Companhia do Metropolitano do Distrito Federal. Audiência Pública

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Companhia do Metropolitano do Distrito Federal. Audiência Pública"

Transcrição

1 Companhia do Metropolitano do Distrito Federal Audiência Pública Expansão da Linha I do Metrô-DF (Samambaia, Ceilândia e Asa Norte) e modernização do sistema

2 Objetivo da Audiência Pública Dar início aos procedimentos licitatórios relativos à contratação da obra, serviços de engenharia e sistemas para expansão e modernização da Linha 1 do Metrô-DF em Ceilândia, Samambaia e Asa Norte/Plano Piloto, em atendimento ao artigo 39 da Lei nº 8.666/1993, Lei de Licitações.

3 Audiência Pública - Publicidade

4 Objeto da Licitação Contratação de obras, serviços de engenharia e serviços de sistemas para Expansão e Modernização da Linha 1 do Metrô no Distrito Federal em: Ceilândia, Samambaia e Asa Norte (Setor Comercial Norte/ Galeria do Trabalhador). Prazo de Execução após Ordem de Serviço 24 meses

5 Recursos Financeiros e Orçamentários Valor disponível: R$ 700 milhões Origem do Recurso: PAC Mobilidade Grandes Cidades Órgão Financiador: Caixa Econômica Federal CEF Previsão no PPA: Rubrica: Ampliação da Linha 1 do Metrô-DF (Asa Norte) Ampliação da Linha 1 do Metrô-DF (Ceilândia) Ampliação da Linha 1 do Metrô-DF (Samambaia) Fonte de recursos: 232 OGU 630 milhões (Gestor - CEF) 100 GDF 70 milhões (Contrapartida)

6 Planejamento Etapas vencidas Etapas em andamento I Licença Prévia Ambiental II EVTEA III Projeto Básico de Engenharia / AP IV Termo de Compromisso CEF V Audiência Pública art. 39, Lei 8666/93 VI Audiência Pública Ambiental/Urbanística Próximas etapas VII Contratação de Obras e Serviços VIII Projeto Executivo de Engenharia IX Obtenção da Licença de Instalação X Execução das Obras e Serviços XI Obtenção da Licença de Operação

7 Por que fazer a expansão e modernização da Linha 1 do Metrô? Objetivo: Aumentar a oferta do serviço e atender a uma maior parcela da população do Distrito Federal. Como: Aumento da capacidade do sistema; Redução dos custos de manutenção, em razão da modernização; Incremento do número de passageiros transportados, através do aumento da área de atendimento e integração modal (ônibus, bicicletas, estacionamentos). Modernização dos sistemas de energia, sinalização e telecomunicações, preservando a segurança e aumentando a confiabilidade da operação metroviária; Indução da ocupação urbana no ramal Samambaia; Alternativa para usuários com origem em Brazlândia e Águas Lindas e destino ao Plano Piloto, com conseqüente elevação do nível de serviço da via Estrutural; Atendimento a pólos de concentração de trabalho como: Setor Comercial Norte, Hospital Regional da Asa Norte, Setor Bancário Norte e Setor de Autarquias Norte.

8 Benefícios a população em 2015 População Beneficiada: habitantes (49% da população do DF) Novos passageiros estimados (2015): passageiros/dia, desses: Ceilândia(Estações 28 e 29): novos pass/dia Samambaia (Estações 34 e 35): novos pass/dia Asa Norte (Estação SCN): novos pass/dia Frequência dos Veículos (Headway) Trecho entre a Rodoviária PP e Águas Claras : 3 min no pico de 6:00 às 8:45 e de 16:45 às 20:15; e, 6 min nos demais horários Trecho Ramal Samambaia e Ceilândia: 6 min no pico de 6:00 às 8:45 e de 16:45 às 20:15; e, 12 min nos demais horários

9 Benefícios a população Externalidadespositivas: Redução do tempo de viagem na hora pico comparado ao transporte rodoviário: 45 minutos Redução equivalente: de 220 viagens ônibus/dia ou de viagens de automóveis/dia Melhoria ambiental com redução de 13,58 ton/dia de poluentes Redução de acidentes rodoviários Valorização imobiliária de até 30% na área de influência Geração de empregos diretos e indiretos, na obra e no sistema.

10 Apresentação do projeto METRÔ-DF: rede existente e expansões Asa Norte, Samambaia e Ceilândia.

11 ETAPAS PROJETO BÁSICO

12 Características gerais do traçado Extensão em Ceilândia 2,5 km de via em semi-enterrada 2 estações subterrânea Estação 29 Estação 28 Extensão na Asa Norte 1 km de via em túnel 1 estação subterrânea (SCN/HRAN) Estação 41 Estação 35 Estação 36 Extensão em Samambaia 4 km de via semi-enterrada 2 estações semi-enterrada

13 Intervenção Prevista CARACTERÍSTICAS DA OBRA Descrição Asa Norte Samambaia Ceilândia Extensão da via 1 km 4 km 2,5 km Tipo de via subterrânea semi-enterrada semi-enterrada Tipo de estação subterrânea semi-enterrada subterrânea Quantidade de estações por trecho Área construída por estação m² m² m² Subestação de energia por trecho Obras de arte especiais Urbanização do entorno sim sim sim

14 Estação 41 Asa Norte Início da expansão Shopping Conjunto Nacional Estação HRAN Término da expansão Travessia Subterrânea Eixo rodoviário Asa Norte Asa Norte Implantação do trecho de 1 km

15 Estação 41 Asa Norte Início da expansão Shopping Conjunto Nacional HRAN Término da expansão Eixo rodoviário Asa Norte Esquema funcional plataforma Travessia Subterrânea

16 Estação 41 Asa Norte Galeria SCN Projeção do eixo Rodoviário Asa Norte Galeria SBN Acesso à travessia Travessia subterrânea de pedestres Acesso à travessia Planta Travessia subterrânea de pedestres entre Galerias SCN e SBN, sob o eixo rodoviário da Asa Norte Eixo W Eixo Asa Norte Eixo L Acesso Travessia subterrânea de pedestres Aces so Corte Travessia subterrânea de pedestres entre Galerias SCN e SBN, sob o eixo rodoviário da Asa Norte

17 Estações Samambaia SR 63 QR 103 Estação Terminal Samambaia Início da expansão Estação 36 Estação 35 Término da expansão QR 115 QR 111 QR 109 Samambaia Implantação do trecho de 4 km

18 Expansão Samambaia Término da expansão Início da expansão Esquema funcional plataforma

19 Estações Ceilândia QNO 7 Estação 29 Estação 28 QNO 5 QNO 3 QNO 1 Término da expansão QNO 13 QNO 10 QNO 9 Início da expansão Ceilândia Implantação do trecho de 2,5 km

20 Estações Ceilândia Esquema funcional plataforma

21 Expansão dos Sistemas Fixos Os Sistemas Fixos são constituídos por: Sistema de Energia Sistema de Telecomunicações Sistema de Sinalização e Controle Sistemas Auxiliares

22 Sistema de Energia Serão implantados na Expansão: Implantação de 6 novas Subestações Retificadoras; Implantação de 7,5 km de terceiro trilho; Implantação de 5 novas Subestações Auxiliares; Inclusão de 3 novos pontos de alimentação em 13,8 kv a serem fornecido pela CEB.

23 Modernização do Sistema de Energia A Modernização do Sistema de Energia compreenderá toda a linha: Restruturação e adequação completa da Rede de Alimentação de 13,8 kv, inclusive da rede existente; Fornecimento de novo Sistema de Proteção e Controle das Subestações Retificadoras existentes; Adequações nas instalações da CEB, para implantação dos alimentadores.

24 Sistema de Telecomunicações Serão implantados na Expansão: Sistema de Transmissão de Dados; Sistema de Telefonia; Sistema de Sonorização; Sistema de Radiotelefonia Sistema de Informação Visual Automática (Painel de Destino de trens (PDT) e Cronometria).

25 Modernização do Sistema de Telecomunicações Todos os sistemas hoje implantados serão modernizados: Sistema de Transmissão de Dados; Sistema de Telefonia; Sistema de Sonorização; Sistema de Radiotelefonia Sistema de Informação Visual Automática (Painel de Destino de trens (PDT) e Cronometria).

26 Cronometria e Indicação de Destino Serão 2 painéis dupla face por plataforma, dispostos conforme mostrado abaixo: Plataforma PDT PDT Disposição dos Painéis nas plataformas CEILÂNDIA 1 min SAMAMBAIA 4 min Tempo de chegada do próximo trem

27 Sistema de Sinalização e Controle Serão implantados na expansão: Sistema Automático de Controle de Trens - ATC; Sistema de Operação Automática de Trens - ATO; Sistema de Controle e Segurança de Tráfego.

28 Sistema de Sinalização e Controle A Modernização contemplará: Redução dos circuitos de via: permitirá colocar mais trens na via e diminuir o tempo de espera nas estações Inclusão de novos Aparelhos de Mudança de Via (AMV): permitirá uma maior flexibilidade operacional, principalmente em casos de contingências; Substituição de Equipamentos do Centro de Controle CCO por outros de última geração: garantirá maior confiabilidade operacional.

29 Sistemas Auxiliares Serão implantados na expansão: Sistema de Bilhetagem; Sistema de Ventilação Primária - Túnel e Estações; Sistema de Alimentação Auxiliar.

30

Metrô Leve de Goiânia. Projeto Modelo para Cidades Brasileiras

Metrô Leve de Goiânia. Projeto Modelo para Cidades Brasileiras Metrô Leve de Goiânia Projeto Modelo para Cidades Brasileiras 1 Projeto modelo para cidades médias 1. Estrutura Institucional Pacto Metropolitano instituindo órgão gestor do transporte coletivo na região

Leia mais

ÍNDICE. PITMUrb & MetrôPOA. Expansão da Linha 1. Aeromóvel. Aquisição de Frota. Modernização Estações. Expansão Sapiranga

ÍNDICE. PITMUrb & MetrôPOA. Expansão da Linha 1. Aeromóvel. Aquisição de Frota. Modernização Estações. Expansão Sapiranga INVESTIMENTOS 2011 1 2 3 4 PITMUrb & MetrôPOA Expansão da Linha 1 Aeromóvel Aquisição de Frota ÍNDICE 5 6 7 8 Modernização Estações Expansão Sapiranga Passagem Subterrânea do Trem em Canoas Expansão Comercial

Leia mais

INTEGRADO METROPOLITANO DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA

INTEGRADO METROPOLITANO DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA VLT DA BAIXADA SANTISTA Ministério das Cidades SETEMBRO DE 2013 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL EMTU EMTU ÁREA DE ATUAÇÃO: ESTADO DE SÃO PAULO REGIÕES METROPOLIPANAS A EMTU é Responsável pelo gerenciamento do

Leia mais

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 1 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 Sistema Integrado Metropolitano SIM e do Veículo Leve sobre Trilhos VLT (Metrô Leve) 2 Secretaria dos Transportes Metropolitanos STM Três

Leia mais

Brasília - Brasil Maio de 2006

Brasília - Brasil Maio de 2006 Brasília - Brasil Maio de 2006 Diagnóstico Início Diagnóstico Objetivos do Programa Intervenções Propostas Avanço das Atividades Tratamento Viário Diagnóstico Início Diagnóstico Objetivos do Programa Intervenções

Leia mais

Projetos de Expansão e Modernização da CPTM

Projetos de Expansão e Modernização da CPTM Projetos de Expansão e Modernização da CPTM Jun/2012 Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento e Projetos Jundiaí Várzea Paulista Campo Limpo Paulista Francisco Morato Franco da Rocha Caieiras

Leia mais

EMPRESA DE TRENS URBANOS DE PORTO ALEGRE S.A. Obra de Expansão da Linha 1. São Leopoldo / Novo Hamburgo

EMPRESA DE TRENS URBANOS DE PORTO ALEGRE S.A. Obra de Expansão da Linha 1. São Leopoldo / Novo Hamburgo EMPRESA DE TRENS URBANOS DE PORTO ALEGRE S.A. Obra de Expansão da Linha 1 São Leopoldo / Novo Hamburgo ESCRITÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Coordenação de Planejamento Coordenação de Medições, Controle Financeiro

Leia mais

1

1 www.supervia.com.br 1 Trens Urbanos no Rio de Janeiro Histórico Antes da concessão, sob condições de transporte inadequadas, o número de passageiros caiu consistentemente Média de passageiros dias úteis

Leia mais

LINHA ª Semana de Tecnologia Metroferroviária. Paulo de Magalhães Bento Gonçalves Diretor Presidente

LINHA ª Semana de Tecnologia Metroferroviária. Paulo de Magalhães Bento Gonçalves Diretor Presidente LINHA 13 Paulo de Magalhães Bento Gonçalves Diretor Presidente PAINEL 03 Crescimento e melhoria da rede metroferroviária no Brasil 22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária 2 Visão Geral 2,9 milhões pass./dia

Leia mais

Operação e Expansão do Metrô BH

Operação e Expansão do Metrô BH CREA Minas Seminário Internacional Mobilidade Urbana 13/03/2013 Operação e Expansão do Metrô BH METRÔ DE BELO HORIZONTE. Linha 1 Eldorado a Vilarinho Características atuais SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS

Leia mais

ENCONTRO COM O METRÔ. Obras em andamento, Concessões e PPP. Paulo Menezes Figueiredo Diretor Presidente do Metrô São Paulo 26/07/2016

ENCONTRO COM O METRÔ. Obras em andamento, Concessões e PPP. Paulo Menezes Figueiredo Diretor Presidente do Metrô São Paulo 26/07/2016 ENCONTRO COM O METRÔ Obras em andamento, Concessões e PPP Paulo Menezes Figueiredo Diretor Presidente do Metrô São Paulo 26/07/2016 Antecedentes do Serviço Metroferroviário na RMSP Anterior à Constituição

Leia mais

MOBILIDADE REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

MOBILIDADE REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO MOBILIDADE REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO METRÔ LINHA 4 BARRA DA TIJUCA-IPANEMA A Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro é a maior obra de infraestrutura urbana em execução na América Latina. METRÔ

Leia mais

CONCESSÃO DA ESTAÇÃO DE TRANSBORDO CLERISTON ANDRADE (ESTAÇÃO DA LAPA) SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE - SEMOB 1

CONCESSÃO DA ESTAÇÃO DE TRANSBORDO CLERISTON ANDRADE (ESTAÇÃO DA LAPA) SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE - SEMOB 1 CONCESSÃO DA ESTAÇÃO DE TRANSBORDO CLERISTON ANDRADE (ESTAÇÃO DA LAPA) SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE - SEMOB 1 ESTAÇÃO DA LAPA Inaugurada em 7 de novembro de 1982; Maior terminal rodoviário de Salvador;

Leia mais

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo As Cidades mudaram População mudou A Economia mudou Os Meios de Transportes mudaram E nós? Ainda pensamos igual ao passado? Em TRANSPORTE COLETIVO chega-se ao

Leia mais

Mobilidade Urbana no Brasil. J. R. Generoso Secretário Nacional de Mobilidade Urbana

Mobilidade Urbana no Brasil. J. R. Generoso Secretário Nacional de Mobilidade Urbana Mobilidade Urbana no Brasil J. R. Generoso Secretário Nacional de Mobilidade Urbana Ministério das Cidades MINISTÉRIO DAS CIDADES Conselho das Cidades Secretaria Executiva CBTU Companhia Brasileira de

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS TRENS REGIONAIS. Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento Companhia Paulista Trens Metropolitanos - CPTM

A IMPORTÂNCIA DOS TRENS REGIONAIS. Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento Companhia Paulista Trens Metropolitanos - CPTM A IMPORTÂNCIA DOS TRENS REGIONAIS Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento Companhia Paulista Trens Metropolitanos - CPTM REDE DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS SOBRE TRILHOS NA MACROMETRÓPOLE

Leia mais

SECRETARIA DE TRANSPORTES

SECRETARIA DE TRANSPORTES SECRETARIA DE TRANSPORTES Major Events Grandes Eventos 2013 Copa das Confederações 2013 Jornada Mundial da Juventude Católica 2014 Copa do Mundo de Futebol 2016 Jogos Olímpicos Soluções de Mobilidade para

Leia mais

PENSAR BRASÍLIA. TRANSPORTE COLETIVO DO DF Ações do Governo. Brasília/DF, 30 de agosto de 2012. Secretaria de Transportes - DF

PENSAR BRASÍLIA. TRANSPORTE COLETIVO DO DF Ações do Governo. Brasília/DF, 30 de agosto de 2012. Secretaria de Transportes - DF PENSAR BRASÍLIA TRANSPORTE COLETIVO DO DF Ações do Governo Brasília/DF, 30 de agosto de 2012 GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL GOVERNO PARA O DISTRITO FEDERAL Postura de Estado. Visão > Eixo de Desenvolvimento

Leia mais

Projeto BRT. Projeto BRT Porto Alegre. Rede Atual de Transporte Coletivo Desenho Conceitual do BRT. ao Transmilenio. Abril

Projeto BRT. Projeto BRT Porto Alegre. Rede Atual de Transporte Coletivo Desenho Conceitual do BRT. ao Transmilenio. Abril Projeto BRT Porto Alegre Rede Atual de Transporte Coletivo Desenho Conceitual do BRT Projeto BRT Visita Técnica T ao Transmilenio Abril - 2010 Rede Atual de Transporte Coletivo Trem Metropolitano: (Dados

Leia mais

IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE

IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE 1 IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE AUDIÊNCIA PÚBLICA OUTRAS INFORMAÇÕES 2266-0369 SMTR www.rio.rj.gov.br 2589-0557 SMO Rio de Janeiro

Leia mais

SITUAÇÃO. Municípios do Projeto Trem Pé Vermelho. Melhoria da mobilidade metropolitana

SITUAÇÃO. Municípios do Projeto Trem Pé Vermelho. Melhoria da mobilidade metropolitana 1 SITUAÇÃO 2 SITUAÇÃO Melhoria da mobilidade metropolitana Diretrizes do Governo do PARANÁ, que deseja estruturar um eixo de desenvolvimento regional ligando estas duas metrópoles Cambé Ibiporã Rolândia

Leia mais

A RIOTRILHOS e a Expansão do Metrô no Rio de Janeiro

A RIOTRILHOS e a Expansão do Metrô no Rio de Janeiro A RIOTRILHOS e a Expansão do Metrô no Rio de Janeiro 9ª Semana de Tecnologia Metroviária AEAMESP - Setembro/2003 Alexandre José Farah Diretor Presidente A Empresa RIOTRILHOS Criada em maio de 2001, a Companhia

Leia mais

MODERNIZAÇÃO DO TREM METROPOLITANO

MODERNIZAÇÃO DO TREM METROPOLITANO COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS AEAMESP Associação dos Engenheiros e Arquitetos do Metrô de São Paulo 9ª SEMANA DE TECNOLOGIA METRO-FERROVIÁRIA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO DOS TRENS METROPOLITANOS

Leia mais

Melhoria da Mobilidade em Belo Horizonte. Projetos para a Copa 2014

Melhoria da Mobilidade em Belo Horizonte. Projetos para a Copa 2014 Melhoria da Mobilidade em Belo Horizonte Projetos para a Copa 2014 Indicadores da Mobilidade Urbana em BH Distribuição espacial da demanda de transporte Sistema Ônibus no Hipercentro % das linhas Ônibus/dia

Leia mais

EMPREENDIMENTO DO VLT

EMPREENDIMENTO DO VLT SIM da RMBS Sistema Integrado Metropolitano Voltado à prestação do serviço de transporte público coletivo na Região Metropolitana da Baixada Santista RMBS Comitê técnico II - Desenvolvimento Socioeconômico,

Leia mais

O MTUR e a Copa 2014 Copa do Mundo da FIFA 2014 Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro

O MTUR e a Copa 2014 Copa do Mundo da FIFA 2014 Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro Copa do Mundo da FIFA Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 2014 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro O MTUR e a Ponto de partida : garantias oferecidas pelo governo federal, estados e

Leia mais

TARIFA DO METRÔ DE SÃO PAULO

TARIFA DO METRÔ DE SÃO PAULO TARIFA DO METRÔ DE SÃO PAULO A COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO - METRÔ A Companhia do Metropolitano de São Paulo - Metrô foi constituída no dia 24 de abril de 1968; Hoje, o Metrô de São Paulo possui

Leia mais

AUTOMAÇÃO INTEGRAL NA MOVIMENTAÇÃO DE TRENS

AUTOMAÇÃO INTEGRAL NA MOVIMENTAÇÃO DE TRENS AUTOMAÇÃO INTEGRAL NA MOVIMENTAÇÃO DE TRENS Objetivo Tendência Mundial Obstáculos Pontos Positivos Disponibilidade Tecnológica Conclusões MOBILIDADE URBANA - MAIS METRÔ RECURSOS PARA IMPLANTAÇÃO EQUILÍBRIO

Leia mais

Objetivos Fundamentais do Sistema de Transporte Público de Passageiros

Objetivos Fundamentais do Sistema de Transporte Público de Passageiros Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos METROFOR TREM DO CARIRI SOLUÇÃO PARA O TRANSPORTE REGIONAL Objetivos Fundamentais do Sistema de Transporte Público de Passageiros Transporte público como

Leia mais

SIM Sistema Integrado Metropolitano da Baixada Santista maio/2014

SIM Sistema Integrado Metropolitano da Baixada Santista maio/2014 SIM Sistema Integrado Metropolitano da Baixada Santista maio/2014 1 Região Metropolitana da Baixada Santista RMBS 9 Municípios População fixa: 1,8 milhão de habitantes 1 População nas férias: cerca de

Leia mais

NEGÓCIOS NOS TRILHOS 2010

NEGÓCIOS NOS TRILHOS 2010 COMPANHIA CEARENSE DE TRANSPORTES METROPOLITANOS NEGÓCIOS NOS TRILHOS 2010 O PROJETO METROFOR O PROJETO METROFOR Linha Sul 24,1 km - 3,9 km Subterrâneo - 2,2 km Elevado - 18,0 km Superfície Linha de Carga

Leia mais

VISÕES DE FUTURO mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro

VISÕES DE FUTURO mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro 13/05/2015 VISÕES DE FUTURO mobilidade urbana na Região Metropolitana do Rio de Janeiro Divisão de Competitividade Industrial e Investimentos Gerência de Competitividade Industrial e Investimentos Diretoria

Leia mais

Projeto Século XXI Nov/2009

Projeto Século XXI Nov/2009 b Projeto Século XXI Nov/2009 Região Metropolitana do Rio de Janeiro Divisão Modal PDTU Ônibus 72% Trem 4% Metrô 5% Total Transporte Público - 9,46 MM Total Transporte Motorizado - 12,63 MM Total de Viagens

Leia mais

BRT NORTE SUL SISTEMAS ESTRUTURANTES DA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA

BRT NORTE SUL SISTEMAS ESTRUTURANTES DA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA BRT NORTE SUL SISTEMAS ESTRUTURANTES DA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA E METROPOLITANA DE TRANSPORTE COLETIVO RMTC A Região Metropolitana de Goiânia 1 PLANO DE NEGÓCIOS 18 Municípios Inhumas Nova Veneza

Leia mais

Companhia de Engenharia de Tráfego CET

Companhia de Engenharia de Tráfego CET Secretaria Municipal de Transporte SMT Sec e a a u cpa de a spo e S Companhia de Engenharia de Tráfego CET Anhanguera Bandeirantes Fernão Dias Presidente Dutra Ayrton Senna MAIRIPORÃ Castello Branco CAIEIRAS

Leia mais

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV PROJETO TAV BRASIL RIO SÃO PAULO - CAMPINAS

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV PROJETO TAV BRASIL RIO SÃO PAULO - CAMPINAS 18ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA Painel 7 - Trens Regionais e de Longo Percurso com Média e Alta Velocidade PROJETO TAV BRASIL RIO SÃO PAULO - CAMPINAS HÉLIO MAURO FRANÇA Superintendente Executivo

Leia mais

SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE

SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE Inicialmente, o que é BRT? O BRT (Bus Rapid Transit), ou Transporte Rápido por Ônibus, é um sistema de transporte coletivo de passageiros

Leia mais

SUPERVIA EM TRANSFORMAÇÃO

SUPERVIA EM TRANSFORMAÇÃO SUPERVIA EM TRANSFORMAÇÃO 1 SUPERVIA EM TRANSFORMAÇÃO Força trabalho 3.835 profissionais Frota atual Operacional: 163 Abrangência 12 Municípios Operação Pontualidade: > 92% Com ar condicionado: 59 270

Leia mais

Adaptação climática em megacidades: refletindo sobre impactos, demandas e capacidades de resposta de São Paulo

Adaptação climática em megacidades: refletindo sobre impactos, demandas e capacidades de resposta de São Paulo Adaptação climática em megacidades: refletindo sobre impactos, demandas e capacidades de resposta de São Paulo IAG/USP - OUTUBRO 2014 Mobilidade urbana: agenda ambiental LEI Nº 14.933, DE 5 DE JUNHO DE

Leia mais

CARTA COMPROMISSO ASSUNTOS DE INTERESSE CORPORATIVO

CARTA COMPROMISSO ASSUNTOS DE INTERESSE CORPORATIVO CARTA COMPROMISSO O SINDIURBANO-PR (Sindicato dos Trabalhadores em Urbanização do Estado do Paraná), o Sindicato mantém histórico de atuação em prol dos interesses, direitos e melhores condições de trabalho

Leia mais

PLANO DE TRANSPORTES E TRÂNSITO JOGOS PAN-AMERICANOS RIO a 29 de julho

PLANO DE TRANSPORTES E TRÂNSITO JOGOS PAN-AMERICANOS RIO a 29 de julho PLANO DE TRANSPORTES E TRÂNSITO JOGOS PAN-AMERICANOS RIO 2007 13 a 29 de julho FAMÍLIA PAN 5.500 atletas 2.000 árbitros 2.000 delegados 1.600 dirigentes 3.000 mídia FOCO ACESSO DE PÚBLICO 1.000.000 ingressos

Leia mais

TRENSURB. Marco Arildo Prates da Cunha Diretor Presidente

TRENSURB. Marco Arildo Prates da Cunha Diretor Presidente TRENSURB Marco Arildo Prates da Cunha Diretor Presidente TRENSURB Planejamento Estratégico Acordo de Gestão Projetos de Expansão Projetos de Modernização Projetos Comerciais Características Técnicas do

Leia mais

Implantação de um Projeto Metroviário e sua Complexidade

Implantação de um Projeto Metroviário e sua Complexidade A Contribuição dos Trilhos para a Mobilidade Implantação de um Projeto Metroviário e sua Complexidade Eng. Peter L. Alouche Consultor A Contribuição dos Trilhos para a Mobilidade 11 a 14 de setembro São

Leia mais

NOTURNO - Rede de ônibus para quem começa ou termina o dia na madrugada em São Paulo.

NOTURNO - Rede de ônibus para quem começa ou termina o dia na madrugada em São Paulo. NOTURNO - Rede de ônibus para quem começa ou termina o dia na madrugada em São Paulo. Maria Cristina F. Biondilo 1 ; Celia Regina Leite de Moraes 2 1 SPTrans - São Paulo Transporte S.A; DT - Diretoria

Leia mais

MALHA DE METRÔS E TRENS DE PASSAGEIROS PRECISA CRESCER 80%

MALHA DE METRÔS E TRENS DE PASSAGEIROS PRECISA CRESCER 80% MALHA DE METRÔS E TRENS PRECISA CRESCER 80% O Brasil precisa ampliar em pelo menos 850 km a malha de metrôs e trens de passageiros para modernizar o transporte urbano nas grandes cidades. Isso significa

Leia mais

X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação

X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação Jurandir Fernandes Secretário dos Transportes Metropolitanos Estado de São Paulo ANTP Rio de Janeiro, 12/03/2014 Rede metropolitana em andamento

Leia mais

CORREDOR METROPOLITANO VEREADOR BILÉO SOARES NOROESTE - RMC

CORREDOR METROPOLITANO VEREADOR BILÉO SOARES NOROESTE - RMC ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ÁREA DE ATUAÇÃO: ESTADO DE SÃO PAULO REGIÕES METROPOLITANAS A EMTU é Responsável pelo gerenciamento do transporte coletivo intermunicipal metropolitano RMC RMVP RMBS - 1,8 milhão

Leia mais

PTR Transporte Ferroviário e Transporte Aéreo. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

PTR Transporte Ferroviário e Transporte Aéreo. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PTR- 2501 Transporte Ferroviário e Transporte Aéreo 1/ 28 Rural Ridge, Bessemer & Lake Erie Railroad Prof. Dr. Telmo Giolito Porto PTR 2501 Transporte Ferroviário e Transporte Aéreo Ricardo Martins da

Leia mais

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária OBRAS DA LINHA 2 DO SISTEMA METROVIÁRIO SALVADOR E LAURO DE FREITAS Planejamento, concepção e impactos na capital baiana e na Região Metropolitana de Salvador Luís Valença Diretor-presidente da CCR Metrô

Leia mais

METRÔ DE SÃO PAULO EXPANSÃO ALBERTO EPIFANI Gerente de Planejamento e Expansão dos Transportes Metropolitanos - METRÔ

METRÔ DE SÃO PAULO EXPANSÃO ALBERTO EPIFANI Gerente de Planejamento e Expansão dos Transportes Metropolitanos - METRÔ METRÔ DE SÃO PAULO EXPANSÃO 2012-2030 ALBERTO EPIFANI Gerente de Planejamento e Expansão dos Transportes Metropolitanos - METRÔ SÃO PAULO 13//06/2012 Expansão 2012-2030 2 REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

Leia mais

Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas. nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística

Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas. nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas e desafios nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística Projetos e Programas de Investimentos para o Setor de Infraestrutura no Brasil

Leia mais

A INTEGRAÇÃO NOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DO BRASIL RESULTADO DA PESQUISA REALIZADA PELO GT INTEGRAÇÃO DA COMISSÃO METROFERROVIÁRIA DA ANTP

A INTEGRAÇÃO NOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DO BRASIL RESULTADO DA PESQUISA REALIZADA PELO GT INTEGRAÇÃO DA COMISSÃO METROFERROVIÁRIA DA ANTP A INTEGRAÇÃO NOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DO BRASIL RESULTADO DA PESQUISA REALIZADA PELO GT INTEGRAÇÃO DA COMISSÃO METROFERROVIÁRIA DA ANTP 1ª ETAPA A INTEGRAÇÃO NOS SISTEMAS METROFERROVIÁRIOS OPERADORAS

Leia mais

10ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROVIÁRIA 21 a 24 de setembro de 2004

10ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROVIÁRIA 21 a 24 de setembro de 2004 10ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROVIÁRIA 21 a 24 de setembro de 2004 AUTOMAÇÃO DE SUBESTAÇÕES: PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA SUPERVISÓRIO DE CARGA EM SUBESTAÇÕES RETIFICADORAS DE SISTEMAS DE TRANSPORTE

Leia mais

estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM

estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM novembro/2008 Região Metropolitana da Grande São Paulo 39 municípios 19,7 milhões

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana O Brasil vai continuar crescendo O Brasil vai continuar crescendo PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS MINISTÉRIO

Leia mais

Panorama do Setor Metroferroviário Brasileiro

Panorama do Setor Metroferroviário Brasileiro Panorama do Setor Metroferroviário Brasileiro JOÃO GOUVEIA Diretor Executivo da ANPTrilhos Palestra na Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro - SEAERJ 14 de Março de 2017 2

Leia mais

Serviços de Transporte Rodoviário Interestadual de Passageiros. Mobilidade Urbana

Serviços de Transporte Rodoviário Interestadual de Passageiros. Mobilidade Urbana Serviços de Transporte Rodoviário Interestadual de Passageiros Mobilidade Urbana Superintendência de Serviços de Transportes de Passageiros Gerência de Regulação e Outorga de Estrutura da Apresentação

Leia mais

Desenvolvimento do Modal Ferroviário FIESP

Desenvolvimento do Modal Ferroviário FIESP Desenvolvimento do Modal Ferroviário FIESP Julho/2015 Principais Investimentos da MRS em São Paulo Julho/2015 Para suportar o crescimento futuro a MRS vem realizando investimentos significativos como forma

Leia mais

SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico PROJETO DE MOBILIDADE URBANA 4 de Setembro de 2009

SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico PROJETO DE MOBILIDADE URBANA 4 de Setembro de 2009 SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico PROJETO DE MOBILIDADE URBANA 4 de Setembro de 2009 Agenda Crescimento de Manaus Seleção de solução de mobilidade urbana Oportunidade

Leia mais

SuperVia Concessionária de Transporte Ferroviário S.A. SUPERVIA

SuperVia Concessionária de Transporte Ferroviário S.A. SUPERVIA SuperVia Concessionária de Transporte Ferroviário S.A. SUPERVIA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO Maior taxa de urbanização do Brasil (99,3%) Maior índice de concentração populacional do Brasil (1.909,75

Leia mais

Inconsistência na estrutura de transporte público das cidades brasileiras

Inconsistência na estrutura de transporte público das cidades brasileiras Inconsistência na estrutura de transporte público das cidades brasileiras Por Mateus Araújo Maia A expansão do meio urbano tem sido um fator desafiador para que a mobilidade seja desenvolvida afim de que

Leia mais

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de Aula 22.

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de Aula 22. Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de 2017 Aula 22 Mobilidade urbana 22. Mobilidade urbana assuntos da aula a mobilidade urbana atualmente

Leia mais

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Brasília. Setembro/2013

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Brasília. Setembro/2013 CodeP1 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede: Brasília Setembro/2013 Brasília: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de Recursos CodeP2 Referência Set/13, Distribuição dos investimentos

Leia mais

Mapa dos Corredores Estruturais

Mapa dos Corredores Estruturais Mapa dos es Estruturais Industrial Umuarama Norte Oeste Dona Zulmira Central Leste Novo Mundo Planalto Sudoeste Jardins Sul Sudeste Santa Luzia Universitário Anéis Oeste Planalto Norte Dona Zulmira Sudoeste

Leia mais

Pesando a Metróple: CPTM e EMTU ampliam interligação e moblidade na Grande SP

Pesando a Metróple: CPTM e EMTU ampliam interligação e moblidade na Grande SP 1 GABINETE DO VEREADOR FLORIANO PESARO DATA: 10/09/2013 15 DISCURSO Pesando a Metróple: CPTM e EMTU ampliam interligação e moblidade na Grande SP Sr. Presidente da Câmara Municipal, srs. Vereadores, telespectadores

Leia mais

LICITAÇÃO DO SERVIÇO Transporte Coletivo Urbano CARUARU

LICITAÇÃO DO SERVIÇO Transporte Coletivo Urbano CARUARU LICITAÇÃO DO SERVIÇO Transporte Coletivo Urbano CARUARU O Serviço de Transporte O sistema possui atualmente 30 linhas cadastradas, operadas por 81 veículos, realizando 1.325 viagens nos dias úteis. Empresa

Leia mais

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Programa Paulista de Concessões Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Foz do Iguaçu, 13 de Maio de 2016 Sobre a ARTESP Criada pela Lei Complementar nº 914,

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO

PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO setembro 2014 Plano de Mobilidade Urbana de São Paulo Documentos de referência referências Plano Municipal de Circulação Viária e de Transporte - 2003 Consolidou

Leia mais

POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO Cidade de São Paulo. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO amplia o universo de análise, e rompe velhos paradigmas

POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO Cidade de São Paulo. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO amplia o universo de análise, e rompe velhos paradigmas POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO Cidade de São Paulo TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO amplia o universo de análise, e rompe velhos paradigmas POLÍTICA DE MOBILIDADE Cidade de São Paulo POLITICA DE MOBILIDADE -

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE Capítulo 1 INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE Tecnologia dos Transportes 2 SISTEMAS DE TRANSPORTE E SOCIEDADE De extrema importância para o desenvolvimento de uma sociedade O desenvolvimento está diretamente

Leia mais

Rio de Janeiro 12 e 13 de março de 2014

Rio de Janeiro 12 e 13 de março de 2014 Rio de Janeiro 12 e 13 de março de 2014 Linha do Tempo 1965 a 2003 Extinção da GEIPOT Lei 10.233 / 2001 Criação da EBTU lei nº 6.261 em 1975 Extinção da EBTU Dec. 230 / 1991 Estatuto da Cidade Lei nº 10.257

Leia mais

6 ECOINFRA - WORKSHOP ARQUEOLOGIA E EMPREENDIMENTOS DE INFRAESTRUTURA ARQUEOLOGIA NO METRÔ DE SÃO PAULO

6 ECOINFRA - WORKSHOP ARQUEOLOGIA E EMPREENDIMENTOS DE INFRAESTRUTURA ARQUEOLOGIA NO METRÔ DE SÃO PAULO 6 ECOINFRA - WORKSHOP ARQUEOLOGIA E EMPREENDIMENTOS DE INFRAESTRUTURA ARQUEOLOGIA NO METRÔ DE SÃO PAULO São Paulo, 25 de Maio de 2017 ARQUEOLOGIA NO METRÔ DE SÃO PAULO DADOS INSTITUCIONAIS DO METRÔ ESTRUTURA

Leia mais

- Metrovias - Buenos Aires (gabarito estreito) - CMSP Linha 5 e Santiago Linha 4 (gabarito médio) - CMSP e CMRJ - Carros Novos (gabarito largo)

- Metrovias - Buenos Aires (gabarito estreito) - CMSP Linha 5 e Santiago Linha 4 (gabarito médio) - CMSP e CMRJ - Carros Novos (gabarito largo) CUSTOS COMPARATIVOS ENTRE SISTEMAS DE TRANSPORTE Nestor S. Tupinambá set/2004 1 COMPARAÇÃO DOS DIFERENTES MODOS Vamos usar dados dos seguintes Metrôs - Metrovias - Buenos Aires (gabarito estreito) - CMSP

Leia mais

PCM Programa de Corredores Metropolitanos

PCM Programa de Corredores Metropolitanos PCM Programa de Corredores Metropolitanos 18ª Semana de Tecnologia Metroferroviária AEAMESP Ivan Carlos Regina Set/2012 Redes PCM de alta PROGRAMA e média capacidade DE CORREDORES METROPOLITANOS EMTU-PCM

Leia mais

Infraestrutura cicloviária em pontes e viadutos. O (des)caso da Ponte do Bragueto em Brasília

Infraestrutura cicloviária em pontes e viadutos. O (des)caso da Ponte do Bragueto em Brasília Infraestrutura cicloviária em pontes e viadutos O (des)caso da Ponte do Bragueto em Brasília PLANEJAMENTO CICLOVIÁRIO DO DF Histórico 1997... 2001... 2003 2004 2005 2006 2007 2008 BR CTB Estatuto da Cidade

Leia mais

COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017

COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017 COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017 A ANTP convida a todos os integrantes das entidades associadas, seus membros individuais e

Leia mais

Breve panorama da Mobilidade Urbana no Brasil - Investimentos. - Contexto - Investimentos - Imagens - Desafios

Breve panorama da Mobilidade Urbana no Brasil - Investimentos. - Contexto - Investimentos - Imagens - Desafios Breve panorama da Mobilidade Urbana no Brasil - Investimentos - Contexto - Investimentos - Imagens - Desafios -Transporte integrado ao desenvolvimento urbano. - Redução das deseconomias urbanas da circulação.

Leia mais

SÃO PAULO TRANSPORTE S.A.

SÃO PAULO TRANSPORTE S.A. SÃO PAULO TRANSPORTE S.A. Transporte Público: Origens, Evolução e Benefícios Sociais do Bilhete Único 05/04/2005 Antecedentes Bilhetagem Automática 1974: Metrô de São Paulo bilhete magnético Edmonson Seguem-se:

Leia mais

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S.

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. Duarte Objeto da pesquisa Relação entre adensamento, multifuncionalidade

Leia mais

Mobilidade Urbana: tendências e desafios Apresentador: Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho Pesquisador do IPEA.

Mobilidade Urbana: tendências e desafios Apresentador: Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho Pesquisador do IPEA. Brasilia, Novembro/2013 Mobilidade Urbana: tendências e desafios Apresentador: Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho Pesquisador do IPEA. Alterações do padrão de mobilidade urbana no Brasil Milhões de viagens/ano

Leia mais

USO DO SOLO E ADENSAMENTO AO LONGO DOS CORREDORES DE TRANSPORTE DE BELO HORIZONTE

USO DO SOLO E ADENSAMENTO AO LONGO DOS CORREDORES DE TRANSPORTE DE BELO HORIZONTE USO DO SOLO E ADENSAMENTO AO LONGO DOS CORREDORES DE TRANSPORTE DE BELO HORIZONTE Land use and densification along mass transit corridors in Belo Horizonte Daniel Freitas Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

22ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA CATEGORIA (3) em obras de expansão metroferroviária

22ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA CATEGORIA (3) em obras de expansão metroferroviária 22ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA 3º PRÊMIO TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO METROFERROVIÁRIOS CATEGORIA (3) Subestação Retificadora Flex e temporária, para os testes elétricos de trens, em obras de

Leia mais

Mobilidade urbana: tendências e desafios Apresentador: Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho Pesquisador do IPEA.

Mobilidade urbana: tendências e desafios Apresentador: Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho Pesquisador do IPEA. São Paulo, Novembro/2013 Mobilidade urbana: tendências e desafios Apresentador: Carlos Henrique Ribeiro de Carvalho Pesquisador do IPEA. Deslocamentos urbanos no Brasil: tendências recentes Fonte: Ipea

Leia mais

Mobilidade. Secretaria Municipal de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana. Prefeitura de Nova Iguaçu SEMTMU

Mobilidade. Secretaria Municipal de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana. Prefeitura de Nova Iguaçu SEMTMU Mobilidade Secretaria Municipal de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana Prefeitura de Nova Iguaçu Principais Ações Criação do Centro de Operações de Nova Iguaçu CONIG 76 câmeras Principais Ações Centralização

Leia mais

Eletrificação da Linha do Minho, entre Nine e Valença

Eletrificação da Linha do Minho, entre Nine e Valença REUNIÃO COM O EIXO ATLÂNTICO António Laranjo Presidente do Conselho de Administração Lisboa, 22 de setembro de 2016 ÍNDICE Valença Valença 01 OBJETIVOS 02 PLANEAMENTO E INVESTMENTO GLOBAL 03 PROGRAMAÇÃO

Leia mais

distrito federal DISTRITO FEDERAL 5º Balanço maio/setembro 2O12 O círculo virtuoso do desenvolvimento

distrito federal DISTRITO FEDERAL 5º Balanço maio/setembro 2O12 O círculo virtuoso do desenvolvimento DISTRITO FEDERAL distrito federal O círculo virtuoso do desenvolvimento 5º Balanço maio/setembro 2O12 Apresentação A segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) continua quebrando recordes.

Leia mais

19ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA TEMA SIMULAÇÃO ELÉTRICA DE TRAÇÃO FERROVIÁRIA

19ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA TEMA SIMULAÇÃO ELÉTRICA DE TRAÇÃO FERROVIÁRIA 19ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA TEMA SIMULAÇÃO ELÉTRICA DE TRAÇÃO FERROVIÁRIA TÍTULO ESTUDO DE CASO DE CARREGAMENTO DO SISTEMA ELÉTRICO DE TRAÇÃO DA LINHA 9 ESMERALDA OBJETIVO O objetivo do presente

Leia mais

Seminário Mobilidade Urbana IBRE- FGV 9 de novembro de 2014 Região Metropolitana de Salvador

Seminário Mobilidade Urbana IBRE- FGV 9 de novembro de 2014 Região Metropolitana de Salvador Seminário Mobilidade Urbana IBRE- FGV 9 de novembro de 2014 Região Metropolitana de Salvador Sandro Cabral Professor da Escola de Administração Universidade Federal da Bahia (UFBA) Francisco Ulisses Rocha

Leia mais

Comitê Gestor do PAC

Comitê Gestor do PAC DISTRITO FEDERAL Apresentação Esta publicação apresenta informações regionalizadas do 4º balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), referente a abril de 2008. Traz, também, dados sobre outros

Leia mais

MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

MUNICÍPIO DE SÃO PAULO REGIÃO METROPOLITANA DE SP 39 municípios 8.051 km 2 de área 0,1% do Brasil 20,0 milhões de habitantes 11% do Brasil U$ 261,6 bilhões / ano de PIB 19,1% do Brasil 8,8 milhões de empregos 5,2 milhões de

Leia mais

Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção

Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção A Urban Systems é uma empresa de Inteligência de Mercado e Soluções há 17 anos no mercado. Realizou mais de 700

Leia mais

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015 Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro Rio Metropolitano Jorge Arraes 09 de julho 2015 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas Em 2009, institucionalizou-se

Leia mais

Hoje, a linha 1 é totalmente em superfície, exceto em 3 túneis, dos quais apenas o de

Hoje, a linha 1 é totalmente em superfície, exceto em 3 túneis, dos quais apenas o de ! "# "# Sistema atual Hoje, a linha 1 é totalmente em superfície, exceto em 3 túneis, dos quais apenas o de Waldomiro Lobo com 600m de extensão possui cabo fendido. Os outros dois menores e são atendidos

Leia mais

RECURSOS E FONTES ALTERNATIVAS PARA O TRANSPORTE PÚBLICO SÔBRE TRILHOS

RECURSOS E FONTES ALTERNATIVAS PARA O TRANSPORTE PÚBLICO SÔBRE TRILHOS RECURSOS E FONTES ALTERNATIVAS PARA O TRANSPORTE PÚBLICO SÔBRE TRILHOS Criar soluções para suprir nossas necessidades 9a. SEMANA DE TECNOLOGIA METROVIÁRIA - AEAMESP POR QUE INVESTIR EM TRANSPORTE PÚBLICO?

Leia mais

30/08/2016 II Seminário de Integração Metropolitana do Transporte Coletivo SISTEMA DIRETO X SISTEMA TRONCO-ALIMENTADOR

30/08/2016 II Seminário de Integração Metropolitana do Transporte Coletivo SISTEMA DIRETO X SISTEMA TRONCO-ALIMENTADOR 30/08/2016 II Seminário de Integração Metropolitana do Transporte Coletivo SISTEMA DIRETO X SISTEMA TRONCO-ALIMENTADOR 30/08/2016 II Seminário de Integração Metropolitana do Transporte Coletivo Sistema

Leia mais

PLANO DE MITIGAÇÃO PERIMETRAL. Construção da nova Via Binário do Porto

PLANO DE MITIGAÇÃO PERIMETRAL. Construção da nova Via Binário do Porto PLANO DE MITIGAÇÃO PERIMETRAL Construção da nova Via Binário do Porto CRONOGRAMA 12/10 - sábado - Início da divulgação de medidas de redução de impacto sobre o trânsito Sinalização Incentivo ao uso de

Leia mais

ANÁLISE DO POTENCIAL DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS NA REGIÃO DE BAURU

ANÁLISE DO POTENCIAL DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS NA REGIÃO DE BAURU ANÁLISE DO POTENCIAL DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE PASSAGEIROS NA REGIÃO DE BAURU Eng. Thiago Teixeira de Castro Piovan Prof. Dr. Gustavo Garcia Manzato 23ª Semana de Tecnologia Metroferroviária AUTORES

Leia mais

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS DEZEMBRO 2013 DENSIDADE DE EMPREGOS ÁREA CENTRAL Plano Diretor 2013 Referências Trata da política de transporte e mobilidade urbana integrada com

Leia mais

Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade

Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade 1 Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade Fernando Soares dos Santos (*) O planejamento das cidades para as próximas décadas passa, necessariamente,

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE PORTO MARAVILHA

PLANO DE MOBILIDADE PORTO MARAVILHA PLANO DE MOBILIDADE PORTO MARAVILHA CRONOGRAMA 12/10 sábado - Início da divulgação de medidas de redução de impacto sobre o trânsito Sinalização Incentivo ao uso de rotas alternativas Campanha para incentivo

Leia mais