AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTE E DESIGN

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTE E DESIGN"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTE E DESIGN Novembro

2 ÍNDICE 1. Introdução 4 2. População e Amostra 4 3. Questionário de Satisfação dos Alunos Caracterização dos inquiridos Apresentação de Resultados Procedimentos de depuração da base de dados Opinião dos alunos sobre a ESEC Opinião dos alunos sobre o curso de Licenciatura em Percepção dos alunos sobre a qualidade deste curso Sugestões de melhoria para o curso Opinião sobre o Plano de Estudos do Curso de Licenciatura em Arte e Design Unidades Curriculares do 1º Ano 13 A) Importância das Unidades Curriculares do 1º Ano 13 B) Satisfação com as Unidades Curriculares do 1º Ano 14 C) Adequação da Carga de Trabalho Exigida nas Unidades Curriculares do 1º Ano 15 D) Análise Comparativa das Unidades Curriculares do 1º ano Unidades Curriculares do 2º Ano 18 A) Importância das Unidades Curriculares do 2º Ano 18 B) Satisfação com as Unidades Curriculares do 2º Ano 19 C) Adequação da Carga de Trabalho Exigida nas Unidades Curriculares do 2º Ano 20 D) Análise Comparativa das Unidades Curriculares do 2º ano Unidades Curriculares do 3º Ano 23 A) Importância das Unidades Curriculares do 3º Ano 23 B) Satisfação com as Unidades Curriculares do 3º Ano 24 C) Adequação da Carga de Trabalho Exigida nas Unidades Curriculares do 3º Ano 25 D) Análise Comparativa das Unidades Curriculares do 3º ano Avaliação do Desempenho Pedagógico dos Professores do Curso de Licenciatura em Artes Plásticas I Desenho I Design I Teoria da Arte Sistemas de Representação Gráfica I Psicologia da Percepção Visual Sistemas de Representação Gráfica II Artes Plásticas II Desenho II Design II 37 2

3 4.11. Teoria do Design Artes Plásticas III Desenho III Design III Oficina de Fotografia Materiais e Técnicas de Produção Ilustração Oficina de Artes Plásticas Oficina de Design Oficina de Vídeo Correntes Artísticas e de Design Contemporâneo Produção Gráfica (opção vocacional) Projecto de Arte Projecto de Design Estudos de Arte Estudos de Design Animação 3D (Opção Vocacional) Eco Design (Opção Vocacional) Design de Luz (Opção Vocacional) Projecto de Seminário de Inserção Profissional 58 3

4 1. INTRODUÇÃO O presente relatório tem como objectivo apresentar os resultados obtidos através da aplicação dos questionários de Avaliação da Satisfação dos Alunos (SC-15) e de Avaliação da Satisfação com o Desempenho Pedagógico dos Professores do Curso de Licenciatura em Arte e Design (SC-04). Estes questionários foram aplicados durante os meses de Maio a Julho de, com o objectivo de dar cumprimento ao definido na IT Medição e Monitorização da Satisfação dos Clientes e descrito no Im Mapa de Caracterização de Questionários da Satisfação do Cliente. Com a aplicação destes questionários pretende-se recolher a opinião dos alunos do curso atrás referido sobre a ESEC, sobre a Licenciatura e sobre o desempenho dos docentes que ministram disciplinas neste curso. A aplicação dos questionários ocorreu em articulação directa com o Director de Curso, Dra. Maria Orquídea Leite de Faria Borges Bispo. 2. POPULAÇÃO E AMOSTRA Quadro 1: Número de alunos inscritos e inquiridos por curso e ano curricular Ano Nº de alunos Nº de Questionário Curricular inscritos respondentes % respondentes ,1% Avaliação da Satisfação dos Alunos ,7% ,7% Avaliação da Satisfação dos Alunos com o Desempenho Pedagógico dos Professores ,3% ,3% ,0% 4

5 3. QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS ALUNOS COM O CURSO DE ARTE E DESIGN 3.1. Caracterização dos inquiridos Os alunos da Licenciatura em inquiridos possuem idades compreendidas entre os 18 e os 54 anos, sendo que o maior número de alunos se insere no escalão etário anos. Gráfico 1 - Número de inquiridos por escalão etário e por ano curricular º ano 2º ano 3º ano < > ou = 50 Verifica-se também, que os alunos inquiridos, na sua grande maioria, são do sexo feminino 68,8% dos respondentes do 1º ano, 93,3% dos respondentes do 2º ano e 50,0% dos do 3º ano. De destacar, que a grande maioria dos inquiridos deste curso referem não ser trabalhadores-estudantes. A grande maioria dos inquiridos ingressou na ESEC e neste curso em particular, por via do Concurso Nacional de Acesso Gráfico 2 - Distribuição dos inquiridos por modalidade de ingresso na ESEC 1º ano 2º ano 3º ano 10 0 Concurso Nacional de Acesso Maiores de 23 anos Transferência Outra 5

6 3.2. Apresentação de Resultados Com o objectivo de não sobrecarregar o relatório de apresentação dos dados, facilitando assim a leitura do mesmo, só serão apresentados os valores estatísticos de tendência central (valor médio das s de cada item do questionário), bem como o valor da (que permitirá verificar, para cada item, o valor da escala que foi assinalado por mais sujeitos). Qualquer outra informação estatística poderá ser solicitada junto do Gabinete da Qualidade e Estudos Prospectivos Procedimentos de depuração da base de dados Para garantir a fiabilidade das bases de dados procedemos à identificação e eliminação dos casos com uma percentagem de não s (missing value) igual ou superior a 30%. Não foi eliminado nenhum caso uma vez que o valor missing value mais elevado era correspondente a uma variável. Posteriormente, realizámos a análise de não s por variável frequência e percentagem. Procurámos garantir que nenhum item da Parte II e Parte III do Questionário de Satisfação com o Curso apresentava percentagens de não s superiores a 10%. Sempre que um destes itens apresentava percentagens de não igual ou inferiores a 10% tomámos como critério a substituição do missing value através da técnica de previsão de s (MVA Missing Value Analysis). Este procedimento não foi realizado para o grupo de questões de avaliação das disciplinas respeitando assim, os casos em que os alunos não frequentaram as disciplinas, ou que por qualquer outro motivo consideraram não responder. Por fim, analisámos se em todas as variáveis avaliadas com uma escala de Lickert existia uma distribuição de s por todas as opções da escala. 6

7 Opinião dos alunos sobre a ESEC O Quadro 2 apresenta de uma forma genérica o posicionamento médio dos alunos, por ano lectivo (2009/) e por ano curricular, face a cada um dos itens de avaliação da ESEC. Gosto de estudar na ESEC Gosto da forma como sou tratado/a na ESEC Gosto da diversidade de actividades promovidas na ESEC Gosto das condições de trabalho que me são oferecidas Quadro 2: s com os itens de avaliação da ESEC Ano Resultado 2008 global Resultado 2009 global 1º 5,00 () 3,83 5,31 2º 5,00 ( () Moderadamente) () 3º 4,13 () 1º 4,94 () 3,96 4,01 2º 4,65 ( ( Moderadamente) Moderadamente) () 3º 4,81 () 1º 4,44 () 2º 3,65 ( Moderadamente) 3,77 ( Moderadamente) 4,41 ( Moderadamente) 3,81 3º ( Moderadamente) 3,25 1º ( 2,10 Moderadamente) 2,75 (Discordo Quase 2º 2,76 (Discordo) Totalmente) (Discordo) 3º 2,63 (Discordo) Resultados Média global 4,90 4,97 4,19 Moderada mente 3,37 Discordo % de no valor 5 43, , , , , ,3 6 4 e 5 31,3% dês s em ambos os 4 41, , , , , O segundo valor da escala mais indicado foi o 7, por 18,8% dos inquiridos. 2 O segundo valor da escala mais indicado foi o 6, por 29,4% dos inquiridos. 3 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 25% dos inquiridos. 4 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 31,3% dos inquiridos. 5 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 29,4% dos inquiridos. 6 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 25% dos inquiridos. 7 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 23,5% dos inquiridos. 8 Os escala 1 e 5 foram ambos indicados por 18,8% de inquiridos. 9 Os escala 1 e 3 foram ambos indicados por 18,8% de inquiridos. 10 O segundo valor da escala mais indicado foi o 2, por 29,4% dos inquiridos. 11 O segundo valor da escala mais indicado foi o 2, por 25% dos inquiridos. 7

8 Se hoje tivesse de voltar a escolher uma escola para estudar escolhia a ESEC Se um amigo meu quisesse tirar um curso numa área em que a ESEC oferece cursos em recomendava-lhe a ESEC Média global da escala de satisfação com a escola Quadro 2: s com os itens de avaliação da ESEC (cont.) Ano Resultado 2008 global Resultado 2009 global 1º 4,75 () 2º 3º 2,69 (Discordo) 3,18 (Discordo) 4,65 ( Moderadamente) 2,75 ( Moderadamente) 1º 4,69 () 2,96 3,37 (Discordo) (Discordo) 2º 4,12 () 3º 3,20 Discordo 3,73 Moderadame nte 3,25 ( Moderadamente) Resultados Média global 4,33 Moderada mente 4,64 % de no valor 4 31, , , e 5 4,40 Moderadamente 25,0% de s em ambos os moda. 4 35, ,5 16 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo quase totalmente; 3= Discordo; 4= Moderadamente; 5=; 6= quase totalmente; 7= totalmente. De uma forma geral verifica-se que os alunos de apresentam um grau de satisfação reduzido com a ESEC, mantendo a tendência média de do ano lectivo anterior, sendo que, o principal motivo de insatisfação são as condições de trabalho que são oferecidas a estes alunos, seguindo-se da diversidade de actividades promovidas na ESEC. É também de destacar a falta de convicção que estes alunos demonstram no item de avaliação Se hoje tivesse de voltar a escolher uma escola para estudar escolhia a ESEC, uma vez que as médias de s recaem sobretudo no Moderadamente, e quando recai no valor apresenta uma média de s muito próxima do limite inferior (4,50) que o valor médio deste grau da escala assume. 12 O segundo valor da escala mais indicado foi o 7, por 25,0% dos inquiridos. 13 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 23,5% dos inquiridos. 14 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 25% dos inquiridos. 15 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 29,4% dos inquiridos. 16 O segundo valor da escala mais indicado foi o 1, por 31,3% dos inquiridos. 8

9 Opinião dos alunos sobre o curso de Licenciatura em O Quadro 3 apresenta de forma genérica o posicionamento médio dos alunos e a moda, por ano curricular, face a cada um dos itens de avaliação deste curso. Gosto do curso que estou a frequentar O curso é melhor do que eu estava à espera Se um amigo meu quisesse tirar um curso na mesma área, recomendava-lhe este curso da ESEC Quadro 3: Estatísticas descritivas relativas à satisfação com o curso Ano Resultado 2008 global Resultado 2009 global 1º 5,13 () 4,63 2º 5,41 () 4,82 () () 4,25 3º ( Moderadamente) 1º 3,38 (Discordo) 3,46 4,06 ( 2º 2,75 Moderadame ( (Discordo) nte) Moderadamente) 3º 1º 2º 3º 2,94 (Discordo) 2,69 (Discordo) 4,38 ( Moderadamente) 4,24 3,51 ( ( Moderadamente) Moderadame nte) 3,25 (Discordo) Resultados Média global 4,93 3,38 Moderada mente 3,97 Moderada mente % de no valor 5 50,0 6 35, , , , , , , e 4 25,0% de s em cada um dos. 17 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 29,4% dos inquiridos. 18 O segundo valor da escala mais indicado foi o 2, por 25% dos inquiridos. 19 Os escala 1 e 3 foram ambos indicados por 18,8% de inquiridos. 20 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 29,4% dos inquiridos. 21 Os escala 2, 3 e 4 foram ambos indicados por 12,5% de inquiridos. 22 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 18,8% dos inquiridos. 23 Os escala 3 e 6 foram ambos indicados por 23,5% de inquiridos. 9

10 Sabendo o que sei hoje voltaria a escolher este curso da ESEC Gosto das disciplinas do meu curso Gosto dos professores do meu curso Média global da escala de satisfação com o curso Quadro 3: Estatísticas descritivas relativas à satisfação com o curso Ano Resultado 2008 global Resultado 2009 global 4,19 1º ( Moderadamente) 2º 3,52 4,71 3º 3,12 (Discordo) ( Moderadament e) () 2,94 (Discordo) 1º 4,94 () 2º 4,25 4,82 3º ( Moderadame nte) 4,61 () () 4,25 ( Moderadamente) 1º 5,31 () 2º 4,75 5,22 4,76 () () () 3º 5,19 () 3,74 Moderada mente 4,19 Moderada mente Resultados Média global 3,95 Moderada mente 4,67 5,09 % de no valor 4 43, , e 3 31,3% de s em cada um dos. 5 50, , e 5 31,3% de s em cada um dos. 6 37, , ,3 30 4,33 Moderadamente Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo quase totalmente; 3= Discordo; 4= Moderadamente; 5=; 6= quase totalmente; 7= totalmente. Em termos conclusivos é possível referir que os alunos apresentam um grau de satisfação moderado com o curso que estão a frequentar. Destaca-se o facto de em nenhum dos anos curriculares, nem em nenhum item existirem médias de avaliação que recaiam nos escala mais elevados Quase Totalmente e Totalmente. É ainda de referir que os alunos do 3º ano apresentam médias de nos itens Sabendo o que sei hoje voltaria a escolher este curso da ESEC e Se um amigo meu quisesse tirar um curso na mesma 24 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 25% dos inquiridos. 25 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 23,5% dos inquiridos. 26 O segundo valor da escala mais indicado foi o 6, por 20,5% dos inquiridos. 27 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 23,5% dos inquiridos. 28 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 31,3% dos inquiridos. 29 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 29,4% dos inquiridos. 30 Os escala 4 e 5 foram ambos indicados por 25% de inquiridos. 10

11 área, recomendava-lhe este curso da ESEC que recaem no valor da escala Discordo. É, ainda, de salientar que analisando a tendência de s dos alunos nos últimos três anos lectivos se verifica que não se registam alterações significativas na opinião dos alunos A percepção dos alunos sobre a qualidade deste curso Dos 49 alunos que responderam ao Questionário de Avaliação da Satisfação com o Licenciatura em apenas 14 (29%) indicaram a sua opinião sobre a qualidade do curso, sendo que 5 inquiridos consideram que a qualidade do curso é positiva. Apenas 2 inquiridos especificaram as características que atribuem qualidade a este curso, nomeadamente: a existência de professores prontos a atender aos interesses do curso (1 sujeito) e o facto de ser um curso direccionado para a área do design (1 sujeito). Os alunos inquiridos consideram que a Qualidade do curso fica comprometida devido à: - falta de condições físicas das instalações para aulas práticas 5 sujeitos; - ausência de softwares específicos e formação reduzida em ferramentas digitais (autocad, Photoshop, ilustrador, solidworks) 7 sujeitos; - lacunas em programas 2 sujeitos Sugestões de Melhoria 31 para o curso: Após a reflexão sobre a qualidade do curso, os alunos da Licenciatura de apresentam como as seguintes propostas de melhoria: - Melhorar as instalações, principalmente as específicas para o curso (espaço, secretárias, luz, tomadas eléctricas) - 16 sujeitos; - Disponibilização/ aquisição de software fundamental e indispensável à formação de profissionais na área do curso (Autocad, 3D StudioMax, Atlantis, Solid Works, vectorial) 18 sujeitos; - Substituir as disciplinas de FGT por disciplinas da área do curso 4 sujeitos; - Aumentar a carga teórica ao longo do curso 3 sujeitos. 31 Todas as sugestões referidas por 10 ou mais sujeitos (20% dos 49 alunos inquiridos) darão origem a um Boletim de Acção Preventiva que será analisado pela Presidência da ESEC. 11

12 - Melhorar a coordenação do curso 2 sujeitos; - Melhorar a distribuição da carga de trabalho pelas diferentes UC s 2 sujeitos; - Melhorar a articulação da carga horárias nas disciplinas com mais de 1 professor 2 sujeitos; - Maior rigor e exigência 2 sujeitos; - Melhorar e/ou criar condições de impressão de trabalhos -2 sujeitos; - Melhorar a articulação e distribuição de conteúdos entre as diferentes UC s 1 sujeito; - Aumentar a formação ao nível dos materiais 1 sujeito; - Aumentar a carga horária de desenho 1 sujeito; 12

13 Opinião sobre o Plano de Estudos da Licenciatura em Artes Plásticas I Desenho I Design I Teoria da Arte Unidades Curriculares do 1º Ano A) Importância das Unidades Curriculares do 1º Ano Sistemas de Representação Gráfica I Psicologia da Percepção Visual Sistemas de Representação Gráfica II Artes Plásticas II Desenho II Design II Teoria do Design Gráfico 3 - s dos alunos do 1º Ano para cada uma das Unidades Curriculares Psicologia da Percepção Visual Teoria da Arte Teoria do Design Artes Plásticas I Artes Plásticas II Desenho I Desenho II Escala de Importância: 1=Nada Importante; 2=Pouco Importante; 3=Importante; 4=Muito Importante Sistemas de Representação Gráfica II Sistemas de Representação Gráfica I Design II Design I 3,87 3,87 3,93 3,94 Quadro 4: Estatísticas descritivas relativas à importância das Unidades Curriculares do 1º ano Resultados ,42 3,15 3,54 3,46 3,33 3,92 Resultados ,46 3,55 3,93 2,83 3,86 2,72 3,83 3,45 3,41 3,86 2,93 2,33 2,73 3,25 3,56 3,94 2,73 3,87 2,33 (Pouco Importante) 3,87 3,31 3,60 3,93 3,00 3,25 3,31 3,56 3,6 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 3 Resultados % de s no valor 3 50,0 4 56,3 4 93,8 3 53,3 4 86,7 2 46, ,7 3 56,3 4 60,0 4 93,3 3 46, O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 33,3% dos inquiridos. 33 Os restantes inquiridos distribuem-se de forma equitativa pelos escala 2 e 4 (26,7%). 13

14 B) Satisfação com as Unidades Curriculares do 1º Ano Gráfico 4 - s dos alunos do 1º Ano para cada uma das Unidades Curriculares Escala de Satisfação: 1=Nada Satisfeito; 2=Pouco Satisfeito; 3=Satisfeito; 4=Muito Satisfeito Teoria da Arte Psicologia da Percepção Visual Teoria do Design Desenho I Artes Plásticas I Desenho II Artes Plásticas II Sistemas de Representação Gráfica II Design II Design I Sistemas de Representação Gráfica I 2,57 2,6 2,64 3,13 3,19 3,21 3,33 3,4 3,43 3,47 3,62 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 Artes Plásticas I Desenho I Design I Teoria da Arte Sistemas de Representação Gráfica I Quadro 5: Estatísticas descritivas relativas à Satisfação com as Unidades Curriculares do 1º ano Psicologia da Percepção Visual Sistemas de Representação Gráfica II Artes Plásticas II Desenho II Design II Teoria do Design Resultados 2008 Resultados ,00 3,04 3,11 2,42 (Pouco Satisfeito) 3,74 (Muito Satisfeito) 3,07 3,50 (Muito Satisfeito) 3,12 3,15 3,04 2,46 3,19 3,13 3,47 2,57 3,62 (Muito Satisfeito) 2,60 3,40 3,33 3,21 3,43 2,64 Resultados % de s no valor 3 43, , ,3 3 50,0 4 61,5 3 60,0 4 60,0 4 46, ,0 4 57,1 3 50,0 34 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 37,5% dos inquiridos. 35 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 33,3% dos inquiridos. 36 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 40,0% dos inquiridos. 14

15 C) Adequação da Carga de Trabalho Exigida nas Unidades Curriculares do 1º Ano Psicologia da Percepção Visual Sistemas de Representação Gráfica I Sistemas de Representação Gráfica II Escala de Carga de Trabalho: 1= Muito Leve; 2=Leve; 3=Adequada; 4=Pesada; 5=Muito Pesada. Artes Plásticas I Artes Plásticas II Gráfico 5 - s dos alunos do 1º Ano para cada uma das Unidades Curriculares Desenho I Desenho II Teoria da Arte Design I Teoria do Design Design II Quadro 6: Estatísticas descritivas relativas à Carga de Trabalho das Unidades Curriculares do 1º ano Resultados 2008 Resultados ,69 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 4,5 2,8 2,88 3,06 3,13 3,57 3,6 Resultados 3,87 4 4,13 4,2 % de s no valor Artes Plásticas I Desenho I Design I Teoria da Arte Sistemas de Representação Gráfica I Psicologia da Percepção Visual Sistemas de Representação Gráfica II Artes Plásticas II Desenho II Design II Teoria do Design 2,77 2,69 3,62 2,92 2,92 3,58 3,54 3,37 4,43 2,74 3,25 2,81 3,19 3,73 3,69 4,56 (Muito Pesada) 2,81 2,69 3,06 4,00 3,57 3,60 2,80 3,87 2,88 3,13 4,20 4, ,8 3 68,8 3, 4 e 5 33,3% de s em cada um dos 3 57,1 3 53,3 3 80,0 4 46, ,0 3 60,0 4 e 5 50% de s em cada um dos 4 46, O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 33,3% dos inquiridos. 38 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 33,3% dos inquiridos. 15

16 D) Análise Comparativa das Unidades Curriculares do 1º ano Avaliação da Satisfação Gráfico 6 - s dos alunos do 1º Ano para cada uma das Unidades Curriculares Teoria do Design 2,64 3 4,13 Design II 3,43 3,93 4,2 Desenho II 3,21 3,13 3,6 Artes Plásticas II 2,88 3,31 3,33 Sistemas de Representação Gráfica II 3,4 3,87 3,87 Psicologia da Percepção Visual 2,33 2,6 2,8 Sistemas de Representação Gráfica I 3,62 3,6 3,87 Teoria da Arte 2,73 2,57 3,57 Design I 3,47 3,94 4 Desenho I 3,13 3,06 3,56 Artes Plásticas I 2,69 3,25 3,19 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 4,5 5 Carga de Trabalho Satisfação Importância Escala de Importância: 1=Nada Importante; 2=Pouco Importante; 3=Importante; 4=Muito Importante Escala de Satisfação: 1=Nada Satisfeito; 2=Pouco Satisfeito; 3=Satisfeito; 4=Muito Satisfeito Escala de Carga de Trabalho: 1= Muito Leve; 2=Leve; 3=Adequada; 4=Pesada; 5=Muito Pesada. Na análise comparativa entre as três escalas de avaliação (Gráfico nº 6) verifica-se que: 1) existe um conjunto de disciplinas que os alunos consideram nuclear no 1º ano, nomeadamente: Design I e II, Sistemas de Representação Gráfica I e II e Desenho I e II; 16

17 2) na opinião dos inquiridos a disciplina de Psicologia da Percepção Visual é Pouco Importante no contexto do Plano de Estudos deste curso; esta é uma das disciplinas com que os alunos estão menos satisfeitos; 3) entre as disciplinas consideradas Muito Importantes são as de Sistemas de Representação Gráfica I e Desenho II que apresentam maior sintonia entre o grau de importância e o grau de satisfação; a disciplina de Sistemas de Representação Gráfica I é a única avaliada no valor da escala Muito Satisfeito; 4) as disciplinas de Sistemas de Representação Gráfica I e Design I são as que apresentam a maior discrepância na avaliação que os alunos fazem nas duas escalas (Importância e Satisfação); 5) das 11 disciplinas que compõem o Plano de Estudos do curso de 6 apresentam Cargas de Trabalho, consideradas pelos alunos inquiridos, pesadas, nomeadamente: Design I e II, Teoria do Design, Sistemas de Representação Gráfica I e Teoria da Arte. 17

18 Unidades Curriculares do 2º Ano A) Importância das Unidades Curriculares do 2º Ano Correntes Artísticas e de Design Contemporâneos Escala de Importância: 1=Nada Importante; 2=Pouco Importante; 3=Importante; 4=Muito Importante Gráfico 7 - s dos alunos do 2º Ano para cada uma das Unidades Curriculares Artes Plásticas III Oficina de Fotografia Oficina de Vídeo Desenho III Oficina de Artes Plásticas Materiais e Técnicas de Produção Produção Gráfica (Opção Vocacional) Ilustração Oficina de Design Design III 3,06 3,12 3,13 3,18 3,18 3,29 3,41 3,41 3,53 3,81 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 3,88 Quadro 7: Estatísticas descritivas relativas à importância das Unidades Curriculares do 2º ano Resultados 2008 Resultados 2009 Resultados Artes Plásticas III Desenho III Design III Oficina de Fotografia Materiais e Técnicas de Produção Ilustração Oficina de Artes Plásticas Oficina de Design Oficina de Vídeo Correntes Artísticas e de Design Contemporâneos Produção Gráfica (Opção Vocacional) 3,45 3,73 3,86 3,38 3,1 3,53 3,16 3,89 3,21 3,53 3,65 3,50 3,75 3,11 3,11 3,06 3,18 3,88 3,12 3,41 3,53 3,29 3,81 3,13 3,18 3,41 % de s no valor 3 52,9 3 52,9 4 88,2 3 52,9 3 e 4 47,1% de s em cada um dos 4 58,8 3 58,8 4 87,5 3 43, , ,8 39 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 37,5% dos inquiridos. 40 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 35,3% dos inquiridos. 18

19 B) Satisfação com as Unidades Curriculares do 2º Ano Correntes Artísticas e de Design Contemporâneos Escala de Satisfação: 1=Nada Satisfeito; 2=Pouco Satisfeito; 3=Satisfeito; 4=Muito Satisfeito Gráfico 8 - s dos alunos do 2º Ano para cada uma das Unidades Curriculares Desenho III Artes Plásticas III Oficina de Fotografia Oficina de Artes Plásticas Oficina de Vídeo Produção Gráfica (Opção Vocacional) Materiais e Técnicas de Produção Oficina de Design Ilustração Design III 2,06 2,06 2,59 2,88 2,94 3,12 3,13 3,18 3,18 3,38 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 3 Artes Plásticas III Desenho III Design III Oficina de Fotografia Materiais e Técnicas de Produção Ilustração Oficina de Artes Plásticas Oficina de Design Oficina de Vídeo Quadro 8: Estatísticas descritivas relativas à Satisfação com as Unidades Curriculares do 2º ano Resultado Resultados Resultados s Correntes Artísticas e de Design Contemporâneos Produção Gráfica (Opção Vocacional) 3,09 2,59 2,82 2,33 (Pouco Satisfeito) 2,72 3,42 2,74 3,50 (Muito Satisfeito) 2,37 (Pouco Satisfeito) 2,84 3,45 3,70 (Muito Satisfeito) 2,74 3,00 2,32 (Pouco Satisfeito) 2,06 2,06 3,38 2,59 3,13 (Muito Satisfeito) 3,18 (Pouco Satisfeito) 2,88 3,18 2,94 3,00 3,12 % de s no valor 1 35, , ,5 3 52,9 3 75,0 3 70,6 3 58,8 3 70,6 3 62,5 3 70,6 3 64,7 41 Os escala 2 e 3 foram indicados por 29,4% de inquiridos. 42 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 35,3% dos inquiridos. 19

20 C) Adequação da Carga de Trabalho Exigida nas Unidades Curriculares do 2º Ano Gráfico 9 - s dos alunos do 2º Ano para cada uma das Unidades Curriculares Desenho III Artes Plásticas III 1,94 1,94 Oficina de Fotografia 3,24 Correntes Artísticas e de Design Contemporâneos 3,41 Escala de Carga de Trabalho: 1= Muito Leve; 2=Leve; 3=Adequada; 4=Pesada; 5=Muito Pesada. Produção Gráfica (Opção Vocacional) Materiais e Técnicas de Produção Oficina de Artes Plásticas Oficina de Vídeo Ilustração Design III Oficina de Design 3,47 3,47 3,59 3,81 3,94 4,53 4,59 Artes Plásticas III Desenho III Design III Oficina de Fotografia Materiais e Técnicas de Produção Ilustração Oficina de Artes Plásticas Oficina de Design Oficina de Vídeo Quadro 9: Estatísticas descritivas relativas à Carga de Trabalho das Unidades Curriculares do 2º ano Correntes Artísticas e de Design Contemporâneos Produção Gráfica (Opção Vocacional) 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 4,5 5 Resultados ,23 3,14 Resultados ,79 2,47 4,36 3,84 2,9 3,06 2,89 4,00 3,89 3,84 3,39 3,74 3,00 1,94 (Leve) 1,94 (Leve) 4,53 (Muito Pesada) 3,24 3,47 3,94 3,59 4,59 (Muito Pesada) 3,81 3,41 3,47 Resultados % de s no valor 1 41, , ,6 3 52,9 3 47, , e 4 35,3% de s em ambos os 5 70,6 3 37, ,8 4 52,9 43 O segundo valor da escala mais indicado foi o 2, por 35,3% dos inquiridos. 44 Os escala 2 e 3 foram indicados por 23,5% de inquiridos. 45 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 23,5% dos inquiridos. 46 Os escala 3 e 4 foram indicados por 29,4% de inquiridos. 47 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 31,3% dos inquiridos. 20

21 D) Análise Comparativa das Unidades Curriculares do 2º ano Gráfico 10 - s dos alunos do 2º Ano para cada uma das Unidades Curriculares Produção Gráfica (Opção Vocacional) 3,12 3,47 3,41 Correntes Artísticas e de Design Contemporâneos 3 3,18 3,41 Oficina de Vídeo 2,94 3,13 3,81 Oficina de Design 3,18 3,81 4,59 Oficina de Artes Plásticas 2,88 3,29 3,59 Ilustração 3,18 3,53 3,94 Materiais e Técnicas de Produção 3,13 3,47 3,41 Oficina de Fotografia 2,59 3,12 3,24 Design III 3,38 3,88 4,53 Desenho III Artes Plásticas III 1,94 2,06 1,94 2,06 3,06 3,18 Importância Satisfação Carga de Trabalho 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 4,5 5 Escala de Importância: 1=Nada Importante; 2=Pouco Importante; 3=Importante; 4=Muito Importante Escala de Satisfação: 1=Nada Satisfeito; 2=Pouco Satisfeito; 3=Satisfeito; 4=Muito Satisfeito Escala de Carga de Trabalho: 1= Muito Leve; 2=Leve; 3=Adequada; 4=Pesada; 5=Muito Pesada. O Gráfico nº 10 permite verificar que: 1) As disciplinas que um maior número de alunos apontou como sendo muito importantes no Plano de Estudos comum do 2º ano são: Design III, Oficina de Design e Ilustração. 2) É de referir que nenhuma das disciplinas apresenta níveis de satisfação que se enquadrem no valor da escala Muito Satisfeito; no entanto, duas disciplinas registam avaliações médias que se enquadram no Pouco Satisfeito, nomeadamente, Desenho III e Artes Plásticas III. 21

22 4) As disciplinas que apresentam maior sintonia entre a Importância que os inquiridos lhe atribuem e a Satisfação com a sua concretização são: Correntes Artísticas e de Design Contemporâneos e Oficina de Vídeo. 5) As disciplinas Desenho III, Artes Plásticas III e Oficina de Design são as que apresentam maiores discrepâncias entre a Importância que os inquiridos lhe atribuem e a Satisfação com a sua concretização. 7) As disciplinas de Design III e Oficina de Design destacam-se das restantes por serem as que apresentam a maior Carga de Trabalho (Muito Pesada). 22

23 Unidades Curriculares do 3º Ano A) Importância das Unidades Curriculares do 3º Ano Gráfico 11 - s dos alunos do 3º Ano para cada uma das Unidades Curriculares Estudos de Arte 3,33 Projecto de Arte Opção Vocacional: Design de Luz Opção Vocacional: Animação 3D 3,5 3,55 3,55 Seminário de Inserção Profissional Estudos de Design 3,73 3,75 Opção Vocacional: Eco Design Projecto de 3,91 3,93 Escala de Importância: 1=Nada Importante; 2=Pouco Importante; 3=Importante; 4=Muito Importante Projecto de Design 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 4 Projecto de Arte Projecto de Design Estudos de Arte Estudos de Design Opção Vocacional: Animação 3D Opção Vocacional: Eco Design Opção Vocacional: Design de Luz Projecto de Seminário de Inserção Profissional Quadro 10: Estatísticas descritivas relativas à importância das Unidades Curriculares do 3º ano Resultados ,63 3,5 Resultados ,13 3,67 3,20 3,40 3,77 3,40 3,80 3,13 3,50 (N=12) 4,00 (N=12) 3,33 (N=12) 3,75 (N=12) 3,55 (N=11) 3,91 (N=11) 3,55 (N=11) 3,93 (N=15) 3,73 (N=15) Resultados % de s no valor 4 66, ,0 3 50,0 4 75,0 4 63,6 4 90,9 4 54,5 4 93,3 4 73,3 23

24 B) Satisfação com as Unidades Curriculares do 3º Ano Escala de Satisfação: 1=Nada Satisfeito; 2=Pouco Satisfeito; 3=Satisfeito; 4=Muito Satisfeito Projecto de Design Projecto de Arte Gráfico 12 - s dos alunos do 3º Ano para cada uma das Unidades Curriculares 2,92 3,08 Opção Vocacional: Design de Luz Estudos de Arte Seminário de Inserção Profissional Projecto de 3,1 3,17 3,2 3,27 Estudos de Design Opção Vocacional: Eco Design Opção Vocacional: Animação 3D 3,42 3,45 3,45 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 Quadro 11: Estatísticas descritivas relativas à Satisfação com as Unidades Curriculares do 3º ano Resultados 2008 Resultados 2009 Resultados % de s no valor Projecto de Arte Projecto de Design Estudos de Arte Estudos de Design Opção Vocacional: Animação 3D Opção Vocacional: Eco Design Opção Vocacional: Design de Luz Projecto de Seminário de Inserção Profissional 2,94 3,12 2,86 3,07 2,93 2,85 3,08 3,08 3,36 2,79 3,08 (N=12) 2,92 (N=12) 3,17 (N=12) 3,42 (N=12) 3,45 (N=11) 3,45 (N=11) 3,10 (N=10) 3,27 3, , , , ,0 3 54,5 3 54,5 3 70,0 4 53,3 3 e 4 40,0% de s em ambos os 48 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 33,3% dos inquiridos. 49 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 33,3% dos inquiridos. 50 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 33,3% dos inquiridos. 24

25 C) Adequação da Carga de Trabalho Exigida nas Unidades Curriculares do 3º Ano Gráfico 13 - s dos alunos do 3º Ano para cada uma das Unidades Curriculares Estudos de Arte 3 Escala de Carga de Trabalho: 1= Muito Leve; 2=Leve; 3=Adequada; 4=Pesada; 5=Muito Pesada. Projecto de Arte Opção Vocacional: Animação 3D Estudos de Design Opção Vocacional: Design de Luz Seminário de Inserção Profissional Projecto de 3,25 3,36 3,5 3,6 3,8 4 Opção Vocacional: Eco Design 4,09 Projecto de Design 4,42 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 4,5 5 Quadro 12: Estatísticas descritivas relativas à Carga de Trabalho das Unidades Curriculares do 3º ano Resultados 2008 Resultados 2009 Resultados % de s no valor Projecto de Arte Projecto de Design Estudos de Arte Estudos de Design Opção Vocacional: Animação 3D Opção Vocacional: Eco Design Opção Vocacional: Design de Luz Projecto de Seminário de Inserção Profissional 3,06 2,94 2,87 (Adequado) 4,27 2,93 3,20 3,85 3,54 3,93 3,67 3,25 (N=12) 4,42 (N=12) 3,00 (N=12) 3,50 (N=12) 3,36 (N=11) 4,09 (N=11) 3,60 (N=10) 4,00 3, ,3 5 58,3 3 66,7 3 e 4 41,7% de s em ambos os 3 72,7 4 e 5 36,4% de s em ambos os 4 60,0 4 46, e 4 40,0% de s em ambos os 51 Os restantes inquiridos distribuem-se de forma equitativa pelos escala 3 e 5 (26,7%). 25

26 D) Análise Comparativa das Unidades Curriculares do 3º ano Gráfico 14 - s dos alunos do 3º Ano para cada uma das Unidades Curriculares Seminário de Inserção Profissional Projecto de Opção Vocacional: Design de Luz 3,1 3,2 3,27 3,8 3,73 4 3,93 3,6 3,55 Opção Vocacional: Eco Design Opção Vocacional: Animação 3D Estudos de Design 3,45 3,36 3,45 3,55 3,5 3,42 3,75 3,91 4,09 Estudos de Arte 3 3,17 3,33 Projecto de Design 2,92 4 4,42 Projecto de Arte 3,25 3,08 3,5 Importância Satisfação Carga de Trabalho 1 1,5 2 2,5 3 3,5 4 4,5 5 Escala de Importância: 1=Nada Importante; 2=Pouco Importante; 3=Importante; 4=Muito Importante Escala de Satisfação: 1=Nada Satisfeito; 2=Pouco Satisfeito; 3=Satisfeito; 4=Muito Satisfeito Escala de Carga de Trabalho: 1= Muito Leve; 2=Leve; 3=Adequada; 4=Pesada; 5=Muito Pesada. O Gráfico nº 14 permite verificar que: 1) Das 9 disciplinas que compõem o 3º ano deste curso 8 são avaliadas como Muito Importantes, sendo a única excepção a disciplina de Estudos de Arte, considerada pelos inquiridos como Importante; 2) É de referir que, das nove disciplinas do 3º ano, consideradas Muito Importantes, nenhuma apresenta uma média de satisfação enquadrada no valor da escala Muito Satisfeito. A totalidade das disciplinas do 1º ano apresenta médias de satisfação que se enquadram no valor da escala Satisfeito. 26

27 3) As disciplinas de Animação 3D, Estudos de Arte e Estudos de Design são as que apresentam maior sintonia entre a Importância que os inquiridos lhe atribuem e a Satisfação com a sua concretização. 4) As disciplinas de Projecto de Design e Projecto de são as que apresentam maior discrepância entre a Importância que os inquiridos lhe atribuem e a Satisfação com a sua concretização. 5) A disciplina de Projecto de Design, Eco-Design e Projecto de é a que maior número de alunos do 3º ano considera ter uma carga de trabalho Pesada. 27

28 4. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO PEDAGÓGICO DOS PROFESSORES DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTE E DESIGN Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. Para cada docente será assinalado a verde o(s) item(s) com a média de mais alta, indicando, assim, o principal ponto forte; a laranja será indicado o(s) item(s) com a média de mais baixa indicando, assim, o aspecto que os alunos inquiridos consideram ser o menos forte do desempenho pedagógico dos docente. De referir, ainda, que sempre que num determinado item as s se concentrem em dois escala, para além da percentagem de s no valor da moda será indicado em nota de rodapé o segundo valor da escala mais referido. Quando nada mais for indicado significa que as restantes s se dispersaram pelos restantes escala ARTES PLÁSTICAS I Docente: MANUEL LUÍS PINTO GALVÃO LUCAS Resultados % de s no valor 3, ,7 52 3, ,0 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 3, ,7 53 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4, ,7 54 Quadro 13 - Média das s dos alunos do 1º Ano 4, ,0 55 O(a) professor(a) foi pontual 3, ,3 4, ,3 3,90 52 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 26,7% dos inquiridos. 53 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 26,7% dos inquiridos. 54 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 40,0% dos inquiridos. 55 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 33,3% dos inquiridos. 28

29 4.2. DESENHO I Docente: LAETITIA CATHERINE MORAIS Quadro 14 - Média das s dos alunos do 1º Ano Resultados % de s no valor 4, ,1 3, ,0 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 3, ,9 56 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4, ,3 4, ,9 57 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,6 3, ,9 58 3,91 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 56 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 28,6% dos inquiridos. 57 Os restantes inquiridos distribuem-se de forma equitativa pelos escala 3 e 5 (28,6%). 58 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 28,6% dos inquiridos. 29

30 4.3. DESIGN I Docente: SILVIA MARIA DE DEUS ESPADA Quadro 15 - Média das s dos alunos do 1º Ano Resultados % de s no valor 4, ,3 4, ,3 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 4, ,3 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4, ,0 4, ,3 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,0 4, ,0 4,46 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 30

31 4.4. TEORIA DA ARTE Docente: FRANCISCO JOSÉ LUCAS MOUTINHO RÚBIO Quadro 16 - Média das s dos alunos do 1º Ano Resultados 3,86 3 e 5 % de s no valor 35,7% de s em cada um dos 3, ,0 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 4, ,9 59 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4, ,1 4, ,9 60 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,1 3, ,0 3,90 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 59 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 28,6% dos inquiridos. 60 Os restantes inquiridos distribuem-se de forma equitativa pelos escala (28,6%). 31

32 4.5. SISTEMAS DE REPRESENTAÇÃO GRÁFICA I Docente: SILVIA MARIA DE DEUS ESPADA Quadro 17 - Média das s dos alunos do 1º Ano Resultados % de s no valor 4, ,0 4, ,1 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 4,29 4 e 5 42,9% de s em ambos os valores da O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4, ,4 4, ,1 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,6 4,50 4 e 5 4,42 50,0% de s em ambos os valores da Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 32

33 4.6. PSICOLOGIA DA PERCEPÇÃO VISUAL Docente: CATARINA ISABEL RODRIGUES MORGADO Quadro 18 - Média das s dos alunos do 1º Ano Resultados % de s no valor 4, ,6 3, ,1 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 4, ,3 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4, ,4 4, ,0 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,6 4, ,0 4,22 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 33

34 4.7. SISTEMAS DE REPRESENTAÇÃO GRÁFICA II Docente: SILVIA MARIA DE DEUS ESPADA Quadro 19 - Média das s dos alunos do 1º Ano Resultados % de s no valor 4, ,0 4, ,9 61 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 4, ,1 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4, ,4 4, ,1 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,9 4, ,8 4,42 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 61 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 35,7% dos inquiridos. 34

35 4.8. ARTES PLÁSTICAS II Docente: MANUEL LUÍS PINTO GALVÃO LUCAS Quadro 20 - Média das s dos alunos do 1º Ano Resultados % de s no valor 3, ,7 62 3, ,0 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 3, ,7 63 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4, ,3 4, ,7 64 O(a) professor(a) foi pontual 3, ,7 65 4, ,3 3,92 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 62 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 26,7% dos inquiridos. 63 Os escala 3 e 5 foram ambos indicados por 20% dos inquiridos. 64 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 40% dos inquiridos. 65 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 33,3% dos inquiridos. 35

36 4.9. DESENHO II Docente: KÁTIA COUTO DE SÁ SABINO DOS SANTOS Resultados 4,00 3 e 5 % de s no valor 35,7% de s em ambos os 3, ,0 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 4,07 4 e 5 35,7% de s em ambos os O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4, ,4 4,07 4 e 5 O(a) professor(a) foi pontual 4,50 4 e 5 Quadro 21 - Média das s dos alunos do 1º Ano 35,7% de s em ambos os 50% de s em ambos os 4, ,9 66 3,78 () Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 66 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 35,7% dos inquiridos. 36

37 4.10. DESIGN II Docente: PEDRO NUNO BANDEIRA MAIA Quadro 22 - Média das s dos alunos do 1º Ano Resultados % de s no valor 4, ,1 4, ,0 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 4,29 4 e 5 42,9% de s em ambos os O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4, ,0 4, ,0 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,1 4, ,1 4,36 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 37

38 4.11. TEORIA DO DESIGN Docente: FRANCISCO JOSÉ LUCAS MOUTINHO RÚBIO Quadro 23 - Média das s dos alunos do 1º Ano Resultados % de s no valor 3, ,9 67 3, ,3 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 4, ,9 68 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4, ,0 4, ,9 69 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,0 3, ,2 70 4,40 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 67 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 28,6% dos inquiridos. 68 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 35,7% dos inquiridos. 69 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 35,7% dos inquiridos. 70 O segundo valor da escala mais indicado foi o 2, por 30,8% dos inquiridos. 38

39 4.12. ARTES PLÁSTICAS III Docente: MANUEL LUÍS PINTO GALVÃO LUCAS Quadro 24 - Média das s dos alunos do 2º Ano Resultados % de s no valor 1, ,0 1, ,3 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 1, ,8 71 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 2,50 2 e 3 2,44 1 e 3 31,3% de s em cada um dos 37,5% de s em cada um dos O(a) professor(a) foi pontual 1, ,7 2,13 1 e 2 2,02 Discordo 37,5% de s em cada um dos Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 71 O segundo valor da escala mais indicado foi o 2, por 37,5% dos inquiridos. 39

40 4.13. DESENHO III Docente: MANUEL LUÍS PINTO GALVÃO LUCAS Quadro 25 - Média das s dos alunos do 2º Ano Resultados % de s no valor 1, ,0 1, ,3 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 1, ,8 72 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 2,50 2 e 3 2,44 1 e 3 31,3% de s em ambos os 37,5% de s em ambos os O(a) professor(a) foi pontual 1, ,8 2,13 1 e 2 2,28 Discordo 37,5% de s em ambos os Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 72 O segundo valor da escala mais indicado foi o 2, por 37,5% dos inquiridos. 40

41 4.14. DESIGN III Docente: PEDRO NUNO BANDEIRA MAIA Quadro 26 - Média das s dos alunos do 2º Ano Resultados % de s no valor 4, ,3 3, ,5 73 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 3, ,0 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 3, ,5 74 4, ,8 75 O(a) professor(a) foi pontual 4,25 4 e 5 43,8 4, ,0 4,10 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 73 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 31,3% dos inquiridos. 74 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 31,3% dos inquiridos. 75 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 31,3% dos inquiridos. 41

42 4.15. OFICINA DE FOTOGRAFIA Docente: FRANCISCO JOSÉ LUCAS MOUTINHO RÚBIO Quadro 27 - Média das s dos alunos do 2º Ano Resultados % de s no valor 3, ,0 2, ,5 76 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 3, ,8 77 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 3,81 3, 4 e 5 31,3% de s em cada um dos 4, ,8 78 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,3 3, ,3 79 3,64 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 76 O segundo valor da escala mais indicado foi o 2, por 25% dos inquiridos. 77 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 31,3% dos inquiridos. 78 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 31,3% dos inquiridos. 79 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 25% dos inquiridos. 42

43 4.16. MATERIAIS E TÉCNICAS DE PRODUÇÃO Docente: PEDRO NUNO BANDEIRA MAIA Quadro 28 - Média das s dos alunos do 2º Ano Resultados % de s no valor 4, ,3 3, ,5 80 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 3, ,0 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 3, ,5 81 4, ,8 82 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,0 4, ,0 4,06 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 80 Os escala 3 e 5 foram ambos indicados por 25% de inquiridos. 81 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 31,3% dos inquiridos. 82 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 31,3% dos inquiridos. 43

44 4.17. ILUSTRAÇÃO Docente: ANA MARIA QUARESMA CAÇÃO BISCAIA Quadro 29 - Média das s dos alunos do 2º Ano Resultados % de s no valor 3, ,8 83 3, ,8 84 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 3, ,3 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 3, ,3 85 4, ,5 86 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,5 4, ,0 3,79 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 83 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 31,3% dos inquiridos. 84 Os escala 2 e 3 foram ambos indicados por 18,8% de inquiridos. 85 Os escala 3 e 5 foram ambos indicados por 25% de inquiridos. 86 Os restantes inquiridos distribuem-se de forma equitativa pelos escala 3 e 5 (31,3%). 44

45 4.18. OFICINA DE ARTES PLÁSTICAS Docente: JOÃO HUMBERTO MORGADO FIGUEIREDO SILVA Quadro 30 - Média das s dos alunos do 2º Ano Resultados % de s no valor 4, ,8 87 3, ,3 88 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 3, ,5 89 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 3, ,3 90 4, ,0 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,5 3, ,8 91 3,95 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 87 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 37,5% dos inquiridos. 88 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 25% dos inquiridos. 89 Os escala 3 e 5 foram ambos indicados por 25% de inquiridos. 90 Os escala 3 e 4 foram ambos indicados por 25% de inquiridos. 91 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 31,3% dos inquiridos. 45

46 4.19. OFICINA DE DESIGN Docente: PEDRO NUNO BANDEIRA MAIA Quadro 31 - Média das s dos alunos do 2º Ano Resultados % de s no valor 4, ,3 3, ,3 92 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 3, ,5 93 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4, ,8 94 4, ,5 95 O(a) professor(a) foi pontual 4,31 4 e 5 31,3% de s em cada um dos 4, ,0 4,00 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 92 Os escala 3 e 5 foram ambos indicados por 25% de inquiridos. 93 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 25% dos inquiridos. 94 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 31,3% dos inquiridos. 95 Os restantes inquiridos distribuem-se de forma equitativa pelos escala 3 e 4 (31,3%). 46

47 4.20. OFICINA DE VÍDEO Docente: LAETITIA CATHERINE MORAIS Quadro 32 - Média das s dos alunos do 2º Ano Resultados % de s no valor 4, ,5 3, ,8 96 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 4, ,8 97 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4,06 4 e 5 37,5% de s em cada um dos 4, ,8 98 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,3 4,25 4 e 5 4,12 43,8% de s em cada um dos Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 96 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 25% dos inquiridos. 97 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 37,5% dos inquiridos. 98 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 31,3% dos inquiridos. 47

48 4.21. CORRENTES ARTÍSTICAS E DE DESIGN CONTEMPORÂNEO Docente: BARTOLOMEU ADALBERTO FIGUEIREDO PAIVA Quadro 33 - Média das s dos alunos do 2º Ano Resultados % de s no valor 4, ,5 3, ,5 99 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 4, ,0 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 4, , , ,8 101 O(a) professor(a) foi pontual 4,50 4 e 5 50% de s em cada um dos 4, ,0 4,29 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 99 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 31,3% dos inquiridos. 100 Os escala 3 e 4 foram ambos indicados por 25% de inquiridos. 101 O segundo valor da escala mais indicado foi o 4, por 31,3% dos inquiridos. 48

49 4.22. PRODUÇÃO GRÁFICA (Opção Vocacional) Docente: MARIA FERNANDA FERREIRA ANTUNES Quadro 34 - Média das s dos alunos do 2º Ano Resultados % de s no valor 4, ,5 3,63 3 e 4 31,3% de s em cada um dos O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 2, ,3 102 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 3, , , ,8 104 O(a) professor(a) foi pontual 4, ,0 4,06 4 e 5 4,32 37,5% de s em cada um dos Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 102 O segundo valor da escala mais indicado foi o 3, por 26,7% dos inquiridos. 103 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 31,3% dos inquiridos. 104 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 37,5% dos inquiridos. 49

50 4.23. PROJECTO DE ARTE Docente: JOÃO HUMBERTO MORGADO FIGUEIREDO SILVA Quadro 35 - Média das s dos alunos do 3º Ano Resultados % de s no valor 4, ,5 3, ,4 105 O(a) professor(a) disponibilizou materiais de apoio 2, ,5 106 O(a) professor(a) clarificou os critérios de avaliação 3, , , ,0 O(a) professor(a) foi pontual 5, ,0 3, , ,87 Escala: 1=Discordo Totalmente; 2=Discordo; 3= Apenas Parcialmente; 4=; 5= Totalmente. 105 Os escala 3 e 5 foram ambos indicados por 27,3% de inquiridos. 106 Os escala 3 e 5 foram ambos indicados por 18,2% de inquiridos. 107 O segundo valor da escala mais indicado foi o 1, por 27,3% dos inquiridos. 108 O segundo valor da escala mais indicado foi o 5, por 27,3% dos inquiridos. 50

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMUNICAÇÃO SOCIAL

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMUNICAÇÃO SOCIAL AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMUNICAÇÃO SOCIAL Dezembro ÍNDICE 1. Introdução 4 2. População e Amostra 4 3. Questionário de Satisfação dos Alunos 5 3.1. Caracterização dos inquiridos 5 3.2. Apresentação

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Comunicação e Design Multimédia

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA. Gabinete da Qualidade Observatório da Qualidade Agosto 2008

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA. Gabinete da Qualidade Observatório da Qualidade Agosto 2008 AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA Agosto 08 de Comunicação e Design Multimédia 08 ÍNDICE 1. Introdução 5 2. População e Amostra 5 3. Apresentação de Resultados 6 3.1. Opinião dos alunos

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Turismo sobre a ESEC 4 3.2. Opinião dos alunos sobre

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos do Mestrado em Educação Musical

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO BÁSICA

AVALIAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO BÁSICA AVALIAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO BÁSICA Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Educação Básica sobre a ESEC 4 3.2. Opinião

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos do Mestrado em Educação Especial sobre a

Leia mais

Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL. Perspectiva das Entidades Empregadoras

Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL. Perspectiva das Entidades Empregadoras Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL Perspectiva das Entidades Empregadoras Julho 2011 Ficha Técnica ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Edição Gabinete de Estudos, Avaliação, Planeamento e Qualidade

Leia mais

AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO ESPECIALIZADA / PÓS- GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL DOMINIO COGNITIVO E MOTOR

AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO ESPECIALIZADA / PÓS- GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL DOMINIO COGNITIVO E MOTOR AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO ESPECIALIZADA / PÓS- GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL DOMINIO COGNITIVO E MOTOR Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião

Leia mais

Relatório. Turística

Relatório. Turística Relatório anual de avaliação de curso Gestão do Lazer e da Animação Turística 2008 2009 Estoril, Março 200 Francisco Silva Director de Curso de GLAT Conteúdo Introdução... 3 2 Dados do Curso... 3 3 Avaliação

Leia mais

Relatório de Monitorização Pedagógica

Relatório de Monitorização Pedagógica Relatório de Monitorização Pedagógica Inquérito aos Alunos do 1º Ciclo 2011/2012 1º Semestre Janeiro 2012 Ficha Técnica ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Edição Gabinete de Estudos, Avaliação, Planeamento

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA. Gabinete da Qualidade Observatório da Qualidade Setembro 2008

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA. Gabinete da Qualidade Observatório da Qualidade Setembro 2008 AVALIAÇÃO DO CURSO DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA Setembro 08 ÍNDICE 1. Introdução 2. População e Amostra 3. Apresentação de Resultados 6 3.1. Opinião dos alunos de Língua Gestual Portuguesa sobre a ESEC

Leia mais

CURSOS DE FORMAÇÃO COM ANIMAÇÃO NO PLANO DE ESTUDOS

CURSOS DE FORMAÇÃO COM ANIMAÇÃO NO PLANO DE ESTUDOS CURSOS DE FORMAÇÃO COM ANIMAÇÃO NO PLANO DE ESTUDOS Portugal, 2010 Documento elaborado pelo grupo de trabalho designado como Formação com base em orientações determinadas no encontro nacional de profissionais

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação das Atitudes e Conhecimentos dos Residentes sobre a Qualidade. Enquadramento.

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação das Atitudes e Conhecimentos dos Residentes sobre a Qualidade. Enquadramento. Avaliação das Atitudes e Conhecimentos dos Residentes sobre a Qualidade 2011 Entidade Promotora Concepção e Realização Enquadramento Vice-Presidência Avaliação das Atitudes e Conhecimentos dos Residentes

Leia mais

LEGISLAÇÃO APLICÁVEL AOS ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

LEGISLAÇÃO APLICÁVEL AOS ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR PORTADORES DE DEFICIÊNCIA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL AOS ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR PORTADORES DE DEFICIÊNCIA PRINCÍPIOS GERAIS APLICÁVEIS: Todos os portugueses têm direito à Educação e à Cultura, nos termos da Constituição Portuguesa

Leia mais

RELATÓRIO-SÍNTESE DE AVALIAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DAS UNIDADES CURRICULARES

RELATÓRIO-SÍNTESE DE AVALIAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DAS UNIDADES CURRICULARES RELATÓRIO-SÍNTESE DE AVALIAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DAS UNIDADES CURRICULARES ANO LECTIVO 2011/2012 ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Avaliação do Funcionamento das Unidades Curriculares... 4 1º Semestre - Resultados

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA. Avaliação Interna. Questionário aos Pais Encarregados de Educação

ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA. Avaliação Interna. Questionário aos Pais Encarregados de Educação ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA Avaliação Interna Questionário aos Pais Encarregados de Educação Reconhece-se a importância da família e da sua colaboração no processo educativo. Com este questionário

Leia mais

Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto

Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto Outubro de 2015 Índice 1. Introdução... 3 2. Caraterização do Estudo... 4 3. Resultado Global dos Cursos de Lisboa

Leia mais

Escola E.B. 2,3 de Lousada. Opinião dos Directores de Turma sobre os documentos propostos para a avaliação dos alunos

Escola E.B. 2,3 de Lousada. Opinião dos Directores de Turma sobre os documentos propostos para a avaliação dos alunos Escola E.B. 2,3 de Lousada Opinião dos Directores de Turma sobre os documentos propostos para a avaliação dos alunos Maria do Céu Belarmino ceubelarmino@sapo.pt Rui Mesquita rui.jv.mesquita@sapo.pt Dezembro

Leia mais

Análise Matemática II

Análise Matemática II Página Web 1 de 7 Análise Matemática II Nome de utilizador: Arménio Correia. (Sair) LVM AM2_Inf Questionários INQUÉRITO ANÓNIMO» AVALIAÇÃO de AM2 e dos DOCENTES Relatório Ver todas as Respostas View Todas

Leia mais

Quarto Estudo de Follow up dos Diplomados

Quarto Estudo de Follow up dos Diplomados Cursos de Formação em Alternância na Banca Quarto Estudo de Follow up dos Diplomados Relatório Cursos terminados entre 2006 e 2009 Projecto realizado em parceria e financiado pelo Instituto de Emprego

Leia mais

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015)

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) I - Autoavaliação (formandos) A- Motivação para a Frequência da Ação 1- Identifique, de 1 (mais importante)

Leia mais

Curso de Formação Curso para a Utilização do Excel na Atividade Docente (Data de início: 16/06/2015 - Data de fim: 30/06/2015)

Curso de Formação Curso para a Utilização do Excel na Atividade Docente (Data de início: 16/06/2015 - Data de fim: 30/06/2015) Curso de Formação Curso para a Utilização do Excel na Atividade Docente (Data de início: 16/06/2015 - Data de fim: 30/06/2015) I - Autoavaliação (formandos) A- Motivação para a Frequência da Ação 1- Identifique,

Leia mais

NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Évora A.1.a. Outra(s)

Leia mais

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS SAGRA ONLINE

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS SAGRA ONLINE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS SAGRA ONLINE Relatório de Apreciação Ref.ª IT 08/82/2007 1. Introdução No Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio (COTR) a qualidade é encarada como

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

>>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico. as nossas cidades retratadas por crianças

>>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico. as nossas cidades retratadas por crianças >>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico as nossas cidades retratadas por crianças ----------------------------------------------------------- departamento de promoção da arquitectura educação pela arquitectura

Leia mais

Os equipamentos audiovisuais existentes nas salas de aulas funcionam bem

Os equipamentos audiovisuais existentes nas salas de aulas funcionam bem 106 As salas específicas estão adequadamente apetrechadas para as finalidades de ensino e aprendizagem Muito 29% Pouco Muito Na segunda pergunta, quando questionados sobre se as salas específicas (laboratórios,

Leia mais

INQUÉRITO REALIZADO A ALUNOS LABORATÓRIO DE CÁLCULO. Trabalho realizado por Lucília Rodrigues Macedo

INQUÉRITO REALIZADO A ALUNOS LABORATÓRIO DE CÁLCULO. Trabalho realizado por Lucília Rodrigues Macedo INQUÉRITO REALIZADO A ALUNOS LABORATÓRIO DE CÁLCULO 2010 Trabalho realizado por Lucília Rodrigues Macedo ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. METODOLOGIA... 3 3. APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS... 4 1. RESULTADOS

Leia mais

Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes da Creche, do Pré-escolar e do CATL da ABLA

Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes da Creche, do Pré-escolar e do CATL da ABLA Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes da Creche, do Pré-escolar e do CATL da ABLA Junho 2013 Página 1 de 20 Introdução Entre os dias 20 e 31 de Maio de 2013, foi aplicado o Questionário

Leia mais

Resultados dos inquéritos aos novos alunos da ESCS

Resultados dos inquéritos aos novos alunos da ESCS Resultados dos inquéritos aos novos alunos da ESCS No prosseguimento da política de qualidade da ESCS, foram realizados, no início do ano lectivo 2011/2012 e à semelhança do que aconteceu no ano anterior,

Leia mais

SATISFAÇÃO E QUALIDADE PERCEBIDA

SATISFAÇÃO E QUALIDADE PERCEBIDA MONITORIZAÇÃO DA QUALIDADE DO ENSINO Inquérito aos alunos das licenciaturas 2006/2007 SATISFAÇÃO E QUALIDADE PERCEBIDA - Relatório - António Caetano (Coord.) Sílvia Silva Francisco Nunes Generosa do Nascimento

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais. Relatório de Avaliação Final. Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info.

FICHA TÉCNICA. Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais. Relatório de Avaliação Final. Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info. FICHA TÉCNICA Título Organização Curso Relatório de Avaliação Final Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais Entidade Leader Consulting, 08 de Dezembro

Leia mais

Inquérito de Empregabilidade

Inquérito de Empregabilidade Inquérito de Empregabilidade / Qual a situação face ao emprego dos nossos diplomados do ano letivo 2012/2013? Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Índice I. O que é o Relatório de Empregabilidade...2

Leia mais

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Relatório Resumo Junho de 2012 Índice 1. Objectivo... 3 2. Enquadramento... 3 3. Trabalho realizado... 3 4. Dados síntese da Licenciatura

Leia mais

INSTITUTO INÁCIO DE LOYOLA CERNACHE COIMBRA. nep.010.1 Página 1 de 9

INSTITUTO INÁCIO DE LOYOLA CERNACHE COIMBRA. nep.010.1 Página 1 de 9 COLÉGIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO REGULAMENTO Serviços de Psicologia e de Orientação INSTITUTO INÁCIO DE LOYOLA CERNACHE COIMBRA nep.010.1 Página 1 de 9 Índice Índice... 2 1. Definição dos Serviços... 3 2.Objectivos....3

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2014/01 a 2014/02 APRESENTAÇÃO O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior

Leia mais

A procura de emprego dos Diplomados. com habilitação superior

A procura de emprego dos Diplomados. com habilitação superior RELATÓRIO A procura de emprego dos Diplomados com habilitação superior Dezembro 2007 Fevereiro, 2008 Ficha Técnica Título A procura de emprego dos diplomados com habilitação superior Autor Gabinete de

Leia mais

Projecto de criação de uma escola de Gestão das Artes. Algumas considerações estratégicas

Projecto de criação de uma escola de Gestão das Artes. Algumas considerações estratégicas Projecto de criação de uma escola de Gestão das Artes Algumas considerações estratégicas António Jorge Monteiro Abril de 1992 2 I. A História II. O Mercado III. Os Cursos IV. Os Professores V. Os Alunos

Leia mais

CURSO NATUROPATIA NATUROLOGIA

CURSO NATUROPATIA NATUROLOGIA 1. Área de formação Saúde (729) 2. Itinerário de Qualificação Naturopata - Naturologista 3. Modalidade da formação Qualificação Inicial e Profissional 4. Saída profissional Naturopata - Naturologista 5.

Leia mais

1. Introdução. 2. Metodologia e Taxa de Adesão. Resultados Nacionais Agregados de 2011

1. Introdução. 2. Metodologia e Taxa de Adesão. Resultados Nacionais Agregados de 2011 1 Resultados Nacionais Agregados de 11 Observatório Nacional de Recursos Humanos Resultados Nacionais Agregados de 11 1. Introdução Desde a sua criação em 02 que o Observatório Nacional de Recursos Humanos

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular 2009/2010

Ficha de Unidade Curricular 2009/2010 Ficha de Unidade Curricular 2009/2010 Unidade Curricular Designação Ferramentas Digitais/Gráficas I Área Científica Design Gráfico e Multimédia Ciclo de Estudos Obrigatório Carácter: Obrigatório Semestre

Leia mais

Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes do Serviço de Apoio Domiciliário da ABLA

Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes do Serviço de Apoio Domiciliário da ABLA Relatório de Avaliação do Grau de Satisfação dos Clientes do Serviço de Apoio Domiciliário da ABLA Junho 3 Página de Introdução Entre os dias e 3 de Maio de 3, foi aplicado o Questionário de Avaliação

Leia mais

OBSERVAÇÃO E ANÁLISE DA RETENÇÃO NO ENSINO BÁSICO NO ANO LECTIVO DE 2006/2007

OBSERVAÇÃO E ANÁLISE DA RETENÇÃO NO ENSINO BÁSICO NO ANO LECTIVO DE 2006/2007 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA OBSERVAÇÃO E ANÁLISE DA RETENÇÃO NO ENSINO BÁSICO NO ANO LECTIVO DE 2006/2007 RELATÓRIO FINAL ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO

Leia mais

Maio de 2012. Relatório de Avaliação da Aula Comunicação Oral de Escrita da Unidade Curricular Competências Transversais II. Ano Letivo 2011/2012

Maio de 2012. Relatório de Avaliação da Aula Comunicação Oral de Escrita da Unidade Curricular Competências Transversais II. Ano Letivo 2011/2012 Maio de 2012 Relatório de Avaliação da Aula Comunicação Oral de Escrita da Unidade Curricular Competências Transversais II Ano Letivo 2011/2012 Gabinete de Apoio ao Tutorado ÍNDICE 1. Introdução... 3 2.

Leia mais

MARTA GRAÇA, CARLA PATROCÍNIO, MARTA PILE Gabinete de Estudos e Planeamento (GEP) Instituto Superior Técnico (IST)

MARTA GRAÇA, CARLA PATROCÍNIO, MARTA PILE Gabinete de Estudos e Planeamento (GEP) Instituto Superior Técnico (IST) PERFIL DO ALUNO UNIVERSITÁRIO DO MARTA GRAÇA, CARLA PATROCÍNIO, MARTA PILE Gabinete de Estudos e Planeamento (GEP) Instituto Superior Técnico () 1. Introdução Esta comunicação faz uma caracterização do

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO

ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 1 ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 1 - Preâmbulo O trabalho desenvolvido assentou no referencial 2006-2011 da Inspeção-Geral da Educação, nomeadamente o Quadro de referência para

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 120 23 de Junho de 2010 2237

Diário da República, 1.ª série N.º 120 23 de Junho de 2010 2237 Diário da República, 1.ª série N.º 120 23 de Junho de 2010 2237 o previsto para os docentes da educação pré -escolar e do 1.º ciclo do ensino básico, continua aplicar -se o disposto no seu artigo 18.º

Leia mais

Categoria Profissional

Categoria Profissional 1. Taxa de resposta Todos os docentes convidados a participar no inquérito responderam ao mesmo, tendo-se obtido assim uma taxa de resposta de 100%. 2. Situação profissional dos docentes Categoria Profissional

Leia mais

1. Problema Geral de Investigação

1. Problema Geral de Investigação O CONTRIBUTO DO DISTRESS, BURNOUT E BEM-ESTAR PARA O ABSENTISMO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO COM TRABALHADORES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM CONTEXTO UNIVERSITÁRIO Sónia Borges Índice 1. Enquadramento Geral da

Leia mais

Resultados dos Questionários de Satisfação dos Estudantes

Resultados dos Questionários de Satisfação dos Estudantes Resultados dos Questionários de Satisfação dos Estudantes Ano Lectivo 2011/2012 1 Os resultados apresentados reflectem a análise dos Questionários de Satisfação dos Estudantes/Formandos Ano Lectivo 2011/2012

Leia mais

Julho de 2008 GAAQ (Gabinete de Autoavaliação para a Qualidade)

Julho de 2008 GAAQ (Gabinete de Autoavaliação para a Qualidade) Relatório do inquérito aplicado aos Docentes Julho de 2008 GAAQ (Gabinete de Autoavaliação para a Qualidade) 1 UAL, Ano lectivo de 2007/2008 2 Índice 1. Estrutura do questionário 1.1. Resultados do Alpha

Leia mais

A INFLUÊNCIA DOS PROJETOS NO DOMÍNIO DOS RESULTADOS: O PONTO DE VISTA DOS COORDENADORES

A INFLUÊNCIA DOS PROJETOS NO DOMÍNIO DOS RESULTADOS: O PONTO DE VISTA DOS COORDENADORES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CABECEIRAS DE BASTO A INFLUÊNCIA DOS PROJETOS NO DOMÍNIO DOS RESULTADOS: O PONTO DE VISTA DOS COORDENADORES A EQUIPA DE AUTOAVALIAÇÃO: Albino Barroso Manuel Miranda Paula Morais

Leia mais

Análise Social, vol. XX (84), 1984-5.º, 701-706

Análise Social, vol. XX (84), 1984-5.º, 701-706 Edgar Rocha Análise Social, vol. XX (84), 1984-5.º, 71-76 Nota sobre a população activa agrícola do sexo feminino, segundo o Recenseamento e segundo o Inquérito Permanente ao Emprego : em busca de 3 mulheres

Leia mais

Questionário. Desenvolvimento Profissional dos Professores

Questionário. Desenvolvimento Profissional dos Professores Questionário Desenvolvimento Profissional dos Professores Com este questionário pretende-se contribuir para o conhecimento de algumas dimensões do desenvolvimento profissional dos professores portugueses,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS MESTRADOS EM ENSINO - FORMAÇÃO DE PROFESSORES

REGULAMENTO INTERNO DOS MESTRADOS EM ENSINO - FORMAÇÃO DE PROFESSORES REGULAMENTO INTERNO DOS MESTRADOS EM ENSINO - FORMAÇÃO DE PROFESSORES Artigo 1º Âmbito O Regulamento interno dos mestrados em ensino formação inicial de professores aplica-se aos seguintes ciclos de estudo

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL

AVALIAÇÃO DO CURSO DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL AVALIAÇÃO DO CURSO D MSTRADO M DUCAÇÃO SPCIAL Setembro 2010 ÍNDIC 1. Introdução 1 2. População e Amostra 1 3. Questionário de Satisfação dos Alunos 2 3.1. Caracterização dos inquiridos 2 3.2. Apresentação

Leia mais

Relatório do Mestrado em Biologia e Gestão da Qualidade da Água. Ano de 2008/2009

Relatório do Mestrado em Biologia e Gestão da Qualidade da Água. Ano de 2008/2009 Relatório do Mestrado em Biologia e Gestão da Qualidade da Água Ano de 2008/2009 Comissão Coordenadora Maria da Natividade Ribeiro Vieira Directora de Curso Vítor Manuel Oliveira Vasconcelos Luís Filipe

Leia mais

INTERCAMPUS Inquérito a Turistas Maio de 2015 EVENTOS DE SURF. Com o apoio de:

INTERCAMPUS Inquérito a Turistas Maio de 2015 EVENTOS DE SURF. Com o apoio de: EVENTOS DE SURF 1 Com o apoio de: Índice 2 1 Análise Síntese 4 2 Resultados 7 1. Caracterização da amostra 8 2. Satisfação 15 4. Regressar e recomendar 20 3 Metodologia 23 Contextualização do Projecto

Leia mais

Dos 1004 alunos que frequentavam as aulas de Educação Física, um em cada cinco, tinham excesso de peso ou obesidade.

Dos 1004 alunos que frequentavam as aulas de Educação Física, um em cada cinco, tinham excesso de peso ou obesidade. Conclusões e Sugestões (1/5) As principais conclusões a que pudemos chegar de acordo com os objectivos a que nos propusemos, nomeadamente o de conhecer o índice da massa corporal dos alunos da escola onde

Leia mais

PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO COMO UM MEIO DE MOTIVAÇÃO. Celina Pinto Leão Universidade do Minho cpl@dps.uminho.pt

PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO COMO UM MEIO DE MOTIVAÇÃO. Celina Pinto Leão Universidade do Minho cpl@dps.uminho.pt PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO COMO UM MEIO DE MOTIVAÇÃO Celina Pinto Leão Universidade do Minho cpl@dps.uminho.pt O evidente decréscimo de conhecimento básico de matemática por parte dos alunos nos cursos de engenharia,

Leia mais

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Lisboa

Leia mais

Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de

Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de 3 APROVADO POR: Conselho Técnico Científico 26 09 2011 Data: / / 26 09 2011 Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de licenciado na ESEP INTRODUÇÃO Os Decretos Lei n.º

Leia mais

Avaliação do Desempenho do. Pessoal Docente. Manual de Utilizador

Avaliação do Desempenho do. Pessoal Docente. Manual de Utilizador Avaliação do Desempenho do Pessoal Docente Manual de Utilizador Junho de 2011 V6 Índice 1 ENQUADRAMENTO... 4 1.1 Aspectos gerais... 4 1.2 Normas importantes de acesso e utilização da aplicação... 4 1.3

Leia mais

ESCOLA PROFISSIONAL DE CHAVES. Inquérito de Satisfação dos Estágios Curriculares 2011/2012

ESCOLA PROFISSIONAL DE CHAVES. Inquérito de Satisfação dos Estágios Curriculares 2011/2012 ESCOLA PROFISSIONAL DE CHAVES Inquérito de Satisfação dos Estágios Curriculares 2011/2012 Índice Introdução 3 1.Caracterização dos Inquéritos de Satisfação do Estágio Curricular 4 1.1. Caracterização Geral

Leia mais

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Liderança 1.1 1.2 1.3 1.4 1. As decisões tomadas pelo Conselho Pedagógico, pela Direção e pelo Conselho Geral são disponibilizadas atempadamente. 2. Os vários

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão Logística

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão Logística Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação Gestão Logística Edital 1ª Edição 2012 1 Enquadramento Tem vindo a ser reconhecida, por políticas governamentais

Leia mais

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS MARÍTIMAS COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS RELATÓRIO DE ANÁLISE AOS INQUÉRITOS DE INGRESSO DOS NOVOS ALUNOS

Leia mais

REGULAMENTO DE SEMINÁRIO / ESTÁGIO DA LICENCIATURA EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES PREÂMBULO

REGULAMENTO DE SEMINÁRIO / ESTÁGIO DA LICENCIATURA EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES PREÂMBULO REGULAMENTO DE SEMINÁRIO / ESTÁGIO DA LICENCIATURA EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES PREÂMBULO A disciplina de Seminário/Estágio, do 3º ano da Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO PERCURSO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DA UTAD

OBSERVATÓRIO DO PERCURSO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DA UTAD OBSERVATÓRIO DO PERCURSO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DA UTAD UTAD 2011 OBSERVATÓRIO DO PERCURSO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DA UTAD (2003-2007) O. Enquadramento As políticas públicas de ensino superior

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil CONSELHO DE CLASSE A visão dos professores sobre educação no Brasil INTRODUÇÃO Especificações Técnicas Data do Campo 19/06 a 14/10 de 2014 Metodologia Técnica de coleta de dados Abrangência geográfica

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO EVENTO

RELATÓRIO FINAL DO EVENTO RELATÓRIO FINAL DO EVENTO Outubro 2010 1. INTRODUÇÃO Uma vez terminado o evento Start Me Up Alto Minho, apresentam-se de seguida um conjunto de elementos que, em jeito de conclusão, se revelam oportunos

Leia mais

CENTRO DE ALTO RENDIMENTO DO JAMOR

CENTRO DE ALTO RENDIMENTO DO JAMOR CENTRO DE ALTO RENDIMENTO DO JAMOR Documento orientador de integração de Praticantes Critérios de financiamento às Federações Desportivas 2014/2015 O Centro de Alto Rendimento do Jamor (CAR Jamor) é uma

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Elisa Maçãs IDÉIAS & SOLUÇÕES Educacionais e Culturais Ltda www.ideiasesolucoes.com 1

Leia mais

Relatório de Avaliação da Acção de Formação

Relatório de Avaliação da Acção de Formação Relatório de Avaliação da Acção de Formação Este relatório resulta da análise de um questionário online administrado a todos os formandos de forma anónima. O questionário continha questões fechadas, que

Leia mais

MICROCRÉDITO UMA AVALIAÇÃO DE CASOS EM PORTUGAL

MICROCRÉDITO UMA AVALIAÇÃO DE CASOS EM PORTUGAL MICROCRÉDITO UMA AVALIAÇÃO DE CASOS EM PORTUGAL 1-INTRODUÇÃO 1.1- Este estudo teve por objectivo conhecer a situação actual dos negócios apoiados pela ANDC junto dos indivíduos que até 2012 inclusivé concluíram

Leia mais

Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR:

Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR: 1ª AVENIDA DINAMIZAÇÃO ECONÓMICA E SOCIAL DA BAIXA DO PORTO Relatório do Inquérito aos Turistas sobre os Estabelecimentos Comerciais CO-FINANCIADO POR: Unidade de Gestão de Área Urbana Setembro 2013 Agradecimentos

Leia mais

Caracterização dos cursos de licenciatura

Caracterização dos cursos de licenciatura Caracterização dos cursos de licenciatura 1. Identificação do ciclo de estudos em funcionamento Os cursos de 1º ciclo actualmente em funcionamento de cuja reorganização resultam os novos cursos submetidos

Leia mais

Aspectos Metodológicos dos Relatórios por tribunal do Censo do Poder Judiciário

Aspectos Metodológicos dos Relatórios por tribunal do Censo do Poder Judiciário Aspectos Metodológicos dos Relatórios por tribunal do Censo do Poder Judiciário Os relatórios por tribunal apresentam as principais informações disponíveis no Censo do Poder Judiciário. Cada relatório

Leia mais

Grupo Disciplinar. de Filosofia. Relatório de análise dos resultados da Avaliação Interna e Externa à disciplina. Ano letivo de 2012/2013

Grupo Disciplinar. de Filosofia. Relatório de análise dos resultados da Avaliação Interna e Externa à disciplina. Ano letivo de 2012/2013 Grupo Disciplinar de Filosofia Relatório de análise dos resultados da Avaliação Interna e Externa à disciplina de Filosofia Ano letivo de 2012/2013 A Coordenadora de Grupo Disciplinar: Maria João Pires

Leia mais

O que pensam os professores da educação básica de Campinas sobre a aprendizagem dos alunos: evidências da Prova Brasil 2013. Por Stella Silva Telles

O que pensam os professores da educação básica de Campinas sobre a aprendizagem dos alunos: evidências da Prova Brasil 2013. Por Stella Silva Telles O que pensam os professores da educação básica de Campinas sobre a aprendizagem dos alunos: evidências da Prova Brasil 2013 Por Stella Silva Telles - Apresentação; - Quem são os professores que responderam

Leia mais

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES 2013 (canal internet)

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES 2013 (canal internet) AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES 2013 Março 2014 AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES 2013 Autoridade Tributária e Aduaneira Ministério das Finanças Classificação: 010.10.01 Rua da Prata nº

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 8, DE 14 DE MARÇO DE

PORTARIA NORMATIVA Nº 8, DE 14 DE MARÇO DE Ministério da Educação PORTARIA NORMATIVA Nº 8, DE 14 DE MARÇO DE 2014 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição,

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO LIVRO

ORGANIZAÇÃO DO LIVRO Prefácio A performance dos serviços públicos constitui um tema que interessa a todos os cidadãos em qualquer país. A eficiência, a quantidade e a qualidade dos bens e serviços produzidos pelos organismos

Leia mais

(Docentes, Não-Docentes, Alunos e Encarregados de Educação) NOTA IMPORTANTE Esta apresentação não dispensa e leitura do Relatório da Função Manuel Leão. Tendo como preocupação fundamental a procura da

Leia mais

NCE/10/00116 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00116 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/00116 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Descrição

Leia mais

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fundação Minerva - Cultura - Ensino E Investigação

Leia mais

ÍNDICE. Que expectativas académicas, que organização do estudo e conciliação entre estudos e emprego? 6

ÍNDICE. Que expectativas académicas, que organização do estudo e conciliação entre estudos e emprego? 6 Relatório Síntese: Perfil do Trabalhador-Estudante do IST Introdução ÍNDICE Qual a proporção de trabalhadores-estudantes no IST nos últimos 5 anos lectivos? 2 Qual a População-alvo deste inquérito? 2 A

Leia mais

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL ANEXO III RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL -- ÍNDICE ÍNDICE. OBJECTIVOS E ÂMBITO DO ESTUDO. METODOLOGIA. RESUMO. INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL. INOVAÇÃO NOS ÚLTIMOS 6 ANOS 6. APRENDIZAGEM

Leia mais

Somos 10 555 853 residentes, Constituímos 4 079 577 famílias e. Dispomos de 5 879 845 alojamentos em 3 550 823 edifícios

Somos 10 555 853 residentes, Constituímos 4 079 577 famílias e. Dispomos de 5 879 845 alojamentos em 3 550 823 edifícios Censos 2011 Resultados Preliminares 30 de Junho de 2011 Somos 10 555 853 residentes, Constituímos 4 079 577 famílias e Dispomos de 5 879 845 alojamentos em 3 550 823 edifícios Cem dias após o momento censitário

Leia mais

Regulamento dos Laboratórios de Física e Química

Regulamento dos Laboratórios de Física e Química Regulamento dos Laboratórios de Física e Química 1 Missão Os Laboratórios de Física e de Química são essencialmente um lugar de aprendizagem, onde se encontram todo o tipo de materiais, devidamente organizados

Leia mais

Instrumentos de Avaliação

Instrumentos de Avaliação Instrumentos de Avaliação 7 Questionário de expectativas Atendendo à integração do Curso "Formação de eformadores" no Projecto etrainers, que tem como objectivo a testagem de metodologias e ambientes inovadores

Leia mais

GABINETE DA MINISTRA DESPACHO

GABINETE DA MINISTRA DESPACHO DESPACHO A concretização do sistema de avaliação do desempenho estabelecido no Estatuto da Carreira dos Educadores de Infância e dos Professores dos Ensinos Básico e Secundário (ECD), recentemente regulamentado,

Leia mais

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS I Os cinco domínios 1. Resultados 2. Prestação do serviço educativo 3. Organização e gestão escolar 4. Liderança 5. Capacidade de auto-regulação

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA NOTA JUSTIFICATIVA Em conformidade com os poderes regulamentares que lhes são atribuídos pelos artigos 112º n.º 8 e 241º da Lei Constitucional, devem os Municípios aprovar os respectivos regulamentos municipais,

Leia mais

Edital de abertura de concurso. Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente

Edital de abertura de concurso. Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente 1. Perfil Profissional Edital de abertura de concurso Curso de Especialização Tecnológica (Nível IV) Gestão da Qualidade e Ambiente O/A Técnico/a Especialista em Gestão da Qualidade e do Ambiente é o/a

Leia mais

Relatório de Actividades do Provedor do Estudante - 2009/2011 -

Relatório de Actividades do Provedor do Estudante - 2009/2011 - Relatório de Actividades do Provedor do Estudante - 2009/2011 - Caros Estudantes e restante Comunidade Académica do IPBeja, No dia 29 de Abril de 2009 fui nomeado Provedor do Estudante pelo Presidente

Leia mais

Avaliação das Necessidades e Expetativas Stakeholders. Relatório Final Análise Comparativa

Avaliação das Necessidades e Expetativas Stakeholders. Relatório Final Análise Comparativa Avaliação das Necessidades e Expetativas Stakeholders Relatório Final Análise Comparativa AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE SATISFAÇÃO DAS NECESSIDADES E EXPETATIVAS, POR MEIO DA AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO - 2014

Leia mais

Notas sobre a população a propósito da evolução recente do número de nascimentos

Notas sobre a população a propósito da evolução recente do número de nascimentos Maria João Valente Rosa* Análise Social, vol. xxxiii (145), 1998 (1. ), 183-188 Notas sobre a população a propósito da evolução recente do número de nascimentos O número de nascimentos em Portugal tem

Leia mais

Fevereiro de 2012. Relatório de Avaliação das Sessões de Relaxamento. Ano Letivo 2011/2012. Gabinete de Apoio ao Tutorado

Fevereiro de 2012. Relatório de Avaliação das Sessões de Relaxamento. Ano Letivo 2011/2012. Gabinete de Apoio ao Tutorado Fevereiro de 2012 Relatório de Avaliação das Sessões de Relaxamento Ano Letivo 2011/2012 Gabinete de Apoio ao Tutorado ÍNDICE 1. Introdução & Enquadramento... 3 2. Avaliação 1º semestre de 2011/2012...

Leia mais