Pretende-se com esta comunicação apresentar o Projecto Ideia/O Nosso Sonho na sua dimensão mais criativa.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pretende-se com esta comunicação apresentar o Projecto Ideia/O Nosso Sonho na sua dimensão mais criativa."

Transcrição

1 Pretende-se com esta comunicação apresentar o Projecto Ideia/O Nosso Sonho na sua dimensão mais criativa. A Cooperativa de Ensino O Nosso Sonho e a Ideia são duas Instituições associadas, sediadas na Freguesia de S. Domingos de Rana, atendem diariamente cerca de 1000 crianças, adolescentes, jovens e suas famílias. Entre aqueles utentes, contam-se minorias étnicas, crianças com necessidades educativas especiais, problemas emocionais e sóciofamiliares, algumas delas vivendo em condições precárias. Além de contribuir para o Desenvolvimento Local e Educativo do Concelho, com um quadro de pessoal próximo dos 100 profissionais, tem defendido desde sempre a diversidade como uma riqueza. No próximo dia 10 de Março, faz 19 anos que se iniciou esta aventura em educação, movidos pela essência do pensamento de Saint- Exupéry, presente em Se sou diferente de ti, longe de te prejudicar, aumento-te. Para as dez jovens raparigas que estiveram na origem desta ILE (Iniciativa Local de Emprego), Cooperativa de Ensino, o primeiro objectivo era criar o seu próprio posto de trabalho na área da educação. Para os técnicos que lhes deram suporte, idealizaram e concretizaram o projecto técnico-pedagógico e de viabilidade económica, o desafio era inovar em educação, dando um enfoque especial à participação, à criatividade, à afectividade a par com o desenvolvimento cognitivo e as aprendizagens. O Projecto começou por ser especificamente para a Educação Pré- Escolar, mas é hoje uma resposta integrada para a Família, Criança e Comunidade. Os conceitos de autonomia, liberdade de escolha, cooperação, responsabilidade, aceitação da diferença e também a criatividade, valorização da expressão artística são assim transversais a toda a

2 dinâmica pedagógica e organizacional, sendo a gestão do tempo e dos espaços ora convergente e estruturada - por ex: nas rotinas - ora divergente e participada em relação à liberdade de escolha no próprio tempo lectivo. A partir dos 3 anos as crianças escolhem duas vezes por dia: as salas (Jogo Dramático, Intelectual e Expressões), as actividades (6 ou 7 em cada sala que estão permanentemente à disposição de todos), os projectos (dentro do Projecto Educativo), e podem dar expressão a afectos e novas ideias (que trazemos da rua, de casa, e do próprio mundo interior). Ancorado no princípio de que a criança está no centro da dinâmica proposta os Educadores (no seu sentido mais amplo) aparecem como dinamizadores subtis da acção da criança. As diferentes formas de arte como o teatro, a pintura, o desenho, as monotípias, a colagem, a dança, a escrita criativa, a música, a escultura, a modelagem (com barro, gesso ou pasta de papel), a construção com desperdícios, o trabalho com madeira, acontecem diariamente nos Pré-escolares e nos ATL s das duas instituições, como uma forma de expressão individual e/ou colectiva, de aprendizagem, de descoberta, porque todas estas actividades são promovidas e estão sempre acessíveis nos espaços e no tempo todo. Educar aqui é: Escolher Os Espaços As Salas As Actividades O Jogo e o Trabalho As Regras Os Amigos Crescer Em Liberdade Com Segurança Com Autonomia Com Capacidade de Decisão Com Fantasia e Alegria Criar Ambientes Projectos Afectos Amizade Beleza Descobrir Sensações e Saberes Os outros e o Eu A Natureza e o Ambiente As Coisas e as Loisas

3 Artistas Aceitar a diferença e a mudança A organização e participação em Concursos que promovem determinada linguagem artística fazem parte da dinâmica pedagógica, por envolverem outras crianças de diferentes idades, de outras Instituições e de outros Países. Os Pré-Escolares e ATL s ao longo dos anos já viram várias das suas crianças premiadas com medalhas de prata, bronze e menções honrosas em concursos internacionais de Arte Infantil(World Children s Picture Contest / Kanagawa Biennal World Children s Art Exhibition) tendo em 2001/2002 ganho uma medalha de ouro! Se o objectivo fosse apresentar o Projecto Educativo desta Organização precisaríamos de mais tempo, contudo hoje não é esse o nosso propósito Em cada ano lectivo há uma intencionalidade que envolve toda a Comunidade Educativa e que ao mesmo tempo que enriquece o Projecto Educativo orienta a intervenção expressa nos Planos de Acção de cada valência: o ambiente, os recursos naturais, o século XX, nós e os outros, a natureza, os sentimentos Este ano lectivo (2005/06) iniciou-se com uma exposição colectiva de pintura de quatro artistas plásticos, todos eles, pais, professores e amigos, com vínculos à Instituição, e linguagens muito diferentes, abrindo novas dimensões estéticas e comunicativas para crianças, profissionais e familiares. Mais que uma sensibilização foi o ponto de partida para várias actividades que, embora propostas pelos educadores, foram rapidamente apropriadas pelas crianças, sendo já elas a dar novas ideias, participando activamente, sugerindo outras actividades,

4 experimentando, recriando Nasceram histórias a partir das telas que agora já são livros na biblioteca da sala. Reproduziram-se as obras que mais marcaram e que inspiraram novas produções. Convidaram-se os artistas para partilharem as suas técnicas e falarem da sua experiência, fez-se música, fez-se um encontro de Jazz, criou-se o desejo de ir mais longe ( ) (apresentação de 2/3 exemplos do desenvolvimento processo) No Pré-Escolar (diagrama) No ATL (diagrama) (As Artes Plásticas a partir do nada/de tudo) E outras actividades ainda irão surgir ao longo do Ano Lectivo, em que o pensamento convergente, o dos saberes convencionais, se cruza com o pensamento divergente sob a forma da expressão da criatividade individual e colectiva. A permanente produção artística, o desenvolvimento de projectos, a apresentação de propostas e ideias das crianças, dos educadores, das famílias e dos jovens (ex-utentes) que continuam a participar na instituição, permitem pensar que a arte vivida no espaço da Escola é uma atitude, um meio e uma estratégia que torna o dia-a-dia uma festa de cor e alegria. Não se pretende formar actores, pintores, bailarinos, músicos, não fazemos educação para a arte. Acreditamos que a educação pela arte e/ou arte na educação, abrangendo nas suas diversas formas todas as

5 crianças e nós próprios, estrutura o pensamento divergente, construindo-nos como pessoas mais criativas, sensíveis, flexíveis, seguras, proactivas, com forte consciência de Si e dos Outros e um elevado sentido de cidadania. A produção artística é assim também consequência deste contexto de Autonomia, Liberdade de Escolha e Responsabilidade e a arte passa então, a funcionar como pretexto de construção de Conhecimento, de Afectos, de Intercâmbios, criando pontes a partir duma linguagem que é universal.

PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011

PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011 PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011 O Plano Anual de Actividades deve ser entendido como o instrumento da planificação das actividades es, para um ano lectivo, no qual estão plasmadas as decisões sobre os objectivos

Leia mais

MODELO PEDAGÓGICO. (Niza, 1989).

MODELO PEDAGÓGICO. (Niza, 1989). MODELO PEDAGÓGICO O modelo pedagógico do MEM afirma que o desenvolvimento da criança vai para além das atividades individuais de compreensão do mundo. A criança também se desenvolve a partir de contatos

Leia mais

A ASSUS Associação de Solidariedade Social da Urbanização do Seixo iniciou a sua atividade em 28 de Novembro de Possui licença de utilização

A ASSUS Associação de Solidariedade Social da Urbanização do Seixo iniciou a sua atividade em 28 de Novembro de Possui licença de utilização A ASSUS Associação de Solidariedade Social da Urbanização do Seixo iniciou a sua atividade em 28 de Novembro de 1991. Possui licença de utilização nº. 102, emitida pela DGEstE DSRN e encontra-se licenciado

Leia mais

Plano Anual de Actividades do ATL 2016/2017

Plano Anual de Actividades do ATL 2016/2017 Setembro Acolhimento das crianças Organização dos espaços Regras e rotinas Promover a adaptação e readaptação das crianças Criar laços de afecto e confiança entre os adultos, as crianças e as famílias

Leia mais

arte bruta nas belas-artes

arte bruta nas belas-artes arte bruta nas belas-artes a arte com a doença e a deficiência mental Jean Dubuffet, em 1945, caracterizou o conceito de Art Brut numa perspetiva espontânea e livre de qualquer influência, como resultado

Leia mais

Educar para a Cidadania Contributo da Geografia Escolar

Educar para a Cidadania Contributo da Geografia Escolar Iª JORNADAS IGOT DOS PROFESSORES DE GEOGRAFIA Educar para a Cidadania Contributo da Geografia Escolar Maria Helena Esteves 7 de Setembro de 2013 Apresentação O que é a Educação para a Cidadania Educação

Leia mais

Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Estimular o desenvolvimento de projectos de vida;

Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Estimular o desenvolvimento de projectos de vida; São nossos objectivos: 1ª fase: Promover a inserção social de pessoas e grupos mais vulneráveis; Alargar e consolidar a rede de parcerias de forma a fomentar e a criar novos recursos, propiciando condições

Leia mais

1.1. Creche Objectivos gerais

1.1. Creche Objectivos gerais 1.1. Creche 1.1.1. Objectivos gerais Os processos de ensino e aprendizagem deverão contribuir nesta primeira etapa da Educação para a Infância, para que as crianças alcancem os seguintes objectivos: -

Leia mais

Um olhar matemático sobre o património

Um olhar matemático sobre o património Um olhar matemático sobre o património do Concelho de Condeixa-a-Nova Concurso de fotografia Promovido pelo Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Em colaboração com o ATL da Escola Sec. Fernando

Leia mais

Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Colectiva. Crianças e Adolescentes. Variável. Nome da prova: Autor(es): Versão: Portuguesa

Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Colectiva. Crianças e Adolescentes. Variável. Nome da prova: Autor(es): Versão: Portuguesa Nome da prova: Autor(es): Versão: Tipo de aplicação: População: Tempo de aplicação: Objectivos: Materiais incluídos no jogo (kit) completo: Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Portuguesa

Leia mais

O que foi ontem uma utopia, pode ser hoje e amanhã uma realidade e, quando o for, deve-se sonhar novas utopias. João Miranda

O que foi ontem uma utopia, pode ser hoje e amanhã uma realidade e, quando o for, deve-se sonhar novas utopias. João Miranda O que foi ontem uma utopia, pode ser hoje e amanhã uma realidade e, quando o for, deve-se sonhar novas utopias João Miranda Perspectivamos uma escola onde se cultive a paixão de ensinar e o verdadeiro

Leia mais

Museu dos Terceiros. Actividades do Serviço Educativo

Museu dos Terceiros. Actividades do Serviço Educativo Actividades do Serviço 2011/2012 1 O é um museu de arte sacra, reaberto ao público em 2008 após obras significativas de restauro. O Serviço e de Comunicação do Museu proporciona diversas actividades destinadas

Leia mais

DOSSIER DE PATROCÍNIOS

DOSSIER DE PATROCÍNIOS DOSSIER DE PATROCÍNIOS 01 Índice 03 // O CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DE SINTRA 06 // ALGUMAS DAS NOSSAS CONQUISTAS MAIS ANTIGAS 08 // ALGUMAS DAS NOSSAS CONQUISTAS MAIS RECENTES 10 // PRECISAMOS DE MUDAR,

Leia mais

Técnicas de Animação Pedagógica. gica

Técnicas de Animação Pedagógica. gica Técnicas de Animação Pedagógica gica Educação SéniorS 1 A intervenção educativa com idosos deve incluir-se no quadro da educação de adultos. Idoso Adulto Segregação Categoria abrangente Áreas de Intervenção

Leia mais

Jardim de Infância Professor António José Ganhão

Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância da Lezíria Jardim de Infância do Centro Escolar de Samora Correia Jardim de Infância do Centro Escolar de Porto Alto Jardim de Infância

Leia mais

PROTOCOLO Setúbal, 15 de Fevereiro de 2006

PROTOCOLO Setúbal, 15 de Fevereiro de 2006 PROTOCOLO Setúbal, 15 de Fevereiro de 2006 I Introdução A ACADEMIA MORANGOS é uma marca nacional de Academias Infantis. Através de espaços pensados especialmente para crianças dos 4 aos 12 anos, dotados

Leia mais

Introdução. 2. O domínio da Língua Portuguesa, ferramenta essencial de acesso ao conhecimento

Introdução. 2. O domínio da Língua Portuguesa, ferramenta essencial de acesso ao conhecimento Agrupamento de Escolas de Torre de Dona Chama Biblioteca Escolar/Área de Projecto Novas leituras, outros horizontes Ano Lectivo 2010/2011 ÍNDICE Introdução 3 1. A Escola novos desafios 3 2. O domínio da

Leia mais

Calendarização Temas/Conteúdos Objectivos Actividades Intervenientes

Calendarização Temas/Conteúdos Objectivos Actividades Intervenientes Início do Ano Lectivo Estruturar, Organizar e planificar o Ano Lectivo Reunião com os diferentes Intervenientes no processo educativo Equipa Pedagógica e Encarregados de Educação das crianças Setembro

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO DO ATL DE CHOUSELAS 2011/2012 OS 4 ELEMENTOS

PROJECTO EDUCATIVO DO ATL DE CHOUSELAS 2011/2012 OS 4 ELEMENTOS PROJECTO EDUCATIVO DO ATL DE CHOUSELAS 2011/2012 OS 4 ELEMENTOS Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OS 4 ELEMENTOS... 4 3. ESCOLHA DO TEMA... 4 4. OBJECTIVOS... 5 4.1 Objectivos gerais... 5 4.2 Objectivos específicos...

Leia mais

REFERENCIAL DE RVCC PROFISSIONAL

REFERENCIAL DE RVCC PROFISSIONAL REFERENCIAL DE RVCC PROFISSIONAL Código e Designação da Qualificação 761174 - Acompanhante de Crianças Nível de qualificação do QNQ: 2 Nível de qualificação do QEQ: 2 Unidades de Competencia (UC) Designação

Leia mais

Oficinas de Prática Criativa

Oficinas de Prática Criativa de Prática Um PROJECTO de promoção da criação artística através da realização de oficinas itinerantes nas freguesias rurais do Concelho. Funcionando, principalmente, em horário pós-laboral, permite a participação

Leia mais

O ESPAÇO NA PEDAGOGIA-EM- -PARTICIPAÇÃO

O ESPAÇO NA PEDAGOGIA-EM- -PARTICIPAÇÃO I O ESPAÇO NA PEDAGOGIA-EM- -PARTICIPAÇÃO Júlia Oliveira-Formosinho Filipa Freire de Andrade Introdução Espaço(s) em Participação Na Pedagogia -em-participação damos muita importância à organização do(s)

Leia mais

EB1/PE DE ÁGUA DE PENA

EB1/PE DE ÁGUA DE PENA EB1/PE DE ÁGUA DE PENA 2010 2014 1.Introdução 2.Enquadramento legal 3.Diagnóstico avaliação do projecto anterior 4.Identificação de prioridades de intervenção 5.Disposições finais 6.Avaliação 1.Introdução

Leia mais

Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos - Escola Básica Zeca Afonso Plano Anual de Atividades 2011/2012 Departamento do Pré escolar

Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos - Escola Básica Zeca Afonso Plano Anual de Atividades 2011/2012 Departamento do Pré escolar Atividades Objetivos Intervenientes Recursos/Custos Calendário Avaliação Receção na sala de aula (cada sala será identificada por uma fruta) Apresentação das equipes de sala às crianças Exploração de materiais

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014/2015 CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE SÃO PEDRO DE LOUSA

Plano Anual de Atividades 2014/2015 CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE SÃO PEDRO DE LOUSA CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE SÃO PEDRO DE LOUSA Mês Temas/conteúdos Atividades Objetivos gerais Intervenientes Espaço -Início do Ano Escolar; -Recepção dos Alunos. - Atividades de grupo; -Acolhimento e receção

Leia mais

PLANO DE PROMOÇÃO DE LEITURA DO AGRUPAMENTO

PLANO DE PROMOÇÃO DE LEITURA DO AGRUPAMENTO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO PLANO DE PROMOÇÃO DE LEITURA DO AGRUPAMENTO A leitura um bem essencial Para viver com autonomia, com plena consciência de si próprio e dos outros, para poder tomar

Leia mais

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades Externato Cantinho Escolar Plano Anual de Atividades Ano letivo 2016 / 2017 Pré-escolar e 1º Ciclo Receção dos Fomentar a integração da criança no meio escolar. Promover a socialização dos alunos. Receção

Leia mais

Centro de Actividades Ocupacionais da Camacha

Centro de Actividades Ocupacionais da Camacha VI Concurso de Presépios A Melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham na nossa caminhada pela vida. Desconhecido

Leia mais

Competências gerais. Princípios e valores orientadores do currículo. Competências gerais

Competências gerais. Princípios e valores orientadores do currículo. Competências gerais Currículo Nacional do Ensino Básico Competências Essenciais Competências gerais Princípios e valores orientadores do currículo A clarificação das competências a alcançar no final da educação básica toma

Leia mais

CENTRO SOCIAL DA PARÓQUIA DE S. SALVADOR VISEU. Projecto Educativo/Plano de Actividades /2015 A.T.L.

CENTRO SOCIAL DA PARÓQUIA DE S. SALVADOR VISEU. Projecto Educativo/Plano de Actividades /2015 A.T.L. A.T.L. PROJECTO EDUCATIVO Plano de actividades 2014/2015 Rua da Igreja S. Salvador 3510-764 Viseu -Tel.232418740 912380620 - cspsalvador@gmail.com 1 Índice 1. Introdução...3 2. Contextualização.. 4 2.1.

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO Comissão Social de Freguesia de Odivelas. Aderentes à Comissão Social de Freguesia de Odivelas

PLANO DE ACÇÃO Comissão Social de Freguesia de Odivelas. Aderentes à Comissão Social de Freguesia de Odivelas Um Plano de Acção consiste num instrumento componente do Plano de Desenvolvimento Social, que define sistematicamente, as acções a desenvolver, o cronograma, os parceiros responsáveis e os recursos. 1

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede 1. Identificação PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES ANO LECTIVO 2010 - DEPARTAMENTO: 1º Ciclo PCA1 Coordenador(a): Fernando Martins Tel/Tem:

Leia mais

CALENDARIZAÇÃO - FORMAÇÃO MODULAR CERTIFICADA

CALENDARIZAÇÃO - FORMAÇÃO MODULAR CERTIFICADA Acção: 3247 Assistência a Crianças no Domicílio - Alimentação da Criança Data Início: 16.Jan.2012 Duração: 25 Nível: 2 Data Fim: 06.Fev.2012 761174 - Acompanhante de Crianças Meses Horário 2012 1 2 3 4

Leia mais

Seminário A infância em debate. Uma leitura a partir de Portugal: resposta educativa para as crianças dos 3 aos 6 anos. Salamanca 27 a 30 Abril 2015

Seminário A infância em debate. Uma leitura a partir de Portugal: resposta educativa para as crianças dos 3 aos 6 anos. Salamanca 27 a 30 Abril 2015 Seminário A infância em debate. Uma leitura a partir de Portugal: resposta educativa para as crianças dos 3 aos 6 anos. Salamanca 27 a 30 Abril 2015 Amélia de Jesus Marchão ameliamarchao@esep.pt 1 Objetivo

Leia mais

Rodas de Histórias como espaços de Interações e Brincadeira A experiência do Projeto Paralapracá em Olinda

Rodas de Histórias como espaços de Interações e Brincadeira A experiência do Projeto Paralapracá em Olinda Rodas de Histórias como espaços de Interações e Brincadeira A experiência do Projeto Paralapracá em Olinda A proposta pedagógica das instituições de Educação Infantil deve ter como objetivo garantir à

Leia mais

Modelo Curricular High/Scope

Modelo Curricular High/Scope Modelo Curricular High/Scope Origem e Evolução Década de 60: David Weikart inicia Perry Preschool Project Combate ao Insucesso Escolar Intervenção precoce Escolha do modelo curricular Investigação Década

Leia mais

CONCURSO. Pensar os Afectos Viver em Igualdade

CONCURSO. Pensar os Afectos Viver em Igualdade CONCURSO Pensar os Afectos Viver em Igualdade O concurso Pensar os Afectos Viver em Igualdade pretende premiar produtos e acções de sensibilização produzidos por alunos e alunas dos 1º, 2º e 3º Ciclos

Leia mais

Tema do Painel: Um novo paradigma de desenvolvimento profissional: Valorização de percursos e competências. Tema da Comunicação:

Tema do Painel: Um novo paradigma de desenvolvimento profissional: Valorização de percursos e competências. Tema da Comunicação: Tema do Painel: Um novo paradigma de desenvolvimento profissional: Valorização de percursos e competências Tema da Comunicação: O envolvimento das organizações e dos enfermeiros no desenvolvimento e reconhecimento

Leia mais

SEMINÁRIO A RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL INCLUSÃO SUSTENTÁVEL

SEMINÁRIO A RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL INCLUSÃO SUSTENTÁVEL SEMINÁRIO A RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL PARA UMA INCLUSÃO SUSTENTÁVEL O CATL SIRUGA AS NOSSAS ATIVIDADES EM PROL DUMA CIDADANIA PLENA Rosa Correia Secretariado Diocesano de Lisboa da Pastoral dos

Leia mais

Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017

Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Perfil de aprendizagens específicas do aluno à saída 1.º Ciclo do Ensino Básico Tendo em atenção as características estruturais e humanas das Escolas

Leia mais

O Sonho. Intervenção pela Arte. Educação para todos. Realização de espectáculos nacionais e internacionais. Associação/ Cooperativa

O Sonho. Intervenção pela Arte. Educação para todos. Realização de espectáculos nacionais e internacionais. Associação/ Cooperativa O Sonho Intervenção pela Arte Educação para todos Realização de espectáculos nacionais e internacionais Associação/ Cooperativa Estado de Arte O que tem acontecido em Portugal ao nível do serviço educativo?

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO VALÊNCIA DE JARDIM DE INFÂNCIA

PROJECTO EDUCATIVO VALÊNCIA DE JARDIM DE INFÂNCIA PROJECTO EDUCATIVO VALÊNCIA DE JARDIM DE INFÂNCIA 1 Introdução A creche e jardim de infância do centro paroquial de S. Vicente de Alcabideche é uma instituição de solidariedade social (I.P.S.S.) situada

Leia mais

Critérios de Avaliação Jardim de Infância

Critérios de Avaliação Jardim de Infância CASA DE INFÂNCIA DE SANTO ANTÓNIO Departamento Curricular de Creche e Jardim de Infância Critérios de Avaliação Jardim de Infância Horta 2016/2017 2 Critérios de Avaliação Jardim de Infância A avaliação

Leia mais

Bem público-valor público A educação para os valores ambientais no Museu da Água da EPAL. Margarida Filipe Ramos

Bem público-valor público A educação para os valores ambientais no Museu da Água da EPAL. Margarida Filipe Ramos Bem público-valor público A educação para os valores ambientais no Museu da Água da EPAL Margarida Filipe Ramos 30.01.13 Apresentação do Museu da Água da EPAL Reservatório da Mãe d Água das Amoreiras Reservatório

Leia mais

CARTA DE RECOMENDAÇÕES Elaborada pelos participantes do 2º Encontro da Rede Participação Juvenil de Sintra

CARTA DE RECOMENDAÇÕES Elaborada pelos participantes do 2º Encontro da Rede Participação Juvenil de Sintra CARTA DE RECOMENDAÇÕES Elaborada pelos participantes do 2º Encontro da Rede Participação Juvenil de Sintra 03.03.2012 PARTICIPAÇÃO EM ACTIVIDADES JUVENIS 1. Realizar inquéritos, a nível local, para averiguar

Leia mais

Joaquim Ramos Pinto ASPEA

Joaquim Ramos Pinto ASPEA Associação Portuguesa de Educação Ambiental Caretakers of the Environment International - Portugal SEMINÁRIO EDUCAÇÃO E AMBIENTE UMA COOPERAÇÃO PELA CIDADANIA Lisboa 6 de Junho de 2012 Joaquim Ramos Pinto

Leia mais

CENTRO DE BEM ESTAR INFANTIL NOSSA SENHORA DE FÁTIMA ANO LECTIVO 2007/2008

CENTRO DE BEM ESTAR INFANTIL NOSSA SENHORA DE FÁTIMA ANO LECTIVO 2007/2008 CASCD DE FARO CENTRO DE BEM ESTAR INFANTIL NOSSA SENHORA DE FÁTIMA ANO LECTIVO 2007/2008 PROJECTO PEDAGÓGICO ATL Tarde Os bons filhos têm sonhos ou disciplina, os filhos brilhantes têm sonhos e disciplina.

Leia mais

PLANO NACIONAL DE LEITURA

PLANO NACIONAL DE LEITURA PLANO NACIONAL DE LEITURA Objectivos: Desenvolver competências nos domínios da leitura e da escrita, bem como a criação de hábitos de leitura nos alunos ; Incutir o gosto de ler ; Criar leitores autónomos;

Leia mais

Centro Social Monsenhor Júlio Martins

Centro Social Monsenhor Júlio Martins Centro Social Monsenhor Júlio Martins Plano Anual de Atividades 2014/2015 Tema do Projeto Educativo: Brincar a Aprender Tema do Projeto Curricular de Turma: Descobrir com as emoções Sala dos 3,4 e 5 anos

Leia mais

Campanha de sensibilização do pnase

Campanha de sensibilização do pnase São Tomé, 28 de Fevereiro de 2017. Campanha de sensibilização do pnase Em alusão a 1 de Março, Dia Africano da Alimentação Escolar, o Ministério da Educação Cultura de São Tomé e Príncipe dá início à campanha

Leia mais

PROGRAMA DE OFICINA de ARTES DISCIPLINA DE OFERTA DE ESCOLA

PROGRAMA DE OFICINA de ARTES DISCIPLINA DE OFERTA DE ESCOLA PROGRAMA DE OFICINA de ARTES DISCIPLINA DE OFERTA DE ESCOLA Oficina de Artes é uma disciplina cujo nome releva da noção de ofício, no sentido que lhe é conferido atualmente pelo operador plástico, enquanto

Leia mais

MUNICÍPIO DA FIGUEIRA DA FOZ DEPARTAMENTO DE CULTURA, EDUCAÇÃO E ACÇÃO SOCIAL. Divisão de Cultura, Museu, Biblioteca e Arquivos

MUNICÍPIO DA FIGUEIRA DA FOZ DEPARTAMENTO DE CULTURA, EDUCAÇÃO E ACÇÃO SOCIAL. Divisão de Cultura, Museu, Biblioteca e Arquivos 1 de Junho Comemorações do Dia Mundial da Criança Integrado na Parceria cultural estabelecida entre Município da Figueira da Foz e o INTEP- Instituto Tecnológico e Profissional da Figueira da Foz, um grupo

Leia mais

Plano de Actividades e Orçamento 2010

Plano de Actividades e Orçamento 2010 Plano de Actividades e Orçamento 2010 1 2 1. Missão A CooLabora é uma cooperativa de consultoria e intervenção social criada em 2008. Tem por missão contribuir para a inovação social no desenvolvimento

Leia mais

Plano anual de atividades 2016 / 2017

Plano anual de atividades 2016 / 2017 Atividades Valências dinamizadoras Calendarização Objetivos Recursos humanos Recursos materiais Adaptação das crianças happy day setembro 2016 Fomentar o desenvolvimento da autonomia quer em relação ao

Leia mais

Agrupamento De Escolas Bartolomeu Gusmão E.B.1. Rainha Sta. Isabel

Agrupamento De Escolas Bartolomeu Gusmão E.B.1. Rainha Sta. Isabel Agrupamento De s Bartolomeu Gusmão E.B.1. Rainha Sta. Isabel 1 Introdução Planos anual e plurianual de actividades documentos de planeamento, que definem, em função do projecto educativo, os objectivos,

Leia mais

DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO

DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO DAP DINÂMICAS DE ACÇÃO-PREVENÇÃO Apresentação do Projecto Escola E.B 2,3 Passos José OBJECTIVOS GERAIS Fomentar a integração dos alunos no contexto escolar, promovendo o sucesso educativo Agir preventiva

Leia mais

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância Colégio Valsassina Modelo pedagógico do jardim de infância Educação emocional Aprendizagem pela experimentação Educação para a ciência Fatores múltiplos da inteligência Plano anual de expressão plástica

Leia mais

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 ÁREAS COMPONENTES OBJETIVOS ATIVIDADES/ESTRATÉGIAS ÁREA DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIA Construção da identidade e da auto estima

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1. CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1. CICLO Domínios Disciplinas Domínios de referência Parâmetros Ponderação% 1º 2º 3º 4º ano Instrumentos de Avaliação Oralidade Leitura Português Escrita Educação literária Conhecimento Explicito/gramática Resolução

Leia mais

CAMPOS DE FÉRIAS PROJETO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO. Este programa de férias pretende, de uma forma lúdico pedagógica, dar continuidade

CAMPOS DE FÉRIAS PROJETO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO. Este programa de férias pretende, de uma forma lúdico pedagógica, dar continuidade CAMPOS DE FÉRIAS PROJETO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO Os nossos princípios 1 Este programa de férias pretende, de uma forma lúdico pedagógica, dar continuidade ao desenvolvimento integral da criança que é

Leia mais

DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO A Serigrafia como Técnica de Impressão Aplicada ao Contexto de Ensino - Aprendizagem Acção 04 / 2009

DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO A Serigrafia como Técnica de Impressão Aplicada ao Contexto de Ensino - Aprendizagem Acção 04 / 2009 1 DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO A Serigrafia como Técnica de Impressão Aplicada ao Contexto de Ensino - Aprendizagem Acção 04 / 2009 N.º Acreditação: CCPFC/ACC- 56951/09 Modalidade: Oficina de Formação

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES DA CRECHE

PLANO DE ATIVIDADES DA CRECHE 01 Início do Ano Letivo Atividades de escolha livre. Atividades de exploração do espaço exterior. - Promover a integração / (re) adaptação das crianças; - Integração da criança no meio envolvente. Materiais

Leia mais

Projeto Educativo/Plano de Atividades

Projeto Educativo/Plano de Atividades COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Projeto Educativo/Plano de Atividades Ano letivo 2014/2015 Índice Introdução Princípios orientadores da ação educativa Horário de funcionamento Clubes

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2016/ 2017

Plano Anual de Atividades 2016/ 2017 Plano Anual de Atividades 2016/ 2017 Setembro Dia 02 Para além de criar um Acolhimento em cada sala, Receção das crianças ambiente acolhedor, fazer de cada criança, dando-lhe a sentir às crianças o conhecer

Leia mais

JARDIM INFANTIL POPULAR DA PONTINHA PROJECTO PEDAGÓGICO SALA 6 ALEGRES PICASSOS. 2 Anos. Educadora: Elisabete Nunes

JARDIM INFANTIL POPULAR DA PONTINHA PROJECTO PEDAGÓGICO SALA 6 ALEGRES PICASSOS. 2 Anos. Educadora: Elisabete Nunes JARDIM INFANTIL POPULAR DA PONTINHA PROJECTO PEDAGÓGICO SALA 6 ALEGRES PICASSOS 2 Anos Educadora: Elisabete Nunes Ano Lectivo:2013/2014 0 A melhor forma de não perder nada, não é guardar: mas compartilhar

Leia mais

PROGRAMA PINHAL NOVO PALMELA E QUINTA DO ANJO MARATECA E POCEIRÃO

PROGRAMA PINHAL NOVO PALMELA E QUINTA DO ANJO MARATECA E POCEIRÃO PROGRAMA PINHAL NOVO PALMELA E QUINTA DO ANJO MARATECA E POCEIRÃO A diversidade dos espaços e dos tempos educativos remete cada vez mais para o conceito de Escola - Comunidade, aberta ao diálogo e à educação

Leia mais

Projecto MIMAR O SOLAR

Projecto MIMAR O SOLAR Equipa Star Wars 1 Projecto MIMAR O SOLAR 2 Projecto Mimar o Solar Apresentação O Projecto MIMAR O SOLAR surge como iniciativa promovida pelo Solar do Mimo Centro de Acolhimento Temporário de Crianças

Leia mais

1 CASA DO CORETO pág.3 Breve apresentação / Imagens. 2 LUA CHEIA teatro para todos pág.7 Missão e Objectivos / Áreas de Intervenção

1 CASA DO CORETO pág.3 Breve apresentação / Imagens. 2 LUA CHEIA teatro para todos pág.7 Missão e Objectivos / Áreas de Intervenção PREÂMBULO pág.2 1 CASA DO CORETO pág.3 Breve apresentação / Imagens 2 LUA CHEIA teatro para todos pág.7 Missão e Objectivos / Áreas de Intervenção 3 Declaração Relevância Cultural C.M.Lisboa pág.9 www.luacheia.pt

Leia mais

PLANO DE INTERVENÇÃO

PLANO DE INTERVENÇÃO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES EQUIPA INTERDISCIPLINAR PLANO DE INTERVENÇÃO ANOS LECTIVOS 2009/2010 e 2010/2011 ÍNDICE Nota Introdutória.. 3 Parte I - Caracterização..4 1.1 Caracterização do Ambiente Interno.4

Leia mais

- estabelecer um ambiente de relações interpessoais que possibilitem e potencializem

- estabelecer um ambiente de relações interpessoais que possibilitem e potencializem O desenvolvimento social e cognitivo do estudante pressupõe que ele tenha condições, contando com o apoio dos educadores, de criar uma cultura inovadora no colégio, a qual promova o desenvolvimento pessoal

Leia mais

Projeto: Os 3 porquinhos

Projeto: Os 3 porquinhos Projeto: Os 3 porquinhos Este projeto surgiu do desenvolvimento do projeto anterior A casa e uma das histórias que surgiu foi Os 3 porquinhos. Através desta história,todo o grupo mostrou grande entusiasmo

Leia mais

ENTREVISTA AO EDUCADOR

ENTREVISTA AO EDUCADOR ENTREVISTA AO EDUCADOR I Caracterização do Educador Nome: Sandra Isabel G. Lopes M. Cordeiro Idade: 41 Formação Académica: Licenciada Escola onde se formou: Escola Superior de E. Inf. Maria Ulrich Outras

Leia mais

REGULAMENTO. 3. DESTINATÁRIOS Pré-escolar / Jardim-de-infância 1.º Ciclo do ensino básico

REGULAMENTO. 3. DESTINATÁRIOS Pré-escolar / Jardim-de-infância 1.º Ciclo do ensino básico DADOS GERAIS Ano Letivo: 2014/2015 Coordenador (CEP): Helena Berenguer Chefe de Divisão (CDAEA): Natalina Santos Concurso N.º: 16 Tema: Imagens que a luz desenha Data: 15 a 21 de Junho 2015 REGULAMENTO

Leia mais

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE ESCOLA SECUNDÁRIA DO RESTELO 402679 PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE 2010-2011 Desp.n.º 16034-2010, ME (20 Out.) VERTENTE PROFISSIONAL, SOCIAL E ÉTICA Compromisso com a construção e o uso do conhecimento

Leia mais

PROGRAMA FÉRIAS DE VERÃO ADSL 2015

PROGRAMA FÉRIAS DE VERÃO ADSL 2015 PROGRAMA FÉRIAS DE VERÃO ADSL 2015 MAIS INFORMAÇÕES: ADSL T. 251795086 / 963937778 ESPAÇO SÉNIOR GONDARÉM T.251709176 www.facebook.com/adslcerveira adslcerveira@gmail.com www.adslcerveira.com 15 DE JUNHO

Leia mais

Plano Anual de Actividades Projecto Museu Escolar Dinamizado por: Ano Lectivo 2010/2011

Plano Anual de Actividades Projecto Museu Escolar Dinamizado por: Ano Lectivo 2010/2011 Plano Anual de Actividades Projecto Museu Escolar Dinamizado por: António Inácio e António Montezo Ano Lectivo 2010/2011 CALENDARIZAÇÃO ACTIVIDADES OBJECTIVOS ARTICULAÇÃO INTERDISCIPLINAR PÚBLICO-ALVO

Leia mais

XXXI ENCONTRO NACIONAL DE TEATRO NA ESCOLA

XXXI ENCONTRO NACIONAL DE TEATRO NA ESCOLA ESCOLA BÁSICA 2,3/S DR. MANUEL RIBEIRO FERREIRA Projecto para a organização do XXXI ENCONTRO NACIONAL DE TEATRO NA ESCOLA Alvaiázere, 1. ENTIDADE PROMOTORA IDENTIFICAÇÃO: Escola Básica 2,3/S Dr. Manuel

Leia mais

EIXO I ATRACTIVIDADE TERRITORIAL

EIXO I ATRACTIVIDADE TERRITORIAL Plano de Acção para 2007 1 Um Plano de Acção, mais do que um documento, pretende-se que seja um instrumento de trabalho manuseável, flexível, ajustável à realidade e útil. Neste sentido, considerou-se

Leia mais

Tal como aprendemos um jogo, jogando o, também aprendemos a viver, vivendo. Peter Worsley ( ) Sociólogo

Tal como aprendemos um jogo, jogando o, também aprendemos a viver, vivendo. Peter Worsley ( ) Sociólogo Socialização Tal como aprendemos um jogo, jogando o, também aprendemos a viver, vivendo. Peter Worsley (1924 2013) Sociólogo As pessoas não são mais do que indivíduos socializados Todos os homens nascem

Leia mais

ANO 2016 Calendarização Conteúdos Objetivos Gerais Atividades Recursos Avaliação

ANO 2016 Calendarização Conteúdos Objetivos Gerais Atividades Recursos Avaliação Janeiro Desenvolver a Decorar um boneco de motricidade na utilização neve; de vários materiais; Decorar a colher de Desenvolver aptidões Instrumentos; pau; manuais e técnicas; Colher de pau; Fazer jogos

Leia mais

MUNICIPAL PROFESSOR LAÉRCIO FERNANDES NÍVEL DE ENSINO:

MUNICIPAL PROFESSOR LAÉRCIO FERNANDES NÍVEL DE ENSINO: UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PIBID- Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência ESCOLA MUNICIPAL PROFESSOR LAÉRCIO FERNANDES NÍVEL DE ENSINO: Ensino Fundamental I- TURMA: 3º

Leia mais

Plano de Actividades Ano lectivo 2008/2009 Tema: A aventura dos livros

Plano de Actividades Ano lectivo 2008/2009 Tema: A aventura dos livros Plano de Actividades Ano 2008/2009 Tema: A aventura dos livros 1 ACTIVIDADES DE ORGANIZAÇÃO Actividades Objectivos Intervenientes Calendarização Proceder à gestão de colecções. Organização e gestão do

Leia mais

Museu da Água da EPAL Um equipamento para a educação ambiental Margarida Filipe Ramos

Museu da Água da EPAL Um equipamento para a educação ambiental Margarida Filipe Ramos Museu da Água da EPAL Um equipamento para a educação ambiental Margarida Filipe Ramos 19.12.11 Apresentação do Museu da Água da EPAL Reservatório da Mãe d Água das Amoreiras Reservatório da Patriarcal

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Psicologia B 12º ano Ano lectivo 2011/2012 Critérios de avaliação Competências: Equacionar a Psicologia no panorama geral das ciências; Capacidades de

Leia mais

Designação do Módulo: Técnicas de Animação

Designação do Módulo: Técnicas de Animação Módulo N.º 3258 Designação do Módulo: Técnicas de Animação Planificar e dinamizar a animação com caráter interdisciplinar, como forma de desenvolver competências e autonomias. Expressão livre e animação

Leia mais

No entanto, não podemos esquecer que estes são espaços pedagógicos, onde o processo de ensino e aprendizagem é desenvolvido de uma forma mais lúdica,

No entanto, não podemos esquecer que estes são espaços pedagógicos, onde o processo de ensino e aprendizagem é desenvolvido de uma forma mais lúdica, PROJETO TECENDO CIDADANIA: PROJETO DE APOIO AO ESTUDO DOS TEMAS TRANSVERSAIS Autores: Leonardo Cristovam de JESUS, aluno do IFC Campus Avançado Sombrio e bolsista do projeto. Ana Maria de MORAES, Pedagoga

Leia mais

Plano Anual de atividades 2012/2013 1º Periodo

Plano Anual de atividades 2012/2013 1º Periodo Plano Anual de atividades 2012/2013 1º Periodo Designação Objectivos Grupo alvo Calendarização Responsáveis pela actividade Recursos a afectar J F M A M J J A S O N D Humanos Materiais Logísticos 1ª Reunião

Leia mais

Oferta Formativa da UDIPSS Aveiro

Oferta Formativa da UDIPSS Aveiro Oferta Formativa da UDIPSS Aveiro Cursos: Formação Pedagógica Inicial de Formadores em Gerontologia homologado pelo IEFP Licenciados Destinatários: Legislação Laboral Contrato Colectivo de Trabalho Direcção

Leia mais

As Actividades de Lazer e Recreação: A Dança Tradicional na Ocupação dos Tempos Livres nas Diferentes Idades. Batalha, Ana Paula - FMH / UTL

As Actividades de Lazer e Recreação: A Dança Tradicional na Ocupação dos Tempos Livres nas Diferentes Idades. Batalha, Ana Paula - FMH / UTL 8º Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa FMH/Portugal 13-16 Dez/ 2000 As Actividades de Lazer e Recreação: A Dança Tradicional na Ocupação dos Tempos Livres

Leia mais

Plano Anual de Atividades

Plano Anual de Atividades Calendarização Actividades Objectivos Intervenientes Recursos Dia 2 de setembro Dias 21, 22, 23, 24, 25 e 28 de setembro Recepção das crianças à escola Reunião de pais e Encarregados de Educação Dia 23

Leia mais

PROGRAMA CURRICULAR - ENSINO MÉDIO

PROGRAMA CURRICULAR - ENSINO MÉDIO PROGRAMA CURRICULAR - ENSINO MÉDIO DISCIPLINA Arte 2EM FUNDAMENTAÇÃO: - Composição - Movimentos e Períodos Objetiva-se possibilitar a apreciação e experimentação, ao aluno, das diversas manifestações artísticas,

Leia mais

José Luís Ramos CIEP/CC TIC da Universidade de Évora

José Luís Ramos CIEP/CC TIC da Universidade de Évora José Luís Ramos jlramos@uevora.pt CIEP/CC TIC da Universidade de Évora Comunidades Escolares de Aprendizagem Gulbenkian XXI Apoio: Comunidades Escolares de Aprendizagem Gulbenkian XXI Comunidades Escolares

Leia mais

Projecto de Promoção da Cidadania Activa entre jovens Moçambicanos

Projecto de Promoção da Cidadania Activa entre jovens Moçambicanos Projecto de Promoção da Cidadania Activa entre jovens Moçambicanos Programa de Apoio aos Actores não Estatais (PAANE), financiado pela União Europeia Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Contrato:

Leia mais

JANEIRO EXTERNATO DO PARQUE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013/2014. Local. Data Ações a desenvolver Turmas envolvidas 6 jan. Início do 2º período

JANEIRO EXTERNATO DO PARQUE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013/2014. Local. Data Ações a desenvolver Turmas envolvidas 6 jan. Início do 2º período JANEIRO Turmas envolvidas 6 jan. Início do 2º período Receção dos alunos e diálogo sobre as férias de Natal Elaboração de um texto sobre as mesmas Prof./Educ. e Responsáveis Dia de Reis Comemoração desta

Leia mais

De 26 de Março a 05 de Abril

De 26 de Março a 05 de Abril De 26 de Março a 05 de Abril Matosinhos Sport Biblioteca Municipal Florbela Espanca Biblioteca Municipal S. Mamede de Infesta Museu da Quinta de Santiago De 26 de Março a 05 de Abril Nesta Páscoa, sai

Leia mais

CRECHE. Educadora Responsável. Cristiana Andias. 24 aos 36 meses sala A A CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROJECTO PEDAGÓGICO

CRECHE. Educadora Responsável. Cristiana Andias. 24 aos 36 meses sala A A CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROJECTO PEDAGÓGICO Educadora Responsável Cristiana Andias A CONTEXTUALIZAÇÃO DO 24 aos 36 meses sala A A Creche constitui uma das primeiras experiências da criança num sistema organizado, exterior ao seu circulo familiar,

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular EXPRESSÃO CORPORAL E ARTÍSTICA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular EXPRESSÃO CORPORAL E ARTÍSTICA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular EXPRESSÃO CORPORAL E ARTÍSTICA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Motricidade Humana 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

DEPARTAMENTO CURRICULAR DAS EXPRESSÕES PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES 2007/2008. comunidade. educativa. actividades. que suscitem.

DEPARTAMENTO CURRICULAR DAS EXPRESSÕES PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES 2007/2008. comunidade. educativa. actividades. que suscitem. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALENTEJO CENTRO DE ÁREA EDUCATIVA DO BAIXO ALENTEJO E ALENTEJO LITORAL E.B.I c/j.i. FIALHO DE ALMEIDA de CUBA DEPARTAMENTO CURRICULAR DAS EXPRESSÕES

Leia mais

Convite: Natal no Frei 3º CICLO. Num Externato de orientação

Convite: Natal no Frei 3º CICLO. Num Externato de orientação Newsletter Nº2 Ano Lectivo 2008 2009 Dezembro Coordenação Prof. Miguel Feio Prof. Manuel André EM DESTAQUE Natal no Frei A alegria de comunicar aos outros a Boa Nova do amor de Deus que deu ao mundo o

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO 1.º Ciclo PORTUGUÊS

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO 1.º Ciclo PORTUGUÊS PORTUGUÊS Oralidade Leitura e escrita Iniciação à Educação Literária Gramática - Fichas de avaliação 50% - Outros: fichas de trabalho (trabalho individual, trabalhos de grupo, trabalhos de pesquisa, ditados,

Leia mais