Introdução e Generalidades. Júlio Osório

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introdução e Generalidades. Júlio Osório"

Transcrição

1 e Generalidades Júlio Osório 1 1. Definir Estatística. Objectivos 2. Descrever as utilizações da Estatística. 3. Caracterizar Estatística Descritiva e Estatística Inferencial. 4. Definir população, amostra, variável, parâmetro e estatístico. 5. Comparar as fontes de dados. 6. Explicar os tipos de dados. 2 1

2 O que é a Estatística? 1. Ramo das Matemáticas Aplicadas: é a Matemática aplicada aos dados da observação e da experimentação. 2. Ciência dos dados: corpo de métodos usados para recolher e interpretar dados de uma investigação científica, e para tirar conclusões em situações em que a incerteza e a variação estão presentes. 3 O que a Estatística não é: 1. Mera compilação de dados sobre um fenómeno ou situação ( estatísticas do fenómeno). 2. Técnica especialmente imaginada para justificar opiniões pré-concebidas pelo cientista. 3. Panaceia para remediar experiências mal concebidas ou mal conduzidas. 4. Substituto do raciocínio teórico específico de cada domínio científico de investigação. 4 2

3 A Estatística envolve: A recolha dos dados. A classificação dos dados. A condensação e apresentação dos dados. A redução dos dados. A análise dos dados. A interpretação dos dados. A redacção de conclusões sobre o estudo. 5 Níveis de Estudo da Estatística Estatística Estatística Matemática Estatística Aplicada 9 3

4 Níveis de Estudo da Estatística Teoria Estatística: ramo das Matemáticas; Estatística Matemática. Estatística Aplicada: aplicação dos procedimentos criados pela Estatística Matemática à análise dos dados obtidos em situações concretas da investigação científica. Este é um curso de Estatística Aplicada! 10 Campos da Área Estatística Métodos Estatísticos Estatística Descritiva Estatística Inferencial 14 4

5 Estatística Descritiva 1. Envolve: Recolha dos dados Condensação e apresentação dos dados. Redução dos dados 2. Objectivo: Descrever os dados. Frequência Dados de Michelson sobre a velocidade da luz no ar , , , , , , , , , , , ,125 velocidade da luz (milhares km/s) Ӯ = 24,63 ; s 2 =2,85 15 Estatística Inferencial 1. Envolve: Generalizações dos dados (amostra) para a respectiva fonte (população). Estimativas e Testes de Hipóteses. 2. Objectivo: Tomar decisões sobre as características da população. População? 16 5

6 Conceitos fundamentais 1. População: totalidade dos objectos de interesse. 2. Variável: característica acerca da qual os indivíduos da população exibem diferenças. 3. Amostra: parte da população que é seleccionada para estudo. 4. Parâmetros: medidas estatísticas respeitantes à população. 5. Estatísticos: medidas estatísticas calculadas na amostra. 21 População Amostra Média da população, µ, é 22,2 anos Idade Média amostral, Ӯ, é 23 anos 24 Proveniência dos Dados Fontes de Dados Primárias Secundárias Experiências Inquéritos Observação Publicações 32 6

7 Tipos de Variáveis e Escalas de Medida Variáveis Quantitativas Qualitativas Escala de Intervalo Escala de Razão Escala Nominal Escala Ordinal 38 O que é a medição? Processo de atribuição de números a objectos ou acontecimentos de acordo com um conjunto bem definido de regras. Implica a utilização de escalas de medida, distintas consoante o tipo de variável que esteja a ser estudado. Os números resultantes da medição são os dados, o material em bruto que vai ser objecto de tratamento estatístico. 39 7

8 Variáveis Qualitativas Os indivíduos ou objectos que estão a ser estudados apenas podem ser enquadrados numa de um certo número de categorias, definidas com base num atributo. As categorias de um caracter qualitativo têm de ser: mutuamente exclusivas colectivamente exaustivas. 40 Escalas de Medida para Dados Qualitativos Variáveis Qualitativas Escalas Nominais Escalas Ordinais 41 8

9 Escala Nominal Os indivíduos (ou objectos) são enquadrados em categorias que não têm qualquer ordenação lógica (nãoordenadas). Dados dois indivíduos (ou objectos), apenas se pode afirmar se eles são iguais ou diferentes, mas não que um deles é superior ou inferior ao outro. 42 Exemplos: Escalas Nominais Dicotomias: masculino/feminino. presente/ausente. jovem/adulto. vivo/morto. solteiro/casado. fumador/não-fumador. Fenótipos genéticos: côr do cabelo (louro, castanho, branco, preto, etc.) côr dos olhos (verdes, negros, azuis, castanhos, etc.) Raça: Caucasiana, Afro-Americana, Asiática, etc. 43 9

10 Escala Ordinal Os indivíduos (ou objectos) são enquadrados em categorias que podem ser ordenadas ou escalonadas de uma forma objectiva e lógica. Dados dois indivíduos (ou objectos), podese afirmar que um deles é maior, menor ou mais qualquer coisa que o outro, sem que todavia consigamos especificar quanto. 44 Exemplos: Escalas Ordinais Postos de carreiras profissionais: carreira académica (assistente < Prof. Auxiliar < Prof. Associado< Prof.Catedrático). carreira militar (alferes < tenente < capitão < major < ) Escalas de gravidade de uma patologia: ausente < suave < moderada < severa < grave < muito grave. Opinião dos estudantes sobre a obrigação do Estágio: contra < neutro < favor

11 Escalas de Medida para Dados Quantitativos Variáveis Quantitativas Escalas de Intervalo Escalas de Razão 46 Escala de Intervalo Dados dois indivíduos (ou objectos), permite-nos afirmar quanto é que um deles é superior/inferior ao outro. Tem uma origem da escala ( ponto zero ) e uma unidade de graduação da escala convencionados

12 Exemplos: Escalas de Intervalo Escalas Celsius e Fahrenheit de medida da temperatura. Na Escala Celsius : o zero (0ºC) é a temperatura de congelação da água (uma convenção). A unidade de graduação (ºC) é a centésima parte do intervalo entre as temperaturas de congelação e de ebulição da água (outra convenção). 48 Escala de Razão Dados dois indivíduos (ou objectos), permite-nos afirmar quanto é que um deles é superior/inferior ao outro. Tem uma ponto zero verdadeiro (com significado físico)

13 Exemplos: Escalas de Razão Escala Kelvin de medida das temperaturas absolutas (0ºK indica total ausência de calor, não é uma convenção). outras : alturas. comprimentos. pesos. capacidades. tempo. taxas. 50 Escala de Intervalo vs. Escala de Razão Escala de Intervalo - a razão entre dois pontos quaisquer não é independente da unidade de medida adoptada: 50ºC/20ºC=1,5 122ºF/68ºF=1,8 Escala de Razão - a razão entre dois pontos quaisquer é independente da unidade de medida adoptada: 75 kg/50 kg=1,5 165,3 libras/110,2 libras=1,

14 Classificação das Variáveis Quantitativas Variáveis Quantitativas Discretas Contínuas 52 Variáveis Discretas Só assumem determinados valores (existem lacunas entre os valores possíveis). Variáveis Contínuas Teoricamente, podem assumir qualquer valor de um intervalo real: tudo depende de se dispôr do instrumento de medida com a sensibilidade apropriada

15 Varável Discreta -- Lacunas entre os valores Variável Contínua -- Teoricamente, não há lacunas entre os valores Exemplos: Variáveis Discretas Número de carros estacionados num parque. Número de alunos presentes numa aula. Número de folhas de uma planta. Número de ovos postos por uma galinha. Em geral, os dados de natureza discreta provêm de actos de contagem

16 Exemplos: Variáveis Contínuas Nível de colesterol no sangue. Altura de uma pessoa. Produção de alfarroba/hectare de terreno. Tempo necessário para completar o teste de Estatística. Em geral, os dados de natureza contínua provêm de actos de medição. 56 Natureza do Raciocínio Estatístico Na maior parte dos estudos científicos, é difícil ou até mesmo impossível observar/medir toda a população. Temos então de nos basear em amostras para fazer estimativas ou inferências relativas à população

17 Natureza do Raciocínio Estatístico População parâmetros: µ e σ 2 seleccionar Amostra estimar descrever calcular estatísticos: Ӯ, s 2 58 Qual a proporção de sementes que vai originar plantas com flores vermelhas e azuis? Uma tulha de madeira com 10 milhões de sementes! 59 17

18 Qual a proporção de sementes que vai originar plantas com flores vermelhas e azuis? 1ª solução: semear todas as sementes e contar as vermelhas e as azuis. Tipo de Resposta: categórica, sem erro, mas trabalhosa, morosa, onerosa e não factível. 60 Qual a proporção de sementes que vai originar plantas com flores vermelhas e azuis? 2ª solução : semear uma parte (amostra),contar vermelhas e azuis, predizer o que se passará no todo (população). Tipo de Resposta: predição ou avaliação probabilística, rodeada de uma certa margem de erro, mas factível

19 Natureza do Raciocínio Estatístico O raciocínio estatístico é de tipo indutivo: parte todo amostra população A prova estatística produz conclusões com um certo grau de incerteza (erro). O Cálculo das Probabilidades é o instrumento de medida do grau de incerteza que rodeia as conclusões da Estatística

Estatística Descritiva (I)

Estatística Descritiva (I) Estatística Descritiva (I) 1 O que é Estatística Origem relacionada com a coleta e construção de tabelas de dados para o governo. A situação evoluiu: a coleta de dados representa somente um dos aspectos

Leia mais

Unidade I ESTATÍSTICA. Prof. Celso Ribeiro Campos

Unidade I ESTATÍSTICA. Prof. Celso Ribeiro Campos Unidade I ESTATÍSTICA Prof. Celso Ribeiro Campos Visão geral da estatística Estatística: Conjunto de métodos e processos destinados a permitir o entendimento de um universo submetido a certas condições

Leia mais

CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS

CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS ANEXOS INTRODUÇÃO ANEXO 1 TABELA I Fator para estimar o desvio padrão ANEXO 2 TABELA II Valores padronizados para distribuição normal ANEXO 3 TABELA III Distribuição de

Leia mais

Aula 1 -Fundamentos e conceitos básicos (Notas de aula) Prof. Idemauro Antonio Rodrigues de Lara

Aula 1 -Fundamentos e conceitos básicos (Notas de aula) Prof. Idemauro Antonio Rodrigues de Lara Aula 1 -Fundamentos e conceitos básicos (Notas de aula) Prof. Idemauro Antonio Rodrigues de Lara Adquirir conhecimento dos fundamentos da Estatística, em seus campos Descritivo e Inferencial, como base

Leia mais

18/08/2009 TÁ NA MÉDIA! FILIPE S. MARTINS

18/08/2009 TÁ NA MÉDIA! FILIPE S. MARTINS ESTATÍSTICA BÁSICA AULA 02 TÁ NA MÉDIA! FILIPE S. MARTINS ESTATÍSTICA - ROTEIRO MÉTODO PERIMENTAL FASES DO MÉTODO PLANEJAMENTO E COLETA DE DADOS CRÍTICA E APURAÇÃO DOS DADOS POSIÇÃO E ANÁLISE DOS DADOS

Leia mais

ESTATÍSTICA. Objectivo: recolha, compilação, análise e interpretação de dados. ESTATÍSTICA DESCRITIVA INFERÊNCIA ESTATÍSTICA

ESTATÍSTICA. Objectivo: recolha, compilação, análise e interpretação de dados. ESTATÍSTICA DESCRITIVA INFERÊNCIA ESTATÍSTICA 1 ESTATÍSTICA Objectivo: recolha, compilação, análise e interpretação de dados. ESTATÍSTICA DESCRITIVA INFERÊNCIA ESTATÍSTICA Estatística descritiva : o objectivo é sintetizar e representar de uma forma

Leia mais

DISCIPLINA: EPIDEMIOLOGIA E BIOESTATÍSTICA LICENCIATURA: ENFERMAGEM; FISIOTERAPIA

DISCIPLINA: EPIDEMIOLOGIA E BIOESTATÍSTICA LICENCIATURA: ENFERMAGEM; FISIOTERAPIA Aula nº 1 Data: 3 de Outubro de 2002 1. INTRODUÇÃO: POPULAÇÕES, AMOSTRAS, VARIÁVEIS E OBSERVAÇÕES Conceito de Bioestatística e importância da disciplina no âmbito da investigação biológica. Limitações

Leia mais

Estatística Descritiva (I)

Estatística Descritiva (I) Estatística Descritiva (I) O que é Estatística Para muitos, a Estatística não passa de conjuntos de tabelas de dados numéricos. Os estatísticos são as pessoas que coletam esses dados. A Estatística originou-se

Leia mais

Unidade I ESTATÍSTICA APLICADA. Prof. Luiz Felix

Unidade I ESTATÍSTICA APLICADA. Prof. Luiz Felix Unidade I ESTATÍSTICA APLICADA Prof. Luiz Felix O termo estatística Provém da palavra Estado e foi utilizado originalmente para denominar levantamentos de dados, cuja finalidade era orientar o Estado em

Leia mais

Aula 2. ESTATÍSTICA E TEORIA DAS PROBABILIDADES Conceitos Básicos

Aula 2. ESTATÍSTICA E TEORIA DAS PROBABILIDADES Conceitos Básicos Aula 2 ESTATÍSTICA E TEORIA DAS PROBABILIDADES Conceitos Básicos 1. DEFINIÇÕES FENÔMENO Toda modificação que se processa nos corpos pela ação de agentes físicos ou químicos. 2. Tudo o que pode ser percebido

Leia mais

O grande livro da Natureza está escrito em caracteres matemáticos Galileu PROCESSOS E MÉTODOS CIENTÍFICOS

O grande livro da Natureza está escrito em caracteres matemáticos Galileu PROCESSOS E MÉTODOS CIENTÍFICOS O grande livro da Natureza está escrito em caracteres matemáticos Galileu PROCESSOS E MÉTODOS CIENTÍFICOS PROCESSOS E MÉTODOS CIENTÍFICOS EM CIÊNCIAS SOCIAIS Método Experimental: O método experimental

Leia mais

PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA EM HIDROLOGIA

PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA EM HIDROLOGIA Introdução 1 PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA EM HIDROLOGIA Fenômeno - MODELO MATEMÁTICO Q = L.H 3/2 F= γ.h.a Ênfase: forma da expressão relação entre : L e H Q γ, h e A F Aula 1 Introdução 2 HIDROLOGIA " É

Leia mais

Unidade I ESTATÍSTICA. Prof. Celso Guidugli

Unidade I ESTATÍSTICA. Prof. Celso Guidugli Unidade I ESTATÍSTICA Prof. Celso Guidugli Visão geral da estatística Estatística: Conjunto de métodos e processos destinados a permitir o entendimento de um universo submetido a certas condições de incerteza,

Leia mais

Unidade I. Profa. Ana Carolina Bueno

Unidade I. Profa. Ana Carolina Bueno Unidade I ESTATÍSTICA Profa. Ana Carolina Bueno Estatística Interpretar processos em que há variabilidade. Estatísticas indica qualquer coleção de dados quantitativos, ou ainda, ramo da matemática que

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CÁLCULO DAS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA I

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CÁLCULO DAS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA I UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CÁLCULO DAS PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA I Departamento de Estatística Tarciana Liberal CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE ESTATÍSTICA O que a Estatística significa para você? Pesquisas

Leia mais

Estatística Descritiva

Estatística Descritiva C E N T R O D E M A T E M Á T I C A, C O M P U T A Ç Ã O E C O G N I Ç Ã O UFABC Estatística Descritiva Centro de Matemática, Computação e Cognição March 17, 2013 Slide 1/52 1 Definições Básicas Estatística

Leia mais

Medidas e Escalas: Fundamentos e Escalas Comparativas Prentice Hall

Medidas e Escalas: Fundamentos e Escalas Comparativas Prentice Hall Medidas e Escalas: Fundamentos e Escalas Comparativas 1-1 Sumário 1) Visão Geral; 2) Medidas e Escalas; 3) Principais ; i. Escala Nominal ii. Escala Ordinal iii. Escala Intervalar iv. Escala de Razão 1-2

Leia mais

Principais Conceitos em Estatística

Principais Conceitos em Estatística 1 Principais Conceitos em Estatística Ernesto F. L. Amaral 08 de outubro de 2009 www.ernestoamaral.com/met20092.html Fonte: Triola, Mario F. Introdução à estatística. 10 ª ed., Rio de Janeiro: LTC, 2008.

Leia mais

Prof. Anderson Rodrigo da Silva.

Prof. Anderson Rodrigo da Silva. Prof. Anderson Rodrigo da Silva anderson.silva@ifgoiano.edu.br Sobre Estatística Conjunto de conceitos e métodos. Ciência que recolhe fatos e fenômenos, analisa-os e interpreta-os quanto ao número de frequência,

Leia mais

(tabelas, gráficos e sumários estatísticos, de posição e de dispersão)

(tabelas, gráficos e sumários estatísticos, de posição e de dispersão) ESTATÍSTICA DESCRITIVA a) Conceito: Apresentação numérica, tabular e/ou gráfica com o propósito resumir ou sumarizar as informações contidas num conjunto de dados observados (estatística: tabelas, gráficos

Leia mais

A ESTATÍSTICA Introdução Histórica

A ESTATÍSTICA Introdução Histórica A ESTATÍSTICA Introdução Histórica Desde a antigu idade, os homens faziam registros: Número de habitantes; Nascimentos e óbitos; Avaliavam bens e riquezas do povo, para cobrar impostos; Estoque de alimentos,

Leia mais

CE Estatística I

CE Estatística I CE 002 - Estatística I Agronomia - Turma B Professor Walmes Marques Zeviani Laboratório de Estatística e Geoinformação Departamento de Estatística Universidade Federal do Paraná 1º semestre de 2012 Zeviani,

Leia mais

Aula 02. Variáveis. Organização e Apresentação dos Dados

Aula 02. Variáveis. Organização e Apresentação dos Dados Aula 02 Variáveis Organização e Apresentação dos Dados Stela Adami Vayego - DEST/UFPR 1 2. Tipos de variáveis quantitativa discreta variável qualitativa ou categórica contínua nominal ordinal Escala nominal

Leia mais

Métodos Estatísticos Básicos

Métodos Estatísticos Básicos Aula 1 - Conceitos introdutórios Departamento de Economia Universidade Federal de Pelotas (UFPel) Março de 2014 Importância da estatística na economia A economia, em geral, é uma ciência não-experimental.

Leia mais

Conceito de Estatística

Conceito de Estatística Conceito de Estatística Estatística Técnicas destinadas ao estudo quantitativo de fenômenos coletivos, observáveis. Unidade Estatística um fenômeno individual é uma unidade no conjunto que irá constituir

Leia mais

Inferência Estatística. Estimação

Inferência Estatística. Estimação Inferência Estatística Estimação Inferência Estatística fazer inferências tirar conclusões fazer inferência estatística tirar conclusões sobre uma população com base em somente uma parte dela, a amostra,

Leia mais

Adilson Cunha Rusteiko

Adilson Cunha Rusteiko Janeiro, 2015 Estatística , A Estatística Estatística: É a parte da matemática aplicada que fornece métodos para coleta, organização, descrição, análise e interpretação

Leia mais

AULA 1 - CONCEITOS BÁSICOS E APRESENTAÇÃO DE DADOS PARTE 1

AULA 1 - CONCEITOS BÁSICOS E APRESENTAÇÃO DE DADOS PARTE 1 AULA 1 - CONCEITOS BÁSICOS E APRESENTAÇÃO DE DADOS PARTE 1 INFORMAÇÕES Professor: Roberto C. Leoni BLOG: http://aedbest.wordpress.com Apostilas com exercícios e gabaritos Software R http://cran.r-project.org/

Leia mais

CAD. 8 SETOR A AULAS 45-48

CAD. 8 SETOR A AULAS 45-48 CAD. 8 SETOR A AULAS 45-48 48 ESTATÍSTICA STICA Prof. Suzart ESTATÍSTICA Elabora métodos para coleta, organização, descrição, análise e intepretação de dados. Experimentos não-determinísticos. Determinação

Leia mais

Introdução à Bioestatística. Profº Lucas Neiva-Silva Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre 2008

Introdução à Bioestatística. Profº Lucas Neiva-Silva Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre 2008 Introdução à Bioestatística Profº Lucas Neiva-Silva lucasneiva@yahoo.com.br Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre 2008 Estatística Do grego statistós, de statízo, que significa estabelecer,

Leia mais

A Estatística é um conjunto de processos ou técnicas empregadas na investigação e análise de fenômenos coletivos ou de massa.

A Estatística é um conjunto de processos ou técnicas empregadas na investigação e análise de fenômenos coletivos ou de massa. Conceitos O que é Estatística? A Estatística é um conjunto de métodos destinados à coleta, organização, resumo, apresentação e análise de dados de observação, bem como da tomada de decisões razoáveis baseadas

Leia mais

Conceitos básicos, probabilidade, distribuição normal e uso de tabelas padronizadas

Conceitos básicos, probabilidade, distribuição normal e uso de tabelas padronizadas Conceitos básicos, probabilidade, distribuição normal e uso de tabelas padronizadas Prof. Marcos Vinicius Pó Métodos Quantitativos para Ciências Sociais Alguns conceitos População: é o conjunto de todos

Leia mais

DISCIPLINA: PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA TURMA: Informática de Gestão

DISCIPLINA: PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA TURMA: Informática de Gestão Aula # 04 DISCIPLINA: PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA TURMA: Informática de Gestão Escala de Medidas de Variáveis. Frequência absoluta e relativa de dados quantitativos. Professor: Dr. Wilfredo Falcón Urquiaga

Leia mais

Prof. Dr. Engenharia Ambiental, UNESP

Prof. Dr. Engenharia Ambiental, UNESP INTRODUÇÃO A ESTATÍSTICA ESPACIAL Análise Exploratória dos Dados Estatística Descritiva Univariada Roberto Wagner Lourenço Roberto Wagner Lourenço Prof. Dr. Engenharia Ambiental, UNESP Estrutura da Apresentação

Leia mais

I Introdução. 2. Colecção de dados. Amostras 3. Variáveis estatísticas. Tratamento de Dados 2º Semestre

I Introdução. 2. Colecção de dados. Amostras 3. Variáveis estatísticas. Tratamento de Dados 2º Semestre I Introdução 2. Colecção de dados. Amostras 3. Variáveis estatísticas Objectivo Transformar Dados em Informação Definições Universo ou população Conjunto de elementos com uma característica comum susceptível

Leia mais

A Estatística é aplicada como auxílio nas tomadas de decisão diante de incertezas para justificar cientificamente as decisões

A Estatística é aplicada como auxílio nas tomadas de decisão diante de incertezas para justificar cientificamente as decisões A IMPORTÂNCIA DA ESTATÍSTICA A Estatística é aplicada como auxílio nas tomadas de decisão diante de incertezas para justificar cientificamente as decisões Governo Indústria Ciências Econômicas, sociais,

Leia mais

Questionário- Teste de Conhecimento de Bioestatística

Questionário- Teste de Conhecimento de Bioestatística Questionário- Teste de Conhecimento de Bioestatística Este inquérito está inserido no trabalho de investigação Statistical interpretation of studies among doctors and medical students. Tem como objetivo

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO / ESTATÍSTICA LISTA 1

RACIOCÍNIO LÓGICO / ESTATÍSTICA LISTA 1 RACIOCÍNIO LÓGICO / ESTATÍSTICA LISTA 1 I. Conceitos Iniciais RESUMO TEÓRICO 1 1. A Estatística Descritiva ou Dedutiva é o ramo da Estatística que tem por objetivo descrever e analisar fatos relacionados

Leia mais

Técnicas Computacionais em Probabilidade e Estatística I. Aula I

Técnicas Computacionais em Probabilidade e Estatística I. Aula I Técnicas Computacionais em Probabilidade e Estatística I Aula I Chang Chiann MAE 5704- IME/USP 1º Sem/2008 1 Análise de Um conjunto de dados objetivo: tratamento de um conjunto de dados. uma amostra de

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO: Definição Amostra Amostragem Dados Variáveis BIOESTATÍSTICA. Profª Ms. Mara Cynthia

AULA 01 INTRODUÇÃO: Definição Amostra Amostragem Dados Variáveis BIOESTATÍSTICA. Profª Ms. Mara Cynthia AULA 01 INTRODUÇÃO: Definição Amostra Amostragem Dados Variáveis BIOESTATÍSTICA Profª Ms. Mara Cynthia Definição Bioestatística é um ramo da Estatística que se aplica às Ciências Biológicas como, por exemplo,

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular PROBABILIDADES E ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Engenharia Informática 3. Ciclo de Estudos 1º

Leia mais

PROJETO E ANÁLISES DE EXPERIMENTOS (PAE) INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ESTATÍSTICOS EM ENGENHARIA

PROJETO E ANÁLISES DE EXPERIMENTOS (PAE) INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ESTATÍSTICOS EM ENGENHARIA PROJETO E ANÁLISES DE EXPERIMENTOS (PAE) INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ESTATÍSTICOS EM ENGENHARIA VARIABILIDADE NA MEDIDA DE DADOS CIENTÍFICOS Se numa pesquisa, desenvolvimento de um processo ou produto, o valor

Leia mais

Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos 1º Semestre de 2013 Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística

Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos 1º Semestre de 2013 Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos Agora,

Leia mais

MEDIDAS DE POSIÇÃO E DE DISPERSÃO. Profª Andréa H Dâmaso

MEDIDAS DE POSIÇÃO E DE DISPERSÃO. Profª Andréa H Dâmaso MEDIDAS DE POSIÇÃO E DE DISPERSÃO Profª Andréa H Dâmaso Bioestatística e Delineamento Experimental - 2012 Tópicos da aula Medidas de tendência central e dispersão Variáveis contínuas: distribuição normal

Leia mais

Curso de IPE Aula 1 de Estatística Descritiva. Prof. Dr. Valdecir Marvulle 2013

Curso de IPE Aula 1 de Estatística Descritiva. Prof. Dr. Valdecir Marvulle 2013 Curso de IPE Aula 1 de Descritiva Prof. Dr. Valdecir Marvulle 2013 Dados: Coleção de fatos numéricos observados. Exemplos: Peso dos pacientes atendidos numa unidade de saúde. Freqüência respiratória após

Leia mais

CAPÍTULO 4 CONCEITOS BÁSICOS DE ESTATÍSTICA E PROBABILIDADES

CAPÍTULO 4 CONCEITOS BÁSICOS DE ESTATÍSTICA E PROBABILIDADES CAPÍTULO 4 CONCEITOS BÁSICOS DE ESTATÍSTICA E PROBABILIDADES. INTRODUÇÃO - Conceito de população desconhecida π e proporção da amostra observada P. π P + pequeno erro Perguntas: - Qual é o pequeno erro?

Leia mais

Análise da Informação Económica e Empresarial

Análise da Informação Económica e Empresarial Análise da Informação Económica e Empresarial Aula 5: Tratamento de informação quantitativa Noções básicas: Unidade estatística, População, Variável; distribuição. Redução de dados: Tabela de frequências.

Leia mais

MEDIDAS E INCERTEZAS

MEDIDAS E INCERTEZAS MEDIDAS E INCERTEZAS O Que é Medição? É um processo empírico que objetiva a designação de números a propriedades de objetos ou a eventos do mundo real de forma a descrevêlos quantitativamente. Outra forma

Leia mais

INE 6006 MÉTODOS ESTATÍSTICOS

INE 6006 MÉTODOS ESTATÍSTICOS INE 6006 MÉTODOS ESTATÍSTICOS Professor Marcelo Menezes Reis http://www.inf.ufsc.br/~marcelo/ Disciplinas em 2016.1 (Métodos Estatísticos) marcelo.menezes.reis@ufsc.br menreis1968@gmail.com Sala INE 510-37217556

Leia mais

Aula 02. Variáveis. Organização e Apresentação dos Dados

Aula 02. Variáveis. Organização e Apresentação dos Dados Aula 02 Variáveis Organização e Apresentação dos Dados Stela Adami Vayego - DEST/UFPR 1 Variáveis e escalas de medição 1. Variável - É qualquer quantidade ou característica que pode possuir diferentes

Leia mais

Delineamento, Tipos de Pesquisa, Amostragem. Prof. Alejandro Martins

Delineamento, Tipos de Pesquisa, Amostragem. Prof. Alejandro Martins Delineamento, Tipos de Pesquisa, Amostragem Prof. Alejandro Martins DELINEAMENTO DA PESQUISA Conceituação Refere-se ao planejamento da pesquisa em sua dimensão mais ampla O elemento mais importante para

Leia mais

Tratamento estatístico de observações

Tratamento estatístico de observações Tratamento estatístico de observações Prof. Dr. Carlos Aurélio Nadal OBSERVAÇÃO: é o valor obtido durante um processo de medição. DADO: é o resultado do tratamento de uma observação (por aplicação de uma

Leia mais

Métodos Quantitativos Aplicados

Métodos Quantitativos Aplicados Métodos Quantitativos Aplicados Mestrados Economia e Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação, Economia e Políticas Públicas, Economia Internacional e Estudos Europeus Aula 1 Docente: Vítor Escária vescaria@iseg.ulisboa.pt

Leia mais

Capítulo 3. Introdução à Probabilidade E à Inferência Estatística

Capítulo 3. Introdução à Probabilidade E à Inferência Estatística Capítulo 3 Introdução à Probabilidade E à Inferência Estatística definições e propriedades: Propriedade 5: A probabilidade condicional reflete como a probabilidade de um evento pode mudar se soubermos

Leia mais

Questionário- Teste de Conhecimento de Bioestatística

Questionário- Teste de Conhecimento de Bioestatística Questionário- Teste de Conhecimento de Bioestatística Este inquérito está inserido no trabalho de investigação Statistical interpretation of studies among doctors and medical students. Tem como objetivo

Leia mais

ESTATÍSTICA DESCRITIVA

ESTATÍSTICA DESCRITIVA ESTATÍSTICA DESCRITIVA Organização Descrição Quantificação de variabilidade Identificação de valores típicos e atípicos Elementos básicos: Tabelas Gráficos Resumos numéricos CONCEITOS BÁSICOS Variável

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLINAR: 1.º Matemática PROGRAMA-A ANO: 10º ANO LECTIVO : 2008 /2009 p.

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLINAR: 1.º Matemática PROGRAMA-A ANO: 10º ANO LECTIVO : 2008 /2009 p. ANO: 10º ANO LECTIVO : 2008 /2009 p.1/9 CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER Nº. AULAS ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO Módulo Inicial Geometria e Números Reais. - Função afim, Equações e inequações do 1º.

Leia mais

Estatística I Aula 2. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc.

Estatística I Aula 2. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Estatística I Aula 2 Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Análise Exploratória de Dados Consiste em resumir e organizar os dados coletados Utiliza-se tabelas, gráficos ou medidas numéricas para resumir

Leia mais

MATEMÁTICA 4º ANO. Novo programa de matemática Objetivos específicos. Ler e representar números, pelo menos até ao milhão.

MATEMÁTICA 4º ANO. Novo programa de matemática Objetivos específicos. Ler e representar números, pelo menos até ao milhão. MATEMÁTICA 4º ANO NÚMEROS E OPERAÇÕES Números naturais Relações numéricas Múltiplos e divisores Realizar contagens progressivas e regressivas a partir de números dados. Comparar números e ordená-los em

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA

NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA Tipos de Estatísticas Estatística descritiva É a parte mais conhecida. Quem vê o noticiário, na televisão ou nos jornais, sabe o quão freqüente é o uso de médias, índices

Leia mais

MATEMÁTICA 3º ANO. Novo programa de matemática Objetivos específicos. Currículo Paulo VI. Números naturais. Relações numéricas Múltiplos e divisores

MATEMÁTICA 3º ANO. Novo programa de matemática Objetivos específicos. Currículo Paulo VI. Números naturais. Relações numéricas Múltiplos e divisores MATEMÁTICA 3º ANO NÚMEROS E OPERAÇÕES Tópicos Números naturais Relações numéricas Múltiplos e divisores Novo programa de matemática Objetivos específicos Realizar contagens progressivas e regressivas a

Leia mais

i. f Y (y, θ) = 1/θ... 0 y θ 0... y < 0 ou y > θ Se a amostra selecionada foi ( ), qual será a estimativa para θ?

i. f Y (y, θ) = 1/θ... 0 y θ 0... y < 0 ou y > θ Se a amostra selecionada foi ( ), qual será a estimativa para θ? Fundação Getulio Vargas Curso: Graduação Disciplina: Estatística Professor: Moisés Balassiano Lista de Exercícios Inferência. Seja (Y, Y 2,..., Y n ) uma amostra aleatória iid, de tamanho n, extraída de

Leia mais

Conceitos básicos: Variável Aleatória

Conceitos básicos: Variável Aleatória : Variável Aleatória Variável aleatória (v.a.) valor numérico que é resultado de uma eperiência aleatória. Podemos ter variáveis aleatórias contínuas ou discretas. Eemplo 1: Suponha que lança duas moedas

Leia mais

IFF FLUMINENSE CST EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL

IFF FLUMINENSE CST EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL IFF FLUMINENSE CST EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL Estatística e Probabilidade CH: 40 h/a Classificação de variáveis, Levantamento de Dados: Coleta; Apuração; Apresentação; e Análise de resultados. Séries Estatísticas.

Leia mais

Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos 1º Semestre de 2013 Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística

Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Experimentos 1º Semestre de 2013 Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística Introdução ao Planejamento e Análise Estatística de Capítulo 3 Introdução à Probabilidade e à Inferência Estatística INTERVALOS DE CONFIANÇA: Diferentes pesquisadores, selecionando amostras de uma mesma

Leia mais

Aula 03: Dados Profa. Ms. Rosângela da Silva Nunes

Aula 03: Dados Profa. Ms. Rosângela da Silva Nunes Aula 03: Dados Profa. Ms. Rosângela da Silva Nunes 1 de 29 Tipos de Conjuntos de dados Registro Tabela do BD Matriz de dados Document 1 Document 2 team coach pla y ball score game wi n lost timeout 3 0

Leia mais

Medidas Descritivas de Posição, Tendência Central e Variabilidade

Medidas Descritivas de Posição, Tendência Central e Variabilidade Medidas Descritivas de Posição, Tendência Central e Variabilidade Prof. Gilberto Rodrigues Liska UNIPAMPA 27 de Março de 2017 Material de Apoio e-mail: gilbertoliska@unipampa.edu.br Sumário 1 Introdução

Leia mais

Métodos Quantitativos para Ciência da Computação Experimental. Jussara Almeida DCC-UFMG 2013

Métodos Quantitativos para Ciência da Computação Experimental. Jussara Almeida DCC-UFMG 2013 Métodos Quantitativos para Ciência da Computação Experimental Jussara Almeida DCC-UFMG 2013 Revisão de Probabilidade e Estatística Concentrado em estatística aplicada Estatística apropriada para medições

Leia mais

DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA APLICADA)

DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTATÍSTICA APLICADA) 1. Sabe-se que o nível de significância é a probabilidade de cometermos um determinado tipo de erro quando da realização de um teste de hipóteses. Então: a) A escolha ideal seria um nível de significância

Leia mais

Acção Local de Estatística Aplicada

Acção Local de Estatística Aplicada Acção Local de Estatística Aplicada Parceria Propósito Disponibilizar instrumentos para apoio ao ensino e à aprendizagem da Estatística, em acesso livre! Como? (Edutainment) Entretenimento Estatística

Leia mais

AULA 07 Inferência a Partir de Duas Amostras

AULA 07 Inferência a Partir de Duas Amostras 1 AULA 07 Inferência a Partir de Duas Amostras Ernesto F. L. Amaral 10 de setembro de 2012 Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Fonte: Triola,

Leia mais

Departamento de Estatística

Departamento de Estatística Laboratório de Ciências - Aula 3 Departamento de Estatística 7 de Janeiro de 2014 Introdução Suponha que dispomos de um conjunto de dados, por exemplo, número de gols (ou número de impedimentos, chutes

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem e manual adoptado 3º CICLO MATEMÁTICA 7ºANO TEMAS/DOMÍNIOS

Leia mais

ESTATÍSTICA. x(s) W Domínio. Contradomínio

ESTATÍSTICA. x(s) W Domínio. Contradomínio Variáveis Aleatórias Variáveis Aleatórias são funções matemáticas que associam números reais aos resultados de um Espaço Amostral. Uma variável quantitativa geralmente agrega mais informação que uma qualitativa.

Leia mais

( ) Referem-se aos dados coletados e podem ser

( ) Referem-se aos dados coletados e podem ser Universidade Estadual de Maringá - UEM Programa de Integração Estudantil - PROINTE Preceptoria de Bioestatística Farmácia Professora: Nazaré Barata Mateus Preceptora: Rafaela Ferreira de Souza Lista 1

Leia mais

Aula 02. Variáveis. Organização e Apresentação dos Dados

Aula 02. Variáveis. Organização e Apresentação dos Dados Aula 02 Variáveis Organização e Apresentação dos Dados Stela Adami Vayego - DEST/UFPR 1 Variáveis e escalas de medição 1. Variável - É qualquer quantidade ou característica que pode possuir diferentes

Leia mais

Pesquisa Científica. Atividade da Aula Passada... Pesquisa Científica. Pesquisa Científica...

Pesquisa Científica. Atividade da Aula Passada... Pesquisa Científica. Pesquisa Científica... Atividade da Aula Passada... Qual a relação entre Conhecimento, Ciência e Metodologia? Qual a relação do Conhecimento Empírico com a Ciência? Com base na sua experiência de vida, seu empirismo, existe

Leia mais

08/05/2014. Importância da Estatística e o Desafio do Ensino nas Ciências Sociais. Porque é importante estudar Estatística?

08/05/2014. Importância da Estatística e o Desafio do Ensino nas Ciências Sociais. Porque é importante estudar Estatística? Unidade 1 : Introdução à Estatística Estatística: Importância da Estatística e o Desafio do Ensino nas Ciências Sociais João Garibaldi Almeida Viana Ciência (ou método) cujo objetivo principal é auxiliar

Leia mais

Resumo de Dados. Tipos de Variáveis

Resumo de Dados. Tipos de Variáveis Resumo de Dados Tipos de Variáveis Exemplo 2.1 Um pesquisador está interessado em fazer um levantamento sobre alguns aspectos socioeconômicos dos empregados da seção de orçamentos da Companhia MB. Usando

Leia mais

Nessa situação, a média dessa distribuição Normal (X ) é igual à média populacional, ou seja:

Nessa situação, a média dessa distribuição Normal (X ) é igual à média populacional, ou seja: Pessoal, trago a vocês a resolução da prova de Estatística do concurso para Auditor Fiscal aplicada pela FCC. Foram 10 questões de estatística! Não identifiquei possibilidade para recursos. Considero a

Leia mais

SONDAGEM (SURVEY) Metodologia de Investigação I Docente: Profª ª Dra. Isabel Chagas Discentes: Nélida Filipe Fernanda Catita Cláudia Louro 2004/05

SONDAGEM (SURVEY) Metodologia de Investigação I Docente: Profª ª Dra. Isabel Chagas Discentes: Nélida Filipe Fernanda Catita Cláudia Louro 2004/05 SONDAGEM (SURVEY) Metodologia de Investigação I Docente: Profª ª Dra. Isabel Chagas Discentes: Nélida Filipe Fernanda Catita Cláudia Louro 1) Distinção entre população e amostra Definição (população):

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Estatística e Probabilidade Carga Horária: 40h Período: 1º. Ementa

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Estatística e Probabilidade Carga Horária: 40h Período: 1º. Ementa Disciplina: Estatística e Probabilidade Carga Horária: 40h Período: 1º PLANO DE ENSINO Ementa Classificação de variáveis, Levantamento de Dados: Coleta; Apuração; Apresentação e Análise de resultados.

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa de Matemática dos Cursos Profissionais

PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa de Matemática dos Cursos Profissionais TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS Ano Letivo 2015/2016 Ciclo de Formação: 2015-2018 Nº DO PROJETO: Clique aqui para introduzir o número do projeto. MATEMÁTICA 10ºANO PLANIFICAÇÃO

Leia mais

CAPÍTULO 3 POPULAÇÃO E AMOSTRA

CAPÍTULO 3 POPULAÇÃO E AMOSTRA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS GCN 7901 ANÁLISE ESTATÍSTICA EM GEOCIÊNCIAS PROFESSOR: Dr. ALBERTO FRANKE CONTATO: alberto.franke@ufsc.br F: 3721 8595 CAPÍTULO 3 POPULAÇÃO E AMOSTRA As pesquisas de opinião

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem 3º CICLO MATEMÁTICA 7ºANO TEMAS/DOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS

Leia mais

Pesquisa Científica. Pesquisa Científica. Classificação das Pesquisas... Pesquisa Científica... Interpretar resultados. Realizar a pesquisa

Pesquisa Científica. Pesquisa Científica. Classificação das Pesquisas... Pesquisa Científica... Interpretar resultados. Realizar a pesquisa Pesquisa Científica Pesquisa Científica! Procedimento reflexivo sistemático, controlado e crítico, que permite descobrir novos fatos ou dados, relações ou leis, em qualquer campo do conhecimento.! É um

Leia mais

Estatística. Professora: Eliana Carvalho Estatística e Probabilidade 1

Estatística. Professora: Eliana Carvalho Estatística e Probabilidade 1 Estatística Fonte bibliográfica: FARIAS, Alberto Alves Introdução a Estatística MEYER, Paul L. Probabilidade: Aplicações à Estatística MONTGOMERY, Douglas C; Estatística aplicada e probabilidade para engenheiros.

Leia mais

Estatística e Probabilidade. Aula 11 Cap 06

Estatística e Probabilidade. Aula 11 Cap 06 Aula 11 Cap 06 Intervalos de confiança para variância e desvio padrão Confiando no erro... Intervalos de Confiança para variância e desvio padrão Na produção industrial, é necessário controlar o tamanho

Leia mais

Estatística Descritiva. Estatística. 2 - Estatística Descritiva. UNESP FEG DPD Prof. Edgard

Estatística Descritiva. Estatística. 2 - Estatística Descritiva. UNESP FEG DPD Prof. Edgard Estatística 2 - Estatística Descritiva 02-1 Organização e Descrição de Dados Características de interesse: VARIÁVEIS Tipos de Variáveis Variável Qualitativa: classificação por tipos atributos Variável

Leia mais

P. P. G. em Agricultura de Precisão DPADP0803: Geoestatística (Prof. Dr. Elódio Sebem)

P. P. G. em Agricultura de Precisão DPADP0803: Geoestatística (Prof. Dr. Elódio Sebem) Amostragem: Em pesquisas científicas, quando se deseja conhecer características de uma população, é comum se observar apenas uma amostra de seus elementos e, a partir dos resultados dessa amostra, obter

Leia mais

Aula 01. Organização e Apresentação dos Dados. Stela Adami Vayego - DEST/UFPR

Aula 01. Organização e Apresentação dos Dados. Stela Adami Vayego - DEST/UFPR Aula 01 Organização e Apresentação dos Dados 1. Variável Estudo dos fatores de risco de doença cardíaca variáveis unidades ou casos Indivíduo Sexo Fumante Peso (Kg) 1 M sim 87 2 F não 50............ n

Leia mais

ESTATÍSTICA Medidas de Síntese

ESTATÍSTICA Medidas de Síntese 2.3 - Medidas de Síntese Além das tabelas e gráficos um conjunto de dados referente a uma variável QUANTITATIVA pode ser resumido (apresentado) através de Medidas de Síntese, também chamadas de Medidas

Leia mais

Sumário. CAPÍTULO 1 Conceitos preliminares 1. CAPÍTULO 2 Descrição de dados: análise monovariada 47

Sumário. CAPÍTULO 1 Conceitos preliminares 1. CAPÍTULO 2 Descrição de dados: análise monovariada 47 CAPÍTULO 1 Conceitos preliminares 1 Introdução........................................................1 O que é estatística?.................................................. 4 Papel dos microcomputadores.........................................

Leia mais

Princípios de Bioestatística

Princípios de Bioestatística Princípios de Bioestatística Cálculo do Tamanho de Amostra Enrico A. Colosimo/UFMG http://www.est.ufmg.br/ enricoc/ Depto. Estatística - ICEx - UFMG 1 / 32 2 / 32 Cálculo do Tamanho de Amostra Parte fundamental

Leia mais

CURSO DE ESTATÍSTICA STICA DESCRITIVA Adriano Mendonça Souza Departamento de Estatística - UFSM -

CURSO DE ESTATÍSTICA STICA DESCRITIVA Adriano Mendonça Souza Departamento de Estatística - UFSM - CURSO DE ESTATÍSTICA STICA DESCRITIVA Adriano Mendonça Souza Departamento de Estatística - UFSM - A imaginação é mais importante que o conhecimento Albert Einstein Estatística stica?!? Conjunto de técnicas

Leia mais

Unidade I ESTATÍSTICA APLICADA. Prof. Mauricio Fanno

Unidade I ESTATÍSTICA APLICADA. Prof. Mauricio Fanno Unidade I ESTATÍSTICA APLICADA Prof. Mauricio Fanno Estatística indutiva Estatística descritiva Dados no passado ou no presente e em pequena quantidade, portanto, reais e coletáveis. Campo de trabalho:

Leia mais

Estatística descritiva básica: Medidas de tendência central

Estatística descritiva básica: Medidas de tendência central Estatística descritiva básica: Medidas de tendência central ACH2021 Tratamento e Análise de Dados e Informações Marcelo de Souza Lauretto marcelolauretto@usp.br www.each.usp.br/lauretto *Parte do conteúdo

Leia mais

MEDIDAS DE TENDÊNCIA CENTRAL

MEDIDAS DE TENDÊNCIA CENTRAL MEDIDAS DE TENDÊNCIA CENTRAL Professor Jair Wyzykowski Universidade Estadual de Santa Catarina Média aritmética INTRODUÇÃO A concentração de dados em torno de um valor pode ser usada para representar todos

Leia mais

Intervalos de conança

Intervalos de conança Intervalos de conança Prof. Hemílio Fernandes Campos Coêlho Departamento de Estatística - Universidade Federal da Paraíba - UFPB Exemplo Suponha que se deseja estimar o diâmetro da pupila de coelhos adultos.

Leia mais

Conceitos matemáticos:

Conceitos matemáticos: Conceitos matemáticos: Para entender as possíveis mudanças quantitativas que ocorrem, ao nível de uma amostra de sementes, é preciso compreender alguns princípios básicos de cálculo. Tendo sido desenvolvido

Leia mais