Lista IV - Curva Normal. Professor Salvatore Estatística I

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lista IV - Curva Normal. Professor Salvatore Estatística I"

Transcrição

1 Lista IV - Curva Normal Professor Salvatore Estatística I 19/12/2011

2 Consulta à tabela Normal: 1. Estabeleça a área entre 0 (zero) e Zi igual a a. + 1,35 b. + 1,58 c. +2,05 d. +2,76 e. -1,26 f. -2,49 g. -0,37 h. -0,97 Utilize os gráficos abaixo para ser mais rápido: Estatística I Professor Salvatore Página 2

3 2. Estabeleça a área entre: a. Zi = + 0,6 e Zi= -0,6 b. Zi = + 0,6 e Zi= + 1,3 c. Zi = + 2,06 e Zi= + 1,32 d. Zi = - 2,15 e Zi= + 0,27 e. Zi = -1,54 e Zi= -0,32 f. Zi = - 1,87 e Zi= + 0,64 g. Zi = + 0,95 e Zi= + 1,96 h. Zi = - 1,79 e Zi= + 2,17 Utilize os gráficos abaixo para ser mais rápido: Estatística I Professor Salvatore Página 3

4 3. Se o tempo necessário para montar uma mesa de computador é uma variável aleatória normal com média populacional 55 minutos e desvio-padrão populacional de 12 minutos, quais as probabilidades da mesa ser montada: a. em menos que 45 minutos b. em um tempo entre 45 e 60 minutos c. em um tempo entre 45 e 75 minutos 4. A redução do consumo de oxigênio por um ser humano durante uma sessão de meditação transcendental pode ser considerada como uma variável aleatória normal de média populacional 38,6 cc e desvio-padrão populacional de 6,5 cc por minuto. Determine a probabilidade de que durante uma sessão de meditação o consumo de oxigênio ser : a. menor que 34,7 cc por minuto b. maior que 39,4 cc por minuto c. entre 35,9 e 39,0 cc por minuto Estatística I Professor Salvatore Página 4

5 5. Uma máquina de empacotar chá em pó deposita em cada envelope certa quantidade média de chá e desvio-padrão populacional de 0,04gr. A empresa deseja que no máximo 2% dos envelopes do produto contenham menos que 6gr de chá. Calcule a quantidade média para a qual a máquina deve ser regulada. 6. Um fabricante de pneus sabe que a durabilidade de seu produto é uma variável aleatória Normal de média 48,4 Km (x1000) com desvio-padrão de 7,5 Km (x1000). Calcular a probabilidade de que um pneu escolhido ao acaso tenha durabilidade: a) de pelo menos 55 Km (x1000) 18,94% b) entre 40Km e 50Km (x1000) 45,18% 7. Uma variável aleatória Normal tem desvio-padrão 4. Se existe uma probabilidade de 0,9713 desta variável assumir um valor inferior a 87,6, qual é a probabilidade dela assumir um valor superior a 75? 89,44% Estatística I Professor Salvatore Página 5

6 8. O tempo necessário para a troca de óleo de um automóvel é uma variável aleatória Normal com média 9,2 minutos e desvio-padrão 82 segundos. Determine a probabilidade de que uma troca de óleo leve: a) no máximo 10,6 minutos 84,61% b) de 9 a 11 minutos 46,06% 9. Se uma variável tem distribuição normal com média 102,4 e desvio-padrão 3,6, determine as probabilidades da variável assumir um valor: a) inferior a 107,8 93,32% b) superior a 99,7 77,34% c) entre 106,9 e 110,5 d) entre 96,1 e 104,2 Estatística I Professor Salvatore Página 6

7 10. Uma Máquina de empacotar chá em pó deposita em cada envelope certa quantidade média de chá com desvio-padrão populacional de 0,04g. A empresa deseja que no máximo 2% dos envelopes do produto contenham menos que 6g de chá. Calcule a quantidade média para a qual a máquina deve ser regulada. 6, Uma variável aleatória tem média e variância N:(102,4; 12,96). Calcule a probabilidade dessa variável assumir valores: a. inferiores a 107,80 b. Superiores a 99,7 2 Obs: a notação N : ( ; ) significa que a população tem comportamento NORMAL com MÉDIA populacional 102, 4 e VARIÂNCIA populacional 2 12, 96. Quando o problema for apresentado com essa notação é necessário extrair a RAIZ da X x Variância para se obter o desvio-padrão para utilizar a fórmula Z i ou s Z X i dependendo se os dados forem da amostra ou da população. 12. Uma Variável aleatória possui comportamento Normal com média 100 e desviopadrão 20. determine qual a probabilidade de haver valores superiores a: a) 130 b) 140 Estatística I Professor Salvatore Página 7

8 12. O consumo mensal de certo componente químico utilizado num processo é uma variável aleatória normal com média mensal de 100Kg e desvio-padrão 20Kg. Calcular a probabilidade de que num certo mês o consumo exceda: a) 140Kg 2,28% b) 130Kg 6,68% 13. Sejam X1: N(200;60) e X2: N(100;20) variáveis independentes. Seja X uma variável aleatória normalmente distribuída tal que: X = X1 X2, pede-se calcular: a) P(92 X 106) 56,175 b) P(110 X 117) 10,47% 14. Seja as variáveis normalmente distribuídas e independentes. X1 : N (100;20) X2 : N ( 100;30) X3 : N (160:40) X4 : N (200;40) Se X também possui distribuição Normal sendo que X = 2.X1 X X3 X4 pedese calcular: a) P(X 420) 8364% b) P(X 436) 99,34% c) P(370 X 470) Estatística I Professor Salvatore Página 8

9 15. Numa Indústria, a montagem de certo item é feita em duas etapas. Os tempos necessários em cada etapa são independentes e têm as seguintes distribuições: X1: N(75s;16s 2 ) X2: N(125s;100s 2 ) Qual a probabilidade que para montar a peça seja necessários: a) Mais de 210 segundos 17,87% b) Menos que 180 segundos 3,22% 16. Comparar a empresa X com uma amostra de 60 empresas de seu setor de atividade econômica através do Coeficiente de Liquidez geral dos últimos 4 anos conforme tabela abaixo: T 4 T 3 T 2 T 1 Liquidez Geral 1,4 1,5 1,6 1,8 Desvio-padrão 0,26 0,32 0,34 0,29 Liquidez Geral Empresa X 1,39 1,48 1,55 1,75 Dica : Z i X x s n Estatística I Professor Salvatore Página 9

10 17. Comparar a empresa X com uma amostra de 60 empresas de seu setor de atividade econômica através do Coeficiente de Liquidez geral dos últimos 4 anos conforme tabela abaixo: T 4 T 3 T 2 T 1 Liquidez Geral 1,6 1,55 1,53 1,50 Desvio-padrão 0,38 0,4 0,29 0,33 Liquidez Geral Empresa X 1,62 1,59 1,58 1,56 Dica : Z i X x s n Estatística I Professor Salvatore Página 10

Probabilidade. Distribuição Normal

Probabilidade. Distribuição Normal Probabilidade Distribuição Normal Distribuição Normal Uma variável aleatória contínua tem uma distribuição normal se sua distribuição é: simétrica apresenta (num gráfico) forma de um sino Função Densidade

Leia mais

Distribuições de Probabilidade Distribuição Normal

Distribuições de Probabilidade Distribuição Normal PROBABILIDADES Distribuições de Probabilidade Distribuição Normal BERTOLO PRELIMINARES Quando aplicamos a Estatística na resolução de situações-problema, verificamos que muitas delas apresentam as mesmas

Leia mais

CAPÍTULO 9 Exercícios Resolvidos

CAPÍTULO 9 Exercícios Resolvidos CAPÍTULO 9 Exercícios Resolvidos R9.1) Diâmetro de esferas de rolamento Os dados a seguir correspondem ao diâmetro, em mm, de 30 esferas de rolamento produzidas por uma máquina. 137 154 159 155 167 159

Leia mais

7Testes de hipótese. Prof. Dr. Paulo Picchetti M.Sc. Erick Y. Mizuno. H 0 : 2,5 peças / hora

7Testes de hipótese. Prof. Dr. Paulo Picchetti M.Sc. Erick Y. Mizuno. H 0 : 2,5 peças / hora 7Testes de hipótese Prof. Dr. Paulo Picchetti M.Sc. Erick Y. Mizuno COMENTÁRIOS INICIAIS Uma hipótese estatística é uma afirmativa a respeito de um parâmetro de uma distribuição de probabilidade. Por exemplo,

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS

LISTA DE EXERCÍCIOS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS LISTA DE EXERCÍCIOS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS 1. Construir um quadro e o gráfico de uma distribuição de probabilidade para a variável aleatória X: número de coroas obtidas no lançamento de duas moedas. 2. Fazer

Leia mais

Variáveis Aleatórias Discretas e Distribuições de Probabilidade

Variáveis Aleatórias Discretas e Distribuições de Probabilidade Variáveis Aleatórias Discretas e Distribuições de Probabilidade Objetivos do aprendizado a.determinar probabilidades a partir de funções de probabilidade b.determinar probabilidades a partir de funções

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO NORMAL 1

DISTRIBUIÇÃO NORMAL 1 DISTRIBUIÇÃO NORMAL 1 D ensid ade Introdução Exemplo : Observamos o peso, em kg, de 1500 pessoas adultas selecionadas ao acaso em uma população. O histograma por densidade é o seguinte: 0.04 0.03 0.02

Leia mais

A lista abaixo é indicada para treino pessoal e será utilizada para exercícios em sala de aula, inclusive para revisão, SEM caráter obrigatório.

A lista abaixo é indicada para treino pessoal e será utilizada para exercícios em sala de aula, inclusive para revisão, SEM caráter obrigatório. 1 A lista abaixo é indicada para treino pessoal e será utilizada para exercícios em sala de aula, inclusive para revisão, SEM caráter obrigatório. 1. ara analisar os dados de uma folha de pagamento, qual(is)

Leia mais

http://www.de.ufpb.br/~luiz/

http://www.de.ufpb.br/~luiz/ UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA MEDIDAS DESCRITIVAS Departamento de Estatística Luiz Medeiros http://www.de.ufpb.br/~luiz/ Vimos que é possível sintetizar os dados sob a forma de distribuições de frequências

Leia mais

DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE

DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE i1 Introdução Uma distribuição de probabilidade é um modelo matemático que relaciona um certo valor da variável em estudo com a sua probabilidade de ocorrência. Há dois tipos

Leia mais

Distribuições de Probabilidade Distribuição Binomial

Distribuições de Probabilidade Distribuição Binomial PROBABILIDADES Distribuições de Probabilidade Distribuição Binomial BERTOLO PRELIMINARES Quando aplicamos a Estatística na resolução de situações-problema, verificamos que muitas delas apresentam as mesmas

Leia mais

Hipótese Estatística:

Hipótese Estatística: 1 PUCRS FAMAT DEPTº DE ESTATÍSTICA TESTE DE HIPÓTESE SÉRGIO KATO Trata-se de uma técnica para se fazer inferência estatística. Ou seja, a partir de um teste de hipóteses, realizado com os dados amostrais,

Leia mais

Curso: Logística e Transportes Disciplina: Estatística Profa. Eliane Cabariti. Distribuição Normal

Curso: Logística e Transportes Disciplina: Estatística Profa. Eliane Cabariti. Distribuição Normal Curso: Logística e Transportes Disciplina: Estatística Profa. Eliane Cabariti Distribuição Normal 1. Introdução O mundo é normal! Acredite se quiser! Muitos dos fenômenos aleatórios que encontramos na

Leia mais

Teorema Central do Limite e Intervalo de Confiança

Teorema Central do Limite e Intervalo de Confiança Probabilidade e Estatística Teorema Central do Limite e Intervalo de Confiança Teorema Central do Limite Teorema Central do Limite Um variável aleatória pode ter uma distribuição qualquer (normal, uniforme,...),

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Arquitetura e Urbanismo DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL ESTIMAÇÃO AUT 516 Estatística Aplicada a Arquitetura e Urbanismo 2 DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL Na aula anterior analisamos

Leia mais

MAE116 Noções de Estatística

MAE116 Noções de Estatística MAE6 Noções de Estatística Grupo A - º semestre de 007 Exercício ( pontos) Uma máquina de empacotar um determinado produto o faz segundo uma distribuição normal, com média µ e desvio padrão 0g. (a) Em

Leia mais

ANÁLISE DA INSPEÇÃO DA LARGURA DOS TECIDOS DE POLIPROPILENO DA INDÚSTRIA TÊXTIL OESTE LTDA

ANÁLISE DA INSPEÇÃO DA LARGURA DOS TECIDOS DE POLIPROPILENO DA INDÚSTRIA TÊXTIL OESTE LTDA ANÁLISE DA INSPEÇÃO DA LARGURA DOS TECIDOS DE POLIPROPILENO DA INDÚSTRIA TÊXTIL OESTE LTDA ORIENTADORA: Dra. Maria Emília Camargo - UNISC - kamargo@zaz.com.br CO-ORIENTADORA: Dra. Suzana Leitão Russo -

Leia mais

Introdução à Inferência Estatística

Introdução à Inferência Estatística Introdução à Inferência Estatística 1. População: conjunto de indivíduos, ou itens, com pelo menos uma característica em comum. Também será denotada por população objetivo, que é sobre a qual desejamos

Leia mais

Aula de Exercícios - Variáveis Aleatórias Discretas - Modelos Probabiĺısticos

Aula de Exercícios - Variáveis Aleatórias Discretas - Modelos Probabiĺısticos Aula de Exercícios - Variáveis Aleatórias Discretas - Modelos Probabiĺısticos Organização: Airton Kist Digitação: Guilherme Ludwig Exercício Se X b(n, p), sabendo-se que E(X ) = 12 e σ 2 = 3, determinar:

Leia mais

Teorema do Limite Central e Intervalo de Confiança

Teorema do Limite Central e Intervalo de Confiança Probabilidade e Estatística Teorema do Limite Central e Intervalo de Confiança Teorema do Limite Central Teorema do Limite Central Um variável aleatória pode ter uma distribuição qualquer (normal, uniforme,...),

Leia mais

INE 5111 Gabarito da Lista de Exercícios de Probabilidade INE 5111 LISTA DE EXERCÍCIOS DE PROBABILIDADE

INE 5111 Gabarito da Lista de Exercícios de Probabilidade INE 5111 LISTA DE EXERCÍCIOS DE PROBABILIDADE INE 5 LISTA DE EERCÍCIOS DE PROBABILIDADE INE 5 Gabarito da Lista de Exercícios de Probabilidade ) Em um sistema de transmissão de dados existe uma probabilidade igual a 5 de um dado ser transmitido erroneamente.

Leia mais

DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADES de variável discreta BERNOULLI E BINOMIAL

DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADES de variável discreta BERNOULLI E BINOMIAL DISTRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADES de variável discreta BERNOULLI E BINOMIAL Introdução Variável aleatória Discreta: assume um número finito ou infinito numerável de valores Contínua: assume todos os valores

Leia mais

Cláudio Tadeu Cristino 1. Julho, 2014

Cláudio Tadeu Cristino 1. Julho, 2014 Inferência Estatística Estimação Cláudio Tadeu Cristino 1 1 Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Brasil Mestrado em Nutrição, Atividade Física e Plasticidade Fenotípica Julho, 2014 C.T.Cristino

Leia mais

Medidas de Variação ou Dispersão

Medidas de Variação ou Dispersão Medidas de Variação ou Dispersão Estatística descritiva Recapitulando: As três principais características de um conjunto de dados são: Um valor representativo do conjunto de dados: uma média (Medidas de

Leia mais

Disciplina Estatística Prof. Msc Quintiliano Siqueira Schroden Nomelini LISTA DE DSITRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE DISTRIBUIÇÕES DISCRETAS

Disciplina Estatística Prof. Msc Quintiliano Siqueira Schroden Nomelini LISTA DE DSITRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE DISTRIBUIÇÕES DISCRETAS Disciplina Estatística Prof. Msc Quintiliano Siqueira Schroden Nomelini LISTA DE DSITRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE DISTRIBUIÇÕES DISCRETAS 1) Devido às altas taxas de juros, uma firma informa que 30% de suas

Leia mais

Resoluções comentadas de Raciocínio Lógico e Estatística - SEPLAG-2010 - EPPGG

Resoluções comentadas de Raciocínio Lógico e Estatística - SEPLAG-2010 - EPPGG Resoluções comentadas de Raciocínio Lógico e Estatística - SEPLAG-010 - EPPGG 11. Em uma caixa há 1 bolas de mesmo tamanho: 3 brancas, 4 vermelhas e 5 pretas. Uma pessoa, no escuro, deve retirar n bolas

Leia mais

Universidade Federal Fluminense

Universidade Federal Fluminense Universidade Federal Fluminense INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA ESTATÍSTICA V Lista 9: Intervalo de Confiança. 1. Um pesquisador está estudando a resistência de um determinado

Leia mais

Resoluções comentadas das questões de Estatística da prova para. ANALISTA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E METAS da PREFEITURA/RJ

Resoluções comentadas das questões de Estatística da prova para. ANALISTA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E METAS da PREFEITURA/RJ Resoluções comentadas das questões de Estatística da prova para ANALISTA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E METAS da PREFEITURA/RJ Realizada pela Fundação João Goulart em 06/10/2013 41. A idade média de todos

Leia mais

Lista de Exercícios - Distribuição Normal

Lista de Exercícios - Distribuição Normal Lista de Exercícios - Distribuição Normal Monitor: Giovani e Prof. Jomar 01. Em indivíduos sadios, o consumo renal de oxigênio tem distribuição Normal de média 12 cm³/min e desvio padrão 1,5 cm³/min. Determinar

Leia mais

Teste de Hipótese para uma Amostra Única

Teste de Hipótese para uma Amostra Única Teste de Hipótese para uma Amostra Única OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM Depois de um cuidadoso estudo deste capítulo, você deve ser capaz de: 1.Estruturar problemas de engenharia de tomada de decisão, como

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES Olá pessoal! Neste ponto resolverei a prova de Matemática Financeira e Estatística para APOFP/SEFAZ-SP/FCC/2010 realizada no último final de semana. A prova foi enviada por um aluno e o tipo é 005. Os

Leia mais

Vetores Aleatórios, correlação e conjuntas

Vetores Aleatórios, correlação e conjuntas Vetores Aleatórios, correlação e conjuntas Cláudio Tadeu Cristino 1 1 Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, Brasil Segundo Semestre, 2013 C.T.Cristino (DEINFO-UFRPE) Vetores Aleatórios 2013.2

Leia mais

Tecido 1 2 3 4 5 6 7 A 36 26 31 38 28 20 37 B 39 27 35 42 31 39 22

Tecido 1 2 3 4 5 6 7 A 36 26 31 38 28 20 37 B 39 27 35 42 31 39 22 Teste para diferença de médias Exemplo Dois tipos diferentes de tecido devem ser comparados. Uma máquina de testes Martindale pode comparar duas amostras ao mesmo tempo. O peso (em miligramas) para sete

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS SERRA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO LISTA DE EXERCÍCIOS (VARIÁVEIS ALEATÓRIAS) ALUNO(A):

INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS SERRA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO LISTA DE EXERCÍCIOS (VARIÁVEIS ALEATÓRIAS) ALUNO(A): INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS SERRA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO LISTA DE EXERCÍCIOS (VARIÁVEIS ALEATÓRIAS) ALUNO(A): 1) A demanda quotidiana por um determinado produto no mercadinho

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Departamento Matemática Curso Engenharia do Ambiente º Semestre 1º Folha Nº4: Intervalos de confiança Probabilidades e Estatística 1.a) Determine o intervalo de confiança a 90% para a média de uma população

Leia mais

Estatística stica para Metrologia

Estatística stica para Metrologia Aula 5 Estatística stica para Metrologia Aula 5 Variáveis Contínuas Uniforme Exponencial Normal Lognormal Mônica Barros, D.Sc. Maio de 008 1 Distribuição Uniforme A probabilidade de ocorrência em dois

Leia mais

Inferência Estatística

Inferência Estatística Universidade Federal Fluminense Instituto de Matemática e Estatística Inferência Estatística Ana Maria Lima de Farias Departamento de Estatística Conteúdo 1 Inferência estatística Conceitos básicos 1 1.1

Leia mais

Método Monte Carlo e a ferramenta do Crystal Ball utilizados na indústria do petróleo: projeções de royalties

Método Monte Carlo e a ferramenta do Crystal Ball utilizados na indústria do petróleo: projeções de royalties Método Monte Carlo e a ferramenta do Crystal Ball utilizados na indústria do petróleo: projeções de royalties JOSÉ OTAVIO DA SILVA, HERNANI A. FERNANDES CHAVES, CLEVELAND M. JONES, FABIANA ADÃO DA SILVA

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ALGARVE

UNIVERSIDADE DO ALGARVE UNIVERSIDADE DO ALGARVE ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA C.E.T. EM TOPOGRAFIA E CADASTRO REGIME DIURNO - 2º SEMESTRE - 1º ANO - 2007 / 2008 DISCIPLINA DE NOÇÕES DE PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA Ficha nº2 -

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES Caríssimos. Recebi muitos e-mails pedindo ajuda com eventuais recursos para as provas do BACEN. Em raciocínio lógico, eu não vi possibilidade de recursos, apesar de achar que algumas questões tiveram o

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES. Comentários sobre as provas de estatística e financeira ICMS RJ

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES. Comentários sobre as provas de estatística e financeira ICMS RJ Comentários sobre as provas de estatística e financeira ICMS RJ Caríssimos, Acabei de voltar de uma longa auditoria em que visitamos inúmeros assentamentos federais do INCRA no interior do estado. Ou seja:

Leia mais

MODELO DE AVALIAÇÃO EM PROJETOS DE INVESTIMENTO DE CAPITAL

MODELO DE AVALIAÇÃO EM PROJETOS DE INVESTIMENTO DE CAPITAL MODELO DE AVALIAÇÃO EM PROJETOS DE INVESTIMENTO DE CAPITAL Marcelo Maciel Monteiro Universidade Federal Fluminense, Engenharia de Produção Rua Martins Torres 296, Santa Rosa, Niterói, RJ, Cep 24240-700

Leia mais

Exercícios Resolvidos da Distribuição de Poisson

Exercícios Resolvidos da Distribuição de Poisson . a. Qual é a diferença entre as distribuições de Poisson e inomial? b. Dê alguns exemplos de quando podemos aplicar a distribuição de Poisson. c. Dê a fórmula da distribuição de Poisson e o significado

Leia mais

Universidade Federal do Paraná Departamento de Informática. Reconhecimento de Padrões. Revisão de Probabilidade e Estatística

Universidade Federal do Paraná Departamento de Informática. Reconhecimento de Padrões. Revisão de Probabilidade e Estatística Universidade Federal do Paraná Departamento de Informática Reconhecimento de Padrões Revisão de Probabilidade e Estatística Luiz Eduardo S. Oliveira, Ph.D. http://lesoliveira.net Conceitos Básicos Estamos

Leia mais

12 DICAS IMPORTANTES PARA MELHORAR O DESEMPENHO DOS PNEUS DO SEU CAMINHÃO

12 DICAS IMPORTANTES PARA MELHORAR O DESEMPENHO DOS PNEUS DO SEU CAMINHÃO 12 DICAS IMPORTANTES PARA MELHORAR O DESEMPENHO DOS PNEUS DO SEU CAMINHÃO COMEÇANDO PELOS JÁ FAMOSOS 5 LADRÕES DE KM O custo com pneus é um dos itens mais pesados na planilha de custo de um transportador,

Leia mais

Lista 09: Estimação de Parâmetros

Lista 09: Estimação de Parâmetros INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA DIVISÃO DE ENGENHARIA MECÂNICA-AERONÁUTICA MB-210: Probabilidade e Estatística Lista 09: Estimação de Parâmetros Prof. Denise Beatriz Ferrari denise@ita.br 2 o Sem/2013

Leia mais

CE-003: Estatística II, turma L

CE-003: Estatística II, turma L CE-003: Estatística II, turma L 1 a Prova - 2 o semestre 2006 (29 Setembro de 2006) 1. (10 pontos) O volume de vendas, no ramo de vestuário, tem se mantido estável de ano para ano, mas acedita-se que sofra

Leia mais

Trabalhando com Pequenas Amostras: Distribuição t de Student

Trabalhando com Pequenas Amostras: Distribuição t de Student Probabilidade e Estatística Trabalhando com Pequenas Amostras: Distribuição t de Student Pequenas amostras x Grandes amostras Nos exemplos tratados até agora: amostras grandes (n>30) qualquer tipo de distribuição

Leia mais

EXERCÍCIOS 2006 APOSTILA DE EXERCÍCIOS ESTATÍSTICA

EXERCÍCIOS 2006 APOSTILA DE EXERCÍCIOS ESTATÍSTICA EXERCÍCIOS 2006 APOSTILA DE EXERCÍCIOS ESTATÍSTICA Professor: LUIZ ANTÔNIO 1 1º) Em um escritório de consultoria, há cinco contínuos que recebem os seguintes salários mensais: R$ 800,00; R$ 780,00; R$

Leia mais

COMO AVALIAR O RISCO DE UM PROJETO ATRAVÉS DA METODOLOGIA DE MONTE CARLO

COMO AVALIAR O RISCO DE UM PROJETO ATRAVÉS DA METODOLOGIA DE MONTE CARLO COMO AVALIAR O RISCO DE UM PROJETO ATRAVÉS DA O que é risco? Quais são os tipos de riscos? Quais são os tipos de análises? Qual a principal função do Excel para gerar simulações aleatórias? O que é distribuição

Leia mais

Estatística Aplicada

Estatística Aplicada INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Estatística Aplicada Ano Lectivo 2006/2007 Ficha n.º1 1. O director comercial de uma cadeia de lojas pretende comparar duas técnicas

Leia mais

Distribuições: Binomial, Poisson e Normal. Distribuição Binomial

Distribuições: Binomial, Poisson e Normal. Distribuição Binomial Distribuições: Binomial, Poisson e Normal Distribuição Binomial Monitor Adan Marcel e Prof. Jomar 1. Uma remessa de 800 estabilizadores de tensão é recebida pelo controle de qualidade de uma empresa. São

Leia mais

Prof. M. Sc. Jarbas Thaunahy Santos de Almeida 1

Prof. M. Sc. Jarbas Thaunahy Santos de Almeida 1 Prof. M. Sc. Jarbas Thaunahy Santos de Almeida 1 Aula 7 Covariância e suas aplicações Roteiro Introdução Covariância Valor esperado, Variância e Desvio-padrão da soma entre duas variáveis aleatórias Retorno

Leia mais

Lista VIII - Testes de Independência e Aderência

Lista VIII - Testes de Independência e Aderência Lista VIII - Testes de Independência e Aderência 19/1/011 Professor Salvatore Estatística II Grau Instrução Região Lista VIII - Lista VIII - Testes de Independência e Aderência Testes de Independência

Leia mais

Modelo Binomial. 1º semestre de 2009- Gabarito 2. Distribuição Binomial ME323

Modelo Binomial. 1º semestre de 2009- Gabarito 2. Distribuição Binomial ME323 Exercício 01 Acredita-se que 20% dos moradores das proximidades de uma grande indústria siderúrgica tem alergia aos poluentes lançados ao ar. Admitindo que este percentual de alérgicos é real (correto),

Leia mais

Capítulo 7 Medidas de dispersão

Capítulo 7 Medidas de dispersão Capítulo 7 Medidas de dispersão Introdução Para a compreensão deste capítulo, é necessário que você tenha entendido os conceitos apresentados nos capítulos 4 (ponto médio, classes e frequência) e 6 (média).

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS DE JI-PARANÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL LISTA DE EXERCÍCIOS 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS DE JI-PARANÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL LISTA DE EXERCÍCIOS 3 UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS DE JI-PARANÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL Disciplina: Estatística II LISTA DE EXERCÍCIOS 3 1. Testes de resistência à tensão foram feitas em duas estruturas

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLINAR: 500 Matemática Aplicada às Ciências Sociais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLINAR: 500 Matemática Aplicada às Ciências Sociais ANO: 11º ANO LECTIVO : 008/009 p.1/7 CONTEÚDOS MODELOS MATEMÁTICOS COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER - Compreender a importância dos modelos matemáticos na resolução de problemas de problemas concretos. Nº. AULAS

Leia mais

Exercício de Revisao 1

Exercício de Revisao 1 Exercício de Revisao 1 Considere que seu trabalho é comparar o desempenho de dois algoritmos (A e B) de computação gráfica, que usam métodos diferentes para geração de faces humanas realistas. São sistema

Leia mais

PE-MEEC 1S 09/10 118. Capítulo 4 - Variáveis aleatórias e. 4.1 Variáveis. densidade de probabilidade 4.2 Valor esperado,

PE-MEEC 1S 09/10 118. Capítulo 4 - Variáveis aleatórias e. 4.1 Variáveis. densidade de probabilidade 4.2 Valor esperado, Capítulo 4 - Variáveis aleatórias e distribuições contínuas 4.1 Variáveis aleatórias contínuas. Função densidade de probabilidade 4.2 Valor esperado, variância e algumas das suas propriedades. Moda e quantis

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MATEMÁTICA 4 a LISTA DE EXERCÍCIOS GBQ12 Professor: Ednaldo Carvalho Guimarães AMOSTRAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MATEMÁTICA 4 a LISTA DE EXERCÍCIOS GBQ12 Professor: Ednaldo Carvalho Guimarães AMOSTRAGEM 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MATEMÁTICA 4 a LISTA DE EXERCÍCIOS GBQ12 Professor: Ednaldo Carvalho Guimarães AMOSTRAGEM 1) Um pesquisador está interessado em saber o tempo médio que

Leia mais

FORD C-MAX + FORD GRAND C-MAX CMAX_Main_Cover_2014_V3.indd 1-3 23/08/2013 10:01:48

FORD C-MAX + FORD GRAND C-MAX CMAX_Main_Cover_2014_V3.indd 1-3 23/08/2013 10:01:48 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 12,999,976 km 9,136,765 km 1,276,765 km 499,892 km 245,066 km 112,907 km 36,765 km 24,159 km 7899 km 2408 km 76 km 12 14 16 9 10 1 8 12 7 3 1 6 2 5 4 3 11 18 20 21 22 23 24 26 28 30

Leia mais

Exercícios. Exercício 1

Exercícios. Exercício 1 Exercícios Exercício 1 Considere um sistema de processamento com os seguintes tempos entre chegadas de tarefas: Tempo entre Chegadas (horas) Probabilidade 0 0.23 1 0.37 2 0.28 3 0.12 Os tempos de processamento

Leia mais

Aula 6: REDE PERT/CPM

Aula 6: REDE PERT/CPM Tecnologia em Logística e Transportes Métodos Quantitativos de Gestão Aula 6: REDE PERT/CPM Prof. Msc. João Gilberto Mendes dos Reis PERT Segundo Monks (1985), o PERT como o CPM, também é um recurso de

Leia mais

AULAS 13, 14 E 15 Correlação e Regressão

AULAS 13, 14 E 15 Correlação e Regressão 1 AULAS 13, 14 E 15 Correlação e Regressão Ernesto F. L. Amaral 23, 28 e 30 de setembro de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de

Leia mais

dicas da volvo Peças e Serviços Genuínos olá! nesta edição, vamos ver por que comprar peças e serviços genuínos volvo é um ótimo negócio!

dicas da volvo Peças e Serviços Genuínos olá! nesta edição, vamos ver por que comprar peças e serviços genuínos volvo é um ótimo negócio! 15 dicas da Peças e Serviços Genuínos olá! nesta edição, vamos ver por que comprar peças e serviços genuínos é um ótimo negócio! Lembre-se: Sempre instale suas peças genuínas em uma concessionária Volvo,

Leia mais

4. σ 2 Var X p x q e σ Dp X Podemos escrever o modelo do seguinte modo:

4. σ 2 Var X p x q e σ Dp X Podemos escrever o modelo do seguinte modo: Distribuições de Probabilidades Quando aplicamos a Estatística na resolução de problemas administrativos, verificamos que muitos problemas apresentam as mesmas características o que nos permite estabelecer

Leia mais

CAP4: Distribuições Contínuas Parte 1 Distribuição Normal

CAP4: Distribuições Contínuas Parte 1 Distribuição Normal CAP4: Distribuições Contínuas Parte 1 Distribuição Normal Quando a variável sendo medida é expressa em uma escala contínua, sua distribuição de probabilidade é chamada distribuição contínua. Exemplo 4.1

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Mestrado em Estatística

Universidade Federal de Pernambuco Mestrado em Estatística Universidade Federal de Pernambuco Mestrado em Estatística Lista 4 de Exercícios de Amostragem Prof. Cristiano Ferraz 1. Em relação ao plano amostral de Bernoulli: a) Explique como retirar uma amostra

Leia mais

ESTATÍSTICA. aula 1. Insper Ibmec São Paulo. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano

ESTATÍSTICA. aula 1. Insper Ibmec São Paulo. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano ESTATÍSTICA aula 1 Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano Insper Ibmec São Paulo ESTATÍSTICA COISAS DO ESTADO ESTATÍSTICA: - Apresentação e Análise de dados - Tomadas de Decisões baseadas em análises -

Leia mais

Modelagens e Gerenciamento de riscos (Simulação Monte Carlo)

Modelagens e Gerenciamento de riscos (Simulação Monte Carlo) Modelagens e Gerenciamento de riscos (Simulação Monte Carlo) Prof. Esp. João Carlos Hipólito e-mail: jchbn@hotmail.com Sobre o professor: Contador; Professor da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES 1

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES 1 CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES 1 Olá pessoal! Resolverei neste ponto a prova de Matemática e Estatística para Técnico Administrativo para o BNDES 2008 organizado pela CESGRANRIO. Sem mais delongas,

Leia mais

Metodologia Seis Sigma

Metodologia Seis Sigma Metodologia Seis Sigma Pedro Paulo Balestrassi / João Batista Turrioni Universidade Federal de Itajubá Aplicações Utilize os exemplos dos slides seguintes como base para desenvolver 15 aplicações em sua

Leia mais

AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas

AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas 1 AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas Ernesto F. L. Amaral 19 e 28 de agosto de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro:

Leia mais

Prof. Dr. Iron Macêdo Dantas

Prof. Dr. Iron Macêdo Dantas Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado da Educação e da Cultura - SEEC UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN MESTRADO EM CIÊNCIAS NATURAIS Prof. Dr. Iron Macêdo Dantas

Leia mais

(b) Qual a probabilidade de ter sido transmitido um zero, sabendo que foi recebido um (1.0) zero?

(b) Qual a probabilidade de ter sido transmitido um zero, sabendo que foi recebido um (1.0) zero? Grupo I 5.0 valores 1. Um sistema de comunicação binária transmite zeros e uns com probabilidade 0.5 em qualquer dos casos. Devido ao ruído existente no canal de comunicação há erros na recepção: transmitido

Leia mais

Gestão da Qualidade Políticas. Elementos chaves da Qualidade 19/04/2009

Gestão da Qualidade Políticas. Elementos chaves da Qualidade 19/04/2009 Gestão da Qualidade Políticas Manutenção (corretiva, preventiva, preditiva). Elementos chaves da Qualidade Total satisfação do cliente Priorizar a qualidade Melhoria contínua Participação e comprometimento

Leia mais

Segurança dos Pneus. Data de validade

Segurança dos Pneus. Data de validade Segurança dos Pneus Dirigimos diariamente e quase nunca prestamos atenção a uma das partes mais importantes do automóvel, O PNEU. Veja a seguir como ler e entender a fabricação e o uso correto de um pneu.

Leia mais

Probabilidade. Renata Souza. Introdução. Tabelas Estatísticas. População, Amostra e Variáveis. Gráficos e Distribuição de Freqüências

Probabilidade. Renata Souza. Introdução. Tabelas Estatísticas. População, Amostra e Variáveis. Gráficos e Distribuição de Freqüências Probabilidade Introdução Tabelas Estatísticas População, Amostra e Variáveis Gráficos e Distribuição de Freqüências Renata Souza Conceitos Antigos de Estatística stica a) Simples contagem aritmética Ex.:

Leia mais

Primeira Lista de Exercícios de Estatística

Primeira Lista de Exercícios de Estatística Primeira Lista de Exercícios de Estatística Professor Marcelo Fernandes Monitor: Márcio Salvato 1. Suponha que o universo seja formado pelos naturais de 1 a 10. Sejam A = {2, 3, 4}, B = {3, 4, 5}, C =

Leia mais

SÉRIE: Estatística Básica Texto 4: TESTES DE HIPÓTESES SUMÁRIO

SÉRIE: Estatística Básica Texto 4: TESTES DE HIPÓTESES SUMÁRIO SUMÁRIO. INTRODUÇÃO... 3.. GENERALIDADES... 3.. METODOLOGIA DO TESTE DE HIPÓTESES... 3.3. AS HIPÓTESES... 3.4. A ESCOLHA DO TESTE ESTATÍSTICO... 4.5. CONCEITOS ADICIONAIS DO TESTE DE HIPÓTESES... 4.6.

Leia mais

MEDIDAS DE DISPERSÃO

MEDIDAS DE DISPERSÃO MEDIDAS DE DISPERSÃO 1) (PETROBRAS) A variância da lista (1; 1; 2; 4) é igual a: a) 0,5 b) 0,75 c) 1 d) 1,25 e) 1,5 2) (AFPS ESAF) Dada a seqüência de valores 4, 4, 2, 7 e 3 assinale a opção que dá o valor

Leia mais

Distribuição de Freqüência

Distribuição de Freqüência Distribuição de Freqüência Representação do conjunto de dados Distribuições de freqüência Freqüência relativa Freqüência acumulada Representação Gráfica Histogramas Organização dos dados Os métodos utilizados

Leia mais

Recomendamos esta secção se quiser familiarizar-se com o mundo dos pneus para automóveis.

Recomendamos esta secção se quiser familiarizar-se com o mundo dos pneus para automóveis. Tudos Sobre Pneus Conhecimento Do Pneu Da Pirelli Mais de cem anos de experiência em tecnologia do pneu permitiu à Pirelli combinar nos seus produtos níveis máximos de segurança, longevidade, conforto

Leia mais

Medidas de dispersão: os valores estão próximos entre si ou variam muito?

Medidas de dispersão: os valores estão próximos entre si ou variam muito? NOTAS DE EPIDEMIOLOGIA E ESTATÍSTICA Medidas de dispersão: os valores estão próximos entre si ou variam muito? Measures of dispersion: are all values close to each other or do they vary a lot? JOÃO LUIZ

Leia mais

Distribuição Uniforme Discreta. Modelos de distribuições discretas. Distribuição de Bernoulli. Distribuição Uniforme Discreta

Distribuição Uniforme Discreta. Modelos de distribuições discretas. Distribuição de Bernoulli. Distribuição Uniforme Discreta Distribuição Uniforme Discreta Modelos de distribuições discretas Notas de Aula da Profa. Verónica González-López e do Prof. Jesús Enrique García, digitadas por Beatriz Cuyabano. Acréscimos e modicações:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABARITO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABARITO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABARITO GRUPO: ESTATÍSTICA DATA: HORÁRIO: NOME DO CANDIDATO: CPF: ASSINATURA: INSTRUÇÕES:

Leia mais

Disciplinas: Cálculo das Probabilidades e Estatística I

Disciplinas: Cálculo das Probabilidades e Estatística I Introdução a Inferência Disciplinas: Cálculo das Probabilidades e Estatística I Universidade Federal da Paraíba Prof a. Izabel Alcantara Departamento de Estatística (UFPB) Introdução a Inferência Prof

Leia mais

Intervalo de Confiança e cálculo de tamanho de amostra. Henrique Dantas Neder

Intervalo de Confiança e cálculo de tamanho de amostra. Henrique Dantas Neder Intervalo de Confiança e cálculo de tamanho de amostra Henrique Dantas Neder Intervalo de confiança para a média da população µ X Até o momento discutimos as propriedades da distrbuição normal e vimos

Leia mais

2. Método de Monte Carlo

2. Método de Monte Carlo 2. Método de Monte Carlo O método de Monte Carlo é uma denominação genérica tendo em comum o uso de variáveis aleatórias para resolver, via simulação numérica, uma variada gama de problemas matemáticos.

Leia mais

Stela Adami Vayego - DEST/UFPR 1

Stela Adami Vayego - DEST/UFPR 1 Aula 04 Medidas Descritivas de Variáveis Quantitativas Parte 2 Medidas de Dispersão Stela Adami Vayego - DEST/UFPR 1 São medidas que fornecem informação com relação a dispersão dos dados (heterogeneidade).

Leia mais

Aula de Exercícios - Testes de Hipóteses

Aula de Exercícios - Testes de Hipóteses Aula de Exercícios - Testes de Hipóteses Organização: Airton Kist Digitação: Guilherme Ludwig Testes de Hipóteses Exemplo Para decidirmos se os habitantes de uma ilha são descendentes da civilização A

Leia mais

Variáveis Aleatórias Contínuas

Variáveis Aleatórias Contínuas Variáveis aleatórias contínuas: vamos considerar agora uma lista de quantidades as quais não é possível associar uma tabela de probabilidades pontuais ou frequências tempo de duração de uma chamada telefônica

Leia mais

A equação do 2º grau

A equação do 2º grau A UA UL LA A equação do 2º grau Introdução Freqüentemente, ao equacionarmos um problema, obtemos uma equação na qual a incógnita aparece elevada ao quadrado. Estas são as chamadas equações do 2º grau.

Leia mais

Leia com atenção este termo de garantia, mantenha-o ao seu alcance e consulte-o sempre que surgir dúvidas. TERMO DE GARANTIA

Leia com atenção este termo de garantia, mantenha-o ao seu alcance e consulte-o sempre que surgir dúvidas. TERMO DE GARANTIA Leia com atenção este termo de garantia, mantenha-o ao seu alcance e consulte-o sempre que surgir dúvidas. TERMO DE GARANTIA A Maggion Inds. de Pneus e Máquinas Ltda. garante, por um período de 5 ( cinco

Leia mais

Tópicos em Inferência Estatística. Frases. Roteiro. 1. Introdução

Tópicos em Inferência Estatística. Frases. Roteiro. 1. Introdução Tópicos em Inferência Estatística Frases Torture os dados por um tempo suficiente, e eles contam tudo! fonte: mcrsoft@aimnet.com (Barry Fetter) Um homem com um relógio sabe a hora certa. Um homem com dois

Leia mais

Estatística I Aula 1. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc.

Estatística I Aula 1. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Estatística I Aula 1 Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Estatística Estatística

Leia mais

Introdução a Química Analítica. Professora Mirian Maya Sakuno

Introdução a Química Analítica. Professora Mirian Maya Sakuno Introdução a Química Analítica Professora Mirian Maya Sakuno Química Analítica ou Química Quantitativa QUÍMICA ANALÍTICA: É a parte da química que estuda os princípios teóricos e práticos das análises

Leia mais