PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 01

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 01"

Transcrição

1 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 01 LEVANTAMENTO, MODELAGEM E ANÁLISE, NA NOTAÇÃO BPMN, DOS MACROPROCESSOS DA COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - CGTI, DA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO SPOA. Documento técnico apresentado pelo Consultor MÁRIO GORINI, caracterizando o Produto Nº 01, relativo ao Termo de Referência do Edital Nº 1/2010 do Projeto 914 BRA PRODOC-MTC/UNESCO BRASÍLIA DF 2010 [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 1 / 27

2 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO Macroprocessos A notação BPMN A técnica SADT OBJETIVOS DO DOCUMENTO TÉCNICO ATIVIDADES REALIZADAS Identificação das Unidades Organizacionais Coordenação-Geral de Gestão da Tecnologia da Informação - CGTI Coordenação de Gerência de Rede - COGR Coordenação de Desenvolvimento de Sistemas - CODS Levantamento, análise e desenho dos macroprocessos da CGTI Macroprocesso de Gestão e Governança da CGTI Macroprocesso de Service Desk Macroprocesso de Infraestrutura Macroprocesso de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas Macroprocesso Central de Atendimento ANEXO [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 2 / 27

3 1. APRESENTAÇÃO Este trabalho, desenvolvido pelo Consultor MÁRIO GORINI, constitui o primeiro produto previsto no Edital N 01/2010, do Projeto de Cooperação Técnica Internacional 914 BRA5065-PRODOC-MCT/UNESCO. A finalidade do projeto contido no Edital referenciado é: Levantar, modelar e analisar, na notação BPMN, os macroprocessos da Coordenação-Geral de Gestão da Tecnologia da Informação - CGTI, da Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Administração SPOA, determinando as entradas, etapas de processamento, saídas e clientes, com o objetivo de aumentar o grau de maturidade em Gestão por Processos no âmbito do Ministério da Ciência e Tecnologia MCT. 1.1 Macroprocessos Em um contexto organizacional, todos os resultados gerados pelas atividades que, de alguma forma, agregam valor à instituição são denominados de processos de negócio. Esses processos de negócio quando visualizados a partir de uma visão consolidada e em um nível de granularidade alto são chamados de macroprocessos. A sua operação tem um impacto significativo no modo como a organização funciona. Compreendê-los significa entender a organização como um todo. Os macroprocessos da CGTI foram representados graficamente utilizando-se os elementos básicos (core elements) da notação BPMN (Business Process Modeling Notation) e os elementos característicos da técnica SADT (Structured Analysis and Design Technique). 1.2 A notação BPMN O BPMN (Business Process Management Notation) é uma notação de representação gráfica para especificação de processos de negócios, desenvolvido pela Business Process Management Initiative (BPMI), mantida atualmente pelo Object Management Group (OMG). O objetivo do BPMN é apoiar a gestão por processos de negócios tanto para usuários técnicos e de negócios, uma vez que fornece uma notação intuitiva capaz de representar a semântica de processos complexos. Os elementos básicos do BPMN utilizados na modelagem dos macroprocessos da CGTI são descritos a seguir: [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 3 / 27

4 Eventos: Um evento é algo que "acontece" no decurso de um processo de negócio e afeta o seu fluxo. O termo "evento" é genérico o suficiente para cobrir muitas coisas em um processo de negócio, tais como o início ou o final de uma atividade, a mudança de estado de um documento, uma mensagem que chega, entre outras. No entanto, BPMN tem restringido o uso de eventos de modo a incluir apenas os tipos que afetarão a sequência ou tempo de atividades de um processo. O BPMN classifica os eventos em três tipos: Iniciais, Intermediários e Finais e representa-os através de círculos, conforme apresentado a seguir: Evento Inicial: O Evento Inicial indica onde um processo em particular começa. Ele também é usado para um sub-processo que começa quando o fluxo é disparado pelo processo "pai". O Evento Inicial pode se ligar a uma Atividade qualquer, mas jamais poderá se ligar a Atividade ao Evento Inicial. Na notação BPMN, o Evento Inicial é representado por um círculo, que contém uma linha simples na borda. Pode existir mais de um Evento Inicial em um mesmo diagrama de processo, o que indica que o processo pode ser iniciado de diferentes formas. Evento Intermediário: O Evento Intermediário indica onde acontece algo (um evento) em algum lugar entre o início e o fim de um processo. Isso afetará o fluxo do processo, mas não começará e nem terminará o processo. Na notação BPMN, o Evento Intermediário é representado por um círculo que contém uma linha dupla em sua borda. Evento Final: O Evento Final indica onde um processo terminará, podendo existir mais de um Evento Final em um mesmo diagrama de processo, o que indica que o processo pode terminar de diferentes formas. Na notação BPMN o Evento Final é representado por meio de um círculo, que contém uma linha preenchida de espessura dupla em sua borda. Por se tratar de um elemento que representa o final do processo, jamais poderá ligar um Evento Final a uma Atividade, porém a Atividade pode se ligar ao Evento Final. Atividade: A Atividade é termo genérico para uma tarefa realizada em um processo. Na notação BPMN a uma Atividade é representada por meio de um retângulo. Gateway: O Gateway é usado para dividir ou juntar fluxos de processos. Por isso, um Gateway determina a ramificação (branch), bifurcação (fork), junção (join) ou combinação [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 4 / 27

5 (merge) de caminhos em um processo. Na notação BPMN, o Gateway é representado graficamente por meio de um losango. 1.3 A técnica SADT O SADT - Structured Analysis and Design Technique é uma técnica de desenho de processo que propõe uma notação simples para representação gráfica. O elemento básico do SADT é uma Atividade que possui quatro lados: Entrada, Controle, Mecanismo e Saída. Cada lado possui características específicas: Entrada: lado esquerdo da Atividade que representa o que será consumido e transformado na Saída. Exemplo: insumos; Saída: lado direito que representa o resultado produzido pela Atividade. Exemplo: produtos, bens, serviços; Controle: lado superior da Atividade que representa as circunstâncias que devem ser obedecidas para ocorrer a transformação adequada do elemento de Entrada na Saída. Exemplos: regras, normas, leis e especificações; Mecanismos: lado inferior da Atividade que representa os meios, isto é, os recursos necessários para realizar a transformação da Entrada na Saída desejada. Exemplo: pessoas, papéis, infra-estrutura físicas e tecnológicas; Atividade: representa o momento de transformação, do elemento de entrada no elemento de saída. 2. OBJETIVOS DO DOCUMENTO TÉCNICO O objetivo deste relatório é apresentar o Produto 01: Documento técnico contendo a representação gráfica dos macroprocessos da CGTI, possibilitando uma visão detalhada das entradas, etapas de processamento, saídas e clientes. 3. ATIVIDADES REALIZADAS As atividades relacionadas a seguir foram realizadas no período destinado ao desenvolvimento do Produto 1, conforme constante do termo de Referência: Representar na notação BPMN, os macroprocessos da Coordenação-Geral de Gestão de Tecnologia da Informação - CGTI: [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 5 / 27

6 a. Efetuar o levantamento, análise e desenho na notação BPMN, dos macroprocessos da CGTI, determinando as entradas, etapas de processamento, saídas e clientes; Os resultados obtidos estão descritos nos tópicos a seguir. As atividades listadas ensejam a elaboração de uma parte escrita ou de um mapa representativo do macroprocesso em questão. 3.1 Identificação das Unidades Organizacionais Os trabalhos para identificação das unidades organizacionais responsáveis pela operação dos macroprocessos da CGTI e suas interfaces foram realizados mediante reuniões presenciais no MCT, em que participaram servidores da Coordenação-Geral de Gestão da Tecnologia da Informação - CGTI e da Coordenação-Geral de Gestão e Inovação - CGGI. Nestes encontros, a estrutura funcional foi explicitada, bem como suas principais competências, conforme apresentado a seguir Coordenação-Geral de Gestão da Tecnologia da Informação - CGTI A CGTI é uma das unidade que compõem da estrutura organizacional da Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Administração SPOA, que está subordinada a Secretaria- Executiva SEXEC, nos termos do Decreto nº de 6 de setembro de Estão subordinadas à CGTI a Coordenação de Desenvolvimento de Sistemas CODS, que por sua vez possui a Divisão de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas - DDMS como unidade subordinada; e a Coordenação de Gerência de Rede - COGR, que possui a Divisão de Atendimento ao Usuário DIAU como unidade subordinada. A Coordenação-Geral de Gestão da Tecnologia da Informação CGTI tem por finalidade promover e gerenciar sistemas de informações e recursos computacionais de processamento e transmissão de dados e informações da Administração Central do Ministério. Cabe à Coordenação de Desenvolvimento de Sistemas CODS o gerenciamento das atividades de desenvolvimento e manutenção de software, enquanto a Coordenação de Gerência de Rede - COGR o gerenciamento dos Serviços de Atendimento ao Usuário (Service Desk) e da Infraestrutura Computacional. [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 6 / 27

7 Serão apresentadas nos próximos tópicos as interfaces, entradas e saídas, de cada macroprocesso identificado. Figura 1- Estrutura Organizacional da Coordenação-Geral de Gestão da Tecnologia da Informação Coordenação de Gerência de Rede - COGR São atribuições da COGR: promover e coordenar os estudos de prospecção tecnológica, com vistas a identificar novos produtos ou serviços mais adequados para a infra-estrutura dos recursos de informática; propor adoção de normas, diretrizes, padrões técnicos e procedimentos para o uso eficiente dos recursos, equipamentos de informática e programas de computador, bem como definir os padrões para a estruturação da comunicação de dados e de teleprocessamento; e propor a adoção de normas, diretrizes, padrões técnicos e definir procedimentos, de forma a promover o maior nível de segurança física e lógica do ambiente de informática, inclusive com relação às interconexões com outros ambientes. prestar assistência aos usuários na instalação, utilização e operação dos recursos computacionais, assegurando os serviços de assistência técnica de informática da Administração Central do Ministério; [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 7 / 27

8 acompanhar e avaliar a prestação de serviços computacionais realizado por terceiros, prestando orientação técnica aos usuários; supervisionar as ações dos técnicos responsáveis pelo atendimento aos usuários de informática da Administração Central do Ministério; supervisionar e controlar a instalação de programas de computador em todas as unidades da Administração Central do Ministério, garantindo a legalidade das cópias Coordenação de Desenvolvimento de Sistemas - CODS São atribuições da CODS: colaborar no planejamento, orientar, executar e controlar as atividades de desenvolvimento de sistemas informatizados e de sítios no âmbito do MCT; desenvolver e manter os sistemas informatizados que permitam agilizar as atividades da Administração Central do Ministério, dotando de informações gerenciais necessárias à tomada de decisões; implementar processo unificado de desenvolvimento de sistemas informatizados, promover a avaliação e aperfeiçoamento dos mesmos, incorporando ou adaptando tecnologias, metodologias e ferramentas que promovam a qualidade e produtividade; propor padrões, normas e procedimentos relativos à estruturação e desenvolvimento de sistemas informatizados; realizar avaliações e propor melhorias nos sistemas informatizados e produtos desenvolvidos; definir normas, padrões e procedimentos para criação, utilização e administração das bases de dados no âmbito do MCT; estabelecer procedimentos para assistência técnica aos sistemas informatizados no âmbito do MCT; e modelar, desenvolver, implementar, acompanhar, manter, avaliar e otimizar os sistemas informatizados no âmbito da Administração Central do Ministério. [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 8 / 27

9 3.2 Levantamento, análise e desenho dos macroprocessos da CGTI. A modelagem de macroprocessos permite a melhor compreensão dos valores gerados (produtos e serviços), dos insumos empregados, e dos clientes atendidos. Essa compreensão permitirá a melhoria contínua dos processos, pela identificação de componentes essenciais e sensíveis à mudança, e viabilizará a automatização de procedimentos pelo uso de recursos da Tecnologia da Informação, contribuindo para a implantação da Gestão por Processos no Ministério da Ciência e Tecnologia - MCT. O desenho de macroprocessos realizado em alto nível tem por objetivo apresentar os relacionamentos existentes entre os processos de negócio da organização. São úteis para uma compreensão geral, mas abstém-se dos detalhes intrínsecos da atividade, que seria objeto do detalhamento do processo. A descrição do relacionamento entre processos significa identificar, caracterizar e representar os elementos de entradas e saídas de cada processo-chave. No trabalho realizado foram identificados e levantados os Macroprocessos de: Gestão e Governança da CGTI; Service Desk; Infraestrutura; Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas; e Central de Atendimento, que serão objeto de apresentação nos próximos tópicos. Os produtos de relacionamentos e as interdependências existentes entre as unidades organizacionais da Coordenação-Geral de Gestão da Gestão da Tecnologia da Informação - CGTI poderão ser visualizados no Anexo deste Relatório Técnico Macroprocesso de Gestão e Governança da CGTI Este diagrama de processo, associado à Coordenação-Geral de Gestão da Tecnologia da Informação - CGTI, representa graficamente os elementos estruturantes do macroprocesso de Gestão e Governança. Trata-se do macroprocesso responsável pela gerência da CGTI nos níveis estratégico e operacional. Este macroprocesso recebe demandas de todas as unidades vinculadas à CGTI e de seus usuários e tem como saída relatórios gerenciais. [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 9 / 27

10 A seguir é apresentada a imagem do macroprocesso, representado na notação BPMN, bem como a tabela que contém os seus elementos de entrada, etapas de processamento, saídas e clientes. a. Entradas Elemento Nome Descrição Solicitação de Solução de TI Relatório de Gestão operacional do Sevice Desk Identificar as necessidades de soluções de TI 1. Tipo de registro (Memorando, Ofício, ) 2. Especificação 3. Data do pedido 4. Requisitante São os diversos tipos de relatórios de gestão como de impacto, risco, desempenho, aderência ao contrato, conformidade, monitoração técnica do contrato, sob o ponto de vista do [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 10 / 27

11 Relatório de Gestão Operacional da CODS Relatório de Gestão Operacional da Infraestrutura Service Desk. São os diversos tipos de relatórios de gestão como de impacto, risco, desempenho, aderência ao contrato, conformidade, monitoração técnica do contrato, sob o ponto de vista da CODS. São os diversos tipos de relatórios de gestão como de impacto, risco, desempenho, aderência ao contrato, conformidade, monitoração técnica do contrato, sob o ponto de vista da Infraestrutura. b. Etapas de processamento Gestão/Governança da CGTI Coordenação Geral c. Saídas Elemento Nome Descrição Processos de TI Manter o acervo de processos relacionados à Tecnologia da Informação Padrões tecnológicos Portfólio de Projetos de TI Portfólio de serviços de TI Estabelecer padrões para o ambiente computacional 1. Tipo (Hardware/software) 2. Nome 3. Especificação 4. Origem (interno-externa) de implementação 6. Data de desativação Identificar os projetos sob a responsabilidade da CGTI. Atributo: 1. Nome do Projeto 2. Especificação 3. Data de início 4. Clientes 5. Área responsável Relacionar os serviços ofertados pela área de TI [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 11 / 27

12 Relatórios estratégicos de TI Expor aspectos e circunstâncias relacionados às atividades da TI Proposta de políticas e procedimentos de TI Proposta de Planos de TI Propor políticas e procedimentos relacionados à área de TI. 2. Objetivo 3. Escopo (Interno ou externo) 4. Datas: Criação, Implantação, Alteração e Extinção 5. Responsável pela Gestão na CGTI Propor planos relacionados à TI. 2. Descrição 3. Tipo (Diretor de TI, Estratégico de TI, orçamentário) d. Clientes Comitê de Segurança e Tecnologia da Informação; Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Administração SPOA Macroprocesso de Service Desk Este diagrama de processo, associado à Coordenação de Gerência de Rede - COGR, representa graficamente os elementos estruturantes do macroprocesso do Service Desk (Central de Serviços). Trata-se do macroprocesso responsável pelo atendimento das demandas dos usuários no que se refere às necessidades por soluções de TI. O objetivo principal do Service Desk é minimizar o impacto nas atividades dos usuários causadas por falhas de TI. As demandas que chegam ao Service Desk, eventos iniciais representados na cor verde na imagem abaixo, podem ser atendidas e solucionadas neste macroprocesso. Do contrário são encaminhadas aos demais macroprocessos, que darão prosseguimento ao atendimento, uma vez que uma única demanda por solução de TI poderá gerar outra(s) demanda(s) de serviços prestados por outros macroprocessos. [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 12 / 27

13 Na tabela abaixo são apresentados os detalhes dos elementos de entrada, etapas de processamento, saídas e clientes identificados no macroprocesso de Service Desk. a. Entradas Elemento Nome Descrição Requisição à Service Desk Informar a existência de requisições relativas a sistemas 2. Tipo da Solicitação Arquivos Anexos [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 13 / 27

14 Conclusão de Requisição à CODS Solicitação de Solução de TI Informar que uma requisição de serviço foi concluída 2. Tipo da Solicitação Arquivos Anexos 17. Data de conclusão 18. Conclusão definitiva (sim/não) Identificar as necessidades de soluções de TI 1. Tipo de registro (Memorando, Ofício, ) 2. Especificação 3. Data do pedido 4. Requisitante Conclusão de Requisição Infraestrutura Informar que uma requisição de serviço foi concluída. Atributos 2. Tipo da Solicitação Arquivos Anexos [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 14 / 27

15 17. Data de conclusão 18. Conclusão definitiva (sim/não) b. Etapas de processamento Service Desk - Atendimento ao Usuário c. Saídas Elemento Nome Descrição Relatório de Gestão Operacional do Service Desk Requisição à CODS Conclusão de Requisição ao São os diversos tipos de relatórios de gestão como de impacto, risco, desempenho, aderência ao contrato, conformidade, monitoração técnica do contrato sob o ponto de vista do Service Desk. Informar a existência de requisições relativas a desenvolvimento de sistemas 2. Tipo da Solicitação Arquivos Anexados - Service Desk Requisição à Infraestrutura Informar a existência de requisições relativas à infraestrutura [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 15 / 27

16 2. Tipo da Solicitação Arquivos Anexos Solicitação relacionada ao Service Desk atendida - d. Clientes Coordenação de Desenvolvimento de Sistemas CODS; Coordenação de Gerência de Rede - CGR (Infraestrutura); Gestão/Governança da CGTI Coordenação Geral Unidades do MCT Macroprocesso de Infraestrutura Este diagrama de processo, associado à Coordenação de Gerência de Rede - COGR, representa graficamente os elementos estruturantes do macroprocesso de infraestrutura, responsável pelo atendimento das demandas referentes aos recursos computacionais de processamento e transmissão de dados e informações do MCT. Assim como ocorre no Service Desk, estas demandas podem ser atendidas e solucionadas neste macroprocesso. Do contrário são encaminhadas aos demais macroprocessos, que darão prosseguimento ao atendimento, uma vez que uma única demanda de infraestrutura poderá resultar na necessidade de serviços prestados por outros macroprocessos. [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 16 / 27

17 Na tabela abaixo são apresentados os detalhes dos elementos de entrada, etapas de processamento, saídas e clientes identificados no macroprocesso de Infraestutura. a. Entradas Elemento Nome Descrição Requisição a Infraestrutura Conclusão de Requisição a CODS Informar a existência de requisições relativas à infraestrutura 2. Tipo da Solicitação Arquivos Anexos Informar que uma requisição de serviço foi concluída Atributos [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 17 / 27

18 2. Tipo da Solicitação Arquivos Anexos 17. Data de conclusão 18. Conclusão definitiva (sim/não) Solicitação de Solução de TI Solicitação relacionada a Service Desk Conclusão de Requisição ao Service Desk - b. Etapas de processamento Gerenciamento da Infraestrutura Computacional c. Saídas Elemento Nome Descrição Relatório de Gestão Operacional da Infraestrutura São os diversos tipos de relatórios de gestão como de impacto, risco, desempenho, aderência ao contrato, conformidade, monitoração técnica do contrato sob o ponto de vista da Infraestrutura. Requisição à CODS - Conclusão de Requisição à Infraestrutura Informar que uma requisição de serviço foi concluída. [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 18 / 27

19 2. Tipo da Solicitação Arquivos Anexos 17. Data de conclusão 18. Conclusão definitiva (sim/não) Requisição ao Service Desk Solicitação relacionada à Infraestrutura atendida Informar a existência de requisições relativas a sistemas. 2. Tipo da Solicitação Arquivos Anexos - d. Clientes Coordenação de Desenvolvimento de Sistemas CODS; Coordenação de Gerência de Rede - CGR (Service Desk) Gestão/Governança da CGTI Coordenação Geral; Unidades do MCT. [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 19 / 27

20 3.2.4 Macroprocesso de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas Este diagrama de processo, associado à Coordenação de Desenvolvimento de Sistemas - CODS, representa graficamente os elementos estruturantes do macroprocesso de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas, responsável pelo atendimento das demandas de sistemas/software. Estas demandas, assim como ocorre com as anteriores, podem ser atendidas e solucionadas neste macroprocesso. Do contrário são encaminhadas aos demais macroprocessos, que darão prosseguimento ao atendimento, uma vez que uma única demanda de sistema/software poderá resultar na necessidade de serviços prestados por outros macroprocessos. Na tabela abaixo são apresentados os detalhes dos elementos de entrada, etapas de processamento, saídas e clientes identificados no macroprocesso de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas. a. Entradas Elemento Nome Descrição Requisição a CODS - Conclusão de Requisição a Infraestrutura Informar que uma requisição de serviço foi concluída. 2. Tipo da Solicitação [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 20 / 27

21 Solicitação de Solução de TI Arquivos Anexos 17. Data de conclusão 18. Conclusão definitiva (sim/não) Solicitação relacionada à CODS Conclusão de Requisição ao Service Desk - b. Etapas de processamento c. Saídas Desenvolvimento / Manutenção de Sistemas - CODS Elemento Nome Descrição Relatório de Gestão Operacional da CODS Requisição à Infraestrutura São os diversos tipos de relatórios de gestão como de impacto, risco, desempenho, aderência ao contrato, conformidade, monitoração técnica do contrato e etc. Informar a existência de requisições relativas à infraestrutura. 2. Tipo da Solicitação 8. [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 21 / 27

22 Conclusão de Requisição à CODS Requisição ao Service Desk Solicitação relacionada à CODS atendida 16. Arquivos Anexos Informar que uma requisição de serviço foi concluída. 2. Tipo da Solicitação Arquivos Anexos 17. Data de conclusão 18. Conclusão definitiva (sim/não) Informar a existência de requisições relativas a sistemas. 2. Tipo da Solicitação Arquivos Anexos - [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 22 / 27

23 d. Clientes Coordenação de Gerência de Rede - COGR (Service Desk); Coordenação de Gerencia e Rede COGR (Infraestrutura); Gestão/Governança da CGTI Coordenação Geral; Unidades do MCT Macroprocesso Central de Atendimento Este diagrama de processo, associado à Divisão de Atendimento ao Usuário DIAU, representa graficamente os elementos estruturantes do macroprocesso Central de Atendimento. Trata-se do macroprocesso responsável pelo primeiro contato do usuário com a CGTI. O registro das demandas pode ser realizado por , telefone, memorando, ou diretamente via sistema. Cabe destacar que este macroprocesso não deve ser confundido como o Ponto Único de Contato, proposto pela ITIL 1, uma vez que não possui as características previstas por este modelo, como por exemplo, mecanismo de padronização, acompanhamento, regras de priorização bem definidas, centralização das requisições, entre outros. Atualmente é possível, por exemplo, abrir chamados de diferentes formas: telefone; ; memorando; e sistema. Cada forma oferece características próprias, o que implica na dificuldade de compreensão do problema, atraso na entrega da solução, e conseqüentemente, taxas altas de reclamações, por não atender a expectativa do usuário. 1 A ITIL (Information Technology Infrastructure Library) é um conjunto de livros que foram criados pelo governo britânico com o objetivo de documentar as melhores práticas para a gestão dos serviços de TI (Tecnologia da Informação) de uma empresa, ou de agências do governo. Rapidamente, essas melhores práticas espalharam-se pelo mundo e tornaram-se o padrão mais conhecido entre as empresas. [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 23 / 27

24 Na tabela a seguir são apresentados os detalhes dos elementos de entradas, etapas de processamento, saídas e clientes identificados no macroprocesso Central de Atendimento. a. Entradas Elemento Nome Descrição Solicitação de Soluções de TI externa Solicitação de Solução de TI Interna Registro de Qualidade do Atendimento Identificar os serviços requeridos pelo cliente. 1. Especificação 2. Data do pedido 3. Requisitante Identificar os serviços requeridos pelo cliente. Atributo: 1. Especificação 2. Data do pedido 3. Requisitante Registrar qualidade de atendimento ao cliente. 1. Índice de satisfação do cliente 2. Critérios de avaliação 3. Tipo de serviço 4. Especificação do serviço de atendimento 6. Data de avaliação b. Etapas de processamento Central de Atendimento Registro de Solicitação (memo, , telefone) c. Saídas Elemento Nome Descrição Solicitação de Solução de TI Qualificada Identificar o destino da solicitação. 2. Tipo da Solicitação [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 24 / 27

25 Anexos Arquivos anexados 17. Destino (SD, Infra, CODS) 18. Incluída no PDTI 19. Previsão Orçamentária 20. Parte do escopo de serviços contratados d. Clientes Coordenação de Desenvolvimento de Sistemas CODS; Coordenação de Gerência de Rede - COGR (Infraestrutura); Coordenação de Gerência de Rede - COGR (Service Desk). No Produto 02, conforme previsto no Termo de Referência, será apresentado a representação gráfica detalhada até o nível de tarefa de um processo, definido pela CGTI, contendo todos os requisitos necessários para sua implantação e execução automatizada. Enquanto as indicações de oportunidades de melhoria e as preposições de ações a serem realizadas nos macroprocessos serão apresentadas no Relatório Técnico do Produto 03. [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 25 / 27

26 4. ANEXO No anexo deste Relatório Técnico é apresentada a representação gráfica em BPMN de um diagrama de processo, construído a partir dos macroprocessos levantados, que propõe uma visão holística da Coordenação-Geral de Gestão da Tecnologia da Informação - CGTI, com os seus respectivos elementos de entradas, etapas de processamento, saídas e clientes. Brasília, DF, 01 de Julho de 2010 Mário Gorini Consultor [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 26 / 27

27 ANEXO: PROCESSO INTEGRADO DA CGTI [Documento Técnico de Entrega de Produto] Pag. 27 / 27

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 02 IMPLANTAÇÃO DE 1 (UM)

Leia mais

Renata Alves Campos (CoInfo) Sandra Maria Peron de Lima (DP) Março/2012

Renata Alves Campos (CoInfo) Sandra Maria Peron de Lima (DP) Março/2012 Renata Alves Campos (CoInfo) Sandra Maria Peron de Lima (DP) Março/2012 O que é um processo? Um processo é um grupo de atividades realizadas numa seqüência lógica com o objetivo de produzir um bem ou um

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 01 ASPECTOS DE MUDANÇA CULTURAL

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 RELATÓRIO TÉCNICO CONCLUSIVO

Leia mais

Adm. Vinicius Braga admviniciusbraga@gmail.com. Prof. Msc. Wilane Carlos da Silva Massarani wilane@cercomp.ufg.br

Adm. Vinicius Braga admviniciusbraga@gmail.com. Prof. Msc. Wilane Carlos da Silva Massarani wilane@cercomp.ufg.br Adm. Vinicius Braga admviniciusbraga@gmail.com Prof. Msc. Wilane Carlos da Silva Massarani wilane@cercomp.ufg.br Objetivos Contextualização Conceitos Boas práticas de modelagem Elementos do BPMN Tipos

Leia mais

BPMN. Business Process Modeling Notation. Leandro C. López Agosto - 2015

BPMN. Business Process Modeling Notation. Leandro C. López Agosto - 2015 BPMN Business Process Modeling Notation Leandro C. López Agosto - 2015 Objetivos Conceitos Boas práticas de modelagem Elementos do BPMN Tipos de processos Apresentar os conceitos e elementos da notação

Leia mais

Treinamento BPM e BPMN Apresentação Executiva

Treinamento BPM e BPMN Apresentação Executiva Apresentação Executiva 1 O treinamento de BPM e BPMN tem como premissa capacitar o aluno a captar as atividades relativas a determinado processo da empresa, organizá-las, gerando um fluxograma de atividades/processos,

Leia mais

AUTOMATIZAÇÃO DE PROCESSOS EM APLICAÇÕES DE GESTÃO DE INCIDENTES UTILIZANDO BPMN

AUTOMATIZAÇÃO DE PROCESSOS EM APLICAÇÕES DE GESTÃO DE INCIDENTES UTILIZANDO BPMN UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AUTOMATIZAÇÃO DE PROCESSOS EM APLICAÇÕES DE GESTÃO DE INCIDENTES UTILIZANDO BPMN Eduardo Leopoldino de Souza Prof. Cláudio Ratke, Orientador

Leia mais

Conceitos Básicos e Implementação. Entrega de Serviços. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

Conceitos Básicos e Implementação. Entrega de Serviços. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) Conceitos Básicos e Implementação Pref. Mun. Vitória 2007 Analista de Suporte 120 A ITIL (information technology infrastructure library) visa documentar as melhores práticas na gerência, no suporte e na

Leia mais

Gestão de Processos. Principais etapas, decisões e desafios da implantação de processos de TI com base no ITIL

Gestão de Processos. Principais etapas, decisões e desafios da implantação de processos de TI com base no ITIL Conhecimento em Tecnologia da Informação Gestão de Processos Principais etapas, decisões e desafios da implantação de processos de TI com base no ITIL 2011 Bridge Consulting Apresentação É comum que as

Leia mais

BPMN (Business Process. George Valença gavs@cin.ufpe.br

BPMN (Business Process. George Valença gavs@cin.ufpe.br BPMN (Business Process Modeling Notation) George Valença gavs@cin.ufpe.br 31/10/2012 Introdução Modelagem de processos No ciclo de vida BPM, a etapa de modelagem de processos consiste em um conjunto de

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade III GOVERNANÇA DE TI Information Technology Infrastructure Library ITIL Criado pelo governo do Reino Unido, tem como objetivo a criação de um guia com as melhores práticas

Leia mais

INTRODUÇÃO A MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN 1 FÁBIO RODRIGUES CRUZ 2 2.1 CONCEITO DE MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN

INTRODUÇÃO A MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN 1 FÁBIO RODRIGUES CRUZ 2 2.1 CONCEITO DE MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN INTRODUÇÃO A MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN 1 FÁBIO RODRIGUES CRUZ 2 1 INTRODUÇÃO A Business Process Modeling Notation (BPMN), ou Notação de Modelagem de Processos de Negócio, é um conjunto de

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Modelo de Governança

Modelo de Governança Nome do Projeto Subproduto Responsável do Projeto / Área E-mail Desenvolvimento do Centro Nacional de Terminologia Moacyr Esteves Perche - DATASUS moacyr.perche@saude.gov.br Telefone (61) 3315-2915 Responsável

Leia mais

DISSEMINAÇÃO DE CONHECIMENTO FERRAMENTA BIZAGI

DISSEMINAÇÃO DE CONHECIMENTO FERRAMENTA BIZAGI DISSEMINAÇÃO DE CONHECIMENTO FERRAMENTA BIZAGI Harley Caixeta Seixas Márcia Lúcia Borges de Melo Gomes Roberta A. de Mello Bezerra Silvana Dias Soares FERRAMENTA BIZAGI BPMN Business Process Modeling Notation

Leia mais

Gestão de Processos de Negócios

Gestão de Processos de Negócios Gestão Operacional da TI Gestão de Processos de Negócios Business Process Management (BPM) Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Professor NOME: RÔMULO CÉSAR DIAS DE ANDRADE

Leia mais

BPMN Business Process Modeling Notation

BPMN Business Process Modeling Notation BPMN Business Process Modeling Notation Business Process Modeling Notation Página 1 Objetivo O objetivo deste curso é apresentar os elementos da notação de modelagem de processos de negócio BPMN 1.1 (Business

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

BPM Definições e Contexto Prática Aula 1

BPM Definições e Contexto Prática Aula 1 BPM Definições e Contexto Prática Aula 1 BP Business Process Algumas definições sobre o que é Processos de Negócio (BP) Um processo é um fluxo coordenado e padronizado de atividades executadas por pessoas

Leia mais

PADRÃO DE MODELAGEM DE PROCESSOS

PADRÃO DE MODELAGEM DE PROCESSOS PADRÃO DE MODELAGEM DE PROCESSOS - 1 - Sumário 1. INTRODUÇÃO 6 2. BASE CONCEITUAL 7 3. DIAGRAMAS PARA GESTÃO DE PROCESSOS NO INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL 9 3.1. Cadeia de Valor

Leia mais

BPMN - Business Process Modeling and Notation

BPMN - Business Process Modeling and Notation BPMN - Business Process Modeling and Notation AGENDA Notação Conceito Visão Geral da Notação BPMN Notação BPMN no Escritório de Processos NOTAÇÃO - CONCEITO Segundo o dicionário: Ação de indicar, de representar

Leia mais

ITIL - Por que surgiu? Dependências de TI; A qualidade, quantidade e disponibilidade de infra-estrutura de TI afetam diretamente;

ITIL - Por que surgiu? Dependências de TI; A qualidade, quantidade e disponibilidade de infra-estrutura de TI afetam diretamente; ITIL ITIL - Por que surgiu? Dependências de TI; A qualidade, quantidade e disponibilidade de infra-estrutura de TI afetam diretamente; ITIL Mas o que gerenciar? Gerenciamento de Serviço de TI. Infra-estrutura

Leia mais

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação ITIL na Prática Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

CENTRAL DE SERVIÇOS IFES APLICANDO ITIL NO PROCESSO DE ATENDIMENTO AO USUÁRIO DA EAD

CENTRAL DE SERVIÇOS IFES APLICANDO ITIL NO PROCESSO DE ATENDIMENTO AO USUÁRIO DA EAD 1 CENTRAL DE SERVIÇOS IFES APLICANDO ITIL NO PROCESSO DE ATENDIMENTO AO USUÁRIO DA EAD 05 2009 Elton Siqueira Moura, Msc, MBA Ifes - elton@ifes.edu.br Renato Pescinalli Morati Ifes renatomorati@gmail.com

Leia mais

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG Forplad Regional Sudeste 22 de Maio de 2013 Erasmo Evangelista de Oliveira erasmo@dgti.ufla.br Diretor de

Leia mais

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart.

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Versão 1.6 15/08/2013 Visão Resumida Data Criação 15/08/2013 Versão Documento 1.6 Projeto Responsáveis

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v2 Livros ITIL v2 Cenário de TI nas organizações Aumento da dependência da TI para alcance

Leia mais

BEM-VINDO!!! Apresentação Inicial. Por favor, descreva o seu atual conhecimento sobre Mapeamento de Processos

BEM-VINDO!!! Apresentação Inicial. Por favor, descreva o seu atual conhecimento sobre Mapeamento de Processos Apresentação Inicial BEM-VINDO!!! Por favor, descreva o seu atual conhecimento sobre Mapeamento de Processos 1 Mapeamento de Processos Mapeamento de Processos e Negócios com BPM 2 Ementa Introdução Definição

Leia mais

Introdução ao BPM e CBOK. Decanato de Planejamento e Orçamento DPO Diretoria de Processos Organizacionais - DPR

Introdução ao BPM e CBOK. Decanato de Planejamento e Orçamento DPO Diretoria de Processos Organizacionais - DPR Introdução ao BPM e CBOK Decanato de Planejamento e Orçamento DPO Diretoria de Processos Organizacionais - DPR BPM CBOK O Guia para o Gerenciamento de Processos de Negócio - Corpo Comum de Conhecimento

Leia mais

EMC Consulting. Estratégia visionária, resultados práticos. Quando a informação se reúne, seu mundo avança.

EMC Consulting. Estratégia visionária, resultados práticos. Quando a informação se reúne, seu mundo avança. EMC Consulting Estratégia visionária, resultados práticos Quando a informação se reúne, seu mundo avança. Alinhando TI aos objetivos de negócios. As decisões de TI de hoje devem basear-se em critérios

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional. Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação.

TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional. Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação. TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional 1. Função no Projeto: Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação. 2. Nosso Número BRA/12/010 3. Antecedentes A missão

Leia mais

ITIL (INFORMATION TECHNOLOGY INFRASTRUCTURE LIBRARY)

ITIL (INFORMATION TECHNOLOGY INFRASTRUCTURE LIBRARY) Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Informática e Estatística INE Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Projetos I Professor: Renato Cislaghi Aluno: Fausto Vetter Orientadora: Maria

Leia mais

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL 1 SUMÁRIO DIAGNÓSTICO GERAL...3 1. PREMISSAS...3 2. CHECKLIST...4 3. ITENS NÃO PREVISTOS NO MODELO DE REFERÊNCIA...11 4. GLOSSÁRIO...13 2 DIAGNÓSTICO GERAL Este diagnóstico é

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira

Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira 3º semestre CONCEITOS CONCEITOS Atividade Ação executada que tem por finalidade dar suporte aos objetivos da organização. Correspondem

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL A Filosofia do Gerenciamento de Serviços em TI Avanços tecnológicos; Negócios totalmente dependentes da TI; Qualidade, quantidade e a disponibilidade (infra-estrutura

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Poder Judiciário. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br BPMN

Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br BPMN Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br BPMN Benefícios da modelagem Em uma organização orientada a processos, modelos de processos são o principal meio para medir o desempenho

Leia mais

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA Capítulo I - DA

Leia mais

CPEE Coordenadoria de Planejamento e Estudos Estratégicos. Treinamento sobre Mapeamento de Processos

CPEE Coordenadoria de Planejamento e Estudos Estratégicos. Treinamento sobre Mapeamento de Processos CPEE Coordenadoria de Planejamento e Estudos Estratégicos Treinamento sobre Mapeamento de Processos O que é um processo? É um conjunto de atividades relacionadas que aplicadas às entradas ou inputs do

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1 Governança de TI ITIL v.2&3 parte 1 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR ITIL 1 1 ITIL Gerenciamento de Serviços 2 2 Gerenciamento de Serviços Gerenciamento de Serviços 3 3 Gerenciamento de Serviços

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em Information Technology Infrastructure Library (ITIL)V3.

TERMO DE REFERÊNCIA. Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em Information Technology Infrastructure Library (ITIL)V3. TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em 1. OBJETO Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em conceitos da biblioteca ITIL V3 - Infrastructure

Leia mais

Conceitos de Processos & BPM

Conceitos de Processos & BPM http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais Conceitos de Processos & BPM Parte I Rogério Araújo http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais Conceitos de Processos & BPM Parte

Leia mais

Diretoria de Informática

Diretoria de Informática Diretoria de Informática Estratégia Geral de Tecnologias de Informação para 2013-2015 EGTI 2013-2015 Introdução: Este documento indica quais são os objetivos estratégicos da área de TI do IBGE que subsidiam

Leia mais

Ciência da Computação. Gestão da Tecnologia da Informação ITIL Information Technology Infrastructure Library

Ciência da Computação. Gestão da Tecnologia da Informação ITIL Information Technology Infrastructure Library Ciência da Computação Gestão da Tecnologia da Informação ITIL Information Technology Infrastructure Library Agenda Histórico Conceitos básicos Objetivos Visão Geral do Modelo Publicações: Estratégia de

Leia mais

Proposta de Criação de Escritório de Governança de TIC do Centro de Computação Eletrônica da UFPR

Proposta de Criação de Escritório de Governança de TIC do Centro de Computação Eletrônica da UFPR Proposta de Criação de Escritório de Governança de TIC do Centro de Computação Eletrônica da UFPR PRA Pró-Reitoria de Administração Curitiba, setembro de 2014 Equipe de Elaboração da Proposta Amarílio

Leia mais

Manual de Processo Elaborar Relatório Anual de Governo - RAG

Manual de Processo Elaborar Relatório Anual de Governo - RAG Manual de Processo Elaborar Relatório Anual de Governo - RAG Versão 1.0 Setembro de 2015 Governo do Estado da Bahia Rui Costa Secretaria do Planejamento João Felipe de Souza Leão Gabinete do Secretário

Leia mais

Manual BizAgi Sistema de Gestão da Qualidade

Manual BizAgi Sistema de Gestão da Qualidade Página 1 de 6 1. INTRODUÇÃO Este manual apresenta alguns elementos básicos da Notação BPMN (Business Process Modeling Notation Notação para Modelagem de Processos de Negócio) que é a representação gráfica

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Enterprise Resouce Planning ERP O ERP, Sistema de Planejamento de Recursos

Leia mais

Fone: 55 11 2384-7736 - www.wissenconsulting.com.br - atendimento@wissenconsulting.com.br

Fone: 55 11 2384-7736 - www.wissenconsulting.com.br - atendimento@wissenconsulting.com.br Nosso método de trabalho foi criado para atender VOCÊ A WISSEN CONSULTING têm como compromisso ajudá-lo a alcançar o sucesso na implementação de ferramentas de gestão e colaboração para que você possa

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I BPMN I Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br 1 + Processo de Negócio 2 n Coleção de atividades relacionadas e estruturadas que produzem um serviço ou produto específico.

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Conceitos Básicos e Implementação Dataprev 2006 Analista de Banco de Dados 106 A aplicação de gerenciamento de níveis de serviço, por si só, garante a oferta de bons serviços.

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

MODELAGEM DE PROCESSOS

MODELAGEM DE PROCESSOS MODELAGEM DE PROCESSOS a a a PRODUZIDO POR CARLOS PORTELA csp3@cin.ufpe.br AGENDA Definição Objetivos e Vantagens Linguagens de Modelagem BPMN SPEM Ferramentas Considerações Finais Referências 2 DEFINIÇÃO:

Leia mais

ANEXO I. Colegiado Gestor e de Governança

ANEXO I. Colegiado Gestor e de Governança ANEXO I CENTRO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS DO CAU Política de Governança e de Gestão da Tecnologia da Informação do Centro de Serviço Compartilhado do Conselho de Arquitetura e Urbanismo Colegiado Gestor

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRIÊNIO /2015 DSI/CGU-PR Publicação - Internet 1 Sumário 1. RESULTADOS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 016/2012/01 Contrato por Produto Nacional. Número e Título do Projeto: BRA/03/034 Programa de Revitalização da Conab

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 016/2012/01 Contrato por Produto Nacional. Número e Título do Projeto: BRA/03/034 Programa de Revitalização da Conab TERMO DE REFERÊNCIA Nº 016/2012/01 Contrato por Produto Nacional Número e Título do Projeto: BRA/03/034 Programa de Revitalização da Conab 1. Função no Projeto: Consultor por Produto 2. Nosso Número: 3.

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

PROPOSTA PARA AUTOMAÇÃO DO PROCESSO DE ELABORAÇÃO DE HORÁRIOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

PROPOSTA PARA AUTOMAÇÃO DO PROCESSO DE ELABORAÇÃO DE HORÁRIOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES XIV COLÓQUIO INTERNACIONAL DE GESTÃO UNIVERSITÁRIA CIGU A Gestão do Conhecimento e os Novos Modelos de Universidade Florianópolis Santa Catarina Brasil 3, 4 e 5 de dezembro de 2014. ISBN: 978-85-68618-00-4

Leia mais

Cobit e ITIL. Cobit. Planejamento e organização; Aquisição e implementação; Entrega e suporte; Monitoração.

Cobit e ITIL. Cobit. Planejamento e organização; Aquisição e implementação; Entrega e suporte; Monitoração. Cobit e ITIL GOVERNANÇA, GP - RISCO, GP PROJETOS - PMP, SEGURANÇA DAIANA BUENO OUTUBRO 20, 2010 AT 8:00 3.496 visualizações Atualmente, as empresas estão com seus processos internos cada vez mais dependentes

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 06/06/2014 18:22:39 Endereço IP: 189.9.1.20 1. Liderança da alta administração 1.1. Com relação

Leia mais

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS Vanice Ferreira 12 de junho de 2012 GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais DE QUE PROCESSOS ESTAMOS FALANDO? GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

Unidade: Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRDI Nº: MANUAL DE PROCEDIMENTOS. TÍTULO: Modelar Processos 1/17

Unidade: Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional - PRDI Nº: MANUAL DE PROCEDIMENTOS. TÍTULO: Modelar Processos 1/17 1/17 ESTA FOLHA ÍNDICE INDICA EM QUE REVISÃO ESTÁ CADA FOLHA NA EMISSÃO CITADA R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 R. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 FL. FL. 01 X 26 02 X 27 03 X 28 04 X 29 05 X 30 06 X

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

do grego: arkhé (chefe ou mestre) + tékton (trabalhador ou construtor); tekhne arte ou habilidade;

do grego: arkhé (chefe ou mestre) + tékton (trabalhador ou construtor); tekhne arte ou habilidade; 1 ARQUITETURA E DESIGN DE SOFTWARE O que é Arquitetura? do grego: arkhé (chefe ou mestre) + tékton (trabalhador ou construtor); tekhne arte ou habilidade; do dicionário: Arte de projetar e construir prédios,

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO POR PROCESSOS

MANUAL DE GESTÃO POR PROCESSOS TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO DIRETORIA-GERAL MANUAL DE GESTÃO POR PROCESSOS Coordenado pela Assessoria de Planejamento Estratégico Belo Horizonte Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região

Leia mais

PÁGINA 4 ITIL V.2 & ITIL V.3

PÁGINA 4 ITIL V.2 & ITIL V.3 PÁGINA 4 ITIL V.2 & ITIL V.3 Gerência de Níveis de Serviço Manter e aprimorar a qualidade dos serviços de TI Revisar continuamente os custos e os resultados dos serviços para garantir a sua adequação Processo

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Uma análise da aplicação dos processos ITIL no SERPRO

Uma análise da aplicação dos processos ITIL no SERPRO Uma análise da aplicação dos processos ITIL no SERPRO Arlei Calazans Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Recife, Pernambuco ajcm@cin.ufpe.br 21 de janeiro de 2008 Agenda 1 Contextualização

Leia mais

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria Guia Básico de Processos Corporativos TUTORIAL 1 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 2 DEFINIÇÃO DO ESCOPO E INTERFACES DO PROCESSO 3 FLUXOGRAMA 4 ATIVIDADES CRÍTICAS 5 INDICADORES DE DESEMPENHO 6 LEGENDA BPMN UTILIZADA

Leia mais

Análise de Negócios & da Informação Alexandra Hütner M.Sc. Engineer

Análise de Negócios & da Informação Alexandra Hütner M.Sc. Engineer Análise de Negócios & da Informação Alexandra Hütner M.Sc. Engineer 1 O QUE REALMENTE MUDOU??? 2 1 O Que Realmente MUDOU??? Você S/A Agosto/2011 O Que Realmente MUDOU??? Você S/A Agosto/2011 2 CENÁRIO

Leia mais

Centro de Trabalho Indigenista CTI

Centro de Trabalho Indigenista CTI Centro de Trabalho Indigenista CTI Termo de Referência para Contratação de Consultoria Técnica Junho de 2015 Projeto Proteção Etnoambiental de Povos Indígenas Isolados e de Recente Contato na Amazônia

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI Plano de Trabalho Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Leia mais

GERIC GERENCIAMENTO DO I.T.I.L E DO COBIT

GERIC GERENCIAMENTO DO I.T.I.L E DO COBIT GERIC GERENCIAMENTO DO I.T.I.L E DO COBIT Angélica A. da Silva, Regiani R.Nunes e Sabrina R. de Carvalho 1 Tathiana Barrére Sistemas de Informação AEDB - Associação Educacional Dom Bosco RESUMO Esta sendo

Leia mais

Lista de Exercícios - COBIT 5

Lista de Exercícios - COBIT 5 Lista de Exercícios - COBIT 5 1. O COBIT 5 possui: a) 3 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios b) 3 volumes, 5 habilitadores, 7 princípios c) 5 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios d) 5 volumes, 5 habilitadores,

Leia mais

Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento Superintendência de Modernização Institucional Gerência de Escritório de Processos

Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento Superintendência de Modernização Institucional Gerência de Escritório de Processos SUMÁRIO PADRONIZAÇÃO DO DESENHO DE PROCESSOS NO BIZAGI... 2 1. CONFIGURANDO A FERRAMENTA... 2 2. GLOSSÁRIO... 2 3. OBJETIVO... 3 4. NOTAÇÃO... 3 5. REGRAS DE DESENHO... 3 5.1. Macroprocesso... 3 5.2. Sub-processo......

Leia mais

Metodologias COBIT e ITIL e as perspectivas do Modelo de Alinhamento Estratégico de TI

Metodologias COBIT e ITIL e as perspectivas do Modelo de Alinhamento Estratégico de TI Metodologias COBIT e ITIL e as perspectivas do Modelo de Alinhamento Estratégico de TI Gilberto Zorello (USP) gilberto.zorello@poli.usp.br Resumo Este artigo apresenta o Modelo de Alinhamento Estratégico

Leia mais

ITIL - Information Technology Infraestructure Library

ITIL - Information Technology Infraestructure Library ITIL Biblioteca de infra estrutura de TI (do Inglês, Information Technology Infraestructure Library) e ISO/IEC 20.000 ITIL - Information Technology Infraestructure Library Foi criado no fim dos anos 80

Leia mais

Tutorial de BPMN. Visão Geral. Escopo. Elementos

Tutorial de BPMN. Visão Geral. Escopo. Elementos Tutorial de BPMN Visão Geral É um padrão para modelagem de processos de negócio que fornece uma notação gráfica para especificação de processos de negócio em um DPN (Diagrama de Processo de Negócios).

Leia mais

Simulado ITIL V3 Português Sicoob

Simulado ITIL V3 Português Sicoob Simulado ITIL V3 Português Sicoob Dezembro 2009 1 de 40 A Implementação do Gerenciamento de Serviços Baseados na ITIL requer preparação e planejamento do uso eficaz e eficiente de quais dos seguintes?

Leia mais

Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI

Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI COBIT Processos de TI Aplicativos Informações Infraestrutura Pessoas O que é o CObIT? CObIT = Control Objectives for Information and Related

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Melhores práticas para gerenciamento de suporte a serviços de TI

Melhores práticas para gerenciamento de suporte a serviços de TI Melhores práticas para gerenciamento de suporte a serviços de TI Adriano Olimpio Tonelli Redes & Cia 1. Introdução A crescente dependência entre os negócios das organizações e a TI e o conseqüente aumento

Leia mais

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI)

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI) 00 dd/mm/aaaa 1/15 ORIGEM Instituto Federal da Bahia Comitê de Tecnologia da Informação ABRANGÊNCIA Este da Informação abrange todo o IFBA. SUMÁRIO 1. Escopo 2. Documentos de referência 3. Metodologia

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 14 DE JANEIRO DE 2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS EDITAL SAL/MJ Nº 03, DE 4 DE JANEIRO DE 205 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Projeto BRA/07/004 Seleciona: Consultor para identificação das melhores

Leia mais

UML 2. Guia Prático. Gilleanes T.A. Guedes. Novatec. Obra revisada e ampliada a partir do título Guia de Consulta Rápida UML 2

UML 2. Guia Prático. Gilleanes T.A. Guedes. Novatec. Obra revisada e ampliada a partir do título Guia de Consulta Rápida UML 2 UML 2 Guia Prático Gilleanes T.A. Guedes Obra revisada e ampliada a partir do título Guia de Consulta Rápida UML 2 Novatec capítulo 1 Introdução à UML A UML (Unified Modeling Language ou Linguagem de Modelagem

Leia mais

Decanato de Planejamento e Orçamento DPO Diretoria de Processos Organizacionais - DPR. Business Process Modeling Notation BPMN

Decanato de Planejamento e Orçamento DPO Diretoria de Processos Organizacionais - DPR. Business Process Modeling Notation BPMN Decanato de Planejamento e Orçamento DPO Diretoria de Processos Organizacionais - DPR Business Process Modeling Notation BPMN BPMN Business Process Modeling Notation A especificação da notação de modelagem

Leia mais