0089 Gestão de Transportes - TMS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "0089 Gestão de Transportes - TMS"

Transcrição

1 Gestão de Transportes - TMS Todos os direitos autorais reservados pela TOTVS S.A. Proibida a reprodução total ou parcial, bem como a armazenagem em sistema de recuperação e a transmissão, de qualquer modo ou por qualquer outro meio, seja este eletrônico, mecânico, de fotocópia, de gravação, ou outros, sem prévia autorização por escrito da proprietária. O desrespeito a essa proibição configura em apropriação indevida dos direitos autorais e patrimoniais da TOTVS. Conforme artigos 122 e 130 da LEI no de 14 de Dezembro de Gestão de Transportes - TMS Protheus 11

2 Sumário Gestão de Transporte... 4 Objetivos Instrucionais do Curso... 7 Objetivos Específicos do Curso... 8 Conceitos... 8 Fluxo de Cadastros... 9 Fluxo de Processo Configurações do Sistema Cadastros Produtos Complemento de Produtos Clientes Fornecedores Tipos de Entrada e Saída (TES) Condições de Pagamentos Naturezas Tarefas X Atividades Serviços X Tarefas Grupos de Regiões Estrutura de Regiões Complemento de Regiões Zonas Setores por Zona Pontos por Zona e Setor Rotas Rodovias Praças de Pedágio Rota X Rodovia Prazos de Regiões Distâncias Motoristas Tipos de Veículo Veículos Despesas Componentes de Frete Configuração da Tabela de Frete Tabela de Frete Contrato de Cliente Perfil do Cliente Configuração de Documentos Regras de Tributação Regras de Tributação por Cliente Solicitantes Cotação de Frete Solicitação de Coleta Rodoviário Coleta Fechamento Operações

3 Tabela de Ocorrências Registro de Ocorrências Encerramento Lote de Entrada NF Documento do Cliente para Transporte Cálculo do Frete Rodoviário Transporte - Viagem Manifesto Rodoviário Entrega Tipo de Faturamento Faturamento por Documento Tabela de Carreteiro Tabela Carreteiro por Rota Contrato Fornecedor Contrato de Carreteiro Glossário

4 Gestão de Transporte O Ambiente A abreviação "TMS" significa Transportation Management System, ou seja, é o sistema de gerenciamento de transportes que tem como objetivo principal controlar todos os processos fiscais e gerenciais envolvidos na operação de transporte, bem como controlar os veículos, motoristas, fretes e viagens da empresa e de terceiros. Entre as atividades mais importantes destacam-se o controle das despesas dos veículos, viagens, fretes, emissão de CTRC (Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas), nota fiscal de serviço, manifesto e outros. O Ambiente SIGATMS (Gestão de Transportes) controla todos os processos de um transportador, abrangendo as áreas: operacional, comercial, seguros, faturamento, logística e SAC. Solução totalmente integrada com a área administrativa (financeiro, fiscal e contábil). Entre suas inúmeras funções, permite os seguintes controles dentro da gestão de transportes: Logística Estruturação das regiões atendidas, definindo os níveis de subordinação entre elas e o tipo de serviço executado em cada uma. Mapeamento por setores dos clientes, dividindo-os em rotas de atendimento. Definição, nas rotas, das rodovias e praças de pedágio percorridas. Definição dos prazos de atendimento por região. Definição dos tipos de serviços prestados, com as respectivas tarefas e atividades. Comercial Criação de componentes de frete, de acordo com as modalidades de serviços prestados e com as características de negócio de cada empresa. Estabelecimento de configurações de tabelas de preços com variação de componentes, de acordo com os tipos de negociação praticados. Tabelas de frete com possibilidade de inclusão de ajustes por cliente. Uso de tarifas. Ferramentas para manutenção e reajuste de tabelas de frete. Gerenciamento de Contratos Cadastro dos contratos de clientes, estabelecendo todas as condições de relacionamento para a prestação de serviços: Tipos de serviços prestados Tabelas de preço praticado Número de notas fiscais por CTRC Peso Máximo por CTRC Contrato para o cliente genérico cliente esporádico. Contratos com terceiros e agregados para gerenciamento do pagamento de serviços contratados pela empresa

5 Operacional Gerenciamento dos processos de coleta e entrega. Geração e emissão do conhecimento de frete, AWB (Air Waybill ou Conhecimento de Transporte Aéreo) e nota fiscal de serviço. Geração e emissão do manifesto de carga. Controle da movimentação de veículos e motoristas. Recepção e carregamento de cargas. Abertura, fechamento e encerramento de viagens de coleta, transporte e entrega. Controle de pendências e gerenciamento de ocorrências. Contrato de Carreteiro. Análise de Ocorrências. Faturamento Fatura por Documento ou Faturamento Automático. Faturamento com base no perfil previamente cadastrado para o cliente: Condição de Pagamento. Periodicidade de Faturamento. Número de CTRC s por fatura. Valor máximo da fatura. Separação por tipos de transporte. Separação CIF e FOB. Tracking e Relatórios Consultas sobre os detalhes da operação, apontadas até o nível de serviços, tarefas e atividades. Exemplos: Saída da Viagem de Coleta. Chegada da Viagem de Coleta. Recebimento / Triagem. Carregamento. Saída da Viagem de Transporte. Transporte. Chegada de Viagem de Transporte. Relatórios de acompanhamento operacionais e gerenciais

6 Integrações Integração com o Ambiente Livros Fiscais: geração de impostos e livro. Integração com o Ambiente Financeiro: contas a receber, contas a pagar e controle de caixa. Integração com o ambiente Contábil: Lançamentos Contábeis. Integração com o ambiente Estoque: Entrada e Saída de Mercadorias. Integração com o ambiente Gestão de Pessoal: Pagamentos de Carreteiros. Integração com o ambiente Manutenção de Ativos: Manutenção do Bem. Integração com agentes externos: clientes, postos fiscais e parceiros EDI. Vantagens Exatidão e disponibilidade das informações relativas ao transporte, facilitando o atendimento e a prestação de serviços. Flexibilidade e alto grau de parametrização, possibilitando a configuração de diversas regras de negociação, tanto com clientes quanto com fornecedores. Elevado grau de integração: ERP e demais Soluções Microsiga. Configurador de EDI. Acuracidade e confiabilidade no processo de cálculo de frete. Acompanhamento detalhado das operações executadas na prestação de serviço performance e produtividade. Agilidade e acuracidade nos processos de faturamento. Acompanhamento detalhado de ocorrências e pendências. Informações para apoio das decisões operacionais e gerenciais

7 Objetivos Instrucionais do Curso São habilidades e competências precisas e específicas, que propiciam uma indicação clara e completa sobre os conhecimentos pretendidos. Compreendem: a) Conceitos a serem aprendidos - Princípio epistemológico do Protheus; - Nomenclatura Protheus; - Princípios de TMS; - Integrações. b) Habilidades a serem dominadas - Domínio conceitual do Sistema; - Propriedade de compreensão e emprego da nomenclatura Protheus TMS; - Capacidade de articulação e relação entre as diversas informações e dados que pressupõem as funcionalidades do Ambiente; - Capacidade de análise e adequação: necessidades X solução Protheus; - Domínio técnico-operacional do Protheus TMS; - Capacidade para ações pró-ativas, tendo como ferramenta de solução o Sistema. c) Técnicas a serem aprendidas - Implantação do ambiente TMS; - Operacionalização do ambiente; - Aplicação e utilização básica das funcionalidades do Sistema TMS. d) Atitudes a serem desenvolvidas - Capacidade de promover ações planejadas e pró-ativas, tendo como ferramenta de solução o Sistema Protheus TMS; - Capacidade para resolução de problemas técnico-operacionais do Ambiente; - Capacidade de execução

8 Objetivos Específicos do Curso Ao término do curso, o treinando deverá ser capaz de: Conhecer e empregar adequada e eficazmente os conceitos e funcionalidades do Protheus TMS; Dominar e articular com propriedade a linguagem própria à solução Protheus; Implantar e operar o Sistema no ambiente TMS; Vislumbrar as soluções para as necessidades emergentes através do Protheus TMS. Conceitos As transportadoras são divididas em departamentos que realizam desde a parte operacional recebendo as mercadorias até a parte estratégica, utilizando os indicadores para atingir os objetivos da empresa. Assim que o cliente entra em contato com a transportadora, o SAC efetua a cotação de frete e também verifica o posicionamento das mercadorias que já estão em viagem. Toda a negociação deste cliente é feita pelo comercial, o valor que ele vai pagar por este frete, os contratos com clientes e possíveis ajustes nos valores deste frete de acordo com as necessidades. Após toda esta negociação, esta é a vez do operacional preparar todas estas mercadorias recebidas de diversos clientes, organizar de uma forma eficiente e ágil para posteriormente colocar em um veículo para viajar. Antes de sair para uma viagem o seguro fará toda a validação desde o veículo, o motorista, os valores das mercadorias e outros fatores. Assim será averbado o seguro garantindo que a mercadoria do cliente seja ressarcida, caso haja algum problema nesta viagem. Após ser entregue a mercadoria no destino final, e todo o processo ser finalizado com sucesso é momento do financeiro gerar as faturas que posteriormente serão enviadas ao cliente, e controlar os pagamentos, recebimentos e toda a administração das finanças da transportadora

9 Fluxo de Cadastros A seguir, é apresentada uma sugestão de Fluxo de Cadastros para o Ambiente Transportation Management System (TMS), que deve ser utilizado pelo usuário como um apoio quanto à forma de implantação do Sistema. O usuário pode, no entanto, preferir cadastrar as informações não necessariamente seguindo esta exata seqüência. Dentre esta seqüência sugerida existem os cadastros obrigatórios e os não-obrigatórios. Esta sugestão de cadastro será, em sua totalidade, utilizada no decorrer do nosso curso. Veja a figura abaixo. Cadastros Serviços Logística Comercial Terceiros Documentos e Regras Transporte Produtos Tarefas x Atividades Estrutura de Regiões Componentes de Frete Tabela de Carreteiros Configuração Documentos Motoristas Complemento de Prod. Serviços x Tarefas Complemento de regiões Configuração Tab. Frete Tab. Carreteiro p/ Rota Regras Tributação Tipos de Veículos Clientes Zonas Tabela de Frete Contrato Fornecedor Regras Trib. por Cliente Veículos Fornecedores Setores por Zona Contrato Cliente Tipos de Entrada/Saída Pontos por Setor Perfil Cliente Cond. Pagamento Rotas Prazos de Clientes Naturezas Rodovias Observações de Clientes Praças de Pedágio Inscrições de Clientes Rotas x Rodovias Distância por Clientes Prazos de Regiões Distâncias - 9 -

10 Fluxo de Processo Exemplo - Fluxo de transporte rodoviário para carga fracionada A transportadora "ABC Transportes" localizada no estado de São Paulo foi contratada para transportar equipamentos eletrônicos da cidade de São Paulo a cidade do Rio de Janeiro. O transporte será efetuado em três etapas: 1. Viagem de Coleta Rodoviária; 2. Viagem de Transporte Rodoviário; 3. Viagem de Entrega Rodoviária. 1 - Viagem de Coleta Rodoviária. Observe os processos que devem ser executados para a realização da viagem de coleta rodoviária: 2 - Viagem de Transporte Rodoviário. Observe os processos que devem ser executados para a realização da viagem de transporte rodoviário:

11 3 - Viagem de Entrega Rodoviária. Observe os processos que devem ser executados para a realização da viagem de entrega rodoviária: Configurações do Sistema

12 O Ambiente TMS possui uma série de parâmetros que determinam a forma de processamento de cada empresa como, por exemplo, o parâmetro <MV_LOCALIZ> que indica se os produtos poderão usar controle de endereçamento. A Microsiga envia os parâmetros com conteúdos padrões que podem ser alterados de acordo com a necessidade da empresa e são customizados no ambiente CONFIGURADOR. Acessando o Configurador: Por padrão, a senha do usuário admin é branco

13 Exercícios: Agora efetuaremos a atualização de um parâmetro. Para realizar o exercício, acessar o ambiente do configurador e selecione a opção no menu Ambiente > Cadastros > Parâmetros. Acessando o menu do configurador em Ambiente > Cadastros > Parâmetros. Clique em pesquisar:

14 No campo Pesquisar por digite o nome do parâmetro a ser localizado, no nosso caso informe MV_INTTMS e clique em pesquisar, depois clique em editar: Altere o conteúdo do parâmetro para T e depois confirme clicando no botão OK

15 Cadastros Os cadastros apresentam as informações básicas para iniciar as movimentações do Ambiente. A sua correta informação é fundamental para execução das suas movimentações. Durante o cadastramento deve-se observar os campos em destaques. Estes campos possuem preenchimento obrigatório, não sendo possível finalizar uma inclusão sem esta informação; Caso haja alguma dúvida sobre um campo, pressione as teclas <ENTER+F1> sobre o mesmo, onde será apresentada uma tela com a descrição do campo; Alguns campos estão associados a Tabelas ou Cadastros, eles apresentam a opção à sua esquerda. Para selecionar uma das suas opções, clique sobre esta opção ou pressione a tecla <F3>. Produtos Este cadastro contém as principais informações sobre produtos e serviços adquiridos, fabricados ou fornecidos pela empresa, propiciando o seu controle em todos os Ambientes do Sistema. As empresas exclusivamente comerciais terão, possivelmente, apenas produtos para revenda e materiais de consumo. As empresas industriais terão, possivelmente, todos os tipos de produtos ou materiais utilizados para produção: produtos acabados, produtos intermediários, matérias-primas, materiais de consumo, mão-de-obra ou serviços agregados à fabricação, que devem compor o custo do produto final. A definição de produto é genérica e abrange muitos conceitos que podem variar de acordo com o ramo de atuação da organização, bem como do ambiente utilizado. O produto com imposto 12% será relacionado à Regra de Tributação para efeito de cálculo do frete. Neste cadastro também estarão os produtos que serão transportados nos documentos do cliente para transporte

16 Principais campos: Pasta Cadastrais Código Funciona como identificador único do produto. Pode ser criado por meio da ferramenta de código inteligente. Descrição Descrição do produto. Facilita a identificação do produto, permitindo que se obtenha mais informações sobre o item. Normalmente, a informação é apresentada junto ao código em relatórios e consultas. Tipo Tipo do produto. Característica do produto que utiliza tabela do Sistema. Essa tabela pode contemplar novos tipos de produto cadastrados pelo usuário. Alguns tipos de produto précadastrados são: PA (Produto acabado) PI (Produto intermediário) MC (Matéria de consumo) BN (Beneficiamento). Unidade Unidade de medida principal do produto. Pode ser definida como a nomenclatura utilizada para contagem de produtos. Exemplos de unidade de medida: PC (Peça) UN (Unidade) KG (Kilograma) CX (Caixa) Armazém Padrão É o armazém padrão para armazenagem do produto sugerido em todas as movimentações, em que o código do produto é digitado. A utilização do armazém padrão não é obrigatória; embora a informação seja sugerida, ela não pode ser alterada pelos usuários. O cadastro de Produtos possui mais de cento e cinqüenta campos utilizados por funcionalidades bastante distintas no Protheus, assim destacam-se alguns dos campos mais relevantes no funcionamento do ambiente de transporte

17 Pasta Impostos Aliq. ICMS Alíquota do ICMS aplicada sobre o produto conforme unidade de federação. Aliq. ISS. Informa ao sistema que este produto se refere a Serviços, utilizando a alíquota para cálculo de ISS. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de produtos. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de produtos no menu Atualizações > Cadastros > Básicos > Produtos. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Pasta Cadastrais: Código Descrição Auto Peças Tipo ME Unidade UN Arm. Padrão 01 Pasta Cadastrais: Código Descrição Alimentos Tipo ME Unidade UN Arm. Padrão 01 Pasta Cadastrais: Código PRODTMS Descrição Transp. Rodoviário ICMS Tipo ME Unidade UN Arm. Padrão 01 Pasta Impostos: Aliq. ICMS

18 Complemento de Produtos Muitas vezes é necessário para a empresa manter dados adicionais sobre um produto, desta forma, o cadastro de complemento de produto permite guardar esses dados sem alterar o cadastro de produtos. É importante lembrar que, para cadastrar o complemento de um produto, é necessário ter o produto já cadastrado (Cadastro de Produtos). Na pasta TMS vale ressaltar sobre os seguintes campos, conforme descritos a seguir. O objetivo principal é bloquear a viagem caso não esteja de acordo. Principais campos: Car. Perigosa Neste campo iremos informar se esta mercadoria é carga perigosa. O TMS no momento de incluir a viagem irá validar se o motorista relacionado na viagem pode transportar esta mercadoria. Idade Máxima Neste campo iremos informar quantos anos o veículo que irá transportar precisa ter no máximo para poder transportar este produto. O TMS validará de acordo com o ano de Fabricação/Modelo do cadastro de veículos. Lim.Val.Emb Neste campo informaremos o valor que se pode transportar deste produto em uma viagem. Lim.Peso Emb Neste campo informaremos o peso que se pode transportar deste produto em uma viagem. Per. Cubagem Neste campo iremos informar qual a porcentagem que este produto ocupa em um veículo, em caso de produtos com grande volume

19 Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de complemento de produtos. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de complemento de produtos no menu Atualizações > Cadastros > Básicos > Compl. Produtos. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Pasta Cadastrais: Produto Nome Cientif. Parte e peças para veículos Pasta TMS: Carga Perigosa Sim Idade Máxima 5 Lim. Val. Embarq ,00 Lim. Peso Embarq ,

20 Clientes É utilizado para registrar os dados dos Clientes. Para o TMS, é no cadastro de clientes que são registrados os dados remetentes e destinatários, consignatários e devedores de frete envolvidos nos processos da transportadora. É de extrema importância o CEP dos clientes que farão Viagem de Coleta/Entrega, se estiver em branco o Sistema não trará os documentos da Viagem. Através do configurador, altere o parâmetro MV_CLIGEN para CLIGEN01 conforme o cadastro que realizaremos a seguir. Principais campos: Tipo Neste campo iremos informar qual o Tipo do Cliente. Este campo é importante para calcularmos corretamente os impostos. Reg. Cliente Neste campo informaremos qual a região baseada na Estrutura de Regiões do TMS o cliente pertence. Esta região é importante para o cálculo do frete. Cond. Pagto (A1_COND) Neste campo, informaremos a condição de pagamento padrão para o cliente, de acordo com o cadastro de condições de pagamento. Segmento 1 Neste campo, informaremos o principal segmento de negócio da empresa, de acordo com o cadastro de Segmentos de Mercado. Utilizamos este campo no momento do cálculo do frete, o Sistema procura uma Regra de Tributação de acordo com este segmento

21 Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de clientes. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de clientes no menu Atualizações > Cadastros > Básicos > Clientes. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Pasta Cadastrais: Código Loja 01 SP0001 Nome Cliente SP 01 Fisica/Jurid. Jurídica N. Fantasia SP0001 Endereço Tipo Estado Município Av. D. Pedro I Revendedor SP São Paulo CEP DDD 011 Telefone CNPJ Reg. Cliente Pasta Vendas: Risco SP0001 Risco A Pasta Cadastrais: Código SP0002 Loja 01 Nome Cliente SP 02 Fisica/Jurid. Jurídica N. Fantasia SP0002 Endereço Av. Nossa Senhora Aparecida Tipo Cons. Final Estado SP Município Santos CEP DDD 013 Telefone

22 CNPJ Reg. Cliente SP0002 Pasta Cadastrais: Código RJ0001 Loja 01 Nome Cliente RJ 01 Fisica/Jurid. Jurídica N. Fantasia RJ0001 Endereço Av. Brasil, 900 Tipo Revendedor Estado RJ Município Rio de Janeiro CEP DDD 021 Telefone CNPJ Reg. Cliente RJ0001 Pasta Vendas: Risco Risco A Pasta Cadastrais: Código Loja 01 RJ0002 Nome Cliente RJ 02 Fisica/Jurid. Jurídica N. Fantasia RJ0002 Endereço Av. Beira Mar, 4500 Tipo Estado Município Cons. Final RJ Niteroi CEP DDD 021 Telefone CNPJ Reg. Cliente RJ

23 Pasta Cadastrais: Código MG0001 Loja 01 Nome Cliente MG 01 Fisica/Jurid. Jurídica N. Fantasia MG0001 Endereço Av. Tiradentes, Tipo Revendedor Estado MG Município Belo Horizonte CEP DDD 031 Telefone CNPJ Reg. Cliente MG0001 Pasta Vendas: Risco Risco A Pasta Cadastrais: Código MG0002 Loja 01 Nome Cliente MG 02 Fisica/Jurid. Jurídica N. Fantasia MG0002 Endereço Av. Tancredo Neves, 300 Tipo Cons. Final Estado MG Município Uberaba CEP DDD 034 Telefone CNPJ Reg. Cliente MG

24 Pasta Cadastrais: Código CLIGEN Loja 01 Nome Cliente Genérico Fisica/Jurid. Jurídica N. Fantasia CLIGEN Endereço Av. Genéricos Tipo Revendedor Estado SP Município São Paulo CEP DDD 011 Telefone CNPJ Reg. Cliente SP0001 Pasta Vendas: Risco Risco A

25 Fornecedores Fornecedor é uma entidade que supre as necessidades de produtos ou serviços de uma empresa. Um fornecedor pode ser pessoa física ou jurídica. Em ambos os casos, o pagamento será efetuado por meio de uma nota fiscal de entrada, gerando automaticamente um título a pagar ou cadastrado de forma manual no Ambiente Financeiro. É importante preencher o cadastro de fornecedores com o máximo de informações possíveis, assim o perfil do fornecedor é bem definido e o Sistema pode utilizar este cadastro com maior precisão em outras rotinas. No ambiente TMS, todas as transportadoras parceiras classificadas como terceiros e até mesmo os autonomos devem estar cadastrados como fornecedores. Para a transportadora que trabalha com frota própria a matriz da transportadora deverá estar cadastrada como fornecedor, pois essa informação será necessária para o correto cadastro dos veículos da empresa. Principais campos: Pasta Cadastrais Código Código que individualiza cada um dos fornecedores da empresa. É complementado pelo código da loja. Loja Código identificador de cada uma das unidades (lojas) de um fornecedor. Permite o controle individual de cada estabelecimento a nivel de transações fiscais e a sumarização por fornecedor. Endereço Endereço do fornecedor. Estado Sigla da unidade de federação do endereço do fornecedor. Município Município do endereço do fornecedor. Pasta TMS Tipo AWB Neste campo informaremos a companhia aérea em caso de Transporte Aéreo, para a impressão da AWB. Cód. Favorec. - Neste campo informaremos outro fornecedor que será o favorecido por eventuais títulos a pagar por serviços prestados pelo fornecedor

26 Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro dos fornecedores. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de fornecedores no menu Atualizações > Cadastros > Básicos > Fornecedores. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Código F00001 Loja 01 Nome Terceiro Transportes LTDA. N. Fantasia Terceiro Endereço Av. dos expedicionários, 1000 Tipo Jurídica Estado SP Município São Paulo Cond. Pagto 001 ( Cadastrar após inclusão da condição pagto) Código F00002 Loja 01 Nome Sem Parar LTDA. N. Fantasia Sem Parar Endereço Rodovia Anchieta, 4000 Tipo Jurídica Estado SP Município São Paulo Código TMS001 Loja 01 Nome TMS Transportes LTDA. N. Fantasia Matriz Endereço Marginal Tietê, 1000 Tipo Jurídica Estado SP Município São Paulo

27 Tipos de Entrada e Saída (TES) O Cadastro Tipo de Entrada e Saída (TES) é responsável pela correta classificação dos documentos fiscais de entrada e saída registrados no Sistema. Seu preenchimento deve ser efetuado com muito cuidado, pois através deste é possível Calcular os tributos relacionados aos documentos de transporte e, quando necessário, calcular os impostos pertinentes ao frete do autônomo. O Protheus realiza o controle de estoque de mercadorias, e mesmo que o transportador não realize nenhum tipo de de controle de estoque, será necessário criar as TES de entrada e saída que deve ser informadas nos parâmetros MV_TESDR e MV_TESDD. Verique através do configurador o conteúdo dos parâmetros MV_TESDR e MV_TESDD e necessário faça alteração conforme abaixo: MV_TESDR = 481 MV_TERDD = 981 Principais campos: Pasta Adm/Fin/Custo Cod. Do Tipo Código do tipo de entrada ou saída. As TES de entrada devem possuir código igual ou inferior a 500. As TES de saída devem possuir código maior que 500. Cred. ICMS Credita ou não o ICMS para o custo. Cred. IPI Credita ou não o IPI para o custo. Gera Dupl. Neste campo informaremos se o sistema gerará a duplicata no momento do cálculo do frete, em nosso exercício preencheremos como Não, pois vamos gerar fatura após rodar a rotina de faturamento

28 Atu. Estoque Neste campo informaremos se atualiza ou não os estoques. Caso você controle estoque a TES relacionada no parâmetro MV_TESDD e MV_TESDR precisa estar com este campo como Sim. Em nosso exemplo não controlaremos estoque. Poder Terc. Devine se controla ou não mercadorias em poder de terceiros. Em nosso exercício isso não se aplica. Pasta Impostos Calcula ICMS Neste campo informaremos se esta TES calculará o ICMS, em nosso exemplo a TES 501 precisa estar com este campo preenchido como Sim, TES esta que será relacionada posteriormente na Regra de Tributação. Calcula IPI Define se a TES calcula ou não IPI. Cod. Fiscal Define o código fiscal da operação. Se o tipo da TES for de entrada o códifo fiscal deve iniciar com 1, 2 ou 3. Se a TES for de saída o código fiscal deve iniciar com 5, 6 ou 7. Txt Padrão Texto padrão a ser impresso nos documentos fiscais emitidos com base nessa TES. L.Fisc. ICMS Neste campo informaremos em qual coluna do Livro Fiscal iremos gravar os valores de ICMS. L.Fisc. IPI Neste campo informaremos em qual coluna do livro fiscal iremos gravar os valores de IPI. Destaca IPI Define se o IPI deverá ou não ser destacado na nota fiscal. Para o nosso caso esse campo será será não, pois sobre uma operação de transporte não se aplica IPI IPI na Base Incidência de IPI ou não na base de ICMS. Calc. Dif. ICMS Refere-se a diferença de complemento de icms na compra de insumos de outros estados. Calculo ISS Define se esta TES deverá ou não calcular ISS. Dentro de uma transportadora esse campo somente será informado como SIM quando a prestação do serviço de transporte ocorrer dentro do município gerando a necessidade de emissão de uma nota fiscal de serviço de transporte no lugar do CTRC. L. Fiscal ISS Define a coluna do livro fiscal onde iremos gravar os valores de ISS. Agraga Valor Neste campo definiremos como o sistema irá tratar cada item. Exemplo: Podese definir que o valor total do item representa o serviço prestado(frete) somado aos impostos, nesse caso informaríamos a opção I= ICMS + Mercadoria. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro das TES. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de TES no menu Atualizações > Cadastros > Básicos > Tipo Ent/Saida. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Pasta Admin/Fin/Custo: Cód. Tipo 481 Tipo do TES Entrada Cred. ICMS Não Credita IPI. Não Gera Dupl. Não Atu. Estoque Não

29 Poder Terc. Não Controla Pasta Impostos: Calcula ICMS Não Calcula IPI Não Cód Fiscal 000 Txt Padrao ENTRADA DE MERCADORIA L.Fisc. ICMS Não L.Fisc. IPI Não Destaca IPI Não IPI na Base Não Calc. Dif. Icm Não Pasta Admin/Fin/Custo: Cód. Tipo 981 Tipo do TES Saída Cred. ICMS Não Credita IPI. Não Gera Dupl. Não Atu. Estoque Não Poder Terc. Não Controla Pasta Impostos: Calcula ICMS Não Calcula IPI Não Cód Fiscal 000 Txt Padrao SAÍDA DE MERCADORIA L.Fisc. ICMS Não L.Fisc. IPI Não Destaca IPI Não IPI na Base Não Calc. Dif. Icm Não

30 Pasta Admin/Fin/Custo: Cód. Tipo 501 Tipo do TES Saída Cred. ICMS Não Credita IPI. Não Gera Dupl. Não Atu. Estoque Não Poder Terc. Não Controla Pasta Impostos: Calcula ICMS Sim Calcula IPI Não Cód Fiscal 5353 Txt Padrao TRANSP. ROD. ICMS L.Fisc. ICMS Tributado L.Fisc. IPI Não Destaca IPI Não IPI na Base Não Calc. Dif. Icm Não Agrega Valor ICMS + MERC

31 Condições de Pagamentos As Condições de Pagamento são características gerais da maneira pela qual um pagamento será efetuado. Elas determinam como e quando serão efetuados os pagamentos, especificando datas de vencimentos, número e valores das parcelas. O Protheus permite a composição de diferentes condições de pagamento, considerando três campos principais: "Código", "Tipo" e "Cond. Pagto". Sendo que a base da condição, é determinada pelo campo "Tipo". Conforme o tipo da condição, o sistema irá tratar de forma diferenciada o conteúdo dos campos "Código" e "Cond. Pagto", o que permite a configuração de diferentes condições de pagamento, para aplicação aos pagamentos tanto de fornecedores como de clientes. Exemplo: Para a configuração Código= 003, Tipo = 1, Condição = 00,30,60 os pagamentos serão efetuados da seguinte forma : 1ª parcela à vista, 2ª parcela 30 dias e 3ª parcela à vista. Esta condição será relacionada no Cadastro de Clientes e Cadastro de Fornecedor. Retorne ao cadastro de clientes que serão devedores de frete e alterem a condição de pagamento conforme o cadastro que será realizado a seguir. Principais s Código Neste campo informaremos o código que irá identificar a condição de pagamento no sistema. Tipo Define o tipo da condição de pagamento, são válidos os seguintes tipos: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, A, B, C e D. se a TES calcula ou não IPI. Cond. Pagto Parâmetros da condição de pagamento, para um melhor detalhamento de todas as variações possíveis consulte o help da rotina. Descrição Descrição da condição de pagamento

32 Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro da condição de pagamento. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de condições de pagamentos no menu Atualizações > Cadastros > Básicos > Cond. De Pagamento. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Código 001 Tipo 1 Cond. Pagto 0 Anotações

33 Naturezas O cadastro de Naturezas é de extrema importância para o controle gerencial do Sistema, já que possibilita o controle das finanças da empresa sem a colaboração direta da Contabilidade, na geração automática de títulos. É através da natureza que o Sistema faz a classificação dos títulos a pagar e a receber, conforme a operação. Principais s Código Neste campo informaremos o código que irá identificar a natureza no sistema. Descrição Define a descrição da natureza. Calcula IRRF Define se deverá ser retido imposto de renda na fonte para os títulos dessa natureza. Porc IRRF Utilizado para base de cálculo dos títulos de imposto de renda. Caso não seja informado e a natureza necessita reter o imposto, será utilizado o conteúdo informado no parâmetro MV_ALIQIRF. Calcula INSS Define se calcula ou não INSS para títulos dessa natureza. Porc INSS Define o percentual para calculo do INSS. Base INSS Define a base de INSS. Calcula SEST Define se calcula ou não SEST para título gerados para carreteiros autonomos com essa natureza. Base SEST Define a base de calculo do SEST. Porc SEST Define o percentual de calculo do SEST. IRRF Carreteiro Define se retém ou não imposto de renda na fonte para os títulos gerados para carreteiros com essa natureza. Base IR Carret. Define a base de calculo do imposto de renda carreteiro. INSS Carreteiro Define se calcula ou não INSS para carreteiro autonomo

34 Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro das naturezas. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de naturezas no menu Atualizações > Cadastros > Básicos > Naturezas. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Código Descrição Calcula IRRF Calcula ISS Calcula INSS Calcula CSLL Calc. Cofins Calcula PIS Deb. PIS Deb. Cofins Fatura de Transporte Não Não Não Não Não Não Não Não Código Descrição Contrato Carreteiro Calcula IRRF Não Calcula ISS Não Calcula INSS Não Calcula CSLL Não Calc. Cofins Não Calcula PIS Não Deb. PIS Não Deb. Cofins Não Código Descrição Pedágio Calcula IRRF Não Calcula ISS Não Calcula INSS Não Calcula CSLL Não Calc. Cofins Não Calcula PIS Não Deb. PIS Não Deb. Cofins Não

35 Tarefas X Atividades Definimos atividade como a menor divisão de um trabalho realizado em um armazém ou em um serviço de transporte. Para as atividades utilizadas em serviço de transporte é necessária a indicação da filial em que será executada. Quando não for informada a filial atividade, o Sistema considera aquela que estiver em uso. Antes de iniciar este cadastro é necessário cadastrar os seguintes dados na tabela L2, através do Ambiente Configurador. Até o 012 o Sistema já traz cadastrado por padrão, vamos cadastrar os items destacados na imagem abaixo: Tabela L2 Tipos de Tarefa. Tabela L3 Tipos de Atividades Principais campos: Cód. Tarefa Neste campo informaremos o código da Tarefa, que será responsável por disparar as atividades. Posteriormente, relacionaremos esta tarefa a um serviço. Cód.Atividade Neste campo informaremos todas as atividades relacionadas a uma tarefa. Duração Ativ. Neste campo informaremos o tempo para executar esta atividade. Este tempo será informado no momento de gerar as operações de transporte. As tarefas e atividades de negociação do TMS não necessitam de tempo, pois são utilizadas apenas para efeito de cálculo. Fil.Ativid. Neste campo informaremos em qual filial será efetuada esta atividade. Lembrando que ao apontar as operações caso a filial cadastrada neste serviço esteja diferente da filial atual do Sistema, ele não permite apontar as operações

36 Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de tarefas x atividades. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de tarefas x atividades no menu Atualizações > Cadastros > Logística > Serviços > Tarefas x Atividades. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Cód. Tarefa Conferência Cod. Atividade 056 Check List Duração 000:30 Filial Atividade Cód. Tarefa 013 Coleta Rodov. SP Cod. Atividade 049 Saída de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 01 Cod. Atividade 050 Chegada de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 01 Cód. Tarefa Cod. Atividade 014 Transf. Rodov. SP > RJ 049 Saída de Viagem

37 Duração 000:10 Filial Atividade 01 Cod. Atividade 050 Chegada de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 02 Cod. Atividade 051 Efetuar Descarregamento Duração 000:10 Filial Atividade 02 Cód. Tarefa 015 Entrega Rodov. SP Cod. Atividade 049 Saída de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 01 Cod. Atividade 050 Chegada de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 01 Cód. Tarefa 023 Coleta Rodov. RJ Cod. Atividade 049 Saída de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 02 Cod. Atividade 050 Chegada de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 02 Cód. Tarefa 024 Transf. Rodov. RJ > MG Cod. Atividade 049 Saída de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 02 Cod. Atividade 050 Chegada de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 03 Cod. Atividade 051 Efetuar Descarregamento Duração 000:10 Filial Atividade

38 Cód. Tarefa 025 Entrega Rodov. RJ Cod. Atividade 049 Saída de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 02 Cod. Atividade 050 Chegada de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 02 Cód. Tarefa 033 Coleta Rodov. MG Cod. Atividade 049 Saída de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 03 Cod. Atividade 050 Chegada de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 03 Cód. Tarefa 034 Transf. Rodov. MG > SP Cod. Atividade 049 Saída de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 03 Cod. Atividade 050 Chegada de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 01 Cod. Atividade 051 Efetuar Descarregamento Duração 000:10 Filial Atividade 01 Cód. Tarefa 035 Entrega Rodov. MG Cod. Atividade 049 Saída de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade 03 Cod. Atividade 050 Chegada de Viagem Duração 000:10 Filial Atividade

39 Serviços X Tarefas No Ambiente SIGATMS, o cadastro de Serviços x Tarefas é utilizado para configurar os tipos de serviços prestados pela transportadora, indicando cada uma de suas respectivas tarefas em ordem de execução. O serviço pode ser definido como um código diferenciador no cálculo do valor do frete (Serviço de Negociação) ou ainda utilizado como gerenciador das operações relacionadas ao transporte (Serviço Operacional). O serviço de negociação é relacionado diretamente às informações de preço do frete, como por exemplo: transporte rodoviário, transporte aéreo, entrega direta, carga seca, carga refrigerada, entre outros. Todo serviço de negociação deve estar relacionado a um serviço operacional. Através do serviço operacional é possível gerenciar as operações (tarefas) relacionadas aos movimentos de transporte, dentro do armazém e toda a atividade que ocorre durante a viagem. Antes de iniciar o cadastro precisamos cadastrar alguns dados na tabela L4, através do Ambiente configurador. Até o 013 o Sistema já traz cadastrado por padrão, vamos cadastrar os items destacados na imagem abaixo: Tabela L4 Tipos de Serviço

40 Principais campos: Exercícios: Cód. Serviço Neste campo informaremos o código do serviço, que estará vinculado à uma ou mais tarefas já cadastradas. Serv. Transp. Define o serviço de transporte podendo ser Coleta, Transporte ou Entrega. Tipo Transp. Define o tipo do transporte do serviço podendo ser Rodoviário, Aéreo, Fluvial ou Rodoviário Internacional. Categ. Servic. Define a categoria do serviço podendo ser de negociação ou operacional. O serviço de negociação está diretamente ligado ao lado comercial da transportadora, esse serviço poderá ser vinculado à um contrato de cliente. Já o serviço de categoria operacional está diretamente ligado ao lado operacional da transportadora e poderá ser vinculado à uma rota de viagem. Docto. Transp. Define qual documento de transporte será emitido quando o sistema realizar o calculo de frete. Esta informação se torna obrigatória sempre que o serviço for de categoria negociação. Serv. Operac. Define o serviço operacional vinculado ao serviço de negociação. Essa informação se torna obrigatória sempre que o serviço for da categoria negociação. Tarefa Define o código da tarefa vinculada ao serviço. Agora efetuaremos o cadastro de Serviços x Tarefas. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de Serviços x Tarefas no menu Atualizações > Cadastros > Logística > Serviços > Serviços x Tarefas. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo:

41 Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Tarefa 998 Serviço Operacional Transf. - Negociação 2 - Transporte 1 - Rodoviário 2 - Operacional Conferência Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Tarefa 999 Serviço Operacional Entrega. - Negociação 3 - Entrega 1 - Rodoviário 2 - Operacional Conferência Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Tarefa 014 OPE Coleta SP 1 - Coleta 1 - Rodoviário 2 - Operacional 013 Coleta Rodoviária SP Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Tarefa 015 OPE Transf. SP > RJ 2 - Transporte 1 - Rodoviário 2 - Operacional 014 Transf. Rodov. SP > RJ Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Tarefa 016 OPE Entrega SP 3 - Entrega 1 - Rodoviário 2 - Operacional 015 Entrega Rodoviária SP Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. 017 NEG Transf. SP > RJ 2 - Transporte 1 - Rodoviário

42 Categ. Serv. Docto. Transp. Serv. Operac. Tarefa 1 Negociação 2 CTRC 998 Serviço Operacional Transf. - Negociação 014 Transf. Rodoviária SP > RJ Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Docto. Transp. Serv. Operac. Tarefa 018 NEG Entrega SP 3 - Entrega 1 - Rodoviário 1 Negociação 2 CTRC 999 Serviço Operacional Entrega. - Negociação 015 Entrega Rodoviária SP Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Tarefa 024 OPE Coleta RJ 1 - Coleta 1 - Rodoviário 2 - Operacional 023 Coleta Rodoviária RJ Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Tarefa 025 OPE Transf. RJ > MG 2 - Transporte 1 - Rodoviário 2 - Operacional 024 Transf. Rodov. RJ > MG Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Tarefa 026 OPE Entrega RJ 3 - Entrega 1 - Rodoviário 2 - Operacional 025 Entrega Rodoviária RJ Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. 027 NEG Transf. RJ > MG 2 - Transporte 1 - Rodoviário

43 Categ. Serv. Docto. Transp. Serv. Operac. Tarefa 1 Negociação 2 CTRC 998 Serviço Operacional Transf. - Negociação 024 Transf. Rodoviária RJ > MG Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Docto. Transp. Serv. Operac. Tarefa 028 NEG Entrega RJ 3 - Entrega 1 - Rodoviário 1 Negociação 2 CTRC 999 Serviço Operacional Entrega. - Negociação 025 Entrega Rodoviária RJ Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Tarefa 034 OPE Coleta MG 1 - Coleta 1 - Rodoviário 2 - Operacional 033 Coleta Rodoviária MG Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Tarefa 035 OPE Transf. MG > SP 2 - Transporte 1 - Rodoviário 2 - Operacional 034 Transf. Rodov. MG > SP Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Tarefa 036 OPE Entrega MG 3 - Entrega 1 - Rodoviário 2 - Operacional 035 Entrega Rodoviária MG Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. 037 NEG Transf. MG > SP 2 - Transporte 1 - Rodoviário

44 Categ. Serv. Docto. Transp. Serv. Operac. Tarefa 1 Negociação 2 CTRC 998 Serviço Operacional Transf. - Negociação 034 Transf. Rodoviária MG > SP Cód. Servic. Serv. Transp. Tipo Transp. Categ. Serv. Docto. Transp. Serv. Operac. Tarefa 038 NEG Entrega MG 3 - Entrega 1 - Rodoviário 1 Negociação 2 CTRC 999 Serviço Operacional Entrega. - Negociação 035 Entrega Rodoviária MG Grupos de Regiões O cadastro de grupos de região é utilizado para determinar as áreas de atuação da transportadora, informando as regiões atendidas. Um grupo de região não precisa ser necessariamente uma divisão geográfica real (Ex.: cidade), pode ser cadastrado o grupo segundo qualquer critério de divisão significativo ao usuário do sistema. Este cadastro será utilizado no cadastro dos clientes para determinar a região de origem e destino quando ocorrer operações de transporte

45 Principais campos: Reg. Isenta Neste campo informaremos um flag, que será utilizado ao imprimir o manifesto. Este flag pode ser utilizado para distinguir quais as regiões isentas de impostos, por exemplo, no momento de emitir o manifesto você conseguirá fazer um filtro através deste flag. Aliq. ISS Neste campo informaremos a alíquota do ISS específica para esta região. Cód.Reg.Col. Neste campo informaremos a qual região, a região em questão é coligada para efeitos de cálculo de frete, taxas, entre outros detalhes. Operacionalmente ele pode ficar abaixo de uma outra Filial, pois é mais próximo a ela. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de grupos de regiões. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de grupos de regiões no menu Atualizações > Cadastros > Logística > Regiões > Grupos de Regiões. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Grupo Região. Descrição. BRASIL BRASIL Grupo Região. Descrição. REG004 SUDESTE Grupo Região. Descrição. SP0001 SÃO PAULO Grupo Região. Descrição. SP0002 SANTOS Grupo Região. Descrição. RJ0001 RIO DE JANEIRO Grupo Região. Descrição. RJ0002 NITEROI

46 Grupo Região. Descrição. MG0001 BELO HORIZONTE Grupo Região. Descrição. MG0002 UBERABA Estrutura de Regiões O objetivo da rotina Estrutura de Regiões é determinar a área de atuação da transportadora, informando as hierarquias existentes entre as regiões de atendimento, Estados e filiais da transportadora. Ao cadastrar a estrutura de regiões, são definidas as regras de hierarquia de atendimento que serão utilizadas em outros pontos do Sistema, tais como: Cálculo do Frete, Rotas, Distâncias, Tabela de Frete, Ajuste de Frete, Cópia de Ajustes, entre outros. Exercícios: Agora efetuaremos a montagem da nossa estrutura de regiões. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de Estrutura de Regiões no menu Atualizações > Cadastros > Logística > Regiões > Estrutura de Regiões. Logo em seguida seguir os passos abaixo: Passo 1: Com o botão direito do mouse, clique sobre estrutura de regiões e selecione a opção Incluir Região

47 Será exibida uma tela de consulta com todas as regiões cadastradas no exercício anterior. Selecione a região BRASIL e depois repita o processo e selecione a opção REG004. Sua estrutura de regiões deverá ficar conforme a tela abaixo: Passo 2: Com a região sudeste selecionada, clique com o botão direito do mouse e escolha a opção Incluir Estado e inclua o estado de São Paulo. Será exibida a tela de cadastro de grupos de regiões para que possamos definir o código da região que representará no sistema o estado de São Paulo. Preencha o campo Grupo Região com SP0000 e confirme

48 Passo 3: Com o estado de São Paulo selecionado, clique com o botão direito do mouse e escolha a opção Incluir Filial e inclua a filial 01. Em nosso cenário teremos a filial 01 em São Paulo, a filial 02 no Rio de Janeiro e a filial 03 em Minas Gerais. Será exibida a tela de cadastro de grupos de regiões para que possamos definir o código da filial que representará no sistema a filial de São Paulo. Preencha o campo Grupo Região com FIL001 e confirme. Após esse passo, nossa estrutura de regiões terá o seguinte formato :

49 Passo 4: Com a filial 01 selecionada, clique com o botão direito do mouse e escolha a opção Incluir Região e inclua a região SP0001 São Paulo que é a cidade onde nossa filial está localizada. Depois, com o estado SP0000 selecionado inclua a região SP0002 Santos abaixo do estado SP0000. Após esse passo nossa estrutura de regiões terá o seguinte formato. Passo 5: Repita os passos 2, 3 e 4 usando Estado, Filial e Região do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Após esse passo nossa estrutura de regiões terá o seguinte formato

50 Existe o conceito onde podemos definir que um determinado nível superior pode ser considerado BASE PARA TAXA isso significa dizer que todas as regiões inferiores, para efeito de calculo de frete serão representadas pela região base pra taxa. Imaginem o seguinte cenário: A transportadora tem negociado com seu cliente uma tabela de frete por estado onde não importa a cidade de destino, a tabela de frete seria origem = SP0000 e destino = MG0000. Nesse caso poderíamos ter uma única tabela de frete onde todas as cidades que estiverem abaixo desses estados seriam atendidas por esta tabela de frete uma vez que os estados envolvidos seriam considerados BASE PARA TAXA. Complemento de Regiões O objetivo deste cadastro é informar os tipos de serviços de transportes oferecidos pela transportadora, conforme sua estrutura de regiões. Assim, é possível validar os serviços disponíveis para a região origem ou destino. No cadastro "Complemento de Regiões" são informados, por grupo de regiões, os dados relacionados ao tipo da região (origem, destino ou ambos), ao tipo de serviço de transporte (transporte ou entrega) e ao tipo de transporte (rodoviário, aéreo ou fluvial) que cada região pode realizar. Principais campos: Exercícios: Grupo - Neste campo informaremos qual a região que posteriormente relacionaremos aos Serviços e Tipos de Transporte atendidos para esta região. Serv. Transp. Neste campo informaremos qual o Serviço de Transporte atendido para a região (Transporte ou Entrega). Vale lembrar que coleta não pode ser especificado neste campo. Agora efetuaremos o cadastro de complemento de regiões. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de complemento de regiões no menu Atualizações > Cadastros > Logística >

51 Regiões > Complemento Região. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Grupo Serv. Transp. Tipo Transp. Tipo Região Serv. Transp. Tipo Transp. Tipo Região BRASIL 2 Transporte 1 Rodoviário Ambos 3 Entrega 1 Rodoviário Ambos Zonas Este cadastro é composto por todas as zonas atendidas pelo transportador, sendo um cadastro de base para montagem das rotas (coleta e entrega). Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de zonas. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de zonas no menu Atualizações > Cadastros > Logística > Regiões > Zonas. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo:

52 Zona Descrição ZSP ESTADO SÃO PAULO Zona Descrição ZRJ ESTADO RIO DE JANEIRO Zona Descrição ZMG ESTADO MINAS GERAIS Setores por Zona Este cadastro tem como objetivo informar os setores que compõem cada zona. Os setores são efetivamente os parâmetros utilizados para a coleta e entrega aos clientes. Um conjunto de setores, associados aos clientes, compõem uma zona, sendo o setor uma subdivisão desta. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de setores por zona. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de setores no menu Atualizações > Cadastros > Logística > Regiões > Setores por Zona. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo:

53 Zona Setor Pto. Referen. Setor Pto. Referen. ZSP SP01 Capital SP02 Interior Zona Setor Pto. Referen. Setor Pto. Referen. ZRJ RJ01 Capital RJ02 Interior Zona Setor Pto. Referen. Setor Pto. Referen. ZMG MG01 Capital MG02 Interior

54 Pontos por Zona e Setor Esta rotina permite associar todos pontos pertencentes a um determinado setor, ou seja, possibilita definir a seqüência de entrega/coleta por cliente ou por faixas de CEP. Para o Ambiente SIGATMS - Gestão de Transportes, essas formas de seqüências de entrega/coleta (por cliente ou faixas de CEP) são utilizadas para ordenar os documentos das viagens conforme as características das rotas de distribuição, onde são informados zonas e setores de atuação relacionados a intervalos de CEP e/ou códigos do cliente. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de pontos por setor. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de pontos no menu Atualizações > Cadastros > Logística > Regiões > Pontos por Setor. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Zona ZSP Setor SP01 CEP Inicial CEP Final

55 Zona ZSP Setor SP02 CEP Inicial CEP Final Zona ZRJ Setor RJ01 CEP Inicial CEP Final Zona ZRJ Setor RJ02 CEP Inicial CEP Final Zona ZMG Setor MG01 CEP Inicial CEP Final Zona ZMG Setor MG02 CEP Inicial CEP Final

56 Rotas Para o Ambiente SIGATMS, esta opção permite o cadastramento das características das rotas, tais como: tipo da rota, serviço associado, regiões atendidas, pontos por setor, dentre outros. A rota pode ser do tipo transferência e indica as informações necessárias para efetuar os procedimentos a serem executados no percurso do veículo fora da empresa. As rotas de distribuição são utilizadas em serviços do tipo coleta e entrega, onde são informados zonas e setores de atuação relacionados a intervalos de CEP e/ou códigos do cliente. As rotas de transferência determinam quais as regiões atendidas e as filiais envolvidas nesse processo. Principais campos: Tipo Rota Neste campo informaremos o Tipo de Rota, este campo é informativo e nos dá algumas características sobre a Rota. Rota Rápida -> esta rota é feita de acordo com uma periodicidade definida diariamente, semanalmente, entre outras, por exemplo minha rota de São Paulo X Rio de Janeiro diariamente ás 8 da manhã é efetuada. Rota Convencional -> esta rota é realizada quando temos mercadorias, por exemplo minha rota São Paulo X Rio de Janeiro é convencional, só farei esta rota quando tiver mercadoria suficiente para fechar um veículo. Chamamos de direta as rotas curtas em que não são necessárias paradas. Já as rotas itinerantes possuem algumas paradas para almoço, descanso ou mesmo troca de motoristas. Cód.Reg.Ori. Neste campo informaremos o código da região de origem desta rota, esta região foi cadastrada em nossa estrutura de regiões. Serviço Neste campo informaremos o Serviço que será utilizado nesta rota. Este serviço foi cadastro na rotina Serviços X Tarefas. Através deste serviço o Sistema se baseará para gerar as Operações de Transporte. Zona Neste campo informaremos a Zona que será atendida por esta rota. Lembrando que este campo somente estará disponível para Rotas de Coleta e Entrega

57 Setor Neste campo informaremos o Setor que será atendido por esta rota. Lembrando que este campo somente estará disponível para Rotas de Coleta e Entrega. Cód.Reg.Des. Neste campo informaremos qual a região de destino da rota. Esta região nós cadastramos em Estrutura de Regiões. Cód.Reg.Dca. Neste campo informaremos qual a região de descarga da rota. Esta região nós cadastramos em Estrutura de Regiões. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de rotas. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de rotas no menu Atualizações > Cadastros > Logística > Regiões > Rotas. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Rota Praça Princ. Ativa Tipo Rota Cod. Reg. Ori. Serviço Pasta Distribuição Zona Setor C01CAP COLETA CAPITAL - SP Sim 06 COLETA SP0001 São Paulo 014 OPE COLETA SP ZSP SP01 Rota Praça Princ. Ativa Tipo Rota Cod. Reg. Ori. Serviço Pasta Distribuição Zona Setor C01INT COLETA INTERIOR - SP Sim 06 COLETA SP0001 São Paulo 014 OPE COLETA SP ZSP SP02 Rota Praça Princ. Ativa Tipo Rota Cod. Reg. Ori. Serviço T01RJ TRANSFERENCIA SP > RJ Sim 01 RÁPIDA SP0001 São Paulo 015 OPE TRANSFERENCIA SP > RJ

58 Pasta Transferência Cod. Reg. Dest. Cod. Reg. Descarg. RJ0001 RJ0001 Rota Praça Princ. Ativa Tipo Rota Cod. Reg. Ori. Serviço Pasta Distribuição Zona Setor E01CAP ENTREGA CAPITAL - SP Sim 07 ENTREGA SP0001 São Paulo 016 OPE ENTREGA SP ZSP SP01 Rota Praça Princ. Ativa Tipo Rota Cod. Reg. Ori. Serviço Pasta Distribuição Zona Setor E01INT ENTREGA INTERIOR - SP Sim 07 ENTREGA SP0001 São Paulo 016 OPE ENTREGA SP ZSP SP02 Repedir o esquema de cadastro acima para as rotas de coleta, transferência e entrega das filial 02 e

59 Rodovias Neste cadastro, são informadas as rodovias relacionadas às rotas de transporte, que serão, posteriormente, vinculadas às praças de pedágio. O objetivo desta amarração é relacionar por rota quais são as rodovias, seqüências de pedágios e quilometragens por pontos de pedágio pertencentes ao percurso da viagem. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de rodovias. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de rodovias no menu Atualizações > Cadastros > Logística > Regiões > Rodovias. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Cod. Rodovia Nome Rodovia SP150 RODOVIA ANCHIETA

60 Praças de Pedágio Este cadastro permite informar todas as praças de pedágio existentes em uma rodovia, ou seja, cadastrar os pontos de pedágio relacionados às rodovias pertencentes para a rota de viagem. Possibilitando assim, o conhecimento de todas as despesas gastas com pedágios durante o percurso. Principais campos: Cód. Rodovia Informe o código da rodovia previamente cadastrada. O sistema irá controlar as praças de pedágio vinculando-as as respectivas rodovias. Cód. Fornec. Informe o código fornecedor. Obrigatoriamente a concessionária deverá estar cadastrada como um fornecedor. Km Quilometro da rodovia onde está localizada a praça de pedágio. Município Município onde está localizada a praça de pedágio. Estado Estado onde está localizada a praça de pedágio. Valor Eixo Valor pago por eixo no pedágio. Val. p/ Veic. Valor pago por veículo no pedágio. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro das praças de pedágio. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de praças de pedágio menu Atualizações > Cadastros > Logística > Regiões > Praças de Pedágio. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo:

61 Cod. Rodovia SP150 Cód. Fornec. F00002 SEM PARAR KM 50 Município SÃO BERNARDO DO CAMPO Estado SP Valor Eixo 5,00 Val. p/ Veic. 10,00 Rota X Rodovia O objetivo deste cadastro é relacionar quais estradas/rodovias e pontos de pedágios serão percorridos pela rota, desde o ponto de partida até o ponto de destino. Esta informação será utilizada para calcular as despesas de pedágio gastas durante a viagem e total de quilômetros percorridos. Principais campos: Rota Neste campo informaremos a rota que posteriormente relacionaremos às praças de pedágio. Cód.Rodovia Neste campo relacionaremos as rodovias à rota. Seq.Pedágio Neste campo informaremos as praças de pedágio, relacionadas à rota, de acordo com a Rodovia já selecionada anteriormente

62 Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de rota x rodovia. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de rota x rodovia no menu Atualizações > Cadastros > Logística > Regiões > Rotas x Rodovia. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Rota C01INT Cód. Rodov. SP150 RODOVIA ANCHIETA Seq. Pedágio 01 Sent. Ida/Volta IDA Prazos de Regiões Neste cadastro, são informados os tempos praticados nas operações de embarque, transferência e distribuição entre as regiões origem e destino, conforme o serviço de transporte solicitado. Além disso, é utilizado para demonstrar o prazo de coleta/entrega. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de prazos de regiões. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de prazo de regiões no menu Atualizações > Cadastros > Logística > Regiões > Prazos de Regiões. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo:

63 Cód. Reg. Ori. SP0001 Cód. Reg. Des. SP0002 Tipo Transp. 01 Tmp. Emb. de 001:00 Tmp. Emb. ate 003:00 Tmp. Dis. de 005:00 Tmp. Dis. ate 006:00 Distâncias Esta opção é utilizada para cadastrar as distâncias em quilômetros entre as regiões de origem e de destino do transporte; informação utilizada no cálculo do frete a receber e do frete a pagar para terceiros e agregados. Além disso, estes dados poderão ser utilizados quando o frete é cobrado por quilometragem, como por exemplo, nos processos de carga fechada em que é possível criar um componente para cobrança do frete por quilômetro rodado (distância). Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de distâncias. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de distâncias no menu Atualizações > Cadastros > Logística > Regiões > Distâncias. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo:

64 Cód. Reg. Ori. SP0001 Cód. Reg. Des. SP0002 Tipo Transp. 1 - RODOVIÁRIO Km 100 Motoristas No ambiente SIGATMS, esta rotina é utilizada para cadastrar as informações referentes aos motoristas que prestam serviços à transportadora; Podem ser registrados os motoristas próprios (funcionários), agregados ou terceiros. Permitindo realizar controles pertinentes aos motoristas, como: adiantamentos, despesas, contratos de carreteiro, títulos financeiros a pagar e outros. Principais campos: Código Neste campo informaremos o código pelo qual o sistema irá controlar o motorista. Tp. Motorista Define se o motorista é funcionáirio próprio ou não. Quando o motorista não for da frota própria é importante registrar o fornecedor, que nesse caso seria uma transportadora terceirizada. Car.Perigosa Neste campo informaremos se o motorista está autorizado a transportar cargas perigosas, caso ele não possa e seja incluído em uma viagem com produtos que são cargas perigosas, o Sistema bloqueia a viagem

65 Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de motoristas. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de motoristas no menu Atualizações > Cadastros > Transportes > Motoristas. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Código 01 Motorista Motorista 01 Tipo Motorista 2 Terceiro Fornecedor F00001 Terceiros Transportes Ltda Loja 01 Código 02 Motorista Motorista 02 Tipo Motorista 1 Próprio Fornecedor TMS001 TMS Transportes Ltda Loja 01 Tipos de Veículo Neste cadastro, são informados os dados relacionados aos tipos de veículos com os quais a transportadora opera, como: código do tipo, descrição, categoria do veículo, peso ponderado (peso matemático utilizado no cálculo do custo de transporte), etc

66 Principais campos: Tipo Veículo Neste campo informaremos o código do tipo de veículo que será utilizado pelo sistema para diferenciar os veículos. Descrição Define a descrição do tipo do veículo. Categoria Define a categoria do tipo de veículo, os principais são Comum, Cavalo e Carreta. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de tipos de veículos. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de motoristas no menu Atualizações > Cadastros > Transportes > Tipo de Veículos. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Tipo Veículo Descrição Categoria TR Truck Comum Tipo Veículo Descrição Categoria TC Toco Comum Veículos No ambiente SIGATMS, esta rotina permite cadastrar os veículos que serão utilizados nas viagens de transporte, destacando os dados relacionados ao veículo, como: modelo, placa, capacidade máxima, motorista, altura, largura, frota, proprietário, marca, cor, tipo do veículo, etc. É possível controlar a movimentação de veículos e motoristas registrando suas entradas, liberações para viagens e as saídas. Para isto, basta habilitar o parâmetro MV_CONTVEI com "T", este indica que o controle de movimentos de veículos e motoristas será efetuado pela rotina Movimentação de Veículos

67 Principais campos: Tipo Veículo Neste campo informaremos o código do tipo de veículo que será utilizado pelo sistema para diferenciar os veículos. Descrição Define a descrição do tipo do veículo. Categoria Define a categoria do tipo de veículo, os principais são Comum, Cavalo e Carreta. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de tipos de veículos. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de motoristas no menu Atualizações > Cadastros > Transportes > Tipo de Veículos. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Veículo 01 Modelo Placa Município Placa Estado Frota Proprietário Marca Cor Truck AAA0000 São Paulo SP 2 - Terceiro F00001 Terceiros Transportes Ltda SCANIA Branca Ano Modelo 2011 Ano Fabricação

68 Chassi aaqqwwee Tipo Veículo TR Qtde. Eixos 3 Veículo 02 Modelo Toco Placa AAA9999 Município Placa São Paulo Estado SP Frota 1 - Própria Proprietário TMS001 TMS Transportes Ltda Marca SCANIA Cor Branca Ano Modelo 2011 Ano Fabricação 2011 Chassi ZZSSAA Tipo Veículo TC Qtde. Eixos 2 Despesas Neste cadastro, são informadas as despesas, decorrentes das viagens/veículos de transportes, que serão utilizadas para a apuração dos custos de transportes

69 Principais campos: Cód. Despesa Neste campo informaremos o código do tipo de veículo que será utilizado pelo sistema para diferenciar os veículos. Descrição Define a descrição do tipo do veículo. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de despesas. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de motoristas no menu Atualizações > Cadastros > Transportes > Despesas. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Cod. Despesa 01 Descrição Contrato Carreteiro Cod. Despesa 02 Descrição Pedágio Componentes de Frete Na configuração da tabela de frete, o usuário poderá selecionar as variáveis (componentes) que irão compor o valor do frete, permitindo assim, grande flexibilidade na maneira de cobrar e pagar pelos serviços de transporte prestados. O objetivo desta rotina é cadastrar as variáveis que comporão o valor do frete (a pagar ou a receber), denominadas "Componentes de Frete", e que serão vinculadas à tabela de frete (responsável pela formação do valor do frete). Os componentes podem ser definidos em faixas e sobre outros fatores que poderão fazer parte ou não da tabela, conforme configuração da mesma

70 Principais campos: Calc. Sobre Neste campo informaremos sobre qual o tipo de informação o componente de frete será calculado, assim o Sistema permite selecionar a variável que será utilizada no cálculo do valor do componente de frete. Faixa por Neste campo atribuiremos ao Componente de Frete faixas de valores ou quantidades transportadas, para obter o valor do frete. Estas faixas são informadas no cadastro de tabela de frete. Desc. Cotação Neste campo iremos informar se permitiremos descontos neste componente na Cotação de Frete. Agrupa Vl. NF. Neste campo informaremos se o componente utiliza ou não o agrupamento das notas fiscais para o cálculo do frete. Em caso afirmativo( Sim ): O sistema agrupará todos os valores das notas referente ao Componente. Em caso negativo( Não ): O sistema pesquisa nota a nota os valores. Este agrupamento será utilizado como base para o cálculo do componente e para o posicionamento nas faixas cadastradas da tabela de frete. Calc. do Peso Neste campo iremos informar qual o tipo de peso deve ser considerado quando o valor do componente é calculado sobre o peso transportado. Não Utiliza: Preenchido automaticamente quando o componente não é calculado sobre peso. Peso Real: Peso Exato. Peso Cubado: comprimento x largura x altura x quantidade de volume x fator de cubagem do contrato do cliente. M3: comprimento x largura x altura x quantidade de volume. Fração Este campo influencia diretamente no valor do Frete. Quando o campo está configurado como Percentual, o valor do frete será Valor / Fração * Base. Quando está como Inteiro, o valor do frete é Base / Intervalo. Onde Valor é a faixa informada na Tabela de Frete, Intervalo na faixa informada na Tabela de Frete e a Base é de acordo com o que nós configuramos no Componente de Frete no Calcula Sobre. Taxa Informa se este Componente é definido como Taxa. O preenchimento é obrigatório quando em uma determinada região, que utiliza este componente de frete, foi indicada como Base para Taxa. Também utilizamos este campo preenchido como Sim, quando definida na rotina Perfil do Cliente, que o cálculo das Taxas será separado por CTRC (campo "Taxa p/ CTRC" = "Sim")

71 Pesq. Taxa Este campo está diretamente ligado ao campo Taxa. Sim: Permite pesquisar, na estrutura de regiões, níveis acima para buscar uma região Base para Taxa. Não: Não será pesquisado na estrutura de regiões níveis acima. Pesq. Tabela Neste campo informamos ao Sistema se ele poderá pesquisar os valores da Tabela de Frete Original, caso não exista um Ajuste de Frete para este componente. Sim: Poderá pesquisar na Tabela Original. Não: Não irá pesquisar. Tipo Veículo Este campo é associado ao conceito de Carga Fechada. Podemos criar um Componente Truck, por exemplo, e relacionar a um Tipo de Veículo Truck. Estes relacionamentos serão utilizados para determinar o valor do frete. Subfaixa Semelhante ao Faixa Por, este campo será mais uma faixa para pesquisar na Tabela de Frete (Subfaixa), de acordo com o que foi configurado na Faixa por. Por exemplo, a partir de um determinado peso da mercadoria, eu gostaria de verificar também qual o valor da mercadoria, e de acordo com este último valor formar o preço do frete. Então no Faixa Por (campo que já explicamos anteriormente), eu colocaria Peso Mercadoria e no campo Subfaixa colocaria Valor Mercadoria. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de componentes de frete. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de componentes no menu Atualizações > Cadastros > Comercial > Componentes. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Componente 01 Descrição Frete Peso Calcula Sobre 01 Faixa Por Peso da Mercadoria Calc. Do Peso Peso Real Fração Percentual Componente 02 Descrição AdValorem Calcula Sobre 02 Faixa Por Valor da Mercadoria Calc. Do Peso Não Utiliza Fração Percentual Componente 03 Descrição Calcula Sobre 01 Faixa Por Calc. Do Peso Fração Taxa CTRC Peso da Mercadoria Peso Real Inteiro

72 Configuração da Tabela de Frete Esta opção é utilizada para configurar o layout da tabela de frete, permitindo determinar o código da tabela, o tipo da tabela (Rodoviário, Aéreo, etc.), a vigência, a categoria (frete a receber ou frete a pagar), etc. Além disso, permite ao usuário selecionar os componentes de frete que serão considerados na formação da tabela de frete, possibilitando a criação de tabelas com combinações variadas, utilizando os componentes cadastrados. Os valores e faixas do frete serão definidos, posteriormente, na própria rotina Tabela de Frete. Se o layout configurado estiver sendo utilizado por uma tabela de frete, somente será permitido alterar o campo "Comp. Obrig." (componente obrigatório). Principais campos: Componente Neste campo iremos selecionar o Componente de Frete, que será utilizado nesta Tabela de Frete. Comp. Obrig. Neste campo iremos informar se este Componente de Frete é obrigatório nesta Tabela de Frete. Caso o componente seja obrigatório e o Sistema não encontre valores para efetuar o cálculo, o processo de cálculo de frete é bloqueado. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro da configuração da tabela de frete. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de configuração de tabela no menu Atualizações > Cadastros > Comercial > Config. Tab. Frete. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo:

73 Tabela 2011 Tipo 01 - Rodoviário Ini. Vigência 01/01/11 Categ. Tab. 01 Frete a Receber Componente 01 Comp. Obrig. Sim Componente 02 Comp. Obrig. Sim Componente 03 Comp. Obrig. Sim Anotações

74 Tabela de Frete Nesta opção, são cadastradas as tabelas para o cálculo do valor do frete por região origem/destino, ou seja, são informados os valores a serem cobrados na geração de documentos de transporte, podendo sofrer variações e ajustes por clientes. As tabelas de frete são compostas a partir de uma configuração específica (através da rotina Configuração da Tabela de Frete, em que estão definidos os componentes de frete que formarão a tabela de preço). A partir dessa configuração, podem-se definir, na tabela de frete, faixas para cada componente, com intervalos e valores a serem cobrados para cada faixa. Principais campos: Cód.Reg.Ori. Neste campo iremos informar o Código da Região de Origem, para esta tabela de Frete. Cód.Reg.Des. Neste campo iremos informar o Código da Região de Destino, para esta tabela de Frete. Até Neste campo informaremos o valor limite para esta faixa, por este componente para considerar no Cálculo de Frete. Ao calcular, se o Sistema não encontrar uma faixa na tabela ele emitirá um aviso. Valor Neste campo iremos informar o valor a ser cobrado para esta faixa, por este componente, ao calcular o frete. Fração Neste campo informaremos a fração correspondente ao valor a ser cobrado pela faixa informada. Se este campo estiver preenchido com zero, qualquer valor até o limite da faixa será cobrado igual. Através deste campo podemos fazer combinações como percentuais, entre outros. Comp. Tarifa Neste campo o Sistema informará se o componente de frete veio de uma Tabela de Tarifa. Caso esteja preenchido como Sim não é permitido efetuar alterações neste componente de frete para esta Tabela de Frete

75 Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro da tabela de frete. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de tabela de frete no menu Atualizações > Cadastros > Comercial > Tab. Frete. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Tabela 2011 Tipo 01 - Rodoviário Reg. Origem SP0001 Reg. Destino SP0002 Componente Peso Até 200,00 Fator 200,00 Valor 1,00 Fração 1,000 Até ,99 Fator ,99 Valor 0,90 Fração 1,000 Componente Ad Valorem Até ,00 Valor 5,00 Fração 100,000 Até ,99 Valor 2,00 Fração 100,000 Taxa Emissão CTRC Até ,99 Valor 20,00 Fração 0 Tabela 2011 Tipo Reg. Origem Reg. Destino Componente Peso 01 - Rodoviário SP0001 RJ

76 Até 200,00 Fator 200,00 Valor 2,00 Fração 1,000 Até ,99 Fator ,99 Valor 1,80 Fração 1,000 Componente Ad Valorem Até ,00 Valor 7,00 Fração 100,000 Até ,99 Valor 5,00 Fração 100,000 Taxa Emissão CTRC Até ,99 Valor 25,00 Fração 0 Tabela 2011 Tipo 01 - Rodoviário Reg. Origem SP0001 Reg. Destino MG0001 Componente Peso Até 200,00 Fator 200,00 Valor 3,00 Fração 1,000 Até ,99 Fator ,99 Valor 2,80 Fração 1,

77 Componente Ad Valorem Até ,00 Valor 10,00 Fração 100,000 Até ,99 Valor 7,00 Fração 100,000 Taxa Emissão CTRC Até ,99 Valor 30,00 Fração 0 Após calcular um CTRC com uma tabela de frete, o sistema não permite mais alterar os valores e com isso garantir o controle do histórico dos valores praticados. Caso necessite fazer esta alteração, você precisa desativar o parâmetro MV_CONTHIS

78 Contrato de Cliente Para o ambiente SIGATMS, o contrato tem a finalidade de armazenar dados relacionados ao cliente que serão analisados na entrada de um Documento do Cliente para Transporte (recebimento), ou no cálculo do valor do frete. No contrato do cliente serão informados dados de grande importância, tais como: Os serviços de negociação que podem ser prestados ao cliente, as tabelas de frete que estão associadas aos serviços, tabelas alternativas, etc. Principais campos: Tp. Contrato Neste campo informaremos o Tipo de Contrato. Se ele for Tempo Determinado é obrigatório o preenchimento de Início de Vigência e Fim de Vigência. Caso ele seja Vitalício não é necessário o preenchimento do Fim da Vigência, pois o contrato não tem um período de validade. Abrangência Neste campo informaremos a abrangência deste contrato. Caso ele seja Cliente/Loja, cada filial da empresa terá o seu contrato. Caso ele seja Cliente, todas as filiais utilizarão o mesmo contrato. Cond. Pag. Neste campo informaremos a condição de pagamento do contrato. Tipo Frete Neste campo informaremos se o contrato será aplicado para operações de transporte cujo o cliente devedor do frete é o remetente(cif), o destinatário(fob) ou ambos. Serviço Neste campo informaremos um serviço de negociação, para relacionarmos uma Tabela de Frete, tabela esta que será utilizada no cálculo do frete. Tab.Frete Neste campo informaremos a Tabela de Frete que fará parte da negociação do cliente. É através desta Tabela de Frete que o Sistema se baseará no momento do cálculo do frete

79 Tab.Alternat Neste campo informaremos mais uma tabela de frete para o cliente. Através deste recurso, podemos fazer um comparativo de valor do frete entre duas tabelas, o Sistema assume nestes casos o valor maior entre as tabelas de frete. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro do contrato do cliente. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de contrato do cliente no menu Atualizações > Cadastros > Comercial > Contrato Cliente. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Cliente SP0001 Loja 01 Tip. Contrato Vitalício Classificação 001 Inicio Vigência 01/01/2011 Cond. Pagto 001 Tipo Frete CIF/FOB Serviço 017 Tabela 2011 Serviço 018 Tabela 2011 Serviço 038 Tabela 2011 Cliente CLIGEN Loja 01 Tip. Contrato Vitalício Classificação 001 Inicio Vigência 01/01/2011 Cond. Pagto 001 Tipo Frete CIF/FOB Serviço 017 Tabela 2011 Serviço 018 Tabela 2011 Serviço 038 Tabela

80 Perfil do Cliente Esta opção é utilizada para determinar o perfil do cliente, relacionando os dados comerciais e financeiros, e com a possibilidade de agrupar clientes para o pagamento de frete, especificar dados sobre a geração da fatura, cálculo do documento, etc. Principais campos: Taxa por Ctrc Neste campo informaremos se os componentes de frete que são taxa serão incluidos em todos os documentos ou somente no último. Pes. Max Ctrc Esta informação será utilizada para determinar a quebra de documentos conforme o peso. NFs por Ctrc Esta infomação será utilizada para determinar a quebra de documento conforme a quantidade de notas fiscais. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de perfil do cliente. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de perfil do cliente no menu Atualizações > Cadastros > Comercial > Perfil Cliente. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Cliente SP0001 Loja 01 Cod, Frete 01 Pes. Max. Ctrc Nfs por Ctrc

81 Cliente CLIGEN Loja 01 Cod, Frete 01 Pes. Max. Ctrc Nfs por Ctrc Anotações

82 Configuração de Documentos Esta opção permite configurar, para cada tipo de documento existente no transporte, o número/série inicial a ser utilizado na geração dos documentos e também relacionar um código de produto que será aplicado no cálculo de impostos. Principais campos: Docto Transporte Neste campo informaremos o tipo de documento de transporte a ser configurado. Série Neste campo informaremos a série do documento. Cod. Produto Neste campo informaremos o código do produto a ser utilizado pelo sistema para calculo de impostos. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro do contrato do cliente. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de contrato do cliente no menu Atualizações > Cadastros > Doctos e Regras > Config. Documentos. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Docto Transp 2 Serie UNI Cod. Produto PRODTMS

83 Tipos de Documentos utilizados no Transporte Tipos Descrição (1) Coleta Documento utilizado para coletar mercadorias, gerado na solicitação de coletas. (2) CTRC Documento utilizado para transporte intermunicipal de mercadorias, gerado no cálculo do frete (Conhecimento de Transporte Rodoviário de Cargas). (3) AWB Documento utilizado para transporte de mercadorias em parceria com uma companhia aérea, gerado pela rotina de geração da AWB (Air WayBill). (4) Docto Bx. Estoque Documento utilizado na rotina de fechamento de viagem com o objetivo de baixar o estoque das mercadorias contidas na viagem. (5) Nota Fiscal Documento utilizado na prestação de serviços de transporte municipal. (6) CTRC Devolução Documento gerado a partir de um CTRC original que caracteriza a devolução de uma mercadoria ao seu remetente. (7) CTRC Reentrega Documento gerado a partir de um CTRC original que caracteriza a reentrega da mercadoria ao seu destinatário. Ex.: O cliente destinatário não aceitou a mercadoria, pois não tinha espaço físico no seu armazém, a transportadora efetuará a entrega em outra ocasião. (8) CTRC Complemento Documento gerado a partir de um CTRC original que caracteriza o complemento de valores. Ex.: Emissão de um CTRC complementar de valor. (9) CTRC Retorno Este documento é gerado quando a transportadora negocia com o cliente o retorno da carga, desta forma o veículo não retorna vazio à origem, viabilizando assim os custos de transporte. (A) CTRC Cortesia Documento utilizado para o transporte rodoviário de cargas onde o frete é cortesia

84 Regras de Tributação Esta opção permite criar regras de tributação (padrões) com o objetivo de estabelecer uma préconfiguração para as operações de transporte. É possível determinar regras de amarração para o TES (Tipo de Entrada e Saída), o tipo de frete (CIF, FOB ou CIF / FOB), o componente de frete, o estado origem, o estado destino, entre outros Principais campos: Regra Trib. Neste campo informaremos o código da regra de tributação que será utilizada no sistema. Tipo de Frete Neste campo informaremos o tipo de frete no qual a regra poderá ser aplicada. TES Neste campo informaremos o código do TES a ser utilizado pelo sistema quando essa regra for utilizada. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de regras de tributação. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de regras de tributação no menu Atualizações > Cadastros > Doctos e Regras > Regras de Tributação. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Regra Trib. 01 Tipo Frete CIF/FOB TES

85 Regras de Tributação por Cliente Esta opção permite criar regras (padrões) que serão aplicadas com o objetivo de estabelecer uma pré-configuração para as operações de transporte por cliente, relacionando: o código do cliente, o documento de transporte e a regra de tributação. Principais campos: Cliente / Loja Neste campo informaremos o código e loja do cliente no qual a regra de tributação pertence. Pode-se utilizar o cliente genérico. Docto. Transp. Determina qual tipo de documento de transporte será gerado no momento do calculo de frete. Regra Tributação Neste campo informaremos o código da regra de tributação para o documento e cliente. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de regras de tributação por cliente. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de regras por cliente no menu Atualizações > Cadastros > Doctos e Regras > Regras por clientes. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Cliente CLIGEN Loja 01 Docto. Transp. 2 Regra Trib

86 Importante cadastrar uma regra de tributação por clientes para o cliente genérico, pois a maioria dos clientes, com mínimas exceções, utilizarão a mesma regra. No momento do calculo do documento, o sistema tenta localizar uma regra de tributação para o cliente, caso não encontre ele utiliza a regra cadastrada para o cliente genérico. O Cliente genérico é definido pelo código e loja informados no parâmetro MV_CLIGEN. Anotações

87 Solicitantes O cadastro de solicitantes é utilizado pelas rotinas "Cotação de Frete", "Solicitação de Coleta" e "Coleta Automática", o objetivo é controlar os solicitantes de frete, diferenciando-os da base de clientes, pois nem todo solicitante de uma coleta é necessariamente um cliente da empresa. O solicitante é a pessoa que está requisitando a coleta. Principais campos: DDD / Telefone No cadastro de solicitantes, o código do DDD e o número do telefone são a chave de identificação de cada solicitante no sistema. O solicitante sempre está vinculado à um cliente. Tipo Transp. Determina qual tipo de transporte esse solicitante está autorizado a solicitar. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de solicitantes. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de solicitantes no menu Atualizações > Cadastros > SAC > Solicitantes. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Cliente SP0001 Loja 01 Tipo. Transp. 1 Produto Embalagem CX

88 Cotação de Frete A cotação de frete tem a finalidade de especificar o preço do frete a ser cobrado, variando de acordo com as regiões origem e destino, e utilizando as informações do contrato e da tabela genérica de frete. A cotação é utilizada para clientes ocasionais de frete que não possuem uma tabela e contratos específicos. Após a aprovação da cotação de frete, é possível iniciar o processo de coleta para efetuar o transporte. Antes de iniciar o processo de cotação, atualize o parâmetro MV_CDRORI com conteúdo SP0001. Faça isso para todas as filiais do sistema. Parâmetros Relacionados: MV_COTVFEC Permite descontos na Cotação. MV_CLICOT Utiliza informações do preço do cliente, caso esteja como F ele pega o Cliente Genérico. MV_VLDCOT Prazo em dias para validade da Cotação. MV_PRDDIV Permite informar mais de um produto na cotação. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de uma cotação de frete. Para realizar o exercício, acessar cotação de frete menu Atualizações > SAC > Cotação de Frete. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: DDD

89 Telefone Cod. Reg. Des. MG0001 Serv. Transp. 3 Tipo Transp. 1 Serviço 038 Produto Embalagem CX Qtde Volume 10 Peso Real 100,00 Valor Merc. 100,00 Após o preenchimento dos campos acima, aperte F5 para realizar o calculo da cotação e depois aperte F7 para visualizar o detalhamento do frete por componente conforme imagem abaixo: Após a confirmação da tela, a Cotação de frete deve passar por pelo processo de aprovação e na seqüência gerar automaticamente uma solicitação de coleta pra realização do serviço de transporte cotado

90 Solicitação de Coleta Esta rotina é utilizada para cadastrar os dados referentes às coletas que deverão ser realizadas. A solicitação de coleta pode ser gerada manualmente ou de forma automática, através da rotina Cotação de Frete ou da rotina de Agendamento. Vale lembrar que uma solicitação de coleta não precisa estar relacionada a uma cotação de frete, ela pode ser feita primeiramente e posteriormente ser relacionada ou não. Antes de iniciar o processo de solicitação de coleta, certifique-se que os parâmetros MV_HORCOI, MV_HORCOF, MV_TMPCOL estão preenchidos com os horários praticados pela transportadora. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de uma solicitação de coleta. Para realizar o exercício, acessar Solicitação de Coleta no menu Atualizações > SAC > Solicitação de coleta. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: DDD 011 Telefone Produto Embalagem CX Qtde Volume 10 Peso Real 100,00 Valor Merc. 100,

91 Rodoviário Coleta A coleta é um serviço regular de transporte entre um terminal de frete e as instalações do consignatário, ou seja, é o processo para efetuar a retirada das mercadorias, no endereço determinado pelo cliente solicitante. Esta rotina permite a geração de viagens de coleta selecionadas por rota de distribuição, a partir das solicitações de coleta em aberto. As viagens rodoviárias no SIGATMS possuem 2 rotinas diferentes, a primeira é o exemplo mostrado abaixo onde após a seleção da rota os documentos disponíveis para embarque são apresentados na tela conforme a setorização amarrada ao cadastro da rota. Antes de iniciar o processo de viagem de coleta, vamos desabilitar o parâmetro MV_CONTVEI. Este parâmetro é responsável por ativar as rotinas de controle de entrada e saída de veículo e motoristas do sistema. Na segunda rotina, denominada como viagem modelo 2, o usuário seleciona rota e documentos manualmente

92 Exercícios: Agora efetuaremos a criação de uma viagem rodoviária de coleta. Para realizar o exercício, acessar Viagem no menu Atualizações > Movimentos Viagem > Viagens > Rodoviário > Coleta > Viagem. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os parâmetros conforme abaixo:

93 Após a confirmação dos parâmetros da viagem, será exibida a tela com os grupos de produtos. Essa funcionalidade pode ser usada como filtro para determinar que somente as solicitações de coletas cujo o produto a ser transportado são do grupo previamente selecionado. Em nosso exercício, não será necessário selecionar o grupo, portanto basta confirmar a tela abaixo. Seguindo o exercício, na tela da viagem, selecione a rota de coleta e a solicitação de coleta que fará parte dessa viagem conforme a tela abaixo. Rota da Viagem Documentos da Viagem

94 Após a seleção da rota e dos documentos da viagem (Neste caso, Solicitações de Coleta), será necessário fazer o complemento da viagem através do botão complemento de viagem localizado na barra superior da tela. Será exibida a tela abaixo para informarmos os dados complementares da viagem como veículos, motoristas, ajudantes, adiantamento de frete. Selecione o veículo que realizará viagem

95 Após a seleção do veículo, através do botão Motorista da Viagem selecione o motorista que irá realizar a viagem e confirme clicando em OK. Após informarmos o veículo e o motorista da viagem, confirme o complemento da viagem clicando em OK novamente. Observe que o sistema gerou um bloqueio para essa viagem, isso ocorreu porque o produto informado na solicitação de coleta está cadastrado como produto perigoso, e o motorista informado na viagem não está habilitado para realizar o transporte. Neste caso, o sistema irá permitir três ações possíveis: 1 Alterar o motorista da viagem para um que esteja habilitado a realizar o serviço. 2 Atualizar o cadastro do motorista caso ele seja habilitado para realizar o serviço. 3 Utilizar a rotina de liberação da viagem para autorizar pontualmente que este motorista realize esse serviço específico. Exercícios: Agora efetuaremos a liberação da viagem. Para realizar o exercício, acessar Liberação Viagem no menu Atualizações > Movimentos Viagem > Viagens > Liberação Viagem. Selecione a opção sim e confirme a tela. Serão exibidas as viagens que estão pendentes de liberação

96 Selecione a viagem e clique no botão Liberar e depois confirme clicando em OK para confirmar a liberação da viagem

97 Fechamento O objetivo desta rotina é efetuar o fechamento da viagem para gerar as operações de coleta, conforme o serviço informado na rota. Após a confirmação, a viagem será indicada com o status "Fechada" e não poderá ser alterada. Exercícios: Agora efetuaremos o fechamento da viagem. Para realizar o exercício, acessar Viagem no menu Atualizações > Movimentos Viagem > Viagens > Rodoviário > Coleta > Viagem. Selecione no botão Manutenção a opção Fechamento e depois clique em Fechar. Clique em OK para confirmar o fechamento da viagem

98 Observe que o status da viagem mudou de Em Aberto para Fechada. Apartir desse momento, a viagem não poderá sofrer alterações em seu conteúdo, a menos que o processo de fechamento seja estornado. Anotações

99 Operações O objetivo desta rotina é apontar as operações relacionadas à viagem, determinando as datas e horários realizados de cada uma das atividades. O apontamento das operações pode ser realizado parcialmente, em tempos diferentes: - No início da operação - informando a data e hora de início; - No término da operação - informando a data e hora realizada. Exercícios: Agora efetuaremos o apontamento das operações da viagem. Para realizar o exercício, acessar Viagem no menu Atualizações > Movimentos Viagem > Viagens > Rodoviário > Coleta > Viagem. Selecione no botão Manutenção a opção Operações. Serão exibidas todas as atividades cadastradas no serviço operacional informado na rota que está sendo utilizada na viagem. Selecione a atividade Saída de Viagem e aponte a data e horário

100 Após informar data e hora da realização da atividade, clique em OK

101 Observe que o status da atividade mudou para encerrado. Esse processo deve se repetir para todas as atividades da viagem. Após o apontamento da atividade Chegada de Viagem, observe que o status da viagem passou para Chegada em Filial informando que o veículo retornou da viagem de coleta

102 Tabela de Ocorrências Esta rotina permite cadastrar os tipos de ocorrências que poderão ser apontadas durante o processo de transporte. O objetivo é documentar os fatos relacionados à mercadoria transportada, informações que serão utilizadas na consulta Tracking (acompanhamento e monitoração de viagens, realizado através da nota fiscal do cliente). No cadastramento da ocorrência é necessário indicar qual a ação relacionada a esta que deve ser disparada. Tipos de Ação Encerra Processo Bloqueia Documento Libera Documento Retorna Documento Informativa Indica que o tipo de serviço relacionado à ocorrência cadastrada foi executado. Exemplo: Encerra processo de coleta. Efetua o bloqueio do documento, impedindo qualquer tipo de movimento relacionado a este. Exemplo: Apreensão em posto fiscal. Efetua o desbloqueio do documento, liberando-o para movimentação. Exemplo: Liberação de documento em posto fiscal. Utilizada em ocorrências onde o processo não foi completado e deve ser executado novamente. Caracteriza a volta do documento para a transportadora. Exemplo: Entrega não foi efetuada pois o destino estava fechado. Não executa nenhum tipo de ação, apenas registra a informação necessária e justifica possíveis atrasos. Exemplo: Queda de barreira na estrada. Gera Pendência Utilizada para controlar problemas ocorridos com a mercadoria transportada. Atualiza os cadastros: Registro de Ocorrências e o Registro de Pendências. Exemplo: Falta de mercadoria ou mercadoria avariada. Estorna Pendência Transferência Viagem Gera Indenização Estorna Indenização Transferência de Mercadoria Cancelamento Utilizada para registrar o estorno das pendências criadas anteriormente. Utilizada para transferir os documentos de uma viagem para a outra. Exemplo: Quebra de veículo no meio da viagem, a carga deve ser transferida para outro que se encontra em uma viagem diferente da original. Utilizada para apontar os sinistros ocorridos com a mercadoria que deve gerar indenização ao embarcador da carga. Exemplo: Mercadoria avariada por má acomodação no veículo, roubo de carga, etc. Utilizada para estornar uma indenização previamente informada. Utilizada para trocar a identificação do documento, colocando o mesmo como pendente para transporte. Exemplo: A filial de Goiânia da Transportadora ABC não atende um CTRC enviado a ela, este deve ser transferido e ficará pendente para viajar para a filial adequada. Utilizada para cancelar o serviço proposto para um documento de coleta ou entrega. Exemplo: Cancelamento, pelo cliente, de uma solicitação de coleta antes de ser atendida

103 Principais campos: Serv.Transp Neste campo informaremos o Serviço de Transporte (Coleta, Transporte ou Entrega). Você não poderá lançar ocorrência em um documento com o Serviço de Transporte diferente do definido neste campo. Tipo Neste campo informaremos a ação a ser executada por esta ocorrência. Através desta ação, o Sistema saberá os processos que precisam ser executados. Categoria Neste campo informaremos a categoria da ocorrência. Uma ocorrência Por Documento geralmente utilizamos quando é necessário apontar a situação de cada documento de uma viagem, por exemplo, entrega realizada, nem todos os documentos são entregues em uma viagem, então com esta ocorrência você pode definir quais os documentos foram efetivamente entregues. Já uma ocorrência Por Viagem utilizamos quando a mesma ocorrência afeta todos os documentos de uma viagem, por exemplo, Margina Parada, todos os documentos da viagem vão sofrer esta ocorrência, não tem porque lançarmos para cada documento, então apontamos esta ocorrência para a viagem, e todos os documentos automaticamente já sofrem esta ocorrência. Exercícios: Agora efetuaremos o cadastro de ocorrências. Para realizar o exercício, acessar o cadastro de ocorrências no menu Atualizações > Cadastros > Ocorrências > Tab. De Ocorrências. Logo em seguida clique na opção incluir e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Código Descrição C001 Coleta Efetuada Serviço de Transporte 1 = Coleta Tipo Categoria 01 Encerra Processo 1 Por Documento

104 Código T001 Descrição Trânsito Interrompido Serviço de Transporte 2 = Transporte Tipo 05 Informativa Categoria 2 Por Viagem Código E001 Descrição Entrega Realizada Serviço de Transporte 3 = Entrega Tipo 01 Encerra Processo Categoria 1 Por Documento Anotações

105 Registro de Ocorrências Esta rotina é utilizada para apontar todos os fatos ocorridos durante uma viagem de transporte. Estes dados poderão ser visualizados posteriormente na consulta de tracking, que permite acompanhar e monitorar as viagens com base nos apontamentos. Assim, é possível ter uma visão precisa dos pontos por onde a mercadoria do cliente passou e quais restam para completar o trecho de viagem até o destino. Exemplos: Coleta Efetuada, Confirmação de Embarque, Entrega Efetuada, Cliente Fechado, Apreensão da Carga no Posto Fiscal, Queda de Barreira na Estrada, Viagem Atrasada, Roubo da Carga, entre outros. Principais campos: Fil.Origem Neste campo informaremos através da Consulta Padrão qual a viagem em que vamos apontar as ocorrências. Cod.Ocorre. Neste campo informaremos qual a ocorrência será relacionada à viagem. Fil.Docto. Neste campo informaremos por meio da Consulta Padrão quais os documentos sofreram esta ocorrência. Vale lembrar que este campo não poderá ser informado se tivermos lançando uma ocorrência por viagem. Exercícios: Agora efetuaremos o registro de ocorrências. Para realizar o exercício, acessar o registro de ocorrências no menu Atualizações > Movimentos de Viagem > Ocorrências > Reg. De Ocorrências. Logo em seguida clique na opção apontar e informe os dados nos campos especificados conforme abaixo: Filial de Origem 01 Viagem Cod. Ocorrência Fil. Docto (Este é o número da viagem que você deseja apontar a ocorrência) Utilize a consulta F3 para selecionar a ocorrência C001 Utilize a consulta F3 para selecionar o documento da ocorrência

106 Encerramento O objetivo desta rotina é realizar o encerramento da viagem de coleta, finalizando todas as operações envolvidas neste processo. Após a confirmação, a viagem será apresentada com o status "Encerrada". O encerramento da viagem somente será permitido para as viagens com status "Em trânsito" ou "Chegada em Filial" e que tenha uma ocorrência apontada. Exercícios: Agora efetuaremos o encerramento da viagem. Para realizar o exercício, retornar à tela da viagem de coleta e selecionar a viagem que será encerrada. Através do botão Manutenção, opção Encerramento e depois clique em Encerrar

WMSL Warehouse Management System Lite

WMSL Warehouse Management System Lite WMSL Warehouse Management System Lite Tela Inicial Esta é a tela inicial do sistema WMSL (Warehouse Management System - Lite) da Logistock. Cadastro Administrativo Pesquisa Movimentação Encerrar Cadastro

Leia mais

Manual Ciaf NFC-e Gratuito. Cadastro de Clientes 2 Cadastro de Produtos 4 Caixa Diário 9 Cadastro de formas de Pagamento NFCe 13 Emissão NFC-e 17

Manual Ciaf NFC-e Gratuito. Cadastro de Clientes 2 Cadastro de Produtos 4 Caixa Diário 9 Cadastro de formas de Pagamento NFCe 13 Emissão NFC-e 17 Manual Ciaf NFC-e Gratuito Cadastro de Clientes 2 Cadastro de Produtos 4 Caixa Diário 9 Cadastro de formas de Pagamento NFCe 13 Emissão NFC-e 17 1 Cadastro de Clientes Nesta opção iremos armazenar no sistema

Leia mais

Excelência. Recursos. Faturamento/Financeiro Faturamento Contas a Receber Contas a Pagar Fiscal Contábil

Excelência. Recursos. Faturamento/Financeiro Faturamento Contas a Receber Contas a Pagar Fiscal Contábil Competência Sistemas para Transportadoras e Soluções Você e sua Empresa em perfeita sintonia Excelência Recursos Tms EXPERIÊNCIA O sistema é composto por módulos que controlam e integram os processos operacionais

Leia mais

TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado Estoque Processos Gerais. 11.8x. março de 2015. Versão: 2.0

TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado Estoque Processos Gerais. 11.8x. março de 2015. Versão: 2.0 TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado Estoque Processos Gerais 11.8x março de 2015 Versão: 2.0 1 Sumário 1 Objetivos... 3 2 Introdução... 3 3 Etiquetas de Estoque... 4 3.1 Configurando Parâmetros de

Leia mais

Entrada de Notas Fiscais de Serviço pela Rotina de Materiais. Manual desenvolvido para Célula Fiscal Equipe Avanço Informática

Entrada de Notas Fiscais de Serviço pela Rotina de Materiais. Manual desenvolvido para Célula Fiscal Equipe Avanço Informática Entrada de Notas Fiscais de Serviço pela Rotina de Materiais Manual desenvolvido para Célula Fiscal Equipe Avanço Informática 1 A Rotina de lançamento de Notas Fiscais de Serviço foi alterada, agora os

Leia mais

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Processos de Compras Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar 1 Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Controle de Compras... 4 Parametrização... 4 Funcionamento... 4 Processo de Controle...

Leia mais

Manual Ilustrado Estoque Processos Gerais

Manual Ilustrado Estoque Processos Gerais Dezembro - 2014 Índice Título do documento 1. Objetivos... 3 2. Introdução... 3 3. Etiquetas de Estoque... 4 3.1 Configurando Parâmetros de Impressão... 4 3.2 Imprimindo Etiquetas de Estoque... 4 4. Etiquetas

Leia mais

Módulo Faturamento. Sistema Gestor New. Instruções para cadastros e configurações do módulo Faturamento

Módulo Faturamento. Sistema Gestor New. Instruções para cadastros e configurações do módulo Faturamento Roteiro passo a passo Módulo Faturamento Sistema Gestor New Instruções para cadastros e configurações do módulo Faturamento Recomendado para quem esta iniciando a utilização do sistema Gestor New 1 INDICE

Leia mais

Recomendado para quem esta iniciando a utilização do sistema Gestor New

Recomendado para quem esta iniciando a utilização do sistema Gestor New Recomendado para quem esta iniciando a utilização do sistema Gestor New INDICE 1 1. CADASTRO DE USUÁRIOS...1 2. MODULO EMPRESA...4 2.1. Cadastro da Empresa...4 2.2. Parâmetros da Empresa...4 3. MÓDULO

Leia mais

MANIFESTO E EXPEDIÇÃO DE CARGAS (PROCESSO DE EMISSÃO DE CT-e)

MANIFESTO E EXPEDIÇÃO DE CARGAS (PROCESSO DE EMISSÃO DE CT-e) 1. OBJETIVO Padronizar a sistemática de emissão do Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) e Manifesto de Cargas Intermunicipais e Interestaduais da Irapuru. 2. REGRAS / CONSIDERAÇÕES GERAIS É de

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Notas Fiscais Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 3 3 CONFIGURAÇÕES... 3 3.1 Permissões... 3 3.2 Configurar NF-e... 4 3.2.1 Aba Geral... 5 3.2.2 Opções... 6 3.3 Processador

Leia mais

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice I. Acesso ao Cadastro... 2 II. Seleção de Filtros... 3 III. Cadastro...

Leia mais

0031 - Faturamento Protheus

0031 - Faturamento Protheus Faturamento Todos os direitos autorais reservados pela TOTVS S.A. Proibida a reprodução total ou parcial, bem como a armazenagem em sistema de recuperação e a transmissão, de qualquer modo ou por qualquer

Leia mais

SUMÁRIO. 1 Cadastro Empresa / Estabelecimento ----------------------------------- Pág. 05

SUMÁRIO. 1 Cadastro Empresa / Estabelecimento ----------------------------------- Pág. 05 1 Apresentação O presente manual tem o objetivo de apresentar o sistema Fortes Compras e Estoque, instruindo o usuário sobre as funcionalidades do sistema, seus benefícios e especificidades. Nele pode

Leia mais

Manual do Módulo. MerchNotas

Manual do Módulo. MerchNotas Manual do Módulo MerchNotas Bento Gonçalves (RS), Agosto de 2010 Índice 1. Introdução... 4 2. Menu Entrada de Notas... 5 2.1. Entrada de Notas (F11)... 5 2.2. Entrada de Notas NFe (F12)... 8 2.3. Apuração

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Sistema Nota Fiscal Eletrônica. Sil Tecnologia LTDA

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Sistema Nota Fiscal Eletrônica. Sil Tecnologia LTDA Sistema Nota Fiscal Eletrônica Sil Tecnologia LTDA SUMÁRIO INTRODUÇÃO 4 1. CONHECENDO OS COMANDOS DO SISTEMA 5 1.1 Tela Inicial do Sistema 5 1.2 Navegador de registros 6 1.3 Filtro de Registros 6 2. TELA

Leia mais

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC)

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) EMPRESA: LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) NOME DO ARQUIVO Existem dois nomes possíveis: um para as notas de saída e outro para as notas de entrada. - Saídas : O nome do arquivo deve

Leia mais

CONHECENDO O BANCO DE DADOS DPCOMP COMO PROCEDER PARA FAZER BACKUP S

CONHECENDO O BANCO DE DADOS DPCOMP COMO PROCEDER PARA FAZER BACKUP S CONHECENDO O BANCO DE DADOS DPCOMP Atualmente, a DpComp, visando ampliar a capacidade corporativa de seus clientes, acompanha a evolução tecnológica e trabalha hoje com o banco de dados MySQL, um dos bancos

Leia mais

Roteiro de Cadastros - GESTOR

Roteiro de Cadastros - GESTOR Página1 INDICE 1. MODULO EMPRESA 1.1. CADASTRO DE USUARIO --------------------------------------------------------------------- 4 1.2. CADASTRO DA EMPRESA --------------------------------------------------------------------

Leia mais

Manual para Transportadoras

Manual para Transportadoras Índice 1 Objetivo... 3 2 O Projeto e-suprir... 3 3 Introdução... 3 4 Informações Básicas... 4 4.1 Painel de Controle Compras... 4 5 Acessando o Pedido... 5 6 Digitando o Espelho de Nota Fiscal... 7 6.1

Leia mais

Emissão de MDF-e. Figura 1: Acesso à tela de cadastro de filiais

Emissão de MDF-e. Figura 1: Acesso à tela de cadastro de filiais Emissão de MDF-e Introdução O sistema TTransp traz aos seus clientes a possibilidade de Emissão de Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (MDF-e). Neste documento são apresentadas as configurações

Leia mais

Emissão: 16/09/2010 Revisão: 23/04/2015 Revisado por: Juliana PEDIDO DE VENDAS SHP. PPV0102 v. 3.2.7.39 Help Desk

Emissão: 16/09/2010 Revisão: 23/04/2015 Revisado por: Juliana PEDIDO DE VENDAS SHP. PPV0102 v. 3.2.7.39 Help Desk Emissão: 16/09/2010 Revisão: 23/04/2015 Revisado por: Juliana PEDIDO DE VENDAS SHP PPV0102 v. 3.2.7.39 Help Desk 1 Conteúdo Introdução:... 3 CAMINHO:... 4 Inclusão e inicio do PEDIDO DE VENDAS... 5 DETALHES

Leia mais

Tesche & Vasconcelos - Ciaf. Emissão primeira NF-e pelo Ciaf-800

Tesche & Vasconcelos - Ciaf. Emissão primeira NF-e pelo Ciaf-800 Emissão primeira NF-e pelo Ciaf-800 Para emissão da primeira Nota Fiscal eletrônica pelo Ciaf-800 a mesma deve ser obrigatoriamente uma nota de teste. Para que possa efetuar esta emissão faça o seguinte

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA

NOTA FISCAL ELETRÔNICA NOTA FISCAL ELETRÔNICA Í n d i c e Julho, 2010 Introdução... 2 1. Acerto dos cadastros de Clientes e de Produtos... 4 1.1. Cadastros Básicos - Cadastro de Clientes... 4 1.2. Cadastros Básicos Cadastro

Leia mais

CADASTROS 2013 AOB SOFTWARE

CADASTROS 2013 AOB SOFTWARE CADASTROS 2 CADASTROS Tabela de Conteúdo Cadastro de Clientes 4 Cadastro de Produtos 5 1 Cadastro... de Produtos Básico 5 2 Cadastro... de Produtos Básico + Grade de Produtos 7 3 Cadastro... de Produtos

Leia mais

Entrada de Produtos. Supermercados

Entrada de Produtos. Supermercados Entrada de Produtos Supermercados 1 Objetivo: Cadastrar a entrada dos produtos no sistema permite o controle do estoque e o controle financeiro. O objetivo do texto é explicar como cadastrar as notas fiscais

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1 Manual de Operação do SIMPLES 1 MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. Manual de Operação do SIMPLES 2 A Empresa A ASP Desenvolvimento de Softwares

Leia mais

Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria

Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria Financeira...4 2.1.2.Formas de Registro do Pagamento e Recebimento

Leia mais

Guia Prático do Usuário

Guia Prático do Usuário Guia Prático do Usuário 3. O que esse Manual aborda Esse manual é um guia prático de utilização do sistema, ele aborda noções gerais sobre gerenciamento de sua empresa além de ter informações detalhando

Leia mais

ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6

ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6 1 ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6 5. CADASTRO OPERAÇÕES FISCAIS (CFOP)...7 6. GERAR SINTEGRA...8 7. CONTROLE DE

Leia mais

APOSTILA PARA O CURSO WFISCAL

APOSTILA PARA O CURSO WFISCAL TREINAMENTO Visão Estar posicionada entre as maiores e melhores provedoras de solução de gestão empresarial do Brasil Missão Desenvolvimento e fornecimento de soluções e serviços através de softwares para

Leia mais

País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos

País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos Apuração do ISS por Município Entradas e Saídas Produto : Microsiga Protheus Livros Fiscais Versão 10 Data da publicação : 08/11/12 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos Chamado : REQ005 /TFGS92

Leia mais

GESTÃO LOGÍSTICA. Emissão de CT-e. Esse procedimento descreve o processo de emissão de CT-e.

GESTÃO LOGÍSTICA. Emissão de CT-e. Esse procedimento descreve o processo de emissão de CT-e. GESTÃO LOGÍSTICA Emissão de CT-e Esse procedimento descreve o processo de emissão de CT-e. SUMÁRIO EMISSÃO DE CT-E... 3 Pré-Requisitos... 3 Emissão de Conhecimento de Transporte Eletrônico... 4 Emissão

Leia mais

SuperStore Sistema para Automação de Óticas

SuperStore Sistema para Automação de Óticas SuperStore Sistema para Automação de Óticas MANUAL DO USUÁRIO (Administrador) Contato: (34) 9974-7848 http://www.superstoreudi.com.br superstoreudi@superstoreudi.com.br SUMÁRIO 1 ACESSANDO O SISTEMA PELA

Leia mais

Síntese de fluxo de máquinas e implementos

Síntese de fluxo de máquinas e implementos Síntese de fluxo de máquinas e implementos Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Objetivo... 3 Parâmetros para utilização do processo... 3 Cadastro

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA. NF-e

MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA. NF-e MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-e SELECIONE A EMPRESA EMISSORA DA NFE CLIQUE EM INICIAR TELA DE AVISOS FAÇA A LEITURA DOS AVISOS E CLIQUE EM FECHAR EMISSÃO DA NOTA FISCAL

Leia mais

Elaboração e redação: Equipe de Ensino e Documentação Unidade Indústria da Construção UNIC

Elaboração e redação: Equipe de Ensino e Documentação Unidade Indústria da Construção UNIC Notas Fiscais Copyright 2014 By Softplan. Rod. José Carlos Daux, km 1, Nº 10 Centro de Tecnologia Ilhasoft - ParqTec Alfa João Paulo Florianópolis SC CEP 88030-000 Telefone: (48) 3027-8000 Homepage: http://www.softplan.com.br

Leia mais

Consulta de Produtos - Completa

Consulta de Produtos - Completa PROD1010 Consulta de Produtos - Completa Este programa é utilizado para consultar informação dos produtos de estoque ( cmprodut ), estejam eles em estoque ou não. A partir do Código ou da Descrição do

Leia mais

Manual Módulo de Custos

Manual Módulo de Custos Manual Módulo de Custos Emissão: 24/01/2014 Revisão: 20/05/2015 Revisado por: Juliana shp group 1 Alameda dos Jurupis, 452 Cj 73 Moema Conteúdo Introdução...... 3 I - TIPOS DE CUSTOS QUE O ERP JAD POSSUI.......

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema de Digitação de Notas Fiscais de Saídas Interestaduais

Manual do Usuário. Sistema de Digitação de Notas Fiscais de Saídas Interestaduais Secretaria de Estado de Fazenda de Mato Grosso Superintendência do Sistema de Administração Tributária Manual do Usuário Sistema de Digitação de Notas Fiscais de Saídas Interestaduais 1 ÍNDICE INTRODUÇÃO

Leia mais

SuperStore. Sistema para Automação de Óticas. MANUAL DO USUÁRIO (Módulo Estoque)

SuperStore. Sistema para Automação de Óticas. MANUAL DO USUÁRIO (Módulo Estoque) SuperStore Sistema para Automação de Óticas MANUAL DO USUÁRIO (Módulo Estoque) Contato: (34) 9974-7848 http://www.superstoreudi.com.br superstoreudi@superstoreudi.com.br SUMÁRIO 1 ACERTO DE ESTOQUE...

Leia mais

Índice APRESENTAÇÃO... 1 CONFIGURAÇÕES DO SAGE ONE... 2 CADASTROS... 8 PRINCIPAL... 15 NOTAS FISCAIS... 16 2.1. Primeiros Passos...

Índice APRESENTAÇÃO... 1 CONFIGURAÇÕES DO SAGE ONE... 2 CADASTROS... 8 PRINCIPAL... 15 NOTAS FISCAIS... 16 2.1. Primeiros Passos... Índice 1. 2. 2.1. 2.2. 2.3. 2.4. 2.5. 2.6. 3. 3.1. 3.2. 3.3. 3.4. 3.5. 3.6. 3.7. 3.8. 4. 5. 5.1. 5.2. 5.3. APRESENTAÇÃO... 1 CONFIGURAÇÕES DO SAGE ONE... 2 Primeiros Passos... 2 Minha Empresa... 3 Certificado

Leia mais

Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido

Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido Sumário Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido 1. Cadastro de Empresas... 2 2. Cadastro de Participantes...

Leia mais

TUTORIAL // MÓDULO PRESTADORES BENNER WEB MÓDULO PRESTADORES

TUTORIAL // MÓDULO PRESTADORES BENNER WEB MÓDULO PRESTADORES BENNER WEB MÓDULO PRESTADORES 1 Sumário Procedimento inicial para acessar o sistema na WEB... 3 Módulo Prestadores... 3 1. ÍCONES E FUNÇÕES... 4 2. CADASTRO DE PRESTADORES... 5 Cadastrar o prestador de

Leia mais

Manual para Utilização Site DVA Express. Versão 2.0 para Parceiros.

Manual para Utilização Site DVA Express. Versão 2.0 para Parceiros. Manual para Utilização Site DVA Express Versão 2.0 para Parceiros. Introdução O presente manual tem por finalidade instruir os parceiros e representantes na utilização do site para consultas, rastreabilidade

Leia mais

Faturamento. Educação Corporativa. Matriz - Av. Braz Leme, 1.717-02511-000 - São Paulo - SP - Brasil. Tel.: 55 (11) 3981-7001 www.microsiga.com.

Faturamento. Educação Corporativa. Matriz - Av. Braz Leme, 1.717-02511-000 - São Paulo - SP - Brasil. Tel.: 55 (11) 3981-7001 www.microsiga.com. Educação Corporativa Matriz - Av. Braz Leme, 1.717-02511-000 - São Paulo - SP - Brasil. Tel.: 55 (11) 3981-7001 www.microsiga.com.br Planejamento e controle orçamentário 1 Sumário TEXTO DE JUSTIFICATIVA

Leia mais

Guia de Primeiros Passos - MOVIMENTAÇÕES

Guia de Primeiros Passos - MOVIMENTAÇÕES Guia de Primeiros Passos - MOVIMENTAÇÕES Este documento tem o objetivo principal de iniciar você de forma rápida e simples no sistema.aprog., configurando as funcionalidades a sua realidade. A série Primeiros

Leia mais

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. Fiscais. Fiscais. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Saídas. Decimais.

Hierárquico Nenhum. Nenhum. 01 - Cabeçalho do Arquivo. Decimais. Domínio. Fiscais. Fiscais. 02 - Corpo da Nota Fiscal de Saídas. Decimais. Página: / do arquivo: 0 - Cabeçalho do Arquivo Código da Empresa CNPJ da Empresa Inicial das Notas Fiscais Final das Notas Fiscais Valor Fixo "N" da Nota Constante "00000" Sistema Valor Fixo "" 0 0 0 6

Leia mais

Manual de Frete. sobre. Compras. Reselase 1.1.0

Manual de Frete. sobre. Compras. Reselase 1.1.0 Manual de Frete sobre Compras Reselase 1.1.0 1 Indexe: 1- Tipos de Frete Pagina 03 2- Como funciona o frete sobre compras Pagina 04 3- Configurando a CFOP de frete sobre compras Pagina 05 4 Fazendo um

Leia mais

NeXT ERP Manual do usuário. Resumo das principais funcionalidades. Dezembro/2009. NeXT Software

NeXT ERP Manual do usuário. Resumo das principais funcionalidades. Dezembro/2009. NeXT Software NeXT ERP Manual do usuário Resumo das principais funcionalidades Dezembro/2009 NeXT Software Página 1 de 33 Índice Iniciando NeXT ERP...3 Tela inicial...3 Interface padrão do NeXT ERP...3 Interface - Cadastro

Leia mais

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins 29/05/2012 1 O Sped fiscal e Pis/Confins é uma arquivo gerado através do sistema da SD Informática, onde este arquivo contem todos os dados de entrada e saída

Leia mais

1) Adiantamento Unidade Central para UREGI: (Essa rotina será feita Unidade Central)

1) Adiantamento Unidade Central para UREGI: (Essa rotina será feita Unidade Central) Capacitação Sistema Protheus Acessar o Protheus Módulo Financeiro Informar o número da matricula do funcionário Informar senha cadastrada Será exibida a tela abaixo para escolher o módulo financeiro: Inserir

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Sumário 1 CONCEITO... 4 2 REQUISITOS... 4 3 CONFIGURAÇÕES... 4 3.1 Permissões de Acesso... 4 3.2 Plano de Contas... 5 3.2.1 Parcelado... 6 3.2.2 Parcelamento Notas a Prazo...

Leia mais

Conteúdo PARAMETRIZAÇÃO STOREMANAGER... 2

Conteúdo PARAMETRIZAÇÃO STOREMANAGER... 2 Conteúdo PARAMETRIZAÇÃO STOREMANAGER... 2 CONFIGURAÇÕES DA GUIA GERAIS DO STOREMANAGER... 2 Seção Geral... 2 BOTÕES DE CONFIRMAÇÃO... 3 Seção Código de Barras... 4 Seção Abertura / Fechamento de Caixa...

Leia mais

Departamento de Treinamentos BIG SISTEMAS. Certificação em Entradas Configurações Gerais Entrada Manual Entrada NFe Conferência

Departamento de Treinamentos BIG SISTEMAS. Certificação em Entradas Configurações Gerais Entrada Manual Entrada NFe Conferência Departamento de Treinamentos BIG SISTEMAS Certificação em Entradas Configurações Gerais Entrada Manual Entrada NFe Conferência Sumário Índice de Figuras... 3 Histórico de Revisões... 4 Introdução... 5

Leia mais

Emissão de Nota Fiscal de Serviço Eletrônica

Emissão de Nota Fiscal de Serviço Eletrônica Emissão de Nota Fiscal de Serviço Eletrônica Introdução A emissão de Nota Fiscal de Serviço Eletrônica traz ao cliente TTransp a possibilidade de documentar eletronicamente as operações de serviço prestadas

Leia mais

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Produto no Sistema TOTVS RM. Índice

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Produto no Sistema TOTVS RM. Índice Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Produto no Sistema TOTVS RM. Índice I. Acesso ao Cadastro... 2 II. Seleção de Filtros... 3 III. Cadastro...

Leia mais

Módulo Vendas Balcão. Roteiro passo a passo. Sistema Gestor New

Módulo Vendas Balcão. Roteiro passo a passo. Sistema Gestor New 1 Roteiro passo a passo Módulo Vendas Balcão Sistema Gestor New Instruções para configuração e utilização do módulo Vendas balcão com uso de Impressora fiscal (ECF) 2 ÍNDICE 1. Cadastro da empresa......3

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO GONDOLA

MANUAL DO USUÁRIO GONDOLA NOÇÕES GERAIS MANUAL DO USUÁRIO GONDOLA Para melhor compreender o ambiente de trabalho do sistema GONDOLA, é necessário que sejam apresentadas algumas noções gerais, antes de se aprofundar em cada módulo

Leia mais

Bem Vindo ao Manual. One Way Sistemas Ltda. Rua Carolina Machado, 380 Salas de 606 a 608 - Madureira - RJ

Bem Vindo ao Manual. One Way Sistemas Ltda. Rua Carolina Machado, 380 Salas de 606 a 608 - Madureira - RJ Bem Vindo ao Manual One Way Sistemas Ltda. Rua Carolina Machado, 380 Salas de 606 a 608 - Madureira - RJ Telefone(s):(21)2458-1013/ 2458-1185/ 3390-2107 http://www.onewaysistemas.com.br Meus parabéns.

Leia mais

: Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e

: Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e Produto : RM NUCLEUS - 11.52.61 Processo Subprocesso : Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e : Integração com o TSS / TopConnect / CT-e Data

Leia mais

1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp)

1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp) SUMÁRIO 1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp)... 3 2 REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA... 4 3 ACESSO AO SISTEMA (ATORES: TRANSPES/ CLIENTE)... 5 4 PRIMEIROS PASSOS (CADASTROS)... 7 4.1 Cadastros de

Leia mais

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município Após receber a confirmação de aceite do Credenciamento via e-mail já é possível efetuar o login no sistema

Leia mais

1º No módulo de Gestão Contábil é possível acessar o relatório através do menu Relatórios Razão.

1º No módulo de Gestão Contábil é possível acessar o relatório através do menu Relatórios Razão. Impairment Produto : TOTVS Gestão Contábil 12.1.1 Processo : Relatórios Subprocesso : Razão Data publicação da : 12/11/2014 O relatório razão tem a finalidade de demonstrar a movimentação analítica das

Leia mais

Manual do usuário. AeroSoft Emissor de Nota Fiscal

Manual do usuário. AeroSoft Emissor de Nota Fiscal Manual do usuário AeroSoft Emissor de Nota Fiscal Para manter-se atualizado visite sempre nosso web site em http://www.aerosoft.com.br A Internet tornou-se a ferramenta mais eficiente e barata, aproveite

Leia mais

AUDITORIA FINANCEIRA. No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria Financeira.

AUDITORIA FINANCEIRA. No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria Financeira. AUDITORIA FINANCEIRA Processo de uso da Auditoria Financeira CADASTRO DE EMPRESA PARÂMETROS No Gerenciador de Sistemas, em Empresas\ Cadastro de Empresas, é necessário parametrizar os dados para a Auditoria

Leia mais

Instruções para configuração e utilização do. fiscal (ECF)

Instruções para configuração e utilização do. fiscal (ECF) 1 Instruções para configuração e utilização do módulo Vendas balcão SEM Impressora de cupom fiscal (ECF) 2 ÍNDICE 1. Cadastro da empresa...3 2. Configurações dos Parâmetros......3 3. Cadastro de cliente...4

Leia mais

MANUAL PARA ACESSO AO SISTEMA AOS REPRESENTANTES

MANUAL PARA ACESSO AO SISTEMA AOS REPRESENTANTES MANUAL PARA ACESSO AO SISTEMA AOS REPRESENTANTES Índice 1 Acesso ao Sistema... 3 2 Inclusão de Novos Pedidos... 5 3 Carteira de Pedidos... 13 4 Consulta à clientes... 15 5 Consulta a Informações dos Clientes...

Leia mais

Instalação - Primeiros Passos

Instalação - Primeiros Passos Instalação - Primeiros Passos 1- O download da ultima versão do sistema é disponibilizado em nosso site do no link http://www.tvsistemas.com.br/downloads.html 2- Após realizar o download execute o instalador,

Leia mais

MANUAL DE EMISSÃO DO CONHECIMENTO DE TRANSPORTE ELETRÔNICO CT-e

MANUAL DE EMISSÃO DO CONHECIMENTO DE TRANSPORTE ELETRÔNICO CT-e MANUAL DE EMISSÃO DO CONHECIMENTO DE TRANSPORTE ELETRÔNICO CT-e INICIANDO O SISTEMA Ao iniciar o sistema, selecione a empresa e clique no botão iniciar. CADASTRO DE CLIENTES O sistema utiliza um cadastro

Leia mais

Manual Prático de Acesso Novo Hamburgo/RS. ISS.Net Emissor de Nota Fiscal Eletrônica

Manual Prático de Acesso Novo Hamburgo/RS. ISS.Net Emissor de Nota Fiscal Eletrônica Novo Hamburgo/RS ISS.Net Emissor de Nota Fiscal Eletrônica SUMÁRIO Página LOGIN AO SISTEMA...3 EMITIR NOTA FISCAL ELETRÔNICA...7 CONSULTAR NOTA FISCAL ELETRÔNICA...12 CONSULTAR SOLICITAÇÕES DE CANCELAMENTO

Leia mais

PRONIM ED - EDUCAÇÃO Financeiro

PRONIM ED - EDUCAÇÃO Financeiro PRONIM ED - EDUCAÇÃO Financeiro SUMÁRIO 1. FINANCEIRO... 5 1.1. ED - SECRETARIA... 5 1.2. ED - ESCOLA... 5 1.3. USUÁRIOS POR ENTIDADE NO ED SECRETARIA E ESCOLA... 6 2. FINANCEIRO - SECRETARIA... 7 2.1.

Leia mais

Este manual tem como principal finalidade, ajudar os usuários nos cadastros e movimentações de Terceiros.

Este manual tem como principal finalidade, ajudar os usuários nos cadastros e movimentações de Terceiros. Visual Rodopar Data : 01/10/09 Página 1 de Descrição Este manual tem como principal finalidade, ajudar os usuários nos cadastros e movimentações de Terceiros. Relação dos Tópicos a serem vistos neste manual

Leia mais

Versão 8.2C-03. Versão da Apostila de Novidades: 2

Versão 8.2C-03. Versão da Apostila de Novidades: 2 Versão 8.2C-03 Versão da Apostila de Novidades: 2 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda.

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento do Imposto sobre

Leia mais

O arquivo SPED é complexo, contém diversas amarrações e muita informação. Algumas medidas diminuem o impacto de dificuldade na validação do arquivo:

O arquivo SPED é complexo, contém diversas amarrações e muita informação. Algumas medidas diminuem o impacto de dificuldade na validação do arquivo: O arquivo SPED é complexo, contém diversas amarrações e muita informação. Algumas medidas diminuem o impacto de dificuldade na validação do arquivo: Não gere toda a movimentação de uma vez. O ideal e aconselhável

Leia mais

Treinamento Módulo Contas a Pagar

Treinamento Módulo Contas a Pagar Contas a Pagar Todas as telas de cadastro também são telas de consultas futuras, portanto sempre que alterar alguma informação clique em Gravar ou pressione F2. Teclas de atalho: Tecla F2 Gravar Tecla

Leia mais

Parametrização Básica WMS

Parametrização Básica WMS Parametrização Básica WMS Sumário Definindo Parâmetros Gerais... 4 Parâmetros... 5 Conferência... 6 Integração... 7 Pick / Pack... 8 Tarefa... 10 Etiqueta... 11 Produção... 12 Integração do Produto...

Leia mais

Passo a Passo para Iniciar o Carregamento pelo código de Barras com Rota Mista

Passo a Passo para Iniciar o Carregamento pelo código de Barras com Rota Mista Passo a Passo para Iniciar o Carregamento pelo código de Barras com Rota Mista Neste processo iremos utilizar os sistemas SysDif e Tecnocargas Passo 1: No SYSDIF inicie o carregamento, pela ordem de carregamento

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.04 Estoque...2 Controlando a Garantia - Honda Motocicletas...2 Controlando a Boutique...6 Entrada de Peças no Estoque...7 Entrada de Mercadorias...7 Importação do Faturamento

Leia mais

Manual de orientação Versão II APRESENTAÇÃO

Manual de orientação Versão II APRESENTAÇÃO Documento de Utilização de Benefício Fiscal APRESENTAÇÃO Prezado Contribuinte, Instituído pela Resolução SEFAZ nº 180 de 05 de dezembro de 2008, o DUB-ICMS (Documento de Utilização de Benefício) é uma

Leia mais

Integração SIGATMS x SIGAGFE

Integração SIGATMS x SIGAGFE Integração SIGATMS x SIGAGFE Março/2014 Sumário Título do documento 1 Contexto de Negócio (Introdução)... 3 2 Sistemas Envolvidos... 3 3 Integração... 4 4 Escopo... 5 5 Pré-requisitos Intalação / Implantação

Leia mais

SUMÁRIO MANUAL DE INCLUSÃO DE PESSOA JURÍDICA INSTRUÇÕES GERAIS...2. Bancárias...9 Principais Clientes...9 1. CABEÇALHO...3

SUMÁRIO MANUAL DE INCLUSÃO DE PESSOA JURÍDICA INSTRUÇÕES GERAIS...2. Bancárias...9 Principais Clientes...9 1. CABEÇALHO...3 SUMÁRIO INSTRUÇÕES GERAIS...2 1. CABEÇALHO...3 2. INFORMAÇÕES CADASTRAIS...4 Cliente...4 Contador...5 3. ENDEREÇOS...6 Sede Social...6 Endereço Anterior...6 Endereço Alternativo...6 4. INFORMAÇÕES DOS

Leia mais

NOVIDADES COMPLY VERSÃO 4.00

NOVIDADES COMPLY VERSÃO 4.00 NOVIDADES COMPLY VERSÃO 4.00 Página 1 de 15 Maiores informações a respeito dos assuntos destacados abaixo devem ser obtidas no Manual do Comply v4.00 disponível no Portal de Produtos. Página 2 de 15 CADASTROS

Leia mais

SOBRE A SOFTLOG. APRESENTAÇÃO - SoftLog LOGuinho

SOBRE A SOFTLOG. APRESENTAÇÃO - SoftLog LOGuinho SOBRE A SOFTLOG A SoftLog Tecnologia é uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções tecnológicas para empresas e instituições de diversos modais de transporte. Dentre os diversos tipos de soluções

Leia mais

Concorrência nº 22/2008

Concorrência nº 22/2008 Concorrência nº 22/2008 Brasília, 20 de julho de 2009. A Comissão Permanente de Licitação (CPL) registra a seguir perguntas de empresas interessadas em participar do certame em referência e respostas da

Leia mais

Manual do Hábil Enterprise NFC-e Gratuito

Manual do Hábil Enterprise NFC-e Gratuito Manual do Hábil Enterprise NFC-e Gratuito Emissor de NFC-e Gratuito Hábil Enterprise NFC-e Gratuito 2013-2014 by Ltda. (0xx46) 3225-6234 I Hábil Enterprise NFC-e Gratuito Índice 1 Cap. I Introdução 1 O

Leia mais

Manual Mercador WEB. Sistema Mercador. Cia Quatro de Software Ltda. Versão 1.0

Manual Mercador WEB. Sistema Mercador. Cia Quatro de Software Ltda. Versão 1.0 Manual Mercador WEB Sistema Mercador Cia Quatro de Software Ltda. Versão 1.0 Menu do Vendedor... 4 Cadastros... 4 Consultas... 4 Analises... 4 Entrando no Sistema Mercador WEB... 5 Equipamento necessário...

Leia mais

MANUAL DO USUARIO SISTEMA TOTEM MODULO DE ESTOQUE

MANUAL DO USUARIO SISTEMA TOTEM MODULO DE ESTOQUE C o n t r o l e E m p r e s a r i a l MANUAL DO USUARIO SISTEMA TOTEM MODULO DE ESTOQUE s i s t e m a s SUMÁRIO INTRODUÇÃO CONCEITOS... 3 ENTRADA DIRETA DE PRODUTOS... 3 INCLUSÃO DE FORNECEDORES E CLIENTES...

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.07 Configurando o módulo... 5 Impostos... 5 Situação Tributária... 6 Configurações para I.C.M.S. Retido... 8 Configurações para Redução de Base de Cálculo SP... 10 Natureza de

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Sumário: Tópico: Página: Apresentação: 02 Método de Acesso ao Sistema Sig Iss: 02 Tela de Abertura: 03 Modo de Acesso: 04 Botões e Telas

Leia mais

APRESENTAÇÃO... 3 OBJETIVO... 3 QUEM DEVE USAR... 3 CAPÍTULO 1 - INICIANDO O SISTEMA... 4

APRESENTAÇÃO... 3 OBJETIVO... 3 QUEM DEVE USAR... 3 CAPÍTULO 1 - INICIANDO O SISTEMA... 4 INDICE APRESENTAÇÃO... 3 OBJETIVO... 3 QUEM DEVE USAR... 3 CAPÍTULO 1 - INICIANDO O SISTEMA... 4 1.1 - ENTRADA NO SISTEMA... 4 1.2 - TELA DO ORGANIZADOR DO MULTICONTAS... 4 CAPÍTULO 2 - FUNCIONALIDADES

Leia mais

Visual Estmatic. Manual do Usuário. Copyright Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução

Visual Estmatic. Manual do Usuário. Copyright Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução Manual do Usuário Copyright Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução ÍNDICE 1. COMENTÁRIOS... 1.1. Apresentação do Sistema (uso, benefícios, características)...7 1.2. Requisitos para implantação

Leia mais

Atualização do Sistema T-Car-Win Versão 1.15.5

Atualização do Sistema T-Car-Win Versão 1.15.5 Atualização do Sistema T-Car-Win Versão 1.15.5 O sistema T-Car-Win está sendo atualizado para a versão 1.15.5. Esta versão tem o objetivo de agregar as seguintes funcionalidades ao sistema: Possibilidade

Leia mais

Índice 1.Integração Contábil...2 2.EBS Sistema Contábil...3 2.1. Parametrizando o Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Opções de integração...

Índice 1.Integração Contábil...2 2.EBS Sistema Contábil...3 2.1. Parametrizando o Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Opções de integração... Índice 1.Integração Contábil...2 2.EBS Sistema Contábil...3 2.1. Parametrizando o Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Opções de integração...3 2.1.2.Contabilização de Notas Fiscais...4 2.1.3.Agrupamento...4

Leia mais

MANUAL FUNCIONAL SOBRE NFS-e MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO/RS

MANUAL FUNCIONAL SOBRE NFS-e MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO/RS MANUAL FUNCIONAL SOBRE NFS-e MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO/RS SUMÁRIO SUMÁRIO...2 1. APRESENTAÇÃO...4 1 2. ACESSO AO APLICATIVO...5 3. GERAÇÃO DE NFS-e...6 3.1. Preenchimento dos dados para emissão da NFS-e...6

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE TESOURARIA ONLINE PADRÃO_VGTUCOPE

GUIA RÁPIDO DE TESOURARIA ONLINE PADRÃO_VGTUCOPE GUIA RÁPIDO DE TESOURARIA ONLINE PADRÃO_VGTUCOPE RMS Software S.A. - Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa para

Leia mais

ÍNDICE. 3 FATURAMENTO v5681 - RMS Software S.A. - Uma empresa TOTVS. Todos Direitos Reservados.

ÍNDICE. 3 FATURAMENTO v5681 - RMS Software S.A. - Uma empresa TOTVS. Todos Direitos Reservados. FATURAMENTO RMS Software S.A. - Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa para o mercado de comércio e varejo. Este

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA WATIVO CONTROLE DO CIAP PARA O SPED FISCAL

MANUAL DO SISTEMA WATIVO CONTROLE DO CIAP PARA O SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA WATIVO CONTROLE DO CIAP PARA O SPED FISCAL SulProg Sistemas Página: 1 INTRODUÇÃO Este material traz as informações necessárias de como integrar seu controle de ativo imobilizado com os

Leia mais

MANUAL GESTOR MANUAL AVANÇO MANUAL INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA. [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de e-mail]

MANUAL GESTOR MANUAL AVANÇO MANUAL INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA. [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de e-mail] MANUAL GESTOR [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de e-mail] MANUAL AVANÇO MANUAL INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA Material Desenvolvido para a Célula de Materiais Autor: Equipe

Leia mais