APLICAÇÃO DO BPM PARA REESTRUTURAÇÃO DO PORTFÓLIO DE SERVIÇOS DA APEX-BRASIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APLICAÇÃO DO BPM PARA REESTRUTURAÇÃO DO PORTFÓLIO DE SERVIÇOS DA APEX-BRASIL"

Transcrição

1 APLICAÇÃO DO BPM PARA REESTRUTURAÇÃO DO PORTFÓLIO DE SERVIÇOS DA APEX-BRASIL BPM Congress Brasília, 27 de novembro de Carlos Padilla, CBPP, Assessor da Gerência de Negócios.

2 PANORAMA DA APEX-BRASIL Fundada em 1998, como parte integrante do SEBRAE, agência autônoma a partir de Ligada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Principais Clientes: Empresas Brasileiras e Investidores Estrangeiros. Empresas apoiadas em 2011: mais de , de 80 setores produtivos diferentes. Empregados: mais de 250.

3 CONTEXTO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E DESEMPENHO REGULAR DO PORTFÓLIO DE SERVIÇOS ATUAL COM FOCO NA EXECUÇÃO (ESFORÇO). Abertura para inovação!!! Patrocínio da Diretoria com priorização da iniciativa para redesenhar o portfólio de serviços com foco em resultados e para a proposição de melhorias nos serviços atuais e o desenho de novos serviços.

4 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Missão: Desenvolver a competitividade das empresas brasileiras, promovendo a internacionalização dos seus negócios e a atração de investimentos estrangeiros diretos (IED). Visão: O Brasil no mundo: Inovador, Competitivo e Sustentável. Principais Temas Estratégicos: Internacionalização das empresas brasileiras e atração de Investimentos Estrangeiros Diretos.

5

6 PROJETO: REESTRUTURAR O PORTFÓLIO DE SERVIÇOS 11 Alinhar a oferta e a gestão do portfólio de soluções da Apex-Brasil aos níveis de maturidade e competitividade das empresas brasileiras e dos investidores estrangeiros.

7 1º PILAR: PESQUISA COM EMPRESAS BRASILEIRAS CLIENTES Objetivo: Orientar a reestruturação do novo portfólio de serviços da Apex-Brasil. Identificar as principais necessidades gerenciais das empresas brasileiras interessadas em se internacionalizar.

8 PROCESSO DE CRIAÇÃO DE VALOR CRIAÇÃO DE VALOR Apex-Recursos Estratégicos Recursos Recursos Financeiros Recursos Humanos Resultados e Impactos Necessidades e Expectativas Informação e Know-how Infraestrutura física e tecnológica Competências Networking Processo Produtivo Serviços da Apex-Brasil Clientes (Empresas Brasileiras ) Planejamento Estratégico e Gestão Prestação de Serviços Marketing Geração de Negócios Canais de Atendimento

9 PÚBLICOS-ALVO PRIORITÁRIOS Critérios para Segmentação Setor de Atuação Volume Exportado Frequência Exportadora Base no Exterior

10 PESQUISA COM EMPRESAS BRASILEIRAS COMPETÊNCIAS GERENCIAIS 25 competências gerenciais pesquisadas Avaliação: Categorias: Estratégia Marketing Produção Finanças

11 PESQUISA COM EMPRESAS BRASILEIRAS EXEMPLO DE ANÁLISE DOS RESULTADOS DA PESQUISA (GAPS) Gráfico Importância x Desempenho Grupo: Experientes Amostra: 70 empresas F1 F2 E 1 100% 90% E2 E3 P6 80% 70% E4 P5 60% 50% E5 P4 40% 30% E6 20% P3 10% 0% E7 Desempenho Importancia P2 E8 P1 E9 M6 E10 M5 E11 M4 M3 M2 M1

12 PESQUISA COM EMPRESAS BRASILEIRAS LISTA DE COMPETÊNCIAS GERENCIAIS COM FOCO NA INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS E1. Estratégia Saber selecionar o(s) mercado(s) mais atrativo(s) para os seus produtos/serviços. E2. Estratégia Obter informações adequadas sobre o mercado-alvo. E3. Estratégia Conseguir identificar oportunidades de negócios internacionais. E4. Estratégia Conseguir posicionar seus produtos/serviços no mercado selecionado. E5. Estratégia Investir em ações de sustentabilidade para conquistar um diferencial competitivo no mercado selecionado. E6. Estratégia Investir em inovação para conquistar um diferencial competitivo no mercado selecionado. E7. Estratégia Aprimorar o design dos produtos para obter um diferencial competitivo no mercado selecionado. E8. Estratégia Adequar-se ao ambiente legal do mercado-alvo para obter êxito no processo de internacionalização da empresa. E9. Estratégia Definir a forma adequada de internacionalização da empresa (joint venture, filial, parcerias, loja própria, etc). E10. Estratégia Estabelecer parcerias com instituições de fomento ao comércio exterior para facilitar o processo de inserção da empresa no mercado externo. E11. Estratégia Obter apoio financeiro para a instalação física no mercado-alvo.

13 PESQUISA COM EMPRESAS BRASILEIRAS LISTA DE COMPETÊNCIAS GERENCIAIS COM FOCO NA INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS M1. Marketing Realizar ações de promoção comercial eficientes no mercado externo. M2. Marketing Realizar ações de marketing que possibilitem a comunicação eficaz com potenciais importadores no mercado-alvo. M3. Marketing Elaborar material de comunicação adequado ao mercado-alvo. M4. Marketing Saber negociar com potenciais clientes externos, de acordo com as práticas do mercado-alvo. M5. Marketing Selecionar os canais de distribuição mais adequados no mercado-alvo. M6. Marketing Formar preços para o mercado externo, contemplando os custos inerentes ao processo de exportação. P1. Produção Produzir na velocidade exigida pelo mercado externo. P2. Produção Produzir em quantidade adequada para atender à demanda internacional. P3. Produção Otimizar o custo de produção para atender à demanda externa. P4. Produção Produzir com a qualidade e de acordo com as características exigidas pelo mercado-alvo. P5. Produção Definir uma logística de distribuição eficaz no mercado internacional. P6. Produção Entregar o pedido do cliente conforme suas exigências de tempo, prazo, qualidade e quantidade. F1. Finanças Captar financiamento para facilitar o processo de inserção da empresa no mercado-alvo. F2. Finanças Aproximar-se de potenciais investidores externos visando uma entrada mais assertiva no mercado internacional.

14 2º PILAR: COMPREENDER O CICLO DE INTERNACIONALIZAÇÃO SOB O PONTO DE VISTA DO EMPRESÁRIO Objetivo: Uniformizar o conhecimento e melhorar as interfaces com o cliente, os canais de atendimento e as equipes prestadoras de serviços da Apex-Brasil 1. Organizar o portfólio de serviços de forma a atender os principais desafios do empresário, respondendo as questões chave para sua internacionalização de acordo com o seu nível de maturidade exportadora 2. Capacitar os canais de atendimento e as equipes prestadoras de serviços 3. Padronizar a comunicação e os processos de atendimento e prestação de serviços

15 2º PILAR CICLO DE INTERNACIONALIZAÇÃO

16 3º PILAR: PROPOSIÇÃO DE MELHORIAS E NOVOS SERVIÇOS Objetivo: Potencializar o impacto nos clientes dos serviços oferecidos pela Apex-Brasil 1. Identificar de que forma a Apex-Brasil poderia melhor impactar as necessidades gerenciais de cada grupo de clientes. 2. Identificar se os serviços da Agência estavam cumprindo essa função. 3. Indicar as melhorias necessárias no portfólio de serviços da Agência conforme Ciclo de Internacionalização.

17 3º PILAR PROPOSIÇÃO DE MELHORIAS E NOVOS SERVIÇOS ANÁLISE DE ATRIBUTOS DOS SERVIÇOS- CORRELAÇÃO Atributo: características de cada serviço responsáveis por tratar de uma determinada necessidade gerencial

18 3º PILAR PROPOSIÇÃO DE MELHORIAS E NOVOS SERVIÇOS OFICINAS DE IDENTIFICAÇÃO DE ATRIBUTOS Identificar que atributos melhor responderiam às necessidades priorizadas na pesquisa com as empresas e ajudariam a atingir os objetivos estratégicos da Agência. Serviços Apex-Brasil 65 atributos Empresas

19 3º PILAR

20 3º PILAR GRAU DA ENTREGA X IMPACTO

21 3º PILAR SERVIÇOS EM EXECUÇÃO, EM DESENVOLVIMENTO E SERVIÇOS NOVOS Classificação de Serviços da Apex-Brasil 5; 14% Serviços em execução 7; 19% Serviços em desenvolvimento Serviços novos 24; 67%

22 CATÁLOGO DE SERVIÇOS MODELO DE ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS

23 CATÁLOGO DE SERVIÇOS PROCESSOS DE NEGÓCIOS Planejamento da Prestação do Serviço Captação de Clientes Prestação do Serviço Monitoramento e Controle Definição de cronogramas e metas, alocação de recursos, estruturação do projeto e acordo de entregas. Segmentação, Prospecção e Atendimento a Clientes Principais etapas para execução do serviço propriamente dito Acompanhamento dos resultados e impactos do serviço nos clientes

24 CATÁLOGO DE SERVIÇOS PADRONIZAÇÃO DE PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ESCOPO DO PROCESSO Nome do Serviço: Missões Empresariais Categoria: Promoção de Negócios e Imagem Responsável pelo Processo: Ricardo Santana Status: Em execução NORMAS E REGULAMENTOS OBJETIVO INDICADOR DE RESULTADO DO SERVIÇO - Regulamento de Licitações e de Contratos da Apex- Brasil - Promover negócios, prospectar de novos mercados e divulgar produtos brasileiros - Volume de Negócios Gerados FORNECEDORES RECURSOS PROCESSO ENTREGAS CLIENTES Fornecedor de Match Making MDIC Unidades de Atendimento Entidades Setoriais Parceiros Institucionais (MDIC, MRE e CNI) Centros de Negócios UNIDADES ENVOLVIDAS GERÊNCIA DE NEGÓCIOS: - Inteligência Comercial e Competitiva - Projetos Setoriais - Internacionalização - Projetos Especiais - Imagem e Acesso a Mercados GERÊNCIA DE COMUNICAÇÃO DE MARKETING: - Relação com Clientes - Imprensa - Marketing GERÊNCIA JURÍDICA Agenda de Negócios Infraestrutura e Logística Seleção de Mercados Arregimentação de Empresas Infraestrutura e logística para arregimentação de empresas Divulgação Rede de Relacionamento Apoio Institucional Infraestrutura Apoio Institucional GERÊNCIA DE GESTÃO E PLANEJAMENTO: - Convênios e Contratos de Repasse - Compras e Licitações - Finanças - Planejamento - TI - Viagens Imagem e Acesso a Mercados PREPARAR e REALIZAR Missão Prospectiva Prazo Médio: 10 dias Inteligência Comercial e Competitiva SELECIONAR setores prioritários para realização de Missões Prazo Médio: 10 dias Relações com Clientes DIVULGAR e ARREGIMENTAR empresas alvo Prazo Médio: 30 dias Empresa FORMALIZAR participação na Missão Prazo Médio: 5 dias Fornecedor de Matchmaking ELABORAR agenda de Negócios baseado na busca e seleção de compradores internacionais Prazo Médio: 30 dias Fornecedores de Matchmaking PREPARAR infraestrutura e logística do evento Prazo Médio: 30 sdias (parelo à etapa anterior) Marketing ELABORAR peças de Comunicação e Marketing Prazo Médio: 20 dias Imagem e Acesso a Mercados ORIENTAR empresas participantes Prazo Médio: 5 dias Imagem e Acesso a Mercados MONITORAR execução da Missão Empresarial Prazo Médio: 10 dias Imagem e Acesso a Mercados AVALIAR resultados e desdobramentos Prazo Médio: 5 dias - Encontros com potenciais parceiros de negócios (compradores, importadores, tradings, representantes comerciais, distribuidores, etc.) previamente qualificados e selecionados com base no perfil exportador das empresas brasileiras participantes - Agenda e ambiente de negociação especialmente preparados nos mercadosalvo, potencializando a divulgação dos produtos brasileiros e a realização de contatos de negócios - Oportunidade de aprofundar o conhecimento sobre o mercado e os principais concorrentes - Auxílio à definição de posicionamento do produto e da empresa no mercado-alvo SISTEMAS / BASES DE DADOS UTILIZADOS - Portal Apex-Brasil - CRM PRAZO DE EXECUÇÃO 145 dias (6 meses) - Empresas brasileiras de todas as maturidades

25 CONCLUSÃO COMO O BPM NOS AJUDOU? FOCO DO CLIENTE (De Esforço para Resultados) VISÃO OUTSIDE-IN (Ciclo de Internacionalização) APRIMORAMENTO DAS INTERFACES (Handoffs: Clientes, Canais, Produção) GESTÃO DO PROCESSO PONTA A PONTA (Criação de Valor ao Cliente)

26 PRÓXIMOS DESAFIOS... IMPLEMENTAR O MODELO DE GERENCIAMENTO DE NEGÓCIOS Gestão de Serviços Gestão da Carteira de Clientes Indicadores de Serviços Envolver as pessoas!!! Realizar a gestão da mudança!!!

27 Muito obrigado! Carlos Padilla, CBPP Assessor - Gerência Geral de Negócios - Apex-Brasil

Serviços prestados aos associados nas seguintes áreas: Comércio Exterior Conservação de Energia, Cursos e Eventos Ecologia e Meio Ambiente

Serviços prestados aos associados nas seguintes áreas: Comércio Exterior Conservação de Energia, Cursos e Eventos Ecologia e Meio Ambiente Lux Brasil é a marca do projeto setorial de promoção de exportações que tem como objetivo inserir a indústria de produtos e componentes de iluminação brasileira no cenário internacional. Desenvolvido pela

Leia mais

Plano Estratégico

Plano Estratégico Plano Estratégico 2016-2019 Objetivos Estratégicos e Metas Revisão - Decreto 8.788 de junho/2016 Objetivos, Descrições e Conceitos Apex-Brasil Roberto Jaguaribe Gomes de Mattos PRESIDENTE André Marcos

Leia mais

Departamento de. Relações Internacionais e Comércio Exterior DEREX

Departamento de. Relações Internacionais e Comércio Exterior DEREX Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior DEREX O DEREX Representa Formula políticas Assessora Provê SERVIÇOS À INDÚSTRIA O DEREX Monitora e elabora diagnósticos sobre as tendências do

Leia mais

PLANO NACIONAL DA CULTURA EXPORTADORA. Curitiba, 26 de abril de 2016

PLANO NACIONAL DA CULTURA EXPORTADORA. Curitiba, 26 de abril de 2016 PLANO NACIONAL DA CULTURA EXPORTADORA Curitiba, 26 de abril de 2016 Sumário Fundamentos do PNCE Referencial Estratégico do PNCE Gestão do Referencial Estratégico PNCE e Chama Empreendedora 2 FUNDAMENTOS

Leia mais

Departamento de. Relações Internacionais e Comércio Exterior DEREX

Departamento de. Relações Internacionais e Comércio Exterior DEREX Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior DEREX O DEREX Representa Formula políticas Assessora Provê SERVIÇOS À INDÚSTRIA O DEREX Monitora e elabora diagnósticos sobre as tendências do

Leia mais

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar?

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar? Tiago Terra Apex-Brasil Por que exportar? Apex-Brasil A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, atua há anos para promover os estudos e serviços brasileiros no exterior e atrair

Leia mais

Por que exportar? Tiago Terra Supervisor de Competitividade Apex-Brasil

Por que exportar? Tiago Terra Supervisor de Competitividade Apex-Brasil Por que exportar? Tiago Terra Supervisor de Competitividade Apex-Brasil Apex-Brasil A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, atua há anos para promover os estudos e serviços brasileiros

Leia mais

Lançamento do Programa de Exportação ABINEE conveniado com Apex-Brasil 2018 / São Paulo

Lançamento do Programa de Exportação ABINEE conveniado com Apex-Brasil 2018 / São Paulo Lançamento do Programa de Exportação ABINEE conveniado com Apex-Brasil 2018 / 2019 27.03.2018 São Paulo Objetivos Estratégicos Ampliar a participação das empresas brasileiras do setor de Eletroeletrônicos

Leia mais

Objetivo do programa. Desenvolvimento competitivo e sustentável. Promoção de parcerias estratégicas. Produtividade. Valor agregado. Ganho de qualidade

Objetivo do programa. Desenvolvimento competitivo e sustentável. Promoção de parcerias estratégicas. Produtividade. Valor agregado. Ganho de qualidade Objetivo do programa Desenvolvimento competitivo e sustentável Produtividade Promoção de parcerias estratégicas Valor agregado Ganho de qualidade Contextualização Os 3 Pilares para o desenvolvimento da

Leia mais

ANEXO 1 ATIVIDADES A SEREM REALIZADAS

ANEXO 1 ATIVIDADES A SEREM REALIZADAS ANEXO 1 ATIVIDADES A SEREM REALIZADAS Prospect - prospecção mercadológica comercial O Prospect é uma prospecção de mercado in loco realizada por equipe técnica especializada com o objetivo de buscar informações

Leia mais

Programa de Internacionalização de Empresas Apex-Brasil. Apresentação: Juarez Leal

Programa de Internacionalização de Empresas Apex-Brasil. Apresentação: Juarez Leal Programa de Internacionalização de Empresas Apex-Brasil Apresentação: Juarez Leal A APEX-BRASIL A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos é um Serviço Social Autônomo vinculado ao

Leia mais

REDE BRASILEIRA DE CENTROS INTERNACIONAIS DE NEGÓCIOS COORDENADA PELA CNI PRESENTE NOS 27 ESTADOS PARCEIROS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

REDE BRASILEIRA DE CENTROS INTERNACIONAIS DE NEGÓCIOS COORDENADA PELA CNI PRESENTE NOS 27 ESTADOS PARCEIROS NACIONAIS E INTERNACIONAIS REDE BRASILEIRA DE CENTROS INTERNACIONAIS DE NEGÓCIOS COORDENADA PELA CNI PRESENTE NOS 27 ESTADOS PARCEIROS NACIONAIS E INTERNACIONAIS NO PARANÁ, O CIN É A ÁREA INTERNACIONAL DA FIEP PROMOVER A INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

Política de Comércio Exterior e o Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) Caravana do Exportador - Estado do Paraná 08 a 10 de novembro de 2017

Política de Comércio Exterior e o Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) Caravana do Exportador - Estado do Paraná 08 a 10 de novembro de 2017 Política de Comércio Exterior e o Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) Caravana do Exportador - Estado do Paraná 08 a 10 de novembro de 2017 POLÍTICA DE COMÉRCIO EXTERIOR 2 CONCEITO CAMEX POLÍTICA

Leia mais

Apex-Brasil. Roberto Jaguaribe Gomes de Mattos PRESIDENTE. André Marcos Favero DIRETOR DE NEGÓCIOS

Apex-Brasil. Roberto Jaguaribe Gomes de Mattos PRESIDENTE. André Marcos Favero DIRETOR DE NEGÓCIOS Plano de Ação 2017 Apex-Brasil Roberto Jaguaribe Gomes de Mattos PRESIDENTE André Marcos Favero DIRETOR DE NEGÓCIOS Francisco de Assis Leme Franco DIRETOR DE GESTÃO CORPORATIVA SEDE Setor Bancário Norte,

Leia mais

PLANO DE APRESENTAÇÃO

PLANO DE APRESENTAÇÃO PLANO DE APRESENTAÇÃO Apex-Brasil Principais Soluções Programa de Internacionalização Ações de internacionalização e promoção para o México Juarez Leal Coordenador de Internacionalização A APEX-BRASIL

Leia mais

REDE BRASILEIRA DE CENTROS INTERNACIONAIS DE NEGÓCIOS COORDENADA PELA CNI PRESENTE NOS 27 ESTADOS PARCEIROS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

REDE BRASILEIRA DE CENTROS INTERNACIONAIS DE NEGÓCIOS COORDENADA PELA CNI PRESENTE NOS 27 ESTADOS PARCEIROS NACIONAIS E INTERNACIONAIS REDE BRASILEIRA DE CENTROS INTERNACIONAIS DE NEGÓCIOS COORDENADA PELA CNI PRESENTE NOS 27 ESTADOS PARCEIROS NACIONAIS E INTERNACIONAIS ÁREA INTERNACIONAL DA FIEP PROMOVER A INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS

Leia mais

Quem somos e o quê fazemos?

Quem somos e o quê fazemos? Quem somos e o quê fazemos? Uma entidade sem fins lucrativos dedicada a pensar estrategicamente o setor, conduzindo programas direcionados ao desenvolvimento tecnológico das empresas e a sua inserção no

Leia mais

Inovar está na moda. Soluções Sebraetec para a Indústria de Moda

Inovar está na moda. Soluções Sebraetec para a Indústria de Moda Inovar está na moda Soluções Sebraetec para a Indústria de Moda INOVAÇÃO E TECNOLOGIA PARA AUMENTAR O CRESCIMENTO DA SUA EMPRESA O mercado de Moda exige, cada vez mais, grande velocidade em acompanhar

Leia mais

Apresentação do Projeto Convênio

Apresentação do Projeto Convênio Apresentação do Projeto Convênio 2018 2020 O que é O Brasil Auto Parts é um projeto de fomento à exportação e atração de investimentos coordenado pelo Sindipeças, em parceria com a Agência Brasileira de

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA & TECNOLOGIA DO CEARÁ. CURSO TÉCNICO DE INFORMÁTICA Prática Profissional

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA & TECNOLOGIA DO CEARÁ. CURSO TÉCNICO DE INFORMÁTICA Prática Profissional INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA & TECNOLOGIA DO CEARÁ CURSO TÉCNICO DE INFORMÁTICA Prática Profissional Mauro Oliveira www.maurooliveira.com.br Chico Anysio Óleo sobre tela 60x40 cm Aula 02: Plano

Leia mais

Reunião do Grupo de Comércio Exterior

Reunião do Grupo de Comércio Exterior 20.03.2018 Reunião do Grupo de Comércio Exterior OBJETIVO DO PROJETO Promover as exportações do setor de ferramentas, abrasivos e usinagem através de ações de promoção comercial e inteligência de mercado,

Leia mais

EXPANSÃO DAS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS

EXPANSÃO DAS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS EXPANSÃO DAS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos

Leia mais

ROTA 2030 MOBILIDADE E LOGÍSTICA. Setembro de 2017

ROTA 2030 MOBILIDADE E LOGÍSTICA. Setembro de 2017 ROTA 2030 MOBILIDADE E LOGÍSTICA Setembro de 2017 ROTA 2030 Política Industrial Brasileira Política industrial multisetorial, divida em vários eixos, conforme as cadeias industriais envolvidas; Ex: Setor

Leia mais

Atividades internacionais e de comércio exterior desenvolvidas pelos Sindicatos filiados à FIESP

Atividades internacionais e de comércio exterior desenvolvidas pelos Sindicatos filiados à FIESP Atividades internacionais e de comércio exterior desenvolvidas pelos Sindicatos filiados à FIESP Maio/2011 Elaboração Área de Promoção Comercial e de Investimentos Departamento de Relações Internacionais

Leia mais

Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Complexo Eletroeletrônico e Tecnologia da Informação

Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Complexo Eletroeletrônico e Tecnologia da Informação Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Complexo Eletroeletrônico e Tecnologia da Informação Constituído pela ABINEE Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica Entidade civil

Leia mais

Internacionalização das Empresas Brasileiras de Plástico como estratégia de criação de Valor! Embalando o Brasil e o Mundo

Internacionalização das Empresas Brasileiras de Plástico como estratégia de criação de Valor! Embalando o Brasil e o Mundo Internacionalização das Empresas Brasileiras de Plástico como estratégia de criação de Valor! Embalando o Brasil e o Mundo Estados Unidos Colômbia México Argentina Emirados Árabes Unidos Paraguai China

Leia mais

SISTEMA FIEP. Nosso I é de Indústria

SISTEMA FIEP. Nosso I é de Indústria SISTEMA FIEP Nosso I é de Indústria Vídeo de 1:35 SISTEMA INDÚSTRIA LIDERADO PELA CNI SISTEMA INDÚSTRIA 2 Colégio SESI Internacional + 4.000 Colaboradores + 90 Unidades 7 Institutos SENAI de Tecnologia

Leia mais

Desafios para manter a iniciativa de BPM alinhada com a estratégia empresarial

Desafios para manter a iniciativa de BPM alinhada com a estratégia empresarial Desafios para manter a iniciativa de BPM alinhada com a estratégia empresarial Marlene Silva YPÊ Curitiba 05/12/12 Quem Somos Marca líder no segmento de higiene e limpeza no Brasil, a Ypê possui uma linha

Leia mais

TERMO DE ADESÃO - PROJETO EM PARCERIA COM A APEX-BRASIL

TERMO DE ADESÃO - PROJETO EM PARCERIA COM A APEX-BRASIL Página 1 de 5 TERMO DE ADESÃO - PROJETO EM PARCERIA COM A APEX-BRASIL A empresa, de CNPJ EXPORTADOR n.º, por seu(s) representante(s) legal(is), adere ao Projeto de Promoção de Exportações Brasil Sweets

Leia mais

Roniberto Morato do Amaral

Roniberto Morato do Amaral Roniberto Morato do Amaral Comitê Gestor Gestor do NIC/ENTIDADE NIC/POLO UTIC Demandas Diversidade de usuários Produtos de informação Biblioteca digital Fórum Rumores Indicadores Produtos de Inteligência

Leia mais

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar?

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar? Tiago Terra Apex-Brasil Por que exportar? Apex-Brasil A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, atua há anos para promover os estudos e serviços brasileiros no exterior e atrair

Leia mais

PDI IFCE/PRPI

PDI IFCE/PRPI PDI 2014-2019 IFCE/PRPI Perspectiva dos Clientes da PRPI Expansão e consolidação da pesquisa científica e tecnológica Captação de recursos externos para Pesquisa e Inovação Cronograma de Metas 01 R$ 34.000.000,00

Leia mais

Entraves às exportações brasileiras. Soraya Rosar Gerente Executiva Unidade de Negociações Internacionais

Entraves às exportações brasileiras. Soraya Rosar Gerente Executiva Unidade de Negociações Internacionais Entraves às exportações brasileiras Soraya Rosar Gerente Executiva Unidade de Negociações Internacionais Introdução Apesar de ser a sétima economia do mundo, o Brasil ocupa só a 22º colocação no ranking

Leia mais

Consultorias. Ensaios Laboratoriais. Cursos in Company. Apoio Tecnológico

Consultorias. Ensaios Laboratoriais. Cursos in Company. Apoio Tecnológico Consultorias Ensaios Laboratoriais Apoio Tecnológico Cursos in Company ÁREA DE GESTÃO E ALIMENTOS E BEBIDAS Consultoria em Planejamento e Controle dos Processos Produtivos; Consultoria para Atendimento

Leia mais

Promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia nacional.

Promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia nacional. QUEM SOMOS O SEBRAE-SP é uma entidade privada e de interesse público, que apoia a abertura e expansão dos pequenos negócios e transforma a vida de milhões de pessoas por meio do empreendedorismo. Estas

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA 20/2018 INSTITUCIONAL

CHAMADA PÚBLICA 20/2018 INSTITUCIONAL CHAMADA PÚBLICA 20/2018 INSTITUCIONAL A Gerência de Soluções do SEBRAE/RS convida as empresas credenciadas para prestação de serviços de instrutoria e consultoria, através do Edital de Credenciamento nº

Leia mais

DA INDUSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais,

DA INDUSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais, RESOLU ÇÃO N 0212005 NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO DEPARTAMENTO NACIONAL 1)0 SESI - APROVA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS - O PRESIDENTE DO DO SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

TIPO DE SOLUÇÃO SINOPSE VALOR PÚBLICO-ALVO CARGA HORÁRIA Duração: 12 horas de consultoria

TIPO DE SOLUÇÃO SINOPSE VALOR PÚBLICO-ALVO CARGA HORÁRIA Duração: 12 horas de consultoria TIPO DE SOLUÇÃO SINOPSE VALOR PÚBLICO-ALVO CARGA HORÁRIA Investimento: R$ 1.440,00 Duração: 12 horas de consultoria Consultoria na empresa: Estratégias para recrutamento e seleção Aprenda técnicas e conhecimentos

Leia mais

MISSÃO DE INTERNACIONALIZAÇÃO CICLO COLÔMBIA 2019 PROGRAMA DE INTERNACIONALIZAÇÃO

MISSÃO DE INTERNACIONALIZAÇÃO CICLO COLÔMBIA 2019 PROGRAMA DE INTERNACIONALIZAÇÃO MISSÃO DE INTERNACIONALIZAÇÃO CICLO COLÔMBIA 2019 PROGRAMA DE INTERNACIONALIZAÇÃO 1 MISSÃO DE INTERNACIONALIZAÇÃO CICLO COLÔMBIA 2019 A Apex-Brasil apresenta a Missão de Internacionalização de empresas,

Leia mais

REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO

REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO PROJETO COMPRADOR RIO DE JANEIRO 11 de maio de 2018 SUMÁRIO 1. Destaques do Projeto Comprador no Rio de Janeiro...3 2. Sobre este Projeto Comprador no Rio de Janeiro...3 3.

Leia mais

Saiba mais sobre o curso acessando nosso site ou através de nosso canal no Youtube:

Saiba mais sobre o curso acessando nosso site   ou através de nosso canal no Youtube: Saiba mais sobre o curso acessando nosso site https://bit.ly/curso-mba-gni ou através de nosso canal no Youtube: https://youtu.be/kczppytyrhk Gestão das Estratégias de Internacionalização Empresarial Apresentação

Leia mais

3.3 Logomarcas completas

3.3 Logomarcas completas Edital 2016 Capacitar líderes empresariais, dirigentes e executivos industriais é uma das formas de atuação da FIEMT para contribuir com o aumento da competitividade do setor. As ações realizadas por meio

Leia mais

Os Planos de Trabalho deverão obrigatoriamente abranger os seguintes tópicos:

Os Planos de Trabalho deverão obrigatoriamente abranger os seguintes tópicos: Programa CENTELHA Plano de Trabalho Os Planos de Trabalho deverão obrigatoriamente abranger os seguintes tópicos: a) Plano de estabelecimento de redes de atores, visando ampliar a divulgação, prospecção

Leia mais

Projetos Estruturadores do Sistema CNDL

Projetos Estruturadores do Sistema CNDL Projetos Estruturadores do Sistema CNDL Gestão 2015 2017 Situação Atual JANEIRO/2017 Palavra do Presidente Construindo um novo sistema Em 2015, no início da nossa gestão tivemos a preocupação de ouvir

Leia mais

Glossário 32 Edital SENAI SESI de inovação Edital SENAI SESI de inovação 2010

Glossário 32 Edital SENAI SESI de inovação Edital SENAI SESI de inovação 2010 Glossário 32 Edital SENAI SESI de inovação 2010 Glossário Atividades - Ações que os executores realizam para alcançar os resultados. O gerenciamento deve garantir que as atividades gerem os resultados

Leia mais

IoT.BR PLANO NACIONAL DE INTERNET DAS COISAS

IoT.BR PLANO NACIONAL DE INTERNET DAS COISAS IoT.BR PLANO NACIONAL DE INTERNET DAS COISAS Internet das Coisas é a infraestrutura global que possibilita a prestação de serviços de valor adicionado pela conexão (física ou virtual) de coisas com dispositivos

Leia mais

OBJETIVO GERAL DA AGÊNCIA

OBJETIVO GERAL DA AGÊNCIA OBJETIVO GERAL DA AGÊNCIA O OBJETIVO GERAL DA ABDI É ARTICULAR, COORDENAR E PROMOVER A EXECUÇÃO DA PITCE EM INTERAÇÃO COM OS DIVERSOS ÓRGÃOS PÚBLICOS E COM A INICIATIVA PRIVADA. INSTITUCIONALIDADE CDE

Leia mais

Prioridades da Agenda de Marco Institucional da MEI

Prioridades da Agenda de Marco Institucional da MEI 2ª REUNIÃO DO COMITÊ DE LÍDERES DA MEI DE 2016 Prioridades da Agenda de Marco Institucional da MEI Gilberto Peralta GE 13 de maio de 2016 MARCO INSTITUCIONAL Emenda Constitucional nº 85 Inserção da inovação

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA Coordenadoria de Economia Mineral Diretoria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Premissas do Desenvolvimento Sustentável Economicamente

Leia mais

Projetos Estruturadores do Sistema CNDL Gestão

Projetos Estruturadores do Sistema CNDL Gestão Projetos Estruturadores do Sistema CNDL Gestão 2015 2017 Situação Atual - Julho/2017 PALAVRA DO PRESIDENTE Honório Pinheiro Presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) Construindo

Leia mais

Plano de Ação Setorial. Alimentos e Bebidas MAIO/2015. Realização Parceria

Plano de Ação Setorial. Alimentos e Bebidas MAIO/2015. Realização Parceria Plano de Ação Setorial Alimentos e Bebidas MAIO/2015 Realização Parceria Rede CIN Rede Brasileira dos Centros Internacionais de Negócios: Promove a internacionalização de empresas brasileiras por meio

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE CURSOS

PROGRAMAÇÃO DE CURSOS INSCRIÇÕES ON LINE PROGRAMAÇÃO DE CURSOS FEVEREIRO, MARÇO E ABRIL DE 2017 Aqui você escolhe o curso que deseja fazer, de acordo com o seu momento empreendedor e as necessidades de sua empresa. Tudo pela

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DE EMPRESAS DE DESIGN

SEGMENTAÇÃO DE EMPRESAS DE DESIGN SEGMENTAÇÃO DE EMPRESAS DE DESIGN Segmentação de empresas de design por capacidade e maturidade de exportação e internacionalização de serviços de design. (Versão revisão pós validação 14.07) PROJETO SETORIAL

Leia mais

Edital SENAI SESI de Inovação 2012 GLOSSÁRIO

Edital SENAI SESI de Inovação 2012 GLOSSÁRIO Edital SENAI SESI de Inovação 2012 GLOSSÁRIO Brasília 2012 Edital SENai SESi de inovação 2012 GLOSSÁRIO 3 Análise Preliminar de Riscos (APR) consiste no estudo feito durante a fase de concepção ou desenvolvimento

Leia mais

Criando um Plano de Negócios Eficiente e Colocando em Prática

Criando um Plano de Negócios Eficiente e Colocando em Prática Criando um Plano de Negócios Eficiente e Colocando em Prática 1 OBJETIVO Transformar idéias em negócios com impacto social e ambiental Escrever um plano de negócio força você a pensar disciplinadamente

Leia mais

Anexo 3. Quadro de Indicadores Eixos Estratégicos

Anexo 3. Quadro de Indicadores Eixos Estratégicos Anexo 3 Quadro de Indicadores 3.1. Eixos Estratégicos Legenda das Metas PDU PDU + Plano de Ação Excluídas Concluídas Eixo Estratégico Objetivo Específico Meta Descrição da Meta Un. Peso 2011 2012 2013

Leia mais

MDIC lança em Pernambuco Plano Nacional da Cultura Exportadora para aumentar exportações

MDIC lança em Pernambuco Plano Nacional da Cultura Exportadora para aumentar exportações MDIC lança em Pernambuco Plano Nacional da Cultura Exportadora para aumentar exportações Brasília O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, lança, na próxima terça-feira

Leia mais

IMPLANTAÇÃO CERNE 1. Mensuração: T0 ( ) T1 ( x ) T2 ( ) T3 ( ) T4 ( ) SEBRAE/TECPAR CNV 23/2015

IMPLANTAÇÃO CERNE 1. Mensuração: T0 ( ) T1 ( x ) T2 ( ) T3 ( ) T4 ( ) SEBRAE/TECPAR CNV 23/2015 IMPLANTAÇÃO CERNE 1 Mensuração: T0 ( ) T1 ( x ) T2 ( ) T3 ( ) T4 ( ) SEBRAE/TECPAR CNV 23/2015 DADOS BÁSICOS DA INCUBADORA CARACTERIZAÇÃO DA INCUBADORA NOME: INCUBADORA TECNOLÓGICA DO INSTITUTO DE TECNOLOGIA

Leia mais

PLANO DE TRABALHO OFICINA PARA ELABORAÇÃO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS

PLANO DE TRABALHO OFICINA PARA ELABORAÇÃO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS PLANO DE TRABALHO OFICINA PARA ELABORAÇÃO DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA EMPRESAS 1 ÁREA DE CREDENCIAMENTO/SUBÁREA Área Planejamento Empresarial; Subáreas Planejamento Estratégico. 2 PROJETO/AÇÃO Linha

Leia mais

Plano de Negócios. Como se tornar um empreendedor de sucesso. Prof. Ricardo Suñer Romera Unimódulo Centro Universitário

Plano de Negócios. Como se tornar um empreendedor de sucesso. Prof. Ricardo Suñer Romera Unimódulo Centro Universitário Plano de Negócios Como se tornar um empreendedor de sucesso Prof. Ricardo Suñer Romera rsromera@hotmail.com Unimódulo Centro Universitário O que é um Plano de Negócios? Um instrumento para planejar seu

Leia mais

Como trabalhamos na promoção comercial e atração de investimentos

Como trabalhamos na promoção comercial e atração de investimentos APEX-BRASIL Como trabalhamos na promoção comercial e atração de investimentos Inteligência Estratégica O QUE A APEX-BRASIL PODE FAZER PELA SUA EMPRESA EM EXPORTAÇÕES CAPACITAÇÃO PROMOÇÃO INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

1ª Jornada Internacional da Gestão Pública. O caso MDIC. BRASÍLIA (DF), 13 de março de 2013

1ª Jornada Internacional da Gestão Pública. O caso MDIC. BRASÍLIA (DF), 13 de março de 2013 1ª Jornada Internacional da Gestão Pública O caso MDIC BRASÍLIA (DF), 13 de março de 2013 ANTECEDENTES INÍCIO DE 2011 Contexto de mudança de Governo; Necessidade de diagnóstico organizacional; Alinhamento

Leia mais

O compromisso do Sebrae com a. Rio de Janeiro, 20 de julho de 2005

O compromisso do Sebrae com a. Rio de Janeiro, 20 de julho de 2005 O compromisso do Sebrae com a competitividade das MPEs Rio de Janeiro, 20 de julho de 2005 2 A MICRO E PEQUENA EMPRESA NO BRASIL Alta informalidade: 10,3 milhões de micro negócios informais (2005) 4,9

Leia mais

Comércio Exterior de Serviços do Brasil

Comércio Exterior de Serviços do Brasil Comércio Exterior de Serviços do Brasil São Paulo, 12 de setembro de 2017 SECRETARIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS A importância do setor de comércio e serviços no Brasil Participação no valor adicionado ao PIB

Leia mais

Acelere o seu negócio: Inove! Criatividade e inovação para Serviços Automotivos

Acelere o seu negócio: Inove! Criatividade e inovação para Serviços Automotivos Acelere o seu negócio: Inove! Criatividade e inovação para Serviços Automotivos INOVAÇÃO E TECNOLOGIA PARA AUMENTAR O CRESCIMENTO DA SUA EMPRESA Criatividade e inovação são essenciais para aumentar a competitividade

Leia mais

2 º 11 º 9 º 8 º 1 º 7 º. 3 º mercado de energias renováveis 10 º

2 º 11 º 9 º 8 º 1 º 7 º. 3 º mercado de energias renováveis 10 º 2 º 5 º 11 º 11 º 9 º 8 º 1 º produtor de biodiesel fabricante de aeronaves mercado de TI mercado de equipamentos médicos produtor industrial mercado de automóveis produtor e exportador de café, açúcar

Leia mais

EMPREENDEDORISMO E PEQUENOS NEGÓCIOS CONTEÚDOS

EMPREENDEDORISMO E PEQUENOS NEGÓCIOS CONTEÚDOS Conteúdo Programático EMPREENDEDORISMO E PEQUENOS NEGÓCIOS 1. Ambiente de Negócios 1.1.1 Contexto dos Pequenos Negócios no Brasil 1.2 Políticas públicas de apoio aos Pequenos Negócios 1.2.1 Lei Geral 1.2.2

Leia mais

DESIGN DA ESTRATÉGIA Instituto Federal do Maranhão IFMA. Steinbeis-SIBE do Brasil Bruno Viotti

DESIGN DA ESTRATÉGIA Instituto Federal do Maranhão IFMA. Steinbeis-SIBE do Brasil Bruno Viotti DESIGN DA ESTRATÉGIA Instituto Federal do Maranhão IFMA Steinbeis-SIBE do Brasil Bruno Viotti Etapas do Projeto Desenvolvimento e Implementação do Planejamento Estratégico Institucional do IFMA PLANO DE

Leia mais

Marco Legal de CT&I PARA FORTALECER O ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO NO BRASIL. Zil Miranda Diretoria de Inovação. Agosto 2018

Marco Legal de CT&I PARA FORTALECER O ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO NO BRASIL. Zil Miranda Diretoria de Inovação. Agosto 2018 Marco Legal de CT&I PARA FORTALECER O ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO NO BRASIL Zil Miranda Diretoria de Inovação Agosto 2018 MEI MOBILIZAÇÃO EMPRESARIAL PELA INOVAÇÃO 2008 2018 Necessidade do empresariado ter

Leia mais

A Apex-Brasil. Como funciona a Agência?

A Apex-Brasil. Como funciona a Agência? A Apex-Brasil Como funciona a Agência? Fundação e Missão A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) é um Serviço Social Autônomo que atua para: Promover os produtos e

Leia mais

IED PARTICIPACAO GUIDES ATUACAO CONJUNTA

IED PARTICIPACAO GUIDES ATUACAO CONJUNTA SUMARIO APEX-BRASIL ATRACAO DE INVESTIMENTOS INVESTIMENTOS ESTRANGEIROS DIRETOS (IED) INVESTIMENTOS EM PARTICIPACAO INVESTMENT GUIDES PROPOSTA PARA UMA ATUACAO CONJUNTA PEX-BRASIL O MELHOR DO BRASIL PARA

Leia mais

INNOMAC O E 1 O E 2 O E 3

INNOMAC O E 1 O E 2 O E 3 INNOMAC INNOMAC Contribuir à melhora da competitividade das PYMES da Macaronesia mediante a melhora da suas capacidades em matéria de internalização e inovação empresarial e prestação de serviços de apoio

Leia mais

ABCCH 2016/ /02/2016

ABCCH 2016/ /02/2016 ABCCH 2016/2017 1 PRIMEIROS PASSOS Agenda / Pilares Sistematização da gestão Fomento ao esporte equestre Valorização dos criadores Valorização dos proprietários de cavalos Valorização da marca BH Proposta

Leia mais

Resultados da Pesquisa sobre Internacionalização de Empresas no âmbito de Plano Nacional de Exportação

Resultados da Pesquisa sobre Internacionalização de Empresas no âmbito de Plano Nacional de Exportação Resultados da Pesquisa sobre Internacionalização de Empresas no âmbito de Plano Nacional de Exportação Coordenação de Internacionalização Gerência de Investimentos Amostra e Escopo da Pesquisa Todos os

Leia mais

Programa de Planejamento Estratégico Defensoria Pública do Estado do Tocantins. Plano Estratégico da Defensoria Pública do Estado do Tocantins

Programa de Planejamento Estratégico Defensoria Pública do Estado do Tocantins. Plano Estratégico da Defensoria Pública do Estado do Tocantins Programa de Planejamento Estratégico Defensoria Pública do Estado do Tocantins Plano Estratégico da Defensoria Pública do Estado do Tocantins MISSÃO da Defensoria Pública do Estado do Tocantins 2 Assegurar

Leia mais

AEDB Gestão de Negócios Internacionais

AEDB Gestão de Negócios Internacionais AEDB Gestão de Negócios Internacionais Tema: Marketing Internacional SUMÁRIO Marketing na Empresa Global Prof. Walfredo Ferreira o Estratégia de marketing global o Padronização e adaptação do programa

Leia mais

Estratégia de Segmentação de Empresas do Projeto Brazilian Beauty

Estratégia de Segmentação de Empresas do Projeto Brazilian Beauty Estratégia de Segmentação de Empresas do Projeto Brazilian Beauty A segmentação das empresas participantes do projeto setorial de exportação se constitui a partir da necessidade de alinhar melhor as ações

Leia mais

ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS Atua na coordenação das relações internacionais do Estado de Minas Gerais. Responsabilidades: Promoção e supervisão do relacionamento

Leia mais

Aqui você escolhe o curso que deseja fazer de acordo com o seu momento empreendedor e as necessidades de sua empresa.

Aqui você escolhe o curso que deseja fazer de acordo com o seu momento empreendedor e as necessidades de sua empresa. Aqui você escolhe o curso que deseja fazer de acordo com o seu momento empreendedor e as necessidades de sua empresa. Aprender a Empreender Objetivo: Desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes sobre

Leia mais

Diversificação de Mercados

Diversificação de Mercados Por que exportar? Por que exportar? VANTAGENS DA EXPORTAÇÃO Diversificação de Mercados Um dos grandes benefícios da exportação é permitir que a empresa exportadora tenha mais de um mercado consumidor,

Leia mais

w w w. g e s s a u d e. c o m. b r

w w w. g e s s a u d e. c o m. b r www.gessaude.com.br Roberto Gordilho Índice Diretor da GesSaúde Com a experiência de quem, entre 2011 a Ao visar uma constante atualização dos seus Ao fundar a GesSaúde, o seu 2016, coordenou a implantação

Leia mais

Objetivos Estratégicos Perspectiva: Competência. Ampliar a disponibilidade de competências necessárias à atuação do SNF

Objetivos Estratégicos Perspectiva: Competência. Ampliar a disponibilidade de competências necessárias à atuação do SNF 1 Objetivos Estratégicos Perspectiva: Competência Ampliar a disponibilidade de competências necessárias à atuação do SNF Assegurar a capacitação técnica das Instituições pertencentes ao SNF, aperfeiçoando

Leia mais

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU EDITAL DO PROCESSO SELETIVO Nº

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU EDITAL DO PROCESSO SELETIVO Nº EDITAL DO PROCESSO SELETIVO Nº 138.17 A FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU BRASIL (Fundação PTI-BR) torna público que serão recebidas as inscrições para o Processo Seletivo nº 138.17 sob contratação em

Leia mais

INSERÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO MERCADO INTERNACIONAL

INSERÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO MERCADO INTERNACIONAL Innovación en mecanismos de financiamiento para la internacionalización de las MiPYMES INSERÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO MERCADO INTERNACIONAL Papel da ABDI 05 de outubro de 2010 Montevidéu 1 A ABDI

Leia mais

BNDES - Apresentação Institucional. Oportunidades para Investimentos na Indústria Química Brasileira Sinproquim 23 de abril de 2014

BNDES - Apresentação Institucional. Oportunidades para Investimentos na Indústria Química Brasileira Sinproquim 23 de abril de 2014 BNDES - Apresentação Institucional Oportunidades para Investimentos na Indústria Química Brasileira Sinproquim 23 de abril de 2014 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade

Leia mais

Quem somos. Porque ABCCorp? Referencias

Quem somos. Porque ABCCorp? Referencias 1 Quem somos 2 Porque ABCCorp? 3 Referencias Trabalhamos como você! Experiência não somente acadêmica, sobre o teu segmento; Entendemos suas expectativas Valorizamos e garantimos o teu investimento com

Leia mais

AMÉLIA FERNANDA RIBEIRO ALVES 2º ANO DE ADMINISTRAÇÃO

AMÉLIA FERNANDA RIBEIRO ALVES 2º ANO DE ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SOCIOECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO AMÉLIA FERNANDA RIBEIRO ALVES 2º ANO DE ADMINISTRAÇÃO ESTUDO DE CASO: ALPHA

Leia mais

PRIMEIRA REUNIÃO PLENÁRIA GESTÃO

PRIMEIRA REUNIÃO PLENÁRIA GESTÃO Diadema PRIMEIRA REUNIÃO PLENÁRIA GESTÃO 2018-2022 Ciesp Estrutura - Perfil dos Associados Diversidade Alta Integração Fiesp Ciesp Senai Sesi Qualificação da Empresa para Exportação - Peiex Qualificação

Leia mais

Modelo SENAI de Prospecção

Modelo SENAI de Prospecção Modelo SENAI de Prospecção Prospectiva Organizacional São Paulo, 20/3/17 UNIEPRO/DIRET Modelo SENAI de Prospecção Justificativa É longo o ciclo entre captar a demanda, transformar em desenho curricular,

Leia mais

IMPLANTAÇÃO CERNE 2. Mensuração: T0 (X ) T1 ( ) T2 ( ) T3 ( ) T4 ( ) SEBRAE TECPAR (Convênio 23/2015) Mês: 04/2017

IMPLANTAÇÃO CERNE 2. Mensuração: T0 (X ) T1 ( ) T2 ( ) T3 ( ) T4 ( ) SEBRAE TECPAR (Convênio 23/2015) Mês: 04/2017 IMPLANTAÇÃO CERNE 2 Mensuração: T0 ( ) T1 ( ) T2 ( ) T3 ( ) T4 ( ) SEBRAE TECPAR (Convênio 23/2015) Mês: 04/2017 DADOS DA INCUBADORA NOME: INCUBADORA TECNOLÓGICA DO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DO PARANÁ ENDEREÇO:

Leia mais

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE)

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE) Identidade Organizacional - Acesso à informação - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos R O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia

Leia mais

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Instituto Sindipeças de Educação Corporativa 2016 Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Missão Oferecer soluções educacionais para elevar a competitividade e a sustentabilidade do setor de autopeças.

Leia mais

Detalhamento dos Campi

Detalhamento dos Campi 1 of 7 22/12/2016 11:06 Detalhamento dos Campi Ano Base: Dimensão: 2017 Unid. Administrativa: DIRETORIA GERAL/CAMPUS IGUATU Todas 2017 1. Aluno Objetivo Estratégico: 1.2: Ampliar a oferta de vagas em cursos

Leia mais

MISSÃO AUSTRALIA 2016 Sidney e Melbourne, 5 a 9 de setembro de 2016 REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO

MISSÃO AUSTRALIA 2016 Sidney e Melbourne, 5 a 9 de setembro de 2016 REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO MISSÃO AUSTRALIA 2016 Sidney e Melbourne, 5 a 9 de setembro de 2016 REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO 1 Sumário 1) Informações gerais sobre a Missão Australia... 3 2) Setores prioritários... 3 3) Programação

Leia mais

Apresentação Missão, Visão e Projetos Estratégicos

Apresentação Missão, Visão e Projetos Estratégicos PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Apresentação Missão, Visão e Projetos Estratégicos DEFINIÇÃO MISSÃO E VISÃO Missão MISSÃO Atuar como uma unidade de excelência e inovação em ensino, pesquisa e extensão nas áreas

Leia mais

INTERAÇÃO ICTS E EMPRESAS E O PAPEL DOS NITS NESSA RELAÇÃO. Elza Fernandes de Araújo Assessora Adjunta de Inovação Novembro/2014

INTERAÇÃO ICTS E EMPRESAS E O PAPEL DOS NITS NESSA RELAÇÃO. Elza Fernandes de Araújo Assessora Adjunta de Inovação Novembro/2014 INTERAÇÃO ICTS E EMPRESAS E O PAPEL DOS NITS NESSA RELAÇÃO Elza Fernandes de Araújo Assessora Adjunta de Inovação Novembro/2014 CIÊNCIA INOVAÇÃO TECNOLOGIA TRIPÉ do DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Produção

Leia mais