DADOS ESTATÍSTICOS DA NATURA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DADOS ESTATÍSTICOS DA NATURA"

Transcrição

1 DADOS ESTATÍSTICOS DA NATURA

2 VENDAS E LUCROS DA NATURA 2003/2011 Vendas e lucros da Natura 2003/2011 milhões de reais Em milhões de reais Vendas lucro líq % lucro X vendas 4,9% 17,0% 17,4% 19,6% 14,5% 13,7% 16,1% 14,5% 14,8% Fonte: Relatórios anuais da Natura, disponíveis em Empresa muito rentável, com margem de lucro de 15% em média. Indústria automobilística tem margem de lucro de 3% das vendas. Margem da Vale é de 35%. Margem da Petrobras é 15%, igual a Natura.

3 CRESCIMENTO DAS VENDAS DA NATURA 2003/ % Crescimento das vendas da Natura 2003/2011 bilhões de reais e % Em bilhões de reais Vendas crescimento vendas % 33,1% 28,9% 4,9% 32,3% 20,9% 10,7% 21,0% 8,8% Fonte: Relatórios anuais da Natura, disponíveis em Crescimento das vendas em 20% ao ano entre 2003 e 2011, dobro do crescimento chinês.

4 CRESCIMENTO DOS LUCROS DA NATURA 2003/2011 Crescimento dos lucros da Natura 2003/2011 R$ milhões e % Em milhões de reais lucro líq % lucro X vendas 361,0% 32,2% 18,1% -1,9% 14,2% 30,0% 8,7% 11,6% Fonte: Relatórios anuais da Natura, disponíveis em Crescimento do lucro em 59,2% ao ano entre 2003 e 2011, cinco vezes mais que crescimento chinês.

5 LUCROS DA NATURA 2003/2011 Lucro Líquido X Dividendos da Natura 2003/2011 R$ milhões Em milhões de reais Lucro Líquido Dividendos % dividendos X lucro 293,8% 102,3% 99,7% 69,3% 81,5% 84,2% 80,7% 86,8% 91,8% Fonte: Relatórios anuais da Natura, disponíveis em Retorno de lucros aos donos de 90% do lucro líquido, quando o normal é de 25%. Praticamente se entrega todo o lucro aos donos, fazendo pouco investimento.

6 RESULTADOS DA NATURA NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2012 Resultados 1 trimestre 2012 X 2011 em milhões de reais Faturamento EBITDA Lucro líquido trim trim 2012 Fonte: Relatórios anuais da Natura, disponíveis em Crescimento das vendas em 11,3% no primeiro trimestre de 2012, continuando com crescimento chinês, apesar da desaceleração da economia brasileira, que já se reflete na desaceleração do crescimento dos lucros que foi de 0,7% no primeiro trimestre de EBITDA cresceu 3% no trimestre.

7 LUCROS X PLR DA NATURA 2003/2011 Lucro Líquido X PLR da Natura 2003/2011 R$ milhões Em milhões de reais Lucro Líquido PLR % dividendos X lucro 15,4% 4,0% 2,8% 2,3% 2,2% 3,8% 8,1% 9,4% 3,6% Fonte: Relatórios anuais da Natura, disponíveis em Nível bom de PLR foi o conquistado em 2010, cerca de 10% do lucro líquido. Reivindicação dos trabalhadores da Vale é de 8% do lucro líquido. Vale paga por volta de 4% e Petrobras 5% do lucro líquido.

8 VENDAS X CUSTO PESSOAL DA NATURA 2003/2011 Vendas x Mão-de-obra da Natura 2003/2011 milhões de reais Em milhões de reais Vendas Gasto com pessoal % vendas X pessoal 11,1% 14,1% 14,2% 18,5% 14,8% 12,7% 10,6% 11,8% 12,2% Fonte: Relatórios anuais da Natura, disponíveis em Gasto baixo com mão de obra, que torna a empresa rentável. A Vale e a Petrobras, por exemplo, gastam 5% das vendas com pessoal.

9 VENDAS POR FUNCIONÁRIO DA NATURA 2003/2011 Vendas por funcionário da Natura 2003/2011 R$ mil Em R$ mil Vendas Número de funcionários R$ por funcionário R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ Custo anual operário R$ Fonte: Relatórios anuais da Natura, disponíveis em Cada funcionário da Natura rendeu R$ 1 milhão de reais em Operário rende R$ ,00 e custa R$ ,00. Portanto, a Natura ganhou R$ 971 mil reais de cada operário em 2011, valor correspondente a 32 carros Gol zero quilômetro, só no ano de 2011.

10 GANHO DA NATURA POR CADA FUNCIONÁRIO 2003/2011 Ganho da Natura por cada funcionário ao ano 2003/2011 Vendas por funcionário (em R$) R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ Fonte: Relatórios anuais da Natura, disponíveis em Cada funcionário da Natura rendeu R$ 1 milhão de reais em Porém, o salário médio de um operário da Natura em 2011 foi de R$ 1.648,66, acrescentemos 100% de encargos, conformaria um custo salarial total de R$ 3.297,32 perfazendo um total anual de R$ ,16 mais R$ 5.502,09 de PLR dá um total de custo anual por operário de R$ ,25

11 A EXPLORAÇÃO DO TRABALHADOR DA NATURA Segundo o balanço da Natura de 2011 (disponível no site da empresa), cada trabalhador da Natura gerou uma riqueza de R$ ,00 no ano de Rende ao mês R$ ,83 reais ou R$ 505,83 reais por hora, considerando uma jornada de 42 horas semanais. O custo deste trabalhador para a empresa neste mesmo ano foi de R$ ,00 de salários e encargos, isto é, R$ 3.720,53 reais por mês entre salários, encargos, PLT, tudo. Isto significa R$ 22,14 reais por hora. Considerando uma jornada de 42 horas semanais, em 7 horas e meia de trabalho, isto é, menos de 1 dia de trabalho, o funcionário paga seu salário mensal (com encargos e tudo). Dito de outra forma, o funcionário trabalha 1 dia para si e 21 dias para o patrão por mês. Se fosse trabalhar para si, trabalharia apenas 12 dias no ano para ganhar o que ganha atualmente.

12 xxxx BREVE INFORME DA INDÚSTRIA QUÍMICA

13 Dimensão da indústria química no Brasil Faturamento líquido da indústria química brasileira 2010* Fibras US$ 1,1 Outros US$ 1,8 Produtos químicos de uso industrial US$ 63,8 Total US$ 130,2 bilhões* Tintas, esmaltes e vernizes US$ 3,9 Sabões e detergentes US$ 7,7 Defensivos agrícolas US$ 7,0 Adubos e fertilizantes US$ 11,2 Higiene pessoal, perfumaria e cosméticos US$ 13,8 Produtos farmacêuticos US$ 19,9 * estimado Em 2010, a indústria química teve participação de 2,4% no PIB brasileiro. O setor é o 4º em participação no PIB industrial (10,1% - base IBGE 2009). Fontes: Abiquim e associações dos segmentos

14 Ranking da indústria química mundial US$ bilhões 7ª posição PAÍS FATURAMENTO CHINA ESTADOS UNIDOS ESTADOS CHINA UNIDOS JAPÃO ALEMANHA CORÉIA FRANÇA FRANÇA ITÁLIA BRASIL CORÉIA ÍNDIA BRASIL ITÁLIA REINO UNIDO REINO ÍNDIA UNIDO RÚSSIA HOLANDA HOLANDA ESPANHA ESPANHA RÚSSIA Fontes: ACC, Cefic e Abiquim Total mundial estimado: US$ 4.124,5 bilhões

15 Balança comercial de produtos químicos 1991 a 2010 US$ bilhões Déficit cresceu de forma explosiva 1991 = US$ 1,5 bilhão 2010 = US$ 20,7 bilhões Fonte: MDIC/Secex Sistema AliceWeb Maio de 2011

16 O PIB da Química na indústria de transformação (*) Produtos químicos: 4ª maior participação no PIB industrial Fonte: IBGE PIA Empresas Unidade de Investigação: Unidade local industrial (base: 2009) (*) Produtos químicos: inclusive farmoquímicos e farmacêuticos. % sobre o PIB Industrial.

17 DADOS DA ABIQUIM 2007/2011 Em 2010 a produção da indústria química se recuperou da crise de Em 2011 iniciou a desaceleração, com uma queda na produção de -3,8%. A utilização da capacidade instalada caiu de 87% em 2007 para 80% em 2009 (durante a crise), se recuperou um pouco em 2010 para 83% e caiu novamente para 80% em Em 2012 retomou fôlego chegando a 87% no início do ano e caiu drasticamente em abril para 77% da capacidade instalada. O mesmo ocorreu com as vendas que teve queda em 2008, se recuperou em 2010 e iniciou que da -4% em 2011.

18 DADOS DA ABIQUIM 1 QUADRIMESTRE DE 2012 Crescimento na produção nos primeiros 4 meses de 2012 em 5,99%, embora tenha havido uma queda em abril. No acumulado de 12 meses já houve um pequena queda na produção, mostrando que a desaceleração geral se reflete no setor de forma ainda débil. Crescimento das vendas nos primeiros 4 meses de 2012 em 12,08%. Dados revelam que a Natura está bem melhor que o conjunto do setor, portanto está ganhando mais valia das outras.

2013: RECESSÃO NA EUROPA EMPURRA MUNDO PARA A CRISE

2013: RECESSÃO NA EUROPA EMPURRA MUNDO PARA A CRISE 2013: RECESSÃO NA EUROPA EMPURRA MUNDO PARA A CRISE 30 países mais ricos do mundo (OCDE) tiveram uma queda no PIB de 0,2% no quarto trimestre de 2012. Diminuição forte do consumo na Europa vai afetar economia

Leia mais

Indústria química no Brasil

Indústria química no Brasil www.pwc.com.br Indústria química no Brasil Um panorama do setor Indústria química no Brasil A indústria química e petroquímica é um dos mais importantes setores da economia brasileira e está entre as

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Novembro 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 A mineração nacional sentiu de forma mais contundente no primeiro semestre de 2012 os efeitos danosos da crise mundial. Diminuição do consumo chinês, estagnação do consumo

Leia mais

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO

PANORAMA DO SETOR EVOLUÇÃO EVOLUÇÃO A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto de 10% nos últimos 16 anos, tendo passado de um faturamento "ExFactory",

Leia mais

Indicadores de Desempenho Publicado em Novembro de 2015

Indicadores de Desempenho Publicado em Novembro de 2015 Publicado em Novembro de 2015 Fatos Relevantes Agosto/2015 Vendas Industriais As vendas industriais registraram expansão de 28,40% em agosto. Trata-se do maior aumento dos últimos três meses e aponta para

Leia mais

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 1) Conjuntura Econômica Em função dos impactos da crise econômica financeira mundial, inciada no setor imobiliário

Leia mais

A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL

A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL ANÁLISE ECONÔMICA DA CSN DE SETEMBRO DE 2011 Cenário Internacional 2011 foi marcado por um ambiente econômico de instabilidade, agravamento da crise européia.

Leia mais

Situação da economia e perspectivas. Gerência-Executiva de Política Econômica (PEC)

Situação da economia e perspectivas. Gerência-Executiva de Política Econômica (PEC) Situação da economia e perspectivas Gerência-Executiva de Política Econômica (PEC) Recessão se aprofunda e situação fiscal é cada vez mais grave Quadro geral PIB brasileiro deve cair 2,9% em 2015 e aumentam

Leia mais

ANO 4 NÚMERO 25 MARÇO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 4 NÚMERO 25 MARÇO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 4 NÚMERO 25 MARÇO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1 - CONSIDERAÇÕES INICIAIS Em geral as estatísticas sobre a economia brasileira nesse início de ano não têm sido animadoras

Leia mais

Release de Resultados 3T13. 23 de outubro de 2013

Release de Resultados 3T13. 23 de outubro de 2013 Release de Resultados 3T13 23 de outubro de 2013 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração

Leia mais

Estrutura Produtiva e Evolução da Economia de São Paulo

Estrutura Produtiva e Evolução da Economia de São Paulo Estrutura Produtiva e Evolução da Economia de São Paulo Este boxe apresenta a estrutura da economia paulista e sua evolução nos últimos dez anos, comparando-as com a do país. Gráfico 1 PIB Variação real

Leia mais

NOTA ECONÔMICA. Indústria brasileira perde competitividade há uma década. Custo Unitário do Trabalho em dólares reais - CUT

NOTA ECONÔMICA. Indústria brasileira perde competitividade há uma década. Custo Unitário do Trabalho em dólares reais - CUT Informativo CNI NOTA ECONÔMICA 1 Indústria brasileira perde competitividade há uma década A indústria brasileira tornou-se menos competitiva nos últimos 10 anos. A perda de competitividade é retratada

Leia mais

A crise financeira global e as expectativas de mercado para 2009

A crise financeira global e as expectativas de mercado para 2009 A crise financeira global e as expectativas de mercado para 2009 Luciano Luiz Manarin D Agostini * RESUMO - Diante do cenário de crise financeira internacional, o estudo mostra as expectativas de mercado

Leia mais

Indicadores de Desempenho Maio/2014. Fatos Relevantes RESUMO EXECUTIVO. Vendas Industriais

Indicadores de Desempenho Maio/2014. Fatos Relevantes RESUMO EXECUTIVO. Vendas Industriais Fatos Relevantes Maio/2014 Maio/2008 Vendas Industriais A Variável Indústria apresenta Química recuo com de (- aumento 8,42%), de incluso 9,16% em o maio setor fornece sucroenergético a maior contribuição

Leia mais

Evolução do PIB Brasileiro x PIB da Construção Civil (%)

Evolução do PIB Brasileiro x PIB da Construção Civil (%) o Margem Bruta atinge 42% no 3T07 e distribuição de proventos chega a R$ 40 milhões nos 9M07. 3T07 Cotação (31/10/07) ETER3 R$/ação 8,46 US$/ação 4,83 Base Acionária (31/10/07) Total 72.555.934 Free Float

Leia mais

por que essa rede assusta os varejistas Confira no tablet mais informações sobre a Rede Dia% agosto 2015 SM.com.br 39

por que essa rede assusta os varejistas Confira no tablet mais informações sobre a Rede Dia% agosto 2015 SM.com.br 39 p e r a T e x t o a l e s s a n d r a m o r i t a a l e s s a n d r a. m o r i t a @ s m. c o m. b r divulgaçãoo v t Lojas localizadas perto da casa do consumidor e que praticam preços difíceis de copiar.

Leia mais

Impacto da Indústria Automobilística na Geração de Riqueza & Papel dos Bancos como Alavancadores do Crescimento do Setor

Impacto da Indústria Automobilística na Geração de Riqueza & Papel dos Bancos como Alavancadores do Crescimento do Setor MB ASSOCIADOS XVIII Congresso Fenabrave Federação Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores Curitiba, 22 de agosto de 2008 1 Impacto da Indústria Automobilística na Geração de Riqueza

Leia mais

AGENDA 1. DESTAQUES 2. MERCADO DE ATUAÇÃO 3. DIFERENCIAIS COMPETITIVOS 4. NÚMEROS E INDICADORES DE DESEMPENHO 5. GESTÃO E SERVIÇO PARA CLIENTES

AGENDA 1. DESTAQUES 2. MERCADO DE ATUAÇÃO 3. DIFERENCIAIS COMPETITIVOS 4. NÚMEROS E INDICADORES DE DESEMPENHO 5. GESTÃO E SERVIÇO PARA CLIENTES AGENDA 1. DESTAQUES 2. MERCADO DE ATUAÇÃO 3. DIFERENCIAIS COMPETITIVOS 4. NÚMEROS E INDICADORES DE DESEMPENHO 5. GESTÃO E SERVIÇO PARA CLIENTES Marca líder e presença nacional Líder no mercado de saúde

Leia mais

AGÊNCIA ESPECIAL DE FINANCIAMENTO INDUSTRIAL FINAME RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE DEZEMBRO DE 2008

AGÊNCIA ESPECIAL DE FINANCIAMENTO INDUSTRIAL FINAME RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE DEZEMBRO DE 2008 AGÊNCIA ESPECIAL DE FINANCIAMENTO INDUSTRIAL FINAME RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE DEZEMBRO DE 2008 Senhor acionista e demais interessados: Apresentamos o Relatório da Administração e as informações

Leia mais

Economia 2º Período. Fundamentos de Macroeconomia (Aula-V) 19/10/2014. Fundamentos de Macroeconomia. Fundamentos de Macroeconomia. Prof.

Economia 2º Período. Fundamentos de Macroeconomia (Aula-V) 19/10/2014. Fundamentos de Macroeconomia. Fundamentos de Macroeconomia. Prof. (Aula-V) 19/10/2014 UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Economia 2º Período Noções de Contabilidade Nacional e Cálculo do PIB Professor : Johnny Luiz Grando Johnny@unochapeco.edu.br 5. Noções

Leia mais

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0%

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0% Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 26 de abril de 2006 Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) (NYSE:EMT;BOVESPA:EBTP4, EBTP3) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações

Leia mais

O profissional da química no século XXI

O profissional da química no século XXI 16 de maio de 2013 O profissional da química no século XXI Fernando Figueiredo Associação Brasileira da Indústria Química ABIQUIM Sonhar o sonho impossível, Pisar onde os bravos não ousam, Amar um amor

Leia mais

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 35 15 a 30 de setembro de 2009 EMPREGO De acordo com a Pesquisa

Leia mais

1 A INEFICIENCIA ENERGÉTICA EM PORTUGAL AGRAVA A CRISE ECONÓMICA E SOCIAL

1 A INEFICIENCIA ENERGÉTICA EM PORTUGAL AGRAVA A CRISE ECONÓMICA E SOCIAL Ineficiência energética agrava a crise económica e social em Portugal Pág. 1 A INEFICIENCIA ENERGÉTICA EM PORTUGAL AGRAVA A CRISE ECONÓMICA E SOCIAL RESUMO DESTE ESTUDO A baixa eficiência como é utilizada

Leia mais

Fevereiro/2014. Cenário Econômico: Piora das Perspectivas de Crescimento. Departamento t de Pesquisas e Estudos Econômicos

Fevereiro/2014. Cenário Econômico: Piora das Perspectivas de Crescimento. Departamento t de Pesquisas e Estudos Econômicos Fevereiro/2014 Cenário Econômico: Piora das Perspectivas de Crescimento Departamento t de Pesquisas e Estudos Econômicos 1 Retrospectiva 2013 Frustração das Expectativas 2 Deterioração das expectativas

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012 I - Resultados do mês Em junho de 2012 as exportações

Leia mais

Economia em Perspectiva 2012-2013

Economia em Perspectiva 2012-2013 Economia em Perspectiva 2012-2013 Porto Alegre, 28 Nov 2012 Igor Morais igor@vokin.com.br Porto Alegre, 13 de março de 2012 Economia Internacional EUA Recuperação Lenta Evolução da Produção Industrial

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

CORELAÇÃO DE FORÇAS E NÚMEROS DA CSN

CORELAÇÃO DE FORÇAS E NÚMEROS DA CSN CORELAÇÃO DE FORÇAS E NÚMEROS DA CSN CONJUNTURA INTERNACIONAL E NACIONAL A crise mundial não acabou está cozinhando em banho-maria. Países ricos estão exportando empresas para os BRICs, para ocupar todo

Leia mais

O investimento vem a reboque

O investimento vem a reboque O investimento vem a reboque IstoÉ Dinheiro - São Paulo/SP - ECONOMIA - 07/06/2012-20:00:00 Luís Artur NOGUEIRA e Guilherme QUEIROZ O aumento do consumo é essencial para que os empresários voltem a investir,

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

Informativo Semanal de Economia Bancária

Informativo Semanal de Economia Bancária 1 Comentário Semanal A semana começa ainda sob impacto do debate acerca da evolução do quadro fiscal e seus possíveis efeitos sobre o crescimento da economia e, conseqüentemente, sobre os juros em 2010.

Leia mais

ESTUDO SOBRE CIRCULAÇÃO DE REVISTAS

ESTUDO SOBRE CIRCULAÇÃO DE REVISTAS ESTUDO SOBRE CIRCULAÇÃO DE REVISTAS MERCADO BRASILEIRO 2000 A 2011 2 Sumário 1 METODOLOGIA... 3 2 EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE EXEMPLARES DE 2000 A 2011... 4 3 RECEITAS ANUAIS POR PERIODICIDADE... 5 3.1 PREÇO

Leia mais

Produção e vendas crescem nos últimos três meses, mas importações são destaque no consumo aparente nacional

Produção e vendas crescem nos últimos três meses, mas importações são destaque no consumo aparente nacional Relatório de Acompanhamento Conjuntural (RAC) Novembro/2008 ISSN 1517-6967 Produção e vendas crescem nos últimos três meses, mas importações são destaque no consumo aparente nacional Os principais índices

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL

ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL Índice de Pagamentos 2004 191 2005 184 2006 183 2007 182 2008 183 Desenvolvimento Económico (%) UE 27 - Média PIB per capita US 21.800 (2007) Crescimento do PIB 1,9 2,9

Leia mais

Relatório Mensal - Julho

Relatório Mensal - Julho Relatório Mensal - Julho (Este relatório foi redigido pela Kapitalo Investimentos ) Cenário Global A economia global apresentou uma relevante desaceleração nos primeiros meses do ano. Nosso indicador de

Leia mais

Empreendedorismo do Rio de Janeiro: Conjuntura e Análise n.5 Marolinha carioca - Crise financeira praticamente não chegou ao Rio

Empreendedorismo do Rio de Janeiro: Conjuntura e Análise n.5 Marolinha carioca - Crise financeira praticamente não chegou ao Rio Empreendedorismo do Rio de Janeiro: Conjuntura e Análise n.5 Marolinha carioca - Crise financeira praticamente não chegou ao Rio Equipe: André Urani (editor responsável) Adriana Fontes Luísa Azevedo Sandro

Leia mais

SINCOR-SP 2015 DEZEMBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 DEZEMBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS DEZEMBRO 20 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

BALANÇO ECONÔMICO 2013 & PERSPECTIVAS 2014

BALANÇO ECONÔMICO 2013 & PERSPECTIVAS 2014 BALANÇO ECONÔMICO 2013 & PERSPECTIVAS 2014 Porto Alegre, 4 de fevereiro de 2014 a CENÁRIO INTERNACIONAL CRESCIMENTO ANUAL DO PIB VAR. % ESTADOS UNIDOS: Focos de incerteza Política fiscal restritiva Retirada

Leia mais

Prazo das concessões e a crise econômica

Prazo das concessões e a crise econômica Prazo das concessões e a crise econômica ABCE 25 de Setembro de 2012 1 1. Economia Internacional 2. Economia Brasileira 3. O crescimento a médio prazo e a infraestrutura 2 Cenário internacional continua

Leia mais

Primeiro trimestre de 2004: lucro de US$ 355 milhões (crescimento de 135%)

Primeiro trimestre de 2004: lucro de US$ 355 milhões (crescimento de 135%) CNM/CUT - CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS METALÚRGICOS DA CUT DIEESE - DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SÓCIO-ECONÔMICOS SUBSEÇÃO CNM/CUT ALCOA BRASIL 1 ALCOA NO MUNDO Resultados financeiros:

Leia mais

Nossos serviços e práticas

Nossos serviços e práticas Ferramentas online para identificação de características da liderança Nossos serviços e práticas Nosso propósito Transformando estratégias em realidade Nossas práticas Construindo uma organização eficaz

Leia mais

Conjuntura Dezembro. Boletim de

Conjuntura Dezembro. Boletim de Dezembro de 2014 PIB de serviços avança em 2014, mas crise industrial derruba taxa de crescimento econômico Mais um ano de crescimento fraco O crescimento do PIB brasileiro nos primeiros nove meses do

Leia mais

PAINEL 16,0% 12,0% 8,0% 2,5% 1,9% 4,0% 1,4% 0,8% 0,8% 0,0% 5,0% 3,8% 2,8% 3,0% 2,1% 1,0% 1,0% -1,0%

PAINEL 16,0% 12,0% 8,0% 2,5% 1,9% 4,0% 1,4% 0,8% 0,8% 0,0% 5,0% 3,8% 2,8% 3,0% 2,1% 1,0% 1,0% -1,0% Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 58 1 a 15 de setembro de 2010 PIB TRIMESTRAL Segundo os dados

Leia mais

PAINEL. US$ Bilhões. nov-05 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1

PAINEL. US$ Bilhões. nov-05 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0,1 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 68 1 a 15 de fevereiro de 211 ANÚNCIOS DE INVESTIMENTOS De

Leia mais

Sexta-feira 06 de Fevereiro de 2015. DESTAQUES

Sexta-feira 06 de Fevereiro de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem pregão volátil Poupança tem em janeiro maior saque em duas décadas IPCA tem maior alta para o mês em 12 anos, aponta IBGE Planalto quer nome do mercado na Petrobras Cade marca data

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junio 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Release de Resultados do 1T14

Release de Resultados do 1T14 São Paulo, 07 de maio de 2014 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas e vernizes, pisos laminados, divisórias

Leia mais

Capacitação Técnica e Científica

Capacitação Técnica e Científica I SEMINÁRIO SOBRE O COMPLEXO INDUSTRIAL DE SAÚDE Capacitação Técnica e Científica Jailson Bittencourt de Andrade (UFBA) Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social BNDES Rio de Janeiro, 05 a 07

Leia mais

Release de Resultados 2T14. 30 de julho de 2014

Release de Resultados 2T14. 30 de julho de 2014 Release de Resultados 2T14 30 de julho de 2014 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 São Paulo, 22 de março de 2012 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

Informativo PIB Trimestral

Informativo PIB Trimestral Informativo PIB Trimestral v. 1 n. 1 abr. jun. 2010 ISSN 2178-8367 Economia baiana cresce 10,4% no segundo trimestre e acumula alta de 10,0% no 1º semestre No segundo trimestre de 2010, a economia baiana

Leia mais

Release de Resultados 3T14. 22 de outubro de 2014

Release de Resultados 3T14. 22 de outubro de 2014 Release de Resultados 3T14 22 de outubro de 2014 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração

Leia mais

Porto Alegre, Dezembro de 2015

Porto Alegre, Dezembro de 2015 Porto Alegre, Dezembro de 2015 Análise de indicadores do mês de novembro No mês, a exportação alcançou cifra de US$ 13,806 bilhões. Sobre novembro de 2014, as exportações registraram retração de 11,8%,

Leia mais

Colégio de Aplicação. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Admissão. 2ª série ensino médio. Matemática

Colégio de Aplicação. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Admissão. 2ª série ensino médio. Matemática Colégio de Aplicação Universidade Federal do Rio de Janeiro Admissão 2011 2ª série ensino médio Matemática UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO

Leia mais

Release de Resultados do 4T13

Release de Resultados do 4T13 São Paulo, 19 de fevereiro de 2014 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas e vernizes, pisos laminados,

Leia mais

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Março de 2014

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Março de 2014 Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Março de 2014 Maio/2014 BRASIL A produtividade física do trabalho da Indústria de Transformação registrou queda de 0,6% em Março de 2014,

Leia mais

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Av. Fontes Pereira de Melo, 14 10º -1050-121 Lisboa Capital Social: 118.332.445 Euros - NIPC e Mat. na C.R.C. de Lisboa sob

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 22 de maio de 2015

INFORME ECONÔMICO 22 de maio de 2015 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Setor de construção surpreende positivamente nos EUA. Cenário de atividade fraca no Brasil impacta o mercado de trabalho. Nos EUA, os indicadores do setor de construção registraram

Leia mais

Uma política econômica de combate às desigualdades sociais

Uma política econômica de combate às desigualdades sociais Uma política econômica de combate às desigualdades sociais Os oito anos do Plano Real mudaram o Brasil. Os desafios do País continuam imensos, mas estamos em condições muito melhores para enfrentálos.

Leia mais

O reflexo do cenário políticoeconômico. de planos de saúde

O reflexo do cenário políticoeconômico. de planos de saúde O reflexo do cenário políticoeconômico nas operadoras de planos de saúde 16 anos 5ª maior operadora do Brasil (fonte: ANS) A Central Nacional Unimed comercializa planos de saúde para empresas: Em 3 ou

Leia mais

Panorama das Operadoras de Planos de Saúde no País e a Realidade do Sistema Unimed

Panorama das Operadoras de Planos de Saúde no País e a Realidade do Sistema Unimed Panorama das Operadoras de Planos de Saúde no País e a Realidade do Sistema Unimed Dr. Orestes Barrozo Medeiros Pullin Vice - Presidente da Unimed do Brasil Fórum de Dirigentes Unimed Problemas e Soluções

Leia mais

Nível de Atividade: Investimento Desaba e Arrasta o PIB Trimestral

Nível de Atividade: Investimento Desaba e Arrasta o PIB Trimestral 6 análise de conjuntura Nível de Atividade: Investimento Desaba e Arrasta o PIB Trimestral Brasileiro Vera Martins da Silva (*) As perspectivas sombrias sobre a economia brasileira se confirmaram e houve

Leia mais

Pesquisa Expectativa dos Pequenos Negócios Gaúchos

Pesquisa Expectativa dos Pequenos Negócios Gaúchos Pesquisa Expectativa dos Pequenos Negócios Gaúchos Planejamento e Orçamento 3º trimestre/2015 Julho de 2015 Educação Empreendedora Consultoria Gestão Inovação Resultados 0800 570 0800 / www.sebrae-rs.com.br

Leia mais

POR QUE INVESTIR EM LISBOA? ESPECIALISTA IMOBILÁRIO EUROPEU

POR QUE INVESTIR EM LISBOA? ESPECIALISTA IMOBILÁRIO EUROPEU POR QUE INVESTIR EM LISBOA? ESPECIALISTA IMOBILÁRIO EUROPEU Introdução Portugal está começando a emergir da crise financeira. Nos últimos anos, o governo reestabeleceu suas estruturas organizacionais e,

Leia mais

Dinâmica Internacional: EUA e Europa estagnados e ascensão da China

Dinâmica Internacional: EUA e Europa estagnados e ascensão da China Dinâmica Internacional: EUA e Europa estagnados e ascensão da China Eduardo Costa Pinto Técnico de pesquisa e planejamento DINTE/IPEA 05 de outubro de 2011 Salvador/Ba Estrutura da Apresentação Parte I

Leia mais

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos 5 Plano Financeiro Investimento total Nessa etapa, você irá determinar o total de recursos a ser investido para que a empresa comece a funcionar. O investimento total é formado pelos: investimentos fixos;

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

PORCENTAGENS www.aplicms.com.br PROF. PEDRO A. SILVA

PORCENTAGENS www.aplicms.com.br PROF. PEDRO A. SILVA PORCENTAGENS Razão centesimal Chamamos de razão centesimal a toda razão cujo conseqüente (denominador) seja igual a. 6 270 2, 5 ; e Outros nomes usamos para uma razão centesimal são razão porcentual e

Leia mais

Intenções de Investimento

Intenções de Investimento Intenções de Investimento Quarto Trimestre 2014 Principais Resultados: Resultados:» Preocupações atuais» Intenções de investimento em: Tecnologia / Custeio Maquinas e Equipamentos Gestão de Pessoas Infraestrutura

Leia mais

ESTUDO DE REMUNERAÇÃO COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL

ESTUDO DE REMUNERAÇÃO COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ESTUDO DE REMUNERAÇÃO 2010 CONTEÚDO INTRODUÇÃO METODOLOGIA EMPRESAS PARTICIPANTES CARACTERÍSTICAS DAS EMPRESAS CARGOS PESQUISADOS RELATÓRIOS SALARIAIS POR CARGO Resumo Análise Detalhada POLÍTICAS E PRÁTICAS

Leia mais

Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais 2015

Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais 2015 Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais 2015 APRESENTAÇÃO Minas Gerais se consolida como um dos mais importantes estados exportadores do Brasil, pela grande produção de commodities e pelos esforços

Leia mais

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIO GLOBAL Crescimento global de 3,4 % em 2013 O mundo retoma a média histórica de crescimento (3,4% a.a) Zona do Euro sai da recessão Os EEUU

Leia mais

Seminário Nacional do Setor Metalúrgico O Brasil diante da desindustrialização e o ajuste fiscal

Seminário Nacional do Setor Metalúrgico O Brasil diante da desindustrialização e o ajuste fiscal Seminário Nacional do Setor Metalúrgico O Brasil diante da desindustrialização e o ajuste fiscal Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda São Paulo, 07 de Outubro de 2015 1 2 3 4 5 O quadro internacional A

Leia mais

BRASIL Julio Setiembre 2015

BRASIL Julio Setiembre 2015 Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julio Setiembre 2015 Prof. Dr. Rubens Sawaya Assistente: Eline Emanoeli PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE

Leia mais

A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL 6 ª 10 % MAIOR. do PIB. Indústria Química DO MUNDO INDUSTRIAL. Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012

A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL 6 ª 10 % MAIOR. do PIB. Indústria Química DO MUNDO INDUSTRIAL. Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012 Carlos Fadigas A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012 10 % do PIB INDUSTRIAL 6 ª MAIOR Indústria Química DO MUNDO A INDÚSTRIA QUÍMICA DEVE FATURAR US$ 157 BILHÕES

Leia mais

Análise Setorial. Sabesp // Minerva // Suzano //CPFL // CESP SABESP (SBSP3)

Análise Setorial. Sabesp // Minerva // Suzano //CPFL // CESP SABESP (SBSP3) Análise Setorial Sabesp // Minerva // Suzano //CPFL // CESP SABESP (SBSP3) A Sabesp divulgou ontem (09/05/2013, após o encerramento do mercado, seus números referentes ao primeiro trimestre de 2013. O

Leia mais

RELATÓRIO 2º TRIMESTRE

RELATÓRIO 2º TRIMESTRE RELATÓRIO 2º TRIMESTRE FPMSMS FUNDO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE SÃO MATEUS DO SUL 2º TRIMESTRE 2014 ÍNDICE CENÁRIO MACROECONÔMICO ------------------------------------------------------------------ 4

Leia mais

Balança Comercial 2003

Balança Comercial 2003 Balança Comercial 2003 26 de janeiro de 2004 O saldo da balança comercial atingiu US$24,8 bilhões em 2003, o melhor resultado anual já alcançado no comércio exterior brasileiro. As exportações somaram

Leia mais

MAHLE REPORTA EBITDA DE R$ 104,6 MILHÕES NO 2T14; MARGEM DE 17,7%

MAHLE REPORTA EBITDA DE R$ 104,6 MILHÕES NO 2T14; MARGEM DE 17,7% MAHLE REPORTA EBITDA DE R$ 104,6 MILHÕES NO 2T14; MARGEM DE 17,7% Mogi Guaçu (SP), 11 de agosto de 2014 - A MAHLE Metal Leve S.A. (BM&FBOVESPA: LEVE3), Companhia líder na fabricação e comercialização de

Leia mais

VALORIZAÇÃO DO BEZERRO ATRAI ATENÇÃO PARA A CRIA

VALORIZAÇÃO DO BEZERRO ATRAI ATENÇÃO PARA A CRIA Ano 6 - Edição 25 Agosto 2014 VALORIZAÇÃO DO BEZERRO ATRAI ATENÇÃO PARA A CRIA Por Prof. Dr. Sergio De Zen, Pesquisador; Equipe Pecuária de Corte As cotações praticadas em todos os elos da cadeia pecuária

Leia mais

A INDÚSTRIA QUÍMICA BRASILEIRA. Fórum Acrílico 2006

A INDÚSTRIA QUÍMICA BRASILEIRA. Fórum Acrílico 2006 A INDÚSTRIA QUÍMICA BRASILEIRA Fórum Acrílico 2006 Fátima Giovanna Coviello Ferreira (Agosto, 2006) ÂMBITO DA INDÚSTRIA QUÍMICA Produtos químicos de uso industrial - Produtos inorgânicos - Produtos orgânicos

Leia mais

Projeto: Boletim de Conjuntura Industrial, Acompanhamento Setorial, Panorama da Indústria e Análise da Política Industrial

Projeto: Boletim de Conjuntura Industrial, Acompanhamento Setorial, Panorama da Indústria e Análise da Política Industrial Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial Universidade Estadual de Campinas Instituto de Economia Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia Projeto: Boletim de Conjuntura Industrial, Acompanhamento

Leia mais

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam.

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam. Conjuntura Econômica Brasileira Palestrante: José Márcio Camargo Professor e Doutor em Economia Presidente de Mesa: José Antonio Teixeira presidente da FENEP Tentarei dividir minha palestra em duas partes:

Leia mais

EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ALGODÃO RELATÓRIO ABRIL 2015

EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ALGODÃO RELATÓRIO ABRIL 2015 EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ALGODÃO RELATÓRIO ABRIL 2015 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DO ALGODÃO Abril/15 Abril/14 VARIAÇÃO RELATIVA ALGODÃO VALOR QUANT. VALOR QUANT. US$ Mil t US$ Mil t VALOR

Leia mais

DESEMPENHO DAS EMPRESAS AFILIADAS

DESEMPENHO DAS EMPRESAS AFILIADAS DESEMPENHO DAS EMPRESAS AFILIADAS Fundação Nacional da Qualidade / MEG Base de Balanços de 12/2000 a 12/2010 Outubro / 2011 Objetivo O estudo foi elaborado a partir dos demonstrativos financeiros de uma

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

BRASIL: SUPERANDO A CRISE

BRASIL: SUPERANDO A CRISE BRASIL: SUPERANDO A CRISE Min. GUIDO MANTEGA Setembro de 2009 1 DEIXANDO A CRISE PARA TRÁS A quebra do Lehman Brothers explicitava a maior crise dos últimos 80 anos Um ano depois o Brasil é um dos primeiros

Leia mais

PRODUTIVIDADE E A PESQUISA ANUAL DE SERVIÇOS NA HOTELARIA E GASTRONOMIA BRASILEIRA

PRODUTIVIDADE E A PESQUISA ANUAL DE SERVIÇOS NA HOTELARIA E GASTRONOMIA BRASILEIRA PRODUTIVIDADE E A PESQUISA ANUAL DE SERVIÇOS NA HOTELARIA E GASTRONOMIA BRASILEIRA SUBSÍDIOS ESPECIAIS PARA FERTHORESP / FERTHOTEL FEVEREIRO 2012 - ALOISIO LEÃO DA COSTA...o IBGE realiza anualmente a Pesquisa

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais MAR/15

Ranking Mundial de Juros Reais MAR/15 Ranking Mundial de Juros Reais MAR/15 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos A EMBRAER NA ENCRUZILHADA. Relatório realizado por Nazareno Godeiro, pesquisador do ILAESE,

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos A EMBRAER NA ENCRUZILHADA. Relatório realizado por Nazareno Godeiro, pesquisador do ILAESE, Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos A EMBRAER NA ENCRUZILHADA Relatório realizado por Nazareno Godeiro, pesquisador do ILAESE, em 14 de junho de 2012 1 1. Perspectiva de pequeno crescimento

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T11

Apresentação de Resultados 3T11 Apresentação de Resultados 3T11 Aviso Legal Aviso Legal O presente documento não deve em nenhuma circunstância, ser considerado uma recomendação de investimento nas Units. Antes de investir nas Units,

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2013

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2013 . São Paulo, 13 de maio de 2013 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis e com grande presença nas classes populares do Brasil, divulga seus

Leia mais

As perspectivas futuras da indústria química

As perspectivas futuras da indústria química As perspectivas futuras da indústria química Fernando Figueiredo Presidente Executivo da ABIQUIM 21 de agosto de 2012 Agenda Dimensões da Indústria Química Brasileira Os produtos químicos de uso industrial

Leia mais

O Futuro da Indústria Química CARLOS FADIGAS

O Futuro da Indústria Química CARLOS FADIGAS O Futuro da Indústria Química CARLOS FADIGAS A indústria química é relevante para o Brasil... Faturamento da Indústria Química Brasileira (US$ bilhões) +6% a.a. 166 160 162 124 129 101 2008 2009 2010 2011

Leia mais

Quadro 1 Dimensão do controlo da EDP e da GALP por capital estrangeiro

Quadro 1 Dimensão do controlo da EDP e da GALP por capital estrangeiro RESUMO DESTE ESTUDO O sector da energia é estratégico em qualquer país, em termos de desenvolvimento e de independência nacional. Os governos, desde que tenham um mínimo de dignidade nacional e se preocupem

Leia mais

Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Panorama do setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Página 1 Evolução A Indústria Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos apresentou um crescimento médio deflacionado composto

Leia mais