Monitoramento eletrônico de residências

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Monitoramento eletrônico de residências"

Transcrição

1 Monitoramento eletrônico de residências

2 Expediente Presidente do Conselho Deliberativo Roberto Simões Diretor-Presidente Luiz Eduardo Pereira Barreto Filho Diretor Técnico Carlos Alberto dos Santos Diretor de Administração e Finanças José Claudio Silva dos Santos Gerente da Unidade de Capacitação Empresarial Mirela Malvestiti Coordenação Nídia Santana Caldas Equipe Técnica Carolina Salles de Oliveira Autor Maria Angela Soares Lopes Projeto Gráfico Staff Art Marketing e Comunicação Ltda.

3 Apresentação do Negócio Segundo Maslow uma das necessidades básicas do ser humano é a segurança. Tal fato se justifica na medida em que se observa o comportamento humano desde os tempos mais antigos. Na Idade da Pedra Lascada a humanidade se preocupava em preservar a espécie e como forma de proteção utilizava a força física e instrumentos rudimentares feitos com pedras e pedaços de pau. No período Paleolítico o ser humano vivia em cavernas e preocupava-se em proteger seu território utilizando o fogo como instrumento de defesa. No período Neolítico no qual desenvolveu a agricultura, inventou a cerâmica e passou a viver em aldeias, o foco da segurança passou a ser os alimentos que produzia e o gado. Naquele período aprendeu a polir a pedra e conseguiu produzir instrumentos mais eficazes como lâminas de corte, machados, serras com dentes de pedra, entre outros, que também eram usados para defesa de seus bens Milênios se passaram e o ser humano continua buscando meios e instrumentos para manter-se em segurança. O foco de proteção continua sendo a espécie, o território (casa) e posses, mas os instrumentos se atualizaram e contam com o que há de mais moderno em termos de tecnologia. Dentre as vertentes do mercado de segurança existe a segurança eletrônica, que abrange principalmente tecnologia em circuitos fechados de televisão, alarmes, cercas elétricas e rastreadores. O mercado de segurança eletrônica pode ser dividido em duas grandes áreas: mercado corporativo, que é formado por empresas e instituições financeiras e varejo, que é voltado aos consumidores finais. O foco desta idéia de negócio será voltado para a instalação de monitoramento eletrônico de Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias 3

4 residências, o mercado de varejo. Este documento não substitui o Plano de Negócios, que é imprescindível para iniciar um empreendimento com alta probabilidade de sucesso. Para a elaboração do Plano de Negócio deve ser consultado o SEBRAE mais próximo. Mercado "A segurança eletrônica é uma das áreas que mais cresce no mercado de segurança patrimonial. A média de crescimento tem se mantido na casa dos 20% ao ano, segundo dados anuais divulgados por associações e sindicatos do setor. A quantidade de empresas que atuam no segmento da segurança eletrônica no Brasil em abril de 2009 estava estimada em 8.000, sendo que a maior parte delas está localizada no estado de São Paulo. O aumento na demanda se deve à elevação da sensação de insegurança e à redução dos custos dos sistemas de segurança eletrônica que antes eram destinados apenas às classes de maior poder econômico. Ameaças e oportunidades As oportunidades de negócios são definidas pelas possibilidades de bons resultados que o empreendedor vislumbra ao implantar um novo empreendimento. O conhecimento real das possibilidades de sucesso somente será possível através de pesquisa de mercado. Uma pesquisa não precisa ser sofisticada, dispendiosa - em termos financeiros - ou complexa. Ela pode ser elaborada de forma simplificada e aplicada pelo próprio empresário, para estudar a concorrência já instalada, os preços praticados e características gerais do público que pretende atingir. O risco de abrir as portas sem conhecimento do ambiente local é muito grande. Oportunidades: 4 Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias

5 - Diversificar e oferecer instalação de sistemas de segurança para grandes eventos e segmento corporativo de modo geral; - Parceria com seguradoras de imóveis, carros, vida, etc., que oferecem desconto na apólice para quem utiliza sistemas de segurança; As ameaças são representadas por todas as possibilidades de insucesso que o futuro empresário pode identificar para o novo negócio. A realização da pesquisa sugerida fornece subsídios para a previsão de dificuldades que poderão aparecer pelo caminho. A pesquisa realizada identificou as ameaças abaixo listadas como sendo as mais significativas: Ameaças: -Concorrência de empreendimentos informais e que não são especializados na área, que também prestam esse tipo de serviço. Por atuarem na informalidade, oferecem serviços a preços mais baixos e com baixa qualidade. Localização A localização de uma Empresa de Monitoramento Eletrônico de Residências deve ser decidida levando em consideração alguns aspectos, tais como: a) Adequação aos clientes: apesar de não ser muito frequente, o cliente vai à Empresa de Monitoramento Eletrônico de Residências. Por isso, é importante que o empreendedor considere: - Facilidade de acesso.; - Facilidade de estacionamento (local ou próximo); b) Adequação aos funcionários: - Proximidade de estações e pontos de transporte coletivo; - Infraestrutura de serviços (restaurantes, farmácias, bancos); Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias 5

6 c) Aspectos urbanísticos e de infraestrutura: - Segurança da região; - Infraestrutura de serviços públicos (Bombeiros, Polícia, Hospital, Correio); - Local sujeito a inundações ou próximo a áreas de risco; - Disponibilidade dos serviços de água, luz, telefone e internet; - Serviços de recolhimento de lixo. d) Aspectos econômico financeiros: - Preço de aluguel e qualidade dos imóveis disponíveis; Alguns locais que podem ser considerados estratégicos: - Região que concentre negócios afins, tais como seguradoras, empresas de vigilância e etc. - Centros Comerciais; Exigências legais específicas Para dar início ao processo de abertura da empresa é necessário que se cumpra os seguintes procedimentos: 1) Consulta Comercial Antes de realizar qualquer procedimento para abertura de uma empresa, o primeiro passo é realizar uma consulta prévia na prefeitura ou administração local. A consulta tem por objetivo verificar se no local escolhido para a abertura da empresa é permitido o funcionamento da atividade que se deseja empreender. Outro aspecto que precisa ser pesquisado é o endereço. Em algumas cidades, o endereço registrado na prefeitura é diferente do endereço que todos conhecem. Neste caso, é necessário o endereço correto, de acordo com o da prefeitura, para registrar o contrato social, sob pena de ter de refazê-lo. Órgão responsável: - Prefeitura Municipal; 6 Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias

7 - Secretaria Municipal de Urbanismo. 2) Busca de nome e marca Verificar se existe alguma empresa registrada com o nome pretendido e a marca que será utilizada. Órgão responsável: - Junta Comercial ou Cartório (no caso de Sociedade Simples) e Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI). 3) Arquivamento do contrato social/declaração de Empresa Individual Este passo consiste no registro do contrato social. Verifica-se também, os antecedentes dos sócios ou empresário junto a Receita Federal, através de pesquisas do CPF. Órgão responsável: - Junta Comercial ou Cartório (no caso de Sociedade Simples). 4) Solicitação do CNPJ Órgão responsável: - Receita Federal. 5) Solicitação da Inscrição Estadual Órgão responsável: - Receita Estadual 6) Alvará de licença e Registro na Secretaria Municipal de Fazenda O Alvará de licença é o documento que fornece o consentimento para empresa desenvolver as atividades no local pretendido. Órgão responsável: - Prefeitura Municipal; - Secretaria Municipal da Fazenda. 7) Matrícula no INSS Órgão responsável: - Instituto Nacional de Seguridade Social; Divisão de Matrículas INSS. Em janeiro de 2010, tramita no Senado o projeto de lei Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias 7

8 federal que regulamenta a atividade de Monitoramento Eletrônico de Residências. É importante que o empreendedor que deseja atuar neste ramo esteja atento ao andamento deste projeto de lei. Ainda não existe em nível federal uma lei específica para segurança eletrônica, entretanto alguns estados já dispõem de regulamentação própria. Para auxiliar no processo de abertura da empresa o empreendedor pode contar com um contabilista, profissional capacitado para orientar a abertura e regularização da empresa. Estrutura A dimensão do empreendimento é uma decisão do empresário, entretanto, sugere-se uma área mínima de 30m² para estruturar uma Empresa de Monitoramento Eletrônico de Residências. O espaço deve ser bem planejado e recomenda-se evitar poluição visual, proporcionar boa iluminação e ventilação para que haja conforto tanto para as pessoas que trabalham na empresa quanto para clientes. A estrutura deverá contemplar escritório e um local destinado a uma oficina/depósito para pequenos reparos e depósito de materiais, equipamentos e ferramentas. Escritório - Mesa; - Cadeiras; - Arquivo para pasta suspensa; - Armários; - Computador; - Impressora; - Telefone/fax; - Balcão; - Prateleiras; 8 Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias

9 - Máquina de cupom fiscal. Oficina/ depósito - Mesa; - Cadeira; - Armários. Pessoal Uma Empresa de Monitoramento Eletrônico de Residências precisa de profissionais que exerçam as funções secretária, administrador, técnico em eletrônica e auxiliar em eletrônica. Para amenizar os custos iniciais com folha de pagamento, convém optar pela contratação de uma equipe enxuta. De acordo com empreendedores do ramo é possível começar com apenas quatro pessoas, desde que os quatro profissionais reúnam as competências necessárias para tocar o empreendimento: Administrador - Capacidade para lidar com imprevistos; - Reconhecer e definir problemas, - Atuar preventivamente; - Ter raciocínio lógico, crítico e analítico; - Ter conhecimento de gestão empresarial.; - Habilidade de relacionamentos; - Habilidade para negociar; - Pró atividade; - Inteligência emocional para lidar com possíveis conflitos; - Disciplina. Secretária - Cortesia e educação para com os clientes e colegas; - Disciplina; - Organização; - Boa apresentação pessoal. Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias 9

10 Técnico em Eletrônica - Capacidade para avaliar a execução de serviços técnicos verificando a adequação do executado ao projeto e às normas específicas; - Capacidade de identificar a necessidade de inovações tecnológicas e propor as soluções adequadas à otimização de Processos Eletro-Eletrônicos; - Capacidade para conduzir e controlar as atividades técnicas, visando ao atendimento disposto nos projetos e normas técnicas, assegurando a qualidade dos resultados; - Capacidade para executar serviços técnicos assegurando a qualidade do serviço; Auxiliar em Eletrônica - Atenção aos detalhes; - Conhecimento dos equipamentos; - Conhecimento técnico e operacional; - Disciplina; - Capacidade para lidar com imprevistos; - Capricho. A capacitação de profissionais deste ramo de negócio deve estar direcionada para o desenvolvimento das competências citadas acima. Este é um ramo que se deve ter mais cuidado que o habitual para recrutar e selecionar funcionários. As Empresas de Monitoramento Eletrônico de Residências lidam com a privacidade de seus clientes. É imprescindível que o funcionário não tenha antecedentes criminais, bem como ter o nada consta junto a Justiça Federal, Justiça Estadual, Policia Militar e Polícia Federal) e que tenha todas as referências necessárias para atestar sua idoneidade. Os níveis salariais básicos são definidos pelos sindicatos de cada região, a partir daí o empresário deverá manter políticas que remunerem adequadamente os empregados, 10 Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias

11 considerando-se os níveis de competências pessoais. Recomenda-se a adoção de uma política de retenção de pessoal, oferecendo incentivos e benefícios de natureza financeiros ou outros. Assim, a empresa poderá diminuir os níveis de rotatividade e obter vantagens como a criação de vínculo entre funcionários e clientes e ainda a diminuição de custos com:? recrutamento e seleção,? treinamento de novos funcionários,? custos com demissões. Equipamentos Para estruturar a empresa serão necessários os seguintes equipamentos: Equipamentos para Escritório - Uma mesa; - Três cadeiras; - Um arquivo para pasta suspensa; - Um armário; - Um computador; - Uma impressora; - Telefone/fax; - Um balcão; - Uma máquina de cupom fiscal. Equipamentos para Oficina/ Depósito - Uma mesa; - Duas cadeiras; - Três armários; - Ferramentas Diversas; - Cabos e fios. O mercado de usados pode ser interessante para quem Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias 11

12 está começando. Porém, alguns cuidados devem der tomados ao comprar equipamentos usados: - Dar preferência a equipamentos que estejam em uso e não parados, sem utilização.; - Pedir a um especialista para avaliar as condições do equipamento antes de comprá-lo; - Solicitar toda a documentação técnica dos equipamentos, (computador, fax) como os manuais de operação e manutenção; O empresário deve avaliar se existe necessidade de instalação de sistema de alarmes, instalação de câmeras, bem como a contratação de seguro para os equipamentos e estoque, considerando os riscos pertinentes à região ou local em que a empresa está instalada. Além dos equipamentos citados, ainda será necessário adquirir ou alugar um veículo para realização dos serviços. Bancos e financeiras oferecem financiamentos exclusivos com taxas diferenciadas de financiamento para pessoa jurídica. É importante a realização de uma pesquisa para se informar sobre as melhores taxas praticadas no mercado e também verificar o custo/benefício de um veículo zero, semi-novo ou alugado. Fornecedores de Equipamentos: Robert Bosch Limitada Via Anhangüera, Km 98 Vila Boa Vista Campinas - SP Tel.: (19) Site: BIS Brasil Inteligência em Segurança CA 05, Lote F, Bloco 1, Lojas 01/02, Ed. San Raphael, Lago 12 Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias

13 Norte Brasília - DF Tel.: Matéria Prima / Mercadoria Alguns equipamentos e materiais utilizados para instalação de segurança eletrônica: - Centrais de alarme; - Sensores de movimento; - Contatos magnéticos; - Botões de pânico; - Câmeras; - Fios. Não é necessária a manutenção de estoque. Os equipamentos podem ser comprados de acordo com a demanda dos projetos. O prazo de entrega dos fornecedores é de cinco dias e para pagamento de até trinta dias. Produto/ Serviços: - Alarmes; - Cerca Elétrica; - Circuito Fechado de Televisão; - Monitoramento 24h; - Elaboração de projeto de segurança residencial. Fornecedores de Equipamentos: Seventh Visual Control Rodovia SC-401, Sala 03, Bloco 02 Corporate Park. Santo Antônio de Lisboa. Florianópolis/SC Tel: (48) / (48) / (48) Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias 13

14 BIS Brasil Inteligência em Segurança CA 05, Lote F, Bloco 1, Lojas 01/02, Ed. San Raphael, Lago Norte Brasília - DF Tel.: Organização do processo produtivo Solicitação de orçamento? Visita de avaliação? Elaboração do Projeto?Elaboração do orçamento? Planejamento da execução do projeto? Execução do projeto? Recebimento Solicitação de orçamento Esta é a etapa em que o cliente solicita o orçamento para os serviços que deseja. Visita e avaliação Um técnico vai até o local para fazer o levantamento dos recursos necessários para execução do serviço e a avaliação de risco do local a ser protegido. Elaboração do Projeto Elaboração da planta ou croqui com o projeto do sistema de segurança eletrônica. O projeto definirá a localização dos equipamentos e planejamento da convergência entre eles permitindo que os equipamentos, possam conversar um com o outro, mesmo instalados ou plugados em locais diferentes. Elaboração do Orçamento A empresa emite orçamento para o cliente. Planejamento da execução do projeto Realizado o projeto a próxima etapa consiste em planejar a execução do trabalho. O planejamento consiste na definição das fases do trabalho e na elaboração da estratégia de 14 Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias

15 execução do serviço. Execução do projeto Implanta-se o projeto e realiza-se os testes necessários para verificação do sistema de segurança. Recebimento O acerto pode ser feito das maneiras tradicionais como cheque, dinheiro e cartão de crédito. É comum a solicitação de um sinal de entrada quando é feito o parcelamento com cheque. Automação Todo o negócio de monitoramento eletrônico de residência é automatizado. Para controlar e monitorar os equipamentos de segurança instalados nas residências são utilizados softwares específicos que permitem o acompanhamento eficaz de imagens, alarmes e outros equipamentos de segurança além de atuarem na comunicação dos eventos ocorridos enviando sinais para o cliente e para empresa. Segundo informações de empresários do ramo, Os softwares recebem o evento dos painéis de alarme e o encarregado da central, segue o procedimento definido. Cada tipo de evento tem uma prioridade diferente como chamar a polícia, encaminhar um agente, informar os donos ou responsáveis pelo local, entre outros. Na administração A gestão do negócio pode ser automatizada. Existem vários softwares no mercado que possibilitam a automação da gestão de empresas. Entretanto, o mais indicado é que o empresário invista em softwares específicos para o ramo de negócio da empresa para permitir a gestão eficiente do negócio. Dentre os benefícios que um software de gestão pode oferecer, pode-se Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias 15

16 citar alguns. - Controle de clientes com gerenciamento de relacionamento CRM (Customer Relationship Manager); - Envio de direto e personalizado para comunicação com os clientes; - Contas a pagar; - Controle de despesas; - Contas a receber; - Contratos para cobrança mensal; - Controle bancário (taxas, tarifas, cheques já compensados, etc); - Fluxo de caixa. Alguns Fornecedores: Dkal Automação Comercial Rua Alferes Magalhães, 72 3º andar, Santana São Paulo SP SAC: (11) Segware Rodovia SC 401, 8600, Corporate Park - Bloco 2 - Sala 10 Santo Antônio de Lisboa Florianópolis - SC Tel.:(48) Fax: (48) Site: BIS Brasil Inteligência em Segurança CA 05, Lote F, Bloco 1, Lojas 01/02, Ed. San Raphael, Lago Norte Brasília - DF Tel.: Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias

17 Canais de distribuição O principal canal de distribuição numa Empresa Monitoramento Eletrônico de residências é de venda direta, no qual o cliente faz o contato por telefone ou pessoalmente solicitando os serviços da empresa. Independentemente do canal de distribuição adotado, o sucesso de um negócio depende, principalmente, da capacidade de percepção de oportunidade do empreendedor e da sua agilidade para adaptar seus canais de distribuição, aproveitando tendências e criando novas formas de fazer sua empresa ser conhecida por seus clientes. Investimentos O valor total a ser investido depende de um conjunto de decisões que precedem a instalação do negócio, como por exemplo: -Decidir sobre o local que será montado o negócio: se o imóvel será próprio ou alugado; -Avaliar todas as modificações necessárias que deverão ser realizadas no local para o funcionamento do negócio; - Avaliar o custo benefício de comprar equipamentos usados. Os resultados das decisões referentes a estes itens surgirão com a elaboração do plano de negócios. Etapa fundamental para quem deseja empreender de forma consciente, o plano de negócios é a validação da idéia, análise de sua viabilidade como negócio (DOLABELA, 1999, p.17). Considerando uma Monitoramento Eletrônico de Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias 17

18 Residências instalada numa área de 30m², é necessário um investimento inicial estimado em R$ ,00(setenta e oito mil e duzentos reais), a ser alocado majoritariamente nos seguintes itens: - Reforma do local: R$ 3.000,00; - Móveis e materiais de escritório: R$ 5.000,00; - Equipamentos e Máquinas: R$ ,00; - Sistemas de Informática: R$ ,00 (licença de software de monitoramento e demais softwares necessários ao funcionamento do negócio) - Automóvel: R$ ,00 - Capital de giro: R$ ,00 Capital de giro Uma Empresa de Monitoramento Eletrônico de Residências requer um montante de capital de giro que pode ser considerado baixo, entre 10 e 15% do investimento inicial. A estratégia a ser utilizada para atrair clientes será fundamental para o alcance do ponto de equilíbrio entre receita e despesa. Exemplo de necessidade de capital de giro para os primeiros meses de funcionamento de uma Custos Os custos indicam as despesas (gastos) de um negócio. Podem ser fixos, que independem do faturamento, ou seja, aluguel, salários, gastos com contador, água, luz, telefone, internet. Ou podem ser variáveis, que estão relacionados à quantidade de serviço prestado no mês, como por exemplo: impostos e aquisição de peças. A escolha dos fornecedores é importante, por isso é 18 Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias

19 fundamental que se faça uma boa pesquisa para selecionar os melhores preços e a melhor qualidade. Podem ser tomadas algumas providências que ajudem a diminuir o valor dos custos fixos, como por exemplo: - Optar por locais em que o aluguel tenha um preço menor, desde que não prejudique a competitividade e que tenha uma boa relação custo/benefício; - Optar por planos de telefone com custos mais baixos; - Evitar gastos e despesas desnecessários; - Manter uma equipe de pessoal enxuta; - E outras ações de acordo com a realidade de cada empreendimento; Os custos para uma abrir uma Empresa de Monitoramento Eletrônico de Residências devem ser estimados considerando os itens a seguir: - Salários, e encargos: R$ 7.800,00 - Tributos, impostos, contribuições e taxas: R$ 2.500,00; - Aluguel, taxa de condomínio, segurança: R$ 1.500,00; - Luz, telefone e acesso a internet: R$ 300,00; - Produtos para higiene e limpeza: R$ 50,00; - Recursos para manutenções e correções: R$ 100,00; - Assessoria contábil: R$ 465,00; - Propaganda e publicidade da empresa: R$ 1.000,00 - Aquisição de Equipamentos: R$3.500,00. É essencial que se faça uma análise criteriosa de todas as despesas, buscando formas de minimizá-las sem prejudicar a qualidade dos serviços e produtos oferecidos pela Empresa de Monitoramento Eletrônico de Residências. Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias 19

20 Diversificação / Agregação de valor Para manter-se competitivo um negócio precisa oferecer diferenciais que o torne mais atrativo que seus concorrentes. Agregar valor é oferecer o inesperado ao cliente; ir além da obrigação; oferecer mais e melhor e o que ninguém ainda ofereceu. Nesse ramo, existem algumas possibilidades de agregar valor, dependendo apenas da iniciativa e criatividade do empreendedor como, por exemplo: -Investir em atualizações constantes, buscando oferecer o que existe de melhor em termos de qualidade e tecnologia no mercado. A qualidade no atendimento ao cliente é um aspecto importante que deve ser observado. Entregas no prazo, serviços feitos com qualidade, escuta atenciosa e diálogo de compromisso influenciam muito na satisfação dos clientes. Ao oferecer um atendimento de qualidade, a empresa cria um diferencial, constrói um relacionamento de confiança e torna inconveniente a migração do cliente para um concorrente. Divulgação Como diz o ditado popular, a propaganda é a alma do negócio. Por meio da propaganda o empreendedor dará destaque ao seu estabelecimento no mercado. É possível a utilização de formas simples e baratas de divulgação. Com criatividade pode-se e buscar alternativas que atraiam os clientes. Entre as alternativas que demandam menos investimento pode-se citar: 20 Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias

21 - Utilização de mala direta com mensagens que lembram e divulgam a Empresa de Monitoramento Eletrônico de Residências; - Distribuição de material informativo em pontos estratégicos como centros comerciais, seguradoras, delegacias; - Outdoor em locais de grande circulação de pessoas; - Anúncio em páginas especializadas nos jornais; - Site na Internet com portfólio de serviços; - Cartões de visita. O bom atendimento aliado a qualidade dos serviços é uma receita de sucesso para qualquer Empresa de Monitoramento Eletrônico de Residências. Clientes satisfeitos tendem a comentar com outras pessoas e não existe melhor propaganda que a tradicional boca-a-boca, barata e eficiente. Informações Fiscais e Tributárias Os prestadores de serviço de monitoramento de residências pode optar pelo SIMPLES NACIONAL - Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Em geral, esta atividade tem a receita bruta anual adequada para o SIMPLES Nacional. Assim, pode realizar esta opção desde que sua atividade não ultrapasse R$ ,00 (microempresa) ou R$ ,00 (empresa de pequeno porte) e respeitando os demais requisitos previstos na Lei. Nesse regime, o empreendedor poderá recolher os seguintes tributos e contribuições, por meio de apenas um documento fiscal o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional): IRPJ (imposto de renda da pessoa jurídica); Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias 21

22 CSLL (contribuição social sobre o lucro); PIS (programa de integração social); COFINS (contribuição para o financiamento da seguridade social); ICMS (imposto sobre circulação de mercadorias e serviços); ISS (Imposto sobre serviços); INSS - Contribuição para a Seguridade Social relativa a parte da empresa (Contribuição Patronal Previdenciária CPP). Conforme a Lei Complementar nº 128/2008, as alíquotas do SIMPLES Nacional, para esse ramo de atividade, vão de 6% a 17,42%, dependendo da receita bruta auferida pelo negócio. No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da opção pelo SIMPLES Nacional, para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês de atividade, o empreendedor utilizará como receita bruta total acumulada, a receita do próprio mês de apuração multiplicada por 12 (doze). Se o Estado em que o empreendedor estiver exercendo a atividade conceder benefícios de isenção e/ou substituição tributária para o ICMS, a alíquota poderá ser reduzida conforme o caso. Na esfera Federal poderá ocorrer redução quando se tratar de PIS e/ou COFINS. MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL Se a receita bruta anual não ultrapassar a R$ ,00, o empreendedor poderá se enquadrar como empreendedor Individual MEI, ou seja, sem sócio. Não se compreendem neste caso os serviços de consultoria profissional. Neste caso, os recolhimentos dos tributos e contribuições serão efetuados em valores fixos mensais conforme abaixo: O empresário não precisa recolher os tributos acima (nem pelo sistema unificado), exceto: ISS e ICMS independente do 22 Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias

23 faturamento, quando devido de acordo com o ramo de negócio, para este caso: I - Sem empregado R$ 51,15 - a título de contribuição previdenciária do empreendedor R$ 5,00 - a título de ISS Imposto sobre serviço de qualquer natureza. II - Com um empregado Neste caso o empreendedor recolherá mensalmente, além dos valores acima, os seguintes percentuais: Retém do empregado 8% de INSS sobre a remuneração; Desembolsa 3% de INSS patronal sobre a remuneração do empregado. Conclusão: Para este segmento, tanto como LTDA quanto MEI, a opção pelo Simples Nacional sempre será muito vantajosa sobre o aspecto tributário, bem como nas facilidades de abertura do estabelecimento e para cumprimento das obrigações acessórias. Fundamento Legal: Leis Complementares 123/2006, 127/2007, 128/2008 e Resoluções do CGSN Comitê Gestor do Simples Nacional. Eventos Os cursos, feiras e eventos de negócios são oportunidades para o empreendedor realizar e fechar parcerias, fazer contatos e manter-se atualizado sobre as novidades sobre equipamentos e tecnologia no segmento de monitoramento eletrônico. Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias 23

24 A seguir uma relação de alguns eventos do setor: Congresso HABITAR Evento: Anual Local: São Paulo Realização: Aureside Site: Security Show Local:Florianópolis Realização: Segware e Seventh Exposec Evento: Anual Local: São Paulo Realização: ABESE Site: COBRASE Congresso Brasileiro de Segurança Empresarial Evento:Anual Local:São Paulo Realização: ABSEG - Associação Brasileira de Profissionais de Segurança Site: Entidades em Geral A Empresa de Monitoramento Eletrônico de Residências relaciona-se com um conjunto de entidades, que desempenham diversos papéis auxiliares ao negócio. 24 Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias

25 A seguir destacam-se algumas entidades com as quais o empresário deste ramo poderá desenvolver algum tipo de relacionamento: SEBRAE Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Unidade do SEBRAE mais próxima acesse: Tel.: SENAI - Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial SBN - Quadra 01 - Bloco C - Ed. Roberto Simonsen - 5º andar Brasília - DF Tel.:(61) / 9001 Site: Fenavist - Federação Nacional das Empresas de Segurança e Transporte de Valores SBS Qd.2 lote 15 bloco E salas 1601/ Ed. Prime Brasília-DF Tel: (61) ABINEE Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica Avenida Paulista, 1313 São Paulo SP Tel.: (11) Site: ABESE - Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança Rua Luis Gois, 690 Vila Mariana São Paulo Tel: (11) Idéias de Negócios - monitoramento-eletronico-de-residencias 25

Como montar um serviço de monitoramento eletrônico de

Como montar um serviço de monitoramento eletrônico de Como montar um serviço de monitoramento eletrônico de EMPREENDEDORISMO Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Expediente Presidente do Conselho Deliberativo Robson Braga de

Leia mais

UNIVERSIDADE GUARULHOS - UnG ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: PLANO DE NEGÓCIOS

UNIVERSIDADE GUARULHOS - UnG ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: PLANO DE NEGÓCIOS UNIVERSIDADE GUARULHOS - UnG ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: PLANO DE NEGÓCIOS MATERIAL COMPLEMENTAR PARTE 2 IDEIAS DE NEGÓCIOS PROFª MAISA ALVES masantos@prof.ung.br Fevereiro, 2014 PLANO DE NEGÓCIOS...

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO

COMO ABRIR SEU NEGÓCIO COMO ABRIR SEU NEGÓCIO 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Reflexão Qual o principal motivo para buscar a formalização de seu negócio? É importante lembrarmos que: Para desenvolver suas

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos 5 Plano Financeiro Investimento total Nessa etapa, você irá determinar o total de recursos a ser investido para que a empresa comece a funcionar. O investimento total é formado pelos: investimentos fixos;

Leia mais

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual

Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Orientações sobre Micro Empreendedor Individual Micro Empreendedor individual Definição Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

Leia mais

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação.

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. 1) Tipos de Empresas Apresenta-se a seguir, as formas jurídicas mais comuns na constituição de uma Micro ou

Leia mais

SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS

SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS SIMPLES NACIONAL 1.1. O que é O Simples Nacional é um regime tributário diferenciado, simplificado e favorecido previsto na Lei Complementar nº 123, de 2006, aplicável

Leia mais

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO Prof. Cássio Marques da Silva 2015 SIMPLES NACIONAL LC 123, 14 de Dezembro de 2006 Alterada pela LC 127, 14 de Agosto de 2007 Alterada pela LC 128, 19 de Dezembro de 2008 Alterada pela LC 133, 28 de Dezembro

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

Apresentação ao Shopping

Apresentação ao Shopping Apresentação ao Shopping O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua rede de franquias Você Sabia? Há trinta anos os Estados Unidos adotaram um modelo inovador

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO 04 APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE nas mais diversas áreas: organização empresarial, finanças, marketing,

Leia mais

Quem somos? Nossa Missão:

Quem somos? Nossa Missão: Bem Vindos! Quem somos? A GEPC Consultoria Tributária é uma empresa especializada em consultoria para Farmácias e Drogarias com mais de 6 anos de mercado neste seguimento. Apoiando e atualizando nossos

Leia mais

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Perfil do Palestrante: Contador, Consultor e Professor Universitário Colaborador do Escritório Santa Rita desde 1991 Tributação das Médias e Pequenas Empresas Como

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS.

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. Resumo efetuado a partir do Manual Como Elaborar um plano de negócios SEBRAE/ 2013 Profa. Célia Regina Beiro da Silveira ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS PARA O 1º CONCURSO

Leia mais

Tema Nº 3 Primeiros Passos

Tema Nº 3 Primeiros Passos Tema Nº 3 Primeiros Passos Habilidades a Desenvolver: Reconhecer as etapas iniciais do empreendedorismo. Analisar o tipo de negócio, bem como sua viabilidade e demandas de recursos de novos empreendimentos.

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0405 05 IDENTIFICAÇÃO: Título: ORÇAMENTO EMPRESARIAL Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO O QUE É : É um instrumento de planejamento

Leia mais

Quem tem conhecimento vai pra frente

Quem tem conhecimento vai pra frente blogdosempreendedores.com.br facadiferente.sebrae.com.br contabilidadeschmitt.com.br Fotos: Produtos do Projeto Gemas e Joias do Sebrae-PA Livro Artesanato- Um negócio genuinamente brasileiro (Sebrae,

Leia mais

BENEFÍCIOS COM A SMALL

BENEFÍCIOS COM A SMALL BENEFÍCIOS COM A SMALL 2012. Small Consultoria Avenida Engenheiro Caetano Álvares, 530 Casa Verde, São Paulo S.P. Tel. 11 2869.9699 / 11 2638.5372 Todos os direitos reservados. A IDEIA Dentre os exemplos

Leia mais

FORMALIZAÇÃO formalização será feita pela internet no endereço no endereço www.portaldoempreendedor.gov.br, a partir de 01/07/2009.

FORMALIZAÇÃO formalização será feita pela internet no endereço no endereço www.portaldoempreendedor.gov.br, a partir de 01/07/2009. M.E.I. (Micro empreendedor Individual) Lei Complementar numero 128 de 19 de dezembro de 2008. Considera-se MEI o empresário individual a que se refere o art. 966 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS Maio/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores

Leia mais

CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP)

CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP) CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP) Edição 2013 01) O que é Microempreendedor Individual - MEI? Considera-se Microempreendedor Individual - MEI o empresário individual

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO

TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO TÍTULO: MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - A IMPORTÂNCIA DA FORMALIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE RIO CLARO AUTOR(ES):

Leia mais

GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES

GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES No fascículo anterior tratamos da importância de desenvolver e treinar os profissionais que trabalham no consultório médico e o quanto são importantes para que a empresa seja

Leia mais

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ALCANCE 1.... estabelece critérios e procedimentos específicos a serem observados pelas entidades

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Criamos o que as pessoas amam antes que elas saibam o que querem Hoje nossos franqueados

Leia mais

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso 01 Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE-SP nas seguintes áreas: Organização Empresarial Finanças

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua

Leia mais

Regime Tributário Unificado e Simplificado

Regime Tributário Unificado e Simplificado SUPER SIMPLES, uma abordagem para escolas de idiomas A partir de 1/7/07, estará em funcionamento o regime único de tributação, instituído pela Lei Complementar nº123, conhecida também como Super Simples

Leia mais

Simples Nacional e o Planejamento Tributário RESUMO

Simples Nacional e o Planejamento Tributário RESUMO 1 Simples Nacional e o Planejamento Tributário Marcos A. Nazário De Oliveira marcosadinavi@gmail.com Egresso do curso de Ciências Contábeis Rafael Antônio Andrade rfaandrade@msn.com Egresso do curso de

Leia mais

PORTFÓLIO DE ABERTURA DA EMPRESA OLIMPO SYSTEMS EIRELI SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

PORTFÓLIO DE ABERTURA DA EMPRESA OLIMPO SYSTEMS EIRELI SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ALLAN KLEVANSKIS AMANDA MOURÃO PEDRO MAURÍCIO SAMARA DE CASTRO SHAYANE SANTOS VANESSA LOFFI PORTFÓLIO DE ABERTURA DA EMPRESA OLIMPO SYSTEMS EIRELI SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Belo

Leia mais

Prezado empreendedor,

Prezado empreendedor, Prezado empreendedor, Caderno do Empreendedor Este é o Caderno do Empreendedor, criado para facilitar o dia-a-dia da sua empresa. Com ele você poderá controlar melhor suas despesas, saber quanto está vendendo

Leia mais

Finanças. Contas a Pagar e a Receber

Finanças. Contas a Pagar e a Receber 2 Dicas de Finanças Finanças Você pode achar que falar de finanças é coisa para grandes empresas. Talvez este assunto nem tenha sido tratado com a devida importância mesmo em sua informalidade. Contudo,

Leia mais

RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA

RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA! As mudanças no PIS e no Cofins! Lucro real e presumido! IR e CSLL! Simples Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br) Sócio-Diretor da Cavalcante & Associados, empresa

Leia mais

Resumo Aula-tema 01: As relações com as grandes empresas e com o Estado e as relações com a contabilidade e com os empregados.

Resumo Aula-tema 01: As relações com as grandes empresas e com o Estado e as relações com a contabilidade e com os empregados. Resumo Aula-tema 01: As relações com as grandes empresas e com o Estado e as relações com a contabilidade e com os empregados. Todos nós já vivenciamos casos de empreendedores, na família ou no grupo de

Leia mais

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI?

1. Qual o significado da sigla MEI? 2. Qual é a definição de MEI? 3. Quem pode se enquadrar como MEI? FAQ -MEI 1. Qual o significado da sigla MEI? R: MEI é a sigla utilizada para Micro Empreendedor Individual 2. Qual é a definição de MEI? R: O MEI é o empresário individual a que se refere o art. 966 do

Leia mais

Unidade II Orçamento Empresarial. Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento

Unidade II Orçamento Empresarial. Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento Unidade II Orçamento Empresarial Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento Referências Bibliográficas Fundamentos de Orçamento Empresarial Coleção resumos de contabilidade Vol. 24 Ed. 2008 Autores:

Leia mais

Plano de Negócio. (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva

Plano de Negócio. (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva Plano de Negócio (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva Caracterização do Empreendimento Trata o presente de análise de viabilidade de mercado e de viabilidade

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

Tributos em orçamentos

Tributos em orçamentos Tributos em orçamentos Autores: Camila de Carvalho Roldão Natália Garcia Figueiredo Resumo O orçamento é um dos serviços mais importantes a serem realizados antes de se iniciar um projeto. É através dele

Leia mais

Como escolher o enquadramento tributário de sua empresa

Como escolher o enquadramento tributário de sua empresa Página 1 de 6 Grave nosso FEED Pensando Grande Página Inicial Autores deste blog Contato Sobre Como escolher o enquadramento tributário de sua empresa Por CamilaZanqueta em 29 de July de 2010 O Brasil

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Campinas - SP 17.mar.2015 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Como apoiamos? Operações Indiretas N o de operações 2014*

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº, de 2014.

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº, de 2014. PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº, de 2014. (do Sr. Guilherme Campos e outros) Altera a Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006 para reorganizar e simplificar a metodologia de apuração do imposto

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. A Fundação Universidade do Tocantins UNITINS torna público

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade?

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade? Nas atividades empresariais, a área financeira assume, a cada dia, funções mais amplas de coordenação entre o operacional e as expectativas dos acionistas na busca de resultados com os menores riscos.

Leia mais

PREÇO DE VENDA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO

PREÇO DE VENDA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PREÇO DE VENDA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO Estabelecer o preço de venda é um dos mais importantes momentos nas decisões a serem implantadas na empresa. A simples questão Por quanto devem ser vendidos os serviços

Leia mais

ROBSON ZANETTI & ADVOGADOS ASSOCIADOS AS HOLDINGS COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS, PROTEÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÃO FAMILIAR

ROBSON ZANETTI & ADVOGADOS ASSOCIADOS AS HOLDINGS COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS, PROTEÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÃO FAMILIAR AS HOLDINGS COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS, PROTEÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÃO FAMILIAR Robson Zanetti Advogados 1 1. Origem legal da holding no Brasil Lei nº. 6.404 (Lei das S/A s). No Brasil as holdings surgiram

Leia mais

Expediente Presidente do Conselho Deliberativo Diretor-Presidente Diretor Técnico Diretor de Administração e Finanças

Expediente Presidente do Conselho Deliberativo Diretor-Presidente Diretor Técnico Diretor de Administração e Finanças Loja de artesanato Expediente Presidente do Conselho Deliberativo Adelmir Santana Diretor-Presidente Paulo Tarciso Okamotto Diretor Técnico Luiz Carlos Barboza Diretor de Administração e Finanças Carlos

Leia mais

Plano de negócio. Conceitos, Importância e estrutura Aula 6

Plano de negócio. Conceitos, Importância e estrutura Aula 6 Plano de negócio Conceitos, Importância e estrutura Aula 6 Estrutura do plano de negócio Capa Sumário 1. Sumário executivo 2. Analise estratégica 3. Descrição da empresa 4. Produtos e serviços 5. Plano

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE RESOLUÇÃO CFC N.º 1.418/12 Aprova a ITG 1000 Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais e com

Leia mais

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00.

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00. ESPE/Un SERE 2013 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento válido para

Leia mais

Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Empreendedor Individual

Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Empreendedor Individual 10/07 12/08 07/09 12/06 03/07 03/07 07/07 09/07 09/07 Sanção da Lei Geral da MPE (re)fundação da Frente Parlamentar da MPE Criação da subcomissão Permanente da MPE Entrada em vigor do Simples Nacional

Leia mais

O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional

O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional O guia online Vitrine de Guarulhos é um dos produtos do Grupo Vitrine X3, lançado no dia 11/11/11 com o objetivo de promover

Leia mais

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO No Modelo de Plano de Negócio, disponível no seu ambiente do Concurso você terá um passo a passo para elaborar o seu Plano, bem como todo o conteúdo necessário

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

COMPRA. certa. Treinamento para o profissional de compras. Tributação e seus impactos na rentabilidade. www.contento.com.br

COMPRA. certa. Treinamento para o profissional de compras. Tributação e seus impactos na rentabilidade. www.contento.com.br COMPRA certa Treinamento para o profissional de compras www.contento.com.br 503117 Tributação e seus impactos na rentabilidade editorial Calculando a rentabilidade Gerir uma farmácia requer conhecimentos

Leia mais

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009 CAFÉ COM CRÉDITO Santo André - SP 06 de outubro de 2009 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Bens de

Leia mais

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos FORMAR SEU PREÇO Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender TODOS OS DIREITOS RESERVADOS Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio. Informações e Contatos Mania de

Leia mais

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Tecnologia da Informação CAASP DIS Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Introdução...03 Projetos e Fatos Relevantes 2008...03 Raio X de Investimentos e Custos...10 Considerações

Leia mais

Construindo um Plano de Negócios Fabiano Marques

Construindo um Plano de Negócios Fabiano Marques Construindo um Plano de Negócios Fabiano Marques "Um bom plano de negócios deve mostrar claramente a competência da equipe, o potencial do mercado-alvo e uma idéia realmente inovadora; culminando em um

Leia mais

PN PLANO DE NEGÓCIOS. Gestão e Empreendedorismo

PN PLANO DE NEGÓCIOS. Gestão e Empreendedorismo PN PLANO DE NEGÓCIOS Conceito PLANO DE NEGÓCIO É um documento que contempla a descrição do empreendimento e o modelo de gestão que sustentará a empresa É O CARTÃO DE VISITA DA EMPRESA Plano de Negócio

Leia mais

XII Seminário Internacional de Países Latinos Europa América.

XII Seminário Internacional de Países Latinos Europa América. XII Seminário Internacional de Países Latinos Europa América. La Gestión Contable, Administrativa y Tributaria en las PYMES e Integración Europa-América 23 24 de junio 2006 Santa Cruz de la Sierra (Bolívia)

Leia mais

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 Sistema Tributário Nacional Conjunto de regras jurídicas

Leia mais

Empreendedorismo de Negócios com Informática

Empreendedorismo de Negócios com Informática Empreendedorismo de Negócios com Informática Aula 6 Plano de Negócios Empreendedorismo de Negócios com Informática - Plano de Negócios 1 Conteúdo Sumário Executivo Apresentação da Empresa Plano de Marketing

Leia mais

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64 1.... ATIVO 152.101.493,67 50.040.951,48 153.182.697,98 1.10... ATIVO CIRCULANTE 12.634.079,13 49.780.167,34 14.042.894,83 1.10.10.. DISPONIBILIDADES 10.621.727,62 40.765.261,82 12.080.213,47 1101001 BENS

Leia mais

PizzarIFSC - Pizzaria IFSC. Pizzaria IFSC. Elaborado por: Edson Watanabe. Data criação: 25/04/2011 21:04 Data Modificação: 07/12/2011 11:40

PizzarIFSC - Pizzaria IFSC. Pizzaria IFSC. Elaborado por: Edson Watanabe. Data criação: 25/04/2011 21:04 Data Modificação: 07/12/2011 11:40 PizzarIFSC - Pizzaria IFSC Pizzaria IFSC Elaborado por: Edson Watanabe Data criação: 25/04/2011 21:04 Data Modificação: 07/12/2011 11:40 Tipo Empresa: Empresa nascente 1 - Sumário Executivo 1.1 - Resumo

Leia mais

COMITÊ GESTOR PROROGA PRAZO DA COMPETÊNCIA 12/2008 E REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 128/2008

COMITÊ GESTOR PROROGA PRAZO DA COMPETÊNCIA 12/2008 E REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 128/2008 COMITÊ GESTOR PROROGA PRAZO DA COMPETÊNCIA 12/2008 E REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 128/2008 O Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN) publicou resoluções que prorrogam o prazo da competência

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são palestras

Leia mais

INFORMAÇÕES ÚTEIS. 1 - Definição

INFORMAÇÕES ÚTEIS. 1 - Definição INFORMAÇÕES ÚTEIS Em pesquisa realizada pelo Banco Mundial o Brasil é um país que pode levar cerca de 5 meses para se legalizar uma empresa, mas o desemprego, a vontade de ter um negócio próprio, está

Leia mais

uvaeverde.com.br Apresentação ao Shopping

uvaeverde.com.br Apresentação ao Shopping Apresentação ao Shopping Retorno do investimento garantido em contrato ou a devolução da verba inicial investida* Cláusula vigésima: do retorno do investimento inicial 20.1 A Franqueadora se compromete

Leia mais

Especializada em criar soluções competitivas, abrangentes, diferenciadas e inovadoras para a excelência no gerenciamento das informações.

Especializada em criar soluções competitivas, abrangentes, diferenciadas e inovadoras para a excelência no gerenciamento das informações. Histórico da Empresa Transformando tecnologia em soluções DocSystem Corporation, empresa líder de mercado em soluções para Gestão Corporativa. Projetada para atender a qualquer organização, independente

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social. Florianópolis - SC

Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social. Florianópolis - SC Programa de Formalização do Micro Empreendedor Individual Sustentabilidade Social Florianópolis - SC 27 de outubro de 2014 A INFORMALIDADE NO BRASIL A INFORMALIDADE Pesquisa ECINF IBGE Pertencem ao setor

Leia mais

Este Plano de Negócios foi elaborado em Junho de 2014

Este Plano de Negócios foi elaborado em Junho de 2014 ESPETO VACA LOUCA Pc TUBAL VILELA Nº 0 CENTRO- UBERLANDIA MG (34) 9876-5432 contato@vacalouca.com Ademir Gonçalves Filho Diretor Administrativo Gustavo Rodovalho Oliveira - Diretor de Marketing Jhonata

Leia mais

Outras oportunidades podem ser visualizadas através de nosso site: www.crescerh.com.br

Outras oportunidades podem ser visualizadas através de nosso site: www.crescerh.com.br Olá! A CRESCER RH dispõe de vagas em diversas áreas. Outras oportunidades podem ser visualizadas através de nosso site: ASSISTENTE DE TI (Cód. 119060) Área de atuação: Assistente de TI, responsável pela

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

Simples Nacional. Seminário de Direito Tributário. Assunto: PGDAS. Palestrante: Adalgisa G. M. Sabino

Simples Nacional. Seminário de Direito Tributário. Assunto: PGDAS. Palestrante: Adalgisa G. M. Sabino Simples Nacional Seminário de Direito Tributário Assunto: PGDAS Palestrante: Adalgisa G. M. Sabino 1 CÁLCULO E PGDAS Conceitos Básicos para Cálculo Regime de Tributação: Competência e Caixa Segregação

Leia mais

Tributação. Cartilha

Tributação. Cartilha Tributação Cartilha Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial CARTILHA TRIBUTAÇÃO Brasília DF 2012 2012. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e

Leia mais

SHOPPING POPULAR DE CANOAS/RS

SHOPPING POPULAR DE CANOAS/RS SHOPPING POPULAR DE CANOAS/RS Análise Econômica e Financeira Este relatório, elaborado pela Projeobra Engenharia Ltda., apresenta a análise econômica e financeira da implantação de um Shopping Popular

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA 1. APRESENTAÇÃO O Programa Prime - Primeira Empresa Inovadora - visa apoiar empresas nascentes

Leia mais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita Federal. O incentivo

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDOR INDIVIDUAL Oportunidade de regularização para os empreendedores individuais, desde a vendedora de cosméticos, da carrocinha de cachorro-quente ao pipoqueiro. 2 Empresas em geral Microempresas

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Principais Formas de Tributação no Brasil Reginaldo Gonçalves

Principais Formas de Tributação no Brasil Reginaldo Gonçalves Principais Formas de Tributação no Brasil Reginaldo Gonçalves 2.1 A Tributação no Brasil 2.2 Opção pela Tributação - Lucro Real 2.3 Opção pela Tributação - Lucro Presumido 2.4 Opção pela Tributação - Lucro

Leia mais

IDÉIAS DE NEGÓCIO ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE

IDÉIAS DE NEGÓCIO ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE (Fonte: SEBRAE/MS SEBRAE/SC) APRESENTAÇÃO DE NEGÓCIOS Contabilidade é um trabalho minucioso que atua nas áreas fiscal, tributária e trabalhista; exigindo muita análise e tempo. Por isso, a maioria das

Leia mais

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO O Sr. Fúlvio Oliveira, empresário de uma loja de confecções, está seriamente preocupado com seu negócio. As dívidas não param de crescer. Vamos entender sua situação.

Leia mais

O Método de Custeio por Absorção e o Método de Custeio Variável

O Método de Custeio por Absorção e o Método de Custeio Variável O Método de Custeio por Absorção e o Método de Custeio Variável por Carlos Alexandre Sá Existem três métodos de apuração dos Custos das Vendas 1 : o método de custeio por absorção, o método de custeio

Leia mais