DOCUMENTO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITO AUTORAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DOCUMENTO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITO AUTORAL"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES INSTITUTO A VEZ DO MESTRE USO DE INDICADORES NO GERENCIAMENTO E MELHORIA DOS PROCESSOS DO CALL CENTER Luciano Macedo Bergamo DOCUMENTO PROTEGIDO PELA LEI DE DIREITO AUTORAL 1 Novembro

2 2 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES INSTITUTO A VEZ DO MESTRE USO DE INDICADORES NO GERENCIAMENTO E MELHORIA DOS PROCESSOS DO CALL CENTER Objetivo: Este trabalho atende ao requisito final para formação no curso de Pós-Graduação do Instituto a Vez do Mestre Nome: Luciano Macedo Bergamo Curso: Gestão Estratégica e Qualidade

3 3 AGRADECIMENTOS Primeiramente a Deus, por me conceder força e sabedoria a cada dia neste caminho de aprendizado. Aos meus pais, Jandimar e Sandra Bergamo, por sempre acreditarem e me apoiarem nesta jornada acadêmica. A todos meus familiares que contribuíram direta e indiretamente na realização deste sonho.

4 4 DEDICATÓRIA Em especial, a minha querida esposa Andressa por ser sempre uma companheira e dar imenso apoio em todos os momentos da minha vida.

5 5 RESUMO O sistema de Gestão de Qualidade Total é normalmente utilizado nas empresas como forma de melhorar a qualidade de seus produtos e serviços pela otimização dos seus processos internos. Não é possível gerenciar de forma eficaz o desempenho dos processos sem mensurá-los. Por isso, são utilizados indicadores para quantificar e analisar esse desempenho. No setor de Call Center não é diferente. O desempenho dos serviços de atendimento é realizado focando principalmente na análise de Produtividade, Custos, Recursos Humanos e Satisfação do Cliente. O problema deste setor é conhecer melhor os indicadores de desempenho e qual a melhor forma de utilizá-los. Assim, o gerenciamento das empresas de Call Center ficará mais claro e objetivo, alcançando melhorias contínuas na organização.

6 6 METODOLOGIA O presente estudo, quanto à natureza, caracteriza-se por ser uma pesquisa do tipo pura, por ter por objetivo de atualizar conhecimento. Trata-se de estudo bibliográfico que, para sua consecução teve por método a leitura exploratória e seletiva do material de pesquisa. A seleção de fontes de pesquisa foi baseada em publicações de autores de reconhecida importância no meio acadêmico e mercadológico. Todos foram obtidos através de pesquisa em livros, artigos e sites na internet. O delineamento da pesquisa contemplou as fases de levantamento e seleção da bibliografia; coleta de dado; leitura minuciosa sobre o assunto. Com relação ao Call Center, pretende-se abordar o conceito dos principais indicadores utilizados e como eles participam da gestão das empresas de atendimento. O estudo foi limitado particularmente ao levantamento bibliográfico em publicações referentes ao período dos últimos 15 anos. A pesquisa foi realizada utilizando as seguintes palavras-chave: Indicadores, Call Center e Gestão da Qualidade e Relacionamento Clientes.

7 7 SUMÁRIO Introdução...8 Capítulo I - Call Center: Origens e Evolução Conceito Origens Evolução: Do telemarketing ao Contact Center Era do CRM Suporte de TI Call Center no Brasil...17 Capítulo II Sistema de Gestão de Qualidade em Call Center Sistema de Gestão de Qualidade Total Métricas e Ferramentas da Qualidade Gestão da Qualidade em Call Center...22 Capítulo III Indicadores de Call Center Desempenho do tratamento das chamadas Número de chamadas oferecidas pela rede pública Número de chamadas entrantes no DAC Chamadas Finalizadas Nível de Serviço Produtividade Tempo Total de Atendimento Tempo Médio Total de Pausas Número de chamadas atendidas ou efetivas Aproveitamento dos agentes Tempo médio de Atividades Produtivas Quantidade de PA s Ativas Produtividade Full Filment Vendas por Canal,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Tempo médio de operação,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,32

8 8 3.3 Recursos Humanos,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Taxa de Absenteísmo,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Taxa de Turnover,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Número de atendentes por posição,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Índice de Qualidade de Monitoração Telefônica,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Custos de Telefonia,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Custo por chamada,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Custo e Receita por Posição de Atendimento,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Satisfação do Cliente,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Índice de Satisfação do Cliente,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, First Call Resolution (FCR),,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Quantidade de Reclamações da Ouvidoria e Mídia,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,37 Capítulo IV - Gerenciamento de Call Centers através de Indicadores,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, A importância dos indicadores de Call Center,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Escolha dos indicadores para gerenciamento,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Controles de tráfego de chamadas Planejamento e Acompanhamento da produtividade O fator humano monitorado Custos operacionais de telefonia Buscando a satisfação do cliente...46 Conclusão...50 Bibliografia...52

9 9 INTRODUÇÃO No Brasil, o mercado de atendimento ao consumidor tem crescido intensamente para cumprir a legislação vigente, possibilitando o surgimento de várias oportunidades de negócios e diminuindo as barreiras de comunicação entre a empresa e o consumidor. Para isso, foram criadas estruturas para atender a grande demanda de serviços nesse setor. O atendimento telefônico evoluiu desde o antigo Telemarketing, acompanhando a grandes avanços tecnológicos chegando com o conceito atual de Contact Center. Assim como todas as grandes organizações, as empresas de Contact Center adotam ferramentas e processos para continuamente melhorarem os seus serviços. A Gestão da Qualidade adotada utiliza de indicadores para demonstrar o desempenho dos serviços prestados. Em qualquer ramo de produção, sendo industrial ou de serviços, é imprescindível conhecer e desenvolver indicadores de desempenho. Em um mundo onde há contínua modificação de modelos empresariais e do comportamento humano, a organização deve ser capaz de reconhecer essas mudanças e monitorar o seu desempenho e qualidade para rapidamente se adequar a eles. Vários gestores de empresas de Contact Center desconhecem ou não sabem analisar os muitos indicadores existentes de foram correta. Por isso, é muito importante revisar seus conceitos e a forma adequada de análise para que sirvam como uma forte ferramenta de melhoria contínua, neste mercado que exige constante qualidade de serviço. O objetivo deste trabalho é mostrar e explanar os principais indicadores de desempenho de empresas de Contact Center descritos na literatura. Também se busca mais especificamente conhecer a evolução do Call Center, demonstrando no contexto atual de gerenciamento de indicadores nestas empresas, buscando conhecer quais são os principais indicadores de

10 10 desempenho e entender como os indicadores de desempenho são analisados e utilizados nos processos de gestão e estratégia das empresas. Acredita-se na hipótese de que dentre muitos indicadores utilizados no mercado de Contact Center, o principais são os de Desempenho e Satisfação. Sendo que esses indicadores de desempenho são utilizados não apenas para verificar a produtividade de atendimento, mas também como uma forte ferramenta para melhoria dos processos operacionais. No primeiro capítulo deste trabalho será revisado um breve histórico e evolução dos serviços de atendimento, desde o relacionamento pessoal até as grandes centrais de atendimento telefônico e com as ferramentas para internet. Continuando, o segundo capitulo aborda os princípios e conceitos do Sistema de Gestão da Qualidade e como cada vez mais ele tem sido utilizado nas grandes empresas de Call Center para aprimoramento dos serviços e processos. O terceiro capítulo mostra os principais indicadores de desempenho usados em Call Centers, apresentando cada um dos seus conceitos. Ao final, o capítulo quatro apresenta a importância dos indicadores de Call Center e como eles são utilizados para o gerenciamento do desempenho geral da organização.

11 11 CAPÍTULO 1 CALL CENTER: CONCEITO E EVOLUÇÃO CONCEITO O segmento de relacionamento com o cliente é um ponto crucial para que qualquer organização tenha sucesso. Por isso, é importante conhecer o seu significado e o que ela abrange. O Call Center é uma plataforma que atua no atendimento com o cliente, utilizando como ferramenta principal o contato telefônico integrado à informática. Um conceito de Call Center é bem definido por Roberto Madruga: Uma central de relacionamento interativa (ativa e receptiva) dotada de tecnologia, pessoas, processos, indicadores, facilidades operacionais, telecomunicações e serviços que atendem às demandas da sociedade tais como pedidos de informações, reparos, assistência técnica, compras de produtos ou serviços, indicadores ou mesmo reclamações. Um Call Center moderno traz diferenciais competitivos para empresas e ao mesmo tempo cumpre o papel social de atender, aproximar e auxiliar pessoas, (MADRUGA, 2006, P.31) A definição anterior reflete bem o que é e qual o papel do Call Center. Envolve muito mais que atendentes de telefone, mas processos a serem cumpridos para aperfeiçoar o atendimento, tecnologia essa integrada que permite uma potencialização da performance e indicadores que freqüentemente gerenciam o departamento e diagnosticam e previnem possíveis problemas. Outra definição que esclarece bem o conceito do Call Center moderno é o apresentado por Read (2005): Call Center é um local onde são feitas interações formais e transações de informações, serviços, suporte, vendas,

12 12 assistência ao funcionário e emergências que ocorrem virtualmente, isso é, não é feito face a face. 1.2 ORIGENS O início do relacionamento com o cliente via telefone tem registro de dois séculos anteriores. Em 1887, poucos anos após surgimento do telefone, uma doceira entrava em contato com seus clientes oferecendo produtos e mostrando suas novidades. O mercado evoluiu na sua estrutura de venda. Antigamente existiam aquelas pequenas lojas onde se tinham vários produtos. O comerciante conseguia fidelizar o seu consumidor num contato presencial e amistoso. Como passar do tempo, grandes lojas surgiram oferecendo produtos similares e cada vez mais especializados que buscavam atingir necessidades diretas de cada consumidor. Seguindo esta tendência, vários varejistas cresceram e expandiram seus negócios, formando grandes empresas de determinados segmentos. Com o aumento da organização, aumentaram-se o número de clientes e a necessidade de melhor atender a sua demanda. Embora na década de 1920 muitos dos funcionários ainda não tivessem prática com os aparelhos telefônicos, as empresas os colocaram inadvertidamente para que seus funcionários pudessem atender as crescentes solicitações de todas as partes que estavam envolvidas com a organização. Com a popularização desta ferramenta nos meados do séc. XX aumentou-se o número de consumidores que conseguiam estabelecer contato, não apenas entre amigos e familiares, mas principalmente com as empresas e lojas dos quais compravam e recebiam seus serviços. O mundo passou por várias transformações sociais, econômicas e tecnológicas que mudaram hábitos gerais de vida, havendo a necessidade de aproveitar melhor o tempo e diminuir as distâncias. O telefone proporcionou esta melhoria, não só para os cidadãos, mas também para as empresas.

13 13 Devido a estas constantes mudanças, as empresas tiveram que adaptar suas centrais de atendimento, dimensionando as plataformas de relacionamento com o aumento do número de atendentes. As descobertas aprimoraram os serviços de telefonia, com a possibilidade de direcionar melhor o atendimento focado nas necessidades mais comuns. Madruga (2007) cita que para melhorar ainda mais esses serviços, no ano de 1967, a AT&T surgiram as primeiras centrais de atendimento 0800, um novo serviço em que as tarifas são convertidas e automaticamente faturadas pela companhia. O serviço recebeu um grande impulso na década de 70, quando a tecnologia começou a proliferar. Nos anos 80 devido aos problemas econômicos como a crise do petróleo, muitos serviços comuns de relacionamento com o consumidor ficaram demasiadamente caros, como as visitas de porta em porta. Com isso houve uma grande utilização dos contatos telefônicos de telemarketing e mala direta, barateando estes custos operacionais. Com os crescentes avanços das tecnologias referentes às telecomunicações, principalmente na telefonia, as oportunidades de negócios e aprimoramentos no tratamento com o consumidor têm se tornado melhor elaborado e praticado. Embora este processo tenha levado anos de observação e melhoramentos, ele ainda permanece dinâmico. 1.3 EVOLUÇÃO: DO TELEMARKETING AO CONTACT CENTER Com a tendência da economia em constante crescimento e voltado cada vez mais a especialização, as empresas se organizavam tentando vender mais. Era preciso que se aumentassem as vendas num mundo recessivo, ou pelo menos mantê-las, e ao mesmo tempo reduzir custos com o pessoal. A saída foi implementar um atendimento de telemarketing que iniciaram uma programação de diversos leads para auxiliar a força de vendas nos deslocamentos. Segundo Madruga (2006, p.28) Uma visita realizada por um vendedor com a ajuda de

14 14 um agendamento ou um lead tem de duas a três vezes mais possibilidades de fechamento de negócios do que uma visita realizada a esmo O grande problema era que todo o foca estava voltado para venda, para abarcar a grande demanda vinda dos consumidores. Entretanto, crescia em conjunto a necessidade de informações, reclamações e solicitações dos produtos e serviços negociados. O telemarketing deveria deixar de ter aquela função de auxiliar no número de vendas, mas ajudar na satisfação do consumidor que usa o produto. Por isso nos anos 80, foi criado um modelo revolucionário chamado SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor), de caráter predominantemente receptivo que acompanhava os consumidores no processo de pós-venda. Um canal de expressão do cliente onde as empresas conseguiam melhor visualizar o nível de satisfação e as formas de expressão vindas de seus consumidores. Os processos de atendimento se tornaram cada vez mais complexos, não se restringindo a reclamações simples por parte dos clientes. Era necessário que estas centrais de atendimento incrementassem seus processos para contemplar as diversas dimensões das solicitações. Além disso, muitas sugestões de melhoria vinham da parte dos consumidores, o que era imprescindível atendê-las para a satisfação total do atendimento. O crescente avanço dos microcomputadores e sua conseqüente integração com a telefonia aumentou a capacidade de armazenar e transmitir informações sobre os clientes e suas solicitações. O telemarketing foi se transformando de uma central de atendimento telefônico para uma complexa plataforma multiserviços de alta tecnologia. Surgia aí, o conceito do moderno Call Center.

15 ERA DO CRM Anteriormente, o consumo dos produtos era seguido pelas tendências lançadas pelo mercado, que criava suas estratégias para que sua produção em grande escala tivesse a mesma quantidade de saída. O comportamento do consumidor nos últimos anos tem modificado a maneira de agir do mercado. O consumidor tem crescido nas suas exigências na mesma velocidade da informática e da tecnologia. O cliente não apenas deseja consumir, valorizando apenas imagem e tradição da marca. O mercado tem exigido que outras ações sejam tomadas e demonstradas abertamente como intervenções sociais, cuidado como meio ambiente e com a saúde dos usuários, preocupação com a qualidade de vida dos funcionários e acompanhamento pós-venda. Isto é acessível ao consumidor através dos meios de comunicação como a internet e a mídia. Frente a esses desafios, as empresas têm elaborado estratégias para se relacionar bem com seus clientes. Não basta apenas apresentar boas estratégias marketing para aumentarem as vendas, mas fidelizar os clientes existentes. Por isso, os autores têm chamado a última década de Era do CRM (Customer Relationship Management Gestão de Relacionamento com o Cliente), onde o foco tem sido o gerenciamento relacionamento com o cliente. As empresas estão adotando novas metodologias para adaptarem seus processos à essas novas necessidades. O cliente deseja se sentir único, para isso as empresas tentam segmentar os seus produtos, tornando-os mais individualizados. Isso tem levado todos os departamentos das organizações a constituírem processos mais eficazes para melhorar a qualidade de seus serviços. Outra estratégia muito empregada e que tem sido uma importante ferramenta no relacionamento com o consumidor são as Centrais de Atendimento, ou Call Center. Por esse canal é possível ouvir diretamente as queixas e sugestões dos clientes. Lucas Mancini ressalta a importância do Call Center no processo de relacionamento com o cliente:

16 16 As centrais de atendimento desempenham um papel importante, pois reduzem eventuais atritos e colocam empresa e clientes não em campos antagônicos, como inimigos, mas sim como parceiros em busca de aprimoramento de produtos e serviços. (MANCINI, 2001, P.32) O Call Center tem se estabelecido como peça fundamental na maneira como a organização se relaciona com seus clientes. Porém é muito importante que esta peça se encaixe corretamente na estrutura da organização. Ao se estabelecer um Call Center, é importante reconhecer e planejar qual é o papel real deste departamento e quais as expectativas ele deve atender para todos dentro da organização. Dawson (2004) enfoca a aparência que o Call Center deve ter dentro da companhia e como ela deve atender as suas reais necessidades. Ele criou um modelo de desenvolvimento do Call Center na organização em seis estágios, sendo eles: (1) Início, (2) Triagem, (3) Call Center Organizado, (4) Melhoria Contínua, (5) Ativo estratégico e (6) Serviço de Personalização em Massa. Esses estágios dependem principalmente do valor que a organização dá ao relacionamento com o cliente e da visão que ela tem do Call Center. 1.5 SUPORTE DE TI O Call Center acompanhou o desenvolvimento do atendimento ao consumidor. Esta prática em nossos dias é usual e praticada cada vez mais por toda a população. As centrais de atendimento têm a cada dia novos desafios na estruturação de suas plataformas para sustentar a continua e crescente demanda de chamadas que são recebidas a cada dia. Como foi citado nos tópicos anteriores, o avanço tecnológico na área das telecomunicações possibilitou a investida de novas ferramentas que organizam e agilizam toda a

17 17 operação. São ferramentas de telefonia e informática que permite que centrais possam lidar com o número de ligações. Quando o cliente entra em contato com a central de atendimento da empresa, a sua chamada irá acessar em uma central telefônica que a atenderá automaticamente, ordenando-a em uma fila de espera, conforme parâmetros pré-definidos. Quem realiza esta ação é o Distribuidor Automático de Chamadas (DAC). Nas configurações mais simples, o DAC enfileira as chamadas por ordem de entrada, direcionando-as para os atendentes que tenham permanecido disponíveis por mais tempo. Utilizado também para executar chamadas em Call Centers que realizam contatos ativos. Prontamente, um atendimento eletrônico gravado irá receber a ligação. Esta interface de atendimento é chamada de Unidade de Resposta Audível (URA), que provê serviços automáticos para os clientes que ligam aos clientes. Ela pode ser utilizada com opções de navegação, onde o cliente seleciona a tecla de um número do teclado do próprio telefone, escolhendo qual a opção adequada à sua solicitação. A URA é uma ferramenta importante no front do atendimento. Se bem configurada poderá direcionar eficientemente o cliente e auxiliar na resolução e satisfação no atendimento. Todo este processo é estruturado por um CTI (Integração de Computador Telefonia), que interliga a central de comutação telefônica, onde está contido o DAC ao um servidor de rede que direciona para um atendente o qual pode conduzir os recursos do telefone pelo seu computador. Nas centrais de vendas, onde as ligações são oriundas do Call Center, é um utilizado um discador automático, que se encarrega de discar para um número de uma lista de clientes. Quase sempre conectado ao DAC, ele faz a discagem ou solicita para que o DAC disque e transfira a chamada para um Atendente na seqüência. Um discador automático trabalha basicamente em dois moldes: Preditivo: discagem rápida, sem interação do Operador. Power: discagem com interação do Operador (MANCINI, 2001). Todas as ligações de uma central de atendimento podem ser gravadas pela ação de um gravador digital. É importante que todo Call Center consiga

18 18 gravar as ligações que são realizadas na central e que tenha um fácil acesso a elas. Com todo o procedimento relatado na gravação, poderá ajudar a empresa em muitas situações. Uma delas é são as ações judiciais imposta pelos clientes ou órgãos reguladores. A gravação permite que o inquérito seja feito corretamente e que a verdadeiras causas sejam apuradas. Vale ressaltar que este procedimento de gravação existe como lei em muitos países, inclusive em centrais de serviços no Brasil, para facilitar os processos jurídicos. Mais o mais importante, as gravações permitem que os gerentes e supervisores avaliem o desempenho de cada atendimento, ouvindo o comportamento do agente no atendimento e participando de uma experiência única de marketing, ouvir as verdadeiras queixas, sugestões e elogios diretamente da boca do cliente. 1.6 CALL CENTER NO BRASIL Os serviços de atendimento ao consumidor ocorrem no Brasil em conjunto com as fases de desenvolvimento do mercado nacional. Nos anos 80, devido a crises econômicas internacionais, este tipo de serviço foi cada vez mais utilizado para diminuir custos com relacionamento de clientes. Com a chegada de grandes empresas multinacionais ao Brasil, este modelo de negócio também cresceu servindo de suporte ao constante crescimento econômico. O Brasil é um exemplo internacional de relacionamento com o consumidor. Desde a década de 90, quando foi criado o Código de Defesa do Consumidor e as Delegacias do consumidor o setor de serviços teve que se moldar para atender os consumidores cada vez mais exigentes e cobertos pela legislação. As empresas deveriam por lei ter este canal de comunicação com o consumidor para que os direitos do consumidor fossem respeitados. Os primeiros anos do século XXI foram marcados por grandes mudanças sócio-econômicos, como chegada de grandes conglomerados financeiros, privatizações dos setores energéticos e de telecomunicações. As empresas já

19 19 aqui instaladas despendiam grandes esforços para manterem a fidelidade de seus clientes, criando setores específicos de CRM. O Call Center entra como ferramenta primordial para o funcionamento deste modelo de gestão. Com os avanços na informática cria-se o novo conceito de Contact Center é implantando atendendo as exigências e solicitações de clientes que estão conectados a Internet e outros meios de comunicação on-time. O Brasil hoje tem uma grande representatividade no cenário do Call Center mundial. Segundo pesquisa divulgada pelo site da revista Consumidor Moderno, o Brasil tem no setor de Call Center, um faturamento anual de 5 bilhões de reais, com aproximadamente 200 mil posições de atendimento e chegando a quase 2 milhões de funcionários.

20 20 CAPÍTULO 2 SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE EM CALL CENTER 2.1 SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE TOTAL O sistema de qualidade total é um conceito de gestão que é amplamente utilizado pela administração moderna. Em um mundo corporativo altamente competitivo é muito importante que os produtos e serviços prestados pelas organizações proporcionem a satisfação do cliente. Isso não é feito unicamente por um departamento de empresa, mas todos os setores devem estar envolvidos para que este objetivo seja cumprido. O conceito qualidade é o de um sistema de gestão baseado em processos visando a melhoria contínua do sistema com o objetivo final de proporcionar satisfação total do cliente. Estes processos são realizados e sempre monitorados para traçar o diagnóstico do quadro de desempenho da empresa. Assim é possível sempre ter ciência se a produção da organização está sendo eficaz e efetivo dentro dos parâmetros estabelecidos. De acordo com Marshall apud Garvin (2002), existem várias classificações para os diversos períodos ou eras da qualidade, sendo estruturados em um formato bem aceito pelos especialistas da área. São as fases de inspeção, controle estatístico, garantia da qualidade e gestão estratégica da qualidade. O estilo de produção pré-industrialização era basicamente fabricado por artesãos, apenas a mão-de-obra local acompanhava corriqueiramente o processo de produção. Durante os primórdios da chamada administração científica de Frederick Taylor, a necessidade de inspeção se tornou mais constante para garantir a produto padronizado. O que era um procedimento de simples ação se tornou de necessidade vital para o processo de fabricação.

21 21 Como o processo de inspeção demandava tempo e muitas vezes se tornava oneroso, pois abrangia toda a produção, houve a necessidade da integração de métodos estatísticos para avaliar os produtos. Entra em cena a era do controle estatístico da qualidade, adotando várias ferramentas organizacionais e matemáticas como o Controle de Processos e Amostragem. Desta forma era possível inspecionar o que era feito em apenas uma parte da amostra analisada. O Japão já era grande adepto aos conceitos de qualidade. No final da segunda guerra mundial, o país estava arrasado e precisa organizar novamente e fortemente a indústria nacional. Grandes nomes da qualidade surgiram nesse momento como Edwards Deming, Joseph Juran, Philip Crosby e Armand Feigenbaum. Essas metodologias eram bem empregadas nas áreas de produção e controle. Mas para alcançar as metas, muitos conceitos foram formulados como a contabilização geral dos custos de produção e a recuperação alcançada com o gerenciamento de qualidade, o controle de qualidade total de todos os departamentos da empresa, o foco na confiabilidade do produto pós-venda e o conceito do Zero Defeito que era necessário para chegar a máxima satisfação do cliente. Nas últimas décadas do século XX, com a presença mais impactante da qualidade nos processos organizacionais, grande parte das empresas começou a utilizar estes princípios nas decisões estratégicas das empresas. O conceito de Gestão Estratégica da Qualidade entra no mercado com o objetivo de atender as legislações de defesa a atender os padrões de qualidade internacionais. A qualidade busca gerar no consumidor a confiabilidade de seus bens e serviços. A confiabilidade é a capacidade do produto ou serviço de continuar a atender aos requisitos do cliente com o passar do tempo. A confiabilidade seduz o cliente cumprindo consistentemente as suas exigências, proporcionando uma reputação de excelência. O autor Isnard Marshall apresenta o seguinte contexto atual para a qualidade.

22 22 A principal diferença entre a abordagem do início do século XX e a atual é que a qualidade agora está relacionada às necessidades e aos anseios dos clientes. Seja qual for o porte da empresa, observam-se programas de qualidade e de melhoria de processos na maioria dos setores econômicos. Não importa fazer o melhor produto com os melhores processos, se o que se faz não vai ao encontro do consumidor, razão de ser de todos os processos organizacionais. (MARSHALL, 2006, P. 30) 2.2 MÉTRICAS E FERRAMENTAS DE QUALIDADE As métricas e ferramentas utilizadas nos processos de gestão foram sendo estruturadas, principalmente a partir de 1950, com base em conceitos e práticas existentes. Atualmente podemos encontrar várias formas de mensuração e de ferramentas de gestão padronizadas ou adaptadas às áreas de atuação. Dentre as mais usuais podemos encontrar o Brainstorm, Diagrama de causa e efeito mais conhecido como diagrama de Ishikawa, Diagrama de Dispersão, Gráfico de Pareto, Fluxogramas, Histograma, 5W2H e Matriz GUT. Com uso de todas estas ferramentas, criaram-se muitas formas de gerenciamento e metodologia de análise e resolução de problemas. As mais utilizadas pelas grandes empresas são a 5S, Seis Sigma, PDCA, DMAIC, Reengenharia, Benchmarking e QFD. Esse conjunto de ferramentas e metodologias de melhoria contínua é quantificado. Cada processo, de qualquer departamento deve ter quantificadores para que se possa visualizar o desempenho, diagnosticar problemas, elaborar planos de ação e avaliar resultados. Isso é possível pela formação de indicadores de desempenho, pois possibilitam exibir a performance do processo de forma numérica.

23 GESTÃO DE QUALIDADE EM CALL CENTER Diferente dos sistemas de fabricação de produtos, o Call Center realiza serviços de atendimentos. É mais simples efetuar a mensuração de um produto, já que possui parâmetros palpáveis. Mas isso não quer dizer que não seja possível realizar uma avaliação dos atendimentos, realizando as mesmas metodologias da indústria tradicional. Para uma boa gestão de Call Center, é de suma importante definir os processos. Os atendimentos não deixam de ser rotinas operacionais, havendo a necessidade de organizar o fluxo das ações. Isso proporcionará à empresa maior eficiência na produção, pois pode calibrar com todos os envolvidos as atividades ali registradas. Em seu livro, Madruga (2006, p. 127) expressa qual o objetivo principal de um indicador: Conduzir a empresa rumo a excelência e agilidade na gestão do relacionamento com clientes e parceiros, incluindo a medição de tudo o que for crítico para eles. Mas para que seja possível criar e controlar os processo, é importante ter indicadores confiáveis. Eles é que desempenham o papel de sinalizador das atividades e procedimentos de um Call Center. Além desta vantagem, o indicador facilita a compreensão e interpretação de todos os envolvidos na operação através da análise de seu comportamento. Administrar indicadores de desempenho auxilia na tomada de decisão e ajuda as empresas a se conhecerem melhor. Assim como as opiniões e desejos dos consumidores se modificam constantemente, é importante que o Call Center de uma empresa esteja em constante revisão e atualização para garantir que os procedimentos não fiquem defasados para o relacionamento com o cliente. Uma operação atualizada terá mais chances de cumprir suas e conseguir melhores inovações. Existem diversos indicadores que podem ser utilizados na gestão do Call Center. Cabe aos gerentes optarem para os que mais se adéquem as

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com.

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com. Tactium Tactium CRManager CRManager TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades 1 O TACTIUM CRManager é a base para implementar a estratégia de CRM de sua empresa. Oferece todo o suporte para personalização

Leia mais

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace Tactium Tactium IP IP TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de

Leia mais

Conceitos. Qual é a infra-estrutura de um Call Center? Uma central de atendimento é composta por:

Conceitos. Qual é a infra-estrutura de um Call Center? Uma central de atendimento é composta por: 1 Conceitos Call Center - O que é? Denominamos Call Center ou Central de Atendimento ao conjunto de soluções e facilidades (Equipamentos, Sistemas e Pessoal) que tem como objetivo fazer o interface entre

Leia mais

Manual do Call Center para seguradoras

Manual do Call Center para seguradoras Manual do Call Center para seguradoras Introdução guradoras, além da necessidade de manter um canal de contato com os segurados, a qualidade sa estarão lidando com pessoas muitas vezes psicologicamente

Leia mais

TREINAMENTO CONTACTCENTER

TREINAMENTO CONTACTCENTER TREINAMENTO CONTACTCENTER CENTER CONTACT Os Contact Centers atuais têm um grande impacto nas empresas em diversos aspectos referentes a lucro, custos, inteligência de mercado e fidelização do cliente. Para

Leia mais

Tactium IP. Tactium IP. Produtividade para seu Contact Center.

Tactium IP. Tactium IP. Produtividade para seu Contact Center. TACTIUM IP com Integração à plataforma Asterisk Vocalix Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de uso dos recursos

Leia mais

TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall. Guia de Funcionalidades. Tactium IP IP

TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall. Guia de Funcionalidades. Tactium IP IP IP TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de uso dos recursos

Leia mais

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Professor Wagner Luiz Aula - Como obter sucesso em uma implementação de CRM e o Processo da Comunicação. Março de 2014 São Paulo -SP Call Center & CRM 2007 CRM: do

Leia mais

MONITORIA SISTEMA DE QUALIDADE DO CONTACT CENTER É UMA FORMA DE MEDIR E CONTROLAR A QUALIDADE DO ATENDIMENTO.

MONITORIA SISTEMA DE QUALIDADE DO CONTACT CENTER É UMA FORMA DE MEDIR E CONTROLAR A QUALIDADE DO ATENDIMENTO. MONITORIA SISTEMA DE QUALIDADE DO CONTACT CENTER OBJETIVO É UMA FORMA DE MEDIR E CONTROLAR A QUALIDADE DO ATENDIMENTO. ATUALMENTE VERIFICAMOS AS SEGUINTES ESTRATÉGIAS DE MONITORIAS : EMERGENTES FAZEM PARTE

Leia mais

GLOSSÁRIO - OUTSOURCING

GLOSSÁRIO - OUTSOURCING CONCEITO GLOSSÁRIO - OUTSOURCING DESCRIÇÃO 1ª LINHA Operadores generalistas que fazem o primeiro contacto e a triagem de chamadas em operações de help-desk, para então passar as chamadas aos operadores

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

Consumidor multicanal, Empresa multifocal. Nancy Treaster, SVP & GM Strategic Operations

Consumidor multicanal, Empresa multifocal. Nancy Treaster, SVP & GM Strategic Operations Consumidor multicanal, Empresa multifocal Nancy Treaster, SVP & GM Strategic Operations Tópicos de Discussão Voz do Cliente é a visão coletiva para as necessidades dos clientes, percepções e preferências

Leia mais

Altitude Software Brasil

Altitude Software Brasil Altitude Software Brasil Altitude Software hoje Presença Global com clientes em + de 80 países Escritórios & Clientes Escritórios em 17 países; + 1100 clientes e instalações em 80 países; + 300.000 posições

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

Especial ANATEL Como se adequar à nova legislação para empresas de telefonia

Especial ANATEL Como se adequar à nova legislação para empresas de telefonia Especial ANATEL Como se adequar à nova legislação para empresas de telefonia Introdução A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou em 20 de fevereiro de 2014 novas regras para provedores de

Leia mais

40% dos consumidores da Copa das Confederações da FIFA 2013 consideraram a agilidade no atendimento como fator mais importante no comércio

40% dos consumidores da Copa das Confederações da FIFA 2013 consideraram a agilidade no atendimento como fator mais importante no comércio 440mil pequenos negócios no Brasil, atualmente, não utilizam nenhuma ferramenta de gestão, segundo o Sebrae Varejo 2012 27% 67% de comerciantes que não possuíam computadores dos que possuíam utilizavam

Leia mais

Empresa do Grupo como foco soluções completas em gestão de ambientes de TI, desenvolvimento de software e inteligência de CRM,

Empresa do Grupo como foco soluções completas em gestão de ambientes de TI, desenvolvimento de software e inteligência de CRM, A todo! Portfólio Clientes Empresa do Grupo, tendo como foco soluções completas em gestão de ambientes de TI, desenvolvimento de software e inteligência de CRM, Uma das 10 maiores empresas de TI do Brasil

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE SUMÁRIO O que é gestão de estoque...3 Primeiros passos para uma gestão de estoque eficiente...7 Como montar um estoque...12 Otimize a gestão do seu estoque...16

Leia mais

Gestão de Clientes no Mercado de Consórcios

Gestão de Clientes no Mercado de Consórcios Relatório de pesquisa Gestão de Clientes no Mercado de Consórcios Via Consulting Maio de 2009 1 Caro leitor, Gostaria de convidá-lo a conhecer o resultado de uma pesquisa patrocinada pela Via Consulting

Leia mais

POR QUE UTILIZAR BUSINESS INTELLIGENCE NO CALL CENTER

POR QUE UTILIZAR BUSINESS INTELLIGENCE NO CALL CENTER POR QUE UTILIZAR BUSINESS INTELLIGENCE NO CALL CENTER ÍNDICE Por que utilizar Business Intelligence no call center? Introdução Business Intelligence na área de saúde Por que usar Business Intelligence

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Case Livraria Saraiva: Solução de Atendimento Multicanal e Internalização da Central de Atendimento

Case Livraria Saraiva: Solução de Atendimento Multicanal e Internalização da Central de Atendimento Case Livraria Saraiva: Solução de Atendimento Multicanal e Internalização da Central de Atendimento Livraria Saraiva A Livraria Saraiva é uma empresa brasileira, fundada em 1914 e hoje é a maior livraria

Leia mais

FÁBRICA DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS FÍSICOS

FÁBRICA DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS FÍSICOS FÁBRICA DE SOFTWARE Quem somos A Fábrica de Software da Compugraf existe desde 1993 e atua em todas as etapas de um projeto: especificação, construção, testes, migração de dados, treinamento e implantação.

Leia mais

Profa. Reane Franco Goulart

Profa. Reane Franco Goulart Sistemas CRM Profa. Reane Franco Goulart Tópicos Definição do CRM O CRM surgiu quando? Empresa sem foco no CRM e com foco no CRM ParaqueCRM é utilizado? CRM não é tecnologia, CRM é conceito! CRM - Customer

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

PRIMEIROS PASSOS PARA A OTIMIZAÇÃO DO CALL CENTER EM CLÍNICAS E HOSPITAIS. Descubra como otimizar os Call Centers na área de saúde

PRIMEIROS PASSOS PARA A OTIMIZAÇÃO DO CALL CENTER EM CLÍNICAS E HOSPITAIS. Descubra como otimizar os Call Centers na área de saúde ebook GRÁTIS PRIMEIROS PASSOS PARA A OTIMIZAÇÃO DO CALL CENTER EM CLÍNICAS E HOSPITAIS Descubra como otimizar os Call Centers na área de saúde Primeiros passos para a otimização do call center em clínicas

Leia mais

Padrão ABIA para o. Atendimento ao. Consumidor pelas. Indústrias de Alimentos

Padrão ABIA para o. Atendimento ao. Consumidor pelas. Indústrias de Alimentos Padrão ABIA para o Atendimento ao Consumidor pelas Indústrias de Alimentos Recomendação da Comissão de Atendimento ao Consumidor ABIA (versão revisada em agosto de 2014) 1 1 SUMÁRIO Introdução 03 Definições

Leia mais

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR?

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? Descubra os benefícios que podem ser encontrados ao se adaptar as novas tendências de mercado ebook GRÁTIS Como o investimento em TI pode

Leia mais

Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL

Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL Data da Pesquisa: Junho 2009 Realização: Pesquisa realizada através do Site www.indicadoresdemanutencao.com.br Divulgação e Colaboração: Divulgação e colaboração

Leia mais

Marketing de Relacionamento e CRM Dr. Manoel Veras

Marketing de Relacionamento e CRM Dr. Manoel Veras Marketing de Relacionamento e CRM Dr. Manoel Veras Introdução Os Desafios dos Negócios Nova Era Proliferação de ofertas Mercados saturados Taxas de respostas decrescentes Custos de aquisição de clientes

Leia mais

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa 1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa A motivação, satisfação e insatisfação no trabalho têm sido alvo de estudos e pesquisas de teóricos das mais variadas correntes ao longo do século XX. Saber o que

Leia mais

A IMPORTÂNCIA EM IMPLANTAR UM DEPARTAMENTO DE TELEMARKETING EM UMA EMPRESA DE MÉDIO PORTE 1. Vera Lucia Lima de Oliveira. FAAG Faculdade de Agudos

A IMPORTÂNCIA EM IMPLANTAR UM DEPARTAMENTO DE TELEMARKETING EM UMA EMPRESA DE MÉDIO PORTE 1. Vera Lucia Lima de Oliveira. FAAG Faculdade de Agudos A IMPORTÂNCIA EM IMPLANTAR UM DEPARTAMENTO DE TELEMARKETING EM UMA EMPRESA DE MÉDIO PORTE 1 Vera Lucia Lima de Oliveira FAAG Faculdade de Agudos RESUMO Este artigo teve como objetivo sugerir a implantação

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Tradução livre do PMBOK 2000, V 1.0, disponibilizada através da Internet pelo PMI MG em abril de 2001

Tradução livre do PMBOK 2000, V 1.0, disponibilizada através da Internet pelo PMI MG em abril de 2001 Capítulo 8 Gerenciamento da Qualidade do Projeto O Gerenciamento da Qualidade do Projeto inclui os processos necessários para garantir que o projeto irá satisfazer as necessidades para as quais ele foi

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

CONTACT CENTER. Serviços Especializados e Profissionalização do Mercado no Brasil

CONTACT CENTER. Serviços Especializados e Profissionalização do Mercado no Brasil CONTACT CENTER Serviços Especializados e Profissionalização do Mercado no Brasil Cenário Nos últimos dez anos, o desenvolvimento das tecnologias de informação permitiu um forte crescimento do setor de

Leia mais

http://www.wikiconsultoria.com.br/100-motivos-implantar-crm/

http://www.wikiconsultoria.com.br/100-motivos-implantar-crm/ Continuando a série 100 motivo para implantar um CRM, veremos agora motivos referentes a BackOffice de CRM. Se você não tem a primeira parte da nossa apresentação, com os primeiros 15 motivos para implantar

Leia mais

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação ITIL na Prática Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

Módulo 4 CRM. [ Customer Relationship Management ]

Módulo 4 CRM. [ Customer Relationship Management ] Módulo 4 CRM [ Customer Relationship Management ] Sumário Introdução pág. 01 1. Definição 2. Por que usar o CRM?? 3. Cadastro pág. 02 pág. 02 pág. 02 4. Tipos de CRM CRM pág. 04 4.1 Operacional: Criação

Leia mais

Extração de indicadores Garantias Ocorrências. Agenda de vendas Gestão de qualidade Históricos Agenda de tarefas

Extração de indicadores Garantias Ocorrências. Agenda de vendas Gestão de qualidade Históricos Agenda de tarefas Fenícia CRM & SRM Introdução O Fenícia CRM (Customer Relationship Management - Sistema de Gerenciamento do Relacionamento com os Clientes) é uma ferramenta de gestão com foco no cliente, essencial para

Leia mais

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções.

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções. Uma publicação: Estratégias para aumentar a rentabilidade 04 Indicadores importantes 06 Controle a produção 08 Reduza filas 09 Trabalhe com promoções 10 Conclusões 11 Introdução Dinheiro em caixa. Em qualquer

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

MODERNIDADE E TECNOLOGIA DE PONTA PARA A REALIDADE BRASILEIRA

MODERNIDADE E TECNOLOGIA DE PONTA PARA A REALIDADE BRASILEIRA MODERNIDADE E TECNOLOGIA DE PONTA PARA A REALIDADE BRASILEIRA Pioneirismo tecnológico e FLEXIBILIDADE na migração O é uma plataforma de comunicação convergente, aderente às principais necessidades das

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

Como integrar R&S com treinamento em call center

Como integrar R&S com treinamento em call center 1 Como integrar R&S com treinamento em call center Já abordamos em outros artigos temas complexos em call center como a formação de cultura organizacional, o perfil do profissional de call center, sistemas

Leia mais

Relacionamento Clientes

Relacionamento Clientes FENÍCIA CRM & SRM O Fenícia CRM (Customer Relationship Management - Sistema de Gerenciamento do Relacionamento com os Clientes) é uma ferramenta de gestão com foco no cliente, essencial para angariar e

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO.

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. OneIT A gente trabalha para o seu crescimento. Rua Bento Barbosa, n 155, Chácara Santo

Leia mais

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente.

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. As interações com os clientes vão além de vários produtos, tecnologias

Leia mais

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Conceitos Por que eu preciso deste curso? Não sou de TI Sou de TI conteúdo utilizado exclusivamente para fins didáticos 2 Não sou

Leia mais

O REFLEXO DA QUALIDADE PARA A PRODUTIVIDADE

O REFLEXO DA QUALIDADE PARA A PRODUTIVIDADE O REFLEXO DA QUALIDADE PARA A PRODUTIVIDADE Fernanda Aparecida de SOUZA 1 RGM: 079195 Juliana Regina de ALMEIDA 1 RGM: 079247 Mary Ellen dos Santos MOREIRA 1 RGM: 079248 Renato Francisco Saldanha SILVA

Leia mais

We make things move. Acesse: fastalways.com.br. We make things move Officid ullupta ctota poreper oremqui conse Minum Peris ius enitio voluptatur

We make things move. Acesse: fastalways.com.br. We make things move Officid ullupta ctota poreper oremqui conse Minum Peris ius enitio voluptatur We make things move We make things move Officid ullupta ctota poreper oremqui conse Minum Peris ius enitio voluptatur Acesse: fastalways.com.br www.yoursite.com 2 21. 2716.6601 www.fastalways.com.br Quem

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

Muito mais do que um simples PABX. Uma solução de economia para sua empresa.

Muito mais do que um simples PABX. Uma solução de economia para sua empresa. PABX Digital PABX Muito mais do que um simples PABX. Uma solução de economia para sua empresa. O ACTIVE IP é PABX inovador que possibilita a utilização da telefonia IP e convencional garantindo eficiência

Leia mais

REDES CORPORATIVAS. Soluções Avançadas para Comunicação Empresarial

REDES CORPORATIVAS. Soluções Avançadas para Comunicação Empresarial REDES CORPORATIVAS Presente no mercado há 31 anos, a Compugraf atua em vários segmentos da comunicação corporativa, oferecendo serviços e soluções de alta tecnologia, com reconhecida competência em diversos

Leia mais

Apps de Produtividade

Apps de Produtividade Apps de Produtividade Os App s de Produtividade oferecem controle, organização e recursos para profissionalização das áreas internas e externas da empresa, proporcionando: Produtividade Controle Integração

Leia mais

22 DICAS para REDUZIR O TMA DO CALL CENTER. em Clínicas de Imagem

22 DICAS para REDUZIR O TMA DO CALL CENTER. em Clínicas de Imagem para REDUZIR O TMA DO CALL CENTER em Clínicas de Imagem Objetivo Um atendimento eficiente e personalizado é um dos principais fatores que o cliente leva em consideração ao iniciar um processo de fidelização

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

Desenvolvimento da Iluminação Pública no Brasil. Sistemas de gestão da iluminação pública

Desenvolvimento da Iluminação Pública no Brasil. Sistemas de gestão da iluminação pública 14 Capítulo IX Sistemas de gestão da iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* Conforme apresentado no capítulo anterior, uma das oportunidades de melhoria na iluminação pública justamente refere-se

Leia mais

Senhores Acionistas, Os principais serviços da TNL Contax são:

Senhores Acionistas, Os principais serviços da TNL Contax são: Senhores Acionistas, A Administração da Contax Participações S.A. ( Contax Participações ) submete, em conjunto com as demonstrações financeiras e o parecer dos auditores independentes, o Relatório da

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Dimensionamento de Projeto para Call Center

Dimensionamento de Projeto para Call Center Dimensionamento de Projeto para Call Center Este questionário tem o propósito de coletar todas as principais características da atual operação e registrá-las para consultas pela equipe de projeto. A intenção,

Leia mais

NOVAQUEST. A vida é cheia de cobranças, deixe as suas conosco.

NOVAQUEST. A vida é cheia de cobranças, deixe as suas conosco. A vida é cheia de cobranças, deixe as suas conosco. NOVAQUEST Apresentação da Empresa A NovaQuest é uma empresa especializada em serviços de recuperação de crédito e atendimento ao cliente. Temos o intuito

Leia mais

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento.

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento. BUSINESS INTELLIGENCE Agenda BI Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento Segurança da Objetivo Áreas Conceito O conceito de Business Intelligencenão é recente: Fenícios, persas, egípcios

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

Atividade Capitulo 6 - GABARITO

Atividade Capitulo 6 - GABARITO Atividade Capitulo 6 - GABARITO 1. A Internet é uma força motriz subjacente aos progressos em telecomunicações, redes e outras tecnologias da informação. Você concorda ou discorda? Por quê? Por todos os

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 1: Fundamentos dos SI Resposta do Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Leia o texto e responda o seguinte: a) identifique os recursos de: Hardware: microcomputadores,

Leia mais

Apresentação do produto Versão Premium 9.0 (GMPE)

Apresentação do produto Versão Premium 9.0 (GMPE) Apresentação do produto Versão Premium 9.0 (GMPE) Qual a importância que o relacionamento com os clientes tem para a sua empresa? Goldmine CRM é para as empresas que atribuem importância máxima à manutenção

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

Lista de Exercícios - COBIT 5

Lista de Exercícios - COBIT 5 Lista de Exercícios - COBIT 5 1. O COBIT 5 possui: a) 3 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios b) 3 volumes, 5 habilitadores, 7 princípios c) 5 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios d) 5 volumes, 5 habilitadores,

Leia mais

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE 1. INTRODUÇÃO A contabilidade foi aos poucos se transformando em um importante instrumento para se manter um controle sobre o patrimônio da empresa e prestar contas e informações sobre gastos e lucros

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Gestão do Atendimento e Relacionamento com o Cliente. UCB 2011 Unidade 04 Aula 01

Gestão do Atendimento e Relacionamento com o Cliente. UCB 2011 Unidade 04 Aula 01 UCB 2011 Unidade 04 Aula 01 O papel do Ombudsman/Ouvidor O que significa a palavra ombudsman? Ombudsman é uma palavra de origem sueca que surgiu em 1809, quando o Parlamento da Suécia decidiu ter um representante

Leia mais

Gestão da qualidade. Conceito e histórico da qualidade. Prof. Dr. Gabriel Leonardo Tacchi Nascimento

Gestão da qualidade. Conceito e histórico da qualidade. Prof. Dr. Gabriel Leonardo Tacchi Nascimento Gestão da qualidade Conceito e histórico da qualidade Prof. Dr. Gabriel Leonardo Tacchi Nascimento Como é vista a qualidade Redução de custos Aumento de produtividade Conceito básico de qualidade Satisfação

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 44/2011 - BNDES ANEXO V MODELO DA CENTRAL DE ATENDIMENTO DO BNDES

PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 44/2011 - BNDES ANEXO V MODELO DA CENTRAL DE ATENDIMENTO DO BNDES PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 44/2011 - BNDES ANEXO V MODELO DA CENTRAL DE ATENDIMENTO DO BNDES 1 OBJETIVO DA CENTRAL DE ATENDIMENTO 1.1 A Central de Atendimento do BNDES deverá atender aos seguintes objetivos:

Leia mais

CLIENTE MAL ATENDIDO, DE QUEM É A CULPA?

CLIENTE MAL ATENDIDO, DE QUEM É A CULPA? CLIENTE MAL ATENDIDO, DE QUEM É A CULPA? Por: Roberto Pessoa Madruga Todos nós sabemos o quanto as empresas estão preocupadas em atender seus clientes de maneira mais profissional e prioritária. Na estrada

Leia mais

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper ÍNDICE ÍNDICE...2 RESUMO EXECUTIVO...3 O PROBLEMA...4 ILHAS DE INFORMAÇÃO...4 ESTRUTURA FRAGMENTADA VS. ESTRUTURA

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio?

Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? Como obter resultados em TI com gestão e governança efetivas direcionadas a estratégia do negócio? A Tecnologia da Informação vem evoluindo constantemente, e as empresas seja qual for seu porte estão cada

Leia mais

Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações

Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações Leonardo C. de Oliveira1, Diogo D. S. de Oliveira1, Noemio C. Neto 1, Norberto B. de Araripe1, Thiago N. Simões1, Antônio L. M. S. Cardoso 1,2 1.Introdução

Leia mais

Guia Canais de Distribuição PLANETFONE 2016

Guia Canais de Distribuição PLANETFONE 2016 Guia Canais de Distribuição PLANETFONE 2016 Av. Nossa Senhora do Carmo, 1.191, 3º andar, Sion, Belo Horizonte/MG - www.planetfone.com.br 1 SUMÁRIO 1. A PLANETFONE... 03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS... 04

Leia mais

Gravador Digital SUPER MONITOR Descrição Geral

Gravador Digital SUPER MONITOR Descrição Geral Gravador Digital SUPER MONITOR Descrição Geral Documento confidencial Reprodução proibida 1 Introdução Em um mundo onde as informações fluem cada vez mais rápido e a comunicação se torna cada vez mais

Leia mais

Manual Wincall Atualizado em 19/09/2007 Pág. 1

Manual Wincall Atualizado em 19/09/2007 Pág. 1 MANUAL CALL CENTER Pág. 1 INTRODUÇÃO AO MODULO CALL CENTER Esse módulo do Sistema gerencia todo relacionamento da empresa com seus clientes, registrando todos os contatos realizados, controlando todo o

Leia mais

3 Apresentação do caso

3 Apresentação do caso 3 Apresentação do caso Neste capítulo será contextualizado o mercado de telefonia móvel no Brasil, com a descrição dos principais concorrentes e a participação de mercado de cada um deles, a apresentação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO

A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO Autora: LUCIANA DE BARROS ARAÚJO 1 Professor Orientador: LUIZ CLAUDIO DE F. PIMENTA 2 RESUMO O mercado atual está cada vez mais exigente com

Leia mais

Proposta para Prestação de Serviços

Proposta para Prestação de Serviços Proposta para Prestação de Serviços Implantação de uma Central Telefônica PABX ou IPBX Implantação de Link Digital E1 com 30 canais + 40 números DDR Implantação de Link de Internet Implantação de um software

Leia mais

Product Lifecycle Management [PLM] Comprometa-se com a inovação.

Product Lifecycle Management [PLM] Comprometa-se com a inovação. Product Lifecycle Management [PLM] Comprometa-se com a inovação. SoftExpert PLM Suite é uma solução que oferece os requisitos e as habilidades necessárias que as empresas precisam para gerenciar com êxito

Leia mais

10 TÉCNICAS PARA GESTÃO COMERCIAL

10 TÉCNICAS PARA GESTÃO COMERCIAL 10 TÉCNICAS PARA GESTÃO COMERCIAL Os meses de dezembro e janeiro na maioria das empresas são marcados invariavelmente por atividades de planejamentos, orçamentos e metas para o ano novo. Para o próximo

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Estudantes na Escola de Administração da FGV utilizam seu laboratório de informática, onde os microcomputadores estão em rede

Leia mais

OKTOR APRESENTAÇÃO DOS PRODUTOS OKTOR

OKTOR APRESENTAÇÃO DOS PRODUTOS OKTOR OKTOR APRESENTAÇÃO DOS PRODUTOS OKTOR fevereiro/2011 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 QUEM SOMOS?... 4 3 PRODUTOS... 5 3.1 SMS... 6 3.2 VOZ... 8 3.3 INFRAESTRUTURA... 12 3.4 CONSULTORIA... 14 4 SUPORTE... 14

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha Macroprocesso Referência: sistema de gestão da qualidade pela NBR ISO 9011:2008. Macroprocesso Para a realização do produto, necessitase da integração

Leia mais

Transformando seu investimento ERP em resultados para seu negócio

Transformando seu investimento ERP em resultados para seu negócio 1 SUMÁRIO 1 2 3 4 2 Introdução A história do ERP O que um ERP fará pelo seu negócio? 1.1 - Otimização dos processos 1.2 - Gerenciamento completo 1.3 - Informações relevantes 1.4 - Controle Tributário ERP

Leia mais

O Contato com seus clientes é personalizado? Ferramenta de envio de mensagens pré-gravadas!

O Contato com seus clientes é personalizado? Ferramenta de envio de mensagens pré-gravadas! O Contato com seus clientes é personalizado? Ferramenta de envio de mensagens pré-gravadas! A Talktelecom Líder na América Latina em telefonia computadorizada Compete no mercado desde 1992 com soluções

Leia mais

Marketing Visão 360º. O nosso objetivo é ter uma visão ampla dos temas de Marketing, abordando os seguintes tópicos.

Marketing Visão 360º. O nosso objetivo é ter uma visão ampla dos temas de Marketing, abordando os seguintes tópicos. Marketing Visão 360º O Mundo do Marketing em parceria com a TNS Research International está realizando pesquisas mensais com profissionais da área de marketing para investigar temas relacionados ao dia-a-dia

Leia mais

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS.

USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. USE O PODER DA NUVEM. VEJA COMO A NUVEM PODE TRANSFORMAR SEUS NEGÓCIOS. A computação em nuvem é uma mudança de paradigma no gerenciamento de TI e de datacenters, além de representar a capacidade da TI

Leia mais

Alinhamento entre Estratégia e Processos

Alinhamento entre Estratégia e Processos Fabíola Azevedo Grijó Superintendente Estratégia e Governança São Paulo, 05/06/13 Alinhamento entre Estratégia e Processos Agenda Seguros Unimed Modelo de Gestão Integrada Kaplan & Norton Sistema de Gestão

Leia mais

Informações sobre oportunidades de trabalho na INTELECTO CONTACT CENTER

Informações sobre oportunidades de trabalho na INTELECTO CONTACT CENTER Informações sobre oportunidades de trabalho na INTELECTO CONTACT CENTER ASSISTENTE DE DEPARTAMENTO PESSOAL Salário a combinar São Bernardo do Campo/SP Atribuições: Atendimento aos clientes, organização

Leia mais

A Terceirização da Manutenção como Estratégia Competitiva nas Organizações

A Terceirização da Manutenção como Estratégia Competitiva nas Organizações A Terceirização da Manutenção como Estratégia Competitiva nas Organizações Alessandro Trombeta Supervisor de Manutenção Valdemar Roberto Cremoneis Gerente Industrial Cocamar Cooperativa Agroindustrial

Leia mais