Padrões de Desempenho Estudantil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Padrões de Desempenho Estudantil"

Transcrição

1 Padrões de Desempenho Estudantil Abaixo do Básico Básico Adequado Avançado Os Padrões de Desempenho são categorias definidas a partir de cortes numéricos que agrupam os níveis da Escala de Proficiência, com base nas metas educacionais estabelecidas pelo SAEPI. Esses cortes dão origem a quatro Padrões de Desempenho, os quais apresentam o perfil de desempenho dos estudantes: Abaixo do Básico Básico Adequado Avançado Desta forma, estudantes que se encontram em um Padrão de Desempenho abaixo do esperado para sua etapa de escolaridade precisam ser foco de ações pedagógicas mais especializadas, de modo a garantir o desenvolvimento das habilidades necessárias ao sucesso escolar, evitando, assim, a repetência e a evasão. Por outro lado, estar no Padrão mais elevado indica o caminho para o êxito e a qualidade da aprendizagem dos estudantes. Contudo, é preciso salientar que mesmo os estudantes posicionados no Padrão mais elevado precisam de atenção, pois é necessário estimulá-los para que progridam cada vez mais. Além disso, as competências e habilidades agrupadas nos Padrões não esgotam tudo aquilo que os estudantes desenvolveram e são capazes de fazer, uma vez que as habilidades avaliadas são aquelas consideradas essenciais em cada etapa de escolarização e possíveis de serem avaliadas em um teste de múltipla escolha. Cabe aos docentes, através de instrumentos de observação e registros utilizados em sua prática cotidiana, identificarem outras características apresentadas por seus estudantes e que não são contempladas nos Padrões. Isso porque, a despeito dos traços comuns a estudantes que se encontram em um mesmo intervalo de proficiência, existem diferenças individuais que precisam ser consideradas para a reorientação da prática pedagógica. São apresentados, a seguir, exemplos de itens* característicos de cada Padrão. *O percentual de respostas em branco e nulas não foi contemplado na análise.

2 Abaixo do Básico até 150 pontos As habilidades matemáticas que se evidenciam nesse Padrão de Desempenho são elementares para este período de escolarização. No Campo Numérico, os estudantes demonstram ter desenvolvido no conjunto dos números naturais a habilidade de localizar esses números na reta numérica; reconhecer o valor posicional dos algarismos; reconhecer a quarta parte de um todo; calcular adição com números de até três algarismos; além de resolver problemas envolvendo adição ou subtração, estabelecendo relação entre diferentes unidades monetárias (representando um mesmo valor ou em uma situação de troca, incluindo a representação dos valores por numerais decimais) em diversos contextos sociais. Eles ainda associam a escrita do algarismo romano à escrita do número no Sistema de Numeração Indo-Arábico. No Campo Geométrico, reconhecem a forma do círculo e identificam os quadriláteros. Já no campo Tratamento da Informação, esses estudantes leem informações em tabelas de coluna única, ressaltando que a leitura de informações em tabela, nesse Padrão, não requer necessariamente que haja a compreensão da relação entre dados e informações. Percebe-se, ainda, nesse Padrão, que esses estudantes determinam a medida da área de uma figura poligonal construída sobre uma malha quadriculada, demonstrando, também, coordenar as ações de contar. O desafio que se coloca nesta fase é o de viabilizar condições para que os estudantes possam encontrar significado para cada objeto matemático de seu estudo. É preciso levá-los a compreender o espaço em que vivem, através da percepção, do sentido, da movimentação no espaço em que ocupam. Da mesma forma, é importante trabalhar mecanismos que lhes permitam relacionar informações que circulam em diferentes esferas sociais e mobilizar conhecimentos de forma autônoma para interpretar a diversidade matemática que constituiu/integra/estrutura a sociedade.

3 (MEF0034PC) Resolva a operação abaixo Qual é o resultado dessa operação? A) 542 B) 552 C) D) Esse item avalia a habilidade de os estudantes efetuarem adição entre dois números naturais de três algarismos, com reserva. Para resolvê-lo, eles podem aplicar diretamente o algoritmo da adição, escrevendo-o na forma vertical, alinhando as parcelas, de modo que os algarismos de cada ordem fiquem posicionados verticalmente, e calculando a adição em cada uma delas. Outra estratégia de resolução, que pode ser usada para adicionar os números apresentados no problema, é a decomposição numérica, ou seja, eles podem adicionar centena com centena, dezena com dezena, unidade simples com unidade simples e agrupar ao final desse processo os valores encontrados [( ) + ( ) + (8 + 4) = = = 552]. Os estudantes que escolheram a alternativa B, possivelmente, desenvolveram a habilidade avaliada pelo item. 77,4% de acerto 77A B C D 7,5% 77,4% 8,4% 3,9% A escolha da alternativa A sugere que esses estudantes aplicaram o algoritmo da adição, porém não realizaram o reagrupamento da ordem das unidades para a ordem das dezenas. Aqueles que assinalaram as alternativas C ou D, possivelmente, aplicaram o algoritmo da adição, contudo demonstraram um desconhecimento do Sistema de Numeração Decimal. Eles agruparam os algarismos da ordem das unidades, sem levar em consideração o reagrupamento necessário dessa ordem para a ordem das dezenas. A opção por essas duas últimas alternativas também revela que tais estudantes não se atentaram às quantidades que os números representam, isto é, não têm a noção de que, ao somar uma quantidade próxima de 300 com outra próxima de 200, o resultado deveria estar em torno de 500, e não de

4 (M050135EX) Observe no gráfi co abaixo a quantidade de espécies de 4 árvores nativas de uma reserva ecológica. ÁRVORES NATIVAS 25 Quantidade de espécies Jequitibá Pau-Brasil Peroba Aroeira Árvores De acordo com esse gráfico, o tipo de árvore com maior quantidade de espécies é A) Aroeira. B) Jequitibá. C) Pau-Brasil. D) Peroba. Esse item avalia a habilidade de os estudantes lerem informações e dados apresentados em gráficos de colunas. Para a resolução desse item, eles devem perceber que o gráfico apresenta quatro colunas, as quais indicam a quantidade de cada um dos quatro tipos de árvores nativas de uma reserva ecológica. O comando solicita que os estudantes apontem o tipo de árvore existente em maior quantidade nessa reserva, logo, eles devem selecionar a coluna de maior altura. Os estudantes que escolheram a alternativa A demonstraram ter consolidado a habilidade avaliada. 86,3% de acerto 86A B C D 86,3% 3,5% 4,4% 2,3% Os estudantes que marcaram a alternativa B, possivelmente, não se apropriaram do comando para resposta do item, assinalando a alternativa cuja árvore existe em menor quantidade na reserva, confundindo o conceito maior/menor. Aqueles que escolheram a alternativa C, provavelmente, elegeram como referencial de comparação apenas a coluna que representa a quantidade de árvores Jequitibá. Já os estudantes que assinalaram a alternativa D, possivelmente, elegeram como referencial de comparação as colunas que representam as quantidades de árvores Jequitibá e Pau-Brasil. Os estudantes que optaram pelas alternativas C e D demonstraram equivoco na compreensão das relações existentes em uma leitura de gráfico.

5 O desenvolvimento das habilidades em leitura e interpretação de dados, em tabelas ou gráficos é de suma importância, uma vez que irá permitir que esses estudantes não só sejam capazes de, futuramente, avaliar criticamente as informações estatísticas comumente divulgadas em jornais, revistas e outras mídias, como também poderá ajudá-los a tomarem decisões com base na interpretação dessas informações. Por isso é importante trabalhar, desde essa etapa de escolaridade, intervenções didáticas que possibilitem a esses estudantes processarem informações, o que inclui escrita, leitura e cálculo, nos diversos contextos. Observe abaixo mais alguns exemplos de itens que caracterizam esse padrão de desempenho. (M050312B1) Clara ganhou de mesada as cédulas e moedas representadas abaixo. Clara trocou esse dinheiro por uma única nota de mesmo valor. A nota que Clara recebeu nessa troca foi A) B) C) D) Esse item avalia a habilidade de os estudantes estabelecerem trocas entre cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro, em função de seus valores. 77,5% de acerto 77A B C D 5,1% 9,0% 4,7% 77,5%

6 (M050086CE) Observe as figuras abaixo. Qual dessas figuras é o círculo? A) I B) II C) III D) IV I II III IV Esse item avalia a habilidade de os estudantes identificarem propriedades comuns e diferenças entre figuras bidimensionais. 87,1% de acerto 87A B C D 3,2% 3,4% 87,1% 3,8%

7 Básico de 150 a 200 pontos Nesse Padrão, as habilidades matemáticas que mais se evidenciam são as relativas aos significados atribuídos aos números naturais, seja em um contexto social ou escolar. Os estudantes que se encontram nesse Padrão demonstram reconhecer e utilizar características do Sistema de Numeração Decimal, tais como princípio do valor posicional, escrita por extenso de números e sua composição ou decomposição em dezenas e unidades, além de compreender o significado do algoritmo da subtração de números de até quatro algarismos, da multiplicação com número de dois algarismos e da divisão exata por números de um algarismo. Esses estudantes resolvem problemas envolvendo a soma ou subtração de números racionais na forma decimal, constituídos pelo mesmo número de casas decimais e por até três algarismos. Eles também resolvem problemas envolvendo as operações, incluindo o Sistema Monetário brasileiro. No Campo Geométrico, reconhecem um número maior de figuras bidimensionais pelo número de lados e pelo ângulo reto, identificam a forma ampliada de uma figura em uma malha quadriculada, diferenciam entre os diversos sólidos aqueles com superfícies arredondadas, além de identificar a localização e movimentação de objetos em representações do espaço, com base em referencial igual ou diferente da própria posição. No campo Tratamento da Informação, esses estudantes começam a ler informações em tabelas de dupla entrada e interpretar informações em um gráfico de coluna, por meio da leitura de valores do eixo vertical. Essa leitura é muitas vezes caracterizada pela percepção da altura da coluna, embora já se constate a leitura de valores no eixo vertical. As habilidades pertinentes ao Campo Grandezas e Medidas também aparecem nesse Padrão, demonstrando que os estudantes compreendem o procedimento para medir o comprimento de um objeto com a utilização da régua graduada, e relacionam metros com centímetros. Eles também conseguem ler horas e minutos em relógio digital e de ponteiro. Reconhecem a duração de um intervalo de tempo e sabem relacionar dias e semanas, horas e minutos. Também conseguem reconhecer as cédulas do Sistema Monetário brasileiro que representam uma quantia de dinheiro inteira, sem centavos, além de estimar medida de comprimento usando unidades convencionais e não convencionais.

8 (MEF0023PC) Uma das decomposições do número é A) 2 unidades de milhar, 89 centenas e 3 unidades. B) 2 unidades de milhar, 8 centenas, 9 dezenas e 3 unidades. C) 28 unidades de milhar, 9 dezenas e 3 unidades. D) 289 centenas e 3 unidades. Esse item avalia a habilidade de os estudantes reconhecerem a decomposição de um número natural formado por 4 algarismos em ordens diversas. Para resolvê-lo, eles devem recorrer aos conhecimentos sobre a estrutura do Sistema de Numeração Decimal, um sistema posicional, multiplicativo e no qual o algarismo zero representa posição vazia. Dessa forma, os estudantes precisam reconhecer o valor relativo de cada algarismo que compõe o número 2 893, ou seja, que o algarismo 2 corresponde a 2 unidades de milhar, o 8 corresponde a 8 centenas, o 9 corresponde a 9 dezenas e o 3 corresponde a 3 unidades. Portanto, a alternativa correta é a B e, possivelmente, os estudantes que a assinalaram já desenvolveram a habilidade avaliada pelo item. 64,0% de acerto 64A B C D 15,3% 64,0% 8,4% 9,0% Os respondentes que optaram pelas demais alternativas demonstraram não terem construído significado para as características do nosso sistema de numeração, isto é, não relacionam cada algarismo do número à sua respectiva ordem ou mesmo não conhecem os significados dos termos unidades, dezenas, centenas e unidades de milhar. No processo de ensino, algumas representações físicas podem ser úteis para auxiliar o aluno na compreensão do Sistema de Numeração Decimal, como é o caso do material dourado ou do ábaco. Ao usar esses materiais com a orientação do professor, os estudantes podem desenvolver compreensões sobre a importância das ordens, sobre o valor posicional dos algarismos nos números e inclusive sobre os algoritmos das operações aritméticas.

9 (M050272B1) Fátima distribuiu igualmente 87 canetas a 3 crianças. Quantas canetas recebeu cada uma dessas crianças? A) 90 B) 87 C) 84 D) 29 Esse item avalia a habilidade de os estudantes resolverem problemas envolvendo divisão exata de números naturais. Para resolvê-lo, eles devem ser capazes de reconhecer o significado de partilha, apresentado no contexto do item, identificando que as 87 canetas foram distribuídas igualmente entre 3 crianças. Logo, devem aplicar a operação de divisão para a resolução do problema, observando que 87 refere-se ao dividendo e 3 ao divisor. Uma possível estratégia para a resolução desse item é a resolução do algoritmo convencional da divisão, escrevendo dividendo à esquerda e divisor à direita. Outra possível estratégia é a de subtrações sucessivas, isto é, tirar 3 de 87 repetidas vezes, até encontrar o número de vezes que 3 cabe em 87 (87 3 = 84, 84 3 = e assim sucessivamente). A escolha da alternativa D indica que esses estudantes desenvolveram a habilidade avaliada pelo item. duas variáveis em uma relação constante e que essa operação não deve ser apresentada a eles apenas como a inversa da multiplicação, pois outras significações podem ser perdidas, como, por exemplo, a ideia de subtrações sucessivas. Além disso, fica evidente que uma das maiores dificuldades apresentadas por eles ao resolver essa operação é perceber que existem novas relações a serem compreendidas com a distribuição, uma delas é lidar com a ideia de todo e parte 1. 60,6% de acerto 60A B C D 16,0% 7,8% 12,9% 60,6% Os estudantes que optaram pelas demais alternativas não compreenderam o significado de partilha apresentado no contexto do item. Os que marcaram a alternativa A somaram os valores apresentados no enunciado, os que marcaram a alternativa C realizaram uma subtração do maior valor apresentado no enunciado pelo menor (87 3), enquanto aqueles que optaram pela alternativa B apenas repetiram a quantidade inicial de canetas de Fátima. É necessário que, desde essa etapa, os estudantes sejam levados a perceber que a divisão envolve 1 As relações parte todo também se relacionam com a divisão, mas de forma diferente das relações envolvidas nos problemas aditivos, nas quais o tamanho das partes não precisam ser iguais.

10 de uma divisão de números naturais. 64A B C D Observe abaixo mais alguns exemplos de itens que caracterizam esse padrão de desempenho. (M050333A9) Observe na tabela abaixo a temperatura em C de algumas capitais do Brasil. Capitais Temperatura mínima Temperatura máxima Belém 23 C 31 C Belo Horizonte 17 C 27 C Curitiba 13 C 24 C Goiânia 15 C 30 C Natal 23 C 30 C São Paulo 16 C 25 C Fonte: Jornal Estado de Minas, 3/05/09. De acordo com essa tabela, qual é a capital que apresenta a temperatura mínima de 23 C e máxima de 30 C? A) Natal. 68,9% de acerto B) Goiânia. C) Curitiba. D) Belém. Esse item avalia a habilidade de os estudantes lerem informações e dados apresentados em tabelas de dupla entrada. 68A B C D 68,9% 7,6% 6,2% 15,0% (M050709A9) Resolva a operação abaixo O resultado dessa operação é A) 312 B) 933 C) 939 D) ,2% de acerto Esse item avalia a habilidade de os estudantes calcularem o resultado 64,2% 13,8% 13,0% 6,7%

11 Adequado de 200 a 250 pontos Nesse Padrão, há uma maior expansão do conhecimento matemático necessário à série, tanto no que tange à ampliação do leque de habilidades relativas à resolução de problemas quanto na complexidade que exige dos estudantes melhor desempenho ao lidar com o Sistema de Numeração Decimal. Nesse Padrão, os estudantes demonstram habilidade em calcular o resultado de uma expressão numérica envolvendo adição e subtração com uso de parênteses e colchetes; calcular o resultado de uma divisão por números de até dois algarismos, inclusive com resto e uma multiplicação cujos fatores são números de dois algarismos; identificar números naturais em um intervalo dado; reconhecer a lei de formação de uma sequência de números naturais. Há evidencia também do desenvolvimento de habilidades relativas ao conjunto dos números racionais. Constata-se que esses estudantes comparam números decimais com diferentes partes inteiras, localizando-os na reta numérica; reconhecem a representação numérica de uma fração com apoio de representação gráfica, além de calcular porcentagem. Ainda no Campo Numérico, esses estudantes demonstram resolver problemas utilizando multiplicação envolvendo configuração retangular e reconhecendo que um número não se altera ao multiplicá-lo por um; envolvendo mais de uma operação; de soma, envolvendo combinações; de composição ou decomposição polinomial. Desenvolve-se também nesse Padrão, a habilidade de reconhecer o gráfico de colunas correspondente aos dados apresentados de forma textual e a capacidade para resolver problemas que envolvem a interpretação de dados apresentados em gráficos de barras ou em tabelas. Além disso, são capazes de localizar informações em gráficos de colunas duplas e ler gráficos de setores ou relacioná-los a gráficos de colunas. Os estudantes também conseguem estimar uma medida de comprimento usando unidades não convencionais, como, por exemplo, o pé. Sabem também determinar a medida do comprimento do contorno de uma figura poligonal desenhada em malha quadriculada, mas não reconhecem ainda o significado da palavra perímetro. Em figuras poligonais desenhadas em uma malha quadriculada, os estudantes conseguem comparar suas áreas, bem como determinar a sua medida pela contagem de quadradinhos. Já conseguem ler horas e minutos em relógio de ponteiros em situações mais gerais. Assim como no Padrão anterior, sabem relacionar dias e semanas ; horas e minutos, mas avançam para outras unidades, como meses, trimestres e ano, e sabem também efetuar cálculos simples com essas unidades de medida de tempo. Eles resolvem problemas envolvendo conversão de unidades de medida de massa (kg/g), tempo (dias/anos), temperatura, comprimento (km/m) e capacidade (ml/ L). Determinam o intervalo de tempo transcorrido entre dois instantes. Além de reconhecer as cédulas do Sistema Monetário Nacional, neste Padrão, eles estabelecem trocas de cédulas e moedas em situações menos familiares.

12 Em relação ao Padrão anterior, constata-se que no campo Geométrico esses estudantes identificam os triângulos, os quadriláteros (por meio de suas propriedades), os pentágonos, os hexágonos e os círculos. Eles também demonstram ter mobilizado estruturas que os permitiram transitar, cognitivamente, do espaço tridimensional para o plano, percebendo características e propriedades relativas às planificações de um cubo e de um cilindro dada em situação contextualizada. Além de identificar propriedades comuns e diferenças entre os sólidos geométricos através do número de faces, também identificam a localização ou movimentação de objetos em representações gráficas situadas em referencial diferente do estudante e reconhecem que a medida do perímetro de um polígono, em uma malha quadriculada, dobra ou se reduz à metade, quando os lados dobram ou são reduzidos à metade.

13 (M060065E4) A reforma da casa de Bruno durou 5 semanas completas. Quantos dias, no total, durou essa reforma? A) 5 B) 7 C) 25 D) 35 Este item avalia a habilidade de os estudantes reconhecerem e relacionarem, em situações-problema, as unidades usuais de medida de tempo: semanas e dias. Para resolvê-lo, eles devem ter desenvolvido a noção de tempo e percebê-lo como um componente do sistema de medidas usado para sequenciar eventos, comparar suas durações e seus intervalos. Em seguida, devem converter o número de semanas em dias, reconhecendo que 7 dias correspondem a uma semana. O conhecimento mobilizado pelos estudantes para resolver o problema passa também pelo conceito de semana como um grupo de 7 dias sequenciados. Apoiados nesse conhecimento, eles poderão utilizar uma multiplicação (5 x 7), ou ainda uma adição ( ), chegando ao resultado 35 e assinalando a alternativa correta D. 49,7% de acerto 49A B C D 11,9% 11,8% 23,5% 49,7% Os estudantes que optaram pela alternativa A ou não atribuíram significado ao comando de resposta do item e apenas repetiram o número apresentado no enunciado, ou apenas associaram, equivocadamente, uma semana a 5 dias. Aqueles que optaram pela alternativa C associaram uma semana a 5 dias e encontraram a quantidade de dias que essas 5 semanas teriam (25). Por outro lado, aqueles que marcaram a alternativa B reconheceram que 1 semana corresponde a 7 dias, porém não compreenderam o comando do item e marcaram 7 como resposta. Nas séries iniciais, trabalhar Grandezas e Medidas é de suma importância para o dia-a-dia do estudante. Por isso, faz-se necessário o trabalho com calendários e conversões de medidas de tempo para que os estudantes consigam desenvolver e consolidar a noção de tempo nessa etapa da aprendizagem.

14 (M060034E4) João dirigia pela estrada com destino à praia de Jurerê-SC, quando avistou a placa representada abaixo. Jurerê à 8 km Disponível em: <http://kidsalfabetizacao.blogspot.com.br/2010/03/placas-de-orientacao-de-estrada-para.html>. Acesso em: 22 nov De acordo com essa placa, quantos metros faltam para João chegar à praia de Jurerê? A) 8 m B) 80 m C) 800 m D) m Esse item avalia a habilidade de os estudantes resolverem problemas envolvendo conversão entre unidades de medida de comprimento. 24,4% de acerto Para resolvê-lo, eles devem associar a unidade km à unidade m, considerando que 1km é igual a 1 000m, dessa forma, 8km é igual a 8 000m. Logo, aqueles que marcaram a alternativa D provavelmente desenvolveram a habilidade avaliada pelo item. Os estudantes que marcaram as alternativas B ou C, provavelmente, não percebem, ainda, a relação correta existente entre os múltiplos e submúltiplos do metro, considerando, equivocadamente, 1 km igual a 10 ou 100 metros. Já os que optaram pela alternativa A, possivelmente, não compreenderam o comando de resposta do item e apenas repetiram o número apresentado no suporte. 24A B C D 38,8% 21,1% 13,5% 24,4% A habilidade avaliada por esse item determina que os estudantes compreendam a relação existente entre quantidades contínuas, ou seja, eles precisam perceber quantas vezes uma medida pode estar inserida em outra. Seria interessante uma abordagem mais dinâmica, menos mecanicista e interdisciplinar dessas unidades de medida, proporcionando ao estudante um aprendizado mais significativo e concreto.

15 (M050323EX) Aline levou uma quantia de 240 reais para comprar sapatos em uma loja. Ela gastou 50% dessa quantia na compra de um par de sapatos. Quanto custou esse par de sapatos que Aline comprou? A) 50 reais. B) 120 reais. 37,6% de acerto C) 190 reais. D) 290 reais. Esse item avalia a habilidade de os estudantes resolverem problemas envolvendo porcentagem. 37A B C D 17,5% 37,6% 22,8% 19,0% (M050093B1) Observe na malha quadriculada abaixo o desenho de cor cinza feito por Camila em seu caderno. Qual é a medida do contorno desse desenho? A) 28 cm B) 25 cm C) 24 cm D) 12 cm 25,8% de acerto Esse item avalia a habilidade de os estudantes resolverem problemas envolvendo o cálculo do perímetro de figuras planas, desenhadas em malhas quadriculadas. 25A B C D 25,8% 10,7% 45,1% 16,1%

16 Avançado acima de 250 pontos As habilidades matemáticas características desse Padrão exigem dos estudantes um raciocínio numérico e geométrico mais avançado para a resolução de problemas. Eles identificam mais de uma forma de representar a mesma fração, assim como localizá-las na reta numérica; resolvem problemas que envolvem proporcionalidade requerendo mais de uma operação; reconhecem que 50% corresponde à metade; resolvem problemas utilizando a multiplicação e divisão em situação combinatória, de soma e subtração de números racionais na forma decimal envolvendo o Sistema Monetário brasileiro; simples de contagem envolvendo o princípio multiplicativo. No Campo Geométrico, constata-se que esses estudantes identificam elementos de figuras tridimensionais, reconhecem o quadrado fora da posição usual, reconhecem diferentes planificações do cubo, identificam as posições dos lados (paralelismo) dos quadriláteros, identificam a localização de um objeto, tendo por referência pontos com posição opostas à sua e envolvendo combinações, além de identificar poliedros e corpos redondos relacionando-os às suas planificações. Nesse Padrão, os estudantes efetuam operações com horas e minutos, fazendo redução de minutos em horas; reconhecem o significado da palavra perímetro ; realizam conversão e soma de medidas de comprimento (m/km) e massa (g/kg); estimam medidas de grandeza, utilizando unidades de medida convencionais (L) e resolvem problemas de situações de troco, envolvendo um número maior de informações e operações. Os estudantes que se encontram nesse Padrão desenvolveram as habilidades relativas ao campo Tratamento da Informação nos Padrões anteriores a este, demonstrando serem capazes de fazer leituras e interpretação de tabelas de até dupla entrada e gráficos de barra e setores.

17 (M050722A9) Marcelo foi a uma lanchonete em que o cliente monta seu próprio sanduíche. O cliente pode escolher entre 3 variedades de pães e 6 tipos de recheios. De quantas maneiras diferentes Marcelo pode montar um sanduíche escolhendo uma variedade de pão e um tipo de recheio? A) 2 B) 3 C) 9 D)18 Esse item avalia a habilidade de os estudantes resolverem problemas utilizando a multiplicação em situação combinatória. Para resolvê-lo, eles devem, primeiramente, compreender o significado de multiplicação implícito no enunciado. Nesse caso, os estudantes devem descobrir de quantas maneiras é possível combinar pães e recheios, percebendo que, para cada variedade de pão, há 6 tipos de recheios disponíveis. Como são 3 variedades de pães, então o produto 3 x 6 (ou 6 x 3, no caso em que o raciocínio começa pelo tipo de recheio) fornece a resposta do problema. Logo, os estudantes que marcaram a alternativa D, possivelmente, desenvolveram a habilidade avaliada pelo item. 26,8% de acerto 26A B C D 10,2% 18,1% 42,2% 26,8% Outra estratégia possível é o uso da árvore de possibilidades, ou seja, elaborar desenhos ou esquemas que representem, de um lado, as variedades de pães, e de outro os tipos de recheios, fazendo ligações entre essas informações. A opção pelas demais alternativas sugere que os respondentes não compreenderam que o problema envolvia a operação de multiplicação e utilizaram outras operações aritméticas para tentar encontrar o resultado requerido pelo item, sendo a alternativa C o equívoco mais comum, ou seja, pensar que o problema envolve a junção das variedades de pães com os tipos de recheios. É importante que os estudantes ao final do 5º ano do Ensino Fundamental sejam capazes de estabelecer relações entre as quantidades envolvidas no contexto do item, sendo necessário que haja compreensão acerca dos conceitos que envolvem as operações aritméticas. Ao final dessa etapa, eles precisam perceber em quais situações se aplicam, por exemplo, conceitos relacionados ao campo multiplicativo na resolução de problemas de contagem. O desenvolvimento dessa habilidade não deve ser desvinculado da compreensão histórica e conceitual de numeração.

18 (M060321E4) Em um grupo de dez crianças, sete delas gostam de andar de bicicleta. Qual é a fração que representa o número de crianças que gostam de andar de bicicleta em relação a esse total de crianças? 3 A) 10 7 B) C) 7 10 D) 3 Esse item avalia a habilidade de os estudantes identificarem fração como parte de um todo, sem apoio de imagem. Para resolvê-lo, eles devem compreender que o número total de crianças (10) indica em quantas partes iguais o inteiro foi dividido (denominador) e descreve o tipo de parte que está sendo tomada como unidade de medida, bem como perceber que o número de crianças que gosta de andar de bicicleta (7) indica quantas partes do todo estão sendo consideradas (numerador). Aqueles que assinalaram a alternativa B, possivelmente, desenvolveram a habilidade avaliada pelo item. 51,1% de acerto 51A B C D 8,9% 51,1% 31,7% 5,3% Os estudantes que optaram pela alternativa C, equivocaram-se ao estabelecer uma relação inversa entre parte e todo, ou seja, associaram a quantidade total de crianças no grupo com a parte que foi considerada. Para esses estudantes falta uma compreensão significativa acerca desse registro numérico, pois eles identificam o inteiro e a parte desse inteiro, mas demonstram não compreender a relação numerador denominador nesse contexto. Já os que escolheram a alternativa A, provavelmente, não se apropriaram do comando para resposta do item e relacionaram a quantidade de crianças que não gostam de andar de bicicleta com a quantidade total de crianças no grupo. Esses estudantes encontram-se em um estágio de desenvolvimento dessa habilidade mais avançado do que os que marcaram a alternativa D, pois demonstram não confundir a relação numerador denominador. Para o desenvolvimento dessa habilidade, é importante que as explicações iniciais sobre o conceito de fração sejam feitas com o

19 apoio de imagens, em contextos de decomposição de formas em partes iguais. Dessa forma, espera-se que os estudantes se apropriem do significado de parte-todo da fração e façam a associação correta com seu símbolo. O significado de parte-todo envolve a ideia de comparação entre quantidade e medida. A situação envolve um todo (o inteiro ou o grupo) que deve ser dividido em n partes iguais e ser tomar um determinado número de partes, sendo cada parte 1/n. Com o amadurecimento, também é esperado que os estudantes sejam capazes de reconhecer a fração sem o apoio de um desenho. Em explicações posteriores, os estudantes precisam se deparar com situações que encaminhem uma reorganização do pensamento matemático sobre a fração, de forma a reconhecê-la também como uma divisão entre dois números. Por fim, é importante que os estudantes compreendam quais ideias subjazem o conceito de números racionais e que sejam capazes de perceber que os números naturais não serão suficientes para resolver todos os problemas que exigem o pensamento matemático no dia a dia.

Padrões de Desempenho Estudantil

Padrões de Desempenho Estudantil Matemática - 4ª série/5º ano do Ensino Fundamental PAEBES 2013 Padrões de Desempenho Estudantil Abaixo do Básico Básico Proficiente Avançado Os Padrões de Desempenho são categorias definidas a partir de

Leia mais

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual / Critérios de avaliação. Disciplina: Matemática 2.º ano 2015/2016

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual / Critérios de avaliação. Disciplina: Matemática 2.º ano 2015/2016 DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110 Planificação Anual / Critérios de avaliação Disciplina: Matemática 2.º ano 2015/2016 Domínio (Unidade/ tema) Subdomínio/Conteúdos Metas de Aprendizagem Estratégias/

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 34, Toledo PR Fone: 377-850 PLANEJAMENTO ANUAL DE MATEMÁTICA 5º Ano PROFESSORAS: JESSICA ALINE

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL MATEMÁTICA 3 DOMÍNIOS OBJETIVOS ATIVIDADES

PLANIFICAÇÃO ANUAL MATEMÁTICA 3 DOMÍNIOS OBJETIVOS ATIVIDADES PLANIFICAÇÃO ANUAL MATEMÁTICA 3 DOMÍNIOS OBJETIVOS ATIVIDADES Números naturais Conhecer os numerais ordinais Utilizar corretamente os numerais ordinais até centésimo. Contar até um milhão Estender as regras

Leia mais

Resoluções Prova Anglo

Resoluções Prova Anglo Resoluções Prova Anglo TIPO F P-2 tipo D-5 Matemática (P-2) Ensino Fundamental 5º ano DESCRITORES, RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS A Prova Anglo é um dos instrumentos para avaliar o desempenho dos alunos do 5

Leia mais

Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro 1º Ciclo. Critérios de Avaliação. Ano Letivo 2015/16 Disciplina MATEMÁTICA 3.º Ano

Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro 1º Ciclo. Critérios de Avaliação. Ano Letivo 2015/16 Disciplina MATEMÁTICA 3.º Ano Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro 1º Ciclo Critérios de Avaliação Ano Letivo 2015/16 Disciplina MATEMÁTICA 3.º Ano Números e Operações Números naturais Utilizar corretamente os numerais ordinais

Leia mais

Plano Curricular de Matemática 3.º Ano - Ano Letivo 2015/2016

Plano Curricular de Matemática 3.º Ano - Ano Letivo 2015/2016 Plano Curricular de Matemática 3.º Ano - Ano Letivo 2015/2016 1.º Período Conteúdos Programados Previstas Dadas Números e Operações Utilizar corretamente os numerais ordinais até vigésimo. Ler e representar

Leia mais

(A) 25 (B) 35 (C) 55 (D) 85

(A) 25 (B) 35 (C) 55 (D) 85 D9 Estabelecer relações entre o horário de inicio e termino e ou intervalo da duração de um evento ou acontecimento. D10 Num problema estabelecer trocas entre cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro,

Leia mais

Resoluções Prova Anglo

Resoluções Prova Anglo Resoluções Prova Anglo F- TIPO D-6 Matemática (P-2) Ensino Fundamental 6º ano DESCRITORES, RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS A Prova Anglo é um dos instrumentos para avali ar o desempenho dos alunos do 6 o ano

Leia mais

EIXO/TEMA IV - TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO Descritor 27 Ler informações e dados apresentados em tabelas.

EIXO/TEMA IV - TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO Descritor 27 Ler informações e dados apresentados em tabelas. SUGESTÕES DE ATIVIDADES PARA O TRABALHO COM AS HABILIDADES E OS CONTEÚDOS DOS DESCRITORES DA MATRIZ SAEB E DAS EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM DA MATRIZ CURRICULAR DO ESTADO DE GOIÁS CADERNO 5 Matemática

Leia mais

PROVA BRASIL: DESCRITORES DE AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA

PROVA BRASIL: DESCRITORES DE AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA PROVA BRASIL: DESCRITORES DE AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA Isabel Cristina Ribeiro 1 Mary Ângela Teixeira Branda lise 2 Resumo Este trabalho tem por objetivo realizar um estudo sobre as habilidades e competências

Leia mais

APRENDIZAGEM MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

APRENDIZAGEM MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL APRENDIZAGEM MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Resumo Jane Eletra Serafini Daniel 1 - UFPR Ettiène Guérios 2 - UFPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência

Leia mais

GOVERNADOR DE PERNAMBUCO JOÃO SOARES LYRA NETO SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES DO ESTADO RICARDO DANTAS

GOVERNADOR DE PERNAMBUCO JOÃO SOARES LYRA NETO SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES DO ESTADO RICARDO DANTAS ISSN 1948-560X GOVERNADOR DE PERNAMBUCO JOÃO SOARES LYRA NETO SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES DO ESTADO RICARDO DANTAS SECRETÁRIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO ANA SELVA SECRETÁRIO EXECUTIVO

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros 2º ciclo PCA - 6º ano Planificação Anual 2013-2014 MATEMÁTICA METAS CURRICULARES

Leia mais

Planejamento Anual. Componente Curricular: Matemática Ano: 6º ano Ano Letivo: 2015 OBJETIVO GERAL

Planejamento Anual. Componente Curricular: Matemática Ano: 6º ano Ano Letivo: 2015 OBJETIVO GERAL Planejamento Anual Componente Curricular: Matemática Ano: 6º ano Ano Letivo: 2015 Professor(s): Eni e Patrícia OBJETIVO GERAL Desenvolver e aprimorar estruturas cognitivas de interpretação, análise, síntese,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Matemática 1º ano Ano Letivo 2015/2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Matemática 1º ano Ano Letivo 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Matemática 1º ano Ano Letivo 2015/2016 1º Trimestre Domínios Números e Operações Números naturais Contar até cinco Correspondências

Leia mais

MATEMÁTICA Edwaldo Bianchini. Um supertalento para fazer livros mais um consagrado time de autores. Resultado: ensino com muito mais valor.

MATEMÁTICA Edwaldo Bianchini. Um supertalento para fazer livros mais um consagrado time de autores. Resultado: ensino com muito mais valor. Material de divulgação da Editora Moderna PNLD 2011 Um supertalento para fazer livros mais um consagrado time de autores. Resultado: ensino com muito mais valor. MATEMÁTICA Edwaldo Bianchini MATEMÁTICA

Leia mais

Informação - Teste Comum 2.ºCICLO DO ENSINO BÁSICO MATEMÁTICA - 6.º ANO 2015

Informação - Teste Comum 2.ºCICLO DO ENSINO BÁSICO MATEMÁTICA - 6.º ANO 2015 Direção de Serviços da Região Norte Informação - Teste Comum 2.ºCICLO DO ENSINO BÁSICO MATEMÁTICA - 6.º ANO 2015 1- Informação O presente documento divulga informação relativa ao teste comum do 2.º Ciclo

Leia mais

AV1 - MA 12-2012. (b) Se o comprador preferir efetuar o pagamento à vista, qual deverá ser o valor desse pagamento único? 1 1, 02 1 1 0, 788 1 0, 980

AV1 - MA 12-2012. (b) Se o comprador preferir efetuar o pagamento à vista, qual deverá ser o valor desse pagamento único? 1 1, 02 1 1 0, 788 1 0, 980 Questão 1. Uma venda imobiliária envolve o pagamento de 12 prestações mensais iguais a R$ 10.000,00, a primeira no ato da venda, acrescidas de uma parcela final de R$ 100.000,00, 12 meses após a venda.

Leia mais

Conteúdo Programático Anual MATEMÁTICA

Conteúdo Programático Anual MATEMÁTICA MATEMÁTICA 1º BIMESTRE 5ª série (6º ano) CALCULANDO COM NÚMEROS NATURAIS 1. Idéias associadas à adição 2. Idéias associadas à subtração 3. Idéias associadas à multiplicação 4. Idéias associadas à divisão

Leia mais

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas

Agrupamento de Escolas António Rodrigues Sampaio Planificação Anual das Atividades Letivas Departamento Curricular: 1º ciclo Ano de escolaridade: 3º ano Área Curricular: MATEMÁTICA Ano letivo:2015/2016 Perfil do aluno à saída do 1º ciclo: Participar na vida sala de aula, da escola e da comunidade

Leia mais

Aventuras de Matemática Ensino Médio

Aventuras de Matemática Ensino Médio Aventuras de Matemática Ensino Médio Orientações ao Professor 1. Ficha descritiva Nome e número da missão: 4 Novo ataque inimigo! Patente que poderá ser alcançada: Subagente Bônus mínimo para ser considerada

Leia mais

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O NÍVEL DE PROFICIÊNCIA DOS ESTUDANTES EM MATEMÁTICA A PARTIR DOS RESULTADOS DO SAEB DE 2003

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O NÍVEL DE PROFICIÊNCIA DOS ESTUDANTES EM MATEMÁTICA A PARTIR DOS RESULTADOS DO SAEB DE 2003 ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O NÍVEL DE PROFICIÊNCIA DOS ESTUDANTES EM MATEMÁTICA A PARTIR DOS RESULTADOS DO SAEB DE 2003 RESUMO Erik Leonardo Pereira Magalhães Os resultados negativos obtidos nos diversos

Leia mais

Resoluções Prova Anglo

Resoluções Prova Anglo Resoluções Prova Anglo F- TIPO D-7 Matemática (P-2) Ensino Fundamental 7º ano DESCRITORES, RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS A Prova Anglo é um dos instrumentos para avaliar o desempenho dos alunos do 7 o ano das

Leia mais

TRABALHO ENCOMENDADO O ENSINO DAS FRAÇÕES E SEUS DIFERENTES SIGNIFICADOS

TRABALHO ENCOMENDADO O ENSINO DAS FRAÇÕES E SEUS DIFERENTES SIGNIFICADOS TRABALHO ENCOMENDADO O ENSINO DAS FRAÇÕES E SEUS DIFERENTES SIGNIFICADOS Suely Miranda Cavalcante Bastos 1 Aparecido José da Silva 2 RESUMO A aprendizagem dos números naturais e racionais bem como as operações

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DE MATEMÁTICA SÉRIES INICIAIS. Abril de 2011

MATRIZ CURRICULAR DE MATEMÁTICA SÉRIES INICIAIS. Abril de 2011 MATRIZ CURRICULAR DE MATEMÁTICA SÉRIES INICIAIS 2011 Abril de 2011 1 1º ANO 1º trimestre 2º trimestre Contagem. Notação e escrita numéricas. Organização do esquema corporal. Percepção do tempo. Sequência

Leia mais

Oficina 18: TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO. Introdução

Oficina 18: TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO. Introdução Oficina 18: TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO Introdução Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) o conteúdo Tratamento da Informação, deve ser trabalhado de modo que estimule os alunos a fazer perguntas,

Leia mais

QUESTÕES PARA O 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL MATEMÁTICA 2º BIMESTE SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES

QUESTÕES PARA O 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL MATEMÁTICA 2º BIMESTE SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES QUESTÕES PARA O 9º ANO ENSINO FUNDAMENTAL MATEMÁTICA 2º BIMESTE SUGESTÕES DE RESOLUÇÕES QUESTÃO 01 1 Identificar a localização/movimentação de objeto, em mapas, croquis e outras representações gráficas.

Leia mais

Disciplina: Matemática. Período: I. Professor (a): Liliane Cristina de Oliveira Vieira e Maria Aparecida Holanda Veloso

Disciplina: Matemática. Período: I. Professor (a): Liliane Cristina de Oliveira Vieira e Maria Aparecida Holanda Veloso COLÉGIO LA SALLE BRASILIA Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Disciplina: Matemática Período:

Leia mais

Matemática - Séries Iniciais. Currículo Matemática. Currículos Instututo Alfa e Beto 69

Matemática - Séries Iniciais. Currículo Matemática. Currículos Instututo Alfa e Beto 69 Matemática - Séries Iniciais Currículo Matemática Currículos Instututo Alfa e Beto 69 Matemática - Séries Iniciais 1º ANO 2º ANO 3º ANO 4º ANO 5º ANO DOMÍNIO: NÚMEROS E OPERAÇÕES 1: SISTEMA DE NUMERAÇÃO

Leia mais

Instituto de Matemática - UFRGS

Instituto de Matemática - UFRGS Considerações sobre a prova de Matemática do ENEM Marcus Vinicius Basso Elisabete Zardo Búrigo Instituto de Matemática - UFRGS Neste texto apresentamos algumas considerações sobre características da prova

Leia mais

Programa de Cursos 2011 / Matemática - Ensino Fundamental / 2º. ao 5º. ano

Programa de Cursos 2011 / Matemática - Ensino Fundamental / 2º. ao 5º. ano Sugestões de jogos Os jogos que apresentamos neste material envolvem diversos conceitos e procedimentos matemáticos, com variações nos níveis de complexidade e destinados a um ou mais grupos de ensino,

Leia mais

A calculadora e a aprendizagem da Matemática nos primeiros anos

A calculadora e a aprendizagem da Matemática nos primeiros anos Formação Contínua em Matemática para Professores dos 1º e 2º ciclos 2007-2008 A calculadora e a aprendizagem da Matemática nos primeiros anos I. Construir conceitos matemáticos Exploração de sequências

Leia mais

DISCIPLINA DE MATEMÁTICA

DISCIPLINA DE MATEMÁTICA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA OBJETIVOS: 6 ano Levar os estudantes a reconhecerem, em situações cotidianas, as diferentes funções, os diferentes significados e as representações dos números, operações, medidas

Leia mais

Conselho de Docentes do 1.º Ano PLANIFICAÇÃO Anual de Matemática Ano letivo de 2015/2016

Conselho de Docentes do 1.º Ano PLANIFICAÇÃO Anual de Matemática Ano letivo de 2015/2016 Conselho de Docentes do 1.º Ano PLANIFICAÇÃO Anual de Matemática Ano letivo de 2015/2016 Domínios/Subdomínios Objetivos gerais Descritores de desempenho Avaliação Números e Operações Números naturais Contar

Leia mais

O USO DE MATERIAIS CONCRETOS PARA O ENSINO/APRENDIZAGEM DAS OPERAÇÕES ARITMÉTICAS. Maria da Conceição Alves Bezerra mcabst@hotmail.

O USO DE MATERIAIS CONCRETOS PARA O ENSINO/APRENDIZAGEM DAS OPERAÇÕES ARITMÉTICAS. Maria da Conceição Alves Bezerra mcabst@hotmail. O USO DE MATERIAIS CONCRETOS PARA O ENSINO/APRENDIZAGEM DAS OPERAÇÕES ARITMÉTICAS Maria da Conceição Alves Bezerra mcabst@hotmail.com RESUMO: A pesquisa aqui desenvolvida tem como objetivo propiciar elementos

Leia mais

Diagnosticando conhecimentos matemáticos requeridos nas provas do ENEM

Diagnosticando conhecimentos matemáticos requeridos nas provas do ENEM Diagnosticando conhecimentos matemáticos requeridos nas provas do ENEM Maria das Dores de Morais Brasil dora.pe@gmail.com Leonardo de Morais UFPE Brasil leonardob.morais@gmail.com Resumo Este trabalho

Leia mais

Palavras-chave: Formação inicial de professores. Ensino a distância. Metodologia de Ensino.

Palavras-chave: Formação inicial de professores. Ensino a distância. Metodologia de Ensino. AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DAS DISCIPLINAS TÓPICOS ESPECIAIS EM MATEMÁTICA DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA A DISTÂNCIA Maria da Conceição Alves Bezerra Universidade Federal da Paraíba UFPB VIRTUAL

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE MATEMÁTICA (ao longo do ano)

PLANIFICAÇÃO DE MATEMÁTICA (ao longo do ano) PLANIFICAÇÃO DE MATEMÁTICA (ao longo do ano) DOMÍNIOS Subdomínios / Conteúdos programáticos Metas / Descritores de desempenho Números e operações Números naturais Números racionais não negativos Compreender

Leia mais

Domínio Subdomínio Conteúdos Metas

Domínio Subdomínio Conteúdos Metas Escola Básica e Secundária da Graciosa Planificação Anual de Matemática de 1º ano Ano letivo 2014/2015 Períodos Domínio Subdomínio Conteúdos Metas Situar-se e situar objetos no espaço - Relações de posição

Leia mais

5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de Matemática Nome: Observe o gráfico a seguir e responda às questões propostas.

5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de Matemática Nome: Observe o gráfico a seguir e responda às questões propostas. 5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de Matemática Nome: Observe o gráfico a seguir e responda às questões propostas. 50 litros por dia* é a quantidade ideal de água potável para o bem-estar e

Leia mais

Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula

Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL RELAÇÃO

Leia mais

PLANIFICAÇÃO POR UNIDADE TEMÁTICA MATEMÁTICA 6.º ANO 2015/2016

PLANIFICAÇÃO POR UNIDADE TEMÁTICA MATEMÁTICA 6.º ANO 2015/2016 Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Sanches PLANIFICAÇÃO POR UNIDADE TEMÁTICA MATEMÁTICA 6.º ANO 2015/2016 Tema 1: Números naturais. Potências de expoente

Leia mais

Apenas o enunciado da prova será recolhido. As cotações dos itens de cada uma das partes encontram-se no final do respetivo caderno da prova.

Apenas o enunciado da prova será recolhido. As cotações dos itens de cada uma das partes encontram-se no final do respetivo caderno da prova. Provas a Nível de Escola PROVA FINAL DO 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO Matemática/Prova 52/1ª Fase/2014 Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho A PREENCHER PELO ESTUDANTE Nome completo Documento de CC identificação

Leia mais

Guia do Professor Introdução

Guia do Professor Introdução Guia do Professor Introdução Pesquisas realizadas pelo SAEB (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica) mostram as dificuldades dos estudantes em resolver situações problemas. Essa situação é decorrente

Leia mais

CURRÍCULO 1º ANO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM

CURRÍCULO 1º ANO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM CURRÍCULO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM ORALIDADE Formar frases com seqüência e sentido. Relacionar palavras que iniciam com vogais. Associar primeira letra/som em palavras iniciadas por vogal. Falar

Leia mais

TEXTO DE REVISÃO: Uso da calculadora científica e potências de 10.

TEXTO DE REVISÃO: Uso da calculadora científica e potências de 10. TEXTO DE REVISÃO: Uso da calculadora científica e potências de 10. Caro aluno (a): No livro texto (Halliday) cap.01 - Medidas alguns conceitos muito importantes são apresentados. Por exemplo, é muito importante

Leia mais

PLANIFICAÇÃO POR UNIDADE TEMÁTICA MATEMÁTICA 5º ANO DISTRIBUIÇÃO ANUAL DAS UNIDADES TEMÁTICAS/ TEMPOS LETIVOS (AULAS DE 45 )

PLANIFICAÇÃO POR UNIDADE TEMÁTICA MATEMÁTICA 5º ANO DISTRIBUIÇÃO ANUAL DAS UNIDADES TEMÁTICAS/ TEMPOS LETIVOS (AULAS DE 45 ) Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Sanches PLANIFICAÇÃO POR UNIDADE TEMÁTICA MATEMÁTICA 5º ANO DISTRIBUIÇÃO ANUAL DAS UNIDADES TEMÁTICAS/ TEMPOS LETIVOS

Leia mais

1. Localizar pessoas ou objetos no espaço, com base em diferentes pontos de referência algumas indicações de posição;

1. Localizar pessoas ou objetos no espaço, com base em diferentes pontos de referência algumas indicações de posição; PREFEITURA MUNICIPAL DE BETIM SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SEMED DIVISÃO PEDAGÓGICA DE ENSINO 2010 MATRIZ BÁSICA DO REFERENCIAL CURRICULAR DE BETIM 1 CICLO MATEMÁTICA 06 ANOS 07 ANOS 08 ANOS COMPETÊNCIAS

Leia mais

ALGORITMOS DE CÁLCULO COM AS QUATRO OPERAÇÕES E SEUS SIGNIFICADOS PARA OS LICENCIANDOS EM MATEMÁTICA

ALGORITMOS DE CÁLCULO COM AS QUATRO OPERAÇÕES E SEUS SIGNIFICADOS PARA OS LICENCIANDOS EM MATEMÁTICA ALGORITMOS DE CÁLCULO COM AS QUATRO OPERAÇÕES E SEUS SIGNIFICADOS PARA OS LICENCIANDOS EM MATEMÁTICA Helena Alessandra Scavazza Leme Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul UEMS e-mail: haleme@uol.com.br

Leia mais

Orientações Preliminares. Professor Fábio Vinícius

Orientações Preliminares. Professor Fábio Vinícius Orientações Preliminares Professor Fábio Vinícius O ENEM O ENEM foi criado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP), sob a supervisão do Ministério da Educação (MEC), em 1998,

Leia mais

Versão Online ISBN 978-85-8015-040-7 Cadernos PDE VOLUME II. O PROFESSOR PDE E OS DESAFIOS DA ESCOLA PÚBLICA PARANAENSE Produção Didático-Pedagógica

Versão Online ISBN 978-85-8015-040-7 Cadernos PDE VOLUME II. O PROFESSOR PDE E OS DESAFIOS DA ESCOLA PÚBLICA PARANAENSE Produção Didático-Pedagógica Versão Online ISBN 978-85-8015-040-7 Cadernos PDE VOLUME II O PROFESSOR PDE E OS DESAFIOS DA ESCOLA PÚBLICA PARANAENSE Produção Didático-Pedagógica 2008 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA

Leia mais

Padrões de Desempenho Estudantil

Padrões de Desempenho Estudantil Matemática - 3ª série do Ensino Médio PAEBES 2013 Padrões de Desempenho Estudantil Abaixo do Básico Básico Proficiente Avançado Os Padrões de Desempenho são categorias definidas a partir de cortes numéricos

Leia mais

Disciplina: Matemática. Período: I. Professor (a): Liliane Cristina de Oliveira Vieira e Maria Aparecida Holanda Veloso

Disciplina: Matemática. Período: I. Professor (a): Liliane Cristina de Oliveira Vieira e Maria Aparecida Holanda Veloso COLÉGIO LA SALLE BRASILIA Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Disciplina: Matemática Período:

Leia mais

Conceitos: A fração como coeficiente. A fração e a sua representação gráfica. Termos que compõem uma fração. Fração unidade. Fração de um número.

Conceitos: A fração como coeficiente. A fração e a sua representação gráfica. Termos que compõem uma fração. Fração unidade. Fração de um número. Unidade 1. As frações. Enquadramento Curricular em Espanha: Objetos de aprendizagem: 1.1. Conceito de fração Identificar os termos de uma fração. Escrever e ler frações. Comparar frações com igual denominador.

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA O Teotônio Brandão Vilela Filho AVALIAÇÕES DE SISTEMA

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA O Teotônio Brandão Vilela Filho AVALIAÇÕES DE SISTEMA MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA O Teotônio Brandão Vilela Filho USO DOS GOVERNADOR RESULTADOS DO ESTADO DE ALAGOAS DAS AVALIAÇÕES DE SISTEMA Rogério Auto Teófilo SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DO ESPORTE

Leia mais

CONTEÚDOS DA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA

CONTEÚDOS DA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA CONTEÚDOS DA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA 6ºANO CONTEÚDOS-1º TRIMESTRE Números naturais; Diferença entre número e algarismos; Posição relativa do algarismo dentro do número; Leitura do número; Sucessor e antecessor;

Leia mais

MATEMÁTICA 7.º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014 / 2015

MATEMÁTICA 7.º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014 / 2015 GRUPO DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA MATEMÁTICA 7.º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014 / 2015 (Em conformidade com o Programa de Matemática homologado em 17 de junho de 2013 e com as de Matemática homologadas em 3

Leia mais

Num cilindro as bases são círculos. O perímetro do círculo é igual ao comprimento da circunferência que limita o círculo.

Num cilindro as bases são círculos. O perímetro do círculo é igual ao comprimento da circunferência que limita o círculo. 1. Círculos e cilindros 1.1. Planificação da superfície de um cilindro Num cilindro as bases são círculos. O perímetro do círculo é igual ao comprimento da circunferência que limita o círculo. A planificação

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE MATEMÁTICA

PLANEJAMENTO ANUAL DE MATEMÁTICA COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE MATEMÁTICA 6º ANO "... A minha contribuição

Leia mais

Escola Estadual Antônio Valadares Plano de Aula

Escola Estadual Antônio Valadares Plano de Aula Nome do Professor: DENISE DA SILVA VARGAS VENANCIO Ano Referência: 2014 Município: Terenos Unidade Escolar: EE ANTÔNIO VALADARES Etapa Ensino: Ensino Fundamental Ano/Fase/Modulo: 2º Ano Turno: Integral

Leia mais

MATEMÁTICA - 5.º Ano

MATEMÁTICA - 5.º Ano Salesianos de Mogofores - 2015/2016 MATEMÁTICA - 5.º Ano Ana Soares ( amariasoares@gmail.com ) Catarina Coimbra ( catarinacoimbra@mail.ru ) Rota de aprendizage m por Projetos NÚMEROS NATURAIS Desenvolver

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MATERIAL CONCRETO NA MULTIPLICAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DO MATERIAL CONCRETO NA MULTIPLICAÇÃO A IMPORTÂNCIA DO MATERIAL CONCRETO NA MULTIPLICAÇÃO Elisabete Cano Sabino 1 Camila Aparecida Lopes Coradetti 2 José Felice 3 Resumo: O trabalho esta sendo desenvolvido na Escola Municipal Brincando de

Leia mais

Operações com números racionais decimais

Operações com números racionais decimais Divisão 1º: Divisão exata Operações com números racionais decimais Considere a seguinte divisão: 1,4 : 0,05 Transformando em frações decimais, temos: Método prático 1º) Igualamos o números de casas decimais,

Leia mais

Fração como porcentagem. Sexto Ano do Ensino Fundamental. Autor: Prof. Francisco Bruno Holanda Revisor: Prof. Antonio Caminha M.

Fração como porcentagem. Sexto Ano do Ensino Fundamental. Autor: Prof. Francisco Bruno Holanda Revisor: Prof. Antonio Caminha M. Material Teórico - Módulo de FRAÇÕES COMO PORCENTAGEM E PROBABILIDADE Fração como porcentagem Sexto Ano do Ensino Fundamental Autor: Prof. Francisco Bruno Holanda Revisor: Prof. Antonio Caminha M. Neto

Leia mais

Matemática e Questionário. 4ª Série Ensino Fundamental Manhã MANHÃ. Nome do aluno: Nome da escola: 4ª SÉRIE EF. Número triângulo:

Matemática e Questionário. 4ª Série Ensino Fundamental Manhã MANHÃ. Nome do aluno: Nome da escola: 4ª SÉRIE EF. Número triângulo: Matemática e Questionário MANHÃ 4ª Série Ensino Fundamental Manhã Nome do aluno: Nome da escola: 4ª SÉRIE EF Turma: Número triângulo: 2007 Prezado aluno, prezada aluna: Para que a Secretaria da Educação

Leia mais

Sumário. Volta às aulas. Vamos recordar?... 7 1. Grandezas e medidas: tempo e dinheiro... 59. Números... 10. Regiões planas e seus contornos...

Sumário. Volta às aulas. Vamos recordar?... 7 1. Grandezas e medidas: tempo e dinheiro... 59. Números... 10. Regiões planas e seus contornos... Sumário Volta às aulas. Vamos recordar?... Números... 0 Um pouco da história dos números... Como os números são usados?... 2 Números e estatística... 4 Números e possibilidades... 5 Números e probabilidade...

Leia mais

ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO - 4º ano -

ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO - 4º ano - COLÉGIO ARNALDO 2014 ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO - 4º ano - MATEMÁTICA Aluno(a): Série: 4º ano Turma: Professor(a): Valor: 20 pontos Obteve: Conteúdo de Recuperação Função do número - contagem, código, ordenação

Leia mais

Comentários e Exemplos sobre os Temas e seus Descritores da Matriz de Matemática de 4ª Série Fundamental

Comentários e Exemplos sobre os Temas e seus Descritores da Matriz de Matemática de 4ª Série Fundamental Comentários e Exemplos sobre os Temas e seus Descritores da Matriz de Matemática de 4ª Série Fundamental TEMA II GRANDEZAS E MEDIDAS A comparação de grandezas de mesma natureza que dá origem à idéia de

Leia mais

Nível 3 IV FAPMAT 28/10/2007

Nível 3 IV FAPMAT 28/10/2007 1 Nível 3 IV FAPMAT 8/10/007 1. A figura abaixo representa a área de um paralelepípedo planificado. A que intervalo de valores, x deve pertencer de modo que a área da planificação seja maior que 184cm

Leia mais

SITE_INEP_PROVA BRASIL - SAEB_MT_5ºANO (OK)

SITE_INEP_PROVA BRASIL - SAEB_MT_5ºANO (OK) 000 IT_023672 As balanças podem ser utilizadas para medir a massa dos alimentos nos supermercados. A reta numérica na figura seguinte representa os valores, em quilograma, de uma balança. 0 1 2 3 A partir

Leia mais

Matemática SSA 2 REVISÃO GERAL 1

Matemática SSA 2 REVISÃO GERAL 1 1. REVISÃO 01 Matemática SSA REVISÃO GERAL 1. Um recipiente com a forma de um cone circular reto de eixo vertical recebe água na razão constante de 1 cm s. A altura do cone mede cm, e o raio de sua base

Leia mais

Matriz de Referência de Matemática da 8ª série do Ensino Fundamental. Comentários sobre os Temas e seus Descritores Exemplos de Itens

Matriz de Referência de Matemática da 8ª série do Ensino Fundamental. Comentários sobre os Temas e seus Descritores Exemplos de Itens Matriz de Referência de Matemática da 8ª série do Ensino Fundamental TEMA I ESPAÇO E FORMA Comentários sobre os Temas e seus Descritores Exemplos de Itens Os conceitos geométricos constituem parte importante

Leia mais

Com uma coleção de figuras e de formas geométricas que mais parecem um jogo, mostre à turma que os números também têm seu lado concreto

Com uma coleção de figuras e de formas geométricas que mais parecem um jogo, mostre à turma que os números também têm seu lado concreto Universidade Severino Sombra Fundamentos Teóricos e Metodologia de Matemática 1 1 Com uma coleção de figuras e de formas geométricas que mais parecem um jogo, mostre à turma que os números também têm seu

Leia mais

ATENÇÃO: Escreva a resolução COMPLETA de cada questão no espaço reservado para a mesma.

ATENÇÃO: Escreva a resolução COMPLETA de cada questão no espaço reservado para a mesma. 2ª Fase Matemática Introdução A prova de matemática da segunda fase é constituída de 12 questões, geralmente apresentadas em ordem crescente de dificuldade. As primeiras questões procuram avaliar habilidades

Leia mais

Análise de uma avaliação com alunos de rede municipal

Análise de uma avaliação com alunos de rede municipal Análise de uma avaliação com alunos de rede municipal Yara Maria Leal Heliodoro Universidade Católica de Pernambuco Brasil yleal@terra.com.br Maria Cecília Antunes Aguiar Universidade Federal de Pernambuco

Leia mais

Metas Curriculares do Ensino Básico Matemática 1.º Ciclo. António Bivar Carlos Grosso Filipe Oliveira Maria Clementina Timóteo

Metas Curriculares do Ensino Básico Matemática 1.º Ciclo. António Bivar Carlos Grosso Filipe Oliveira Maria Clementina Timóteo Metas Curriculares do Ensino Básico Matemática 1.º Ciclo António Bivar Carlos Grosso Filipe Oliveira Maria Clementina Timóteo Números e Operações Contar até cem, mil,... Descodificar o sistema de numeração

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS CAXIAS DO SUL

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS CAXIAS DO SUL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS CAXIAS DO SUL CONVERSÃO ENTRE BASES NUMÉRICAS Disciplina: História da Matemática Professor: Rodrigo Sychocki da Silva Estudantes:

Leia mais

QUESTÃO 1 ALTERNATIVA B

QUESTÃO 1 ALTERNATIVA B 1 QUESTÃO 1 Marcos tem 10 0,25 = 2,50 reais em moedas de 25 centavos. Logo ele tem 4,30 2,50 = 1,80 reais em moedas de 10 centavos, ou seja, ele tem 1,80 0,10 = 18 moedas de 10 centavos. Outra maneira

Leia mais

Gabarito de Matemática do 7º ano do E.F.

Gabarito de Matemática do 7º ano do E.F. Gabarito de Matemática do 7º ano do E.F. Lista de Exercícios (L10) a Colocarei aqui algumas explicações e exemplos de exercícios para que você possa fazer todos com segurança e tranquilidade, no entanto,

Leia mais

Ambos têm os algarismos 7854 seguidos, a potência de dez apenas moverá a vírgula, que não afeta a quantidade de algarismos significativos.

Ambos têm os algarismos 7854 seguidos, a potência de dez apenas moverá a vírgula, que não afeta a quantidade de algarismos significativos. ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS Os algarismos significativos são os algarismos que têm importância na exatidão de um número, por exemplo, o número 2,67 tem três algarismos significativos. Se expressarmos o número

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA PLANO INDIVIDUAL DE ESTUDO ESTUDOS INDEPENDENTES DE RECUPERAÇÃO RESOLUÇÃO SEE Nº 2

ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA PLANO INDIVIDUAL DE ESTUDO ESTUDOS INDEPENDENTES DE RECUPERAÇÃO RESOLUÇÃO SEE Nº 2 ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA PLANO INDIVIDUAL DE ESTUDO ESTUDOS INDEPENDENTES DE RECUPERAÇÃO RESOLUÇÃO SEE Nº 2.197, DE 26 DE OUTUBRO DE 2012 ANO 2014 PROFESSOR (a) Elaine Cristina Francisco

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO Matemática Aluno (a): 2º ano: Turma: Professora: Valor: 20 pontos Nota: Conteúdos Números - Comparação entre os números. Adição e subtração. Fatos

Leia mais

Teste Cognitivo de Matemática Gabarito comentado

Teste Cognitivo de Matemática Gabarito comentado Teste Cognitivo de Matemática Gabarito comentado Programa Brasil Alfabetizado 2008 09.08-103C TESTE COGNITIVO DE MATEMÁTICA - SAÍDA ALUNO Prezado alfabetizador(a): EQUIPE TÉCNICA DE ELABORAÇÃO CENTRO DE

Leia mais

Projeto Pré-Requisitos 6º Ano

Projeto Pré-Requisitos 6º Ano Caro aluno Colégio Militar de Curitiba Este Caderno de Apoio à Aprendizagem em Matemática foi produzido para você com o objetivo de colaborar com seus estudos. Ele apresenta uma série de atividades a serem

Leia mais

Preparação para o teste intermédio de Matemática 8º ano

Preparação para o teste intermédio de Matemática 8º ano Preparação para o teste intermédio de Matemática 8º ano Conteúdos do 7º ano Conteúdos do 8º ano Conteúdos do 8º Ano Teorema de Pitágoras Funções Semelhança de triângulos Ainda os números Lugares geométricos

Leia mais

Aula 9 ESCALA GRÁFICA. Antônio Carlos Campos

Aula 9 ESCALA GRÁFICA. Antônio Carlos Campos Aula 9 ESCALA GRÁFICA META Apresentar as formas de medição da proporcionalidade entre o mundo real e os mapas através das escalas gráficas. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: estabelecer formas

Leia mais

CAPÍTULO 1 MATEMÁTICA

CAPÍTULO 1 MATEMÁTICA CAPÍTULO MATEMÁTICA INTRODUÇÃO O uso da matemática está tão presente em todos os setores da vida quotidiana; que, raramente, se é que acontece, alguém percebe por completo quão desamparados estaríamos

Leia mais

C 1. 45 minutos. Prova de Aferição de Matemática. 1.º Ciclo do Ensino Básico 8 Páginas. Matemática/2012. PA Matemática/Cad.

C 1. 45 minutos. Prova de Aferição de Matemática. 1.º Ciclo do Ensino Básico 8 Páginas. Matemática/2012. PA Matemática/Cad. PROVA DE AFERIÇÃO DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO Matemática/2012 Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de janeiro A PREENCHER PELO ALUNO Rubrica do Professor Aplicador Nome completo A PREENCHER PELO AGRUPAMENTO

Leia mais

9 é MATEMÁTICA. 26. O algarismo das unidades de (A) 0. (B) 1. (C) 3. (D) 6. (E) 9.

9 é MATEMÁTICA. 26. O algarismo das unidades de (A) 0. (B) 1. (C) 3. (D) 6. (E) 9. MATEMÁTICA 6. O algarismo das unidades de (A) 0. (B) 1. (C) 3. (D) 6. (E) 9. 10 9 é 7. A atmosfera terrestre contém 1.900 quilômetros cúbicos de água. Esse valor corresponde, em litros, a (A) (B) (C) (D)

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR DE MATEMÁTICA

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR DE MATEMÁTICA PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR DE MATEMÁTICA 1- APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA A disciplina de matemática é uma área que abrange inúmeros saberes, onde o objeto de estudo ainda está em construção e centrado

Leia mais

Plano de Aula de Matemática. Competência 3: Aplicar os conhecimentos, adquiridos, adequando-os à sua realidade.

Plano de Aula de Matemática. Competência 3: Aplicar os conhecimentos, adquiridos, adequando-os à sua realidade. Plano de Aula de Matemática Competência 3: Aplicar os conhecimentos, adquiridos, adequando-os à sua realidade. Habilidade: H27. Resolver situações-problema de adição ou subtração envolvendo medidas ou

Leia mais

RESULTADO DAS AVALIAÇÕES AVALIA BH / OUTUBRO 2010 2º CICLO LÍNGUA PORTUGUESA 1 ETAPA 2 CICLO

RESULTADO DAS AVALIAÇÕES AVALIA BH / OUTUBRO 2010 2º CICLO LÍNGUA PORTUGUESA 1 ETAPA 2 CICLO CEP: 31.6-0 Venda Nova, Belo Horizonte/MG RESULTADO DAS AVALIAÇÕES AVALIA BH / OUTUBRO 2º CICLO 0 LÍNGUA PORTUGUESA 1 ETAPA 2 CICLO D03 D05 D06 D07 D08 D09 D D11 D12 D19 D D21 DESCRITORES AVALIADOS: D03

Leia mais

GOVERNADOR JAQUES WAGNER SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO OSVALDO BARRETO FILHO SUBSECRETÁRIO ADERBAL CASTRO MEIRA FILHO CHEFE DE GABINETE PAULO PONTES DA SILVA

GOVERNADOR JAQUES WAGNER SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO OSVALDO BARRETO FILHO SUBSECRETÁRIO ADERBAL CASTRO MEIRA FILHO CHEFE DE GABINETE PAULO PONTES DA SILVA ISSN 2238-3077 GOVERNADOR JAQUES WAGNER SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO OSVALDO BARRETO FILHO SUBSECRETÁRIO ADERBAL CASTRO MEIRA FILHO CHEFE DE GABINETE PAULO PONTES DA SILVA SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO

Leia mais

Boletim de Resultados da Escola

Boletim de Resultados da Escola ISSN 1982-7644 Boletim de Resultados da Escola Matemática 9 ano do Ensino Fundamental VOLUME III Ficha Catalográfica CEARÁ. Secretaria da Educação. Boletim de Resultados da Escola. SPAECE 2010 / Universidade

Leia mais

EIXO: ORALIDADE METAS DO 1º BIMESTRE METAS DO 2º BIMESTRE METAS DO 3º BIMESTRE METAS DO 4º BIMESTRE

EIXO: ORALIDADE METAS DO 1º BIMESTRE METAS DO 2º BIMESTRE METAS DO 3º BIMESTRE METAS DO 4º BIMESTRE PLANEJAMENTO ANUAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 4º ANO / 2012 EIXO: ORALIDADE Relatar experiências, ideias e Relatar experiências, ideias e Relatar experiências, ideias e Relatar experiências, ideias e opiniões

Leia mais

Plano de Estudo 3ª Etapa

Plano de Estudo 3ª Etapa Plano de Estudo 3ª Etapa NÍVEL DE ENSINO: ENSINO FUNDAMENTAL I ANO: 5º Querido (a) aluno(a), SAÚDE E PAZ! Esse plano de estudo tem como finalidade ajudá-lo (a) a se organizar melhor em seu hábito de estudo

Leia mais

Caderno 2: 60 minutos. Tolerância: 20 minutos. (não é permitido o uso de calculadora)

Caderno 2: 60 minutos. Tolerância: 20 minutos. (não é permitido o uso de calculadora) Prova Final de Matemática 2.º Ciclo do Ensino Básico Prova 62/2.ª Fase/2015 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho A PREENCHER PELO ALUNO Nome completo Documento de identificação Assinatura do Aluno CC

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DAS ESCOLAS ESTADUAIS PARA O TEXTO DAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO AMAPÁ MATEMÁTICA

CONTRIBUIÇÃO DAS ESCOLAS ESTADUAIS PARA O TEXTO DAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO AMAPÁ MATEMÁTICA CONTRIBUIÇÃO DAS ESCOLAS ESTADUAIS PARA O TEXTO DAS DIRETRIZES CURRICULARES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA DO ESTADO DO AMAPÁ MATEMÁTICA 1. IDENTIDADE DO COMPONENTE CURRICULAR O domínio básico do significado simbólico

Leia mais

DO DESENHO A ESCRITA E LEITURA

DO DESENHO A ESCRITA E LEITURA DO DESENHO A ESCRITA E LEITURA Cleide Nunes Miranda 1 Taís Batista 2 Thamires Sampaio 3 RESUMO: O presente estudo discute a relevância do ensino de leitura e principalmente, da escrita, trazendo em especial

Leia mais