Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo. 1º Ciclo do Ensino Básico

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo. 1º Ciclo do Ensino Básico"

Transcrição

1 Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo 1º Ciclo do Ensino Básico Ano lectivo 2009/2010 1

2 I. Introdução De acordo com a legislação em vigor (Portaria 72/2006 de 24 de Agosto), a avaliação deverá incidir sobre as aprendizagens e competências definidas nos currículos nacional e regional para as diversas áreas curriculares concretizadas nos projectos curriculares de escola e de turma por ano de escolaridade. Deste modo os critérios de avaliação constituem referenciais comuns de cada unidade orgânica, sendo operacionalizados pelo professor da turma e conselho de núcleo, no âmbito do respectivo projecto curricular de turma. Tendo como objectivo a promoção do sucesso escolar de cada aluno, todo o processo de ensino aprendizagem visa certificar as diversas aprendizagens e competências adquiridas. Os presentes Critérios de Avaliação foram elaborados tendo como base propostas dos núcleos escolares, a referida legislação em vigor, o Currículo Nacional do Ensino Básico, o Programa do 1º Ciclo e os parâmetros definidos em Conselho Pedagógico. II. Critérios Gerais de Avaliação A avaliação é um processo contínuo que privilegia a diversidade de estratégias e instrumentos de avaliação (formativa e sumativa), para que os alunos realizem experiências de aprendizagem activas, significativas, diversificadas, integradas e socializadoras. Os resultados das Provas de Avaliação Sumativa Externa são considerados no processo de avaliação sumativa interna e, é-lhes atribuído peso idêntico ao das outras fichas realizadas. Os alunos com Necessidades Educativas Especiais serão avaliados segundo os critérios, modalidades e condições especiais de avaliação, de acordo com as dificuldades diagnosticadas e respectivo Projecto Educativo Individual. Deste modo, ao longo de todo o 1º Ciclo, a avaliação focalizar-se-á na evolução escolar do aluno, nas diferentes áreas que o currículo integra. III. Parâmetros de avaliação Áreas Curriculares Disciplinares: Compreensão, conhecimento, capacidades, domínio de técnicas e valores e atitudes. Áreas Curriculares não Disciplinares: Participação/cooperação, sociabilidade, sentido de responsabilidade e autonomia. As áreas curriculares não disciplinares são de carácter transversal por isso, os seus parâmetros de avaliação serão observados no contexto de trabalho das áreas curriculares disciplinares. 2

3 3

4 Competências/ Parâmetros de Avaliação Compreensão Parâmetros da disciplina Compreensão de mensagens Orais Escritas CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Língua Portuguesa Níveis de Desempenho Insuficiente Suficiente Bom Muito Bom O aluno não O aluno compreende as O aluno compreende compreende mensagens com facilidade as suficientemente as transmitidas. mensagens. mensagens transmitidas. O aluno não O aluno compreende O aluno compreende compreende mensagens escritas. com facilidade as suficientemente as mensagens. mensagens. O aluno compreende com muita facilidade qualquer tipo de mensagem. O aluno compreende com muita facilidade qualquer tipo de mensagem. Conhecimento Conhecimento da estrutura da Língua O aluno não aplica suficientemente as regras da Língua. O aluno domina algumas regras da Língua. O aluno domina e aplica com facilidade as regras da Língua. O aluno domina, com muita facilidade, as regras da Língua, explicitando-as correctamente. 4

5 Capacidades Capacidade de ler/ interpretar O aluno não consegue ler/interpretar suficientemente situações de comunicação. O aluno consegue ler/interpretar situações comunicativas. O aluno lê/interpreta com facilidade situações comunicativas. O aluno lê/interpreta, com muita facilidade, situações comunicativas. Domínio de técnicas Expressão através da linguagem oral e escrita O aluno não consegue expressar suficientemente mensagens simples. O aluno consegue produzir enunciados simples, tendo dificuldade na elaboração de enunciados mais complexos. O aluno consegue produzir facilmente enunciados diversos, com coerência e correcção gramatical. O aluno consegue produzir muito facilmente qualquer tipo de enunciado, semântica e gramaticalmente correcto. 5

6 Competências/ Parâmetros de Avaliação Compreensão Parâmetros da disciplina Compreensão de situações matemáticas/ Conexões com a realidade CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Matemática Níveis de Desempenho Insuficiente Suficiente Bom Muito Bom O aluno não mobiliza O aluno mobiliza os O aluno mobiliza, com O aluno mobiliza, com suficientemente os facilidade, os muita facilidade, os adquiridos em situações adquiridos em situações reais. adquiridos em situações adquiridos em situações reais nem os utiliza na reais e utiliza-os na reais e utiliza-os na construção de novos construção de novos construção de novos saberes. saberes. saberes. Conhecimento Conhecimento de noções matemáticas O aluno não adquire suficientes matemáticos. O aluno adquire matemáticos. O aluno adquire com facilidade os matemáticos. O aluno adquire com muita facilidade os matemáticos. 6

7 Capacidades Capacidade de resolução de situações matemáticas O aluno não demonstra suficiente capacidade de raciocínio. O aluno demonstra raciocínio, capacidade de comunicação e de resolução de situações. O aluno demonstra facilidade de raciocínio, de comunicação e de resolução de situações. O aluno demonstra muita facilidade de raciocínio, de comunicação e de resolução de situações. Domínio de técnicas Prática compreensiva de procedimentos diversificados e instrumentos O aluno não domina suficientemente as técnicas e os instrumentos de trabalho. O aluno domina as técnicas e os instrumentos de trabalho. O aluno domina com facilidade as técnicas e os instrumentos de trabalho. O aluno domina com muita facilidade as técnicas e os instrumentos de trabalho. 7

8 Competências/ Parâmetros de Avaliação Compreensão Conhecimento Parâmetros da disciplina Compreensão de Situações Reais/Conexões com a realidade Conhecimento de noções/ conceitos CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Estudo do Meio Níveis de Desempenho Insuficiente Suficiente Bom Muito Bom O aluno não O aluno compreende o O aluno compreende O aluno compreende o compreende ambiente que o rodeia. com facilidade o ambiente que o rodeia, suficientemente o ambiente que o rodeia, mobilizando com muita ambiente que o rodeia. mobilizando facilidade a, generalidade dos experiências, saberes, culturais (locais, experiências, saberes regionais, ), culturais (locais, científicos, tecnológicos, regionais, ), históricos e geográficos. científicos, tecnológicos, históricos e geográficos. O aluno revela O aluno conhece e O aluno conhece e O aluno conhece e dificuldades na aplica conceitos e aplica com facilidade aplica com muita aquisição e aplicação conteúdos relativos a conceitos e conteúdos facilidade os conceitos de conceitos e saberes culturais relativos a saberes e conteúdos relativos a conteúdos relativos a (locais, regionais, ) culturais (locais, saberes culturais saberes culturais científicos, tecnológicos, regionais, ) (locais, regionais, ) (locais, regionais, ) históricos e geográficos. científicos, tecnológicos, científicos, tecnológicos, científicos, tecnológicos, históricos e geográficos. históricos e geográficos, históricos e geográficos. 8

9 Capacidades Capacidade de interpretação/ Intervenção O aluno demonstra dificuldades na interpretação e na intervenção revelando dificuldades ao nível da comunicação, espírito crítico e da capacidade de resolver problemas. O aluno demonstra capacidade de interpretação e de intervenção, manifestando algum progresso na comunicação, no espírito crítico e na capacidade de resolver problemas. O aluno demonstra capacidade de interpretação e de intervenção, desenvolvendo facilmente a comunicação, o espírito crítico e a capacidade de resolver problemas. O aluno demonstra grande capacidade de interpretação e de intervenção, sendo muito evidente a sua comunicação, o seu espírito crítico e a sua capacidade de resolver problemas. Domínio de técnicas Prática compreensiva de procedimentos diversificados e instrumentos auxiliares O aluno não utiliza suficientemente processos simples de conhecimento da realidade envolvente (observar, descrever, formular questões e problemas, avançar possíveis respostas, ensaiar, verificar), evidenciando dificuldades no domínio de técnicas, processos e de instrumentos. O aluno utiliza processos simples de conhecimento da realidade envolvente (observar, descrever, formular questões e problemas, avançar possíveis respostas, ensaiar, verificar), evidenciando algum domínio de técnicas, processos e de instrumentos. O aluno utiliza com facilidade processos simples de conhecimento da realidade envolvente (observar, descrever, formular questões e problemas, avançar possíveis respostas, ensaiar, verificar), evidenciando, com autonomia, o domínio de técnicas, processos e de instrumentos. O aluno utiliza com muita facilidade processos simples de conhecimento da realidade envolvente (observar, descrever, formular questões e problemas, avançar possíveis respostas, ensaiar, verificar), evidenciando, com autonomia, dinamismo e espírito de iniciativa 1, o domínio de técnicas, processos e de instrumentos. 9

10 Competências/ Parâmetros de Avaliação Compreensão Parâmetros da disciplina Compreensão de situações reais ou imaginadas CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Expressão Plástica Níveis de Desempenho Insuficiente Suficiente Bom Muito Bom O aluno não mobiliza O aluno mobiliza os O aluno mobiliza os O aluno mobiliza os suficientemente os na na na na execução dos trabalhos. execução dos trabalhos, execução dos trabalhos, execução dos trabalhos. com facilidade. com muita facilidade. Conhecimento Conhecimento de técnicas O aluno não aplica suficientemente os adquiridos. O aluno aplica os adquiridos. O aluno aplica, com facilidade, os adquiridos. O aluno aplica, com muita facilidade, os adquiridos. 10

11 Capacidade de expressão/criação O aluno não é capaz de criar e de se expressar suficientemente. O aluno é capaz de criar e de se expressar. O aluno é capaz de se expressar com criatividade. O aluno é capaz de se expressar com muita criatividade. Domínio de técnicas Capacidades Prática compreensiva de diferentes técnicas O aluno não domina suficientemente as diferentes técnicas. O aluno domina as diferentes técnicas. O aluno domina as diferentes técnicas, com facilidade. O aluno domina as diferentes técnicas, com muita facilidade. 11

12 Competências/ Parâmetros de Avaliação Compreensão Parâmetros da disciplina Compreensão de situações reais ou imaginadas CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Expressão Dramática Níveis de Desempenho Insuficiente Suficiente Bom Muito Bom O aluno não mobiliza O aluno mobiliza os O aluno mobiliza, com O aluno mobiliza, com suficientemente os de facilidade, os muita facilidade, os de forma adequada na de de forma adequada na realização das tarefas. forma adequada na forma adequada na realização das tarefas. realização das tarefas. realização das tarefas. Conhecimento Conhecimento de técnicas O aluno não aplica suficientemente os adquiridos nos Jogos Dramáticos e de Exploração. O aluno aplica os adquiridos nos Jogos Dramáticos e de Exploração. O aluno aplica, com facilidade, os adquiridos nos Jogos Dramáticos e de Exploração. O aluno aplica, com muita facilidade, os adquiridos nos Jogos Dramáticos e de Exploração. 12

13 Capacidades Capacidade de expressão/comunica ção/ Criatividade O aluno não comunica suficientemente de forma expressiva e criativa. O aluno comunica de forma expressiva e criativa O aluno comunica, com facilidade, de forma expressiva e criativa. O aluno comunica, com muita facilidade, de forma expressiva e criativa. Domínio de técnicas Prática Compreensiva de diferentes técnicas O aluno não executa suficientemente as actividades sugeridas ao nível da voz, corpo, espaço e objectos. O aluno executa as actividades sugeridas ao nível da voz, corpo, espaço e objectos. O aluno executa, com facilidade, as actividades sugeridas ao nível da voz, corpo, espaço e objectos. O aluno executa, com muita facilidade, as actividades sugeridas ao nível da voz, 13

14 Competências/ Parâmetros de Avaliação Compree nsão Conhecimento Parâmetros da disciplina Compreensão de situações reais ou imaginadas Conhecimento de técnicas CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Expressão Musical Níveis de Desempenho Insuficiente Suficiente Bom Muito Bom O aluno não mobiliza O aluno mobiliza os O aluno mobiliza, com O aluno mobiliza, com suficientemente os de facilidade, os muita facilidade, os de forma adequada na de de forma adequada na realização das forma adequada na forma adequada na realização das actividades. realização das realização das actividades. actividades. actividades. O aluno não aplica O aluno aplica os O aluno aplica, com O aluno aplica, com suficientemente os facilidade, os muita facilidade, os adquiridos na área da adquiridos na área da Expressão e Educação adquiridos na área da adquiridos na área da Expressão e Educação Musical. Expressão e Educação Expressão e Educação Musical. Musical. Musical. 14

15 Capacidades Capacidade de expressão/represent ação e criatividade O aluno não desenvolve suficientemente capacidades expressivas e criativas. O aluno desenvolve capacidades expressivas e criativas. O aluno desenvolve com facilidade capacidades expressivas e criativas. O aluno desenvolve com muita facilidade capacidades expressivas e criativas. Domínio de técnicas Prática compreensiva de diferentes técnicas O aluno não executa suficientemente as actividades sugeridas ao nível da voz, do corpo e de instrumentos. O aluno executa as actividades sugeridas ao nível da voz, do corpo e de instrumentos. O aluno executa, com facilidade, as actividades sugeridas ao nível da voz, do corpo e de instrumentos. O aluno executa, com muita facilidade, as actividades sugeridas ao nível da voz, do corpo e de instrumentos. 15

16 Competências/ Parâmetros de Avaliação Participação/ Cooperação Parâmetros da disciplina Participação em diferentes situações/cooperaçã o CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Formação Cívica Níveis de Desempenho Insuficiente Suficiente Bom Muito Bom O aluno é pouco O aluno revela interesse O aluno revela muito O aluno revela muito interessado e não gosta e participa, quando interesse e participa, interesse e participa, de participar nas solicitado, nas por iniciativa própria, activamente, nas actividades com os actividades com os nas actividades com os actividades com os colegas e/ou adultos. colegas e/ou adultos. colegas e/ou adultos. colegas e/ou adultos. Sociabilidade Relação com os outros O aluno revela dificuldades de relacionamento com os colegas e com os adultos. O aluno relaciona-se com os colegas e com os adultos. O aluno relaciona-se bem com os colegas e com os adultos. O aluno relaciona-se muito bem com os colegas e com os adultos. 16

17 Sentido de responsabilidade Responsabilidade, respeito/flexibilidade para consigo próprio e para com os outros O aluno revela pouco sentido de responsabilidade, flexibilidade e de respeito pelo seu trabalho e pelo dos outros. O aluno revela sentido de responsabilidade, flexibilidade e de respeito pelo seu trabalho e pelo dos outros. O aluno revela bom sentido de responsabilidade, flexibilidade e de respeito pelo seu trabalho e pelo dos outros. O aluno revela muito bom sentido de responsabilidade, flexibilidade e de respeito pelo seu trabalho e pelo dos outros. Autonomia Iniciativa consciente/crítica O aluno revela muito pouca capacidade de iniciativa e de espírito crítico O aluno revela capacidade de iniciativa e de espírito crítico O aluno revela boa capacidade de iniciativa e espírito crítico O aluno revela grande capacidade de iniciativa e espírito crítico 17

18 ATITUDES E VALORES Competências/ Parâmetros de Avaliação Participação/ Cooperação Níveis de Desempenho Insuficiente Suficiente Bom Muito Bom O aluno revela pouco O aluno revela interesse O aluno revela interesse O aluno revela muito interesse pelas pelas actividades da pelas actividades da interesse pelas actividades da turma, turma, intervindo e turma, intervindo de actividades da turma, intervém de forma respeitando as opiniões forma adequada, intervindo de forma desadequada ao seu dos outros. respeitando as opiniões bastante adequada, nível e raramente dos outros. respeitando as opiniões respeita as opiniões dos dos outros. outros. Sociabilidade O aluno revela dificuldades em estabelecer relações interpessoais. O aluno estabelece relações interpessoais e colabora com os outros. O aluno estabelece com facilidade relações interpessoais e colabora com facilidade. O aluno tem muita facilidade em estabelecer relações interpessoais e em colaborar. 18

19 Sentido de responsabilidade O aluno raramente traz o material necessário, não se responsabiliza pela sua manutenção e raramente tem hábitos de trabalho; O aluno traz regularmente o material necessário, responsabiliza-se pela sua manutenção e tem alguns hábitos de trabalho; O aluno traz frequentemente o material necessário, responsabiliza-se pela sua manutenção e tem hábitos de trabalho; O aluno traz sempre o material necessário, responsabiliza-se pela sua manutenção e desenvolve muitos hábitos de trabalho; Autonomia O aluno não é autónomo na realização das tarefas, não sendo capaz de tomar decisões. O aluno possui alguma autonomia na realização das tarefas, sendo capaz de tomar algumas decisões. O aluno possui autonomia na realização das tarefas, sendo capaz de tomar decisões. O aluno possui bastante autonomia sendo capaz de tomar decisões importantes O parâmetro Atitudes e Valores é considerado em todas as áreas curriculares disciplinares de acordo com a percentagem atribuída a cada ano de escolaridade. 19

20 Áreas Curriculares Disciplinares Disciplinas Parâmetros da disciplina 1º ano 2º ano 3ºano 4ºano Compreensão 25% 20% 25% 25% Conhecimento 20% 20% 15% 15% Língua Portuguesa Capacidades 20% 20% 20% 20% Domínio de técnicas 15% 20% 20% 20% Atitudes e valores 20% 20% 20% 20% Compreensão 25% 20% 25% 25% Conhecimento 20% 20% 15% 15% Matemática Capacidades 20% 20% 20% 20% Domínio de técnicas 15% 20% 20% 20% Atitudes e valores 20% 20% 20% 20% Compreensão 20% 20% 25% 25% Conhecimento 20% 20% 15% 15% Estudo do Meio Capacidades 20% 20% 20% 20% Domínio de técnicas 15% 15% 20% 20% Atitudes e valores 25% 25% 20% 20% Compreensão 10% 10% 10% 10% Conhecimento 10% 10% 10% 10% Expressão e Educação Capacidades 25% 25% 20% 20% Musical Domínio de técnicas 25% 25% 30% 30% Atitudes e valores 30% 30% 30% 30% Expressão e Educação Dramática Expressão e Educação Plástica Compreensão 10% 10% 10% 10% Conhecimento 10% 10% 10% 10% Capacidades 25% 25% 20% 20% Domínio de técnicas 25% 25% 30% 30% Atitudes e valores 30% 30% 30% 30% Compreensão 10% 10% 10% 10% Conhecimento 10% 10% 10% 10% Capacidades 25% 25% 20% 20% Domínio de técnicas 25% 25% 30% 30% Atitudes e valores 30% 30% 30% 30% Áreas Curriculares não Disciplinares Área Parâmetros 1º ano 2º ano 3º ano 4º ano Participação / 30% 30% 20% 20% Cooperação Formação Cívica Sociabilidade 30% 30% 20% 20% Sentido de responsabilidade 20% 20% 30% 30% Autonomia 20% 20% 30% 30% IV. Instrumentos de avaliação Fichas de avaliação diagnóstico Fichas de avaliação formativa Fichas de avaliação sumativa Trabalhos realizados pelos alunos 20

21 V. Perfis de competência: Apresenta falhas sistemáticas na apropriação e/ou desenvolvimento das competências. No desenvolvimento das competências essenciais, destaca-se: - a ausência de progressos significativos em relação ao ponto de partida; - ausência de autonomia; - inadequação do pensamento à resolução de problemas. Evidencia apropriação e desenvolvimento progressivo das competências. No desenvolvimento das competências essenciais, destaca-se: - progressos significativos entre o ponto de partida e o de chegada; - atitude de adesão perante as experiências educativas que lhe são proporcionadas; - progressivo exercício de autonomia. Apresenta facilidade na apropriação e desenvolvimento das competências. No desenvolvimento das competências essenciais, destaca-se: - atitude autónoma perante as experiências educativas que lhe são proporcionadas; - progressiva capacidade de se autocorrigir. Apresenta muita facilidade na apropriação e desenvolvimento das competências. No desenvolvimento das competências essenciais, destaca-se: - capacidade de se autocorrigir; - dinamismo; - espírito de iniciativa. Nível Insuficiente Suficiente Bom Muito Bom VI. Escala de classificação: Classificação Pontuação Insuficiente (I) 0-49 Suficiente (S) Bom (B) Muito Bom (MB)

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo

Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo Critérios Específicos de Avaliação - 1º ciclo A avaliação, como parte integrante do processo de ensino/ aprendizagem, deverá ter em conta: Os programas e as metas curriculares em vigor para o 1º ciclo;

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL Departamento 1º Ciclo

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL Departamento 1º Ciclo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL Departamento 1º Ciclo ELEMENTOS DE AVALIAÇÃO Serão tidos em consideração os elementos de avaliação a seguir enumerados, essenciais para o desenvolvimento do

Leia mais

Escola EB1/PE da Nazaré

Escola EB1/PE da Nazaré Escola EB1/PE da Nazaré Projeto Clube da Matemática Atividade de Enriquecimento Curricular Docentes: Adelaide Dória Carla Sofia Oliveira Ano lectivo 2011/2012 A escola pode e deve proporcionar aos alunos

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães Departamento Curricular do 1º Ciclo Ano Letivo 2015/2016 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Avaliação das Atitudes/Comportamentos

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Domínio Cognitivo (Nível dos Conhecimentos) Compreensão oral e escrita; Conhecimento de formas e regras de funcionamento da língua materna; Conhecimento e compreensão de conceitos

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Psicologia B 12º ano Ano lectivo 2011/2012 Critérios de avaliação Competências: Equacionar a Psicologia no panorama geral das ciências; Capacidades de

Leia mais

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013 Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático Língua Portuguesa 2012/2013 ATITUDES Formação para a cidadania. Apresentação dos materiais necessários, cumprimento de tarefas propostas, assiduidade,

Leia mais

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico 1º Ciclo Ao longo do 1º ciclo do Ensino Básico, todos os alunos devem desenvolver as competências gerais do Ensino Básico. Competências Gerais do Ensino Básico 1. Mobilizar saberes culturais, científicos

Leia mais

I Competências / Domínios a avaliar

I Competências / Domínios a avaliar O trabalho desenvolvido na disciplina de Português 2º ciclo visa propiciar, estimular e desenvolver, ao longo dos dois as do ciclo, metas linguísticas s domínios do oral e do escrito, competências de leitura

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO Sede - Escola Secundária do Restelo

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO Sede - Escola Secundária do Restelo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO Sede - Escola Secundária do Restelo CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2014/2015 1º CICLO 1. Critérios Gerais Evolução da aquisição das aprendizagens; Utilização correta da língua

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ANADIA Critérios Gerais de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico 2011/2012. Critérios Gerais de Avaliação 1º CEB

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ANADIA Critérios Gerais de Avaliação 1º Ciclo do Ensino Básico 2011/2012. Critérios Gerais de Avaliação 1º CEB Critérios Gerais de Avaliação 1º CEB 0 Introdução No Ensino Básico A avaliação constitui um processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso escolar e certificador das diversas aquisições realizadas

Leia mais

Critérios de Avaliação do Ensino Básico - 2º Ciclo. Língua Portuguesa

Critérios de Avaliação do Ensino Básico - 2º Ciclo. Língua Portuguesa Critérios de Avaliação do Ensino Básico - º Ciclo Língua Portuguesa DOMÍNIOS COMPETÊNCIAS PONDERAÇÃO NA CLASSIFICAÇÃO TIPOLOGIA DOS INSTRUMENTOS DE FINAL AVALIAÇÃO POR PERÍODO Teste(s) de compreensão oral

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS CAPACIDADES INDICADORES INSTRUMENTOS Domínio Cognitivo (Saber) Componentes do Currículo Conceitos Identifica/Reconhece/Adquire conceitos; Domina

Leia mais

Escola B 1,2,3/JI de Angra do Heroísmo. Critérios de Avaliação em Língua Estrangeira. (3º ciclo)

Escola B 1,2,3/JI de Angra do Heroísmo. Critérios de Avaliação em Língua Estrangeira. (3º ciclo) Escola B 1,2,3/JI de Angra do Heroísmo Critérios de Avaliação em Língua Estrangeira (3º ciclo) Departamento de Língua Estrangeira Ano Lectivo 2009/2010 1. Considerações Gerais 1. Pretende-se que a avaliação

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação 1º, 2º e 3º ciclos

Critérios Gerais de Avaliação 1º, 2º e 3º ciclos Critérios Gerais de Avaliação 1º, 2º e 3º ciclos Ano letivo 2013-2014 INTRODUÇÃO - Avaliação (Decreto-Lei nº139/2012, de 5 de julho) - A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador

Leia mais

Critérios específicos de avaliação

Critérios específicos de avaliação Critérios específicos de 1. Aspetos a considerar na específica A sumativa expressa-se de forma descritiva em todas as áreas curriculares, com exceção das disciplinas de Português e Matemática no 4º ano

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO Direção de Serviços da Região Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES ANO LETIVO 2014 / 2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO CRITÉRIOS GERAIS Na avaliação dos alunos intervêm todos os professores envolvidos,

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO O trabalho desenvolvido na disciplina de,, visa propiciar, estimular e desenvolver, ao longo dos três as do Ciclo, competências linguística-comunicativas s domínios do oral e do escrito, competências de

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO DIREÇÃO-GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES DIREÇÃO DE SERVIÇOS REGIÃO ALENTEJO Agrupamento de Escolas de Vila Nova de Milfontes, Odemira CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO 1º CICLO 2016/2017 1 CRITÉRIOS E INSTRUMENTOS

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO (APROVADOS EM CP 2014/2015)1 1.º Introdução A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1. CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1. CICLO Domínios Disciplinas Domínios de referência Parâmetros Ponderação% 1º 2º 3º 4º ano Instrumentos de Avaliação Oralidade Leitura Português Escrita Educação literária Conhecimento Explicito/gramática Resolução

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO A letivo: 2016/2017 O trabalho desenvolvido na disciplina de Francês, 3º Ciclo, visa propiciar, estimular e desenvolver, ao longo dos três as do Ciclo, competências de comunicação s domínios da oralidade

Leia mais

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO

PORTUGUÊS CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS. ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ANDRÉ DE GOUVEIA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS PORTUGUÊS ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO SECUNDÁRIO outubro

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO A lectivo:2016/2017 O trabalho desenvolvido na disciplina de Inglês,, visa propiciar, estimular e desenvolver, ao longo dos cinco as dos dois Ciclos, competências de comunicação s domínios da oralidade

Leia mais

ESCOLAS E.B.1 C/ J.I. DA COCA MARAVILHAS E DE VENDAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º CICLO ( )

ESCOLAS E.B.1 C/ J.I. DA COCA MARAVILHAS E DE VENDAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º CICLO ( ) Critérios de Avaliação 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 ESCOLAS E.B.1 C/ J.I. DA COCA MARAVILHAS E DE VENDAS A avaliação incide sobre os conhecimentos e capacidades definidas no currículo nacional e nas

Leia mais

APOIO AO ESTUDO 1º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/ INTRODUÇÃO

APOIO AO ESTUDO 1º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/ INTRODUÇÃO APOIO AO ESTUDO DEPARTAMENTO CURRICULAR DO 1.º CICLO LINHAS ORIENTADORAS 2015/20164 1º CICLO 1. INTRODUÇÃO O despacho normativo nº7/2013 tem como objetivo conceder maior flexibilidade na constituição das

Leia mais

COLÉGIO DE ALBERGARIA REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS

COLÉGIO DE ALBERGARIA REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS REGULAMENTO INTERNO MODELO DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS 1. INTRODUÇÃO De acordo com o Projecto Educativo do Colégio de Albergaria e a legislação em vigor sobre a avaliação das aprendizagens dos alunos nos vários

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação por Área Disciplinar e Anos de Escolaridade. Critérios de Avaliação 1º ano Língua Portuguesa

Critérios Gerais de Avaliação por Área Disciplinar e Anos de Escolaridade. Critérios de Avaliação 1º ano Língua Portuguesa Critérios Gerais de Avaliação por Área Disciplinar e Anos de Escolaridade Critérios de Avaliação 1º ano Língua Portuguesa nterpreta Não identifica imagens, mensagens, bandas desenhadas, pequenas frases,

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MEM MARTINS Sede: ES de Mem Martins EB23 Maria Alberta Menéres; EB1 de Mem Martins n.º 2; EB1 com JI da Serra das Minas n.º 1 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2015-2016

Leia mais

Critérios de Avaliação de Francês 2016 / ºano

Critérios de Avaliação de Francês 2016 / ºano Critérios de Avaliação de Francês 2016 / 2017 7ºano A avaliação certifica as aprendizagens e tem como objetivo a melhoria dessas aprendizagens. Os conteúdos programáticos serão trabalhados, desenvolvendo

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento 1º Ciclo Grupos: 110 2016/2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PINHEL CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DEPARTAMENTO CURRICULAR DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO UTILIZADOR Critérios

Leia mais

Competências gerais. Princípios e valores orientadores do currículo. Competências gerais

Competências gerais. Princípios e valores orientadores do currículo. Competências gerais Currículo Nacional do Ensino Básico Competências Essenciais Competências gerais Princípios e valores orientadores do currículo A clarificação das competências a alcançar no final da educação básica toma

Leia mais

2º Ciclo do Ensino Básico Critérios de avaliação 6º Ano

2º Ciclo do Ensino Básico Critérios de avaliação 6º Ano CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO A avaliação do aluno nas diferentes disciplinas e áreas curriculares disciplinares realiza-se em três domínios: afetivo, cognitivo, e psicomotor. Ou, usando uma terminologia

Leia mais

Critérios gerais de avaliação

Critérios gerais de avaliação Critérios gerais de avaliação ÍNDICE Introdução 3 A A avaliação na educação pré-escolar 3 1 Intervenientes 3 2 Modalidades da avaliação 3 3 Critérios de avaliação 3 4 Ponderação 4 B A avaliação no ensino

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Direcção Regional de Educação do Centro CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Domínios Capacidade/Conhecimentos (70%) Critérios Aquisição, compreensão e aplicação Expressão Progressão na aprendizagem Atitudes

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2012/13

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2012/13 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2012/13 Quadro de síntese 2º Ciclo Domínios da Avaliação 0 Saber / 0 Saber Fazer 70% "0 Ser / Saber Ser" 25% Língua Portuguesa Inglês "0 Ser / 5% /Saber Ser" " O Saber /

Leia mais

Disciplina de Matemática. Critérios de Avaliação do Ensino Secundário

Disciplina de Matemática. Critérios de Avaliação do Ensino Secundário AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE BEJA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I ANO LECTIVO DE 2015-2016 DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Disciplina de Matemática Critérios de Avaliação

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento Ciências Sociais e Humanas Grupos: 200; 400; 410; 420; 430; 530 ESCOLA BÁSICA DO 2º CICLO DE PINHEL Critérios de Avaliação de Português- 2º Ciclo O R A L I D A D E Componente

Leia mais

Cursos Profissionais Disciplina: PORTUGUÊS Anos: 10º; 11º e 12º

Cursos Profissionais Disciplina: PORTUGUÊS Anos: 10º; 11º e 12º PARÂMETROS GERAIS DE AVALIAÇÃO Integração escolar e profissionalizante Intervenções e Atividades na sala de aula: PESOS PARÂMETROS ESPECÍFICOS INSTRUMENTOS Peso 2 Peso 5 Comportamento-assiduidade-pontualidadecumprimento

Leia mais

Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017

Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Perfil do Aluno Final do 1.º Ciclo Ano letivo 2016/2017 Perfil de aprendizagens específicas do aluno à saída 1.º Ciclo do Ensino Básico Tendo em atenção as características estruturais e humanas das Escolas

Leia mais

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*)

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Componentes do currículo Áreas disciplinares de frequência obrigatória: Português Matemática Estudo do Meio Expressões: Artísticas e Físico-Motoras. Apoio

Leia mais

AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO INTERNA TERCEIRO CICLO DO ENSINO BÁSICO 7.º ANO. Ano letivo 2013/2014

AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO INTERNA TERCEIRO CICLO DO ENSINO BÁSICO 7.º ANO. Ano letivo 2013/2014 AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO TERCEIRO CICLO DO ENSINO BÁSICO 7.º ANO Ano letivo 2013/2014 AVALIAÇÃO INTERNA A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa que permite a recolha

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMPAIO 1.º CICLO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMPAIO 1.º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO I- Introdução Os critérios de avaliação são definidos de acordo com o currículo, os programas das disciplinas e as metas curriculares, sendo operacionalizados pelos professores da

Leia mais

P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O

P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS GRUPO 10º B FILOSOFIA P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O D I S POSITIVO DE AV AL I AÇ Ã O (Versão de 2010-2011) Psicologia B Avaliação / Pág. 1 de 8 1. MATRIZES

Leia mais

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância Colégio Valsassina Modelo pedagógico do jardim de infância Educação emocional Aprendizagem pela experimentação Educação para a ciência Fatores múltiplos da inteligência Plano anual de expressão plástica

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA ERICEIRA. 1º Ciclo CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Disciplina: Português

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA ERICEIRA. 1º Ciclo CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Disciplina: Português Disciplina: Português Lê com fluência, correção e expressividade Lê para apreciar textos literários Compreende mensagens orais Oralidade (O) Leitura e Escrita (LE) Educação Literária (EL) Gramática (G)

Leia mais

Critérios de Avaliação Jardim de Infância

Critérios de Avaliação Jardim de Infância CASA DE INFÂNCIA DE SANTO ANTÓNIO Departamento Curricular de Creche e Jardim de Infância Critérios de Avaliação Jardim de Infância Horta 2016/2017 2 Critérios de Avaliação Jardim de Infância A avaliação

Leia mais

CIDADANIA E MUNDO ATUAL

CIDADANIA E MUNDO ATUAL CIDADANIA E MUNDO ATUAL COMPETÊNCIAS (1) TRANSVERSAIS Promoção da educação para a cidadania A língua materna enquanto dimensão transversal Utilização das novas tecnologias de informação Competências Transversais

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Página 1 de 19 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO I PRINCÍPIOS GERAIS Assume-se, o presente documento, como complemento estratégico e concreto da seguinte legislação em vigor: Lei 51/2012 de 5 de setembro

Leia mais

Ciências Naturais 5º ano

Ciências Naturais 5º ano Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Escola E.B.,3 Dr. António Chora Barroso Ciências Naturais 5º ano Planificação a Longo Prazo 013/014 Planificação, finalidades e avaliação Grupo Disciplinar

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º CICLO ANO LETIVO 2014 /15. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2014/15

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º CICLO ANO LETIVO 2014 /15. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2014/15 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2014/15 Quadro de síntese 2º Ciclo Domínios da Avaliação Ponderação 0 Saber / 0 Saber Fazer 70% Português Inglês "0 Ser / Saber Ser" 25% "0 Ser / 5% /Saber Ser" " O Saber

Leia mais

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE ESCOLA SECUNDÁRIA DO RESTELO 402679 PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE 2010-2011 Desp.n.º 16034-2010, ME (20 Out.) VERTENTE PROFISSIONAL, SOCIAL E ÉTICA Compromisso com a construção e o uso do conhecimento

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSOS PROFISSIONAIS

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSOS PROFISSIONAIS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO 170586 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSOS PROFISSIONAIS 2016-2019 Índice 1. CURSOS PROFISSIONAIS MATRIZES CURRICULARES... 5 1.1. Matriz Curricular dos Cursos Profissionais

Leia mais

EBI/JI FIALHO DE ALMEIDA, CUBA

EBI/JI FIALHO DE ALMEIDA, CUBA EBI/JI FIALHO DE ALMEIDA, CUBA DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXACTAS E DA NATUREZA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ANO LECTIVO 2007/2008 INTRODUÇÃO A avaliação é um processo contínuo que implica uma recolha sistemática

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Loureiro

Agrupamento de Escolas de Loureiro GOVERNO DE PORTUGAL EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2016-2017 Agrupamento de Escolas de Loureiro GOVERNO DE PORTUGAL EDUCAÇÃO 2 o CICLO DO ENSINO BÁSICO EDUCAÇÃO VISUAL (5 o

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2016/2017 2º / 3ºCICLO E ENSINO SECUNDÁRIO

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2016/2017 2º / 3ºCICLO E ENSINO SECUNDÁRIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2016/2017 2º / 3ºCICLO E ENSINO SECUNDÁRIO 1. A avaliação incide sobre as aprendizagens e as competências/capacidades desenvolvidas pelos

Leia mais

Ciências Naturais 6º ano

Ciências Naturais 6º ano Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Escola E.B. 2,3 Dr. António Chora Barroso Ciências Naturais 6º ano Planificação a Longo Prazo 2013/2014 Planificação, finalidades e avaliação Grupo Disciplinar

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 Sendo a avaliação um «processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar

Leia mais

Critérios Específicos de avaliação

Critérios Específicos de avaliação Capacidade de compreensão Critérios specíficos de avaliação Ano Letivo 2013/2014 Disciplina Português Ano 2.º Classificação Não identifica as personagens, a ação, o espaço e o tempo ou fá-lo com dificuldade.

Leia mais

3º Ciclo do Ensino Básico Critérios de avaliação 7º Ano

3º Ciclo do Ensino Básico Critérios de avaliação 7º Ano CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO A avaliação do aluno nas diferentes disciplinas e áreas curriculares disciplinares realiza-se em três domínios: afetivo, cognitivo, e psicomotor. Ou, usando uma terminologia

Leia mais

O actual despacho regulador da avaliação das aprendizagens dos alunos do ensino básico

O actual despacho regulador da avaliação das aprendizagens dos alunos do ensino básico Direcção Regional de Educação do Norte Centro de Área Educativa de Braga PR Agrupamento Vertical de Escolas do Pico de Regalados - 151087 EBI Monsenhor Elísio Araújo 346482 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2007/2008

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação para o Ensino Secundário

Critérios Gerais de Avaliação para o Ensino Secundário Escola Secundária de Felgueiras 2014/2015 Critérios Gerais de Avaliação para o Ensino Secundário (Decreto-Lei 139/2012, de 5 de julho, e Portaria 243/2012, de 10 de agosto) O processo de avaliação de alunos

Leia mais

Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo

Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo Área: Língua Portuguesa Programa de Recuperação de Escolaridade 2º/3º ANO Blocos/Conteúdos Objectivos Avaliação Comunicação Oral - Comunica oralmente, com progressiva

Leia mais

Aprova os perfis específicos de desempenho profissional do educador de infância e do professor do 1.º ciclo do ensino básico

Aprova os perfis específicos de desempenho profissional do educador de infância e do professor do 1.º ciclo do ensino básico Legislação Decreto-Lei n.º 241/2001, de 30 de Agosto Aprova os perfis específicos de desempenho profissional do educador de infância e do professor do 1.º ciclo do ensino básico Pelo Decreto-Lei n.º 240/2001,

Leia mais

Critérios de Avaliação de Matemática

Critérios de Avaliação de Matemática COLÉGIO DA RAINHA SANTA ISABEL MATEMÁTICA Critérios de Avaliação de Matemática º e 3º Ciclo do Ensino Básico 01/013 A avaliação consiste no processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso

Leia mais

1. Princípios orientadores e funções da avaliação Objetivos da avaliação Processos de avaliação Avaliação Diagnóstica 3

1. Princípios orientadores e funções da avaliação Objetivos da avaliação Processos de avaliação Avaliação Diagnóstica 3 Índice 1. Princípios orientadores e funções da avaliação 2 2. Objetivos da avaliação 2 3. Processos de avaliação 3 3.1. Diagnóstica 3 3.2. Formativa 3 3.3. Instrumentos de avaliação 4 3.3. Períodos de

Leia mais

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo Ano letivo 2016/17 Os critérios de avaliação constituem referenciais comuns, no Agrupamento, sendo operacionalizados pelos professores da turma 1. Áreas

Leia mais

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3ºciclo Geografia 7ºano

CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3ºciclo Geografia 7ºano CURRÍCULO DAS ÁREAS DISCIPLINARES / CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3ºciclo Geografia 7ºano Metas de Aprendizagem Conteúdos Programáticos Critérios de Avaliação Instrumentos de Avaliação Domínio I A TERRA : Estudos

Leia mais

Secretaria Regional da Educação e Cultura Direção Regional da Educação ESCOLA BÁSICA SECUNDÁRIA MOUZINHO DA SILVEIRA

Secretaria Regional da Educação e Cultura Direção Regional da Educação ESCOLA BÁSICA SECUNDÁRIA MOUZINHO DA SILVEIRA Secretaria Regional da Educação e Cultura Direção Regional da Educação ESCOLA BÁSICA SECUNDÁRIA MOUZINHO DA SILVEIRA Departamento de Expressões e 1.º Ciclo CRITÉRIOS AVALIAÇÃO Critérios de Avaliação Documento

Leia mais

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO ATITUDES E VALORES (5%) CONHECIMENTOS E CAPACIDADES (95%) Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN 2016/2017 Português Leitura/ Educação Literária Componente escrita: Compreensão de textos escritos

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA APLICAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS ANO LETIVO 2015/2016

ORIENTAÇÕES PARA APLICAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS ANO LETIVO 2015/2016 ORIENTAÇÕES PARA APLICAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS ANO LETIVO 2015/2016 Avaliação das aprendizagens dos alunos A 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO E CURSOS CIENTÍFICOHUMANÍSTICOS DO ENSINO SECUNDÁRIO

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLA DE ARCOZELO CRITÉRIOS/INDICADORES DE AVALIAÇÃO 1º CICLO. Ano Letivo 2015/2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLA DE ARCOZELO CRITÉRIOS/INDICADORES DE AVALIAÇÃO 1º CICLO. Ano Letivo 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLA DE ARCOZELO 152640 CRITÉRIOS/INDICADORES DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Ano Letivo 2015/2016 Agrupamento de Arcozelo Telef: 258 909 060 - Fax: 258 909 062 www.aearcozelo.pt Vilar Arcozelo

Leia mais

01 - Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações e problemas do quotidiano;

01 - Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações e problemas do quotidiano; COLÉGIO TERESIANO DE BRAGA PLANIFICAÇÃO ANUAL - EDUCAÇÃO VISUAL E TECNOLÓGICA COMPETÊNCIAS GERAIS 01 - Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar

Leia mais

A avaliação visa certificar as diversas aprendizagens e competências adquiridas pelo aluno, no final de cada ciclo ( ).

A avaliação visa certificar as diversas aprendizagens e competências adquiridas pelo aluno, no final de cada ciclo ( ). Externato da Luz Ano Lectivo 2009 / 2010 Critérios de Avaliação Departamento de Ciências Humanas e Sociais Agrupamento História (3º Ciclo) Professor: Pedro Machado A avaliação é um elemento integrante

Leia mais

Agrupamento de Escolas Eng. Fernando Pinto de Oliveira. Critérios de Avaliação

Agrupamento de Escolas Eng. Fernando Pinto de Oliveira. Critérios de Avaliação Critérios de Avaliação ANO LETIVO 2015-2016 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO...3 2.1. CRITÉRIOS GERAIS...3 2.1.1. Educação Pré-Escolar...3 2.1.2. Ensino Básico...3 2.2.Critérios específicos...3

Leia mais

EB1/PE DE ÁGUA DE PENA

EB1/PE DE ÁGUA DE PENA EB1/PE DE ÁGUA DE PENA 2010 2014 1.Introdução 2.Enquadramento legal 3.Diagnóstico avaliação do projecto anterior 4.Identificação de prioridades de intervenção 5.Disposições finais 6.Avaliação 1.Introdução

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ENSINOS BÁSICO E SECUNDÁRIO (Despacho Normativo Nº 13/2014 de 15 de setembro) A avaliação dos alunos do ensino básico e secundário incide sobre as aprendizagens e competências definidas

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO 2016-2017 A avaliação na disciplina de Educação Física tem um carácter diagnóstico e formativo, pelo que a atribuição dos níveis de aprendizagem atingidos

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLINAR: 1.º Matemática PROGRAMA-A ANO: 10º ANO LECTIVO : 2008 /2009 p.

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLINAR: 1.º Matemática PROGRAMA-A ANO: 10º ANO LECTIVO : 2008 /2009 p. ANO: 10º ANO LECTIVO : 2008 /2009 p.1/9 CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER Nº. AULAS ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO Módulo Inicial Geometria e Números Reais. - Função afim, Equações e inequações do 1º.

Leia mais

Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo

Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo A função de avaliação corresponde à análise cuidada das aprendizagens conseguidas relativamente às planeadas, devendo traduzir-se numa descrição

Leia mais

Planificação anual de Português 12º ano

Planificação anual de Português 12º ano Planificação anual de Português 12º ano 1 OBJETIVOS Desenvolver os processos linguísticos, cognitivos e metacognitivos necessários à operacionalização de cada uma das competências de compreensão e produção

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA O

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA O CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA O ENSINO PRÉ-ESCOLAR 1/11 De acordo com a Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007, de 17 de Outubro da DGIDC (Gestão do Currículo na Educação Pré-escolar) a avaliação é um elemento

Leia mais

ANO LETIVO 2016/2017 PROFISSIONAIS

ANO LETIVO 2016/2017 PROFISSIONAIS ANO LETIVO 2016/2017 PROFISSIONAIS Departamento: Línguas Românicas Grupo Disciplinar: 350 Disciplina: ESPANHOL Módulo: 1 a 6 Ano: 1º, 2º, 3º Curso: Ensino Profissional- componente sociocultural Objeto

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CUBA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CUBA DISCIPLINA : LÍNGUA PORTUGUESA : 6ºano ANO LECTIVO: 2007/2008 PLANIFICAÇÃO ANUAL COMPETÊNCIAS GERAIS Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar

Leia mais

Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus. Departamento de 1º ciclo CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus. Departamento de 1º ciclo CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Agrupamento de Escolas Dr. Correia Mateus Departamento de 1º ciclo CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ano letivo 2013/2014 A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa, permitindo uma recolha

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Agrupamento de Escolas Dr. José Leite de Vasconcelos Av. Dr. Francisco Sá Carneiro - 3610 134 Tarouca CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO 1º ANO Ano letivo 2016/2017 AEDJLV - Tarouca (Código

Leia mais

Programa de Matemática 1.º ano

Programa de Matemática 1.º ano Programa de Matemática 1.º ano Introdução A Matemática é uma das ciências mais antigas e é igualmente das mais antigas disciplinas escolares, tendo sempre ocupado, ao longo dos tempos, um lugar de relevo

Leia mais

Desempenho mínimo esperado (S 1º, 2º e 3º anos)

Desempenho mínimo esperado (S 1º, 2º e 3º anos) Critérios Específicos por ano e por disciplina curricular 1.º Ciclo Critérios de Avaliação 1.º, 2.º, 3.º e 4.º Anos de escolaridade Elementos a avaliar Insuficiente (4º ano) Desempenho mínimo esperado

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação Cursos Profissionais Escola Profissional de Salvaterra de Magos CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

Critérios Gerais de Avaliação Cursos Profissionais Escola Profissional de Salvaterra de Magos CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2 Ano Letivo 2016/2017 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Cursos Profissionais Nota Introdutória A avaliação constitui uma fonte de informação fundamental para o professor, para

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR ANO LETIVO DE 2014/2015 Expressões 1- Educação Pré-escolar 1.1 - Objecto da avaliação 1.1.1 - Parâmetros de avaliação, por áreas curriculares Na educação pré-escolar

Leia mais

Critérios de Avaliação 1º Ciclo

Critérios de Avaliação 1º Ciclo Departamento Curricular do 1º Ciclo Critérios 1º Ciclo Setembro de 2015 1º Ano de escolaridade Todas as componentes do currículo serão avaliadas com 80% para a aquisição de conhecimentos e desenvolvimento

Leia mais

ESCOLA EB 2,3 DR. ANTÓNIO CHORA BARROSO ANO LETIVO 2013/2014. Planificação a Longo Prazo. Matemática 9º ano

ESCOLA EB 2,3 DR. ANTÓNIO CHORA BARROSO ANO LETIVO 2013/2014. Planificação a Longo Prazo. Matemática 9º ano ESCOLA EB 2,3 DR. ANTÓNIO CHORA BARROSO ANO LETIVO 203/204 Planificação a Longo Prazo Matemática 9º ano Finalidades, avaliação e organização temporal Grupo Disciplinar 500 Departamento de Matemática e

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS PORTUGUÊS 1.º CICLO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS PORTUGUÊS 1.º CICLO Leitura e escrita Aprendizagem cognitiva (80%) Oralidade CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS PORTUGUÊS 1.º CICLO ANO LETIVO 2016 / 2017 Domínio Insuficiente Suficiente Bom Muito

Leia mais

Critérios de Avaliação na educação pré-escolar

Critérios de Avaliação na educação pré-escolar Critérios de Avaliação na educação pré-escolar 1 - Modalidades de avaliação e suas funções O ato de avaliar contempla duas vertentes fundamentais: A avaliação da ação educativa - avaliação da qualidade

Leia mais

Projecto Curricular de Escola Ano Lectivo 2009/2010 ANEXO VI

Projecto Curricular de Escola Ano Lectivo 2009/2010 ANEXO VI Projecto Curricular de Escola Ano Lectivo 2009/2010 ANEXO VI Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Dr. Horácio Bento de Gouveia Ano Lectivo 20 /20 PLANO DE RECUPERAÇÃO Despacho Normativo nº50/2005 Aluno: Nº

Leia mais

Critérios de avaliação Geometria Descritiva A 10º/11º

Critérios de avaliação Geometria Descritiva A 10º/11º 1. Finalidades da Disciplina Segundo o programa da disciplina de Geometria Descritiva: http://sitio.dgidc.minedu.pt/recursos/lists/repositrio%20recursos2/attachments/235/geometria_desc_a_10_11.pd f Desenvolver

Leia mais

DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CURSOS PROFISSIONAIS - 11º ANO TAGD COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS

DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CURSOS PROFISSIONAIS - 11º ANO TAGD COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CURSOS PROFISSIONAIS - 11º ANO TAGD COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS Promoção da educação para a cidadania Promover: a iniciativa e a responsabilidade pessoal,

Leia mais

Educação Pré-Escolar

Educação Pré-Escolar Educação Pré-Escolar Sendo a primeira etapa na educação básica, as competências gerais para a Educação Pré Escolar constituem um conjunto de princípios para apoiar o Educador de Infância na sua prática,

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa Regulamento da Avaliação Operacionalização da Avaliação no Processo de Ensino Aprendizagem

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa Regulamento da Avaliação Operacionalização da Avaliação no Processo de Ensino Aprendizagem Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa Regulamento da Avaliação Operacionalização da Avaliação no Processo de Ensino Aprendizagem Conforme o ponto 1 do artigo 128º do Regulamento Interno

Leia mais

Programa Despiste e orientação Vocacional UNECA - TVA

Programa Despiste e orientação Vocacional UNECA - TVA Governo dos Açores NÚCLEO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Programa Despiste e orientação Vocacional UNECA - TVA I Caracterização da UNECA-TVA II Identificação e caracterização dos Alunos III Matriz Curricular para

Leia mais