CARTA AO LEITOR EXPEDIENTE. O Editor

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARTA AO LEITOR EXPEDIENTE. O Editor"

Transcrição

1

2

3 EXPEDIENTE Diretoria Presidente: Efraim Kapulski Vice-presidente: José Afonso Braga Diretor de Agências: Luiz Buono; Diretora de Call Center/ Telemarketing: Ana Dávalos; Diretor Financeiro: Eduardo Ramalho; Diretor de Internet: Antonio Rosa; Diretor de Logística: Fernando Mutarelli; Diretor de Regionais: Jeffrey Costa; Diretor de Tecnologia: Clovis Castanho Comitês Presidente: Efraim Kapulski Coordenadores: CRM / Database: Eduardo Ramalho; Marketing: Antonio Rosa; Prêmio ABEMD: Eduardo Souza Aranha; Recenseamento de Listas: Vicente Argentino; Serviços de Suspensão Temporária e Inclusão: Paulo Vasconcelos Conselho de Administração Presidente: Fernando Costa Vice-presidente: Paulo F. Vasconcelos Alexandra Periscinoto, Alexandre Jau, Andréa Laurito Russo, Antonio Rosa Neto, Eduardo Bicudo, Eduardo Souza Aranha, Eduardo Wilson R. Ramalho, Fábio Cecotto Vargas, Fernando Luiz Gomes Guimarães, Fernando Mutarelli, Gil Giardelli, Gunther Klaus Alves Reis, Gustavo Bach, Jeffrey Hanson Costa, José Afonso Braga, José Soler, Marcio Luiz Valente, Márcio Ribeiro, Maria Luiza Vasques Piccioli, Nelson Reis, Odair Cerdeira Gutirres, Otavio Dias, Patrícia Hespanha Madeira, Paulo Geraldo F. Cavalcanti, Pedro Renato Eckersdorff, Pedro Sergio Venturini Martinez, Pio Borges, Ricardo Musumeci, Roberto Miranda, Roberto Saddy Chade, Sergio Augusto R. Alves Jr., Silvio Lefèvre, Vicente Argentino e Waldomiro R. Silva Jr. Conselho Fiscal Alexandre Souza Martins Case, Ivana Colombo e Osvaldo Alvarenga. Associação Brasileira de Marketing Direto Avenida São Luís, 50 13º andar cj. 132 B Edifício Itália CEP São Paulo/SP Brasil Tel: (11) Comercial: Claudio Toledo Eventos: Salete Guimarães Revista Marketing Direto é uma publicação da Associação Brasileira de Marketing Direto (ABEMD) Editor: Roberto Perrone Coordenadora Editorial: Ana Paula Barreto Arte e editoração eletrônica: Adriana Cassiano Pré-impressão, impressão e acabamento: RR Donnelley Moore Escreva para a revista Marketing Direto. Mande seus comentários e sugestões para o CARTA AO LEITOR Por mais críticas que o Plano Real possa suscitar, mesmo após quase 12 anos de implementação, não dá para discutir o fato de que ele acabou com a inflação galopante e possibilitou o acesso ao consumo a uma grande parcela da população brasileira de baixa renda. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do IBGE, somente entre 2001 e 2005, a população de baixa renda, que recebe entre R$ 300,00 e R$ 499,00 por mês, saltou de 12,6 milhões de pessoas, para 16,5 milhões, uma evolução de quase 31%. Por outro lado, os números de uma pesquisa da Credicard, divulgada no início de fevereiro, corroboram com a tese e apontam para um crescimento significativo de usuários de cartões desse target nos últimos anos. Esses consumidores não só passaram a consumir com mais freqüência, mas também começaram a enveredar pela compra de bens aos quais antes não tinham acesso. Mas o que o Marketing Direto tem a ver com isso? Tudo. Houve um tempo em que se acreditou que a ferramenta só poderia ser aplicada a segmentos de consumidores mais abastados. Mas empresas direcionadas a esses públicos vêm mostrando justamente o contrário. A própria Credicard - uma das maiores operadoras de cartões de crédito do Brasil - está entre os grandes usuários de Marketing Direto. Como mostra nossa matéria de capa, algumas características envolvem o trabalho para esse segmento de público. É preciso escolher com muito cuidado a oferta e verificar se o momento é de propensão às compras. Além disso, deve-se utilizar uma linguagem bastante objetiva, pois o consumidor de baixa renda é um cliente bastante desconfiado, que depende menos da questão emocional sobre a qualidade de um produto. Nada de muita informação, apenas a essencial. Na entrevista, o diretor de marketing da Xerox, Clóvis Castanho, traça um panorama da impressão digital e das tendências do setor. Também falamos com algumas destacadas agências de Marketing Direto nacionais e verificamos os diferenciais que elas oferecem ao mercado. O Editor Marketing Direto 3

4 ÍNDICE ARTIGO: O guerreiro-fazendeiro, por Marcelo Vianna...6 ENTREVISTA: O diretor de marketing da Xerox, Clóvis Castanho, traça um panorama da Impressão Digital e das tendências do setor...8 CAPA: Marketing Direto também vende para consumidores de baixa renda...12 ARTIGO: Programas de Relacionamento: Terceirização como solução, por Bernardo Canedo...20 AGÊNCIAS NACIONAIS: Agências brasileiras mostram seus diferenciais...22 Mercado...26 Novos Associados...29 Deu na Imprensa...31 Dicas de Leitura...33 Causos do Marketing Direto...34 FRASES Em virtude do crescimento das novas tecnologias, não há a menor dúvida de que o mercado das produtoras e dos fornecedores deverá estar em franca ascensão. Aurélio Lopes, presidente da Datamidia,FCBi, em matéria na Revista About de 6 de fevereiro de Sob o ponto de vista financeiro, a diferença de preço entre as malas diretas convencionais e as feitas com dados variáveis já não é tão grande a ponto de ser descartada a possibilidade de customização desde o início. Flávio Salles, presidente e sócio-fundador da Sun MRM Worldwide, em matéria na edição especial para Indústria Gráfica do Meio & Mensagem de 20 de fevereiro de Há um amadurecimento no uso de disciplinas integradas. Hoje, usamse muitas disciplinas com uma integração duvidosa, pois poucos integram de verdade via processos multi-step. A integração tende a melhorar com a utilização de empresas especializadas. Luiz Buono, vice-presidente de planejamento de atendimento da Fábrica Comunicação Dirigida em matéria na Revista About de 6 de fevereiro de No limite, quase tudo pode ser feito. Além do nome e de outros dados pessoais, podemos personalizar layouts, cores e imagens. Luna Gutierres, diretora de atendimento e planejamento da GreyZest em matéria na edição especial para Indústria Gráfica do Meio & Mensagem de 20 de fevereiro de O mix de comunicação será cada vez mais norteado pelo ROI que cada disciplina apresenta. A separação entre o bellow the line e o above the line tende a desaparecer, dando lugar ao conceito de above the ROI. Otavio Dias, sócio-presidente da GreyZest Direct, em matéria na Revista About de 6 de fevereiro de A ferramenta de CRM permite a organização da empresa por meio de um único sistema. Com isso, ganhamos tempo na realização das tarefas e conseguimos repassar esse ganho em benefício dos nossos clientes. Paulo Frascino, diretor da Maxipark na seção Estratégias da Revista Cliente SA de dezembro de s vencedores, além de possuírem conteúdo adaptado para a Internet e serem relevantes, são interativos, proporcionam ao usuário muitas chances de clicarem para um follow-up e o conduzem para alguma transação. Rafael Payao, diretor de planejamento da Full Tecno em artigo no Propaganda & Marketing de 6 de fevereiro de Relacionamento virou palavra de ordem do marketing. Raul Órfão, diretor geral da Tribo Interactive em artigo na Gazeta Mercantil de 15 de fevereiro de Marketing Direto

5 Problemas não vêm sob encomenda. Soluções,sim. Senac Atendimento Corporativo. O conhecimento transformando sua empresa. pense soluções empresariais O Senac Atendimento Corporativo sabe que sua empresa precisa de soluções que se adaptem às suas necessidades e não o contrário. Porque o Senac reúne o conhecimento das mais diversas áreas e a experiência de quem faz.amaior prova de que o Senac Atendimento Corporativo está um passo à frente,é que você nem precisou procurar a gente,nós encontramos você. Ligue ou acesse

6 ARTIGO O GUERREIRO-FAZENDEIRO POR MARCELO VIANNA* Até pouco tempo atrás, as estratégias de crescimento das empresas apoiavam-se, principalmente, na aquisição de clientes e no desenvolvimento de canais de distribuição. Diariamente, pelo mundo afora, os executivos vestiam suas bem camufladas roupas de batalha, desembainhavam as espadas e, munidos de muita coragem e espírito desbravador, convocavam a tropa e partiam para a missão de capturar clientes. Com a proliferação e diversificação dos meios de comunicação, a campanha desses verdadeiros guerreiros, quase sempre, rendia poucos resultados. Pior, embora de difícil mensuração, os custos eram sensivelmente elevados. Nos cinco últimos anos, crescer virou sinônimo de alta rentabilidade por cliente, resultado direto da capacidade não apenas de captar, mas, principalmente, de reter, fidelizar e, mais ainda, recuperar os clientes mais importantes; isto é, os mais lucrativos. Nas empresas de modo geral, a evolução dessas estratégias implicou mudança radical de mentalidade por parte dos executivos. Hoje, ao começar o dia, o guerreiro do passado assume o papel de um autêntico fazendeiro. Depõe as antigas armas de guerra, e, armado de ancinho e regador se entrega à missão de plantar e cultivar clientes rentáveis. A mudança não ocorreu, porém, de uma hora para outra. Ela surgiu mediante a comprovação de que, independente do mercado, custa cinco vezes, ou mais, conquistar um consumidor do que manter o atual. Menos de 20% dos clientes de uma empresa respondem por 80% da receita, pelo menos (Curva de Pareto). Mais do que isso, 65% da média dos negócios vêm de atuais clientes e, ainda, dos satisfeitos, constata pesquisa da American Management Association (AMA). É verdade que esses porcentuais podem sofrer pequenas variações. Quase sempre, entretanto, são comprovados em diferentes mercados. A boa notícia é que o plantio e cultivo de clientes lucrativos não são tarefas complicadas. Pelo contrário, estão ao alcance das pequenas, médias e grandes organizações. A etapa inicial consiste na identificação e diferenciação dos clientes e prospects, utilizando os dados cadastrais, bem como aqueles que documentam a relação da empresa com os clientes. Estudos de data mining, associados a modelos estatísticos de propensão à compra, retenção de clientes e, ainda, a correlação entre compra de produtos são caminhos que levam, com certeza, ao entendimento e mapeamento do ciclo de vida dos consumidores, bem como ao planejamento de réguas de interação capazes de otimizar o relacionamento com os diversos segmentos do público-alvo identificados. A partir daí, as ações de comunicação, devidamente personalizadas, com informações customizadas e relevantes para cada público, estarão prontas para serem implantadas e gerenciadas, respeitando o melhor canal de comunicação com os vários indivíduos. Ao final do processo, os resultados de todas as campanhas desenvolvidas deverão ser mensurados e avaliados, garantindo, assim, o ciclo de aprendizagem das colheitas. Essa é a missão do fazendeiro, que jamais deixou ou deixará de ser um guerreiro. A motivação da campanha mudou. Agora, o desafio é encontrar formas de cativar, rentabilizar e cultivar clientes. Marcelo Vianna é sócio-diretor da DTM Marketing de Relacionamento ( 6 Marketing Direto

7 PressT e xto Co m unicaçã o Relacionamentos de sucesso com seus clientes O CMA Mail é um sistema de solução integrada de marketingdireto que permite maior segurança e confiabilidade no controle de suas ações de marketing e melhor custo x benefício do mercado. O CMA Mail fornece relatórios completos que facilitam o gerenciamento de sua campanha a partir dos seguintes recursos: - Personalização de peças - Acompanhamento em tempo real dos envios - Relatórios estatísticos completos e segmentados - Facilidade no controle das bases de dados ABILIO BARROS Disparos programados do s ADALTO BARBOSA JÚNIOR ADILSON BATISTA ADRIANO LORENA Suporte ao Programa de Fidelização. AIRTON CHIULADA ARMANDO BEZZERRA BEATRIZ FRANCISCA DE SOUZA DAGOBERTO LIMA DÉBORA CRISTINA "Indispensável para quem deseja segmentar e personalizar suas campanhas de comunicação Para mais informações ligue para (11)

8 ENTREVISTA IMPRESSÃO DIGITAL SOFISTICA A PERSONALIZAÇÃO Clóvis Castanho, diretor de marketing da Xerox A personalização da comunicação impressa é uma tendência cada vez maior no Marketing Direto. Afinal, para que se efetive um relacionamento duradouro, uma das premissas é tratar o cliente de forma exclusiva. Os sistemas de impressão digital já evoluíram de uma tal maneira que hoje em dia praticar a personalização extrapola a simples troca de nomes. As máquinas de impressão digital permitem mudanças até de imagens, se necessário. Nesta entrevista, o diretor de marketing da Xerox, Clóvis Castanho, afirma que o problema no Brasil é não haver ainda um entendimento mais amplo das possibilidades que estes equipamentos oferecem para a comunicação das empresas, já que a tecnologia mais avançada do mundo está disponível também aqui. 8 Marketing Direto

9 Revista Marketing Direto - Como avalia o atual estágio do mercado de impressão digital no mundo? Por quê? Clóvis Castanho - A Impressão Digital está em um grau de crescimento constante na última década, com variações nas distintas geografias, mas de maneira geral com evolução dos índices acima de dois dígitos anuais. Nos aspectos técnicos, a impressão digital já quebrou as três barreiras de aceitação que se baseavam na comparação direta com o processo off-set: qualidade, velocidade e custo. Atualmente, as tecnologias desse segmento apresentam características técnicas de impressão que superam o off-set, por exemplo, com relação ao gamut (quantidade de cores) imprimíveis, que já é superior se comparado com o CMYK padrão dos sistemas off-set, apenas para citar um item de melhoria. Quanto ao aspecto da velocidade, também percebemos existir a consciência de que tão ou mais importante que a velocidade nominal de uma máquina, é sua capacidade de atender sob demanda e just in time, as necessidades do cliente. Sendo assim, aliado ao efetivo crescimento de velocidade apresentado pelas atuais impressoras digitais, os clientes têm conhecimento sobre este aspecto que já superou a natural comparação com o off-set. Finalmente, com relação aos custos, a queda real dos valores dos insumos digitais é um dos grandes geradores deste aumento de volumes, inclusive no Brasil. Atualmente, em uma análise genérica, os custos de produção digital atingem ponto de equilíbrio a unidades comparado com a impressão off-set. Ou seja, até unidades de tiragem a impressão digital é de longe mais econômica que a off-set. Lembrando-se que hoje em dia, em todo o mundo, 80% da totalidade dos trabalhos impressos estão abaixo desta quantidade. Pode-se mais uma vez entender porque a impressão digital tem crescido tanto. RMD - E no Brasil, como você tem acompanhado o desenvolvimento do setor? Castanho - Nossas estatísticas mostram, apenas na área de alto volume digital (excetuando-se SOHO), crescimentos que superam a casa de 30% ano sobre ano. Isso significa que o Brasil já se encontra em níveis comparáveis aos mercados europeu e norte-americano em termos de velocidade de adoção dessa tecnologia. É claro que em números absolutos, ainda estamos longe destes mercados, mas proporcionalmente a impressão digital cresce em velocidade muito superior ao mercado off-set. A impressão digital já quebrou as três barreiras de aceitação que se baseavam na comparação direta com o processo off-set: qualidade, velocidade e custo. enorme. Só para se ter uma idéia, a quantidade de máquinas de produção digital atualmente em operação no mercado brasileiro, representa menos de 1% comparativamente aos equipamentos off-set. Com a crescente queda das tiragens unitárias dos trabalhos impressos, a necessidade de soluções de impressão digital aumenta exponencialmente. RMD - Quais são as tecnologias para impressão digital mais avançadas que existem atualmente e suas respectivas aplicações? Castanho - Costumamos dividir a impressão digital em vários sub-segmentos, para tentar dar um overview, é necessário distinguir os principais grupos: equipamentos SOHO e Office; equipamentos de produção; dentro do segmen- Anúncio??? RMD - Qual o potencial de crescimento do mercado brasileiro comparativamente a outros mercados? Por quê? Castanho - Como afirmei anteriormente, o crescimento nacional potencial é Marketing Direto 9

10 Todas as tecnologias de impressão digital já estão disponíveis no Brasil. Todos os grandes fornecedores comercializam suas soluções no mercado nacional, porém geralmente restritos aos grandes centros. to produção, ainda temos que distinguir os equipamentos por sua velocidade em páginas, neste caso vamos falar de máquinas acima de 40/50 páginas por minuto (sempre referindo-se em A4); uma segunda subdivisão neste grupo se refere à Cor e Monocromáticos. Se nos concentrarmos nestes dois grupos finais temos na tecnologia Monocromática os destaques para os lançamentos de equipamentos alimentados à bobina, que podem trabalhar com uma diversidade de mídias muito maior que o papel branco. Este tipo de equipamento digital possui velocidades de até 1.500ipm, sendo atualmente responsáveis pela impressão de boa parte das faturas de telefonia e similares no mundo todo. O potencial de desenvolvimento de conteúdos publicitários agregados a estas contas ainda engatinha no Brasil, a tecnologia não é mais o limitante, cabe ao profissional de Marketing Direto conhecê-las. Outra grande inovação no segmento monocromático são as melhorias nos equipamentos de forma que imprimam em papéis de maior formato e de menor gramatura. Isto abre possibilidade de personalização até mesmo em bulas e embalagens de remédios. No segmento em cores residem as maiores inovações, porque a qualidade de impressão já é superior a do off-set em muitos aspectos, porém as melhorias de capacidade de impressão em novas mídias, inclusive em papéis não lisos, tem dado aos criativos uma possibilidade de criação infindável de novas malas diretas, marketing integrado a faturas, etc, como nunca se possuiu antes. A velocidade também cresce a cada ano, hoje em dia máquinas como a IGEN3 da Xerox já superam a marca de 100 páginas por minuto, sem quebra de velocidade devido à mudança de gramatura. Seja qual for a gramatura impressa dentro dos limites da máquina (que comporta até 350gr/ m 2 ) a velocidade não se degrada. Com respeito às aplicações, os principais aspectos a serem destacados são os impressos transacionais (contas, faturas, extratos, etc) que cada vez mais se integram aos conteúdos publicitários personalizados. E os livros sob demanda que também se mostram como um dos maiores nichos de crescimento. Além, é claro, do Marketing Direto em suas mais diversas formas de impressão possíveis, cada vez mais integrados aos meios eletrônicos. RMD - Quais destas tecnologias estão em pleno uso no Brasil e quais ainda vão chegar? Castanho - Todas as tecnologias de impressão digital já estão disponíveis no Brasil. Todos os grandes fornecedores comercializam suas soluções no mercado nacional, porém geralmente restritos aos grandes centros. A Xerox possui o maior portfólio disponível no mundo e no Brasil, com toda a variedade de formatos, velocidades e características necessárias para cada cliente em seus diferentes business. As novidades, voltando à Xerox, serão a nova máquina monocromática de alimentação a bobina, a CF495, que estará em exibição na Feira Expoprint (entre 31 de maio a 6 de junho de 2006, no Transamérica Expo Center) em São Paulo. Além das novas máquinas coloridas de produção da família Docucolor, com preços e running cost imbatíveis. RMD - Quais são as áreas econômicas que mais têm utilizado a tecnologia de impressão digital tanto no exterior quanto aqui? Por quê? Castanho - O segmento que mais uso faz da impressão digital com dados variáveis é o transacional: as operadoras de telefonia, grandes bancos, operadoras de cartões de crédito emitem milhões de faturas mensalmente e, não é de hoje, são as áreas que mais se valem da impressão digital, porém de maneira muito tímida no Brasil começam a aparecer casos de inclusão, nestes mesmos documentos que antes eram apenas monocromáticos, de publicidade colorida variável, de acordo com perfis de destinatários distintos. Outro setor que cresce no mundo todo é o de livros impressos digitalmente. Existem exemplos no Brasil, como o Armazém Digital no Rio de Janeiro, que possuem sistemas de busca de conteúdo na Internet através de parcerias com editoras em todo o mundo e impressão de um livro finalizado que é entregue ao cliente em 30 minutos. RMD - Quais são as principais diferenças entre países desenvolvidos e em desenvolvimento na aplicação das novas tecnologias de impressão digital? Castanho - A principal diferença está no domínio das ferramentas de criação de impressos com conteúdo variável, não apenas nos elementos de texto, mas em todo o design (imagens e formatos) da página impressa. No exterior, o uso de campanhas de marketing complexas capazes de ofertar produtos completamente diferentes para públicos distintos em alto volume é uma realidade há mais de cinco anos, isto é, com conteúdo totalmente variável. No Brasil o estágio atual de domínio destas ferramentas ainda é 10 Marketing Direto

11 muito pequeno. Ou seja, não é a tecnologia o limitante, mas sim o usuário que pouco consegue tirar dela atualmente. RMD - Como avalia os custos dos equipamentos para impressão digital? Qual a tendência de queda em termos mundiais e locais? Castanho - Os custos digitais desabaram nos últimos anos, daí outro motivo de seu forte crescimento o que acaba se tornando um ciclo virtuoso: mais demanda, mas produção, menores custos de produção, menores custos finais. Uma questão importante neste item é que a análise de custos nem sempre é feita de maneira científica, é muito comum a empresa prestadora de serviços gráficos não dominar em profundidade seus custos de produção gerando desvios no mercado que são sentidos até hoje, muitas vezes criando conseqüências perversas para todo mercado. Outro exemplo que poderia ser citado aqui alcança a ética: empresas que não recolhem seus impostos, empresas públicas que atuam no setor privado se valendo de subsídios próprios e uso de papel imune (destinado apenas aos produtos editoriais) para produção comercial são exemplos de procedimentos indevidos que acabam por impactar de maneira negativa todo o mercado e sua estrutura de preços. RMD - Em que medida o aumento da demanda por comunicação personalizada influência o setor, tanto em termos de desenvolvimento tecnológico, quanto em volume de vendas? Castanho - Como disse anteriormente, trata-se de um ciclo virtuoso, até porque a tecnologia digital é a única capaz de produzir dados variáveis. Em um mercado de alta competitividade em todas as atividades econômicas, a diferenciação no tratamento dos clientes passa a ser fundamental para a sobrevivência das empresas, daí para que estas empresas passem a utilizar também este conceito em suas comunicações impressas é uma conseqüência natural e lógica. Ao entenderem que esta personalização já pode ser feita em larga escala, e perceberam os benefícios do famoso retorno sobre investimento em mídia impressa, a tendência é de esta empresa nunca mais deixar de produzir suas comunicações de forma personalizada. RMD - Como, na sua opinião, as novas tecnologias têm influenciado especificamente o Marketing Direto? Por quê? Castanho - Sim, sem dúvida nenhuma que influenciam muito. Com a efetiva necessidade de integração entre as mídias eletrônicas e impressas, o Marketing Direto tem sido um dos maiores beneficiados e, ao mesmo tempo, alavancador de novas tecnologias que atendam às suas necessidades específicas. Há dez anos, para imprimir um lote de um milhão de nomes em um documento Com a efetiva necessidade de integração entre as mídias eletrônicas e impressas, o Marketing Direto tem sido um dos maiores beneficiados e, ao mesmo tempo, alavancador de novas tecnologias que atendam às suas necessidades específicas. transacional seria preciso horas ou dias de processamento computadorizado. Hoje em dia com os novos RIPs, este processo é de segundos. Outro aspecto importante é que as mesmas tecnologias de criação de peças gráficas com dados variáveis também dão outputs (e recebem inputs) da Web. É a efetiva possibilidade de integração multi canal para falar com os clientes na ponta do processo, alcançando-o com marketing, impressos personalizados e, em breve, comunicação dirigida para equipamentos móveis como celulares e palms. RMD - O que os criativos de agências precisam saber sobre estas tecnologias para tirar o máximo proveito do que elas oferecem? Castanho - Precisam de duas coisas: saber o que é possível se criar e como se criar. E neste desafio a ABEMD tem papel fundamental na difusão deste conhecimento, não apenas do o quê mas também do como fazer. RMD - Em que medida a área de CRM/Database Marketing deve estar integrada a essas novas tecnologias? Castanho - Estamos falando da mesma coisa. Os mesmos softwares que produzem o PDF de impressão produzem o HTML para a Web. O CRM e o DBM são complementos imprescindíveis para a plena utilização das possibilidades da impressão digital. RMD - A descentralização da impressão é uma tendência? Na sua opinião em que estágio ela se encontra atualmente e para onde caminha? Castanho - Isso depende de negócio para negócio. Existem empresas que, por suas características de negócio, terão mais benefícios com a centralização de maneira a reduzir custos e melhor gerir seus ativos de impressão; em outras a descentralização trará benefícios relativos à redução de custos de transporte e inventário. Assim sendo, para cada situação a Xerox, por exemplo, recomenda uma avaliação profissional de nossos consultores para dar ao cliente a segurança de uma decisão baseada em dados e fatos. 11 Marketing Direto 11

12 CAPA MARKETING DIRETO TAMBÉM VENDE PARA BAIXA RENDA Disciplina tem se mostrado eficaz nas ações voltadas aos consumidores desse target, mas é preciso estar atento a algumas premissas como saber escolher a melhor oferta, no momento certo, e adotar uma linguagem de fácil entendimento, pois esses clientes são desconfiados e estão mais preocupados com a qualidade real e não emocional dos produtos Quando o Plano Real foi lançado em plena Copa do Mundo de 1994, as dúvidas eram inúmeras e as expectativas maiores ainda, pois ele acenava com algumas possibilidades que, naquele momento, estavam muito distantes da maioria dos brasileiros. A principal promessa era acabar com a inflação galopante que chegava a absurdos 60%, 70% ao mês. Em conseqüência, promoveria o ingresso ao mercado de consumo das classes de baixa renda. Não precisou muito tempo para verificar que efetivamente o plano cumpriu essa missão, seja porque muitos dos consumidores das classes C/D aumentaram a freqüência de consumo de alguns itens, mas também porque começaram a tirar do sonho e passar para a realidade a compra de bens aos quais não tinham acesso anteriormente. Porém, esses consumidores de baixa renda, notadamente os que atualmente ganham entre R$ 300,00 e R$ 500,00, durante praticamente todo tempo conviveram com o sentimento de exclusão da sociedade de consumo. Eles não se sentiam considerados pelo marketing, pela propaganda e pelo varejo das empresas. O que é a mais pura verdade. O que dizer então do Marketing Direto, tido como o contraponto da comunicação de massa, já que se caracteriza como ferramenta voltada às campanhas dirigidas a públicos específicos? O fato é que, a esmagadora maioria das empresas e produtos - exceto ainda os do segmento de luxo, voltados exclusivamente às classes superabastadas - já não pode fechar os olhos ao poder de compra dos consumidores de baixa renda. Pesquisa lançada no início de fevereiro pela operadora de cartões de crédito Credicard mostra que os consumidores que ganham até R$ 500,00 por mês deverão movimentar em 2006, R$ 10,3 milhões em compras, um volume 24,9% maior comparado aos gastos de A Credicard se diz pioneira ao lançar em 1997 um produto especialmente voltado aos clientes de baixa renda - o cartão Redeshop Crédito. Não dá mesmo para o marketing ficar alheio ao potencial de consumo que esse target representa. A pesquisa da Credicard revela ainda que o volume de transações do segmento de baixa renda passou dos R$ 3,4 milhões, em 2001, para R$ 8,2 milhões no ano passado, um crescimento de 144%, superior aos 118% registrados pelas demais classes portadoras de cartões. Se as empresas começaram a atentar para o valor que pode representar esse consumidor para suas vendas, o Marketing Direto certamente tem sua parcela de contribuição a dar. Afinal, é uma ferramenta capaz não só de ajudar a vender produtos e serviços, mas também de colher informações relevantes sobre estes públicos. Basta ver a pesquisa da Credicard. Momento de compra Mas o que muda quando se decide fazer Marketing Direto para as classes de baixa renda? O público em questão é muito desconfiado. São pessoas muito simples, que sabem de suas limitações. Por isso, desconfiam de tudo que possa ser prejudicial a eles, diz a gerente de projetos da Datamidia,FCBi, Renata Bordo. Antes de oferecer qualquer produto, é preciso saber com considerável grau de exatidão se estão no momento de compra. É importante observar também que a definição de qualidade das marcas dos bens duráveis, por exemplo, se baseiam muito mais em resultados, do ponto de vista da durabilidade e eficiência, do que o apelo emocional, o prazer, reconhecimento e a inclusão. Por não ter, por assim dizer, o mesmo traquejo dos consumidores mais experientes, os clientes de baixa renda necessitam de mais informações e atenção no momento da Para as classes de menor poder aquisitivo deve-se utilizar linguagem simplificada e respeitar os regionalismos. Cesar Lins de Medeiros, superintendente de marketing da Aon Affinity 12 Marketing Direto

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice 2 Índice Introdução... 3 Passo 1 Entender o que é Venda Online e E-commerce... 4 Passo 2 Entender o Mercado de Comércio Eletrônico... 5 Passo 3 Canais de Venda... 6 Passo 4 Como identificar uma Boa Plataforma

Leia mais

7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL

7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL DICAS PARA DIVULGAR SUA EMPRESA E AUMENTAR AS VENDAS NO FIM DE ANO 7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL Sumário Apresentação Capítulo 1 - Crie conteúdo de alta

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Professor Wagner Luiz Aula - Como obter sucesso em uma implementação de CRM e o Processo da Comunicação. Março de 2014 São Paulo -SP Call Center & CRM 2007 CRM: do

Leia mais

Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas

Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas edição 04 Guia do inbound marketing Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas Há um tempo atrás o departamento de marketing era conhecido

Leia mais

e-book E-MAIL MARKETING Como alavancar suas vendas utilizando o de forma eficaz. por Paula Tadeu

e-book E-MAIL MARKETING Como alavancar suas vendas utilizando o de forma eficaz. por Paula Tadeu e-book Como alavancar suas vendas utilizando o E-MAIL MARKETING de forma eficaz. por Paula Tadeu ÍNDICE INTRODUÇÃO... O QUE É E-MAIL MARKETING?... PRÉ-REQUISITOS INDISPENSÁVEIS... MÃOS À OBRA: TRANSFORMANDO

Leia mais

Mercado projeta crescimento sólido

Mercado projeta crescimento sólido Indicadores Mercado projeta crescimento sólido Receitas de serviços de Marketing Direto em 2009 atingem R$ 21,7 bilhões e crescem 11,3% com relação ao ano anterior. Projeção do mercado é de evolução de

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na Visão das Seguradoras: Uma análise da distribuição de seguros no Brasil Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV), membro do Conselho Editorial da FUNENSEG, catedrático pela ANSP e sócio da empresa "Rating

Leia mais

Marketing Direto faz bem para a saúde

Marketing Direto faz bem para a saúde capa Marketing Direto faz bem para a saúde Hospitais e laboratórios têm encontrado no Marketing Direto uma forma eficaz de comunicação, sem cair nas restrições da Anvisa. Levando-se em consideração que

Leia mais

ABEMD. Associação Brasileira de Marketing Direto

ABEMD. Associação Brasileira de Marketing Direto ABEMD Associação Brasileira de Marketing Direto A ABEMD é uma entidade civil, sem fins lucrativos que defende os interesse do setor desde 1976. Constituída por pessoas jurídicas e físicas. Missão - Defender

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

Mercadologia capítulo IV

Mercadologia capítulo IV Mercadologia capítulo IV Por quanto vender? Muitas empresas, especialmente as varejistas, adotam a estratégia de redução de preços para aumentar suas vendas e não perder mercado para a concorrência. Mas

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames Introdução Fique atento aos padrões do CFM ÍNDICE As 6 práticas essenciais de marketing para clínicas de exames Aposte em uma consultoria de

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Usando o SI como vantagem competitiva Vimos

Leia mais

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções.

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções. Uma publicação: Estratégias para aumentar a rentabilidade 04 Indicadores importantes 06 Controle a produção 08 Reduza filas 09 Trabalhe com promoções 10 Conclusões 11 Introdução Dinheiro em caixa. Em qualquer

Leia mais

Nossa missão O que fazemos para sua empresa crescer

Nossa missão O que fazemos para sua empresa crescer A Revista VendaMais, a mais conceituada Revista de Vendas do Brasil, uniu-se a Solução Comercial, consultoria com experiência em mais de 80 empresas de diferentes segmentos, para criar a Solução Comercial/VendaMais.

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

PARA QUE SERVE O CRM?

PARA QUE SERVE O CRM? Neste mês, nós aqui da Wiki fomos convidados para dar uma entrevista para uma publicação de grande referência no setor de varejo, então resolvemos transcrever parte da entrevista e apresentar as 09 coisas

Leia mais

FRANQUIAS/ABF GUIA OFICIAL. www.guiaoficialdefranquiasabf.com.br. Circulação de junho/16 a maio/17

FRANQUIAS/ABF GUIA OFICIAL. www.guiaoficialdefranquiasabf.com.br. Circulação de junho/16 a maio/17 www.guiaoficialdefranquiasabf.com.br 2016 Sua comunicação em todos os canais: IMPRESSO WEB SMARTPHONES TABLETS APP Circulação de junho/16 a maio/17 PRODUÇÃO C O M U N I C A Ç Ã O I N T E G R A D A Chancelado

Leia mais

Uma nova fase de sucesso em seu negócio pode começar agora

Uma nova fase de sucesso em seu negócio pode começar agora Uma nova fase de sucesso em seu negócio pode começar agora Afinal, tudo começa em sua maneira de pensar. E marketing é isto, uma questão de posicionamento. PROPOSTA DE SERVIÇOS Logotipos Web Sites Lojas

Leia mais

Prezado Futuro Cliente

Prezado Futuro Cliente Prezado Futuro Cliente É com grade satisfação que encaminhamos nossa apresentação institucional e certos de estabelecermos uma parceria de sucesso e duradoura. Ela foi desenvolvida com objetivo de mostrar

Leia mais

BOAS PRÁTICAS NO DIA A DIA DAS CLÍNICAS DE IMAGEM

BOAS PRÁTICAS NO DIA A DIA DAS CLÍNICAS DE IMAGEM BOAS PRÁTICAS NO DIA A DIA DAS CLÍNICAS DE IMAGEM Introdução ÍNDICE Boas práticas no dia a dia das clínicas de imagem A Importância de se estar conectado às tendências As melhores práticas no mercado de

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE SUMÁRIO O que é gestão de estoque...3 Primeiros passos para uma gestão de estoque eficiente...7 Como montar um estoque...12 Otimize a gestão do seu estoque...16

Leia mais

Conceitos e técnicas. Devem ser contempladas algumas atividades típicas de vendas:

Conceitos e técnicas. Devem ser contempladas algumas atividades típicas de vendas: Administração da equipe de vendas (Neste texto de apoio: Conceitos e técnicas e Plano de ação de vendas) Conceitos e técnicas A correta administração da equipe de vendas é fundamental para o bom desempenho

Leia mais

O Cliente ao alcance do mouse!

O Cliente ao alcance do mouse! Capítulo 11 e-crc uma importante ferramenta de marketing A minha vivência, como consultor, pôs a descoberto duas das grandes dores de cabeça dos empresários a prospecção e comunicação com clientes. Todos,

Leia mais

Direção Criativa. Garantir a originalidade e a criatividade de um projeto é fruto. de um trabalho árduo que exige dedicação, envolvimento

Direção Criativa. Garantir a originalidade e a criatividade de um projeto é fruto. de um trabalho árduo que exige dedicação, envolvimento 44 :: Webdesign Direção Criativa Garantir a originalidade e a criatividade de um projeto é fruto de um trabalho árduo que exige dedicação, envolvimento e um imenso esforço para que o sucesso seja alcançado

Leia mais

Cartões private label: modelo de negócio e cadeia de valor

Cartões private label: modelo de negócio e cadeia de valor Cartões private label: modelo de negócio e cadeia de valor Gustavo Melo da Costa Marcio Rocha Gonçalves Marco Antonio da Silveira Santos Newton de Souza Lima Junior MBA Executivo Internacional Turma 34

Leia mais

Direcionando o Planejamento Estratégico com Modelo de Previsão Um artigo técnico da Oracle Junho de 2007

Direcionando o Planejamento Estratégico com Modelo de Previsão Um artigo técnico da Oracle Junho de 2007 Direcionando o Planejamento Estratégico com Modelo de Previsão Um artigo técnico da Oracle Junho de 2007 Direcionando o Planejamento Estratégico com Modelo de Previsão Com um processo funcional de planejamento

Leia mais

Usina de Site em gênero Seus principais valores são: iniciativa, qualidade, criatividade, competência e profissionalismo. Ao adquirir serviços e

Usina de Site em gênero Seus principais valores são: iniciativa, qualidade, criatividade, competência e profissionalismo. Ao adquirir serviços e Usina de Site em número Uma agência, uma equipe, uma unidade. São vários membros, estilos diferentes e inúmeras habilidades que se complementam e dão um novo sentido à publicidade e propaganda, guiados

Leia mais

CONSTRUIR DIFERENCIAL COMPETITIVO

CONSTRUIR DIFERENCIAL COMPETITIVO Nosso Foco GERAR RESULTADO Através do aporte de visão estratégica, associada ao conhecimento técnico e operacional do dia-a-dia, em: Meios de pagamentos (cartões private label, híbridos e pré-pagos), No

Leia mais

Inspire Inove Faça Diferente

Inspire Inove Faça Diferente Inspire Inove Faça Diferente Inspire Inove Faça Diferente Se eu tivesse um único dolar investiria em propaganda. - Henry Ford (Fundador da Motor Ford) As companhias prestam muita atenção ao custo de fazer

Leia mais

Uma nova Virtual Target

Uma nova Virtual Target A Virtual Target é uma ferramenta muito imediata. Ao dispararmos as campanhas, já começamos a receber os resultados de interação e identificar a conversão. A marca, para nós, é sinônimo de comprometimento.

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte Março/15 A mostra o desempenho dos negócios do comércio no mês de Fevereiro/2015 e identifica a percepção dos empresários para o mês de Março/2015. Neste mês, 20,8% dos empresários conseguiram aumentar

Leia mais

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil.

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil. A ABEMD, Associação Brasileira de Marketing Direto, é uma entidade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1976 e constituída por pessoas jurídicas e físicas interessadas na aplicação de estratégias e técnicas

Leia mais

Estratégias de Comunicação para Micro e Pequenas Empresas

Estratégias de Comunicação para Micro e Pequenas Empresas Estratégias de Comunicação para Micro e Pequenas Empresas SEGMENTOS DE ATUAÇÃO Encomendas Mensagens Financeiro Digital Logística Integrada Conveniência Marketing Direto Serviços Internacionais SEGMENTOS

Leia mais

Marketing de Conteúdo para iniciantes CONTENT STRATEGY

Marketing de Conteúdo para iniciantes CONTENT STRATEGY Marketing de Conteúdo para iniciantes CONTENT STRATEGY A Rock Content ajuda você a montar uma estratégia matadora de marketing de conteúdo para sua empresa. Nós possuimos uma rede de escritores altamente

Leia mais

AdWords. Anuncie no Google e Venda Mais! Expanda sua empresa! Você tem um argumento de vendas e precisa captar mais clientes?

AdWords. Anuncie no Google e Venda Mais! Expanda sua empresa! Você tem um argumento de vendas e precisa captar mais clientes? Anuncie no Google e Venda Mais! Expanda sua empresa! Você tem um argumento de vendas e precisa captar mais clientes? Ligue para nós e conheça a melhor estratégia para atender às necessidades de vendas

Leia mais

Projeto Cartão de Fidelidade. 1- Do Projeto:

Projeto Cartão de Fidelidade. 1- Do Projeto: 1- Do Projeto: O projeto visa dar acesso aos associados de associações comunitárias de Rio Pardo de Minas/MG à compra de produtos em uma rede credenciada local através de um cartão de compras que garanta

Leia mais

menu No dia 17/12/1953, em Uberlândia (MG), é inaugurado o Armazém de Secos e Molhados Borges Martins, a primeira empresa Martins.

menu No dia 17/12/1953, em Uberlândia (MG), é inaugurado o Armazém de Secos e Molhados Borges Martins, a primeira empresa Martins. Versão Completa No dia 17/12/1953, em Uberlândia (MG), é inaugurado o Armazém de Secos e Molhados Borges Martins, a primeira empresa Martins. Borges Martins começa a atuar no Planalto Central. Os excedentes

Leia mais

julho 2011 www.sm.com.br

julho 2011 www.sm.com.br www.sm.com.br Uma publicação do Grupo Lund ano 42 nº 7 julho 2011 DOIS (BONS) PROGRAMAS DE FIDELIDADE COMO DECIDIR O MELHOR NÍVEL DE ESTOQUE MÍDIA DIGITAL A TV QUE FAZ DINHEIRO UNILEVER DEFINE MIX DE 80

Leia mais

O Guia do Relacionamento para o corretor moderno

O Guia do Relacionamento para o corretor moderno O Guia do Relacionamento para o corretor moderno Introdução 3 O que é marketing de relacionamento 6 Como montar uma estratégia de relacionamento 9 Crie canais de relacionamento com o cliente 16 A importância

Leia mais

Orbitall. Autora: Carolina Fernandes Corrêa Leite. Orientadora: Profa. Ms. Ana Maria Santiago Jorge de Melo. Universidade Presbiteriana Mackenzie

Orbitall. Autora: Carolina Fernandes Corrêa Leite. Orientadora: Profa. Ms. Ana Maria Santiago Jorge de Melo. Universidade Presbiteriana Mackenzie Orbitall Autora: Carolina Fernandes Corrêa Leite Orientadora: Profa. Ms. Ana Maria Santiago Jorge de Melo Universidade Presbiteriana Mackenzie Introdução O setor de cartões de crédito tem crescido a taxas

Leia mais

MARKETING DIGITAL PARA PME: APRENDA A DEFINIR QUANDO, COMO E EM QUAIS ESTRATÉGIAS INVESTIR

MARKETING DIGITAL PARA PME: APRENDA A DEFINIR QUANDO, COMO E EM QUAIS ESTRATÉGIAS INVESTIR MARKETING DIGITAL PARA PME: APRENDA A DEFINIR QUANDO, COMO E EM QUAIS ESTRATÉGIAS INVESTIR Introdução 02 A importância de calcular o ROI dos investimentos Capítulo 1 04 Aprendendo a definir os investimentos

Leia mais

Artigo: Um olhar feminino na Internet

Artigo: Um olhar feminino na Internet Artigo: Um olhar feminino na Internet Por Tatiane Pocai Dellapiazza - aluna do primeiro ano do Curso de Comunicação Social - Centro UNISAL - Americana. Introdução: O Brasil chega perto de comemorar seu

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

10 Dicas para lucrar

10 Dicas para lucrar E-BOOK 10 Dicas para lucrar com Fotografia Infantil, Gestante e Casamentos Autor: Leo Castro www.marketingparafotografos.com.br E-BOOK Copyright 2015, Marketing para fotógrafos, Todos os direitos reservados

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO Plano de Ação Estratégico Estratégias empresariais Anexo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial Estratégias

Leia mais

A importância de personalizar a sua loja virtual

A importância de personalizar a sua loja virtual A importância de personalizar a sua loja virtual Ter uma loja virtual de sucesso é o sonho de muitos empresários que avançam por esse nicho econômico. Porém, como as lojas virtuais são mais baratas e mais

Leia mais

VOLUME Mala Direta e-book Postal

VOLUME Mala Direta e-book Postal VOLUME 7 Mala Direta e-book Postal Parceria que fortalece as micro e pequenas empresas Mala-direta é a propaganda impressa preferida do varejo. Fonte: Valor Econômico - Linear Clipping, 29/08/2014 - Edição

Leia mais

Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011

Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011 Curso de Marketing Disciplina: Web Marketing Professor: Roberto Marcello Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011 Web Marketing Web Marketing é qualquer esforço promocional realizado

Leia mais

Substituia comunicações caras e ineficientes por métodos de entrega alternativos

Substituia comunicações caras e ineficientes por métodos de entrega alternativos Engajamento com o Cliente Interação com o cliente e envio de comunicações Gerenciamento de Comunicações com os Clientes Soluções para possibilitar relacionamentos duradouros com clientes Substituia comunicações

Leia mais

Aula 03 Gestão de Marketing

Aula 03 Gestão de Marketing Aula 03 Gestão de Marketing Análise SWOT, Segmentação de Mercado e Mix de Marketing Prof. Marcopolo Marinho Prof. Esp. Marcopolo Marinho Segmentação é a identificação sistemática de conjuntos e subconjuntos

Leia mais

A importância de um plano de aposentadoria complementar

A importância de um plano de aposentadoria complementar INFORMATIVO É a melhor maneira de planejar a sua aposentadoria; Poupança com 100% de rentabilidade - Parte Patrocinadora; Rentabilidade totalmente revertida ao participante Datusprev sem fins lucrativos;

Leia mais

Um guia para você conhecer o que nós temos de melhor para a sua empresa! A melhor definição em impressos. Portifólio. Objetivos Produtos.

Um guia para você conhecer o que nós temos de melhor para a sua empresa! A melhor definição em impressos. Portifólio. Objetivos Produtos. Um guia para você conhecer o que nós temos de melhor para a sua empresa! A melhor definição em impressos. Portifólio Objetivos Produtos Criações A Empresa A Infotec tem como objetivo a excelência de seus

Leia mais

Fornecedores. Apresentação. www.grupoquantica.com. Nosso desafio é o seu sucesso!

Fornecedores. Apresentação. www.grupoquantica.com. Nosso desafio é o seu sucesso! Fornecedores www.grupoquantica.com Apresentação 2010 A idéia Fundado e idealizado por Cleber Ferreira, Consultor de Marketing e Vendas, autor do livro Desperte o Vendedor Interior com Técnicas de Vendas

Leia mais

inovadoras recrutamento

inovadoras recrutamento Avaliações inovadoras para recrutamento em grande volume Encontre agulhas no palheiro Nos processos de recrutamento em grande volume, você pode perder as pessoas certas por haver tantos candidatos menos

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

Agora sua máquina da Cielo passa os cartões Diners Club. Informativo. Ou seja, o seu ponto de venda acaba de ganhar vários pontos com os clientes.

Agora sua máquina da Cielo passa os cartões Diners Club. Informativo. Ou seja, o seu ponto de venda acaba de ganhar vários pontos com os clientes. A número 1 em vendas. NADA SUPERA ESSA MÁQUINA. Informativo EDIÇÃO 2 TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A CIELO PARA O SEU NEGÓCIO. Palavra do presidente Prezado cliente, A Cielo atua no cenário multibandeira

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

A sua empresa em contato com o mundo. Ferramenta de envio de SMS

A sua empresa em contato com o mundo. Ferramenta de envio de SMS A sua empresa em contato com o mundo Ferramenta de envio de SMS A Talktelecom Líder na América Latina em telefonia computadorizada Compete no mercado desde 1992 com soluções em telecomunicações Em plena

Leia mais

Sistemas de Informações

Sistemas de Informações Sistemas de Informações Prof. Marco Pozam- mpozam@gmail.com A U L A 0 5 Ementa da disciplina Sistemas de Informações Gerenciais: Conceitos e Operacionalização. Suporte ao processo decisório. ERP Sistemas

Leia mais

Edições Edge do SAP InfiniteInsight Visão geral Viabilizando insights preditivos apenas com cliques de mouse, sem códigos de computador

Edições Edge do SAP InfiniteInsight Visão geral Viabilizando insights preditivos apenas com cliques de mouse, sem códigos de computador Soluções de análise da SAP Edições Edge do SAP InfiniteInsight Visão geral Viabilizando insights preditivos apenas com cliques de mouse, sem códigos de computador Índice 3 Um caso para análise preditiva

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRA E CONFIANÇA DO CONSUMIDOR

PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRA E CONFIANÇA DO CONSUMIDOR DEZEMBRO/2010 PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRA E CONFIANÇA DO CONSUMIDOR RELATÓRIO MENSAL DA PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRA E CONFIANÇA DO CONSUMIDOR DE MANAUS, ANO 2010 - N 12 MANAUS AM 67,2% dos consumidores

Leia mais

AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA SILVA, FERNANDO TEIXEIRA CARVALHO, RENAN GUSTAVO MOLINA

AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA SILVA, FERNANDO TEIXEIRA CARVALHO, RENAN GUSTAVO MOLINA TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO E-COMMERCE NAS PEQUENAS EMPRESAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA

Leia mais

Hilgo Gonçalves CEO Losango RESTRICTED

Hilgo Gonçalves CEO Losango RESTRICTED Hilgo Gonçalves CEO Losango Institucional Há 43 anos no mercado, sede no Rio de Janeiro. Uma empresa do Grupo HSBC, desde 2003. Soluções Integradas para o Varejo Crédito Direto ao Consumidor - CDC Cartões

Leia mais

Caso de Sucesso. Campanhas Personalizadas de Precisão: Como garantir receita incremental melhorando a Experiência do Cliente. Cliente Apresentado:

Caso de Sucesso. Campanhas Personalizadas de Precisão: Como garantir receita incremental melhorando a Experiência do Cliente. Cliente Apresentado: Caso de Sucesso Campanhas Personalizadas de Precisão: Como garantir receita incremental melhorando a Experiência do Cliente Cliente Apresentado: COOP - Cooperativa de Consumo Quem são os clientes da COOP?

Leia mais

www.petitegourmet.com.br Costantino Mariella Fabio Motta de Almeida Julio Camargo Manuel Almeida Marcela Cassiolato Rodrigo Botinhão

www.petitegourmet.com.br Costantino Mariella Fabio Motta de Almeida Julio Camargo Manuel Almeida Marcela Cassiolato Rodrigo Botinhão www.petitegourmet.com.br Costantino Mariella Fabio Motta de Almeida Julio Camargo Manuel Almeida Marcela Cassiolato Rodrigo Botinhão Necessidade do Negócio Projeto baseado na necessidade do Grupo Busca

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

Módulo 12. Estratégias para formação de preços

Módulo 12. Estratégias para formação de preços Módulo 12. Estratégias para formação de preços As decisões de preços estão sujeitas a um conjunto inacreditavelmente complexo de forças ambientais e competitivas. Não existe como uma empresa, simplesmente,

Leia mais

. Indice. 1 Introdução. 2 Quem Somos. 3 O que Fazemos. 4 Planejamento. 5 Serviços. 6 Cases. 9 Conclusão

. Indice. 1 Introdução. 2 Quem Somos. 3 O que Fazemos. 4 Planejamento. 5 Serviços. 6 Cases. 9 Conclusão . Indice 1 Introdução 2 Quem Somos 3 O que Fazemos 4 Planejamento 5 Serviços 6 Cases 9 Conclusão . Introdução 11 Segundo dados de uma pesquisa Ibope de 2013, o Brasil ocupa a terceira posição em quantidade

Leia mais

REVENDEDOR Conheça os benefícios de ser um Revendedor Grupo Positiva

REVENDEDOR Conheça os benefícios de ser um Revendedor Grupo Positiva Conheça os benefícios de ser um Revendedor Grupo Positiva Prezado Revendedor Seja bem-vindo! O Grupo Positiva conta com você para crescer no mercado e se tornar a empresa número 1 no segmento de soluções

Leia mais

Tecnologia no Varejo: Oportunidades e Desafios

Tecnologia no Varejo: Oportunidades e Desafios Seminário GVcev Tecnologia no Varejo: Oportunidades e Desafios Tema: Tecnologia para Entender e Atender o consumidor Palestrante: Paulo Nassar HISTÓRICO Cobasi uma empresa brasileira Iniciou suas atividades

Leia mais

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Thaísa Fortuni Thaísa Fortuni 15 dicas de Mídias Sociais para Moda Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Sobre Thaísa Fortuni Publicitária por formação, escritora e empreendora digital. Trabalha

Leia mais

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE Por: Alexandre Maldonado Autor do site Marketing para E- commerce www.marketingparaecommerce.com.br TERMOS DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

Beatriz Costa Marketing de Produtos Email Marketing, Revenda Email Marketing e SMTP Locaweb beatriz.costa@locaweb.com.br

Beatriz Costa Marketing de Produtos Email Marketing, Revenda Email Marketing e SMTP Locaweb beatriz.costa@locaweb.com.br Beatriz Costa Marketing de Produtos Email Marketing, Revenda Email Marketing e SMTP Locaweb beatriz.costa@locaweb.com.br ENVIAR UM E-MAIL ERA ALGO SIMPLES!!! 1. Criar a mensagem; 2. Enviar para um lista

Leia mais

10 regras para o sucesso dos seus concursos no Facebook

10 regras para o sucesso dos seus concursos no Facebook Livro branco 10 regras para o sucesso dos seus concursos no Facebook 07/ 2014 www.kontestapp.com Introdução Facebook se tornou incontestavelmente a rede social mais popular do mundo. Com 1 bilhão de usuários

Leia mais

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO DESIGN CRIAÇÃO AGÊNCIA USABILIDA ARKETING INTERNET SEO DIGIT CRIATIVIDADE DESDE 1999 NO MERCADO, A M2BRNET É UMA AGÊNCIA DE MARKETING DIGITAL ESPECIALIZADA EM SOLUÇÕES PERSONALIZADAS. SI ARQ Desde 1999

Leia mais

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Comitê de Agências Gestão 2008 ÍNDICE OBJETIVO DO DOCUMENTO... 3 DEFINIÇÕES... 4 PONTOS PARA A ELABORAÇÃO DE UMA CONCORRÊNCIA... 5 RFI: Quando

Leia mais

Manual do bom vendedor Como vender mais e melhor

Manual do bom vendedor Como vender mais e melhor Manual do bom vendedor Como vender mais e melhor 2 ÍNDICE >> Introdução... 3 >> Perfil do profissional... 5 >> Características essenciais da venda... 10 >> As 4 dicas para vender mais e melhor... 12 >>

Leia mais

Rentabilidade em Food Service

Rentabilidade em Food Service Rentabilidade 6 passos para tornar sua franquia mais lucrativa Seja bem-vindo ao e-book da Linx. Aqui estão reunidos os principais caminhos para o aumento da rentabilidade em operações de fast food. São

Leia mais

CRM estratégico criamos uma série de 05 artigos 100

CRM estratégico criamos uma série de 05 artigos 100 Sabemos que muitas empresas enfrentam sérios problemas na administração de suas carteiras e no relacionamento com seus clientes e que apesar de conhecerem os problemas e até saberem que uma iniciativa

Leia mais

No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o

No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o DATABASE MARKETING No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o empresário obter sucesso em seu negócio é

Leia mais

coisas que você PRECISA SABER antes de investir em marketing.

coisas que você PRECISA SABER antes de investir em marketing. 10 coisas que você PRECISA SABER antes de investir em marketing. Quem é o seu público? Para quem você quer vender? Parece óbvio, não? Mas muitos empreendedores engasgam para responder esta pergunta. Na

Leia mais

Benefícios do E-mail marketing e da Benchmark E-mail

Benefícios do E-mail marketing e da Benchmark E-mail 1 1. SOBRE O E-BOOK... 1 2. A BENCHMARK E-MAIL... 5 3. IMPORTÂNCIA DO E-MAIL... 5 4. OS BENEFÍCIOS DO E-MAIL MARKETING... 6 4.1. DIGITAL VS. IMPRESSO... 7 4.1.1. CUSTOS... 7 4.1.2. CONTEÚDO... 7 4.1.3.

Leia mais

MÍDIA KIT É HORA DE VENCER A CRISE LARGUE NA FRENTE DA CONCORRÊNCIA! O VEÍCULO OFICIAL DA ASSERJ, ESTÁ COM VALORES PROMOCIONAIS PARA QUEM SE ANTECIPAR

MÍDIA KIT É HORA DE VENCER A CRISE LARGUE NA FRENTE DA CONCORRÊNCIA! O VEÍCULO OFICIAL DA ASSERJ, ESTÁ COM VALORES PROMOCIONAIS PARA QUEM SE ANTECIPAR MÍDIA KIT É HORA DE VENCER A CRISE LARGUE NA FRENTE DA CONCORRÊNCIA! O VEÍCULO OFICIAL DA ASSERJ, ESTÁ COM VALORES PROMOCIONAIS PARA QUEM SE ANTECIPAR O VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO QUE FALA AO TRADE SUPERMERCADISTA

Leia mais

Eficiência Operacional. Maximizar os relacionamentos. Foco estratégico. Novo foco estratégico

Eficiência Operacional. Maximizar os relacionamentos. Foco estratégico. Novo foco estratégico Estratégias de Relacionamento com clientes Marcelo Amorim Panorama Atual Agenda Tendências, Desafios e Globalização Sindrome da caixa de água Relacionamento com Clientes Gerenciamento de Riscos Novas tendências

Leia mais

MÍDIA KIT 2016. A revista especializada em gestão de pessoas com a maior taxa de credibilidade junto a seus leitores.

MÍDIA KIT 2016. A revista especializada em gestão de pessoas com a maior taxa de credibilidade junto a seus leitores. MÍDIA KIT 2016 A revista especializada em gestão de pessoas com a maior taxa de credibilidade junto a seus leitores. PÚBLICO-ALVO Profissionais de RH, presidentes, vice-presidentes e executivos com papel

Leia mais

MANUAL PARA REDUZIR O ABANDONO DO CARRINHO DE COMPRAS

MANUAL PARA REDUZIR O ABANDONO DO CARRINHO DE COMPRAS MANUAL PARA REDUZIR O ABANDONO DO CARRINHO DE COMPRAS ÍNDICE Introdução 1 A jornada do cliente no site 2 Desvendando o problema 5 Técnicas para redução 6 Fidelizando o cliente após a compra 8 Conclusão

Leia mais

#10 PRODUZIR CONTEÚDO SUPER DICAS ATRATIVO DE PARA COMEÇAR A

#10 PRODUZIR CONTEÚDO SUPER DICAS ATRATIVO DE PARA COMEÇAR A #10 SUPER DICAS PARA COMEÇAR A Pantone 715 C 100% Black 80% Black C: 0 M: 55 Y: 95 K: 0 C: 0 M: 0 Y: 0 K: 100 C: 0 M: 0 Y: 0 K: 80 PRODUZIR CONTEÚDO ATRATIVO DE Confira estas super dicas para você produzir

Leia mais

Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento

Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento Introdução Planejamento Divulgando sua loja Como fechar as vendas Nota Fiscal

Leia mais

Jornalismo Interativo

Jornalismo Interativo Jornalismo Interativo Antes da invenção da WWW, a rede era utilizada para divulgação de informações direcionados a públicos muito específicos e funcionavam através da distribuição de e-mails e boletins.

Leia mais

UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO

UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO SAIR DO LUGAR-COMUM PÃO DE AÇÚCAR UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO Só em São Paulo, a associação que reúne os supermercados tem mais de 50 empresas cadastradas. As lojas se espalham com um volume impressionante.

Leia mais

E-books. Introdução às Mídias Sociais. Sebrae

E-books. Introdução às Mídias Sociais. Sebrae E-books Sebrae Marketing e Vendas Introdução às Mídias Sociais O que fazer com as mídias sociais Tipos de ações As principais mídias sociais Dicas e considerações finais Autor Felipe Orsoli 1 SUMÁRIO 1

Leia mais