Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro"

Transcrição

1 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado Profissional em Ensino de Ciências Campus Nilópolis Ana Paula Inacio Diório AS MÍDIAS E A ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA: UMA EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Nilópolis- RJ 2012

2 Sequências didáticas Essas sequências foram elaboradas para auxiliar os professores de ciências em sua prática pedagógica. A idéia de criar tal produto educacional surgiu a partir do desenvolvimento de atividades e oficinas realizadas durante o projeto Ensino de Ciências: formando novos talentos e estreitando os laços entre o IFRJ e escolas, o qual foi aprovado pelo edital Novos Talentos da Capes no ano de 2010 (edital 33/2010 anexo II). As sugestões de atividades descritas nessa sequência didática foram todas desenvolvidas com alunos do último ano do curso de formação de professores do Instituto Estadual de Educação Governador Roberto da Silva (IEGRS) durante o ano letivo de 2011, período em que o projeto foi desenvolvido na escola e no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRJ- Campus Nilópolis), locais onde os encontros com o grupo de 11 alunos aconteceram. As atividades foram adaptadas para serem descritas nesse sequência de forma que se tornasse mais fácil seu desenvolvimentos turmas, visto o número maior de alunos do que o que foi trabalhado no projeto. No decorrer das sequências didáticas são apresentadas atividades desenvolvidas com mídias digitais e impressas, voltadas para o ensino de ciências, envolvendo leitura, escrita, pesquisa, imagens, além da construção de conhecimentos para o processo de alfabetização científica. Buscou-se desenvolver atividades motivadoras com a intenção de favorecer a articulação entre a teoria e prática, estimulando os estudantes a argumentarem sobre fatos, problemas ou situações desafiadoras. As atividades propostas nesses planejamentos devem ser efetivadas de acordo com a realidade de cada unidade escolar, visto que elas não esgotam as possibilidades de inovação e criatividade por parte dos professores. Logo, é importante que haja discussão coletiva deste material com os professores que desejam utilizá-lo nas escolas afim de promover enriquecimento de suas aulas. aula Sequência didática 1- Trabalhando com a mídia impressa: jornais na sala de Essa sequência tem como proposta proporcionar aos alunos o contato com a mídia impressa com finalidade de promover o desenvolvimento da leitura crítica desse meio de

3 comunicação, além de contribuir para a alfabetização científica e o reconhecimento dos diferentes jornais que circulam na sua cidade. Tema: Nesse caso não há um tema específico a ser trabalho, logo o mesmo fica a critério do professor, porém aqui iremos sugerir a leitura de matérias voltadas para conteúdos científicos. Expectativas de aprendizagem: Conhecer os diferentes jornais que circulam em seu município; Perceber que os jornais podem ser mais do que um meio de comunicação, mas uma ferramenta de aprendizagem; Promover a alfabetização científica a partir do contato com matérias científicas e discussão das mesmas; Contribuir para uma leitura crítica das mídias e posicionamento diante de discussões a cerca da ciência, tecnologia e sociedade. Conteúdos: Assim como o tema, o conteúdo é livre. Porém sugerimos que o professor mantenha o foco nos conteúdos relacionados à ciência. Número de aulas: 4 aulas de 50 minutos cada. Material: O professor deve selecionar os jornais de forma que os alunos possam ter contato com a maioria dos exemplares que circulam na cidade ou, pelo ao menos, os mais vendidos diariamente. Além de papel (folha de caderno ou folhas A4), tesoura, cola e escreventes. Atividade 1: Os alunos devem ser separados em grupos de no mínimo 4 pessoas e os jornais distribuídos entre eles de modo que cada grupo receba exemplares diferentes para que possam comparar os mesmo. Os alunos deverão analisar os jornais de modo geral e listar características como: o tipo de linguagem, o público alvo, os tipos de matérias que mais aparecem entre outras características que o professor julgue importante na comparação dos jornais.

4 Em seguida os alunos devem organizar entre eles a apresentação dos dados para a toda a turma, é importante que nesse momento o professor interrompa e levante discussões que ele ache relevante e que estimule os alunos a debaterem e a darem suas opiniões. Atividade 2: No segundo momento, individualmente, cada aluno escolherá uma matéria, de preferência relacionada a conteúdos científicos e: 1º - Irá sugerir como aquela matéria pode ser trabalhada na sala de aula e quais tipos de aprendizagem ele considera relevante e que foram divulgadas na reportagem, além de sugerir quais outras disciplinas poderiam utilizar aquele texto como ferramenta pedagógica e dar exemplos. Os alunos devem anotar as informações para serem discutidas mais tarde. 2º - Os alunos irão trocar as reportagens e farão as mesmas anotações anteriores, mas a cerca da matéria escolhida pelo colega. Posteriormente, cada aluno apresentará as suas primeiras considerações e discutiram com a turma e com o professor sobre as mesmas. Em seguida irão apresentar as considerações feitas na matéria do colega e irão comparar as idéias, com isso os alunos perceberão o leque de possibilidades que as mídias podem proporcionar, assim como a leitura e os pontos de vista de cada um a cerca da mesma matéria pode ser bastante diferente. Ao final da avaliação sugerimos que o professor avalie com seus alunos o que eles acharam das atividades, o professor pode fazer um questionário ou apenas conversar com os alunos sobre o trabalho e ouvir as opiniões e sugestões deles. Sequência didática 2 Trabalhando com a mídia impressa: entre artigos e revistas científicas Essa sequência de atividades tem como objetivo principal promover o contato dos alunos com um material que normalmente eles desconhecem: os artigos e revistas científicas. A partir disso, promover uma aprendizagem através dessas mídias impressas cujo foco principal seja a educação em ciências com ênfase na alfabetização científica e formação em cidadania. Tema: Temas que envolvam conteúdos a cerca da educação em ciências. Expectativas de aprendizagem:

5 Conhecer o que é um artigo e uma revista científica; Compreender a importância dos meios de divulgação da ciência para a sociedade; Perceber que a leitura desses meios de divulgação podem ser bastante prazerosa e importante para a formação em cidadania; Promover a alfabetização científica a partir do contato com meios de divulgação da ciência; Contribuir para a leitura e posicionamento críticos a cerca do desenvolvimento científico. Conteúdos: conteúdos relacionados ao ensino de ciências de modo geral, ao selecionar o material o tema e conteúdos a serem trabalhos fica a critério do professor. Número de aulas: 4 aulas de 50 minutos cada. Material: Artigos científicos e revistas de divulgação científica. Sugestão: muitos artigos da revista eletrônica Química Nova na Escola são de fácil leitura e compreensão, o professor deve fazer uma busca e selecionar os temas e conteúdos que deseja trabalhar, é importante que seja dada preferência de artigos menores para que a leitura não seja cansativa. Atividade 1: De posse dos artigos e revistas científicas o professor deve separar a turma em grupos de no máximo 4 pessoas e distribuir o material aleatoriamente, cada grupo deve receber um artigo de tema diferente uns dos outros e uma revista científica. Os grupos irão escolher uma matéria na revista (dentre as matérias selecionadas pelo professor) e farão para a leitura dela e do artigo que receberam. O professor deve orientar aos alunos que anotem informações importantes sobre o que esta sendo divulgado em cada material, onde a pesquisa foi realizada, como e por quem, qual foi a conclusão do estudo e qual a importância da pesquisa para a sociedade. Depois da discussão com o grupo os alunos irão apresentar suas conclusões para a turma, é importante que professor promova o debate através do levantamento de questões referente ao material apresentado e estimule a fala e posicionamento dos alunos a cerca dessas questões.

6 Atividade 2: Num segundo momento os grupos irão se reorganizar para realizarem a segunda parte da atividade proposta. Agora, os alunos devem fazer organizar dois textos de divulgação científica baseados no artigo e no texto da revista, o desafio é para que os alunos construam um texto mais divulgar o que levam para crianças. É importante que a construção seja numa linguagem simples, mas a perda do rigor científico. Após as produções os alunos devem apresentar os textos para as turmas e promoverem o debate, com a ajuda do professor, sobre as suas construções. Nesse sentindo os alunos deve destacar as dificuldades que encontraram e tentar compreenderem a importância do trabalho de divulgação científica para que o que é realizada na academia chegue à sociedade e possa ser lido e compreendido por outras pessoas que não só os cientistas. Da mesma maneira que indicado na sequência 1, para avaliação dessa sequência é indicado que o professor utilize questionário ou converse com seus alunos para ouvir as opiniões e sugestões deles sobre as atividades. Sequência didática 3 Trabalhando com a mídia digital: fotografando a escola. Esse sequência tem como objetivo promover a autonomia dos alunos através da participação ativa no processo de ensino aprendizagem. Além de proporcionar o manuseio de equipamentos digitais e a interação entre essas mídias e os discentes, tornando o processo de aprender mais dinâmico e prazeroso. Tema: Aqui sugerimos os temas seres vivos e/ou educação ambiental. Expectativas de aprendizagem: Contribuir para a aproximação dos alunos com as mídias digitais; Promover a aprendizagem a partir de novas tecnologias; Incentivar a autonomia dos alunos a partir da participação ativa na construção do conhecimento; Compreender que a alfabetização científica pode ser realizada de forma lúdica. Conteúdos: A escolha do conteúdo fica a critério do professor. Sugestão: trabalhar conteúdos que envolva os seres vivos e/ou educação ambiental pode ser bastante

7 produtivo, visto que os alunos irão fotografar a diversidade que encontrarem no entorno da escola Número de aulas: 4 aulas de 50 minutos cada. Material: câmeras fotográficas, filmadoras, celulares com câmera, computadores. Atividade 1: Em sala o professor deve organizar os grupos de acordo com a disponibilidade das câmeras (na maioria das vezes os próprios alunos possuem celulares que tiram fotos, se não for o caso o professor pode tentar conseguir o equipamento na própria escola). Em seguida os grupos devem ser orientados a fotografar o entorno da escola de acordo com tema/conteúdos escolhido previamente. O professor deve sugerir o tempo que os alunos terão para fazer as fotografias (caso queira o professor pode fazer as suas fotografias para discutir com os alunos algum tópico específico). Ao retornarem, os grupos devem ser orientados a transferirem as fotos para um computador (o ideal é que os alunos sejam levados para um laboratório de informática, caso não seja possível e a escola tiver poucos computadores o professor pode fazer um revezamento enquanto alguns grupos fotografam outros descarregam as fotos e montam sua apresentação). Em seguida, cada grupo apresenta suas fotos e discuti a aplicabilidade delas dentro contexto da atividade. É importante que todos os grupos apresentem e discutam as possibilidades de explorar as imagens feitas por eles. Ao final o professor pode apresentar a suas fotos para concluir idéia inicial da proposta que ele sugeriu. Atividade 2: Essa atividade serve como uma sugestão bastante interessante caso o professor tenha recursos junto a escola para desenvolvê-la. O professor e os alunos que participaram da atividade 1 podem escolher as melhores fotos de cada grupo para revelação e montagem de uma exposição na escola, a qual pode ser feita numa mostra de projetos, feira de ciências ou em qualquer outro momento que o professor veja relevância em apresentá-las. Caso o professor consiga recursos para montar a exposição, sugerimos que as fotos sejam reveladas no tamanho de 30x45, coladas em papelão Paraná com cola branca, utilizando uma moldura do tipo paspatur (com um espaço de 3cm de cada lado e 5cm onde entrará a legenda). As legendas com os créditos aos autores podem ser impressas em papel couche, recortadas e coladas.

8 Depois as fotos podem ser expostas na escola, coladas com fita dupla face nas paredes do pátio, por exemplo. Atividade 3: Essa atividade serve como uma sugestão bastante interessante caso o professor tenha recursos junto a escola para desenvolvê-la. Além das fotos, os alunos também podem produzir um documentário, o qual deve ser de produção, filmagem e edição todas realizadas por eles. A turma pode fazer um documentário só permanecer os grupos formados e realizarem diferentes filmagens. Ao final das gravações o alunos podem editar o material através de programa Windows movie maker, o qual é de fácil manuseio e que os alunos talvez já conhecem (o ideal é que a escola tenha um laboratório de informática com um monitor para auxiliar os alunos na edição do DVD). Além de editar a gravação, os alunos podem produzir todo o layout do DVD

PENSANDO O ENSINO DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA A PARTIR DA CONSTRUÇÃO DE PRODUTOS EDUCACIONAIS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

PENSANDO O ENSINO DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA A PARTIR DA CONSTRUÇÃO DE PRODUTOS EDUCACIONAIS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA PENSANDO O ENSINO DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA A PARTIR DA CONSTRUÇÃO DE PRODUTOS EDUCACIONAIS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Ana Paula Inacio Diório(Docente da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, UFRB e

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA IVINHEMA MS MAIO DE 2010 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO 2015

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO 2015 ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO IVINHEMA MS ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO Planejamento anual de atividades a serem desenvolvidas pelo Professor Gerenciador de

Leia mais

Plano de Aula de Matemática. Competência 3: Aplicar os conhecimentos, adquiridos, adequando-os à sua realidade.

Plano de Aula de Matemática. Competência 3: Aplicar os conhecimentos, adquiridos, adequando-os à sua realidade. Plano de Aula de Matemática Competência 3: Aplicar os conhecimentos, adquiridos, adequando-os à sua realidade. Habilidade: H27. Resolver situações-problema de adição ou subtração envolvendo medidas ou

Leia mais

Dados da Aula: Oficina de poesia para o 4º ano do Ensino Fundamental, com duração de duas aulas.

Dados da Aula: Oficina de poesia para o 4º ano do Ensino Fundamental, com duração de duas aulas. Dados da Aula: Oficina de poesia para o 4º ano do Ensino Fundamental, com duração de duas aulas. Título da Aula: Brincando com palavras Conteúdo da Aula Tipologia textual: Poema; Verso e estrofe; Produção

Leia mais

Dia da família na escola. 13 de março de 2010

Dia da família na escola. 13 de março de 2010 1 Dia da família na escola 13 de março de 2010 Sugestões de atividades Desde 2009, o Amigos da Escola tem incentivado às escolas participantes do projeto a tornar os dias temáticos em dias da família e

Leia mais

Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I

Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I Tema VIDA EFICIENTE: A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA A SERVIÇO DO PLANETA Cronograma Orientações Pré-projeto Metodologia Relatório

Leia mais

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS REFLEXÕES PEDAGÓGICAS A forma como trabalhamos, colaboramos e nos comunicamos está evoluindo à medida que as fronteiras entre os povos se tornam mais diluídas e a globalização aumenta. Essa tendência está

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso: Pedagogia - vespertino Disciplina: EDM0323 - Metodologia do ensino de português: a alfabetização. Docente: Prof.ª Nilce da Silva Aluna (nºusp): Flávia

Leia mais

Oficina 18: TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO. Introdução

Oficina 18: TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO. Introdução Oficina 18: TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO Introdução Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) o conteúdo Tratamento da Informação, deve ser trabalhado de modo que estimule os alunos a fazer perguntas,

Leia mais

A PRODUÇÃO SABER LÍNGUA INGLESA

A PRODUÇÃO SABER LÍNGUA INGLESA A PRODUÇÃO DO SABER NA LÍNGUA INGLESA SALA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL Projeto elaborado pelas professoras Ivanete de Souza Ferreira da Sala de Tecnologias Educacionais e Marilza Nunes do Nascimento professora

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA VERA DE PAULA GARCIA CLEUZA ORTIZ MARTINS A IMPORTÂNCIA DA ÁGUA PARA OS ALUNOS DO 3º ANO

ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA VERA DE PAULA GARCIA CLEUZA ORTIZ MARTINS A IMPORTÂNCIA DA ÁGUA PARA OS ALUNOS DO 3º ANO ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA VERA DE PAULA GARCIA CLEUZA ORTIZ MARTINS A IMPORTÂNCIA DA ÁGUA PARA OS ALUNOS DO 3º ANO NOVA ANDRADINA - 2009 ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA

Leia mais

PROJETO SARAU DIGITAL

PROJETO SARAU DIGITAL PROJETO SARAU DIGITAL DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: Escola Estadual José Mamede de Aquino Endereço: Rua Heitor Vieira de Almeida, nº 287, Jardim Aeroporto, Campo Grande, MS CEP 79.106-053 Telefone: (67) 3314

Leia mais

Filme: A Pessoa é Para o que Nasce

Filme: A Pessoa é Para o que Nasce Filme: A Pessoa é Para o que Nasce Gênero Documentário Diretor Roberto Berliner Elenco Conceição, Maria, Regina Ano 1998 Duração 6 min Cor Colorido Bitola 35mm País Brasil Disponível em: http://www.portacurtas.com.br/filme.asp?cod=1010

Leia mais

GUIA DO ALUNO. Bom trabalho e conte conosco para trilhar este caminho com sucesso!

GUIA DO ALUNO. Bom trabalho e conte conosco para trilhar este caminho com sucesso! GUIA DO ALUNO Olá! Seja bem-vindo novamente! Este guia apresenta algumas informações e orientações para auxiliá-lo na sua participação e aprendizagem. Também lhe ajudará a organizar seu estudo no decorrer

Leia mais

CAIXA MÁGICA. Sala 6 Língua Portuguesa EF I. E.E. Heidi Alves Lazzarini. Professora Apresentadora: Renata Lujan dos Santos Mufalo.

CAIXA MÁGICA. Sala 6 Língua Portuguesa EF I. E.E. Heidi Alves Lazzarini. Professora Apresentadora: Renata Lujan dos Santos Mufalo. CAIXA MÁGICA Sala 6 Língua Portuguesa EF I E.E. Heidi Alves Lazzarini Professora Apresentadora: Renata Lujan dos Santos Mufalo Realização: Justificativa Toda história, por mais simples que pareça, transmite

Leia mais

OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS

OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS OFICINA DE JOGOS MATEMÁTICOS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS Mais informações: Site PIBID: http://www.pibid.ufrn.br/ Site LEM/UFRN: http://www.ccet.ufrn.br/matematica/lemufrn/index.html E-mail do LEM/UFRN: lem2009ufrn@yahoo.com.br

Leia mais

C406. Ensino e Aprendizagem com TIC na Educação Pré-Escolar e no 1.º Ciclo do Ensino Básico

C406. Ensino e Aprendizagem com TIC na Educação Pré-Escolar e no 1.º Ciclo do Ensino Básico Plano de Formação para a Certificação de Competências TIC Nível 2-2010 C406. Ensino e Aprendizagem com TIC na Educação Pré-Escolar e no 1.º Ciclo do Ensino Básico - TURMA C - Formadores: Eunice Macedo

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO: 2. INTRODUÇÃO

1. IDENTIFICAÇÃO: 2. INTRODUÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO: PERÍODO DE REALIZAÇÃO: Fevereiro à Dezembro de 2015 ÓRGÃO RESPONSÁVEL: NTE ESCOLAS: Senador Filinto Muller COORDENADORES DO PLANO: NTE: Carla Varela PROGETEC: Ticyara Halik Smanioto Vicente

Leia mais

A IMPORTANCIA DOS RECURSOS DIDÁTICOS NA AULA DE GEOGRAFIA

A IMPORTANCIA DOS RECURSOS DIDÁTICOS NA AULA DE GEOGRAFIA A IMPORTANCIA DOS RECURSOS DIDÁTICOS NA AULA DE GEOGRAFIA GERLANE BEZERRA CAVALCANTE, - ID¹ Graduanda em Geografia. Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência. UEPB E-MAIL: gerlane_miranda@hotmail.com

Leia mais

1. Responsabilidade. 2. Quem pode participar

1. Responsabilidade. 2. Quem pode participar Desafio O Desafio Mudanças Climáticas 2009, doravante denominado simplesmente Desafio, tem caráter exclusivamente educativo. De acordo com o disposto no artigo 3º, inciso II, da Lei nº. 5.768/71 e no art.

Leia mais

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA 27 a 30 de Agosto de 2014. DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo: MACHADO, Diana dos Santos 1 Ifes - Campus Cachoeiro de Itapemirim

Leia mais

EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA...

EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA... EMEI PROFº ANTONIO CARLOS PACHECO E SILVA PROJETO PEDAGÓGICO 2012 BRINCAR NÃO É BRINCADEIRA... JUSTIFICATIVA Desde o nascimento a criança está imersa em um contexto social, que a identifica enquanto ser

Leia mais

RÁDIO ESCOLAR: UMA AÇÃO MULTIDISCIPLINAR COM ARTE E ENGENHARIA

RÁDIO ESCOLAR: UMA AÇÃO MULTIDISCIPLINAR COM ARTE E ENGENHARIA RÁDIO ESCOLAR: UMA AÇÃO MULTIDISCIPLINAR COM ARTE E ENGENHARIA Área Temática: Tecnologia e Produção Prof. Reginaldo da Nóbrega Tavares 1 (Coordenador da Ação de Extensão) Prof. Reginaldo da Nóbrega Tavares

Leia mais

ENSINO E APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, COM A UTILIZAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA.

ENSINO E APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, COM A UTILIZAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA. ENSINO E APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, COM A UTILIZAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA. Josilene Maria de Almeida 1 ; Rosângela Miranda de Lima 2 ; Maria Sônia Lopes da Silva; Maria Anunciada

Leia mais

O(s) Uso(s) de Documentos de Arquivo na Sala de Aula

O(s) Uso(s) de Documentos de Arquivo na Sala de Aula O(s) Uso(s) de Documentos de Arquivo na Sala de Aula SEQUÊNCIA DIDÁTICA Milton Garcia Silva São Paulo 2012 TEMA Modos de Morar em São Paulo Séculos XIX e XX. JUSTIFICATIVA Nota-se que os alunos possuem

Leia mais

Palavras-chave: Ensino de ciências; metodologias; Ensino Fundamental.

Palavras-chave: Ensino de ciências; metodologias; Ensino Fundamental. METODOLOGIAS E PRÁTICAS DE ENSINO DE CIÊNCIAS APLICADAS EM ALUNOS DO 7º ANO DE UMA ESCOLA NO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA PR Cristiane Valus Faculdade Internacional de Curitiba (FACINTER) 1 cristiane_valus@hotmail.com

Leia mais

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ANA GREICY GIL ALFEN A LUDICIDADE EM SALA DE AULA

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ANA GREICY GIL ALFEN A LUDICIDADE EM SALA DE AULA SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ANA GREICY GIL ALFEN A LUDICIDADE EM SALA DE AULA Projeto apresentado e desenvolvido na Escola Estadual Domingos Briante

Leia mais

Plano Editorial Julho 2006

Plano Editorial Julho 2006 Plano Editorial Julho 2006 Missão Uma agência que noticia processos ocorridos no espaço público político (governo, Estado e cidadania), com foco nos interesses do cidadão brasileiro. Público-Alvo Cidadãos

Leia mais

Instituto Educacional Mayrink Vieira Ensino Infantil Ensino Fundamental Ensino Médio

Instituto Educacional Mayrink Vieira Ensino Infantil Ensino Fundamental Ensino Médio Instituto Educacional Mayrink Vieira Ensino Infantil Ensino Fundamental Ensino Médio REGULAMENTO PARA FEIRA DE CIÊNCIAS MAYRINK 2014 A Feira de Ciências do Instituto Educacional Mayrink Vieira, 2014, é

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As Letrinhas Mágicas. 2. EPISÓDIO(S) TRABALHADO(S) Ideias Lunáticas. 3. SINOPSE DO(S) EPISÓDIO(S) ESPECÍFICO(S) O episódio Ideias Lunáticas faz parte

Leia mais

A prática da Educação Patrimonial:

A prática da Educação Patrimonial: A prática da Educação Patrimonial: uma experiência no município de Restinga Sêca / RS HELIANA DE MORAES ALVES E LAURO CÉSAR FIGUEIREDO Introdução O presente trabalho é um breve relato sobre uma prática

Leia mais

Suplemento do professor

Suplemento do professor Suplemento do professor Apresentação A coleção Convívio Social e Ética, destinada a alunos de 2 o a 5 o ano (1 a a 4 a séries) do Ensino Fundamental, trabalha valores, resgatando a ética e a moral na escola.

Leia mais

II Educom Sul. Educomunicação e Direitos Humanos Ijuí RS 27 e 28 de junho de 2013

II Educom Sul. Educomunicação e Direitos Humanos Ijuí RS 27 e 28 de junho de 2013 Mídias Na Educação: Perspectiva De Mudança 1 Sali Wanir Antonini 2 Márcia Elenir Vicente Duarte 3 Lucciane Elias 4 Escola Estadual de Ensino Fundamental Professora Hilda Köetz da 8ª CRE do RS São Pedro

Leia mais

III ENCONTRO PROGRAMA DE BOLSA AUXÍLIO RESULTADO QUESTIONÁRIO BOLSISTAS

III ENCONTRO PROGRAMA DE BOLSA AUXÍLIO RESULTADO QUESTIONÁRIO BOLSISTAS III ENCONTRO PROGRAMA DE BOLSA AUXÍLIO 1. Há quanto tempo você participa do Programa de bolsa-auxílio do Instituto Girassol? Até 1 ano 3 De 1 a 2 anos 8 De 2 a 3 anos 3 De 2 a 3 anos 21% Até 1 ano 22%

Leia mais

4 Linux e HackerTeen Equipe de Gestão de Educação à Distância

4 Linux e HackerTeen Equipe de Gestão de Educação à Distância Cursos à Distância 4 Linux e HackerTeen Equipe de Gestão de Educação à Distância Atualizado em Abril/2009 Apresentação Olá! Vamos apresentar para você, aluno da 4Linux e do HackerTeen, as principais informações

Leia mais

INVESTIGANDO O ENSINO MÉDIO E REFLETINDO SOBRE A INCLUSÃO DAS TECNOLOGIAS NA ESCOLA PÚBLICA: AÇÕES DO PROLICEN EM MATEMÁTICA

INVESTIGANDO O ENSINO MÉDIO E REFLETINDO SOBRE A INCLUSÃO DAS TECNOLOGIAS NA ESCOLA PÚBLICA: AÇÕES DO PROLICEN EM MATEMÁTICA INVESTIGANDO O ENSINO MÉDIO E REFLETINDO SOBRE A INCLUSÃO DAS TECNOLOGIAS NA ESCOLA PÚBLICA: AÇÕES DO PROLICEN EM MATEMÁTICA RESUMO Elissandra de Campos Viegas; Cibelle de Fátima Castro de Assis Universidade

Leia mais

Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental

Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental Não se aprende por exercícios, mas por práticas significativas. Essa afirmação fica quase óbvia se pensarmos em como uma

Leia mais

CIDADÃOS VIRTUAIS RESPONSÁVEIS

CIDADÃOS VIRTUAIS RESPONSÁVEIS Guia da LIÇÃO Idade recomendada: 11 CIDADÃOS VIRTUAIS RESPONSÁVEIS Objetivos de aprendizado Os alunos irão desenvolver uma compreensão abrangente do conceito de comunidade e sua aplicação na internet.

Leia mais

AULA 1 Os primeiros contatos da criança com a linguagem escrita. CURSO Alfabetização Linguística e Matemática na Educação Infantil

AULA 1 Os primeiros contatos da criança com a linguagem escrita. CURSO Alfabetização Linguística e Matemática na Educação Infantil AULA 1 Os primeiros contatos da criança com a linguagem escrita Meta Retomar alguns conceitos importantes relativos à alfabetização na educação. Infantil. Sugerir práticas que aproximem a criança do código

Leia mais

TUTORIAL COMO CRIAR E EDITAR UM VÍDEO NO WINDOWS MOVIE MAKER*

TUTORIAL COMO CRIAR E EDITAR UM VÍDEO NO WINDOWS MOVIE MAKER* TUTORIAL COMO CRIAR E EDITAR UM VÍDEO NO WINDOWS MOVIE MAKER* * Microsoft Windows MovieMakeré um programa da Microsoft Corporation. A versão utilizada é a 5.1 que já vem instalada no Microsoft Windows

Leia mais

OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS

OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS APRENDER BRINCANDO INVESTIDAS DA PRÁTICA EDUCACIONAL EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES JUNTO AO PROGRAMA INTEGRAÇÃO AABB COMUNIDADE, UMA EXPERIÊNCIA COM CRIANÇAS E JOVENS DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DA CIDADE DE

Leia mais

Guia do Professor Introdução

Guia do Professor Introdução Guia do Professor Introdução Pesquisas realizadas pelo SAEB (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica) mostram as dificuldades dos estudantes em resolver situações problemas. Essa situação é decorrente

Leia mais

Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia

Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia E.E. Frontino Guimarães Sala 5 2ª Sessão Professor(es) Apresentador(es): Meire Pereira de França Roseli Fernandes Euquério Lima Realização: Foco Desenvolvimento da

Leia mais

PROJETO: CASA DE BRINQUEDO 1 RELATO DO PROCESSO

PROJETO: CASA DE BRINQUEDO 1 RELATO DO PROCESSO PROJETO: CASA DE BRINQUEDO 1 RELATO DO PROCESSO Áreas: Matemática, Artes Plásticas Transversal: Meio Ambiente Faixa etária: 4 a 5 anos Turma com 30 crianças Duração: agosto a outubro/2004 Produto final:

Leia mais

Classificar poliedros identificando-os pelos nomes.

Classificar poliedros identificando-os pelos nomes. ENSINO DE GEOMETRIA NO ENSINO MÉDIO POR MEIO DE JOGOS Leidian da Silva Moreira, FAJESU, keit_julie@hotmail.com Philipe Rocha Cardoso, FAJESU, philipexyx@hotmail.com Daniela Souza Lima, danielasouzza@hotmail.com

Leia mais

PRÉ-PRODUÇÃO E PRODUÇÃO Marilia Mello Pisani

PRÉ-PRODUÇÃO E PRODUÇÃO Marilia Mello Pisani O presente teto faz parte do curso de Produção de Vídeo e é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição Não Comercial 3.0. Não Adaptada. Permissões além do escopo dessa licença podem estar disponíveis

Leia mais

MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Introdução Mídias na educação

MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Introdução Mídias na educação MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Michele Gomes Felisberto; Micheli de Oliveira; Simone Pereira; Vagner Lean dos Reis Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha Introdução O mundo em que vivemos

Leia mais

CURSO: IED - INTRODUÇÃO A EDUCAÇÃO DIGITAL. INSCRIÇÕES ABERTAS - 30 vagas

CURSO: IED - INTRODUÇÃO A EDUCAÇÃO DIGITAL. INSCRIÇÕES ABERTAS - 30 vagas CURSO: IED - INTRODUÇÃO A EDUCAÇÃO DIGITAL OBJETIVO: Contribuir para a inclusão digital de profissionais da educação, buscando familiarizá-los e preparálos para a utilização de recursos e serviços mais

Leia mais

OFICINA DE FOTOGRAFIA - PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO Colégio Estadual Waldemar de Paula Cavalcante

OFICINA DE FOTOGRAFIA - PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO Colégio Estadual Waldemar de Paula Cavalcante OFICINA DE FOTOGRAFIA - PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO Colégio Estadual Waldemar de Paula Cavalcante A Oficina de Fotografia é fruto do Programa Mais Educaçãodesenvolvido no Colégio Estadual Waldemar de Paula

Leia mais

O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2

O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2 O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2 O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA INICIANDO A CONVERSA APROFUNDANDO O TEMA Por que ensinar gêneros textuais na escola? Registro

Leia mais

CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO. ALUNA: Rosane Lima Alves Rodrigues. TUTORA: Tânia Vigorito

CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO. ALUNA: Rosane Lima Alves Rodrigues. TUTORA: Tânia Vigorito CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO ALUNA: Rosane Lima Alves Rodrigues TUTORA: Tânia Vigorito 2007 Objetivos: Debater assuntos do interesse dos alunos. Incentivar a produção textual. Estimular o trabalho em grupo.

Leia mais

JOGOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE MICOLOGIA NAS ESCOLAS

JOGOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE MICOLOGIA NAS ESCOLAS JOGOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE MICOLOGIA NAS ESCOLAS Sousa, N. D. C. (1) ; Macêdo, M. A. M. (1) ; Santos, K. N. C. (1) ; Oliveira, A. M. (1) ; Teixeira, R. C. S. (1) ; Rocha, J. R. S. (1) nayaradannielle@gmail.com

Leia mais

2 - PROBLEMÁTICA A SER ESTUDADA

2 - PROBLEMÁTICA A SER ESTUDADA 1 - IDENTIFICAÇÃO Escola Estadual Ernesto Solon Borges Bandeirantes/MS Turmas: 7º e 8º anos A Matutino Nº de alunos 65 Professora: Vania Terezinha Camilotti Pastro 2 - PROBLEMÁTICA A SER ESTUDADA Quando

Leia mais

O ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA COM TECNOLOGIAS: UM ESTUDO COM PROFESSORES DE UM GRUPO DE FORMAÇÃO CONTINUADA

O ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA COM TECNOLOGIAS: UM ESTUDO COM PROFESSORES DE UM GRUPO DE FORMAÇÃO CONTINUADA O ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA COM TECNOLOGIAS: UM ESTUDO COM PROFESSORES DE UM GRUPO DE FORMAÇÃO CONTINUADA GT 06 Formação de professores de matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

Leia mais

TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2

TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2 TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2 IFES danielly.fraga@live.com Danielly Fraga Santana 3 IFES binecosta@gmail.com Dilza Côco 4 IFES/UFES dilzacoco@gmail.com

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA Avaliação Da Prática Docente A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA PRÁTICA DOCENTE Autora: Maria Peregrina de Fátima Rotta Furlanetti Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Estadual

Leia mais

ÁLBUM DE FOTOGRAFIA: A PRÁTICA DO LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 59. Elaine Leal Fernandes elfleal@ig.com.br. Apresentação

ÁLBUM DE FOTOGRAFIA: A PRÁTICA DO LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 59. Elaine Leal Fernandes elfleal@ig.com.br. Apresentação ÁLBUM DE FOTOGRAFIA: A PRÁTICA DO LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 59 Elaine Leal Fernandes elfleal@ig.com.br Graduada em pedagogia e fonoaudiologia, Pós-graduada em linguagem, Professora da Creche-Escola

Leia mais

Mas, como utilizar essa ferramenta tão útil e que está à sua disposição?

Mas, como utilizar essa ferramenta tão útil e que está à sua disposição? Caríssimo aluno da Rede CEJA, Seja muito bem vindo à sua escola! Estamos muito felizes que você tenha optado por dar continuidade aos seus estudos conosco, confiando e acreditando em tudo o que poderemos

Leia mais

INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Adriana Oliveira Bernardes UENF (Universidade do Estado do Norte

Leia mais

O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa

O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa R af a el S or i an o Tra mas d el h or izont e, 1 99 3, s erigr af i a Fot o: Fau st o Fleur y O olho que pensa, a mão que faz, o corpo que inventa Com as proposições didáticas sugeridas, espera-se que

Leia mais

Arquivos de Áudio (Podcasts) para divulgação de Ciência no Ensino Médio

Arquivos de Áudio (Podcasts) para divulgação de Ciência no Ensino Médio RESUMO Arquivos de Áudio (Podcasts) para divulgação de Ciência no Ensino Médio Adriana Oliveira Bernardes Mestranda em Ciências Físicas LCFIS (Laboratório de Ciências Físicas) Uenf (Universidade Estadual

Leia mais

O papel das TIC acessíveis para a educação inclusiva das Pessoas com Deficiência. Rita Bersch Assistiva Tecnologia e Educação www.assistiva.com.

O papel das TIC acessíveis para a educação inclusiva das Pessoas com Deficiência. Rita Bersch Assistiva Tecnologia e Educação www.assistiva.com. O papel das TIC acessíveis para a educação inclusiva das Pessoas com Deficiência Rita Bersch Assistiva Tecnologia e Educação www.assistiva.com.br Educação e Desenho Universal FATO: NA ESCOLA SOMOS TODOS

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA E INTERDISCIPLINARIDADE NA CORREÇÃO DE FLUXO EM ITAJAÍ/SC

MODELAGEM MATEMÁTICA E INTERDISCIPLINARIDADE NA CORREÇÃO DE FLUXO EM ITAJAÍ/SC ISSN 2316-7785 MODELAGEM MATEMÁTICA E INTERDISCIPLINARIDADE NA CORREÇÃO DE FLUXO EM ITAJAÍ/SC Rafael Borini Martins Costa Borini Instituto Federal Catarinense - Campus Camboriú rborini@hotmail.com Resumo

Leia mais

Oficina - Álgebra 1. Oficina de CNI EM / Álgebra 1 Material do Monitor. Setor de Educação de Jovens e Adultos. Caro monitor,

Oficina - Álgebra 1. Oficina de CNI EM / Álgebra 1 Material do Monitor. Setor de Educação de Jovens e Adultos. Caro monitor, Oficina - Álgebra 1 Caro monitor, As situações de aprendizagem apresentadas nessa atividade têm como objetivo desenvolver o raciocínio algébrico, e assim, proporcionar que o educando realize a representação

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO EE. CMT. MAURÍCIO COUTINHO DUTRA

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO EE. CMT. MAURÍCIO COUTINHO DUTRA GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO EE. CMT. MAURÍCIO COUTINHO DUTRA Plano de Ação PROGETEC(Professor Gerenciador de Tecnologias Educacionais e Recursos Midiáticos)/

Leia mais

Apêndice F-16 Relatório Mensal de Atividades de Campo

Apêndice F-16 Relatório Mensal de Atividades de Campo Apêndice F-16 Relatório Mensal de Atividades de Campo Nome: Janet Strauss, Consultora do World Fisheries Trust Relatório Relativo ao Mês de: Março de 2006 Resumo Executivo Entre 6 e 26 de março de 2006,

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA VOLMIR CARDOSO PEREIRA LUCIENE MARIA DA SILVA

ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA VOLMIR CARDOSO PEREIRA LUCIENE MARIA DA SILVA ESCOLA ESTADUAL IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA SILVA VOLMIR CARDOSO PEREIRA LUCIENE MARIA DA SILVA CURSO DE INFORMÁTICA BÁSICA PARA OS PROFESSORES DA EE IRMAN RIBEIRO DE ALMEIDA E SILVA Nova Andradina MS 2009

Leia mais

Colégio João Paulo I Unidade Norte e Higienópolis. Projeto Mostra Científica 2014 Vida eficiente: a ciência e a tecnologia a serviço do planeta

Colégio João Paulo I Unidade Norte e Higienópolis. Projeto Mostra Científica 2014 Vida eficiente: a ciência e a tecnologia a serviço do planeta Colégio João Paulo I Unidade Norte e Higienópolis Projeto Mostra Científica 2014 Vida eficiente: a ciência e a tecnologia a serviço do planeta Cristiano Alfredo Rupp Gilberto Ramos Colaboração:???????

Leia mais

O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL Telma Maria Pereira dos Santos Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado da Bahia UNEB e Pós-graduada em Educação

Leia mais

Propostas para melhorias da fala de crianças com síndrome de down

Propostas para melhorias da fala de crianças com síndrome de down Propostas para melhorias da fala de crianças com síndrome de down Resumo Esse vídeo pretende oferecer instrumentos aos professores da educação infantil e do ensino fundamental para as tarefas da educação

Leia mais

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 NATAÇÃO E DESEMPENHO ESCOLAR: EXPERIÊNCIA DE UMA EXTENSÃO DA UFG COM UMA ESCOLA PÚBLICA Poliana Siqueira Pedroza 1 Luís César de Souza 2 RESUMO Comunidade Aquática é um projeto de extensão do curso de

Leia mais

CARLOS RENATO PARAIZO RA 974808 ANÁLISE DO PORTAL. educarede.org.br

CARLOS RENATO PARAIZO RA 974808 ANÁLISE DO PORTAL. educarede.org.br CARLOS RENATO PARAIZO RA 974808 www.educarede.com.br - 1 ANÁLISE DO PORTAL educarede.org.br Trabalho apresentado como aproveitamento da disciplina AM540 Multimeios e Educação, sob orientação do Prof. Dr.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática Mestrado Profissional. Produto da Dissertação

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática Mestrado Profissional. Produto da Dissertação UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática Mestrado Profissional Produto da Dissertação Um estudo de caso sobre uma possibilidade para o ensino de Matemática

Leia mais

Projeto Jornal Educativo Municipal

Projeto Jornal Educativo Municipal Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Santa Bárbara de Goiás Secretaria Municipal da Educação Santa Bárbara de Goiás - GO Projeto Jornal Educativo Municipal Santa Bárbara de Goiás Janeiro/2013 Estado

Leia mais

Prêmio Sinepe. 10 Prêmio Responsabilidade Social Categoria: Desenvolvimento Cultural. Literarte 2015 Artes Visuais no Distrito Criativo.

Prêmio Sinepe. 10 Prêmio Responsabilidade Social Categoria: Desenvolvimento Cultural. Literarte 2015 Artes Visuais no Distrito Criativo. Prêmio Sinepe 10 Prêmio Responsabilidade Social Categoria: Desenvolvimento Cultural Literarte 2015 Artes Visuais no Distrito Criativo tempo Apresentação do Projeto Um pouco de História do Colégio Batista

Leia mais

Meu nome é Rosângela Gera. Sou médica e mãe de uma garotinha de sete anos que é cega.

Meu nome é Rosângela Gera. Sou médica e mãe de uma garotinha de sete anos que é cega. Prezado Editor, Meu nome é Rosângela Gera. Sou médica e mãe de uma garotinha de sete anos que é cega. Gostaria de compartilhar com os demais leitores desta revista, minha experiência como mãe, vivenciando

Leia mais

ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA

ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA GT 01 - Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais Maria Gorete Nascimento Brum - UNIFRA- mgnb@ibest.com.br

Leia mais

Projeto O COLUNIsta. PROJETO DE PESQUISA PIBIC/CNPq. Orientador: Vanessa Lacerda da Silva Rangel

Projeto O COLUNIsta. PROJETO DE PESQUISA PIBIC/CNPq. Orientador: Vanessa Lacerda da Silva Rangel PROJETO DE PESQUISA PIBIC/CNPq Projeto O COLUNIsta Orientador: Vanessa Lacerda da Silva Rangel Bolsista: Cleiton Paulo Venâncio Ferreira Matrícula: 002205/06 Bolsista: Camila Rodrigues dos Santos Matrícula:

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA: PRODUÇÃO DE VÍDEOS DIGITAIS MATERIAL DIDÁTICO PARA PROFESSORES

SEQUÊNCIA DIDÁTICA: PRODUÇÃO DE VÍDEOS DIGITAIS MATERIAL DIDÁTICO PARA PROFESSORES SEQUÊNCIA DIDÁTICA: PRODUÇÃO DE VÍDEOS DIGITAIS MATERIAL DIDÁTICO PARA PROFESSORES Produto educacional da pesquisa de Dissertação: Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação: explorando as possibilidades

Leia mais

PROGRAMA RADIOFÔNICO INFANTIL

PROGRAMA RADIOFÔNICO INFANTIL PROGRAMA RADIOFÔNICO INFANTIL A FORMAÇÃO DO LEITOR E O PROTAGONISMO INFANTO-JUVENIL ATRAVÉS DO RÁDIO Área de implantação: Rádio comunidade Friburgo 104,9FM Responsável: Fernanda de Azevedo milanez Telefone:

Leia mais

A Música No Processo De Aprendizagem

A Música No Processo De Aprendizagem A Música No Processo De Aprendizagem Autora: Jéssica Antonia Schumann (FCSGN) * Coautor: Juliano Ciebre dos Santos (FSA) * Resumo: O presente trabalho tem por objetivo investigar sobre a importância em

Leia mais

PROJETO QUARTA LITERÁRIA

PROJETO QUARTA LITERÁRIA PROJETO QUARTA LITERÁRIA * Francisca Wládia de Medeiros Inocêncio ** Leni Oliveira da Silva Este artigo pretende socializar o Projeto Quarta Literária, desenvolvido no Centro Educacional do Projeto SESC

Leia mais

1 EDUCAÇÃO INFANTIL NATUREZA E SOCIEDADE O TEMPO PASSA... Guia Didático do Objeto Educacional Digital

1 EDUCAÇÃO INFANTIL NATUREZA E SOCIEDADE O TEMPO PASSA... Guia Didático do Objeto Educacional Digital Guia Didático do Objeto Educacional Digital NATUREZA E SOCIEDADE 1 EDUCAÇÃO INFANTIL O TEMPO PASSA... Este Objeto Educacional Digital (OED) está relacionado ao tema da Unidade 4 do Livro do Aluno. NATUREZA

Leia mais

ESCOLA LEITORA: UM CAMINHO A SER CONSTRUÍDO

ESCOLA LEITORA: UM CAMINHO A SER CONSTRUÍDO ESCOLA LEITORA: UM CAMINHO A SER CONSTRUÍDO 1.JUSTIFICATIVA O Projeto Escola Leitora: um caminho a ser construído, elaborado e desenvolvido coletivamente desde 2013 em todas as modalidades de ensino que

Leia mais

A) Titulo da produção Digital: CIRANDAR e registrar num click. Escola Municipal de Educação Infantil Vila Mapa II

A) Titulo da produção Digital: CIRANDAR e registrar num click. Escola Municipal de Educação Infantil Vila Mapa II A) Titulo da produção Digital: CIRANDAR e registrar num click B) Nome completo da Escola: Escola Municipal de Educação Infantil Vila Mapa II C) Dados de identificação do professor: Elizabeth dos Santos

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores TDIC: FORMAR OU NÃO FORMAR PROFESSORES PARA SEU USO? Eugenio Maria De França Ramos, Adriel

Leia mais

Combate à dengue. 1. Justificativa. Sandra Margarete de Oliveira Cajaíba

Combate à dengue. 1. Justificativa. Sandra Margarete de Oliveira Cajaíba Combate à dengue Sandra Margarete de Oliveira Cajaíba O projeto Combate à dengue será desenvolvido no Colégio Municipal Centro Educacional de Tremedal (CET), localizado na cidade de Tremedal (BA), com

Leia mais

O REGISTRO COMO INSTÂNCIA DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR

O REGISTRO COMO INSTÂNCIA DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR Título do artigo: O REGISTRO COMO INSTÂNCIA DE FORMAÇÃO DO PROFESSOR Área: Educação Infantil Selecionadora: Heloisa Magri 16ª Edição do Prêmio Victor Civita Educador Nota 10 1 O registro do professor tem

Leia mais

José Aerton Rodrigues da Silva

José Aerton Rodrigues da Silva José Aerton Rodrigues da Silva Redação fácil para o Enem concursos públicos civis e militares Nilópolis RJ 2014 Edição do autor p. 1 Revisão: José Aerton Capa: Roberta Dias Aerton, José, Redação fácil

Leia mais

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA?

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? Projeto Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação O livro tem como tema o meio ambiente em que mostra o homem e a destruição da natureza,

Leia mais

Plano de Trabalho com Projetos

Plano de Trabalho com Projetos PREFEITURA DE JARAGUÁ DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO FUNDAMENTAL Plano de Trabalho com Projetos 1. Identificação: Escola Municipal de Ensino Fundamental Renato Pradi Professor(es):

Leia mais

AS TICs NA EDUCAÇÃO DO CAMPO

AS TICs NA EDUCAÇÃO DO CAMPO GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO E APOIO À EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS ESCOLA ESTADUAL VESPASIANO MARTINS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO GUAIANASES EMEF MARIA APARECIDA MAGNANELLI FERNANDES

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO GUAIANASES EMEF MARIA APARECIDA MAGNANELLI FERNANDES PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO GUAIANASES EMEF MARIA APARECIDA MAGNANELLI FERNANDES Ana Paula Lopes 780.893.3/2 Conceição Aparecida Machado de Almeida 678.705.3/1 Daniele

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores VIVENCIANDO A PRÁTICA ESCOLAR DE MATEMÁTICA NA EJA Larissa De Jesus Cabral, Ana Paula Perovano

Leia mais

O XADREZ COMO FERRAMENTA MULDISCIPLINAR

O XADREZ COMO FERRAMENTA MULDISCIPLINAR O XADREZ COMO FERRAMENTA MULDISCIPLINAR Lindsay Franciane da Costa Melo Reis * RESUMO O presente projeto busca proporcionar uma ação multidisciplinar através do xadrez na Escola de ensino Fundamental Santa

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO MELQUÍADES VILAR

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO MELQUÍADES VILAR SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO MELQUÍADES VILAR PROJETO LER (Leitura, Escrita e Redação) Ana Paula Correia Taperoá - PB 2014 Ana Paula Correia PROJETO LER

Leia mais

RECURSOS DA INTERNET PARA O USO PEDAGÓGICO NAS AULAS DE

RECURSOS DA INTERNET PARA O USO PEDAGÓGICO NAS AULAS DE RECURSOS DA INTERNET PARA O USO PEDAGÓGICO NAS AULAS DE Resumo MATEMÁTICA Ana Paula R. Magalhães de Barros 1 / UNESP Rúbia Barcelos Amaral 2 /UNESP Devido ao aumento da oferta de recursos tecnológicos

Leia mais

REGULAMENTO 2015 FEIRA DE PROJETOS E MOSTRA DE INOVAÇÃO DO SENAC-RS

REGULAMENTO 2015 FEIRA DE PROJETOS E MOSTRA DE INOVAÇÃO DO SENAC-RS REGULAMENTO 2015 FEIRA DE PROJETOS E MOSTRA DE INOVAÇÃO DO SENAC-RS 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1.1. Evento: FEIRA DE PROJETOS E MOSTRA DE INOVAÇÃO DO SENAC RS Temática: Construindo soluções. Objetivo: Apresentar

Leia mais

Por dentro da bola e os estádios

Por dentro da bola e os estádios 1 de 5 02-06-2014 11:37 Por dentro da bola e os estádios Leve a turma a descobrir e entender a evolução tecnológica do futebol Com apuração de Larissa Teixeira. Editado por Ana Ligia Scachetti < < Página

Leia mais