ENTREVISTA USF CARUARU USUARIA DIABETES 14/07/14. R - não. Porque eu to deficiente. Eu trabalho m casa. Amputei a perna.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ENTREVISTA USF CARUARU USUARIA DIABETES 14/07/14. R - não. Porque eu to deficiente. Eu trabalho m casa. Amputei a perna."

Transcrição

1 ENTREVISTA USF CARUARU USUARIA DIABETES 14/07/14 P - por favor, me diga sua idade. R Vou fazer para o mês. P - a senhora estudou? R - estudei até a 3ª série. P - 3ª série. A senhora tem alguma ocupação, trabalha? R - não. Porque eu to deficiente. Eu trabalho m casa. Amputei a perna. P - então é do lar? R - é. P - a senhora tem alguma doença? R - tenho diabete, tenho astrose, problema de coluna, pressão alta. P - certo. Como a senhora acha que ta sua saúde hoje? R - ta muito boa não. Ta boa de jeito nenhum. P - por quê? R - porque eu vivo com esses problemas, cheia de dor. Ai não ta bem. P - certo. E a senhora me falou que tem diabetes. E há quanto tempo a senhora tem essa doença? R - eu tenho há uns dez anos. P - e como a senhora ficou sabendo que tinha essa doença? R - porque eu comecei a perder peso. Só perdendo peso. Meu deus, porque eu to perdendo peso? Ai eu fui pro medico, ele pediu exame de sangue ai acusou diabete. P - e esse medico que identificou que a senhora tinha diabetes, ele é de onde? R - ele é daqui de Caruaru. Ele, um tempo ele trabalhava ai no posto do Cedro, é Dr. Edson, mas ele não ta... Ainda receita aqui em Caruaru agora eu não sei onde é que ele trabalha não. P - certo. Esse posto do Cedro é feito esse postinho da Cidade Jardim, ou é um posto maior?

2 R - não. É um posto maior. P - que tem mais médico? R - tem mais. É. P - certo. E como tem sido a sua experiência com os serviços de saúde que senhora utiliza, pra cuidar dessa sua doença? R - olhe, é tudo difícil. Esse médico mesmo que eu vou pra astrose, se a pessoa na tiver o dinheiro pra pagar a consulta. Não consegue. É difícil. Esse outro médico vascular que eu tenho de ir pra ele passar os medicamentos, se for pelo SUS quando for ser atendido não tem mais nem graça. Que eu tava com minha perna inchando, tava inchada, muita dor, eu precisei ir pro medico vascular, já foi minha família que acertou e pagou a consulta. Porque se for pra esperar pelo medico do SUS, pessoa vai marcar, diz, não tem vaga não. Não tem vaga não. É difícil. P - certo. E pra cuidar da diabetes, como é? R - da diabete é ai no posto, eu pego os remédios lá. Aquele de 850, eu tomo dele. Ai vou pegar ai no posto. No postinho... P - certo. E quem são os profissionais responsáveis pelo seu atendimento da diabetes? R - lá? A doutora Luciana né, e tem as moças que trabalha lá né, agente de saúde. Essa menina que saiu daqui agora Nena. P - a ACS Nena? R - Nena, que é uma pessoa maravilhosa Nena. Muito boa. P - certo. E como é o seguimento dessa sua doença, o acompanhamento de seu tratamento? R - todo mês tem de ir pegar os remédios. Todo mês. Tem de ir lá. Eu mesma amputei essa perna. Passei muito tempo sem ir, e ainda as vezes eu não aguento ir, toda vez. Ele que vai pegar os remédios lá. P - seu esposo? R - a doutora nunca veio aqui fazer uma visita a mim. P - nunca? R - nunca veio. P - nesses dez anos? R - é nesses anos que eu andava sem saúde, ela nunca veio e depois que eu amputei a perna passei muito tempo aqui, ela nunca veio fazer uma visita, a doutora. Essa menina

3 vem direto, Nena. A enfermeira de lá é uma pessoa legal, ela vinha fazer curativo em mim, uma pessoa legal. Mas a doutora mesmo nunca veio não. Fazer uma visita a mim, não. P- e, tem algum medico que cuida da senhora também fora do posto, pra diabetes? R - não. P - tudo a senhora resolve aqui? R - é, diabete é ai. P entendi. E, a senhora acha que esse médico da unida e os outros que a senhora vai, vascular né, a senhora acha que eles se comunicam entre si? R - não. Acho que não. P - por que R - Não sei. Fala assim eles se comunicar com a doutora dai né? P - é. Discutir assim seu tratamento... R - Não, não. De jeito nenhum. P - E porque a senhora acha que não tem essa colaboração entre os dois? R - Eu não sei. P - certo. O que a senhora acha que deveria ser melhorado? R - melhorar assim, mais que eu acho é o atendimento né ai no posto, a doutora vê, se a pessoa não tiver condição de ir, ela vim fazer uma visita a pessoa né? Paciente. Mas ela nunca vem, ela nunca vem não. Se eu tiver doente mesmo tem que sair se arrastando, tem de ir lá, porque se for por ela vim visitar a pessoa, ela nunca vem, ela nunca vem não. P - então quando a senhora precisa do atendimento? R - é, tem de ir lá. P - e quando chega lá, como é o atendimento? R - quando ela ta lá, que ta atendendo, as vezes a pessoa é encaixado sabe. Pro diabético mesmo, a pessoa, pronto, hoje é a data de eu ir, ai ali ela já marca pra o outro mês ali no cartão... p - marca a volta? R - é. Ai quando chega o mês de novo, dia, a pessoa vai.

4 P - certo. E quando a senhora vai, quando a senhora é encaminhada pra esse outro medico, como esse vascular, a senhora acha que ele sabe de toda a sua historia, de tudo que a senhora passou? R - sobre o meu problema da perna, o vascular sabe por que eu contei a ele né meu problema, que aconteceu comigo, que eu fui pra Vitória pra precisar de amputar a perna, primeiro fui pro hospital de Bezerros, de lá me botaram pra Vitoria, pra amputar. Ai ele sabe por que eu disse a ele né. P - mas então quando a senhora chegou lá, ele não sabia desse...? R - não. Não sabia P - não foi nem um encaminhamento daqui do posto, da sua medica pra o outro medico? R - foi não. P - eles não mandam nada? R - não. To mentindo, quando eu precisei de ir pra o medico vascular aqui, ai eu pedi um encaminhamento pra eu ir pra Policlínica do Salgado, que a medica de lá também se chamava Luciana. Ai primeiro eu fui pra ela particular, mas eu não tenho condição de ta pagando medico particular, que eu não tenho condição. Ai meu filho descobriu que ela atendia de graça ai na clinica do Salgado, na Policlínica. Ai eu fui, minha filha foi lá pediu o encaminhamento a ela, ai ela deu, ai eu fui pra doutora. Pra essa doutora Luciana. Só que eu, não gostei dos medicamento dela num sabe, como ela consultava. Ai eu passei pra ir pra outro medico, que eu fui esse mês que passou, eu tava com a perna muito inchada e doendo... P - e foi aonde então? R - foi aqui em Caruaru. Foi para o doutor Jorge é, foi particular. Vou inté procurar vê que ele atende pelo SUS, que ele não é daqui, ele é de Garanhuns. P - certo. Então a senhora acha que essa comunicação entre o medico do posto e esse especialista, o quê que a senhora acha que poderia melhorar? R - melhorar, seria assim se eu conseguisse pelo SUS, com ele né, mas eu não sei se ele atende pelo SUS. P - certo. E, a senhora me disse que, é... Que tentou pelo SUS. E quando o especialista, quando a senhora é atendida lá no especialista, nesse vascular, ele lhe encaminha de volta pro posto, como é? R - não, ele passou uns medicamentos, pra eu tomar um remédio pra circulação pro resto da vida, passou um pra eu tomar dois meses pra, que serve melhor pra desinchar mais e outro ele passou pra eu tomar pro resto da vida. Ai disse quando eu precisasse, se tivesse com mais algum problema ai eu voltasse pra ele. Mas só que é pago, eu vou ver que acho ele pra, pelo SUS né. Eu não tenho condição de ta pagando consulta.

5 P - certo. E quando o especialista lhe encaminhou ao medico do posto, a senhora teve alguma dificuldade pra utilizar esses dois serviços, quando voltou do especialista pro posto? R - ai do posto só é mesmo problema de diabete, porque só tem essa doutora ai, só tem ela. Só é problema de diabete, que eu tenho de ir pra ela passar os remédios pra eu pegar no posto. P - certo. E senhora é atendida sempre pelo mesmo medico do posto? E por esse especialista? R - é, doutora Luciana é ai do posto. P - a senhora acha que isso influencia no seu atendimento, ser atendido sempre pelo mesmo medico? R - eu acho que não. Porque ela só é, ela só somente pra passar remédio pra diabete, se a pessoa tiver com outro problema, ela não é uma medica pra passar outros medicamentos. Só diabete mesmo. P - é em relação aos exames, como são feitos? R - os exames, que nem desse medico que eu fui, vascular, ele passou exame de sangue pra eu fazer pra vê a taxa da diabete. Ai eu fiz, ai mostrei a ele. P - ai a senhora fez, como é quando precisa fazer exame, como é que a senhora faz? R - se for ai no posto, a pessoa faz, ai passa quase um mês pra receber o resultado. Mas como ele pediu pra ver logo o resultado, ai eu paguei... Parece que foi trinta real dos exames, que eu fiz, lá no Labox, pra mostrar logo o medico que ele pediu que ele só me deu dez ias pra eu voltar, que era a volta, ai eu tive que fazer pra levar, o resultado. Porque ai, se eu disser assim, doutora passa um exame de sangue pra eu fazer, um hemograma, se eu pedir, ela passa, ela da, requisição pra fazer. Agora se não pedir, ela não é doutora não. Porque, meu pai tinha problema de diabete, mas todo mês que ele ia pra o medico, que ele ia no Recife, todo mês o medico pedia hemograma completo, todo mês ele fazia pra mostrar o medico. Mas ela não, se eu pedir, ai ela passa, mas se eu não pedir, ela não é doutora de dizer, olhe, faça esse exame pra eu ver suas taxas como ta, ela não pede, só se eu pedir... P - entendi. E quando é o especialista que passa exame, como é que a senhora faz? R - só passou esse agora sabe, esse medico de vascular. Porque eu só vou pra outro medico, se for outro problema assim sabe, que nem eu tenho problema no ossos, que eu tenho que ser acompanhada pelo medico todo mês, porque é pra ele passar, vê como é que ta, se ta servindo ou não o remédio, mas exame mesmo só quando pede assim que nem esse vascular mesmo pediu pra ver minhas taxas como tava, ai eu fiz. Mas ela mesmo dai é difícil, ela nunca pede não, só se eu falar com ela, doutora eu quero que a senhora passe, me de uma ordem pra eu fazer exame. P - ai esse que ele pediu, a senhora fez aonde, o vascular pediu?

6 R - eu fiz no Labox, que é ali em cima. P - O que é particular? R - Fiz particular, pra levar logo o resultado pra ele, porque se fosse fazer pelo SUS, é um mês, um mês e pouco, ai não ia bater com a data que ele marcou pra mim, que ele me deu dez dias pra eu voltar pra ele, ai não dava tempo, pra eu vim no medico pedir pra fazer, ali no posto. P - e como é a sua relação com o médico do posto? R - essa doutora? Olha eu nem sei lhe dizer viu. Porque ela é uma doutora que ela nunca visita a pessoa, assim, quando a pessoa vai pra ela, ela só é passar os remédios, não pergunta nem se a pessoa ta com algum problema ou não, ela é assim. Ela não é doutora ótima não, boa não... P - me diga uma coisa e como é sua relação com esse médico vascular? R esse médico vascular, minha relação com ele é boa, eu fui a primeira vez e a segunda pra ele. Que foi a consulta e a volta. Eu achei ele uma pessoa ótima, examina a pessoa muito bem. Eu gostei dele, porque, foi bom, minha relação com ele, porque ele... Manda a pessoa se cuidar bem, ter repouso, ter regime, se cuidar, que ele disse, olhe, você ta vendo sua dificuldade, você só tem uma perna, se você não zelar por ela. É um medico bom. P - certo. E como a senhor acha que o atendimento desses médicos influencia na sua atenção, no seu cuidado? R como eu acho? Acho bom né. P - acha que a forma dele lhe tratar, de atender a senhora, do cuidado, a senhora, como é que a senhora acha que isso influencia no seu tratamento? R - Influencia muito bem né, porque o jeito deles tratar a pessoa é bom. O tratamento deles. (Interferência): sabe quanto anos faz que eu me trato com essa doutora, sabe quantos anos já faz? treze anos que eu me trato com ela. P - A do posto? Treze anos que ela ta atendendo? Pronto. Então no geral, a senhora quer dizer algo a mais que poderia ser melhorado, esse seu atendimento no cuidado, entre esses dois médicos da atenção básica e o especialista? R se como? P a senhora gostaria de dizer algo que a senhora acha que poderia ser melhorado? R é, podia ser mais melhor né, o atendimento, principalmente dessa ai né. Os outros atendem muito bem. Essa daí o atendimento dela não é muito bom não.

7 P certo. Então, a gente terminou a entrevista. Entrevistadora: Denise Melo

EQUITY LA II REDE INTERVENÇÃO ENTREVISTA INDIVIDUAL REALIZADA EM 16/07/2014 INFORMANTE: 18.USA_CAR_DPOC DURAÇÃO: 18min28seg

EQUITY LA II REDE INTERVENÇÃO ENTREVISTA INDIVIDUAL REALIZADA EM 16/07/2014 INFORMANTE: 18.USA_CAR_DPOC DURAÇÃO: 18min28seg EQUITY LA II REDE INTERVENÇÃO ENTREVISTA INDIVIDUAL REALIZADA EM 16/07/2014 INFORMANTE: 18.USA_CAR_DPOC DURAÇÃO: 18min28seg ENT.: POR FAVOR, ME DIGA A SUA IDADE? 18.USA_CAR_DPOC: 67 anos. ENT.: A SENHORA

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Fabrício Local: Núcleo de Arte do Neblon Data: 26.11.2013 Horário: 14h30 Duração da entrevista: 20min COR PRETA

Leia mais

14:35 15:10 -Persona, Jornada e Analogia + Cases 15:10 15:20 Sharing com cluster 15:30 16:00 Persona 16:00 16:30 Jornada 16:30 16:50 Analogia +

14:35 15:10 -Persona, Jornada e Analogia + Cases 15:10 15:20 Sharing com cluster 15:30 16:00 Persona 16:00 16:30 Jornada 16:30 16:50 Analogia + AQUECIMENTO 14:35 15:10 -Persona, Jornada e Analogia + Cases 15:10 15:20 Sharing com cluster 15:30 16:00 Persona 16:00 16:30 Jornada 16:30 16:50 Analogia + Redefinição Desafio 16:50 17:00 D.Brief em grupos

Leia mais

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde PERGUNTAS METALINGUÍSTICAS Doc.: J. quais são as línguas que você fala " Inf.: eu " (+) inglês né falo

Leia mais

Olhando o Aluno Deficiente na EJA

Olhando o Aluno Deficiente na EJA Olhando o Aluno Deficiente na EJA ConhecendoJoice e Paula Lúcia Maria Santos Tinós ltinos@ffclrp.usp.br Apresentando Joice e Paula Prazer... Eu sou a Joice Eu sou a (...), tenho 18 anos, gosto bastante

Leia mais

Falará sobre o NTI auxiliando no processo de apoio às ações de ensino dos alunos, particularmente os alunos do Curso de Letras da UFAC.

Falará sobre o NTI auxiliando no processo de apoio às ações de ensino dos alunos, particularmente os alunos do Curso de Letras da UFAC. UFAC RBR-AC 31.10.2011 Falará sobre o NTI auxiliando no processo de apoio às ações de ensino dos alunos, particularmente os alunos do Curso de Letras da UFAC. [Se identificou, identificou o setor e o Diretor

Leia mais

Residência Saúde 2013 PROVA OBJETIVA PROVA DISCURSIVA ENFERMAGEM PROVA DISCURSIVA. Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso ORGANIZADOR

Residência Saúde 2013 PROVA OBJETIVA PROVA DISCURSIVA ENFERMAGEM PROVA DISCURSIVA. Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso ORGANIZADOR Residência Saúde 2013 ENFERMAGEM Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso 1 CONTEÚDO GERAL Em um ambulatório de geriatria, a equipe multiprofissional atende a um idoso de 85 anos, que comparece acompanhado

Leia mais

Ministro Eliseu Padilha pede licença do governo para cirurgia

Ministro Eliseu Padilha pede licença do governo para cirurgia O advogado José Yunes, amigo do presidente Michel Temer, disse em depoimento ao Ministério Público que recebeu um envelope em 2014 a pedido de Eliseu Padilha, hoje ministro da Casa Civil. Em entrevista

Leia mais

Àhistória de uma garota

Àhistória de uma garota Àhistória de uma garota Gabriele é uma menina cheio de sonhos ela morava com sua mãe Maria seu pai Miguel Gabriele sofre muito ela tem apena 13 anos e já sofre Deus de quando ela era pequena a história

Leia mais

Agora vou lhe fazer perguntas sobre o estado de saúde e utilização de serviços de saúde dos moradores do domicílio. J001

Agora vou lhe fazer perguntas sobre o estado de saúde e utilização de serviços de saúde dos moradores do domicílio. J001 Módulo J - Utilização de Serviços de Saúde Agora vou lhe fazer perguntas sobre o estado de saúde e utilização de serviços de saúde dos moradores do domicílio. J1. De um modo geral, como é o estado de saúde

Leia mais

O melhor amigo Interpretação de Texto para 4º e 5º Ano

O melhor amigo Interpretação de Texto para 4º e 5º Ano O melhor amigo Interpretação de Texto para 4º e 5º Ano O melhor amigo Interpretação de Textos para 4º e 5º Ano O melhor amigo A mãe estava na sala, costurando. O menino abriu a porta da rua, meio ressabiado,

Leia mais

TODO AMOR TEM SEGREDOS

TODO AMOR TEM SEGREDOS TODO AMOR TEM SEGREDOS VITÓRIA MORAES TODO AMOR TEM SEGREDOS TODO AMOR TEM SEGREDOS 11 19 55 29 65 41 77 87 121 99 135 111 145 É NÓIS! 155 11 12 1 2 10 3 9 4 8 7 6 5 TODO AMOR TEM SEGREDOS. Alguns a

Leia mais

MÃE, QUANDO EU CRESCER...

MÃE, QUANDO EU CRESCER... MÃE, QUANDO EU CRESCER... Dedico este livro a todas as pessoas que admiram e valorizam a delicadeza das crianças! Me chamo Carol, mas prefiro que me chamem de Cacau, além de ser um apelido que acho carinhoso,

Leia mais

[Entrevistador: As questões deste módulo são dirigidas às mulheres que tiveram o último parto posteriores a / / )

[Entrevistador: As questões deste módulo são dirigidas às mulheres que tiveram o último parto posteriores a / / ) Módulo S. Atendimento Pré-natal Agora vou lhe fazer perguntas sobre o atendimento pré-natal. [Entrevistador: As questões deste módulo são dirigidas às mulheres que tiveram o último parto posteriores a

Leia mais

Residência Saúde 2013 PROVA OBJETIVA PROVA DISCURSIVA SERVIÇO SOCIAL PROVA DISCURSIVA. Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso ORGANIZADOR

Residência Saúde 2013 PROVA OBJETIVA PROVA DISCURSIVA SERVIÇO SOCIAL PROVA DISCURSIVA. Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso ORGANIZADOR Residência Saúde 2013 SERVIÇO SOCIAL Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso 1 CONTEÚDO GERAL Em um ambulatório de geriatria, a equipe multiprofissional atende a um idoso de 85 anos, que comparece

Leia mais

AS MELHORES PRÁTICAS PARA ATRAIR CLIENTES PARA O SEU NEGÓCIO

AS MELHORES PRÁTICAS PARA ATRAIR CLIENTES PARA O SEU NEGÓCIO AS MELHORES PRÁTICAS PARA ATRAIR CLIENTES PARA O SEU NEGÓCIO João Carlos Nunes INTRODUÇÃO Não interessa se você tem uma academia, um estúdio ou mesmo se é um treinador pessoal, o seu negócio não teria

Leia mais

Anexo Entrevista G2.5

Anexo Entrevista G2.5 Entrevista G2.4 Entrevistado: E2.5 Idade: 38 anos Sexo: País de origem: Tempo de permanência em Portugal: Feminino Ucrânia 13 anos Escolaridade: Imigrações prévias: --- Ensino superior (professora) Língua

Leia mais

A LOIRA DO CEMITÉRIO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA

A LOIRA DO CEMITÉRIO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA A DO CEMITÉRIO Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA TODOS OS DIREITOS RESERVADOS RUA: ALAMEDA PEDRO II N 718 VENDA DA CRUZ SÃO GONÇALO E-MAIL: jfigueiredo759@gmail.com TEL: (21)92303033 EXT.PRAÇA.DIA Praça

Leia mais

Edição conforme o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

Edição conforme o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa Edição conforme o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa Ilustração da Capa: Grace Kelli Pereira Projeto gráfico e editoração eletrônica: WOZi Revisão: Roque Aloisio Weschenfelder Todos os direitos desta

Leia mais

Já parou para pensar para onde ele vai? Em que você gasta mais?

Já parou para pensar para onde ele vai? Em que você gasta mais? Bem-vindo(a) ao módulo 1: Cuidando do caixa. Aqui estudaremos sobre como se faz o preenchimento da Planilha de Controle de Caixa e sobre a importância do uso do Controle de Caixa para a adequada gestão

Leia mais

Uma lição de vida. Graziele Gonçalves Rodrigues

Uma lição de vida. Graziele Gonçalves Rodrigues Uma lição de vida Graziele Gonçalves Rodrigues Ele: Sente sua falta hoje na escola, por que você não foi? Ela: É, eu tive que ir ao médico. Ele: Ah, mesmo? Por que? Ela: Ah, nada. Consultas anuais, só

Leia mais

Nossa, até o número é legal! Bonito o número! - Ah, que isso! - É sério! Tem gente que tudo é bonito! Rosto, corpo, papo...

Nossa, até o número é legal! Bonito o número! - Ah, que isso! - É sério! Tem gente que tudo é bonito! Rosto, corpo, papo... Seis ou sete? - Oi. Eu tava te reparando ali, você.. - É mesmo? - Pois é, você me lembra aquela atriz... Como que ela chama mesmo? - Todos me dizem isso. É a Bruna, não é? - Ela mesma! Você é a cara dela.

Leia mais

Os Principais Tipos de Objeções

Os Principais Tipos de Objeções Os Principais Tipos de Objeções Eu não sou como você" Você tem razão, eu não estou procurando por pessoas que sejam como eu. Sou boa no que faço porque gosto de mim como eu sou. Você vai ser boa no que

Leia mais

o casamento do fazendeiro

o casamento do fazendeiro o casamento do fazendeiro ERA uma fez um fazendeiro que ele sempre dia mania de ir na cidade compra coisas mais ele tinha mania de ir sempre de manha cedo um dia ele acordou se arrumou e foi pra cidade,

Leia mais

Não Fale com Estranhos

Não Fale com Estranhos Não Fale com Estranhos Texto por: Aline Santos Sanches PERSONAGENS Cachorro, Gato, Lobo, Professora, Coelho SINOPSE Cachorro e Gato são colegas de classe, mas Gato é arisco e resolve falar com um estranho.

Leia mais

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 Integração entre Serviços e Benefícios VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 A desproteção e a vulnerabilidade são multidimensionais

Leia mais

D. Morbidade Horário de Início :

D. Morbidade Horário de Início : D. Morbidade Horário de Início : As perguntas deste módulo são sobre doenças crônicas e infecciosas. Vamos fazer perguntas sobre diagnóstico de doenças, uso dos serviços de saúde e tratamento dos problemas.

Leia mais

AURORA O CANTONOVELA Luiz Tatit

AURORA O CANTONOVELA Luiz Tatit AURORA O CANTONOVELA Luiz Tatit A) Marcando compasso Oi, estou aqui outra vez Esperando por ela, esperando Você lembra como ela era antes? Você marcava algum encontro A qualquer hora Lá estava ela: Aurora!

Leia mais

DESABITUAÇÃO. MULHER 1 Foi agora? MULHER 2 Foi. MULHER 1 Você viu? MULHER 2 Não, eu não vi nada. Não sei de nada.

DESABITUAÇÃO. MULHER 1 Foi agora? MULHER 2 Foi. MULHER 1 Você viu? MULHER 2 Não, eu não vi nada. Não sei de nada. DESABITUAÇÃO (Duas mulheres e um homem estão em volta de algo que não podemos ver. Os três olham para a presença ausente, um mesmo ponto fixo no chão. Durante a cena, todos agem com uma naturalidade banal,

Leia mais

G. Crianças com Menos de 5 anos Horário de Início : :

G. Crianças com Menos de 5 anos Horário de Início : : G. Crianças com Menos de 5 anos Horário de Início : : [Entrevistador: é imprescindível que a mãe ou o responsável pela criança seja a pessoa que responda ao questionário]. Agora vou fazer perguntar sobre

Leia mais

Como arrasar nas vendas e crescer na carreira Mary Kay

Como arrasar nas vendas e crescer na carreira Mary Kay Como arrasar nas vendas e crescer na carreira Mary Kay Dicas de Eloisa Johnson Temos qualidade, preço e o melhor serviço de atendimento ao cliente. Ou seja, está tudo em nossas mãos. Tenham paixão e foquem

Leia mais

Suelen e Sua História

Suelen e Sua História Suelen e Sua História Nasci em Mogi da Cruzes, no maternidade Santa Casa de Misericórdia no dia 23 de outubro de 1992 às 18 horas. Quando eu tinha 3 anos de idade fui adotada pela tia da minha irmã, foi

Leia mais

(18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA?

(18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA? (18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA? (VC): HUAHSUASHUAHSUAHSUA SEI LÁ (EU): ENTENDO TUDO NO REAL TA DESABANDO

Leia mais

Subjects on this conversation: Nathanael s first contact with Portuguese and his experience living in Brazil.

Subjects on this conversation: Nathanael s first contact with Portuguese and his experience living in Brazil. Subjects on this conversation: Nathanael s first contact with Portuguese and his experience living in Brazil. Context: In this conversation André talks to his friend Nathanael, who has lived in Brazil

Leia mais

Pindura pra mim. A maior ninhada registrada até hoje, ocorreu em 1944. Foxhound teve 24 filhotes.

Pindura pra mim. A maior ninhada registrada até hoje, ocorreu em 1944. Foxhound teve 24 filhotes. Pindura pra mim A Cliente vem trazer o cachorro pra banho, me diz que trocou de carro com o marido e que a carteira dela ficou no outro carro. Pergunta se poderia passar aqui outro dia para pagar e até

Leia mais

A Procura. de Kelly Furlanetto Soares

A Procura. de Kelly Furlanetto Soares A Procura de Kelly Furlanetto Soares Peça escrita durante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR. Teatro Guaíra, sob orientação de Andrew Knoll, no ano de 2012. 1 Cadeiras dispostas como se

Leia mais

Maria Luiza Braga (UFRJ)

Maria Luiza Braga (UFRJ) Entrevista Maria Luiza Braga (UFRJ) André Felipe Cunha Vieira Gostaria( de( começar( esta( entrevista( agradecendo( por( você( aceitar( nosso( convite(e(nos(receber(em(sua(casa.(ler(seu(currículo(lattes(é(um(exercício(de(

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

CHAT 20/10/2004 Dr. Paulo

CHAT 20/10/2004 Dr. Paulo CHAT 20/10/2004 Dr. Paulo 21:02:47 Dr_Online entra na sala 21:28:45 Joel entra na sala 21:33:48 [Joel] Existe alguém no site para conversar? Dr. Online esta? 21:34:05 [Dr_Online] sim 21:34:58 [Joel] Boa

Leia mais

V1. Quando foi a última vez que o(a) sr(a) precisou consultar um médico? (siga V2) V2. Por qual motivo o(a) sr(a) precisou consultar um médico?

V1. Quando foi a última vez que o(a) sr(a) precisou consultar um médico? (siga V2) V2. Por qual motivo o(a) sr(a) precisou consultar um médico? Módulo V - Atendimento médico Neste módulo, vamos fazer perguntas sobre o atendimento médico, acesso ao atendimento e sua avaliação sobre o atendimento recebido no serviço de saúde. V1. Quando foi a última

Leia mais

HISTÓRIAS DO ZÉ DO BREJO O GIGANTE INVASOR. Volume I

HISTÓRIAS DO ZÉ DO BREJO O GIGANTE INVASOR. Volume I HISTÓRIAS DO ZÉ DO BREJO Textos sobre folclore e ecologia para leitura dramática ou encenação nas escolas de Ensino Fundamental e Ensino Médio. Volume I O GIGANTE INVASOR Sérgio Luiz Bambace Músicas: -

Leia mais

Bíblia para crianças. apresenta O FILHO PRÓDIGO

Bíblia para crianças. apresenta O FILHO PRÓDIGO Bíblia para crianças apresenta O FILHO PRÓDIGO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Lazarus Adaptado por: Ruth Klassen; Sarah S. Traduzido por: Berenyce Brandão Produzido por: Bible for Children www.m1914.org

Leia mais

A Patricinha. Ninguém é realmente digno de inveja, e tantos são dignos de lástima! Arthur Schopenhauer

A Patricinha. Ninguém é realmente digno de inveja, e tantos são dignos de lástima! Arthur Schopenhauer Roleta Russa 13 A Patricinha Ninguém é realmente digno de inveja, e tantos são dignos de lástima! Arthur Schopenhauer Oi. Eu sou a Patrícia. Prazer. Você é?... Quer sentar? Aceita uma bebida, um chá, um

Leia mais

UM DIA CHEIO. Língua Portuguesa. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Maria Clara Gonçalves dos Santos. Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara

UM DIA CHEIO. Língua Portuguesa. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Maria Clara Gonçalves dos Santos. Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara UM DIA CHEIO Língua Portuguesa 6º Ano do Ensino Fundamental II Nome: Maria Clara Gonçalves dos Santos Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara Tudo começou quando eu queria pescar com meu avô. Ele tinha

Leia mais

Porém este respondeu: Não quero; mais tarde, tocado de arrependimento, foi e fez o que o pai pediu pra ele. BOCA DE FORNO. Regras:

Porém este respondeu: Não quero; mais tarde, tocado de arrependimento, foi e fez o que o pai pediu pra ele. BOCA DE FORNO. Regras: BOCA DE FORNO A1 Regras: O professor comanda a brincadeira, e antes de cada tarefa o refrão: Professor: Boca de forno. Todos: Forno Professor : Tudo que eu pedir para fazer, faz? 2 Sugestões de tarefas

Leia mais

Anexo 2.2- Entrevista G1.2

Anexo 2.2- Entrevista G1.2 Entrevistado: E1.2 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 53 anos Masculino Cabo-Verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: 4ª classe Imigrações prévias : -- Língua materna: Outras línguas: Agregado

Leia mais

ELA ERA A GAROTA MAIS BONITA DA NOVA PARÓQUIA, ONDE INGRESSAMOS PORQUE MEUS PAIS ACHAVAM O NOSSO ANTIGO PADRE UM IDIOTA.

ELA ERA A GAROTA MAIS BONITA DA NOVA PARÓQUIA, ONDE INGRESSAMOS PORQUE MEUS PAIS ACHAVAM O NOSSO ANTIGO PADRE UM IDIOTA. ELA ERA A GAROTA MAIS BONITA DA NOVA PARÓQUIA, ONDE INGRESSAMOS PORQUE MEUS PAIS ACHAVAM O NOSSO ANTIGO PADRE UM IDIOTA. Olá! Oi. TODA SEMANA EU SAÍA DA AULA DE PIANO E IA PARA A AULA DE RELIGIÃO COM A

Leia mais

Em Círculos. Mateus Milani

Em Círculos. Mateus Milani Em Círculos Mateus Milani Que eu não perca a vontade de ter grandes amigos, mesmo sabendo que, com as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas Ariano Suassuna. Sinopse Círculos. A vida

Leia mais

Iracema ia fazer aniversário. Não

Iracema ia fazer aniversário. Não Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Iracema ia fazer aniversário. Não sabia muito bem se ela podia convidar a turma do Hospital por motivos fáceis de explicar,

Leia mais

Real Brazilian Conversations #19 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com

Real Brazilian Conversations #19 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com Subjects on this conversation: The 2016 Olympic Games in Rio de Janeiro. Context: In this conversation André and Guilherme discuss some interesting topics about the Olympic Games in Brazil. André describes

Leia mais

BONS Dias. Ano Pastoral Educativo Colégio de Nossa Senhora do Alto. Com Maria Desperta a. Luz. que há em TI

BONS Dias. Ano Pastoral Educativo Colégio de Nossa Senhora do Alto. Com Maria Desperta a. Luz. que há em TI BONS Dias Com Maria Desperta a Luz que há em TI 2ª feira, dia 12 de dezembro de 2016 III Semana (11 de dezembro): ALEGRAR Ontem, a Igreja celebrou o domingo da alegria: Jesus está para chegar e só Ele

Leia mais

TABUADA DAS OBJEÇÕES

TABUADA DAS OBJEÇÕES TABUADA DAS OBJEÇÕES Você já sentiu acuada, sem palavras ao ouvir alguma objeção de sua potencial iniciada!? As pessoas que você vai abordar são tão especiais quanto você e se elas disserem não, lembre-se

Leia mais

Script de Ligação Ativa. Saiba como ligar para os seus contatos e gerar agendamentos para realizar uma apresentação de negócio.

Script de Ligação Ativa. Saiba como ligar para os seus contatos e gerar agendamentos para realizar uma apresentação de negócio. Script de Ligação Ativa. Saiba como ligar para os seus contatos e gerar agendamentos para realizar uma apresentação de negócio. Script de Ligação ativa. Temas. Como ligar para os seus amigos?. Como ligar

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Igor Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 05 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista:

Leia mais

Garoto extraordinário

Garoto extraordinário Garoto extraordinário (adequada para crianças de 6 a 8 anos) Texto: Lucas 2:40-52 Princípio: ser como Jesus Você vai precisar de um fantoche de cara engraçada, um adulto para manipular o fantoche atrás

Leia mais

Aexo 3 Dados das entrevistas do grupo 1

Aexo 3 Dados das entrevistas do grupo 1 Aexo 3 Dados das entrevistas do grupo 1 Grupo I Informantes idade Sexo profissão Escolarida de Tempo de imigração em Portugal Língua materna E1.1 51 anos Masc. -- 6ª classe 40 anos Crioulo cv E1.2 53 anos

Leia mais

29/11/2009. Entrevista do Presidente da República

29/11/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na chegada ao hotel Villa Itália Cascais-Portugal, 29 de novembro de 2009 Jornalista: (incompreensível) Presidente:

Leia mais

D1. Quando foi a última vez que o(a) sr(a) teve sua pressão arterial medida?

D1. Quando foi a última vez que o(a) sr(a) teve sua pressão arterial medida? Módulo D - Doenças Crônicas As perguntas deste módulo são sobre doenças crônicas. Vamos fazer perguntas sobre diagnóstico de doenças, uso dos serviços de saúde e tratamento dos problemas. D1. Quando foi

Leia mais

para todos! feliz ano-novo não... sopa pura?! então eu tenho que tomar sopa pura! pãozinho aqui em casa... porque não sabe ligar a tv...

para todos! feliz ano-novo não... sopa pura?! então eu tenho que tomar sopa pura! pãozinho aqui em casa... porque não sabe ligar a tv... feliz ano-novo para todos! *soluço* por que o seu irmãozinho está chorando? ele está vendo alguma coisa triste? não... é que ele fica deprimido porque não sabe ligar a tv... *suspiro* se existe uma coisa

Leia mais

Decupagem Entrevista Ex-Corregedor Ministro Francisco Fausto

Decupagem Entrevista Ex-Corregedor Ministro Francisco Fausto Decupagem Entrevista Ex-Corregedor Ministro Francisco Fausto Entrevistador: Como Vossa Excelência encara a atividade correicional? Quais seus fins e meios? Ministro Francisco Fausto: Eu costumo dizer,

Leia mais

Residência Saúde 2013 PROVA OBJETIVA PROVA DISCURSIVA FISIOTERAPIA PROVA DISCURSIVA. Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso ORGANIZADOR

Residência Saúde 2013 PROVA OBJETIVA PROVA DISCURSIVA FISIOTERAPIA PROVA DISCURSIVA. Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso ORGANIZADOR Residência Saúde 2013 FISIOTERAPIA Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso 1 CONTEÚDO GERAL Em um ambulatório de geriatria, a equipe multiprofissional atende a um idoso de 85 anos, que comparece

Leia mais

Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência

Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Identificação ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista 4-8-2012 Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência

Leia mais

ANEXO 12A Protocolo da Entrevista à Catarina (Mãe do Miguel) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA E4

ANEXO 12A Protocolo da Entrevista à Catarina (Mãe do Miguel) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA E4 ANEXO 12A Protocolo da Entrevista à Catarina (Mãe do Miguel) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA E4 Duração da entrevista: 40 minutos C 1 - Não sei se a Lurdes lhe disse. Eu no ano passado estive doente (

Leia mais

A TURMA DO ZICO EM: GRIPE SUÍNA, TÔ FORA!

A TURMA DO ZICO EM: GRIPE SUÍNA, TÔ FORA! WARLEY DI BRITO A TURMA DO ZICO EM: GRIPE SUÍNA, TÔ FORA! PERSONAGENS: BASTIANA... Mãe FIRMINO... Avô ZICO... Filho CENÁRIO e FIGURINO: Uma casa simples, por ser uma esquete educativa de 8 minutos a peça

Leia mais

IRMÃO. meu irmão ficou louco quando eu matei o cachorro. tá aí, eu gostava dele! eu gostava dele. cara muito bom aquele.

IRMÃO. meu irmão ficou louco quando eu matei o cachorro. tá aí, eu gostava dele! eu gostava dele. cara muito bom aquele. O IRMÃO WALDEN CAMILO DE CARVALHO meu irmão ficou louco quando eu matei o cachorro. tá aí, eu gostava dele! eu gostava dele. cara muito bom aquele. o frio está ficando meio bravo. assim é capaz do pessoal

Leia mais

"ESPELHO, ESPELHO MEU" Roteiro de. Deborah Zaniolli

ESPELHO, ESPELHO MEU Roteiro de. Deborah Zaniolli "ESPELHO, ESPELHO MEU" Roteiro de Deborah Zaniolli Copyright 2016 by Deborah Zaniolli Deborah Zaniolli Todos os direitos reservados contato@deborahzaniolli.com BN: 710355 Roteiro 2011 Piedade- SP 1. "ESPELHO,

Leia mais

July: Eu também! Achei o máximo as coisas que ela faz. Vou pedir para a minha mãe fazer umas roupinhas novas. Estou pensando até em montar um guarda-r

July: Eu também! Achei o máximo as coisas que ela faz. Vou pedir para a minha mãe fazer umas roupinhas novas. Estou pensando até em montar um guarda-r Série Ao infinito e além... Sua vida além das estrelas! 4 a 8 anos Aprendendo a Viver! Conceito Viver a vida como se fosse o melhor presente. Versículo-chave Não desperdicem nenhum pouco desta maravilhosa

Leia mais

Dicas incríveis para vender mais... muito mais

Dicas incríveis para vender mais... muito mais 5... Dicas incríveis para vender mais... muito mais O que você vai encontrar neste ebook o que você vai encontrar neste ebook aprenda como gerar 3 mil reais em vendas no Facebook sem gastar com anúncios

Leia mais

PADI. Programa de Atenção domiciliar ao Idoso

PADI. Programa de Atenção domiciliar ao Idoso Objetivos do programa Apesar dos benefícios óbvios da internação quando necessária, o paciente idoso afastado da rotina de casa e da família apresenta maior dificuldade de recuperação, além de correr risco

Leia mais

Filha, agora que vais casar tens de tratar bem do teu marido, ter a comida sempre pronta, dar banho e não recusar ter relações sexuais sempre que ele

Filha, agora que vais casar tens de tratar bem do teu marido, ter a comida sempre pronta, dar banho e não recusar ter relações sexuais sempre que ele Filha, agora que vais casar tens de tratar bem do teu marido, ter a comida sempre pronta, dar banho e não recusar ter relações sexuais sempre que ele quiser. É isso Rosa, se ele arranjar uma mulher fora,

Leia mais

Semana de 10/04/17 a 16/04/17

Semana de 10/04/17 a 16/04/17 Semana de 10/04/17 a 16/04/17 DENTRE MUITAS VOZES, OUÇA A VOZ DE DEUS! Estação Cultivo OBJETIVO: Levar as crianças a entenderem que apesar de ouvirmos muitas vozes, devemos sempre optar por seguir a voz

Leia mais

A Professora de Horizontologia

A Professora de Horizontologia A Professora de Horizontologia Já tinha parado a chuva e Clara Luz estava louca que a Gota voltasse. Felizmente a Fada-Mãe veio com uma novidade: Minha filha, hoje vem uma professora nova. Você vai ter

Leia mais

Q1. Quando foi a última vez que o(a) sr(a) teve sua pressão arterial medida?

Q1. Quando foi a última vez que o(a) sr(a) teve sua pressão arterial medida? Módulo Q. Doenças crônicas As perguntas deste módulo são sobre doenças crônicas. Vamos fazer perguntas sobre diagnóstico de doenças, uso dos serviços de saúde e tratamento dos problemas. Q1. Quando foi

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita ao Banco do Brasil

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita ao Banco do Brasil , Luiz Inácio Lula da Silva, durante visita ao Banco do Brasil Brasília - DF, 16 de agosto de 2006 Meu caro Rossano, presidente do Banco do Brasil, Meu caro companheiro Paulo Bernardes, ministro do Planejamento,

Leia mais

UNIDADE: DATA: 28 / 11 / 2015 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA:

UNIDADE: DATA: 28 / 11 / 2015 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 28 / / 205 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A):

Leia mais

-Oi Vô! Vamos pra água? -Calma! Ainda tem que pintar a canoa!

-Oi Vô! Vamos pra água? -Calma! Ainda tem que pintar a canoa! Sabedoria do mar Pesquisa: Fábio G. Daura Jorge, Biólogo. Leonardo L. Wedekin, Biólogo. Natália Hanazaki, Ecóloga. Roteiro: Maurício Muniz Fábio G. Daura Jorge Ilustração: Maurício Muniz Apresentação Esta

Leia mais

Língua Portuguesa. O pequeno e grande Miles. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Ronaldo Rodrigues Júnior

Língua Portuguesa. O pequeno e grande Miles. 6º Ano do Ensino Fundamental II. Nome: Ronaldo Rodrigues Júnior O pequeno e grande Miles Língua Portuguesa 6º Ano do Ensino Fundamental II Nome: Ronaldo Rodrigues Júnior Professora: Maristela Mendes de Sousa Lara 2015 Era uma vez um menino que se chamava Miles Upshur.

Leia mais

1.começo Eu Isabel franca moro com minha mãe chamada Helen,moramos numa cidade chamada nova lux gosto muito de morar com minha mãe mas o marido dela

1.começo Eu Isabel franca moro com minha mãe chamada Helen,moramos numa cidade chamada nova lux gosto muito de morar com minha mãe mas o marido dela anoitecer 1.começo Eu Isabel franca moro com minha mãe chamada Helen,moramos numa cidade chamada nova lux gosto muito de morar com minha mãe mas o marido dela chamado pio,bom o cara e legal mas tem um

Leia mais

Era domingo e o céu estava mais

Era domingo e o céu estava mais Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Era domingo e o céu estava mais azul que o azul mais azul que se possa imaginar. O sol de maio deixava o dia ainda mais bonito

Leia mais

Máquina de Iniciação!!! Lucy Siqueira Diretora Executiva de Vendas Independente Mary Kay

Máquina de Iniciação!!! Lucy Siqueira Diretora Executiva de Vendas Independente Mary Kay Máquina de Iniciação!!! Lucy Siqueira Diretora Executiva de Vendas Independente Mary Kay Seu negócio Mary kay é o espelho que reflete a maneira como você o enxerga!!! Como você anda enxergando o seu negócio

Leia mais

Chat com Marilia Dia 30 de outubro de 2014

Chat com Marilia Dia 30 de outubro de 2014 Chat com Marilia Dia 30 de outubro de 2014 Tema: Cuidados Paliativos - mitos e verdades? Total atingido de pessoas na sala: 35 usuários Limite permitido na sala: 40 usuários Duração: 1h30 (15h às 16h30)

Leia mais

R2. Qual o principal motivo da sra nunca ter feito um exame preventivo? 01. Nunca teve relações sexuais 02. Não acha necessário 03.

R2. Qual o principal motivo da sra nunca ter feito um exame preventivo? 01. Nunca teve relações sexuais 02. Não acha necessário 03. Módulo R. Saúde da Mulher (mulheres de 18 anos e mais de idade) Neste módulo, vamos fazer perguntas sobre a sua saúde, exames preventivos, história reprodutiva e planejamento familiar. R1. Quando foi a

Leia mais

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com Subjects on this conversation: How it is like to live in Uberlândia MG. Context: In this conversation André talks to his aunt Edmárcia, about the city of Uberlândia, in Minas Gerais state. She tells us

Leia mais

Gustavo Simões. Max Pires. Rafael Lessa. Max Pires é palestrante motivacional e tem larga experiência com o treinamento de equipes de atendimento.

Gustavo Simões. Max Pires. Rafael Lessa. Max Pires é palestrante motivacional e tem larga experiência com o treinamento de equipes de atendimento. Max Pires Max Pires é palestrante motivacional e tem larga experiência com o treinamento de equipes de atendimento. Com mais de 25 anos de experiência na área comercial, ele é especialista no encantamento

Leia mais

Minha esposa recebeu este texto por e encaminhou para mim.

Minha esposa recebeu este texto por  e encaminhou para mim. Obrigado mãe! Muito obrigado por seus ensinamentos. Provérbios 22.6 e 29.15 Pr. Fernando Fernandes PIB em Penápolis, 11/10/2009 Minha esposa recebeu este texto por e-mail e encaminhou para mim. Gostei

Leia mais

DATA: 02 / 05 / 2016 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA:

DATA: 02 / 05 / 2016 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 02 / 05 / 206 UNIDADE: I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A):

Leia mais

TÉCNICAS DE AGENDAMENTO E OBTENÇÃO DE CONTATOS

TÉCNICAS DE AGENDAMENTO E OBTENÇÃO DE CONTATOS TÉCNICAS DE AGENDAMENTO E OBTENÇÃO DE CONTATOS GESTÃO DO TEMPO O dia tem 24 horas para todos nós. A DIFERENÇA É O QUE CADA UMA FAZ! O ideal é ter agenda semanal visualizar a semana PLANEJAMENTO SEMANAL

Leia mais

YAHUVAH falou com ele mesmo ele

YAHUVAH falou com ele mesmo ele Na casa da vovó da Nina, uma história muito especial foi contada! Que história foi essa? Vamos ver? Um, dois, três e... já!!!! Eba, vovó!! Acabei de comer!! Isso, Nina! Você comeu tudinho, tudinho! A sua

Leia mais

Arrasando no Fechamento

Arrasando no Fechamento Arrasando no Fechamento Nada acontece até que alguém venda algo. Mary Kay Ash Por que o Fechamento na Sessão é TÃO IMPORTANTE? Muitas vezes fazemos sessões maravilhosas e conseguimos realmente encantar

Leia mais

Da Amizade Pode nascer o Amor

Da Amizade Pode nascer o Amor Da Amizade Pode nascer o Amor Tudo começou quando entrei no Facebook e vi uma mensagem era do meu melhor amigo Vinícius dizendo que precisava muito falar comigo. Eu achei estranho pois fazia um tempo que

Leia mais

Identificação. ML14 Duração da entrevista 26:34 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1944 (68) Local de nascimento/residência

Identificação. ML14 Duração da entrevista 26:34 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1944 (68) Local de nascimento/residência 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 Identificação ML14 Duração da entrevista 26:34 Data da entrevista 2-3-2013 Ano de nascimento (Idade) 1944 (68) Local de nascimento/residência

Leia mais

MADAME SILMARA- um, dois, três, quarto, cinco, seis, sete, oito, nove dez JOANA-Não precisa mais tirar as cartas.

MADAME SILMARA- um, dois, três, quarto, cinco, seis, sete, oito, nove dez JOANA-Não precisa mais tirar as cartas. DIÁLOGOS: 00.01.32 MADAME SILMARA- um, dois, três, quarto, cinco, seis, sete, oito, nove dez. 00.02.02 JOANA-Não precisa mais tirar as cartas. 00.02.03 MADAME SILMARA - Não? 00.02.04 JOANA -Não. A senhora

Leia mais

Depois do almoço e do soninho da tarde...

Depois do almoço e do soninho da tarde... Marquinhos e sua querida mãe tiveram uma tarde muito especial. Como será que foi? Vamos ver? Mamãe! Mamãe!! Oi, filho! Mamãe! Hoje, lá na Escola das Escrituras, as professoras pediram que nós orássemos

Leia mais

Ziraldo O SEGREDO DE. (com desenhos especiais de Célio César)

Ziraldo O SEGREDO DE. (com desenhos especiais de Célio César) Ziraldo O SEGREDO DE (com desenhos especiais de Célio César) http://groups.google.com/group/digitalsource Era uma vez uma letra que era muito interessante e que se chamava Úrsula. Parece nome de estrela

Leia mais

Não saber agendar sessões e não conseguir fazer contatos. -

Não saber agendar sessões e não conseguir fazer contatos. - 15 Motivos 1. Não saber agendar sessões e não conseguir fazer contatos. - recebe toda uma orientação e suporte para aprender a abordar os mais diferentes 4pos de pessoas nas mais diversas situações. A

Leia mais

UM DIA DEPOIS DO AMANHÃ

UM DIA DEPOIS DO AMANHÃ UM DIA DEPOIS DO AMANHÃ Lembra-se de mim, professora? Hummm, deixe-me ver... Carmen... Não. Luiza. Nossa como você cresceu! É, professora, a gente é assim mesmo: ta sempre um pouco maior, ou mais envelhecida,

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex Praticante Denise Local: Núcleo de Arte Albert Einstein Data: 03.12.2013 Horário: 10 h30 Duração da entrevista: 1h.

Leia mais

Os 10 passos simples para se comunicar com os anjos

Os 10 passos simples para se comunicar com os anjos Os 10 passos simples para se comunicar com os anjos Um super manual com instruções claras para falar com os anjos! Imperdível! Um Guia maravilhoso mostrando passo a passo como deve e pode ser o seu relacionamento

Leia mais

Grafia atualizada segundo o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990, que entrou em vigor no Brasil em 2009.

Grafia atualizada segundo o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990, que entrou em vigor no Brasil em 2009. Copyright 2010 by Caeto Grafia atualizada segundo o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990, que entrou em vigor no Brasil em 2009. Capa Elisa v. Randow Preparação Alexandre Boide Revisão Luciane

Leia mais

JULIANA FECHINE BRAZ DE OLIVEIRA AUTORA E RELATORA DAFNE PAIVA RODRIGUES MARIA ANDREZA QUINDERE FECHINE

JULIANA FECHINE BRAZ DE OLIVEIRA AUTORA E RELATORA DAFNE PAIVA RODRIGUES MARIA ANDREZA QUINDERE FECHINE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR: PERCEPÇÃO DAS PUÉRPERAS QUANTO AOS CUIDADOS NO PUERPÉRIO JULIANA FECHINE BRAZ DE OLIVEIRA AUTORA E RELATORA DAFNE PAIVA RODRIGUES MARIA ANDREZA QUINDERE FECHINE PROBLEMATIZAÇÃO

Leia mais