SPED Sistema Público de Escrituração Digital

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SPED Sistema Público de Escrituração Digital"

Transcrição

1 SPED Sistema Público de Escrituração Digital O que é SPED? Sistema Público de Escrituração Digital É um projeto de âmbito NACIONAL sendo gerenciado pela RECEITA FEDERAL, tem como objetivo a uniformização das informações apresentadas ao fisco, com a entrega única de arquivo que deverá conter os dados da movimentação empresarial, no sentido de substituir várias obrigações acessórias existentes atualmente, atendendo assim, as diferentes esferas do poder e seus órgãos fiscalizadores. O Decreto de 22 de Janeiro de 2007 instituiu o SPED, apresentando no seu Art. 2º, o objetivo de sua aplicação: Art. 2o O Sped é instrumento que unifica as atividades de recepção, validação, armazenamento e autenticação de livros e documentos que integram a escrituração comercial e fiscal dos empresários e das sociedades empresárias, mediante fluxo único, computadorizado, de informações. Vale destacar que o SPED compreende três subprojetos, sendo: _ SPED Contábil _ SPED Fiscal _ NF-e _ SPED Contábil ou Escrituração Contábil Digital (ECD) O sistema de escrituração contábil continua o mesmo, apenas ao invés de imprimir os livros Diário e Razão em papéis, os mesmos serão exportados via arquivo eletrônico, conforme leiaute definido pela regulamentação e validados pelo programa designado. Benefícios - Melhora do controle tributário, pelo cruzamento de dados contábeis e fiscais com a auditoria eletrônica, eliminando informações redundantes dos contribuintes às autoridades tributárias; Regulamentação Instrução Normativa RFB nº 787, de 19 de novembro de estabelece a sua obrigatoriedade e aprova o Manual de Orientação do Leiaute para a geração de arquivos. 1. Quem está obrigado a partir de 2008? Em relação aos fatos contábeis ocorridos a partir de 1º de janeiro de 2008, as pessoas jurídicas sujeitas ao "Acompanhamento Econômico-Tributário Diferenciado, nos termos da Portaria RFB nº /2007, de 7 de novembro de 2007, e sujeitas ao regime de tributação do imposto de renda com base no LUCRO REAL. 2. Quem está obrigado a partir de 2009? Em relação aos fatos contábeis ocorridos a partir de 1º de janeiro de 2009, as demais pessoas jurídicas sujeitas ao regime de tributação do imposto de renda com base no LUCRO REAL. 3. Quem está obrigado a partir de 2010? Em relação aos fatos contábeis ocorridos a partir de 1º de janeiro de 2010, as demais pessoas jurídicas sujeitas ao regime de tributação do imposto de renda com base no LUCRO PRESUMIDO.

2 4. Sobre o Programa Validador e Assinador (PVA) Foi disponibilizado na página do SPED contendo além das funcionalidades de validação, envio e consulta dos dados entregues, a visualização da escrituração na tela. 5. Referente à entrega do arquivo A entrega do arquivo magnético será feita anualmente, sempre até o último dia útil do mês de Junho do ano subseqüente ao período que se referem os dados. Ex. Os livros contábeis referentes ao ano de 2008 serão entregues até o dia 30/06/ Multa pela não apresentação A multa pela não entrega do arquivo no prazo é de R$ por mês de atraso. A ECD compreenderá a versão digital dos seguintes livros: G= Livro Diário (Completo, sem escrituração auxiliar) Livro que deve ser enviado pelas usinas, pois abrange o tipo de contabilização utilizada. Exemplo de forma de contabilização: Contas de Escrituração Resumida compõem os livros abaixo R= Livro Diário com Escrituração Resumida (com escrituração auxilia) A= Livro Diário Auxiliar ao Diário com Escrituração Resumida Z= Razão Auxiliar Ex. de contas de escrituração resumidas são aquelas em que as contabilizações não são individuais, em outras palavras, não ocorrem por operação. Por exemplo, você faz 4 compras a prazo no valor de R$1.000,00 cada uma:. Na escrituração resumida, você contabilizaria em fornecedores x estoques.. Na escrituração completa, você contabilizaria cada operação separadamente, ou seja, 4 lançamentos de cada um em fornecedores x estoques. Como por exemplo de escrituração resumida: Faturamento de 10/12/ ,00 Faturamento de 11/12/ ,32 ou Recebimentos de 25/12/ , B= Livro Balancetes Diários e Balanços Deve ser enviado apenas pelos bancos e financeiras ECD deverá ser submetida ao Programa Validador e Assinador (PVA), especificamente desenvolvido para tal fim, a ser disponibilizado na página da RFB na Internet, no endereço contendo, no mínimo, as seguintes funcionalidades: validação do arquivo digital da escrituração; assinatura digital; visualização da escrituração; transmissão para o SPED; consulta à situação da escrituração.

3 Como será feito o registro dos livros? Através de um link dedicado ou aplicativo Web entre o SPED e as Juntas Comerciais. Depois de assinado pelas partes, o arquivo será enviado juntamente com o requerimento de registro na Junta Comercial ao Ambiente Nacional do SPED, gerenciado pela RFB. Paralelamente, a empresa recolhe os emolumentos para registro da ECD nas Juntas Comerciais. As Juntas Comerciais acessam os dados da ECD e o seu conteúdo para constatar se as formalidades legais foram cumpridas, são elas: Termo de Abertura, Termo de Encerramento, Assinatura do representante legal e do contabilista. Depois de validado pela Junta Comercial, será atribuído o número de registro do Livro, que será acessado via web pelo empresário interessado. Pronto! O Livro Diário Eletrônico ou ECD está registrado e armazenado no Ambiente Nacional SPED para que as autoridades tributárias, como a Receita Federal, Previdência Social, Secretarias da Fazenda, Secretarias Municipais de Finanças, Ministério do Trabalho, Banco Central do Brasil acessem, a partir de um procedimento fiscal determinado na legislação. Não será mais necessária a entrega de arquivos magnéticos para efeito de fiscalização? Acredita-se que ao invés da fiscalização emitir a intimação para a empresa apresentar os Livros Diários em papel, a intimação será apenas para informar que o livro diário ou a ECD daquele ano calendário, será acessado junto ao Ambiente Nacional SPED, dentro do previsto na legislação, respeitando o sigilo fiscal.

4 Parametrizações e Pontos Importantes: 1 Gestão Contabilidade Fiscal Modulo Contabilidade Manutenção Parâmetros Natureza Conta - Tela 8754 Nessa tela deverá ser associado ao plano de contas a Natureza da Conta de acordo com a tabela do SPED 1 Contas de Ativo 2 Contas de Passivo 3 Patrimônio Liquido 4 Contas de Resultado 5 Contas de Compensação 6 Outras

5 2 Gestão Tributaria Modulo Sped Manutenção Parâmetros Plano de Contas Referencial tela Nessa tela é relacionado o plano de contas referencia (plano de contas do governo) ao plano de contas da empresa. Essa parametrização poderá ser feita conta do plano de contas da empresa + conta do plano de contas referencia, ou (conta do plano de contas da empresa + objeto de custo ) + conta do plano de contas referencial. Quanto a obrigatoriedade do Plano de contas Referencial - no site da receita pergunta numero O que se entende por Plano de Contas Referencial e qual sua finalidade? Conforme as regras de validação (anexo ao Ato Declaratório Cofis nº 36/07), o registro I051 não é obrigatório. É um plano de contas, elaborado com base na DIPJ. As empresas em geral devem usar O plano Publicado pela Receita Federal pelo Ato Declaratório Cofis nº 36/07. As financeiras utilizam o Cosif e as seguradoras não precisam informar o registro I051. Tem por finalidade estabelecer uma relação (um DE-PARA) entre as contas analíticas do plano de contas da empresa e um padrão, possibilitando a eliminação de fichas da DIPJ. O e-lalur (Livro Eletrônico de

6 Apuração do Lucro Real, um dos projetos do Sped) importará dados da escrituração contábil digital e montará um rascunho correspondente a várias das fichas hoje existentes na DIPJ Assim, quanto mais precisa for sua indicação dos códigos das contas referenciais no registro I051, menor o trabalho no preenchimento do e-lalur. Quaisquer equívocos na indicação do plano de contas referencial poderão ser corrigidos no e-lalur. 3- Gestão Tributaria -> modulo Icms/Ipi Manutenção Parâmetro Fiscal tela 8017 Cadastrar a qualificação de DOIS responsáveis pelo Livro Diário/Razão, conforme tabela abaixo descrita, em Gestão Tributaria -> modulo Icms/Ipi Manutenção Parâmetro Fiscal Código Descrição da função 203 Diretor 204 Conselheiro de Administração 205 Administrador 206 Administrador de Grupo 207 Administrador de Sociedade Filiada 220 Administrador Judicial Pessoa Física 222 Administrador Judicial Pessoa Jurídica Prof. Responsável 223 Administrador Judicial/Gestor 226 Gestor Judicial 309 Procurador 312 Inventariante 313 Liquidante 315 Interventor 801 Empresário 900 Contador 999 Outros Cadastrar o CRC do contador.

7 5- Gestão Contabilidade -> modulo Contabilidade Fiscal Manutenção Parametross tela 1011 Informar a data do Arquivamento dos Atos Constitutivos.

8 6- Informações sobre o Balanço Patrimonial e o Demonstrativo de Resultados do Exercício. Gestão Contabilidade -> modulo Contabilidade Fiscal Manutenção Parametrização de Aglutinação de Contas Contábeis tela 8849 Nessa tela deverá ser montada as estruturas do Balanço Patrimonial e do Demonstrativo de Resultados do Exercício, que serão gerados para o SPED. Execução da parametrização: 1. Definir para qual grupo empresa/empresa/filial este layout de aglutinção será utilizado. 2. Deve-se parametrizar o histórico da aglutinação, definindo a mascára e sua descrição. Exemplificação: Mascára Descrição 0.00 Balancete Com esta mascará estamos determinando que teremos um layout chamado Balancete com uma classificação de 2 níveis. 3. Definicação das linhas do layout de aglutinação. No nosso exemplo - Balancete. 1. Ativo

9 1.01 Caixa 1.02 Duplicatas a receber 1.03 Estoque 2. Passivo 2.01 Contas a Pagar 2.02 Emprestimos e Financiamentos 2.03 Salários a Pagar 4. Após a definição das linhas do layout de aglutinação, devem-se associar as contas contábeis do plano de contas da empresa no nível mais baixo da mascára, definindo ainda a opção Valor Operação e Operação. Exemplificando: Caixa Conta Contábil Valor Operação Operação Saldo Conta ADIÇÃO Saldo Conta ADIÇÃO Com esta parametrização teremos o seguinte resultado para a linha CAIXA = saldo da conta ( ) + saldo da conta ( ) Contas a Receber Conta Contábil Valor Operação Operação Saldo Mensal ADIÇÃO Saldo Mensal SUBTRAÇÃO Com esta parametrização teremos o seguinte resultado para a linha Contas a Receber = saldo mensal ( ) - saldo mensal ( ). 7. Caso a conta contábil seja por objeto de custo, o usuário também poderá filtrar quais objetos desejam para montagem da parametrização do processo de aglutinação na grade Objeto Custo na conta selecionada. Essa será a estrutura de Balanço e DRE que irá para o SPED. 8. Em especifico para o DRE a parametrização não pode ter o tipo de lançamento (F) Enc. Anual marcado, e o valor tem que ser o saldo Antes do Encerramento. Como mostra a figura abaixo.

10 9. Especificamente para Balanço, o sped só aceitas contas de natureza Ativo, Passivo e Patrimônio liquido. 10. Há na Gestão Contabilidade Fiscal, Modulo Contabilidade Relatório - > balancete Aglutinação de Contas Contábeis Anual form 8858 Após ser feita essa parametrização os códigos referente ao Balanço e DRE, que se encontram no Grid Histórico Aglutinação, deverão ser informados na tela de parâmetros tela 8584 do modulo Sped os Campos Cod. Balanço e Cod. DRE, Como mostra a Figura abaixo. Com relação a Obrigatoriedade de se informar o Balanço e as Demonstrações contábeis no SPED CONTABIL, vejam o que diz a receita, essa informação esta no link:

11 19. As Demonstrações Contábeis são facultativas (registros J100 e J150)? Quando devem ser apresentadas? Segundo o Código Civil, o Balanço e a Demonstração do Resultado Econômico devem elaborados no encerramento do exercício social ser transcritos no Diário. O Banco Central estabelece que as demonstrações são semestrais. Como a escrituração contábil digital pode ser mensal, pode ocorrer de a empresa não ter elaborado as demonstrações naquele mês. Além disso, o Sped não tem como saber a data do encerramento doe exercício social. Estes aspectos impossibilitam estabelecer, no Programa Validador e Assinador, a obrigatoriedade de tais registros. TEXTO DA IN 9269 (PARTE ) III - a obrigatoriedade de transcrever no Livro Diário o Balancete ou Balanço de Suspensão ou Redução do Imposto de que trata o art. 35 da Lei nº 8.981, de 1991 (Instrução Normativa SRF nº 93, de 1997, art. 12, inciso 5, alínea b). E também há o Art 4º da IN DNRC 107 de 23/05/2008 Art. 4º No Diário serão lançados o balanço patrimonial e o de resultados, devendo: I - no caso de livro em papel, ambos serem assinados por contabilista legalmente habilitado e pelo empresário ou sociedade empresária (art CC/2002); II - em se tratando de livro digital, as assinaturas digitais das pessoas acima citadas, nele lançadas, serão efetuadas utilizando-se de certificado digital, de segurança mínima tipo A3, emitido por entidade credenciada pela Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICPBrasil) e suprem as exigências do inciso anterior. 1º A adoção de fichas de escrituração não dispensa o uso de livro diário para o lançamento do balanço patrimonial e do de resultado econômico (Parágrafo único, art CC/2002), ao qual deve ser atribuído o número subseqüente ao do livro diário escriturado em fichas. 2º O livro não poderá ser dividido em volumes, podendo, em relação a um mesmo exercício, ser escriturado mais de um livro, observados períodos parciais e seqüenciais, constantes dos respectivos Termos de Encerramento, de acordo com as necessidades do empresário ou da sociedade empresária. 3º A numeração das folhas ou páginas de cada livro em papel ou microficha observará ordem seqüencial única, iniciando-se pelo numeral um, incluído na seqüência da escrituração o balanço patrimonial e o de resultado econômico, quando for o caso.

12 5- Informações sobre Notas Explicativas, Pareceres, ou outras informações, deverão constar no modulo Contabilidade Fiscal- > Manutenção Notas do Balanço tela 8862.

13 Advertências mais comuns SPED CONTABIL. 1 Contas de nível superior deverá ter a mesma natureza da subconta O Sped sugere que a parametrização da natureza da conta deve ser a mesma para o nível superior da conta, o que não é obrigatório. 2 Não foi informado nenhum registro I051 Não foi feito o relacionamento do plano de contas da empresa para o plano de contas referencial. 3- Na DRE, a soma das parcelas deverá ser igual aos Totais e subtotais. Verificar se a soma dos valores na DRE,(tela de aglutinação das contas) considerando o indicador da situação do saldo Subtotal ou Total Positivo Subtotal ou Total Negativo Receita Despesa das contas de mesmo nível consecutivas ou intercaladas por contas de nível inferior é igual ao valor do da conta de nível superior imediatamente anterior. Exemplo com Indicação Errada: (vejam que o saldo é Positivo) 4. Lucros Brutos Subtotal ou total Negativo -- Valor , Vendas Produção Própria Subtotal ou total Negativo -- Valor , Vendas Mercado Interno Despesa -- Valor , Vendas Mercado Externo - Receita --Valor ,00 Exemplo com Indicação Correta: 4. Lucros Brutos Subtotal ou total Positivo -- Valor , Vendas Produção Própria Subtotal ou total Positivo -- Valor , Vendas Mercado Interno Receita -- Valor , Vendas Mercado Externo - Receita --Valor ,00

14 4- O valor informado nas contas de maior detalhamento no registro da DRE não corresponde à soma dos valores informados nos registros de Saldos das Contas de Resultado antes da Apuração na mesma data. Verifica se o valor informado na DRE registro J150 (Tela de Aglutinação de Contas) onde o Indicador de Valor = D Despesa, ou R = Receita é igual a soma dos valores do Registro I355 que é o registro de Saldos das contas para a mesma data, considerando o indicador da situação do saldo ( onde receita = credor e despesa = devedor ) 5-O valor informado nas contas de maior detalhamento do registro do Balanço Patrimonial não corresponde a soma dos valores informados nos registros de Saldos Periódicos na mesma data Figura A Verifica se o valor informado no Balanço registro J100 (Na tela de Aglutinação de Contas form 8849 do modulo contabilidade) onde é feita a aglutinação das contas contábeis, se o saldo das mesmas corresponde ao saldo da conta no final do exercício, para tanto será necessário utilizar o relatório no modulo Contabilidade Relatórios Balancete -> Aglutinação de Contas Contábeis Anual tela 8858, comparanto com o relatório Balancete -> Balancete Padrão form Um exemplo abaixo descrito, na FIGURA A vimos que na linha é mencionado que o saldo da conta Lavouras de Cana, veja na FIGURA B (relatório 8849) que o valor da conta é de ,47 (positivo), e se tirarmos um balancete padrão veremos que essa conta tem um valor de ,47 (negativo) FIGURA C, esse valor deveria ser negativo também na aglutinação de contas contábeis, e o motivo pelo qual não esta é que ao aglutinar a conta contábil, a operação escolhida foi subtração, ou seja, matematicamente falando (menos com menos = mais) e quando

15 na verdade essa conta deveria ser Adicionada ao Saldo, como ela esta com um saldo negativa ela irá subtrair do valor, assim compondo o saldo correto, como mostra a FIGURA D Relatórios Balancete -> Aglutinação de Contas Contábeis anual form 8849 Figura B E em relatórios Balancete -> Balancete Padrão form 1016 Figura C Figura D

16 Erros/Advertencias mais comuns SPED CONTABIL. 1 DT_ARQ- > Registro I030 - Campo Obrigatório não Preenchido Solução: -> Gestão Contabilidade Fiscal Modulo Contabilidade Manutenção Parâmetro Contábil aba Dados de Parâmetro campo Data do Cadastro 2 NIRE > Registro I030 - Tamanho do Campo inválido Solução: -> Gestão Contabilidade Fiscal Modulo Contabilidade Manutenção Parâmetro Contábil aba Dados de Parâmetro campo Nr. Registro esse campo deverá ter 11 caracteres.

17 3 COD_VER_LC > Registro I010 - Versão do laiaute da contabilidade informada não é valida Solução: -> Gestão Tributaria Modulo SPED Manutenção Parâmetros - alterar o código da Versão para 100 do Ato Cotepe - Sped Contábil. 4 VL_LCTO > Registro I200 - Soma das partidas do lançamento, a credito, diferente do valor informado no registro de lançamento contábil. Solução: -> A chave para lançamentos no SPED é Data e Numero Documento, portanto não poderão existir lançamentos que compõem o mesmo documento com números diferentes, nem o mesmo número de documento em datas diferentes. Para consultar quais documentos estão com diferença favor consulta a em -> Gestão Tributaria Modulo SPED Consulta Diferença Documento Contábil tela 8776 e acertar os lançamentos com diferenças.

18 5 Não se aplica> Registro I150 - Soma dos Saldos finais credores é diferente da soma dos saldos finais devedores no período informado nos registros de saldos periódicos. Solução: -> A Soma dos valores a Debito não batem com os valores a Credito no período mencionado. Para consultar quais documentos estão com diferença favor consulta a em -> Gestão Tributaria Modulo SPED Consulta Diferença Documento Contábil tela 8776 e acertar os lançamentos com diferenças. 6 Campo Obrigatório não preenchido> Registro I150 - Campo 3 Cod_Nat Solução: -> Falta informar o código da Natureza de Operação Gestão Contabilidade Fiscal Modulo Contabilidade Manutenção Parâmetros Natureza Conta - Tela Registro encontrado é diferente do registro esperado ou o tipo de registro é desconhecido. Registro I930 - Campo 3 Não se aplica Solução: -> Falta Cadastro dos signatários, esse cadastro deve feito em Gestão Tributaria -> modulo Icms/Ipi Manutenção Parâmetro Fiscal tela 8017 Cadastrar a qualificação de DOIS responsáveis pelo Livro Diário/Razão sendo um deles o Contador, conforme tabela abaixo descrita, em Gestão Tributaria -> modulo Icms/Ipi Manutenção Parâmetro Fiscal Código Descrição da função 203 Diretor 204 Conselheiro de Administração 205 Administrador 206 Administrador de Grupo 207 Administrador de Sociedade Filiada 220 Administrador Judicial Pessoa Física 222 Administrador Judicial Pessoa Jurídica Prof. Responsável 223 Administrador Judicial/Gestor 226 Gestor Judicial 309 Procurador 312 Inventariante 313 Liquidante 315 Interventor 801 Empresário 900 Contador 999 Outros

19 8 Campo Obrigatório não Preenchido. Registro I030 - Campo 4 Nat_livr Solução: -> Falta Informar a Natureza do Livro Contábil, essa natureza é preenchida na tela de geração do Sped Contábil. 9 É obrigatória a assinatura de, no mínimo, um contador e um representante legal como signatários da escrituração contábil. Registro J930 - Campo Não se Aplica. Solução: -> Falta Cadastro dos signatários, esse cadastro deve feito em Gestão Tributaria -> modulo Icms/Ipi Manutenção Parâmetro Fiscal tela 8017 Cadastrar a qualificação de DOIS responsáveis pelo Livro Diário/Razão sendo um deles o Contador, conforme tabela abaixo descrita, em Gestão Tributaria -> modulo Icms/Ipi Manutenção Parâmetro Fiscal Código Descrição da função 203 Diretor 204 Conselheiro de Administração 205 Administrador 206 Administrador de Grupo 207 Administrador de Sociedade Filiada 220 Administrador Judicial Pessoa Física 222 Administrador Judicial Pessoa Jurídica Prof. Responsável 223 Administrador Judicial/Gestor 226 Gestor Judicial 309 Procurador 312 Inventariante 313 Liquidante 315 Interventor 801 Empresário 900 Contador 999 Outros

20 10 A validade da conta Informada não esta dentro do período de escrituração. Solução: -> As contas contábeis relacionadas no plano de contas referencial não podem estar com a data de validade menor que a do ano correspondente, verique em Gestão Tributaria -> modulo Sped Manutenção Plano de Contas Referencial tela 8687, se a conta contábil mostrada na tela de erro, não esta com a data encerrada no período informado, caso esteja encerrado, favor retirar o relacionamento para esta conta em Gestão Tributaria -> Sped Manutenção Parâmetro Plano de Contas Referencial tela Conta Informada deve existir no plano de contas e ser Analitica Solução: -> Todas as contas que possuam saldo/movimentação, deverão ter o relacionamento do plano de contas referencial caso esteja utilizando o relacionamento por objeto de custo. Verifique em Gestão Tributaria -> Sped Manutenção Parâmetro Plano de Contas Referencial tela 8730 se a conta mencionada acima tem o relacionamento com o plano de contas referencial. 12 No Balanço Patrimonial, o valor informado para o Ativo deverá ser igual a soma dos valores informados para o Passivo e Patrimônio Liquido. Solução: -> Se verificarmos no modulo Contabilidade Relatórios Balancete -> Aglutinação de Contas Contábeis Anual tela 8858 o Saldo do ATIVO tem que ser o mesmo Saldo do Passivo, as figuras E e F mostram saldos errados no qual resulta no erro acima mencionado.

21 Figura E Figura F

22 13 Não foi encontrado o registro de Identificação do código da aglutinação (I052) para a conta informada. Solução: -> Se verificarmos a aglutinação de contas, é possível verificar que foi aglutinada uma conta sintética para esse item IR e CSL Diferidos, e o Sped exige que sejam contas analíticas para o ultimo nível de aglutinação, conforme demonstra a imagem abaixo. Qualquer duvida entrem em contato com o atendimento online da Compusoft Simone R. Câmara Chaves.

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ. Sped Contábil

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ. Sped Contábil Sped Contábil 1. Quais os livros abrangidos? Podem ser incluídos todos os livros da escrituração contábil, em suas diversas formas. O diário e o razão são, para o Sped Contábil, um livro digital único.

Leia mais

ANO XXIII ª SEMANA DE JUNHO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 23/2012 ASSUNTOS CONTÁBEIS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA

ANO XXIII ª SEMANA DE JUNHO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 23/2012 ASSUNTOS CONTÁBEIS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA ANO XXIII - 2012-1ª SEMANA DE JUNHO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 23/2012 ASSUNTOS CONTÁBEIS ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL DIGITAL - ECD - NORMAS GERAIS Introdução - Obrigatoriedade de Adoção da ECD - Sociedades

Leia mais

Escrituração Contábil Fiscal - ECF

Escrituração Contábil Fiscal - ECF EMPRESAS LUCRO REAL As empresas que são tributadas pelo Lucro Real, pagam o IRPJ e a CSLL com base no lucro obtido em sua contabilidade, ajustado de receitas e despesas que não devem ser consideradas,

Leia mais

FCONT- Controle Fiscal Contábil de Escrituração. Controladoria 2 CTB/ATF Novembro de 2009

FCONT- Controle Fiscal Contábil de Escrituração. Controladoria 2 CTB/ATF Novembro de 2009 1 FCONT- Controle Fiscal Contábil de Escrituração Controladoria 2 CTB/ATF Novembro de 2009 2 FCONT- Controle Fiscal Contábil de Transição ÍNDICE I) Regime Tributário de Transição - RTT II) FCONT Controle

Leia mais

SPED Contábil - Versão 3.1.9

SPED Contábil - Versão 3.1.9 SPED Contábil - Versão 3.1.9 A Escrituração Contábil Digital (ECD) é parte integrante do projeto SPED e tem por objetivo a substituição da escrituração em papel pela escrituração transmitida via arquivo,

Leia mais

CONSIDERANDO que o Conselho Federal de Contabilidade mantém Acordo de Cooperação Técnica com a Secretaria Executiva do Ministério da Fazenda,

CONSIDERANDO que o Conselho Federal de Contabilidade mantém Acordo de Cooperação Técnica com a Secretaria Executiva do Ministério da Fazenda, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.299/10 Aprova o Comunicado Técnico CT 04 que define as formalidades da escrituração contábil em forma digital para fins de atendimento ao Sistema Público de Escrituração Digital (SPED).

Leia mais

Geração do SPED Contábil

Geração do SPED Contábil Geração do SPED Contábil Geração do SPED Contábil Para facilitar o entendimento da rotina de geração do SPED Contábil no Sistema Cordilheira, a equipe de Suporte Técnico da EBS Sistemas disponibilizou

Leia mais

SPED - Sistema Público de Escrituração Digital - Bases..

SPED - Sistema Público de Escrituração Digital - Bases.. SPED - Sistema Público de Escrituração Digital - Bases.. A Emenda Constitucional nº 42/2003 introduziu o inciso XXII ao artigo 37 da Constituição Federal, que determina que as administrações tributárias

Leia mais

PAUTA DA ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF)

PAUTA DA ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) PAUTA DA ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) O que é ECF? Escrituração Contábil Fiscal - (ECF) é uma obrigação imposta às Pessoas Jurídicas estabelecidas no Brasil exigidas pela RFB que substituiu a Declaração

Leia mais

CONCEITO DE CONTABILIDADE. Para isso contamos com a contabilidade essa que vamos conhecer agora:

CONCEITO DE CONTABILIDADE. Para isso contamos com a contabilidade essa que vamos conhecer agora: CONCEITO DE CONTABILIDADE O que vamos ver a seguir nos mostra que com o conhecimento do ciclo de vida da empresa, conseguimos tomar decisões que consistem em conduzi-la ao sucesso. Portanto, há duas preocupações

Leia mais

Manual Escrituração Contábil Digital (ECD)

Manual Escrituração Contábil Digital (ECD) Manual Escrituração Contábil Digital (ECD) JUNHO/2013 Sumário 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema ECD... 3 3. Gerar Arquivo... 5 3.1. Anexar Arquivo RTF... 7 3.2. Gerando Arquivo... 8 4. Signatários...

Leia mais

CIRCULAR Nº 13/2012. Ref.: SISCOSERV Informações de transações efetuadas por residentes no Brasil e no exterior. São Paulo, 12 de setembro de 2012.

CIRCULAR Nº 13/2012. Ref.: SISCOSERV Informações de transações efetuadas por residentes no Brasil e no exterior. São Paulo, 12 de setembro de 2012. São Paulo, 12 de setembro de 2012. CIRCULAR Nº 13/2012 Prezado Cliente, Ref.: SISCOSERV Informações de transações efetuadas por residentes no Brasil e no exterior A Lei nº 12.546/2011 instituiu a obrigação

Leia mais

Teoria da Contabilidade. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior 1

Teoria da Contabilidade. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior 1 Teoria da Contabilidade Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior 1 O QUE VEREMOS A SEGUIR: Normas Brasileiras de Contabilidade sobre escrituração contábil; NBC T 2.1 Das Formalidades da Escrituração Contábil;

Leia mais

Manual do cliente Pessoa Jurídica

Manual do cliente Pessoa Jurídica Manual do cliente Pessoa Jurídica Autenticação da Escrituração Contábil Digital em Cartório (SPED) Realização O que é o SPED? Da obrigatoridade da autenticação dos livros em cartório de pessoa jurídica.

Leia mais

SPED Escrituração Contábil Fiscal (ECF)

SPED Escrituração Contábil Fiscal (ECF) SPED Escrituração Contábil Fiscal (ECF) Este tutorial destina-se a empresas de Regime Lucro Real. A exportação para o SPED Escrituração Contábil Fiscal (ECF) no Sistema LedWin, deverá ser feita da seguinte

Leia mais

ECF Obrigatoriedade, prazo e multas

ECF Obrigatoriedade, prazo e multas ECF Obrigatoriedade, prazo e multas 4 de abril de 2016 Escrituração Contábil Fiscal (ECF) substitui a DIPJ desde 2015 A ECF referente ao ano-calendário 2015 deve ser entregue até 30 de junho de 2016. A

Leia mais

Conteúdo Programático Contabilidade Geral Básica - CGB [2ª Edição]

Conteúdo Programático Contabilidade Geral Básica - CGB [2ª Edição] Conteúdo Programático Contabilidade Geral Básica - CGB [2ª Edição] CAPÍTULO I. Introdução ao Curso de Contabilidade Introdução ao Curso de Contabilidade 1. Contabilidade. 2. Contabiliza.se o quê. 3. O

Leia mais

expert PDF Trial SPED - Contábil e Fiscal Agosto 2014 Elaborado por: Ademir Macedo de Oliveira

expert PDF Trial SPED - Contábil e Fiscal Agosto 2014 Elaborado por: Ademir Macedo de Oliveira Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

1 Menu Controle Fiscal Contábil de Transição (Fcont)

1 Menu Controle Fiscal Contábil de Transição (Fcont) 1 O Controle Fiscal de Transição FCONT, surgiu para atender as necessidades do Regime Tributário de Transição RTT, sendo aprovado pela Medida Provisória 449/09. Para o Fcont, a empresa deverá apresentar

Leia mais

Treinamento Presencial CISS Contábil & Fiscal

Treinamento Presencial CISS Contábil & Fiscal Treinamento Presencial CISS Contábil & Fiscal Livros Contábeis e Fiscais Conforme disposto nas Leis 6.404/76 e 11.638/07 e RIR/99, as empresas estão obrigadas a manter escriturados os seguintes livros:

Leia mais

ECF- Escrituração Contábil Fiscal 2015

ECF- Escrituração Contábil Fiscal 2015 ECF- Escrituração Contábil Fiscal 2015 Versão 1.2 (26/08/2015) Prazo de entrega 2015-30/09/2015. Instrução Normativa RFB nº 1524, de 08 de dezembro de 2014) Art. 3º A ECF será transmitida anualmente ao

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.199, de 14 de outubro de 2011

Instrução Normativa RFB nº 1.199, de 14 de outubro de 2011 Instrução Normativa RFB nº 1.199, de 14 de outubro de 2011 DOU de 17.10.2011 Dispõe sobre procedimentos fiscais dispensados aos consórcios constituídos nos termos dos arts. 278 e 279 da Lei nº 6.404, de

Leia mais

ECD PONTOS CRITICOS Debate e Principais Pontos de Dúvidas

ECD PONTOS CRITICOS Debate e Principais Pontos de Dúvidas ECD PONTOS CRITICOS Debate e Principais Pontos de Dúvidas Palestrante: Gisleise Nogueira Especialista Fiscal e Tributário da ALIZ, palestrante, instrutora. Contadora atuando há 15 anos na área fiscal e

Leia mais

ITG 1000 PME s Giovana Garcia

ITG 1000 PME s Giovana Garcia ITG 1000 PME s Giovana Garcia Você bem preparado para o futuro da profissão. 1 RESOLUÇÃO CFC N.º 1.418/12 Aprova a ITG 1000 Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. X RESOLUÇÃO CFC

Leia mais

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL DIGITAL ECD. Instrutor: Márcio Tonelli (tt.consultoria.sped@gmail.com)

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL DIGITAL ECD. Instrutor: Márcio Tonelli (tt.consultoria.sped@gmail.com) ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL DIGITAL ECD Instrutor: Márcio Tonelli (tt.consultoria.sped@gmail.com) VISÃO ESQUEMÁTICA Empresário ou Sociedade Empresária SPED Repositório Nacional Leiaute BD Gerar Arquivo. Validar.

Leia mais

Manual de Ativo Imobilizado

Manual de Ativo Imobilizado Manual de Ativo Imobilizado Este manual foi cuidadosamente elaborado pela ELPIS INFORMÁTICA, com a intenção de garantir ao usuário, todas as orientações necessárias para que possa usufruir ao máximo de

Leia mais

Márcio Tonelli ECD e ECF LIÇÕES DE 2015 EXPECTATIVAS PARA 2016

Márcio Tonelli ECD e ECF LIÇÕES DE 2015 EXPECTATIVAS PARA 2016 Márcio Tonelli tt.consultoria.sped@gmail.com ECD e ECF LIÇÕES DE 2015 EXPECTATIVAS PARA 2016 NÚMEROS QUE IMPRESSIONAM Quantidade de versões de produção: Com alteração do número da versão: 13 Sem alteração

Leia mais

QAD Localização Brasil

QAD Localização Brasil QAD Localização Brasil Documentação Técnica Manad Versão eb2 e QAD 2007 Revisão 01 Maio/2008-1 1 OBJETIVOS... 3 2 INTRODUÇÃO... 3 3 CADASTROS... 3 3.1 DADOS CADASTRAIS... 3 3.2 MANUTENÇÃO DOS RESPONSÁVEIS...

Leia mais

Sumário. Capítulo Breves Noções Históricas A Contabilidade no Brasil O Símbolo da Contabilidade...4

Sumário. Capítulo Breves Noções Históricas A Contabilidade no Brasil O Símbolo da Contabilidade...4 Sumário Capítulo 1 Breves Noções Históricas...1 1.1. Breves Noções Históricas...1 1.2. A Contabilidade no Brasil...3 1.3. O Símbolo da Contabilidade...4 Capítulo 2 Conceitos Iniciais...5 2.1. A Definição

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como informar o IPI no SPED Fiscal nas entradas sem direito ao crédito.

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como informar o IPI no SPED Fiscal nas entradas sem direito ao crédito. Como. 11/04/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares... 5 6.

Leia mais

Procedimento. Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto. Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA

Procedimento. Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto. Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA Procedimento Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA O contribuinte substituído, sujeito ao Regime Periódico de Apuração - RPA que,

Leia mais

Conselho Federal de Contabilidade Vice-presidência de Controle Interno INSTRUÇÃO DE TRABALHO INT/VPCI Nº 003/2012

Conselho Federal de Contabilidade Vice-presidência de Controle Interno INSTRUÇÃO DE TRABALHO INT/VPCI Nº 003/2012 Conselho Federal de Contabilidade Vice-presidência de Controle Interno INSTRUÇÃO DE TRABALHO INT/VPCI Nº 003/2012 Brasília-DF Janeiro/2012 INSTRUÇÃO DE TRABALHO INT/VPCI Nº 003/2012 Processo CFC n.º 2012/000008

Leia mais

PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Flávio Smania Ferreira 5 termo ADMINISTRAÇÃO GERAL e-mail: flavioferreira@live.estacio.br blog: http://flaviosferreira.wordpress.com Demonstrações Contábeis: Representa

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL EFD CONTRIBUIÇÕES FINANCEIRAS E ASSEMELHADAS

MANUAL OPERACIONAL EFD CONTRIBUIÇÕES FINANCEIRAS E ASSEMELHADAS MANUAL OPERACIONAL EFD CONTRIBUIÇÕES FINANCEIRAS E ASSEMELHADAS SUMÁRIO Introdução... 1 Sobre o Suporte Técnico... 1 EFD Contribuições Financeiras e Assemelhadas...2 Contrib Retida Fonte F600... 2 Receitas

Leia mais

Painel Escrituração Contábil Fiscal 2015 (Ano-Calendário 2014) Junho de 2015

Painel Escrituração Contábil Fiscal 2015 (Ano-Calendário 2014) Junho de 2015 Painel Escrituração Contábil Fiscal 2015 (Ano-Calendário 2014) Junho de 2015 Agenda 1 Quem está com você hoje 2 Informações Gerais sobre a ECF 3 Escrituração Contábil Fiscal (ECF) Blocos e Registros 1

Leia mais

Parte II Técnicas Contábeis

Parte II Técnicas Contábeis Parte II Técnicas Contábeis Técnicas Contábeis Funções da Contabilidade As principais funções da Contabilidade são: registrar, organizar, demonstrar, analisar e acompanhar as modificações do patrimônio

Leia mais

DSPJ INATIVA Regras para Apresentação. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 15/01/2013. Sumário:

DSPJ INATIVA Regras para Apresentação. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 15/01/2013. Sumário: DSPJ INATIVA 2013 - Regras para Apresentação Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 15/01/2013. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - OBRIGATORIEDADE DE APRESENTAÇÃO 3 - ENTREGA DA DECLARAÇÃO 3.1 -

Leia mais

Sumário. 1. Introdução... 2. 2. Instrução Normativa RFB nº 1.420/2013... 3. 3. Livros Abrangidos pelo Sped Contábil... 7

Sumário. 1. Introdução... 2. 2. Instrução Normativa RFB nº 1.420/2013... 3. 3. Livros Abrangidos pelo Sped Contábil... 7 Sumário 1. Introdução... 2 2. Instrução Normativa RFB nº 1.420/2013... 3 3. Livros Abrangidos pelo Sped Contábil... 7 4. Entidades imunes e isentas... 7 5. Regras de Convivência entre os Livros Abrangidos

Leia mais

Saiba tudo sobre o esocial

Saiba tudo sobre o esocial Saiba tudo sobre o esocial Introdução Com a criação do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), o Governo propiciou maior controle e agilidade na fiscalização das informações contábeis e fiscais

Leia mais

Manual de Demonstração do Resultado do Exercício (DRE)

Manual de Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) Manual de Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) Este manual foi cuidadosamente elaborado pela ELPIS INFORMÁTICA, com a intenção de garantir ao usuário, todas as orientações necessárias para que

Leia mais

SECRETARIA DA FAZENDA COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA. Portaria CAT 174, de

SECRETARIA DA FAZENDA COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA. Portaria CAT 174, de SECRETARIA DA FAZENDA COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Portaria CAT 174, de 28-12-2012 Dispõe sobre os procedimentos que devem ser observados na aplicação da alíquota de 4% nas operações interestaduais

Leia mais

SPED. Cruzamento das Informações: CRUZAMENTOS: Aspectos conceituais 24/09/2009. Acompanhamento Diferenciado: DACON DIRF DIPJ DCOMP DCTF DARF

SPED. Cruzamento das Informações: CRUZAMENTOS: Aspectos conceituais 24/09/2009. Acompanhamento Diferenciado: DACON DIRF DIPJ DCOMP DCTF DARF Cruzamento das Informações: DACON DIRF SPED DCTF DIPJ DCOMP DARF Palestrante: Thamara Jardim CRUZAMENTOS: Aspectos conceituais Acompanhamento Diferenciado: Art. 2º O acompanhamento diferenciado deverá

Leia mais

SPED Contábil ECD. O que é a ECD Escrituração Contábil Digital

SPED Contábil ECD. O que é a ECD Escrituração Contábil Digital SPED Contábil ECD 1 O que é a ECD Escrituração Contábil Digital A ECD Escrituração Contábil Digital é parte integrante do Projeto SPED Sistema Público de Escrituração Digital e visa substituir a escrituração

Leia mais

EXPORTAÇÃO SYSPDV SPED FISCAL e SPED CONTRIBUIÇÕES

EXPORTAÇÃO SYSPDV SPED FISCAL e SPED CONTRIBUIÇÕES EXPORTAÇÃO SYSPDV SPED FISCAL e SPED CONTRIBUIÇÕES Versão 15 INSTRUTOR ÍTALO CAVALCANTE CONCEITO A Escrituração Fiscal Digital EFD é parte integrante do projeto SPED Sistema Público de Escrituração Digital

Leia mais

e-lalur: Empresas do Lucro Real

e-lalur: Empresas do Lucro Real e-lalur: Empresas do Lucro Real 1 Sumário Apresentação... 3 É importante saber... 3 Qual e-lalur configurar?... 4 Qual o ponto de partida do e-lalur?... 5 O e-lalur se baseia no seu Resultado Contábil...

Leia mais

Escrituração Contábil Fiscal Destaques MP 627/03

Escrituração Contábil Fiscal Destaques MP 627/03 www.pwc.com Câmara Técnica de Contabilidade e Finanças - Aesbe Escrituração Contábil Fiscal Destaques MP 627/03 Maio de 2014 Índice ECF Escrituração Contábil Fiscal Sugestão de mudança Alguns comentários

Leia mais

Sistema Corporativo Contábil - DFC - Demonstração do Fluxo de Caixa

Sistema Corporativo Contábil - DFC - Demonstração do Fluxo de Caixa Contábil - DFC - Demonstração do Fluxo de Caixa www.benner.com.br Atualizado em 2/2/2015 DFC - Demonstração do Fluxo de Caixa Copyright 2014 Benner Software de Gestão de Negócios Todos os direitos reservados.

Leia mais

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL DO PIS/PASEP E DA COFINS - EFD-PIS/COFINS - NORMAS GERAIS Introdução - Pessoas Jurídicas

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL Prof. Maurício Andrade Guimarães

DIREITO EMPRESARIAL Prof. Maurício Andrade Guimarães DIREITO EMPRESARIAL Prof. Maurício Andrade Guimarães Matéria: Obrigações do empresário: O Regime Empresarial Registro: matrícula, arquivamento e autenticação Órgãos de Atuação: DNRC e Junta Comercial Escrituração:

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I CONTABILIDADE

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I CONTABILIDADE Prof. Jean Cavaleiro Unidade I CONTABILIDADE Objetivos Conhecer o papel da contabilidade. Conhecer aspectos legais da contabilidade. Conhecer aspectos técnicos de contabilidade. Conhecer as mudanças recentes

Leia mais

BÔNUS DE ADIMPLÊNCIA FISCAL

BÔNUS DE ADIMPLÊNCIA FISCAL BÔNUS DE ADIMPLÊNCIA FISCAL Instituído pela Lei nº 10.637, de 2002 1) CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO LÍQUIDO (CSLL) * Silvério das Neves * Adherbal Corrêa Bernardes 1.1) Alíquotas O art. 6º da Medida

Leia mais

CENTRAL DE BALANÇOS PEDRO ONOFRE FERNANDES. abril de 2010 AUDITOR-FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL. Sistema Público de Escrituração Digital

CENTRAL DE BALANÇOS PEDRO ONOFRE FERNANDES. abril de 2010 AUDITOR-FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL. Sistema Público de Escrituração Digital CENTRAL DE BALANÇOS abril de 2010 PEDRO ONOFRE FERNANDES AUDITOR-FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL SUMÁRIO Sistema Público de Escrituração Digital SPED Objetivo Premissas Abrangência Central de Balanços

Leia mais

Por Percentual Fixo = preço de venda X (percentual de comissão para empresa)

Por Percentual Fixo = preço de venda X (percentual de comissão para empresa) 1 VENDAS DIRETAS É comum varejistas no seguimento de materiais de construção realizarem vendas com participação do fornecedor. Essas vendas são realizadas pela loja, no entanto a responsabilidade de entrega

Leia mais

Razonete e Balancete. Osni Moura Ribeiro ; Contabilidade Fundamental 1, Editora Saraiva- ISBN

Razonete e Balancete. Osni Moura Ribeiro ; Contabilidade Fundamental 1, Editora Saraiva- ISBN Razonete e Balancete Osni Moura Ribeiro ; Contabilidade Fundamental 1, Editora Saraiva- ISBN 9788502065901 Razonete Também denominada gráfico em T ou conta em T, o razonete - uma versão simplificada do

Leia mais

Principais Novidades Dezembro/ 2012 a Março/2013

Principais Novidades Dezembro/ 2012 a Março/2013 Principais Novidades Dezembro/ 2012 a Março/2013 Sumário 1. Alterações nos menus Relatórios e Gráficos... 3 2. Resgate do orçamento para cálculo de rateio de condomínio... 4 3. Alteração em Permissões

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE O PCASP E O MÓDULO BALANCETE CONTÁBIL 2015

ORIENTAÇÕES SOBRE O PCASP E O MÓDULO BALANCETE CONTÁBIL 2015 BOLETIM SICOM - Nº 6 O Boletim SICOM é um instrumento de divulgação que visa orientar o jurisdicionado acerca do envio de informações ocorridas por meio do sistema, sendo publicado em versão digital e

Leia mais

Caso não consiga visualizar este , acesse o link: 0231/11

Caso não consiga visualizar este  , acesse o link:  0231/11 Página 1 de 5 Caso não consiga visualizar este e-mail, acesse o link: 0231/11 05/12/2011 SIMPLES NACIONAL - CONSOLIDAÇÃO DAS NORMAS E REGULAMENTAÇÃO DA LC 139/2011 Senhor Presidente, No dia 1º de dezembro

Leia mais

Unidade Gestora de Integração de Sistemas Tributários

Unidade Gestora de Integração de Sistemas Tributários Secretaria De Estado de Fazenda Superintendência de Gestão da Informação Unidade Gestora de Integração de Sistemas Tributários Unidade Gestora de Integração de Sistemas Tributários DECLARAÇÃO DE COMPRA

Leia mais

Cordilheira Escrita Fiscal 2.102a SPED PIS/COFINS

Cordilheira Escrita Fiscal 2.102a SPED PIS/COFINS LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

Pergunte à CPA Decreto /2015

Pergunte à CPA Decreto /2015 Pergunte à CPA Decreto 61.084/2015 Alterações no artigo 132-A: Artigo 132-A - Ressalvado o disposto no artigo 132, nas demais hipóteses previstas na legislação, tais como não-obrigatoriedade de uso de

Leia mais

Escrituração Contábil Digital ECD. Brasília, 18 de maio de 2012

Escrituração Contábil Digital ECD. Brasília, 18 de maio de 2012 Escrituração Contábil Digital ECD Brasília, 18 de maio de 2012 Abrangência do Sped NF-e Integração ECD NFS-e ReceitanetBX EFD Int e-lalur CT-e EFD Social FCont EFD Contribuições e-lalur Livro Eletrônico

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos NF Garantia - Estadual - RJ

Parecer Consultoria Tributária Segmentos NF Garantia - Estadual - RJ NF 28/08/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1. Nota fiscal Eletrônica... 4 3.2. Escrituração Fiscal... 4 3.3. Apuração

Leia mais

Escrituração fiscal das escolas no Simples Nacional

Escrituração fiscal das escolas no Simples Nacional Diogo José Mendes Tenório Auditor Fiscal de Tributos Municipais Escrituração fiscal das escolas no Simples Nacional Conforme: Lei Complementar 123/2006; Resolução do CGSN nº 94/2011 O que será abordado?

Leia mais

SPED PIS/COFINS e Cordilheira Software Contábil

SPED PIS/COFINS e Cordilheira Software Contábil SPED PIS/COFINS e Cordilheira Software Contábil Bloco 0 Abertura do arquivo Operações de serviços Bloco A Operações de CTRC e outros serviços com ICMS Apuração dos valores dos impostos Fechamento do arquivo

Leia mais

e-lalur: Empresas do Lucro Real

e-lalur: Empresas do Lucro Real e-lalur: Empresas do Lucro Real 1 Sumário Apresentação... 3 É importante saber... 3 Qual e-lalur configurar?... 4 Qual o ponto de partida do e-lalur?... 5 O e-lalur se baseia no seu Lucro Contábil do Período...

Leia mais

ANO XXV ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014

ANO XXV ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014 ANO XXV - 2014-1ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA DIPJ 2014 - PESSOAS JURÍDICAS E EQUIPARADAS - DISPOSIÇÕES GERAIS... Pág. 276 SIMPLES NACIONAL DASN-SIMEI

Leia mais

Service Center Manual para Envio de Documentos Fiscais de Serviços

Service Center Manual para Envio de Documentos Fiscais de Serviços Service Center Manual para Envio de Documentos Fiscais de Serviços (01/09/2016) 1 2 Introdução Envio de Documentos Fiscais Objetivo O envio de documentos fiscais de serviços, através do Service Center,

Leia mais

1. No Configurador (SIGACFG) acesse Base de Dados/Dicionário/ Base de Dados. Configure o(s) campo(s) a seguir:

1. No Configurador (SIGACFG) acesse Base de Dados/Dicionário/ Base de Dados. Configure o(s) campo(s) a seguir: GIM Guia Informativa Mensal ICMS Distrito Federal Produto : Microsiga Protheus Livros Fiscais, Versão 11 Chamado : TEEBVL-TPIEVQ Data da publicação : 29/04/14 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos

Leia mais

Instrução Normativa nº 432 de

Instrução Normativa nº 432 de SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL - SRF Instrução Normativa nº 432 de 22.07.2004 Aprova o Programa Pedido Eletrônico de Ressarcimento ou Restituição e Declaração de Compensação, versão 1.4 (PER/DCOMP 1.4),

Leia mais

DAC Declaração das Atividades do Contribuinte - Alagoas

DAC Declaração das Atividades do Contribuinte - Alagoas DAC Declaração das Atividades do Contribuinte - Alagoas Produto : Microsiga Protheus Livros Fiscais Versão 10 Data da publicação : 10/09/12 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos Chamado : TFBDWX

Leia mais

Rio de Janeiro, 10 de março de Sistema Público de Escrituração Digital

Rio de Janeiro, 10 de março de Sistema Público de Escrituração Digital Rio de Janeiro, 10 de março de 2010 Sistema Público de Escrituração Digital PREMISSAS VALIDADE JURÍDICA DE LIVROS E DOCUMENTOS DIGITAIS PARA TODOS OS FINS COMPARTILHAMENTO CONTRUÇÃO COLETIVA PREMISSAS

Leia mais

NOVIDADES/MELHORIAS ERP SOLUTION. Versão

NOVIDADES/MELHORIAS ERP SOLUTION. Versão VERSÃO 008.017 NOVID AD ES E MELHORIAS E107A9 Jéssica Pinheiro 20/01/2016 2/24 NOVIDADES/MELHORIAS ERP SOLUTION Versão 008.017 1. Envio de cópia de e-mail.... 3 2. Bloqueio de emissão de cupom fiscal com

Leia mais

Assunto: Contabilização do pagamento da Contribuição ao Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público PIS/PASEP

Assunto: Contabilização do pagamento da Contribuição ao Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público PIS/PASEP Nota Técnica n 003/2012/GECON Vitória, 08 de Março de 2012. Assunto: Contabilização do pagamento da Contribuição ao Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público PIS/PASEP

Leia mais

MANUAL CONTABILIZAÇÃO DE FOLHA DE PAGAMENTO - COMPLETO

MANUAL CONTABILIZAÇÃO DE FOLHA DE PAGAMENTO - COMPLETO PARAMETRIZAÇÃO PARA CONTABILIZAÇÃO DE FOLHA DE PAGAMENTO A rotina de parametrização pode ser acessada através dos módulos: MÓDULO FOLHA MÓDULO CONTÁBIL Primeiramente é preciso definir como será feito a

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº /07

RESOLUÇÃO CFC Nº /07 RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.115/07 Aprova a NBC T 19.13 Escrituração Contábil Simplificada para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais

Leia mais

Sumário. Capítulo 2. Conceitos Básicos...1. Patrimônio Contabilidade_Geral_Resumida_cap_00.indd 9 14/10/ :44:34

Sumário. Capítulo 2. Conceitos Básicos...1. Patrimônio Contabilidade_Geral_Resumida_cap_00.indd 9 14/10/ :44:34 Sumário Capítulo 1 Conceitos Básicos...1 1. Contabilidade: Conceitos, Objeto, Objetivo, Finalidade e Campo de Aplicação...1 2. Usuários da Informação Contábil...2 3. Principais Tipos de Sociedades Existentes

Leia mais

ANO XXVI ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 48/2015

ANO XXVI ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 48/2015 ANO XXVI - 2015-4ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 48/2015 ASSUNTOS CONTÁBEIS IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE - TRATAMENTO CONTÁBIL... Pág. 705 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA GANHOS

Leia mais

Auditoria Contábil. Mapeamento e Apontamento na Matriz de Riscos e Oportunidades

Auditoria Contábil. Mapeamento e Apontamento na Matriz de Riscos e Oportunidades Auditoria Contábil Mapeamento e Apontamento na Matriz de Riscos e Oportunidades Financeiro A auditoria desta área tem como objetivo geral verificar se os controles financeiros adotados pela empresa são

Leia mais

SMART CADASTRO DE EMPRESA

SMART CADASTRO DE EMPRESA SMART CADASTRO DE EMPRESA -> Cadastros/ Parâmetros/ Empresa O objetivo principal é cadastrar dados relacionados a Empresa (razão social da empresa, fantasia, alíquotas para cálculo de custos) conforme

Leia mais

Resumo Socion das configurações no JB Cepil para geração da ECF

Resumo Socion das configurações no JB Cepil para geração da ECF Resumo Socion das configurações no JB Cepil para geração da ECF 1 - Configurações Necessárias Empresa Lucro Real: 1.1 Pacote 3000 Apontar o plano referencial a ser utilizado pela empresa; 1.2 Pacote 3012

Leia mais

SIAGRI SISTEMAS Esclarecimentos SPED Contábil

SIAGRI SISTEMAS Esclarecimentos SPED Contábil SIAGRI SISTEMAS Esclarecimentos SPED Contábil O que é SPED? Sistema Público de Escrituração Digital É um projeto de âmbito NACIONAL sendo gerenciado pela RECEITA FEDERAL, tem como objetivo a uniformização

Leia mais

Contabilidade Geral Prova 2 Gabarito 1 Questão 01 A questão solicita que o candidato indique a afirmativa incorreta, que é encontrada na alternativa c : No ativo, as contas serão dispostas em ordem crescente

Leia mais

Neste bip. Dicas para resolver erros do Seguro Desemprego. Você Sabia? Edição 68 Abril de 2016

Neste bip. Dicas para resolver erros do Seguro Desemprego. Você Sabia? Edição 68 Abril de 2016 Neste bip Dicas para resolver erros do Seguro Desemprego... 1 Geração dos recibos de vale transporte... 2 Horário de Trabalho... 3 Dicas para resolver erros do Seguro Desemprego O validador do arquivo

Leia mais

expert PDF Trial Escrituração Contábil Digital Elaborado por: José Sérgio Fernandes de Mattos

expert PDF Trial Escrituração Contábil Digital Elaborado por: José Sérgio Fernandes de Mattos Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

MODERIZAÇÃO PÚBLICA S I S T E M A D E A L M O X A R I F A D O M A N U A L D E I N S T R U Ç Õ E S

MODERIZAÇÃO PÚBLICA S I S T E M A D E A L M O X A R I F A D O M A N U A L D E I N S T R U Ç Õ E S MODERIZAÇÃO PÚBLICA S I S T E M A D E A L M O X A R I F A D O M A N U A L D E I N S T R U Ç Õ E S SISTEMA DE ALMOXARIFADO Guia do usuário Obs.: Informamos que por conta de ajustes e aperfeiçoamentos realizados

Leia mais

Prefeitura do Município de Lages Secretaria Municipal da Fazenda Diretoria de Fiscalização

Prefeitura do Município de Lages Secretaria Municipal da Fazenda Diretoria de Fiscalização INSTRUÇÃO NORMATIVA 007/2014 DISPÕE SOBRE O MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS DA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO DA SECRETARIA DA FAZENDA DO MUNICÍPIO DE LAGES Considerando a necessidade de promover agilidade

Leia mais

Depreciação de Bens do Ativo Imobilizado

Depreciação de Bens do Ativo Imobilizado Depreciação de Bens do Ativo Imobilizado Contabilmente a depreciação de bens do ativo imobilizado corresponde à redução do valor dos mesmos tendo em vista o desgaste pelo uso, ação da natureza ou obsolescência

Leia mais

Boletim Mensal JUNHO/201 /2016

Boletim Mensal JUNHO/201 /2016 Boletim Mensal JUNHO/201 /2016 Fiscal Contábil RH Calendário Obrigações Fiscal Comitê Gestor aprova diretrizes do Domicílio Tributário Eletrônico do Simples Nacional - 10/05/2016. A Lei Complementar n.

Leia mais

Guia do Usuário Linx Microvix. ICMS Interestadual (Diferencial de alíquotas e partilha) P&D Joinville Publicado em Julho/2016

Guia do Usuário Linx Microvix. ICMS Interestadual (Diferencial de alíquotas e partilha) P&D Joinville Publicado em Julho/2016 Guia do Usuário Linx Microvix ICMS Interestadual (Diferencial de alíquotas e partilha) P&D Joinville Publicado em Julho/2016 Sumário Apresentação Informações Configurações Básicas Finalização da Nota Fiscal

Leia mais

Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30

Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Manual de apuração do IRPJ e da CSLL no Athenas3000 e a geração do arquivo do SPED ECF.

Manual de apuração do IRPJ e da CSLL no Athenas3000 e a geração do arquivo do SPED ECF. Análise: Ronaldo Ferreira/Verônica Barreto Manual de apuração do IRPJ e da CSLL no Athenas3000 e a geração do arquivo do SPED ECF. Importante: O objetivo deste manual é apenas mostrar como configurar,

Leia mais

PROJECT Informática Ltda. Rua Giordano Bruno, 100 Bairro Rio Branco Porto Alegre-RS CEP Fone: (51) Vendas: (51)

PROJECT Informática Ltda. Rua Giordano Bruno, 100 Bairro Rio Branco Porto Alegre-RS CEP Fone: (51) Vendas: (51) SPED PIS/COFINS O SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) PIS/COFINS é um módulo opcional que está habilitado para funcionar com a versão 7 do Oryon. A licença é habilitada pelo número de série

Leia mais

Manual DIMOF (Declaração de Informação sobre Movimentação Financeira)

Manual DIMOF (Declaração de Informação sobre Movimentação Financeira) Manual DIMOF (Declaração de Informação sobre Movimentação Financeira) JUNHO/2013 Sumário Sumário... 2 1. Introdução... 3 2. Funcionalidade... 4 3. Navegação no Sistema... 4 3.1. Autenticação de Usuário...

Leia mais

ITG 2000 (R1) ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL

ITG 2000 (R1) ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL ITG 2000 (R1) ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL A letra R mais o número que identifica sua alteração (R1, R2, R3,...) foram adicionados à sigla da interpretação para identificarem o número da consolidação e facilitarem

Leia mais

O SUBSECRETÁRIO DA RECEITA ESTADUAL, no uso de atribuição que lhe confere o artigo

O SUBSECRETÁRIO DA RECEITA ESTADUAL, no uso de atribuição que lhe confere o artigo INSTRUÇÃO NORMATIVA RE Nº 094/11 (DOE 26/12/2011) Porto Alegre, 21 de dezembro de 2011. Introduz alteração na Instrução Normativa DRP nº 45/98, de 26/10/98. O SUBSECRETÁRIO DA RECEITA ESTADUAL, no uso

Leia mais

Informativo Sistema Resulth-Versão 19.12

Informativo Sistema Resulth-Versão 19.12 Informativo Sistema Resulth-Versão 19.12 Índice ERP Faturamento... 2 Cadastro de Filiais... 2 Cadastro de Produtos... 4 Digitação e Emissão de NF-e... 5 Validação do Cst Ipi X Cód. Enquadramento Ipi...

Leia mais

NOVIDADES/MELHORIAS ERP SOLUTION. Versão

NOVIDADES/MELHORIAS ERP SOLUTION. Versão VERSÃO 008.017 NOVID AD ES E MELHORIAS E109A9 Jéssica Pinheiro 01/04/2016 2/11 NOVIDADES/MELHORIAS ERP SOLUTION Versão 008.017 1. Parâmetro para controle do saldo na geração de pedido de compra de venda

Leia mais

Manual de Usuário. Módulo Estoque

Manual de Usuário. Módulo Estoque Manual de Usuário Módulo Estoque MÓDULO DE ESTOQUE OU CONTROLE DE MATERIAIS. A base do controle de estoque são os itens (peças e acessórios, lubrificantes, combustíveis, etc) que devidamente codificados

Leia mais

DECLARAÇÃO PERIÓDICA DE IVA

DECLARAÇÃO PERIÓDICA DE IVA DECLARAÇÃO PERIÓDICA DE IVA NOVAS INSTRUÇÕES E ANEXOS 40 / 41 W: www.centralgest.com E: comercial@centralgest.com T: (+351) 231 209 530 Portugal Angola Moçambique Cabo Verde 1987-2013 CentralGest - Produção

Leia mais

ANEXO 1 DA INSTRUÇÃO NORMATIVA SF/SUREM Nº 10, DE 23 DE JULHO DE 2009

ANEXO 1 DA INSTRUÇÃO NORMATIVA SF/SUREM Nº 10, DE 23 DE JULHO DE 2009 ANEXO 1 DA INSTRUÇÃO NORMATIVA SF/SUREM Nº 10, DE 23 DE JULHO DE 2009 1 - DADOS TÉCNICOS DE GERAÇÃO DO ARQUIVO 1.1 - CD-ROM de 650MB: 1.1.1 - Formatação: compatível com o MS-Windows; 1.1.2 - Tamanho do

Leia mais