenvolvimento Industrial - DDI CNI - Confederação Nacional da Indústria

Leia mais

LOCALIZAÇÃO DE EMPRESAS Aspectos qualitativos. Profª MSc. Patrícia Tavares

LOCALIZAÇÃO DE EMPRESAS Aspectos qualitativos. Profª MSc. Patrícia Tavares LOCALIZAÇÃO DE EMPRESAS Aspectos qualitativos Profª MSc. Patrícia Tavares LOCALIZAÇÃO É o processo que determina os locais geográficos para as operações de uma empresa; Localizar significa determinar o

Leia mais

Gestão da Informação Corporativa -Case Usiminas- 26/08/2016

Gestão da Informação Corporativa -Case Usiminas- 26/08/2016 Gestão da Informação Corporativa -Case Usiminas- Tópicos O Grupo Usiminas Equipe Gestão e Disseminação da Informação Memória Institucional O Grupo Usiminas Usiminas Atua na siderurgia, com duas usinas

Leia mais

ATUAÇÃO DO SEBRAE NO AMBIENTE TECNOLÓGICO DE CASA & CONSTRUÇÃO

ATUAÇÃO DO SEBRAE NO AMBIENTE TECNOLÓGICO DE CASA & CONSTRUÇÃO ATUAÇÃO DO SEBRAE NO AMBIENTE TECNOLÓGICO DE CASA & CONSTRUÇÃO Quem somos Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Entidade privada, de interesse público e sem fins lucrativos criada em

Leia mais

NAGI PG. As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho São Paulo, 23/04/2014

NAGI PG. As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho São Paulo, 23/04/2014 NAGI PG NÚCLEO DE APOIO À GESTÃO DA INOVAÇÃO NA CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado Eng. Virgilio Calças Filho São Paulo, 23/04/2014

Leia mais

ANÁLISE DO AMBIENTE: METODOLOGIA DE FORMULAÇÃO

ANÁLISE DO AMBIENTE: METODOLOGIA DE FORMULAÇÃO ANÁLISE DO AMBIENTE: METODOLOGIA DE FORMULAÇÃO Nesta ambiente em que mudanças ocorrem com altíssima velocidade, perceber tendências, visualizando as mudanças antes que elas ocorram, passa a ter um valor

Leia mais

Turismo e Espaço Econômico. Prof. Dr. Marcos Aurélio Tarlombani da Silveira

Turismo e Espaço Econômico. Prof. Dr. Marcos Aurélio Tarlombani da Silveira Turismo e Espaço Econômico Prof. Dr. Marcos Aurélio Tarlombani da Silveira TURISMO: Fenômeno socioespacial contemporâneo O ESPAÇO TURÍSTICO É A CONFIGURAÇÃO E A DISTRIBUIÇÃO TERRITORIAL DOS ATRATIVOS TURÍSTICOS

Leia mais

Como realizar um Business Case de RFID. O Estudo de Caso da RFID no contexto do Retorno do Investimento (ROI)

Como realizar um Business Case de RFID. O Estudo de Caso da RFID no contexto do Retorno do Investimento (ROI) Como realizar um Business Case de RFID O Estudo de Caso da RFID no contexto do Retorno do Investimento (ROI) Ciclo Aberto X Ciclo Fechado Soluções para Ciclos Abertos Aplicações abrangem várias organizações

Leia mais

Engineering Solutions Consulting. Consulting

Engineering Solutions Consulting. Consulting Engineering Solutions Consulting Consulting Missão e compromisso A nossa missão é proporcionar uma abordagem inovadora, diferenciadora e que aporte valor, com uma equipa jovem, dedicada, empenhada e qualificada,

Leia mais

AS AÇÕES DO SEBRAE PARA A CADEIA DA CONSTRUÇÃO EM GOIÁS. COMAT- Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade

AS AÇÕES DO SEBRAE PARA A CADEIA DA CONSTRUÇÃO EM GOIÁS. COMAT- Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade AS AÇÕES DO SEBRAE PARA A CADEIA DA CONSTRUÇÃO EM GOIÁS COMAT- Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade Goiânia 23/maio/2014 PROJETO DESENVOLVIMENTO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PÚBLICO ALVO

Leia mais

SEJAM BEM-VINDOS À MAIOR CAMPANHA NACIONAL DE VALORIZAÇÃO DA PROFISSÃO CONTÁBIL DO PAÍS

SEJAM BEM-VINDOS À MAIOR CAMPANHA NACIONAL DE VALORIZAÇÃO DA PROFISSÃO CONTÁBIL DO PAÍS SEJAM BEM-VINDOS À MAIOR CAMPANHA NACIONAL DE VALORIZAÇÃO DA PROFISSÃO CONTÁBIL DO PAÍS O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE + ENTIDADES E EMPRESAS LIGADAS À PROFISSÃO PROMOVEM UMA GRANDE CAMPANHA DE VALORIZAÇÃO

Leia mais

GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA: A GANGORRA DA COMPETITIVIDADE

GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA: A GANGORRA DA COMPETITIVIDADE ACEITAÇÃO RESISTÊNCIA DO MERCADO ()Χ UCEO Β RESULTADO COMPETÊNCIA TECNOLÓGICA MERCADO EMPRESA PERCEPÇÃO de VALOR GESTÃO da COMPETÊNCIA 1 COMPETÊNCIA TECNOLÓGICA como recurso da empresa: CAPITAL INTELECTUAL,

Leia mais

O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE.

O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE. PROGRAMAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS 2º semestre de 2017 UNIÃO DA VITÓRIA O TEMPO PODE ATÉ PASSAR, MAS UMA FORMAÇÃO DE QUALIDADE FICA PARA SEMPRE. CURSOS TÉCNICOS SENAC. A HORA DE INVESTIR NO SEU FUTURO É AGORA.

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL PRSA 2ª 1 / 7 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ALCANCE... 2 3. ÁREA GESTORA... 2 3.1 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 2 3.1.1 DIRETOR RESPONSÁVEL - RESOLUÇÃO 4.327/14... 2 3.1.2 COORDENADOR ESPONSÁVEL PRSA

Leia mais

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos Gestão de Processos na Saúde Marcelo.Aidar@fgv.br 1 Gestão de Processos Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos 2 O Ambiente de Negócios e os Stakeholders AMBIENTE DE AÇÃO INDIRETA

Leia mais

Introdução controle manual pelo coordenador da disciplina: abordagem conceitual: jogos lúdicos:

Introdução controle manual pelo coordenador da disciplina: abordagem conceitual: jogos lúdicos: 1 Introdução Desde a última década, uma nova forma de ensino na área administrativa tem chamado a atenção por seu espírito inovador, pela forma dinâmica de seu aprendizado e pela criatividade estimulada

Leia mais

GESTÃO DE. 1º Workshop da Qualidade FORNECEDORES GESTÃO DE FORNECEDORES. IATF Sistema de Gestão da Qualidade Automotiva.

GESTÃO DE. 1º Workshop da Qualidade FORNECEDORES GESTÃO DE FORNECEDORES. IATF Sistema de Gestão da Qualidade Automotiva. 1º Workshop da Qualidade GESTÃO DE IATF 16949 Sistema de Gestão da Qualidade Automotiva Evandro Dalpissol De forma resumida se espera: Desenvolvimento de um processo mais robusto de seleção e desenvolvimento

Leia mais

Conteúdo. 1 Institucional Serviços financeiros Atuação Credenciais Equipe 13

Conteúdo. 1 Institucional Serviços financeiros Atuação Credenciais Equipe 13 Conteúdo 1 Institucional 03 2 Serviços financeiros 05 3 Atuação 08 4 Credenciais 10 5 Equipe 13 2 1 Institucional Institucional A GlobalTrevo Consulting é uma empresa brasileira com expertise em consultoria

Leia mais

FIESP O PACOTE DE SEGUROS TANTO PARA CONTRACTORS, COMO INVESTIDORES, OPERADORES E FINANCIADORES. JUN.17

FIESP O PACOTE DE SEGUROS TANTO PARA CONTRACTORS, COMO INVESTIDORES, OPERADORES E FINANCIADORES. JUN.17 FIESP O PACOTE DE SEGUROS TANTO PARA CONTRACTORS, COMO INVESTIDORES, OPERADORES E FINANCIADORES. JUN.17 FUNDAMENTOS Projetos de Infraestrutura Fundamentos 1 Modelagem Jurídica Financiabilidade Mitigação

Leia mais

ESTRATÉGIA DE INFORMAÇÃO Similaridades, diferenças e usos da Tecnologia da Informação (TI) e dos Sistemas de Informação (SI)

ESTRATÉGIA DE INFORMAÇÃO Similaridades, diferenças e usos da Tecnologia da Informação (TI) e dos Sistemas de Informação (SI) ESTRATÉGIA DE INFORMAÇÃO Similaridades, diferenças e usos da Tecnologia da Informação (TI) e dos Sistemas de Informação (SI) Aula baseada em dois artigos: Comportamento e Estratégias de Organizações em

Leia mais

II Seminário Governança de Terras e Desenvolvimento Econômico Cases Unidade Aracruz

II Seminário Governança de Terras e Desenvolvimento Econômico Cases Unidade Aracruz Não é possível exibir esta imagem no momento. II Seminário Governança de Terras e Desenvolvimento Econômico Cases Unidade Aracruz 1 Longo e grave histórico de conflitos( ES e BA ) Relacionamento com comunidades

Leia mais

O padrão de bem estar e desenvolvimento de uma região está diretamente associado a produtividade da economia da região.

O padrão de bem estar e desenvolvimento de uma região está diretamente associado a produtividade da economia da região. O padrão de bem estar e desenvolvimento de uma região está diretamente associado a produtividade da economia da região. Contudo, a produtividade das empresas não depende apenas de fatores internos, ou

Leia mais

Sustentabilidade e as Instituições Financeiras

Sustentabilidade e as Instituições Financeiras Sustentabilidade e as Instituições Financeiras Edital 41/2012 Responsabilidade Socioambiental Dispõem sobre a responsabilidade socioambiental das instituições financeiras e demais instituições autorizadas

Leia mais

PL 055 POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL. Publicado em: 13/05/2016

PL 055 POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL. Publicado em: 13/05/2016 1. OBJETIVOS Estabelecer os princípios e diretrizes que norteiam as ações de práticas socioambientais da Getnet nos negócios e na relação com todas as partes interessadas, incluindo as diretrizes para

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Agosto de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Continuação do Domínio de Processos PO (PO4, PO5

Leia mais

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. MVNO Correios. Correios Celular

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. MVNO Correios. Correios Celular Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos MVNO Correios Correios Celular Correios in Company - Novembro de 2016 Marca Forte Por que MVNO nos Correios? Aproveitamento da rede de atendimento presencial

Leia mais

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC)

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Título Norma de Responsabilidade Socioambiental Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Abrangência Agências, Departamentos, Empresas Ligadas e Unidades no Exterior Sinopse Diretrizes

Leia mais

ENGENHARIA MECÂNICA. Conheça mais sobre o curso

ENGENHARIA MECÂNICA. Conheça mais sobre o curso ENGENHARIA MECÂNICA Conheça mais sobre o curso MITOS VERDADES 1 Só precisa ser bom em matemática. 1 É uma área inter e multidisciplinar. 2 É uma profissão somente para homens. 2 É uma profissão tanto para

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração Graduação Executiva- Campus Mossoró) 6ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração Graduação Executiva- Campus Mossoró) 6ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE DISCIPLINAS DAS SÉRIES ANTERIORES ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Administração Graduação Executiva- Campus Mossoró) 6ª SÉRIE GESTÃO ESTRATEGICA GESTÃO FINANCEIRA AVANÇADA LOGISTICA

Leia mais

Modelagem e Análise de Processos na área de TI. Josué Vitor Professor e Pesquisador DEPAD/UFRN

Modelagem e Análise de Processos na área de TI. Josué Vitor Professor e Pesquisador DEPAD/UFRN Modelagem e Análise de Processos na área de TI Josué Vitor josuevitor16@gmail.com Professor e Pesquisador DEPAD/UFRN CONCEITOS INTRODUTÓRIOS Um processo de negócio descreve o trabalho executado pelos recursos

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS O INDICADORES ETHOS Os Indicadores Ethos são uma ferramenta de gestão criada em 2000 pelo Instituto Ethos e que esta em sua terceira geração.

Leia mais

Indicador Informação a ser obtida Página ou Resposta Direta

Indicador Informação a ser obtida Página ou Resposta Direta Índice GRI Índice GRI Perfil Estratégia e análise G4-1 Estratégia de sustentabilidade da companhia e qual sua relevância para a organização Página 18 Perfil organizacional G4-3 Nome da companhia Página

Leia mais

Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital

Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital 12º Encontro da Cadeia de Ferramentas, Moldes e Matrizes - MOLDES ABM Agosto de 2014 Importância do investimento na

Leia mais

TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA ITINERÁRIO FORMATIVO

TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA ITINERÁRIO FORMATIVO TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA Módulo Básico I 3 Módulo Específico II 365 h Beneficiamento e Industrialização de Grãos Toxicologia dos Alimentos Sistemas Agroindustriais Alimentares Sistemas de Armazenamento

Leia mais

Estratégias da FINEP e seus Instrumentos de Apoio à Inovação. Prof. Oswaldo Massambani Titular da Superintendência Regional de São Paulo

Estratégias da FINEP e seus Instrumentos de Apoio à Inovação. Prof. Oswaldo Massambani Titular da Superintendência Regional de São Paulo Estratégias da FINEP e seus Instrumentos de Apoio à Inovação Prof. Oswaldo Massambani Titular da Superintendência Regional de São Paulo A Finep A Finep é uma empresa pública vinculada ao MCTIC (Ministério

Leia mais

Código de Conduta dos Fornecedores da TCS. Julho 2016

Código de Conduta dos Fornecedores da TCS. Julho 2016 Código de Conduta dos Fornecedores da TCS Julho 2016 Código de Conduta dos Fornecedores da TCS O Grupo Tata tem sido sempre um exemplo perfeito do verdadeiro espírito ético nos negócios em suas interações

Leia mais

Definição. Sistema de Gestão Ambiental (SGA):

Definição. Sistema de Gestão Ambiental (SGA): Definição Sistema de Gestão Ambiental (SGA): A parte de um sistema da gestão de uma organização utilizada para desenvolver e implementar sua política ambiental e gerenciar seus aspectos ambientais. Item

Leia mais

Mercado de Capitais e o mercado de Tecnologia Financiando crescimento, inovação e internacionalização

Mercado de Capitais e o mercado de Tecnologia Financiando crescimento, inovação e internacionalização Mercado de Capitais e o mercado de Tecnologia Financiando crescimento, inovação e internacionalização QUEM SOMOS Uma Associação Civil, sem fins lucrativos, que tem por Missão estimular uma maior inserção

Leia mais

Projeto de Pesquisa para mapear o perfil da oferta e demanda de qualificação profissional em tecnologia da informação em Recife

Projeto de Pesquisa para mapear o perfil da oferta e demanda de qualificação profissional em tecnologia da informação em Recife Projeto de Pesquisa para mapear o perfil da oferta e demanda de qualificação profissional em tecnologia da informação em Recife Relatório com os resultados Empresas OUTUBRO DE 2015 www.datametrica.com.br

Leia mais

BPO de Negócios Imobiliários

BPO de Negócios Imobiliários BPO de Negócios Imobiliários A Montreal Informática A Montreal Informática vem construindo ao longo dos anos sua história através da sua capacidade, adaptação e principalmente pelo compromisso com os desafios

Leia mais

Referencial Teórico. Redes de cooperação produtivas:

Referencial Teórico. Redes de cooperação produtivas: Referencial Teórico Redes de cooperação produtivas: Formas de cooperação a partir de alianças estratégicas: Complexos industriais / organizações virtuais / parques tecnológicos / incubadoras de empresas

Leia mais

TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA ITINERÁRIO FORMATIVO

TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA ITINERÁRIO FORMATIVO TECNÓLOGO EM AGROINDÚSTRIA Módulo Básico I 3 Módulo Específico II 365 h Beneficiamento e Industrialização de Grãos Toxicologia dos Alimentos Sistemas Agroindustriais Alimentares Sistemas de Armazenamento

Leia mais

Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade

Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade Glaucia Terreo Ponto Focal GRI Brasil Conteúdo: Desafio da Sustentabilidade Relato de Sustentabilidade o que é isso????? GRI Tendências internacionais

Leia mais

Administração Interdisciplinar Professora Bruna Panzarini

Administração Interdisciplinar Professora Bruna Panzarini Administração Interdisciplinar Professora Bruna Panzarini Ação Gerencial Quais são os fatores que realmente influenciam o desempenho de uma organização? Visão onipotente da administração - Perspectiva

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE GESTÃO DA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIA GESTÃO DE PESSOAS DIREITO EMPRESARIAL E TRABALHISTA CONTABILIDADE Os recursos

Leia mais

Escolhendo a melhor opção para sua empresa

Escolhendo a melhor opção para sua empresa www.pwc.com.br Escolhendo a melhor opção para sua empresa Auditoria Interna Auditoria Interna - Co-sourcing atende/supera as expectativas da alta administração? A função de Auditoria Interna compreende

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios de Varejo

Sustentabilidade nos Negócios de Varejo Sustentabilidade nos Negócios de Varejo www.gruposustentax.com.br Sustentabilidade nos Negócios de Varejo Um Novo Varejo para Novos Consumidores Como atender às expectativas dos novos consumidores, mais

Leia mais

A inserção em cadeias globais de valor:...

A inserção em cadeias globais de valor:... A inserção em cadeias globais de valor:... Natália Maria L. Bracarense; Marisa dos Reis A. Botelho A inserção em cadeias globais de valor:... Natália Maria L. Bracarense; Marisa dos Reis A. Botelho A inserção

Leia mais

POLÍTICA DE TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A.

POLÍTICA DE TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A. POLÍTICA DE TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A. 23.1.2015 1. OBJETIVO 1.1 A presente Política de Transações com Partes Relacionadas da BB Seguridade Participações S.A. (

Leia mais

A sociedade do conhecimento

A sociedade do conhecimento A sociedade do conhecimento A sociedade do conhecimento: 1)As transformações que estão levando a humanidade para a Sociedade do Conhecimento; 2)Os fatores decisivos que estão provocando essas transformações;

Leia mais

Objetivos desta aula. Noções de Marketing 21/10/09

Objetivos desta aula. Noções de Marketing 21/10/09 Noções de Marketing 21/10/09 Atendimento. Marketing em empresas de serviços. Marketing de relacionamento. Segmentação de mercado e segmentação do setor bancário. Propaganda e Promoção. Satisfação, Valor

Leia mais

Ferramentas para Gestão da Inovação. Prof. Robson Almeida

Ferramentas para Gestão da Inovação. Prof. Robson Almeida Ferramentas para Gestão da Inovação Prof. Robson Almeida O mundo mudou... E você também Design Thinking é uma abordagem interdisciplinar, centrada nas pessoas, para atingir a inovação, que surge das ferramentas

Leia mais

Resolução Socioambiental 4.327/14. Alexandre Reis Junho/2015

Resolução Socioambiental 4.327/14. Alexandre Reis Junho/2015 Resolução Socioambiental 4.327/14 Alexandre Reis Junho/2015 Agenda Resolução 4.327/14 Levantamento demanda por crédito Soluções Serasa Experian 2 Resolução 4.327/2014 Público e Pilares Emitida em 25 de

Leia mais