Impacto do Envelhecimento sobre os gastos com saúde no setor de saúde Suplementar

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Impacto do Envelhecimento sobre os gastos com saúde no setor de saúde Suplementar"

Transcrição

1

2 Impacto do Envelhecimento sobre os gastos com saúde no setor de saúde Suplementar Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar

3 O rápido envelhecimento populacional no Brasil Fonte: 2011, Michele Gragnolatiet al. Growing Old in an Older Brazil, Implications of Population Aging on Growth, Poverty, Public Finance, and Service Delivery. The World Bank.

4 Envelhecimento no mundo População com 65 anos ou mais e gasto total com saúde nos países, ITÁLIA JAPÃO URU REINO UNIDO DINAMARCA NORUEGA BRA AUSTRÁLIA ESTADOS UNIDOS Fonte: World Health Organization Global Health Expenditure database. Elaboração: IESS

5 Envelhecimento da população brasileira Evolução da distribuição percentual (%) da população brasileira em faixas etárias selecionadas. % Fonte: IBGE. Elaboração: IESS

6 Envelhecimento da população brasileira Razão de dependência de idosos com relação às pessoas entre 14 anos e 59 anos. % Fonte: IBGE. Elaboração: IESS

7 Projeção do impacto do envelhecimento sobre a Saúde Suplementar Dados de gastos para a projeção: Amostra de mais de 1 milhão de beneficiários de planos de saúde individuais de abrangência nacional. Esses dados são do ano de 2013.

8 Amostra de Planos Individuais Gasto per capita dos beneficiários da amostra de planos individuais, Fonte: Amostra de planos individuais de abrangência nacional. Elaboração: IESS

9 Projeções Serão realizadas 3 projeções do impacto do envelhecimento: Projeção 1 Envelhecimento: considera o impacto do envelhecimento puro. Projeção 2 Envelhecimento + VCMH: considera o impacto do envelhecimento e da variação de custos médico hospitalares Projeção 3 Envelhecimento + VCMH + projeção da taxa de cobertura de beneficiários de planos de saúde

10 Projeção 1 -Envelhecimento Premissas: A taxa de cobertura por faixa etária da Saúde Suplementar de 2013 é considerada constante durante o período de projeção. Ela é aplicada a cada ano sobre o número de pessoas em cada faixa etária projetado pelo IBGE (Projeção da População Revisão 2013/IBGE). Fonte: ANS. Elaboração: IESS

11 Projeção 1 -Envelhecimento Projeção da população brasileira (IBGE) Fonte: IBGE. Elaboração: IESS

12 Projeção 1 -Envelhecimento Projeção do número de beneficiários (IESS): Elaboração: IESS

13 Projeção 1 -Envelhecimento Projeção do número de beneficiários (IESS) -Proporção de beneficiários por faixas etárias selecionadas, 2013, 2020 e Elaboração: IESS

14 Resultados -Projeção 1: Envelhecimento Gasto assistencial total da Saúde Suplementar real e projetado, , Projeção I Envelhecimento. Fonte: ANS e Projeção IESS.

15 Resultados -Projeção 1: Envelhecimento Proporção das faixas etárias na composição do gasto 2013 a 2030 Fonte: Elaboração: IESS

16 Resultados -Projeção 1: Envelhecimento Valores projetados dos gastos assistenciais para três faixas etárias, 2013, 2020 e Fonte: Elaboração: IESS

17 Resultados -Projeção 1: Envelhecimento Proporção dos grupos de procedimentos na composição do gasto 2013 a 2030 Fonte: Elaboração IESS.

18 Resultados -Projeção 1: Envelhecimento Distribuição do gasto total por item de despesa assistencial e por faixa etária, 2010, 2030 e Fonte: Elaboração: IESS

19 Resultados -Projeção 1: Envelhecimento Distribuição do gasto total por item de despesa assistencial e por faixa etária, 2010, 2030 e Fonte: Elaboração: IESS

20 Projeção 2 Envelhecimento + Premissas VCMH A variação de custos médicos hospitalares por faixa etária é considerada constante durante o período de projeção. É aplicada a média do VCMH/IESS no período de 2007 a 2013, por grupos de procedimentos deflacionado pelo IPCA. Variação dos custos médico hospitalares (VCMH/IESS) e da inflação medida pelo IPCA, 2007 a Fonte: IESS.

21 Resultados -Projeção 2: Envelhecimento + VCMH Gasto assistencial total da Saúde Suplementar real e projetado, , Cenário II Envelhecimento + Inflação Fonte: Elaboração: IESS

22 Resultados -Projeção 2: Envelhecimento + VCMH Proporção das faixas etárias na composição do gasto 2013 a 2030 Fonte: Elaboração: IESS

23 Resultados -Projeção 2: Envelhecimento + VCMH Proporção dos grupos de procedimentos na composição do gasto 2013 a 2030 Fonte: Elaboração: IESS

24 Resultados -Projeção 2: Envelhecimento + VCMH Distribuição do gasto total por item de despesa assistencial e por faixa etária, 2010, 2030 e Fonte: Elaboração: IESS

25 Resultados -Projeção 2: Envelhecimento + VCMH Distribuição do gasto total por item de despesa assistencial e por faixa etária, 2010, 2030 e Fonte: Elaboração: IESS

26 Projeção 3 Envelhecimento + VCMH + Projeção da Taxa de cobertura Premissas Nesse cenário, outra projeção do número de beneficiários é realizada, pois a taxa de cobertura é variável. A Taxa de cobertura foi projetada por faixa etária utilizando uma projeção logarítmica do software Excel até No Gráfico, observa-se que a taxa de cobertura aumenta 3,1 pontos percentuais de 2014 a 2030, passando de 25,5% da população para 28,6%. Fonte: ANS e Projeção IESS.

27 Projeção 3 Envelhecimento + VCMH + Projeção da Taxa de cobertura Projeção do número de beneficiários com taxa projetada, 2009 a Fonte: ANS e Projeção IESS.

28 Projeção 3 Envelhecimento + VCMH + Projeção da Taxa de cobertura Gasto assistencial total da Saúde Suplementar real e projetado, , Cenário II Envelhecimento + Inflação Real Projetado Fonte: Elaboração: IESS

29 Projeção 3 Envelhecimento + VCMH + Projeção da Taxa de cobertura Proporção das faixas etárias na composição do gasto 2013 a 2030 Fonte: Elaboração: IESS

30 Projeção 3 Envelhecimento + VCMH + Projeção da Taxa de cobertura Proporção dos grupos de procedimentos na composição do gasto 2013 a 2030 Fonte: Elaboração: IESS

31 Projeção 3 Envelhecimento + VCMH + Projeção da Taxa de cobertura Distribuição do gasto total por item de despesa assistencial e por faixa etária, 2010, 2030 e Fonte: Elaboração: IESS

32 Projeção 3 Envelhecimento + VCMH + Projeção da Taxa de cobertura Distribuição do gasto total por item de despesa assistencial e por faixa etária, 2010, 2030 e Fonte: Elaboração: IESS

33 Todas as projeções Gasto assistencial total da Saúde Suplementar real e projetado, , Projeção I, Projeção II e Projeção III Fonte: Elaboração: IESS

34 Todas as projeções O Valor projetado pela Projeção 3 é 211,9% superior ao observado em Além disso, a Projeção III é 13,7% superior ao da Projeção II e 123,6% superior ao da Projeção I.

35 Projeção do número de procedimentos devido ao envelhecimento Frequências de utilização por faixa etária são consideradas constantes,de acordo com a da amostra de planos individuais. Taxa de cobertura por faixa etária é constante na projeção do número de beneficiários. Projeção do número de procedimentos é realizada aplicando as frequências constantes sobre a projeção do número de beneficiários. Efeito apenas do envelhecimento

36 Projeção do número de procedimentos realizados por faixa etária Projeção do número de procedimentos realizados por faixas etárias selecionadas Fonte: Elaboração: IESS

37 Projeção do número de procedimentos realizados por faixa etária Projeção do número de procedimentos realizados por faixas etárias selecionadas Fonte: Elaboração: IESS

38 Projeção do número de procedimentos realizados por faixa etária Proporção do número de procedimentos realizados por faixas etárias selecionadas. Fonte: Elaboração: IESS

39 Projeção do número de procedimentos realizados por faixa etária Proporção do número de procedimentos realizados por faixas etárias selecionadas. Fonte: Elaboração: IESS

40 Projeção do número de procedimentos realizados por faixa etária Projeção do número de procedimentos realizados Faixas etárias acima de 59 anos Fonte: Elaboração: IESS

41 Projeção do número de procedimentos realizados por faixa etária Projeção do número de procedimentos realizados Faixas etárias acima de 59 anos Fonte: Elaboração: IESS

42 Concentração do gasto de saúde na população. Exemplo: EUA Fonte: 2010, Sarah Goodelland Katherine Swartz. Cost-sharing: Effects on spending and outcomes. The Synthesis Project, Policy Brief No. 20. The Robert Wood Johnson Foundation.

43 Concentração do gasto por tipo de condição de saúde (Top 5, EUA, 2012) Fonte: Center for Financing, Access, and Cost Trends, AHRQ, Household Component of the Medical Expenditure Panel Survey, 2012

44 : tendência de aumento nesses principais gastos Fonte: Center for Financing, Access, and Cost Trends, AHRQ, Household Component of the Medical Expenditure Panel Survey, 2012

45 Considerações Não podemos ficar apenas no diagnóstico. É necessário um plano de ação. As projeções apontam para condições futuras definitivas na saúde suplementar Do lado da gestão de custos, é necessário identificar e focar no mais importante Deve-se buscar e aprimorar as práticas mais eficazes em relação ao cuidado do idoso, à gestão de doenças crônicas e à promoção do envelhecimento saldável A saúde suplementar precisa resolver o quantos antes seus problemas estruturais que são os principais vetores de crescimento nos custos, por exemplo: a) modelo de remuneração de prestadores; b) falta de competição ao longo da cadeia produtiva; c) incorporação de tecnologias em saúde.

46 OBRIGADO! Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar IESS

Índice de Variação do Custo Médico Hospitalar VCMH/IESS

Índice de Variação do Custo Médico Hospitalar VCMH/IESS Índice de Variação do Custo Médico Hospitalar VCMH/IESS IESS - Instituto de Estudos de Saúde Suplementar 2 Atuação O IESS atua primordialmente na defesa de aspectos conceituais e técnicos que servem de

Leia mais

Envelhecimento populacional e a composição etária de beneficiários de planos de saúde

Envelhecimento populacional e a composição etária de beneficiários de planos de saúde Envelhecimento populacional e a composição etária de beneficiários de planos de saúde Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Francine Leite Apresentação Este trabalho introduz o tema Envelhecimento

Leia mais

José Cechin Bradesco, SP 29jun2010 55 11 3706.9747

José Cechin Bradesco, SP 29jun2010 55 11 3706.9747 MERCADO DE SAÚDE TENDÊNCIAS REGULATÓRIAS INFLAÇÃO MÉDICA José Cechin Bradesco, SP 29jun2010 jcechin@iess.org.br 55 11 3706.9747 Agenda Mercado VCMH custos crescentes Perspectivas Operadoras Consolidação

Leia mais

Variação dos custos médicos hospitalares e inflação geral - Por que esses índices não são comparáveis no Brasil e no mundo?

Variação dos custos médicos hospitalares e inflação geral - Por que esses índices não são comparáveis no Brasil e no mundo? Variação dos custos médicos hospitalares e inflação geral - Por que esses índices não são comparáveis no Brasil e no mundo? Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Sumário Executivo Natália Lara

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 29ª Edição Agosto de 214 SUMÁRIO EXECUTIVO Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (Mar/14): 5.722.522; Taxa

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar Nota Acompanhamento do Carno Informação da Saú Suplementar 1. Informações Gerais Em 2009, após um semestre quase estagnação, o número planos saú cresceu 4,9%. Essa é uma taxa muito expressiva consirando

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 30ª Edição Outubro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (jun/14): 50.930.043; Taxa

Leia mais

VCMH Variação dos Custos Médico-Hospitalares

VCMH Variação dos Custos Médico-Hospitalares VCMH Variação dos Custos Médico-Hospitalares José Cechin Superintendente Executivo José Cechin Carina Burri Martins Francine Leite Apresentação Entende-se por Custos Médico-Hospitalares o total das despesas

Leia mais

Panorama dos gastos com cuidados em saúde

Panorama dos gastos com cuidados em saúde Panorama dos gastos com cuidados em saúde Os custos da saúde sobem mais que a inflação em todo o mundo: EUA Inflação geral de 27% em dez anos, a inflação médica superou 100%; Brasil Inflação geral 150%

Leia mais

Variação dos Custos Médicos Hospitalares VCMH/IESS Data-base - junho de 2010

Variação dos Custos Médicos Hospitalares VCMH/IESS Data-base - junho de 2010 Variação dos Custos Médicos Hospitalares VCMH/ Data-base - junho de 2010 O VCMH/ é uma medida da variação das despesas médico-hospitalares per capita das operadoras de planos e seguros de saúde. Mede-se

Leia mais

Debates GVsaúde. Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões. Denise Eloi Maio/2014

Debates GVsaúde. Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões. Denise Eloi Maio/2014 Debates GVsaúde Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões Denise Eloi Maio/2014 Sistema de Saúde Suplementar 1.274 operadoras de planos de saúde com beneficiários Mais

Leia mais

DESAFIOS e RUMOS. da Saúde Suplementar

DESAFIOS e RUMOS. da Saúde Suplementar e RUMOS da Saúde Suplementar Perspectivas de Saúde Suplementar Na visão de uma Seguradora Especializada Operadoras O Mercado de Saúde Suplementar Modalidade Qtde. Beneficiários (%) Receita (%) Despesa

Leia mais

Desafio da Gestão dos Planos de Saúde nas empresas. Prof. Marcos Mendes. é Realizada pelo Ministério da Saúde:

Desafio da Gestão dos Planos de Saúde nas empresas. Prof. Marcos Mendes. é Realizada pelo Ministério da Saúde: Desafio da Gestão dos Planos de Saúde nas empresas Prof. Marcos Mendes 26 de novembro de 2015 A Regulação da Saúde no Brasil é Realizada pelo Ministério da Saúde: Diretamente sobre os sistemas públicos

Leia mais

Seminário Anual de Saúde 2013

Seminário Anual de Saúde 2013 Seminário Anual de Saúde 2013 Sustentabilidade dos programas de saúde: desafios e oportunidades Luiz Augusto Carneiro Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) 16 de maio de 2013 2013 Towers Watson.

Leia mais

Índice. 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 2. Como funcionam as regras de reajuste. 3. Quais as regras de reajuste dos planos

Índice. 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 2. Como funcionam as regras de reajuste. 3. Quais as regras de reajuste dos planos Índice FenaSaúde na Redação Reajuste dos Planos de Saúde Apresentação 6 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 8 2. Como funcionam as regras de reajuste dos planos de saúde? 3. Quais as regras

Leia mais

Sumário Executivo. Amanda Reis. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo

Sumário Executivo. Amanda Reis. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Comparativo entre o rendimento médio dos beneficiários de planos de saúde individuais e da população não coberta por planos de saúde regional e por faixa etária Amanda Reis Luiz Augusto Carneiro Superintendente

Leia mais

Aspectos de impacto para as operadoras de saúde suplementar

Aspectos de impacto para as operadoras de saúde suplementar Revisão do Modelo de Remuneração Hospitalar pelas Fontes Pagadoras Privadas" Aspectos de impacto para as operadoras de saúde suplementar São Paulo - 9/mar/2012 Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo

Leia mais

Audiência Pública. DF, 10mai2011

Audiência Pública. DF, 10mai2011 Audiência Pública DF, 10mai2011 FENASAÚDE Associadas 15 grupos empresariais Beneficiários 2010 20,2 milhões 33,6% do mercado planos médicos e odontológicos R$ 21,7 bilhões Despesas Assistenciais: (37,5%)

Leia mais

Painel da Saúde Suplementar no Brasil

Painel da Saúde Suplementar no Brasil Painel da Saúde Suplementar no Brasil Fundamentos da Auditoria na Saúde Suplementar 10h às 12h A ANS, a regulamentação e os Planos de Saúde. Goldete Priszkulnik (30 ) A Auditoria em Saúde assessorando

Leia mais

Superintendência Médica Bradesco Saúde Dra. Maristela Duarte Rodrigues

Superintendência Médica Bradesco Saúde Dra. Maristela Duarte Rodrigues Superintendência Médica Bradesco Saúde Dra. Maristela Duarte Rodrigues Destaques Presença nacional Operadora líder do mercado brasileiro de saúde suplementar, em faturamento e em vidas 12,4% de Market

Leia mais

CONTEXTO E DESAFIOS CASEMBRAPA 2014

CONTEXTO E DESAFIOS CASEMBRAPA 2014 CONTEXTO E DESAFIOS CASEMBRAPA 2014 1 CONTEXTO CUSTOS DA SAÚDE COLOCAM OPERADORAS EM RISCO FINANCEIRO O SETOR DE SAÚDE ESTÁ EM ALERTA O aumento dos custos com procedimentos médicos e hospitalares tem superado

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar 1. Informações Gerais No segundo trimestre de 2010, o número de beneficiários de planos de saúde cresceu 1,9%, totalizando 44.012.558

Leia mais

8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar

8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar 8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar Impactos da Contratualização na Saúde Suplementar e as várias visões do Relacionamento Comercial Sandro Leal Alves 22 de maio de

Leia mais

Eficiência na Atenção à Saúde

Eficiência na Atenção à Saúde QualiHosp 2015 Congresso Internacional de Qualidade em Serviços e Sistemas de Saúde Eficiência na Atenção à Saúde Michelle Mello de Souza Rangel Diretora-Adjunta Diretoria de Desenvolvimento Setorial -

Leia mais

Casos Internacionais. Série IESS 0005/2006. São Paulo, 12 de fevereiro de 2006

Casos Internacionais. Série IESS 0005/2006. São Paulo, 12 de fevereiro de 2006 Série IESS 0005/2006 São Paulo, 12 de fevereiro de 2006 Coordenação: Ernesto Cordeiro Marujo Elaboração: Carina Burri Martins José Cechin Superintendente Executivo IESS Instituto de Estudos de Saúde Suplementar

Leia mais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Carlos Figueiredo Diretor Executivo Agenda Anahp Brasil: contexto geral e econômico Brasil: contexto

Leia mais

Regulaçã. ção o Atuarial dos Planos de Saúde. Rosana Neves Gerente Gerente de Regulação Atuarial de Produtos - GERAT

Regulaçã. ção o Atuarial dos Planos de Saúde. Rosana Neves Gerente Gerente de Regulação Atuarial de Produtos - GERAT Regulaçã ção o Atuarial dos Planos de Saúde Rosana Neves Gerente Gerente de Regulação Atuarial de Produtos - GERAT Gerência-Geral Geral Econômico-Financeiro dos Produtos GGEFP/DIPRO Regulação do Setor

Leia mais

Perfil dos Beneficiários de Planos e SUS e o Acesso a Serviços de Saúde PNAD 2003 e 2008

Perfil dos Beneficiários de Planos e SUS e o Acesso a Serviços de Saúde PNAD 2003 e 2008 Perfil dos Beneficiários de Planos e SUS e o Acesso a Serviços de Saúde PNAD 2003 e 2008 Marcos Novais Carina Burri Martins José Cechin Superintendente Executivo APRESENTAÇÃO O objetivo deste trabalho

Leia mais

Federação Nacional de Saúde Suplementar SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS

Federação Nacional de Saúde Suplementar SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS Federação Nacional de Saúde Suplementar SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS Ciclo de Debates SUS O Cenário do Fornecimento de Órteses e Próteses Uma visão das Operadoras de Planos Privados 07 de

Leia mais

A Importância dos Incentivos para que Famílias e Empregadores Contribuam com o Sistema de Saúde POF 2002 e 2008

A Importância dos Incentivos para que Famílias e Empregadores Contribuam com o Sistema de Saúde POF 2002 e 2008 A Importância dos Incentivos para que Famílias e Empregadores Contribuam com o Sistema de Saúde POF 2002 e 2008 Marcos Novais José Cechin Superintendente Executivo APRESENTAÇÃO Este trabalho se propõe

Leia mais

Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde. Experiência Bradesco Saúde

Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde. Experiência Bradesco Saúde Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde Experiência Bradesco Saúde Pontos O Mercado de Saúde Suplementar O Contexto da Bradesco Saúde A Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde 2 Despesas Totais

Leia mais

Evolução demográfica 1950-2010

Evolução demográfica 1950-2010 Evolução demográfica 195-1 37 A estrutura etária da população brasileira em 1 reflete as mudanças ocorridas nos parâmetros demográficos a partir da segunda metade do século XX. Houve declínio rápido dos

Leia mais

Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde. Atibaia, 21 de abril de 2010

Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde. Atibaia, 21 de abril de 2010 Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde Atibaia, 21 de abril de 2010 Cenário atual DESAFIOS Desafios da Sustentabilidade Pressão constante sobre os custos Incorporação de novas tecnologias

Leia mais

Desafios do setor de saúde suplementar no Brasil Maílson da Nóbrega

Desafios do setor de saúde suplementar no Brasil Maílson da Nóbrega Desafios do setor de saúde suplementar no Brasil Maílson da Nóbrega Setor de grande importância Mais de 50 milhões de beneficiários no país. Níveis elevados de satisfação com os serviços. Custos hospitalares

Leia mais

Inovação em serviços de saúde: experiência da Unimed-BH. CISS Congresso Internacional de Serviços de Saúde

Inovação em serviços de saúde: experiência da Unimed-BH. CISS Congresso Internacional de Serviços de Saúde Inovação em serviços de saúde: experiência da Unimed-BH CISS Congresso Internacional de Serviços de Saúde Quem somos Por que inovar Qualificação da rede Adoção do DRG Acreditação da Operadora Inovação

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar. Sumário Executivo. Nesta edição: Planos médico-hospitalares Informações gerais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar. Sumário Executivo. Nesta edição: Planos médico-hospitalares Informações gerais Junho 201 Sumário Executivo Nesta edição: Número de beneficiários de planos médicohospitalares (Mar/1): 48.802.991; Taxa de crescimento do número de beneficiários de planos médicos no período de: Dez/12

Leia mais

A importância de Materiais e Medicamentos nos gastos médicos: dados de uma operadora no período de 2007 a 2012

A importância de Materiais e Medicamentos nos gastos médicos: dados de uma operadora no período de 2007 a 2012 A importância de Materiais e Medicamentos nos gastos médicos: dados de uma operadora no período de 2007 a 2012 Amanda Reis Almeida Silva Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Sumário executivo

Leia mais

Clube Vida em Grupo São Paulo Mercado Brasileiro de Seguros: Tendências e Oportunidades

Clube Vida em Grupo São Paulo Mercado Brasileiro de Seguros: Tendências e Oportunidades Clube Vida em Grupo São Paulo Mercado Brasileiro de Seguros: Tendências e Oportunidades 13 de novembro, 2013 Gabriel Portella O mercado está em constante mudança... Desenvolvimento tecnológico Mudança

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Assistência Social Departamento de Benefícios Assistenciais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Assistência Social Departamento de Benefícios Assistenciais Anexo IV Metas Fiscais IV.8 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Benefícios Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS (Art. 4 o, 2 o, inciso IV, da Lei Complementar n o 101, de

Leia mais

Sustentabilidade dos Sistemas de Saúde Universais

Sustentabilidade dos Sistemas de Saúde Universais Sustentabilidade dos Sistemas de Saúde Universais Sistemas de Saúde Comparados Conformação dos sistemas de saúde é determinada por complexa interação entre elementos históricos, econômicos, políticos e

Leia mais

18º Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros. 2º Congresso Brasileiro de Saúde Suplementar

18º Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros. 2º Congresso Brasileiro de Saúde Suplementar 18º Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros 2º Congresso Brasileiro de Saúde Suplementar Perspectivas e Tendências do Mercado de Saúde Suplementar Marcio Serôa de Araujo Coriolano 17 de outubro

Leia mais

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor. Brasília 03.abril.2013

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor. Brasília 03.abril.2013 Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor Brasília 03.abril.2013 Federação Nacional de Saúde Suplementar Associadas: 15 grupos empresariais Beneficiários: 25 milhões (37.2%)

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Conjuntura - Saúde Suplementar 25º Edição - Abril de 2014 SUMÁRIO Conjuntura - Saúde Suplementar Apresentação 3 Seção Especial 5 Nível de Atividade 8 Emprego 9 Emprego direto em planos de saúde 10 Renda

Leia mais

Regulação 15 anos depois O papel da ANS: fiscalizar ou contribuir na produção da saúde? O que mudou e o que poderia ter mudado?

Regulação 15 anos depois O papel da ANS: fiscalizar ou contribuir na produção da saúde? O que mudou e o que poderia ter mudado? Regulação 15 anos depois O papel da ANS: fiscalizar ou contribuir na produção da saúde? O que mudou e o que poderia ter mudado? Mauricio Ceschin Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Agência reguladora

Leia mais

Envelhecimento: Mitos e realidades das despesas de saúde e segurança social. Pedro Pita Barros Faculdade de Economia Universidade Nova de Lisboa

Envelhecimento: Mitos e realidades das despesas de saúde e segurança social. Pedro Pita Barros Faculdade de Economia Universidade Nova de Lisboa Envelhecimento: Mitos e realidades das despesas de saúde e segurança social Pedro Pita Barros Faculdade de Economia Universidade Nova de Lisboa Background - envelhecimento Inversão da pirâmide etária (transição

Leia mais

Como são calculadas as mensalidades?

Como são calculadas as mensalidades? Este informe aborda os aspectos relacionados ao reajuste do valor das mensalidades do Plano de Assistidos e do Plano de vinculados administrados pelo Eletros-Saúde (ES) para o ano de 2015. mas antes, é

Leia mais

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil

CPI da OPME 6.Abr. 2015. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil CPI da OPME 6.Abr. 2015 Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil SISTEMA UNIMED 351 Cooperativas contribuindo com a interiorização dos médicos da medicina de qualidade no Brasil. SISTEMA

Leia mais

Crescimento Econômico. Professor Afonso Henriques Borges Ferreira

Crescimento Econômico. Professor Afonso Henriques Borges Ferreira Crescimento Econômico Professor Afonso Henriques Borges Ferreira PIB do Brasil 1947 / 2006 R$ de 1980 PIB do Brasil tendência linear Y t = Y 0 e rt ln Y t = ln Y 0 + rt 3 2 1 0-1 50 55 60 65 70 75 80 85

Leia mais

Relações entre consumidores e operadoras. Interesses individuais x coletivos. José Cechin Sul América, SP 18 setembro 2008

Relações entre consumidores e operadoras. Interesses individuais x coletivos. José Cechin Sul América, SP 18 setembro 2008 Relações entre consumidores e operadoras de planos de saúde 10 anos após s a lei 9.656 Interesses individuais x coletivos José Cechin Sul América, SP 18 setembro 2008 Agenda 1. Conceitos 2. A gênese da

Leia mais

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo Sinog Dezembro/ 2011 Press Kit para Imprensa Sinog Sindicato Nacional das Empresas

Leia mais

CONSIDERAÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DE 18/06/2015

CONSIDERAÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DE 18/06/2015 CONSIDERAÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DE 18/06/2015 1 INFORMES 1.1- Demonstrações contábeis 2014: Na reunião do Conselho Curador, ocorrida em Brasília/DF no período de 27 e 28 de abril de 2015, os Conselheiros

Leia mais

RH 2020: Valor e Inovação. Rediscutindo os modelos financeiros existentes. René Ballo. 7 de maio de 2015, São Paulo

RH 2020: Valor e Inovação. Rediscutindo os modelos financeiros existentes. René Ballo. 7 de maio de 2015, São Paulo RH 2020: Valor e Inovação Rediscutindo os modelos financeiros existentes René Ballo 7 de maio de 2015, São Paulo Avanços da medicina e de medicamentos Ampliação do rol de procedimentos Envelhecimento da

Leia mais

AÇÕES DE PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE: A VISÃO DO ÓRGÃO REGULADOR

AÇÕES DE PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE: A VISÃO DO ÓRGÃO REGULADOR AÇÕES DE PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE: A VISÃO DO ÓRGÃO REGULADOR Saúde e Produtividade: o valor de uma força de trabalho saudável para o sucesso dos negócios Towers Watson São Paulo, 28 de maio de 2014

Leia mais

A Dinâmica Competitiva das OPS e sua Interface com o Setor de Serviços e a Indústria

A Dinâmica Competitiva das OPS e sua Interface com o Setor de Serviços e a Indústria A Dinâmica Competitiva das OPS e sua Interface com o Setor de Serviços e a Indústria Rio de Janeiro, Maio de 2008 Alfredo de Almeida Cardoso Diretor de Normas e Habilitação de Operadoras ANS Boa Tarde!

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA ABRAMGE-RS Dr. Francisco Santa Helena Presidente da ABRAMGE-RS Sistema ABRAMGE 3.36 milhões de internações; 281.1 milhões de exames e procedimentos ambulatoriais; 16.8

Leia mais

Modelo Domiciliar de. Assistência ao Doente. Crônico

Modelo Domiciliar de. Assistência ao Doente. Crônico Modelo Domiciliar de Modelos Assistenciais Assistência ao Doente Alternativos Crônico Panorama da Saúde no Brasil Aumento do poder aquisitivo Mudanças no Estilo de Vida Crescimento da População com Planos

Leia mais

Saúde Suplementar em Números

Saúde Suplementar em Números Saúde Suplementar em Números Edição nº 9-2015 Setembro de 2015 Sumário Executivo Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (setembro/15): 50.261.602; Taxa de crescimento do número de beneficiários

Leia mais

Epidemia de Doenças Crônicas: Como enfrentar esse desafio? Rio de Janeiro, 27 de Setembro de 2010 Martha Oliveira Assessoria da Presidência- ANS

Epidemia de Doenças Crônicas: Como enfrentar esse desafio? Rio de Janeiro, 27 de Setembro de 2010 Martha Oliveira Assessoria da Presidência- ANS Epidemia de Doenças Crônicas: Como enfrentar esse desafio? Rio de Janeiro, 27 de Setembro de 2010 Martha Oliveira Assessoria da Presidência- ANS I A ANS e a Saúde Suplementar I A ANS e a Saúde Suplementar

Leia mais

Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde

Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde Consultoria Técnica para a Gestão da Sinistralidade Suporte para Organização das Auditorias Operadora Consultoria Técnica em OPME Auditorias,

Leia mais

Guia da Saúde Suplementar. iess. instituto de estudos. de saúde suplementar

Guia da Saúde Suplementar. iess. instituto de estudos. de saúde suplementar Guia da Saúde Suplementar iess instituto de estudos de saúde suplementar Apresentação O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) apresenta a segunda edição do Guia da Saúde Suplementar. Esta publicação

Leia mais

A VISÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PATOLOGIA CLÍNICA/ MEDICINA LABORATORIAL NO FUTURO DAS ANÁLISES CLÍNICAS

A VISÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PATOLOGIA CLÍNICA/ MEDICINA LABORATORIAL NO FUTURO DAS ANÁLISES CLÍNICAS A VISÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PATOLOGIA CLÍNICA/ MEDICINA LABORATORIAL NO FUTURO DAS ANÁLISES CLÍNICAS Princípios da SBPC/ML Apoiar o desenvolvimento científico, pessoal e profissional dos associados

Leia mais

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Evolução dos Fatores de Risco para Doenças Crônicas e da prevalência do Diabete Melito e Hipertensão Arterial na população brasileira: Resultados do VIGITEL 2006-2009 Luiz Augusto Carneiro Superintendente

Leia mais

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional

Pnad: Um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional 08/09/2010-10h00 Pesquisa visitou mais de 150 mil domicílios em 2009 Do UOL Notícias A edição 2009 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Assistência Social Departamento de Benefícios Assistenciais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Assistência Social Departamento de Benefícios Assistenciais Anexo IV Metas Fiscais IV.8 Avaliação da Situação Financeira e Atuarial dos Assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social LOAS (Art. 4 o, 2 o, inciso IV, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio

Leia mais

ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA. Visão geral de previdência

ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA. Visão geral de previdência ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA Visão geral de previdência Agenda 4Conceitos assistência, previdência, seguro 4Regimes e grandes números 4Sustentabilidade 4Previdência privada 4Saúde-Previdência 2 CONCEITOS

Leia mais

Alguns equívocos comuns sobre saúde suplementar

Alguns equívocos comuns sobre saúde suplementar 50 Alguns equívocos comuns sobre saúde suplementar SANDRO LEAL ALVES 1 1 Este artigo reflete a opinião do autor e foi produzido a partir de apresentação realizada pelo mesmo por ocasião da 4ª Conferência

Leia mais

Passivo Atuarial de Planos /Seguros Saúde na Carteira de Plano Individual/Familiar. Andréa Cardoso andrea.cardoso@milliman.com

Passivo Atuarial de Planos /Seguros Saúde na Carteira de Plano Individual/Familiar. Andréa Cardoso andrea.cardoso@milliman.com Passivo Atuarial de Planos /Seguros Saúde na Carteira de Plano Individual/Familiar Andréa Cardoso andrea.cardoso@milliman.com O QUE É PASSIVO ATUARIAL? Valor presente do fluxo das despesas e receitas,

Leia mais

Caixa de Assistência Oswaldo Cruz

Caixa de Assistência Oswaldo Cruz Caixa de Assistência Oswaldo Cruz Propostas para nova tabela FioSaúde 2014 Data: 30.10.13 1 AGENDA 1. Objetivo da Assembleia 2. O contexto do mercado 3. A FioSaúde 4. O orçamento até setembro 5. O estudo

Leia mais

Sustentabilidade do Setor de Saúde Suplementar. Leandro Fonseca Diretor Adjunto de Normas e Habilitação de Operadoras - DIOPE

Sustentabilidade do Setor de Saúde Suplementar. Leandro Fonseca Diretor Adjunto de Normas e Habilitação de Operadoras - DIOPE Seminário Anual de Saúde 2013 Sustentabilidade dos programas de saúde: desafios e oportunidades Leandro Fonseca ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar 16 de maio de 2013 2013 Towers Watson. Todos os

Leia mais

Desigualdade e pobreza no Brasil 1995-2009. Pedro H. G. Ferreira de Souza

Desigualdade e pobreza no Brasil 1995-2009. Pedro H. G. Ferreira de Souza Desigualdade e pobreza no Brasil 1995-2009 Pedro H. G. Ferreira de Souza Renda domiciliar per capita (R$ setembro/2009) 700 600 500 400 521 1995 2003: 1% a.a. 2003 2009: +4.8% a.a 637 300 200 100 0 1995

Leia mais

PIB estadual e Saúde: riqueza regional relacionada à disponibilidade de equipamentos e serviços de saúde para o setor de saúde suplementar

PIB estadual e Saúde: riqueza regional relacionada à disponibilidade de equipamentos e serviços de saúde para o setor de saúde suplementar PIB estadual e Saúde: riqueza regional relacionada à disponibilidade de equipamentos e serviços de saúde para o setor de saúde suplementar Amanda Reis Almeida Silva Luiz Augusto Carneiro Superintendente

Leia mais

Saúde privada no Brasil

Saúde privada no Brasil Análise 12 Saúde privada no Brasil O futuro chegou e pede reformas Marcio Coriolano Projeções apontam que o Brasil terá 65 milhões de idosos em 2050, o que equivale à população de mais de cinco cidades

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO ENVELHECIMENTO NA SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES

A INFLUÊNCIA DO ENVELHECIMENTO NA SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES A INFLUÊNCIA DO ENVELHECIMENTO NA SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES CÉSAR FONSECA (VICE PRESIDENTE AAGI ID) COMUNICAÇÃO OFICIAL DIRECÇÃO DA ASSOCIAÇÃO 2 DE JULHO DE 2010 POLITICAS PARA O ENVELHECIMENTO

Leia mais

4º SEMINÁRIO AUTOGESTÃO COMO MODELO IDEAL PARA A SAÚDE CORPORATIVA A SUSTENTABILIDADE DA SAÚDE NAS -

4º SEMINÁRIO AUTOGESTÃO COMO MODELO IDEAL PARA A SAÚDE CORPORATIVA A SUSTENTABILIDADE DA SAÚDE NAS - 4º SEMINÁRIO AUTOGESTÃO COMO MODELO IDEAL PARA A SAÚDE CORPORATIVA A SUSTENTABILIDADE DA SAÚDE NAS - EMPRESAS - OS DESAFIOS PARA O SEGMENTO DE AUTOGESTÃO Vilma Dias GERENTE DA UNIDADE CASSI SP AGENDA 1.

Leia mais

José Cechin Allianz 15 out 2009

José Cechin Allianz 15 out 2009 PLANOS E SEGUROS DE SAÚDE PARA DESLIGADOS José Cechin Allianz 15 out 2009 Agenda 1. Demografia 2. Perfil dos gastos por faixa etária 3. Cobertura para desligados demitidos e aposentados 2 1. DEMOGRAFIA

Leia mais

VCMH/IESS. Variação de Custos Médico-Hospitalares. Edição: Janeiro de 2016 Data-base: Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO

VCMH/IESS. Variação de Custos Médico-Hospitalares. Edição: Janeiro de 2016 Data-base: Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO Variação de Custos Médico-Hospitalares Edição: Janeiro de 2016 Data-base: Junho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO O VCMH/IESS O índice VCMH/IESS para planos individuais atingiu 17,1% no período de 12 meses terminados

Leia mais

Práticas de Mercado de Benefícios e Mecanismos de Contenção de Custos 20 de Março de 2013. Francisco Bruno Consultor Sênior

Práticas de Mercado de Benefícios e Mecanismos de Contenção de Custos 20 de Março de 2013. Francisco Bruno Consultor Sênior Práticas de Mercado de Benefícios e Mecanismos de Contenção de Custos 20 de Março de 2013 Francisco Bruno Consultor Sênior Práticas de Mercado de Benefícios e Mecanismos de Contenção de Custos Conteúdo

Leia mais

ANS Longevidade - Custo ou Oportunidade. Modelos de Cuidados à Saúde do Idoso Rio de Janeiro/RJ 25/09/2014

ANS Longevidade - Custo ou Oportunidade. Modelos de Cuidados à Saúde do Idoso Rio de Janeiro/RJ 25/09/2014 ANS Longevidade - Custo ou Oportunidade. Modelos de Cuidados à Saúde do Idoso Rio de Janeiro/RJ 25/09/2014 Cenário 1) Nas últimas décadas, os países da América Latina e Caribe vêm enfrentando uma mudança

Leia mais

A emergência de um novo mundo no século XXI?

A emergência de um novo mundo no século XXI? A emergência de um novo mundo no século XXI? José Eustáquio Diniz Alves 1 A economia mundial deve crescer cerca de 4 vezes nos próximos 40 anos. Isto quer dizer que o Produto Interno Bruto (PIB) terá o

Leia mais

6º Seminário SINDHOSP e Grupo Fleury

6º Seminário SINDHOSP e Grupo Fleury 6º Seminário SINDHOSP e Grupo Fleury Saúde Suplementar Oportunidades e Desafios para o Crescimento São Paulo 16.abril.2013 Federação Nacional de Saúde Suplementar FENASAÚDE 2 Federação Nacional de Saúde

Leia mais

CONTEXTO E DESAFIOS CASEMBRAPA 2014

CONTEXTO E DESAFIOS CASEMBRAPA 2014 CONTEXTO E DESAFIOS CASEMBRAPA 2014 Março 2014 1 O CENÁRIO DA SAÚDE NO BRASIL A inflação da saúde atingiu o ápice dos últimos cinco anos, em dezembro de 2012, com uma taxa 15,4%, superando em muito a inflação

Leia mais

PROJEÇÕES DE LONGO PRAZO DOS AMPAROS ASSISTENCIAIS DA LEI ORGÂNICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (LOAS)

PROJEÇÕES DE LONGO PRAZO DOS AMPAROS ASSISTENCIAIS DA LEI ORGÂNICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (LOAS) Anexo de Metas Fiscais Lei de Diretrizes Orçamentárias 2007 (art. 4º, 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo IV.8 Projeção dos Benefícios Assistenciais da Lei

Leia mais

Na sociedade atual, a lógica do mutualismo garante a sustentabilidade do sistema de saúde suplementar?

Na sociedade atual, a lógica do mutualismo garante a sustentabilidade do sistema de saúde suplementar? Na sociedade atual, a lógica do mutualismo garante a sustentabilidade do sistema de saúde suplementar? Página 1 Conceitos Risco É um evento incerto cuja ocorrência tem um efeito negativo. Esse evento pode

Leia mais

Prestação de Contas Ano de 2012

Prestação de Contas Ano de 2012 Prestação de Contas Ano de 2012 André Longo Araújo de Melo Diretor-Presidente Agência Nacional de Saúde Suplementar A agência reguladora de planos de saúde do Brasil Congresso Nacional, 20 de junho de

Leia mais

José Mendes Ribeiro Ciclo de Conferências ÁGORA: Ciência e Sociedade - 7ª Conferência Desafios e sustentabilidade do sistema de saúde

José Mendes Ribeiro Ciclo de Conferências ÁGORA: Ciência e Sociedade - 7ª Conferência Desafios e sustentabilidade do sistema de saúde Inclusivo, equitativo, sustentável José Mendes Ribeiro Ciclo de Conferências ÁGORA: Ciência e Sociedade - 7ª Conferência Desafios e sustentabilidade do sistema de saúde Auditório do Instituto para a Investigação

Leia mais

O anacronismo dos modelos assistenciais para os idosos na área da saúde: desafios para o setor privado

O anacronismo dos modelos assistenciais para os idosos na área da saúde: desafios para o setor privado FÓRUM FORUM 2479 O anacronismo dos modelos assistenciais para os idosos na área da saúde: desafios para o setor privado Anachronic health care models for the elderly: challenges for the private sector

Leia mais

DADOS DEMOGRÁFICOS 1

DADOS DEMOGRÁFICOS 1 DADOS DEMOGRÁFICOS 1 1 DIMINUIÇÃO DA TAXA DE FECUNDIDADE 2 AUMENTO DA EXPECTATIVA DE VIDA 3 ENVELHECIMENTO POPULACIONAL 2 2050 81,3 anos, sendo 78,2 anos para homens e 84,5 anos para mulheres. Revisão

Leia mais

conceitos em saúde suplementar José Cechin EPM/SP 26 setembro 2008

conceitos em saúde suplementar José Cechin EPM/SP 26 setembro 2008 SAÚDE: pública p e privada conceitos em saúde suplementar José Cechin EPM/SP 26 setembro 2008 Agenda 1. Saúde: público e privado 2. Conceitos 3. Lei 9.656/98, temas e alterações 4. Risco e precificação

Leia mais

AGENDA 1. DESTAQUES 2. MERCADO DE ATUAÇÃO 3. DIFERENCIAIS COMPETITIVOS 4. NÚMEROS E INDICADORES DE DESEMPENHO 5. GESTÃO E SERVIÇO PARA CLIENTES

AGENDA 1. DESTAQUES 2. MERCADO DE ATUAÇÃO 3. DIFERENCIAIS COMPETITIVOS 4. NÚMEROS E INDICADORES DE DESEMPENHO 5. GESTÃO E SERVIÇO PARA CLIENTES AGENDA 1. DESTAQUES 2. MERCADO DE ATUAÇÃO 3. DIFERENCIAIS COMPETITIVOS 4. NÚMEROS E INDICADORES DE DESEMPENHO 5. GESTÃO E SERVIÇO PARA CLIENTES Marca líder e presença nacional Líder no mercado de saúde

Leia mais

ção o do Envelhecimento Ativo

ção o do Envelhecimento Ativo Criaçã ção o de incentivos para Programas de Promoçã ção o do Envelhecimento Ativo no âmbito da Saúde Suplementar O Envelhecimento Populacional é um fenômeno Mundial Fonte: United Nations Department of

Leia mais

AS PRINCIPAIS ATIVIDADES DO ATUÁRIO NAS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE - OPS

AS PRINCIPAIS ATIVIDADES DO ATUÁRIO NAS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE - OPS João Pessoa - PB 5 de abril de 2013 AS PRINCIPAIS ATIVIDADES DO ATUÁRIO NAS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE - OPS Atenção Médico-Hospitalar (MH) José Nazareno Maciel Júnior Atuário MIBA 1.286 Coordenador

Leia mais

Projeto de indução da qualidade e segurança dos serviços de saúde no setor suplementar Jacqueline Alves Torres

Projeto de indução da qualidade e segurança dos serviços de saúde no setor suplementar Jacqueline Alves Torres Projeto de indução da qualidade e segurança dos serviços de saúde no setor suplementar Jacqueline Alves Torres Objetivo Principal Promover o intercâmbio e a cooperação técnica e operacional relacionados

Leia mais

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo Sinog Março / 2011 Press Kit para Imprensa Sinog Sindicato Nacional das Empresas

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Apresentação Nesta 17ª Carta de Conjuntura da Saúde Suplementar, constam os principais indicadores econômicos de 2011 e uma a n á l i s e d o i m p a c t o d o crescimento da renda e do emprego sobre o

Leia mais

Ciclo de Encontros Executivos As Melhores Práticas em Gestão de Saúde CENÁRIOS E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE SAÚDE NO BRASIL. Mozart de Oliveira Júnior

Ciclo de Encontros Executivos As Melhores Práticas em Gestão de Saúde CENÁRIOS E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE SAÚDE NO BRASIL. Mozart de Oliveira Júnior Ciclo de Encontros Executivos As Melhores Práticas em Gestão de Saúde CENÁRIOS E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE SAÚDE NO BRASIL Mozart de Oliveira Júnior Histórico Atividades caritativas e ação sobre o ambiente

Leia mais

Avaliação Atuarial de Banco de Dados

Avaliação Atuarial de Banco de Dados Avaliação Atuarial de Banco de Dados ASSOCIAÇÃO POLICIAL DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA - SP São José dos Pinhais, 12 de Junho de 2007. Índice 1. Introdução---------------------------------------------------------------------------------------------------3

Leia mais

Organização ENVELHECIMENTO POPULACIONAL E OS DESAFIOS PARA O SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO

Organização ENVELHECIMENTO POPULACIONAL E OS DESAFIOS PARA O SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO Organização ENVELHECIMENTO POPULACIONAL E OS DESAFIOS PARA O SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO INSTITUTO DE ESTUDOS DE SAÚDE SUPLEMENTAR Luiz Augusto Ferreira Carneiro Antonio Carlos Coelho Campino Francine

Leia mais

Eletros-Saúde: O desafio da segregação

Eletros-Saúde: O desafio da segregação Eletros-Saúde: O desafio da segregação Na última edição do Eletros em Foco, a Diretoria Executiva da ELETROS, em sua entrevista, antecipou os motivos e as ações previstas para a segregação das atividades

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Conjuntura - Saúde Suplementar 31º Edição - Junho de 2016 Sumário Conjuntura da Saúde Suplementar 1) Emprego e Planos coletivos 3 2) Renda e Planos individuais 4 3) PIB e Receita/Despesa das operadoras

Leia mais

O Incremento nos Custos dos Planos de Saúde e do Valor do Benefício Saúde oferecido pelas empresas.

O Incremento nos Custos dos Planos de Saúde e do Valor do Benefício Saúde oferecido pelas empresas. O Incremento nos Custos dos Planos de Saúde e do Valor do Benefício Saúde oferecido pelas empresas. 11º Semestre de Debates GV saúde: Custos no Mercado da Saúde Suplementar Michel Daud Filho M.D. Diretoria

Leia mais