Fármacos antidepressivos. Prof. Dr. Gildomar Lima Valasques Junior Farmacêutico Clínico-Industrial Doutor em Biotecnologia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fármacos antidepressivos. Prof. Dr. Gildomar Lima Valasques Junior Farmacêutico Clínico-Industrial Doutor em Biotecnologia"

Transcrição

1 Prof. Dr. Gildomar Lima Valasques Junior Farmacêutico Clínico-Industrial Doutor em Biotecnologia Jequié 2015

2 Introdução Depressão é um dos transtornos psiquiátricos mais comuns Classificação Depressão reativa ou secundária Depressão melancólica ou recorrente Distúrbio bioquímico Depressão associada a transtorno bipolar Maníaco-depressivo Sintomas depressivos persistentes por mais de uma semana necessita de tratamento farmacológico

3 Introdução Patogenia Reserpina como indutor da depressão Depleção das reservas de catecolaminas Está associada à diminuição da transmissão sináptica Classes de antidepressivos Tricíclicos Inibidores da recaptação de aminas Inibidores da degradação (MAO)

4 Antidepressivos tricíclicos Núcleo com 3 anéis Semelhantes a anti histamínicos de primeira geração Fenotiazina Imipramina e amitriptilina são os protótipos dessa classe Inibidores da recaptação de norepinefrina e serotonina

5 Agentes de segunda e terceira geração geração Introduzidos entre 1980 e 2005 Podem ter o anel tricíclico ou não Venlafaxina, mirtazapina e duloxetina são representantes dessa classe

6 Inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRS) Principal representante é a fluoxetina Pouca reação autonômica Estrutura totalmente diferentes dos tricíclicos

7 Inibidores da monoaminooxidase (MAO) A MAO é responsável pela degradação de neurotransmissores Tipos de MAO MAO-A MAO-B Inibidores seletivos para MAO-B selegilina Usada para depressão maior e Parkinson

8 Farmacocinética Antidepressivos tricíclicos Baixa biodisponibilidade Alto volume de distribuição Metabolismo Abertura do anel triciclo Monodesmetilação Alguns formam metabólitos ativos

9 Farmacocinética Agentes de segunda e terceira geração Semelhantes ao ADT Venlafaxina tem meia vida curta Inicia com mais de uma dose ao dia Apresentações de liberação prolongada podem ser administradas em dose única

10 Farmacocinética Inibidores seletivos da recaptação de serotonina Alguns possuem meia vida longa Fluoxetina citalopram A fluoxetina forma metabólito ativo Norfluoxetina que tem meia vida de 7 a 9 dias Existem alguns que são administrados 1 vez por semana Sertralina e paroxetina são semelhantes aos ADT em sua farmacocinética

11 Farmacocinética Inibidores da MAO Alta biodisponibilidade Meia vida não é útil para estabelecer dose Ação irreversível Efeitos perduram de 1 a 3 semanas após a interrupção do fármaco

12 Farmacodinâmica

13 Farmacodinâmica

14 14

15 15

16 16

17 17

18 18

19 Farmacologia clínica Indicações clínicas Depressão Humor deprimido Perda do interesse pelas atividades da vida Diagnóstico incerto Transtorno bipolar (maniaco-depressivo) Precisa ser tratada Alta incidência de suicídio Usa-se AD tradicionais

20 Farmacologia clínica Indicações clínicas Transtorno de ansiedade: Pânico, ansiedade generalizada e fobia social Imipramina apresenta boa resposta ISRS são utilizados e com menos efeitos colaterais Efeito se observa com 6 a 8 semanas Benzodiazepínicos são preferíveis Causam dependência física com o uso prolongado

21 Farmacologia clínica Indicações clínicas Transtorno obsessivo-compulsivo ISRS são os melhores a serem utilizados Alguns inibidores mistos podem ser utilizado Cormipramina Enurese noturna ADT podem ser utilizados Efeitos cardiovasculares limitam seu uso Altas doses Como seria o mecanismo?

22 Farmacologia clínica Indicações clínicas Dores crônicas Dores sem origem patológica definida ADT agem diretamente sobre a via da dor Tratam efeitos depressivos secundários à dor Venlafaxina e doloxetina tem ação contra dor ISRS não são efetivos para a dor crônica

23 Farmacologia clínica Indicações clínicas Outras indicações Transtorno da alimentação Fluoxetina Sibutramina Bulemina TPM Transtorno do déficit de atenção

24 Farmacologia clínica Escolha do fármaco Avaliar efeitos adversos Sedação Efeitos anticolinérgicos Taquicardia Tremores Sudorese Boca seca ADT x ISRS Avaliar preço Inibidores da MAO só são usados em pacientes que não responderam a outros tratamentos

25 Farmacologia clínica Interações medicamentosas Farmacodinâmicas Efeitos sedativos intensificados Contraposição de efeitos de anti hipertensivos IMAO com alimentos ricos em tiramina Efeitos no simpáticos ISRS com alimentos ricos em triptofano Síndrome serotoninérgica» Hipertermina» Rigidez muscular» Alterações nos sinais vitais

26 Farmacologia clínica Interações medicamentosas Interações farmacocinéticas Inibidores do citocromo P450 podem intensificar os efeitos dos antidepressivos Desmipramina Nortriptilina

A depressão é uma doença que afeta: o bem estar físico provocando cansaço, alterações no sono e mudanças de apetite. o bem estar mental provocando

A depressão é uma doença que afeta: o bem estar físico provocando cansaço, alterações no sono e mudanças de apetite. o bem estar mental provocando Antidepressivos A depressão é uma doença que afeta: o bem estar físico provocando cansaço, alterações no sono e mudanças de apetite. o bem estar mental provocando alterações de ânimo, no pensamento e no

Leia mais

Desordens Pisiquiátricas

Desordens Pisiquiátricas Universidade Estadual de Feira de Santana Departamento de Saúde Desordens Pisiquiátricas Manoelito Coelho dos Santos Junior Feira de Santana Conceitos Básicos Sedativo: efeito calmante Ansiolíticos: reduz

Leia mais

Farmacologia dos sedativos-hipnóticos

Farmacologia dos sedativos-hipnóticos Faculdade Mauricio de Nassau Disciplina: Farmacologia I Farmacologia dos sedativos-hipnóticos Profª. Me. Rosalina Coelho Jácome Campina Grande Insônia Ansiedade e tratamento Dificuldade em iniciar e/ou

Leia mais

INTRODUÇÃO. Transtornos do humor ou transtornos afetivos:

INTRODUÇÃO. Transtornos do humor ou transtornos afetivos: ANTIDEPRESSIVOS Profª. MSc. INTRODUÇÃO 2 INTRODUÇÃO Transtornos do humor ou transtornos afetivos: Unipolar ocorrência de episódios depressivos; Bipolar ocorrência de episódios depressivos e de mania. INTRODUÇÃO

Leia mais

Patologias psiquiátricas mais prevalentes na atenção básica: Alguns sintomas físicos ocorrem sem nenhuma causa física e nesses casos,

Patologias psiquiátricas mais prevalentes na atenção básica: Alguns sintomas físicos ocorrem sem nenhuma causa física e nesses casos, Diretrizes Gerais de Abordagem das Somatizações, Síndromes ansiosas e depressivas Alexandre de Araújo Pereira Patologias psiquiátricas mais prevalentes na atenção básica: Somatizações Transtornos Depressivos

Leia mais

Drogas do Sistema Nervoso Central

Drogas do Sistema Nervoso Central Drogas do Sistema Nervoso Central Depressão Conceito: Transtorno do humor(abaixamento persistente de humor) que influencia profundamente o comportamento e o pensamento, uma síndrome com sintomas e sinais

Leia mais

Transtornos podem ser considerados como Psíquicos Psiquiátricos

Transtornos podem ser considerados como Psíquicos Psiquiátricos Transtornos podem ser considerados como Psíquicos Psiquiátricos Alguns autores colocam como alterações de comportamento não acompanhadas de alterações de consciência Conceito de neurose Conceito de psicose

Leia mais

DOR PROTOCOLO DO TRATAMENTO CLÍNICO PARA O NEUROLOGISTA. Laura Sousa Castro Peixoto

DOR PROTOCOLO DO TRATAMENTO CLÍNICO PARA O NEUROLOGISTA. Laura Sousa Castro Peixoto DOR PROTOCOLO DO TRATAMENTO CLÍNICO PARA O NEUROLOGISTA Laura Sousa Castro Peixoto DOR Dor é uma sensação ou experiência emocional desagradável, associada com dano tecidual real ou potencial. IASP Tratamento

Leia mais

Ansiedade. Estado de tensão,apreensão ou inquietude,com causa iden4ficável ou não

Ansiedade. Estado de tensão,apreensão ou inquietude,com causa iden4ficável ou não Ansiedade Estado de tensão,apreensão ou inquietude,com causa iden4ficável ou não Manifestações somá4cas freqüentemente associadas:(palpitação torácica,sudorese,tremores Ansiedade Manifestações leves ou

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 105 /2013

RESPOSTA RÁPIDA 105 /2013 RESPOSTA RÁPIDA 105 /2013 SOLICITANTE Juíza de Direito: Dr(a). Juizado Especial 0512 Pirapora NÚMERO DO PROCESSO nº0512.13 003595-3 DATA 17/05/2013 1- O medicamento solicitados Venlafaxina (Venlift),é

Leia mais

Ansiedade Edvard Munch 1894

Ansiedade Edvard Munch 1894 Ansiedade Edvard Munch 1894 Ansiolíticos Fármacos utilizados no tratamento da ansiedade, reduzir sintomas ou intensidade das crises Hipnóticos São fármacos que causam sonolência e facilitam o início e

Leia mais

Fármacos AntiDepressivos

Fármacos AntiDepressivos Fármacos AntiDepressivos Prof. Dr. Marcos Moreira Prof. Adjunto de Farmacologia, ICB/UFJF Prof. Adjunto de Neurologia, FCMS/JF/SUPREMA Roteiro de Apresentação Definição de depressão; Histórico dos antidepressivos;

Leia mais

Farmacoterapia na Depressão

Farmacoterapia na Depressão Farmacoterapia na Depressão TRANSTORNOS MENTAIS Entendem-se como transtornos mentais e comportamentais condições clinicamente significativas caracterizadas por alterações do modo de pensar e do humor (emoções)

Leia mais

Fármacos anticonvulsivantes. Prof. Dr. Gildomar Lima Valasques Junior Farmacêutico Clínico-Industrial Doutor em Biotecnologia

Fármacos anticonvulsivantes. Prof. Dr. Gildomar Lima Valasques Junior Farmacêutico Clínico-Industrial Doutor em Biotecnologia Prof. Dr. Gildomar Lima Valasques Junior Farmacêutico Clínico-Industrial Doutor em Biotecnologia Jequié 2015 Epilepsia: O segundo mais freqüente distúrbio neurológico depois do AVE Terapia padrão é capaz

Leia mais

FREUD, S. (1915). Luto e melancolia. In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1969.

FREUD, S. (1915). Luto e melancolia. In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1969. FREUD, S. (1915). Luto e melancolia. In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1969. v. 14. DALGALARRONDO, P. Psicopatologia e Semiologia

Leia mais

FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL I (Ansiolíticos e hipnóticos) Prof. Igor Bomfim

FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL I (Ansiolíticos e hipnóticos) Prof. Igor Bomfim FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL I (Ansiolíticos e hipnóticos) Prof. Igor Bomfim O sintoma principal é a expectativa apreensiva ou preocupação exagerada, mórbida. ANSIEDADE ANSIEDADE Normal: - Adapta

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 185/2014 Informações sobre Depressão Donarem retard, Venlaxin, Frontal e Léptico

RESPOSTA RÁPIDA 185/2014 Informações sobre Depressão Donarem retard, Venlaxin, Frontal e Léptico RESPOSTA RÁPIDA 185/2014 Informações sobre Depressão Donarem retard, Venlaxin, Frontal e Léptico SOLICITANTE Dr. Rafael Murad Brumana Juiz de Direito de Lajinha NÚMERO DO PROCESSO Autos nº Nº 0377.14.000747-9

Leia mais

18/03/2015 Os medicamentos utilizados para tratamento de depressão ajudam os fumantes que estão tentando parar de fumar? Cochrane

18/03/2015 Os medicamentos utilizados para tratamento de depressão ajudam os fumantes que estão tentando parar de fumar? Cochrane Cochrane Evidências confiáveis. Decisões bem informadas. Melhor saúde. Os medicamentos utilizados para tratamento de depressão ajudam os fumantes que estão tentando parar de fumar? Introdução e objetivos

Leia mais

Assistência Farmacêutica na Depressão

Assistência Farmacêutica na Depressão Definição Assistência Farmacêutica na Depressão Grupo de atividades relacionadas com o medicamento, destinadas a apoiar as ações de saúde demandadas por uma comunidade, envolvendo o abastecimento de medicamentos

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 375/2013 Informações sobre Desvenlafaxina e Lamotrigina

RESPOSTA RÁPIDA 375/2013 Informações sobre Desvenlafaxina e Lamotrigina RESPOSTA RÁPIDA 375/2013 Informações sobre Desvenlafaxina e Lamotrigina SOLICITANTE Sra LÚCIA HELENA FERREIRA ESCRIVÃ JUDICIAL Juizado Especial da Comarca de Pará de Minas - MG NÚMERO DO PROCESSO Nº 0471-13-017860-4.

Leia mais

ANTIPARKINSONIANOS. FARMACOLOGIA II Prof. Ana Alice Universidade Nove de Julho

ANTIPARKINSONIANOS. FARMACOLOGIA II Prof. Ana Alice Universidade Nove de Julho ANTIPARKINSONIANOS FARMACOLOGIA II Prof. Ana Alice Universidade Nove de Julho MAL OU DOENÇA DE PARKINSON (DP) Caracterizado: Bradicinesia Rigidez muscular Tremor em repouso Desequilíbrio postural - distúrbios

Leia mais

Tema e Objectivos da Aula. Bibliografia

Tema e Objectivos da Aula. Bibliografia Anotadas do 4º Ano 2007/08 Data: 5 de Novembro de 2007 Disciplina: Terapêutica Prof.: Prof. Dra. Cristina Sampaio Tema da Aula: Ansiolíticos e Antidepressivos Autor(es): Pedro Pegado Equipa Correctora:

Leia mais

Farmacologia dos transtornos de ansiedade. Profa. Dra. Thais Porto Ribeiro Pós-doutorado na Université de Strasbourg - FRANÇA

Farmacologia dos transtornos de ansiedade. Profa. Dra. Thais Porto Ribeiro Pós-doutorado na Université de Strasbourg - FRANÇA Farmacologia dos transtornos de ansiedade Profa. Dra. Thais Porto Ribeiro Pós-doutorado na Université de Strasbourg - FRANÇA Grego: ANSHEIN que significa OPRIMIR/ SUFOCAR O que é ansiedade? Angústia: Desejo,

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 122/2014 Informações sobre transtorno de ansiedade generalizada e distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade

RESPOSTA RÁPIDA 122/2014 Informações sobre transtorno de ansiedade generalizada e distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade RESPOSTA RÁPIDA 122/2014 Informações sobre transtorno de ansiedade generalizada e distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade SOLICITANTE Dra. Renata Abranches Perdigão Juíza de Direito do JESP da

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 430/2014 Informações sobre Depressão: Clo e Frontal

RESPOSTA RÁPIDA 430/2014 Informações sobre Depressão: Clo e Frontal RESPOSTA RÁPIDA 430/2014 Informações sobre Depressão: Clo e Frontal SOLICITANTE Drª Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito Comarca de Itapecerica NÚMERO DO PROCESSO Autos nº 0335.14.1563-7 DATA

Leia mais

citalopram Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999

citalopram Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999 citalopram Medicamento Genérico, Lei nº 9.787, de 1999 FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Comprimidos revestidos de 20 mg. Embalagem com 30 comprimidos. USO ADULTO USO ORAL COMPOSIÇÃO Cada comprimido revestido

Leia mais

citalopram Merck S/A Comprimidos revestidos 20 mg

citalopram Merck S/A Comprimidos revestidos 20 mg citalopram Merck S/A Comprimidos revestidos 20 mg citalopram Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 20 mg FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Comprimidos revestidos - Embalagem contendo 30 comprimidos

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 203/2014 Informações sobre Venlafaxina e Olanzapina no tratamento da depressão

RESPOSTA RÁPIDA 203/2014 Informações sobre Venlafaxina e Olanzapina no tratamento da depressão RESPOSTA RÁPIDA 203/2014 Informações sobre Venlafaxina e Olanzapina no tratamento da depressão SOLICITANTE Dr Rafael Murad Brumana Juiz de Direito Comarca de Lajinha/MG NÚMERO DO PROCESSO Nº º 0377.14.000269-4

Leia mais

ANSIOLÍTICOS E HIPNÓTICOS

ANSIOLÍTICOS E HIPNÓTICOS ANSIOLÍTICOS E HIPNÓTICOS ANSIEDADE PATOLÓGICA ANSIEDADE: Reclamações verbais e queixas frequentes Efeitos somáticos com taquicardia, sudorese, distúrbios gastrintestinais Interferencia com a atividade

Leia mais

Camilla Miranda Danielle Guimarães Thainara Viana Carla Brito Yuri Durarte Gabriel Chacon Pedro Cruz Josenilson Fernandes Filipe Queiroz

Camilla Miranda Danielle Guimarães Thainara Viana Carla Brito Yuri Durarte Gabriel Chacon Pedro Cruz Josenilson Fernandes Filipe Queiroz Camilla Miranda Danielle Guimarães Thainara Viana Carla Brito Yuri Durarte Gabriel Chacon Pedro Cruz Josenilson Fernandes Filipe Queiroz Transtornos de ansiedade Ansiedade é um sentimento vago e desagradável

Leia mais

ANSIEDADE. Por: Tharcila Viana Chaves. O grito Edvard Munch

ANSIEDADE. Por: Tharcila Viana Chaves. O grito Edvard Munch ANSIEDADE Por: Tharcila Viana Chaves O grito Edvard Munch ANSIEDADE DEFINIÇÃO Desordem psiquiátrica caracterizada por sensações subjetivas de angústia e apreensão, acompanhadas de alterações periféricas,

Leia mais

Sensações intensas de melancolia, desesperança, desespero; Incapacidade de sentir prazer em atividades usuais;

Sensações intensas de melancolia, desesperança, desespero; Incapacidade de sentir prazer em atividades usuais; Curso - Psicologia Disciplina: Psicofarmacologia Resumo Aula 4- Depressão Maior e Distimia Sintomas da Depressão Sensações intensas de melancolia, desesperança, desespero; Incapacidade de sentir prazer

Leia mais

FICHA DE INCLUSÃO DO PACIENTE

FICHA DE INCLUSÃO DO PACIENTE FICHA DE INCLUSÃO DO PACIENTE Deverá ser preenchida pelo médico assistente O paciente não pode ter sido incluído na primeira fase do Epifibro Data: / / Nome: DN: / / RG: UF: Sexo: ( ) Feminino ( ) Masculino

Leia mais

AVALIAÇÃO DO USO DE ANTIDEPRESSIVOS POR ESTUDANTES DE UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR

AVALIAÇÃO DO USO DE ANTIDEPRESSIVOS POR ESTUDANTES DE UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 AVALIAÇÃO DO USO DE ANTIDEPRESSIVOS POR ESTUDANTES DE UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR 1 Letycia Longhi Scolaro; 2 Eliane

Leia mais

Farmacologia Autonômica colinérgica

Farmacologia Autonômica colinérgica Projeto: Atualização em Farmacologia Básica e Clínica Curso: Farmacologia Clínica do Sistema Nervoso Autônomo Farmacologia Autonômica colinérgica Prof. Dr. Gildomar Lima Valasques Junior Doutor em Biotecnologia

Leia mais

Epilepsia.! Causas prováveis:! infarto cerebral! tumor! infecção! trauma! doença degenerativa

Epilepsia.! Causas prováveis:! infarto cerebral! tumor! infecção! trauma! doença degenerativa Anticonvulsivantes Epilepsia! Transtorno neurológico crônico que atinge 0,5 1% da população.! Caracterizada por crises súbitas e espontâneas associadas à descarga anormal, excessiva e transitória de células

Leia mais

Farmacologia dos Antidepressivos/Ansiolíticos

Farmacologia dos Antidepressivos/Ansiolíticos Farmacologia dos Antidepressivos/Ansiolíticos Março, 2009 Fabrício A. Moreira (farmoreira@yahoo.com.br) Departamento de Farmacologia Instituto de Ciências Biológicas Vincent van Gogh Universidade Federal

Leia mais

NEUROPATIA DIABÉTICA

NEUROPATIA DIABÉTICA NEUROPATIA DIABÉTICA FATORES DE RISCO Hiperglicemia crônica Idade Duração da doença Obesidade HAS Tabagismo Etilismo Dislipidemia DCV Albuminúria Retinopatia Diabética CAUSAS Ocorrem vários processos cujo

Leia mais

Aspectos práticos da psicofarmacoterapia em crianças e adolescentes

Aspectos práticos da psicofarmacoterapia em crianças e adolescentes Aspectos práticos da psicofarmacoterapia em crianças e adolescentes Heloisa Helena Alves Brasil Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Psiquiatria. Doutora em Ciências da Saúde pela Universidade

Leia mais

Classificando as crises epilépticas para a programação terapêutica Farmacocinética dos fármacos antiepilépticos... 35

Classificando as crises epilépticas para a programação terapêutica Farmacocinética dos fármacos antiepilépticos... 35 Índice Parte 1 - Bases para a terapêutica com fármacos antiepilépticos Classificando as crises epilépticas para a programação terapêutica... 19 Classificação das Crises Epilépticas (1981)... 20 Classificação

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 150/2014 Informações sobre Depressão: Sertralina

RESPOSTA RÁPIDA 150/2014 Informações sobre Depressão: Sertralina RESPOSTA RÁPIDA 150/2014 Informações sobre Depressão: Sertralina SOLICITANTE NÚMERO DO PROCESSO Dra. Renata Abranches Perdigão Juíza de Direito do JESP da Fazenda Pública de Campo Belo Autos nº 112.14.001897-2

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL. Fernanda Maria Fantacini ANTIDEPRESSIVOS

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL. Fernanda Maria Fantacini ANTIDEPRESSIVOS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL Fernanda Maria Fantacini ANTIDEPRESSIVOS Ribeirão Preto-SP 2008 1 SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL

Leia mais

FARMACOLOGIA CURSO DE FARMÁCIA. SISTEMA NERVOSO CENTRAL Prof. Cezar

FARMACOLOGIA CURSO DE FARMÁCIA. SISTEMA NERVOSO CENTRAL Prof. Cezar FARMACOLOGIA CURSO DE FARMÁCIA SISTEMA NERVOSO CENTRAL Prof. Cezar DROGAS PSICOTRÓPICAS Conceito: drogas com tropismo para o SNC e que afetam o humor e o comportamento. Classificação-sugerida pela OMS

Leia mais

Profº André Montillo

Profº André Montillo Profº André Montillo www.montillo.com.br Definição: É a causa mais comum de dor musculoesquelética generalizada. É a enfermidade reumática mais frequente Os primeiros relatos datam de 1850, onde os pacientes

Leia mais

GRAVE. DEPRESSAo O QUE É A DEPRESSAO GRAVE? A depressão grave é uma condição médica comum e afeta 121 MILHÕES de pessoas em todo o mundo.

GRAVE. DEPRESSAo O QUE É A DEPRESSAO GRAVE? A depressão grave é uma condição médica comum e afeta 121 MILHÕES de pessoas em todo o mundo. APRESENTA GRAVE DEPRESSAo O QUE É A DEPRESSAO GRAVE? Indivíduos com depressão grave geralmente apresentam pelo menos 4 destes sintomas por pelo menos 2 semanas: Estado de ânimo depressivo; * Movimento,

Leia mais

FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL II (Anti-depressivos/ Estabilizadores do humor) Prof. MSc. Igor Bomfim

FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL II (Anti-depressivos/ Estabilizadores do humor) Prof. MSc. Igor Bomfim FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL II (Anti-depressivos/ Estabilizadores do humor) Prof. MSc. Igor Bomfim Um pouco sobre monoaminas... Neurotransmissores bioquímicos derivados de aminoácidos através

Leia mais

Medicamentos psicotrópicos e efeitos colaterais/adversos impactantes para atividades laborais.

Medicamentos psicotrópicos e efeitos colaterais/adversos impactantes para atividades laborais. Medicamentos psicotrópicos e efeitos colaterais/adversos impactantes para atividades laborais. Alternativas terapêuticas farmacológicas. Dr. João Luiz da Fonseca Martins Médico Psiquiatra Uniica . Principais

Leia mais

ANTIDEPRESSIVOS DE LIBERAÇÃO MODIFICADA: ESTUDOS COMPARATIVOS DOS MEDICAMENTOS COMERCIALIZADOS NO BRASIL.

ANTIDEPRESSIVOS DE LIBERAÇÃO MODIFICADA: ESTUDOS COMPARATIVOS DOS MEDICAMENTOS COMERCIALIZADOS NO BRASIL. ANTIDEPRESSIVOS DE LIBERAÇÃO MODIFICADA: ESTUDOS COMPARATIVOS DOS MEDICAMENTOS COMERCIALIZADOS NO BRASIL. ANTIDEPRESSIVES OF MODIFIED RELEASE: COMPARATIVE STUDIES OF MEDICINES COMMERCIALIZED IN BRAZIL.

Leia mais

ANSIEDADE E DEPRESSÃO

ANSIEDADE E DEPRESSÃO ANSIEDADE E DEPRESSÃO PSICOPATOLOGIA E ASPECTOS DIAGNÓSTICOS Definição de Dor (IASP, 1979) Dor segundo a definição de Meskley, aceita pela IASP é: Experiência sensorial e emocional desprazerosa associada

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 48/2013 Informações sobre Venlafaxina, Quetiapina, Midazolan e Ritalina em transtornos diversos

RESPOSTA RÁPIDA 48/2013 Informações sobre Venlafaxina, Quetiapina, Midazolan e Ritalina em transtornos diversos RESPOSTA RÁPIDA 48/2013 Informações sobre Venlafaxina, Quetiapina, Midazolan e Ritalina em transtornos diversos SOLICITANTE Dr. Emerson Corrêa de Oliveira Juiz de Direito - Cooperador 2ª Vara Cível da

Leia mais

AULA 7 BENZODIAZEPÍNICOS E HIPNÓTICOS FARMACOTERAPIA DOS DISTÚRBIOS NEUROLÓGICOS. Prof. Márcio Batista

AULA 7 BENZODIAZEPÍNICOS E HIPNÓTICOS FARMACOTERAPIA DOS DISTÚRBIOS NEUROLÓGICOS. Prof. Márcio Batista AULA 7 FARMACOTERAPIA DOS DISTÚRBIOS NEUROLÓGICOS BENZODIAZEPÍNICOS E HIPNÓTICOS Prof. Márcio Batista INTRODUÇÃO USO RACIONAL: Brasil é o 9º país do mundo em consumo per capita de medicamentos. Brasil

Leia mais

Prof. Msc. Carlos Renato Nogueira Mestre em Neurofarmacologia (UFC)

Prof. Msc. Carlos Renato Nogueira Mestre em Neurofarmacologia (UFC) Prof. Msc. Carlos Renato Nogueira Mestre em Neurofarmacologia (UFC) O termo psicose define um grande número de distúrbios mentais. A esquizofrenia é um tipo de psicose, caracterizado por uma percepção

Leia mais

Módulo: Tratamento dos Transtornos de Ansiedade

Módulo: Tratamento dos Transtornos de Ansiedade Especialização em Neuropsicologia Módulo: Tratamento dos Transtornos de Ansiedade Profa. Dra. Caroline Addison C. X. de Medeiros carolineaddisonfarma@yahoo.com.br Ansiedade É uma emoção normal, adaptativa

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 106/2014 APRAZ NO TRATAMENTO DA FIBROMIALGIA. Ilma Dra Valéria S. Sousa

RESPOSTA RÁPIDA 106/2014 APRAZ NO TRATAMENTO DA FIBROMIALGIA. Ilma Dra Valéria S. Sousa RESPOSTA RÁPIDA 106/2014 APRAZ NO TRATAMENTO DA FIBROMIALGIA SOLICITANTE Ilma Dra Valéria S. Sousa NÚMERO DO PROCESSO 0112.13.005931-7 DATA 07/03/2014 SOLICITAÇÃO Trata-se de Ação de Obrigação de Fazer

Leia mais

Terapêutica Farmacológica nas Perturbações do Espectro Autista

Terapêutica Farmacológica nas Perturbações do Espectro Autista Terapêutica Farmacológica nas Perturbações do Espectro Autista Paula Correia,, Armando Fernandes, Miguel Palha Centro de Desenvolvimento Infantil- Hospital Santa Maria Patologia Pervasiva do Desenvolvimento

Leia mais

EUTÍMICO EUTÍMICO 03/02/2014

EUTÍMICO EUTÍMICO 03/02/2014 Prof. José Reinaldo do Amaral EUTÍMICO Eficaz no controle da maniae da hipomania Eficaz no controle da depressão Sempioraro póloopostoda doença Eficaz naprofilaxiada maniae da depressão Estabiliza o humor

Leia mais

DISTÚRBIOS AFETIVOS I) DEFINIÇÃO II) EPIDEMIOLOGIA III) QUADRO CLÍNICO A) DEPRESSÃO

DISTÚRBIOS AFETIVOS I) DEFINIÇÃO II) EPIDEMIOLOGIA III) QUADRO CLÍNICO A) DEPRESSÃO DISTÚRBIOS AFETIVOS I) DEFINIÇÃO II) EPIDEMIOLOGIA III) QUADRO CLÍNICO A) DEPRESSÃO SINTOMAS Emocionais --> tristeza, fossa, baixo astral ansiedade irritabilidade anedonia Psicológicos --> culpa, sensação

Leia mais

cloridrato de nortriptilina

cloridrato de nortriptilina cloridrato de nortriptilina Bula para paciente Comprimido revestido 10 mg e 25 mg Bula_Cloridrato Nortriptilina_Paciente Página 1 17/6/2016 cloridrato de nortriptilina Medicamento genérico Lei nº 9.787,

Leia mais

Psicofarmacologia. Transtornos de Ansiedade. Transtornos de Ansiedade PSICOFARMACOLOGIA 15/05/2015

Psicofarmacologia. Transtornos de Ansiedade. Transtornos de Ansiedade PSICOFARMACOLOGIA 15/05/2015 Psicofarmacologia Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia PSICOFARMACOLOGIA Distúrbios Psiquiátricos - Tratamento : 1950 10 a 15% de prescrições - EUA Brasil prevalência de transtornos

Leia mais

MAXAPRAN BIOSINTÉTICA FARMACÊUTICA LTDA. Comprimido revestido 20 mg

MAXAPRAN BIOSINTÉTICA FARMACÊUTICA LTDA. Comprimido revestido 20 mg MAXAPRAN BIOSINTÉTICA FARMACÊUTICA LTDA. Comprimido revestido 20 mg BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: MAXAPRAN citalopram MEDICAMENTO SIMILAR

Leia mais

TEMA: Quetiapina e citalopram para tratamento misto ansioso e depressivo

TEMA: Quetiapina e citalopram para tratamento misto ansioso e depressivo NTRR 41/2013 Solicitante: Juiza Dra.Sabrina da Cunha Peixoto Ladeira Número do processo: 051213001877-7 Réu: Estado de Minas e Município de Pirapora Data: 11/04/2013 Medicamento X Material Procedimento

Leia mais

Síndromes depressivas. Prof. Eduardo Henrique Teixeira

Síndromes depressivas. Prof. Eduardo Henrique Teixeira Síndromes depressivas Prof. Eduardo Henrique Teixeira 1 Definição Síndromes depressivas caracterizam-se por diminuição em quase todos os aspectos das emoções e do comportamento, humor desolado e pessimista.

Leia mais

MEDICAMENTOS ANTIDEPRESSIVOS E ANTIPSICÓTICOS PRESCRITOS NO CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS) DO MUNICÍPIO DE PORCIÚNCULA RJ.

MEDICAMENTOS ANTIDEPRESSIVOS E ANTIPSICÓTICOS PRESCRITOS NO CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS) DO MUNICÍPIO DE PORCIÚNCULA RJ. MEDICAMENTOS ANTIDEPRESSIVOS E ANTIPSICÓTICOS PRESCRITOS NO CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS) DO MUNICÍPIO DE PORCIÚNCULA RJ. Pablo Sevidanes BARBOZA 1 & Denise Aparecida da SILVA 2 1 Farmacêutico

Leia mais

RISCOS DA INTERAÇÃO ENTRE BENZODIAZEPÍNICOS E ETANOL EM USUÁRIOS DE FARMÁCIAS COMUNITÁRIAS DA CIDADE DE MILAGRES- CEARÁ

RISCOS DA INTERAÇÃO ENTRE BENZODIAZEPÍNICOS E ETANOL EM USUÁRIOS DE FARMÁCIAS COMUNITÁRIAS DA CIDADE DE MILAGRES- CEARÁ RISCOS DA INTERAÇÃO ENTRE BENZODIAZEPÍNICOS E ETANOL EM USUÁRIOS DE FARMÁCIAS COMUNITÁRIAS DA CIDADE DE MILAGRES- CEARÁ Anna Daianny Belém de Oliveira 1 ; daianny.belem@hotmail.com; Maria Odaléia Crisóstomo

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação à classificação diagnóstica em psiquiatria e considerando o DSM-IV-TR e a CID-10, julgue os itens a seguir. 63 O uso da L-tri-iodotironina (T3) com vistas a potencializar

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO. Cada cápsula contém 5,9 mg de cloridrato de flunarizina (eq. a 5 mg de flunarizina)

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO. Cada cápsula contém 5,9 mg de cloridrato de flunarizina (eq. a 5 mg de flunarizina) RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. DENOMINAÇÃO DO MEDICAMENTO SIBELIUM 5 mg cápsulas SIBELIUM 10 mg comprimidos 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada cápsula contém 5,9 mg de cloridrato

Leia mais

TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS PSICOFARMACOLOGIA NOÇÕES (MUITO) BÁSICAS MARCELO RIBEIRO UNIDADE DE PESQUISA EM ÁLCOOL E DROGAS UNIAD UNIFESP PROF. DR.

TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS PSICOFARMACOLOGIA NOÇÕES (MUITO) BÁSICAS MARCELO RIBEIRO UNIDADE DE PESQUISA EM ÁLCOOL E DROGAS UNIAD UNIFESP PROF. DR. TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS & PSICOFARMACOLOGIA NOÇÕES (MUITO) BÁSICAS PROF. DR. MARCELO RIBEIRO UNIDADE DE PESQUISA EM ÁLCOOL E DROGAS UNIAD UNIFESP TRANSTORNOS ANSIOSOS TOC TRANSTORNO DO PÂNICO ANSIEDADE

Leia mais

Artigo do mês INIBIDORES SELETIVOS DA RECAPTAÇÃO DA SEROTONINA

Artigo do mês INIBIDORES SELETIVOS DA RECAPTAÇÃO DA SEROTONINA Psychiatry on line Brasil. Vol. 14. Janeiro de 2009. http://www.polbr.med.br/ano05/artigo1005b.php ARTIGO DE ATUALIZAÇÃO: Artigo do mês INIBIDORES SELETIVOS DA RECAPTAÇÃO DA SEROTONINA Paulo José R. Soares

Leia mais

Doxepina e Piroxicam. No tratamento da Cistite Intersticial

Doxepina e Piroxicam. No tratamento da Cistite Intersticial Doxepina e Piroxicam No tratamento da Cistite Intersticial Doxepina e Piroxicam No tratamento da Cistite Intersticial A cistite intersticial (CI), também conhecida como síndrome da bexiga dolorosa consiste

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 414/2014 Síndrome de La Tourette

RESPOSTA RÁPIDA 414/2014 Síndrome de La Tourette RESPOSTA RÁPIDA 414/2014 Síndrome de La Tourette SOLICITANTE Dr. Andre Ladeira da Rocha Leão. Juiz de Direito/Titular do Juizado Especial da Comarca de Muriaé/MG. NÚMERO DO PROCESSO 0439 14 009135-6 DATA

Leia mais

LIMBITROL Cápsula Gelatinosa Dura AMITRIPTILINA - 12,5 MG CLORDIAZEPÓXIDO - 5,0 MG

LIMBITROL Cápsula Gelatinosa Dura AMITRIPTILINA - 12,5 MG CLORDIAZEPÓXIDO - 5,0 MG LIMBITROL Cápsula Gelatinosa Dura AMITRIPTILINA - 12,5 MG CLORDIAZEPÓXIDO - 5,0 MG Limbitrol clordiazepóxido + cloridrato de amitriptilina APRESENTAÇÕES Cápsula gelatinosa dura de 5 mg de clordiazepóxido

Leia mais

Anexo C. (alteração a medicamentos autorizados nacionalmente)

Anexo C. (alteração a medicamentos autorizados nacionalmente) Anexo C (alteração a medicamentos autorizados nacionalmente) ANEXO I CONCLUSÕES CIENTÍFICAS E FUNDAMENTOS RECOMENDANDO A ALTERAÇÃO AOS TERMOS DA(S) AUTORIZAÇÃO(ÇÕES) DE INTRODUÇÃO NO MERCADO Conclusões

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 443/2014

RESPOSTA RÁPIDA 443/2014 RESPOSTA RÁPIDA 443/2014 SOLICITANTE Drª Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito da Comarca de Itapecerica NÚMERO DO PROCESSO 0335.14.1576-9 DATA 01/08/2014 Ao NATS, SOLICITAÇÃO Reinteramos solicitão

Leia mais

USO DE MEDICAMENTOS NO ABANDONO DO TABAGISMO

USO DE MEDICAMENTOS NO ABANDONO DO TABAGISMO USO DE MEDICAMENTOS NO ABANDONO DO TABAGISMO Silvia Cardoso Bittencourt Médica /Professora Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL) TABAGISMO O tabagismo é um dos fatores que mais contribui para

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO: - PAXTRAT. FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES: - PAXTRAT Comprimido revestido: caixa com 20 e 30 comprimidos.uso adulto.

IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO: - PAXTRAT. FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES: - PAXTRAT Comprimido revestido: caixa com 20 e 30 comprimidos.uso adulto. PAXTRAT cloridrato de paroxetina Comprimido revestido IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO: - PAXTRAT FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES: - PAXTRAT Comprimido revestido: caixa com 20 e 30 comprimidos.uso adulto. COMPOSIÇÃO:

Leia mais

Síndrome Pré-Menstrual

Síndrome Pré-Menstrual Síndrome Pré-Menstrual Síndrome Pré-Menstrual A síndrome pré-menstrual (SPM), também conhecida como tensão pré-menstrual (TPM), é representada por um conjunto de sintomas físicos, emocionais e comportamentais,

Leia mais

TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS

TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS Marina Aparecida Luiz de Freitas 1 ; Sandra Cristina Catelan-Mainardes 2 RESUMO: O presente estudo

Leia mais

Dormire. Midazolam. FORMA FARMACÊUTICA: Comprimidos - 15 mg. APRESENTAÇÃO: Cartucho contendo 2 blisteres com 10 comprimidos.

Dormire. Midazolam. FORMA FARMACÊUTICA: Comprimidos - 15 mg. APRESENTAÇÃO: Cartucho contendo 2 blisteres com 10 comprimidos. Dormire Midazolam FORMA FARMACÊUTICA: Comprimidos - 15 mg. APRESENTAÇÃO: Cartucho contendo 2 blisteres com 10 comprimidos. USO ADULTO COMPOSIÇÃO: Cada comprimido contém: Midazolam... 15 mg (Na forma de

Leia mais

(...) Consumidores Para o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), as operadoras não apresentam justificativas técnicas para inclusões ou

(...) Consumidores Para o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), as operadoras não apresentam justificativas técnicas para inclusões ou 28 29 30 CONCURSO PÚBLICO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRAQUARA-PR - EDITAL 058/2016 DATA DA PROVA: 08/05/2016 PERÍODO DA PROVA: MANHÃ CARGO: MÉDICO PSIQUIATRA 23 24 25 26 27 LEIA AS INSTRUÇÕES ABAIXO ANTES

Leia mais

23/07/2013. É um sintoma fundamental de muitos distúrbios psiquiátricos e um componente de muitas condições clínicas e cirúrgicas.

23/07/2013. É um sintoma fundamental de muitos distúrbios psiquiátricos e um componente de muitas condições clínicas e cirúrgicas. Psicofarmacologia Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia PSICOFARMACOLOGIA Distúrbios Psiquiátricos - Tratamento : 1950 10 a 15% de prescrições - EUA Brasil prevalência de transtornos

Leia mais

TEXTO DE BULA EFEXOR XR

TEXTO DE BULA EFEXOR XR TEXTO DE BULA EFEXOR XR WYETH INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA. Efexor XR cloridrato de venlafaxina CÁPSULAS APRESENTAÇÕES Efexor XR 37,5 mg: Cartucho com 7 cápsulas de liberação controlada. Cada cápsula contém

Leia mais

SUMAX succinato de sumatriptana

SUMAX succinato de sumatriptana SUMAX succinato de sumatriptana APRESENTAÇÕES Sumax 50 mg - Comprimidos revestidos com 50 mg de sumatriptana em embalagens com 2 comprimidos revestidos. Sumax 100 mg - Comprimidos revestidos com 100 mg

Leia mais

Moclobemida ANTIDEPRESSIVO. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Nome do produto: Aurorix Nome genérico: Moclobemida

Moclobemida ANTIDEPRESSIVO. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Nome do produto: Aurorix Nome genérico: Moclobemida Aurorix Moclobemida IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Nome do produto: Aurorix Nome genérico: Moclobemida ANTIDEPRESSIVO Forma farmacêutica e apresentações: Comprimidos (ranhurados) 150 mg caixas com 30 Comprimidos

Leia mais

Wikibula: Consulta de medicamentos e bulas de remédios. .com.br. Maxapran bula. Maxapran. Biosintética Farmacêutica Ltda. Comprimidos revestidos 20 mg

Wikibula: Consulta de medicamentos e bulas de remédios. .com.br. Maxapran bula. Maxapran. Biosintética Farmacêutica Ltda. Comprimidos revestidos 20 mg Maxapran Biosintética Farmacêutica Ltda. Comprimidos revestidos 20 mg BULA PARA PROFISSIONAL DE SAÚDE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO MAXAPRAN citalopram APRESENTAÇÕES

Leia mais

ANTI - INFLAMATÓRIOS Farmacologia Prof. Dr. José Edilson Gomes Júnior Enfermagem Parnamirim-RN Outubro/2016

ANTI - INFLAMATÓRIOS Farmacologia Prof. Dr. José Edilson Gomes Júnior Enfermagem Parnamirim-RN Outubro/2016 ANTI - INFLAMATÓRIOS 1 Farmacologia Prof. Dr. José Edilson Gomes Júnior Enfermagem Parnamirim-RN Outubro/2016 2 FARMACOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL 3 INTRODUÇÃO Fármacos que atual no sistema nervoso

Leia mais

Parox. Comprimido revestido 20mg

Parox. Comprimido revestido 20mg Parox Comprimido revestido 20mg MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE Parox cloridrato de paroxetina APRESENTAÇÕES Comprimido revestido 20mg Embalagens contendo 20 e 30 comprimidos

Leia mais

I CURSO DE CONDUTAS MÉDICAS NAS INTERCORRÊNCIAS EM PACIENTES INTERNADOS

I CURSO DE CONDUTAS MÉDICAS NAS INTERCORRÊNCIAS EM PACIENTES INTERNADOS CT de Medicina de Urgência e Emergência CT de Medicina Intensiva - CREMEC/CFM I CURSO DE CONDUTAS MÉDICAS NAS INTERCORRÊNCIAS EM PACIENTES INTERNADOS CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CREMEC/Conselho Regional

Leia mais

Mikaelle Paiva dos Santos FAMED-UFC LAGG-CE

Mikaelle Paiva dos Santos FAMED-UFC LAGG-CE Mikaelle Paiva dos Santos FAMED-UFC LAGG-CE 2012.2 Introdução Aumento da frequência de doenças crônicas com a idade Idosos estão particularmente expostos aos efeitos colaterais de medicamentos A idade

Leia mais

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Solução oral. Embalagem contendo um frasco com 120 ml. Acompanhado do copo de medida.

FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Solução oral. Embalagem contendo um frasco com 120 ml. Acompanhado do copo de medida. Hixilerg cloridrato de hidroxizina FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Solução oral. Embalagem contendo um frasco com 120 ml. Acompanhado do copo de medida. USO ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO Cada

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: FARMACOLOGIA BÁSICA Código: ENF-109 Pré-requisito: ENF-103 Bioquímica Período

Leia mais

Depressão diagnóstico e tratamento. Autor: Dr Adriano Simões Coelho Adaptação: Dr Alexandre de Araújo Pereira

Depressão diagnóstico e tratamento. Autor: Dr Adriano Simões Coelho Adaptação: Dr Alexandre de Araújo Pereira Depressão diagnóstico e tratamento Autor: Dr Adriano Simões Coelho Adaptação: Dr Alexandre de Araújo Pereira Depressão maior 1 Sintomas principais: - Humor deprimido + Anedonia + Fadiga ou perda de energia;

Leia mais

Fármaco Qualquer substância alterar função de 20/05/2013. Estudo da interação de drogas com

Fármaco Qualquer substância alterar função de 20/05/2013. Estudo da interação de drogas com Farmacologia Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia Pharmakon Logos Estudo dos fármacos Estudo da interação de drogas com organismos vivos Propriedades dos medicamentos e seus efeitos

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Moclobemida Genedec 150 mg Comprimidos revestidos por película

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Moclobemida Genedec 150 mg Comprimidos revestidos por película FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR APROVADO EM Moclobemida Genedec 150 mg Comprimidos revestidos por película Moclobemida Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento. Conserve

Leia mais

Transtorno de estresse pós-traumático! e Transtornos de Adaptação. Prof. Eduardo Henrique Teixeira PUC - Campinas!

Transtorno de estresse pós-traumático! e Transtornos de Adaptação. Prof. Eduardo Henrique Teixeira PUC - Campinas! Transtorno de estresse pós-traumático e Transtornos de Adaptação Prof. Eduardo Henrique Teixeira PUC - Campinas Transtorno de estresse pós-traumático TEPT É uma condição que se desenvolve quando a pessoa

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 186/2014 Informações sobre: Sertralina,Alprazolan,Galvus e Stanglit

RESPOSTA RÁPIDA 186/2014 Informações sobre: Sertralina,Alprazolan,Galvus e Stanglit RESPOSTA RÁPIDA 186/2014 Informações sobre: Sertralina,Alprazolan,Galvus e Stanglit SOLICITANTE NÚMERO DO PROCESSO Dr Rafael Murad Brumana Juíz de Direito Lajinha Autos nº 0377.14.000745-3 DATA 13/04/2014

Leia mais

PSICOFARMACOLOGIA DOS ANTIDEPRESSIVOS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

PSICOFARMACOLOGIA DOS ANTIDEPRESSIVOS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA PSICOFARMACOLOGIA DOS ANTIDEPRESSIVOS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA Bianca de Cássia Alves Barbosa 1 ; Jefferson Adler Lopes de Freitas 2 ; Anderson Fellyp Avelino Diniz 3 ; Larissa Paloma Lopes de Freitas

Leia mais

Interação medicamentosa em usuários de antidepressivos do sistema público de um município do sul do Brasil

Interação medicamentosa em usuários de antidepressivos do sistema público de um município do sul do Brasil ISSN: 1983-652X set.-dez. 2015;8(3):107-114 http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faenfi/about/ http://dx.doi.org/10.15448/1983-652x.2015.3.21093 Artigo Original Interação medicamentosa em

Leia mais

Depressão e Transtornos de Ansiedade. Depressão. Prevalência. Critérios de depressão DSM-IV FACULDADE DE MEDICINA UNIC/HGU PSIQUIATRIA.

Depressão e Transtornos de Ansiedade. Depressão. Prevalência. Critérios de depressão DSM-IV FACULDADE DE MEDICINA UNIC/HGU PSIQUIATRIA. FACULDADE DE MEDICINA UNIC/HGU PSIQUIATRIA Depressão e Transtornos de Ansiedade Alaor Santos Filho Professor de Psiquiatria da HGU/UNIC Doutor em Saúde Mental pela USP-FMRP alaorsantos@hotmail.com Prevalência

Leia mais

Pamelor. (cloridrato de nortriptilina) Cápsulas 10 mg, 25 mg, 50 mg e 75 mg

Pamelor. (cloridrato de nortriptilina) Cápsulas 10 mg, 25 mg, 50 mg e 75 mg Pamelor (cloridrato de nortriptilina) Cápsulas 10 mg, 25 mg, 50 mg e 75 mg PAMELOR cloridrato de nortriptilina APRESENTAÇÕES Cápsulas. Embalagens com 20 ou 30 cápsulas de 10 mg, 25 mg, 50 mg e 75 mg. VIA

Leia mais

CONCEITO EPISÓDIO MANÍACO 03/02/2014. Episódios depressivos e maníacos. Evolução recorrente. Plena recuperação nas intercrises

CONCEITO EPISÓDIO MANÍACO 03/02/2014. Episódios depressivos e maníacos. Evolução recorrente. Plena recuperação nas intercrises Prof. José Reinaldo do Amaral CONCEITO Episódios depressivos e maníacos Evolução recorrente Plena recuperação nas intercrises 1. Auto-estima inflada ou grandiosidade 2. Insônia 3. Mais falador que o habitual

Leia mais