COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS"

Transcrição

1 ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS MARÍTIMAS COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS RELATÓRIO DE ANÁLISE AOS INQUÉRITOS DE INGRESSO DOS NOVOS ALUNOS NO CURSO DA LEMM - BOLONHA (Ano lectivo de 2007/2008) ENIDH Janeiro de 2008

2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO CONCLUSÕES DO INQUÉRITO REALIZADO AOS NOVOS ALUNOS DA LEMM...2 ANEXO I...7 GRÁFICOS OBTIDOS A PARTIR DOS INQUÉRITOS REALIZADOS AOS NOVOS ALUNOS DA LEMM...7 ANEXO II...14 MODELO DE INQUÉRITO UTILIZADO PELOS NOVOS ALUNOS DA LEMM

3 1. INTRODUÇÃO Neste relatório apresenta-se uma análise estatística sucinta aos inquéritos efectuados aos novos alunos do curso de licenciatura em Engenharia de Máquinas Marítimas (LEMM) e relativo ao ano lectivo de O modelo do inquérito utilizado para recolher os dados junto dos alunos, encontra-se no Anexo II do presente relatório. Estes inquéritos têm como objectivo caracterizar o tipo de alunos que ingressou no primeiro ano do curso de licenciatura em EMM (1º ciclo - Bolonha) do corrente ano lectivo, tendo em vista traçar um perfil do aluno, as suas origens, local de residência, opinião global acerca do curso, etc. Do trabalho realizado junto dos alunos foram recolhidas 16 amostras, o que abrange a grande maioria dos alunos que se inscreveram no curso da LEMM no corrente ano lectivo, nas suas diversas modalidades (regime geral de ingresso, mudanças de curso, transferência e maiores de 23 anos). O elevado número de inquéritos obtido, permite caracterizar com bastante rigor os objectivos pretendidos com este trabalho. Neste documento, é efectuada uma análise descritiva aos inquéritos recolhidos e indicadas algumas conclusões preliminares com base nos resultados obtidos. Deixa-se ao cuidado dos membros do Departamento de Máquinas Marítimas (DMM) uma análise mais aprofundada aos resultados expressos neste relatório. 2. CONCLUSÕES DO INQUÉRITO REALIZADO AOS NOVOS ALUNOS DA LEMM O inquérito efectuado aos novos alunos do curso da LEMM, pretendeu recolher as opiniões da população alvo no que concerne às seguintes questões: 0. Tipo de candidatura ao curso da LEMM 1. Diga como tomou conhecimento da existência da Escola Náutica e dos seus cursos. 2. Caso tenha tido conhecimento da existência da Escola Náutica e dos seus cursos através dos meios de comunicação social, especifique qual a sua origem. 3. Caso se tenha candidatado ao ensino superior através do regime geral de ingresso, diga em que opção colocou o curso de Engenharia de Máquinas Marítimas (EMM). 4. Caso tenha escolhido um outro curso em 1ª opção, especifique o curso em que estava interessado em frequentar bem como o nome da respectiva Escola. 5. Quais as principais motivações que o levaram a escolher o curso de EMM da Escola Náutica. 6. Qual a impressão geral que tem acerca do curso de Engenharia de Máquinas Marítimas. 7. Quais os principais benefícios que espera obter com a conclusão do curso de Engenharia de Máquinas Marítimas. 8. Qual a sua expectativa relativamente à frequência do curso de Engenharia de Máquinas Marítimas (EMM). 9. Qual a sua disponibilidade para frequentar o curso de Engenharia de Máquinas Marítimas (EMM). 2

4 10. Qual a sua opinião no caso de o curso de EMM poder vir a funcionar igualmente em regime pós-laboral (entre as h e as h, distribuído ao longo de 9 semestres lectivos/4 disciplinas por semestre). 11. Qual a distância da sua actual residência à Escola Náutica, bem como o nome do respectivo concelho. Os resultados obtidos foram tratados de modo a poderem ser apresentados sob a forma de gráficos circulares, conforme indicado no ANEXO I ao presente relatório. Da análise dos gráficos obtidos, foi possível retirar as seguintes conclusões: Questão 0: Tipo de candidatura ao curso da LEMM Para esta questão, obtiveram-se os seguintes resultados: i) Regime geral de ingresso: 64% ii) Maiores de 23 anos: 29% iii) Outras modalidades previstas na lei: 7% Neste caso, os resultados estão dentro do esperado, ou seja a maioria dos alunos candidata-se através do regime geral de ingresso (64%). Deve salientar-se no entanto a percentagem significativa de alunos que recorreram à modalidade de Maiores de 23 anos (29%). 1. Diga como tomou conhecimento da existência da Escola Náutica e dos seus cursos. Para esta questão, obtiveram-se os seguintes resultados: i) Conhece a Escola através de familiares, amigos e conhecidos: 36% ii) Página web da Escola: 32% iii) Página web de acesso ao ensino superior (DGES): 16%. Neste caso, continua a verificar-se que a maioria dos alunos fica a conhecer a ENIDH através de familiares, amigos e conhecidos, devido provavelmente ao facto de a Escola até ao ano passado não ter realizado acções de divulgação com grande visibilidade. De salientar o facto de só 5% dos alunos ter tido conhecimento da ENIDH através dos meios de comunicação social, provavelmente devido à falta de visibilidade dada pelos órgãos de comunicação social à actividade marítima e portuária. 2. Caso tenha tido conhecimento da existência da Escola Náutica e dos seus cursos através dos meios de comunicação social, especifique qual a sua origem. A esta questão, que está directamente relacionada com a anterior, responderam apenas dois alunos. Deste modo, um dos alunos teve conhecimento da ENIDH através de anúncios publicados pela Escola em jornais tendo o outro aluno tido conhecimento da ENIDH através de livros ou revistas dedicadas à actividade marítima. 3. Caso se tenha candidatado ao ensino superior através do regime geral de ingresso, diga em que opção colocou o curso de Engenharia de Máquinas Marítimas (EMM). Para esta questão, obtiveram-se os seguintes resultados: 3

5 i) 1ª opção: 50% ii) 2ª opção: 20% iii) Outra: 30% Da análise destes resultados, podemos concluir que apenas 50% dos alunos escolheram o curso de Máquinas em 1ª opção e que, dos outros 50%, só cerca de 20% estão potencialmente interessados em frequentar o curso, visto o curso da LEMM não ter sido a sua primeira escolha. Estes resultados, poderão ser úteis para alertar o corpo docente para a necessidade de esclarecer os alunos que apresentem dúvidas relativamente aos objectivos do curso, plano de estudos e correspondentes saídas profissionais. 4. Caso tenha escolhido um outro curso em 1ª opção, especifique o curso em que estava interessado em frequentar bem como o nome da respectiva Escola. Para esta questão, obtiveram-se os seguintes resultados: i) Curso de Pilotagem (ENIDH): 2 respostas ii) Curso de Marinha (Escola Naval): 1 resposta iii) Engenharia Mecânica (ISEL): 1 resposta iv) Curso de Finanças (ISEG): 1 resposta 5. Quais as principais motivações que o levaram a escolher o curso de EMM da Escola Náutica. Para esta questão, obtiveram-se os seguintes resultados: i) Morar junto ao mar, localidade com tradições náuticas: 32% ii) Interesse pelo curso da LEMM: 31% iii) Média de ingresso no curso favorável: 16% iv) Outra: 11% Neste caso, verifica-se que a motivação principal para a escolha do curso do LEMM da ENIDH continua a ser o facto de o aluno morar numa localidade junto ao mar com tradições náuticas, seguido de muito perto pelo interesse em frequentar o curso da LEMM. O facto de a Escola estar localizada numa zona privilegiada junto ao mar e servida por boas infra-estruturas de transporte não parece ser um factor suficientemente forte para atrair muitos alunos (apenas 5%). 6. Qual a impressão geral que tem acerca do curso de Engenharia de Máquinas Marítimas. Relativamente a esta questão, obtiveram-se os seguintes resultados: i) Relativamente favorável: 79% ii) Altamente favorável: 21% Constata-se que a opinião genérica dos alunos é favorável relativamente ao curso que estão a frequentar. 4

6 7. Quais os principais benefícios que espera obter com a conclusão do curso de Engenharia de Máquinas Marítimas. Relativamente a esta questão, obtiveram-se os seguintes resultados: i) Profissão bem remunerada com emprego assegurado: 34% ii) Exercer a profissão de Oficial de Máquinas da Marinha Mercante: 31% iii) Saída profissional com bastante procura em terra: 27% Neste caso, verifica-se que os alunos já possuem uma noção bastante precisa acerca das potencialidades oferecidas pelo curso ao nível da empregabilidade quer no mar, quer em terra. 8. Qual a sua expectativa relativamente à frequência do curso de Engenharia de Máquinas Marítimas (EMM). Relativamente a esta questão, obtiveram-se os seguintes resultados: i) Pretende concluir o curso: 93% ii) Pretende pedir a transferência para outro curso da ENIDH: 7% Neste caso, verifica-se que a esmagadora maioria dos alunos pretende concluir o curso. Existe apenas um aluno (7%) que pretende pedir a transferência para outro curso da Escola. 9. Qual a sua disponibilidade para frequentar o curso de Engenharia de Máquinas Marítimas (EMM). Relativamente a esta questão, obtiveram-se os seguintes resultados: i) Tempo total: 93% ii) Tempo parcial: 7% Relativamente a esta questão verifica-se que de uma forma geral (93%) os alunos pretendem frequentar o curso a full-time. 10. Qual a sua opinião no caso de o curso de EMM poder vir a funcionar igualmente em regime pós-laboral (entre as h e as h, distribuído ao longo de 9 semestres lectivos/4 disciplinas por semestre). Relativamente a esta questão, obtiveram-se os seguintes resultados: i) Não estou interessado: 75% ii) Bastante interessante: 17% iii) Interessante: 8% Neste caso, verifica-se que a grande maioria dos alunos pretende concluir o curso em regime diurno. No entanto, existe uma percentagem razoável de alunos (25%) que considera interessante a possibilidade de frequentar o curso em regime nocturno. 11. Qual a distância da sua actual residência à Escola Náutica, bem como o nome do respectivo concelho. Relativamente a esta questão, obtiveram-se os seguintes resultados: 5

7 i) Mais de 30 Km: 50% ii) Menos de 10 Km: 29% iii) Entre 10 e 20 Km: 14% iv) Entre 20 e 30 Km: 7% Neste caso, pode concluir-se que existe um grande número de alunos (50%) que mora a uma distância considerável da ENIDH, o que contraria a ideia existente de os alunos que se candidatam ao curso serem provenientes do concelho de Oeiras e regiões limítrofes. Esta conclusão necessita de ser validada através de futuros inquéritos para se verificar se é uma situação pontual ou se é uma tendência que irá manter-se no futuro. A título de exemplo podemos referir os locais de residência dos alunos à Escola Náutica cuja distância é superior a 30 Km: Vila Franca de Xira Nazaré Viseu Santiago do Cacém Castro Marim Praia da Vitória (Açores) Angra do Heroísmo (Açores) 6

8 ANEXO I GRÁFICOS OBTIDOS A PARTIR DOS INQUÉRITOS REALIZADOS AOS NOVOS ALUNOS DA LEMM 7

9 Questão 0: Tipo de candidatura ao curso da LEMM Tipo de Candidatura Maiores de 23 anos 29% Outra 7% Regime geral 64% Gráfico nº 1 1. Diga como tomou conhecimento da existência da Escola Náutica e dos seus cursos. Conhecimento da ENIDH e dos seus Cursos Web page Ensino Superior 16% Destacáveis jornais 5% Familiares, amigos conhecidos 36% Web page da ENIDH 32% Alunos ou exalunos 11% Gráfico nº 2 8

10 2. Caso tenha tido conhecimento da existência da Escola Náutica e dos seus cursos através dos meios de comunicação social, especifique qual a sua origem (Nota: apenas 2 alunos responderam a esta questão). Conhecimento ENIDH (comunicação social) Anúncios publicados em Jornais (fase de candidatura) 50% Livros e revistas dedicados à actividade marítima 50% Gráfico nº 3 3. Caso se tenha candidatado ao ensino superior através do regime geral de ingresso, diga em que opção colocou o curso de Engenharia de Máquinas Marítimas (EMM). Opção colocado o Curso EMM Outra 30% 1ª opção 50% 2ª opção 20% Gráfico nº 4 9

11 5. Quais as principais motivações que o levaram a escolher o curso de EMM da Escola Náutica. Motivação da escolha da ENIDH Média de curso favorável 16% Outra 11% Interesse pela EMM 31% Escola junto ao mar, boas infraestruturas de transporte 5% Mora junto ao mar, localidade tradições náuticas 32% Gráfico nº 5 Frequência ITN 5% 6. Qual a impressão geral que tem acerca do curso de Engenharia de Máquinas Marítimas. Impressão geral do Curso EMM Altamente favorável 21% Relativamente favorável 79% Gráfico nº 6 10

12 7. Quais os principais benefícios que espera obter com a conclusão do curso de Engenharia de Máquinas Marítimas. Benifícios após concluir o curso de EMM Saída profissional com bastante procura em terra 27% Exercer profissão OMMM 31% Profissão bem remunerada emprego assegurado 34% Tradição e prestígio da ENIDH 8% Gráfico nº 7 8. Qual a sua expectativa relativamente à frequência do curso de Engenharia de Máquinas Marítimas (EMM). Expectativas relativas à frequência do curso EMM Pretende pedir transferência, outro curso na ENIDH 7% Pretende concluir o Curso 93% 11

13 Gráfico nº 8 9. Qual a sua disponibilidade para frequentar o curso de Engenharia de Máquinas Marítimas (EMM). Disponibilidade para frequentar o Curso EMM Tempo parcial 7% Tempo total 93% Gráfico nº Qual a sua opinião no caso de o curso de EMM poder vir a funcionar igualmente em regime pós-laboral (entre as h e as h, distribuído ao longo de 9 semestres lectivos/4 disciplinas por semestre). Seria interessante 8% Opinião Curso EMM pós laboral Bastante interessante 17% Não estou interessado 75% 12

14 Gráfico nº Qual a distância da sua actual residência à Escola Náutica, bem como o nome do respectivo concelho. Distância da residência à ENIDH Menos de 10 Km 29% Mais de 30 Km 50% Entre 20 e 30 Km 7% Entre 10 e 20 Km 14% Gráfico nº 11 13

15 ANEXO II MODELO DE INQUÉRITO UTILIZADO PELOS NOVOS ALUNOS DA LEMM 14

16 ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS MARÍTIMAS CANDIDATURA AO 1º CICLO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS (EMM) QUESTIONÁRIO Tipo de candidatura: - Regime geral de ingresso - Reingresso - Mudança de curso - Maiores de 23 anos - Outra Especifique o curso de origem/escola Especifique: 1. Diga como tomou conhecimento da existência da Escola Náutica e dos seus cursos: - Através de familiares, amigos ou conhecidos - Através de alunos ou ex-alunos da Escola Náutica - Através da página da Internet da Escola Náutica - Através de folhetos de divulgação da Escola Náutica - Através de folheto de divulgação específico do curso de Engenharia de Máquinas Marítimas da ENIDH - Através da página de acesso ao ensino superior do Ministério da Ciência, Investigação e Ensino Superior - Através de destacáveis de jornais (Guia do estudante do jornal Expresso, etc..) - Outra Especifique: 2. Caso tenha tido conhecimento da existência da Escola Náutica e dos seus cursos através dos meios de comunicação social, especifique qual a sua origem: - Livros ou revistas dedicadas à actividade marítima - Suplementos de jornais, dedicados à actividade marítima - Programas de rádio e/ou televisão dedicados à actividade marítima (Ex: programa Bombordo - RTP2, etc.) - Anúncios da Escola publicados em jornais relativos às fases de candidatura (jornais A Bola, Record) - Outra Especifique: 3. Caso se tenha candidatado ao ensino superior através do regime geral de ingresso, diga em que opção colocou o curso de Engenharia de Máquinas Marítimas (EMM): - 1ª opção - 2ª opção - 3ª opção - Outra 4. Caso tenha escolhido um outro curso em 1ª opção, especifique o curso em que estava interessado em frequentar bem como o nome da respectiva Escola: Curso: Escola: 15

17 5. Quais as principais motivações que o levaram a escolher o curso de EMM da Escola Náutica: - Interesse pela engenharia de máquinas marítimas - Frequência do ITN - Instituto das Tecnologias Náuticas (escola secundária junto à Escola) - Influência de familiares que tenham exercido a actividade de Oficial da Marinha Mercante - Influência devida ao facto de morar junto ao mar e a localidade ter tradições náuticas - Escola localizada junto ao mar, com boas infraestruturas de transporte e fora das grandes cidades - Média de candidatura ao curso mais favorável - Outra Especifique: 6. Qual a impressão geral que tem acerca do curso de Engenharia de Máquinas Marítimas: - Tem uma opinião altamente favorável - Tem uma opinião relativamente favorável - Tem uma opinião pouco favorável - Não tem opinião - Outra Especifique: 7. Quais os principais benefícios que espera obter com a conclusão do curso de Engenharia de Máquinas Marítimas: - Poder exercer a profissão de Oficial de Máquinas da Marinha Mercante nacional e comunitária - Possuir um curso com a tradição e o prestígio da Escola Náutica - Exercer uma profissão bem remunerada e com emprego assegurado - Exercer a profissão de engenheiro de máquinas marítimas com bastante procura em terra - Outra Especifique: 8. Qual a sua expectativa relativamente à frequência do curso de Engenharia de Máquinas Marítimas (EMM): - Pretendo concluir o curso - Pretendo pedir a transferência para outro curso da Escola - Pretendo pedir a transferência para outro curso de uma outra Escola 9. Qual a sua disponibilidade para frequentar o curso de Engenharia de Máquinas Marítimas (EMM): - A tempo total (não estou empregado) - A tempo parcial (trabalho em part-time) - Outra Especifique: 10. Qual a sua opinião no caso de o curso de EMM poder vir a funcionar igualmente em regime pós-laboral (entre as h e as h, distribuído ao longo de 9 semestres lectivos/4 disciplinas por semestre): - Não estou interessado - Seria interessante pois estou a trabalhar em part-time - Seria bastante interessante, pois caso contrário vou ter bastantes dificuldades em concluir o curso 11. Qual a distância da sua actual residência à Escola Náutica, bem como o nome do respectivo concelho: - Menos de 10 Km Concelho: - Entre 10 e 20 Km Concelho: - Entre 20 e 30 Km Concelho: - Mais de 30 Km Concelho: Data: / / MUITO OBRIGADO PELA SUA COLABORAÇÃO! 16

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS MARÍTIMAS COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS ANÁLISE ESTATÍSTICA DOS INQUÉRITOS REALIZADOS AOS ALUNOS DO

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia de Tomar

Escola Superior de Tecnologia de Tomar Escola Superior de Tecnologia de Tomar Novos Alunos Ano Lectivo 2007/2008 Março 2008 Nota Introdutória A Escola Superior de Tecnologia de Tomar (ESTT) aplicou questionários, elaborados pelo Gabinete de

Leia mais

Resultados dos inquéritos aos novos alunos da ESCS

Resultados dos inquéritos aos novos alunos da ESCS Resultados dos inquéritos aos novos alunos da ESCS No prosseguimento da política de qualidade da ESCS, foram realizados, no início do ano lectivo 2011/2012 e à semelhança do que aconteceu no ano anterior,

Leia mais

A Engenharia de Máquinas Marítimas da ENIDH: Algumas notas complementares

A Engenharia de Máquinas Marítimas da ENIDH: Algumas notas complementares A Engenharia de Máquinas Marítimas da ENIDH: Algumas notas complementares Luis Filipe Baptista 1 No artigo apresentado no número anterior da revista, com o título A Engenharia de Máquinas Marítimas na

Leia mais

RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS NOVOS ALUNOS

RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS NOVOS ALUNOS 1. Taxas de resposta RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS NOVOS ALUNOS 21% 29% 79% 71% Responderam Não responderam Responderam Não responderam Gráfico nº 1 - Frequência percentual de respostas dos novos alunos

Leia mais

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS SAGRA ONLINE

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS SAGRA ONLINE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS SAGRA ONLINE Relatório de Apreciação Ref.ª IT 08/82/2007 1. Introdução No Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio (COTR) a qualidade é encarada como

Leia mais

O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO

O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO Vila Real, Março de 2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 4 CAPITULO I Distribuição do alojamento no Território Douro Alliance... 5 CAPITULO II Estrutura

Leia mais

Sistema Interno de Garantia da Qualidade

Sistema Interno de Garantia da Qualidade ISEL Sistema Interno de Garantia da Qualidade RELATÓRIO Inquérito Novos Alunos Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Gabinete de Avaliação e Qualidade Janeiro 2014 ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO... 4 1.1

Leia mais

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique.

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Um mar de oportunidades Mestrado em Gestão Portuária Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique A ENIDH é a Escola Superior pública portuguesa que assegura a formação de

Leia mais

notícias 18.11.2002 - Divulgação do COSI

notícias 18.11.2002 - Divulgação do COSI notícias 18.11.2002 - Divulgação do COSI A AEISGB entregou na quinta-feira, 14 de Novembro, à Direcção do ISGB o seguinte Caderno com as conclusões da consulta aos Alunos e Docentes sobre o tema "Divulgação

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Comunicação e Design Multimédia

Leia mais

Julho de 2008 GAAQ (Gabinete de Autoavaliação para a Qualidade)

Julho de 2008 GAAQ (Gabinete de Autoavaliação para a Qualidade) Relatório do inquérito aplicado aos Docentes Julho de 2008 GAAQ (Gabinete de Autoavaliação para a Qualidade) 1 UAL, Ano lectivo de 2007/2008 2 Índice 1. Estrutura do questionário 1.1. Resultados do Alpha

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos do Mestrado em Educação Musical

Leia mais

ÍNDICE. Que expectativas académicas, que organização do estudo e conciliação entre estudos e emprego? 6

ÍNDICE. Que expectativas académicas, que organização do estudo e conciliação entre estudos e emprego? 6 Relatório Síntese: Perfil do Trabalhador-Estudante do IST Introdução ÍNDICE Qual a proporção de trabalhadores-estudantes no IST nos últimos 5 anos lectivos? 2 Qual a População-alvo deste inquérito? 2 A

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Turismo sobre a ESEC 4 3.2. Opinião dos alunos sobre

Leia mais

REGULAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL

REGULAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL REGULAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL CURSOS LIVRES ACTIVIDADES EXTRACURRICULARES REGULAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL Artigo 1.º (Objecto e componentes)

Leia mais

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Lisboa A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O

Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O INQUÉRITO AOS DIPLOMADOS EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS 2011/2012 traçar o perfil

Leia mais

NCE/09/01302 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/09/01302 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/09/01302 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas 1 a 7 1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade De Aveiro 1.a. Descrição

Leia mais

Observatório da Criação de Empresas. Observatório da Criação de Empresas

Observatório da Criação de Empresas. Observatório da Criação de Empresas Observatório da Criação de Empresas O Observatório da Criação de Empresas é um projecto desenvolvido pelo IAPMEI, com a colaboração da Rede Portuguesa de Centros de Formalidades das Empresas (CFE), que

Leia mais

M418 AUTOMAÇÃO NAVAL

M418 AUTOMAÇÃO NAVAL ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS MARÍTIMAS M418 AUTOMAÇÃO NAVAL TRABALHO LABORATORIAL Nº1 SIMULAÇÃO DE SISTEMAS DE COMANDO ATRAVÉS DO WEBTRAINER (BOSCH) E AUTOMATION STUDIO Por:

Leia mais

NCE/10/00531 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00531 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/00531 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Cofac - Cooperativa De Formação E

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

1. Introdução. 2. Metodologia e Taxa de Adesão. Resultados Nacionais Agregados de 2011

1. Introdução. 2. Metodologia e Taxa de Adesão. Resultados Nacionais Agregados de 2011 1 Resultados Nacionais Agregados de 11 Observatório Nacional de Recursos Humanos Resultados Nacionais Agregados de 11 1. Introdução Desde a sua criação em 02 que o Observatório Nacional de Recursos Humanos

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos do Mestrado em Educação Especial sobre a

Leia mais

47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011

47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011 47586 Diário da República, 2.ª série N.º 232 5 de Dezembro de 2011 2) Cartas de curso identificação do Reitor da Universidade Nova de Lisboa, identificação do titular do grau, n.º do documento de identificação

Leia mais

Capítulo III Aspectos metodológicos da investigação

Capítulo III Aspectos metodológicos da investigação Capítulo III Aspectos metodológicos da investigação 3.1) Definição do problema Tendo como ponto de partida os considerandos enumerados na Introdução, concretamente: Os motivos de ordem pessoal: Experiência

Leia mais

Relatório. Turística

Relatório. Turística Relatório anual de avaliação de curso Gestão do Lazer e da Animação Turística 2008 2009 Estoril, Março 200 Francisco Silva Director de Curso de GLAT Conteúdo Introdução... 3 2 Dados do Curso... 3 3 Avaliação

Leia mais

ESTE DOCUMENTO SERVE APENAS PARA MOSTRAR MICROPROJECTOS CIÊNCIA VIVA SÓ SERÃO VALIDADAS AS CANDIDATURAS SUBMETIDAS

ESTE DOCUMENTO SERVE APENAS PARA MOSTRAR MICROPROJECTOS CIÊNCIA VIVA SÓ SERÃO VALIDADAS AS CANDIDATURAS SUBMETIDAS ESTE DOCUMENTO SERVE APENAS PARA MOSTRAR TODAS AS ETAPAS DO FORMULÁRIO DE SUBMISSÃO DE CANDIDATURAS AO CIÊNCIA NA HORA MICROPROJECTOS CIÊNCIA VIVA SÓ SERÃO VALIDADAS AS CANDIDATURAS SUBMETIDAS POR VIA

Leia mais

Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL. Perspectiva das Entidades Empregadoras

Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL. Perspectiva das Entidades Empregadoras Estudo sobre os diplomados pelo ISCTE-IUL Perspectiva das Entidades Empregadoras Julho 2011 Ficha Técnica ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Edição Gabinete de Estudos, Avaliação, Planeamento e Qualidade

Leia mais

Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação

Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação Regulamento de Funcionamento das Acções de Formação A Ciência Viva tem como missão a difusão da Cultura Científica e Tecnológica apoiando acções dirigidas à promoção da Educação Científica e Tecnológica

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM GUIÃO DE PESQUISA DE INFORMAÇÃO

ELABORAÇÃO DE UM GUIÃO DE PESQUISA DE INFORMAÇÃO ELABORAÇÃO DE UM GUIÃO DE PESQUISA DE INFORMAÇÃO Este guia pretende ajudar os professores e os alunos na criação de guiões de pesquisa de informação. Os guiões de pesquisa podem ser mais ou menos detalhados,

Leia mais

ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05. Dados Estatísticos PARTE II

ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05. Dados Estatísticos PARTE II ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05 Dados Estatísticos PARTE II ESTUDANTES DE PÓS-LICENCIATURA (Mestrados e Doutoramentos) DSAS- Direcção

Leia mais

O Recurso a Meios Digitais no Contexto do Ensino Superior. Um Estudo de Uso da Plataforma.

O Recurso a Meios Digitais no Contexto do Ensino Superior. Um Estudo de Uso da Plataforma. O Recurso a Meios Digitais no Contexto do Ensino Superior. Um Estudo de Uso da Plataforma. Universidade de Aveiro Mestrado em Gestão da Informação Christelle Soigné Palavras-chave Ensino superior. e-learning.

Leia mais

BOLSAS DE ESTUDO ANA SOLIDÁRIA REGULAMENTO. Preâmbulo

BOLSAS DE ESTUDO ANA SOLIDÁRIA REGULAMENTO. Preâmbulo BOLSAS DE ESTUDO ANA SOLIDÁRIA REGULAMENTO Preâmbulo Faz parte da missão da ANA - Aeroportos de Portugal, S.A. (ANA) gerir de forma eficiente a rede de infraestruturas aeroportuárias a seu cargo os aeroportos

Leia mais

População Portuguesa. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2002 DOCUMENTO METODOLÓGICO

População Portuguesa. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2002 DOCUMENTO METODOLÓGICO População Portuguesa Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2002 DOCUMENTO METODOLÓGICO ÍNDICE 1. IDENTIFICAÇÃO E OBJECTIVOS DO INQUÉRITO...3 2. RECOLHA E TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO...3

Leia mais

O Público dos Blogues

O Público dos Blogues O Público dos Blogues em Portugal Universidade Católica Portuguesa Comunicação Social e Cultural Variante Digital Interactiva Públicos e Audiências Dezembro 2005 Dinis Correia 130301088 Filipa Manha 130301505

Leia mais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA Matemática Aplicada às Ciências Sociais Ensino Regular Curso Geral de Ciências Sociais e Humanas 10º Ano Planificação 2014/2015 Índice Finalidades... 2 Objectivos e competências

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Regulamento dos cursos do ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado O presente regulamento estabelece as normas que complementam as que decorrem do regime

Leia mais

Escola E.B. 2,3 de Lousada. Opinião dos Directores de Turma sobre os documentos propostos para a avaliação dos alunos

Escola E.B. 2,3 de Lousada. Opinião dos Directores de Turma sobre os documentos propostos para a avaliação dos alunos Escola E.B. 2,3 de Lousada Opinião dos Directores de Turma sobre os documentos propostos para a avaliação dos alunos Maria do Céu Belarmino ceubelarmino@sapo.pt Rui Mesquita rui.jv.mesquita@sapo.pt Dezembro

Leia mais

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança)

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) 1 - Apresentação Grau Académico: Mestre Duração do curso: : 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema

Leia mais

Diagnóstico de Necessidades de Formação de Inglês do Corpo Docente do Instituto Politécnico de Beja

Diagnóstico de Necessidades de Formação de Inglês do Corpo Docente do Instituto Politécnico de Beja Diagnóstico de Necessidades de Formação de Inglês do Corpo Docente do Instituto PolitécnicodeBeja ServiçosdePlaneamentoeDesenvolvimentoEstratégico Maio2010 DiagnósticodeNecessidadesdeFormaçãoemLínguaInglesa

Leia mais

População Portuguesa. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003 DOCUMENTO METODOLÓGICO

População Portuguesa. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003 DOCUMENTO METODOLÓGICO População Portuguesa Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003 DOCUMENTO METODOLÓGICO ÍNDICE 1. IDENTIFICAÇÃO E OBJECTIVOS DO INQUÉRITO...3 2. RECOLHA E TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO...3

Leia mais

MARTA GRAÇA, CARLA PATROCÍNIO, MARTA PILE Gabinete de Estudos e Planeamento (GEP) Instituto Superior Técnico (IST)

MARTA GRAÇA, CARLA PATROCÍNIO, MARTA PILE Gabinete de Estudos e Planeamento (GEP) Instituto Superior Técnico (IST) PERFIL DO ALUNO UNIVERSITÁRIO DO MARTA GRAÇA, CARLA PATROCÍNIO, MARTA PILE Gabinete de Estudos e Planeamento (GEP) Instituto Superior Técnico () 1. Introdução Esta comunicação faz uma caracterização do

Leia mais

Programa Municipal de Intervenção Vocacional EU PERTENÇO AO MEU FUTURO 12º ANO

Programa Municipal de Intervenção Vocacional EU PERTENÇO AO MEU FUTURO 12º ANO Programa Municipal de Intervenção Vocacional EU PERTENÇO AO MEU FUTURO 12º ANO FAQ s - Lista de Questões Frequentes 1 - Já escolhi o curso superior que quero frequentar. Devo ainda assim inscrever-me no

Leia mais

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário

Universidade de Coimbra. Grupo de Missão. para o. Espaço Europeu do Ensino Superior. Glossário Universidade de Coimbra Grupo de Missão para o Espaço Europeu do Ensino Superior Glossário ACÇÃO CENTRALIZADA Procedimentos de candidatura em que a selecção e contratação são geridas pela Comissão. Regra

Leia mais

Visitas às Eco-Escolas. Auditorias de Qualidade do Programa. - Guião de preenchimento do inquérito -

Visitas às Eco-Escolas. Auditorias de Qualidade do Programa. - Guião de preenchimento do inquérito - Visitas às Eco-Escolas Auditorias de Qualidade do Programa - Guião de preenchimento do inquérito - NOTAS PRÉVIAS O presente documento serve de guião à aplicação da ficha de visita às Eco-Escolas fornecendo

Leia mais

Curso de Licenciatura em Engenharia Mecânica

Curso de Licenciatura em Engenharia Mecânica Curso de Licenciatura em Engenharia Mecânica Relatórios dos Docentes Desempenho do Curso Ano Lectivo 2012/2013 Curso de Licenciatura em Engenharia Mecânica Relatório de Desempenho do Curso Ano Lectivo

Leia mais

ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE Paço de Arcos EDITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA EM EXPLORAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS

ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE Paço de Arcos EDITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA EM EXPLORAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE Paço de Arcos EDITAL EM EXPLORAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE MERCADORIAS ANO LECTIVO 2008/2009 O Presidente do Conselho Directivo da Escola Náutica Infante D. Henrique,

Leia mais

Certificação da Qualidade dos Serviços Sociais. Procedimentos

Certificação da Qualidade dos Serviços Sociais. Procedimentos Certificação da Qualidade dos Serviços Sociais EQUASS Assurance Procedimentos 2008 - European Quality in Social Services (EQUASS) Reservados todos os direitos. É proibida a reprodução total ou parcial

Leia mais

e ISEL População média desempregada e Taxa de desemprego (%), por Grupo etário e Nível de escolaridade mais elevado completo, Junho de 2011 e

e ISEL População média desempregada e Taxa de desemprego (%), por Grupo etário e Nível de escolaridade mais elevado completo, Junho de 2011 e Índice Índice Folha Conteúdo Todos cursos empregabilidade por curso, por semestre, nos cursos de Bolonha Diurno empregabilidade por curso diurno, por semestre, nos cursos de Bolonha Jun-11 Desempregados

Leia mais

Regulamento de Estágios

Regulamento de Estágios Programa de Inserção Profissional Regulamento de Estágios Faculdade de Ciências Humanas Nos últimos anos, o ensino universitário tem vindo a integrar nos percursos formativos a realização de estágios curriculares

Leia mais

Regulamento de Funcionamento da Formação

Regulamento de Funcionamento da Formação Regulamento de Funcionamento da Formação Índice 1. Caracterização e Identificação da Entidade... 3 2. Certificação entidade formadora... 3 3. Acreditação Entidade Formadora... 3 4. Certificação ISO 9001...

Leia mais

PLANO DE APRESENTAÇÃO

PLANO DE APRESENTAÇÃO DEGEI Mestrado em Gestão de Informação AVALIAÇÃO DA ADOPÇÃO DA FORMAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO DE ESTUDO NA GUARDA NACIONAL REPUBLICANA PLANO DE APRESENTAÇÃO TEMA CONTETO PROBLEMA HIPÓTESES CONTETO TEÓRICO

Leia mais

Auditoria Sistemática

Auditoria Sistemática ISAL Instituto Superior de Administração e Línguas Auditoria Sistemática Resumo do Relatório da Inspecção Geral do MCTES 18.Novembro.2010 Índice INTRODUÇÃO... 3 CARACTERIZAÇÃO E ANÁLISE DOS PROCEDIMENTOS...

Leia mais

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE . Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete . Objectivos e Princípios Orientadores O Sistema de Informação e Comunicação (SIC) da Rede Social de Alcochete tem como objectivo geral

Leia mais

Observatório Nacional de Recursos Humanos

Observatório Nacional de Recursos Humanos RUBRICA AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO Observatório Nacional de Recursos Humanos Resultados nacionais agregados de 211 O Observatório Nacional de Recursos Humanos (ONRH) celebra este ano 1 anos de existência.

Leia mais

DTIM Associação Regional para o Desenvolvimento das Tecnologias de Informação na Madeira

DTIM Associação Regional para o Desenvolvimento das Tecnologias de Informação na Madeira DTIM Associação Regional para o Desenvolvimento das Tecnologias de Informação na Madeira APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional Plurifundos da Região Autónoma da Madeira (POPRAM

Leia mais

Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro

Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro Ano Lectivo 2007/2008 BIBLIOTECA CENTRO DE RECURSOS Literacia da Informação COMO FAZER UM TRABALHO 1ª Etapa Identificar o tema 2ª Etapa Procurar fontes de informação 3ª Etapa Seleccionar os documentos

Leia mais

5. Esquema do processo de candidatura

5. Esquema do processo de candidatura Projecto e colecção de perguntas e respostas sobre o Exame Unificado de Acesso (disciplinas de Língua e Matemática) das quatro instituições do ensino superiorde Macau I Contexto Cada instituição do ensino

Leia mais

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE O presente Regulamento tem como lei habilitante o Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA GABRIEL PEREIRA RESULTADOS ESCOLARES

ESCOLA SECUNDÁRIA GABRIEL PEREIRA RESULTADOS ESCOLARES AUTOAVALIAÇÃO ESCOLA SECUNDÁRIA GABRIEL PEREIRA RESULTADOS ESCOLARES 2008/09 20/ BREVE CARACTERIZAÇÃO DA UNIDADE ORGÂNICA- dados estatísticos SÍNTESE DE RESULTADOS ESCOLARES Gabinete de Formação, Autoavaliação

Leia mais

NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Iade Instituto De Artes Visuais,

Leia mais

Especialista Marketing e Publicidade Estagiário (m/f)

Especialista Marketing e Publicidade Estagiário (m/f) Especialista Marketing e Publicidade Estagiário (m/f) Referência do Anúncio 2606847 Associação MaisIncomum Av. Rocha Páris, 90 - F, Viana do Castelo Email: info@maisincomum.org Telef.: (+351) 929 059 646

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR. 2638 Diário da República, 1.ª série N.º 93 14 de Maio de 2008

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR. 2638 Diário da República, 1.ª série N.º 93 14 de Maio de 2008 2638 Diário da República, 1.ª série N.º 93 14 de Maio de 2008 4 Ratificar a decisão de início de procedimento e de escolha do procedimento prévio à contratação, bem como todos os actos procedimentais subsequentes

Leia mais

Reitoria. No plano orçamental para 2009 foi definida uma provisão no valor de 300.000 euros para o Programa - Qualidade.

Reitoria. No plano orçamental para 2009 foi definida uma provisão no valor de 300.000 euros para o Programa - Qualidade. Reitoria Circular RT-05/2009 Programa Qualidade 2009 Apesar dos constrangimentos financeiros impostos pelo orçamento atribuído para 2009, é importante garantir que são apoiadas as experiências e os projectos

Leia mais

O CHCB emprega mais de 1400 colaboradores;

O CHCB emprega mais de 1400 colaboradores; Inaugurado em 17 Janeiro de 2000, o CHCB foi construído segundo padrões de alta qualidade, sujeito às mais rigorosas exigências tecnológicas. É a maior e mais sofisticada Unidade de Saúde de toda a Região

Leia mais

NCE/13/00276 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/13/00276 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/13/00276 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Do Minho A.1.a.

Leia mais

Desenho Técnico (5 ETCS) Gestão da Produção e Manutenção (4 ECTS) Qualidade e Gestão de Recursos (4 ECTS) Órgãos de Máquina I (5 ECTS)

Desenho Técnico (5 ETCS) Gestão da Produção e Manutenção (4 ECTS) Qualidade e Gestão de Recursos (4 ECTS) Órgãos de Máquina I (5 ECTS) Recomendação n.º 15.2012-PE Processo n.º: 104.2012-PE Assunto: Reclamação sobre alteração de creditações na licenciatura provenientes de For.CET Data: 29-01-2013 Na qualidade de Provedor do Estudante recebi,

Leia mais

Programa Municipal de Intervenção Vocacional EU PERTENÇO AO MEU FUTURO 12º ANO. FAQ s - Lista de Questões Frequentes

Programa Municipal de Intervenção Vocacional EU PERTENÇO AO MEU FUTURO 12º ANO. FAQ s - Lista de Questões Frequentes Programa Municipal de Intervenção Vocacional EU PERTENÇO AO MEU FUTURO 12º ANO FAQ s - Lista de Questões Frequentes 1 - Já escolhi o curso superior quero frequentar. Devo ainda assim inscrever-me no Programa

Leia mais

Análise Matemática II

Análise Matemática II Página Web 1 de 7 Análise Matemática II Nome de utilizador: Arménio Correia. (Sair) LVM AM2_Inf Questionários INQUÉRITO ANÓNIMO» AVALIAÇÃO de AM2 e dos DOCENTES Relatório Ver todas as Respostas View Todas

Leia mais

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS ACTIVOS DAS EMPRESAS DE HOTELARIA E RESTAURAÇÃO 2011/2012

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS ACTIVOS DAS EMPRESAS DE HOTELARIA E RESTAURAÇÃO 2011/2012 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 2º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS

BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 2º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 2º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS Índice Introdução 03 Ficha Técnica 05 Sumário Executivo 06 Relatório de Resultados 07 Entidades Inquiridas

Leia mais

Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferências e Reingressos do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferências e Reingressos do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferências e Reingressos do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Artigo 1.º Objecto e âmbito 1 - O presente regulamento disciplina, no cumprimento

Leia mais

O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto

O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Ciências da Comunicação: Jornalismo, Assessoria e Multimédia O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Metodologia da Investigaça

Leia mais

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria www.anotherstep.pt 2 Sumário Ponto de situação Plano de Ações de Melhoria PAM Enquadramento e planeamento Selecção das Ações de Melhoria Fichas de

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro www.regiaodeaveiro.pt PIMT de Aveiro, Aveiro TIS.PT Transportes Inovação e Sistemas, S.A. 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal

Leia mais

ACEF/1314/03672 Relatório final da CAE

ACEF/1314/03672 Relatório final da CAE ACEF/1314/03672 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Outras

Leia mais

RELATÓRIO. Atividade inspetiva no âmbito dos veículos. Direção de Serviços de Inspeção Fiscalização e Contraordenações

RELATÓRIO. Atividade inspetiva no âmbito dos veículos. Direção de Serviços de Inspeção Fiscalização e Contraordenações RELATÓRIO Atividade inspetiva no âmbito dos veículos 2011 Direção de Serviços de Inspeção Fiscalização e Contraordenações 1 ESTRUTURA DO DOCUMENTO I INTRODUÇÃO Pag. 2 II SUMÁRIO EXECUTIVO Pág. 2 III INSPEÇÃO

Leia mais

A Região Autónoma dos Açores é composta por nove ilhas localizadas no Atlântico Norte, entre a América do Norte e a Europa;

A Região Autónoma dos Açores é composta por nove ilhas localizadas no Atlântico Norte, entre a América do Norte e a Europa; 1 2 A Região Autónoma dos Açores é composta por nove ilhas localizadas no Atlântico Norte, entre a América do Norte e a Europa; As ilhas encontram-se dispersas por uma extensão de 600km, desde Santa Maria

Leia mais

EUROBARÓMETRO 68 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA OUTONO

EUROBARÓMETRO 68 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA OUTONO Standard Eurobarometer European Commission EUROBARÓMETRO 68 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA OUTONO 2007 RELATÓRIO NACIONAL Standard Eurobarometer 68 / Autumn 2007 TNS Opinion & Social SUMÁRIO EXECUTIVO

Leia mais

MBA - Executivo. Edital 2ª Edição 2013-2014

MBA - Executivo. Edital 2ª Edição 2013-2014 MBA - Executivo Edital 2ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 Enquadramento e Objectivos O MBA Executivo é uma realização da Escola Superior de Ciências Empresariais, do Instituto Politécnico de Setúbal

Leia mais

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Lisboa

Leia mais

Mobilidade Estudantil:

Mobilidade Estudantil: Mobilidade Estudantil: 1. Programa Erasmus: Alunos de Economia, Finanças, Gestão e MAEG 2. Protocolo Brasil e China: Alunos de Economia, Finanças, Gestão e MAEG 2 Protocolo Brasil e China As regras a aplicar

Leia mais

- A supervisão da conduta de mercado no sector segurador: metodologias de trabalho e avaliação de resultados

- A supervisão da conduta de mercado no sector segurador: metodologias de trabalho e avaliação de resultados Boas práticas no sector segurador - A supervisão da conduta de mercado no sector segurador: metodologias de trabalho e avaliação de resultados Eduardo Farinha Pereira eduardo.pereira@isp.pt Sumário Enquadramento

Leia mais

Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses

Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses Ficha de Inscrição Encontre a resposta às suas dúvidas! Identifique a sessão pretendida: Porto AICEP (Rua António Bessa Leite, 1430-2.º andar)

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMUNICAÇÃO SOCIAL

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMUNICAÇÃO SOCIAL AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMUNICAÇÃO SOCIAL Dezembro ÍNDICE 1. Introdução 4 2. População e Amostra 4 3. Questionário de Satisfação dos Alunos 5 3.1. Caracterização dos inquiridos 5 3.2. Apresentação

Leia mais

Regulamento de Transportes Escolares. Preâmbulo

Regulamento de Transportes Escolares. Preâmbulo Regulamento de Transportes Escolares Preâmbulo O presente regulamento tem por objectivo definir e clarificar procedimentos no âmbito dos Transportes Escolares, nomeadamente, no que concerne aos apoios

Leia mais

IMIGRANTES E SERVIÇOS FINANCEIROS QUESTIONÁRIO. N questionário. Cidade em que habita:. Sexo: M F Idade:

IMIGRANTES E SERVIÇOS FINANCEIROS QUESTIONÁRIO. N questionário. Cidade em que habita:. Sexo: M F Idade: IMIGRANTES E SERVIÇOS FINANCEIROS QUESTIONÁRIO N questionário Cidade em que habita:. Sexo: M F Idade: Grau de Ensino: 1. Nenhum 2. Escola primária ou ciclo preparatório 3. Escola Secundária/qualificações

Leia mais

Universidade dos Açores Escola Superior de Enfermagem de Angra do Heroísmo

Universidade dos Açores Escola Superior de Enfermagem de Angra do Heroísmo 3ª EDIÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO DE GESTÃO DE UNIDADES DE SAÚDE NOTA JUSTIFICATIVA O Curso de Pós-Graduação em Gestão de Unidades de Saúde é proposta da Escola Superior de Enfermagem de Angra do Heroísmo - Universidade

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO. Assunto: TABELA DE PROPINAS, TAXAS E EMOLUMENTOS a vigorar no ano lectivo 2015/2016

ORDEM DE SERVIÇO. Assunto: TABELA DE PROPINAS, TAXAS E EMOLUMENTOS a vigorar no ano lectivo 2015/2016 N.º: 2015001 DATA: 14-05-2015 Assunto: TABELA DE PROPINAS, TAXAS E EMOLUMENTOS a vigorar no ano lectivo 2015/2016 Por deliberação da Direcção da CEU-Cooperativa de Ensino Universitário, CRL, entidade instituidora

Leia mais

REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS. (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro)

REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS. (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro) REGULAMENTO DO CONTROLO DE QUALIDADE DA ORDEM DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS (Artigo 68.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro) CAPÍTULO I Objectivos e caracterização do controlo de qualidade

Leia mais

Universidade Portucalense. Departamento de Ciências Económicas e Empresariais NORMAS REGULAMENTARES DO 2.º CICLO DE ESTUDOS EM MARKETING

Universidade Portucalense. Departamento de Ciências Económicas e Empresariais NORMAS REGULAMENTARES DO 2.º CICLO DE ESTUDOS EM MARKETING Universidade Portucalense Departamento de Ciências Económicas e Empresariais NORMAS REGULAMENTARES DO 2.º CICLO DE ESTUDOS EM MARKETING APROVADAS NO CONSELHO CIENTÍFICO 9 _2009 DE 23 DE SETEMBRO DE 2009

Leia mais

Unidade de Investigação da Escola Superior de Teatro e Cinema PREÂMBULO

Unidade de Investigação da Escola Superior de Teatro e Cinema PREÂMBULO Unidade de Investigação da Escola Superior de Teatro e Cinema PREÂMBULO A criação de uma Unidade de Investigação na Escola Superior de Teatro e Cinema decorre da necessidade de a ESTC afirmar uma participação

Leia mais

Relatório de Avaliação da Acção de Formação

Relatório de Avaliação da Acção de Formação Relatório de Avaliação da Acção de Formação Este relatório resulta da análise de um questionário online administrado a todos os formandos de forma anónima. O questionário continha questões fechadas, que

Leia mais

CURSO NATUROPATIA NATUROLOGIA

CURSO NATUROPATIA NATUROLOGIA 1. Área de formação Saúde (729) 2. Itinerário de Qualificação Naturopata - Naturologista 3. Modalidade da formação Qualificação Inicial e Profissional 4. Saída profissional Naturopata - Naturologista 5.

Leia mais