PLANEJAMENTO EM EDUCAÇÃO MUSICAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANEJAMENTO EM EDUCAÇÃO MUSICAL"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE ARTES DEPARTAMENTO DE MÚSICA Metodologia da Educação Musical Profª Viviane Beineke PLANEJAMENTO EM EDUCAÇÃO MUSICAL - exemplo de planejamento para a 2ª série do 1º grau 1 - Elaborado por Viviane Beineke Em relação aos OBJETIVOS: O planejamento foi elaborado a partir do modelo (T)EC(L)A de SWANWICK (1979), no qual o autor coloca que há cinco parâmetros de experiências musicais: técnica, execução, composição, literatura e apreciação. Dessas cinco, apenas três referem-se a experiências musicais diretas - composição, execução e apreciação - e as outras duas - técnica e literatura - apoiam as três primeiras, servindo de suporte a elas. Dessa forma, o (T)EC(L)A oferece um modelo para a educação musical, propondo uma estrutura para a geração de experiências musicais potenciais (SWANWICK, 1979, p.46). A partir deste modelo teórico, foram elaborados os objetivos específicos para cada atividade musical (composição, apreciação e execução), sendo que os objetivos relativos a cada parâmetro da experiência musical exigem habilidades e conceitos de níveis equivalentes e relacionados entre si.

2 Planejamento em Educação Musical 2 Os objetivos de cada parâmetro da experiência musical estão relacionados com as dimensões de crítica musical (material, expressão e forma) propostas pelo mesmo autor (SWANWICK, 1988), que defende que os elementos materiais, expressivos e formais da música formam o conjunto de conhecimentos musicais específicos, sendo que qualquer música contém essas três dimensões. Em relação aos CONTEÚDOS: Da mesma forma que os objetivos, os conteúdos estão relacionados com as dimensões de crítica musical (material, expressão e forma), formando o conjunto de conteúdos da música, isto é, que referem-se especificamente aos elementos musicais. A técnica e a literatura também são desenvolvidas, mas não como um fim em si mesmo, e sim, para promover e auxiliar no desenvolvimento das outras dimensões, formando o conjunto de conteúdos sobre música. Os mesmos conteúdos são desenvolvidos de forma integrada nas três atividades (composição, apreciação e execução musical). Os conteúdos sempre são desenvolvidos a partir das músicas trabalhadas (dos próprios alunos ou do repertório proposto). Referências Bibliográficas BEINEKE, Viviane. Proposta curricular para a 2ª série do 1º Grau. Trabalho realizado sob a orientação da profª Liane Hentschke. Porto Alegre, SWANWICK, Keith. A Basis for Music Education. London : Routledge, SWANWICK, Keith. Music, Mind and Education. London : Routledge, Planejamento anual realizado por Viviane Beineke, professora de Educação Musical da Escola Santa Rosa de Lima, em Porto Alegre.

3 Planejamento em Educação Musical 3 PLANEJAMENTO ANUAL 1. OBJETIVOS 2 Os estudantes, no final da 2ª série, deverão ser capazes de: COMPOSIÇÃO APRECIAÇÃO EXECUÇÃO - investigar, selecionar e combinar sons para suas composições individuais e em grupo; - explorar diferentes parâmetros do som nas suas composições. - utilizar a dinâmica, textura e andamento de forma expressiva nas músicas criadas; - compor músicas partindo de um caráter expressivo específico (sensação de leveza ou peso, tristeza ou alegria, saudade, amor, terror, etc); - utilizar temáticas extramusicais para compor músicas (sonoplastia). - organizar suas músicas de forma que sua estrutura tenha começo, meio e fim, através da utilização de repetições e contrastes; - compor pequenas peças em grupo com partes individuais para cada executante. MATERIAIS - distinguir as fontes sonoras utilizadas em composições próprias e de outros; - distinguir os parâmetros de altura, duração, intensidade e timbre do som; - falar sobre músicas ouvidas, tocadas ou cantadas utilizando vocabulário simples, mas adequado. EXPRESSÃO - verbalizar o caráter expressivo de músicas trabalhadas em aula (próprias ou não); - analisar, em obras próprias ou não, como o uso de certos materiais musicais altera o caráter expressivo. FORMA - analisar as próprias composições, canções e obras trabalhadas em aula em função das partes que são repetidas e as que são modificadas; - distinguir o que cada instrumento ou voz realiza na música, discriminando partes solo, com acompanhamento, diálogos entre os instrumentos e contrastes na execução. - tocar e cantar músicas utilizando sonoridades diversas (convencionais e não convencionais); - executar composições próprias ou não a partir da leitura de diferentes tipos de notação musical (convencionais e não convencionais); - tocar composições (próprias ou não) para os colegas e outras turmas da escola, comunicando suas idéias musicais. - cantar e tocar músicas com diferentes características e intenções expressivas; - realizar variações na interpretação (vocal, corporal e/ou instrumental) de diferentes músicas, de acordo com o caráter expressivo desejado. - executar peças para instrumentos de percussão e cantar canções com estruturas variadas; - tocar em grupo músicas com partes independentes dos outros executantes. 2 Os objetivos relativos à técnica e à literatura encontram-se implícitos nas atividades de composição, execução e apreciação, sendo necessários para sua realização.

4 Planejamento em Educação Musical 4 2. CONTEÚDOS 3 Conteúdos da Música MATERIAIS Dinâmica * crescendo-decrescendo Timbre * combinação de sons Ritmo * pulso e motivos da peça * ostinato Melodia * ascendente-descendente * movimento melódico Textura * acompanhamento e voz principal * solo e tutti Andamento * acelerando e retardando CARÁTER EXPRESSIVO? utilização de terminologia específica para descrever o caráter de passagens musicais (alegre. triste, dramático, leve, denso, de suspense, etc);? variações de caráter através da manipulação do andamento, da dinâmica, da textura e da instrumentação;? exploração do silêncio para gerar expectativa na música Conteúdos sobre Música FORMA? introdução? começo, meio e fim? repetição e contraste? variação? forma A B A TÉCNICA? Notação rítmica e melódica (gráfica) roteiro rítmica tradicional? formas de manuseio dos instrumentos de percussão de altura determinada e indeterminada? controle médio da afinação vocal LITERATURA? contextualização das obras musicais trabalhadas em aula (compositor, época, estilo, gênero)? origem, história e usos dos instrumentos musicais trabalhados? classificação dos instrumentos em naipes (sopro, cordas e percussão)? categorização de diferentes formações instrumentais e/ou vocais 3 Observação: os conteúdos são cumulativos, de forma que o que já foi trabalhado na 1ª série repete-se na 2ª, acrescentando-se novos elementos. Os conteúdos da 1ª série não encontram-se repetidos no planejamento da 2ª série, estando implícitos a ele.

5 PLANEJAMENTO DE ENSINO para a 2ª Série do 1º Grau PLANO DE ENSINO Nº 1 1. FOCO: MÚSICA POPULAR 2. CONTEÚDOS: ALTURA agudo/grave DURAÇÃO pulso; ritmo; silêncio TIMBRE fontes sonoras TEXTURA um som/muitos sons; solo/acompanhamento DINÂMICA forte/fraco CARÁTER EXPRESSIVO alegre/triste FORMA fraseado; repetição/contraste 3. OBJETIVOS: 3.1. EXECUÇÃO? cantar as canções populares trabalhadas com razoável precisão rítmica, afinação, fraseado e pausas;

6 Planejamento em Educação Musical 6? tocar acompanhamentos com diferentes estruturas rítmicas em instrumentos de percussão de som indeterminado, para canções e composições próprias;? tocar ritmos e ostinati simples nos instrumentos de percussão de som indeterminado, observando a textura COMPOSIÇÃO? explorar texturas de um ou muitos sons na composição de pequenas peças para instrumentos de percussão de som determinado e indeterminado;? compor ostinati rítmicos para acompanhar canções populares trabalhadas e composições próprias;? registrar, através de notação gráfica, as alturas e durações das composições próprias APRECIAÇÃO? ouvir música atentamente, verbalizando e identificando os conteúdos musicais trabalhados. 4. ATIVIDADES 4.1.Cantar a canção Índio Lindo, explorando o fraseado, as pausas, a respiração e a dicção, com acompanhanto em ostinato executado no violão pela professora. Propor que as crianças executem o ostinato com instrumentos de percussão de som indeterminado das seguintes maneiras: * todos instrumentos executando o mesmo ritmo; * dividindo o ritmo entre os instrumentos: CLAVE:??? AGOGÔ:???? * cada instrumento com uma estrutura rítmica: CLAVE?? AGOGÔ?????? PANDEIRO???????? TRIÂNGULO?? Cantar a canção com os vários acompanhamentos e questionar: o que muda no caráter expressivo? Quantas frases a canção tem? Quais são iguais e quais mudam? 4.2. Compor uma peça com ostinato rítmico e uma improvisação melódica, registrando, de forma aproximada, através de notação gráfica, as alturas e durações.

7 Planejamento em Educação Musical 7 Apresentar as músicas para os colegas e gravar em fita K7. Ouvir as gravações e comentar sobre os elementos, textura e caráter expressivo dados à composição Apreciar a obra Ostinato Pianissimo de Henry Cowell (para percussão). Discutir sobre o que acontece na música: porque será que ela é toda tocada em pianíssimo? Qual será a intenção expressiva? Quais são os materiais utilizados? 4.4. Cantar a canção O Relógio, do disco Arca de Noé, observando o fraseado, o movimento melódico, a respiração e a dicção. Trabalhar com a idéia do tic-tac do relógio (pulso e subdivisão). Explorar e comparar os diversos sons que o relógio pode produzir (despertador, alarme, carrilhões, etc) Ouvir a gravação da canção O Relógio, do disco Arca de Noé, analisando os materiais utilizados, as fontes sonoras, o ostinato, a relação do arranjo com o tema da canção, batidas fortes e fracas Compor um arranjo com a turma utilizando de forma expressiva os elementos trabalhados anteriormente. Os alunos devem trazer despertadores para integrar o arranjo, sendo analisados os sons produzidos por eles. Cantar a canção novamente, observando a sua estrutura. 5. REPERTÓRIO: Índio Lindo - Thelma Chan O Relógio - Vinícius de Moraes/Paulo Soledade Ostinato Pianissimo - Henry Cowell PLANO DE ENSINO Nº 2 1. FOCO: MÚSICA ERUDITA 2. CONTEÚDOS: ALTURA movimento melódico; imitação

8 Planejamento em Educação Musical 8 DURAÇÃO acentos TIMBRE orquestra; violino; flauta doce TEXTURA densa/ suave DINÂMICA crescendo/decrescendo CARÁTER EXPRESSIVO tensão/suspense FORMA forma ternária; cânone 3. OBJETIVOS: 3.1. EXECUÇÃO? cantar o cânone a duas vozes trabalhado em aula, mantendo sua parte independente do seu grupo;? tocar e cantar as músicas trabalhadas demonstrando seu caráter expressivo COMPOSIÇÃO? compor músicas para instrumentos de percussão de som determinado e indeterminado, utilizando mudança no caráter expressivo, em forma ternária;? compor músicas para os instrumentos de percussão disponíveis utilizando variações de dinâmica, andamento e densidade combinadas pelo grupo;? registrar, através de notação gráfica, os timbres, a dinâmica e o andamento de composições próprias APRECIAÇÃO? comentar sobre as diferenças de materiais e caráter expressivo de duas obras sobre o mesmo tema trabalhadas em aula;? identificar e verbalizar os conteúdos musicais trabalhados;? relacionar o uso de elementos musicais com as mudanças no caráter expressivo.

9 Planejamento em Educação Musical 9 4. ATIVIDADES 4.1.Cantar o cânone Ciranda das Flores de Edino Krieger, observando a qualidade da interpretação (conteúdos trabalhados anteriormente). Comentar sobre a forma do cânone e o princípio de imitação Ouvir a obra minimalista Drumming de Steve Reich (trechos), analisando os materiais utilizados, o caráter expressivo e a sua estrutura, comparando-a com o cânone executado anteriormente Trabalhar com imitações rítmicas (ecos) e sobreposições instrumentais, com independência entre as partes executadas por cada integrante nos instrumentos de percussão. Executar somente o ritmo do cânone, uma voz sobre a outra Ouvir a obra O Trem Caipira de Edgberto Gismonti, falando sobre o que a música se refere, o que ela imita, quais as mudanças (bruscas) no caráter expressivo. A música conta uma história. Qual? 4.5. Compor uma peça musical com mudanças no caráter expressivo, em forma ternária: alegre (rápido) - triste (lento) - alegre (rápido). Incentivar o uso de dinâmica, principalmente nas passagens de uma parte para outra. A dinâmica também poderá ser explorada através do recurso de aumentar o número de instrumentos que tocam simultaneamente. Registrar os timbres utilizados, a dinâmica e o andamento Apreciar O Trem Caipira, de H. Villa-Lobos, questionando o que muda em relação à obra de Gismonti (materiais, expressão e forma). Relacionar as obras de Gismonti e Villa-Lobos com as composições dos alunos Apreciar Rubato, da obra Fresken 70, de Berthold Hummel (para percussão), analisando o caráter expressivo, a maneira como os sons foram organizados para expressar diferentes climas e suspenses - uso expressivo da dinâmica, textura e andamento Compor uma música utilizando os elementos musicais citados acima com a intenção de criar expectativas para o ouvinte - suspense. Apresentar a peça para os colegas, gravar e ouvir. Registrar a música a partir da gravação, cuidando o tempo utilizado em cada passagem: dinâmica, textura, andamento, instrumentos (um aspecto após o outro), utilizando uma medida de tempo combinada pelo grupo (relógio, metrônomo ou contagem). Executar as músicas novamente, respeitando a partitura escrita pelo grupo.

10 Planejamento em Educação Musical REPERTÓRIO: Ciranda das Flores - Edino Krieger O Trem Caipira - Edgberto Gismonti O Trem Caipira - Heitor Villa-Lobos Drumming - Steve Reich Rubato - Berthold Hummel PLANO DE ENSINO Nº 3 1. FOCO: MÚSICA FOLCLÓRICA 2. CONTEÚDOS: MELODIA tema DURAÇÃO ostinato rítmico TIMBRE marimba TEXTURA duas vozes ANDAMENTO acelerando/retardando CARÁTER EXPRESSIVO alegre/triste FORMA pergunta/resposta; introdução; forma A B A

11 Planejamento em Educação Musical OBJETIVOS: 3.1. EXECUÇÃO? cantar melodias folclóricas a duas vozes trabalhadas, conservando a parte independente do seu grupo;? executar um ostinato rítmico independente do padrão rítmico da melodia (própria ou não);? realizar perguntas e respostas com os instrumentos disponíveis em execuções das canções folclóricas trabalhadas e das composições próprias COMPOSIÇÃO? compor duas melodias explorando registros distintos, para sobrepô-las;? explorar padrões rítmicos diferentes, explorando a sobreposição de subdivisões regulares e irregulares do pulso;? compor músicas e acompanhamentos simples para os instrumentos da sala de aula prevendo o andamento, a dinâmica e a textura APRECIAÇÃO? identificar melodias diferentes que aparecem sobrepostas;? comentar sobre músicas e composições próprias ouvidas em aula utilizando vocabulário simples, mas adequado, de acordo com os conteúdos trabalhados. 4. ATIVIDADES 4.1.Cantar a canção Bambalalão (versão de Heitor Villa-Lobos), controlando os aspectos interpretativos referentes a fraseado, dicção, respiração, afinação, dinâmica e andamento. Explorar as estruturas rítmicas da canção Compor um arranjo instrumental para a canção, observando a textura, dinâmica, andamento e combinações de timbres. Apresentar os arranjos e e apreciar criticamente os trabalhos de cada grupo Executar a canção de diversas maneiras, variando o acompanhamento, a dinâmica e o andamento, discutindo as diferenças provocadas pelas interpretações Cantar a canção Lua, Luar (versão de Villa-Lobos), controlando a qualidade da interpretação. Explorar as estruturas rítmicas da canção.

12 Planejamento em Educação Musical 12 Comparar esta canção com a trabalhada anteriormente: regiões grave e aguda, ritmo, caráter expressivo Compor um acompanhamento simples, com os instrumentos disponíveis, para a canção. Questionar se o arranjo é diferente do anterior: por quê? 4.6. Sobrepor as melodias, conforme o arranjo de Villa-Lobos Explorar as regiões graves e agudas e comparar o movimento melódico das duas melodias. Discutir as diferenças entre cada melodia e o novo resultado - a sobreposição das duas Ouvir um fragmento da obra Rhapsody for solo percussion and orchestra, de Ney Rosauro. Questionar que melodia foi utilizada, o que o compositor fez com ela e quais os elementos musicais que foram variados Cantar a música Borboleta, do folclore nordestino, executando um ostinato rítmico (????) independente do padrão rítmico da melodia (um grupo toca e outro canta). Em dois grupos, jogar com as perguntas e respostas da canção. Ouvir a gravação da música, com interpretação de Marisa Monte. Discutir sobre o arranjo e a introdução Compor uma música utilizando os conteúdos trabalhados no semestre, explorando tanto os aspectos rítmicos como melódicos. Registrar o movimento melódico e os ritmos através de notação gráfica. Apresentar os trabalhos para os colegas e outras turmas da escola. 5. REPERTÓRIO: Bambalalão e Lua, luar - folclore brasileiro, versão registrada por Heitor Villa-Lobos Borboleta - folclore nordestino Borboleta -interpretação de Marisa Monte Rhapsody for solo percussion and orchestra - Ney Rosauro Observação: Este planejamento foi elaborado e aplicado pela profª Viviane Beineke, em turmas da 2ª série do 1º grau, no segundo semestre letivo de 1994, na Escola de 1º e 2º Graus Santa Rosa de Lima, em Porto Alegre.

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO MUSICAL 5.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO MUSICAL 5.º ANO DE EDUCAÇÃO MUSICAL 5.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO Perfil do aluno no final do 5.º Ano O aluno canta a solo e em grupo, com intencionalidade expressiva, canções em diferentes tonalidades

Leia mais

PLANIFICAÇÕES AEC Expressão Musical

PLANIFICAÇÕES AEC Expressão Musical PLANIFICAÇÕES AEC Expressão Musical 1º Ano Sons do meio ambiente e da natureza / silêncio Sons do corpo (níveis corporais) Sons naturais e artificiais Sons fortes e fracos Sons pianos (p), médios (mf)

Leia mais

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO ( Aprovados em Conselho Pedagógico de 16 outubro de 2012 ) No caso específico da disciplina de E. Musical, do 5ºano de escolaridade, a avaliação incidirá ainda ao nível

Leia mais

de conteúdos Timbre Alteração tímbrica Realce tímbrico Expressividade Dinâmica Legato e staccato Densidade sonora Altura Intervalos Melódicos e

de conteúdos Timbre Alteração tímbrica Realce tímbrico Expressividade Dinâmica Legato e staccato Densidade sonora Altura Intervalos Melódicos e Planificação 2014/2015 6º ano Educação Musical Núcleos organizadores Interpretação e Comunicação Metas de aprendizagem O aluno decide sobre a aplicação de elementos de dinâmica e agógica na interpretação

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes

Universidade Estadual de Maringá Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes R E S O L U Ç Ã O N.º 090/2009 CI / CCH CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, neste Centro, no dia 10/12/2009. João Carlos Zanin, Secretário Aprova o projeto pedagógico

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Expressões e Tecnologias Planificação Anual de Educação Musical 5º ano Ano Letivo 2013/2014

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES ENSINO BÁSICO 2º CICLO PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES ENSINO BÁSICO 2º CICLO PLANIFICAÇÃO ANUAL Domínios e Subdomínios Desenvolvimento da Capacidade de Expressão e Comunicação: Interpretação e Comunicação INDICADORES O aluno canta controlando a emissão vocal em termos de afinação e respiração. O

Leia mais

Desenvolvimento do pensamento e imaginação musical, isto é, a capacidade de imaginar e relacionar sons;

Desenvolvimento do pensamento e imaginação musical, isto é, a capacidade de imaginar e relacionar sons; DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTÍSTICA Educação Musical _ º ANO _ A Ano Letivo: 0/0. Introdução / Finalidades O processo de ensino e aprendizagem da educação musical consiste na interação de um conjunto

Leia mais

Música é linguagem que organiza, intencionalmente, os sons e o silêncio, no continuum espaço-tempo.

Música é linguagem que organiza, intencionalmente, os sons e o silêncio, no continuum espaço-tempo. CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO MUSICAL SESC/SEDU MÓDULO 1: ELEMENTOS DA MÚSICA PROF. DARCY ALCANTARA (UFES) CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO MUSICAL SESC/SEDU DOMINGO - MANHÃ REVISÃO DOS CONCEITOS DE MÚSICA, RITMO E MELODIA

Leia mais

Copos e trava-línguas: materiais sonoros para a composição na aula de música

Copos e trava-línguas: materiais sonoros para a composição na aula de música Copos e trava-línguas: materiais sonoros para a composição na aula de música Andréia Veber Rede Pública Estadual de Ensino de Santa Catarina andreiaveber@uol.com.br Viviane Beineke Universidade do Estado

Leia mais

Departamento de Expressões. Planificação Anual de Educação Musical 2015/2016. 5º Ano

Departamento de Expressões. Planificação Anual de Educação Musical 2015/2016. 5º Ano Departamento de Expressões Planificação Anual de Educação Musical 2015/2016 5º Ano 1º PERÍODO Conceitos Conteúdos Objetivos Meio ambiente, vocal, corporal e Instrumentos de percussão: família das peles,

Leia mais

ESTÁGIO EDUCAÇÃO MUSICAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL

ESTÁGIO EDUCAÇÃO MUSICAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 ESTÁGIO EDUCAÇÃO MUSICAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carolina SeccoBianquini 1 CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE DE ESTÁGIO O presente trabalho foi desenvolvido no CEI UEL (Centro de Educação Infantil da Universidade

Leia mais

Trabalho para Comunicação Categoria: Relato de experiência

Trabalho para Comunicação Categoria: Relato de experiência AULA EM GRUPO: TOCANDO E CANTANDO EM UM CORAL INFANTO-JUVENIL Shirley Cristina Gonçalves profshirleymusica@yahoo.com.br Universidade Federal de Uberlândia Departamento de Música e Artes Cênicas Trabalho

Leia mais

Educação Musical: Criação, Linguagem e Conhecimento

Educação Musical: Criação, Linguagem e Conhecimento Educação Musical: Criação, Linguagem e Conhecimento INTRODUÇÃO Educadores musicais têm manifestado sua preocupação com a observância da Lei nº 11769, que é a lei de inclusão da música no currículo das

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL. DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO MÚSICA

ENSINO FUNDAMENTAL. DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO MÚSICA CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL 2015 DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO MÚSICA OBJETIVOS GERAIS Explorar e identificar elementos da música para se expressar e interagir com outros; Interpretar músicas

Leia mais

Projeto de Música Pop e Rock

Projeto de Música Pop e Rock Projeto de Música Pop e Rock Docentes: Ângelo Cunha Paulo Bispo Teresa Laranjeira Externato Marista de Lisboa Introdução A Música é única para os seres humanos e como as outras artes, é tão básico como

Leia mais

Planificação das sessões de implementação do projeto educativo

Planificação das sessões de implementação do projeto educativo Planificação das sessões de implementação do projeto educativo Sessão nº 1 (2 de outubro de 2013) - Conhecer o projeto que será implementado ao longo do primeiro período; - Compreender os conceitos de

Leia mais

Produção de vídeos e educação musical: uma proposta interdisciplinar

Produção de vídeos e educação musical: uma proposta interdisciplinar Produção de vídeos e educação musical: uma proposta interdisciplinar Marcus J. Vieira Universidade Estadual de Londrina Uel marcus.musico@bol.com.br Resumo. Este relato descreve uma experiência em educação

Leia mais

COMPOSIÇÃO COMO RECURSO NO PROCESSO ENSINO / APRENDIZAGEM MUSICAL

COMPOSIÇÃO COMO RECURSO NO PROCESSO ENSINO / APRENDIZAGEM MUSICAL 389 COMPOSIÇÃO COMO RECURSO NO PROCESSO ENSINO / APRENDIZAGEM MUSICAL Ruth de Sousa Ferreira Silva Mestranda em Artes pela Universidade Federal de Uberlândia Introdução Este relato de experiência tem como

Leia mais

Pré-Escola 4 e 5 anos

Pré-Escola 4 e 5 anos PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Secretaria Municipal da Educação e Cultura SMEC DIÁRIO DE CLASSE Educação Infantil Pré-Escola 4 e 5 anos DIÁRIO DE CLASSE ESCOLA: CRE: ATO DE CRIAÇÃO DIÁRIO OFICIAL / /

Leia mais

O presente documento dá a conhecer os seguintes aspetos relativos à prova:

O presente documento dá a conhecer os seguintes aspetos relativos à prova: INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO MUSICAL Prova Escrita Abril de 2015 Prova nº 12 2015 ---------------------------------------------------------------------------------------- 2º Ciclo

Leia mais

2. Objetivos 3. Método 3.1 Amostra 3.2 Coleta de dados

2. Objetivos 3. Método 3.1 Amostra 3.2 Coleta de dados O desenvolvimento do canto em crianças de 2 a 6 anos de idade Beatriz Ilari Universidade Federal do Paraná UFPR beatrizilari@ufpr.br Vivian Dell Agnolo Universidade Federal do Paraná UFPR Resumo. Este

Leia mais

TEMAS e QUANTIDADE DE AULAS. 1. Conceitos de Música - 6 aulas. 2. Criação de Canção - 6 aulas. 3. Pedal e Ostinato - 6 aulas

TEMAS e QUANTIDADE DE AULAS. 1. Conceitos de Música - 6 aulas. 2. Criação de Canção - 6 aulas. 3. Pedal e Ostinato - 6 aulas RELAÇÃO DE AULAS PUBLICADAS NO PORTAL DO PROFESSOR - MEC http://portaldoprofessor.mec.gov.br/index.html Colégio de Aplicação da UFRJ Equipe de Música Período: outubro, novembro e dezembro de 2009; maio,

Leia mais

DIA DA SEMANA EVENTO NOME DO EVENTO TURNO HORÁRIO DATAS 20/05, 27/05, 03/06, 10/06 E 17/06/2013. MANHÃ 08:00 às 12:00 2ª FEIRA

DIA DA SEMANA EVENTO NOME DO EVENTO TURNO HORÁRIO DATAS 20/05, 27/05, 03/06, 10/06 E 17/06/2013. MANHÃ 08:00 às 12:00 2ª FEIRA 1 A.M. 69062 LENDO IMAGENS ATRAVÉS DE ALBERTO MANGUEL * Ementa: Leitura de imagens a partir da teoria de Alberto Manguel e por meio de diálogo entre as obras de arte selecionadas, autor e apreciadores.

Leia mais

1) 2) 3) CD 4 Faixas: 80 80.

1) 2) 3) CD 4 Faixas: 80 80. 1ª Aula a) Cumprimentar cada criança cantando seu nome e dando um beijinho com fantoche. Nas primeiras aulas use sempre um fantoche na hora do cumprimento para ganhar a aproximação do aluno. Depois pode

Leia mais

PROJETO BÁSICO DO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA Professor André Lima

PROJETO BÁSICO DO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA Professor André Lima PROJETO BÁSICO DO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA Professor André Lima 1. Formação Inicial e Continuada / Qualificação Profissional pretendida: Curso de Formação Inicial e Continuada em Regência

Leia mais

Marcos de Aprendizagem Música. Eixo Competência Conteúdos Habilidades

Marcos de Aprendizagem Música. Eixo Competência Conteúdos Habilidades Apreciação e Percepção Musical Alcance progressivo do desenvolvimento auditivo musical, rítmico, melódico, harmônico e tímbrico e a memória musical nos processos de apreciação e percepção. Som e suas propriedades

Leia mais

ESCOLA PROFESSOR AMÁLIO PINHEIRO ENSINO FUNDAMENTAL

ESCOLA PROFESSOR AMÁLIO PINHEIRO ENSINO FUNDAMENTAL ESCOLA PROFESSOR AMÁLIO PINHEIRO ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO MAIS EDUCAÇÃO CANTO CORAL JUSTIFICATIVA É conhecida a importância da música na vida das pessoas, seja no tocante à saúde, auto - estima conhecimento,

Leia mais

CONCURSO VESTIBULAR 2014 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE MÚSICA. Inscrição. Assinatura: PROVA COLETIVA

CONCURSO VESTIBULAR 2014 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE MÚSICA. Inscrição. Assinatura: PROVA COLETIVA CONCURSO VESTIBULAR 2014 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA CURSO DE MÚSICA Nome do Candidato Inscrição Sala Assinatura: PROVA COLETIVA 1- A prova está dividida em 4 questões com as seguintes pontuações: Questão

Leia mais

A PRÁTICA DA CRIAÇÃO E A APRECIAÇÃO MUSICAL COM ADULTOS: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA. Bernadete Zagonel

A PRÁTICA DA CRIAÇÃO E A APRECIAÇÃO MUSICAL COM ADULTOS: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA. Bernadete Zagonel Artigo publicado em: Anais do VI Encontro da ABEM, Recife, 1998. A PRÁTICA DA CRIAÇÃO E A APRECIAÇÃO MUSICAL COM ADULTOS: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA. Bernadete Zagonel Durante alguns anos ministrei as disciplinas

Leia mais

O uso de tecnologia digital na educação musical

O uso de tecnologia digital na educação musical O uso de tecnologia digital na educação musical Rafael Salgado Ribeiro PETE Educação com Tecnologia salgaado@gmail.com Comunicação Oral Introdução O presente trabalho visa a apresentar algumas possibilidades

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Expressões e Tecnologias Planificação Anual de Educação Musical 6º ano Ano Letivo 2015/2016

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

INSTRUTOR Zeh Blackie. CURSO DE GUITARRA Nível Básico. 7º Passo

INSTRUTOR Zeh Blackie. CURSO DE GUITARRA Nível Básico. 7º Passo INSTRUTOR Zeh Blackie CURSO DE GUITARRA Nível Básico 7º Passo Copyright -Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada destes materiais, no todo ou em parte, constitui violação do direitos

Leia mais

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio. Critérios de Avaliação Educação Musical 2º ciclo Ano letivo 20015 2016

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio. Critérios de Avaliação Educação Musical 2º ciclo Ano letivo 20015 2016 Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Critérios de Avaliação Educação Musical 2º ciclo Ano letivo 20015 2016 -Saber/saber fazer- Ponderação: 85% 5º Ano de escolaridade - Interpretação: Cantar,

Leia mais

FORMAÇÃO MUSICAL E MÚSICA NAS AEC Formação musical suposta para cada ano do 1º ciclo. Cursos de Formação de Professores

FORMAÇÃO MUSICAL E MÚSICA NAS AEC Formação musical suposta para cada ano do 1º ciclo. Cursos de Formação de Professores FORMAÇÃO MUSICAL E MÚSICA NAS AEC Formação musical suposta para cada ano do 1º ciclo Cursos de Formação de Professores António José Ferreira 08/03/2008 Com a acção Formação Musical e Música no 1º Ciclo

Leia mais

TESTES AUDITIVOS: incluídos no exame prático de todos os alunos

TESTES AUDITIVOS: incluídos no exame prático de todos os alunos TESTES AUDITIVOS: incluídos no exame prático de todos os alunos a Podem encontrar-se exemplos dos testes em Modelos de Testes Auditivos, publicados em dois livros, um para os Níveis 1 5 e outro para os

Leia mais

Você quer se formar em Música?

Você quer se formar em Música? Você quer se formar em Música? Faça um dos cursos de Graduação em Música oferecidos pela Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás (EMAC/UFG)! 1) Quais são os Cursos Superiores

Leia mais

ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE

ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE PLANO DA I UNIDADE ESCOLA PIRLILIM / ANO 2015 PLANO DE UNIDADE GRUPO: 7 PERÍODO: / à / ÁREA DO CONHECIMENTO: Música CARGA HORÁRIA: COMPETÊNCIAS E HABILIDADES PLANO DA I UNIDADE - Conhecer e criar novas melodias. - Desenvolver

Leia mais

Educação Musical Prova 12 2015

Educação Musical Prova 12 2015 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Educação Musical Prova 12 2015 2.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

TECLADO. (aula 1) O Teclado é um instrumento musical eletrônico, composto por teclas onde simulam sons de forma digital! Origem do Instrumento

TECLADO. (aula 1) O Teclado é um instrumento musical eletrônico, composto por teclas onde simulam sons de forma digital! Origem do Instrumento TECLADO (aula 1) O Teclado é um instrumento musical eletrônico, composto por teclas onde simulam sons de forma digital! Origem do Instrumento O Piano e o Órgão são os instrumentos musicais mais tradicionais

Leia mais

RIO DE JANEIRO. Secretaria Municipal de Educação. Orientações Curriculares: Música. Rio de Janeiro, 2013.

RIO DE JANEIRO. Secretaria Municipal de Educação. Orientações Curriculares: Música. Rio de Janeiro, 2013. EDUARDO PAES PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CLAUDIA COSTIN SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGINA HELENA DINIZ BOMENY SUBSECRETARIA DE ENSINO MARIA DE NAZARETH MACHADO DE BARROS VASCONCELLOS COORDENADORIA

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS 1 NOTA INTRODUTÓRIA Programa Música - AEC (1º e 2º Ano - 1º CEB) (Adaptação do Programa do 1º Ciclo Plano da Meloteca) No âmbito da Expressão e Educação Musical, ao abrigo do Despacho n.º 9265-B/2013,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. PEDRO DO SUL CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EXPRESSÃO ARTÍSTICA (1.º CICLO)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. PEDRO DO SUL CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EXPRESSÃO ARTÍSTICA (1.º CICLO) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EXPRESSÃO ARTÍSTICA (1.º CICLO) Ano Lectivo 201 / 2016 1 INTRODUÇÃO A prática do canto constitui a base da expressão e educação musical no 1º ciclo. É uma atividade de síntese na

Leia mais

À Procura de Mozart Resumo Canal 123 da Embratel Canal 112 da SKY,

À Procura de Mozart Resumo Canal 123 da Embratel Canal 112 da SKY, À Procura de Mozart Resumo O vídeo nos oferece um relato sobre a vida e obra de Wolfgang Amadeus Mozart. Ele nos é apresentado como único e inigualável devido à sua genialidade na música clássica do século

Leia mais

Informativo de Música. Por Isa Uehara

Informativo de Música. Por Isa Uehara Informativo de Música Por Isa Uehara Bosque das Letras Abril 2011 Música nas aulas para as crianças do berçário não se traduz apenas em melodia, ritmo ou harmonia. Os sons do entorno, do ambiente que as

Leia mais

Diferenciando gêneros musicais a partir da brincadeira Como é a música?

Diferenciando gêneros musicais a partir da brincadeira Como é a música? Diferenciando gêneros musicais a partir da brincadeira Como é a música? nós na sala de aula - módulo: música 4º e 5º anos - unidade 5 A atividade propõe o exercício da percepção por meio da diferenciação

Leia mais

Projeto Educ arte 1.º PERÍODO. Planificação Conteúdo Objetivo Semana anual. Jogos de Apresentação Descobrir o teatro 1

Projeto Educ arte 1.º PERÍODO. Planificação Conteúdo Objetivo Semana anual. Jogos de Apresentação Descobrir o teatro 1 Projeto Educ arte Planificação Conteúdo Objetivo Semana anual 1.º PERÍODO Jogos de Apresentação Descobrir o teatro 1 Introdução à música: Saber distinguir ritmo de - Ritmo, melodia; melodia, perceber a

Leia mais

Colégio de Lamego. Educação Musical. Critérios de Avaliação - 2º e 3º Ciclos. Rui S. Ribeiro

Colégio de Lamego. Educação Musical. Critérios de Avaliação - 2º e 3º Ciclos. Rui S. Ribeiro Colégio de Lamego Critérios de Avaliação - 2º e 3º Ciclos Rui S. Ribeiro 2014-2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A música «enriquece o ser humano pelo poder do som e do ritmo, pelas virtudes próprias da melodia

Leia mais

INFORMATIVO 2015 II UNIDADE 3 ano LÍNGUA PORTUGUESA

INFORMATIVO 2015 II UNIDADE 3 ano LÍNGUA PORTUGUESA INFORMATIVO 2015 II UNIDADE 3 ano Com o objetivo de promover avanços no desenvolvimento dos educandos, tendo em vista a aquisição de novos conhecimentos, habilidades e a formação de atitudes e valores

Leia mais

FUVEST - VESTIBULAR 2012 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA

FUVEST - VESTIBULAR 2012 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES DEPARTAMENTO DE MÚSICA FUVEST - VESTIBULAR 2012 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA Curso: ( ) Licenciatura ( ) Canto ( ) Instrumento ( ) Regência ( ) Composição

Leia mais

ANEXO III NORMAS COMPLEMENTARES DA ESCOLA DE BELAS ARTES, ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA E ESCOLA DE MÚSICA ESCOLA DE BELAS ARTES

ANEXO III NORMAS COMPLEMENTARES DA ESCOLA DE BELAS ARTES, ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA E ESCOLA DE MÚSICA ESCOLA DE BELAS ARTES ANEXO III NORMAS COMPLEMENTARES DA ESCOLA DE BELAS ARTES, ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA E ESCOLA DE MÚSICA ESCOLA DE BELAS ARTES Normas Complementares, relativas aos temas e as especificações das Provas

Leia mais

Escalas I. Escalas - I. Escala Pentatônica Menor e Escala Penta-blues. Assista a aula completa em: http://www.youtube.com/watch?

Escalas I. Escalas - I. Escala Pentatônica Menor e Escala Penta-blues. Assista a aula completa em: http://www.youtube.com/watch? Escalas - I Escala Pentatônica Menor e Escala Penta-blues Assista a aula completa em: http://www.youtube.com/watch?v=ek0phekndbu Sumário Introdução Escalas Musicais...0 Escala Pentatônica Menor Histórico

Leia mais

Comunicação Relato de Experiência

Comunicação Relato de Experiência OBSERVANDO AULAS DE MÙSICA NA ESCOLA: AS ORIENTAÇÕES DO PROFESSOR EM PRÁTICAS DE CONJUNTO COM PERCUSSÃO E NO PROCESSO DE CRIAÇÃO MUSICAL UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Armando César da Silva ac_guitar@hotmail.com

Leia mais

Planificação Anual 1º Ano AEC Expressão Musical 2014/2015

Planificação Anual 1º Ano AEC Expressão Musical 2014/2015 Planificação Anual 1º Ano AEC Expressão Musical 2014/2015 Unidades Conteúdos Competências Actividades Recursos/Materiais Unidade 1 Unidade 2 Primeira Abordagem lúdica de Sensibilização e exploração do

Leia mais

COMPOSIÇÕES DE ALUNOS DE ESCOLA DE MÚSICA: ALGUNS EXEMPLOS

COMPOSIÇÕES DE ALUNOS DE ESCOLA DE MÚSICA: ALGUNS EXEMPLOS 181 ANAIS III FÓRUM DE PESQUISA CIENTÍFICA EM ARTE Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Curitiba, 2005 COMPOSIÇÕES DE ALUNOS DE ESCOLA DE MÚSICA: ALGUNS EXEMPLOS Anete Susana Weichselbaum * RESUMO:

Leia mais

OFICINA DE FLAUTA DOCE: RELATO DA EXPERIÊNCIA DO PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO DE CRIANÇAS

OFICINA DE FLAUTA DOCE: RELATO DA EXPERIÊNCIA DO PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO DE CRIANÇAS OFICINA DE FLAUTA DOCE: RELATO DA EXPERIÊNCIA DO PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO DE CRIANÇAS DOI:10.5965/19843178912014170 http://dx.doi.org/10.5965/19843178912014170 Luana Moína Gums 1 Maira Ana Kandler 2 RESUMO

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA Turno: VESPERTINO Currículo nº 2 Reconhecido pelo Decreto nº. 3.598, de 14.10.08, D.O.E. nº 7.827 de 14.10.08, e complementação do reconhecimento pelo Decreto nº. 5.395,

Leia mais

COLÉGIO MAGNUM BURITIS

COLÉGIO MAGNUM BURITIS COLÉGIO MAGNUM BURITIS ENSINO FUNDAMENTAL PROGRAMAÇÃO 3ª ETAPA / 2014 MATERNAL III Srs. pais ou responsáveis, caros alunos, Vocês estão recebendo a programação da 3ª Etapa de 2014. Este material serve

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Formação Musical - 2º Ciclo Contínua COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Leitura - Ler frases rítmicas em diferentes unidades de tempo e compassos; - Entoar afinadamente, melodias nos modos

Leia mais

1. INTRODUÇÃO. [Digite texto]

1. INTRODUÇÃO. [Digite texto] DESENVOLVENDO A PERCEPÇÃO AUDITIVA, A CONCENTRAÇÃO E A COMUNICAÇÃO EM SALA DE AULA ATRAVÉS DO ESTÍMULO AO RELAXAMENTO E DA PRÁTICA DO SILÊNCIO. Erivelton da Cunha Nóbrega (UFCG); Gustavo dos Santos Araújo

Leia mais

Planificação MÚSICA TIMORENSE NO 2.º CICLO: APRENDIZAGENS ARTÍSTICAS E CULTURAIS

Planificação MÚSICA TIMORENSE NO 2.º CICLO: APRENDIZAGENS ARTÍSTICAS E CULTURAIS MÚSICA TIMORENSE NO 2.º CICLO: APRENDIZAGENS ARTÍSTICAS E CULTURAIS Sessão n.º 1 1- Apresentação do projeto: objectivos e finalidades; 2- Apresentação dos objetivos e finalidades; 3- Música Timorense (He-le-le);

Leia mais

ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO ACÚSTICA

ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO ACÚSTICA ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO ACÚSTICA INTRODUÇÃO É o segmento da Física que interpreta o comportamento das ondas sonoras audíveis frente aos diversos fenômenos ondulatórios. Acústica

Leia mais

CURRÍCULO 1º ANO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM

CURRÍCULO 1º ANO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM CURRÍCULO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM ORALIDADE Formar frases com seqüência e sentido. Relacionar palavras que iniciam com vogais. Associar primeira letra/som em palavras iniciadas por vogal. Falar

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA

CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA CURSO DE LICENCIATURA EM MÚSICA DESCRIÇÃO Número de Fases: 08 Número de disciplinas obrigatórias: 38 Número de créditos obrigatórios: 152 Carga horária total das disciplinas obrigatórias: 2.280 horas Mínimo

Leia mais

CURRÍCULO DE MÚSICA NO 1º CICLO Música nas Actividades de Enriquecimento Curricular. Cursos de Formação Contínua de Professores

CURRÍCULO DE MÚSICA NO 1º CICLO Música nas Actividades de Enriquecimento Curricular. Cursos de Formação Contínua de Professores CURRÍCULO DE MÚSICA NO 1º CICLO Música nas Actividades de Enriquecimento Curricular Cursos de Formação Contínua de Professores Meloteca 02/07/2008 1º ANO DE ESCOLARIDADE VOZ Desenvolver os aspectos essenciais

Leia mais

Composição musical na educação infantil: uma experiência possível

Composição musical na educação infantil: uma experiência possível Composição musical na educação infantil: uma experiência possível Francine Kemmer Cernev francine@cernev.com.br Universidade Estadual de Londrina/ Colégio Nossa Senhora do Rosário, Cornélio Procópio/PR/

Leia mais

24 Acorde Maior X Acorde Menor - Conteúdo

24 Acorde Maior X Acorde Menor - Conteúdo Introdução Formação de Escalas e de Acordes Encadeamentos e Harmonia Acordes Maiores e Menores Tons Homônimos Encadeamento V7 i em Fá Menor (Fm) Cadência de Picardia próxima 2 Introdução Nas Unidades de

Leia mais

prática instrumental acontece pelo exercício de repetição e logo estrutura-se na linguagem formal da escrita musical - a partitura musical.

prática instrumental acontece pelo exercício de repetição e logo estrutura-se na linguagem formal da escrita musical - a partitura musical. FAZENDO MÚSICA NO ELZIRA PONTA GROSSA, PARANÁ. Musicalização através da flauta-doce, uma ideia que deu certo Fátima Beatriz de Castro Santos 1 Resumo: O presente trabalho relata uma prática musical desenvolvida

Leia mais

ATIVIDADE DE FIXAÇÃO: ELEMENTOS DA MÚSICA. I. Leia a partitura musical Ciranda da Lia e faça os itens a seguir (ver no portal):

ATIVIDADE DE FIXAÇÃO: ELEMENTOS DA MÚSICA. I. Leia a partitura musical Ciranda da Lia e faça os itens a seguir (ver no portal): ELEMENTOS DA MÚSICA I. Leia a partitura musical Ciranda da Lia e faça os itens a seguir (ver no portal): 1. O tipo de compasso é... 2. A figura de ritmo de maior duração nesta música chama se... 3. Discrimine

Leia mais

Ensino em Grupo de Instrumento Musical na Educação Básica

Ensino em Grupo de Instrumento Musical na Educação Básica Ensino em Grupo de Instrumento Musical na Educação Básica Alessandra Nunes de Castro Silva, SEDUC/GO, alessandrancs@hotmail.com Resumo: O presente artigo trata-se de um relato de experiência a respeito

Leia mais

LINHAS DE EXPLORAÇÃO DO QUADRO DE COMPETÊNCIAS EXPRESSÃO MUSICAL

LINHAS DE EXPLORAÇÃO DO QUADRO DE COMPETÊNCIAS EXPRESSÃO MUSICAL ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DAS VELAS LINHAS DE EXPLORAÇÃO DO QUADRO DE COMPETÊNCIAS EXPRESSÃO MUSICAL 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO 1 DO ENSINO BÁSICO CE 1 CE 5 CE 8 CE 12 CE 14 Interpretação e comunicação

Leia mais

EDUCAÇÃO MUSICAL FORMAL X EDUCAÇÃO MUSICAL INFORMAL

EDUCAÇÃO MUSICAL FORMAL X EDUCAÇÃO MUSICAL INFORMAL EDUCAÇÃO MUSICAL FORMAL X EDUCAÇÃO MUSICAL INFORMAL Segundo Green (2000), existe uma enorme discrepância entre os tipos de aprendizagem proporcionados no âmbito da Educação Musical Formal e no contexto

Leia mais

A ORALIZAÇÃO COMO MANIFESTAÇÃO LITERÁRIA EM SALA DE AULA

A ORALIZAÇÃO COMO MANIFESTAÇÃO LITERÁRIA EM SALA DE AULA A ORALIZAÇÃO COMO MANIFESTAÇÃO LITERÁRIA EM SALA DE AULA. AÇÕES DO PIBID/CAPES UFG (SUBPROJETO: LETRAS: PORTUGUÊS) NO COLÉGIO ESTADUAL LYCEU DE GOIÂNIA Bolsistas: SILVA, Danila L.; VAZ, Paula R. de Sena.;

Leia mais

Cálculo da distância mínima a um. obstáculo para produção de eco

Cálculo da distância mínima a um. obstáculo para produção de eco Cálculo da distância mínima a um obstáculo para produção de eco Aceite para publicação em 11 de fevereiro de 2013 Introdução Esta atividade tem como objetivo estimar experimentalmente a distância a que

Leia mais

A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO ENSINO DAS PROPRIEDADES DE POTÊNCIAS

A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO ENSINO DAS PROPRIEDADES DE POTÊNCIAS A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO ENSINO DAS PROPRIEDADES DE POTÊNCIAS Felipe de Almeida Duarte Bolsista PIBID 1 - UTFPR Campus Cornélio Procópio felipeaduart@hotmail.com Marila Torres de Aguiar Bolsista PIBID¹

Leia mais

Com os Sons 1º Ano. Marlei da Silva Novaes

Com os Sons 1º Ano. Marlei da Silva Novaes Com os Sons 1º Ano Marlei da Silva Novaes Olá, querido(a) aluno(a): Você gosta de diversão? Tenho certeza que sim. Tenho algumas brincadeiras para mostrar, com você cantando, tocando, movimentando para

Leia mais

EDUCAÇÃO MUSICAL MATERNAL II

EDUCAÇÃO MUSICAL MATERNAL II EDUCAÇÃO MUSICAL MATERNAL II Músicas infantis. Danças, músicas e personagens folclóricos. Conhecer textos e melodias folclóricos; Entoar músicas do folclore brasileiro; Dançar músicas folclóricas; Imitar

Leia mais

Valores: R$ 21,00 (comerciário/dependente), R$ 37,00 (conveniado) e R$ 48,00 (usuário).

Valores: R$ 21,00 (comerciário/dependente), R$ 37,00 (conveniado) e R$ 48,00 (usuário). CURSOS DE MÚSICA DO SESC (2º Semestre) MODALIDADE INICIANTE 1) VIOLÃO POPULAR Este curso está direcionado ao estudo da música popular com acompanhamento harmônico. Serão praticadas canções do repertório

Leia mais

Planificação Curricular Pré-escolar

Planificação Curricular Pré-escolar PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ciclo/ Área/ Disciplina: Pré-escolar Ano Letivo 2012/2013 Área de Formação pessoal e Social Esboço Curricular para a Educação de Infância (segundo as Orientações Curriculares

Leia mais

TONALIDADE X FREQUÊNICA

TONALIDADE X FREQUÊNICA Som, notas e tons TONALIDADE X FREQUÊNICA O violão é um instrumento musical e o seu objetivo é fazer música. Música é a organização de sons em padrões que o cérebro humano acha agradável (ou pelo menos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 35/ 2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Música, Modalidade

Leia mais

Capacidades a desenvolver ao longo da opção de Dança

Capacidades a desenvolver ao longo da opção de Dança AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS Opção de Dança Aulas Previstas 7º ano (50 minutos) 1ºP - 14 2ºP - 13 3ºP - 7 8º ano (50+50) 1ºP - 27 2ºP - 26 3ºP - 14 Os grandes

Leia mais

Matemática em Toda Parte II

Matemática em Toda Parte II Matemática em Toda Parte II Episódio: Matemática nas Brincadeiras Resumo O episódio Matemática nas Brincadeiras explora o mundo dos jogos para identificar o uso dos conceitos de combinatória e probabilidade.

Leia mais

SeAC Serviço de Arte e Cultura

SeAC Serviço de Arte e Cultura SeAC Serviço de Arte e Cultura Atividades Curriculares Optativas Música. Canto. Teatro. Dança. Arte. Cultura A pedagogia proposta pelo SeAC se fundamenta na concepção de Ateliê, em que o educando tem um

Leia mais

Princípios do programa de Expressão Musical

Princípios do programa de Expressão Musical Princípios do programa de Expressão Musical Voz: Dizer, entoar e cantar rimas e lengalengas; cantar canções; experimentar sons vocais. Corpo: Experimentar percussão corporal; acompanhar canções e gravações

Leia mais

NOTAÇÃO MUSICAL TRADICIONAL: Como se escrever música?

NOTAÇÃO MUSICAL TRADICIONAL: Como se escrever música? NOTAÇÃO MUSICAL TRADICIONAL: Como se escrever música? A música é uma linguagem sonora como a fala. Assim como representamos a fala por meio de símbolos do alfabeto, podemos representar graficamente a música

Leia mais

A inserção do Youtube na aula de piano: um relato de experiência

A inserção do Youtube na aula de piano: um relato de experiência XVII ENCONTRO NACIONAL DA ABEM DIVERSIDADE MUSICAL E COMPROMISSO SOCIAL O PAPEL DA EDUCAÇÃO MUSICAL SÃO PAULO, 08 A 11 DE OUTUBRO DE 2008 IMPRIMIR FECHAR A inserção do Youtube na aula de piano: um relato

Leia mais

PERFIL DISC BREVE HISTÓRICO

PERFIL DISC BREVE HISTÓRICO BREVE HISTÓRICO O Sistema DISC tem suas bases metodológicas no trabalho de pesquisa do psicólogo americano William Moulton Marston, que, na década de 20, publicou a obra "Emoções das Pessoas Normais".

Leia mais

Lundu do tropeiro. Música na escola: exercício 4

Lundu do tropeiro. Música na escola: exercício 4 Lundu do tropeiro Música na escola: exercício 4 Lundu Partituras Melodia, harmonia e letra do tropeiro Autor: Autor desconhecido, canção folclórica Região: Goiás Fonte: 500 Canções Brasileiras, de Ermelinda

Leia mais

2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO MUSICAL]

2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO MUSICAL] 2012/13 [PLANO ANUAL - AEC DE EXPRESSÃO MUSICAL] Plano Anual de Expressão Musical Ano Letivo 2012/2013 Introdução: Esta atividade pretende que os alunos fortaleçam o gosto natural pela expressão musical

Leia mais

O SOM E SEUS PARÂMETROS

O SOM E SEUS PARÂMETROS O SOM E SEUS PARÂMETROS Você já percebeu como o mundo está cheio de sons? Mas você já parou para pensar o que é o SOM? Pois bem, som é tudo o que nossos ouvidos podem ouvir, sejam barulhos, pessoas falando

Leia mais

O repertório como fator motivacional no aprendizado de teclado: um estudo com alunos do projeto prelúdio

O repertório como fator motivacional no aprendizado de teclado: um estudo com alunos do projeto prelúdio O repertório como fator motivacional no aprendizado de teclado: um estudo com alunos do projeto prelúdio Augusto Schneider 1 Universidade Estadual do Rio Grande do Sul UERGS Cristina Rolim Wolffenbüttel

Leia mais

DEPARTAMENTO DO 1.º CICLO/PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. 1.º Ciclo do Ensino Básico

DEPARTAMENTO DO 1.º CICLO/PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. 1.º Ciclo do Ensino Básico DEPARTAMENTO DO 1.º CICLO/PRÉ-ESCOLAR Ano letivo 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º Ciclo do Ensino Básico CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º Ciclo do Ensino Básico ANO LETIVO 2015/2016 Constituem objeto de

Leia mais

46 Dona Nobis Pacem: alturas Conteúdo

46 Dona Nobis Pacem: alturas Conteúdo Introdução Formação de tríades maiores menores Arpejos maiores e menores Cânone Sobreposição de vozes formando acordes Inversão de acordes Versões do cânone Dona Nobis Tonalidades homônimas Armaduras Influência

Leia mais

A educadora avalia a formação de nossos professores para o ensino da Matemática e os caminhos para trabalhar a disciplina na Educação Infantil.

A educadora avalia a formação de nossos professores para o ensino da Matemática e os caminhos para trabalhar a disciplina na Educação Infantil. Matemática na Educação Infantil: é possível A educadora avalia a formação de nossos professores para o ensino da Matemática e os caminhos para trabalhar a disciplina na Educação Infantil. Nas avaliações

Leia mais

METODOLOGIA DE ANÁLISE

METODOLOGIA DE ANÁLISE METODOLOGIA DE ANÁLISE DE OBRAS DE TEATRO / MÚSICA MARIA JOÃO SERRÃO [ ] Título Metodologia de Análise de Obras de Teatro / Música Autor Maria João Serrão Editor Escola Superior de Teatro e Cinema Sebentas

Leia mais

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA PROJETO: ARTES NA EDUCAÇÃO ESPECIAL O CORPO E A MENTE EM AÇÃO LUCAS DO RIO VERDE 2009 APRESENTAÇÃO Em primeiro lugar é preciso compreender

Leia mais

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE Romero Bomfim dos Santos 1 ; Elida Roberta Soares de Santana²; Bruno Fernandes

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE DE ARTE

PLANO DE TRABALHO DOCENTE DE ARTE 1 PLANO DE TRABALHO DOCENTE DE ARTE PROFESSOR: DAVI DOS SANTOS FERREIRA COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELLOZO. SÉRIE(S): 8ºANO C/D, 9º ANO A/C, 1º ANO A/B/C/D e Contraturno em Música AVALIAÇÃO: Instrumentos de

Leia mais