PENSAR BRASÍLIA. TRANSPORTE COLETIVO DO DF Ações do Governo. Brasília/DF, 30 de agosto de Secretaria de Transportes - DF

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PENSAR BRASÍLIA. TRANSPORTE COLETIVO DO DF Ações do Governo. Brasília/DF, 30 de agosto de 2012. Secretaria de Transportes - DF"

Transcrição

1

2 PENSAR BRASÍLIA TRANSPORTE COLETIVO DO DF Ações do Governo Brasília/DF, 30 de agosto de 2012 GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL

3 GOVERNO PARA O DISTRITO FEDERAL Postura de Estado. Visão > Eixo de Desenvolvimento Social, Econômico e Urbano. Ações Republicanas. Transparência nas ações do Governo.

4 CARACTERIZAÇÃO - DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOS DO ENTORNO PRÓXIMO Governo do Distrito Federal Planaltina De Goiás Formosa Águas Lindas Distrito Federal Sto. Ant. do Descoberto Novo Gama Valparaíso Cidade Ocidental Luziânia População do Entorno próximo População do Distrito Federal População Total Fonte: Pesquisa Domiciliar Origem/Destino 2009 (dados preliminares) PDTU/DF

5 POPULAÇÃO E EMPREGO NO DF Movimentação diária de pessoas no Plano Piloto ( hab.) é cerca de 6 vezes a sua população = pessoas/dia. Fonte: Pesquisa O/D PDTU/2009

6 AÇÕES DO GOVERNO PARA O DISTRITO FEDERAL Governo do Distrito Federal

7 Governo do Distrito Federal TRANSPORTE URBANO - SITUAÇÃO ATUAL Falta de integração operacional e tarifária; Elevados intervalos entre as viagens; Acessibilidade limitada para o usuário; Superposição de linhas / baixa produtividade; Falta de prioridade para o transporte coletivo; Terminais e pontos de parada problemas de conforto, manutenção, acessibilidade, informação ao usuário; Frota idade elevada, baixa qualidade, perfil inadequado; Contratos de delegação em caráter precário; Gestão - problemas: planejamento, dados operacionais, controle e fiscalização no Distrito Federal e Entorno.

8 Governo do Distrito Federal MODOS NÃO MOTORIZADOS - SITUAÇÃO ATUAL 37% das mortes em acidentes de trânsito no Distrito Federal ocorrem com pedestres e ciclistas, representando 1/3 do total de acidentes; Ausência de calçadas e de rede cicloviária; Falta de padronização das calçadas; Ocupação irregular das calçadas; Problemas de acessibilidade no espaço urbano vias, calçadas, terminais, edificações e equipamentos urbanos; Travessias perigosas em rodovias e vias.

9 Governo do Distrito Federal SITUAÇÃO ATUAL - TRÂNSITO E SISTEMA VIÁRIO Elevados acidentes; índices de ocorrência de Corredores congestionados na hora de pico; Infraestrutura viária problemas localizados no Distrito Federal (pontos críticos); Desequilíbrio entre a demanda e a oferta de áreas de estacionamento; Práticas irregulares de estacionamento e carga e descarga; Interdição ou ocupação não autorizada da via; Impacto dos polos geradores de tráfego.

10 Simulação PDTU Situação em 2010 Governo do Distrito Federal

11 Simulação PDTU Situação em 2020, SE NADA FOR FEITO

12 AÇÕES INSTITUCIONAIS EMPREENDIDAS

13 AÇÕES INSTITUCIONAIS EMPREENDIDAS Governo do Distrito Federal Aprovação do PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE URBANO E MOBILIDADE DO DISTRITO FEDERAL PDTU/DF (Lei nº 4.566, de ) instrumento de planejamento que define as diretrizes e as políticas estratégicas para a gestão dos transportes urbanos no DF e entorno. O PDTU está em sintonia com o: -Estatuto da Cidade (Lei Federal nº /2001, que estabelece diretrizes gerais da política urbana e determina que toda cidade com mais de 500 mil habitantes elabore. seu Plano Diretor de Transporte Urbano e Mobilidade PDTU e; - Política Nacional de Mobilidade Urbana, LEI FEDERAL Nº /2012, que Prioriza os projetos de transporte público coletivo estruturadores e indutores de desenvolvimento urbano integrado e prioriza o transporte público coletivo sobre o transporte individual motorizado.

14 AÇÕES INSTITUCIONAIS EMPREENDIDAS Governo do Distrito Federal Retomada da gestão do Sistema de Bilhetagem Eletrônica SBA pelo Governo do DF, dando a transparência necessária ao serviço SBA/DFTRANS; Nova concepção operacional - serviços diretos e serviços tronco/alimentadores Novo Modelo do STPC/DF. Audiência Pública para debater o novo modelo de concessão dos serviços do Sistema de Transporte Público Coletivo do Distrito Federal STPC/DF; Readequação normativa do serviço básico de transporte; Licitação do Novo Modelo de Concessão por lotes (bacias) do Serviço Básico Rodoviário do Sistema de Transporte Público Coletivo do Distrito Federal STPC/DF.

15 CONCEITO DO SISTEMA INTREGADO DE MOBILIDADE DO DISTRITO FEDERAL SIM/DF O Sistema Integrado de Mobilidade SIM é um marco conceitual que estabelece novas diretrizes relativas à melhoria do transporte urbano do Distrito Federal.

16 DIRETRIZES SISTEMA INTEGRADO DE MOBILIDADE DO DF As ações desenvolvidas para a área de transportes no DF devem estar em consonância com os conceitos do SIM: - integração das políticas urbanas e de transporte do DF; - priorização do transporte público coletivo e dos modos não motorizados, visando o desenvolvimento sustentável; - instituição do sistema integrado de transporte; - melhoria da mobilidade dos cidadãos e segurança de tráfego (pedestres, ciclistas e motoristas); - acessibilidade universal; - adoção de novas tecnologias de transporte coletivo; - modernização dos sistemas de controle de oferta e demanda; - elaboração de projetos de infraestrutura de apoio compatíveis com as necessidades da população; - modernização dos processos de Gestão do STPC/DF

17 AÇÕES - TRANSPORTE COLETIVO CURTO PRAZO Revisão Programação Operacional; Governo do Distrito Federal Recuperação física e construção de terminais e pontos de parada; Definição e implementação de ações de controle e fiscalização; Melhoria da qualidade dos dados, voltados ao apoio à Gestão do STPC/DF; Adoção de mecanismos de comunicação com o usuário; Regularização dos contratos, com licitação do Novo Modelo de Transportes; Implantação de tratamento prioritário para o TC faixas prioritárias/exclusivas. MÉDIO E LONGO PRAZO Consolidação do sistema estrutural de transporte coletivo; Implementação da integração operacional e tarifária; Qualificação da frota, terminais, estações e pontos de parada; Fortalecimento da gestão novo arranjo institucional; CCO - Sistemas de controle centralizado da operação com regularização dos serviços, imagens online, fiscalização e tempos de viagem.

18 LOCALIZAÇÃO DAS INTERVENÇÕES PROPOSTAS PARA O TRANSPORTE COLETIVO

19 AÇÕES - TRÂNSITO E SISTEMA VIÁRIO CURTO PRAZO Gerência com ênfase na operação e na segurança de trânsito; Rearranjo de áreas públicas de estacionamento; Governo do Distrito Federal Controle e fiscalização de estacionamentos e de operações de carga e descarga; Implantação de faixa preferencial para ônibus; Identificação e tratamento de gargalos operacionais. MÉDIO E LONGO PRAZO Consolidação de sistema arterial de alta capacidade; Eliminação de descontinuidades e gargalos no sistema viário; Elaboração de Planos de Mobilidade Locais; Política de Estacionamento; Política de Segurança de Trânsito; Plano de Movimentação de Cargas Perigosas; Fortalecimento da Capacidade de Gestão do Trânsito e do Sistema Viário.

20 AÇÕES - TRANSPORTE NÃO MOTORIZADO Implantação e manutenção de calçadas, passarelas e faixas de pedestres; Identificação e tratamento de pontos críticos de acidentes envolvendo pedestres e ciclistas; Expansão e manutenção da rede cicloviária; Adoção de padrões apropriados de acessibilidade nos edifícios com acesso público, terminais e espaço urbano; Promoção do respeito ao pedestre e ao ciclista.

21 AÇÕES INSTITUCIONAIS EMPREENDIDAS NOVO MODELO DE CONCESSÃO DO STPC/DF

22 NOVO MODELO DE CONCESSÃO DO STPC/DF Concessão para Prestação e Exploração de Serviço Básico Rodoviário do Sistema de Transporte Público Coletivo do Distrito Federal STPC/DF por área geográfica (também denominada bacia).

23 NOVO MODELO DE CONCESSÃO - Definição dos Lotes (Bacias) Para o modelo da concessão por lotes (bacias) foi adotado as seguintes características: Evitar a concentração de mais de 25% do sistema operado por um mesma concessionária; Cada lote (bacia) está localizado em áreas homogêneas sem descontinuidade física considerável; Os serviços compartilhados entre lotes (bacias) possuem oferta distribuída proporcionalmente entre os respectivos operadores, sendo tal premissa regulamentada nos contratos de concessão para adoção no caso de criação de novas linhas ou modificação em linhas existentes, durante a concessão.

24 NOVO MODELO DE CONCESSÃO DO STPC/DF -LOTES (BACIA) BACIA 1 Norte 2 Sudeste 3 Sudoeste 4 Centro-Oeste 5 Noroeste REGIÕES ATENDIDAS Parque Nacional de Brasília, Sobradinho, Sobradinho II, Varjão, Lago Norte, Planaltina, Plano Piloto, Cruzeiro, Sudoeste/Octogonal Itapoã, Paranoá, Jardim Botânico, São Sebastião, Lago Sul, Candangolândia, Parkway, Santa Maria, Gama Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo, Riacho Fundo II, Recanto das Emas, Samambaia Guará, Parkway, Águas Claras, Ceilândia (ao Sul da Av. Hélio Prates), Taguatinga, (ao Sul da QNG11) SIA, SCIA, Vicente Pires, Ceilândia (ao Norte da Av. Hélio Prates), Taguatinga (ao Norte da QNG11), Brazlândia

25 NOVO MODELO DE INTEGRAÇÃO - EDITAL - Durante a concessão, o DF, caso venha a implantar novos modais de transporte, com a utilização de distinta tecnologia de material rodante, diverso do modo rodoviário, como trem, metrô ou similares, poderá ser reduzido o objeto das concessões ora licitadas, observados os limites legais, sem que disso resulte qualquer direito à indenização às CONCESSIONÁRIAS, ressalvados os ressarcimentos do saldo residual de bens que sejam definidos como reversíveis. - Nesses caso, será realizada a revisão das tarifas técnicas, para manutenção da equação econômico-financeira dos contratos, utilizando-se como parâmetro a preservação da Taxa Interna de Retorno de Investimento prevista nas planilhas de fluxo de caixa das propostas vencedoras da licitação, excluído qualquer provisionamento de lucros.

26 NOVO MODELO DE INTEGRAÇÃO - ABERTA E TEMPORAL A composição de um sistema integrado de transportes, com serviços tronco alimentados e terminais de integração possibilitará a racionalização da operação do serviço, com melhor aproveitamento da frota e redução de custos operacionais TI Norte Linhas roncai TI Rodoviária PP Rede distribuidora TI Sul Rede distribuidora

27 NOVO MODELO DE CONCESSÃO - ESTRUTURA TARIFÁRIO TARIFA USUÁRIO: valor ou valores diferenciados de Tarifa decretados pelo Governador DF para utilização do Serviço Básico Rodoviário do Sistema de Transporte Público Coletivo, os quais, relacionados ao número total de usuários pagantes de cada perfil tarifário e acrescidos do repasse de SUBSÍDIO e de outras eventuais fontes de receitas acessórias, devem propiciar a arrecadação de receita que assegure a remuneração das concessionárias pelas suas respectivas tarifas técnicas, para cada PASSAGEIRO PAGANTE TRANSPORTADO. TARIFA TÉCNICA: valor, por PASSAGEIRO PAGANTE TRANSPORTADO, proposto pelas LICITANTES, que servirá de parâmetro para a remuneração da concessão e manutenção do equilíbrio econômicofinanceiro do CONTRATO, observadas as condições de reajuste e revisão definidas no CONTRATO DE CONCESSÃO.

28 NOVO MODELO DE CONCESSÃO - ESTRUTURA TARIFÁRIO Para o Sistema Integrado de Transportes SIT/DF foram definidos três níveis tarifários (para os usuários) e três níveis de integração: Níveis tarifários: T1: Tarifa Usuário 1 (menor valor): Alimentador Intersetores Perimetral Curta T2: Tarifa Usuário 2 (valor intermediário): Troncal Curta T3: Tarifa Usuário 3 (maior valor): Perimetral Longa Troncal Longa Metrô Serão permitidos até dois transbordos dentro do período de duas horas, não sendo permitido uso para viagens de ida e volta.

29 NOVO MODELO DE CONCESSÃO - FROTA Miniônibus Vida útil: 7 (sete) anos (mínimo 20 passageiros sentados) Midiônibus Vida útil: 7 (sete) anos (mínimo de 25 passageiros sentados) Ônibus Básico Vida útil: 7 (sete) anos (mínimo de 35 passageiros sentados) Ônibus Padron Vida útil: 10 (dez) anos (mínimo de 35 passageiros sentados) Ônibus Articulado Vida útil: 10 (dez) anos (mínimo de 40 passageiros sentados) Ônibus Biarticulado Vida útil: 10 (dez) anos (mínimo de 60 passageiros sentados) Ônibus Articulado Ônibus Padron Governo do Distrito Federal Ônibus Biarticulado

30 NOVO MODELO DE CONCESSÃO - Tecnológicas Governo do Distrito Federal

31 AÇÕES DE INFRAESTRUTURAS EM IMPLEMENTAÇÃO - RODOVIÁRIA RODOVIÁRIO : - Eixo Sul BRT Gama/Santa Maria Plano Piloto - Eixo Oeste EPTG/Comercial/Samdu/Hélio Prates - Eixo Norte Planaltina/Sobradinho - Plano Piloto - Faixa preferencial de ônibus (W3 Sul/Norte, EPNB e ESPM)

32 PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO - PAC DA MOBILIDADE Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade, do Ministério das Cidades. GDF poderá ter acesso aos R$ 2,4 bilhões para: Corredor Eixo Sul Veículo Leve sob Pneus - VLP (Gama/Santa Maria/ Park Way/Plano Piloto). Corredor Eixo Oeste - conclusão do Plano de Transporte Urbano PTU/DF Av. Hélio Prates, Comercial, Samdu, EIG, ESPM, Túnel na Av. Central Taguatinga, Ligação Av. Hélio Prates ao Sol Nascente e a ciclovia da EPTG. Modernização e expansão do Metrô para Asa Norte (HRAN), Ceilândia e Samambaia;

33 EIXO SUL Mapa de Localização Governo do Distrito Federal TERMINAL PREVISTO NO PTU

34 EIXO SUL - Estação de Embarque

35 EIXO SUL - Estação de Embarque

36 EIXO SUL - Estação de Embarque

37 EIXO SUL - Estação de Embarque

38 EIXO OESTE MAPA DE LOCALIZAÇÃO

39 EIXO OESTE Relatório Fotográfico Antes/Depois Av. Hélio Prates

40 EIXO OESTE Relatório Fotográfico Antes/Depois Av. SAMDU

41 EIXO OESTE Relatório Fotográfico Antes/Depois Av. Comercial

42 Túnel sob a Avenida Central em Taguatinga

43 Túnel sob a Avenida Central em Taguatinga Túnel sob a Avenida Central em Taguatinga

44 EIXO NORTE MAPA DE LOCALIZAÇÃO Corredor Eixo Norte: (Planaltina/Sobradinho/Plano Piloto)

45 EIXO NORTE BR-020 SENTIDO PLANO PILOTO SENTIDO PLANALTINA

46 AÇÕES DE INFRAESTRUTURAS EM IMPLEMENTAÇÃO - FERROVIÁRIAS FERROVIÁRIA - Expansão e Modernização do Metrô Ceilândia/Samambaia/Asa Norte - Implantação do Metro Leve sobre Trilho VLT (Aeroporto/W3 Sul/Norte e Eixo Monumental/Sudoeste/Cruzeiro)

47 EXPANSÃO E MODERNIZAÇÃO DO METRÔ MAPA DE LOCALIZAÇÃO

48 EXPANSÃO E MODERNIZAÇÃO DO METRÔ Expansão Asa Norte

49 EXPANSÃO E MODERNIZAÇÃO DO METRÔ Expansão Asa Norte

50 EXPANSÃO E MODERNIZAÇÃO DO METRÔ Expansão Samambaia

51 EXPANSÃO E MODERNIZAÇÃO DO METRÔ Expansão Samambaia

52 EXPANSÃO E MODERNIZAÇÃO DO METRÔ Expansão Ceilândia

53 EXPANSÃO E MODERNIZAÇÃO DO METRÔ Expansão Ceilândia

54 EXPANSÃO E MODERNIZAÇÃO DO METRÔ Expansão Ceilândia Escada Rolante Paraciclos Piso Tátil Rampas de acesso

55 AÇÕES DE INFRAESTRUTURAS EM IMPLEMENTAÇÃO - VALORES Proposta Valor Repasse (OGU) (R$ mil) Contrapartida (R$ mil) Financiament o (R$ mil) Total do Investimento (R$ mil) EIXO SUL , , , ,42 EIXO OESTE , , , ,61 EIXO NORTE , , , ,00 Expansão do Metro , , , ,25 TOTAL , , , ,28

56 METRO LEVE SOBRE TRILHO VLT Lago Norte TAN Taguatinga SIA TAS ROD. PP Brasília Metrô Leve (VLT) ligando o Aeroporto JK ao Terminal da Asa Norte via W3; Ceilândia Samambaia Guará N.Band. Lago Sul Metrô Leve (VLT) ligando a Esplanada dos Ministérios à Rodoferroviária e ao SIA via Sudoeste e Octogonal; Recanto das Emas

57 METRO LEVE SOBRE TRILHO VLT

58 AÇÕES DE INFRAESTRUTURAS EM IMPLEMENTAÇÃO - SISTEMA VIÁRIO SISTEMA VIÁRIO - Recuperação e melhoria de rodovias 50 km/ano; - Implantação de Política de Segurança no trânsito.

59 AÇÕES DE INFRAESTRUTURAS EM IMPLEMENTAÇÃO TRANSPORTE NÃO MOTORIZADO

60 CICLOVIAS MAPA DE LOCALIZAÇÃO BR-020

61 CICLOVIAS EM CONSTRUÇÃO Cidade Via Extensão Ceilândia QNM 26 8 km Gama Avenida Contorno 25 km Asa Sul Quadras 200, 400 e km Asa Norte Quadras 211 e km UnB Quadra km Guará Em fase de demarcação 5,7 km Paranoá Avenida Principal 3 km

62 AÇÕES DE INFRAESTRUTURAS EM IMPLEMENTAÇÃO - Infraestrutura de Apoio INFRAESTRUTURA DE APOIO - Construção de terminal de integração (Asa Norte, Park Way,) - Construção de terminais de ônibus - Reforma de terminais de ônibus - Licitação para construção de 700 abrigo de ônibus - Placa de endereçamento e indicação viária

63 TERMINAL INTEGRAÇÃO PARK WAY MAPA DE LOCALIZAÇÃO TERMINAL INTEGRAÇÃO PARK WAY

64 TERMINAL INTEGRAÇÃO PARK WAY Descrição da Proposta Objetivo Governo do Distrito Federal Importante terminal para a integração das linhas que vêm do Eixo Sudoeste (Guará, Riacho Fundo, Núcleo Bandeirante), do Eixo Sul (Gama e Santa Maria) e dos municípios do entorno, com destino ao Eixo Leste (Lago Sul, Lago Norte, Paranoá e Aeroporto). Compõe o Projeto Eixo Sul e foi recentemente, incluído no PAC da Mobilidade. Características Integração de linhas alimentadoras e troncais; Integração aberta e temporal; Partido arquitetônico procura integrar entorno imediato Park Way, Metropolitana e Vargem Bonita.

65 TERMINAL INTEGRAÇÃO PARK WAY

66 AÇÕES DE INFRAESTRUTURAS EM IMPLEMENTAÇÃO - Infraestrutura de Apoio

67 AÇÕES DE INFRAESTRUTURAS EM IMPLEMENTAÇÃO - Infraestrutura de Apoio Terminal do Setor O

68 AÇÕES DE INFRAESTRUTURAS EM IMPLEMENTAÇÃO - Infraestrutura de Apoio Setor O Norte

69 AÇÕES DE INFRAESTRUTURAS EM IMPLEMENTAÇÃO - Infraestrutura de Apoio Projeto do Terminal Rodoviário de Santa Maria

70 AÇÕES DE INFRAESTRUTURAS EM IMPLEMENTAÇÃO - Infraestrutura de Apoio Setor P Sul

71 Implantação de pontos de paradas de ônibus Governo do Distrito Federal AÇÕES DE INFRAESTRUTURAS EM IMPLEMENTAÇÃO - Infraestrutura de Apoio

72 AÇÕES DE INFRAESTRUTURAS EM IMPLEMENTAÇÃO - Infraestrutura de Apoio Abrigo de ônibus

73 AÇÕES VOLTADAS AO FORTALECIMENTO INSTITUCIONAL

74 TRANSPORTE COLETIVO DO DF Ações do Governo OBRIGADO GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL

Brasília - Brasil Maio de 2006

Brasília - Brasil Maio de 2006 Brasília - Brasil Maio de 2006 Diagnóstico Início Diagnóstico Objetivos do Programa Intervenções Propostas Avanço das Atividades Tratamento Viário Diagnóstico Início Diagnóstico Objetivos do Programa Intervenções

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA PROJETOS DE INFRAESTRUTURA

AUDIÊNCIA PÚBLICA PROJETOS DE INFRAESTRUTURA AUDIÊNCIA PÚBLICA PROJETOS DE INFRAESTRUTURA Junho/2015 O que é BRT? O que é BRT? 1) Faixas ou vias separadas e exclusivas Guangzhou (China) O que é BRT? 2) Tratamento prioritário nas interseções Cidade

Leia mais

SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE

SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE Inicialmente, o que é BRT? O BRT (Bus Rapid Transit), ou Transporte Rápido por Ônibus, é um sistema de transporte coletivo de passageiros

Leia mais

Mobilidade Sustentável para um Brasil Competitivo. Otávio Vieira Cunha Filho Brasília, 28 de Agosto de 2013

Mobilidade Sustentável para um Brasil Competitivo. Otávio Vieira Cunha Filho Brasília, 28 de Agosto de 2013 Mobilidade Sustentável para um Brasil Competitivo Otávio Vieira Cunha Filho Brasília, 28 de Agosto de 2013 Estrutura da Apresentação 1. Contexto 1.1. Situação atual da Mobilidade Urbana; 1.2. Manifestações:

Leia mais

BACIA. Diagnóstico da Operação do Transporte Público de Brasília/DF. PPGT - UnB Programa de Pós-Graduação em Transportes Universidade de Brasília

BACIA. Diagnóstico da Operação do Transporte Público de Brasília/DF. PPGT - UnB Programa de Pós-Graduação em Transportes Universidade de Brasília Diagnóstico da Operação do Transporte Público de Brasília/DF BACIA 5 Priscila Hoehr Mostardeiro Rauenya Silva Rosângela de Fátima Benete Crozue www.transportes.unb.br Sumário 1. Delimitação do Objeto do

Leia mais

URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. Av. Presidente Affonso Camargo, 330 CEP 80060-090 Curitiba PR E-mail: urbs.curitiba@avalon.sul.com.

URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. Av. Presidente Affonso Camargo, 330 CEP 80060-090 Curitiba PR E-mail: urbs.curitiba@avalon.sul.com. URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. Av. Presidente Affonso Camargo, 330 CEP 80060-090 Curitiba PR E-mail: urbs.curitiba@avalon.sul.com.br Tel: 55-41-320 3232 Fax: 55-41-232 9475 PLANEJAMENTO, GERENCIAMENTO E

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO

PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE SÃO PAULO setembro 2014 Plano de Mobilidade Urbana de São Paulo Documentos de referência referências Plano Municipal de Circulação Viária e de Transporte - 2003 Consolidou

Leia mais

BRT NORTE SUL SISTEMAS ESTRUTURANTES DA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA

BRT NORTE SUL SISTEMAS ESTRUTURANTES DA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA BRT NORTE SUL SISTEMAS ESTRUTURANTES DA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA E METROPOLITANA DE TRANSPORTE COLETIVO RMTC A Região Metropolitana de Goiânia 1 PLANO DE NEGÓCIOS 18 Municípios Inhumas Nova Veneza

Leia mais

PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE. Jilmar Tatto. Secretário municipal de transportes

PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE. Jilmar Tatto. Secretário municipal de transportes PAINEL 1 GERENCIAMENTO DA DEMANDA NO TRANSPORTE Jilmar Tatto Secretário municipal de transportes GERENCIAMENTO DA DEMANDA DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE URBANA E TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO SÃO PAULO

Leia mais

Companhia do Metropolitano do Distrito Federal. Audiência Pública

Companhia do Metropolitano do Distrito Federal. Audiência Pública Companhia do Metropolitano do Distrito Federal Audiência Pública Expansão da Linha I do Metrô-DF (Samambaia, Ceilândia e Asa Norte) e modernização do sistema Objetivo da Audiência Pública Dar início aos

Leia mais

PERFIL DA DISTRIBUIÇÃO DOS POSTOS DE TRABALHO NO DISTRITO FEDERAL: CONCENTRAÇÃO NO PLANO PILOTO E DEFICITS NAS CIDADES-DORMITÓRIO

PERFIL DA DISTRIBUIÇÃO DOS POSTOS DE TRABALHO NO DISTRITO FEDERAL: CONCENTRAÇÃO NO PLANO PILOTO E DEFICITS NAS CIDADES-DORMITÓRIO COMPANHIA DE PLANEJAMENTO DO DISTRITO FEDERAL CODEPLAN PERFIL DA DISTRIBUIÇÃO DOS POSTOS DE TRABALHO NO DISTRITO FEDERAL: CONCENTRAÇÃO NO PLANO PILOTO E DEFICITS NAS CIDADES-DORMITÓRIO Júlio Miragaya Brasília,

Leia mais

Metrô Leve de Goiânia. Projeto Modelo para Cidades Brasileiras

Metrô Leve de Goiânia. Projeto Modelo para Cidades Brasileiras Metrô Leve de Goiânia Projeto Modelo para Cidades Brasileiras 1 Projeto modelo para cidades médias 1. Estrutura Institucional Pacto Metropolitano instituindo órgão gestor do transporte coletivo na região

Leia mais

Cód.: / Vaga: 1/Aguas Claras / Sem.: 1º ao 2º / Período: 8h às 12h / Bolsa: R$ 369,93+benefícios / Requisitos: Windows, Word, Excel e internet.

Cód.: / Vaga: 1/Aguas Claras / Sem.: 1º ao 2º / Período: 8h às 12h / Bolsa: R$ 369,93+benefícios / Requisitos: Windows, Word, Excel e internet. VAGAS PARA ESTÁGIO - ESTUDANTES MENOR APRENDIZ diversas Empresas e Órgãos públicos- Total: 37 vagas Cód.: 1593926/ Vaga: 1/Aguas Claras / Sem.: 1º ao 2º / Período: 8h às 12h / Bolsa: R$ Cód.: 1596144 /

Leia mais

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo As Cidades mudaram População mudou A Economia mudou Os Meios de Transportes mudaram E nós? Ainda pensamos igual ao passado? Em TRANSPORTE COLETIVO chega-se ao

Leia mais

De olho no futuro: como estará Brasília daqui a 25 anos?

De olho no futuro: como estará Brasília daqui a 25 anos? De olho no futuro: como estará Brasília daqui a 25 anos? Painel 1 Mobilidade Urbana: o planejamento de Brasília para os próximos 25 anos Novembro/2013 Distrito Federal e Entorno Planaltina De Goiás Formosa

Leia mais

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 Frota antiga e tecnologia obsoleta; Serviço irregular de vans operando em todo o DF 850 veículos; Ausência de integração entre os modos e serviços; Dispersão das linhas;

Leia mais

Acessibilidade e Mobilidade ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE

Acessibilidade e Mobilidade ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE O Transporte começa quando você sai de Casa A Acessibilidade começa em Casa E o Transporte e a Acessibilidade se encontram ao sair de Casa BARREIRAS URBANAS Calçadas Ruas Passarelas

Leia mais

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009

São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 1 São Paulo 27 DE AGOSTO DE 2009 Sistema Integrado Metropolitano SIM e do Veículo Leve sobre Trilhos VLT (Metrô Leve) 2 Secretaria dos Transportes Metropolitanos STM Três

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL, agora começa uma nova fase empreendedora para você! Você já deu um grande passo para melhorar o seu negócio. E agora, com o Passaporte do Empreendedor, você poderá usufruir de

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana O Brasil vai continuar crescendo O Brasil vai continuar crescendo PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS MINISTÉRIO

Leia mais

Adaptação climática em megacidades: refletindo sobre impactos, demandas e capacidades de resposta de São Paulo

Adaptação climática em megacidades: refletindo sobre impactos, demandas e capacidades de resposta de São Paulo Adaptação climática em megacidades: refletindo sobre impactos, demandas e capacidades de resposta de São Paulo IAG/USP - OUTUBRO 2014 Mobilidade urbana: agenda ambiental LEI Nº 14.933, DE 5 DE JUNHO DE

Leia mais

Breve panorama da Mobilidade Urbana no Brasil - Investimentos. - Contexto - Investimentos - Imagens - Desafios

Breve panorama da Mobilidade Urbana no Brasil - Investimentos. - Contexto - Investimentos - Imagens - Desafios Breve panorama da Mobilidade Urbana no Brasil - Investimentos - Contexto - Investimentos - Imagens - Desafios -Transporte integrado ao desenvolvimento urbano. - Redução das deseconomias urbanas da circulação.

Leia mais

PCM Programa de Corredores Metropolitanos

PCM Programa de Corredores Metropolitanos PCM Programa de Corredores Metropolitanos 18ª Semana de Tecnologia Metroferroviária AEAMESP Ivan Carlos Regina Set/2012 Redes PCM de alta PROGRAMA e média capacidade DE CORREDORES METROPOLITANOS EMTU-PCM

Leia mais

Mobilidade Urbana no Brasil. J. R. Generoso Secretário Nacional de Mobilidade Urbana

Mobilidade Urbana no Brasil. J. R. Generoso Secretário Nacional de Mobilidade Urbana Mobilidade Urbana no Brasil J. R. Generoso Secretário Nacional de Mobilidade Urbana Ministério das Cidades MINISTÉRIO DAS CIDADES Conselho das Cidades Secretaria Executiva CBTU Companhia Brasileira de

Leia mais

ortland: Uma Cidade de Intenções Papel de Planejamento e Operações Metropolitanos de Transportes

ortland: Uma Cidade de Intenções Papel de Planejamento e Operações Metropolitanos de Transportes ortland: Uma Cidade de Intenções Papel de Planejamento e Operações Metropolitanos de Transportes Desde mais que 100 anos atrás, transportes não automobilísticos são importantes no desenvolvimento de Portland

Leia mais

Como ficará a Lei 14.266/07 com as modificações do Substitutivo da Comissão de Constituição e Justiça para o PL 655/09

Como ficará a Lei 14.266/07 com as modificações do Substitutivo da Comissão de Constituição e Justiça para o PL 655/09 Como ficará a Lei 14.266/07 com as modificações do Substitutivo da Comissão de Constituição e Justiça para o PL 655/09 Texto em letra Arial Narrow: texto da lei 14.266/07 que não foi alterado Texto em

Leia mais

Mapa dos Corredores Estruturais

Mapa dos Corredores Estruturais Mapa dos es Estruturais Industrial Umuarama Norte Oeste Dona Zulmira Central Leste Novo Mundo Planalto Sudoeste Jardins Sul Sudeste Santa Luzia Universitário Anéis Oeste Planalto Norte Dona Zulmira Sudoeste

Leia mais

SPPO SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO POR ÔNIBUS

SPPO SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO POR ÔNIBUS SPPO SISTEMA DE TRANSPORTE PÚBLICO POR ÔNIBUS SPPO Sistema de Transporte Publico por Ônibus, licitado em 2010, compreende a operação do sistema de ônibus em quatro áreas da cidade, sendo cada área operada

Leia mais

LICITAÇÃO DO STPP/RMR. Programa Estadual de Mobilidade Urbana PROMOB

LICITAÇÃO DO STPP/RMR. Programa Estadual de Mobilidade Urbana PROMOB Programa Estadual de Mobilidade Urbana PROMOB Municípios: 14 População: 3.690.547 hab Área: 2.768,45 km 2 ARAÇOIABA SÃO LOURENÇO DA MATA MORENO 49.205 189 90.402 277 15.108 90 CABO DE SANTO AGOSTINHO

Leia mais

Portfólio da Odebrecht TransPort

Portfólio da Odebrecht TransPort Iniciativas para investimentos em Mobilidade Urbana Seminário FIESP de Logística Rodrigo Carnaúba 6 de maio de 2013 Portfólio da Odebrecht TransPort RODOVIAS 100% OTP 75% OTP 50% OTP 50% OTP 8,5% OTP 33,3%

Leia mais

DIRETRIZES PARA A BICICLETA NO PLANO DE GOVERNO DE FERNANDO HADDAD PARA A PREFEITURA DE SÃO PAULO

DIRETRIZES PARA A BICICLETA NO PLANO DE GOVERNO DE FERNANDO HADDAD PARA A PREFEITURA DE SÃO PAULO Promover a sustentabilidade com a melhoria da qualidade de vida e do ar, reduzir os congestionamentos, democratizar o uso do espaço viário, a acessibilidade aos bens e serviços e ampliar a inserção social

Leia mais

Rio de Janeiro 12 e 13 de março de 2014

Rio de Janeiro 12 e 13 de março de 2014 Rio de Janeiro 12 e 13 de março de 2014 Linha do Tempo 1965 a 2003 Extinção da GEIPOT Lei 10.233 / 2001 Criação da EBTU lei nº 6.261 em 1975 Extinção da EBTU Dec. 230 / 1991 Estatuto da Cidade Lei nº 10.257

Leia mais

IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE

IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE 1 IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE AUDIÊNCIA PÚBLICA OUTRAS INFORMAÇÕES 2266-0369 SMTR www.rio.rj.gov.br 2589-0557 SMO Rio de Janeiro

Leia mais

Relação de Postos de Vacinação Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza de abril a 26 de maio Regional de Postos de vacinação Saúde

Relação de Postos de Vacinação Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza de abril a 26 de maio Regional de Postos de vacinação Saúde Regional de Saúde Asa Norte Asa Sul Brazlândia GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA À SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA

Leia mais

de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT

de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT Sistema IntegradodeTransporte de porônibus de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT Sumário Premissas e condicionantes do Projeto Conceito e características

Leia mais

INTEGRAÇÃO DO TRANSPORTE PÚBLICO. Emiliano Affonso Presidente AEAMESP Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô Salvador, Agosto de 2015

INTEGRAÇÃO DO TRANSPORTE PÚBLICO. Emiliano Affonso Presidente AEAMESP Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô Salvador, Agosto de 2015 INTEGRAÇÃO DO TRANSPORTE PÚBLICO Emiliano Affonso Presidente AEAMESP Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô Salvador, Agosto de 2015 ASPECTOS A SEREM ABORDADOS 1. A Mobilidade na RMSP 2. Integração

Leia mais

Sustentável em Metrópoles

Sustentável em Metrópoles ..... ה ב Viabilidade da Mobilidade Sustentável em Metrópoles Agosto, 2017 Eng. Sergio Ejzenberg, M.Sc 55-11-99972-2476 sergio@ejzenberg.com.br MOBILIDADE EM METRÓPOLES SUMÁRIO 1. O modal individual é

Leia mais

planos regionais complexo geoeconômico

planos regionais complexo geoeconômico RIDE- DF O QUE É: REGIÃO INTEGRADA DO DESENVOLVIMENTO (conceito para áreas de conurbação metropolitana de municípios distintos que compartilham espaços em regiões de Estados da Federação diferentes). Lei

Leia mais

Projeto BRT. Projeto BRT Porto Alegre. Rede Atual de Transporte Coletivo Desenho Conceitual do BRT. ao Transmilenio. Abril

Projeto BRT. Projeto BRT Porto Alegre. Rede Atual de Transporte Coletivo Desenho Conceitual do BRT. ao Transmilenio. Abril Projeto BRT Porto Alegre Rede Atual de Transporte Coletivo Desenho Conceitual do BRT Projeto BRT Visita Técnica T ao Transmilenio Abril - 2010 Rede Atual de Transporte Coletivo Trem Metropolitano: (Dados

Leia mais

DISPONIBILIDADES 19/08/2013. Front-Lights. Novos Painéis. Taxidoor. Localização e reservas:

DISPONIBILIDADES 19/08/2013. Front-Lights. Novos Painéis. Taxidoor. Localização e reservas: DISPONIBILIDADES 19/08/2013 Front-Lights Localização e reservas: Águas Claras EPNB - Estrada Parque Núcleo Bandeirante Guará Lago Sul Lago Norte Park Shopping Park Way Porto Seco Samambaia / BR-060 SIA

Leia mais

LICITAÇÃO DO SERVIÇO Transporte Coletivo Urbano CARUARU

LICITAÇÃO DO SERVIÇO Transporte Coletivo Urbano CARUARU LICITAÇÃO DO SERVIÇO Transporte Coletivo Urbano CARUARU O Serviço de Transporte O sistema possui atualmente 30 linhas cadastradas, operadas por 81 veículos, realizando 1.325 viagens nos dias úteis. Empresa

Leia mais

Serviços de Transporte Rodoviário Interestadual de Passageiros. Mobilidade Urbana

Serviços de Transporte Rodoviário Interestadual de Passageiros. Mobilidade Urbana Serviços de Transporte Rodoviário Interestadual de Passageiros Mobilidade Urbana Superintendência de Serviços de Transportes de Passageiros Gerência de Regulação e Outorga de Estrutura da Apresentação

Leia mais

CONCORRÊNCIA EMTU/SP N o 017/2013. Anexo 04 DIRETRIZES DE RACIONALIZAÇÃO OPERACIONAL (GERAL E VLT) Anexo 04

CONCORRÊNCIA EMTU/SP N o 017/2013. Anexo 04 DIRETRIZES DE RACIONALIZAÇÃO OPERACIONAL (GERAL E VLT) Anexo 04 CONCORRÊNCIA EMTU/SP N o 017/2013 Anexo 04 DIRETRIZES DE RACIONALIZAÇÃO OPERACIONAL (GERAL E VLT) Anexo 04 1 INTRODUÇÃO Este Anexo apresenta as Diretrizes de Racionalização Operacional (GERAL E VLT) da

Leia mais

Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas. nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística

Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas. nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística Seminário IBRE Infraestrutura no Brasilperspectivas e desafios nas áreas de construção, saneamento, transporte e logística Projetos e Programas de Investimentos para o Setor de Infraestrutura no Brasil

Leia mais

SÃO PAULO TRANSPORTE S.A.

SÃO PAULO TRANSPORTE S.A. SÃO PAULO TRANSPORTE S.A. Transporte Público: Origens, Evolução e Benefícios Sociais do Bilhete Único 05/04/2005 Antecedentes Bilhetagem Automática 1974: Metrô de São Paulo bilhete magnético Edmonson Seguem-se:

Leia mais

EMPREENDIMENTO DO VLT

EMPREENDIMENTO DO VLT SIM da RMBS Sistema Integrado Metropolitano Voltado à prestação do serviço de transporte público coletivo na Região Metropolitana da Baixada Santista RMBS Comitê técnico II - Desenvolvimento Socioeconômico,

Leia mais

Sistema BRT e Metrô para Porto Alegre: evolução para uma rede estrutural integrada multimodal de transporte urbano e metropolitano.

Sistema BRT e Metrô para Porto Alegre: evolução para uma rede estrutural integrada multimodal de transporte urbano e metropolitano. Sistema BRT e Metrô para Porto Alegre: evolução para uma rede estrutural integrada multimodal de transporte urbano e metropolitano. Luís Cláudio Ribeiro 1 ; Maria de Fátima Mengue dos Santos 1 ; Severino

Leia mais

INTEGRADO METROPOLITANO DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA

INTEGRADO METROPOLITANO DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA VLT DA BAIXADA SANTISTA Ministério das Cidades SETEMBRO DE 2013 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL EMTU EMTU ÁREA DE ATUAÇÃO: ESTADO DE SÃO PAULO REGIÕES METROPOLIPANAS A EMTU é Responsável pelo gerenciamento do

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE URBANO E MOBILIDADE DO DISTRITO FEDERAL E ENTORNO

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE URBANO E MOBILIDADE DO DISTRITO FEDERAL E ENTORNO GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL Secretaria de Estado de Transportes PDTU PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE URBANO E MOBILIDADE DO DISTRITO FEDERAL E ENTORNO RELATÓRIO TÉCNICO n.º 6 Conclusão do Carregamento das

Leia mais

Modelo de Avaliação de Impacto da Linha 4 Amarela nas Condições de Vida e Viagem da População Pobre Residente em suas Áreas de Influência

Modelo de Avaliação de Impacto da Linha 4 Amarela nas Condições de Vida e Viagem da População Pobre Residente em suas Áreas de Influência Modelo de Avaliação de Impacto da Linha 4 Amarela nas Condições de Vida e Viagem da População Pobre Residente em suas Áreas de Influência Maria Alice Cutrim (Fundação Seade) Maria Paula Ferreira (Fundação

Leia mais

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Mobilidade Urbana Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Apresentação A política de desenvolvimento urbano é estratégica para a promoção de igualdade de oportunidades, para a desconcentração

Leia mais

Revisão do Plano Diretor de Belém. 3ª Audiência Pública Temática Tema: INFRA-ESTRUTURA, MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE

Revisão do Plano Diretor de Belém. 3ª Audiência Pública Temática Tema: INFRA-ESTRUTURA, MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE Prefeitura Municipal de Belém Secretaria Municipal de Coordenação Geral do Planejamento e Gestão Revisão do Plano Diretor de Belém (Lei nº 7.603/93) 3ª Audiência Pública Temática Tema: INFRA-ESTRUTURA,

Leia mais

MALHA DE METRÔS E TRENS DE PASSAGEIROS PRECISA CRESCER 80%

MALHA DE METRÔS E TRENS DE PASSAGEIROS PRECISA CRESCER 80% MALHA DE METRÔS E TRENS PRECISA CRESCER 80% O Brasil precisa ampliar em pelo menos 850 km a malha de metrôs e trens de passageiros para modernizar o transporte urbano nas grandes cidades. Isso significa

Leia mais

Infraestrutura cicloviária em pontes e viadutos. O (des)caso da Ponte do Bragueto em Brasília

Infraestrutura cicloviária em pontes e viadutos. O (des)caso da Ponte do Bragueto em Brasília Infraestrutura cicloviária em pontes e viadutos O (des)caso da Ponte do Bragueto em Brasília PLANEJAMENTO CICLOVIÁRIO DO DF Histórico 1997... 2001... 2003 2004 2005 2006 2007 2008 BR CTB Estatuto da Cidade

Leia mais

Estacionamentos Belo Horizonte

Estacionamentos Belo Horizonte SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO Estacionamentos Belo Horizonte Belo Horizonte, 24 de Janeiro de 2012 Objetivos do encontro de hoje Objetivos Esclarecimento e discussão do projeto junto aos munícipes

Leia mais

Programa Estadual de Mobilidade Urbana PROMOB PROGRAMA ESTADUAL DE MOBILIDADE URBANA PROMOB

Programa Estadual de Mobilidade Urbana PROMOB PROGRAMA ESTADUAL DE MOBILIDADE URBANA PROMOB PROGRAMA ESTADUAL DE MOBILIDADE URBANA PROMOB ARAÇOIABA 15.108 90 IGARASSU 82.277 323 ITAPISSUMA 20.116 74 ITAMARACÁ 15.858 65 PRAIA DE MARIA FARINHA A REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE Municípios: 14 População:

Leia mais

Mobilidade Urbana. Aspectos Gerais Infraestrutura PMUS Além de Infraestrutura Novos Caminhos

Mobilidade Urbana. Aspectos Gerais Infraestrutura PMUS Além de Infraestrutura Novos Caminhos Mobilidade Urbana Mobilidade Urbana Aspectos Gerais Infraestrutura PMUS Além de Infraestrutura Novos Caminhos Aspectos Gerais LEI Nº 12.587, DE 3 DE JANEIRO DE 2012, Política Nacional de Mobilidade Urbana

Leia mais

SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico PROJETO DE MOBILIDADE URBANA 4 de Setembro de 2009

SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico PROJETO DE MOBILIDADE URBANA 4 de Setembro de 2009 SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico PROJETO DE MOBILIDADE URBANA 4 de Setembro de 2009 Agenda Crescimento de Manaus Seleção de solução de mobilidade urbana Oportunidade

Leia mais

Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12

Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12 Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12 Premissas de trabalho Articulação entre profissionais da engenharia/técnicos MG, por meio da Câmara Temática de Mobilidade; Ausência

Leia mais

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE SP

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE SP DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE SP SETEMBRO 2014 ANTECEDENTES CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 182/183 > CONDICIONAM O DIREITO DE PROPRIEDADE A SUA FUNÇÃO SOCIAL INSTRUMENTOS PARA CUMPRIR FUNÇÃO SOCIAL DA

Leia mais

Companhia de Engenharia de Tráfego CET

Companhia de Engenharia de Tráfego CET Secretaria Municipal de Transporte SMT Sec e a a u cpa de a spo e S Companhia de Engenharia de Tráfego CET Anhanguera Bandeirantes Fernão Dias Presidente Dutra Ayrton Senna MAIRIPORÃ Castello Branco CAIEIRAS

Leia mais

Gerenciamento dos Resíduos. Desafios e Oportunidades. Junho de 2016

Gerenciamento dos Resíduos. Desafios e Oportunidades. Junho de 2016 Gerenciamento dos Resíduos da Construção Civil Desafios e Oportunidades Junho de 2016 SITUAÇÃO ATUAL DA GESTÃO DE RCC PELO SLU NO DF Em 2015 o SLU recolheu 706.855 toneladas de Resíduos da Construção Civil

Leia mais

Seminário Mobilidade Urbana IBRE- FGV 9 de novembro de 2014 Região Metropolitana de Salvador

Seminário Mobilidade Urbana IBRE- FGV 9 de novembro de 2014 Região Metropolitana de Salvador Seminário Mobilidade Urbana IBRE- FGV 9 de novembro de 2014 Região Metropolitana de Salvador Sandro Cabral Professor da Escola de Administração Universidade Federal da Bahia (UFBA) Francisco Ulisses Rocha

Leia mais

Como estaremos daqui a 25 anos? Estudo de Mobilidade Urbana Plano Diretor Regional de Mobilidade. Seminário SINAENCO / SC

Como estaremos daqui a 25 anos? Estudo de Mobilidade Urbana Plano Diretor Regional de Mobilidade. Seminário SINAENCO / SC Como estaremos daqui a 25 anos? Estudo de Mobilidade Urbana Plano Diretor Regional de Mobilidade Seminário SINAENCO / SC Guilherme Medeiros Engenheiro Coordenador Técnico SC Participações e Parcerias S.A.

Leia mais

São Paulo, setembro de 2010

São Paulo, setembro de 2010 16ª SEMANA DE TECNOLOGIA METRO-FERROVIÁRIA ASSOCIAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ARQUITETOS DE METRÔ AEAMESP. SOLUÇÕES DE TRANSPORTE MAIS ADEQUADAS PARA AS CIDADES O BNDES E OS INVESTIMENTOS NO SETOR DE TRANSPORTES

Leia mais

Secretaria de Transportes e Trânsito

Secretaria de Transportes e Trânsito Secretaria de Transportes e Trânsito CARACTERIZAÇÃO DE GUARULHOS 1 CARACTERIZAÇÃO DA LOCALIDADE Localização de Guarulhos São Paulo Guarulhos / São Paulo População em 2012 de 1.244.518 habitantes (fonte

Leia mais

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS DEZEMBRO 2013 DENSIDADE DE EMPREGOS ÁREA CENTRAL Plano Diretor 2013 Referências Trata da política de transporte e mobilidade urbana integrada com

Leia mais

Informativo Epidemiológico de Dengue, Chikungunya e Zika

Informativo Epidemiológico de Dengue, Chikungunya e Zika Informativo Epidemiológico de Dengue, Chikungunya e Zika Ano 11, nº 38, setembro de 2016. Semana epidemiológica 37 de 2016. GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL DENGUE SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO DF No Distrito

Leia mais

MOBILIDADE NA CIDADE INTELIGENTE. ANGELA AMIN Doutoranda EGC/UFSC

MOBILIDADE NA CIDADE INTELIGENTE. ANGELA AMIN Doutoranda EGC/UFSC MOBILIDADE NA CIDADE INTELIGENTE ANGELA AMIN Doutoranda EGC/UFSC 3 Desde o fim de 2010, 50,5% da população mundial está nas Cidades No Brasil 85% dos domicílios estão em áreas urbanas Que Cidades queremos?

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA APLICADA EM FOZ DO IGUAÇU. Pricila Bevervanço Mantovani Engenheira Civil

POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA APLICADA EM FOZ DO IGUAÇU. Pricila Bevervanço Mantovani Engenheira Civil POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA APLICADA EM FOZ DO IGUAÇU Pricila Bevervanço Mantovani Engenheira Civil POLÍTICA NACIONAL DE MOBILIDADE URBANA Lei 12.587, de 3 de janeiro de 2012. Institui diretrizes

Leia mais

MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL O DESAFIO DAS CIDADES BRASILEIRAS

MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL O DESAFIO DAS CIDADES BRASILEIRAS MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL O DESAFIO DAS CIDADES BRASILEIRAS Renato Boareto Diretor de Mobilidade Urbana SeMob Ministério das Cidades renato.boareto@cidades.gov.br www.cidades.gov.br INTRODUÇÃO 1- Crise

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS DOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS DE REGIÕES METROPOLITANAS CONSÓRCIO DE TRANSPORTE DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE

DESAFIOS E PERSPECTIVAS DOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS DE REGIÕES METROPOLITANAS CONSÓRCIO DE TRANSPORTE DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE DESAFIOS E PERSPECTIVAS DOS CONSÓRCIOS PÚBLICOS DE REGIÕES METROPOLITANAS CONSÓRCIO DE TRANSPORTE DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE ITEM RMR RECIFE População 4.048.845 hab

Leia mais

estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM

estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM novembro/2008 Região Metropolitana da Grande São Paulo 39 municípios 19,7 milhões

Leia mais

Categoria: ACIDENTES DE TRÂNSITO

Categoria: ACIDENTES DE TRÂNSITO A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) foi criada pela Lei Municipal 8.133, de 13 de janeiro de 1998, para regular e fiscalizar as atividades relacionadas com o trânsito e os transportes do

Leia mais

Apoio à Elaboração de Projetos de Sistemas Integrados de Transporte Coletivo Urbano

Apoio à Elaboração de Projetos de Sistemas Integrados de Transporte Coletivo Urbano Programa 9989 Mobilidade Urbana Ações Orçamentárias Número de Ações 19 10SR0000 Apoio à Elaboração de Projetos de Sistemas Integrados de Transporte Coletivo Urbano Produto: Projeto elaborado Unidade de

Leia mais

Saulo Pereira Vieira Secretaria dos Transportes Metropolitanos

Saulo Pereira Vieira Secretaria dos Transportes Metropolitanos SOLUÇÕES PARA A MOBILIDADE URBANA NO BRASIL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO TRANSPORTE METROPOLITANO EM SÃO PAULO Saulo Pereira Vieira Secretaria dos Transportes Metropolitanos 17 de setembro/2015 Estrutura

Leia mais

Tabela População segundo a existência de plano de saúde - Ceilândia - Distrito Federal Plano de Saúde Nº %

Tabela População segundo a existência de plano de saúde - Ceilândia - Distrito Federal Plano de Saúde Nº % Quanto à existência de Plano de Saúde observa-se em Ceilândia que 80,9% não contam com este serviço, enquanto 11,0% possui plano empresarial, o que é previsível dado o expressivo percentual de domicílios

Leia mais

COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017

COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017 COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017 A ANTP convida a todos os integrantes das entidades associadas, seus membros individuais e

Leia mais

NEGÓCIOS NOS TRILHOS. Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos Governo do Estado de São Paulo JURANDI R FERNANDES

NEGÓCIOS NOS TRILHOS. Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos Governo do Estado de São Paulo JURANDI R FERNANDES Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos Governo do Estado de São Paulo NEGÓCIOS NOS TRILHOS JURANDI R FERNANDES Secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos Estratégia de financiamento

Leia mais

Comitê Gestor do PAC

Comitê Gestor do PAC DISTRITO FEDERAL Apresentação Esta publicação apresenta informações regionalizadas do 4º balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), referente a abril de 2008. Traz, também, dados sobre outros

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Empreendedor Individual

EMPREENDEDORISMO. Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Empreendedor Individual EMPREENDEDORISMO Números MPE Indicador Brasil DF Participação % Fonte Número de MPE 5.786.696 87.358 1,51 RAIS 2008 Número de MPE Comércio 3.067.577 41.967 1,37 RAIS 2008 Número de MPE - Serviço 1.861.779

Leia mais

POLÍTICA DE MOBILIDADE

POLÍTICA DE MOBILIDADE POLÍTICA DE MOBILIDADE POLITICA DE MOBILIDADE + PRIORITÁRIO 1º PEDESTRES ACESSO À CIDADE 2º CICLISTAS PRIORIDADES: 3º TRANSPORTE PÚBLICO TRANSPORTE COLETIVO - PRIORITÁRIO 4º 5º TRANSPORTE DE CARGA AUTOMÓVEIS

Leia mais

Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana

Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Projetos Ferroviários V BRASIL NOS TRILHOS 2012 Brasília, 4 e 5 de Setembro de 2012 Estratégia de atuação O Ministério das Cidades tomou como estratégia

Leia mais

Sistema de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia

Sistema de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia Sistema de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia CRONOLOGIA 1975 Estadualização Criação Transurb 1976 1980 1984 1989 1991 1995 1997 1998 1999 2000 Sistema Tronco-Alimentado Corredor Anhanguera

Leia mais

Melhoria da Mobilidade em Belo Horizonte. Projetos para a Copa 2014

Melhoria da Mobilidade em Belo Horizonte. Projetos para a Copa 2014 Melhoria da Mobilidade em Belo Horizonte Projetos para a Copa 2014 Indicadores da Mobilidade Urbana em BH Distribuição espacial da demanda de transporte Sistema Ônibus no Hipercentro % das linhas Ônibus/dia

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA COFECON COMISSÃO DE POLÍTICA ECONÔMICA E DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL. Série Estudo das Desigualdades Regionais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA COFECON COMISSÃO DE POLÍTICA ECONÔMICA E DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL. Série Estudo das Desigualdades Regionais CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA COFECON COMISSÃO DE POLÍTICA ECONÔMICA E DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL Série Estudo das Desigualdades Regionais EVOLUÇÃO E SITUAÇÃO ATUAL DO EMPREGO DOMÉSTICO NO DISTRITO FEDERAL

Leia mais

VI Brasil nos Trilhos Mobilidade Urbana Sustentável. Ministério das Cidades

VI Brasil nos Trilhos Mobilidade Urbana Sustentável. Ministério das Cidades VI Brasil nos Trilhos Mobilidade Urbana Sustentável Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Agosto de 2014 Fernando Araldi Contextualização do Problema Mobilidade

Leia mais

Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana - SeMOB PROGRAMA BRASIL ACESSÍVEL ACESSIBILIDADE E REVITALIZAÇÃO DOS PASSEIOS PÚBLICOSP

Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana - SeMOB PROGRAMA BRASIL ACESSÍVEL ACESSIBILIDADE E REVITALIZAÇÃO DOS PASSEIOS PÚBLICOSP Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana - SeMOB PROGRAMA BRASIL ACESSÍVEL ACESSIBILIDADE E REVITALIZAÇÃO DOS PASSEIOS PÚBLICOSP São Paulo/SP, 28 de agosto de 2009 MOBILIDADE URBANA: Atributo

Leia mais

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de Aula 22.

Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de Aula 22. Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de 2017 Aula 22 Mobilidade urbana 22. Mobilidade urbana assuntos da aula a mobilidade urbana atualmente

Leia mais

CORREDOR METROPOLITANO VEREADOR BILÉO SOARES NOROESTE - RMC

CORREDOR METROPOLITANO VEREADOR BILÉO SOARES NOROESTE - RMC ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ÁREA DE ATUAÇÃO: ESTADO DE SÃO PAULO REGIÕES METROPOLITANAS A EMTU é Responsável pelo gerenciamento do transporte coletivo intermunicipal metropolitano RMC RMVP RMBS - 1,8 milhão

Leia mais

X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação

X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação X Seminário Nacional Metroferroviário Projetos em implantação Jurandir Fernandes Secretário dos Transportes Metropolitanos Estado de São Paulo ANTP Rio de Janeiro, 12/03/2014 Rede metropolitana em andamento

Leia mais

DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE

DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE Diagnóstico Perturbações na fluidez Grandes dimensões Manobras lentas Raio de giro restrito Remoção difícil em caso de

Leia mais

Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a).

Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a). Anexo A 96 DIRECTIVIDADE ATRATIVIDADE CONFORTO COERÊNCIA SEGURANÇA Critérios de avaliação das rotas cicláveis Fonte: I-CE & GTZ (2009); MINISTÉRIO DAS CIDADES, (2007a). Nível de segurança social do entorno

Leia mais

CORREDOR METROPOLITANO ITAPEVI SÃO PAULO

CORREDOR METROPOLITANO ITAPEVI SÃO PAULO CORREDOR METROPOLITANO ITAPEVI SÃO PAULO Autor: Engº Roberto Carlos Fazilari Chefe do Departamento de Implantação de Obras da EMTU/SP, Gestor de Projeto do Plano de Expansão do Governo do Estado de São

Leia mais

ATUALIDADE S. Prof. Roberto. Um desafio ATUAL.

ATUALIDADE S. Prof. Roberto. Um desafio ATUAL. ATUALIDADE S Prof. Roberto Um desafio ATUAL. MOBILIDADE URBANA Todas as atividades dependem de um bom deslocamento na cidade! Ir a escola; Ir ao Trabalho; Frequentar uma academia; Usar um posto de saúde;

Leia mais

ALTERNATIVAS DE MOBILIDADE PARA O RECIFE

ALTERNATIVAS DE MOBILIDADE PARA O RECIFE BRT MONOTRILHOS VLT ALTERNATIVAS DE MOBILIDADE PARA O RECIFE Objetivo: ALTERNATIVAS DE MELHORAR A MOBILIDADE URBANA NA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE Meios: 1.Priorizar o transporte público de qualidade

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE Capítulo 1 INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE Tecnologia dos Transportes 2 SISTEMAS DE TRANSPORTE E SOCIEDADE De extrema importância para o desenvolvimento de uma sociedade O desenvolvimento está diretamente

Leia mais

MAPEAMENTO DA ATIVIDADE ECONÔMICA NO DF. Brasília, 16/02/2017 CODEPLAN

MAPEAMENTO DA ATIVIDADE ECONÔMICA NO DF. Brasília, 16/02/2017 CODEPLAN MAPEAMENTO DA ATIVIDADE ECONÔMICA NO DF Brasília, 16/02/2017 CODEPLAN ROTEIRO O TRABALHO DE MAPEAMENTO DAS EMPRESAS PELA CODEPLAN E A FONTE DE DADOS O QUE JÁ CONHECEMOS SOBRE O MERCADO DE TRABALHO NO DISTRITO

Leia mais

Sistema Integrado de Transporte e o Metrô de Porto Alegre Março de 2008

Sistema Integrado de Transporte e o Metrô de Porto Alegre Março de 2008 Sistema Integrado de Transporte e o Metrô de Porto Alegre Março de 2008 Estudo de Planejamento Estratégico de Integração do Transporte Público Coletivo da RMPA Plano Integrado de Transporte e Mobilidade

Leia mais

CONHEÇA OS DIREITOS E DEVERES DO IDOSO NO TRANSPORTE COLETIVO RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS

CONHEÇA OS DIREITOS E DEVERES DO IDOSO NO TRANSPORTE COLETIVO RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS Distribuição gratuita - é permitida a reprodução integral ou parcial do texto, desde que citada a fonte. Passagem gratuita para idosos CONHEÇA OS DIREITOS E DEVERES DO IDOSO NO TRANSPORTE COLETIVO RODOVIÁRIO

Leia mais