Operação e Expansão do Metrô BH

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Operação e Expansão do Metrô BH"

Transcrição

1 CREA Minas Seminário Internacional Mobilidade Urbana 13/03/2013 Operação e Expansão do Metrô BH

2 METRÔ DE BELO HORIZONTE. Linha 1 Eldorado a Vilarinho Características atuais

3 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. TRAÇADO ORIGINAL DA LINHA 1 VILARINHO CENTRAL ELDORADO BETIM

4 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. Linha 1 em operação Diagrama atual da linha 1 em operação: Vilarinho Floramar Waldomiro Lobo Primeiro de Maio Pátio São Gabriel Linha 1: 19 estações Extensão: 28,1 Km Estações novas

5 LINHA 1 ELDORADO / VILARINHO Operação plena: novembro de Extensão: 28,1 Km. 66 transposições (viadutos, túneis, RIBEIRÃO DAS NEVES Vilarinho LAGOA SANTA Floramar Waldomiro Lobo Primeiro de Maio São Gabriel SANTA LUZIA passarelas). 19 estações. 4 estações de integração de bairro. 2 estações de integração no centro. Eldorado CONTAGEM Cidade industrial Carlos Prates Calafate Gameleira Vila Oeste Santa Inês Lagoinha Central Centro de BH Minas Shopping José Cândido Horto SABARÁ Santa Tereza Santa Efigênia NOVA LIMA IBIRITE

6 DADOS OPERACIONAIS DEMANDA MÉDIA DIA ÚTIL DEMANDA MÉDIA MENSAL MUNICIPAL: 296 LINHAS INTEGRADAS METROPOLITANO: 152 5,0 MILHÕES INTERVALO ENTRE VIAGENS COMPOSIÇÃO DA DEMANDA GRATUITO: 6% EXCLUSIVO: 56% INTEGRADO: 38% TARIFA UNITÁRIA R$1,80 MÍNIMO DIAS ÚTEIS: 4 minutos HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DIÁRIO 5:15 às 23:00 Horas OFERTA Lugares/hora/sentido VIAGEM MÉDIA DO USUÁRIO FROTA 10,2 Km 25 Trens de quatro carros Capacidade por trem: 1026 passageiros

7 METRÔ DE BELO HORIZONTE. Linha 1 Eldorado a Vilarinho Modernização

8 LINHA 1 ELDORADO / VILARINHO MELHORIAS EM ESTUDO E IMPLANTAÇÃO: Ampliação da frota de trens: Aquisição de 10 novos trens (40 carros); Recursos no PAC de 211 milhões de reais; Fornecedor: Consórcio Frota BH (CAF e ALSTOM); Prazo estimado: 30 meses (Outubro 2014 a Junho 2015); Modernização do sistema de sinalização: Estudo e especificação técnica Valor estimado: R$ ,00. Instalação de novo sistema de controle de freios nos trens atuais Valor R$ ,00 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH.

9

10

11

12 CBTU / STU-BH Superintendência de Trens Urbanos de Belo Horizonte Características operacionais possíveis: - Headway : 215 segundos (3 minutos e 35 segundos) - Trens em circulação: 29 - Viagens Hora Sentido: 17 - Capacidade Hora Sentido: lugares 12

13 METRÔ DE BELO HORIZONTE. Projetos das Linhas 2 e 3.

14 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. Linha 2: BARREIRO / HOSPITAIS Linha 3: PAMPULHA / SAVASSI

15 LINHA 1 ELDORADO / VILARINHO LINHA 2 BARREIRO / SANTA TEREZA (HOSPITAIS) RIBEIRÃO DAS NEVES PAMPULHA UVL UFL LAGOA SANTA UWL UPM USG SANTA LUZIA UMS LINHA 3 PAMPULHA / SAVASSI CONTAGEM UEL UCL UGM UVO UCP ULG UCT USE UJC USI UHF UST SABARÁ UCI TEREZA CRISTINA USF UBA SAVASSI NOVA LIMA IBIRITE

16 OBJETIVOS DOS ESTUDOS E PROJETOS DAS LINHAS 2 E 3 Inserção do sistema metroviário no hipercentro; Maior captação de demanda para o troncal metroviário; Melhor acessibilidade para o sistema metroviário; Integração das Linhas 2 e 3 com a Linha 1 - Eldorado/Vilarinho; Atendimento a regiões de grande geração de viagens. Atendimento a região hospitalar. Racionalização do sistema de transporte público da RMBH, com a redução dos congestionamentos, da poluição, dos acidentes de trânsito e diminuição do tempo de deslocamento; SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH.

17 LINHA 2 BARREIRO / SANTA TEREZA Acessibilidade aos Hospitais; Obra iniciada: 70% da infra-estrutura concluída entre Barreiro e Calafate. Atende ao eixo LESTE/OESTE integrando com as linhas 1 e 3 na área central; Chega ao Barreiro (Região geradora de grande demanda); Investimento estimado de implantação: 1,4 bilhão de Reais. Previsão de demanda: usuários/dia. SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH.

18 LINHA 2 BARREIRO / SANTA TEREZA Santa Tereza Tereza Cristina Silva Lobo..... Raul Soares. Barbacena. Contorno Rio Negro Salgado Filho. Praça Sete.. Santa Casa Hospitais Metrô de superfície.. Ferrugem. Vista Alegre trecho já iniciado Metrô subterrâneo Mannesmann Barreiro.. SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH.

19 Silva Lobo Rio Negro Contorno Barbacena Raul Soares Praça sete Diagrama da Linha 2 BARREIRO / SANTA TEREZA Linha 3 Santa Tereza Santa Casa Tereza Cristina Hospitais Salgado Filho Vista Alegre Ferrugem Mannesman Barreiro SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH.

20 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. LINHA 3 PAMPULHA / SAVASSI

21 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. LINHA 3 PAMPULHA / SAVASSI Acessibilidade ao complexo esportivo da Pampulha (Mineirão, Mineirinho); Atende ao Campus UFMG e Aeroporto da Pampulha; Integração com as linhas 1 e 2 na área central; Investimento estimado de implantação: 1,7 bilhão de Reais. Previsão de demanda: usuários/dia.

22 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. LINHA 3 PAMPULHA / SAVASSI (PLANTA) EXTENSÃO TOTAL 12,5 KM NÚMERO DE ESTAÇÕES 13

23 Pátio de Eldorado Eldorado Cidade Industrial Vila Oeste Silva Lobo Gameleira Rio Negro Calafate Contorno Carlos Prates Barbacena Lagoinha Raul Soares Central Praça sete Santa Efigênia Santa Tereza Horto Santa Inês José Cândido Minas Shopping SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. São Gabriel REDE METRÔ BH Linha 3 Pampulha Mineirão UFMG Anel Bernardo Vasconcelos Hospital BH Linha 1: 19 estações 28,1 Km Linha 2: 15 estações 15,5 Km Linha 3: 13 estações 12,5 Km São Cristóvão Linha 1 SENAI Vilarinho Floramar Waldomiro Lobo Primeiro de Maio Tereza Cristina Salgado Filho Vista Alegre Santa Casa Hospitais Afonso Arinos Pátio São Gabriel Ferrugem Liberdade Mannesman Savassi Barreiro Linha 2

24 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. CUSTOS DE IMPLANTAÇÃO ESTIMADOS ESPECIFICAÇÃO VALOR UNITÁRIO (R$ X 10 6 ) SUPERFÍCIE (KM) 12 1,9 22,80 ELEVADO (KM) 20 1,5 30 LINHA 2 LINHA 3 QT VALOR QT VALOR TÚNEL (KM) 90 7,7 688,50 12,3 1107,0 VIA (KM) 1,6 A 2,0 18,0 36,00 12,3 24,60 SINALIZAÇÃO (KM) 1,6 18,0 28,80 12,3 19,68 REFORÇO DE SINALIZAÇÃO (KM) ENERGIA (KM) 3,0 18,0 54,00 12,3 36,90 REFORÇO DE ENERGIA (KM) 2 ESTAÇÕES (CADA) , ,00 PÁTIO / OFICINA 70/ , ,00 CARROS (CADA) 3, , ,00 TOTAL 1.398, ,18 TOTAL R$ 3.076,28 X 10 6

25 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. INVESTIMENTO TOTAL ESTIMADO LINHA 2 LINHA 3 TOTAL 1.398,10 x ,00 x 10 6 R$3.076,10 x 10 6 DEMANDA TOTAL PREVISTA LINHA 2 LINHA 3 TOTAL usuários/dia

26 BENEFÍCIOS GERADOS PELA EXPANSÃO DO METRÔ Transporte de 1,06 milhão de usuários por dia (incluindo a Linha 1); Ligações entre complexos hospitalares, áreas comerciais, esportivas, industriais e administrativas da região metropolitana de Belo Horizonte; Reordenação do transporte público de passageiros com redução de ônibus e carros na área central de Belo Horizonte; Redução nos congestionamentos na área central de Belo Horizonte; Melhoria na qualidade de vida da população com redução da poluição e diminuição na duração das viagens; Criação de novos postos de trabalho; Diminuição do número de acidentes de trânsito. SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH.

27 METRÔ DE BELO HORIZONTE Linha do Ramal do Barreiro Proposta de construção e operação

28 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. TRAÇADO ORIGINAL DA LINHA 1 E DO RAMAL BARREIRO VILARINHO SÃO GABRIEL CENTRAL BETIM ELDORADO CALAFATE BARREIRO

29 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. Considerações iniciais sobre a proposta CBTU de construção e operação da Linha 2 1) O trecho do Ramal Barreiro é parte do traçado da linha 2 do Metrô que ligará futuramente a região do Barreiro a região dos Hospitais, passando pela Av amazonas e pelo centro da cidade. 2) A Proposta consiste na construção desta linha 2 em duas etapas, sendo a primeira a construção do Ramal do Barreiro ligando-o a Linha 1 e operando uma linha que ligará o Barreiro a estação Central. 3) A segunda etapa será a construção do trecho subterrâneo da linha 2, da Av. Amazonas a região dos hospitais, ligando-o ao trecho do ramal Barreiro.

30 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. Linha 2 - Construção e operação em duas etapas 1ª etapa: Construção e operação da linha do Ramal Barreiro conforme projeto original do Metrô ligando a região do Barreiro a estação Central, utilizando a linha 1 a partir da estação Calafate, formando um Y operacional. Linha 1 em operação Linha 1 em operação Estação Eldorado Estação Calafate Estação Central Estação Vilarinho Região dos Hospitais Hospitalar Estação Barreiro Ramal a ser construído Região central de BH

31 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. Considerações iniciais sobre a proposta de construção e operação da linha Barreiro: Ao final da primeira etapa, os trens estarão circulando na linha 1 entre as estações Eldorado e Vilarinho e na linha do Barreiro entre as estações Barreiro e Central. Linha 1- Eldorado Vilarinho: 28,1 Km Linha Ramal - Barreiro Central: 15,4 Km

32 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. Linha 2 - Construção e operação em duas etapas 2ª etapa: Construção do trecho subterrâneo da linha 2 do metrô, ligando-o ao Ramal do Barreiro na região de Calafate, concluindo definitivamente a Linha 2 que ligará a região do Barreiro a região dos Hospitais. Linha 1 em operação Linha 1 em operação Estação Eldorado Estação Calafate Estação Central Estação Vilarinho Região Hospitalar Estação Barreiro Linha 2 Região central de BH

33 Configuração das linhas A operação se dará em forma de Y entre as linhas 1 e do Ramal. CONTAGEM RIBEIRÃO DAS NEVES Eldorado Gameleira Cidade Industrial Vila Oeste Linha 1 em operação Carlos Prates Calafate Vilarinho Floramar Lagoinha Central Ramal do Barreiro LAGOA SANTA Waldomiro Lobo Primeiro de Maio São Gabriel Minas Shopping José Cândido Santa Inês Horto Santa Tereza Santa Efigênia Região central da cidade SANTA LUZIA SABARÁ Barreiro NOVA LIMA Linha 1 Eldorado - Vilarinho Linha Barreiro Calafate - Central IBIRITE

34 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. Esquema operacional Circulação dos trens Linha 1 Eldorado a Vilarinho Via 1 Central Eldorado Vilarinho Via 2 Via 1 Linha Barreiro - Central Extensão: Linha 1 Eldorado Vilarinho = 28,1 Km Linha Barreiro Central = 15,5 Km Barreiro Via 2

35 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. Plano de investimento Para melhor entendimento dos valores a serem aplicados na construção da linha do Barreiro, segue o quadro abaixo estruturado em três grupos básicos relativos aos investimentos em Obras Civis, Sistemas e Trens. Ano 1 Ano 2 Ano 3 TOTAL Obras Civis , , , ,00 Sistemas , , , ,00 Trens , , , ,00 TOTAL , , , ,00 Valores em Reais (R$)

36 SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE STU/BH. Resultados de produção esperados: Tendo como base a proposta operacional de circulação dos trens, o intervalo entre viagens proposto para o início de operação e a capacidade máxima adotada para os trens, teremos como resultado: Para intervalos de 6 minutos: Oferta de lugares por hora por sentido = Frota = 10 Trens de 6 carros cada Demanda dia útil estimada = passageiros Para intervalos de 4 minutos: Oferta de lugares por hora por sentido = Frota = 14 Trens de 6 carros cada Demanda dia útil estimada = passageiros

Negócios nos Trilhos ENCONTREM 2006

Negócios nos Trilhos ENCONTREM 2006 Negócios nos Trilhos ENCONTREM 2006 Conclusão da Linha 1 Eldorado / Vilarinho 28 km de linha em superfície 19 estações, com 5 terminais de integração 25 TUEs 142 mil passageiros dia útil (média out/06)

Leia mais

Relatório de Gestão: 2011-2012

Relatório de Gestão: 2011-2012 CBTU COMPANHIA BRASILEIRA DE TRENS URBANOS STU/BH SUPERINTENDÊNCIA DE TRENS URBANOS DE BELO HORIZONTE Relatório de Gestão: 2011-2012 Mensagem da Superintendência Este relatório de gestão reúne os principais

Leia mais

Projetos de Expansão e Modernização da CPTM

Projetos de Expansão e Modernização da CPTM Projetos de Expansão e Modernização da CPTM Jun/2012 Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento e Projetos Jundiaí Várzea Paulista Campo Limpo Paulista Francisco Morato Franco da Rocha Caieiras

Leia mais

Companhia do Metropolitano do Distrito Federal. Audiência Pública

Companhia do Metropolitano do Distrito Federal. Audiência Pública Companhia do Metropolitano do Distrito Federal Audiência Pública Expansão da Linha I do Metrô-DF (Samambaia, Ceilândia e Asa Norte) e modernização do sistema Objetivo da Audiência Pública Dar início aos

Leia mais

ÍNDICE. PITMUrb & MetrôPOA. Expansão da Linha 1. Aeromóvel. Aquisição de Frota. Modernização Estações. Expansão Sapiranga

ÍNDICE. PITMUrb & MetrôPOA. Expansão da Linha 1. Aeromóvel. Aquisição de Frota. Modernização Estações. Expansão Sapiranga INVESTIMENTOS 2011 1 2 3 4 PITMUrb & MetrôPOA Expansão da Linha 1 Aeromóvel Aquisição de Frota ÍNDICE 5 6 7 8 Modernização Estações Expansão Sapiranga Passagem Subterrânea do Trem em Canoas Expansão Comercial

Leia mais

INFRAESTRUTURA PARA A COPA Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte

INFRAESTRUTURA PARA A COPA Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte INFRAESTRUTURA PARA A COPA 2014 Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Agosto/2011 Programa de Mobilidade Urbana AÇÃO Prazo de execução obras nº meses Início Conclusão Obra Desapropriação BRT Antonio

Leia mais

NEGÓCIOS NOS TRILHOS 2010

NEGÓCIOS NOS TRILHOS 2010 COMPANHIA CEARENSE DE TRANSPORTES METROPOLITANOS NEGÓCIOS NOS TRILHOS 2010 O PROJETO METROFOR O PROJETO METROFOR Linha Sul 24,1 km - 3,9 km Subterrâneo - 2,2 km Elevado - 18,0 km Superfície Linha de Carga

Leia mais

de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT

de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT Sistema IntegradodeTransporte de porônibus de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT Sumário Premissas e condicionantes do Projeto Conceito e características

Leia mais

Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12

Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12 Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12 Premissas de trabalho Articulação entre profissionais da engenharia/técnicos MG, por meio da Câmara Temática de Mobilidade; Ausência

Leia mais

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo As Cidades mudaram População mudou A Economia mudou Os Meios de Transportes mudaram E nós? Ainda pensamos igual ao passado? Em TRANSPORTE COLETIVO chega-se ao

Leia mais

SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE

SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE Inicialmente, o que é BRT? O BRT (Bus Rapid Transit), ou Transporte Rápido por Ônibus, é um sistema de transporte coletivo de passageiros

Leia mais

ASPECTOS GERAIS ECONÔMICOS -

ASPECTOS GERAIS ECONÔMICOS - ASPECTOS GERAIS ECONÔMICOS - TURISMO E LAZER BELO HORIZONTE - MG Extensão territorial município 331 km² População total (2010) 2.375.151 habitantes Densidade 7.175 hab/km² PIB ano 2008 R$ 42.151 bilhões

Leia mais

TARIFA DO METRÔ DE SÃO PAULO

TARIFA DO METRÔ DE SÃO PAULO TARIFA DO METRÔ DE SÃO PAULO A COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO - METRÔ A Companhia do Metropolitano de São Paulo - Metrô foi constituída no dia 24 de abril de 1968; Hoje, o Metrô de São Paulo possui

Leia mais

MOBILIDADE REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

MOBILIDADE REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO MOBILIDADE REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO METRÔ LINHA 4 BARRA DA TIJUCA-IPANEMA A Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro é a maior obra de infraestrutura urbana em execução na América Latina. METRÔ

Leia mais

MOBILIDADE URBANA. Mauricio Muniz Barretto de Carvalho Secretário do PAC

MOBILIDADE URBANA. Mauricio Muniz Barretto de Carvalho Secretário do PAC MOBILIDADE URBANA Mauricio Muniz Barretto de Carvalho Secretário do PAC O QUE O GOVERNO FEDERAL JÁ FEZ Sanção da Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei 12.587/2012) Desoneração das tarifas do transporte

Leia mais

Projetos de Melhoria da Mobilidade Urbana até 2014

Projetos de Melhoria da Mobilidade Urbana até 2014 Projetos de Melhoria da Mobilidade Urbana até 2014 Melhoria da Infraestrutura Viária e Transporte na Capital Abril/2011 Mobilidade Urbana em Belo Horizonte BRT Antônio Carlos/Pedro I Meta 1 VIADUTOS DE

Leia mais

1

1 www.supervia.com.br 1 Trens Urbanos no Rio de Janeiro Histórico Antes da concessão, sob condições de transporte inadequadas, o número de passageiros caiu consistentemente Média de passageiros dias úteis

Leia mais

NOVAS OBRAS DE MOBILIDADE. Menos tempo no trânsito. Mais tempo com a família.

NOVAS OBRAS DE MOBILIDADE. Menos tempo no trânsito. Mais tempo com a família. NOVAS OBRAS DE MOBILIDADE Menos tempo no trânsito. Mais tempo com a família. NOVAS OBRAS DE MOBILIDADE BRT Cristiano Machado Empreendimento BRT Antônio Carlos / Pedro I -Meta 4A Trecho Centro - Pampulha

Leia mais

PLANO DE MITIGAÇÃO PERIMETRAL. Construção da nova Via Binário do Porto

PLANO DE MITIGAÇÃO PERIMETRAL. Construção da nova Via Binário do Porto PLANO DE MITIGAÇÃO PERIMETRAL Construção da nova Via Binário do Porto CRONOGRAMA 12/10 - sábado - Início da divulgação de medidas de redução de impacto sobre o trânsito Sinalização Incentivo ao uso de

Leia mais

A RIOTRILHOS e a Expansão do Metrô no Rio de Janeiro

A RIOTRILHOS e a Expansão do Metrô no Rio de Janeiro A RIOTRILHOS e a Expansão do Metrô no Rio de Janeiro 9ª Semana de Tecnologia Metroviária AEAMESP - Setembro/2003 Alexandre José Farah Diretor Presidente A Empresa RIOTRILHOS Criada em maio de 2001, a Companhia

Leia mais

METRÔ DE SÃO PAULO EXPANSÃO ALBERTO EPIFANI Gerente de Planejamento e Expansão dos Transportes Metropolitanos - METRÔ

METRÔ DE SÃO PAULO EXPANSÃO ALBERTO EPIFANI Gerente de Planejamento e Expansão dos Transportes Metropolitanos - METRÔ METRÔ DE SÃO PAULO EXPANSÃO 2012-2030 ALBERTO EPIFANI Gerente de Planejamento e Expansão dos Transportes Metropolitanos - METRÔ SÃO PAULO 13//06/2012 Expansão 2012-2030 2 REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana O Brasil vai continuar crescendo O Brasil vai continuar crescendo PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS MINISTÉRIO

Leia mais

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS DEZEMBRO 2013 DENSIDADE DE EMPREGOS ÁREA CENTRAL Plano Diretor 2013 Referências Trata da política de transporte e mobilidade urbana integrada com

Leia mais

SECRETARIA DE TRANSPORTES

SECRETARIA DE TRANSPORTES SECRETARIA DE TRANSPORTES Major Events Grandes Eventos 2013 Copa das Confederações 2013 Jornada Mundial da Juventude Católica 2014 Copa do Mundo de Futebol 2016 Jogos Olímpicos Soluções de Mobilidade para

Leia mais

Melhoria da Mobilidade em Belo Horizonte. Projetos para a Copa 2014

Melhoria da Mobilidade em Belo Horizonte. Projetos para a Copa 2014 Melhoria da Mobilidade em Belo Horizonte Projetos para a Copa 2014 Indicadores da Mobilidade Urbana em BH Distribuição espacial da demanda de transporte Sistema Ônibus no Hipercentro % das linhas Ônibus/dia

Leia mais

TRENS DE ALTA VELOCIDADE

TRENS DE ALTA VELOCIDADE TRENS DE ALTA VELOCIDADE LINHA RIO SÃO PAULO OS PROJETOS AVALIADOS TRANSCORR RSC, desenvolvido sob a coordenação do GEIPOT (empresa vinculada ao MT, atualmente em processo de liquidação), com recursos

Leia mais

Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte COPA 2014

Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte COPA 2014 INFRAESTRUTURA PARA A COPA 2014 Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte COPA 2014 Novembro/12 Agosto/2011 Empreendimentos de Mobilidade Urbana BRT Antônio Carlos/Pedro I Meta 1: Interseção com Av.

Leia mais

Brasília - Brasil Maio de 2006

Brasília - Brasil Maio de 2006 Brasília - Brasil Maio de 2006 Diagnóstico Início Diagnóstico Objetivos do Programa Intervenções Propostas Avanço das Atividades Tratamento Viário Diagnóstico Início Diagnóstico Objetivos do Programa Intervenções

Leia mais

IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE

IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE 1 IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE AUDIÊNCIA PÚBLICA OUTRAS INFORMAÇÕES 2266-0369 SMTR www.rio.rj.gov.br 2589-0557 SMO Rio de Janeiro

Leia mais

Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12

Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12 Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12 Divisão modal 2012/2002 Viagens 2012 0,1% 37,7% 31,4% Divisão modal 2012 Modo Viagens Percentual coletivo 4.115.275 31,4% individual

Leia mais

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Programa Paulista de Concessões Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Foz do Iguaçu, 13 de Maio de 2016 Sobre a ARTESP Criada pela Lei Complementar nº 914,

Leia mais

SEPLAN TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 SEPLAN SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

SEPLAN TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 SEPLAN SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SEPLAN TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 AGENDA ESTRATÉGIA PERSPECTIVAS ECONÔMICAS MATRIZ DE RESPONSABILIDADES MONOTRILHO CONSIDERAÇÕES FINAIS ESTRATÉGIA Concepção Planejamento Execução

Leia mais

SUPERVIA EM TRANSFORMAÇÃO

SUPERVIA EM TRANSFORMAÇÃO SUPERVIA EM TRANSFORMAÇÃO 1 SUPERVIA EM TRANSFORMAÇÃO Força trabalho 3.835 profissionais Frota atual Operacional: 163 Abrangência 12 Municípios Operação Pontualidade: > 92% Com ar condicionado: 59 270

Leia mais

EMPREENDIMENTO DO VLT

EMPREENDIMENTO DO VLT SIM da RMBS Sistema Integrado Metropolitano Voltado à prestação do serviço de transporte público coletivo na Região Metropolitana da Baixada Santista RMBS Comitê técnico II - Desenvolvimento Socioeconômico,

Leia mais

As Olimpíadas. e a Conquista da Cidade. e a Conquista da Cidade

As Olimpíadas. e a Conquista da Cidade. e a Conquista da Cidade Legado Urbano e Ambiental Ações Prioritárias: rias: - Reordenamento do espaço o urbano - Integração do sistema de transporte - Despoluição e controle ambiental - Reabilitação de áreas centrais degradadas

Leia mais

Os Desafios da Expansão ferroviária na RMSP Obra Segregação Leste. Caio de Vilhena Petroni 21ª AEAMESP SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA

Os Desafios da Expansão ferroviária na RMSP Obra Segregação Leste. Caio de Vilhena Petroni 21ª AEAMESP SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA Os Desafios da Expansão ferroviária na RMSP Obra Segregação Leste Caio de Vilhena Petroni 21ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA AEAMESP 2 Introdução Construção de linha para transporte de carga eliminando

Leia mais

EVOLUÇÃO DAS VIAGENS COM UTILIZAÇÃO DE METRÔ E TREM METROPOLITANO RESULTADOS DA PESQUISA DE MOBILIDADE 2012

EVOLUÇÃO DAS VIAGENS COM UTILIZAÇÃO DE METRÔ E TREM METROPOLITANO RESULTADOS DA PESQUISA DE MOBILIDADE 2012 EVOLUÇÃO DAS VIAGENS COM UTILIZAÇÃO DE METRÔ E TREM METROPOLITANO RESULTADOS DA PESQUISA DE MOBILIDADE 2012 Maria Cecilia Masagão Andreoli de Oliveira 20ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA CATEGORIA

Leia mais

A Concessão e sua Gestão

A Concessão e sua Gestão A Concessão e sua Gestão Sumário A LICITAÇÃO A EMPRESA O QUE DEU CERTO SOB A ÓTICA DO ESTADO O QUE DEU CERTO SOB A ÓTICA DO CLIENTE PRINCIPAIS INVESTIMENTOS REALIZADOS PELA CONCESSIONÁRIA DIFICULDADES

Leia mais

Tratamento de esgotos na Região Metropolitana de São Paulo. Seminário Saneamento na Rede Rio de Janeiro 19/05/2010

Tratamento de esgotos na Região Metropolitana de São Paulo. Seminário Saneamento na Rede Rio de Janeiro 19/05/2010 Tratamento de esgotos na Região Metropolitana de São Paulo Seminário Saneamento na Rede Rio de Janeiro 19/05/2010 Índice de Atendimento Sabesp Abastecimento de Água 1994 95% 2001 100% 2010 Final de 2010

Leia mais

Custos dos Deslocamentos (Custos para usar ônibus, moto e automóvel)

Custos dos Deslocamentos (Custos para usar ônibus, moto e automóvel) Custos dos Deslocamentos (Custos para usar ônibus, moto e automóvel) Dados de março de 2010 Sumário 1 Avaliação Geral...3 1.1 Consumo de espaço, tempo e energia por auto, ônibus e moto...3 1.2 Custos para

Leia mais

A INTEGRAÇÃO NOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DO BRASIL RESULTADO DA PESQUISA REALIZADA PELO GT INTEGRAÇÃO DA COMISSÃO METROFERROVIÁRIA DA ANTP

A INTEGRAÇÃO NOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DO BRASIL RESULTADO DA PESQUISA REALIZADA PELO GT INTEGRAÇÃO DA COMISSÃO METROFERROVIÁRIA DA ANTP A INTEGRAÇÃO NOS SISTEMAS DE TRANSPORTE PÚBLICO DO BRASIL RESULTADO DA PESQUISA REALIZADA PELO GT INTEGRAÇÃO DA COMISSÃO METROFERROVIÁRIA DA ANTP 1ª ETAPA A INTEGRAÇÃO NOS SISTEMAS METROFERROVIÁRIOS OPERADORAS

Leia mais

LICITAÇÃO DO STPP/RMR. Programa Estadual de Mobilidade Urbana PROMOB

LICITAÇÃO DO STPP/RMR. Programa Estadual de Mobilidade Urbana PROMOB Programa Estadual de Mobilidade Urbana PROMOB Municípios: 14 População: 3.690.547 hab Área: 2.768,45 km 2 ARAÇOIABA SÃO LOURENÇO DA MATA MORENO 49.205 189 90.402 277 15.108 90 CABO DE SANTO AGOSTINHO

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE PORTO MARAVILHA

PLANO DE MOBILIDADE PORTO MARAVILHA PLANO DE MOBILIDADE PORTO MARAVILHA CRONOGRAMA 12/10 sábado - Início da divulgação de medidas de redução de impacto sobre o trânsito Sinalização Incentivo ao uso de rotas alternativas Campanha para incentivo

Leia mais

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS ESPELHO DE 001 - Construção do Contorno Ferroviário de Curitiba AUTOR DA Luciano Ducci 37050001 539 0141 - Promover a expansão da malha ferroviária federal

Leia mais

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS CONCESSIONÁRIAS 1- NOVOESTE Ferrovia Novoeste S.A. 2- FCA Ferrovia Centro-Atlântica S.A. 3- MRS MRS Logística S.A. 4- FTC Ferrovia Tereza Cristina S.A. 5- ALL

Leia mais

Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte

Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte I Seminário Nacional de Política Urbana e Ambiental Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil Brasília abril 2016 Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte Tiago Esteves Gonçalves da Costa ESTRUTURA

Leia mais

BRT em Belo Horizonte Melhoria da Mobilidade para a Copa 2014

BRT em Belo Horizonte Melhoria da Mobilidade para a Copa 2014 BRT em Belo Horizonte Melhoria da Mobilidade para a Copa 2014 Situação Atual População de Belo Horizonte: 2,4 milhões de habitantes População da RMBH: 4,5 milhões de habitantes 3,8 milhões de viagens/dia

Leia mais

- Metrovias - Buenos Aires (gabarito estreito) - CMSP Linha 5 e Santiago Linha 4 (gabarito médio) - CMSP e CMRJ - Carros Novos (gabarito largo)

- Metrovias - Buenos Aires (gabarito estreito) - CMSP Linha 5 e Santiago Linha 4 (gabarito médio) - CMSP e CMRJ - Carros Novos (gabarito largo) CUSTOS COMPARATIVOS ENTRE SISTEMAS DE TRANSPORTE Nestor S. Tupinambá set/2004 1 COMPARAÇÃO DOS DIFERENTES MODOS Vamos usar dados dos seguintes Metrôs - Metrovias - Buenos Aires (gabarito estreito) - CMSP

Leia mais

estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM

estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM estruturando a mobilidade da metrópole COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS Sérgio Avelleda Diretor Presidente - CPTM novembro/2008 Região Metropolitana da Grande São Paulo 39 municípios 19,7 milhões

Leia mais

Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte. Prefeitura de Belo Horizonte

Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte. Prefeitura de Belo Horizonte Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte Prefeitura de Belo Horizonte Belo Horizonte, fevereiro/2011 ASPECTOS GERAIS DA CIDADE DE BELO HORIZONTE Área superficial : 330 km 2 População : 2,5 milhões

Leia mais

Foi base para a estruturação da Lei Nº /2014 Estatuto da Metrópole. Criação: 1973 Lei LC14/1973; LCE 88/2006 e LCE 89/2006

Foi base para a estruturação da Lei Nº /2014 Estatuto da Metrópole. Criação: 1973 Lei LC14/1973; LCE 88/2006 e LCE 89/2006 1 SBC 09/06/2016 1 2 Criação: 1973 Lei LC14/1973; LCE 88/2006 e LCE 89/2006 Cidade Pólo: Belo Horizonte Foi base para a estruturação da Lei Nº 13.089 /2014 Estatuto da Metrópole Área: 9.472,4 Km 2 (1,6%

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA CORSAN VISÃO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA CORSAN VISÃO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA CORSAN VISÃO 2015: atingir a meta de 30% no atendimento de esgotos sanitários e manter os 98% nos níveis de cobertura de água na área de atuação e buscar a inserção em novos

Leia mais

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O BRT MOVE PERSPECTIVA DE ESTAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA NA ÁREA CENTRAL

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O BRT MOVE PERSPECTIVA DE ESTAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA NA ÁREA CENTRAL TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O BRT MOVE PERSPECTIVA DE ESTAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA NA ÁREA CENTRAL Neste guia você vai encontrar as principais informações que precisa para embarcar no novo sistema

Leia mais

2.1 Distribuição por Estado Previsões para projetos Desapropriações Obras 8

2.1 Distribuição por Estado Previsões para projetos Desapropriações Obras 8 1 Índice 1 Introdução 1.1 Recursos de financiamento para as arenas 3 1.2 Sem metrô, com monotrilho e BRT 4 1.3 A participação dos projetos 4 2 Mobilidade Urbana - Copa do Mundo 2014 2.1 Distribuição por

Leia mais

CAOS LOGÍSTICO REGIONAL

CAOS LOGÍSTICO REGIONAL CAOS LOGÍSTICO REGIONAL O POLO, O PORTO E AS CIDADES NÃO PODEM PARAR Carolina Lembo Gerente do Departamento de Infraestrutura ÍNDICE 1. Contextualização 2. Vantagens do Polo de Cubatão 3. Entraves Logísticos

Leia mais

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Belo Horizonte. Setembro/2013

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Belo Horizonte. Setembro/2013 CodeP1 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede: Belo Horizonte Setembro/2013 Belo Horizonte: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s CodeP2 Referência Set/13, Distribuição dos

Leia mais

Serviços de Transporte Rodoviário Interestadual de Passageiros. Mobilidade Urbana

Serviços de Transporte Rodoviário Interestadual de Passageiros. Mobilidade Urbana Serviços de Transporte Rodoviário Interestadual de Passageiros Mobilidade Urbana Superintendência de Serviços de Transportes de Passageiros Gerência de Regulação e Outorga de Estrutura da Apresentação

Leia mais

2. La success story Citadis. as soluções da Alstom para transporte de média capacidade nas cidades brasileiras

2. La success story Citadis. as soluções da Alstom para transporte de média capacidade nas cidades brasileiras 2. La success story Citadis as soluções da Alstom para transporte de média capacidade nas cidades brasileiras era uma vez uma cidade... Onibus Pphpd > 5000 Onibus Pphpd < 5000 Periferia 1 Onibus Pphpd

Leia mais

Mobilidade. Secretaria Municipal de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana. Prefeitura de Nova Iguaçu SEMTMU

Mobilidade. Secretaria Municipal de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana. Prefeitura de Nova Iguaçu SEMTMU Mobilidade Secretaria Municipal de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana Prefeitura de Nova Iguaçu Principais Ações Criação do Centro de Operações de Nova Iguaçu CONIG 76 câmeras Principais Ações Centralização

Leia mais

CORREDOR METROPOLITANO ITAPEVI SÃO PAULO

CORREDOR METROPOLITANO ITAPEVI SÃO PAULO CORREDOR METROPOLITANO ITAPEVI SÃO PAULO Autor: Engº Roberto Carlos Fazilari Chefe do Departamento de Implantação de Obras da EMTU/SP, Gestor de Projeto do Plano de Expansão do Governo do Estado de São

Leia mais

O MAIOR GRUPO DE VEÍCULOS OUT OF HOME DO BRASIL

O MAIOR GRUPO DE VEÍCULOS OUT OF HOME DO BRASIL O MAIOR GRUPO DE VEÍCULOS OUT OF HOME DO BRASIL Outernet é uma empresa líder em mídia out of home no Brasil, que engloba soluções de comunicação em transporte público nas principais cidades. Surgimos para

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS P P P. Parcerias Público-Privadas Governo do Estado do Rio de Janeiro

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS P P P. Parcerias Público-Privadas Governo do Estado do Rio de Janeiro SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS P P P Parcerias Público-Privadas Governo do Estado do Rio de Janeiro MODALIDADE DE PPP s Característica Contratos de Concessão Lei

Leia mais

Trens Regionais e Turísticos. João Paulo de Jesus Lopes Secretaria dos Transportes Metropolitanos

Trens Regionais e Turísticos. João Paulo de Jesus Lopes Secretaria dos Transportes Metropolitanos Trens Regionais e Turísticos João Paulo de Jesus Lopes Secretaria dos Transportes Metropolitanos O início Decreto nº 55.564, de 15 de março de 2010 amplia as atribuições da STM e permite que atue no transporte

Leia mais

taxa de crescimento da população (TXP) densidade demográfica (habitantes/km 2 ) área (km 2 ) população reestimada (Pr) diferença (Pr-P)

taxa de crescimento da população (TXP) densidade demográfica (habitantes/km 2 ) área (km 2 ) população reestimada (Pr) diferença (Pr-P) ano população P (n.º de habitantes) Sistema de Informações da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte (SisMob-BH) Tabela 241 - Indicadores populacionais de Belo Horizonte (1991-2014) com populações reestimadas

Leia mais

COMISSÃO DE VIAÇÃO E TRANSPORTES PROJETO DE LEI Nº 6.876, DE 2010

COMISSÃO DE VIAÇÃO E TRANSPORTES PROJETO DE LEI Nº 6.876, DE 2010 COMISSÃO DE VIAÇÃO E TRANSPORTES PROJETO DE LEI Nº 6.876, DE 2010 Altera a Lei nº 10.233, 2001, que dispõe sobre a reestruturação dos transportes aquaviário e terrestre, e dá outras providências. Autor:

Leia mais

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV PROJETO TAV BRASIL RIO SÃO PAULO - CAMPINAS

TREM DE ALTA VELOCIDADE - TAV PROJETO TAV BRASIL RIO SÃO PAULO - CAMPINAS 18ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA Painel 7 - Trens Regionais e de Longo Percurso com Média e Alta Velocidade PROJETO TAV BRASIL RIO SÃO PAULO - CAMPINAS HÉLIO MAURO FRANÇA Superintendente Executivo

Leia mais

Programa de Descentralização da Gestão dos Trens Urbanos

Programa de Descentralização da Gestão dos Trens Urbanos Programa de Descentralização da Gestão dos Trens Urbanos O que é Objetivos Modelo Estratégia do Modelo Adotado Implementação Crítica Proposta de um novo modelo Execução orçamentária dos trens metropolitanos

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE Capítulo 1 INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE TRANSPORTE Tecnologia dos Transportes 2 SISTEMAS DE TRANSPORTE E SOCIEDADE De extrema importância para o desenvolvimento de uma sociedade O desenvolvimento está diretamente

Leia mais

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S.

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. Duarte Objeto da pesquisa Relação entre adensamento, multifuncionalidade

Leia mais

MRS Logística. Negócios nos Trilhos. Nov

MRS Logística. Negócios nos Trilhos. Nov MRS Logística Negócios nos Trilhos Nov - 2011 Quem somos Concessionária Pública de Transporte Ferroviário, que interliga os três principais centros industriais do país: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas

Leia mais

Estudo Particular. Rede de Trens Metropolitanos de Belo Horizonte. Previsão de Implantação Máxima

Estudo Particular. Rede de Trens Metropolitanos de Belo Horizonte. Previsão de Implantação Máxima Estudo Particular. Rede de Trens Metropolitanos de Belo Horizonte. Previsão de Implantação Máxima Legenda Vespasiano Linha 1 Vespasiano Contagem Linha 2 Tirol Paraíso Linha 3 Ibirité Praça do Papa METRÔ

Leia mais

SuperVia Concessionária de Transporte Ferroviário S.A. SUPERVIA

SuperVia Concessionária de Transporte Ferroviário S.A. SUPERVIA SuperVia Concessionária de Transporte Ferroviário S.A. SUPERVIA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO Maior taxa de urbanização do Brasil (99,3%) Maior índice de concentração populacional do Brasil (1.909,75

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO. Infraestrutura necessária para realização da Copa do Mundo FIFA 2014

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO. Infraestrutura necessária para realização da Copa do Mundo FIFA 2014 TM GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO Infraestrutura necessária para realização da Copa do Mundo FIFA 2014 SOLUÇÕES ENCAMINHADAS Constituição do COMITÊ PAULISTA (Grupo Executivo

Leia mais

SMART CAMPUS: UM NOVO PARADIGMA DE MOBILIDADE PARA O CAMPUS II DA UFG

SMART CAMPUS: UM NOVO PARADIGMA DE MOBILIDADE PARA O CAMPUS II DA UFG SMART CAMPUS: UM NOVO PARADIGMA DE MOBILIDADE PARA O CAMPUS II DA UFG A mobilidade urbana é um desafio crescente nas cidades brasileiras. Na metrópole goiana observa-se uma alta taxa de motorização individual.

Leia mais

AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS

AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS OPORTUNIDADES PROMOVER ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO E ALÍVIO DOS VOLUMES DE TRÁFEGO IMPORTANTE VIA ESTRUTURAL.

Leia mais

A CIDADE ONDE QUEREMOS VIVER Planejamento Urbano e Viário. São Luís, 18 de junho de 2012

A CIDADE ONDE QUEREMOS VIVER Planejamento Urbano e Viário. São Luís, 18 de junho de 2012 A CIDADE ONDE QUEREMOS VIVER Planejamento Urbano e Viário São Luís, 18 de junho de 2012 NOVO CORREDOR DE TRANSPORTE URBANO DE SÃO LUÍS-MA EXPANSÃO DO SISTEMA VIÁRIO ITAQUI-BACANGA LEI DA MOBILIDADE

Leia mais

Implantação de um Projeto Metroviário e sua Complexidade

Implantação de um Projeto Metroviário e sua Complexidade A Contribuição dos Trilhos para a Mobilidade Implantação de um Projeto Metroviário e sua Complexidade Eng. Peter L. Alouche Consultor A Contribuição dos Trilhos para a Mobilidade 11 a 14 de setembro São

Leia mais

Calçada Para Todos Mobilidade Urbana LONDRINA, PR

Calçada Para Todos Mobilidade Urbana LONDRINA, PR Calçada Para Todos Mobilidade Urbana LONDRINA, PR MUNICÍPIO DE LONDRINA CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE LONDRINA Situado ao norte do estado do Paraná Município foi criado em dezembro de 1934 e acaba de

Leia mais

Obras de mobilidade urbana de BH

Obras de mobilidade urbana de BH Obras de mobilidade urbana de BH Belo Horizonte foi a primeira cidade sede da Copa do Mundo Fifa 2014 a assinar os contratos de financiamentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade,

Leia mais

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Como Acelerar a Implantação dos Empreendimentos Metroferroviários Vicente Abate Diretor Comercial ANPTrilhos Brasília,

Leia mais

BRT MOVE TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O

BRT MOVE TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O TUO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O BRT MOVE PERSPECTIVA A de integração TRANSPORTE PÚBLICO E QUALIAE NAS RUAS E BH PERSPECTIVA E UMA E TRANSFERÊNCIA NA ÁREA CENTRAL BH vai ter um sistema de transporte

Leia mais

MOBILIDADE URBANA. Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão

MOBILIDADE URBANA. Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão MOBILIDADE URBANA Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão MOBILIDADE URBANA RECURSO DISPONÍVEL 143 bilhões ANTES DO PACTO R$ 93 bilhões 62% das obras concluídas ou em execução

Leia mais

Curitiba, 2015 REALIZAÇÃO: APOIO:

Curitiba, 2015 REALIZAÇÃO: APOIO: Curitiba, 2015 Daniela Facchini, Diretora de Mobilidade Urbana Cristina Albuquerque, Coordenadora de Mobilidade Urbana Mariana Barcelos, Analista de Mobilidade Urbana Desenvolvido pelo WRI Brasil Cidades

Leia mais

SUGESTÃO DE LINHAS DE ÔNIBUS PARA CONCURSO 2015 - TRT-3ª REGIÃO LOCAL de PROVA ENDEREÇO ÔNIBUS EMBARQUE DESEMBARQUE

SUGESTÃO DE LINHAS DE ÔNIBUS PARA CONCURSO 2015 - TRT-3ª REGIÃO LOCAL de PROVA ENDEREÇO ÔNIBUS EMBARQUE DESEMBARQUE SUGESTÃO DE LINHAS DE ÔNIBUS PARA CONCURSO 2015 - TRT-3ª REGIÃO LOCAL de PROVA ENDEREÇO ÔNIBUS EMBARQUE DESEMBARQUE UNA - CAMPUS AIMORES R. AIMORES, 1451, LOURDES 5106 Avenida Afonso Pena, 540 Avenida

Leia mais

CORREDOR METROPOLITANO VEREADOR BILÉO SOARES NOROESTE - RMC

CORREDOR METROPOLITANO VEREADOR BILÉO SOARES NOROESTE - RMC ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ÁREA DE ATUAÇÃO: ESTADO DE SÃO PAULO REGIÕES METROPOLITANAS A EMTU é Responsável pelo gerenciamento do transporte coletivo intermunicipal metropolitano RMC RMVP RMBS - 1,8 milhão

Leia mais

MOBILIDADE METROPOLITANA E PROJETO URBANO

MOBILIDADE METROPOLITANA E PROJETO URBANO MOBILIDADE METROPOLITANA E PROJETO URBANO SEMINÁRIO RIO METROPOLITANO: DESAFIOS COMPARTILHADOS O FUTURO DA MOBILIDADE NA METRÓPOLE VERTICALIDADES Aspectos metropolitanos HORIZONTALIDADES Interações entre

Leia mais

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE SP

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE SP DIRETRIZES DA POLÍTICA DE MOBILIDADE SP SETEMBRO 2014 ANTECEDENTES CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 182/183 > CONDICIONAM O DIREITO DE PROPRIEDADE A SUA FUNÇÃO SOCIAL INSTRUMENTOS PARA CUMPRIR FUNÇÃO SOCIAL DA

Leia mais

A ESTRUTURA URBANA E PROJETOS PARA OS SISTEMAS DE TRANSPORTE NA GBH

A ESTRUTURA URBANA E PROJETOS PARA OS SISTEMAS DE TRANSPORTE NA GBH A ESTRUTURA URBANA E PROJETOS PARA OS SISTEMAS DE TRANSPORTE NA GBH TEMA-CHAVE "ESTRUTURA URBANA" Data: 8 de Maio de 2002 Local: Palácio das Artes Participantes: Afonso Henrique Fraga de Souza Artur José

Leia mais

Extensão Norte Linha 1 - TRENSURB São Leopoldo - Novo Hamburgo

Extensão Norte Linha 1 - TRENSURB São Leopoldo - Novo Hamburgo Extensão Norte Linha 1 - TRENSURB São Leopoldo - Novo Hamburgo Metrô em elevado com extensão de 9,3 Km com rede elétrica aérea, sinalização, bilhetagem eletrônica, escadas rolantes Quatro Estações de Passageiros

Leia mais

O impacto da integração tarifária na mobilidade urbana da RMSP. Lucas Alonso 21ª AEAMESP SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA

O impacto da integração tarifária na mobilidade urbana da RMSP. Lucas Alonso 21ª AEAMESP SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA O impacto da integração tarifária na mobilidade urbana da RMSP Lucas Alonso 21ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA AEAMESP O impacto da integração tarifária na mobilidade urbana da RMSP 2 Análise da

Leia mais

Mapa dos Corredores Estruturais

Mapa dos Corredores Estruturais Mapa dos es Estruturais Industrial Umuarama Norte Oeste Dona Zulmira Central Leste Novo Mundo Planalto Sudoeste Jardins Sul Sudeste Santa Luzia Universitário Anéis Oeste Planalto Norte Dona Zulmira Sudoeste

Leia mais

Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade

Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade 1 Curso de Gestão de Mobilidade Urbana Ensaio Crítico Turma 18 Transporte Público coletivo como prioridade Fernando Soares dos Santos (*) O planejamento das cidades para as próximas décadas passa, necessariamente,

Leia mais

AUTOMAÇÃO INTEGRAL NA MOVIMENTAÇÃO DE TRENS

AUTOMAÇÃO INTEGRAL NA MOVIMENTAÇÃO DE TRENS AUTOMAÇÃO INTEGRAL NA MOVIMENTAÇÃO DE TRENS Objetivo Tendência Mundial Obstáculos Pontos Positivos Disponibilidade Tecnológica Conclusões MOBILIDADE URBANA - MAIS METRÔ RECURSOS PARA IMPLANTAÇÃO EQUILÍBRIO

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 Índice 10 Santa Catarina 10 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 17 Infraestrutura

Leia mais

Companhia de Engenharia de Tráfego CET

Companhia de Engenharia de Tráfego CET Secretaria Municipal de Transporte SMT Sec e a a u cpa de a spo e S Companhia de Engenharia de Tráfego CET Anhanguera Bandeirantes Fernão Dias Presidente Dutra Ayrton Senna MAIRIPORÃ Castello Branco CAIEIRAS

Leia mais

OPERAÇÃO DE TRÂNSITO PARA A 16ª PARADA DO ORGULHO LGBT DE BELÔ

OPERAÇÃO DE TRÂNSITO PARA A 16ª PARADA DO ORGULHO LGBT DE BELÔ OPERAÇÃO DE TRÂNSITO PARA A 16ª PARADA DO ORGULHO LGBT DE BELÔ, NESTE DOMINGO, 29/9/13 TRANSPORTE PÚBLICO: Linhas Afetadas / Alteração de Itinerário / PEDs Desativados: Linha Desvio Ponto interditado Ponto

Leia mais

A A Pesquisa Origem e Destino O O se recupera frente ao O O por segmentos da população O O ao longo do dia O O por motivos de viagem O O por regiões d

A A Pesquisa Origem e Destino O O se recupera frente ao O O por segmentos da população O O ao longo do dia O O por motivos de viagem O O por regiões d 15ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA TRANSPORTE COLETIVO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO A RECUPERAÇÃO DO MODO COLETIVO FRENTE AO MODO INDIVIDUAL A A Pesquisa Origem e Destino O O se recupera

Leia mais

Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12

Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12 Resultados iniciais Relatório de Mobilidade RMBH Coletiva de Imprensa 19/12 Premissas de trabalho u Articulação entre profissionais da engenharia/técnicos MG, por meio da Câmara Temática de Mobilidade;

Leia mais

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015 Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro Rio Metropolitano Jorge Arraes 09 de julho 2015 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas Em 2009, institucionalizou-se

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA - 2014 Índice Santa Catarina 1 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 2 Infraestrutura de Transportes Modal

Leia mais