SISMAMA. Sistema de Informação do Câncer de Mama. Coordenação Manual de Operação. Versão do produto: 1.0. Edição do documento: 1.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISMAMA. Sistema de Informação do Câncer de Mama. Coordenação Manual de Operação. Versão do produto: 1.0. Edição do documento: 1."

Transcrição

1 SISMAMA Sistema de Informação do Câncer de Mama Coordenação Manual de Operação Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 1.0 Outubro de 2008

2 SISMAMA Sistema de Informação do Câncer de Mama Coordenação Manual de Operação Versão do produto: 1.0 Edição do documento:1.0 Outubro de 2008 Número de páginas: 139 DATASUS Todos os direitos reservados Impresso no Brasil As informações contidas neste documento são de propriedade do DATASUS, sendo proibida a sua divulgação, reprodução ou armazenamento em base de dados ou sistema de recuperação sem permissão prévia e por escrito do DATASUS. Estão sujeitas a alterações sem notificação prévia. Os nomes de produtos, serviços ou tecnologias eventualmente mencionados neste documento são marcas registradas dos respectivos detentores. Fazer cópias de qualquer parte deste documento para qualquer finalidade, além do uso pessoal, constitui violação das leis internacionais de direitos autorais. MS/DATASUS/CTI Processo de Documentação de Sistemas PDOC Rua México, 128, Centro CEP Rio de Janeiro RJ Brasil ii

3 Histórico de edições O UTUBRO DE 2008 Edição 1.0, referente ao SISMAMA, versão 1.0. iii

4

5 Índice 1. I NTRODUÇÃO Benefícios Público alvo Definições e abreviaturas Convenções 4 2. R EQUISITOS PARA INSTALAÇÃO 2.1 Hardware 5 5 Configuração mínima 6 Configuração recomendável Conhecimentos básicos necessários 3. I NSTALAÇÃO Instalação 10 Instalando o SISMAMA 10 Configuração servidor 13 Liberar a restrição do firewall 13 Configuração cliente 16 O IP do servidor Configuração do tipo de instalação 4. P ROCEDIMENTOS PÓS - INSTALAÇÃO Iniciação do SISMAMA 21 Executar C ADASTRO Regional 25 Cadastrar 26 Pesquisar 27 Alterar 28 Vincular 29 Desvincular 30 Excluir 31 v

6 Índice 5.2 Seguimento Seguimento Incluir 33 Alterar 40 Dados da paciente 42 Histórico do seguimento 43 Excluir 46 Pesquisa 47 Nome 48 Município 49 Visualizar 49 Critério de inclusão 50 BI-RADS 51 Associação 52 Associar 52 Desassociar Sair R ELATÓRIO Pacientes (pesquisa) vi 62 Laudo 64 Pesquisa Prestador de serviço Profissional Unidade de saúde Pacientes Casos alterados Laudos Avaliação 81 Programa 81 Qualidade mamografia Controle profissional 85 Exame 86 BI-RADS 88

7 6.10 Seguimento 92 Situação de seguimento 95 Consolidado de dados Diagnóstico final 101 Tipo de mamografia 104 Indicação e BI-RADS 107 GERAIS Segurança 111 Copiar 111 Restaurar 114 Reorganizar Transferência Exportar dados Imprimir recibo da exportação Importar dados 120 Gerar base DBF 123 Seguimento/Descentralização A JUDA L ISTA 90 Busca ativa 6.11 Mamografia 7. R OTINAS Índice Sobre Ajuda 128 DE FIGURAS Figura 1. Cenários 9 Figura 2. Diretório do instalador 10 Figura 3. Programa de instalação do SISMAMA 11 Figura 4. Seleção de tarefas adicionais 11 Figura 5. Pronto para Instalar 12 Figura 6. Instalação concluída 13 Figura 7. Configurações Painel de Controle 14 Figura 8. Firewall do Windows Geral 15 Figura 9. Firewall do Windows Exceções 16 Figura 10. Tela ajuda Sobre 17 Figura 11. Informações do sistema 18 Ed. 1.0 Outubro de 2008, <SISMAMA> <1.0> vii

8 Índice viii Figura 12. Tipo de instalação 19 Figura 13. Execução do sistema 22 Figura 14. Tela principal 23 Figura 15. Tela cadastro Regional 26 Figura 16. Cadastro de regional 27 Figura 17. Pesquisa de regional 28 Figura 18. Seleção de município 30 Figura 19. Tela cadastro Seguimento 34 Figura 20. Cadastro de seguimento de mamografia 34 Figura 21. Novo histórico do seguimento 44 Figura 22. Alterar histórico do seguimento 45 Figura 23. Pesquisa de cadastro 48 Figura 24. Associação 55 Figura 25. Sair do sistema 59 Figura 26. Tela relatório Pacientes (pesquisa) 63 Figura 27. Pesquisa de paciente 63 Figura 28. Tipo de impressora 64 Figura 29. Laudo do exame 65 Figura 30. Informação da mulher 66 Figura 31. Tela relatório Prestador de serviço 67 Figura 32. Relatório da prestadora de serviço 67 Figura 33. Tela relatório Profissional 68 Figura 34. Relatório do profissional 69 Figura 35. Tela relatório Unidade de saúde 70 Figura 36. Relatório das unidades de saúde 70 Figura 37. Tela relatório Pacientes 71 Figura 38. Pacientes 72 Figura 39. Relatório de pacientes 74 Figura 40. Tela relatório Casos alterados 75 Figura 41. Casos alterados 76 Figura 42. Relatório de casos alterados 77 Figura 43. Tela relatório Laudos 78 Figura 44. Laudos 79 Figura 45. Relatório do laudo do exame 81 Figura 46. Tela Relatório Avaliação Programa 82 Figura 47. Avaliação do programa 82 Figura 48. Indicadores de avaliação do programa 83 Figura 49. Tela relatório Avaliação Qualidade da mamografia 84 Figura 50. Avaliação da qualidade da mamografia 84 Figura 51. Indicadores de avaliação da qualidade da mamografia 85 Figura 52. Tela relatório Controle profissional Exame 86 Figura 53. Exames por profissional 87 Figura 54. Relatório de exames por profissional 87 Figura 55. Tela relatório Controle profissional BI-RADS 88 Figura 56. Relação de BI-RADS por profissional 90

9 Figura 57. Tela relatório Seguimento 91 Figura Seguimento Figura 59. Busca ativa 92 Figura 60. Relatório de busca ativa 95 Figura 61. Situação de seguimento 96 Figura 62. Relatório de situação de seguimento 98 Figura 63. Consolidado de dados L ISTA Índice 99 Figura 64. Relatório consolidado de dados 100 Figura 65. Tela relatório Mamografia Diagnóstico final 101 Figura 66. Diagnóstico final 102 Figura 67. Relatório de diagnóstico final 103 Figura 68. Tela relatório Mamografia Tipo de mamografia 104 Figura 69. Tipo de mamografia 105 Figura 70. Tipo de mamografia 106 Figura 71. Relatório de tipo de mamografia 106 Figura 72. Tela relatório Mamografia Indicação e BI-RADS 107 Figura 73. Indicação e BI-RADS 108 Figura 74. Relatório de indicação e BI-RADS 109 Figura 75. Tela rotinas gerais Copiar base de dados 112 Figura 76. Escolha do diretório para cópia de dados 113 Figura 77. Tela rotinas gerais Segurança Restaurar base de dados 114 Figura 78. Escolha do diretório para restaurar dados 115 Figura 79. Tela rotinas gerais Segurança Reorganizar base de dados 116 Figura 80. Tela rotinas gerais Transferência Exportar dados 117 Figura 81. Escolha de competência para exportar 117 Figura 82. Escolha do recibo para impressão 118 Figura 83. Recibo dos dados exportados para impressão 120 Figura 84. Tela rotinas gerais Transferência Importar dados 121 Figura 85. Importação de dados 122 Figura 86. Tela rotinas gerais Transferência Gerar base DBF 123 Figura 87. Gerar base DBF 123 Figura 88. Tela rotinas gerais Seguimento Exportação (descentralização) 124 Figura 89. Exportação de seguimento 125 Figura 90. Tela ajuda Sobre 127 Figura 91. Informação do sistema 128 Figura 92. Tela ajuda 129 Figura 93. Manual de operação do Sismama Módulo coordenação 129 DE TABELAS Tabela 1. Definições e abreviaturas do manual 4 Tabela 2. Convenções deste manual 4 Tabela 3. Teste feito em uma base de dados 6 Tabela 4. Dados do paciente 37 Tabela 5. Dados da mamografia 38 Ed. 1.0 Outubro de 2008, <SISMAMA> <1.0> ix

10 Índice x Tabela 6. Dados da citopatologia 38 Tabela 7. Dados do histopatológico 39 Tabela 8. Campos com as opções da barra de ícones 62 Tabela 9. Relatório de pacientes 73 Tabela 10. Casos alterados 77 Tabela 11. Laudos 80 Tabela 12. BI-RADS 89 Tabela 13. Busca ativa 94 Tabela 14. Situação de seguimento 97 Tabela 15. Consolidado de dados 100 Tabela 16. Diagnóstico final 103 Tabela 17. Indicação e BI-RADS 109

11 1. I NTRODUÇÃO Os elevados índices de incidência e mortalidade por câncer de mama no Brasil justificam a implementação de ações nacionais voltadas para a prevenção e o controle do câncer (promoção, prevenção, diagnóstico, tratamento, reabilitação e cuidados paliativos), tendo como base as diretrizes da Política Nacional de Atenção Oncológica (GM 2439/05). Um dos principais instrumentos que auxiliam a consolidação das ações de um programa de controle de câncer é a utilização de um sistema informatizado para gerenciamento das informações oriundas das unidades de saúde, o qual deve ser atualizado constantemente. Assim, para atender ao aprimoramento do Sistema de Informação do Câncer de Mama (SISMAMA), o Departamento de Informática do SUS - DATASUS, em parceria com o INCA, desenvolveu a primeira versão do SISMAMA (1.0). 1.1 Benefícios A implantação do SISMAMA oferece inúmeros benefícios, tanto para as Coordenações, Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, quanto para os laboratórios da rede ambulatorial básica do SUS, dos quais podem-se destacar: Associação de seguimentos: mulheres que repetem exames podem ser acompanhadas em um único histórico. Padronização dos laudos mamográficos, para garantir a similaridade com o sistema BI-RADS, facilitando a comparação com publicações internacionais. Tabular dados por meio do aplicativo TabWin (Seguimento e Serviços). Controle do faturamento do EAS gerando as informações da produção para o Sistema de Informações Ambulatoriais do SUS (SIASUS). Cadastro de regional que possibilita um maior controle nas regionais e descentralização dos dados por regional. Disponibiliza informações gerenciais e administrativas para o planejamento, controle e avaliação da situação de saúde na área de abrangência ou de influência do município, estado ou região. 1

12 Introdução Fundamental para a conferência dos valores de exames pagos em relação aos dados dos exames apresentados. No mesmo prestador de serviços é possível digitar os dados em mais de um terminal ao mesmo tempo garantindo uma maior segurança na digitação em rede. Dentre as funções disponíveis no sistema, destacam-se: Cópia e restauração da base de dados. Maior segurança na digitação em rede (no mesmo prestador de serviços); geração do BPA e exportação dados ao mesmo tempo, minimizando a perda de dados. 1.2 Público alvo O SISMAMA é uma ferramenta de otimização do gerenciamento local direcionada às Coordenações Estaduais e Municipais de Saúde e aos laboratórios e serviços de mamografia. A figura a seguir ilustra com clareza as soluções que compõem o SISMAMA. 1.3 Definições e abreviaturas ABREVIATURAS 2 DEFINIÇÕES

13 Introdução SUS O Sistema Único de Saúde (SUS) é constituído pelo conjunto das ações e dos serviços de saúde sob gestão pública. Está organizado em redes regionalizadas e hierarquizadas e atua em todo o território nacional, com direção única em cada esfera de governo. DATASUS Departamento de Informática do SUS Responsabilidade de coletar, processar e disseminar informações sobre saúde. SMS Secretaria Municipal de Saúde É o órgão gestor do SUS, que tem como atribuições coordenar os serviços, ações e políticas de saúde na cidade. Estabelece ações integradas e intersetoriais com outros setores públicos e privados das esferas municipal, estadual e federal. EAS Estabelecimento de Atenção à Saúde É a nova nomenclatura para Unidade Básica de Saúde. Realiza a atenção básica e integral à saúde a uma população determinada, de forma programada ou não, nas quatro especialidades básicas (clínica médica, pediatria, ginecologia e obstetrícia), oferecendo assistência odontológica e de outros profissionais de nível superior, é permanente e prestada por médico generalista ou especialista nessas áreas. Cartão Nacional de Saúde Instrumento de vinculação dos procedimentos executados no âmbito do SUS ao usuário, ao profissional que os realizou e também à unidade de saúde onde foram realizados. 3

14 Introdução BI-RADS Breast Imaging and Reporting Data System Mammography. O objetivo do BI-RADS consiste na padronização dos laudos mamográficos levando em consideração a evolução diagnóstica e a recomendação da conduta. Há sete categorias: 0 Avaliação adicional com ultra-sonografia/1 Sem achados mamográficos/2 Achados mamográficos benignos/3 Achados mamográficos provavelmente benignos/ 4 Achados mamográficos suspeitos/5 Achados mamográficos altamente suspeitos/6 Achados mamográficos já biopsiados com diagnóstico de câncer. Firebird Banco de dados utilizado pelo SISMAMA. Tabela 1. Definições e abreviaturas do manual 1.4 Convenções CONVENÇÃO SIGNIFICADO Texto em Courier New Comandos de linha. No menu Consulta, clique em Ajuda Sobre. Elementos de interface do sistema (botões, menus) em negrito. NOTA Descrição de notas. Tabela 2. 4 Convenções deste manual

15 2. R EQUISITOS PARA INSTALAÇÃO O SISMAMA utiliza arquitetura de duas camadas (cliente e servidor) e foi desenvolvido em Delphi 7. A sua base local de dados é Firebird e a base nacional é Oracle. 2.1 Hardware Apresenta uma configuração compatível com as diferentes realidades encontradas no nosso país. A equipe do DATASUS realizou uma avaliação da configuração dos microcomputadores considerando o tamanho dos bancos trabalhados e o tempo necessário para realizar algumas operações do SISMAMA. Esse exemplo utilizou como base o processamento de uma base de dados contendo exames/mês. Teste feito em uma base de dados COMPUTADOR CPU 1 CPU 2 CPU 3 CPU 4 Processador Atlhon 2.6 Pentium 4 (3.2 Ghz) Alhon 64x2 Dual ( 2.21 Pentium 2 Ghz) Memória RAM 64 MB 128 MB 1 GB 1 GB Disco rígido 6 GB 40 GB 80 GB 80 GB 21 GB 37,5 GB 51,8 GB Espaço em disco 5,67 GB Sistema Operacional Windows 98 Windows XP Windows XP Windows XP 37 minutos 6 minutos e 5 4 minutos segundos TESTES FEITOS Tempo para backup 16 minutos 5

16 Requisitos para instalação Restauração de backup 55 minutos 42 minutos 9 minutos 6 minutos e 45 segundos Relatório consolidado 11 minutos 2 minutos 4 segundos 2 segundos Relatório de paciente pesquisa 15 minutos 8 minutos 3 minutos e 3 2 minutos segundos Tempo de importação 10 minutos 4 minutos e 9 segundos 1 minuto e 55 1 minuto e 35 segundos segundos Tempo de exportação 1 hora e 47 minutos 1 hora e 2 segundos 11 minutos e 32 segundos Tabela 3. NOTA 8 minutos e 56 segundos Teste feito em uma base de dados O SISMAMA pode ser executado num computador com a configuração inferior à configuração mínima, porém, isso compromete a velocidade do processamento do dados no estabelecimento. Configuração mínima Memória RAM: 64 MB. Capacidade livre de disco rígido: 6 GB ( manter 5,67 GB de espaço livre ). Processador: Pentium II (ou superior). Sistema Operacional: Windows 98 / 98ME / NT. Leitor/Gravador de CD ou DVD ( para fazer backup ). Drive de disquete. Impressora. No-break (desejável) para evitar danos ao banco no caso de queda de energia. Configuração recomendável 6 Memória RAM: 1 GB Capacidade livre de disco rígido : 80 GB ( manter 3 GB de espaço livre ).

17 Requisitos para instalação Processador: Athlon 64x2 dual (2.21 Ghz) Sistema Operacional: Windows 2000 / XP / 2003 Leitor/Gravador de CD ou DVD (para fazer Backup) Drive de disquete Impressora. No-break (desejável) para evitar danos ao banco no caso de queda de energia 2.2 Conhecimentos básicos necessários Para a compreensão e execução da tarefas descritas neste manual é necessário que o usuário Perfil de administrador do sistema e bancos de dados possua conhecimentos em: Sistema operacional: 1. Windows 2000/ XP Noções fundamentais de rede: 1. Compartilhamento de sistemas 7

18

19 3. I NSTALAÇÃO Para instalar o SISMAMA é necessário definir o cenário que será utilizado pela unidade gestora. Esse procedimento é fundamental para a configuração do sistema. A instalação pode ser feita das 4 esferas. São elas: Laboratórios e Serviços de Mamografia (Prestador de serviço) Coordenação municipal Coordenação regional Coordenação estadual O estabelecimento define o cenário do sistema no momento da instalação. Os laboratórios e Serviços de Mamografia exportam dados para as coordenações. O cenário está exemplificado na seguinte figura: Figura 1. Cenários A coordenação estadual consolida os dados das coordenações municipal e regional e os envia para o DATASUS. Estas informações são posteriormente 9

20 Instalação enviadas para a coordenação nacional que as consolida. 3.1 Instalação Instalando o SISMAMA Descreve como executar o arquivo de instalação. Procedimentos: 1. Abra a pasta onde se encontra o arquivo SetupMama.exe. Figura 2. Diretório do instalador 2. Dê um duplo-clique no arquivo SetupMama.exe. Surge a tela: 10

21 Instalação Figura 3. Programa de instalação do SISMAMA 3. Clique em Avançar. Figura 4. Seleção de tarefas adicionais 4. Selecione a instalação e, em seguida, clique em Avançar. NOTA Para a instalação do servidor de banco de dados, marque a opção Prestador de Serviço, Coordenações Servidor. Para que a estação faça 11

22 Instalação acesso ao banco de dados de uma outra máquina, marque a opção Prestador de Serviço, Coordenações Cliente. Figura 5. Pronto para Instalar 5. Clique em Instalar. Surge a tela: 6. Clique OK para instalar o banco de dados. 7. Clique em Yes para criar a pasta onde ficará localizado o banco de dados. Surge a tela: 12

23 Instalação Figura 6. Instalação concluída 8. Clique em Concluir. A instalação está concluída. Configuração servidor Descreve como configurar a estação na instalação Prestador de Serviço, Coordenações Servidor. A estação servidor gera BPA (Boletim de Produção Ambulatorial) e exporta dados. NOTA O sistema operacional Windows XP pode interferir na conexão com o Firebird. Por questões de segurança, é necessário que seja feita a liberação de uma porta no firewall. Liberar a restrição do firewall Procedimentos: 1. Clique em Iniciar Configurações Painel de controle. 13

24 Instalação Figura 7. Configurações Painel de Controle Surge a tela: 2. Dê um duplo-clique em Firewall do Windows. Surge a tela: 14

25 Instalação Figura 8. Firewall do Windows Geral 3. Clique na aba Exceções. Surge a tela: 15

26 Instalação 4. Clique em Adicionar Porta. Surge a tela: 5. Preencha Nome e Número da porta com a palavra Firebird e o número Clique em OK. O sistema retorna à tela Firewall do Windows Exceções. 7. Clique em OK. O sistema retorna à tela Painel de controle. 8. Clique no X para fechar a tela. O sistema retorna à área de trabalho do Windows (desktop). A porta de acesso ao Firebird está liberada no firewall. Configuração cliente Descreve como configurar a estação na instalação Prestador de Serviço, Coordenações Cliente. No primeiro acesso ao sistema, surge a tela de configuração do servidor de dados. Procedimentos: 1. Dê um duplo clique no arquivo SisCamFBMama.exe, através do ícone gerado na área de trabalho (desktop). Surge a tela: 16

27 Instalação 2. Digite o número do IP do servidor de dados e acrescente / Clique OK. Surge a tela: 4. Clique em OK para finalizar a configuração do cliente e reiniciar o sistema. O IP do servidor Descreve como visualizar o IP do servidor. Procedimentos: 1. Execute o SISMAMA na máquina-servidor. 2. Clique em Ajuda Sobre. Figura 10. Tela ajuda Sobre 17

28 Instalação Surge a tela: Figura 11. Informações do sistema NOTA O número destacado é o IP do servidor. 3. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela principal. Configuração do tipo de instalação Descreve como configurar um prestador de serviço, ou uma coordenação. No primeiro acesso ao sistema, surge a tela de configuração do tipo de instalação. Procedimentos: 1. Dê um duplo clique no arquivo SisCamFBMama.exe, através do ícone gerado na área de trabalho (desktop). Surge a tela: 18

29 Instalação Figura 12. Tipo de instalação 2. No quadro Tipo de Instalação, selecione as opções: CAMPOS DESCRIÇÃO Prestador de Serviço Principal Responsável por emitir o faturamento, gerar o BPA e fazer a exportação dos dados. Prestador de Serviço Máquina Auxiliar Responsável pela digitação nos laboratórios e serviços de mamografia que não possuem rede instalada. *A máquina auxiliar não gera BPA. Coordenação Municipal Responsável por receber a base de dados e enviar a coordenação regional e estadual. Coordenação Regional Responsável por receber e enviar a base de dados a coordenação estadual. Coordenação Estadual Coordenação responsável por enviar a base de dados para o DATASUS. 3. Selecione os outros campos: 19

30 Instalação CAMPOS DESCRIÇÃO Competência O ano e o mês da competência. Unidade de Federação A Unidade de Federação (estado) onde se encontra laboratório ou a coordenação. Município - IBGE Município onde se encontra laboratório ou a coordenação. * Este campo somente é habilitado após a seleção da opção Coordenação Municipal. Regional Regional onde se encontra laboratório ou a coordenação. * Este campo somente é habilitado após a seleção da opção Coordenação Regional. 4. Clique em Confirmar para concluir a configuração. O sistema retorna a tela principal. 20

31 4. P ROCEDIMENTOS PÓS - INSTALAÇÃO Descreve as configurações das tarefas administrativas do sistema. 4.1 Iniciação do SISMAMA A iniciação do SISMAMA consiste na seguintes ação: Executar Abertura do SISMAMA O diretório C:\datasus\SisMamaFB é gerado durante a instalação do SISMAMA, e contém os arquivos necessários para utilização do sistema. Executar Para executar o SISMAMA, clique no ícone na área de trabalho ou execute-o a partir do menu Iniciar Programas Siscam SisCamFBMama. 21

32 Procedimentos pós-instalação Figura 13. Execução do sistema Surge a tela: 22

33 Procedimentos pós-instalação Figura 14. Tela principal 23

34

35 5. C ADASTRO Descreve as diversas atividades de cadastro disponíveis. São elas: Regional Seguimento Sair Botões utilizados no cadastro BOTÕES DESCRIÇÃO Insere informações. Altera os dados. Exclui uma funcionalidade. Salva os dados digitados. Cancela a operação. Retorna à tela principal. Pesquisa as informações. * Na aba de cadastro é utilizado como atalho para a aba de pesquisa. 5.1 Regional Dados para identificação da regional. Esta funcionalidade disponibiliza as opções para: Cadastrar Pesquisar 25

36 Cadastro Alterar Excluir Cadastrar Cadastra a regional. Procedimentos: 1. Clique em Cadastro Regional. Figura 15. Tela cadastro Regional Surge a tela: 26

37 Cadastro Figura 16. Cadastro de regional 2. Clique em Novo, para habilitar os campos. NOTA Os campos em amarelo, são de preenchimento obrigatório. 3. Digite o código e o nome da regional 4. Clique em Salvar para gravar os dados. 5. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. Pesquisar Consulta as informações do cadastro da regional. Procedimentos: 1. Clique em Cadastro Regional. 2. Clique na aba Pesquisa de Regional. Surge a tela: 27

38 Cadastro Figura 17. Pesquisa de regional 3. Digite o nome da regional e, em seguida, clique em Pesquisar. Surge na lista, a regional em destaque: NOTA O exemplo ilustrado nesta seção utilizou como base a pesquisa por Nome da Regional. Entretanto, também é válido para Município. 4. Clique no X de fechar tela. O sistema retorna à tela principal. Alterar Altera a vinculação dos municípios. Nesta opção é possível: 28 Vincular Desvincular

39 Cadastro Vincular Vincula o município à regional. Procedimentos: NOTA Efetue os procedimentos de pesquisa de regional 1 ao 3, antes de passar para os procedimentos de alteração. 1. Dê um duplo-clique na regional. O sistema retorna à tela Cadastro de Regional. 2. Clique em.surge a tela : 29

40 Cadastro Figura 18. Seleção de município 3. Clique no município e, em seguida, clique em OK. O município aparece na listagem: 4. Clique em Salvar. 5. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. Desvincular Desvincula o município da regional. Procedimentos: NOTA 30 Efetue os procedimentos de pesquisa de regional

41 Cadastro 1 ao 3, antes de passar para os procedimentos de alteração. 1. Dê um duplo clique na regional. O sistema retorna à tela Cadastro de Regional, e surge a listagem: 2. Clique em Alterar e, em seguida, clique no município. 3. Clique em.surge a tela de confirmação. 4. Clique em Sim e, em seguida, clique em Salvar. 5. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. Excluir Exclui os registros das regionais que constam no sistema. 31

42 Cadastro Procedimentos: NOTA Efetue os procedimentos de pesquisa de regional 1 ao 3, antes de passar para os procedimentos de exclusão. 1. Dê um duplo clique na regional. Os dados são apresentados na tela: 2. Clique em Excluir. Surge tela de confirmação: 3. Clique em Sim. NOTA Quando uma regional é excluída, os municípios ligados a ela são automaticamente desvinculados. 4. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. 32

43 Cadastro 5.2 Seguimento Acompanhamento dos dados dos pacientes. NOTA Os pacientes com resultado de exame alterado serão automaticamente selecionados para o seguimento, quando forem importadas do prestador de serviço (serviços de mamografias ou laboratórios). Não há necessidade de nenhum procedimento adicional. Esta funcionalidade disponibiliza as opções para: Seguimento Pesquisa Associação Seguimento Acompanhamento dos dados importados dos prestadores de serviços, dos municípios ou das regionais. Incluir Alterar Excluir Incluir Esta opção permite a inclusão de mulheres que estão sendo tratadas na rede SUS, mas com resultado de exame de rastreamento (exame mamográfico ou citopatológico ou histopatológico) realizado na rede não credenciada ao SUS. NOTA Esta situação (inclusão)dever ser exceção, pois a maioria dos registros no seguimento deve vir a partir dos exames realizados no SUS. Procedimentos: 1. Clique em Cadastro Seguimento. 33

44 Cadastro Figura 19. Tela cadastro Seguimento Verifique se a tela está na aba Seguimento. Figura 20. Cadastro de seguimento de mamografia 34

45 Cadastro 2. Clique em Novo, para a digitação dos dados de identificação da mulher e para habilitar as abas mamografia, citopatologia e histopatológico. 3. Preencha os dados do paciente e do resultado do exame recebido: CAMPO DESCRIÇÃO Cartão SUS Número do cartão SUS do paciente. Nome Nome da paciente. Apelido da Mulher Nome pelo qual a paciente é conhecida. Mãe Nome da mãe da paciente Identidade Número completo do documento de identidade. Órgão Emissor Código do tipo de órgão expedidor do documento de identidade. 35

46 Cadastro 36 UF Unidade da Federação (UF) do município onde foi emitido o documento de identidade Para selecionar uma das opções, clique em. Nasc. Data de nascimento do paciente, no formato dd/mm/aaaaa. Idade Este campo é calculado e preenchido automaticamente pelo sistema, após o preenchimento do campo Data de Nascimento. Entretanto, é possível alterá-lo. CPF Número do CPF (Cadastro de pessoa física) da paciente. Endereço Nome do logradouro de residência da paciente. Núm. Número referente ao endereço de residência da paciente. Complemento Complemento do endereço da paciente. Bairro Nome do bairro referente ao endereço do paciente. UF Unidade Federativa do município de residência da paciente Para selecionar uma dessas opções, clique em. Município Nome do município de residência do paciente Para selecionar uma dessas opções, clique em. CEP Código de Endereçamento Postal referente ao endereço do paciente. Telefone Número do telefone da paciente. Ponto de referência Ponto de referência que facilite a chegada até o endereço da paciente, na visita do profissional de saúde.

47 Cadastro Data do exame Data em que foi realizado o exame. Data da digitação Data em que o exame foi digitado. * Preenchida automaticamente pelo sistema. Tabela 4. Dados do paciente Verifique se a tela está na aba Mamografia. 4. Preencha os dados da mamografia: NOTA Esta aba só deve ser preenchida, se houver resultado disponível de mamografia. CAMPO DESCRIÇÃO CNES Número no CNES do estabelecimento de saúde Para selecionar uma das opções, clique em. CNPJ Número do CNPJ do laboratório radiológico Para selecionar uma das opções, clique em. Localização da Mama Mama direita, esquerda ou ambas. Tipo de mamografia Mamografia diagnóstica ou mamografia de rastreamento. Número do exame Número do exame de mamografia. Mamografia diagnóstica Mama direita e/ou esquerda a Lesão palpável, b. Controle radiológico categoria 3 c. Lesão com diagnóstico de câncer d. Avaliação de resposta de QT neo-adjuvante. Para selecionar uma dessas opções, clique em. * Campo habilitado quando o tipo de mamografia selecionado for 37

48 Cadastro Mamografia diagnóstica. Categorias BI-RADS Tabela 5. Direita e/ou esquerda 01, 02, 03, 04, 05 ou 06. Dados da mamografia 5. Clique na aba Citopatologia. NOTA Esta aba só deve ser preenchida, se houver resultado disponível de citopatologia. 6. Preencha os dados da citopatologia: CAMPO DESCRIÇÃO CNES Código CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde) do prestador de serviço Para selecionar uma das opções, clique em. CNPJ Número do Cadastro Nacional Pessoa Jurídica do laboratório Para selecionar uma das opções, clique em. Localização Mama direita, mama esquerda ou ambas. Número do exame Número do exame de citopatologia. Punção aspirativa Resultado da PAAF Malignidade indeterminada, suspeito para malignidade ou positivo para malignidade. Descarga papilar Resultado da citologia da descarga papilar Padrão citológico de malignidade indeterminada, positivo para malignidade ou consistente com lesão papilar. Tabela Dados da citopatologia

49 Cadastro 7. Clique na aba Histopatológico. NOTA Esta aba só deve ser preenchida, se houver resultado disponível de histopatológico. 8. Preencha os dados do histopatológico: CAMPO DESCRIÇÃO CNES Código CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde) do prestador de serviço Para selecionar uma das opções, clique em. CNPJ Número do Cadastro Nacional Pessoa Jurídica do laboratório Para selecionar uma das opções, clique em. Localização Localização primária do tumor Mama direita ou mama esquerda. Número do exame Número do exame de histopatologia. Lesão de caráter benigno Tipo de lesão benigna Para selecionar uma das opções, clique em. Lesão de caráter maligno Tipo de lesão maligna Para selecionar uma das opções, clique em. Tabela 7. Dados do histopatológico 9. Clique em Salvar. Surge os dados no Histórico de seguimento: 39

50 Cadastro 10. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. Alterar Altera os dados das pacientes. Nesta opção é possível a alteração: Dados pessoais da paciente (somente para os casos que foram digitados na coordenação). Histórico do seguimento. Procedimentos: 1. Clique em Cadastro Seguimento. 2. Clique na aba Pesquisa. 3. Digite o nome da paciente e, em seguida, clique em Pesquisar. Surge o registro na lista: 40

51 NOTA Cadastro Os pacientes em vermelho na Pesquisa foram digitados diretamente no seguimento. Os pacientes em azul vieram do laboratório ou serviços de mamografia (exames alterados). 4. Dê um duplo-clique no registro da paciente. Os dados da paciente, são apresentados na tela: 41

52 Cadastro Dados da paciente Procedimentos: 1. No quadro Dados Paciente, clique em alterar e, em seguida, altere os dados. 2. Selecione a aba a ser alterada e, em seguida, altere os dados. 42

53 Cadastro NOTA Só é possível alterar ou excluir um paciente ou histórico de paciente, quando foi a própria coordenação que os incluiu diretamente no cadastro de seguimento (não veio do laboratório) e ainda não foi exportado. EX.: A Coordenação Municipal cadastrou um novo paciente, a partir do momento que o município gere a exportação para uma das coordenações (Regional ou Estadual) o registro não pode mais ser alterado. 3. Clique em Salvar e, em seguida, em Sair. O sistema retorna à tela principal. Histórico do seguimento Esta funcionalidade disponibiliza as opções para: Incluir Alterar Excluir Incluir: 1. No quadro Histórico do seguimento, clique em Novo. 43

54 Cadastro Surge a tela: Figura 21. Novo histórico do seguimento 2. Clique na aba relativa ao procedimento a ser incluído e, em seguida, preencha os campos. 3. Clique em Salvar e, em seguida, em Sair. O sistema retorna à tela principal. Alterar 1. No quadro Histórico do seguimento, clique em Alterar e, em seguida, dê um duplo-clique no exame. 44

55 Cadastro Surge a tela: Figura 22. Alterar histórico do seguimento 2. Altere os dados. 3. Clique em Salvar e, em seguida, em Sair. O sistema retorna à tela principal. Excluir 1. No quadro Histórico do seguimento, selecione o exame e clique em Excluir. 45

56 Cadastro Surge a tela de confirmação: 2. Clique em Sim e, em seguida, Sair. O sistema retorna à tela principal. Excluir Exclui o seguimento. Procedimentos: 1. Clique em Cadastro Seguimento. 2. Clique na aba Pesquisa. 3. Digite o nome da paciente e, em seguida, clique em Pesquisar. Surge o registro na lista: 4. Dê um duplo-clique no registro da paciente. Os dados da paciente, são 46

57 Cadastro apresentados na tela: 5. Clique em Excluir. Surge a tela de confirmação: NOTA Só é possível excluir o exame da paciente que não possui registros associados. 6. Clique em Sim. O sistema retorna à tela Cadastro de seguimento de mamografia. 7. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. Pesquisa Consulta das informações dos pacientes. Há vários modos de pesquisar: Nome Município Visualizar 47

58 Cadastro 1. Todos os registros 2. Sem informação 3. Não localizada 4. Em seguimento 5. Seguimento concluído 6. Recusa/Abandono Critérios de inclusão BI-RADS Procedimentos: 1. Clique em Cadastro Seguimento. 2. Clique na aba Pesquisa. Surge a tela: Figura 23. Pesquisa de cadastro Nome Procedimentos: 48

59 Cadastro 1. Digite o nome da paciente e, em seguida, clique em Pesquisar. Surge o registro na lista: Município Procedimentos: 1. Clique em para selecionar o nome do município e, em seguida, clique em Pesquisar. Surge a listagem: Visualizar Procedimentos: 49

60 Cadastro 1. No quadro Visualizar, selecione Todos os registros e, em seguida, clique em Pesquisar. Surge a listagem: NOTA O exemplo ilustrado nesta seção utilizou como base a pesquisa por Todos os registros. Entretanto, também é válido para todos os demais. Critério de inclusão NOTA É possível selecionar mais de um critério de inclusão. Procedimentos: 1. No quadro Critério de Inclusão, selecione Mamografia de rastreamento e, em seguida, clique em Pesquisar. Surge os registros na lista: 50

61 NOTA Cadastro O exemplo ilustrado nesta seção utilizou como base a pesquisa por Mamografia de rastreamento. Entretanto, também é válido para todos os demais. BI-RADS NOTA É possível selecionar mais de uma categoria de BIRADS. Procedimentos: 1. No quadro BI-RADS, selecione a numeração, relativa as categorias e, em seguida, clique em Pesquisar. Surge os registros na lista: 51

62 Cadastro 2. Clique no X de fechar tela. O sistema retorna à tela principal. Associação Associa os registros dos diversos exames realizados por uma mesma paciente. Nesta opção é possível: Associar Desassociar Botões utilizados na associação BOTÕES DESCRIÇÃO Associa diversos registros de exames, de uma mesma paciente. Desassocia um registro de exame. Associar Associa um registro de exame a outro, pertencentes à mesma paciente. 52

63 Cadastro Procedimentos: 1. Clique em Cadastro Seguimento. 2. Clique na aba Pesquisa. Surge a tela: 3. Digite o nome da paciente e, em seguida, clique em Pesquisar. Surge os registros na lista: 4. Dê um duplo-clique no registro da paciente. Os dados da paciente, são apresentados na tela: 53

64 Cadastro 5. Clique na aba Associação. NOTA o ícone é utilizado para localizar uma paciente no banco de dados. Para isso, basta clicar no ícone e digitar o nome da paciente na tela e, em seguida, clicar OK. O sistema lista o registro da paciente na lista. 54

65 Cadastro Figura 24. Associação NOTA Na listagem Relação de pacientes que podem ser associadas com a paciente acima:,alguns registros aparecem em destaque (cor). Onde: COR DESCRIÇÃO (Vermelho) Informa que o seguimento já está associado ao seguimento pesquisado. (Cinza) Informa que o seguimento está associado a um outro seguimento. NOTA Compare os dados para verificar se são possivelmente registros de exames de uma mesma mulher (endereço, data de nascimento, nome da mãe). 6. Dê um duplo-clique no nome da paciente, para habilitar o ícone Associar. 55

66 Cadastro 7. Clique em Associar. Surge a tela de confirmação: 8. Clique em Sim. O nome da paciente associada fica em destaque (vermelho). 9. Clique no X de fechar tela. O sistema retorna à tela principal. Desassociar Desassocia um registro de exame que está associado a outro. Procedimentos: 1. Clique em Cadastro Seguimento. 2. Clique na aba Pesquisa. 3. Digite o nome da paciente e, em seguida, clique em Pesquisar. Surge o registro na lista: 56

67 Cadastro 4. Dê um duplo-clique no registro da paciente. Os dados da paciente, são apresentados na tela: 5. Clique na aba Associação. Surge a tela: 57

68 Cadastro 6. Dê um duplo-clique no nome da paciente, para habilitar o ícone Desassociar. 7. Clique em Desassociar. Surge a tela de confirmação: 8. Clique em Sim, o nome da paciente desassociada perde o destaque (vermelho). 9. Clique no X de fechar tela. O sistema retorna à tela principal. 5.3 Sair Interrompe o acesso ao sistema. Procedimentos: 1. Clique em Cadastro Sair. 58

69 Cadastro Figura 25. Sair do sistema O sistema é finalizado. 59

70

71 6. R ELATÓRIO Descreve as diversas opções de relatórios disponíveis no sistema, a partir das informações coletadas nos laboratórios. As opções de relatórios são: Pacientes (pesquisa) Prestador de serviço Profissional Unidade de saúde Pacientes Casos alterados Laudos Avaliação Controle profissional Seguimento Mamografia Botões utilizados no relatório CAMPO DESCRIÇÃO Visualizar página inteira. Visualizar página com o zoom em 100%. Aumentar largura da página. Visualizar a primeira página do relatório. 61

72 Relatório Visualizar a página anterior do relatório pesquisado. Visualizar a página posterior do relatório pesquisado. Visualizar a última página do relatório. Configurar a página onde será impresso o relatório. Imprimir o relatório. Salvar o relatório. Abrir outros relatórios. Fechar o relatório. Tabela 8. Campos com as opções da barra de ícones 6.1 Pacientes (pesquisa) Relatório de informações dos pacientes. Pode-se imprimir por: Laudo Pesquisa Procedimentos: 1. Clique em Relatório Pacientes (Pesquisa). 62

73 Relatório Figura 26. Tela relatório Pacientes (pesquisa) Surge a tela: Figura 27. Pesquisa de paciente 2. Digite o nome do paciente e clique em Pesquisar. Os dados do paciente são apresentados na tela. 63

74 Relatório NOTA O exemplo ilustrado nesta seção utilizou como base a pesquisa por Paciente. Entretanto, também é válido para Exame. Laudo Procedimentos: 1. Clique em Imprimir Laudo. Surge a tela de seleção: Figura 28. Tipo de impressora 2. Selecione o tipo de impressora. 3. Clique em Relatório. Surge o relatório: 64

75 Relatório Figura 29. Laudo do exame 4. Clique em Imprimir. 5. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Pesquisa de paciente. 6. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. Pesquisa Procedimentos: 1. Clique em Imprimir Pesquisa. Surge a tela de seleção: 65

76 Relatório 2. Selecione o tipo de impressora. 3. Clique em Relatório. Surge o relatório: Figura 30. Informação da mulher 4. Clique em Imprimir. 5. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Pesquisa de paciente. 6. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. 6.2 Prestador de serviço Relatório de informações do prestador. Procedimentos: 1. Clique em Relatório Prestador de Serviço. 66

77 Relatório Figura 31. Tela relatório Prestador de serviço Surge o relatório: Figura 32. Relatório da prestadora de serviço 2. Clique em Imprimir. 3. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela principal. 67

78 Relatório 6.3 Profissional Relatório de informações do profissional. Procedimentos: 1. Clique em Relatório Profissional. Figura 33. Tela relatório Profissional Surge o relatório: 68

79 Relatório Figura 34. Relatório do profissional 2. Clique em Imprimir. 3. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela principal. 6.4 Unidade de saúde Listagem das unidade de saúde que realizam a coleta e estão cadastradas no sistema. Procedimentos: 1. Clique em Relatório Unidade de Saúde. 69

80 Relatório Figura 35. Tela relatório Unidade de saúde Surge o relatório: Figura 36. Relatório das unidades de saúde 2. Clique em Imprimir. 3. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela principal. 70

81 Relatório 6.5 Pacientes Relatórios de informações dos exames realizados nos laboratórios, agrupadas de acordo com as seleções feitas através de filtros. Procedimentos: 1. Clique em Relatório Pacientes. Figura 37. Tela relatório Pacientes Surge a tela: 71

82 Relatório Figura 38. Pacientes 2. Preencha os campos: 72

83 Relatório CAMPO DESCRIÇÃO Exame No quadro Exame, seleção que indica o tipo de exame: citopatológico, histopatológico ou mamografia. Tipo de resultado No quadro Tipo de resultado, seleção que indica o resultado do exame: diagnóstico, biópsia, insatisfatório/rejeitados ou todos. Tipo No quadro Tipo, seleção por prestador, por unidade de saúde, por município de residência ou todos. CNPJ do Prestador Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do prestador Para selecionar uma das opções, clique em. * Campo habilitado quando a marcação no quadro Tipo for Por prestador. Unidade de Saúde Estabelecimento de saúde onde foi realizado o exame do paciente Para selecionar uma das opções, clique em. * Campo habilitado quando a marcação no quadro Tipo for Por Unid. de Saúde. Município de Residência Cidade onde reside o paciente Para selecionar uma das opções, clique em. * Campo habilitado quando a marcação no quadro Tipo for Por Município de Residência. Período Tabela 9. Período inicial e final no formato dd/ m/aaaa Para selecionar o período, clique em. Relatório de pacientes 73

84 Relatório NOTA Esta tela funciona com filtros. Os exemplos ilustrados nesta seção utilizaram como base os filtros: exame Mamografia, tipo de resultado Todos, tipo Todos, acrescido do período de pesquisa. Entretanto, são válidos para todos os demais. 3. Clique em Relatório. Surge o relatório: Figura 39. Relatório de pacientes 4. Clique em Imprimir. 5. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Pacientes. 6. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. 6.6 Casos alterados Relatórios de informações dos casos alterados, agrupadas de acordo com as 74

85 Relatório seleções feitas através de filtros. Procedimentos: 1. Clique em Relatório Casos Alterados. Figura 40. Tela relatório Casos alterados Surge a tela: 75

86 Relatório Figura 41. Casos alterados NOTA Esta tela funciona com filtros. Os exemplos ilustrados nesta seção utilizaram como base os filtros: exame Histopatológico, tipo Todos, acrescido do período de pesquisa. Entretanto, são válidos para todos os demais. 2. Preencha os campos: 76 CAMPO DESCRIÇÃO Exame No quadro Exame, seleção que indica o tipo de exame: citopatológico, histopatológico ou mamografia. Tipo No quadro Tipo, seleção feita por prestador, por município de residência ou todos. CNPJ do Prestador Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do prestador Para selecionar um CNPJ, clique em..

87 Relatório * Campo habilitado quando a marcação no quadro Tipo for Por prestador. Município de residência Cidade onde reside o paciente Para selecionar uma das opções, clique em. * Campo habilitado quando a marcação no quadro Tipo for Município de Residência. Período Tabela 10. Período inicial e final no formato dd/ m/aaaa Para selecionar o período, clique em. Casos alterados 3. Clique em Relatório. Surge o relatório: Figura 42. Relatório de casos alterados 4. Clique em Imprimir. 5. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Casos alterados. 6. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. 77

88 Relatório 6.7 Laudos Relatórios de informações dos laudos, agrupadas de acordo com as seleções feitas através de filtros. Procedimentos: 1. Clique em Relatório Laudos. Figura 43. Tela relatório Laudos Surge a tela: 78

89 Relatório Figura 44. Laudos 2. Preencha os campos: CAMPO DESCRIÇÃO Exame No quadro Exame, seleção que indica o tipo de exame: citopatológico, histopatológico ou mamografia. CNPJ Prestador Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do prestador Para selecionar um CNPJ, clique em. Laudos No quadro Laudos, seleção dos exames por intervalo de data, a partir do último exame ou exame igual a. Exame igual a: Número do exame do paciente Para selecionar o exame, clique em. * Campo obrigatório quando a marcação no quadro Laudos for A partir do Último Exame. 79

90 Relatório Período Período inicial e final no formato dd/ m/aaaa Para selecionar o período, clique em. * Campo habilitado quando a marcação no quadro Laudos for Por Intervalo de Data. Tabela 11. NOTA Laudos Esta tela funciona com filtros. Os exemplos ilustrados nesta seção utilizaram como base os filtros: para exame Citopatológico, o laudo Por intervalo de data, acrescido do período de pesquisa. Entretanto, são válidos para todos os demais. 3. Clique em Relatório. Surge a tela de seleção: 4. Selecione o tipo de impressora. 5. Clique em Relatório. Surge o relatório: 80

91 Relatório Figura 45. Relatório do laudo do exame 6. Clique em Imprimir. 7. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Laudos. 8. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. 6.8 Avaliação Relatórios de informações da avaliação, agrupadas de acordo com as seleções feitas através de filtros. As opções são: Programa Qualidade mamografia Programa Relatório avaliativo do programa. Procedimentos: 1. Clique em Relatório Avaliação Programa. 81

92 Relatório Figura 46. Tela Relatório Avaliação Programa Surge a tela: Figura 47. Avaliação do programa 2. No quadro Tipo selecione Por Estado e, em seguida, clique em selecionar o estado. NOTA 82 para Esta tela funciona com filtros. Os exemplos ilustrados nesta seção utilizaram como base o filtro: Por Estado. Entretanto também é válido para Por Regional e Por Município

93 3. No quadro População estimada pelo IBGE, clique em o ano. Relatório para selecionar 4. Selecione o período inicial e final no formato dd/mm/aaaa. 5. Clique em Relatório. Surge o relatório: Figura 48. Indicadores de avaliação do programa 6. Clique em Imprimir. 7. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Avaliação do programa. 8. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. 83

94 Relatório Qualidade mamografia Relatório avaliativo da qualidade da mamografia. Procedimentos: 1. Clique em Relatório Avaliação Qualidade Mamografia. Figura 49. Tela relatório Avaliação Qualidade da mamografia Surge a tela: Figura 50. Avaliação da qualidade da mamografia 84

95 Relatório 2. No quadro Tipo selecione Por Estado e, em seguida, clique em selecionar o estado. NOTA para Esta tela funciona com filtros. Os exemplos ilustrados nesta seção utilizaram como base o filtro: Por Estado. Entretanto também é válido para Por Regional e Por Município 3. Selecione o período inicial e final no formato dd/mm/aaaa. 4. Clique em Relatório. Surge o relatório: Figura 51. Indicadores de avaliação da qualidade da mamografia 5. Clique em Imprimir. 6. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Avaliação da qualidade da mamografia. 7. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. 6.9 Controle profissional Relatórios de informações do controle profissional, agrupadas de acordo com as seleções feitas através de filtros. As opções são: Exame BI-RADS 85

96 Relatório Exame Relatório de exames agrupados por profissional. Procedimentos: 1. Clique em Relatório Controle Profissional Exame. Figura 52. Tela relatório Controle profissional Exame Surge a tela: 86

97 Relatório Figura 53. Exames por profissional 2. Selecione o período inicial e final, no formato dd/mm/aaaa. 3. Clique em Relatório. Surge o relatório: Figura 54. Relatório de exames por profissional 4. Clique em Imprimir. 5. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Exames por profissional. 6. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. 87

98 Relatório BI-RADS Relatório BI-RADS agrupados por profissional. Procedimentos: 1. Clique em Relatório Controle Profissional BI-RADS. Figura 55. Tela relatório Controle profissional BI-RADS Surge a tela: 88

99 Tabela 12. Relatório BI-RADS 2. Selecione o período inicial e final, no formato dd/mm/aaaa. 3. Clique em Relatório. Surge o relatório: 89

100 Relatório Figura 56. Relação de BI-RADS por profissional 4. Clique em Imprimir. 5. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela BI-RADS. 6. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal Seguimento Relatórios de informações do seguimento, agrupadas de acordo com as seleções feitas através de filtros. As opções são: 90 Busca ativa

101 Relatório Situação de seguimento Consolidado de dados Procedimentos: 1. Clique em Relatório Seguimento. Figura 57. Tela relatório Seguimento Surge a tela: Figura 58. Seguimento 91

102 Relatório Busca ativa Este relatório deve ser enviado pelos estados e municípios às unidades de saúde, para que essas informem a situação atual da mulher listada. Procedimentos: 1. No quadro Opções de Relatórios, selecione o campo Busca Ativa. O quadro é habilitado. Figura 59. Busca ativa 2. Preencha os campos: 92 CAMPO DESCRIÇÃO Período Período inicial e final no formato dd/ m/aaaa. Relatório por Seguimento pelo município da paciente, seguimento pelo município da unidade de saúde ou seguimento pela unidade de saúde.

103 Seguimento pelo município da paciente Relatório Lista as mulheres filtrando pelo município de residência da mulher Para selecionar o município, clique em. * Campo de seleção de município habilitado, quando a marcação no quadro Relatório por for Seguimento pelo município. Seguimento pelo município da Unidade de Saúde Lista as mulheres filtrando pelo município da Unidade de Saúde Para selecionar o município, clique em. Campo de seleção de município habilitado quando a marcação no quadro Relatório por for Seguimento pelo município da Unidade de Saúde. Seguimento pela Unidade de Saúde. Lista as mulheres filtrando por Unidade de Saúde Para selecionar o EAS, clique em. Campo de seleção de EAS habilitado quando a marcação no quadro Relatório por for Seguimento pela Unidade de Saúde. Critério de Inclusão Mamografia de rastreamento, mamografia de diagnóstica, citopatológico ou histopatológico. BI-RADS 0 Incompleto/1 Negativa/2 Achados benigno/3 Achado provavelmente benigno/ 4 Anormalidade suspeita/5 Altamente sugestiva de malignidade/ 6 Biopsia conhecida. Histórico do seguimento Marcação que determina que o relatório será a partir do último seguimento de mamografia com BIRADS 0,4 e 5. 93

104 Relatório Tipo de Impressão Uma mulher por folha. * Seleção automática do sistema. Tipo de Relatórios Tabela 13. NOTA Mulher em seguimento, mas sem informação no período ou mulheres sem seguimento/informação Busca ativa Esta tela funciona com filtros. Os exemplos ilustrados nesta seção utilizaram como base os filtros: Mulher sem seguimento/informação acrescido do período inicial e final. Entretanto, são válidos para Mulher em seguimento, mas sem informação no período. 3. Clique em Relatório. Surge o relatório: 94

105 Relatório Figura 60. Relatório de busca ativa 4. Clique em Imprimir. 5. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Seguimento. 6. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. Situação de seguimento Este relatório deve ser enviado pelos estados e municípios às unidades de 95

106 Relatório saúde, para que essas informem a situação atual da mulher listada. Procedimentos: 1. No quadro Opções de Relatórios, selecione o campo Situação de seguimento. O quadro é habilitado. Figura 61. Situação de seguimento 2. Preencha os campos: 96 CAMPO DESCRIÇÃO Período Período inicial e final no formato dd/ m/aaaa. Relatório por Seguimento pelo município da paciente, seguimento pelo município da unidade de saúde ou seguimento pela unidade de saúde. Seguimento pelo município da paciente Lista as mulheres filtrando pelo município de residência da mulher Para selecionar o município, clique em.

107 Relatório * Campo de seleção de município habilitado, quando a marcação no quadro Relatório por for Seguimento pelo município. Seguimento pelo município da Unidade de Saúde Lista as mulheres filtrando pelo município da Unidade de Saúde Para selecionar o município, clique em. Campo de seleção de município habilitado quando a marcação no quadro Relatório por for Seguimento pelo município da Unidade de Saúde. Seguimento pela Unidade de Saúde. Lista as mulheres filtrando por Unidade de Saúde Para selecionar o EAS, clique em. Campo de seleção de EAS habilitado quando a marcação no quadro Relatório por for Seguimento pela Unidade de Saúde. Critério de Inclusão Mamografia de rastreamento, mamografia diagnóstica, citopatológico ou histopatológico. BI-RADS 0 Incompleto/1 Negativa/2 Achados benigno/3 Achado provavelmente benigno/ 4 Anormalidade suspeita/5 Altamente sugestiva de malignidade/ 6 Biopsia conhecida. Histórico do seguimento Marcação que determina que o relatório será a partir do último seguimento de mamografia com BIRADS 0,4 e 5. Tipo de Relatórios Mulher em seguimento, mas sem informação no período; sem seguimento; seguimento concluído ou recusa/abandono. Tabela 14. Situação de seguimento 97

108 Relatório NOTA Esta tela funciona com filtros. Os exemplos ilustrados nesta seção utilizaram como base os filtros: Mulher em seguimento, mas sem informação no período, acrescido do período inicial e final. Entretanto, são válidos para todos os demais. 3. Clique em Relatório. Surge o relatório: Figura 62. Relatório de situação de seguimento 4. Clique em Imprimir. 5. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Seguimento. 6. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. Consolidado de dados Agrupa os procedimentos do seguimento em um mesmo grupo, de forma a obter um só documento de síntese. Procedimentos: 1. No quadro Opções de Relatórios, selecione o campo Consolidado de Dados. 98

109 Relatório Figura 63. Consolidado de dados 2. Preencha os campos: CAMPO DESCRIÇÃO Período Período inicial e final no formato dd/ m/aaaa. Relatório por Seguimento pelo município da paciente. * Seleção automática do sistema. Seguimento pelo município Lista as mulheres filtrando pelo município de residência da mulher Para selecionar o município, clique em. Critério de Inclusão Mamografia de rastreamento, mamografia diagnóstica, citopatológico ou histopatológico. BI-RADS 0 Incompleto/1 Negativa/2 Achados benigno/3 Achado provavelmente benigno/ 4 Anormalidade suspeita/5 Altamente sugestiva de malignidade/ 6 Biopsia conhecida. 99

110 Relatório Histórico do seguimento Tabela 15. NOTA Marcação que determina que o relatório será a partir do último seguimento de mamografia com BIRADS 0,4 e 5. Consolidado de dados Não havendo nenhuma seleção, o sistema lista todos os dados. 3. Clique em Relatório. Surge o relatório: Figura 64. Relatório consolidado de dados 4. Clique em Imprimir. 5. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Seguimento. 6. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal Mamografia Relatórios de informações da mamografia, agrupadas de acordo com as seleções feitas através de filtros. As opções são: 100 Diagnóstico final Tipo de mamografia Indicação de BI-RADS

111 Relatório Diagnóstico final Relatórios de informações do diagnóstico final da mamografia, agrupadas de acordo com as seleções feitas através de filtros. Procedimentos: 1. Clique em Relatório Mamografia Diagnóstico Final. Figura 65. Tela relatório Mamografia Diagnóstico final Surge a tela: 101

112 Relatório Figura 66. Diagnóstico final 2. Preencha os campos: CAMPO DESCRIÇÃO Exame No quadro Exame, seleção que indica o tipo de exame: mamografia. * Seleção automática do sistema. Tipo de resultado No quadro Tipo de resultado, seleção que indica o resultado do exame: diagnóstico. * Seleção automática do sistema. 102 Tipo No quadro Tipo, seleção feita por prestador, por unidade de saúde ou por município de residência. CNPJ do Prestador Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do prestador.

113 Relatório * Campo habilitado quando a marcação no quadro Tipo for Por prestador. Unidade de Saúde Estabelecimento de saúde onde foi realizado o exame do paciente. * Campo habilitado quando a marcação no quadro Tipo for Por Unid. de Saúde. Município de Residência Cidade onde reside o paciente. * Campo habilitado quando a marcação no quadro Tipo for Por Município de Residência. Período Tabela 16. Período inicial e final no formato dd/ m/aaaa Para selecionar o período, clique em. Diagnóstico final 3. Clique em Relatório. Surge o relatório: Figura 67. Relatório de diagnóstico final 4. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Diagnóstico final. 5. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. 103

114 Relatório Tipo de mamografia Relatórios de informações do tipo de mamografia, agrupadas de acordo com as seleções feitas através de filtros. Procedimentos: 1. Clique em Relatório Mamografia Tipo de Mamografia. Figura 68. Tela relatório Mamografia Tipo de mamografia Surge a tela: 104

115 Relatório Figura 69. Tipo de mamografia 2. Preencha os campos: CAMPO DESCRIÇÃO Exame No quadro Exame, seleção que indica o tipo de exame: mamografia. * Seleção automática do sistema. Tipo de resultado No quadro Tipo de resultado, seleção que indica o resultado do exame: diagnóstico. * Seleção automática do sistema. Tipo No quadro Tipo, seleção feita por unidade de saúde ou por município de residência. Unidade de Saúde Estabelecimento de saúde onde foi realizado o exame do paciente. * Campo habilitado quando a marcação no quadro Tipo for Por 105

116 Relatório Unid. de Saúde. Município de Residência Cidade onde reside o paciente. * Campo habilitado quando a marcação no quadro Tipo for Por Município de Residência. Período Período inicial e final no formato dd/ m/aaaa Para selecionar o período, clique em. Figura 70. Tipo de mamografia 3. Clique em Relatório. Surge o relatório: Figura 71. Relatório de tipo de mamografia 4. Clique em Imprimir. 5. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Tipo de mamografia. 6. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. 106

117 Relatório Indicação e BI-RADS Relatórios de informações da indicação e BI-RADS, agrupadas de acordo com as seleções feitas através de filtros. Procedimentos: 1. Clique em Relatório Mamografia Indicação e BI-RADS. Figura 72. Tela relatório Mamografia Indicação e BI-RADS Surge a tela: 107

118 Relatório Figura 73. Indicação e BI-RADS 2. Preencha os campos: CAMPO DESCRIÇÃO Exame No quadro Exame, seleção que indica o tipo de exame: mamografia. * Seleção automática do sistema. Tipo de resultado No quadro Tipo de resultado, seleção que indica o resultado do exame : diagnóstico. * Seleção automática do sistema. Tipo No quadro Tipo, seleção feita por município de residência. * Seleção automática do sistema. Município de Residência 108 Cidade onde reside o paciente Para selecionar uma das opções, clique em.

119 Relatório Período Tabela 17. Período inicial e final no formato dd/ m/aaaa Para selecionar o período, clique em. Indicação e BI-RADS 3. Clique em Relatório. Surge o relatório: Figura 74. Relatório de indicação e BI-RADS 4. Clique em Imprimir. 5. Clique em Fechar. O sistema retorna à tela Indicação e BI-RADS. 6. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. 109

120

121 7. R OTINAS GERAIS Descreve as diversas atividades de rotinas gerais: Segurança Transferência 7.1 Segurança Descreve as diversas atividades de segurança do sistema: Copiar Restaurar Reorganizar Copiar A cópia de segurança (backup) deve ser feita com freqüência, para a recuperação das informações em caso de perda dos dados. O sistema apresenta a opção de gravação do arquivo no disco fixo na pasta C:\datasus\SisMamaFB\backup. Entretanto, é possível salvar o backup em disquete ou gravarem CD ROOM. NOTA Caso o backup seja feito em disquete, é aconselhável que se utilize um disquete (ou grupo de disquete, dependendo do tamanho do backup) para cada dia da semana e um disquete (ou grupo de disquete, dependendo do tamanho do backup) para o backup mensal. Desta forma, no último dia do mês é feito um backup com as informações do mês que termina; se for necessário Restaurar Backup, basta restaurar o último backup do mês realizado na hora de gerar o BPA, pois este backup tem todas as informações dos backup s anteriores. Coloque etiquetas nos disquetes com a seguinte identificação: 111

122 Rotinas gerais Procedimentos: 1. Clique em Rotinas Gerais Segurança Copiar Base de Dados. Figura 75. Tela rotinas gerais Copiar base de dados Surge a tela: 112

123 Rotinas gerais Figura 76. Escolha do diretório para cópia de dados Verifique se o arquivo e o diretório estão corretos. 2. Clique em Salvar. Surge a mensagem: 3. Clique em OK. O sistema retorna à tela principal. NOTA É gerado um arquivo nomeado no formato BKPAAAAMMDDHHmm.zip, onde: CAMPO DESCRIÇÃO AAAA Ano MM Mês DD Dia HH Hora 113

124 Rotinas gerais mm Minuto (Em que foi gerado o backup. ) Restaurar Caso haja qualquer problema na base de dados do sistema, é necessário restaurar a última cópia de segurança efetuada para recuperar os dados perdidos. Os dados digitados após o último backup terão que ser redigitados, pois não há como recuperá-los. Procedimentos: 1. Clique em Rotinas Gerais Segurança Restaurar Base de Dados. Figura 77. Tela rotinas gerais Segurança Restaurar base de dados Surge a tela: 114

125 Rotinas gerais Figura 78. Escolha do diretório para restaurar dados 2. Selecione o arquivo 3. Clique em Abrir. Surge a mensagem: 4. Clique em OK. O sistema retorna à tela principal. Reorganizar A reorganização de dados do Sismama é necessária para corrigir eventuais problemas nas estruturas físicas do seu banco de dados. É importante fazer a reorganização após restaurar backup e após importação de dados. Procedimentos: 1. Clique em Rotinas Gerais Segurança Reorganizar Base de Dados. 115

126 Rotinas gerais Figura 79. Tela rotinas gerais Segurança Reorganizar base de dados Surge a mensagem: 2. Clique em OK. O sistema retorna à tela principal. 7.2 Transferência Descreve as diversas atividades de transferência do sistema: Exportar dados Importar dados Gerar base DBF Seguimento Exportar dados Após a geração do BPA é necessário exportar os dados dos exames citopatológicos e histopatológicos digitados. 116

127 Rotinas gerais Procedimentos: 1. Clique em Rotinas Gerais Transferência Exportar Dados. Figura 80. Tela rotinas gerais Transferência Exportar dados Surge a tela: Figura 81. Escolha de competência para exportar 2. Selecione a competência e o destino do arquivo. 3. Clique em Exportar. Surge a tela de confirmação: 117

128 Rotinas gerais 4. Clique em OK. O sistema retorna à tela Escolha de competência para exportar. Imprimir recibo da exportação Procedimentos: 1. Na tela Escolha de competência para exportar, clique em Imprimir Recibo. Surge a tela: Figura 82. Escolha do recibo para impressão 2. Dê um duplo clique no diretório. Surge o arquivo do recibo: 118

129 Rotinas gerais 3. Selecione o recibo e, em seguida, clique em Abrir. Surge a tela: 119

130 Rotinas gerais Figura 83. Recibo dos dados exportados para impressão 4. Dê <Ctrl+P> para imprimir o recibo. Após a impressão, o sistema retorna à tela Recibo dos dados exportados para impressão. 5. Clique no Arquivo Sair. O sistema retorna à tela Escolha de competência para exportar. 6. Clique em Sair. O sistema retorna à tela principal. Importar dados A importação é utilizada para se fazer a transferência de dados entre as diversas unidades do SUS. A importação é feita seguindo a seguinte hierarquia: 120

131 Rotinas gerais UNIDADE IMPORTA DE: Coordenação Nacional Coordenação Estadual. Coordenação Estadual Coordenação Municipal/Regional ou Prestador Coordenação Regional Coordenação Municipal ou Prestador de Serviço. Coordenação Municipal Laboratório/Serviço Mamografia Procedimentos: 1. Clique em Rotinas Gerais Transferência Importar Dados. Figura 84. Tela rotinas gerais Transferência Importar dados Surge a tela: 121

132 Rotinas gerais Figura 85. Importação de dados NOTA A opção diretório importa todos os arquivos do diretório, não sendo necessário selecionar algum arquivo para importação. A opção arquivo importa apenas o arquivo selecionado; se houver vários, é necessário selecioná-los individualmente. 2. Clique em Importar. Surge a mensagem: 3. Clique em OK. Surge o relatório: 4. Clique em Arquivo Sair. O sistema retorna à tela principal. 122

CIH01. Comunicação de Internação Hospitar. Manual de Instalação e Administração. Versão do produto: 4.0.1.1. Edição do documento: 1.

CIH01. Comunicação de Internação Hospitar. Manual de Instalação e Administração. Versão do produto: 4.0.1.1. Edição do documento: 1. CIH01 Comunicação de Internação Hospitar Manual de Instalação e Administração Versão do produto: 4.0.1.1 Edição do documento: 1.0 Agosto de 2008 MS - SE - DATASUS CIH01 Comunicação de Internação Hospitar

Leia mais

CADSUS. Simplificado Multiplataforma Manual de Instalação e Administração. Versão do produto: 1.0. Edição do documento: 1.

CADSUS. Simplificado Multiplataforma Manual de Instalação e Administração. Versão do produto: 1.0. Edição do documento: 1. CADSUS Simplificado Multiplataforma Manual de Instalação e Administração Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 1.0 Maio de 2008 CADSUS Simplificado Multiplataforma Manual de Instalação e Administração

Leia mais

SCNES. Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Manual de Instalação e Administração. Versão do produto: 2.2.73

SCNES. Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Manual de Instalação e Administração. Versão do produto: 2.2.73 SCNES Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde Manual de Instalação e Administração Versão do produto: 2.2.73 Edição do documento: 3.0 Fevereiro de 2009 SCNES Sistema de Cadastro Nacional

Leia mais

CIH01. Comunicação de Internação Hospitalar. Manual de Operação. Versão do produto: 4.0.1.1. Edição do documento: 1.0 Agosto de 2008 MS - SE - DATASUS

CIH01. Comunicação de Internação Hospitalar. Manual de Operação. Versão do produto: 4.0.1.1. Edição do documento: 1.0 Agosto de 2008 MS - SE - DATASUS CIH01 Comunicação de Internação Hospitalar Manual de Operação Versão do produto: 4.0.1.1 Edição do documento: 1.0 Agosto de 2008 CIH01 Comunicação de Internação Hospitalar Manual de Operação Versão do

Leia mais

CNRAC. Médico Regulador do Hospital Consultor Manual de Operação. Versão do produto: 1.0. Edição do documento: 1.0 Setembro de 2008 MS - SE - DATASUS

CNRAC. Médico Regulador do Hospital Consultor Manual de Operação. Versão do produto: 1.0. Edição do documento: 1.0 Setembro de 2008 MS - SE - DATASUS CNRAC Médico Regulador do Hospital Consultor Manual de Operação Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 1.0 Setembro de 2008 CNRAC Médico Regulador do Hospital Consultor Manual de Operação Versão do

Leia mais

Sinan Net. Manual de Operação. Versão do produto: 5.0. Edição do documento: 1.0 Outubro de 2014. Série A. Normas e Manuais Técnicos.

Sinan Net. Manual de Operação. Versão do produto: 5.0. Edição do documento: 1.0 Outubro de 2014. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Sinan Net Manual de Operação Versão do produto: 5.0 Edição do documento: 1.0 Outubro de 2014 Série A. Normas e Manuais Técnicos MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria Executiva Departamento de Informática do SUS

Leia mais

CIHA. CIHA 01 e CIHA 02. Manual de Instalação

CIHA. CIHA 01 e CIHA 02. Manual de Instalação CIHA CIHA 01 e CIHA 02 Manual de Instalação Versão do produto: CIHA 01 1.0.4.3 e CIHA 02 1.0.4.4 Edição do documento: 1.1 Abril de 2015 Série A. Normas e Manuais Técnicos MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

CADSUS. Simplificado Multiplataforma Manual de Operação. Índice. Versão do produto: 1.0. Edição do documento: 1.0 Maio de 2008 MS - SE - DATASUS

CADSUS. Simplificado Multiplataforma Manual de Operação. Índice. Versão do produto: 1.0. Edição do documento: 1.0 Maio de 2008 MS - SE - DATASUS Índice CADSUS Simplificado Multiplataforma Manual de Operação Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 1.0 Maio de 2008 i Índice CADSUS Simplificado Multiplataforma Manual de Operação Versão do produto:

Leia mais

SINAN Online. Manual de Operação. Versão do produto: 2.3. Edição do documento: 1.0 Junho de 2011. Série A. Normas e Manuais Técnicos

SINAN Online. Manual de Operação. Versão do produto: 2.3. Edição do documento: 1.0 Junho de 2011. Série A. Normas e Manuais Técnicos SINAN Online Manual de Operação Versão do produto: 2.3 Edição do documento: 1.0 Junho de 2011 Série A. Normas e Manuais Técnicos MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria Executiva Departamento de Informática do

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. - INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário MANUAL DO USUÁRIO 2 ÍNDICE 1. PRÉ REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SIGEP WEB 04 2. PROCEDIMENTOS PARA DOWNLOAD DO SISTEMA 04 3. INSTALANDO O SIGEP WEB 07 4. CONFIGURAÇÕES DO SISTEMA 09 COMPARTILHANDO O BANCO

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Grifon Alerta. Manual do Usuário

Grifon Alerta. Manual do Usuário Grifon Alerta Manual do Usuário Sumário Sobre a Grifon Brasil... 4 Recortes eletrônicos... 4 Grifon Alerta Cliente... 4 Visão Geral... 4 Instalação... 5 Pré-requisitos... 5 Passo a passo para a instalação...

Leia mais

SCNES - Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde

SCNES - Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde Ministério da Saúde Secretária Executiva Departamento de Informática do SUS SCNES - Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde Manual de Operação Versão 1.0 M 01 Rio de Janeiro 2006 GARANTIAS

Leia mais

Manual Captura S_Line

Manual Captura S_Line Sumário 1. Introdução... 2 2. Configuração Inicial... 2 2.1. Requisitos... 2 2.2. Downloads... 2 2.3. Instalação/Abrir... 3 3. Sistema... 4 3.1. Abrir Usuário... 4 3.2. Nova Senha... 4 3.3. Propriedades

Leia mais

Somente revendas podem utilizar o SIAFRO?

Somente revendas podem utilizar o SIAFRO? SIAFRO.0 Introdução Tela de Instalação O SIAFRO é um programa (software) fornecido pela IDARON para ser utilizado nas revendas de agrotóxicos. Um dos principais objetivos do SIAFRO é tornar o controle

Leia mais

Manual de Operação SISRCA. Módulo Captação do Atendimento

Manual de Operação SISRCA. Módulo Captação do Atendimento Manual de Operação SISRCA Módulo Captação do Atendimento Versão Alfa 1.9 04-04-2013 SUMÁRIO GLOSSÁRIO... 3 1. APRESENTAÇÃO... 4 1.1. INFORMAÇÕES RELEVANTES... 4 2. VISÃO GERAL DO SISTEMA... 5 3. INSTALANDO

Leia mais

SIAFRO Módulo de Devolução 1.0

SIAFRO Módulo de Devolução 1.0 Conteúdo do Manual. Introdução. Capítulo Requisitos. Capítulo Instalação 4. Capítulo Configuração 5. Capítulo 4 Cadastro de Devolução 6. Capítulo 5 Relatório 7. Capítulo 6 Backup 8. Capítulo 7 Atualização

Leia mais

Manual de Instalação ProJuris8

Manual de Instalação ProJuris8 Manual de Instalação ProJuris8 Sumário 1 - Requisitos para a Instalação... 3 2 - Instalação do Firebird.... 4 3 - Instalação do Aplicativo ProJuris 8.... 8 4 - Conexão com o banco de dados.... 12 5 - Ativação

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO 2.1. COMPARTILHANDO O DIRETÓRIO DO APLICATIVO 3. INTERFACE DO APLICATIVO 3.1. ÁREA DO MENU 3.1.2. APLICANDO A CHAVE DE LICENÇA AO APLICATIVO 3.1.3 EFETUANDO

Leia mais

Como funciona? SUMÁRIO

Como funciona? SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Benefícios e Vantagens... 2 3. Como utilizar?... 2 3.1. Criar Chave / Senha de Usuário... 2 3.2. Recursos da Barra Superior... 2 3.2.1. Opções... 3 3.2.1.1. Mover Para...

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA Apresentação Este sistema faz parte do Portal NFS Digital e tem o intuito de ser utilizado por emissores de Nota Fiscal de Serviços

Leia mais

Sistema de Informação de Nascidos Vivos. Ajuda do sistema Agosto/2009 Versão 2.1

Sistema de Informação de Nascidos Vivos. Ajuda do sistema Agosto/2009 Versão 2.1 Sistema de Informação de Nascidos Vivos Agosto/2009 Versão 2.1 Conteúdo Sistema de Informação de Nascidos Vivos... 1 1 - Acesso ao sistema... 4 2 - Configuração da data do sistema... 5 3 - Barra de ferramentas...

Leia mais

Manual de PRODUÇÃO ONLINE. Autorização e Faturamento

Manual de PRODUÇÃO ONLINE. Autorização e Faturamento Manual de PRODUÇÃO ONLINE 2 APRESENTAÇÃO A Unimed-Rio desenvolveu seu sistema de Produção Online, criado para facilitar a rotina de atendimento de seus médicos cooperados. Este sistema é composto por dois

Leia mais

SISMAMA. Informação para o avanço das ações de controle do câncer de mama no Brasil. Qual a situação do câncer de mama no Brasil? O que é o SISMAMA?

SISMAMA. Informação para o avanço das ações de controle do câncer de mama no Brasil. Qual a situação do câncer de mama no Brasil? O que é o SISMAMA? SISMAMA Informação para o avanço das ações de controle do câncer de mama no Brasil Este informe apresenta os primeiros dados do SISMAMA - Sistema de Informação do Câncer de Mama, implantado nacionalmente

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13 1-13 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

SGIF. Sistema de Gestão de Informações Financeiras do SUS Manual de Instalação e Administração. Versão do produto: 2.0.1

SGIF. Sistema de Gestão de Informações Financeiras do SUS Manual de Instalação e Administração. Versão do produto: 2.0.1 SGIF Sistema de Gestão de Informações Financeiras do SUS Manual de Instalação e Administração Versão do produto: 2.0.1 Edição do documento: 2.0 Setembro de 2008 SGIF Sistema de Gestão de Informações Financeiras

Leia mais

Instalando software MÉDICO Online no servidor

Instalando software MÉDICO Online no servidor Instalando software MÉDICO Online no servidor A máquina denominada Servidora é a que armazenará o banco de dados do software (arquivo responsável pelas informações inseridas), compartilhando com as demais

Leia mais

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO Diretoria de Vigilância Epidemiológica/SES/SC 2006 1 Módulo 04 - Exportação e Importação de Dados Manual do SINASC Módulo Exportador Importador Introdução O Sistema SINASC

Leia mais

SGIF. Sistema de Gestão de Informações Financeiras. Manual de Instalação e Administração. Versão do produto: 2.03

SGIF. Sistema de Gestão de Informações Financeiras. Manual de Instalação e Administração. Versão do produto: 2.03 SGIF Sistema de Gestão de Informações Financeiras Manual de Instalação e Administração Versão do produto: 2.03 Edição do documento: 3.0 Novembro de 2008 SGIF Sistema de Gestão de Informações Financeiras

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

Este documento consiste em 48 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Janeiro de 2010.

Este documento consiste em 48 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Janeiro de 2010. Manual de Configuração Este documento consiste em 48 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Janeiro de 2010. Impresso no Brasil. Sujeito a alterações técnicas. A reprodução

Leia mais

Guia do Usuário. idocsscan v.2.1.14

Guia do Usuário. idocsscan v.2.1.14 Guia do Usuário idocsscan v.2.1.14 2013 BBPaper_Ds - 2 - Sumário Introdução... 5 Instalação... 7 Inicializando a aplicação... 12 Barras de acesso e informações... 13 Teclas de atalho... 14 Barra de Ferramentas...

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Versão 1.0 Julho/2012 ÍNDICE 1 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO... 4 1.1 Equipamento e Sistemas Operacionais 4 1.1.1

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com. Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.br 1-15 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior,

Leia mais

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 1 Sumário 1 - Instalação Normal do Despachante Express... 3 2 - Instalação do Despachante Express em Rede... 5 3 - Registrando o Despachante Express...

Leia mais

Sistema de Informação de Agravos de Notificação Sinan Net. Manual do Site Sinan Net

Sistema de Informação de Agravos de Notificação Sinan Net. Manual do Site Sinan Net Sistema de Informação de Agravos de Notificação Sinan Net Manual do Site Sinan Net Fevereiro 2010 José Gomes Temporão Ministro de Estado da Saúde Márcia Bassit Secretário Executivo Gerson de Oliveira Penna

Leia mais

SISTEMA DE PRODUTOS E SERVIÇOS CERTIFICADOS. MÓDULO DO CERTIFICADOR MANUAL DE OPERAÇÃO Versão 2.4.6

SISTEMA DE PRODUTOS E SERVIÇOS CERTIFICADOS. MÓDULO DO CERTIFICADOR MANUAL DE OPERAÇÃO Versão 2.4.6 SISTEMA DE PRODUTOS E SERVIÇOS CERTIFICADOS Versão 2.4.6 Sumário Fluxograma básico do processo de envio de remessa... 5 Criar novo certificado... 6 Aprovar certificado... 16 Preparar e enviar remessa...

Leia mais

e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica

e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica Página1 e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é Nota Fiscal de Serviço eletrônica

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico

e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico Página1 e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é MDF-e?... 03 2. Safeweb e-nota MDF-e... 04 3. Acesso e-nota

Leia mais

Sistema de Instalação e Criação da Estrutura do Banco de Dados MANUAL DO INSTALADOR. Julho/2007. Ministério da saúde

Sistema de Instalação e Criação da Estrutura do Banco de Dados MANUAL DO INSTALADOR. Julho/2007. Ministério da saúde Sistema de Instalação e Criação da Estrutura do Banco de Dados MANUAL DO INSTALADOR Julho/2007 Ministério da saúde SUMÁRIO Módulo 1. Instalação... 4 Introdução... 4 Configurações de equipamentos para instalação

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA MANUAL INTERNET ÍNDICE Sistema Integrado de Administração da Receita 1 INTRODUÇÃO GERAL... 4 2 INTRODUÇÃO AO... 4 2.1 OBJETIVOS... 4 2.2 BENEFÍCIOS... 4 2.3

Leia mais

MANUAL DE USO FACGTO AUTORIZADOR ONLINE DE ODONTOLOGIA

MANUAL DE USO FACGTO AUTORIZADOR ONLINE DE ODONTOLOGIA MANUAL DE USO FACGTO AUTORIZADOR ONLINE DE ODONTOLOGIA 1 Acessar o endereço www.unafiscosaude.org.br, no menu Credenciados>Prestadores odontológicos>se deseja acessar o Sistema Facgto clique aqui. 1.2

Leia mais

CPqD Gestão Pública. Gestão Escolar Guia de treinamento. Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010

CPqD Gestão Pública. Gestão Escolar Guia de treinamento. Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010 CPqD Gestão Pública Gestão Escolar Guia de treinamento Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010 CPqD Gestão Pública Gestão Escolar Guia de treinamento Versão do produto: 4.0.0 Edição

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Índice 1 Introdução...2 2 Acesso ao Sistema...3 3 Funcionamento Básico do Sistema...3 4 Tela Principal...4 4.1 Menu Atendimento...4 4.2 Menu Cadastros...5 4.2.1 Cadastro de Médicos...5

Leia mais

SI-AIU SISTEMA DE APURAÇÂO DE IMUNOBIOLÓGICOS UTILIZADOS

SI-AIU SISTEMA DE APURAÇÂO DE IMUNOBIOLÓGICOS UTILIZADOS MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO GERAL DO PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES MS / - Departamento de Informática do SUS SIPPS - Equipe

Leia mais

SCIM 1.0. Guia Rápido. Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal. Introdução

SCIM 1.0. Guia Rápido. Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal. Introdução SCIM 1.0 Guia Rápido Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal Introdução Nesta Edição O sistema de Controle Interno administra o questionário que será usado no chek-list

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SIGEP WEB

MANUAL DO USUÁRIO SIGEP WEB MANUAL DO USUÁRIO SIGEP WEB Sumário PRÉ- REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SIGEP WEB... 4 PROCEDIMENTOS PARA DOWNLOAD DO SISTEMA... 4 INSTALANDO O SIGEP WEB... 6 INICIANDO O SISTEMA... 6 INICIANDO O SISTEMA...

Leia mais

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 jfinanças Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 Índice 1 INTRODUÇÃO E VISÃO GERAL... 1 2 INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INICIAL DO JFINANÇAS PESSOAL... 2 2.1 Download... 3 2.2 Instalação do jfinanças Pessoal...

Leia mais

VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL

VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL Ministério da Saúde Secretaria Executiva Área de Informação e Informática do SUS Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO

Leia mais

Manual de instalação Priority HIPATH 1100 versão 7.0

Manual de instalação Priority HIPATH 1100 versão 7.0 Manual de instalação Priority HIPATH 1100 versão 7.0 2014 Innova Soluções Tecnológicas Este documento contém 28 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Novembro de 2014. Impresso

Leia mais

9. EXECUTANDO OPERAÇÕES NO MENU UTILITÁRIOS...2

9. EXECUTANDO OPERAÇÕES NO MENU UTILITÁRIOS...2 1 9. EXECUTANDO OPERAÇÕES NO MENU UTILITÁRIOS...2 9.1 Cópia de Segurança (Backup)...2 9.1.a Adicionar ou Remover Empresas da Lista... 2 9.1.b Empresas Cadastradas no Sistema... 2 9.1.c Inserir uma Empresa...

Leia mais

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br 2013 inux Sistemas Ltda. s MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br Sumário 1 Introdução... 2 2 Visão Geral do Sistema... 2 3 Tela de Configuração... 3 4 Tela de Mensagens... 5 5 Tela de Importação... 8 6 Tela

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Sala 131 CEP 70.058-900 sinan@saude.gov.

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Sala 131 CEP 70.058-900 sinan@saude.gov. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Sala 131 CEP 70.058-900 sinan@saude.gov.br NOTA TÉCNICA N.º 01/2010 GT-SINAN/CIEVS/DEVEP/SVS/MS

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 2014 Manual Laboratório ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 Sumário Acesso ao Sistema... 2 Menu Cadastros... 4 Cadastro de usuários... 4 Inclusão de Novo Usuário... 5 Alteração de usuários...

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

FAQ PERGUNTAS FREQUENTES

FAQ PERGUNTAS FREQUENTES FAQ PERGUNTAS FREQUENTES 1 SUMÁRIO SUMÁRIO...2 1.Quais são as características do Programa?...4 2.Quais são os pré-requisitos para instalação do Sigep Web?...4 3.Como obter o aplicativo para instalação?...4

Leia mais

Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL Versão 1.0.7 Manual do Usuário

Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL Versão 1.0.7 Manual do Usuário Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Informática do SUS DATASUS Gerenciador de Ambiente Laboratorial GAL Versão 1.0.7 Página 1 de 70 Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL Usuário

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS DE COMO FATURAR PROCEDIMENTOS DE TFD

ORIENTAÇÕES BÁSICAS DE COMO FATURAR PROCEDIMENTOS DE TFD ORIENTAÇÕES BÁSICAS DE COMO FATURAR PROCEDIMENTOS DE TFD Os procedimentos de Tratamento Fora do Domicilio são registrados no sistema de BPA Boletim de Produção Ambulatorial, de forma Individualizada, conforme

Leia mais

Requisitos do Sistema

Requisitos do Sistema PJ8D - 017 ProJuris 8 Desktop Requisitos do Sistema PJ8D - 017 P á g i n a 1 Sumario Sumario... 1 Capítulo I - Introdução... 2 1.1 - Objetivo... 2 1.2 - Quem deve ler esse documento... 2 Capítulo II -

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

1998-2013 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2013 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Versão 8.0A-01 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas

Leia mais

COMO INSTALAR O CATÁLOGO

COMO INSTALAR O CATÁLOGO Este guia tem por finalidade detalhar as etapas de instalação do catálogo e assume que o arquivo de instalação já foi baixado de nosso site. Caso não tenho sido feita a etapa anterior favor consultar o

Leia mais

Manual do AP_Conta. Manual do AP_Conta. Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS

Manual do AP_Conta. Manual do AP_Conta. Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS 2014 Manual do AP_Conta Aplicativo para digitação e envio de contas médicas no padrão TISS 0 Sumário 1. Sobre esse manual... 3 2. Habilitando e Configurando o AP_Conta... 4 3. Habilitação e Licenciamento...

Leia mais

Manual de Instalação ( Client / Server ) Versão 1.0

Manual de Instalação ( Client / Server ) Versão 1.0 1 pág. PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DO SGCOM ATENÇÃO: É OBRIGATÓRIO UMA CONEXÃO COM A INTERNET PARA EXECUTAR A INSTALAÇÃO DO SGCOM. Após o Download do instalador do SGCOM versão Server e Client no site www.sgcom.inf.br

Leia mais

Manual de Implantação do Sistema de Administração de Patrimônio SIAP

Manual de Implantação do Sistema de Administração de Patrimônio SIAP MANUAL DO USUÁRIO 2 GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA JAQUES VAGNER SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO MANOEL VITÓRIO DA SILVA FILHO SUPERINTENDÊNCIA DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS MARIA ÂNGELA SANTOS SILVA FONSECA 3 REALIZAÇÃO

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

Duvidas XDental 2015

Duvidas XDental 2015 Duvidas XDental 2015 Criação da requisição 1.Após aprovar um orçamento com alguma especialidade de prótese, clique em relató rios clínicos para criar uma requisição. Secione a especialidade de prótese

Leia mais

SI-PNI/SI-EAPV SISTEMA DE INFORMAÇÕES DO PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES EVENTOS ADVERSOS PÓS-VACINAÇÃO

SI-PNI/SI-EAPV SISTEMA DE INFORMAÇÕES DO PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES EVENTOS ADVERSOS PÓS-VACINAÇÃO SI-PNI/SI-EAPV SISTEMA DE INFORMAÇÕES DO PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES EVENTOS ADVERSOS PÓS-VACINAÇÃO MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO DO SISTEMA: 2.0 VERSÃO DO MANUAL: 2.0 Rio de Janeiro, 2003. 1 2003. Ministério

Leia mais

Treinamento GVcollege Módulo Administrador de Programas e Sistemas

Treinamento GVcollege Módulo Administrador de Programas e Sistemas Treinamento GVcollege Módulo Administrador de Programas e Sistemas AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

MANUAL CFTV DIGITAL - LINHA LIGHT 16 CANAIS 120 FPS / VID 120-LI CONFIGURAÇÃO DO COMPUTADOR 16 Canais - 120 FPS Processador Dual Core 2.0GHZ ou superior; Placa Mãe Intel ou Gigabyte com chipset Intel;

Leia mais

Manual de instalação da TDI 3 PANASONIC TDE/NCP e NS1000

Manual de instalação da TDI 3 PANASONIC TDE/NCP e NS1000 Manual de instalação da TDI 3 PANASONIC TDE/NCP e NS1000 2013 Innova Soluções Tecnológicas Este documento contém 18 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Dezembro de 2013.

Leia mais

SIAI Despesa de Pessoal (DP) MANUAL DE INSTALAÇÃO Versão 1.0

SIAI Despesa de Pessoal (DP) MANUAL DE INSTALAÇÃO Versão 1.0 MANUAL DE INSTALAÇÃO Versão 1.0 Natal, Maio de 2013 Sumário 1. O que é o SIAI DP... 3 2. Requisitos mínimos de instalação... 4 2. Como instalar o SIAI DP Módulo Coleta... 4 3. Acessando o SIAI DP... 8

Leia mais

Procedimentos para Instalação e Utilização do PEP Programa automatizado de apoio à Elaboração de Projetos

Procedimentos para Instalação e Utilização do PEP Programa automatizado de apoio à Elaboração de Projetos MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria-Executiva Unidade de Coordenação de Programas Esplanada dos Ministérios Bl. P 4º Andar Salas 409/410 CEP 70.048-900 Brasília DF Tel: (61) 3412.2492 email: ucp@fazenda.gov.br

Leia mais

LASERTECK SOFTECK MANUAL DO USUÁRIO

LASERTECK SOFTECK MANUAL DO USUÁRIO LASERTECK SOFTECK MANUAL DO USUÁRIO 2013 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 REQUISITOS DO SISTEMA... 3 3 INSTALAÇÃO... 3 4 COMO COMEÇAR... 3 5 FORMULÁRIOS DE CADASTRO... 4 6 CADASTRO DE VEÍCULO... 6 7 ALINHAMENTO...

Leia mais

LIBERAÇÃO DA PASTA ARQUIVOS DE PROGRAMA

LIBERAÇÃO DA PASTA ARQUIVOS DE PROGRAMA LIBERAÇÃO DA PASTA ARQUIVOS DE PROGRAMA Antes de fazer a instalação em rede é correto executar no servidor: a) Instalação do Firebird. b) Instalação do Sistema Gerencial GG4 c) Habilitação do sistema.

Leia mais

Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado da Fazenda

Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado da Fazenda Manual do Usuário Sistema Notapará Programa Nota Fiscal Cidadã Objetivo: Estabelecer orientações aos usuários do sistema Notapará, tais como: usabilidade, funcionalidade e navegabilidade. Manual do Usuário

Leia mais

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Versão 8.1A-13 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas

Leia mais

Objetivo do Sistema Organizar e aprimorar o atendimento à seus clientes. Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual

Objetivo do Sistema Organizar e aprimorar o atendimento à seus clientes. Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual Índice Objetivo do Sistema Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual Módulo Básico Instalando o Gestão Abertura e tela de Senha Configuração de aparência Mudando o fundo da área de trabalho

Leia mais

Manual de Faturamento por BPA-I

Manual de Faturamento por BPA-I MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE DST, AIDS E HEPATITES VIRAIS SISCEL Sistema de Controle de Exames Laboratoriais de CD4+/CD8+ e Carga Viral Abril/2012 ÍNDICE 1. CADASTRAMENTO

Leia mais

Programa de Hematologia e Oncologia Pediátricos Diagnóstico Imunomolecular. Manual do sistema (Médico)

Programa de Hematologia e Oncologia Pediátricos Diagnóstico Imunomolecular. Manual do sistema (Médico) Programa de Hematologia e Oncologia Pediátricos Diagnóstico Imunomolecular Manual do sistema (Médico) ÍNDICE 1. O sistema... 1 2. Necessidades técnicas para acesso ao sistema... 1 3. Acessando o sistema...

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

INFORMAÇÕES RELEVANTES...

INFORMAÇÕES RELEVANTES... SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1. INFORMAÇÕES RELEVANTES... 3 2. VISÃO GERAL DO SISTEMA... 4 3. INSTALANDO O MÓDULO RAAS-AD DESKTOP... 6 4. INSTALANDO O MÓDULO RAAS-AD MOBILE... 7 5. ACESSANDO E UTILIZANDO

Leia mais

Alternate Technologies Fevereiro/2013. FórmulaCerta Procedimentos para Atualização Versão 5.8 (Fevereiro/2013)

Alternate Technologies Fevereiro/2013. FórmulaCerta Procedimentos para Atualização Versão 5.8 (Fevereiro/2013) FórmulaCerta Procedimentos para Atualização Versão 5.8 () 1 Sumário: PROCEDIMENTOS PARA ATUALIZAÇÃO VERSÃO 5.8... 4 ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA VIA CD... 6 1º Passo Atualizações e Alterações da Versão 5.8...

Leia mais

BH PARK Software de Estacionamento

BH PARK Software de Estacionamento BH PARK Software de Estacionamento WWW.ASASSOFTWARES.COM.BR Índice 1 Informações Básicas... 1 1.1 Sair da aplicação... 1 1.2 Travar aplicação... 1 1.3 Licenciando a aplicação... 1 1.4 Contrato de Manutenção...

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 1 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA Documento de Arrecadação Estadual DAE Manual do Usuário Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 66.053-000 Av. Visconde de Souza Franco, 110 Reduto Belém PA Tel.:(091)

Leia mais

Manual de Operação SISRCA. Módulo Captação do Atendimento

Manual de Operação SISRCA. Módulo Captação do Atendimento Manual de Operação SISRCA Módulo Captação do Atendimento Versão Alfa 1.10 29-07-2013 SUMÁRIO GLOSSÁRIO... 3 1. APRESENTAÇÃO... 4 1.1. INFORMAÇÕES RELEVANTES... 4 2. VISÃO GERAL DO SISTEMA... 5 3. INSTALANDO

Leia mais

Manual do Sistema - Gerenciamento

Manual do Sistema - Gerenciamento Manual do Sistema - Gerenciamento Tabela de Conteúdos Ajuda do egoverne Saúde... 1 Introdução...Erro! Indicador não definido. Utilizando o sistema... 5 Cadastros Estruturais... 5 Introdução - Cadastros

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO

GUIA DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO GUIA DE INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO REPERTÓRIO HOMEOPÁTICO DIGITAL - HOMEOSOFT - ÍNDICE ÍNDICE... 01 APRESENTAÇÃO... 03 CONFIGURAÇÃO... 03 INSTALAÇÃO... 03 DESINSTALAÇÃO... 07 GUIA DE INSTALAÇÃO... 09 I -

Leia mais

Objetivo do Sistema. Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual

Objetivo do Sistema. Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual Índice Objetivo do Sistema Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual Módulo Básico Instalando o Mala Direta Abertura e tela de Senha Configuração de aparência Mudando o fundo da área de trabalho

Leia mais

SCPI 8.0. Guia Rápido. Instalação e Configurações Iniciais. Introdução. 1-Sistema Recomendável. Instalando o SCPI. Nesta Edição

SCPI 8.0. Guia Rápido. Instalação e Configurações Iniciais. Introdução. 1-Sistema Recomendável. Instalando o SCPI. Nesta Edição SCPI 8.0 Guia Rápido Instalação e Configurações Iniciais Introdução Nesta Edição 1 Sistema Recomendável 2 Instalando o SCPI e Firebird 1.5 3 Instalando o SCPI e Firebird 2.1 4 Configurando o Servidor 5

Leia mais

Procedimentos para Instalação do Sisloc

Procedimentos para Instalação do Sisloc Procedimentos para Instalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Instalação do Sisloc... 3 Passo a passo... 3 3. Instalação da base de dados Sisloc... 16 Passo a passo... 16 4. Instalação

Leia mais

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2015 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Versão 8.1A-13 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas

Leia mais

MA UAL DO USUÁRIO. RedesSociais

MA UAL DO USUÁRIO. RedesSociais MA UAL DO USUÁRIO RedesSociais 1 Instalação 1. Instalar JRE (Java Runtime Enviroment) ou JDK (Java Developer Kit). 2. Direcionar o banco de dados no JDBC do WINDOWS 2000/XP: a. Abrir Menu Iniciar / Painel

Leia mais