Anexo Entrevista G2.5

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Anexo Entrevista G2.5"

Transcrição

1 Entrevista G2.4 Entrevistado: E2.5 Idade: 38 anos Sexo: País de origem: Tempo de permanência em Portugal: Feminino Ucrânia 13 anos Escolaridade: Imigrações prévias: --- Ensino superior (professora) Língua materna: Ucraniano Outras línguas: Português Agregado familiar em Portugal: Profissão: Marido e filhos Cozinheira Observações: A senhora falava baixo e havia algum ruid o em redor, o que por vezes dificulta a compreensão do que é dito na gravação E: eu preciso de saber a sua idade E2.5: ã: trinta e oito E: trinta e oito? Ã: e a sua profissão? E2.5: cozinheira E: diga? Cozinheira? Ok. e a sua língua materna? E2.5: o ucraniano E: ucraniano. e fala outras línguas? E2.5: ã: não E: não? é so o ucraniano 1

2 E2.5: português (riso) E: além do português, sim. ã: pronto, eu preciso de saber há quanto tempo é que está cá em Portugal E2.5: treze anos E: treze anos? e: porque é que decidiu vir para Portugal? E2.5: é como toda a gente, falta-- falta trabalho na Ucrânia e queria melhor vida não é? Para a gente para os nossos filhos E: sim. Então decidiu vir para Portugal. e porquê Portugal? E2.5: hum não sei, calhou E: já tinha cá família, por exemplo, ou gente conhecida? E2.5: sim tinha o irmão E: e acabou por vir para Portugal. ã: e que problemas é que teve quando chegou cá? Quais foram as principais dificuldades? E2.5: é é a língua, trabalho tinha mas depois aprender a língua: E: foi o principal foi a língua? ã: trabalho, documentos, ã: casa-- E2.5: documentos também era difícil. Tive cinco anos que não conseguia fazer o visto (E: sim) patroa não queria dar o contrato, tava com medo de-- de pagar multa (E: pois) depois consegui E: mas o principal o que é que foi? Foi a língua, foi os documentos, o que é que-- foi tudo um bocadinho? E2.5: foi tudo um bocadinho. A pessoa não sabe falar sabe que é-- E: dificulta as outras coisas também? E2.5: sim E: ok E2.5: arranjar o trabalho também é difícil ã: é tudo junto não é? E: depois uma coisa leva às outras E2.5: é, pois E: ã: E2.5: a patroa não queria pagar como a toda a gente, trabalhar dia e noite, E: queria pagar menos, por exemplo? E2.5: sim menos do que: aos outros pessoas, portugueses, até conseguir fazer o: contrato, documentos, e ela começou já a pagar como toda a gente. Mas mesmo assim também não- - eles não paga como-- como português 2

3 E: é? E2.5: ya E: sente que por ser ucraniana tem essa-- tem essa desvantagem? E2.5: sim. Agora *** que é a-- é mais porque é crise (E: sim sim) mas sempre foi assim ã: mesmo (E: mesmo antes da crise?) pronto [não é português pagava muito menos]* E:é complicado. ã: e agora, já se sente integrada em Portugal? E2.5: o quê? E: integrada, sente-se bem cá em Portugal, sente-se respeitada, os direitos ã: os deveres-- sente-se bem cá em Portugal? E2.5: ã: não é muito bem porque-- [alguém interrompe] mas-- a gente ã: longe de família, longe de: o nosso país, é sempre:-- não é, é difícil. tenho cá filhos ma:s não é a mesma coisa do que a gente estar no-- na nossa terra, não é: é diferente E: ã: mas sente-se respeitada cá em Portugal? as pessoas tratam-na bem? ã: em relação a trabalho as coisas já estão um bocadinho melhores? E2.5: [:] E: sim? E2.5: sim E: ã: costuma manter a sua ligação com-- com a Ucrânia, com o país de origem? Costuma- - E2.5: costumo falar pelo Skype ou pela internet. É mais agradável E: para matar saudades da família? E2.5: é E: e costuma voltar lá de férias por exemplo? E2.5: sim, vai todos os anos ã: em agosto E: e vai porque sente falta? Vai porque-- porque ia de férias e -- E2.5: não, a gente ia porque tinha filhos lá (E: sim) ia todos os anos mas agora se os filhos estão cá ã: não sei, também o dinheiro também é: é muito complicado (E: é difícil) não é E: mas sabe bem voltar (E2.5: sim) e estar com as pessoas e estar em casa? E2.5: ã: lá temos pronto, família e casa e: E: tinha uma vida lá antes, não é. Ok. ã: e em relação à língua? o que é que sentiu quando chegou? E2.5: [:] E: quais foram as principais dificuldades? ã:-- 3

4 E2.5: eu comecei a trabalhar com portugueses e primeiro é difícil porque era só português e eu sou ucraniana não conseguia-- E: era a única que n-- E2.5: eu não conseguia falar (E: sim) nem nem-- ã: E: foi muito difícil? E2.5: difícil E: e frequentou algum curso de português? E2.5:não E: não? aprendeu só no dia a dia? E1.5; trabalhava oito horas não é (E: sim) com português[es] e eu aprendi sozinha E: mas tinha família cá? E2.5: sim tinha um irmão mas também esteve lá só um ano, esteve a trabalhar lá, também a firma era uma firma pequena. (E: sim) comecei como ajudante de cozinha, não é (E: sim) a lavar a loiça e essas coisas todas E: e à medida que ia ouvindo ia começando a aprender o português. Ok. e no dia a dia, atualmente, que línguas é que fala? Fala português, fala ucraniano, fala-- E2.5: aonde? E: que língua-- no dia a dia E2.5: ah não ã: no trabalho faço ma-- mais o trabalho falo: português (E: sim) em casa, com a família, claro que a gente fala ucraniano, não é E: sempre ucraniano? E2.5: hum E: faz sentido para si falar ucraniano? E2.5: [:] E: é mais fácil, ou é mais natural--? E2.5: é normal, vocês se fossem para outro país é claro que com a família falava a vossa língua, não é. É, não sei, é-- é natural E: sente-se um bocadinho mais perto-- da sua terra se falar em ucraniano? E2.5: é mais natural a gente falar em ucraniano E: pensa em ucraniano é mais fácil falar, não é? E2.5: muitas vezes faço contas no trabalho, mas contar começo a contar em ucraniano. eles-- porque eu disse olha, para mim é mais fácil contar na-- E: nós pensamos na nossa língua, não é 4

5 E2.5: é (riso) é verdade. Depois em português, posso dizer em português mas ã: a contar E: lá atrás está o ucraniano E2.5: a memória está no ucraniano E: é natural. E estando cá-- há quanto tempo é que me disse que estava cá? E2.5: ã: treze catorze anos, dois mil e um E: já vai conhecendo um bocadinho os nossos hábitos, certo? E2.5: *** E: conhece as tradições e a maneira de estar das pessoas, a comida (E2.5: ã: ) não sei se experimenta, se em casa faz-- E2.5: faço todos os dias, porque eu sou cozinheira (E: ah pois, exatamente) e tenho que fazer, não é, todos os dias, é tudo português E: conhece, ã: identifica-se com alguns desses hábitos, algumas das-- E2.5: sim tenho amigos que é português, cabo-verde, brasil ã: (E: sim) pronto, cada-- cada E: é interessante conhecer um bocadinho de cada [alguém interrompe] E: ok, estou mesmo a terminar. sente que a sua cultura e as suas raízes são respeitadas cá em Portugal? E2.5: sim (E: sim?) quer dizer, já há muitos anos atrás que patrões não davam o dia do nosso natal, não é, agora já eles respeitam, já-- E: é um dia diferente? Não é o mesmo dia que o nosso? E2.5: não. o vosso é vinte e quatro E: vinte cinco, vinte e quatro vinte cinco,, sim E2.5:o nosso é dia sete E: dia sete E2.5: sete de janeiro (E: ah) patrões agora dá férias E: já respeitam essa-- essas condições E2.5: tinha um dia, pronto um ano irmão que veio mesmo esse dia de férias, não deram porque tinha trabalho, tinha serviço, não deram, agora já respeitam (E: já consegue) já está-- E: ok. ã: última pergunta, sente que ter vindo para Portugal e viver cá há tantos anos a mudou enquanto pessoa? A maneira de pensar, a maneira de de ver as coisas E2.5: há *** não é? (E: é?) com tantos anos de estar cá-- E: se tivesse ficado na Ucrânia sente que seria uma pessoa diferente hoje? E2.5: eu acho que sim 5

6 E: acha que sim? E2.5: é assim, é complicado: arranjar trabalho lá (E: sim) acabei o curso: E: qual é o seu curso? E2.5: ã: analista, analista *** E:sim, ensino superior, portanto E2.5: hum E: fez o décimo segundo ou ensino superior? E2.5: três e depois três anos do coiso E: faculdade? E2.5: sim E: ok. e aqui não conseguiu equivalência ao seu curso? E2.5: tinha que estudar outra vez. Só que é assim, eu vou para aqui para trabalhar, não para estudar, não é (E: pois) tenho dois filhos (E: exatamente) e então não-- não vou estar a estudar. Mas há muita gente que vai ã: na lista da nossa empresa diz se eu quisesse, mas eu não quero (riso) agora estudar novamente (E: é complicado) é complicado A: não tenho idade para isto E2.5: não (riso) ã: os mais novos, os filhos, tiraram. Eu queria, mas é complicado E: em questão de organização de vida também é um bocado complicado estar a voltar um bocadinho atrás, não é E2.5: é E: pronto. então, está terminado

Anexo 4- Dados das entrevistas do Grupo II

Anexo 4- Dados das entrevistas do Grupo II Anexo 4- Dados das entrevistas do Grupo II Grupo II Informantes idade Sexo profissão escolaridade Tempo de imigração em Portugal Língua materna E2.1 42 Masc. Jardineiro 12º 12 anos Ucraniano E2.2 62 Fem.

Leia mais

Anexo 2.2- Entrevista G1.2

Anexo 2.2- Entrevista G1.2 Entrevistado: E1.2 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 53 anos Masculino Cabo-Verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: 4ª classe Imigrações prévias : -- Língua materna: Outras línguas: Agregado

Leia mais

Anexo 2.8- Entrevista G2.3

Anexo 2.8- Entrevista G2.3 Entrevista G2.3 Entrevistado: E2.3 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência e 45 anos Masculino Ucrânia 14 anos m Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias: Ensino superior Polónia Língua materna:

Leia mais

Aexo 3 Dados das entrevistas do grupo 1

Aexo 3 Dados das entrevistas do grupo 1 Aexo 3 Dados das entrevistas do grupo 1 Grupo I Informantes idade Sexo profissão Escolarida de Tempo de imigração em Portugal Língua materna E1.1 51 anos Masc. -- 6ª classe 40 anos Crioulo cv E1.2 53 anos

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Fabrício Local: Núcleo de Arte do Neblon Data: 26.11.2013 Horário: 14h30 Duração da entrevista: 20min COR PRETA

Leia mais

Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência

Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Identificação ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista 4-8-2012 Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência

Leia mais

INQ Como é que surgiu a decisão de vir para França? Foi assim de um dia para o outro? Como é que decidiu vir para cá?

INQ Como é que surgiu a decisão de vir para França? Foi assim de um dia para o outro? Como é que decidiu vir para cá? Transcrição da entrevista: Informante: nº9 Célula: 3 Data da gravação: Agosto de 2009 Geração: 1ª Idade: 63 Sexo: Feminino Tempo de gravação: 11.58 minutos INQ Como é que surgiu a decisão de vir para França?

Leia mais

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde PERGUNTAS METALINGUÍSTICAS Doc.: J. quais são as línguas que você fala " Inf.: eu " (+) inglês né falo

Leia mais

BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO

BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO PROFESSORA Bom dia meninos, estão bons? TODOS Sim. PROFESSORA Então a primeira pergunta que eu vou fazer é se vocês gostam

Leia mais

Identificação. F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de nascimento/residência

Identificação. F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de nascimento/residência 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Identificação F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista 4-5-2011 Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de

Leia mais

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1 Entrevista G1.1 Entrevistado: E1.1 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 51 anos Masculino Cabo-verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias : São Tomé (aos 11 anos) Língua materna:

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 3 Data: 18/10/2010 Hora: 19h00 Duração: 22:25 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Anexo 2.4- Entrevista G1.4

Anexo 2.4- Entrevista G1.4 Entrevista G1.4 Entrevistado: E1.4 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 38 anos Feminino Cabo-verde/Guiné-Bissau 19 anos em Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias : 12º ano Não Língua

Leia mais

TABUADA DAS OBJEÇÕES

TABUADA DAS OBJEÇÕES TABUADA DAS OBJEÇÕES Você já sentiu acuada, sem palavras ao ouvir alguma objeção de sua potencial iniciada!? As pessoas que você vai abordar são tão especiais quanto você e se elas disserem não, lembre-se

Leia mais

*veio para Lisboa com 1 ano Entrevista é interrompida 1 vez

*veio para Lisboa com 1 ano Entrevista é interrompida 1 vez 1 Identificação FL06 Duração da entrevista 28:24 Data da entrevista 24-09-2012 Ano de nascimento (Idade) 1974 (38) Local de nascimento/residência Moçambique*/Lisboa Grau de escolaridade mais elevado Licenciatura,

Leia mais

1 filho de 11 anos Local da entrevista Local de trabalho entrevistada no local de trabalho, numa sala ao lado da sala Comentários

1 filho de 11 anos Local da entrevista Local de trabalho entrevistada no local de trabalho, numa sala ao lado da sala Comentários 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 Identificação F01 Duração da entrevista 24:58 Data da entrevista 6-5-2011 Ano de nascimento (Idade) 1971 (39) Local de nascimento/residência

Leia mais

Os Principais Tipos de Objeções

Os Principais Tipos de Objeções Os Principais Tipos de Objeções Eu não sou como você" Você tem razão, eu não estou procurando por pessoas que sejam como eu. Sou boa no que faço porque gosto de mim como eu sou. Você vai ser boa no que

Leia mais

MÃE, QUANDO EU CRESCER...

MÃE, QUANDO EU CRESCER... MÃE, QUANDO EU CRESCER... Dedico este livro a todas as pessoas que admiram e valorizam a delicadeza das crianças! Me chamo Carol, mas prefiro que me chamem de Cacau, além de ser um apelido que acho carinhoso,

Leia mais

CIPLE CERTIFICADO INICIAL DE PORTUGUÊS LÍNGUA ESTRANGEIRA

CIPLE CERTIFICADO INICIAL DE PORTUGUÊS LÍNGUA ESTRANGEIRA CIPLE CERTIFICADO INICIAL DE PORTUGUÊS LÍNGUA ESTRANGEIRA COMPREENSÃO DA LEITURA PRODUÇÃO E INTERAÇÃO ESCRITAS INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES PARA OS CANDIDATOS Esta componente tem a duração de 1 hora e 15 minutos.

Leia mais

Olhando o Aluno Deficiente na EJA

Olhando o Aluno Deficiente na EJA Olhando o Aluno Deficiente na EJA ConhecendoJoice e Paula Lúcia Maria Santos Tinós ltinos@ffclrp.usp.br Apresentando Joice e Paula Prazer... Eu sou a Joice Eu sou a (...), tenho 18 anos, gosto bastante

Leia mais

Protocolo da Entrevista a Anália

Protocolo da Entrevista a Anália Protocolo da Entrevista a Anália 1 Pedia-lhe que me contasse o que lhe aconteceu de importante desde que acabou a licenciatura até agora. Então, eu acabei o 4.º ano da licenciatura e tinha o 5.º ano que

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex Praticante Denise Local: Núcleo de Arte Albert Einstein Data: 03.12.2013 Horário: 10 h30 Duração da entrevista: 1h.

Leia mais

FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO:

FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO: FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: M.A.M.B. SEXO: Masculino IDADE: 27 anos - Faixa II ESCOLARIZAÇÃO: 9 a 11 anos (2º grau incompleto) LOCALIDADE: Batateira - Zona Urbana PROFISSÃO: Comerciante DOCUMENTADORA:

Leia mais

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com Subjects on this conversation: How it is like to live in Uberlândia MG. Context: In this conversation André talks to his aunt Edmárcia, about the city of Uberlândia, in Minas Gerais state. She tells us

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Igor Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 05 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista:

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 10

Transcrição de Entrevista nº 10 Transcrição de Entrevista nº 10 E Entrevistador E10 Entrevistado 10 Sexo Feminino Idade 31 anos Área de Formação Engenharia Informática E - Acredita que a educação de uma criança é diferente perante o

Leia mais

A MULHER VESTIDA DE PRETO

A MULHER VESTIDA DE PRETO A MULHER VESTIDA DE PRETO Uma Mulher abre as portas do seu coração em busca de uma nova vida que possa lhe dar todas as oportunidades, inclusive de ajudar a família. Ela encontra nesse caminho a realização

Leia mais

Identificação. FL14 Duração da entrevista 31:10 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1973 (39) Local de nascimento/residência

Identificação. FL14 Duração da entrevista 31:10 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1973 (39) Local de nascimento/residência 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 Identificação FL14 Duração da entrevista 31:10 Data da entrevista 2-3-2013 Ano de nascimento (Idade) 1973 (39) Local de nascimento/residência

Leia mais

Stª Maria da Feira/ Carcavelos Grau de escolaridade + elevada

Stª Maria da Feira/ Carcavelos Grau de escolaridade + elevada 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Identificação M10 Duração da entrevista 44:40 Data da entrevista Idade 1944 (67) Local de nascimento/residência Stª Maria da Feira/

Leia mais

UMA HISTÓRIA DE AMOR

UMA HISTÓRIA DE AMOR UMA HISTÓRIA DE AMOR Nunca fui de acreditar nessa história de amor "á primeira vista", até conhecer Antonio. Eu era apenas uma menina, que vivia um dia de cada vez sem pretensões de me entregar novamente,

Leia mais

ANEXO 12A Protocolo da Entrevista à Catarina (Mãe do Miguel) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA E4

ANEXO 12A Protocolo da Entrevista à Catarina (Mãe do Miguel) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA E4 ANEXO 12A Protocolo da Entrevista à Catarina (Mãe do Miguel) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA E4 Duração da entrevista: 40 minutos C 1 - Não sei se a Lurdes lhe disse. Eu no ano passado estive doente (

Leia mais

Projectos de vida de jovens com baixas qualificações escolares

Projectos de vida de jovens com baixas qualificações escolares Fórum de Pesquisas CIES 2008 Desigualdades Sociais em Portugal Projectos de vida de jovens com baixas qualificações escolares Maria das Dores Guerreiro (coord.) Frederico Cantante Margarida Barroso 1 Projecto

Leia mais

Equivalente ao 12º ano, já em idade adulta Estado civil

Equivalente ao 12º ano, já em idade adulta Estado civil 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Identificação ML11 Duração da entrevista 28:21 Data da entrevista 23-11-2012 Ano de nascimento (Idade) 1943 (69) Local de nascimento/residência

Leia mais

Dimensões. Institucionalização. Entrevistado

Dimensões. Institucionalização. Entrevistado Dimensões Institucionalização Entrevistado F 2 Imagem sobre a velhice Entristece-me muito chegar aqui e olhar para determinados idosos que estão aqui, venho cá três vezes por semana no mínimo e nunca vejo

Leia mais

P/1 E qual a data do seu nascimento? Eu te ajudo. Já te ajudo. Dia 30 de março de 1984.

P/1 E qual a data do seu nascimento? Eu te ajudo. Já te ajudo. Dia 30 de março de 1984. museudapessoa.net P/1 Então, vamos lá. Eu queria que você me falasse seu nome completo. R Meu nome é Karen Fisher. P/1 E onde você nasceu, Karen? R Eu nasci aqui no Rio, Rio de Janeiro. P/1 Na cidade mesmo?

Leia mais

Maria Luiza Braga (UFRJ)

Maria Luiza Braga (UFRJ) Entrevista Maria Luiza Braga (UFRJ) André Felipe Cunha Vieira Gostaria( de( começar( esta( entrevista( agradecendo( por( você( aceitar( nosso( convite(e(nos(receber(em(sua(casa.(ler(seu(currículo(lattes(é(um(exercício(de(

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Sonia Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 5 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista:

Leia mais

PSY: Você também tratou muito dela quando viviam as duas. A: Depois não percebe que tem de ir apresentável! Só faz o que lhe apetece!

PSY: Você também tratou muito dela quando viviam as duas. A: Depois não percebe que tem de ir apresentável! Só faz o que lhe apetece! Anexo 3 SESSÃO CLÍNICA - A PSY: Então como tem andado? A:Bem. Fomos as três a Fátima, foi giro. Correu bem, gosto de ir lá. Tirando a parte de me chatear com a minha irmã, mas isso já é normal. Anda sempre

Leia mais

Projeto Intermunicipal Ruas da Lezíria

Projeto Intermunicipal Ruas da Lezíria Município do Cartaxo Agrupamento Marcelino Mesquita Escola Básica do 1.º ciclo n.º 2 do Cartaxo Projeto Intermunicipal Ruas da Lezíria Ano Letivo 2011/2012 Turma 2.º A Bilhete de Identidade e se a turma

Leia mais

Ele ajudou-me muito, é um Santo, que Deus o tenha, a sua alma em eterno descanso.

Ele ajudou-me muito, é um Santo, que Deus o tenha, a sua alma em eterno descanso. ENTREVISTA C2: A entrevista começa com a pergunta: Como vão as coisas lá por casa. As coisas agora, vão melhor, porque estou no centro de dia, e lá sinto-me muito bem, mas passo a noite em casa da minha

Leia mais

Edição conforme o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

Edição conforme o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa Edição conforme o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa Ilustração da Capa: Grace Kelli Pereira Projeto gráfico e editoração eletrônica: WOZi Revisão: Roque Aloisio Weschenfelder Todos os direitos desta

Leia mais

(18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA?

(18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA? (18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA? (VC): HUAHSUASHUAHSUAHSUA SEI LÁ (EU): ENTENDO TUDO NO REAL TA DESABANDO

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 7 Data: 22/10/2010 Hora: 19h30 Duração: 30:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Minha História de amor

Minha História de amor Minha História de amor Hoje eu vou falar um pouco sobre a minha história de amor! Bem, eu namoro à distância faz algum tempinho. E não é uma distância bobinha não, são 433 km, eu moro em Natal-Rn, e ela

Leia mais

Suelen e Sua História

Suelen e Sua História Suelen e Sua História Nasci em Mogi da Cruzes, no maternidade Santa Casa de Misericórdia no dia 23 de outubro de 1992 às 18 horas. Quando eu tinha 3 anos de idade fui adotada pela tia da minha irmã, foi

Leia mais

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 Integração entre Serviços e Benefícios VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 A desproteção e a vulnerabilidade são multidimensionais

Leia mais

Porque só entendo o que o meu professor de Inglês diz?

Porque só entendo o que o meu professor de Inglês diz? Porque só entendo o que o meu professor de Inglês diz? Você já se perguntou porque é mais complicando entender estrangeiros falando Inglês do que o seu professor? Ou seja, ao ter contato com outras pessoas

Leia mais

Os vinhateiros. Referência Bíblica: Mateus

Os vinhateiros. Referência Bíblica: Mateus Os vinhateiros Referência Bíblica: Mateus 20. 1-16 Introdução: O que é de fato o Reino de Deus começa Jesus a explicar, circundado por muita gente que o escuta atentamente... Um senhor era dono de uma

Leia mais

Escala de Autodeterminação (versão para adolescentes e adultos)

Escala de Autodeterminação (versão para adolescentes e adultos) Escala de Autodeterminação (versão para adolescentes e adultos) Original de Wehmeyer & Kelchner (1995) e adaptado por Torres e Santos (2014) Nome: Género: F M Data de nascimento: / / Idade: anos Data de

Leia mais

Falará sobre o NTI auxiliando no processo de apoio às ações de ensino dos alunos, particularmente os alunos do Curso de Letras da UFAC.

Falará sobre o NTI auxiliando no processo de apoio às ações de ensino dos alunos, particularmente os alunos do Curso de Letras da UFAC. UFAC RBR-AC 31.10.2011 Falará sobre o NTI auxiliando no processo de apoio às ações de ensino dos alunos, particularmente os alunos do Curso de Letras da UFAC. [Se identificou, identificou o setor e o Diretor

Leia mais

O criador de ilusões

O criador de ilusões O criador de ilusões De repente do escuro ficou claro, deu para ver as roupas brancas entre aventais e máscaras e foi preciso chorar, logo uma voz familiar misturada com um cheiro doce e agradável de

Leia mais

Uma lição de vida. Graziele Gonçalves Rodrigues

Uma lição de vida. Graziele Gonçalves Rodrigues Uma lição de vida Graziele Gonçalves Rodrigues Ele: Sente sua falta hoje na escola, por que você não foi? Ela: É, eu tive que ir ao médico. Ele: Ah, mesmo? Por que? Ela: Ah, nada. Consultas anuais, só

Leia mais

A sanita mutante! Coleção. Os Mutantes. Já publicados A sanita mutante. A publicar Os óculos mutantes A esferográfica mutante

A sanita mutante! Coleção. Os Mutantes. Já publicados A sanita mutante. A publicar Os óculos mutantes A esferográfica mutante Coleção A sanita mutante! Os Mutantes Já publicados A sanita mutante A publicar Os óculos mutantes A esferográfica mutante O prego mutante Frutas mutantes Estrela mutante A irmã mutante Maio de 2016 20

Leia mais

Nome do entrevistado: Telefone: Rua : N.º : Andar : Porta : Localidade : Entrevistador

Nome do entrevistado: Telefone: Rua : N.º : Andar : Porta : Localidade : Entrevistador SÉRIE N.º FOLHA DE CONTACTOS N.º Nome do entrevistado: Telefone: Rua : N.º : Andar : Porta : Localidade : Entrevistador REGISTO DAS VISITAS Modo de Visita Resultado da Visita (Visita = todas as tentativas

Leia mais

Samuel jogou suas coisas em seu quarto e saiu correndo em direção. eram noticias ruins em relação a Sara, a voz da doutora dizia isso.

Samuel jogou suas coisas em seu quarto e saiu correndo em direção. eram noticias ruins em relação a Sara, a voz da doutora dizia isso. Bruno D. Vieira 8 Samuel jogou suas coisas em seu quarto e saiu correndo em direção ao consultório da psicóloga, a única coisa que passava em sua mente eram noticias ruins em relação a Sara, a voz da doutora

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS NILTON SANTOS DE ATHAYDE (depoimento) 2011 CEME-ESEF-UFRGS FICHA TÉCNICA Projeto:

Leia mais

manhã a minha irmã Inês vai ter o seu primeiro dia de escola. Há mais de uma semana que anda muito irrequieta e não para de me fazer perguntas,

manhã a minha irmã Inês vai ter o seu primeiro dia de escola. Há mais de uma semana que anda muito irrequieta e não para de me fazer perguntas, 5 6 manhã a minha irmã Inês vai ter o seu primeiro dia de escola. Há mais de uma semana que anda muito irrequieta e não para de me fazer perguntas, sempre a incomodar-me. Por vezes, eu divirto-me a responder.

Leia mais

Depois do almoço e do soninho da tarde...

Depois do almoço e do soninho da tarde... Marquinhos e sua querida mãe tiveram uma tarde muito especial. Como será que foi? Vamos ver? Mamãe! Mamãe!! Oi, filho! Mamãe! Hoje, lá na Escola das Escrituras, as professoras pediram que nós orássemos

Leia mais

Entrevista Rodrigo

Entrevista Rodrigo Entrevista 1.17 - Rodrigo (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento)

Leia mais

Oi muito trabalho e o beija flor Henrique e Juliano Part de um amigo meu que tem que ser meio complicado pra mim é o que paresce que não vai dar

Oi muito trabalho e o beija flor Henrique e Juliano Part de um amigo meu que tem que ser meio complicado pra mim é o que paresce que não vai dar Eu desajeitado Oi muito trabalho e o beija flor Henrique e Juliano Part de um amigo meu que tem que ser meio complicado pra mim é o que paresce que não vai dar certo se ele tá impondo muita ele n tá respeitando

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 8 Data: 28/10/2010 Hora: 13h00 Duração: 26:31 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

OUTUBRO Quarta-feira Os meus pais estão sempre a dizer que o mundo não gira à minha volta, mas às vezes pergunto-me se não girará MESMO.

OUTUBRO Quarta-feira Os meus pais estão sempre a dizer que o mundo não gira à minha volta, mas às vezes pergunto-me se não girará MESMO. OUTUBRO Quarta-feira Os meus pais estão sempre a dizer que o mundo não gira à minha volta, mas às vezes pergunto-me se não girará MESMO. Quando era pequeno, vi um filme sobre um homem que tinha sido secretamente

Leia mais

LELO AMARELO BELO. (Filosofia para crianças) ROSÂNGELA TRAJANO. Volume III 05 anos de idade

LELO AMARELO BELO. (Filosofia para crianças) ROSÂNGELA TRAJANO. Volume III 05 anos de idade LELO AMARELO BELO (Filosofia para crianças) Volume III 05 anos de idade ROSÂNGELA TRAJANO LELO AMARELO BELO Rosângela Trajano LELO AMARELO BELO VOLUME III (05 ANOS) DE IDADE 1ª EDIÇÃO LUCGRAF NATAL 2012

Leia mais

*SÃO PALAVRAS EMPREGADAS PARA ACOMPANHAR OU SUBSTITUIR OS SUBSTANTIVOS. *PRONOME SUBSTANTIVO = SUBSTITUI *PRONOME ADJETIVO = ACOMPANHA

*SÃO PALAVRAS EMPREGADAS PARA ACOMPANHAR OU SUBSTITUIR OS SUBSTANTIVOS. *PRONOME SUBSTANTIVO = SUBSTITUI *PRONOME ADJETIVO = ACOMPANHA * AULA 07 PRONOME *SÃO PALAVRAS EMPREGADAS PARA ACOMPANHAR OU SUBSTITUIR OS SUBSTANTIVOS. *PRONOME SUBSTANTIVO = SUBSTITUI ALGUÉM BATEU À PORTA *PRONOME ADJETIVO = ACOMPANHA ALGUMAS ALUNAS VIERAM À AULA

Leia mais

Questionário de Lapsos de Memória

Questionário de Lapsos de Memória Questionário de Lapsos de Memória É raro o dia em que uma pessoa não tenha uma falha de memória. Numa altura esquecêmo-nos onde deixamos o guarda-chuva, noutra altura esquecêmonos daquele artigo importante

Leia mais

A paz já lá está A paz já lá está, Página 1

A paz já lá está A paz já lá está, Página 1 A paz já lá está! A paz já lá está, Página 1 A minha mensagem é muito, muito simples. Muitas pessoas vêm ouvir-me e sentam-se aí, meio tensas: "O que é que eu vou ouvir?" E eu digo-lhes sempre: "Relaxem."

Leia mais

David Livingstone. O Rapaz na Galeria do Orgao. 1a Parte

David Livingstone. O Rapaz na Galeria do Orgao. 1a Parte David Livingstone ~ O Rapaz na Galeria do Orgao 1a Parte Era uma noite de inverno quando o Dr. Robert Moffat, conhecido missionário na África, chegou a uma pequena igreja escocesa para pregar um sermão.

Leia mais

Identificação. FL12 Duração da entrevista 44:42 Data da entrevista Ano de Nascimento (Idade) 1975 (37) Local de nascimento/residência

Identificação. FL12 Duração da entrevista 44:42 Data da entrevista Ano de Nascimento (Idade) 1975 (37) Local de nascimento/residência 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 Identificação FL12 Duração da entrevista 44:42 Data da entrevista 21-11-2012 Ano de Nascimento (Idade) 1975 (37) Local de nascimento/residência

Leia mais

Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram

Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram CAPÍTULO UM Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram chegando durante todo o verão. Cada um deixava Matthew um pouco mais tenso: Para: mstheworld@gmail.com Assunto: Estou feliz! Acabo

Leia mais

Edição n.º 2 26 de setembro de À conversa com o padre Fabián

Edição n.º 2 26 de setembro de À conversa com o padre Fabián JORNAL DO PRÍNCIPE Edição n.º 2 26 de setembro de 2014 À conversa com o padre Fabián Veio da Colômbia para o Príncipe há 10 anos. A comunidade sorri e diverte-se com as suas mensagens, sempre positivas.

Leia mais

Anexo IV. Guião de entrevista

Anexo IV. Guião de entrevista Anexo IV Guião de entrevista 72 Guião de entrevista 0. Apresentação e explicação da entrevista I. Ela e o passado: trajectória de vida Origem social e percepção da vida passada O que faziam os seus pais

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ALINE PELLEGRINO II

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ALINE PELLEGRINO II CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ALINE PELLEGRINO II (depoimento) 2014 FICHA TÉCNICA ENTREVISTA CEDIDA PARA PUBLICAÇÃO NO REPOSITÓRIO DIGITAL

Leia mais

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05 Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/2012 16:19:05 Minha_Vida_Agora.indd 8 11/06/2012 16:19:06 1 Meu nome é Elizabeth, mas ninguém nunca me chamou assim. Meu pai deu uma olhada em mim quando nasci e

Leia mais

Transcrição. Apresentador: Olá você em todo o Brasil, eu sou o Luciano Seixas e começa agora mais um Café com a Presidenta Dilma. Bom dia, presidenta!

Transcrição. Apresentador: Olá você em todo o Brasil, eu sou o Luciano Seixas e começa agora mais um Café com a Presidenta Dilma. Bom dia, presidenta! A conta de luz das residências vai ficar 16,2% mais barata, enquanto que, para as indústrias, a redução pode chegar a 28%, dependendo do nível de tensão. Segundo a presidenta Dilma Rousseff, a medida é

Leia mais

ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares

ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares AN O ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares o Literária ata Soares OC. ento Social. Dois casais discutem a vida conjugal, sofrendo a influências mútuas. Os temas casamento,

Leia mais

Sem Cerimónia nem Papéis Um estudo sobre as Uniões de facto em Portugal. Ficha de Caracterização dos Entrevistados e Cônjuges Parte I

Sem Cerimónia nem Papéis Um estudo sobre as Uniões de facto em Portugal. Ficha de Caracterização dos Entrevistados e Cônjuges Parte I Sem Cerimónia nem Papéis Um estudo sobre as Uniões de facto em Portugal Ficha de Caracterização dos Entrevistados e Cônjuges Parte I Q1. Sexo M F Concelho de Residência / Distrito --------------- Q2. Situação

Leia mais

A Conversa de Lucila. (No escuro ouve-se o bater de asas. A luz vai lentamente iluminando o quarto de Lucila, o anjo está pousado em uma mesa.

A Conversa de Lucila. (No escuro ouve-se o bater de asas. A luz vai lentamente iluminando o quarto de Lucila, o anjo está pousado em uma mesa. 1 A Conversa de Lucila De Cláudia Barral (No escuro ouve-se o bater de asas. A luz vai lentamente iluminando o quarto de Lucila, o anjo está pousado em uma mesa.) O anjo Lucila, quer montar nas minhas

Leia mais

Foram todos excelentes. Dez.

Foram todos excelentes. Dez. Categoria Sub-categoria Unidades de registo Ent. -Sobre a equipa técnicopedagógica(1 a 10) 10 excelente 10. Se é excelente tenho de dar 10. Entre o 9 e 10 tenho de dar se é excelente. A2 10 A3 Até agora,

Leia mais

[O processo de seleção:]

[O processo de seleção:] [O processo de seleção:] [Prepare-se para passar em uma entrevista:] Informe-se sobre a empresa. Vista-se de acordo. Preste atenção aos seus gestos. [Prepare-se para passar em uma entrevista:] Informe-se

Leia mais

- Eu nasci 20 de Setembro, 18 de Setembro de 53, só que na minha registo não está assim, mas meu nascimento é assim

- Eu nasci 20 de Setembro, 18 de Setembro de 53, só que na minha registo não está assim, mas meu nascimento é assim ENTREVISTADO 1 Há quanto tempo é que a [nome] está aqui na alfabetização? - Este ano é ano de três quase É o terceiro ano que está aqui na alfabetização - Primeiro ano é aqui, segundo ano no salão Polón

Leia mais

GRELHA DE ANÁLISE DA ENTREVISTA EFETUADA À FUNCIONÁRIA C. A entrevistada tem 31 anos e é casada. Tem o 12º ano de escolaridade.

GRELHA DE ANÁLISE DA ENTREVISTA EFETUADA À FUNCIONÁRIA C. A entrevistada tem 31 anos e é casada. Tem o 12º ano de escolaridade. GRELHA DE ANÁLISE DA ENTREVISTA EFETUADA À FUNCIONÁRIA C CATEGORIAS DE ANÁLISE Caracterização sociodemográfica Idade Sexo Estado civil Grau de escolaridade / habilitações Experiência profissional Função

Leia mais

Entrevista Alexandre

Entrevista Alexandre Entrevista 2.24 - Alexandre (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento).

Leia mais

INQUÉRITO INTEGRADO À FORÇA DE TRABALHO - IFTRAB 2004/5 QUESTIONÁRIO PARA PESSOAS DE 7-17 ANOS DE IDADE IDENTIFICAÇÃO

INQUÉRITO INTEGRADO À FORÇA DE TRABALHO - IFTRAB 2004/5 QUESTIONÁRIO PARA PESSOAS DE 7-17 ANOS DE IDADE IDENTIFICAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA INQUÉRITO INTEGRADO À FORÇA DE TRABALHO - IFTRAB 2004/5 QUESTIONÁRIO PARA PESSOAS DE 7-17 ANOS DE IDADE IDENTIFICAÇÃO CONFIDENCIAL PROVÍNCIA DISTRITO POSTO ADMINISTRATIVO

Leia mais

Fichas de Português. Bloco V. Estruturas Gramaticais. Números cardinais ; 101 a Количественные числительные... Numerale cardinale...

Fichas de Português. Bloco V. Estruturas Gramaticais. Números cardinais ; 101 a Количественные числительные... Numerale cardinale... Fichas de Português Bloco V Estruturas Gramaticais Números cardinais ; 101 a 1 000 000 000. Количественные числительные... Numerale cardinale... Preposição + pronomes pessoais. Пpeдлoг + мecтoимeниe. Prepoziţii

Leia mais

Eu queria desejar a você toda a felicidade do mundo e Obrigado, vô.

Eu queria desejar a você toda a felicidade do mundo e Obrigado, vô. Parabéns para o Dan Tocou o telefone lá em casa. Meu pai atendeu na sala. Alô. Meu avô, pai do meu pai, do outro lado da linha, fez voz de quem não gostou da surpresa. Eu liguei pra dar parabéns ao Dan.

Leia mais

Re-cordis. Maria Bethânia de Siqueira Leite Fochi dos Santos

Re-cordis. Maria Bethânia de Siqueira Leite Fochi dos Santos Re-cordis Re-cordis Maria Bethânia de Siqueira Leite Fochi dos Santos Apresentação Este livro digital foi criado como sugestão da Professora Alessandra Rodrigues. Não escondo que escrever um livro - ainda

Leia mais

ANEXO X. "às vezes [as tarefas] são um bocado difíceis"

ANEXO X. às vezes [as tarefas] são um bocado difíceis Afeto Atitudes dos alunos - 1º momento Cognição Competência percebida Valor Instrumental Comportamento Empenho Notas.ºP Alunos Positivo Negativo Não tenho Tenho algumas Tenho muitas Quotidiano Contexto

Leia mais

De boteco de verduras a borracharia comércio celebra 4 décadas

De boteco de verduras a borracharia comércio celebra 4 décadas De boteco de verduras a borracharia comércio celebra 4 décadas Washington, Borracha Guri e Não que estamos desejando isso, ou lançando uma premonição aqui no Uberaba Popular, mas pode acontecer de o pneu

Leia mais

A6- Boomwhackers. Eu- boomwhackers, mais? Tu consideras que aprendeste alguma coisa nova? A4 Aprender de novo acho que só, talvez algumas técnicas a

A6- Boomwhackers. Eu- boomwhackers, mais? Tu consideras que aprendeste alguma coisa nova? A4 Aprender de novo acho que só, talvez algumas técnicas a Entrevista 4 Alunos entrevistados: Aluno 1- Inês Bártolo Aluno 2 Inês Bento Aluno 3- João Duarte Aluno 4-Miguel Coelho Aluno 5- Daniel Silva Aluno 6- Diogo Marques Eu Antes de mais quero saber se vocês

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

SUGESTÃO DE LITURGIA PARA O DOMINGO DE RAMOS E O DIA DO/A PASTOR/A 2014.

SUGESTÃO DE LITURGIA PARA O DOMINGO DE RAMOS E O DIA DO/A PASTOR/A 2014. SUGESTÃO DE LITURGIA PARA O DOMINGO DE RAMOS E O DIA DO/A PASTOR/A 2014. Adoração Acolhida Leitura Bíblica: Zacarias 9.9; 16-17. Sugestões de Cânticos: - HE 105 - Louvemos ao Senhor [Ademar de Campos]-

Leia mais

Dicas incríveis para vender mais... muito mais

Dicas incríveis para vender mais... muito mais 5... Dicas incríveis para vender mais... muito mais O que você vai encontrar neste ebook o que você vai encontrar neste ebook aprenda como gerar 3 mil reais em vendas no Facebook sem gastar com anúncios

Leia mais

A DOCUMENTAÇÃO DA APRENDIZAGEM: A VOZ DAS CRIANÇAS. Ana Azevedo Júlia Oliveira-Formosinho

A DOCUMENTAÇÃO DA APRENDIZAGEM: A VOZ DAS CRIANÇAS. Ana Azevedo Júlia Oliveira-Formosinho A DOCUMENTAÇÃO DA APRENDIZAGEM: A VOZ DAS CRIANÇAS Ana Azevedo Júlia Oliveira-Formosinho Questões sobre o portfólio respondidas pelas crianças: 1. O que é um portfólio? 2. Gostas do teu portfólio? Porquê?

Leia mais

Quando amamos muito alguém raramente pensamos na hipótese de lhe acontecer alguma coisa.

Quando amamos muito alguém raramente pensamos na hipótese de lhe acontecer alguma coisa. Capítulo 3 Quando amamos muito alguém raramente pensamos na hipótese de lhe acontecer alguma coisa. As respostas voltam no teu exemplo. Achei que estava a viver uma vida normal. Eu escolhi o lugar. A vida

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Maria Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 01.10.2013 Horário: 14h09 Duração da entrevista: 22min COR PRETA -

Leia mais

Em Círculos. Mateus Milani

Em Círculos. Mateus Milani Em Círculos Mateus Milani Que eu não perca a vontade de ter grandes amigos, mesmo sabendo que, com as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas Ariano Suassuna. Sinopse Círculos. A vida

Leia mais

AÇÕES GARANTEM O FUTURO. Sr. Luiz Barsi

AÇÕES GARANTEM O FUTURO. Sr. Luiz Barsi AÇÕES GARANTEM O FUTURO Sr. Luiz Barsi Relatório 37-03/07/2017 Na carta desta semana damos continuidade à transcrição da ótima entrevista realizada com Luiz Barsi Filho pela Infomoney, através do jornalista

Leia mais

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar...

A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... O pequeno Will A minha vida sempre foi imaginar. Queria ter um irmãozinho para brincar... Então um dia tomei coragem e corri até mamãe e falei: - Mãeee queria tanto um irmãozinho, para brincar comigo!

Leia mais

Modo de vida antigamente na Ilha São Jorge

Modo de vida antigamente na Ilha São Jorge Modo de vida antigamente na Ilha São Jorge Antigamente Segundo as entrevistas que fizemos, a vida em São Jorge não era nada fácil. As famílias, eram muito numerosas, umas tinham 10 filhos outras tinham

Leia mais

Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes

Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes O ATAQUE NA PISCINA Bárbara uma mulher de 25 anos, queria atrasar o livro de uma escritora famosa chamada Natália, Bárbara queria contar uns segredos bombásticos antes de Natália, Bárbara não queria que

Leia mais