Mapeamento de Processos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mapeamento de Processos"

Transcrição

1 Agência Nacional de Vigilância Sanitária Mapeamento de Processos Projeto a ser desenvolvido no âmbito da Gerência de Sistemas/GGTIN Brasília, agosto de 2006.

2 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1. Título do Projeto Mapeamento de Processos Duração Elaboração do projeto básico: Junho a Julho de Elaboração dos Procedimentos Operacionais Padrão: Junho a Agosto de Ajustes no Fluxo de Atendimento das Solicitações de: Correção, Manutenção e Desenvolvimento de Sistemas: Junho a Dezembro de Padronização de Documentação Administrativa da GESIS: Junho a Agosto de Desenvolvimento de sistema de controle de solicitações de atendimento: Junho a Setembro de Definição de interlocutores com áreas técnicas da Anvisa: Junho a Agosto de Custo Estimado Elaboração do Projeto Básico: R$ 0,00 (Equipe GESIS). Elaboração dos Procedimentos Operacionais Padrão: R$ 7.991,23 (Politec). Ajustes no Fluxo de Atendimento das Solicitações de: Correção, Manutenção e Desenvolvimento de Sistemas: R$ 0,00 (Equipe GESIS). Padronização de Documentação Administrativa da GESIS: R$ 0,00 (Equipe GESIS). Desenvolvimento de Sistema de Controle de Solicitações de Atendimento: R$ 0,00 (Equipe GESIS). Definição de Interlocutores com Áreas Técnicas da Anvisa: R$ 0,00 (Equipe GESIS) Área(s) Responsável(is) e participante(s) 1. Diretoria Maria Cecília Martins Brito - DMCMB Titular: Maria Cecília Martins Brito Cargo: Diretora 2

3 2. Gerência-Geral de Gestão do Conhecimento e Documentação - GGCON Titular: Dulcelina Mara Said Pereira Cargo: Gerente Geral 3. Gerência de Sistemas - GESIS Titular: Nelci dos Santos Cargo: Gerente Endereço: SEPN 515, Bloco B, Edifício Ômega - Unidade 1 Brasília (DF) Tel.: +55 (61) Fax: +55 (61) 3

4 2. INTRODUÇÃO 2.1. Antecedentes De acordo com o Art. 92 da Portaria nº 406, de 14 de outubro de 2005, são competências da Gerência de Sistemas: I - gerenciar o desenvolvimento de sistemas informatizados; II - pesquisar, estabelecer e disseminar normas e padrões para o desenvolvimento de sistemas informatizados; III - garantir, em conjunto com a Gerência de Recursos de Informação, a interoperabilidade dos sistemas de informação da Agência; IV - propor normas e critérios para a disseminação de informações automatizadas; V - estabelecer, em atendimento às diretrizes do Comitê de Gestão do Sistema de Informações em Vigilância Sanitária, normas e critérios para o acesso às bases de dados disponíveis; VI - coordenar as atividades de desenvolvimento ou de contratação de desenvolvimento de sistemas de informação para a Anvisa, ou sob a responsabilidade e coordenação da mesma; e VII - elaborar e manter atualizados em área comum a Gerência e a Gerência- Geral os Procedimentos Operacionais Padrão - POP necessários à garantia do funcionamento da Gerência. A Portaria nº 406, de 14 de outubro de 2005, criou a Gerência de Sistemas, porém somente em março de 2006 houve a nomeação de gerente para a área, anteriormente esta área era gerida pelo Gerente Geral. A GESIS está subordinada diretamente à GGCON; presta atendimento à dezoito gerências gerais, além das gerências subordinadas a estas e a 5 diretorias da ANVISA. Mantém interface constante com a GRINF e não possui estruturação definida tendo em vista a sua criação recente. 4

5 GGCON GCOM GESIS GRINF GETEC GETAD UNIDI UNIAP UNDOC Estão sob responsabilidade desta gerência o atendimento de 88 sistemas, sendo 62 em produção (implantados), 26 sem implantação e 6 sistemas em desenvolvimento na Politec (empresa prestadora de serviços contratada). Possui um grande volume de demandas reprimidas de sistemas a serem iniciados. Além destes sistemas desenvolvidos e gerenciados pela Anvisa existem diversos pequenos sistemas desenvolvidos pelas próprias áreas técnicas da Anvisa e outros desenvolvidos por outras instituições como a Bireme e Instituto Stela. A forma de trabalho, que vem sendo desenvolvida por esta área, hoje atual GESIS, apresenta alguns problemas básicos como, por exemplo: Canal de recebimento de demandas Não há um canal único para o recebimento de demandas. As demandas podem ser recebidas por diversos meios (telefone, corporativos e pessoais, pessoalmente, entre outros) e, com isso, há a possibilidade de a mesma demanda ser encaminhada à GESIS mais de uma vez; Usuários externos tomaram conhecimento desse e o utilizam para tirar dúvidas e fazer reclamações gerais relacionadas a todas as áreas da Anvisa. Triagem das demandas Não há um método de triagem das demandas para verificar quais realmente são de responsabilidade da GESIS e se as informações das necessidades estão completas. Classificação das demandas Não há uma classificação das demandas para verificar quais são relacionadas a sistemas novos, a manutenção de sistemas já existentes, a pequenas correções e a treinamentos de usuário final. 5

6 Identificação das demandas As demandas recebidas não têm um padrão de solicitação, o que ocasiona falta de informações para o devido direcionamento das mesmas. Sistemas internos Devido à morosidade no atendimento às solicitações, as áreas criam sistemas internos para atender suas necessidades. Metodologia e padronização de documentação Fluxos de trabalho não definidos; Não há metodologia definida na GESIS, o que dificulta a pesquisa, o estabelecimento e a disseminação de normas e padrões para o desenvolvimento de sistemas informatizados; Não há padronização dos documentos da GESIS; Não há padrão de desenvolvimento de implementação e nem de banco de dados na GESIS, só há padrão de tela; Os sistemas existentes são desenvolvidos em várias linguagens e são utilizados 2 bancos de dados: MS-SQL Server e ORACLE; Falta de fluxos de trabalho definidos na área de interface com a GRINF; Falta de divulgação interna das responsabilidades da GESIS. Monitoramento e controle das demandas Não há um sistema informatizado que monitore e faça o controle das demandas recebidas pela GESIS, quanto a recebimento, providências, e entrega ao demandante, verificação de conformidade do produto entregue ao usuário e sua satisfação ou não do serviço prestado. Hoje este controle é feito manualmente o que causa demora nos atendimentos e muitas vezes dificuldade no rastreamento de determinada demanda. Estes fatos, agregados a outros, têm gerado uma falta de credibilidade da GESIS em toda a Anvisa. A GESIS possui hoje em seu quadro técnico 4 analistas administrativos para atendimento às 18 gerências gerais, além das gerências subordinadas a estas e às 5 diretorias. Cada técnico fica responsável pelo atendimento de uma ou mais áreas. Conta 6

7 também com uma equipe de pessoal terceirizado que contribui com as atividades de suporte para a área perfazendo um total de 15 técnicos. A GESIS é responsável por realizar um estudo de viabilidade e impacto sobre as alterações a serem realizadas nos sistemas da Anvisa, visando dimensionar o trabalho a ser realizado, verificar os riscos envolvidos e a forma de atendimento mais adequada. Fica sobre sua responsabilidade, verificar, por exemplo, se os artefatos produzidos estão de acordo com os padrões pré-definidos de desenvolvimento dos sistemas da ANVISA, entre outros. O atendimento a solicitações encaminhadas ao setor podem ser realizadas por atores diferentes, pois existe a possibilidade de atendimento pela Equipe da GESIS, ou ainda por um Prestador de Serviços Justificativa Para correção dos problemas identificados na avaliação realizada pela Equipe da Gerência de Sistemas, definiu-se pela implementação de um conjunto de ações, definidas em projetos a serem executados no âmbito da Gerência. Estas ações visam melhorar o relacionamento da GESIS com as demais áreas da Anvisa, bem como dar uma maior transparência ao trabalho de desenvolvimento e manutenção de sistemas. Outro aspecto importante a ser observado é a consolidação da GESIS como área responsável regimentalmente pela contratação, em conjunto com a GELOG, de desenvolvimento e manutenção de sistemas de informação. Centralizando, assim nesta Gerência a atividade de acompanhar a contratação, desenvolvimento e manutenção de sistemas, bem como a definição de regras para a disseminação da informação existentes nas bases de dados da Anvisa Descrição do projeto Este projeto é constituído por um conjunto de ações que tem como foco principal: Desenvolver um conjunto de ferramentas e procedimentos para melhorar as atividades desempenhadas pela Gerência de Sistemas, observando as suas competências regimentais, visando melhorar a qualidade do atendimento prestado por esta gerência às demais áreas técnicas da Anvisa. As ações propostas neste projeto são: 7

8 Elaboração dos Procedimentos Operacionais Padrão da GESIS: Definição do fluxo de trabalho da GESIS, definindo as equipes e perfis de técnicos necessários para o bom desenvolvimento das atividades necessárias para ajustar o atendimento junto as áreas técnicas da Anvisa. Ajustes no Fluxo de Atendimento das Solicitações de Correção, Manutenção e Desenvolvimento de Sistemas: Definir um fluxo para receber, atender e posicionar a área técnica quanto a suas solicitações de Padronização de Documentação Administrativa da GESIS: Definir os documentos necessários para as atividades administrativas e realizar a padronização dos documentos administrativos da GESIS. Desenvolvimento de sistema de controle de solicitações de atendimento: Desenvolve um sistema de informação para captar e controlar as solicitações de atendimento para a correção, evolução e desenvolvimento de sistemas de informação, junto às áreas da Anvisa. Definição de interlocutores com áreas técnicas da Anvisa: Identificar interlocutores nas áreas técnicas da Anvisa para atuarem junto a GESIS, a fim de melhorar a comunicação e o controle sobre as solicitações de atendimento de cada área. 8

9 3. OBJETIVOS, RESULTADOS E ATIVIDADES 3.1. Objetivo Geral Desenvolver um conjunto de ferramentas e procedimentos para melhorar as atividades desempenhadas pela Gerência de Sistemas, observando as suas competências regimentais, visando melhorar a qualidade do atendimento prestado por esta gerência às demais áreas técnicas da Anvisa Objetivo(s) Específico(s) Elaboração dos Procedimentos Operacionais Padrão da GESIS; Ajustes no Fluxo de Atendimento das Solicitações de Correção, Manutenção e Desenvolvimento de Sistemas; Padronização de Documentação Administrativa da GESIS; Desenvolvimento de Sistema de Controle de Solicitações de Atendimento; Definição de Interlocutores com Áreas Técnicas da Anvisa; 3.3. Resultados Reuniões técnicas para definição dos procedimentos operacionais padrão da GESIS realizadas; Reuniões técnicas para ajustar os fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas realizadas; Fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas desenhados e detalhados nos procedimentos operacionais padrão da GESIS; Procedimentos operacionais padrão escritos, revisados e sendo executados pela equipe da GESIS; Documentação administrativa da GESIS padronizada e sendo utilizada pela equipe da GESIS; Sistema de informação para controle de solicitações de atendimento desenvolvido, em produção, e sendo utilizado pelos interlocutores das áreas técnicas da Anvisa e pela equipe da GESIS; Interlocutores das áreas técnicas da Anvisa, junto a GESIS, identificados e 9

10 realizando as interlocuções referentes às solicitações de atendimento de sua área técnica Atividades do Projeto Elaborar cronograma para a realização de reuniões técnicas para levantamento dos fluxos operacionais padrão da GESIS; Realizar as reuniões técnicas para definição dos fluxos operacionais padrão da GESIS; Escrever os procedimentos operacionais padrão da GESIS, definidos nas reuniões técnicas; Revisar os procedimentos operacionais padrão da GESIS; Implantar os procedimentos operacionais na GESIS; Elaborar cronograma para a realização de reuniões técnicas para definição dos fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas novos; Realizar as reuniões técnicas para definição dos fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas novos; Elaborar fluxograma para atendimento das solicitações correções, manutenção e desenvolvimento de sistemas; Implantar fluxos de processos para atendimento a solicitações de atendimento de correções, manutenção e desenvolvimento de sistemas; Identificar a documentação administrativa a ser padronizada; Padronizar a documentação administrativa; Elaborar Projeto Básico do sistema de informação para o registro de solicitações de atendimento; Elaborar cronograma para o desenvolvimento do sistema de informação para o registro de solicitação de atendimento; Elaborar padrão visual para o sistema de informação para o registro de solicitações de atendimento; Desenvolver o sistema de informação para o registro de solicitações de Capacitar os interlocutores das áreas da Anvisa, no uso do sistema de informação para registro de solicitações de atendimento; Implantar o sistema de informação para registro de solicitações de 10

11 4. MATRIZ LÓGICA Objetivo geral: Desenvolver um conjunto de ferramentas e procedimentos para melhorar as atividades desempenhadas pela Gerência de Sistemas, observando as suas competências regimentais, visando melhorar a qualidade do atendimento prestado por esta gerência às demais áreas técnicas da Anvisa. Objetivo específico (1): Elaboração dos Procedimentos Operacionais Padrão. INDICADORES MEIOS DE VERIFICAÇÃO PRESSUPOSTOS Resultado 1.1: Reuniões técnicas para definição dos procedimentos operacionais padrão da GESIS realizadas; Reuniões técnicas realizadas. Atas das reuniões Atividades: Elaborar cronograma para a realização de reuniões técnicas para levantamento dos fluxos operacionais padrão da GESIS; Cronograma Elaborado. Cronograma impresso. Técnicos da GESIS indicados para participar das reuniões técnicas. Definir responsável pela elaboração do cronograma Realizar as reuniões técnicas para definição dos fluxos operacionais padrão da GESIS; Resultado 1.2: Procedimentos operacionais padrão escritos, revisados e sendo executados pela equipe da GESIS; Atividades: Escrever os procedimentos operacionais padrão da GESIS, definidos nas reuniões técnicas; Revisar os procedimentos operacionais padrão da GESIS Implantar os procedimentos operacionais na GESIS Reuniões realizadas. Procedimentos operacionais em execução pela Equipe GESIS. PoP`s escritos. PoP`s revisados. PoP s implantados. Atas das reuniões. Avaliação da execução dos procedimentos operacionais padrão pela equipe da GESIS. Documentação dos PoP`s. Documentação Revisada dos PoP`s. Avaliação das atividades da Equipe da GESIS.. Técnicos da GESIS disponíveis para participar das reuniões técnicas. Definição das equipes da GESIS e distribuição das atividades previstas nos Procedimentos Operacionais Padrão. Definição da Equipe Técnica responsável pela escrita e revisão dos PoP s. Divisão das atividades previstas nos PoP s para a equipe da GESIS. Objetivo específico (2): Ajustes no Fluxo de Atendimento das Solicitações de Correção, Manutenção e Desenvolvimento de Sistemas. INDICADORES MEIOS DE VERIFICAÇÃO PRESSUPOSTOS Resultado 2.1: Reuniões técnicas para ajustar os fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas, realizadas; Reuniões técnicas realizadas. Atas das reuniões. Técnicos da GESIS indicados para participar das reuniões técnicas. 11

12 Atividades: Elaborar cronograma para a realização de reuniões técnicas para definição dos fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas novos; Cronograma Elaborado. Cronograma Impresso. Definir responsável pela elaboração do cronograma Realizar as reuniões técnicas para definição dos fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas novos; Resultado 2.2: Fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas desenhados e detalhados nos procedimentos operacionais padrão da GESIS, Atividades: Elaborar fluxograma para atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas. Reuniões realizadas. Fluxos de atendimento sendo executados pela Equipe GESIS. Fluxograma elaborado. Atas de reunião. Relatório de avaliação da execução dos fluxos de atendimento executados pela equipe da GESIS. Fluxograma impresso. Técnicos da GESIS disponíveis para participar das reuniões técnicas. Definição das equipes da GESIS e distribuição das atividades previstas nos Fluxos definidos para atendimento das solicitações das áreas da Anvisa. Técnico capacitado para a elaboração do fluxograma Implantar fluxos de processos para atendimento a solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas. Fluxos e processos implantados. Avaliação das atividades da Equipe GESIS. Equipe técnica da GESIS capacitada nos processos / atividades previstas no fluxograma. Objetivo específico (3): Padronização de Documentação Administrativa da GESIS. MEIOS DE INDICADORES PRESSUPOSTOS VERIFICAÇÃO Resultado 3.1: Documentação administrativa da GESIS padronizada e sendo utilizada pela Equipe da GESIS; Atividades: Identificar a documentação administrativa a ser padronizada. Documentos administrativos padronizados e em uso pela equipe GESIS Lista de documentos administrativos a padronizar. Relatório de avaliação do uso dos documentos administrativos pela Equipe GESIS. Lista de documentos administrativos impressa. Definição pela Gerência da GESIS dos documentos administrativos a serem padronizados. Documentos administrativos identificados Padronizar a documentação administrativa. Documentos administrativos padronizados. Documentos administrativos impressos. Objetivo específico (4): Desenvolvimento de Sistema de Controle de Solicitações de Atendimento. INDICADORES MEIOS DE VERIFICAÇÃO PRESSUPOSTOS Resultado 4.1: Sistema de informação para controle de solicitações de atendimento desenvolvido, em produção, e sendo utilizado pelos interlocutores das áreas técnicas da Anvisa e pela equipe da GESIS; Interlocutores registrando solicitações de atendimento no sistema. Solicitações de atendimento registradas. Interlocutores das áreas técnicas identificados. 12

13 Atividades: Elaborar Projeto Básico do sistema de informação para o registro de solicitações de Projeto básico do sistema de informação elaborado. Projeto básico impresso. Analista de sistemas da GESIS alocado para elaboração do projeto básico Elaborar cronograma para o desenvolvimento do sistema de informação para o registro de solicitação de Cronograma de desenvolvimento do sistema de informação elaborado. Cronograma impresso. Analista de sistemas da GESIS alocado para elaboração do cronograma Elaborar padrão visual para o sistema de informação para o registro de solicitações de Padrão visual do sistema de informação definido. Documentação do padrão visual impressa. Webdesigner alocado para elaboração do padrão visual Desenvolver o sistema de informação para o registro de solicitações de Capacitar os interlocutores das áreas da Anvisa, no uso do sistema de informação para registro de solicitações de Sistema de informação desenvolvido. Interlocutores capacitados no uso do sistema de informação. Documentação do sistema impressa. Registro de capacitação dos interlocutores. Equipe de analistas e programadores alocados para o desenvolvimento do sistema. Analista disponível para capacitação dos interlocutores Implantar o sistema de informação para registro de solicitações de Sistema de registro de solicitações em produção. Sistema instalado em servidor de produção. Servidores (GRINF) disponíveis para implantação do sistema Objetivo específico (5): Definição de Interlocutores com Áreas Técnicas da Anvisa. INDICADORES MEIOS DE VERIFICAÇÃO PRESSUPOSTOS Resultado 5.1: Interlocutores das áreas técnicas da Anvisa, junto a GESIS, identificados e realizando as interlocuções referentes às solicitações de atendimento de sua área técnica. Interlocutores identificados e realizando solicitações de atendimento a GESIS. Interlocuções realizadas junto a GESIS. Gerentes-Gerais indicarem os interlocutores de suas áreas técnicas. Atividades: Elaborar e enviar memorando para ás áreas da Anvisa solicitando a identificação dos interlocutores. Memorando elaborado. Memorando impresso e encaminhado às áreas técnicas. Memorandos encaminhados para todas as Gerências- Gerais e Assessorias Listar interlocutores indicados pelas áreas técnicas da Anvisa. Lista de interlocutores indicados pelas áreas técnicas elaborada. Lista impressa dos interlocutores indicados. Formalização dos interlocutores das áreas técnicas Indicadores Reuniões técnicas realizadas; Cronograma elaborado; 13

14 Atas de reunião elaboradas: Procedimentos operacionais em execução pela Equipe GESIS; Procedimentos operacionais padrão (PoP`s) escritos; Procedimentos operacionais padrão (PoP`s) revisados; Procedimentos operacionais padrão (PoP`s) implantados; Avaliação da execução dos procedimentos operacionais padrão pela equipe da GESIS; Fluxograma elaborado; Fluxos e processos implantados; Fluxos de atendimento sendo executados pela Equipe GESIS; Avaliação da execução dos fluxos de atendimento executados pela equipe da GESIS; Lista de documentos administrativos a padronizar; Documentos administrativos padronizados; Documentos administrativos padronizados e em uso pela equipe GESIS; Projeto básico do sistema de informação elaborado; Cronograma de desenvolvimento do sistema de informação elaborado Padrão visual do sistema de informação definido; Sistema de informação desenvolvido; Interlocutores capacitados no uso do sistema de informação; Sistema de registro de solicitações em produção; Interlocutores registrando solicitações de atendimento através do sistema de informações; Memorando elaborado; Lista de interlocutores indicados pelas áreas técnicas elaborada; Interlocutores identificados e realizando solicitações de atendimento a GESIS Meios de Verificação Atas de reuniões técnicas; Cronograma impresso; Avaliação da execução dos procedimentos operacionais padrão pela equipe da GESIS; Documentação dos PoP`s (Procedimentos Operacionais Padrão); 14

15 Documentação revisada dos PoP`s (Procedimentos Operacionais Padrão); Relatório de avaliação das atividades da Equipe da GESIS; Relatório de avaliação do uso dos documentos administrativos pela Equipe GESIS; Lista de documentos administrativos impressa; Documentos administrativos impressos; Solicitações de atendimento registradas; Projeto básico impresso; Documentação do padrão visual impressa; Documentação do sistema impressa; Registro de capacitação dos interlocutores; Sistema instalado em servidor de produção; Memorando impresso e encaminhado às áreas técnicas; Lista impressa dos interlocutores indicados; Interlocuções realizadas junto a GESIS; 4.3. Pressupostos Pessoal da GESIS indicado para participar das reuniões sobre os PoP s; Definir responsável pela elaboração do cronograma; Técnicos da GESIS disponíveis para participar das reuniões técnicas; Definição das equipes da GESIS e distribuição das atividades previstas nos Procedimentos operacionais padrão; Definição da Equipe Técnica responsável pela escrita e revisão dos PoP s; Divisão das atividades previstas nos PoP s para a equipe da GESIS; Definição das Equipes da GESIS e distribuição das atividades previstas nos Fluxos definidos para atendimento das solicitações das áreas da Anvisa; Técnico capacitado para a elaboração do fluxograma; Equipe técnica da GESIS capacitada nos processos / atividades previstas no fluxograma; Definição pela Gerência da GESIS dos documentos administrativos a serem padronizados; Documentos administrativos identificados; Interlocutores das áreas técnicas identificados; Analista de sistemas da GESIS alocado para elaboração do projeto básico; Analista de sistemas da GESIS alocado para elaboração do cronograma; 15

16 Web designer alocado para elaboração do padrão visual; Equipe de analistas e programadores alocados para o desenvolvimento do sistema; Analista disponível para capacitação dos interlocutores; Servidores disponíveis para implantação do sistema; Gerentes-Gerais indicarem os interlocutores de suas áreas técnicas; Memorandos encaminhados para todas as Gerências-Gerais e Assessorias; Formalização dos interlocutores das áreas técnicas; 16

17 5. Cronograma de execução RESULTADOS E ATIVIDADES Ano/Trimestre Jun. Jul Ago Set Resultado 1.1: Reuniões técnicas para definição dos procedimentos operacionais padrão da GESIS realizadas. Atividade 1.1.1: Elaborar cronograma para a realização de reuniões técnicas para levantamento dos fluxos operacionais padrão da GESIS. Atividade 1.1.2: Realizar as reuniões técnicas para definição dos fluxos operacionais padrão da GESIS. RESULTADOS E ATIVIDADES Ano/Trimestre Jun. Jul Ago Set Resultado 1.2: Procedimentos operacionais padrão escritos, revisados e sendo executados pela equipe da GESIS. Atividade 1.2.1: Escrever os procedimentos operacionais padrão da GESIS, definidos nas reuniões técnicas. Atividade 1.2.2: Revisar os procedimentos operacionais padrão da GESIS. Atividade 1.2.3: Implantar os procedimentos operacionais na GESIS. RESULTADOS E ATIVIDADES Ano/Trimestre Jun. Jul Ago Set Resultado 2.1: Reuniões técnicas para ajustar os fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas, realizadas. Atividade 2.1.1: Elaborar cronograma para a realização de reuniões técnicas para definição dos fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas novos. Atividade 2.1.2: Realizar as reuniões técnicas para definição dos fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas novos. RESULTADOS E ATIVIDADES Ano/Trimestre Jun. Jul Ago Set Resultado 2.2: Fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas desenhados e detalhados nos procedimentos operacionais padrão da GESIS, Atividade Elaborar fluxograma para atendimento das solicitações correções, manutenção e desenvolvimento de sistemas. 17

18 Atividade 2.2.2: Implantar fluxos de processos para atendimento a solicitações de atendimento de correções, manutenção e desenvolvimento de sistemas. RESULTADOS E ATIVIDADES Ano/Trimestre Jun. Jul Ago Set Resultado 3.1: Documentação administrativa da GESIS padronizada e sendo utilizada pela Equipe da GESIS; Atividade Identificar a documentação administrativa a ser padronizada. Atividade Padronizar a documentação administrativa. RESULTADOS E ATIVIDADES Ano/Trimestre Jun. Jul Ago Set Resultado 4.1: Sistema de informação para controle de solicitações de atendimento desenvolvido, em produção, e sendo utilizado pelos interlocutores das áreas técnicas da Anvisa e pela equipe da GESIS Atividade Elaborar Projeto Básico do sistema de informação para o registro de solicitações de Atividade Elaborar cronograma para o desenvolvimento do sistema de informação para o registro de solicitação de Atividade Elaborar padrão visual para o sistema de informação para o registro de solicitações de Atividade Desenvolver o sistema de informação para o registro de solicitações de Atividade Capacitar os interlocutores das áreas da Anvisa, no uso do sistema de informação para registro de solicitações de Atividade Implantar o sistema de informação para registro de solicitações de Resultado 5.1: Interlocutores das áreas técnicas da Anvisa, junto a GESIS, identificados e realizando as interlocuções referentes às solicitações de atendimento de sua área técnica. Atividade Elaborar e enviar memorando para ás áreas da Anvisa solicitando a identificação dos interlocutores. Atividade Listar interlocutores indicados pelas áreas técnicas da Anvisa. 18

19 6. Orçamento RECURSO QUANTIDADE VALORES FONTE Resultado 1.1: Reuniões técnicas para definição dos procedimentos operacionais padrão da GESIS realizadas. Atividade 1.1.1: Elaborar cronograma para a realização de reuniões técnicas para levantamento dos fluxos operacionais padrão da GESIS. Atividade 1.1.2: Realizar as reuniões técnicas para definição dos fluxos operacionais padrão da GESIS. Analista de negócio Analista de negócio / Técnico da GESIS Um R$ 0,00 Politec Três R$ 0,00 GESIS / Politec Total Resultado 1.1 R$ 0,00 Resultado 1.2: Procedimentos operacionais padrão escritos, revisados e sendo executados pela equipe da GESIS. Atividade 1.2.1: Escrever os Analista de Dois R$ 3.609,65 Politec procedimentos operacionais padrão Negócio da GESIS, definidos nas reuniões técnicas. Atividade 1.2.2: Revisar os procedimentos operacionais padrão da GESIS. Atividade 1.2.3: Implantar os procedimentos operacionais na GESIS. Técnico da GESIS Técnicos da GESIS Dois R$ 0,00 GESIS 1 Gerente; Toda a Equipe Técnica da GESIS; Total Resultado 1.2 R$ 3.609,65 R$ 0,00 GESIS Resultado 2.1: Reuniões técnicas para ajustar os fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas, realizadas. Atividade 2.1.1: Elaborar cronograma para a realização de reuniões técnicas Analista de Negócio Um R$ 0,00 Politec para definição dos fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas novos. Atividade 2.1.2: Realizar as reuniões técnicas para definição dos fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas novos. Analista de negócio / Técnico da GESIS Três R$ 0,00 GESIS e Politec Total Resultado 2.1 R$ 0,00 Resultado 2.2: Fluxos de atendimento das solicitações de correção, manutenção e desenvolvimento de sistemas desenhados e detalhados nos procedimentos operacionais padrão da GESIS, Atividade Elaborar fluxograma para atendimento das solicitações Analista de Negócio Um R$ 4.381,58 Politec correções, manutenção e desenvolvimento de sistemas. 19

20 Atividade 2.2.2: Implantar fluxos de processos para atendimento a solicitações de atendimento de correções, manutenção e desenvolvimento de sistemas. Total Resultado 2.2 Técnicos da GESIS 1 Gerente; Toda a Equipe Técnica da GESIS; R$ 0,00 GESIS Resultado 3.1: Documentação administrativa da GESIS padronizada e sendo utilizada pela Equipe da GESIS; Atividade Identificar a Técnico da Um R$ 0,00 GESIS documentação administrativa a ser GESIS padronizada. Atividade Padronizar a Analista de Dois R$ 0,00 GESIS documentação administrativa. Negócio Total Resultado 3.1 R$ 0,00 Resultado 4.1: Sistema de informação para controle de solicitações de atendimento desenvolvido, em produção, e sendo utilizado pelos interlocutores das áreas técnicas da Anvisa e pela equipe da GESIS. Atividade Elaborar Projeto Analista de Dois R$ 0,00 GESIS Básico do sistema de informação para Sistemas o registro de solicitações de Atividade Elaborar cronograma para o desenvolvimento do sistema de informação para o registro de solicitação de Atividade Elaborar padrão visual para o sistema de informação para o registro de solicitações de Atividade Desenvolver o sistema de informação para o registro de solicitações de Atividade Capacitar os interlocutores das áreas da Anvisa, no uso do sistema de informação para registro de solicitações de Atividade Implantar o sistema de informação para registro de solicitações de Analista de Sistemas Um R$ 0,00 GESIS Web designer Um R$ 0,00 GESIS Equipe de Desenvolvimento Analista de Sistemas Equipe de Produção Um Analista de Sistemas; Dois Programadores R$ 0,00 GESIS Um R$ 0,00 GESIS Um R$ 0,00 GESI / GRINF Total Resultado 4.1 R$ 0,00 Resultado 5.1: Interlocutores das áreas técnicas da Anvisa, junto a GESIS, identificados e realizando as interlocuções referentes às solicitações de atendimento de sua área técnica. Atividade Elaborar e enviar memorando para ás áreas da Anvisa Técnico da GESIS Um R$ 0,00 GESIS solicitando a identificação dos interlocutores, Atividade Listar interlocutores indicados pelas áreas técnicas da Anvisa. Técnico da GESIS Um R$ 0,00 GESIS Total Resultado 5.1 R$ 0,00 Total Geral R$ 7.991,23 20

21 7. AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO Elaboração de relatórios parciais a cada 15 (quinze) dias, a partir da data de início da elaboração do projeto. Elaboração de relatório final indicando os resultados alcançados pelo projeto e os problemas enfrentados. 21

Padronização de Documentação de Sistemas. Projeto a ser desenvolvido no âmbito da Gerência de Sistemas/GGTIN e ANVISA

Padronização de Documentação de Sistemas. Projeto a ser desenvolvido no âmbito da Gerência de Sistemas/GGTIN e ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária Padronização de Documentação de Sistemas Projeto a ser desenvolvido no âmbito da Gerência de Sistemas/GGTIN e ANVISA Brasília, junho de 2006. 1. IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Agência Nacional de Vigilância Sanitária Segurança da Informação (Gerenciamento de Acesso a Sistemas de Informação) Projeto a ser desenvolvido no âmbito da Gerência de Sistemas/GGTIN Brasília, junho de

Leia mais

Sistema de Informação em Vigilância Sanitária

Sistema de Informação em Vigilância Sanitária Agência Nacional de Vigilância Sanitária Sistema de Informação em Vigilância Sanitária Projeto a ser desenvolvido no âmbito da Gerência de Desenvolvimento de Sistemas Gerência-Geral de Gestão em Tecnologia

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal

Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal Ajuda da pesquisa acerca da Governança de TI da Administração Pública Federal 1. Há planejamento institucional em vigor? Deverá ser respondido SIM caso o Órgão/Entidade possua um planejamento estratégico

Leia mais

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC.

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC. Código: MAP-DITEC-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Sistemas Aprovado por: Diretoria de Tecnologia da Informação 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento

Leia mais

DESENVOLVER SISTEMAS 1 OBJETIVO

DESENVOLVER SISTEMAS 1 OBJETIVO Proposto por: Equipe Departamento de s de Informação (DESIS) DESENVOLVER SISTEMAS Analisado por: Departamento de s de Informação (DESIS) Aprovado por: Diretor-Geral de Tecnologia da Informação (DGTEC)

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 Belo Horizonte

Leia mais

ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA

ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA Boletim Informativo Edição 02 28 de Março de 2012 ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA Controladoria-Geral da União Disseminação e Conscientização O Ministério dos Transportes está realizando reuniões diárias para

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77, DE 18 DE MARÇO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77, DE 18 DE MARÇO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77, DE 18 DE MARÇO DE 2014. Institui os procedimentos para o gerenciamento de projetos prioritários no âmbito da Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC e dá outras providências.

Leia mais

OUVIDORIA GERAL DO ESTADO DE MATO GROSSO OPERAÇÃO EM REDE

OUVIDORIA GERAL DO ESTADO DE MATO GROSSO OPERAÇÃO EM REDE OUVIDORIA GERAL DO ESTADO DE MATO GROSSO OPERAÇÃO EM REDE OUVIDORIA PÚBLICA Canal de escuta que tem como foco a aproximação do cidadão com o poder público visando a garantia de direitos e promoção da cidadania.

Leia mais

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas (Produto 1) TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE EXTERNO DOS ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOS

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA-EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO, TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO BOLETIM

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Manual de Gerenciamento de Projetos

Manual de Gerenciamento de Projetos TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA ESCRITÓRIO DE PROJETOS ESTRATÉGICOS (EPE) Manual de Gerenciamento de Projetos SISTEMA DE GESTÃO ESTRATÉGICA Anexo da Portaria

Leia mais

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA 1 APRESENTAÇÃO Este conjunto de diretrizes foi elaborado para orientar a aquisição de equipamentos

Leia mais

CAPÍTULO XX DA UNIDADE DE APOIO A GESTÃO ESTRATÉGICA UAGE. Seção I Da Finalidade

CAPÍTULO XX DA UNIDADE DE APOIO A GESTÃO ESTRATÉGICA UAGE. Seção I Da Finalidade CAPÍTULO XX DA UNIDADE DE APOIO A GESTÃO ESTRATÉGICA UAGE Seção I Da Finalidade Art. 1º A Unidade de Apoio à Gestão Estratégica (UAGE) tem como finalidade promover o gerenciamento estratégico setorial

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

ANEXO 15: NECESSIDADES DE CONHECER DA COORDENAÇÃO GERAL DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS (CGDEP)

ANEXO 15: NECESSIDADES DE CONHECER DA COORDENAÇÃO GERAL DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS (CGDEP) ANEXO 15: NECESSIDADES DE CONHECER DA COORDENAÇÃO GERAL DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS (CGDEP) Referentes ao Planejamento Estratégico EIXO 1 - GESTÃO POR COMPETÊNCIAS E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Objetivo

Leia mais

e) visa estabelecer diretrizes aplicáveis ao posicionamento estratégico de comunicação e marketing das entidades integrantes do Sicoob.

e) visa estabelecer diretrizes aplicáveis ao posicionamento estratégico de comunicação e marketing das entidades integrantes do Sicoob. 1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing: Política Institucional de Comunicação e Marketing a) é elaborada por proposta da área de Comunicação e Marketing da Confederação Nacional das

Leia mais

Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC

Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC O CTIC/UFPA Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação da Universidade Federal do Pará define neste documento sua Política Organizacional

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

REDE NACIONAL DE MONITORAMENTO DA RESISTÊNCIA MICROBIANA EM SERVIÇOS DE SAÚDE REDE RM NOVO TERMO DE ADESÃO

REDE NACIONAL DE MONITORAMENTO DA RESISTÊNCIA MICROBIANA EM SERVIÇOS DE SAÚDE REDE RM NOVO TERMO DE ADESÃO REDE NACIONAL DE MONITORAMENTO DA RESISTÊNCIA MICROBIANA EM SERVIÇOS DE SAÚDE REDE RM NOVO TERMO DE ADESÃO Atribuições dos participantes da Rede RM 1) Gestor dos Hospitais Colaboradores da Rede RM Indicar

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

SICONV UM NOVO PARADIGMA NAS TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO: TRANSPARÊNCIA E CONTROLE SOCIAL DOS GASTOS PÚBLICOS

SICONV UM NOVO PARADIGMA NAS TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO: TRANSPARÊNCIA E CONTROLE SOCIAL DOS GASTOS PÚBLICOS SICONV UM NOVO PARADIGMA NAS TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO: TRANSPARÊNCIA E CONTROLE SOCIAL DOS GASTOS PÚBLICOS TAHOMA NEGRITO 16 ASSINATURAS SICONV O SICONV inaugurou uma nova era na gestão pública,

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO INTEGRADA DO MINISTÉRIO DA FAZENDA - PMIMF MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA ATORES DA REDE DE INOVAÇÃO 2 O MODELO CONTEMPLA: Premissas e diretrizes de implementação Modelo

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROJETO

PLANEJAMENTO DO PROJETO PLANEJAMENTO DO PROJETO 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO O presente projeto foi aberto para realizar a gestão de todos os processos de prestação de serviços de informática, fornecimento de licença de uso perpétua,

Leia mais

Projeto de Ação Conjunta de Inspeções em Distribuidoras de Medicamentos

Projeto de Ação Conjunta de Inspeções em Distribuidoras de Medicamentos Agência Nacional de Vigilância Sanitária Projeto de Ação Conjunta de Inspeções em Distribuidoras de Medicamentos Gerência-Geral de Inspeção e Controle de Medicamentos e Produtos Gerência de Investigação

Leia mais

Experiência: SISTEMA DE GESTÃO FINANCEIRA E DE CONVÊNIOS GESCON

Experiência: SISTEMA DE GESTÃO FINANCEIRA E DE CONVÊNIOS GESCON Experiência: SISTEMA DE GESTÃO FINANCEIRA E DE CONVÊNIOS GESCON Fundo Nacional de Saúde Ministério da Saúde Responsável: Hernandes Pires dos Reis - Consultor da Divisão de Manutenção e Suporte a Sistemas

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES CELG DISTRIBUIÇÃO S.A EDITAL N. 1/2014 CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE GESTÃO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES O Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás

Leia mais

Ato da Mesa N 69/2013

Ato da Mesa N 69/2013 À Assessoria de Projetos e Gestão compete: Ato da Mesa N 69/2013 Anexo I 1. assessorar o Diretor-Geral a promover, planejar, coordenar, acompanhar e orientar a implementação da melhoria contínua ~ gestão

Leia mais

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR DENOMINAÇÃO DO CARGO: ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Desenvolver e implantar sistemas informatizados, dimensionando requisitos e funcionalidades do

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA

REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA Art. 1º. A Secretaria de Tecnologia de Informação e Comunicação SETIC é um Órgão Suplementar Superior

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS ASSISTENTE

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS ASSISTENTE COMPETÊNCAS ESPECÍFCAS SSTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS - SEBRAE / TO UNDADE: GESTÃO ESTRATÉGCA PROCESSO: GESTÃO DO CONHECMENTO COMPETÊNCAS ESPECÍFCAS 1. Desenvolvimento da gestão do no 2. Promoção de estratégias

Leia mais

NORMA INTERNA DE TREINAMENTO FAUUSP

NORMA INTERNA DE TREINAMENTO FAUUSP NORMA INTERNA DE TREINAMENTO FAUUSP 1. OBJETIVOS Apresentar as diretrizes básicas e os procedimentos institucionais necessários à realização das atividades de treinamento. 2. DEFINIÇÕES 2.1. Treinamento

Leia mais

A Disciplina Gerência de Projetos

A Disciplina Gerência de Projetos A Disciplina Gerência de Projetos Atividades, Artefatos e Responsabilidades hermano@cin.ufpe.br Objetivos Apresentar atividades da disciplina Gerência de Projetos Discutir os artefatos e responsáveis envolvidos

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI CENTRAL DE SERVIÇOS

ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI CENTRAL DE SERVIÇOS 1 ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI CENTRAL DE SERVIÇOS 2 INTRODUÇÃO A Central de Serviços é uma função e não um processo. Principal interface operacional entre a área de TI e os seus usuários de serviços.

Leia mais

Gestão de Projetos. Treinamento dos APGE s. Weslei Gomes de Sousa, PMP Coordenador de Gestão de Projetos AMGE/SG/MPF Escritório de Projetos do MPF

Gestão de Projetos. Treinamento dos APGE s. Weslei Gomes de Sousa, PMP Coordenador de Gestão de Projetos AMGE/SG/MPF Escritório de Projetos do MPF 2014 Gestão de Projetos Treinamento dos APGE s Procuradoria Geral da República PGR Weslei Gomes de Sousa, PMP Coordenador de Gestão de Projetos AMGE/SG/MPF Escritório de Projetos do MPF Assessoria de Modernização

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO DE PROVIDÊNCIAS INICIAIS Março/2014 V 1.1 REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO

Leia mais

Fábrica de Software: O Ajuste da Matriz Qualidade x Produtividade. III Encontro Nacional do GITEC e XIII ENIAL

Fábrica de Software: O Ajuste da Matriz Qualidade x Produtividade. III Encontro Nacional do GITEC e XIII ENIAL Fábrica de Software: O Ajuste da Matriz Qualidade x Produtividade III Encontro Nacional do GITEC e XIII ENIAL A PROCERGS MISSÃO Apoiar e implementar soluções em tecnologia da informação e comunicações

Leia mais

Criação e Implantação de um Núcleo de Inteligência Competitiva Setorial para o Setor de Farmácias de Manipulação e Homeopatia.

Criação e Implantação de um Núcleo de Inteligência Competitiva Setorial para o Setor de Farmácias de Manipulação e Homeopatia. Criação e Implantação de um Núcleo de Inteligência Competitiva Setorial para o Setor de Farmácias de Manipulação e Homeopatia Elisabeth Gomes 6º Conferencia Anual de Inteligência Competitiva IBC São Paulo

Leia mais

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS SELO ABRAIDI Programa de BPADPS Reuniões: Julho a Agosto de 2010 Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes PAUTA * OBJETIVOS * ASPECTOS FUNDAMENTAIS * HISTÓRICO * SITUAÇÃO ATUAL

Leia mais

Padrão Visual de Sistemas da Anvisa na Internet

Padrão Visual de Sistemas da Anvisa na Internet Agência Nacional de Vigilância Sanitária Padrão Visual de Sistemas da Anvisa na Internet Gerência-Geral de Tecnologia da Informação Gerência de Sistemas www.anvisa.gov.br Brasília, janeiro de 2007 Agência

Leia mais

Preparado por Subcomissão de Resíduos Sólidos Versão: 01 Aprovado por Dra. Elaini C. Trevisan 18/05/12

Preparado por Subcomissão de Resíduos Sólidos Versão: 01 Aprovado por Dra. Elaini C. Trevisan 18/05/12 Ampliação da Coleta Seletiva para sedes do MPGO no interior do Estado de Goiás e aperfeiçoamento do gerenciamento de resíduos sólidos da Sede da PGJ TERMO DE ABERTURA Preparado por Subcomissão de Resíduos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultor (a) para desenvolver, treinar e implantar o Sistema de Gestão de Projetos do IBAMA. 2 JUSTIFICATIVA 2.1 Contextualização: O

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DOS CARGOS

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DOS CARGOS DENOMINAÇÃO DO CARGO: AUXILIAR DE BIBLIOTECA NÍVEL DE CLASSIFICAÇÃO: C DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES TÍPICAS DO CARGO: Organizar, manter e disponibilizar os acervos bibliográficos para docentes, técnicos e alunos;

Leia mais

MPR MPR/SPI-801-R00 PARCERIAS COM INSTITUIÇÕES DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

MPR MPR/SPI-801-R00 PARCERIAS COM INSTITUIÇÕES DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO MPR MPR/SPI-801-R00 PARCERIAS COM INSTITUIÇÕES DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO 05/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 18 de maio de 2015. Aprovado, Tiago Sousa Pereira 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO

Leia mais

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob;

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob; 1. Esta Política institucional de gestão de pessoas: Política institucional de gestão de pessoas a) é elaborada por proposta da área de Gestão de Pessoas da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob

Leia mais

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA Capítulo I - DA

Leia mais

Estabelecer um parâmetro para o mapeamento dos processos operacionais da universidade.

Estabelecer um parâmetro para o mapeamento dos processos operacionais da universidade. Unidade Processo Universidade Federal da Bahia Superintendência de Avaliação e Desenvolvimento Institucional Sistema de Desenvolvimento Institucional PO - Procedimento Operacional 1 de 5 Glossário de Siglas

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

Melhorias na Gestão do Fale Conosco do Website do CDTN

Melhorias na Gestão do Fale Conosco do Website do CDTN Melhorias na Gestão do Fale Conosco do Website do CDTN Soares, Wellington Antonio Chefe do Serviço de Comunicação soaresw@cdtn.br Câmara, Fábio de Souza Técnico camaraf@cdtn.br Cristóvão, Marilia Tavares

Leia mais

PID Melhoria na Gestão dos Prazos de Atendimento. Vanessa M. M. Feldmann Milton Biral Filho Rosária Di Gangi CPFL Paulista CPFL Paulista CPFL Paulista

PID Melhoria na Gestão dos Prazos de Atendimento. Vanessa M. M. Feldmann Milton Biral Filho Rosária Di Gangi CPFL Paulista CPFL Paulista CPFL Paulista XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil PID Melhoria na Gestão dos Prazos de Atendimento Vanessa M. M. Feldmann Milton Biral

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

DECRETO Nº 1.528, DE 21 DE AGOSTO DE 2008.

DECRETO Nº 1.528, DE 21 DE AGOSTO DE 2008. DECRETO Nº 1.528, DE 21 DE AGOSTO DE 2008. Dispõe sobre modificações no processo de implantação do monitoramento dos programas e ações governamentais, no âmbito da Administração Pública do Estado de Mato

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG Belo Horizonte 01 de Julho de 2008 1 SUMÁRIO 1. Introdução...02

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto - Nacional Número e Título do Projeto: BRA/ 09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo de internacionalização

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

BRASÍLIA, NOVEMBRO DE 2012

BRASÍLIA, NOVEMBRO DE 2012 TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa para prestação de serviços de produção e revisão de leiaute (webdesign) e navegação, bem como desenvolvimento de HTML e CSS. A empresa irá aprimorar as telas

Leia mais

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica...

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica... 1 de 1 19/4/212 17:17 EGTI 211/212 - Autodiagnostico 21 Imprimir Identificação 1. Qual a identificação do órgão? AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS 2. Qual o âmbito de preenchimento do formulário?

Leia mais

ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA

ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA Boletim Informativo Edição 01 19 de Março de 2012 ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA Controladoria-Geral da União Implementação da Lei de Acesso a Informação A Lei de Acesso à Informação (LAI) representa mais

Leia mais

Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET. Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde

Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET. Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde Responsável: Hernandes Pires do Reis Consultor da Divisão de Manutenção e Suporte a Sistemas Endereço:

Leia mais

Data Versão Descrição Autor

Data Versão Descrição Autor Sistema de Controle de Pedidos SISCOP Versão 1.0 Termo de Abertura Versão 2.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 16/08/2010 2.0 Desenvolvimento do Termo de Abertura Adriano Marra Brasília,

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v2 Livros ITIL v2 Cenário de TI nas organizações Aumento da dependência da TI para alcance

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000053 - ENGENHARIA DA COMPUTACAO Nivel: Superior Area Profissional: INFORMATICA Area de Atuacao: BANCO DE DADOS/INFORMATICA Planejar, administrar,

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Intranet 2014 - Termo de Referência: Contratação de Pessoa Física para apoio à equipe da STN no projeto de reformulação da intranet corporativa

Intranet 2014 - Termo de Referência: Contratação de Pessoa Física para apoio à equipe da STN no projeto de reformulação da intranet corporativa Intranet 2014 - : Contratação de Pessoa Física para apoio à equipe da STN no projeto de reformulação da intranet corporativa Coordenação-Geral de Desenvolvimento Institucional CODIN Gerência de Informação

Leia mais

Plano de Gerenciamento do Projeto (PGP)

Plano de Gerenciamento do Projeto (PGP) 1.JUSTIFICATIVA A administração pública vem nos últimos anos sofrendo mudanças estruturais em sua forma de atuação, saindo de um modelo patrimonialista e burocrático para um modelo gerencial, focando nos

Leia mais

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília MGS Plano de execução de serviço Projeto de transformação de Processos Estrutura do Documento 1. Introdução

Leia mais

Gestão de Qualidade. HCFMRP - USP Campus Universitário - Monte Alegre 14048-900 Ribeirão Preto SP Brasil

Gestão de Qualidade. HCFMRP - USP Campus Universitário - Monte Alegre 14048-900 Ribeirão Preto SP Brasil Gestão de Qualidade O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, visando a qualidade assistencial e a satisfação do cliente compromete-se a um entendimento

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Saiba mais sobre o histórico do Projeto Gestão por Competências no Ministério da Saúde.

Saiba mais sobre o histórico do Projeto Gestão por Competências no Ministério da Saúde. GESTÃO DE PESSOAS POR COMPETÊNCIAS NO MINISTÉRIO DA SAÚDE O projeto Gestão por Competências teve início no Ministério da Saúde (MS) em setembro de 2009. Esse modelo de Gestão de Pessoas foi implantado

Leia mais

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1.1. Diretoria Executiva (DEX) À Diretora Executiva, além de planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar as atividades da Fundação, bem como cumprir e fazer cumprir

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS 1. Objetivo geral: Apoiar tecnicamente a gestão e a implementação das atividades do TC 50 - Qualidade do Sistema Único de Saúde - QUALISUS,

Leia mais

Plano de Gerência de Configuração

Plano de Gerência de Configuração Plano de Gerência de Configuração Objetivo do Documento Introdução A aplicação deste plano garante a integridade de códigos-fonte e demais produtos dos sistemas do, permitindo o acompanhamento destes itens

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2016

Questionário de Governança de TI 2016 Questionário de Governança de TI 2016 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

Governança Corporativa

Governança Corporativa Governança Corporativa POLÍTICA DE INTEGRIDADE A política de integridade (conformidade), parte integrante do programa de governança corporativa. Mais do que nunca as empresas necessitam de estruturas consistentes

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL TERMO DE REFERÊNCIA CAPACITAÇÃO INTERNA DIAGNÓSTICO E MATRIZ CURRICULAR

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL TERMO DE REFERÊNCIA CAPACITAÇÃO INTERNA DIAGNÓSTICO E MATRIZ CURRICULAR MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE DEFESA CIVIL TERMO DE REFERÊNCIA CAPACITAÇÃO INTERNA DIAGNÓSTICO E MATRIZ CURRICULAR 1 Função no Projeto Realização de diagnóstico de necessidades

Leia mais

Manual Básico do Usuário. Monitoramento de Iniciativas Estratégicas. Planejamento Estratégico - ANVISA 2010-2020

Manual Básico do Usuário. Monitoramento de Iniciativas Estratégicas. Planejamento Estratégico - ANVISA 2010-2020 Manual Básico do Usuário Monitoramento de Iniciativas Estratégicas Planejamento Estratégico - ANVISA 2010-2020 Brasília DF, Maio de 2015 1 Sumário Planejamento Estratégico Anvisa 2010 a 2020:... 4 Supervisão

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS 8 - Política de segurança da informação 8.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COOPERFEMSA, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção

Leia mais

Redução de impacto ambiental no consumo diário de líquidos. TERMO DE ABERTURA

Redução de impacto ambiental no consumo diário de líquidos. TERMO DE ABERTURA Redução de impacto ambiental no consumo diário de líquidos. TERMO DE ABERTURA Preparado por Cassius Marcellus de Freitas Rodrigues Versão: 1.1 Renata Rossi de Oliveira Aprovado por 17/09/12 Nome do Projeto:

Leia mais

Os serviços, objetos desse termo de referência, deverão ser desenvolvidos em 03 (três) etapas, conforme descrição a seguir:

Os serviços, objetos desse termo de referência, deverão ser desenvolvidos em 03 (três) etapas, conforme descrição a seguir: Termo de Referência 1. Objeto Contratação de empresa especializada em gestão de saúde para execução de atividades visando a reestruturação do modelo de atenção à saúde, objetivando diagnosticar novas proposituras

Leia mais

SOCINALS.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO

SOCINALS.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO SOCINALS.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO RELATÓRIO DE GESTÃO DO RISCO OPERACIONAL - EXERCICIO 2014 SUMÁRIO 1. Introdução; 2. Política Institucional para Gestão de Risco Operacional; 3. Estrutura

Leia mais

Módulo Imobiliária. Proposta comercial

Módulo Imobiliária. Proposta comercial Módulo Imobiliária Proposta comercial Data: 24/10/2012 Página 1/6 Índice 1 Apresentação... 3 2 O Projeto... 3 3 Desenvolvimento do projeto... 4 4 Âmbito de intervenção do cliente... 4 5 Compromissos da

Leia mais

PROJETO DE FÁBRICA DE SOFTWARE

PROJETO DE FÁBRICA DE SOFTWARE FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE Departamento de Sistemas de Informação PROJETO DE FÁBRICA DE SOFTWARE Denise Xavier Fortes Paulo Afonso BA Agosto/2015 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PERFIS FUNCIONAIS...

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa O Poder Judiciário tem-se conscientizado, cada vez mais, de que se faz necessária uma resposta para a sociedade que exige uma prestação jurisdicional mais célere e

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL 1. INTRODUÇÃO: O Banco Pottencial, considera a gestão de riscos como um instrumento essencial para maximização da eficiência no uso do capital e para escolha

Leia mais

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratar consultoria por produto para formular

Leia mais