Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico"

Transcrição

1 Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo Sinog Dezembro/ 2011 Press Kit para Imprensa Sinog Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo Av. Paulista, º andar São Paulo SP Fone: Fax:

2 PANORAMA DO SEGMENTO DE ODONTOLOGIA O, legítimo e legal representante das Empresas de Odontologia de Grupo, fundado em agosto de 1996, tem prestado, em sua atividade de representação sindical patronal, relevantes serviços à sua categoria econômica, não apenas nas negociações coletivas de trabalho, mas também na defesa dos seus interesses junto aos órgãos governamentais e às entidades que congregam os prestadores de serviços odontológicos ou que legalmente fiscalizam a execução dos trabalhos profissionais desse segmento. Por outro lado, o SINOG, nestes 15 anos de vida, também se preocupou em auxiliar o aprimoramento do exercício profissional dos integrantes da área, através da realização de cursos, simpósios e congressos, voltados à gestão de Operadoras Odontológicas, todos realizados com êxito. A direção do SINOG, consciente da dificuldade de acesso das operadoras às informações detalhadas do setor, elaborou um trabalho de compilação de dados, com base nas informações divulgadas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, Entidades de Classe, Ibope, FGV etc., a fim de facilitar consultas e elaboração de estudos. 2

3 A REALIDADE A população atual estimada do país consiste em pessoas (1), sendo 98 milhões economicamente ativa (2). Cerca de 22,5 (2) milhões de brasileiros nunca foram ao dentista, ou seja, 11,7% da população total. Além disto, 8 milhões com mais de 30 anos já utilizam próteses, apenas 3,8% das crianças com 5 anos estão livres de cáries, 12,8% da população adulta com mais de 35 anos possui mais de 20 dentes, três em cada quatro idosos não possuem nenhum dente, 2,5 milhões de adolescentes nunca foram ao dentista e apenas 6% têm planos odontológicos (3). Desde a fundação da 1ª empresa a comercializar planos exclusivamente odontológicos, em 1966, até o final de 2001, o mercado atingiu beneficiários. De lá para cá este número cresceu 395,63 %, alcançando beneficiários (4). No segmento de Odontologia de Grupo, o SINOG detém, em seu quadro associativo, uma grande parte do total de todas as empresas de odontologia de grupo que operam exclusivamente planos de odontologia cadastradas na Agência Nacional de Saúde Suplementar, sendo que as maiores (em número de beneficiários) compõem este quadro. Isto significa que o SINOG, hoje, é composto por um imenso número de usuários de planos odontológicos do Brasil, através de suas associadas. Estima-se que no segmento, clientes de planos odontológicos gerem hoje aproximadamente empregos diretos e indiretos. Atualmente, o número de profissionais que prestam serviços odontológicos no Brasil cresce a cada ano. De acordo com as estatística do Conselho Federal de Odontologia, existem cerca de 349 mil profissionais, sendo 66,57% de cirurgiões-dentistas, 23,5% de atendentes de saúde bucal, 5,57% de técnicos em prótese dentária, 3,18% de técnicos em saúde bucal e 1,18% de auxiliar de prótese dentária (5). Vale ressaltar que, hoje, este é, comprovadamente, o maior mercado gerador de trabalho para os cirurgiões-dentistas, considerando que mais de 65%, destes profissionais, estão vinculados às operadoras de planos odontológicos. (1) População estimada residente no Brasil, segundo o Censo 2010 do IBGE; (2) Dados colhidos no Suplemento de Saúde da PNAD Pesquisa Nacional de Amostras de Domicílios, de 2008, do IBGE; (3) Valor projetado com base no Suplemento de Saúde da PNAD - Pesquisa Nacional de Amostras de Domicílios de 2003, do IBGE; (4) Dados colhidos no Caderno de Informações da Saúde Suplementar (Setembro/2011), produzido pela ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar; (5) Informações do site do CFO colhidas em 27 de dezembro de

4 ATUAL CONJUNTURA Dezembro de 2011 Planos odontológicos de Medicinas de Grupo seguem crescendo O Caderno de Informação em Saúde Suplementar, com dados do mercado de assistência suplementar, apurados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, referentes a setembro de 2011 apresenta o crescimento do número de beneficiários de planos odontológicos do segundo para o terceiro trimestre do ano passado de 2,27%, enquanto o acumulado de 2011 chega a 10,95%. Entre Junho e setembro de 2011 o maior crescimento dos beneficiários de planos odontológicos foi observado na modalidade de Medicina de Grupo (14,75%), seguido das Cooperativas Médicas (11,04%), Cooperativas Odontológicas (2,23%), Autogestão (0,59%) e Odontologia de Grupo (0,33%). Já nas Seguradoras e Filantrópicas houve variação negativa de 0,20% e 0,96% respectivamente. Norte e Centro-Oeste registraram discreto aumento na participação de beneficiários por regiões, enquanto as demais, principalmente Sudeste e Nordeste, diminuíram o ritmo de novas contratações. O número de beneficiários de planos anteriores a Lei 9656/98 continua em queda, apresentando média de redução de 3,56% a cada trimestre. Os dados do mercado de assistência suplementar, apurados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, continuam indicando crescimento do segmento odontológico no ano de Somente na Odontologia de Grupo, nos nove primeiros meses do ano, foram adicionados mais de um milhão e duzentos mil novos usuários, incluindo aqueles contratados através das operadoras de medicina de grupo. Nos últimos anos, a Odontologia de Grupo tem procurado gerir de forma mais eficiente suas despesas administrativas, como mostra a comparação com as cooperativas odontológicas. Em 2010, as operadoras de Odontologia de Grupo gastaram, per capita, cerca de R$ 38,5, enquanto nas cooperativas odontológicas o gasto foi de R$ 59,00. Com a tendência de crescimento ainda em alta, a expectativa é que as operadoras odontológicas invistam no aperfeiçoamento de seus produtos, inserindo-os em nichos e mercados mais amplos, já que a taxa de assistência odontológica em todo o território brasileiro é bastante baixa, destacando-se uma elevada potencialidade de expansão na prestação dos serviços oferecidos pelas operadoras de planos odontológicos. Salientamos que esse imenso potencial de demanda é verificado em regiões do país onde o índice de cobertura não ultrapassa 4%, como é o caso da Região Norte. Abaixo estão alguns indicadores significativos para o primeiro semestre de 2011: Hoje, cerca de 8,5% da população brasileira está coberta por planos odontológicos; Atualmente, os planos exclusivamente odontológicos contratados posteriormente à Lei 9.656/98 representam cerca de 97,48% e apenas 2,52% são contratações anteriores a vigência da lei. Os planos coletivos representam 81,54%, enquanto os individuais e familiares, apenas 17,57%; A faixa onde se concentra o maior número de beneficiários de planos odontológicos é a que vai de 20 aos 39 anos, cerca de 49%; enquanto que aproximadamente 4,00% está na faixa etária que está acima dos 60 anos de idade. O estado de São Paulo detém 40,70% do número de beneficiários de planos odontológicos, entre empresas de Odontologia de Grupo, Cooperativas Odontológicas, Medicina de Grupo (mistas - planos odontológicos), Seguradoras de Saúde, Autogestão, Cooperativas Médicas e Filantropia; A Região Sudeste detém cerca de 62,55% da população de beneficiários de planos odontológicos. Em seguida, vem a Região Nordeste (17,22%); Sul (8,99%); Centro-Oeste (7,50%); e, Norte (3,75%); 4

5 Cerca de 80% dos beneficiários de planos odontológicos estão vinculados às Empresas de Odontologia e de Medicina de Grupo, os outros 20% estão vinculados aos demais segmentos como Cooperativas Odontológicas e Médicas, Seguradoras de saúde, Autogestões e Filantropias; A contratação de planos odontológicos aumentou cinco vezes mais nos últimos 10 anos. Em 2000 eram beneficiários de planos odontológicos. No ano 2011 esse número subiu para mais de 16 milhões; Nos últimos 8 anos, as contratações de planos odontológicos de Empresas de Odontologia de Grupo foram 3 vezes maior se comparado às cooperativas odontológicas. DISTRIBUIÇÃO DOS BENEFICIÁRIOS POR MODALIDADE DISTRIBUIÇÃO, POR REGIÕES, DOS BENEFICIÁRIOS DE PLANOS ODONTOLÓGICOS 5

6 PANORAMA DOS PLANOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE SEGMENTAÇÃO ODONTOLÓGICA - CADASTRADOS NA ANS Beneficiários por segmentação do plano* Segmentação do Plano DISTRIBUIÇÃO POR PLANOS Planos novos (posteriores a Lei 9.656/98) Planos Antigos (anteriores a Lei 9.656/98) Total ODONTOLÓGICO ,48% 2,52% Coletivos Coletivos ,35% 1,18% Individuais Individuais ou Familiares ,13% 0,44% Não Identificados Beneficiários de Planos Exclusivamente Odontológicos por modalidade e época de contratação* 0,90% Modalidades Planos Novos Planos Antigos Total % Odontologia de Grupo ,66% Cooperativa Odontológica ,14% Medicina de Grupo ,74% Seguradora espec. Saúde ,04% Cooperativa Médica ,48% Filantropia ,57% Autogestão ,37% Total ,00% Beneficiários de Planos Exclusivamente Odontológicos por modalidade e tipo de contratação* Modalidades Individual ou Familiar Coletivo Empresarial Coletivo por adesão Coletivo Não indentificado Não informado Odontologia de Grupo Cooperativa Odontológica Medicina de Grupo Seguradora espec. Saúde Cooperativa Médica Filantropia Autogestão Total % do Total 17,57% 63,49% 16,62% 1,43% 0,90% 100,00% Total 6

7 Evolução dos Beneficiários de Planos Exclusivamente Odontológicos* Competência Nº Beneficiários Ä% Ä% em relação ao ano de dez/ dez/ ,12 17, dez/ ,14 37,19 17, dez/ ,39 61,04 37,50 17, dez/ ,69 97,59 68,71 44,02 22, dez/ ,40 122,09 89,62 61,88 37,90 12, dez/ ,54 163,26 124,78 91,90 63,48 33,24 18, dez/ ,21 219,12 172,47 132,61 98,16 61,51 43,69 21, dez/ ,11 273,72 219,10 172,41 132,06 89,14 68,28 41,96 17, dez/ ,96 355,80 289,18 232,23 183,03 130,68 105,23 73,13 42,83 21, dez/ ,79 423,21 346,73 281,37 224,89 164,80 135,59 98,74 63,95 40,00 14, set/ ,95 480,48 395,63 323,12 260,45 193,78 161,38 120,49 81,90 55,32 27,35 10,95 Beneficiários, por faixa etária e sexo, de planos individuais ou familiares e coletivos* Faixas Etárias Total Posteriores à Lei Anteriores a Lei Total Masculino Feminino Masculino Feminino Masculino Feminino 0 a 9 anos a 19 anos a 29 anos a 39 anos a 49 anos a 59 anos a 69 anos a 79 anos anos e mais Não identificado Total Parcial Total Geral Participação do número de beneficiários, por cobertura assistencial, desde 2001, na saúde suplementar* 7

8 Receita do Setor Odontológico em R$* Operadoras Exclusivamente Odontológicas Odontologia de Grupo Cooperativa Odontológica ,04% 64,59% 63,57% 64,55% 66,82% 69,53% 70,14% 69,33% 70,02% 73,71% ,96% 35,41% 36,43% 35,45% 33,18% 30,47% 29,86% 30,67% 29,98% 26,29% Despesa Assistencial do Setor Odontológico em R$* Modalidade Operadoras Exclusivamente Odontológicas Odontologia de Grupo ,48% 53,82% 52,78% 53,69% 55,29% 58,36% 59,80% 58,28% 60,54% 64,43% Cooperativa Odontológica ,52% 46,18% 47,22% 46,31% 44,71% 41,64% 40,20% 41,72% 39,46% 35,57% Despesa Administrativa do Setor Odontológico em R$* Modalidade Operadoras Exclusivamente Odontológicas Odontologia de Grupo ,63% 73,70% 69,41% 68,55% 71,57% 73,41% 74,85% 74,05% 72,08% 74,31% Cooperativa Odontológica ,37% 26,30% 30,59% 31,45% 28,43% 26,59% 25,15% 25,95% 27,92% 25,69% Despesa Assistencial segundo grupos de modalidades e itens de despesa assistencial em R$* Itens de despesa assistencial Total Operadoras médico-hospitalares Operadoras exclusivamente odontológicas Total Despesas médico-hospitalares Consultas Exames Terapias Internações Outros atendimentos ambulatoriais Demais assistenciais Despesas odontológicas Procedimentos odontológicos Demais despesas assistenciais Despesas assistenciais não especificadas

9 Taxa de Sinistralidade das operadoras de Planos de Saúde, segundo a modalidade da operadora* Modalidade Total 79,20% 78,77% 80,90% 80,90% 80,80% 79,10% 79,90% 79,80% 82,30% 80,20% Operadoras médicohospitalares 79,58% 79,14% 81,30% 81,50% 81,40% 79,70% 80,60% 80,40% 83,00% 80.9% Autogestão 84,44% 85,97% 82,70% 90,90% 87.8% 83.1% 87,60% 91,70% 94,20% 89,20% Cooperativa médica 83,74% 82,71% 83,60% 83,00% 81,50% 80,80% 79,60% 81,30% 82,40% 80,70% Filantropia 62,78% 61,71% 73,30% 77,10% 75,70% 77,20% 53,60% 53,10% 81,50% 69,00% Medicina de grupo 74,27% 75,12% 75,90% 75,20% 75,90% 75,90% 77,20% 77,60% 79,10% 79,00% Seguradora especializada em saúde 82,71% 82,12% 86,20% 87,20% 90,00% 84,00% 89,70% 81,50% 83,60% 81,30% Operadoras Exclusivamente Odontológicas 54,90% 55,00% 55,20% 51,0% 49,9% 47,2% 48,1% 47,8% 48,4% 45,9% Odontologia de Grupo 45,4% 46,0% 44,9% 42,4% 41,3% 39,6% 41,0% 40,2% 41,9% 40,1% Cooperativa Odontológica 71,2% 70,6% 76,3% 66,6% 67,2% 64,5% 64,8% 65,0% 63,7% 62,1% Ranking das 20 maiores operadoras de planos odontológicos, segundo o número de beneficiários* Ordem Código ANS / Operadora Beneficiários Modalidade ODONTOPREV S/A Odontologia de Grupo INTERODONTO - SISTEMA DE SAÚDE ODONTOLÓGICA Odontologia de Grupo AMIL ASSISTÊNCIA MÉDICA INTERNACIONAL LTDA Odontologia de Grupo ODONTO EMPRESA CONVENIOS DENTARIOS LTDA Odontologia de Grupo ODONTO SYSTEM PLANOS ODONTOLOGICOS LTDA Odontologia de Grupo PRODENT - ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA LTDA Odontologia de Grupo METLIFE PLANOS ODONTOLÓGICOS LTDA Odontologia de Grupo UNIODONTO DE CURITIBA - COOPERATIVA ODONTOL Cooperativa Odontológica AMIL SAÚDE S/A. (antiga Medial Saúde S/A) Odontologia de Grupo GOLDEN CROSS ASSISTENCIA INTERNACIONAL DE S Odontologia de Grupo UNIODONTO DE CAMPINAS COOPERATIVA ODONTOLÓG Cooperativa Odontológica SUL AMÉRICA SEGURO SAÚDE S/A Seguradora INPAO - INSTIT DE PREVIDENCIA E ASSISTENCIA ODONT Odontologia de Grupo HAPVIDA - ASSISTÊNCIA MÉDICA LTDA Medicina de Grupo GAMA ODONTO S/A Odontologia de Grupo UNIMED BH COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO Cooperativa Odontológica DENTAL PLAN LTDA Odontologia de Grupo SORRISO OPERADORA ODONTOLÓGICA LTDA Odontologia de Grupo SAUDE MED ODONTOLOGIA LTDA BELO DENTE Odontologia de Grupo INTERMÉDICA SISTEMA DE SAÚDE S/A Odontologia de Grupo Base Outubro/2011 9

10 ODONTOLOGIA DE GRUPO Evolução dos Beneficiários de Planos Exclusivamente Odontológicos* Competência Nº Beneficiários dez/ dez/ ,84 14, Ä% Ä% em relação ao ano de dez/ ,61 32,77 15, dez/ ,04 55,39 35,31 17, dez/ ,42 93,34 68,36 45,63 24, dez/ ,65 125,53 96,39 69,87 45,14 16, dez/ ,96 172,79 137,55 105,47 75,55 41,09 20, dez/ ,29 244,52 200,00 159,49 121,71 78,19 52,76 26, dez/ ,49 297,89 246,49 199,70 156,06 105,80 76,43 45,86 15, dez/ ,61 407,76 342,16 282,45 226,77 162,63 125,14 86,14 47,38 27, dez/ ,95 503,97 425,94 354,92 288,68 212,39 167,80 121,40 75,31 51,79 18, set/ ,31 560,20 474,90 397,27 324,86 241,47 192,73 142,01 91,63 65,92 30,02 9,31 Evolução dos Beneficiários de Planos Odontológicos com vínculo a Medicina de Grupo* Competência Nº Beneficiários dez/ dez/ ,51 10, Ä% Ä% em relação ao ano de dez/ ,74 45,59 31, dez/ ,81 103,56 84,20 39, dez/ ,80 294,49 256,97 170,95 93, dez/ ,21 401,81 354,08 244,67 146,52 27, dez/ ,18 538,20 477,50 338,34 213,52 61,78 27, dez/ ,22 667,25 594,27 426,98 276,92 94,49 52,90 20, dez/ ,87 942,46 843,30 616,01 412,12 164,26 107,74 63,34 35, dez/ , , ,20 837,57 570,59 246,03 172,02 113,89 77,91 30, dez/ , , ,42 929,58 636,40 279,99 198,72 134,88 95,37 43,79 9, set/ , , , ,22 782,05 355,14 257,80 181,33 134,01 72,23 31,53 19,78 Evolução dos Beneficiários de Planos Odontológicos - Odontologia de Grupo com e sem vínculo à Medicina de Grupo* Competência Nº Beneficiários Ä% Ä% em relação ao ano de dez/ dez/ ,58 14, dez/ ,54 33,53 16, dez/ ,53 58,28 38,14 18, dez/ ,77 105,40 79,27 53,82 29, dez/ ,87 142,10 111,29 81,30 52,96 17, dez/ ,73 194,70 157,21 120,69 86,19 43,48 21, dez/ ,50 269,86 222,80 176,98 133,68 80,07 52,78 25, dez/ ,03 336,54 281,00 226,91 175,81 112,53 80,32 48,13 18, dez/ ,09 459,16 388,02 318,74 253,28 172,23 130,97 89,74 51,18 28, dez/ ,61 557,64 473,97 392,49 315,50 220,17 171,64 123,15 77,81 50,65 17, set/ ,74 628,26 535,61 445,38 360,12 254,56 200,82 147,12 96,90 66,83 30,24 10,74 * Fonte: Caderno de Informações da Saúde Suplementar - ANS/MS 12/2011 Dados até Setembro/

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo Sinog Março / 2011 Press Kit para Imprensa Sinog Sindicato Nacional das Empresas

Leia mais

3.000.000 2.000.000 1.000.000 2.489.239 2.270.578 2.050.498 1.052.432 818.993 864.748 328.552 223.651 220.002 198.142

3.000.000 2.000.000 1.000.000 2.489.239 2.270.578 2.050.498 1.052.432 818.993 864.748 328.552 223.651 220.002 198.142 Rank Código ANS Nomes Beneficiários 1 326305 Amil 2.489.239 2 359017 Intermedica 2.270.578 3 302872 Amil (Medial) 2.050.498 4 306622 Amil (DixAmico) 1.052.432 5 403911 Golden Cross 818.993 6 368253 Hapvida

Leia mais

3.000.000 2.000.000 1.000.000 2.464.419 2.295.978 2.020.883 992.586 867.392 831.535 325.275 242.433 219.843 197.706

3.000.000 2.000.000 1.000.000 2.464.419 2.295.978 2.020.883 992.586 867.392 831.535 325.275 242.433 219.843 197.706 Rank Código ANS Nomes Beneficiários 1 326305 Amil 2.464.419 2 359017 Intermedica 2.295.978 3 302872 Amil (Medial) 2.020.883 4 306622 Amil (DixAmico) 992.586 5 368253 Hapvida 867.392 6 403911 Golden Cross

Leia mais

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Análise de Mercado segundo dados extraídos da Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia

Leia mais

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Análise de Mercado segundo dados extraídos da Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia

Leia mais

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Análise de Mercado segundo dados extraídos da Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia

Leia mais

2014 SETEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2014 SETEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2014 SETEMBRO Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários,

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 29ª Edição Agosto de 214 SUMÁRIO EXECUTIVO Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (Mar/14): 5.722.522; Taxa

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar 1. Informações Gerais Pelo quarto ano consecutivo, a ANS apresenta dados de crescimento do número de beneficiários do setor acima de

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 30ª Edição Outubro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (jun/14): 50.930.043; Taxa

Leia mais

2013 Março. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2013 Março. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2013 Março Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários,

Leia mais

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor. Brasília 03.abril.2013

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor. Brasília 03.abril.2013 Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor Brasília 03.abril.2013 Federação Nacional de Saúde Suplementar Associadas: 15 grupos empresariais Beneficiários: 25 milhões (37.2%)

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Gestão em Clínicas de Serviço de Saúde. José Cechin SP, 24.mai.2013

8º Congresso Brasileiro de Gestão em Clínicas de Serviço de Saúde. José Cechin SP, 24.mai.2013 8º Congresso Brasileiro de Gestão em Clínicas de Serviço de Saúde José Cechin SP, 24.mai.2013 1 Gestão da Qualidade Adote o processo, escolha depois 2 FENASAUDE 3 FenaSaúde Associadas: 17 grupos empresariais

Leia mais

6º Seminário SINDHOSP e Grupo Fleury

6º Seminário SINDHOSP e Grupo Fleury 6º Seminário SINDHOSP e Grupo Fleury Saúde Suplementar Oportunidades e Desafios para o Crescimento São Paulo 16.abril.2013 Federação Nacional de Saúde Suplementar FENASAÚDE 2 Federação Nacional de Saúde

Leia mais

Panorama dos gastos com cuidados em saúde

Panorama dos gastos com cuidados em saúde Panorama dos gastos com cuidados em saúde Os custos da saúde sobem mais que a inflação em todo o mundo: EUA Inflação geral de 27% em dez anos, a inflação médica superou 100%; Brasil Inflação geral 150%

Leia mais

2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2014 DEZEMBRO Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos Elaboração, distribuição e informações: MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Diretoria

Leia mais

Saúde Suplementar em Números

Saúde Suplementar em Números Saúde Suplementar em Números Edição nº 9-2015 Setembro de 2015 Sumário Executivo Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (setembro/15): 50.261.602; Taxa de crescimento do número de beneficiários

Leia mais

A SAÚDE SUPLEMENTAR E A REGULAÇÃO

A SAÚDE SUPLEMENTAR E A REGULAÇÃO A SAÚDE SUPLEMENTAR E A REGULAÇÃO IBDESS Fevereiro/2010 Fausto Pereira dos Santos Diretor-Presidente Vínculos a planos privados de assistência à saúde e registros no cadastro: Brasil (2000 2009) (milhões)

Leia mais

Regulaçã. ção o Atuarial dos Planos de Saúde. Rosana Neves Gerente Gerente de Regulação Atuarial de Produtos - GERAT

Regulaçã. ção o Atuarial dos Planos de Saúde. Rosana Neves Gerente Gerente de Regulação Atuarial de Produtos - GERAT Regulaçã ção o Atuarial dos Planos de Saúde Rosana Neves Gerente Gerente de Regulação Atuarial de Produtos - GERAT Gerência-Geral Geral Econômico-Financeiro dos Produtos GGEFP/DIPRO Regulação do Setor

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS E DE BENEFICIÁRIOS

INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS E DE BENEFICIÁRIOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS E DE BENEFICIÁRIOS Boletim da Saúde Suplementar ed. 11 Dezembro 2015 02 Boletim da Saúde Suplementar Indicadores Econômico-financeiros e de Beneficiários edição 11 Apresentação

Leia mais

Audiência Pública. DF, 10mai2011

Audiência Pública. DF, 10mai2011 Audiência Pública DF, 10mai2011 FENASAÚDE Associadas 15 grupos empresariais Beneficiários 2010 20,2 milhões 33,6% do mercado planos médicos e odontológicos R$ 21,7 bilhões Despesas Assistenciais: (37,5%)

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar 1. Informações Gerais No segundo trimestre de 2010, o número de beneficiários de planos de saúde cresceu 1,9%, totalizando 44.012.558

Leia mais

Publicação do Sistema Abramge-Sinamge-Sinog - Edição I - N o 01 - Setembro/2014

Publicação do Sistema Abramge-Sinamge-Sinog - Edição I - N o 01 - Setembro/2014 Publicação do Sistema Abramge-Sinamge-Sinog - Edição I - N o 01 - Setembro/2014 A saúde suplementar no Brasil cresceu consistentemente nos últimos anos e o país ocupa lugar de destaque no cenário mundial.

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DA SAÚDE SUPLEMENTAR APRESENTAÇÃO DA METODOLOGIA DO IDSS - ÍNDICE DO DESEMPENHO DA SAÚDE SUPLEMENTAR

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DA SAÚDE SUPLEMENTAR APRESENTAÇÃO DA METODOLOGIA DO IDSS - ÍNDICE DO DESEMPENHO DA SAÚDE SUPLEMENTAR PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DA SAÚDE SUPLEMENTAR APRESENTAÇÃO DA METODOLOGIA DO IDSS - ÍNDICE DO DESEMPENHO DA SAÚDE SUPLEMENTAR A ANS, AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR, está estabelecendo novos parâmetros

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar. Sumário Executivo. Nesta edição: Planos médico-hospitalares Informações gerais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar. Sumário Executivo. Nesta edição: Planos médico-hospitalares Informações gerais Junho 201 Sumário Executivo Nesta edição: Número de beneficiários de planos médicohospitalares (Mar/1): 48.802.991; Taxa de crescimento do número de beneficiários de planos médicos no período de: Dez/12

Leia mais

Junho2015. Caderno de Informação. da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos. Rio de Janeiro - 2015. ISSN online 1981-0962

Junho2015. Caderno de Informação. da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos. Rio de Janeiro - 2015. ISSN online 1981-0962 Junho2015 Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos Rio de Janeiro - 2015 ISSN online 1981-0962 Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras

Leia mais

Lei nº 13.003 RN nº 351 RN nº 355 IN nº 16/DIGES RN nº 353

Lei nº 13.003 RN nº 351 RN nº 355 IN nº 16/DIGES RN nº 353 Junho 2014 Apresentação Em cumprimento ao seu objetivo de traduzir o mercado de planos privados de saúde em números, buscando apresentar de forma dinâmica a cada trimestre um retrato do setor, o FOCO SAÚDE

Leia mais

Panorama das Operadoras de Planos de Saúde no País e a Realidade do Sistema Unimed

Panorama das Operadoras de Planos de Saúde no País e a Realidade do Sistema Unimed Panorama das Operadoras de Planos de Saúde no País e a Realidade do Sistema Unimed Dr. Orestes Barrozo Medeiros Pullin Vice - Presidente da Unimed do Brasil Fórum de Dirigentes Unimed Problemas e Soluções

Leia mais

Dados gerais sobre o atendimento oftalmológico no Brasil

Dados gerais sobre o atendimento oftalmológico no Brasil As Condições de Sa ú d e Oc u l a r n o Br a s i l 2012 124 Dados gerais sobre o atendimento oftalmológico no Brasil As Condições de Sa ú d e Oc u l a r n o Br a s i l 2012 126 Dados de financiamento

Leia mais

RELACIONAMENTO ENTRE OPERADORAS E PRESTADORES E SEUS REFLEXOS NAS NEGOCIAÇÕES CONFLITO X COOPERAÇÃO

RELACIONAMENTO ENTRE OPERADORAS E PRESTADORES E SEUS REFLEXOS NAS NEGOCIAÇÕES CONFLITO X COOPERAÇÃO RELACIONAMENTO ENTRE OPERADORAS E PRESTADORES E SEUS REFLEXOS NAS NEGOCIAÇÕES CONFLITO X COOPERAÇÃO Moisés Warszawiak/junho 2011 Moisés Warszawiak/junho 2011 OPERADORA DE PLANO DE SAÚDE PRESTADO R DE SERVIÇO

Leia mais

Debates GV Saude Desafios do Sistema de Saude Brasileiro. O Desafio do Aumento da Sinistralidade no Sistema de Saude Suplementar no Brasil

Debates GV Saude Desafios do Sistema de Saude Brasileiro. O Desafio do Aumento da Sinistralidade no Sistema de Saude Suplementar no Brasil Debates GV Saude Desafios do Sistema de Saude Brasileiro O Desafio do Aumento da Sinistralidade no Sistema de Saude Suplementar no Brasil Sao Paulo, 28 de marco de 2011 Leandro Reis Tavares Diretor de

Leia mais

Avaliação Atuarial de Banco de Dados

Avaliação Atuarial de Banco de Dados Avaliação Atuarial de Banco de Dados ASSOCIAÇÃO POLICIAL DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA - SP São José dos Pinhais, 12 de Junho de 2007. Índice 1. Introdução---------------------------------------------------------------------------------------------------3

Leia mais

DESAFIOS e RUMOS. da Saúde Suplementar

DESAFIOS e RUMOS. da Saúde Suplementar e RUMOS da Saúde Suplementar Perspectivas de Saúde Suplementar Na visão de uma Seguradora Especializada Operadoras O Mercado de Saúde Suplementar Modalidade Qtde. Beneficiários (%) Receita (%) Despesa

Leia mais

8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar

8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar 8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar Impactos da Contratualização na Saúde Suplementar e as várias visões do Relacionamento Comercial Sandro Leal Alves 22 de maio de

Leia mais

Apresentação. A publicação atualiza também os dados da conjuntura econômica, bem como da receita e das despesas das operadoras.

Apresentação. A publicação atualiza também os dados da conjuntura econômica, bem como da receita e das despesas das operadoras. Setembro 2014 Apresentação Em cumprimento ao seu objetivo de traduzir o mercado de planos privados de saúde em números, buscando apresentar de forma dinâmica a cada trimestre um retrato do setor, o FOCO

Leia mais

INICIATIVAS ESTRATÉGICAS PARA A CASSI DIRETORIA DE PLANOS DE SAÚDE E RELACIONAMENTO COM CLIENTES DIRETORIA DE SAÚDE E REDE DE ATENDIMENTO

INICIATIVAS ESTRATÉGICAS PARA A CASSI DIRETORIA DE PLANOS DE SAÚDE E RELACIONAMENTO COM CLIENTES DIRETORIA DE SAÚDE E REDE DE ATENDIMENTO INICIATIVAS ESTRATÉGICAS PARA A CASSI DIRETORIA DE PLANOS DE SAÚDE E RELACIONAMENTO COM CLIENTES DIRETORIA DE SAÚDE E REDE DE ATENDIMENTO PANORAMA DO SETOR DE SAÚDE - ANS Beneficiários Médico-Hospitalar

Leia mais

Por dentro da Saúde Suplementar

Por dentro da Saúde Suplementar Por dentro da Saúde Suplementar GUIA PRÁTICO PARA CORRETORES Índice 3...Apresentação 4...Setor de Saúde Suplementar no Brasil 6...Operadoras de planos de saúde 9...Planos de saúde contrato e produto 9.

Leia mais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Carlos Figueiredo Diretor Executivo Agenda Anahp Brasil: contexto geral e econômico Brasil: contexto

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar Nota Acompanhamento do Carno Informação da Saú Suplementar 1. Informações Gerais Em 2009, após um semestre quase estagnação, o número planos saú cresceu 4,9%. Essa é uma taxa muito expressiva consirando

Leia mais

CONSOLIDAÇÃO EM SAÚDE

CONSOLIDAÇÃO EM SAÚDE CONSOLIDAÇÃO EM SAÚDE Riscos e potenciais benefícios para usuários e prestadores José Cechin FGV/RJ, 13 novembro 2008 Agenda HISTÓRICO DA SAÚDE SUPLEMENTAR CONSOLIDAÇÃO E MODERNIZAÇÃO CONCENTRAÇÃO E CONCORRÊNCIA

Leia mais

5. O Plano do funcionário sofrerá reajuste?

5. O Plano do funcionário sofrerá reajuste? PERGUNTAS E RESPOSTAS REAJUSTE ANUAL E DENÚNCIA DE CONVÊNIOS E MENSALIDADES REAJUSTADAS JULHO DE 2014 REAJUSTE ANUAL 1. O que é um reajuste anual e qual é sua base legal? O reajuste anual é um mecanismo

Leia mais

Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Caderno de Informação da Saúde Suplementar 2010 Setembro Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários Operadoras Planos de Saúde ISSN 1981-0962 MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar Caderno de Informação da Saúde

Leia mais

2014 JUNHO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2014 JUNHO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2014 JUNHO Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários,

Leia mais

Ciclo de Encontros Executivos As Melhores Práticas em Gestão de Saúde CENÁRIOS E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE SAÚDE NO BRASIL. Mozart de Oliveira Júnior

Ciclo de Encontros Executivos As Melhores Práticas em Gestão de Saúde CENÁRIOS E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE SAÚDE NO BRASIL. Mozart de Oliveira Júnior Ciclo de Encontros Executivos As Melhores Práticas em Gestão de Saúde CENÁRIOS E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE SAÚDE NO BRASIL Mozart de Oliveira Júnior Histórico Atividades caritativas e ação sobre o ambiente

Leia mais

José Cechin Bradesco, SP 29jun2010 55 11 3706.9747

José Cechin Bradesco, SP 29jun2010 55 11 3706.9747 MERCADO DE SAÚDE TENDÊNCIAS REGULATÓRIAS INFLAÇÃO MÉDICA José Cechin Bradesco, SP 29jun2010 jcechin@iess.org.br 55 11 3706.9747 Agenda Mercado VCMH custos crescentes Perspectivas Operadoras Consolidação

Leia mais

Debates GVsaúde. Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões. Denise Eloi Maio/2014

Debates GVsaúde. Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões. Denise Eloi Maio/2014 Debates GVsaúde Perspectivas da Assistência para a População de Idosos Visão das Autogestões Denise Eloi Maio/2014 Sistema de Saúde Suplementar 1.274 operadoras de planos de saúde com beneficiários Mais

Leia mais

TEMPO ASSIST Apresentação Institucional 2T12

TEMPO ASSIST Apresentação Institucional 2T12 TEMPO ASSIST Apresentação Institucional 2T12 0 Agenda 1. Introdução e Visão Geral 2. Saúde 3. Odonto 4. Assistência 5. Resultados Financeiros Consolidados 6. Perspectivas para 2012 1 Introdução e Visão

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC)

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC) 1 A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR 2 CONCEITOS 3 SAÚDE SUPLEMENTAR: atividade que envolve a operação de planos privados de assistência à saúde sob regulação do Poder

Leia mais

Governança Corporativa na Saúde Suplementar

Governança Corporativa na Saúde Suplementar Governança Corporativa na Saúde Suplementar João Carlos Alves da Silva Júnior Gerente-Geral de Regimes Especiais Diretoria de Normas e Habilitação das Operadoras 15 de outubro de 2013 (milhões) Beneficiários

Leia mais

Apresentação. Foco Saúde Suplementar - Dezembro 2012 1

Apresentação. Foco Saúde Suplementar - Dezembro 2012 1 2012 Dezembro Apresentação A partir de dados específicos de seis regiões metropolitanas (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Recife), a quarta edição do FOCO SAÚDE SUPLEMENTAR

Leia mais

TEMPO ASSIST Apresentação Institucional 1T12

TEMPO ASSIST Apresentação Institucional 1T12 TEMPO ASSIST Apresentação Institucional 1T12 0 Agenda 1. Introdução e Visão Geral 2. Saúde 3. Odonto 4. Assistência 5. Resultados Financeiros Consolidados 6. Perspectivas para 2012 1 Introdução e Visão

Leia mais

Pelos (Des) caminhos da medicina assistencial brasileira

Pelos (Des) caminhos da medicina assistencial brasileira Pelos (Des) caminhos da medicina assistencial brasileira A Transição O Cenário Atual O Futuro Pelos (Des) caminhos da medicina assistencial brasileira Criação da Primeira Santa Casa de Misericórdia no

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Apresentação Nesta 17ª Carta de Conjuntura da Saúde Suplementar, constam os principais indicadores econômicos de 2011 e uma a n á l i s e d o i m p a c t o d o crescimento da renda e do emprego sobre o

Leia mais

Reajuste de mensalidade

Reajuste de mensalidade Reajuste de mensalidade Conceitos básicos Reajuste por variação de custos Reajuste por mudança de faixa etária SÉRIE PLANOS DE SAÚDE CONHEÇA SEUS DIREITOS Reajuste de mensalidade SÉRIE PLANOS DE SAÚDE

Leia mais

Panorama do Mercado de Planos Odontológicos SINPLO Simpósio Internacional de Planos Odontológicos

Panorama do Mercado de Planos Odontológicos SINPLO Simpósio Internacional de Planos Odontológicos Propostas comerciais para Patrocinadores e Apoiadores Panorama do Mercado de Planos Odontológicos O mercado de planos odontológicos cresceu a um ritmo médio anual de 17% nos últimos dez anos. O número

Leia mais

Olhares sobre a Agenda Regulatória da ANS

Olhares sobre a Agenda Regulatória da ANS Olhares sobre a Agenda Regulatória da ANS Mercado de Saúde Suplementar Tabela 13 - Operadoras em atividade por porte, segundo modalidade (Brasil março/2012) Modalidade da operadora Total Sem beneficiários

Leia mais

RESOLUÇÃO-RDC Nº 39, DE 27 DE OUTUBRO DE 2000

RESOLUÇÃO-RDC Nº 39, DE 27 DE OUTUBRO DE 2000 RESOLUÇÃO-RDC Nº 39, DE 27 DE OUTUBRO DE 2000 Dispõe sobre a definição, a segmentação e a classificação das Operadoras de Planos de Assistência à Saúde. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Saúde

Leia mais

REGULAÇÃO E QUALIDADE NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR 18 de junho de 2013. Regulação e Qualidade no Setor de Saúde Suplementar - 18/06/2013.

REGULAÇÃO E QUALIDADE NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR 18 de junho de 2013. Regulação e Qualidade no Setor de Saúde Suplementar - 18/06/2013. REGULAÇÃO E QUALIDADE NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR 18 de junho de 2013 1 Informação para a Regulação da Qualidade da Saúde Suplementar Marizélia Leão Moreira Graduada em Ciências Sociais pela UNESP, Doutorado

Leia mais

Índice de Desempenho da Saúde Suplementar - IDSS

Índice de Desempenho da Saúde Suplementar - IDSS Índice de Desempenho da Saúde Suplementar - IDSS Ano Base de 2014 Divulgação: Setembro 2015 Dimensões avaliadas do IDSS Atenção à Saúde: Avalia a qualidade da atenção, com ênfase nas ações de promoção,

Leia mais

Sustentabilidade do Setor de Saúde Suplementar. Leandro Fonseca Diretor Adjunto de Normas e Habilitação de Operadoras - DIOPE

Sustentabilidade do Setor de Saúde Suplementar. Leandro Fonseca Diretor Adjunto de Normas e Habilitação de Operadoras - DIOPE Seminário Anual de Saúde 2013 Sustentabilidade dos programas de saúde: desafios e oportunidades Leandro Fonseca ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar 16 de maio de 2013 2013 Towers Watson. Todos os

Leia mais

Desafio da Gestão dos Planos de Saúde nas empresas. Prof. Marcos Mendes. é Realizada pelo Ministério da Saúde:

Desafio da Gestão dos Planos de Saúde nas empresas. Prof. Marcos Mendes. é Realizada pelo Ministério da Saúde: Desafio da Gestão dos Planos de Saúde nas empresas Prof. Marcos Mendes 26 de novembro de 2015 A Regulação da Saúde no Brasil é Realizada pelo Ministério da Saúde: Diretamente sobre os sistemas públicos

Leia mais

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Junho de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Junho de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Junho de 215 Estatísticas do Mercado Segurador Mercado Segurador - Visão Geral Arrecadação por segmento - histórico anual 3 Arrecadação por segmento do ano atual

Leia mais

1. Ambiente e Arranjos Institucionais 2. Regulação Econômico-Prudencial 3. Características do Mercado Produto Demanda Oferta (padrão de competição)

1. Ambiente e Arranjos Institucionais 2. Regulação Econômico-Prudencial 3. Características do Mercado Produto Demanda Oferta (padrão de competição) Dez anos de regulamentação A necessidade de uma reforma institucional na saúde suplementar do Brasil por Denise Alves Baptista APRESENTAÇÃO Dez anos de regulamentação A necessidade de uma reforma institucional

Leia mais

Índice. 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 2. Como funcionam as regras de reajuste. 3. Quais as regras de reajuste dos planos

Índice. 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 2. Como funcionam as regras de reajuste. 3. Quais as regras de reajuste dos planos Índice FenaSaúde na Redação Reajuste dos Planos de Saúde Apresentação 6 1. Os preços dos planos de saúde são controlados? 8 2. Como funcionam as regras de reajuste dos planos de saúde? 3. Quais as regras

Leia mais

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 UNIDAS Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 Saúde no Brasil Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado,

Leia mais

RELATÓRIO ESTATÍSTICO E ANALÍTICO REA OUVIDORIAS (2016) 1) Ano dos dados informados: Identificação da Operadora

RELATÓRIO ESTATÍSTICO E ANALÍTICO REA OUVIDORIAS (2016) 1) Ano dos dados informados: Identificação da Operadora RELATÓRIO ESTATÍSTICO E ANALÍTICO REA OUVIDORIAS (2016) A Resolução Normativa n 323/2013 instituiu a criação de unidade de Ouvidoria pelas operadoras de planos privados de assistência à saúde e a obrigatoriedade

Leia mais

A VISÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PATOLOGIA CLÍNICA/ MEDICINA LABORATORIAL NO FUTURO DAS ANÁLISES CLÍNICAS

A VISÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PATOLOGIA CLÍNICA/ MEDICINA LABORATORIAL NO FUTURO DAS ANÁLISES CLÍNICAS A VISÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PATOLOGIA CLÍNICA/ MEDICINA LABORATORIAL NO FUTURO DAS ANÁLISES CLÍNICAS Princípios da SBPC/ML Apoiar o desenvolvimento científico, pessoal e profissional dos associados

Leia mais

FOCO SAÚDE SUPLEMENTAR

FOCO SAÚDE SUPLEMENTAR 2013 Março Apresentação Nesta edição do FOCO SAÚDE SUPLEMENTAR é analisado o perfil das empresas contratantes de planos coletivos. Os dados enfatizam o setor de atividade das empresas a que estão vinculados

Leia mais

Manual de Orientações Técnicas e Administrativas de Serviços em Check-up da Tempo USS - Serviços de Assistência

Manual de Orientações Técnicas e Administrativas de Serviços em Check-up da Tempo USS - Serviços de Assistência Manual de Orientações Técnicas e Administrativas de Serviços em Check-up da Tempo USS - Serviços de Assistência Maio de 2011 1. Apresentação Apresentamos o Manual de Orientações Técnicas e Administrativas

Leia mais

Destaque Setorial - Bradesco

Destaque Setorial - Bradesco Sistema de Saúde Privada 03 de junho de 2015 Sistema de saúde privado deverá ser impactado pela piora do mercado de trabalho no curto prazo Regina Helena Couto Silva Departamento de Pesquisas e Estudos

Leia mais

Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Caderno de Informação da Saúde Suplementar Março 2009 Caderno de Informação da Saúde Suplementar 2ª edição revisada e atualizada Beneficiários Operadoras Planos de Saúde ISSN 1981-0962 MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar

Leia mais

A representação institucional do mercado segurador

A representação institucional do mercado segurador A representação institucional do mercado segurador A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização CNseg é a entidade de representação

Leia mais

Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil. Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação

Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil. Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação Pauta da apresentação 1º Estrutura do Setor 2º Representação Institucional do Setor 3º Arrecadação Visão por

Leia mais

Epidemia de Doenças Crônicas: Como enfrentar esse desafio? Rio de Janeiro, 27 de Setembro de 2010 Martha Oliveira Assessoria da Presidência- ANS

Epidemia de Doenças Crônicas: Como enfrentar esse desafio? Rio de Janeiro, 27 de Setembro de 2010 Martha Oliveira Assessoria da Presidência- ANS Epidemia de Doenças Crônicas: Como enfrentar esse desafio? Rio de Janeiro, 27 de Setembro de 2010 Martha Oliveira Assessoria da Presidência- ANS I A ANS e a Saúde Suplementar I A ANS e a Saúde Suplementar

Leia mais

OPERADORAS DE SAÚDE. Mariana Braga Shoji Barbosa Enfermagem UNIFESP mariana_shoji@yahoo.com.br

OPERADORAS DE SAÚDE. Mariana Braga Shoji Barbosa Enfermagem UNIFESP mariana_shoji@yahoo.com.br OPERADORAS DE SAÚDE Mariana Braga Shoji Barbosa Enfermagem UNIFESP mariana_shoji@yahoo.com.br O que são Operadoras de saúde? O que são Operadoras de saúde? Operadora é a pessoa jurídica que opera ( administra,

Leia mais

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Agosto de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Agosto de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Agosto de 215 Estatísticas do Mercado Segurador Mercado Segurador - Visão Geral Arrecadação por segmento - histórico anual 3 Arrecadação por segmento do ano atual

Leia mais

IV Seminário de Promoçã e Prevençã. ção à Saúde. ção o de Riscos e Doenças na Saúde Suplementar. I Seminário de Atençã. Suplementar.

IV Seminário de Promoçã e Prevençã. ção à Saúde. ção o de Riscos e Doenças na Saúde Suplementar. I Seminário de Atençã. Suplementar. IV Seminário de Promoçã ção o da Saúde e Prevençã ção o de Riscos e Doenças na Saúde Suplementar I Seminário de Atençã ção à Saúde Suplementar Dezembro 2007 Área de Atençã ção à Saúde da Mulher Marco Regulatório

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DOS PLANOS DE SAÚDE DA CEB, ADMINISTRADOS PELA FACEB

RELATÓRIO DE GESTÃO DOS PLANOS DE SAÚDE DA CEB, ADMINISTRADOS PELA FACEB BRASÍLIA, OUTUBRO DE 2015 RELATÓRIO DE GESTÃO DOS PLANOS DE SAÚDE DA CEB, ADMINISTRADOS PELA FACEB 1 º S E M E S T R E / 2 0 1 5 Plano de Saúde da CEB e Plano CEB-Saúde 1. APRESENTAÇÃO O presente relatório

Leia mais

Audiência Pública na Comissão de Seguridade Social e Família CSSF Câmara dos Deputados

Audiência Pública na Comissão de Seguridade Social e Família CSSF Câmara dos Deputados Audiência Pública na Comissão de Seguridade Social e Família CSSF Câmara dos Deputados Leandro Fonseca da Silva Diretor-Adjunto de Normas e Habilitação de Operadoras Brasília, 21 de maio de 2013 Marco

Leia mais

Diretoria de Pesquisas. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009. crianças, adolescentes e adultos no Brasil

Diretoria de Pesquisas. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009. crianças, adolescentes e adultos no Brasil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Gerência da Pesquisa de Orçamentos Familiares Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 Antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes

Leia mais

PREGÃO 22/10 ESCLARECIMENTO

PREGÃO 22/10 ESCLARECIMENTO Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SERGIPE PREGÃO 22/10 ESCLARECIMENTO HAPVIDA ASSISTÊNCIA MÉDICA LTDA, CNPJ 63.554.067/0001-98, representada por Nara Rubenívea Lima Farias, INTERODONTO SISTEMA

Leia mais

Painel da Saúde Suplementar no Brasil

Painel da Saúde Suplementar no Brasil Painel da Saúde Suplementar no Brasil Fundamentos da Auditoria na Saúde Suplementar 10h às 12h A ANS, a regulamentação e os Planos de Saúde. Goldete Priszkulnik (30 ) A Auditoria em Saúde assessorando

Leia mais

8º Santander Healthcare Trip

8º Santander Healthcare Trip 8º Santander Healthcare Trip Destaques Beneficiários (Mil) Presença nacional 3.963 4.167 Operadora líder do mercado brasileiro de saúde 3.426 4.530 suplementar com 11,6% de Market Share 46,9% de Market

Leia mais

Momento Atual do Sistema Unimed

Momento Atual do Sistema Unimed Momento Atual do Sistema Unimed Dr. Eudes de Freitas Aquino Diretor Presidente da Unimed do Brasil Contexto: A Saúde Suplementar no Brasil e no Mundo Proporção de gastos com Saúde Setor Privado e Público

Leia mais

CAFÉ UNIDAS SÃO PAULO E MHZ

CAFÉ UNIDAS SÃO PAULO E MHZ CAFÉ UNIDAS SÃO PAULO E MHZ 11 Novembro 2015 Início: 9:00 horas Término: 12:00 horas GESTÃO DE CUSTOS ASSISTENCIAIS PROGRAMAÇÃO DO EVENTO 09h00 às 09h30 09h30 às 10h30 10h30 às 11h00 11h00 às 12h00 Welcome

Leia mais

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros 1 of 5 11/26/2010 2:57 PM Comunicação Social 26 de novembro de 2010 PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009 Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros O número de domicílios

Leia mais

Regulação 15 anos depois O papel da ANS: fiscalizar ou contribuir na produção da saúde? O que mudou e o que poderia ter mudado?

Regulação 15 anos depois O papel da ANS: fiscalizar ou contribuir na produção da saúde? O que mudou e o que poderia ter mudado? Regulação 15 anos depois O papel da ANS: fiscalizar ou contribuir na produção da saúde? O que mudou e o que poderia ter mudado? Mauricio Ceschin Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Agência reguladora

Leia mais

Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde

Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde Consultoria Técnica para a Gestão da Sinistralidade Suporte para Organização das Auditorias Operadora Consultoria Técnica em OPME Auditorias,

Leia mais

A Importância dos Incentivos para que Famílias e Empregadores Contribuam com o Sistema de Saúde POF 2002 e 2008

A Importância dos Incentivos para que Famílias e Empregadores Contribuam com o Sistema de Saúde POF 2002 e 2008 A Importância dos Incentivos para que Famílias e Empregadores Contribuam com o Sistema de Saúde POF 2002 e 2008 Marcos Novais José Cechin Superintendente Executivo APRESENTAÇÃO Este trabalho se propõe

Leia mais

1 - Dos procedimentos que constam no Rol, quais foram os 10 mais negados em 2012, 2013, 2014?

1 - Dos procedimentos que constam no Rol, quais foram os 10 mais negados em 2012, 2013, 2014? E-Sic Número: 25820.004145/2014-61 Data de abertura: 19/11/2014-10:28 Demandante: Idec - Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor Resumo da solicitação: Principais procedimentos negados Prazo: 09/12/2014

Leia mais

Comentários. Programa saúde da família

Comentários. Programa saúde da família Comentários levantamento suplementar de saúde da Pesquisa Nacional por O Amostra de Domicílios PNAD 2008 trouxe informações detalhadas sobre a saúde da população residente em domicílios particulares no

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Conjuntura - Saúde Suplementar 25º Edição - Abril de 2014 SUMÁRIO Conjuntura - Saúde Suplementar Apresentação 3 Seção Especial 5 Nível de Atividade 8 Emprego 9 Emprego direto em planos de saúde 10 Renda

Leia mais

PLANOS UNIMED CONVÊNIO ASDEP Contato: convênios@asdep.com.br

PLANOS UNIMED CONVÊNIO ASDEP Contato: convênios@asdep.com.br PLANOS UNIMED CONVÊNIO ASDEP Contato: convênios@asdep.com.br 1. PLANO UNIMAX COLETIVOS POR ADESÃO Características: Apresentam abrangência Nacional, com atendimentos e ampla utilização na rede Unimed, contando

Leia mais

ANEXO I GLOSSÁRIO A SER UTILIZADO PARA PREENCHIMENTO E ENVIO PELA INTERNET DAS INFORMAÇÕES DE QUE TRATA ESTA INSTRUÇÃO NORMATIVA.

ANEXO I GLOSSÁRIO A SER UTILIZADO PARA PREENCHIMENTO E ENVIO PELA INTERNET DAS INFORMAÇÕES DE QUE TRATA ESTA INSTRUÇÃO NORMATIVA. ANEXO I GLOSSÁRIO A SER UTILIZADO PARA PREENCHIMENTO E ENVIO PELA INTERNET DAS INFORMAÇÕES DE QUE TRATA ESTA INSTRUÇÃO NORMATIVA. 1. Nome do Plano Para os planos contratados após 1º de janeiro de 1999

Leia mais

Empresarial JUNDIAÍ/SOROCABA/CAMPINAS/BAIXADA SANTISTA LINHA ADVANCE PREMIUM INFINITY Setembro 2015 Taxa de Inscrição: (Por Contrato) R$ 50,00

Empresarial JUNDIAÍ/SOROCABA/CAMPINAS/BAIXADA SANTISTA LINHA ADVANCE PREMIUM INFINITY Setembro 2015 Taxa de Inscrição: (Por Contrato) R$ 50,00 INTERMEDICA JUNDIAÍ/SOROCABA/CAMPINAS/BAIXADA SANTISTA LINHA ADVANCE PREMIUM INFINITY Setembro 2015 Taxa de Inscrição: (Por Contrato) R$ 50,00 http://www.wemk.com.br (11) 3124 3799 Faixa Etária ADVANCE

Leia mais

MENSURANDO OS CUSTOS EM SAÚDE CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS NO ÂMBITO PÚBLICO E SUPLEMENTAR. Tania Moreira Grillo Pedrosa

MENSURANDO OS CUSTOS EM SAÚDE CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS NO ÂMBITO PÚBLICO E SUPLEMENTAR. Tania Moreira Grillo Pedrosa MENSURANDO OS CUSTOS EM SAÚDE CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS NO ÂMBITO PÚBLICO E SUPLEMENTAR Tania Moreira Grillo Pedrosa SISTEMA DE SAÚDE CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO Indicadores Econômicos Brasil

Leia mais

CAESAN. Cobertura: Sim. Pedido assinado e carimbado pelo cirurgião-dentista. Não é necessário a autorização do convênio.

CAESAN. Cobertura: Sim. Pedido assinado e carimbado pelo cirurgião-dentista. Não é necessário a autorização do convênio. TOMOGRAFIA CAESAN Pedido assinado e carimbado pelo cirurgião-dentista. Não é necessário a autorização do convênio. Código: 321- TC. de maxila total. 322- TC. de mandíbula total. CONAB Pedido assinado e

Leia mais

O consumo dos brasileiros atingirá R$ 3,7 trilhões, em 2015

O consumo dos brasileiros atingirá R$ 3,7 trilhões, em 2015 O consumo dos brasileiros atingirá R$ 3,7 trilhões, em 2015 A potencialidade de consumo dos brasileiros deve chegar a R$ 3,730 trilhões neste ano, ao mesmo tempo em que revela significativo aumento dos

Leia mais

IMPACTO DO NOVO ROL NAS TABELAS DE COMERCIALIZAÇÃO DAS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE. Abril 2010

IMPACTO DO NOVO ROL NAS TABELAS DE COMERCIALIZAÇÃO DAS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE. Abril 2010 IMPACTO DO NOVO ROL NAS TABELAS DE COMERCIALIZAÇÃO DAS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE Abril 2010 1 RESOLUÇÃO NORMATIVA RN nº 211/2010 Em 11 de Janeiro de 2010, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)

Leia mais