A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL"

Transcrição

1 A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL ANÁLISE ECONÔMICA DA CSN DE SETEMBRO DE 2011 Cenário Internacional 2011 foi marcado por um ambiente econômico de instabilidade, agravamento da crise européia. O agravamento da crise econômica na Zona do Euro. Alemanha e França continuam sustentando o crescimento da Zona do Euro. Na Alemanha, para 2012, as expectativas são de uma redução significativa nas exportações. Dados do Banco Central alemão apontam para uma forte desaceleração econômica em 2012, projetando um crescimento do PIB de apenas 0,8%. Ásia O crescimento da China enfraquecimento nos setores manufatureiro e de serviços. Segundo o FMI, a economia japonesa deverá apresentar uma retração de 0,5% em Brasil As boas perspectivas econômicas para o ano de 2011 mostram sinais de arrefecimento com o agravamento da crise internacional. PIB de 2011, que estava em 4,5% no início do ano, recuou para 3,3%. Crescimento em agronegócio, construção e automóveis.

2 A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL CENARIO DA SIDERURGIA 2011/2012: DOCUMENTO IAB: IAB REVÊ PARA BAIXO PREVISÕES. EXCEDENTE MUNDIAL É GRANDE: 500 MILHÕES DE TONELADAS DE AÇO NO MUNDO E 20 MILHÕES DE TONELADAS NO BRASIL. RECORDE PRODUÇÃO EM 2011: 35 mt em 2011 ano difícil. Frente às projeções macroeconômicas do País para 2012, o Aço Brasil estima que o consumo aparente de produtos siderúrgicos será de 26,7 milhões de toneladas, representando aumento de 7,1%. É uma previsão que provavelmente deve ser revista este ano. Ninguém sabe ao certo o que vai acontecer...

3 CSN VÊ CRESCIMENTO EM 2012 Siderurgia caminha para mais um duro ano em 2012 CSN vê venda de minério de ferro e aço crescer em 2012 Reuters 29 outubro 2011 Mesmo em um cenário ainda desafiador, a empresa poderá vender cerca de 33 milhões de toneladas de minério de ferro no próximo ano, cerca de 6,4 por cento a mais do que a meta de 31 milhões de toneladas para 2011, disse o diretor da divisão de mineração no grupo siderúrgico, Daniel Santos, em uma teleconferência.

4 A DINÂMICA DA CRISE VAI AFETAR A CSN? Cenário na Mineração, pela CSN China atualmente é responsável pela compra de mais da metade do minério de ferro comercializado no mundo. As previsões de consumo de minério pela China mantêmse elevadas no médio e longo prazo. Grande parte das novas adições de capacidade anunciadas por diversos players do setor de mineração está sendo postergada. No acumulado de 2011, as exportações brasileiras somam 237 milhões de toneladas, volume 5% superior ao mesmo período do ano passado.

5 AS COMPRAS DA CSN USIMINAS Ao longo do ano passado, a companhia presidida por Benjamin Steinbruch acumulou 20,14% das ações preferenciais e 11,66% das ações ordinárias. Deu com os burros n água. Ficou com japonês-italianoargentino. As novas quedas dos papéis e o aumento nas participações levaram o Itaú a elevar a estimativa de prejuízo com o negócio para 600 milhões de reais (ATENÇÃO: STEINBRUCH TEVE PREJUIZO GRANDE COM USIMINAS E PODE QUERER DESCONTAR NAS COSTAS DOS TRABALHADORES.

6 AS COMPRAS DA CSN De qualquer forma, neste momento Steinbruch está no vermelho. Empresário perdeu quase tudo que havia ganhado no começo deste ano com ações da mineradora australiana Riversdale. Após pagar 390 milhões de dólares pelos papéis, Steinbruch os revendeu por 835 milhões de dólares pouco tempo depois. Segundo comunicado divulgado ontem pela siderúrgica brasileira, foi adquirida a totalidade das ações do Grupo Alfonso Gallardo na Stahlwerk Thüringen GmbH (SWT), da Alemanha, por 482,5 milhões. Sobre CSN, cuja ação perdeu mais de 40 por cento no último ano A briga pela Usiminas é a sexta derrota de CSN e a segunda em Desde 2006, a siderúrgica tentou comprar participação em outras quatro companhias, também sem sucesso.

7 EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE MINÉRIO DE FERRO Exportações brasileiras de Minério de Ferro China Europa Japão Coréia do Sul Outros Exportações brasileiras de Minério de Ferro China Europa Japão Coréia do Sul Outros 4% 10% 10% 12% 5% 13% 49% 14% 62% 21% Em 2009 foram 266 mmt, em 2010 foram 307 mmt (crescimento de 15,4%), em 2011 foram 331 mmt (6% crescimento).

8 VENDAS E LUCROS DA CSN Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em O lucro líquido em 2008 foi de R$ 5,7 bilhões. Está lançado somente R$1,7 bilhão pois estes 4 bi entraram no caixa como parte da venda da Namisa, portanto resultado não normal. Crescimento das vendas em 4,5% ao ano entre 2008 e Crescimento dos lucros foi de 29% ao ano neste mesmo período. A entrega de dividendos em relação ao lucro líquido é muito alta, mais de 50% em média anual.

9 CRESCE A MINERAÇÃO DENTRO DO GRUPO CSN Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em Queda de 34% da siderurgia dentro do grupo. Crescimento de 483% da mineração no total do grupo.

10 CRESCE A MINERAÇÃO DENTRO DO GRUPO CSN Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em Queda de 43% da siderurgia dentro do grupo no que se refere a lucro. Crescimento de 175% da mineração no total do grupo. A mineração já rendeu mais da metade do lucro da CSN em 2011, demonstrando que a mineração tem um peso cada vez maior no interior do grupo CSN. No ano em que o setor siderúrgico derrapou 2011, a CSN acumulou lucro bilionário. Qual o motivo?

11 MINERAÇÃO É A GALINHA DOS OVOS DE OURO DA CSN De acordo com os analistas, o entusiasmo dos investidores se deve ao fato de a CSN ser dona de uma mina avaliada em 10 bilhões de dólares -- que tem 60% do potencial de produção de Carajás, a principal mina da Vale.. Setembro de 2011 CSN valia U$ 13,8 bilhões de dólares

12 VENDAS POR SETOR DA CSN Vendas por setor da CSN / R$ bi Siderurgia (R$ bi) Mineração (R$ bi) Outros (R$ bi) Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em Houve uma queda da Receita Líquida da siderurgia em 37% entre 2008 e 2011, enquanto cresceu a receita da mineração em 316%. O setor da mineração chegou a 35% de peso no grupo CSN.

13 LUCRO BRUTO POR SETOR DA CSN Lucro bruto por setor CSN / R$ bi Siderurgia (R$ bi) Mineração (R$ bi) Outros (R$ bi) Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em No lucro, o setor siderúrgico da CSN caiu 37% em 4 anos, enquanto a mineração cresceu o lucro em 584% neste mesmo tempo. No lucro, a mineração já foi responsável por 55% do lucro em 2011, enquanto a siderurgia ficou com 38% e os outros setores com 7% do total. USAR ESTE DADO NA NEGOCIAÇÃO POIS ELE É GERADOR DE CAIXA PARA A EMPRESA (QUASE O MESMO DA EBTIDA.

14 CUSTOS POR SETOR DA CSN Custos por setor CSN - em R$ bi Siderurgia (R$ bi) Mineração (R$ bi) Outros (R$ bi) Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em Crescimento do Custo dos Produtos Vendidos (custo total) foi de 41% em 4 anos. Na mineração o crescimento do custo foi de 287%, enquanto as vendas do setor cresceu 316% no mesmo período. Na siderurgia os custos cresceram 32% enquanto a receita caiu -37%. No restante (logística, energia, cimento), os custos cresceram 6% enquanto as vendas caíram -14%. Significa que os setores de logística, cimento e energia são deficitários. A siderurgia teve queda acentuada nas vendas enquanto subia os custos. A mineração teve um salto espetacular. A mineração representa apenas 22% dos custos mas representa 35% das vendas da grupo CSN e 55% do lucro total do grupo. A siderurgia representa 72% dos custos e 57% das vendas, portanto, tem uma relação deficitária entre vendas e custos. O restante dos setores também são deficitários pois representa 11% dos custos e somente 7% das vendas.

15 CUSTO SALARIAL POR SETOR DA CSN Custo da mão-de-obra por setor CSN / em R$ milhões Siderurgia (R$ bi) Mineração (R$ bi) Outros (R$ bi) Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em 72% do custo salarial da CSN é na Usina de Volta Redonda, enquanto o gasto salarial com a mineração é apenas 14% do custo salarial total, igual aos dos outros setores de logística (14% do total do custo, enquanto a siderurgia representa 3/2 dos gastos). ESTES DADOS JOGAM MAIS PESO AINDA EM BUSCAR NA NEGOCIAÇÃO A EQUIPARAÇÃO COM A VALE E NÃO COM VOLTA REDONDA. É POSSÍVEL ARRANCAR MAIS POIS A MINERAÇÃO (CASA DE PEDRA E NAMISA) É A GALINHADOS OVOS DE OURO DA FAMÍLIA STEINBRUCH.

16 CRESCIMENTO DA NAMISA NO FATURAMENTO Vendas totais do grupo CSN em % Vendas totais do grupo CSN em % CSN Namisa CSN Namisa 8% 12% 92% 88% Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em Faturamento da Namisa saiu de 8% em 2009 para 12% em 2010, pequeno crescimento nas vendas.

17 CRESCIMENTO DA NAMISA NO LUCRO Lucro bruto do grupo CSN em % CSN Namisa Lucro bruto do grupo CSN em % CSN Namisa 21% 79% 47% 53% Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em No lucro do grupo CSN total, a Namisa saltou de 21% em 2009 para 47% do lucro em Metade dos lucros de todo o grupo CSN veio da mineração e da Namisa.

18 VENDAS E LUCROS DA NAMISA Fonte: Revista EXAME Maiores e Melhores 2009/2011. As vendas cresceram a uma média anual de 25% e os lucros a uma média de 644% ao ano entre 2008 e Uma margem de lucro invejável de 70% das vendas.

19 VENDAS NO MERCADO EXTERNO E INTERNO Vendas no mercado externo siderurgia X mineração, dentro do grupo CSN Mineração Siderurgia 95% 14% 2011 Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em Grosso da mineração é para exportação com maior parte para China, Coréia e Japão. 86% da produção da CSN de Volta Redonda é para o mercado interno. O que ajudou até agora a CSN, mercado interno comprando eletrodomésticos, carros e casas, vai desaquecer e continua demanda de minério na China, favorecendo o setor mineral dentro do grupo

20 VENDAS NO MERCADO EXTERNO E INTERNO Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em 95% da produção da Namisa e Casa de Pedra é exportada

21 GASTO COM MÃO-DE-OBRA NA CSN Fonte: Relatórios anuais da CSN. Salários e Encargos estimativa em base aos reajustes salariais dos funcionários(as) do grupo CSN.

22 A EXPLORAÇÃO DO TRABALHADOR DA CSN Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em Distribuição fica 13% para trabalhador e 87% com patrões e governo

23 LUCRO X PLR NO GRUPO CSN 2007/2009 Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em

24 A EXPLORAÇÃO DO OPERÁRIO DA CSN Segundo o Balanço Anual da CSN de 2008, os operários da Casa de Pedra produziram e venderam 17 milhões de toneladas de minério de ferro. A Mina contava com trabalhadores diretos no final de Isto significa que cada funcionário da Vale da Casa de Pedra produziu, em 2008, toneladas de Ferro. Ao preço médio de R$ 124 reais a tonelada, cada trabalhador gerou em 2008, R$ ,00 de reais. O salário médio de um trabalhador da empresa é de R$ 1.100,00. Se somar os encargos (cerca de 63% do salário) teremos R$ 1.793,00 x 13 salários = R$ ,00 + PLR (4 salários = R$ 4.400,00). Total gasto pela empresa por ano com um trabalhador = R$ ,00. Isto significa que em 4 horas de trabalho, o operário da Casa de Pedra pagou seu salário mensal.

25 A EXPLORAÇÃO DO OPERÁRIO DA NAMISA Segundo o Balanço Anual da NAMISA publicado na Revista Exame Maiores e Melhores 2009, os operários da Namisa produziram minério no valor de R$ ,00. A Mina contava com 495 trabalhadores diretos no final de Isto significa que cada funcionário da Namisa produziu, em 2009, R$ ,87 reais ou R$ ,22 por mês ou R$ 1.406,22 por hora. O custo anual por trabalhador, contando todos os gastos que se teve com funcionários, foi de R$ ,75 ou R$ 3.136,59 por mês. Isto significa que em 2 horas e 20 minutos de trabalho, o operário da Namisa pagou seu salário mensal em Trabalha 20 dias de graça para a família Steinbruch.

26 PRODUÇÃO DE MINÉRIO DE FERRO CASA DE PEDRA E NAMISA X PREVISÃO Previsão e produção de minério de ferro da CSN-Namisa 2007/2011 em milhões de toneladas Previsão Casa de Pedra 21,0 40,0 45,0 50,0 50,0 Produção Casa de Pedra 15,0 18,8 17,0 21,0 Previsão Namisa 18,0 22,0 26,0 Produção Namisa 5,0 5,5 7,0 Compra de minério de terceiros 3,8 4.,6 8,9 4,3 Venda de Minério de Ferro 10,5 18,5 22,4 25,3 27,9 Consumo Próprio de Minério 8,0 7,5 6,4 6,9 6,8 Fonte: Relatórios anuais da CSN, disponíveis em

27 CFEM PAGA PELA CSN EM CONGONHAS É BAIXA Vendas de minério de ferro da CSN em relação ao pagamento de royalties (CFEM) em milhões de reais Congonhas/MG Receitas de minerais da Mina Casa de Pedra Pagto de Royalties da CSN a Congonhas % da venda de minerais em royalties , ,46 0,8% R$ ,87 foi a receita corrente líquida de Congonhas em CFEM da CSN representa apenas 12% do orçamento da cidade. Se pagasse 10% como faz a Petrobras, teria que pagar R$ 210 milhões, quantia superiora toda arrecadação de Congonhas. Austrália cobra 30%, Chile 14% e Brasil as exportações não pagam ICMS.

28 QUESTÃO AMBIENTAL Segundo o prefeito de Congonhas, Anderson Costa Cabido (PT), em jogo está um protocolo de intenções de investimentos acertado, mas ainda não assinado, entre o governo mineiro e a CSN, no valor de 16 bilhões de reais. O protocolo tem relação com decreto estadual de 2007 que declara como utilidade pública uma área de 30 milhões de metros quadrados que será usada para a instalação do maior distrito industrial de Minas Gerais e atualmente abriga cerca de 400 famílias. Esse decreto tem prazo de cinco anos e expira em dezembro de Nessa área, segundo Cabido, a CSN pretende implantar duas pelotizadoras e uma usina de aços longos com capacidade para 1,5 milhão de toneladas anuais. "A versão final conta com nosso okay (...) estamos confiantes na aprovação na câmara", disse o prefeito Cabido à Reuters

29 COMPOSIÇÃO DE ÍNDICE PARA REIVINDICAR EM reajuste em % frente a 2011 Cresc % Cresc % Cresc % Cresc % cresc. 2008/2011 média anual % INPC do ano em % 6,4% 4,1% 6,4% 6,0% 25,2% 6,3% jan 2011/fev 2012 = 5,0% Reajuste Salarial data base aumentou 51 milhões folha 8,0% redução de 4 milhões folha 5,8% aumento R$ 102 milhões folha 7,1% estagnado valor da folha 8,3% 29,2% 7,3% Reivindicar 20% para = SM desde 2008 Conquistar 14,1% igual a SM Aumento da Folha de Pagamento da CSN ,00 17,0% ,00-0,5% ,00 2,8% ,00 0,0% 2,3% 0,6% Vendas da CSN ,00 22,3% ,00-28,7% ,00 31,6% ,00 13,9% 17,1% 4,3% Lucros da CSN ,00-41,8% ,00 53,8% ,00-3,7% ,00 53,6% 127,4% 31,8% Vendas da Mineração CSN ,00 97,2% ,00 37,4% ,00 84,0% ,00 59,1% 302,6% 75,6% Lucro Bruto da Mineração CSN , ,00 3,4% ,00 209,6% ,00 57,7% 405,4% 101,3% Vendas da NAMISA ,00 x ,00 123,4% ,00 32,2% ,00 34,2% 501,2% 125,3% Lucros da NAMISA ,00 x ,00 356,8% ,00 115,6% ,00 36,4% 1243,8% 311,0% Crescimento PIB no Brasil R$ ,00 5,2% R$ ,18-0,6% R$ ,00 7,5% R$ ,00 3,0% 24,8% 6,2% Crescimento do PIB Mineração no Brasil 10,0% Salário Minimo no Brasil 415,00 9,2% 465,00 12,0% 510,00 9,6% 545,00 6,8% 31,3% 7,8% 622,00 14,1% 49,8% Dados reajuste salarial é da convenção coletiva 2008/2011 Dados do Salário Mínimo do Brasil, do INPC e do PIB são do IBGE Dados da Cesta Básica é do DIEESE Razoável é pedir 20% para igualar com reajuste do Salário Mínimo desde 2008 e lutar para arrancar 14,1%, que foi o reajuste do salário mínimo em Cesta básica para 1 pessoa na Região Metropolitana de BH estava em 268,07 em janeiro Família de 4 pessoas dá igual a R$ 218,06 x 4 = R$ 1.072,28 Salário Mínimo Necessário segundo o DIEESE em Dezembro de 2011 era igual a R$ 2.329,35

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 A mineração nacional sentiu de forma mais contundente no primeiro semestre de 2012 os efeitos danosos da crise mundial. Diminuição do consumo chinês, estagnação do consumo

Leia mais

CORELAÇÃO DE FORÇAS E NÚMEROS DA CSN

CORELAÇÃO DE FORÇAS E NÚMEROS DA CSN CORELAÇÃO DE FORÇAS E NÚMEROS DA CSN CONJUNTURA INTERNACIONAL E NACIONAL A crise mundial não acabou está cozinhando em banho-maria. Países ricos estão exportando empresas para os BRICs, para ocupar todo

Leia mais

2013: RECESSÃO NA EUROPA EMPURRA MUNDO PARA A CRISE

2013: RECESSÃO NA EUROPA EMPURRA MUNDO PARA A CRISE 2013: RECESSÃO NA EUROPA EMPURRA MUNDO PARA A CRISE 30 países mais ricos do mundo (OCDE) tiveram uma queda no PIB de 0,2% no quarto trimestre de 2012. Diminuição forte do consumo na Europa vai afetar economia

Leia mais

DADOS ESTATÍSTICOS DA NATURA

DADOS ESTATÍSTICOS DA NATURA DADOS ESTATÍSTICOS DA NATURA VENDAS E LUCROS DA NATURA 2003/2011 Vendas e lucros da Natura 2003/2011 milhões de reais 6.000 5.000 Em milhões de reais 4.000 3.000 2.000 1.000 0 2003 2004 2005 2006 2007

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

Relatório de Análise. CSN: Boas perspectivas operacionais, mas duas incertezas. 4T12 Preços melhores e maior volume de minério

Relatório de Análise. CSN: Boas perspectivas operacionais, mas duas incertezas. 4T12 Preços melhores e maior volume de minério CSN: Boas perspectivas operacionais, mas duas incertezas A CSN teve um ano difícil em 2012, com perdas contábeis elevadas em seu investimento na Usiminas, expressiva redução na geração de caixa, aumento

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Fevereiro de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Fevereiro de 2015...

Leia mais

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER PERÍODO DE 10 A 14 DE FEVEREIRO Nessa semana, destaque para a reprodução no portal Metálica da matéria do jornal Valor Econômico, Inda mantém previsão de alta de

Leia mais

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário

Boletim Econômico e do Setor Portuário. Sumário Boletim Econômico e do Setor Portuário Junho de 2014 Sumário Indicadores da Economia Nacional... 2 O Produto Interno Bruto PIB no primeiro trimestre de 2014... 2 Os Índices de Inflação... 3 O Mercado de

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: PIB e Juros... Pág.3 Europa: Recuperação e Grécia... Pág.4

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014)

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) 1. Taxa de Desemprego O desemprego desceu para 14,3% em maio, o que representa um recuo de 2,6% em relação a maio de 2013. Esta é a segunda maior variação

Leia mais

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Ter, 02 de Agosto de 2011 07:13 Com base nos movimentos de mercado e da companhia alinhados ao aquecimento da indústria e economia brasileiras,

Leia mais

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 1) Conjuntura Econômica Em função dos impactos da crise econômica financeira mundial, inciada no setor imobiliário

Leia mais

Segunda-feira, 18 de Novembro de 2013. DESTAQUES

Segunda-feira, 18 de Novembro de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa quebra sequência de baixa Bolsa da China fecha em forte alta Vale investe R$ 1,8 bi no Porto de Tubarão Mineração e preços puxam ganhos da CSN Lucro líquido da BR Insurance sobe 16,3%

Leia mais

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

Panorama da Economia Brasileira. Carta de Conjuntura do IPEA

Panorama da Economia Brasileira. Carta de Conjuntura do IPEA : Carta de Conjuntura do IPEA Apresentadoras: PET - Economia - UnB 25 de maio de 2012 1 Nível de atividade 2 Mercado de trabalho 3 4 5 Crédito e mercado financeiro 6 Finanças públicas Balanço de Riscos

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Novembro 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Retornos % Dia % Mês % Ano PREFIXADO IDkA Pré 2A 3.117,66 0,2326 0,0484 2,2339 IPCA IDkA IPCA 2A 3.361,41 0,0303 1,1342 4,33

Retornos % Dia % Mês % Ano PREFIXADO IDkA Pré 2A 3.117,66 0,2326 0,0484 2,2339 IPCA IDkA IPCA 2A 3.361,41 0,0303 1,1342 4,33 RENDA VARÍAVEL O Ibovespa principal indicador da bolsa de valores brasileira fechou o mês de março em queda (-0,84%). A Bovespa segue bastante vulnerável em meio à desaceleração econômica e a mudança de

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 22 de maio de 2012 1 A situação da economia internacional

Leia mais

EXPOMONEY 2007. São Paulo, 28 de setembro de 2007

EXPOMONEY 2007. São Paulo, 28 de setembro de 2007 EXPOMONEY 2007 São Paulo, 28 de setembro de 2007 Afirmações sobre o Futuro Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam

Leia mais

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 2/2 - Janeiro de 2014

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 2/2 - Janeiro de 2014 Notícias Economia Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 - Janeiro de 2014 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Julho de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Julho de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Julho de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: Inflação e Salários...Pág.3 Europa: Grexit foi Evitado,

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Matemática. Aula: 02/10. Prof. Pedro. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.

Matemática. Aula: 02/10. Prof. Pedro. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM. Matemática Aula: 02/10 Prof. Pedro UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO PARA ALUNOS

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Abril de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março de 2015... 5 3.

Leia mais

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set DISCUSSÃO E ANÁLISE PELA ADMINISTRAÇÃO DO RESULTADO NÃO CONSOLIDADO DAS OPERACÕES: PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2001 COMPARATIVO AO PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2000 (em milhões de reais, exceto

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados 101/15 30/06/2015 Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Junho de 2015 Sumário 1. Perspectivas do CenárioEconômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março

Leia mais

Indicadores de Desempenho Publicado em Novembro de 2015

Indicadores de Desempenho Publicado em Novembro de 2015 Publicado em Novembro de 2015 Fatos Relevantes Agosto/2015 Vendas Industriais As vendas industriais registraram expansão de 28,40% em agosto. Trata-se do maior aumento dos últimos três meses e aponta para

Leia mais

Crise e respostas de políticas públicas Brasil

Crise e respostas de políticas públicas Brasil Crise e respostas de políticas públicas Brasil Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada BRASIL Jorge Abrahão de Castro Diretor da Diretoria de Estudos Sociais Brasília, 08 de setembro de 2009 Situação

Leia mais

40.000 empregados Em mais de 250 municípios Brasileiros Presença em mais de 20 países

40.000 empregados Em mais de 250 municípios Brasileiros Presença em mais de 20 países 42º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ACIARIA 42º STEELMAKING SEMINAR - INTERNATIONAL NOVOS PROJETOS SIDERÚRGICOS Iran Oliveira de Medeiros GRUPO VOTORANTIM 1918 2010 Canadá Estados Unidos México Bahamas Colômbia

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Tópicos Economia Americana: Confiança em baixa Pág.3 EUA X Japão Pág. 4 Mercados Emergentes: China segue apertando as condições monetárias Pág.5 Economia Brasileira:

Leia mais

Situação da economia e perspectivas. Gerência-Executiva de Política Econômica (PEC)

Situação da economia e perspectivas. Gerência-Executiva de Política Econômica (PEC) Situação da economia e perspectivas Gerência-Executiva de Política Econômica (PEC) Recessão se aprofunda e situação fiscal é cada vez mais grave Quadro geral PIB brasileiro deve cair 2,9% em 2015 e aumentam

Leia mais

15 a 30 de setembro de 2015

15 a 30 de setembro de 2015 15 a 30 de setembro de 2015 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Agosto 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização Panorama e Perspectivas / Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização 1. Sumário Executivo... 2 2. Seguradoras do grupo de seguros gerais... 2 2.1 Ramos do grupo de seguros gerais...

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

MONITOR ECONÔMICO Março 2015

MONITOR ECONÔMICO Março 2015 MONITOR ECONÔMICO Março 2015 Índice 2 Cenário Internacional... 03 Economia Mundial... 04 Cenário Brasil e Minas Gerais... 05 Introdução... 06 Produção Industrial... 07 Varejo... 10 Faturamento... 11 Emprego...

Leia mais

Recessão e infraestrutura estagnada afetam setor da construção civil

Recessão e infraestrutura estagnada afetam setor da construção civil CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 21 dezembro de 2014

Leia mais

A Expansão da Construção Civil e os Efeitos da Crise Internacional

A Expansão da Construção Civil e os Efeitos da Crise Internacional A Expansão da Construção Civil e os Efeitos da Crise Internacional Gráfico 1 Produção da construção civil e PIB Variações anuais % 1 8 6 4 2-2 -4 1999 2 21 22 23 24 25 26 27 28 Construção civil PIB A indústria

Leia mais

4097610 - O ESTADO DE S. PAULO - ESPORTES - SÃO PAULO - SP - 04/12/2013 - Pág A 27

4097610 - O ESTADO DE S. PAULO - ESPORTES - SÃO PAULO - SP - 04/12/2013 - Pág A 27 Morumbi vai ter cobertura 4097610 - O ESTADO DE S. PAULO - ESPORTES - SÃO PAULO - SP - 04/12/2013 - Pág A 27 O São Paulo assinará no próximo dia 17 o contrato com a Andrade e Gutierrez para viabilizar

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Março de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Março de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Março de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: Fed e Curva de Juros...Pág.3 Europa: Melhora dos Indicadores...Pág.4

Leia mais

nos EUA, e a acentuada queda nos preços das memórias dinâmicas de acesso aleatório (conhecidas como D-Ram). Os PCs e outros equipamentos digitais

nos EUA, e a acentuada queda nos preços das memórias dinâmicas de acesso aleatório (conhecidas como D-Ram). Os PCs e outros equipamentos digitais TOSHIBA CORPORATION De origem japonesa, a Toshiba Corporation atua há mais de 120 anos na produção e venda de produtos eletrônicos dotados de alta tecnologia. Foi fundada em 1875 e desde então atende a

Leia mais

Servidor Público Militar. Veja o quanto de perdas salariais que você terá com 5% de Data Base

Servidor Público Militar. Veja o quanto de perdas salariais que você terá com 5% de Data Base Servidor Público Militar. Veja o quanto de perdas salariais que você terá com 5% de Data Base Técnicos do FES fizeram uma análise das contas do governo. Usando os dados de janeiro a maio deste ano e a

Leia mais

VEÍCULO: VALOR ECONÔMICO SEÇÃO: BRASIL DATA: 26.05.14

VEÍCULO: VALOR ECONÔMICO SEÇÃO: BRASIL DATA: 26.05.14 VEÍCULO: VALOR ECONÔMICO SEÇÃO: BRASIL DATA: 26.05.14 VEÍCULO: VALOR ECONÔMICO SEÇÃO: EMPRESAS DATA: 23.05.14 Varejo e siderurgia preparam-se para vendas mais fracas Por Renato Rostás e Tatiane Bortolozi

Leia mais

CONSUMO APARENTE DE AÇO NO BRASIL DEVE VOLTAR AO PATAMAR DE

CONSUMO APARENTE DE AÇO NO BRASIL DEVE VOLTAR AO PATAMAR DE Aço AÇO BRASIL ABRIL I N F O R M A 28ª 28EDIÇÃO ABRIL 2015 CONSUMO APARENTE DE AÇO NO BRASIL DEVE VOLTAR AO PATAMAR DE 2007 O consumo aparente de aço no País deve fechar o ano de 2015 com queda de 7,8%

Leia mais

MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO. Sergio Vale Economista-chefe

MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO. Sergio Vale Economista-chefe MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO Sergio Vale Economista-chefe I. Economia Internacional II. Economia Brasileira Comparação entre a Grande Depressão de 30 e a Grande Recessão de 08/09 Produção

Leia mais

RESULTADOS 4T14 e 2014

RESULTADOS 4T14 e 2014 São Paulo, 12 de março de 2015 A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) (BM&FBOVESPA: CSNA3) (NYSE: SID) divulga seus resultados do quarto trimestre de 2014 (4T14) e do ano de 2014 em Reais, sendo suas demonstrações

Leia mais

A Carga Tributária para a Indústria de Transformação

A Carga Tributária para a Indústria de Transformação nº 01 A A Indústria de Transformação brasileira deve encerrar 2014 com mais um resultado negativo para a produção, ratificando o quadro de baixa atividade fabril que caracterizou últimos quatro anos, período

Leia mais

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIO GLOBAL Crescimento global de 3,4 % em 2013 O mundo retoma a média histórica de crescimento (3,4% a.a) Zona do Euro sai da recessão Os EEUU

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 Gerência Setorial 3 Minério de Ferro 1. Reservas e Mercado Mundial

ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 Gerência Setorial 3 Minério de Ferro 1. Reservas e Mercado Mundial ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 Gerência Setorial 3 Minério de Ferro 1. Reservas e Mercado Mundial O minério de ferro é abundante no mundo, porém as jazidas concentram-se em poucos países, sendo que apenas

Leia mais

ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015. Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014

ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015. Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014 ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015 Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014 SUMÁRIO 1. Economia Mundial e Impactos sobre o Brasil 2. A Economia Brasileira Atual 2.1. Desempenho Recente

Leia mais

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER 3ª SEMANA DE MAIO O Valor Econômico traz, novamente, declarações do presidente do INDA, Carlos Loureiro. Na reportagem, o porta-voz da entidade afirma que as medidas

Leia mais

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa encerra semana em alta Mercado aguarda IPCA para ajustar cenários Divisão Consumo da Hypermarcas cresce 10% M.Dias Branco tem lucro de R$108 mi Contax aprovou R$ 55,4 milhões em dividendos

Leia mais

X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil. Porto Alegre, 27 de outubro de 2011.

X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil. Porto Alegre, 27 de outubro de 2011. X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil Porto Alegre, 27 de outubro de 2011. Brasil esteve entre os países que mais avançaram na crise Variação do PIB, em % média

Leia mais

Terça-feira, 28 de Abril de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 28 de Abril de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Petrobras é alvo de vendas e puxa correção da bolsa Hypermarcas prevê aumento de preços de produtos de consumo Lopes vende participação majoritária na Dall'Oca Tractebel vê tendência de crescimento

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa O Ibovespa não conseguiu sustentar o movimento de alta do começo da tarde e terminou o dia em queda de 0,15% aos 53.100 pontos, com baixo volume financeiro de R$ 4,7 bilhões, acumulando

Leia mais

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER 4ª SEMANA DE NOVEMBRO O Press Release divulgado pela SD&PRESS Consultoria, com os números do setor de distribuição de aços em outubro, continua repercutindo na mídia.

Leia mais

Sexta-feira, 09 de Maio de 2014. DESTAQUES

Sexta-feira, 09 de Maio de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa passa por correção após 4 altas Aécio avança e cresce chance de eleição B2W reduz prejuízo do trimestre em 5,7% Lucro da Marisa cresce 57,3% no 1º tri Lucro da Raia Drogasil dobra no

Leia mais

Presente ruim e futuro econômico desanimador para a construção civil

Presente ruim e futuro econômico desanimador para a construção civil CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 17 outubro de 2014 Organização:

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A queda das bolsas internacionais não ajudou a pressionar o mercado doméstico em dia de indicadores fracos na China e nos Estados Unidos. A aversão ao risco aumentou nos últimos dias com

Leia mais

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao nível de 2009 com tensão global CCR tem expectativa positiva de crescimento para o próximo ano Ações PNA da Vale fecham na menor cotação desde 2006 Corte de produção na China e

Leia mais

Reunião Pública com Analistas e Investidores 2011. Relações com Investidores

Reunião Pública com Analistas e Investidores 2011. Relações com Investidores Reunião Pública com Analistas e Investidores 2011 Relações com Investidores A Tenaris Sobre a Tenaris Líder global na produção de tubos de aço e serviços para a indústria energética, automotiva e aplicações

Leia mais

SIDERURGIA MUNDIAL. » O Grupo Arcelor Mittal é o maior produtor mundial, com um volume que representa mais do dobro da produção do segundo colocado;

SIDERURGIA MUNDIAL. » O Grupo Arcelor Mittal é o maior produtor mundial, com um volume que representa mais do dobro da produção do segundo colocado; Siderurgia 9 SIDERURGIA MUNDIAL» A produção siderúrgica mundial cresceu 32% entre 24 e 21;» O Grupo Arcelor Mittal é o maior produtor mundial, com um volume que representa mais do dobro da produção do

Leia mais

COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ Geografia 9º Ano Prof.º Daniel Fonseca. Produção energética no Brasil: Etanol, Petróleo e Hidreletricidade

COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ Geografia 9º Ano Prof.º Daniel Fonseca. Produção energética no Brasil: Etanol, Petróleo e Hidreletricidade COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ Geografia 9º Ano Prof.º Daniel Fonseca Produção energética no Brasil: Etanol, Petróleo e Hidreletricidade Etanol A produção de álcool combustível como fonte de energia deve-se

Leia mais

DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO

DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO DIREÇÃO NACIONAL DA CUT APROVA ENCAMINHAMENTO PARA DEFESA DA PROPOSTA DE NEGOCIAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO, DAS APOSENTADORIAS E DO FATOR PREVIDENCIÁRIO A CUT e as centrais sindicais negociaram com o governo

Leia mais

Segunda-feira 20 de Abril de 2015. DESTAQUES

Segunda-feira 20 de Abril de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa fecha semana abaixo dos 54 mil pontos Perspectiva da Petrobras não muda, afirma S&P Porto Seguro amplia alcance de operadora virtual Ambev investe R$ 25 mi em fábrica de cerveja BTG não

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO II RELATÓRIO ANALÍTICO 15 1 CONTEXTO ECONÔMICO A quantidade e a qualidade dos serviços públicos prestados por um governo aos seus cidadãos são fortemente influenciadas pelo contexto econômico local, mas

Leia mais

Negócios. Gerdau aprimora gestão para ampliar resultados operacionais. 18,5 milhões de toneladas

Negócios. Gerdau aprimora gestão para ampliar resultados operacionais. 18,5 milhões de toneladas Negócios Gerdau inicia produção própria de bobinas a quente na usina Ouro Branco (MG). DESEMPENHO DAS OPERAÇÕES Gerdau aprimora gestão para ampliar resultados operacionais Ao longo de 2013, as vendas físicas

Leia mais

CENÁRIOS ECONÔMICOS O QUE ESPERAR DE 2016? Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2015

CENÁRIOS ECONÔMICOS O QUE ESPERAR DE 2016? Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2015 CENÁRIOS ECONÔMICOS O QUE ESPERAR DE 2016? Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2015 1 SUMÁRIO 1. Economia Mundial e Impactos sobre o Brasil 2. Política Econômica Desastrosa do Primeiro Mandato 2.1. Resultados

Leia mais

A Mineração Industrial em Goiás

A Mineração Industrial em Goiás A Mineração Industrial em Goiás Luciano Ferreira da Silva 1 Resumo: A extração mineral constitui atividade de relevante importância para a economia do estado de Goiás, ocupando posição de destaque no cenário

Leia mais

Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas econômicas do governo

Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas econômicas do governo Cliente: Trade Energy Veículo: Portal R7 Assunto: Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas Data: 21/01/2015 http://noticias.r7.com/economia/saiba-o-que-vai-mudar-no-seu-bolso-com-as-novas-medidaseconomicas-do-governo-21012015

Leia mais

Sexta-feira 06 de Fevereiro de 2015. DESTAQUES

Sexta-feira 06 de Fevereiro de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem pregão volátil Poupança tem em janeiro maior saque em duas décadas IPCA tem maior alta para o mês em 12 anos, aponta IBGE Planalto quer nome do mercado na Petrobras Cade marca data

Leia mais

BRICS. Panorama. Junho 2015. Subseção - Força Sindical

BRICS. Panorama. Junho 2015. Subseção - Força Sindical BRICS Panorama Junho 2015 Subseção - Força Sindical BRICS INFORMAÇÕES BÁSICAS BRICS Brics é uma sigla que se refere a Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, que se destacaram no cenário mundial

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

O PAPEL DA AGRICULTURA. Affonso Celso Pastore

O PAPEL DA AGRICULTURA. Affonso Celso Pastore O PAPEL DA AGRICULTURA Affonso Celso Pastore 1 1 Uma fotografia do setor agrícola tirada em torno de 195/196 Entre 195 e 196 o Brasil era um exportador de produtos agrícolas com concentração em algumas

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junio 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Agenda. A Companhia. Nossa Operação. 3 Nossa Performance Financeira

Agenda. A Companhia. Nossa Operação. 3 Nossa Performance Financeira APIMEC RIO Resultados do 1T12 Diretoria Econômico-Financeira e de Relações com Investidores Aviso Esta apresentação pode conter considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

Quarta-feira 30 de Julho de 2014. DESTAQUES

Quarta-feira 30 de Julho de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa fecha em nova queda Sabesp registra aumento de consumo de água Telefônica Vivo: Lucro líquido sobe 118% Randon adota semana de quatro dias por três meses Despesas maiores pressionam lucro

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa já iniciou o ano novo indicando que será mais um período de muita volatilidade para as ações. Diante de um cenário de grandes incertezas do lado doméstico e de olho nos acontecimentos

Leia mais

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem queda, mas encerra mês em alta Mercado vê inflação maior e PIB baixo em 2015 Casino vai acelerar expansão do Pão de Açúcar Minério de ferro cai 48% e tem pior cenário Brokers fecha

Leia mais

Relatório Mensal. Janeiro de 2015. Cenário Internacional:

Relatório Mensal. Janeiro de 2015. Cenário Internacional: Relatório Mensal Janeiro de 2015 Cenário Internacional: EUA O diagnóstico dos membros do Federal Open Market Comittee (Fomc) sobre a atividade econômica é positivo: os EUA estão crescendo mais que a previsão,

Leia mais

PANORAMA NOVEMBRO / 2014

PANORAMA NOVEMBRO / 2014 PANORAMA NOVEMBRO / 2014 O mês de novembro foi pautado pelas expectativas em torno da formação da equipe econômica do governo central brasileiro. Muito se especulou em torno dos nomes que ocuparão as principais

Leia mais

Brazil and Latin America Economic Outlook

Brazil and Latin America Economic Outlook Brazil and Latin America Economic Outlook Minister Paulo Bernardo Washington, 13 de maio de 2009 Apresentação Impactos da Crise Econômica Situação Econômica Brasileira Ações Contra-Cíclicas Previsões para

Leia mais

Quinta-feira, 23 de Abril de 2015. DESTAQUES

Quinta-feira, 23 de Abril de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa sobe com disparada de Vale Usiminas reverte lucro e tem prejuízo Petrobras faz baixa contábil total de R$ 51 bi e de R$ 6,2 bi Vale fecha 1º tri com recorde na produção BRF fecha acordo

Leia mais

CSN MANTÉM MARGEM EBITDA SUPERIOR A 46% NO 3T10. São Paulo, 28 de outubro de 2010

CSN MANTÉM MARGEM EBITDA SUPERIOR A 46% NO 3T10. São Paulo, 28 de outubro de 2010 CSN MANTÉM MARGEM EBITDA SUPERIOR A 46% NO São Paulo, 28 de outubro de 2010 A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) (BM&FBOVESPA: CSNA3) (NYSE: SID) divulga seu resultado do terceiro trimestre de 2010 (),

Leia mais

Qualidade dos Serviços Situação Atual e Perspectivas COELCE 30/06/2011

Qualidade dos Serviços Situação Atual e Perspectivas COELCE 30/06/2011 Qualidade dos Serviços Situação Atual e Perspectivas COELCE 30/06/2011 Agenda O grupo Endesa 1 Características da COELCE e do estado do Ceará 2 Qualidade dos Serviços Técnicos e Comerciais 3 Investimentos

Leia mais

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel.

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. Press Release Date 1º de outubro de 2013 Contato Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508 Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. (11) 3674-3760 Pages

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais João Carlos Ferraz BNDES 31 de agosto de 2008 Guia Contexto macroeconômico Políticas públicas Perpectivas do investimento

Leia mais

4278866 - O ESTADO DE S. PAULO - NOTAS E INFORMAÇÕES - SÃO PAULO - SP - 16/04/2014 - Pág A3

4278866 - O ESTADO DE S. PAULO - NOTAS E INFORMAÇÕES - SÃO PAULO - SP - 16/04/2014 - Pág A3 Investimentos em queda 4278866 - O ESTADO DE S. PAULO - NOTAS E INFORMAÇÕES - SÃO PAULO - SP - 16/04/2014 - Pág A3 As mudanças de atitude do governo em relação ao novo Código de Mineração tornaram mais

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014. São Paulo, 12 de fevereiro de 2015

Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014. São Paulo, 12 de fevereiro de 2015 Teleconferência de Resultados 4T14 e 2014 São Paulo, 12 de fevereiro de 2015 Ressalva sobre declarações futuras Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos

Leia mais

APIMEC São Paulo Rômel Erwin de Souza CEO. Apresentação Usiminas 2T11 - APIMEC. 12 de novembro de 2015 Classificação da Informação: Pública

APIMEC São Paulo Rômel Erwin de Souza CEO. Apresentação Usiminas 2T11 - APIMEC. 12 de novembro de 2015 Classificação da Informação: Pública APIMEC São Paulo Rômel Erwin de Souza CEO Apresentação Usiminas 2T11 - APIMEC 12 de novembro de 2015 Classificação da Informação: Pública Agenda Usiminas em linhas gerais Informações de Mercado Usiminas

Leia mais

Análise dos resultados

Análise dos resultados Análise dos resultados Produção de bens e serviços de saúde A origem dos bens e serviços ofertados em qualquer setor da economia (oferta ou recursos) pode ser a produção no próprio país ou a importação.

Leia mais