2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos"

Transcrição

1 2014 DEZEMBRO Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos

2 Elaboração, distribuição e informações: MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Diretoria de Desenvolvimento Setorial (DIDES) Av. Augusto Severo, 84, Glória CEP: , Rio de Janeiro RJ Tel.: Disque ANS: Diretoria Colegiada da ANS Diretoria de Desenvolvimento Setorial DIDES Diretoria de Fiscalização DIFIS Diretoria de Gestão DIGES Diretoria de Normas e Habilitação das Operadoras DIOPE Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos DIPRO Gerência-Geral de Integração Setorial GGISE/DIDES Elaboração técnica Coordenação: Ana Cecilia Faveret - GEPIN/GGISE/DIDES Equipe Técnica da Gerência de Produção e Análise de Informação GEPIN/GGISE/DIDES: Daniel Sasson, Daniele Silveira, Eduardo Brandão, Heitor Werneck. Projeto gráfico: Gerência de Comunicação Social GCOMS/DICOL Fotografia (capa) Thinkstock photos Impresso no Brasil Ficha Catalográfica - Caderno de Informação da Saúde Suplementar Caderno de Informação da Saúde Suplementar : beneficiários, operadoras e planos / Agência Nacional de Saúde Suplementar. Ano 1 (mar. 2006). Rio de Janeiro : ANS, v.; 30 cm. Trimestral. Substituição de: Caderno de Informação de beneficiários, operadoras e planos: dados do setor. Disponível também online em: <http://www.ans.gov.br/portal/site/informacoesss/informacoesss.asp> ISSN Saúde Suplementar. I. Agência Nacional de Saúde Suplementar (Brasil). Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

3 Apresentação Os números de beneficiários de planos de assistência médica e exclusivamente odontológicos apresentaram crescimento entre setembro de 2013 a setembro de Este crescimento foi mais forte nos planos individuais exclusivamente odontológicos. Neste grupo observa-se um crescimento consistente entre os estados do Brasil, mas com diferenças importantes entre as modalidades de operadoras. A receita de contraprestações de operadoras médico-hospitalares atingiu R$ 93 bilhões no terceiro trimestre de Deste montante, R$ 78,2 bilhões (84%) foram gastos com despesas assistenciais. Informações mais detalhadas sobre o setor de planos privados de assistência à saúde podem ser consultadas no sítio por meio do tabulador de dados ANS Tabnet ou transferidas em arquivos para serem processados pelos próprios usuários. Boa leitura! Apresentação

4 Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

5 Sumário Perfil do setor... 9 Panorama da Saúde Suplementar, destacando as principais mudanças em relação à edição anterior e outros aspectos específicos. Esclarece possíveis divergências com edição anterior. Tabelas, gráficos e mapas Apresenta dados sobre beneficiários, operadoras, planos, utilização dos serviços e rede de prestadores. Termos técnicos Fontes dos dados Tabelas, gráficos e mapas Tabela 1 - Beneficiários de planos privados de assistência médica por tipo de contratação do plano, segundo época de contratação do plano (Brasil ) Tabela 2 - Beneficiários de planos privados exclusivamente odontológicos por tipo de contratação do plano, segundo época de contratação do plano (Brasil ) Tabela 3 - Beneficiários de planos privados de assistência médica por época e tipo de contratação do plano, segundo Grandes Regiões e Unidades da Federação (Brasil - setembro/2014) Tabela 4 - Beneficiários de planos privados exclusivamente odontológicos por época e tipo de contratação do plano, segundo Grandes Regiões e Unidades da Federação (Brasil - setembro/2014) Tabela 5 - Taxa de cobertura por cobertura assistencial do plano e localização, segundo Grandes Regiões e Unidades da Federação (Brasil - setembro/2014) Mapa 1 - Taxa de cobertura dos planos privados de assistência médica por Unidades da Federação (Brasil - setembro/2014) Mapa 2 - Taxa de cobertura de planos privados exclusivamente odontológicos por Unidades da Federação (Brasil -setembro/2014) Sumário

6 Mapa 3 - Taxa de cobertura dos planos privados de assistência médica por municípios (Brasil - 23 setembro/2014) Mapa 4 - Taxa de cobertura dos planos privados exclusivamente odontológicos por municípios 23 (Brasil - setembro/2014) Tabela 6 - Benefi ciários de planos privados de assistência médica, por época de contratação 24 do plano e sexo, segundo tipo de contratação do plano e faixas etárias (Brasil - setembro/2014) Gráfi co 1 - Pirâmide etária da população, por sexo (Brasil ) 25 Gráfi co 2 - Pirâmide etária dos benefi ciários de planos privados de assistência médica, por 25 sexo (Brasil - setembro/2014) Gráfi co 3 - Percentual de benefi ciários de planos privados individuais de assistência médica, 26 por faixa etária, segundo época de contratação do plano (Brasil - setembro/2014) Gráfi co 4 - Percentual de benefi ciários de planos privados coletivos de assistência médica, por 26 faixa etária, segundo época de contratação do plano (Brasil - setembro/2014) Gráfi co 5 - Pirâmide etária dos benefi ciários de planos de assistência médica, por tipo de 27 contratação (Brasil - setembro/2014) Tabela 7 - Benefi ciários de planos privados exclusivamente odontológicos por época de 28 contratação do plano e sexo, segundo tipo de contratação do plano e faixas etárias (Brasil - setembro/2014) Tabela 8 - Benefi ciários de planos privados de saúde por cobertura e segmentação assistencial 29 do plano, segundo época de contratação do plano (Brasil ) Tabela 9 - Benefi ciários de planos privados de saúde, por cobertura e segmentação 30 assistencial do plano, segundo época e tipo de contratação do plano (Brasil - setembro/2014) Gráfi co 6 - Distribuição percentual dos benefi ciários de planos privados de assistência médica 30 por segmentação assistencial do plano (Brasil - setembro/2014) Tabela 10 - Benefi ciários de planos privados de assistência médica, por tipo de contratação do 31 plano, segundo época de contratação e abrangência geográfi ca do plano (Brasil - setembro/2014) Tabela 11 - Distribuição dos benefi ciários de planos privados de saúde entre as operadoras, 32 segundo cobertura assistencial do plano (Brasil - setembro/2014) Gráfi co 7 - Distribuição dos benefi ciários de planos privados de assistência médica entre as 33 operadoras, segundo cobertura assistencial do plano (Brasil - setembro/2014) Gráfi co 8 - Distribuição dos benefi ciários de planos privados exclusivamente odontológicos 33 entre as operadoras, segundo coberura assistencial do plano (Brasil - setembro/2014) Tabela 12 - Evolução do registro de operadoras de planos privados de saúde 34 (Brasil - dezembro/1999-setembro 2014) Gráfi co 9 - Operadoras de planos privados de saúde em atividade 34 (Brasil - dezembro/1999-setembro/2014) 6 Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

7 Mapa 5 - Operadoras com beneficiários, por Unidade da Federação de residência do beneficiário (Brasil - setembro/2014) Mapa 6 - Operadoras em atividade por Unidade da Federação da sede (Brasil - setembro/2014) Tabela 13 - Operadoras em atividade por porte, segundo modalidade (Brasil - setembro/2014) Tabela 14 - Receita de contraprestações e despesas das operadoras de planos privados de saúde, segundo porte da operadora (Brasil ) Tabela 15 - Receita de contraprestações das operadoras de planos privados de saúde, segundo modalidade da operadora (Brasil ) Tabela 16 - Despesa das operadoras de planos privados de saúde, por tipo, segundo modalidade da operadora (Brasil ) Tabela 17 - Despesa assistencial das operadoras de planos privados de saúde, segundo modalidade da operadora (Brasil ) Tabela 18 - Taxa de sinistralidade das operadoras de planos privados de saúde, segundo modalidade da operadora (Brasil ) Tabela 19 - Planos privados de assistência médica, com beneficiários, por tipode contratação, segundo época de contratação e abrangência geográfica (Brasil - setembro/2014) Tabela 20 - Planos privados de assistência médica, com beneficiários, por tipo de contratação, segundo época de contratação e abrangência geográfica (Brasil - setembro/2014) Tabela 21 - Taxa de internação de beneficiários e gasto médio por internação, por tipo de contratação, segundo modalidade da operadora (Brasil ) Tabela 22 - Consultas médicas por beneficiário e gasto médio por consulta, por tipo de contratação, segundo modalidade da operadora (Brasil ) Gráfico 10 - Taxa de utilização de internações e média de consultas de beneficiários de planos privados de assistência médica (Brasil ) Tabela 23 - Consultas médicas por beneficiário, por tipo de contratação, segundo tipo de consulta e modalidade da operadora (Brasil ) Tabela 24 - Estabelecimentos de saúde por atendimento a planos privados de saúde, segundo tipo (Brasil - setembro/2014) Tabela 25 - Estabelecimentos de saúde por tipo de convênio, segundo tipo de atendimento (Brasil - setembro/2014) Tabela 26 - Leitos para internação, por vínculo ao SUS, segundo localização (Brasil - setembro/2014) Tabela 27 - Estabelecimentos de saúde que atendem planos privados de saúde, por tipo, segundo Grandes Regiões e Unidades da Federação (Brasil - setembro/2014) Sumário 7

8 Convenções e normas tabulares - O fenômeno não existe ou o valor é rigorosamente zero.... O dado existe, mas seu valor não está disponível. 0; 0,0; 0,00 O dado existe, mas seu valor é inferior à metade da unidade adotada na tabela. 8 Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

9 Perfil do setor Em setembro de 2014, o cadastro da ANS registrou 50,6 milhões de vínculos a planos de assistência médica. Os planos exclusivamente odontológicos, por sua vez, registraram 21,3 milhões de vínculos de beneficiários (Tabela 1 e Gráfico 1). Tabela 1 - Beneficiários de planos privados de saúde por cobertura assistencial do plano (Brasil ) Data Assistência médica com ou sem odontologia Exclusivamente odontológico dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ set/ Fonte: SIB/ANS/MS - 09/2014 Notas: 1. O termo beneficiário refere-se a vínculos aos planos de saúde, podendo incluir vários vínculos para um mesmo indivíduo. 2. Dados preliminares, sujeitos a revisão. Perfil do setor 9

10 Gráfico 1 - Beneficiários de planos privados de saúde por cobertura assistencial do plano (Brasil ) 60,0 (Milhões) 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 37,2 31,2 31,7 31,5 32,1 33,8 35,4 6,2 7,3 2,6 3,1 3,7 4,3 5,3 39,3 9,2 41,5 42,6 44,9 11,1 13,3 14,5 46,1 47,8 17,0 19,1 49,6 50,6 20,4 21,3 0,0 dez/00 dez/01 dez/02 dez/03 dez/04 dez/05 dez/06 dez/07 dez/08 dez/09 dez/10 dez/11 dez/12 dez/13 set/14 Assistência médica com ou sem odontologia Exclusivamente odontológico Fonte: SIB/ANS/MS - 09/2014 As tabelas 2 e 3 dão destaque aos números de benefi ciários de planos de assistência médica e exclusivamente odontológicos, por tipo de contratação nos últimos 12 meses. É digno de nota o crescimento de 14,05% dos benefi ciários de planos exclusivamente odontológicos individuais no período. Por outro lado, mantém-se no último trimestre a tendência de queda (-0,73%) dos benefi ciários de planos exclusivamente odontológicos coletivos por adesão observada no ano. Já a pequena variação negativa no número de benefi ciários de planos individuais de assistência médica registrada no último trimestre (-0,02%) não reverte a tendência de crescimento neste segmento nos últimos 12 meses. 10 Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

11 Tabela 2 - Beneficiários de planos privados de saúde por tipo de contratação do plano, segundo cobertura assistencial do plano (Brasil - setembro/2013-setembro/2014) Coletivo Cobertura assistencial Não Total Não Individual do plano Total Empresarial Por adesão informado identificado Assistência médica com ou sem odontologia set/ dez/ mar/ jun/ set/ Exclusivamente odontológico set/ dez/ mar/ jun/ set/ Fonte:SIB/ANS/MS - 09/2014 Notas: 1. O termo beneficiário refere-se a vínculos aos planos de saúde, podendo incluir vários vínculos para um mesmo indivíduo. 2. Dados preliminares, sujeitos a revisão. Tabela 3 - Taxa de variação do número de beneficiários de planos privados de saúde por tipo de contratação do plano, segundo cobertura assistencial do plano (Brasil - setembro/2014) Coletivo Cobertura assistencial Não Total Não Individual do plano Total Empresarial Por adesão informado identificado Assistência médica com ou sem odontologia Em um ano (set/13 - set/14) 2,85 3,54 3,81 2,25-4,01 1,03-16,81 No ano (dez/13- set/14) 1,65 1,97 2,27 0,52-0,20 0,77-8,47 No trimestre (jun/14 - set/14) 1,06 1,38 1,59 0,33 0,95-0,02-3,77 Exclusivamente odontológico Em um ano (set/13 - set/14) 7,03 5,75 7,47-7,49 10,93 14,05-22,43 No ano (dez/13 - set/14) 3,29 2,79 3,78-5,26-3,53 5,81-7,10 No trimestre (jun/14 - set/14) 1,40 1,90 2,20-0,73 1,82-0,66-4,16 Fonte:SIB/ANS/MS - 09/2014 Notas: 1. O termo beneficiário refere-se a vínculos aos planos de saúde, podendo incluir vários vínculos para um mesmo indivíduo. 2. Dados preliminares, sujeitos a revisão. Perfil do setor 11

12 O destacado crescimento dos planos exclusivamente odontológicos individuais observado no conjunto do país justifi ca um olhar mais detalhado desagregando algumas variáveis. Nesta tônica, buscando-se um recorte geográfi co é possível perceber que o crescimento dos planos exclusivamente odontológicos individuais foi consistente em praticamente todos os estados nos últimos 12 meses. Excetuando-se Rio de Janeiro e Mato Grosso, onde se observa discreta redução e Acre, onde praticamente não houve alteração no número de benefi ciários dos planos exclusivamente odontológicos individuais, em todos os demais estados houve vigoroso incremento no período (Gráfi co 2, Tabela 4). Tabela 4 - Beneficiários de planos individuais ou familiares exclusivamente odontológicos segundo Unidades da Federação (Brasil - setembro/2013-setembro-2014) Unidade da Federação set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 Acre Alagoas Amapá Amazonas Bahia Ceará Distrito Federal Espírito Santo Goiás Maranhão Mato Grosso Mato Grosso do Sul Minas Gerais Pará Paraíba Paraná Pernambuco Piauí Rio de Janeiro Rio Grande do Norte Rio Grande do Sul Rondônia Roraima Santa Catarina São Paulo Sergipe Tocantins Não Identifi cado Total Fonte:SIB/ANS/MS - 09/ Notas: 1. O termo benefi ciário refere-se a vínculos aos planos de saúde, podendo incluir vários vínculos para um mesmo indivíduo. 2. Dados preliminares, sujeitos a revisão. 12 Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

13 Gráfico 2 - Taxa de variação do número de beneficiários de planos individuais ou familiares exclusivamente odontológicos segundo Unidades da Federação (Brasil - setembro/2013-setembro-2014) 180% 167% 160% 140% 120% 100% 80% 60% 50% 40% 41% 39% 35% 33% 30% 29% 29% 25% 21% 19% 18% 17% 20% 0% 14% 14% 12% 11% 8% 8% 7% 5% 4% 4% 2% 0% -2% -2% RO PE PA RR GO AM MS MA DF PI PB SE RN CE SP Total RS AP SC MG AL PR BA ES TO AC RJ MT Fonte: -20% SIB/ANS/MS - 09/2014 Também desagregando o crescimento dos planos individuais exclusivamente odontológicos por modalidade de operadoras observam-se diferenças significativas na taxa de variação (Tabela 5) entre os grupos. É surpreendente o crescimento desse tipo de produto entre as seguradoras especializadas em saúde (585,8%), muito embora este intenso crescimento entre as seguradoras signifique apenas 4,1% da taxa de variação agregada de planos individuais exclusivamente odontológicos no período de setembro de 2013 a setembro de Isto porque os valores absolutos de beneficiários de planos individuais exclusivamente odontológicos nesta modalidade são baixos frente ao número de beneficiários de odontologias de grupo ou medicinas de grupo. São, de fato, estas duas últimas modalidades que mais contribuíram (42,0% e 38,4%, respectivamente) para o crescimento total dos planos individuais exclusivamente odontológicos no período. Tabela 5 - Beneficiários de planos individuais ou familiares exclusivamente odontológicos segundo modalidade de operadora (Brasil - setembro/2013-setembro-2014) %variação %contrib. Modalidade set/13 dez/13 mar/14 jun/14 set/14 anual modalidade Odontologia de Grupo ,9% 42,0% Medicina de Grupo ,3% 38,4% Cooperativa Odontológica ,0% 6,2% Cooperativa Médica ,4% 10,0% Seguradora Especializada em Saúde ,8% 4,1% Filantropia ,8% -0,8% Total ,1% 100% Fonte:SIB/ANS/MS - 09/ Notas: 1. O termo beneficiário refere-se a vínculos aos planos de saúde, podendo incluir vários vínculos para um mesmo indivíduo. 2. Dados preliminares, sujeitos a revisão Perfil do setor 13

14 De janeiro a setembro de 2014, ocorreram 32 registros de operadoras e 66 operadoras tiveram seus registros cancelados. Do total de operadoras com registro ativo em setembro (1.432), possuíam benefi ciários cadastrados, sendo destas 886 médico-hospitalares e 344 exclusivamente odontológicas (Tabela 4). Tabela 6 - Resumo do registro de operadoras (Brasil - setembro/2014) Registro Fontes: CADOP/ANS/MS - 09/2014 e SIB/ANS/MS - 09/2014 (1) Registros novos e cancelados no ano. Total Operadoras médicohospitalares Operadoras exclusivamente odontológicas Registros novos (1) Registros cancelados (1) Operadoras em atividade Operadoras com benefi ciários No terceiro trimestre de 2014, a receita de contraprestações de operadoras médico-hospitalares atingiu R$93 bilhões, representando 83,8% do total alcançado em Em setembro de 2014, a despesa assistencial deste grupo de operadoras registrou R$78,2 bilhões, isto é, 84,9% do total de despesas assistenciais de 2013 (Tabela 7 e Gráfi co 4).Contraprestações e despesas assistenciais das operadoras médico-hospitalares foram ambas 16% maiores no terceiro trimestre de 2014 do que aquelas registradas no mesmo período de 2013 (Tabela 7 e Gráfi co 5). Tabela 7 - Receita de contraprestações e despesa assistencial das operadoras médico-hospitalares (Brasil ) Ano Até o terceiro trimestre Ano Receita de contraprestações Despesa assistencial Receita de contraprestações Despesa assistencial (1) Fontes: DIOPS/ANS/MS - 25/11/2014 e FIP - 12/2006 Nota: Dados preliminares, sujeitos à revisão. (1) Dados do 3º trimestre 14 Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

15 Gráfico 3 - Receita de contraprestações e despesa assistencial das operadoras médico-hospitalares (Brasil ) (R$ bilhões) 120,0 100,0 80,0 60,0 40,0 20,0 Receita de contraprestações Despesa assistencial 42,6 37,3 28,7 32,6 33,7 26,4 30,1 23,2 52,2 41,7 60,7 48,4 65,8 54,2 74,6 59,9 84,7 69,1 95,4 80,2 111,0 92,1 0, Fontes: DIOPS/ANS/MS - 25/11/2014 e FIP - 12/2006 Gráfico 4 - Receita de contraprestações e despesa assistencial das operadoras médico-hospitalares (Brasil - 3º trimestre/2003-3º trimestre/2014) (R$ bilhões) 100,0 90,0 80,0 70,0 60,0 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 93,1 Receita de contraprestações 80,3 Despesa assistencial 69,6 78,2 62,0 55,2 67,4 48,7 59,2 38,4 44,7 50,9 44,3 35,7 39,9 21,0 24,3 17,9 15,8 30,7 16,7 19,2 12,6 14, Fontes: DIOPS/ANS/MS - 25/11/2014 e FIP - 12/

16 16 Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

17 Tabelas, gráficos e mapas Tabela 1 - Beneficiários de planos privados de assistência médica por tipo de contratação do plano, segundo época de contratação do plano (Brasil ) Época de contratação Total Coletivo Individual Não informado do plano Absoluto Relativo Absoluto Relativo Absoluto Relativo Absoluto Relativo Total dez/ , , , ,3 dez/ , , , ,7 dez/ , , , ,7 dez/ , , , ,2 dez/ , , , ,1 dez/ , , , ,3 dez/ , , , ,6 dez/ , , , ,8 dez/ , , , ,0 dez/ , , , ,1 dez/ , , , ,2 dez/ , , , ,9 set/ , , , ,8 Novos dez/ , , ,5 - - dez/ , , ,9 - - dez/ , , ,6 - - dez/ , , ,9 - - dez/ , , ,0 - - dez/ , , ,9 - - dez/ , , ,2 - - dez/ , , ,6 - - dez/ , , ,1 - - dez/ , , ,6 - - dez/ , , ,9 - - dez/ , , ,4 - - set/ , , ,1 - - Antigos dez/ , , , ,1 dez/ , , , ,7 dez/ , , , ,1 dez/ , , , ,3 dez/ , , , ,8 dez/ , , , ,5 dez/ , , , ,6 dez/ , , , ,4 dez/ , , , ,4 dez/ , , , ,4 dez/ , , , ,0 dez/ , , , ,6 set/ , , , ,9 Fonte: SIB/ANS/MS - 09/2014 Notas: 1. O termo beneficiário refere-se a vínculos aos planos de saúde, podendo incluir vários vínculos para um mesmo indivíduo. 2. Dados preliminares, sujeitos a revisão. Tabelas, gráficos e mapas 17

18 Tabela 2 - Beneficiários de planos privados exclusivamente odontológicos por tipo de contratação do plano, segundo época de contratação do plano (Brasil ) Época de contratação Total Coletivo Individual Não informado do plano Absoluto Relativo Absoluto Relativo Absoluto Relativo Absoluto Relativo Total dez/ , , , ,7 dez/ , , , ,3 dez/ , , , ,5 dez/ , , , ,1 dez/ , , , ,3 dez/ , , , ,1 dez/ , , , ,3 dez/ , , , ,9 dez/ , , , ,5 dez/ , , , ,2 dez/ , , , ,6 dez/ , , , ,5 set/ , , , ,4 dez/ , , ,9 - - dez/ , , ,0 - - dez/ , , ,2 - - dez/ , , ,9 - - dez/ , , ,9 - - dez/ , , ,1 - - dez/ , , ,2 - - dez/ , , ,3 - - dez/ , , ,2 - - dez/ , , ,0 - - dez/ , , ,6 - - dez/ , , ,0 - - set/ , , ,6 - - Antigos dez/ , , , ,5 dez/ , , , ,4 dez/ , , , ,0 dez/ , , , ,6 dez/ , , , ,0 dez/ , , , ,9 dez/ , , , ,2 dez/ , , , ,4 dez/ , , , ,0 dez/ , , , ,9 dez/ , , , ,2 dez/ , , , ,3 set/ , , , ,1 Fonte: SIB/ANS/MS - 09/2014 / Notas: 1. O termo benefi ciário refere-se a vínculos aos planos de saúde, podendo incluir vários vínculos para um mesmo indivíduo. 2. Dados preliminares, sujeitos a revisão. 18 Novos Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

19 Tabela 3 - Beneficiários de planos privados de assistência médica por época e tipo de contratação do plano, segundo Grandes Regiões e Unidades da Federação (Brasil - setembro/2014) Grandes Regiões Novos Antigos e Unidades da Total Federação Total Coletivo Individual Total Coletivo Individual Não Informado Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Exterior UF não Identificada Fonte: SIB/ANS/MS - 09/2014 Nota: O termo beneficiário refere-se a vínculos aos planos de saúde, podendo incluir vários vínculos para um mesmo indivíduo. Tabelas, gráficos e mapas 19

20 Tabela 4 - Beneficiários de planos privados exclusivamente odontológicos por época e tipo de contratação do plano, segundo Grandes Regiões e Unidades da Federação (Brasil - setembro/2014) Grandes Regiões Novos Antigos e Unidades da Total Não Total Coletivo Individual Total Coletivo Individual Federação Informado Brasil Norte Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Nordeste Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia Sudeste Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Sul Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul Centro-Oeste Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal Exterior UF não Identifi cada Fonte: SIB/ANS/MS - 09/2014 Nota: O termo benefi ciário refere-se a vínculos aos planos de saúde, podendo incluir vários vínculos para um mesmo indivíduo. 20 Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

21 Tabela 5 - Taxa de cobertura por cobertura assistencial do plano e localização, segundo Grandes Regiões e Unidades da Federação (Brasil - setembro/2014) Assistência médica com ou sem odontologia Exclusivamente odontológico Grandes Regiões Região Região e Unidades da Unidade da Unidade da Capital Metropolitana Interior Capital Metropolitana Interior Federação Federação Federação da Capital da Capital Brasil 26,1 45,3 39,4 20,1 11,0 21,8 19,0 7,6 Norte 12,0 27,0 25,9 5,3 6,2 15,6 16,4 2,1 Rondônia 11,8 26,1-6,2 4,9 10,5-2,7 Acre 6,0 11,2-1,6 1,6 3,1-0,3 Amazonas 17,9 33,5 28,8 1,1 12,6 23,5 20,3 0,8 Roraima 8,0 12,4-0,5 1,4 2,2-0,2 Pará 11,1 30,0 26,1 6,9 5,0 16,5 14,9 2,5 Amapá 10,3 14,5 13,0 4,1 5,0 6,8 6,4 2,5 Tocantins 7,3 22,2-4,2 2,8 8,5-1,7 Nordeste 12,5 34,4 28,1 6,5 7,6 20,9 18,0 3,9 Maranhão 7,6 33,2 25,4 2,8 2,8 12,6 9,6 1,1 Piauí 8,5 25,3 21,2 2,6 2,1 6,8 5,7 0,4 Ceará 14,7 38,4 30,9 5,0 8,9 23,3 19,3 2,9 Rio Grande do Norte 14,4 35,0 25,5 7,4 9,2 22,2 16,2 4,8 Paraíba 11,0 32,1 23,7 6,0 5,4 18,1 14,0 2,3 Pernambuco 15,7 40,9 29,5 10,4 9,0 22,3 18,7 6,2 Alagoas 14,1 31,5 27,0 6,7 10,1 21,1 18,2 5,4 Sergipe 15,2 40,0 30,9 5,6 10,1 24,7 20,8 4,4 Bahia 11,7 30,5 29,1 7,2 8,9 24,9 23,9 5,1 Sudeste 39,0 57,5 48,3 32,7 15,1 23,1 20,2 12,4 Minas Gerais 27,4 53,3 43,2 23,8 8,4 21,2 17,2 6,6 Espírito Santo 32,1 69,2 46,5 28,3 11,3 25,9 17,7 9,7 Rio de Janeiro 38,2 54,5 42,5 27,6 18,6 25,1 20,6 14,4 São Paulo 45,4 59,8 53,2 40,0 17,2 22,3 20,9 15,3 Sul 25,5 53,1 39,5 21,3 8,0 25,1 17,2 5,4 Paraná 26,5 56,8 42,6 20,4 10,7 35,7 26,1 5,7 Santa Catarina 23,4 44,4 33,7 21,9 6,5 15,6 11,7 5,8 Rio Grande do Sul 25,6 51,0 38,3 21,8 6,1 14,8 11,2 4,8 Centro-Oeste 21,0 33,8 27,6 13,5 11,1 22,2 18,9 4,6 Mato Grosso do Sul 21,0 28,2-17,7 4,4 5,9-3,7 Mato Grosso 17,0 39,7 32,9 12,0 3,8 8,1 7,5 2,8 Goiás 17,5 34,1 20,9 12,9 8,7 19,0 11,4 5,8 Distrito Federal 34,1 34,1 34,1-31,7 31,7 31,7 - Fontes: SIB/ANS/MS - 09/2014 e População - IBGE/DATASUS/2012 Tabelas, gráficos e mapas 21

22 Mapa 1 - Taxa de cobertura dos planos privados de assistência médica por Unidades da Federação (Brasil - setembro/2014) Minas Gerais até 5% Espirito Santo Mais de 5% a 10% Mais de 10% a 20% Mais de 20% a 30% Mais de 30% São Paulo Rio de Janeiro Fontes: SIB/ANS/MS - 09/2014 e População - IBGE/DATASUS/2012 Mapa 2 - Taxa de cobertura de planos privados exclusivamente odontológicos por Unidades da Federação (Brasil - setembro/2014) até 5% Mais de 5% a 10% Rio de Janeiro Mais de 10% a 20% Mais de 20% a 30% Mais de 30% Fontes: SIB/ANS/MS - 09/2014 e População - IBGE/DATASUS/ Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

23 Mapa 3 - Taxa de cobertura dos planos privados de assistência médica por municípios (Brasil - setembro/2014) 0% Mais de 0% a 5% Mais de 5% a 10% Mais de 10% a 20% Mais de 20% a 30% Mais de 30% Fontes: SIB/ANS/MS - 06/2014 e População - IBGE/DATASUS/2012 Caderno de Informação da Saúde Suplementar - setembro/2014 Mapa 4 - Taxa de cobertura dos planos privados exclusivamente odontológicos por municípios (Brasil - setembro/2014) 0% Mais de 0% a 5% Mais de 5% a 10% Mais de 10% a 20% Mais de 20% a 30% Mais de 30% Fontes: SIB/ANS/MS - 09/2014 e População - IBGE/DATASUS/2012 Tabelas, gráficos e mapas 23

24 Tabela 6 - Beneficiários de planos privados de assistência médica, por época de contratação do plano e sexo, segundo tipo de contratação do plano e faixas etárias (Brasil - setembro/2014) Tipo de contratação Total Novos Antigos do plano e faixas etárias Total Feminino Masculino Total Feminino Masculino Total Feminino Masculino Total (1) a 9 anos a 19 anos a 29 anos a 39 anos a 49 anos a 59 anos a 69 anos a 79 anos anos e mais Coletivo (1) a 9 anos a 19 anos a 29 anos a 39 anos a 49 anos a 59 anos a 69 anos a 79 anos anos e mais Individual (1) a 9 anos a 19 anos a 29 anos a 39 anos a 49 anos a 59 anos a 69 anos a 79 anos anos e mais Não informado (1) a 9 anos a 19 anos a 29 anos a 39 anos a 49 anos a 59 anos a 69 anos a 79 anos anos e mais Fonte: SIB/ANS/MS - 09/2014 / Notas: O termo benefi ciário refere-se a vínculos aos planos de saúde, podendo incluir vários vínculos para um mesmo indivíduo. / (1) Inclui benefi ciários com idades inconsistentes 24 Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

25 Gráfico 1 - Pirâmide etária da população, por sexo (Brasil ) 80 anos ou mais 1,2 1,8 70 a 79 anos 2,9 3,6 60 a 69 anos Homens 5,6 6,2 Mulheres 50 a 59 anos 9,3 9,9 40 a 49 anos 12,9 13,2 30 a 39 anos 15,5 15,6 20 a 29 anos 18,3 17,7 10 a 19 anos 18,5 17,3 0 a 9 anos (%) 15,7 14,5 (%) 25,00 20,00 15,00 10,00 5,00,00 5,00 10,00 15,00 20,00 25,00 Fonte: População - IBGE/DATASUS/2012 Gráfico 2 - Pirâmide etária dos beneficiários de planos privados de assistência médica, por sexo (Brasil - setembro/2014) 80 anos ou mais 1,4 2,5 70 a 79 anos 2,8 3,9 60 a 69 anos Homens 5,7 6,6 Mulheres 50 a 59 anos 10,4 10,8 40 a 49 anos 14,1 14,1 30 a 39 anos 20,2 20,4 20 a 29 anos 18,0 17,8 10 a 19 anos 12,7 11,3 0 a 9 anos (%) 14,8 12,7 (%) 25,00 20,00 15,00 10,00 5,00,00 5,00 10,00 15,00 20,00 25,00 Fonte: SIB/ANS/MS - 06/2014 Caderno de Informação da Saúde Suplementar - setembro/2014 Tabelas, gráficos e mapas 25

26 Gráfico 3 - Percentual de beneficiários de planos privados individuais de assistência médica, por faixa etária, segundo época de contratação do plano (Brasil - setembro/2014) 25,00 20,6 21,3 Novo 20,00 Antigo 17,1 17,1 15,00 10,00 12,5 6,7 13,5 8,5 15,1 7,5 11,3 10,8 10,2 7,9 9,2 5,4 5,00 3,4 1,7,00 0 a 9 anos 10 a 19 anos 20 a 29 anos 30 a 39 anos 40 a 49 anos 50 a 59 anos 60 a 69 anos 70 a 79 anos 80 anos ou mais Fonte: SIB/ANS/MS - 09/2014 Gráfico 4 - Percentual de beneficiários de planos privados coletivos de assistência médica, por faixa etária, segundo época de contratação do plano (Brasil - setembro/2014) 25,00 22,5 20,00 19,7 Novo Antigo 15,00 10,00 13,0 9,3 12,1 11,5 14,0 16,1 14,9 13,4 9,9 14,7 10,7 6,3 5,00 4,6 4,1 2,1 1,1,00 0 a 9 anos 10 a 19 anos 20 a 29 anos 30 a 39 anos 40 a 49 anos 50 a 59 anos 60 a 69 anos 70 a 79 anos 80 anos ou mais Fonte: SIB/ANS/MS - 06/ Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

27 Gráfico 5 - Pirâmide etária dos beneficiários de planos de assistência médica, por tipo de contratação (Brasil - setembro/2014) 80 anos e mais 1,2 0,5 0,9 3,0 70 a 79 anos Coletivo - Homens 2,3 1,1 1,4 4,6 Coletivo - Mulheres 60 a 69 anos Individual - Homens 3,5 2,5 2,8 6,3 Individual - Mulheres 50 a 59 anos 4,0 5,1 5,3 7,2 40 a 49 anos 4,1 7,3 7,5 7,1 30 a 39 anos 5,1 10,7 11,2 9,1 20 a 29 anos 4,8 9,4 9,7 8,0 10 a 19 anos 5,8 6,1 6,0 6,0 0 a 9 anos (%) 9,3 6,4 6,2 8,8 (%) 12,0 10,0 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0 2,0 4,0 6,0 8,0 10,0 12,0 Fonte: SIB/ANS/MS - 09/2014 Tabelas, gráficos e mapas 27

28 Tabela 7 - Beneficiários de planos privados exclusivamente odontológicos por época de contratação do plano e sexo, segundo tipo de contratação do plano e faixas etárias (Brasil - setembro/2014) Tipo de contratação do plano e faixas etárias Total Novos Antigos Total Feminino Masculino Total Feminino Masculino Total Feminino Masculino Total (1) a 9 anos a 19 anos a 29 anos a 39 anos a 49 anos a 59 anos a 69 anos a 79 anos anos e mais Coletivo (1) a 9 anos a 19 anos a 29 anos a 39 anos a 49 anos a 59 anos a 69 anos a 79 anos anos e mais Individual (1) a 9 anos a 19 anos a 29 anos a 39 anos a 49 anos a 59 anos a 69 anos a 79 anos anos e mais Não identifi cado (1) a 9 anos a 19 anos a 29 anos a 39 anos a 49 anos a 59 anos a 69 anos a 79 anos anos e mais Fonte: SIB/ANS/MS - 09/2014 / Notas: 1. O termo benefi ciário refere-se a vínculos aos planos de saúde, podendo incluir vários vínculos para um mesmo indivíduo. / (1) Inclui benefi ciários com idades inconsistentes 28 Caderno de Informação da Saúde Suplementar - Dezembro 2014

29 Tabela 8 - Beneficiários de planos privados de saúde por cobertura e segmentação assistencial do plano, segundo época de contratação do plano (Brasil ) Época de Assistência médica com ou sem odontologia Exclusivamente contratação do Hospitalar (1) e Total Ambulatorial Hospitalar (1) Referência Não informado odontológico plano ambulatorial Total dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ set/ Novos dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ set/ Antigos dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ dez/ set/ Fonte: SIB/ANS/MS - 09/2014 / Notas: 1. O termo beneficiário refere-se a vínculos aos planos de saúde, podendo incluir vários vínculos para um mesmo indivíduo. 2. Dados preliminares, sujeitos a revisão. Tabelas, gráficos e mapas (1) Inclui planos hospitalares com ou sem obstetrícia 29

2013 Março. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2013 Março. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2013 Março Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários,

Leia mais

2014 SETEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2014 SETEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2014 SETEMBRO Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários,

Leia mais

2014 JUNHO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2014 JUNHO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2014 JUNHO Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários,

Leia mais

Junho2015. Caderno de Informação. da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos. Rio de Janeiro - 2015. ISSN online 1981-0962

Junho2015. Caderno de Informação. da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos. Rio de Janeiro - 2015. ISSN online 1981-0962 Junho2015 Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos Rio de Janeiro - 2015 ISSN online 1981-0962 Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras

Leia mais

Saúde Suplementar em Números

Saúde Suplementar em Números Saúde Suplementar em Números Edição nº 9-2015 Setembro de 2015 Sumário Executivo Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (setembro/15): 50.261.602; Taxa de crescimento do número de beneficiários

Leia mais

Elaboração, distribuição e informações:

Elaboração, distribuição e informações: Painel de Precificação Planos de Saúde 2013 Elaboração, distribuição e informações: Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Av. Augusto Severo, 84, Glória CEP: 20021-040, Rio de Janeiro RJ Tel.: +5521

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos Unidades da Federação 1980 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002

Leia mais

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 0 0,00 0 0 0 0,00 Rondônia

Leia mais

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA -

Leia mais

Painel de Precificação Planos de Saúde 2012

Painel de Precificação Planos de Saúde 2012 Painel de Precificação Planos de Saúde 2012 Painel de Precificação Planos de Saúde 2012 Elaboração, distribuição e informações: Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Av. Augusto Severo, 84, Glória

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX SUMÁRIO 1 ICMS 1.1 CONTRIBUINTE 1.2 FATO GERADOR DO IMPOSTO 1.3 BASE DE CÁLCULO DO IMPOSTO 1.4 REDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO 1.5 CARTA DE CORREÇÃO 1.6 CÓDIGO DA SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para mapear os hábitos de consumo e compras para época

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Setembro/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2010

Contas Regionais do Brasil 2010 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2010 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 23/11/2012 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Junho/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

Boletim Informativo. Junho de 2015

Boletim Informativo. Junho de 2015 Boletim Informativo Junho de 2015 Extrato Geral Brasil 1 EXTRATO BRASIL ÁREA ** 397.562.970 ha 227.679.854 ha 57,27% Número de Imóveis cadastrados: 1.727.660 Observações: Dados obtidos do Sistema de Cadastro

Leia mais

Ciclo de Encontros Executivos As Melhores Práticas em Gestão de Saúde CENÁRIOS E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE SAÚDE NO BRASIL. Mozart de Oliveira Júnior

Ciclo de Encontros Executivos As Melhores Práticas em Gestão de Saúde CENÁRIOS E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE SAÚDE NO BRASIL. Mozart de Oliveira Júnior Ciclo de Encontros Executivos As Melhores Práticas em Gestão de Saúde CENÁRIOS E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE SAÚDE NO BRASIL Mozart de Oliveira Júnior Histórico Atividades caritativas e ação sobre o ambiente

Leia mais

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil Número 24 Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 29 de julho de 2009 COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 2 1. Apresentação Este

Leia mais

Boletim Informativo. Maio de 2015. * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado

Boletim Informativo. Maio de 2015. * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado Boletim Informativo Maio de 2015 * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado Extrato Geral Brasil EXTRATO BRASIL ÁREA ** 397.562.970 ha 212.920.419 ha 53,56 % Número de Imóveis cadastrados: 1.530.443

Leia mais

Março2015. Caderno de Informação. da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos

Março2015. Caderno de Informação. da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos Março2015 Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos Elaboração, distribuição e informações: MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Diretoria

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Perspectivas da economia / Comprometimento de renda Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (dezembro/13) Janeiro de 2014 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO

Leia mais

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA ( 44.ª EDIÇÃO ) AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PRESIDENTE Ronaldo Mota Sardenberg CONSELHEIROS Emília

Leia mais

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA RODOVIÁRIAS Quadro 13 - UF: ACRE Ano de 211 82 5 6 8 9 5 3 14 4 11 9 4 4 63 2 4 7 6 6 9 4 8 4 4 3 6 68 4 2 8 3 1 8 4 9 2 6 7 5 63 3 6 3 2 13 9 8 7 5 1 5 1 67 4 2 9 6 8 5 5 7 6 6 4 5 85 3 7 1 1 4 7 9 6

Leia mais

A SAÚDE SUPLEMENTAR E A REGULAÇÃO

A SAÚDE SUPLEMENTAR E A REGULAÇÃO A SAÚDE SUPLEMENTAR E A REGULAÇÃO IBDESS Fevereiro/2010 Fausto Pereira dos Santos Diretor-Presidente Vínculos a planos privados de assistência à saúde e registros no cadastro: Brasil (2000 2009) (milhões)

Leia mais

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009)

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) População Ocupada 5 a 17 anos 2008 Taxa de Ocupação 2008 Posição no Ranking 2008 População Ocupada 5 a 17

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010

ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL 11/1/2010 ANÁLISE COMPARATIVA SALARIAL PROFESSORES DAS REDES ESTADUAIS NO BRASIL A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES

Leia mais

Dados gerais sobre o atendimento oftalmológico no Brasil

Dados gerais sobre o atendimento oftalmológico no Brasil As Condições de Sa ú d e Oc u l a r n o Br a s i l 2012 124 Dados gerais sobre o atendimento oftalmológico no Brasil As Condições de Sa ú d e Oc u l a r n o Br a s i l 2012 126 Dados de financiamento

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Figura 1: Distribuição de CAPS no Brasil, 25. RORAIMA AMAPÁ AMAZONAS PARÁ MARANHÃO CEARÁ RIO GRANDE DO NORTE PAIUÍ PERNAMBUCO ACRE ALAGOAS SERGIPE TOCANTINS RONDÔNIA PARAÍBA BAHIA MATO GROSSO DISTRITO

Leia mais

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil...

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil... ...... PRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM MARÇO DE 2012 SUMÁRIO 1 - Lavouras... 5 TABELAS DE RESULTADOS Safra 2012 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra

Leia mais

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing Edson José de Lemos Júnior Ermeson Gomes da Silva Jardson Prado Coriolano da Silva Marcos Antonio Santos Marinho Rosinaldo Ferreira da Cunha RELATÓRIO GERENCIAL

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES Brasília, janeiro/2011 Objetivos específicos da pesquisa 2 Avaliar a quantidade e a qualidade da rede credenciada. Avaliar os serviços oferecidos: o Plano CASSI Família

Leia mais

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia

Sublimites estaduais de enquadramento para. Nacional 2012/2013. Vamos acabar com essa ideia Sublimites estaduais de enquadramento para o ICMS no Simples Nacional 2012/2013 Vamos acabar com essa ideia 4 CNI APRESENTAÇÃO Os benefícios do Simples Nacional precisam alcançar todas as micro e pequenas

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS PLANTA DE TELEFONIA NO BRASIL 2011 Acessos fixos 14,4% Acessos móveis 85,6% FONTE: ANATEL dez/10 PLANTA

Leia mais

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Boletim Informativo* Agosto de 2015

Boletim Informativo* Agosto de 2015 Boletim Informativo* Agosto de 2015 *Documento atualizado em 15/09/2015 (Erratas páginas 2, 3, 4 e 9) EXTRATO GERAL BRASIL 1 EXTRATO BRASIL 396.399.248 ha 233.712.312 ha 58,96% Número de Imóveis Cadastrados²:

Leia mais

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008 (continua) Produção 5 308 622 4 624 012 4 122 416 3 786 683 3 432 735 1 766 477 1 944 430 2 087 995 2 336 154 2 728 512 Consumo intermediário produtos 451 754 373 487 335 063 304 986 275 240 1 941 498

Leia mais

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Diretoria de Pesquisas Coordenação detrabalho e Rendimento Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014 16 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: PROBLEMAS E PRIORIDADES DO BRASIL PARA 2014 FEVEREIRO/2014 16 Retratos da Sociedade Brasileira: Problemas e Prioridades do Brasil para 2014 CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA

Leia mais

Inventar com a diferenca,

Inventar com a diferenca, Inventar com a diferenca, cinema e direitos humanos PATROCÍNIO APOIO REALIZAÇÃO Fundação Euclides da Cunha O que é Inventar com a diferença: cinema e direitos humanos O projeto visa oferecer formação e

Leia mais

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS Nota Técnica 7/13 (7 de Maio) Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Núcleo de Assuntos Econômico-Fiscais NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS IMPACTOS DA DIVISÃO DO

Leia mais

Apresentação. A AMIB (Associação de Medicina Intensiva. Brasileira) elaborou o primeiro estudo que visa. apresentar uma visão do cenário das Unidades

Apresentação. A AMIB (Associação de Medicina Intensiva. Brasileira) elaborou o primeiro estudo que visa. apresentar uma visão do cenário das Unidades Apresentação A AMIB (Associação de Medicina Intensiva Brasileira) elaborou o primeiro estudo que visa apresentar uma visão do cenário das Unidades de Terapias Intensivas (UTI) no país. Objetivos Elaborar

Leia mais

Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações: SIPNI (nominal e procedência)

Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações: SIPNI (nominal e procedência) Imunizações: SIPNI (nominal e procedência) Desenvolvido a partir de 2009: integra as bases de dados dos Sistemas de registros de aplicadas doses (SI-API), Eventos adversos (SI-EAPV), usuários de imunobiológicos

Leia mais

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Informações Básicas Recursos Humanos Foram pesquisadas as pessoas que trabalhavam na administração direta e indireta por vínculo empregatício e escolaridade;

Leia mais

FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 30ª Edição Outubro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (jun/14): 50.930.043; Taxa

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 29ª Edição Agosto de 214 SUMÁRIO EXECUTIVO Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (Mar/14): 5.722.522; Taxa

Leia mais

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS

SUFICIÊNCIA DE REDE: Ligia Bahia Ronir Raggio Luiz Maria Lucia Werneck Vianna. Edital 005/2014 ANS/OPAS SUFICIÊNCIA DE REDE: UM ESTUDO ECOLÓGICO SOBRE BENEFICIÁRIOS E REDES DE CUIDADOS À SAÚDE A PARTIR DE ANÁLISES EXPLORATÓRIAS DAS PROPORÇÕES DE PARTOS CESARIANOS E TAXAS DE MORTALIDADE POR CÂNCER DE MAMA

Leia mais

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Total de profissionais, independentemente da escolaridade 2003 2007 2008 Professores da Ed Básica (públicas não

Leia mais

Comentários sobre os Indicadores de Mortalidade

Comentários sobre os Indicadores de Mortalidade C.1 Taxa de mortalidade infantil O indicador estima o risco de morte dos nascidos vivos durante o seu primeiro ano de vida e consiste em relacionar o número de óbitos de menores de um ano de idade, por

Leia mais

Apresentação. Foco Saúde Suplementar - Dezembro 2012 1

Apresentação. Foco Saúde Suplementar - Dezembro 2012 1 2012 Dezembro Apresentação A partir de dados específicos de seis regiões metropolitanas (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Recife), a quarta edição do FOCO SAÚDE SUPLEMENTAR

Leia mais

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE

Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Levantamento Nacional do Transporte Escolar Dados por Região: NORTE Um total de 131 municípios da região Norte participou do Levantamento Nacional do Transporte Escolar. No Acre, 36% dos municípios responderam

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. As Políticas Públicas de Emprego no Brasil

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. As Políticas Públicas de Emprego no Brasil As Políticas Públicas de Emprego no Brasil 1 Índice 1. Mercado de Trabalho no Brasil 2. FAT Fundo de Amparo ao Trabalhador 2.1. Programas e Ações 2.2. Principais avanços na execução dos Programas e Ações

Leia mais

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR 8 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR Secretaria de Vigilância em Saúde/MS 435 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA/COR MORTALIDADE POR CAUSAS EXTERNAS Evolução da mortalidade por causas externas

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Cargo 1: Analista do MPU Área de Atividade: Apoio Técnico-Administrativo Especialidade: Arquivologia Distrito Federal / DF 596 4 149,00 Especialidade: Biblioteconomia Acre / AC 147 1 147,00 Especialidade:

Leia mais

Relatório Gerencial TECNOVA

Relatório Gerencial TECNOVA Relatório Gerencial TECNOVA Departamento de Produtos Financeiros Descentralizados - DPDE Área de Apoio à Ciência, Inovação, Infraestrutura e Tecnologia - ACIT Fevereiro de 2015 Marcelo Nicolas Camargo

Leia mais

Pesquisa Hábitos de Consumo Dia dos Pais 2015

Pesquisa Hábitos de Consumo Dia dos Pais 2015 Pesquisa Hábitos de Consumo Dia dos Pais 2015 Agosto de 2015 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Índice o Objetivo, metodologia e amostra... 03 o Sumário... 04 o Perfil dos respondentes... 05 o Pretensão

Leia mais

Governança Corporativa na Saúde Suplementar

Governança Corporativa na Saúde Suplementar Governança Corporativa na Saúde Suplementar João Carlos Alves da Silva Júnior Gerente-Geral de Regimes Especiais Diretoria de Normas e Habilitação das Operadoras 15 de outubro de 2013 (milhões) Beneficiários

Leia mais

Análise Demográfica das Empresas da IBSS

Análise Demográfica das Empresas da IBSS CAPÍTULO 4 Análise Demográfica das Empresas da IBSS Apresentação A demografia de empresas investiga a estrutura do estoque de empresas em dado momento e a sua evolução, como os movimentos de crescimento,

Leia mais

Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil

Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil Observatório das MPEs SEBRAE-SP Março/2008 1 Características da pesquisa Objetivos: Identificar o grau de conhecimento e a opinião dos

Leia mais

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009

Departamento de Pesquisas Judiciárias RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS. SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICOS SEMANA PELA CONCILIAÇÃO META 2 Período: 14 a 18 de setembro de 2009 1. Introdução O presente relatório objetiva apresentar os resultados estatísticos obtidos durante o período

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012

CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE AS Micro e pequenas empresas RANKING DOS ESTADOS 2012 Tributos incluídos no Simples Nacional Brasília 19 de setembro de 2013 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (julho/2015) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE AGOSTO/2014

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE AGOSTO/2014 SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE AGOSTO/2014 COMENTÁRIOS Índice Nacional da Construção Civil varia 0,52% em agosto O Índice Nacional da Construção

Leia mais

Lei nº 13.003 RN nº 351 RN nº 355 IN nº 16/DIGES RN nº 353

Lei nº 13.003 RN nº 351 RN nº 355 IN nº 16/DIGES RN nº 353 Junho 2014 Apresentação Em cumprimento ao seu objetivo de traduzir o mercado de planos privados de saúde em números, buscando apresentar de forma dinâmica a cada trimestre um retrato do setor, o FOCO SAÚDE

Leia mais

Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Caderno de Informação da Saúde Suplementar 2010 Setembro Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários Operadoras Planos de Saúde ISSN 1981-0962 MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar Caderno de Informação da Saúde

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica Emissão de Nota Fiscal Eletrônica DANFE - Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica. É um documento que serve para acobertar a circulação da mercadoria. Impresso em via única; Validade em meio digital

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO Nota Técnica elaborada em 01/2014 pela CGAN/DAB/SAS. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NOTA TÉCNICA Nº15/2014-CGAN/DAB/SAS/MS

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS. Lei 12.334/2010. Carlos Motta Nunes. Dam World Conference. Maceió, outubro de 2012

POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS. Lei 12.334/2010. Carlos Motta Nunes. Dam World Conference. Maceió, outubro de 2012 POLÍTICA NACIONAL DE SEGURANÇA DE BARRAGENS Lei 12.334/2010 Carlos Motta Nunes Dam World Conference Maceió, outubro de 2012 Características da barragem para enquadramento na Lei 12.334/10 I - altura do

Leia mais

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 UNIDAS Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 Saúde no Brasil Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado,

Leia mais

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

Manual Identidade Visual CFC - CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Partindo da figura da engrenagem, presente na logo atual do CFC, o novo logo desenvolvido mantém uma relação com o passado da instituição, porém com um olhar no presente e no futuro, na evolução e ascensão

Leia mais

Governança Pública. O Desafio do Brasil. Contra a corrupção e por mais desenvolvimento. Governança de Municípios. Março/2015

Governança Pública. O Desafio do Brasil. Contra a corrupção e por mais desenvolvimento. Governança de Municípios. Março/2015 Governança Pública O Desafio do Brasil Contra a corrupção e por mais desenvolvimento Governança de Municípios Março/2015 João Augusto Ribeiro Nardes Ministro do TCU Sumário I. Introdução-OTCUeocombateàcorrupção

Leia mais

FLUXO CONSTRUÇÃO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA CONSTRUÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO CONSTRUÇÃO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA CONSTRUÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados

Leia mais

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr Imagem: Santa Casa de Santos fundada em 1543 Atualização: 26/outubro Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr ópicos Filantró Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Objetivos do Projeto Governança

Leia mais

FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 29 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 29 E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS,

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE JUNHO/2014

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE JUNHO/2014 SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE JUNHO/2014 COMENTÁRIOS Índice Nacional da Construção Civil varia 0,59% em Junho O Índice Nacional da Construção

Leia mais

Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento

Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento Brasília, 06/03/2014 Contextualização Em 2008, a Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua apontou que 76,15% da população

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica

Nota Fiscal Eletrônica Receita Federal do Brasil Ricardo Rezende Barbosa nfe@sefaz.pi.gov.br 06 de dezembro de 2007 Secretaria da Fazenda do Estado do Piauí Nota Fiscal Eletrônica Nota Fiscal Eletrônica Luiz Antonio Baptista

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr

Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr Imagem: Santa Casa de Santos fundada em 1543 Programa de Melhoria da Gestão em Hospitais Filantr ópicos Filantró Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Objetivos do Projeto Governança Metodologia Seleção

Leia mais

Edital do Processo Seletivo para o Curso Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde Ênfase na Gestão Estadual do Sistema Único de Saúde

Edital do Processo Seletivo para o Curso Micropolítica da Gestão e Trabalho em Saúde Ênfase na Gestão Estadual do Sistema Único de Saúde 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Rio de Janeiro, em 06 de outubro

Leia mais

Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Caderno de Informação da Saúde Suplementar Março 2009 Caderno de Informação da Saúde Suplementar 2ª edição revisada e atualizada Beneficiários Operadoras Planos de Saúde ISSN 1981-0962 MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar

Leia mais

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados

14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados 14ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro Supermercados Apresentação Este relatório apresenta os resultados da 14ª Avaliação de Perdas realizada com os principais supermercados do Brasil. As edições

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 7.938 0,37 0 0,00-7.938 0,37

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Hanseníase no Brasil DADOS E INDICADORES SELECIONADOS

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Hanseníase no Brasil DADOS E INDICADORES SELECIONADOS MINISTÉRIO DA SAÚDE Hanseníase no Brasil DADOS E INDICADORES SELECIONADOS Brasília DF 2009 MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Hanseníase no

Leia mais

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional Desafio Fomentar o Uso do Poder de Compra do Governo Junto aos Pequenos Negócios para Induzir

Leia mais

F.19 - Cobertura de coleta de lixo

F.19 - Cobertura de coleta de lixo Comentários sobre os Indicadores de Cobertura até 6 F.19 - Cobertura de coleta de lixo Limitações: Requer informações adicionais sobre as condições de funcionamento (freqüência, assiduidade, volume transportado

Leia mais

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ministério das Comunicações Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD Suplementar 2013 Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular

Leia mais

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo Sinog Dezembro/ 2011 Press Kit para Imprensa Sinog Sindicato Nacional das Empresas

Leia mais

Sangue e Hemoderivados

Sangue e Hemoderivados Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde www.saude.gov.br/bvs Caderno de Informação Sangue e Hemoderivados Produção Hemoterápica Sistema Único de Saúde (Serviços s e s s) Serviços s não contratados

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2013 % Jan a Dez 2013 x Jan a Dez 2012 Morte 60.752 1 54.767 9% - Invalidez Permanente 352.495 69% 444.206 70% 2 Despesas Médicas (DAMS) 94.668 19% 134.872

Leia mais