Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Junho de Estatísticas do Mercado Segurador

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Junho de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador"

Transcrição

1 Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Junho de 215 Estatísticas do Mercado Segurador

2 Mercado Segurador - Visão Geral Arrecadação por segmento - histórico anual 3 Arrecadação por segmento do ano atual comparada com o mesmo período do ano anterior 4 Prêmio cedido e recuperação de indenizações correspondentes a resseguro - histórico anual 5 Prêmio cedido e recuperação de indenizações correspondentes a resseguro do ano atual comparados com o mesmo período do ano anterior 6 Penetração da arrecadação no PIB nominal - histórico anual 7 Penetração da arrecadação no PIB nominal do ano atual comparada com o mesmo período do ano anterior 8 IPCA, variação nominal do PIB e da arrecadação - histórico anual 9 Arrecadação per capita - histórico anual 1 Ativo, provisão e patrimônio líquido - histórico anual 11 Ativo, provisão e patrimônio líquido do ano atual comparados com o mesmo período do ano anterior 12 Indenização, sorteio, resgate e benefício por segmento - histórico anual 13 Indenização, sorteio, resgate e benefício por segmento do ano atual comparado com o mesmo período do ano anterior 14 Resgates de Cobertura de Pessoas - histórico anual 15 Resgates de Cobertura de Pessoas do ano atual comparado com o mesmo período do ano anterior 16 Mercado Segurador - Região Geográfica Distribuição da arrecadação por região geográfica - histórico anual 17 Distribuição da arrecadação por região geográfica do ano atual comparada com o mesmo período do ano anterior 18 Glossário executivo 19

3 Arrecadação por segmento - histórico anual Em R$ bilhões e % de variação Mercado Segurador - Visão Geral 187,3 217,8 257,6 291,8 327, 13,8% 16,3% 18,3% 13,3% 12,1% 4 2% 3 65,3 15% 6, ,4 44, 17,6 73,4 45,6 51,4 21,3 85,3 51,3 68,1 24,3 97,2 71,1 28,6 11,6 8,6 3,7 128,5 1% 5% 11,8 14,1 16,6 21, 21, Capitalização Saúde suplementar Cob. de pessoas: planos de risco Cob. de pessoas: planos de acumulação Ramos elementares Variação % Fontes: DIOPS (ANS) - Extraído em 11/6/215 SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/ Nota: 1) Valores referentes ao ramo dotal misto foram incluídos na parte de planos de risco, embora apresente características mistas de risco e acumulação. 2) Por questões metodológicas, os valores apresentados diferem dos informados pela ANS e FenaSaúde 13

4 Mercado Segurador - Visão Geral Arrecadação por segmento do ano atual comparada com o mesmo período do ano anterior Em R$ bilhões Período analisado: até junho Dados SUSEP Período analisado: até 1º trimestre Dados ANS Variação: 14,% Variação: 12,9% 94,1 17,2 3,3 34, , , ,1 46, ,6 16,1 1,7 1, Capitalização CP: planos de risco CP: planos de acumulaç... Ramos elementares Saúde suplementar Fontes: DIOPS (ANS) - Extraído em 11/6/215 SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/ Nota: DIOPS (ANS) - Dados até 1º trimestre de 215 SES (SUSEP) - Dados até junho de 215 1) A sigla "CP" corresponde à Cobertura de pessoas. 2) Valores referentes ao ramo dotal misto foram incluídos na parte de planos de risco, embora apresente características mistas de risco e acumulação. 3) Por questões metodológicas, os valores apresentados diferem dos informados pela ANS e FenaSaúde. 14

5 Mercado Segurador - Visão Geral Prêmio cedido e recuperação de indenizações correspondentes a resseguro - histórico anual Em R$ bilhões ,5 6,7 3,4 6,9 5,1 8,2 4,7 7,9 5,2 2, Prêmio cedido a resseguro Recuperação de indenizações com resseguro Variação anual do prêmio cedido a resseguro ,6% 2,2% 3,8% 18,9% -3,7% % de prêmio cedido sobre prêmio emitido 1,4% 1,8% 9,9% 9,9% 8,7% Variação anual da recuperação de indenizações com resseguro % de recuperação de indenizações sobre sinistro ocorrido -6,9% 48,4% 51,7% -8,% 1,4% 9,2% 11,7% 15,3% 12,8% 12,5% Fonte: SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/ Nota: Não inclui Saúde suplementar, Capitalização e planos de acumulação e tradicionais referentes a coberturas de pessoas, pois a operação de resseguro não é aplicável a estes. 15

6 Mercado Segurador - Visão Geral Prêmio cedido e recuperação de indenizações correspondentes a resseguro do ano atual comparado com o mesmo período do ano anterior Período analisado: até junho Em R$ bilhões ,7 3,7 2,7 1 1, Prêmio cedido a resseguro Recuperação de indenizações com resseguro Variação do prêmio cedido a resseguro 1,2% % de prêmio cedido sobre o prêmio emitido 8,3% 8,% Variação da recuperação de indenizações com resseguro 5,9% % de recuperação de indenizações sobre o sinistro ocorrido 9,% 12,2% Fonte: SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/215 Nota: SES (SUSEP) - Dados até junho de 215 Não inclui Saúde suplementar, Capitalização e planos de acumulação e tradicionais referentes a coberturas de pessoas, pois a operação de resseguro não é aplicável a estes

7 Penetração da arrecadação no PIB nominal - histórico anual Em porcentagem % de variação Mercado Segurador - Visão Geral 4,8% 5,% 5,5% 5,7% 5,9% 6% 1% 5% 1,1% 1,2% 1,2% 8% 4% 3% 1,% 1,1%,4% 1,% 1,2%,4% 1,4%,5% 1,4%,5% 1,4%,5% 6% 4% 2% 2% 1% 1,9% 1,9% 2,1% 2,1% 2,3% % -2% %,3%,3%,4%,4%,4% Capitalização Saúde suplementar Cob. de pessoas: planos de risco Cob. de pessoas: planos de acumulação Ramos elementares Variação da penetração -4% Variação da Penetração -2,5% 3,3% 9,8% 3,5% 4,7% Fontes: DIOPS (ANS) - Extraído em 11/6/215 SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/215 SGS (BACEN) - Extraído em Nota: 1) Valores referentes ao ramo dotal misto foram incluídos na parte de planos de risco, embora apresente características mistas de risco e acumulação. 2) Por questões metodológicas, os valores apresentados diferem dos informados pela ANS e FenaSaúde. 17

8 Mercado Segurador - Visão Geral Penetração da arrecadação no PIB nominal do ano atual comparada com o mesmo período do ano anterior Período analisado: até junho Dados SUSEP Período analisado: até 1º trimestre Dados ANS Variação: 7,% Variação: 6,% 3,5% 3,8% 2,3% 2,4% 4% 2% 3% 1,2% 1,2% 2% 2% 2% 1,3% 1,6% 1% 1%,5%,6% % %,4%,4% Capitalização CP: planos de risco CP: planos de acumulaç... Ramos elementares % Saúde suplementar Fontes: DIOPS (ANS) - Extraído em 11/6/215 SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/215 SGS (BACEN) - Extraído em Nota: DIOPS (ANS) - Dados até 1º trimestre de 215 SES (SUSEP) - Dados até junho de 215 SGS (BACEN) - Dados até junho de 215 1) A sigla "CP" corresponde à Cobertura de Pessoas. 2) Valores referentes ao ramo dotal misto foram incluídos na parte de planos de risco, embora apresente características mistas de risco e acumulação. 3) Por questões metodológicas, os valores apresentados diferem dos informados pela ANS e FenaSaúde. 18

9 IPCA, variação nominal do PIB e da arrecadação - histórico anual Em % de variação Mercado Segurador - Visão Geral 2% 18,3% 16,8% 16,3% 15% 13,8% 12,6% 13,3% 12,1% 1% 9,4% 7,7% 7,1% 5,9% 6,5% 5,8% 5,9% 6,4% 5% % Arrecadação PIB IPCA Fontes: DIOPS (ANS) - Extraído em 11/6/215 SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/215 SGS (BACEN) - Extraído em Nota: Por questões metodológicas, os valores apresentados diferem dos informados pela ANS e FenaSaúde. 19

10 Arrecadação per capita - histórico anual Em R$ e % de variação Mercado Segurador - Visão Geral 954, 1.99, , ,3 1.67,3 12,7% 15,2% 17,2% 12,3% 11,1% 2. 2% , 15% 3,1 R$ 1. 23,3 256,7 352,4 396,3 1% 5 25,8 224,2 89,8 374,1 259,6 17,7 43,4 34,6 121,7 486,2 141,7 548,1 151,1 631,4 5% 6, 71,2 83, 14, 17, Capitalização Saúde suplementar Cob. de pessoas: planos de risco Cob. de pessoas: planos de acumulação Ramos elementares Variação % Fontes: DIOPS (ANS) - Extraído em 11/6/215 SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/215 SIDRA (IBGE) - Extraído em 2/12/ Nota: 1) Valores referentes ao ramo dotal misto foram incluídos na parte de planos de risco, embora apresente características mistas de risco e acumulação. 2) Por questões metodológicas, os valores apresentados diferem dos informados pela ANS e FenaSaúde. 3) Os valores extraídos do IBGE que compõem o número de habitantes no território Nacional são estimativas anuais de população dos municípios brasileiros com data de referência para 1º de julho. 1 1

11 Ativo, provisão e patrimônio líquido - histórico anual Em R$ bilhões Mercado Segurador - Visão Geral , ,7 292,1 56,8 352,9 68,8 432,8 668,9 494,1 578,8 96,8 11,8 113,8 112,1 118, Ativo Provisão Patrimônio líquido Fontes: DIOPS (ANS) - Extraído em 11/6/215 SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/215 Nota: Em Ativo não foram deduzidas as parcelas de participações acionárias dentro do próprio mercado

12 Mercado Segurador - Visão Geral Ativo, provisão e patrimônio líquido do ano atual comparados com o mesmo período do ano anterior Em R$ bilhões Período analisado: até junho Dados SUSEP Período analisado: até 1º trimestre Dados ANS ,5 55,1 73, 61,6 4 88,8 97, ,6 34,9 28,5 39,2 8,2 85, Ativo Provisão Patrimônio líquido Ativo Provisão Patrimônio líquido Fontes: DIOPS (ANS) - Extraído em 11/6/215 SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/ Nota: DIOPS (ANS) - Dados até 1º trimestre de 215 SES (SUSEP) - Dados até junho de 215 Em Ativo não foram deduzidas as parcelas de participações acionárias dentro do próprio mercado. 1 12

13 Mercado Segurador - Visão Geral Indenização, sorteio, resgate e benefício por segmento - histórico anual Em R$ bilhões e % de variação 94,1 19, 126,6 144,3 167,1 9,7% 15,8% 16,1% 14,% 15,7% 2 2% 15 15% 1 1% 5 5% Capitalização Saúde suplementar Cob. de pessoas: planos de risco Cob. de pessoas: planos de acumulação Cob. de pessoas: planos tradicionais Ramos elementares Variação Ramos Elementares 19,9 23,4 27,5 3,3 34,1 Cob. de pessoas: planos tradicionais 1,2 1,3 1,4 1,5 1,6 Cob. de pessoas: planos de acumulação,,,1,2,4 Cob. de pessoas: planos de risco 4,9 5,5 6,2 6,7 7,6 Saúde suplementar 6, 68,9 8, 91,5 17, Capitalização 8,2 9,9 11,5 14,1 16,3 Fontes: DIOPS (ANS) - Extraído em 11/6/215 SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/215 Nota: 1) A composição do indicador "Indenização, sorteio, resgate e benefício" em cada um dos segmentos acima citados pode ser vista nas respectivas seções deste caderno de estatísticas. 2) Valores referentes ao ramo dotal misto foram incluídos na parte de planos de risco, embora apresente características mistas de risco e acumulação. 3) Não é possível separar os valores de benefícios pagos de planos tradicionais entre risco e acumulação, portanto aparecem destacados no gráfico. 4) Este gráfico apresenta apenas os resgates de capitalização, uma vez que eles representam, em sua maioria, o pagamento efetuado pela empresa devido ao fim do contrato. %

14 Mercado Segurador - Visão Geral Indenização, sorteio, resgate e benefício por segmento do ano atual comparado com o mesmo período do ano anterior Em R$ bilhões Período analisado: até junho de 215 Período analisado: até 1º trimestre de 215 Dados Susep Dados ANS Variação: 11,3% Variação: 13,8% 28,4 31,6 24,2 27, ,1,7,1 3,6 18,3,8,1 3, ,8 8, Capitalização CP: Planos de riscos CP: Planos de acumulaç... CP: Planos tradicionais Ramos Elementares Saúde Suplementar Fontes: DIOPS (ANS) - Extraído em 11/6/215 SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/ Nota: DIOPS (ANS) - Dados até 1º trimestre de 215 SES (SUSEP) - Dados até junho de 215 1) A composição do indicador "indenização, sorteio, resgate e benefício" em cada um dos segmentos acima citados pode ser vista nas respectivas seções deste caderno de estatísticas. 2) Valores referentes ao ramo dotal misto foram incluídos na parte de planos de risco, embora apresente características mistas de risco e acumulação. 3) Não é possível separar os valores de benefícios pagos de planos tradicionais entre risco e acumulação, portanto aparecem destacados no gráfico. 4) A sigla "CP" corresponde à Cobertura de Pessoas. 5) Este gráfico apresenta apenas os resgates de capitalização, uma vez que eles representam, em sua maioria, o pagamento efetuado pela empresa devido ao fim do contrato. 1 14

15 Resgates de Cobertura de Pessoas - histórico anual Em R$ bilhões e % de variação Mercado Segurador - Visão Geral 21,1 23,6 27,9 4, 4,3 13,9% 11,9% 18,1% 43,4%,8% 5 5% 4,1,2 4% 3 2,,1,2 39,9 4,1 3% 2% 1 21,1 23,6 27,7 1% CP: planos de acumulação CP: planos de risco Variação % Fonte: SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/ Nota: A sigla "CP" corresponde à Cobertura de pessoas. Este gráfico apresenta resgates exclusivamente de planos de cobertura de pessoas, uma vez que eles representam uma quebra, parcial ou total, no contrato de cobertura. 1 15

16 Mercado Segurador - Visão Geral Resgates de Coberturas de Pessoas do ano atual comparado com o mesmo período do ano anterior Período analisado: até junho Em R$ bilhões 25 Variação: 1,3% 2,3 22,4,1 2, ,2 22, Cob. Pessoas: planos de acumulação Cob. Pessoas: Planos de risco Fonte: SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/215 Nota: SES (SUSEP) - Dados até junho de 215 Este gráfico apresenta resgates exclusivamente de planos de cobertura de pessoas, uma vez que eles representam uma quebra, parcial ou total, no contrato de cobertura

17 Mercado Segurador - Região Geográfica Distribuição da arrecadação por região geográfica - histórico anual 1% 2,4%,1%,1%,% 15,7% 16,% 16,5% 16,4% 8% 6% 64,3% 65,4% 64,7% 64,5% 4% 2% 6,5% 6,5% 6,7% 7,1% 9,% 9,8% 9,9% 9,9% % 2,2% 2,1% 2,1% 2,1% Norte Nordeste Centro-Oeste Sudeste Sul Outros Fonte: SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/215 Nota: Os valores não catalogados em regiões geográficas e do exterior do país estão representados pelo grupo "Outros" pois não apresentam números significativos. Não inclui Saúde suplementar

18 Mercado Segurador - Região Geográfica Distribuição da arrecadação por região geográfica do ano atual comparada com o mesmo período do ano anterior Período analisado: até junho 1%,%,% 16,4% 16,5% 8% 6% 64,4% 63,4% 4% 2% 7,1% 7,1% 1,% 1,8% % 2,% 2,1% Norte Nordeste Centro-Oeste Sudeste Sul Outros Fonte: SES (SUSEP) - Extraído em 27/7/215 Nota: SES (SUSEP) - Dados até o junho de 215 Os valores não catalogados em regiões geográficas e do exterior do país estão representados pelo grupo "Outros" pois não apresentam números significativos. Não inclui Saúde suplementar

19 Glossário executivo 1. Arrecadação / Prêmio direto do Mercado Segurador: Contempla o prêmio direto de seguros, contribuição em previdência, faturamento de capitalização e contraprestação de saúde suplementar. Prêmio Direto de Seguros: Emissão de prêmio líquida de cancelamento e restituição. Contribuição de Previdência: Valor correspondente a cada um dos aportes destinados ao custeio do plano de previdência. Faturamento de Capitalização: Arrecadação com títulos de capitalização líquida de devolução e cancelamento. Contraprestação de Saúde Suplementar: Contraprestação líquida/prêmio retido para coberturas assistenciais Médico-Hospitalar e/ou Odontológica. 2. Sinistro ocorrido/indenização/sorteio/resgate/benefício do Mercado Segurador: Contempla o sinistro ocorrido de seguros, benefício de previdência, sorteio de capitalização, resgates pagos com títulos de capitalização e indenização de saúde suplementar. Sinistro ocorrido de Seguros: Indenizações avisadas, despesas relacionadas a seguros, retrocessões aceitas, variação das provisões de sinistro, e serviços de assistência, líquido dos salvados e ressarcidos avisados e de sua variação do ajuste da PSL. Considera as parcelas administrativas e judiciais, consórcios e fundos e despesas com benefícios em regime de capitalização e repartição de capitais de cobertura para seguros. Benefício de Previdência: Valor correspondente aos benefícios destinados à cobertura do plano de previdência. Sorteio de capitalização: Valor correspondente aos prêmios de sorteios pagos com títulos de capitalização. Resgate de capitalização: Valor correspondente aos resgates pagos com títulos de capitalização. Representa, em sua maioria, o pagamento efetuado pela empresa devido ao fim do contrato. Indenização de Saúde Suplementar: Eventos indenizáveis líquidos/sinistros retidos de cobertura assistencial Médico-Hospitalar e/ou Odontológica. 3. Resgate de Cobertura de Pessoas: Valor correspondente a cada um dos resgates pagos a participantes do plano de previdência. 4. Sinistro direto de seguros: sinistros registrados relativos às operações da própria empresa. 5. Prêmio cedido correspondente a resseguro: prêmio cedido pela empresa em operações de resseguro. 6. Recuperação de indenizações correspondentes a resseguro: valor registrado como recuperações com resseguro de indenizações administrativas e judiciais avisadas em seguros. 7. Ativo do Mercado Segurador: Recursos econômicos na forma de bens e direitos em seguros, previdência, capitalização e saúde suplementar. 19

20 Glossário executivo 8. Provisão do Mercado Segurador: Passivo contabilizado pelo Mercado Segurador para refletir as obrigações futuras advindas dos compromissos assumidos com os contratantes de suas operações. 9. PL do Mercado Segurador: patrimônio líquido contábil das empresas seguradoras, capitalização, EAPC e de saúde suplementar. 1. PIB: Produto Interno Bruto publicado pelo Banco Central do Brasil. 11. Penetração do mercado segurador no PIB: Proporção da Arrecadação / Prêmio direto do Mercado Segurador sobre o Produto Interno Bruto. 12. IPCA: Índice de Preços ao Consumidor Amplo publicado pelo Banco Central do Brasil. 13. População Brasileira: Número de habitantes no território Nacional publicado pelo IBGE com base em informações dos registros de nascimentos e óbitos. 14. Arrecadação per capita: proporção da Arrecadação / Prêmio direto do Mercado Segurador sobre a População Brasileira. 2

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Agosto de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador

Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Agosto de 2015. Estatísticas do Mercado Segurador Núcleo de Estudos e Projetos Dados até Agosto de 215 Estatísticas do Mercado Segurador Mercado Segurador - Visão Geral Arrecadação por segmento - histórico anual 3 Arrecadação por segmento do ano atual

Leia mais

A representação institucional do mercado segurador

A representação institucional do mercado segurador A representação institucional do mercado segurador A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização CNseg é a entidade de representação

Leia mais

Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil. Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação

Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil. Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação Uma Visão do Setor de Seguros no Brasil Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação Pauta da apresentação 1º Estrutura do Setor 2º Representação Institucional do Setor 3º Arrecadação Visão por

Leia mais

Normas Contábeis Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro

Normas Contábeis Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro Normas Contábeis Orientações da SUSEP ao Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro julho/2013 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 1.1. Área Responsável... 2 1.2. Base Legal... 2 1.3. Abrangência...

Leia mais

ANEXO I PROCEDIMENTOS PREVIAMENTE ACORDADOS PPA SOBRE A PROVISÃO DE EVENTOS/SINISTROS A LIQUIDAR - DIOPS/ANS

ANEXO I PROCEDIMENTOS PREVIAMENTE ACORDADOS PPA SOBRE A PROVISÃO DE EVENTOS/SINISTROS A LIQUIDAR - DIOPS/ANS ANEXO I SOBRE A PROVISÃO DE EVENTOS/SINISTROS A LIQUIDAR - DIOPS/ANS Data-base do DIOPS: trimestre de. 1 DIOPS Financeiro e Balancete 1.1 - Com base no balancete de verificação devidamente assinado pelo

Leia mais

SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL

SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL Simulação para avaliação da viabilidade econômica e retorno do capital investido para a implantação de Resseguradora

Leia mais

NÚMEROS DO MERCADO DE SEGUROS ALTERAÇÕES DE CONCEITOS NÚMEROS SUSEP SES

NÚMEROS DO MERCADO DE SEGUROS ALTERAÇÕES DE CONCEITOS NÚMEROS SUSEP SES NÚMEROS DO MERCADO DE SEGUROS ALTERAÇÕES DE CONCEITOS NÚMEROS SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 Curitiba, 2 de julho de 2014. Ilmos. Senhores, Presidentes de Seguradoras, Previdência

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONÍVEL 1.01.01.01 Caixa 1.01.01.02 Valores em Trânsito 1.01.01.03 Bancos Conta Depósitos 1.01.01.04 Aplicações no Mercado Aberto 1.01.02 APLICAÇÕES 1.01.02.01 Títulos

Leia mais

ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL

ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL ANEXO I MODELO DE PROJEÇÕES FINANCEIRAS BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) MÊS 1 MÊS 2 MÊS 3 MÊS N ATIVO ATIVO CIRCULANTE Disponível Aplicações Aplicações Vinculadas a Provisões Técnicas Aplicações

Leia mais

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO 200Y 200X ATIVO Contas ATIVO CIRCULANTE 12 Disponível 121 Realizável 122+123+124+125+126+127+128+129 Aplicações Financeiras 122 Aplicações Vinculadas a Provisões Técnicas 1221

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 29ª Edição Agosto de 214 SUMÁRIO EXECUTIVO Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (Mar/14): 5.722.522; Taxa

Leia mais

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO CONTABILIDADE ATUARIAL - SEGUROS 2º Bimestre - 6º período Curso de Ciências Contábeis

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO CONTABILIDADE ATUARIAL - SEGUROS 2º Bimestre - 6º período Curso de Ciências Contábeis 1. Autarquia, com personalidade jurídica de direito público, que dispõe de autonomia administrativa e financeira, que tem como atribuição fundamental fiscalizar o fiel cumprimento da legislação de seguros:

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

REFORMULAÇÃO DO PLANO DE CONTAS DAS SOCIEDADES SEGURADORAS

REFORMULAÇÃO DO PLANO DE CONTAS DAS SOCIEDADES SEGURADORAS REFORMULAÇÃO DO PLANO DE CONTAS DAS SOCIEDADES SEGURADORAS 1. OBJETIVO A presente reformulação do Plano Contábil das Sociedades Seguradoras tem por finalidade uniformizar os registros contábeis, racionalizar

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

Siscorp Serviços e Informática Ltda. Alameda Ministro Rocha Azevedo, 38 Cj.1202 - Ciragan Office - CEP: 01410-000 Cerqueira Cesar - São Paulo - SP -

Siscorp Serviços e Informática Ltda. Alameda Ministro Rocha Azevedo, 38 Cj.1202 - Ciragan Office - CEP: 01410-000 Cerqueira Cesar - São Paulo - SP - EVOLUÇÃO DO MERCADO DE SEGUROS NO BRASIL PROJEÇÕES PARA 2009 A 2012 CRITÉRIOS UTILIZADOS Este trabalho foi desenvolvido com o cenário de que no início do quadriênio 2009 a 2012 haverá uma redução moderada

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar 1. Informações Gerais Pelo quarto ano consecutivo, a ANS apresenta dados de crescimento do número de beneficiários do setor acima de

Leia mais

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1 ATIVO 1 11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1113 BANCOS CONTA DEPÓSITOS 11131 BANCOS CONTA DEPÓSITOS - MOVIMENTO

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 09. Demonstração do Valor Adicionado

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 09. Demonstração do Valor Adicionado COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 09 Demonstração do Valor Adicionado PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO 1-2 ALCANCE E APRESENTAÇÃO 3 8 DEFINIÇÕES 9 CARACTERÍSTICAS DAS

Leia mais

Release de Resultados do 1T10

Release de Resultados do 1T10 Release de Resultados do 1T10 Fale com R.I Relações com Investidores Tel: (11) 3366-5323 / 3366-5378 www.portoseguro.com.br, gri@portoseguro.com.br Porto Seguro S.A. Alameda Ribeiro da Silva, 275 1º andar

Leia mais

Seguros, Previdência e Capitalização

Seguros, Previdência e Capitalização Seguros, Previdência e Capitalização Análise das contas Patrimoniais e do Resultado Ajustado do Grupo Bradesco de Seguros, Previdência e Capitalização: Balanço Patrimonial Mar10 Dez09 Mar09 Ativo Circulante

Leia mais

Release de Resultado Janeiro/08

Release de Resultado Janeiro/08 PORTO SEGURO anuncia lucro líquido de R$10,0 milhões ou R$0,13 por ação em janeiro de 2008 São Paulo, 17 de Março de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados de janeiro de 2008. As

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 162, DE 2006.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 162, DE 2006. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 162, DE 2006. Institui regras e procedimentos para a constituição das provisões técnicas das sociedades seguradoras, entidades

Leia mais

Evolução das Aplicações Financeiras (R$ Milhões) 634,6

Evolução das Aplicações Financeiras (R$ Milhões) 634,6 Evolução do Patrimônio Líquido (R$ Milhões) 598,3 Evolução das Aplicações Financeiras (R$ Milhões) 634,6 Participação no Mercado Prêmios de Resseguro Total do Grupo Riscos Financeiros (%) 38,6% 61,4% 104,3

Leia mais

O MERCADO DE SEGURO DE PESSOAS E PREVIDÊNCIA PARA 2014 NA VISÃO DA FENAPREVI. Osvaldo do Nascimento Presidente da FenaPrevi

O MERCADO DE SEGURO DE PESSOAS E PREVIDÊNCIA PARA 2014 NA VISÃO DA FENAPREVI. Osvaldo do Nascimento Presidente da FenaPrevi O MERCADO DE SEGURO DE PESSOAS E PREVIDÊNCIA PARA 2014 NA VISÃO DA FENAPREVI Osvaldo do Nascimento Presidente da FenaPrevi 1 CENÁRIO INTERNACIONAL 2 CENÁRIO INTERNACIONAL 3 CENÁRIO INTERNACIONAL 4 CENÁRIO

Leia mais

ANEXO CAPÍTULO III MANUAL CONTÁBIL DAS OPERAÇÕES DO MERCADO DE SAÚDE

ANEXO CAPÍTULO III MANUAL CONTÁBIL DAS OPERAÇÕES DO MERCADO DE SAÚDE A Norma Contábil é necessária para padronizar o registro das operações do mercado de saúde. O principal objetivo da padronização é monitorar a solvência desse mercado. Solvência é a capacidade de uma operadora

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 30ª Edição Outubro de 2014 SUMÁRIO EXECUTIVO Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (jun/14): 50.930.043; Taxa

Leia mais

SEGUROS DIRETOS R$ 15.575.883 43,36% R$ 18.153.604 43,69% 16,55% DPVAT R$ 1.267.600 3,53% R$ 1.436.782 3,46% 13,35%

SEGUROS DIRETOS R$ 15.575.883 43,36% R$ 18.153.604 43,69% 16,55% DPVAT R$ 1.267.600 3,53% R$ 1.436.782 3,46% 13,35% MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS JAN A ABRIL 2011 Tomando por base os números divulgados hoje pela SUSEP através do sistema de informações SES (que tem como fonte os FIPS enviados pelas empresas) o mercado

Leia mais

Provisões Técnicas Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro Local

Provisões Técnicas Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro Local Provisões Técnicas Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro Local Agosto/2013 Sumário 1. INTRODUÇÃO...4 1.1. Área Responsável...4 1.2. Base

Leia mais

Circular Susep nº 483/14 Principais mudanças na norma contábil. 1º de abril de 2014 SUSEP/DITEC/CGSOA/COASO

Circular Susep nº 483/14 Principais mudanças na norma contábil. 1º de abril de 2014 SUSEP/DITEC/CGSOA/COASO 1 Circular Susep nº 483/14 Principais mudanças na norma contábil 1º de abril de 2014 Roteiro 2 Alterações na Norma Contábil Principais justificativas para as alterações na norma contábil Alterações promovidas

Leia mais

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência Marco Antonio Rossi Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Previdência 1 Brasil Entre as Maiores Economias do Mundo Mercado Brasileiro de Seguros e Previdência O Mundo do Seguro e Previdência Desafios

Leia mais

Marco Antonio Rossi Bradesco Seguros

Marco Antonio Rossi Bradesco Seguros Marco Antonio Rossi Bradesco Seguros MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO PANORAMA DO GRUPO SEGURADOR PERSPECTIVAS E EVOLUÇÃO FUTURA ESTRATÉGIA EM AÇÃO MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO

Leia mais

kpmg SUSEP Controles Internos

kpmg SUSEP Controles Internos kpmg Junho 2007 INSURANCE Regulatory Practice Insurance News FINANCIAL SERVICES SUSEP Controles Internos Circular 344, de 21.06.2007 - Controles internos para prevenção contra fraudes O normativo dispõe

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO PANORAMA DO GRUPO SEGURADOR ESTRATÉGIA EM AÇÃO

MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO PANORAMA DO GRUPO SEGURADOR ESTRATÉGIA EM AÇÃO 1 MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO 2 PANORAMA DO GRUPO SEGURADOR 3 4 PERSPECTIVAS E EVOLUÇÃO FUTURA ESTRATÉGIA EM AÇÃO 1 MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO Seguros Gerais 14 Milhões de Automóveis Segurados 7 Milhões

Leia mais

RELACIONADOS 04/12/2013. Elaborado por: Moacir José Grunitzky GRUNITZKY AUDITORES INDEPENDENTES S/S

RELACIONADOS 04/12/2013. Elaborado por: Moacir José Grunitzky GRUNITZKY AUDITORES INDEPENDENTES S/S Elaborado por: Moacir José Grunitzky GRUNITZKY AUDITORES INDEPENDENTES S/S PRINCIPAIS NORMATIVOS RELACIONADOS RN n.º 159, de 2007, e alterações dispõe sobre ativos garantidores. RN n.º 206, de 2009, e

Leia mais

SUSEP. Regulatory Practice Insurance News. Capital Mínimo Circular SUSEP 486, de 23.01.2014 Cálculo do capital de risco

SUSEP. Regulatory Practice Insurance News. Capital Mínimo Circular SUSEP 486, de 23.01.2014 Cálculo do capital de risco Regulatory Practice Insurance News Janeiro 2014 SUSEP Capital Mínimo Circular SUSEP 486, de 23.01.2014 Cálculo do capital de risco Esta Circular dispõe sobre instruções complementares necessárias à execução

Leia mais

Provisões Técnicas. Orientações da SUSEP ao Mercado

Provisões Técnicas. Orientações da SUSEP ao Mercado Provisões Técnicas Orientações da SUSEP ao Mercado Abril/2014 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 4 1.1. Área Responsável... 4 1.2. Base Legal... 4 1.3. Abrangência... 4 1.4. Objetivo... 4 2. SOCIEDADES SEGURADORAS

Leia mais

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS Marco Antonio Rossi Presidente da Fenaprevi Presidente da Bradesco Seguros Agenda Mercado Segurador Nacional Os direitos dos Segurados e Participantes Legislação O Brasil

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. RESOLUÇÃO Nº 1.138, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2008: Aprova a NBC T 3.7 - Demonstração do Valor Adicionado.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. RESOLUÇÃO Nº 1.138, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2008: Aprova a NBC T 3.7 - Demonstração do Valor Adicionado. CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE RESOLUÇÃO Nº 1.138, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2008: Aprova a NBC T 3.7 - Demonstração do Valor Adicionado. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições

Leia mais

ANEXO I GLOSSÁRIO A SER UTILIZADO PARA PREENCHIMENTO E ENVIO PELA INTERNET DAS INFORMAÇÕES DE QUE TRATA ESTA INSTRUÇÃO NORMATIVA.

ANEXO I GLOSSÁRIO A SER UTILIZADO PARA PREENCHIMENTO E ENVIO PELA INTERNET DAS INFORMAÇÕES DE QUE TRATA ESTA INSTRUÇÃO NORMATIVA. ANEXO I GLOSSÁRIO A SER UTILIZADO PARA PREENCHIMENTO E ENVIO PELA INTERNET DAS INFORMAÇÕES DE QUE TRATA ESTA INSTRUÇÃO NORMATIVA. 1. Nome do Plano Para os planos contratados após 1º de janeiro de 1999

Leia mais

BOLETÍM ESTATÍSTICO ANUAL DO SETOR DE SEGUROS DO MERCOSUL

BOLETÍM ESTATÍSTICO ANUAL DO SETOR DE SEGUROS DO MERCOSUL MERCOSUL/ SGT Nº 4/CS Página 1 de 9 BOLETÍM ESTATÍSTICO ANUAL DO SETOR DE SEGUROS DO MERCOSUL SUMARIO DE TÉRMOS Empresa em efetivo funcionamento: Empresa que comercializou seguros no ano de referência

Leia mais

CERTIFICADO INDIVIDUAL DE SEGURO MAPFRE ACIDENTES PESSOAIS PREMIADO

CERTIFICADO INDIVIDUAL DE SEGURO MAPFRE ACIDENTES PESSOAIS PREMIADO Grupo Ramo 0982 Início de vigência às 24 h do dia Nº da Apólice CERTIFICADO INDIVIDUAL DE SEGURO MAPFRE ACIDENTES PESSOAIS PREMIADO Nº do Certificado Individual Fim de vigência às 24 h do dia Data da Emissão

Leia mais

Evolução numérica do seguro de transportes Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.br Maio/2007

Evolução numérica do seguro de transportes Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.br Maio/2007 Evolução numérica do seguro de transportes Francisco Galiza www.ratingdeseguros.com.br Maio/2007 1) Tendência e Participação O ramo de seguro de transportes é um dos mais tradicionais no mercado brasileiro.

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012.

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012. PIS E COFINS DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 14.08.2012. Sumário: 1 ENTIDADES FINANCEIRAS 2 - DA ALÍQUOTA 3 - DA BASE DE CÁLCULO 3.1 Receitas Incorridas

Leia mais

8º Santander Healthcare Trip

8º Santander Healthcare Trip 8º Santander Healthcare Trip Destaques Beneficiários (Mil) Presença nacional 3.963 4.167 Operadora líder do mercado brasileiro de saúde 3.426 4.530 suplementar com 11,6% de Market Share 46,9% de Market

Leia mais

Mercado Segurador: Desafios e Oportunidades CIAB 2015. Alexandre Leal Superintendente de Regulação

Mercado Segurador: Desafios e Oportunidades CIAB 2015. Alexandre Leal Superintendente de Regulação Mercado Segurador: Desafios e Oportunidas CIAB 2015 Alexandre Leal Superintennte Conferação Nacional das Empresas Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saú Suplementar e Capitalização Missão da CNseg

Leia mais

Comentários sobre as regras de controle de solvência das seguradoras

Comentários sobre as regras de controle de solvência das seguradoras Comentários sobre as regras de controle de solvência das seguradoras I) Introdução Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV) Professor do MBA-Gestão Atuarial e Financeira (USP) Ao final de 1998, a Susep

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Alguns equívocos comuns sobre saúde suplementar

Alguns equívocos comuns sobre saúde suplementar 50 Alguns equívocos comuns sobre saúde suplementar SANDRO LEAL ALVES 1 1 Este artigo reflete a opinião do autor e foi produzido a partir de apresentação realizada pelo mesmo por ocasião da 4ª Conferência

Leia mais

Na sociedade atual, a lógica do mutualismo garante a sustentabilidade do sistema de saúde suplementar?

Na sociedade atual, a lógica do mutualismo garante a sustentabilidade do sistema de saúde suplementar? Na sociedade atual, a lógica do mutualismo garante a sustentabilidade do sistema de saúde suplementar? Página 1 Conceitos Risco É um evento incerto cuja ocorrência tem um efeito negativo. Esse evento pode

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Notas explicativas às Demonstrações Contábeis dos Planos de Assistência Médica, Hospitalar e Odontológica da Fundação Celesc de Seguridade Social do Exercício Findo em 31 de dezembro de 2011 e 2010. NOTAS

Leia mais

Previdência (EAPC) - Tópicos. TEMA 3.Empresas Abertas de Previdência (EAPC) e a sua Contabilidade. O que é Previdência Privada Complementar?

Previdência (EAPC) - Tópicos. TEMA 3.Empresas Abertas de Previdência (EAPC) e a sua Contabilidade. O que é Previdência Privada Complementar? FEA-USP-EAC Curso de Graduação em Ciências Contábeis Disciplina: EAC0551 -Contabilidade e Análise de Balanços de Instituições Previdenciárias TEMA 3.Empresas Abertas de Previdência (EAPC) e a sua Contabilidade

Leia mais

ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS. Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis

ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS. Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis Introdução As empresas de seguros são estruturas que apresentam características próprias. Podem se revestir

Leia mais

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização Panorama e Perspectivas / Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização 1. Sumário Executivo... 2 2. Seguradoras do grupo de seguros gerais... 2 2.1 Ramos do grupo de seguros gerais...

Leia mais

CONSIDERAÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DE 18/06/2015

CONSIDERAÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DE 18/06/2015 CONSIDERAÇÕES PARA A ASSEMBLEIA DE 18/06/2015 1 INFORMES 1.1- Demonstrações contábeis 2014: Na reunião do Conselho Curador, ocorrida em Brasília/DF no período de 27 e 28 de abril de 2015, os Conselheiros

Leia mais

Perspectivas da Economia Brasileira em 2013 e Reforma do ICMS Interestadual

Perspectivas da Economia Brasileira em 2013 e Reforma do ICMS Interestadual Perspectivas da Economia Brasileira em 2013 e Reforma do ICMS Interestadual Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 21 de março de 2013 1 A economia

Leia mais

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas de BVA Seguros S/A Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

ASPECTOS FINANCEIROS DA COOPERATIVA E CAPITAL SOCIAL

ASPECTOS FINANCEIROS DA COOPERATIVA E CAPITAL SOCIAL ASPECTOS FINANCEIROS DA COOPERATIVA E CAPITAL SOCIAL Operadoras de Plano de Saúde ANTES E DEPOIS LEI 9656/98 E ANS LEI 9656/98 Regulamenta a atividade das Operadoras de Planos de Saúde na área Suplementar

Leia mais

Manual do Cliente. Capemisa Seguradora de Vida e Previdência S/A Versão Jul./14

Manual do Cliente. Capemisa Seguradora de Vida e Previdência S/A Versão Jul./14 Manual do Cliente Capemisa Seguradora de Vida e Previdência S/A Versão Jul./14 2 FAMILIA NALIN MULHER MANUAL DO CLIENTE Bem-vindo à CAPEMISA. Parabéns, você acaba de adquirir um produto garantido pela

Leia mais

CIRCULAR Nº 255, DE 4 DE JUNHO DE 2004

CIRCULAR Nº 255, DE 4 DE JUNHO DE 2004 SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR Nº 255, DE 4 DE JUNHO DE 2004 Dispõe sobre a atualização de valores relativos às operações de seguros, de previdência complementar aberta e de capitalização,

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009.

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. (DOU nº. 27, de 09 de fevereiro de 2009, Seção 1, páginas 44 a 49) MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. Dispõe

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N o 462, DE 31 DE JANEIRO DE 2013. Dispõe sobre a forma de cálculo e os procedimentos para a constituição das provisões técnicas das sociedades seguradoras,

Leia mais

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor. Brasília 03.abril.2013

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor. Brasília 03.abril.2013 Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor Brasília 03.abril.2013 Federação Nacional de Saúde Suplementar Associadas: 15 grupos empresariais Beneficiários: 25 milhões (37.2%)

Leia mais

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 BB Seguridade S.A. Resultado do 2º Trimestre de 2013 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas,

Leia mais

A Corretagem como Negócio

A Corretagem como Negócio A Corretagem como Negócio Robert Bittar, Presidente, FENACOR www.fenacor.com.br XVI Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros Florianópolis, Santa Catarina - Outubro/2009 Mudando o Conceito Corretor

Leia mais

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Vice Presidente do Banco Bradesco

Marco Antonio Rossi. Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Vice Presidente do Banco Bradesco 1 Marco Antonio Rossi Diretor Presidente do Grupo Bradesco Seguros e Vice Presidente do Banco Bradesco 2 AGENDA AVANÇO DO MERCADO SEGURADOR NOSSO CRESCIMENTO PRESENTE E FUTURO 3 4 SEGUROS E RESSEGUROS:

Leia mais

ANEXO Capítulo II - Elenco Sintético das Contas 2013 PASSIVO DESCRIÇÃO 2 1 1 PROVISÕES TÉCNICAS DE OPERAÇÕES DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE

ANEXO Capítulo II - Elenco Sintético das Contas 2013 PASSIVO DESCRIÇÃO 2 1 1 PROVISÕES TÉCNICAS DE OPERAÇÕES DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE SUB 2 2 1 CIRCULANTE 2 1 1 PROVISÕES TÉCNICAS DE OPERAÇÕES DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE 2 1 1 1 PROVISÕES TÉCNICAS DE OPERAÇÕES DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE 2 1 1 1 1 PROVISÕES TÉCNICAS DE OPERAÇÕES DE ASSISTÊNCIA

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 255, de 4 de junho de 2004.

CIRCULAR SUSEP N o 255, de 4 de junho de 2004. CIRCULAR SUSEP N o 255, de 4 de junho de 2004. Dispõe sobre a atualização de valores relativos às operações de seguros, de previdência complementar aberta e de capitalização, e dá outras providências.

Leia mais

CIRCULAR PPA do DIOPS 2º Trimestre de 2014 REVISÃO DO DOCUMENTO DE INFORMAÇÕES PERIÓDICAS DIOPS/ANS

CIRCULAR PPA do DIOPS 2º Trimestre de 2014 REVISÃO DO DOCUMENTO DE INFORMAÇÕES PERIÓDICAS DIOPS/ANS CIRCULAR PPA do DIOPS 2º Trimestre de 2014 REVISÃO DO DOCUMENTO DE INFORMAÇÕES PERIÓDICAS DIOPS/ANS Conforme disposto na RN 227/10, da Diretoria Colegiada, regulamentada pela IN 45/10, da DIOPE, ambas

Leia mais

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo Sinog Dezembro/ 2011 Press Kit para Imprensa Sinog Sindicato Nacional das Empresas

Leia mais

Divulgação de Resultados 2T08

Divulgação de Resultados 2T08 Divulgação de Resultados 2T08 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2008 A Sul América S.A. (Bovespa: SULA11) anuncia hoje os resultados do segundo trimestre de 2008 (2T08). As informações operacionais e financeiras

Leia mais

PATRIMÔNIO LÍQUIDO DAS SEGURADORAS BRASILEIRAS UMA EVOLUÇÃO MARCANTE. Em dezembro de 2006, através da Resolução CNSP 158, com vigência a partir de

PATRIMÔNIO LÍQUIDO DAS SEGURADORAS BRASILEIRAS UMA EVOLUÇÃO MARCANTE. Em dezembro de 2006, através da Resolução CNSP 158, com vigência a partir de PATRIMÔNIO LÍQUIDO DAS SEGURADORAS BRASILEIRAS UMA EVOLUÇÃO MARCANTE Em dezembro de 2006, através da Resolução CNSP 158, com vigência a partir de 1º de janeiro de 2008, foram instituídas as regras sobre

Leia mais

Associação Itaú Unibanco Holding S.A. e Porto Seguro S.A.

Associação Itaú Unibanco Holding S.A. e Porto Seguro S.A. Associação Itaú Unibanco Holding S.A. e Porto Seguro S.A. www.itauunibancori.com.br www.portoseguro.com.br/ri As Companhias A Porto Seguro S.A. continuará listada no Novo Mercado da BM&Fbovespa (PSSA3);

Leia mais

PROMOÇÃO DE CRÉDITO: COMO AMPLIAR AS VENDAS E GARANTIR QUALIDADE OPORTUNIDADES NO MERCADO DE SEGUROS SP, 10.11.2010.

PROMOÇÃO DE CRÉDITO: COMO AMPLIAR AS VENDAS E GARANTIR QUALIDADE OPORTUNIDADES NO MERCADO DE SEGUROS SP, 10.11.2010. PROMOÇÃO DE CRÉDITO: COMO AMPLIAR AS VENDAS E GARANTIR QUALIDADE OPORTUNIDADES NO MERCADO DE SEGUROS SP, 10.11.2010 Eugênio Velasques 2020 2030 2040 2050 2010 Evolução da População 300 250 200 150 5 vezes

Leia mais

Análise dos resultados

Análise dos resultados Análise dos resultados Produção de bens e serviços de saúde A origem dos bens e serviços ofertados em qualquer setor da economia (oferta ou recursos) pode ser a produção no próprio país ou a importação.

Leia mais

Circ. SUSEP 237, de 14.11.03 Parâmetros mínimos. Consolida as disposições sobre os parâmetros mínimos necessários para a elaboração anual da

Circ. SUSEP 237, de 14.11.03 Parâmetros mínimos. Consolida as disposições sobre os parâmetros mínimos necessários para a elaboração anual da Circ. SUSEP 237, de 14.11.03 Parâmetros mínimos. Consolida as disposições sobre os parâmetros mínimos necessários para a elaboração anual da avaliação atuarial. A avaliação atuarial deverá ser elaborada,

Leia mais

Manual do Usuário Página : 1 DIOPS. Documento de Informações Periódicas das Operadoras de Plano de Assistência à Saúde Versão 2007

Manual do Usuário Página : 1 DIOPS. Documento de Informações Periódicas das Operadoras de Plano de Assistência à Saúde Versão 2007 Manual do Usuário Página : 1 DIOPS Documento de Informações Periódicas das Operadoras de Plano de Assistência à Saúde Versão 2007 Manual do Usuário Página : 2 ÍNDICE GERAL O quê é o DIOPS?... 3 Quadro

Leia mais

Câmara Técnica de Ajustes ao Patrimônio para fins de PMA e Margem de Solvência

Câmara Técnica de Ajustes ao Patrimônio para fins de PMA e Margem de Solvência Câmara Técnica de Ajustes ao Patrimônio para fins de PMA e Margem de Solvência Alteraçã ção o da IN DIOPE nº n 38, de 2009 Diretoria de Normas e Habilitaçã ção o de Operadoras Agência Nacional de Saúde

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011.

O FIOSAÚDE está adotando, no que aplica, as Leis nº 11.638/07 e nº 11.941/09 em suas demonstrações contábeis de 31 de dezembro de 2011. Notas explicativas às Demonstrações Contábeis do Exercício Findo em 31 de dezembro de. (Valores expressos em Reais) 1. Contexto Operacional A Caixa de Assistência Oswaldo Cruz FIOSAÚDE, pessoa jurídica

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 10, DE 2015

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 10, DE 2015 PROJETO DE LEI Nº 10, DE 2015 Altera o art. 2º do Decreto-Lei nº 2.296, de 21 de novembro de 1986, a alínea p do 9º do art. 28 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991 e o art. 63 da Medida Provisória nº

Leia mais

AS EMPRESAS SEGURADORAS E RESSEGURADORAS COMO INVESTIDORAS DO MERCADO DE CAPITAIS

AS EMPRESAS SEGURADORAS E RESSEGURADORAS COMO INVESTIDORAS DO MERCADO DE CAPITAIS AS EMPRESAS SEGURADORAS E RESSEGURADORAS COMO INVESTIDORAS DO MERCADO DE CAPITAIS HSM EXPO MANAGEMENT 2014 4 de novembro de 2014 Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação CNseg Agenda Representação

Leia mais

A Importância Estratégica da Protecção Social Complementar. Palestrante: Ivan Sant Ana Ernandes

A Importância Estratégica da Protecção Social Complementar. Palestrante: Ivan Sant Ana Ernandes A Importância Estratégica da Protecção Social Complementar Palestrante: Ivan Sant Ana Ernandes PREVIDÊNCIA SOCIAL COMPLEMENTAR Evitamos conversar sobre morte e dinheiro. A previdência cuida de ambos. Ivan

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N o 457, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012. Institui o Teste de Adequação de Passivos para fins de elaboração das demonstrações financeiras e define regras e

Leia mais

Safra Vida e Previdência S.A.

Safra Vida e Previdência S.A. Safra Vida e Previdência S.A. Demonstrações Contábeis Referentes aos Períodos Findos em 30 de Junho de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes ÍNDICE

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS ATUARIAIS

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS ATUARIAIS GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS ATUARIAIS A Abono Anual: Pagamento da 13ª (décima terceira) parcela anual do benefício de renda continuada. Abono de Natal: (v. Abono Anual). Administrador Especial: Pessoa

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar. Sumário Executivo. Nesta edição: Planos médico-hospitalares Informações gerais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar. Sumário Executivo. Nesta edição: Planos médico-hospitalares Informações gerais Junho 201 Sumário Executivo Nesta edição: Número de beneficiários de planos médicohospitalares (Mar/1): 48.802.991; Taxa de crescimento do número de beneficiários de planos médicos no período de: Dez/12

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [02.884.385/0001-22] ELETRA FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2000.0069-65] PLANO CELGPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável

Leia mais

SUSEP ANS. Regulatory Practice Insurance News. Comissão Consultiva CPC

SUSEP ANS. Regulatory Practice Insurance News. Comissão Consultiva CPC Regulatory Practice Insurance News Setembro/Outubro 2011 SUSEP Comissão Consultiva Portaria 4.225, de 05.10.2011 Constituição de Comissão Consultiva Constitui a Comissão Especial Consultiva dos Mercados

Leia mais

Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I)

Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I) Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I) Dispõe sobre os procedimentos contábeis das entidades fechadas de previdência complementar,

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.S.as o Relatório da Administração e as Demonstrações Financeiras da SUHAI Seguros S.A. relativas ao semestre findo em, apuradas

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS BÁSICOS PRELIMINARES SOBRE SEGUROS PARA O ÂMBITO DO MERCOSUL

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS BÁSICOS PRELIMINARES SOBRE SEGUROS PARA O ÂMBITO DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES.Nº 83/99 GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS BÁSICOS PRELIMINARES SOBRE SEGUROS PARA O ÂMBITO DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e a Recomendação Nº

Leia mais

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014.

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições legais e estatutárias, submetemos

Leia mais

2013 Março. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2013 Março. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2013 Março Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários,

Leia mais

BILHETEPREMIÁVEL. Capemisa Seguradora de Vida e Previdência S/A Versão Ago./14

BILHETEPREMIÁVEL. Capemisa Seguradora de Vida e Previdência S/A Versão Ago./14 BILHETEPREMIÁVEL Capemisa Seguradora de Vida e Previdência S/A Versão Ago./14 2 BILHETE PREMIÁVEL CAPEMISA MANUAL DO CLIENTE Bem-vindo à CAPEMISA. O Bilhete Premiável Capemisa é um Seguro de Acidentes

Leia mais

demonstração da Mutação do ativo Líquido

demonstração da Mutação do ativo Líquido Período: dezembro de 2010 R$ mil demonstração da Mutação do ativo Líquido Visão ATelecom Descrição 2010 A) Ativo Líquido - Início do Exercício 2.207 1. Adições 4.979 (+) Contribuições 4.727 (+) Resultado

Leia mais