Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência"

Transcrição

1 Identificação ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência Amoreira do Estoril/Lisboa Grau de escolaridade mais elevado 9º ano Estado civil Casada 1 filha Local da entrevista Casa da filha Comentários Viveu em Amoreira do Estoril até aos 5 anos, desde então tem vivido sempre em Lisboa P1 (2:17) E: então podemos avançar com a primeira pergunta. ML01: podemos. E: ã: podemos dizer-- acho que existe-- pode-- é consensual não é, que o nosso mundo em geral mudou bastante nos últimos digamos trinta anos. ã: e se calhar a mudança foi ainda mais acentuada aqui em portugal. ã: acha que a vida das mulheres mudou também? ML01: mudou. mudou muito (.) pronto, em relação ao que era há cinquenta anos ã: mudou bastante, e até em relação ao que era há trinta anos. hoje, é bem diferente do que era há trinta anos, mesmo assim, (hum) e neste sentido acho que as mulheres foram umas lutadoras, (hum) porque se conseguiram impor em relação aos homens. embora os homens também tenham mudado, porque tiveram que se adaptar a determinadas coisas mas pronto, a vida das mulheres acho que melhorou (hum) bastante. E: hum e mudou em que aspetos? onde é que vê esta mudança-- ML01: olhe eu acho que é em toda. a mulher é mais independente, tem o seu emprego, tem a colaboração do marido já para uma série de coisas que não tinha há trinta anos, há trinta anos o-- (hum) por exemplo o meu marido chegava a casa, lia o jornal, tomava conta da menina que já era uma coisa muito boa, que muitos pais não[:] (hum) faziam (hum) isso, e no entanto ele hoje já me ajuda, já[:] faz tudo o que for preciso, em casa, (hum) pronto, (hum) há trinta anos um homem não estendia a roupa, um homem não ia à janela apanhar roupa (hum) parecia mal, (E: [riso]) e hoje faz isto tudo. (E: hum, ok) isso acho que isto[:] já[:] é um passo. (hum) Interrupção 3:45-4:40

2 E: portanto, voltando às[:] mudanças talvez, ã: em termos mais específicos, acha que a vida da[:] sua filha-- da [FL01] é[:] muito diferente da sua? ML01: ( 2.0) sim. é. (hum) é bastante diferente da minha. pronto, começou logo a ser diferente-- logo a adolescência, e tudo, porque se vamos falar nisso, na minha adolescência também não podia sair sem ordem dos meus pais, não podia sair à noite, (hum) havia todas aquelas condicionantes e agora, pronto, as coisas estão muito diferentes. ela[:] (hum) nunca teve pronto, tanta-- nunca foi tão oprimida como eu, porque era assim. quer dizer, ã: não era melhor nem era pior, a situação era essa. as meninas eram diferentes dos meninos. (hum) as raparigas eram diferentes dos rapazes. (hum) e eu acho que hoje são iguais. E: hum, ok (.) hum. e será que a vida das mulheres hoje é mais fácil? ou mais difícil? será que se pode-- dizer isso-- desta forma? ML01: eu acho que a vida das mulheres hoje possivelmente será mais difícil. porque têm[:] a casa, têm os filhos basta se dizer que têm a sua profissão. (hum) pronto. e por isso também têm diversas tarefas, antigamente não tinham profissão, era a casa e os filhos. (hum) hoje-- e hoje há um grau de exigência muito grande, (hum) tanto nas profissões como na-- para a educação dos filhos, mas no entanto acho que hoje vivem mais felizes. (hum) do que antigamente (hum) ou pelo menos vivem mais independentes. (hum) não sei se se sentem mais felizes do que sentiam antigamente. pronto, (hum) mas sentem-se mais independentes. (hum) porque isso-- o conceito de felicidade também o que para uns é bom para outros-- (E: pois) (xxx) para uns o que os faz felizes acho que para outros não faz. (E: sim, claro) pronto, exatamente. P2 (6:28) E: e[:] igualdade. portanto disse que hoje os-- as-- os-- as-- meninas são iguais ou são-- têm a mesma educação se calhar que os meninos, ML01: sim sim //os rapazes\ E: /em termos\\ de-- nos adultos. como é que está a questão da[:] igualdade. os homens são-- homens e mulheres //são iguais? existe igualdade?\ ML01: /eu acho que-- eu acho que--\\ sim, eu acho que existe igualdade na-- nas suas escolhas, ã: pronto. na partilha das coisas, se bem que há determinadas tarefas que eu acho que ainda têm de ser para os homens, que é difícil, não quer dizer que as mulheres não as façam, (hum) mas, (hum) serão mais para os homens assim como determinadas tarefas se calhar das mulheres também estão mais ã: traçadas para elas. mas pronto, (hum) eu acho que isto tudo tem a ver com a própria natureza. E: hum. por exemplo?

3 ML01: ( 2.0) eu acho que um homem em condições normais, claro, há exceções, mas um homem (hum) tem muito mais força física (hum) para fazer um esforço grande, para um móvel, para uma obra, para qualquer coisa do que uma mulher. (hum) e uma mulher tem muito mais apetências para os trabalhos manuais, para coisas que não se vê (hum) o homem fazer. pronto, isto é um exemplo. pronto acho que-- pronto dai há a diferença dos sexos, e acho que isto tem de haver, que a própria natureza determina que isto seja assim. (hum) eu acho a mulher mais ã: sensível para determinadas coisas do que o homem. E: hum. portanto esta[:] diferença vai[:] haver sempre. ML01: acho que esta diferença acho que há uma determinada diferença que vai haver sempre. (hum) embora eu achar que esta diferença não interfira nos comportamentos. não[:] que-- há esta diferença, mas as pessoas são respeitadas, e fazem a mesma coisa e não há aquela autoridade sobretudo que havia (hum) dos homens sobre as mulheres. (hum) porque havia uma grande autoridade dos homens sobre as mulheres. (hum) as mulheres não faziam isto ou aquilo-- no meu-- há ã: pessoas do meu tempo, não é o meu caso, mas que diziam eu não faço porque o meu marido não gosta! (hum) eu não uso porque o meu marido não gosta! (hum) pronto. isto comigo já não se verificou. (hum) porque acho que também já fui um pouco talvez da transição. (hum) pronto, dos anos setenta as coisas começaram a mudar e: talvez já fosse-- (hum) essa situação. (hum) mas claro que no[:] antes de mim, havia muito que não-- nem se fazia! não faço porque o meu marido não quer! (hum) e o marido dizia eu não deixo! (hum) eu não deixo! (hum) eu posso fazer? dizia a mulher e o marido dizia eu não deixo! E: [riso] e //a mulher não fazia.\ ML01: /e não dizia--\\ e a mulher não fazia. (hum) e não dizia ah, eu não gosto. porque até poderia dizer que eu não gosto, (hum) não gosto daquilo. (E: pois) e claro esta hipótese agora já não se põe. (hum) o marido já não diz-- pronto, se calhar (estamos) na mesma. ainda há violência doméstica, estas coisas todas. mas pronto. (hum) no geral o marido não diz-- agora estas gerações nova não dizem não fazes porque não deixo! (hum) e nem a mulher aceita que o marido lhe diga eu não deixo, ela se acha que deve fazer, faz. (E: hum, sim) claro s-- pode também não fazer, porque se acha que ele não gosta e também a criar uma complicação se ela não gostar muito se calhar também não faz. (hum) mas se for uma coisa que ela quer fazer ela faz. (hum) não é o marido que[:] não deixa. (E: sim, hum), pronto. (E: ok) eu vejo assim. P3 (9:47)

4 P4 (12:40) E: está bem. ok. ã: pronto já falamos na-- no relacionamento entre[:] mãe e filha-- ã: qual é a sua opinião ã: a vida de uma mulher muda com a maternidade? ML01: ( 4.5) muda porque tem mais responsabilidade, tem a responsabilidade do[:] filho. (hum) mas acho que só muda nesse ponto. (hum) pronto se têm uma criança, muda a da mulher e muda a do homem. (hum) ai ã: (.) acho que a vida de[:] uma pessoa, nesse caso acho que já não é duma mulher, a vida de uma pessoa muda com um filho. (hum) seja pai ou seja mãe, ai acho que é igual. (.) E: e-- ML01: tem uma responsabilidade diferente, tem uma preocupação, tem-- pronto. um[:] filho muda sempre-- (hum) muda, também não[:] sei se será bem mudar, se será um-- pronto. traz outras preocupações à[:] (hum) vida das pessoas. (hum) pronto mas no fundo tudo são mudanças. ã: (E: hum, sim) os casamentos mudam, as pessoas mudam com os casamentos. (hum) as pessoas por vezes mudam com[:] determinadas ã:[:] amizades que encontram, (hum) pronto. a vida vai mudando. E: hum, portanto é mais uma mudança //e-- entre muitas\ ML01: /eu acho que é mai--\\ sim[:] acho que são mudanças da vida e não propriamente mudanças na pessoa. (hum) eu acho que a pessoa não muda (hum) com estas coisas todas. (hum) e a pessoa se tiver-- a mulher se tiver alguma mudança ai já nem digo mulher, acho que o ser humano se tiver alguma mudança vai tendo ao longo da vida com as coisas que lhe vão acontecendo. mas não[:] quer dizer que se mude porque se tem um filho. E: hum, ok. e então ã: será ã: a experiência de ser mãe será igual à experiência de ser pai? ML01: ( 2.0) penso que sim. E: é? ML01: é. (hum) eu acho que-- ser mãe-- a mãe gosta, e eu defendo, sempre defendi que (hum) a mãe não gosta mais do que o pai, ou o pai não gosta mais do que a mãe. (hum) ambos podem ser bons pais e boas mães (hum) e[:] acho que não há diferença. E: hum. ok. e como é que vê as mulheres que decidem não ser mães. ML01: ( 1.5) é uma opção delas. (hum) e acho que sim, se é-- se elas acham que é assim que se vão sentir bem, é a decisão que tomaram. (hum) pronto acho que isso-- é uma decisão, não querem ser mães não[:] são mães. (hum) nem[:] toda a gente tem de ser mãe, nem toda a gente tem de ter um filho, (hum) não tem de ter dois, (hum)

5 não-- pronto não há padrões, são decisões e[:] cada mulher deve decidir o que quer da sua vida. E: hum, //(xxx)\ ML01: /nós é que\\ mandamos-- nós é que somos os donos da nossa vida, (hum) e devemos decidir aquilo que achamos que é melhor para nós. não quer dizer que depois seja-- (hum) ou que mais tarde as pessoas não se venham arrepender. mas nós é que devemos decidir (hum) aquilo que é melhor para nós. E: hum. porque já ouvi dizer também pessoas que ã: as mul-- as[:] mulheres que decidem não ter filhos, portanto não aquelas que[:] por alguma razão não possam ter, não é? mas aquelas que decidem olha, eu não quero ter filhos! já ouvi dizer que ah, estas mulheres vão-se arrepender mais tarde. ML01: ( 3.0) não sei, podem não se arrepender! (hum) não sei. (hum) isto é como tudo, também uma pessoa pode ter dois ou três filhos e arrepender-se porquê é que teve tantos. ou pode ter só um e arrepender-se porque é que teve dois. mas eu penso que não. (hum) acho que[:] quando se toma uma decisão não ter filho-- a pessoa não quer ter um filho não tem. (hum) o arrependimento não sei se isso leva a algum sítio, porque estar arrependido de uma coisa que depois não pode fazer, acho que o melhor o-- o que não se pode-- (hum) aquilo que não podemos contornar não vale a pena ter arrependimentos. (E: sim) devemos[:] de nos arrepender de qualquer coisa que possamos depois modificar. (E: hum, sim) uma mulher que decida aos trinta anos não ter um filho, mas depois aos quarenta arrependeu-se e decide ter o filho pronto. decidiu. (hum) agora uma mulher que decide não ter filhos e aos cinquenta anos se arrepende acho que não vale a pena. [riso] arrependimentos que não têm solução acho que não vale a pena. (E. sim[:]) acho que só nos martirizam. E: hum, ok. tudo bem. P5 (17:04) P6 (18:52)

Identificação. F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de nascimento/residência

Identificação. F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de nascimento/residência 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Identificação F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista 4-5-2011 Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de

Leia mais

Equivalente ao 12º ano, já em idade adulta Estado civil

Equivalente ao 12º ano, já em idade adulta Estado civil 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Identificação ML11 Duração da entrevista 28:21 Data da entrevista 23-11-2012 Ano de nascimento (Idade) 1943 (69) Local de nascimento/residência

Leia mais

*veio para Lisboa com 1 ano Entrevista é interrompida 1 vez

*veio para Lisboa com 1 ano Entrevista é interrompida 1 vez 1 Identificação FL06 Duração da entrevista 28:24 Data da entrevista 24-09-2012 Ano de nascimento (Idade) 1974 (38) Local de nascimento/residência Moçambique*/Lisboa Grau de escolaridade mais elevado Licenciatura,

Leia mais

Anexo 2.2- Entrevista G1.2

Anexo 2.2- Entrevista G1.2 Entrevistado: E1.2 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 53 anos Masculino Cabo-Verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: 4ª classe Imigrações prévias : -- Língua materna: Outras línguas: Agregado

Leia mais

Anexo Entrevista G2.5

Anexo Entrevista G2.5 Entrevista G2.4 Entrevistado: E2.5 Idade: 38 anos Sexo: País de origem: Tempo de permanência em Portugal: Feminino Ucrânia 13 anos Escolaridade: Imigrações prévias: --- Ensino superior (professora) Língua

Leia mais

Identificação. FL14 Duração da entrevista 31:10 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1973 (39) Local de nascimento/residência

Identificação. FL14 Duração da entrevista 31:10 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1973 (39) Local de nascimento/residência 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 Identificação FL14 Duração da entrevista 31:10 Data da entrevista 2-3-2013 Ano de nascimento (Idade) 1973 (39) Local de nascimento/residência

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 11

Transcrição de Entrevista nº 11 Transcrição de Entrevista nº 11 E Entrevistador E11 Entrevistado 11 Sexo Masculino Idade 25anos Área de Formação Engenharia Informática E - Acredita que a educação de uma criança é diferente perante o

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Fabrício Local: Núcleo de Arte do Neblon Data: 26.11.2013 Horário: 14h30 Duração da entrevista: 20min COR PRETA

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Sonia Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 5 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista:

Leia mais

GRELHA DE ANÁLISE DA ENTREVISTA EFETUADA À FUNCIONÁRIA C. A entrevistada tem 31 anos e é casada. Tem o 12º ano de escolaridade.

GRELHA DE ANÁLISE DA ENTREVISTA EFETUADA À FUNCIONÁRIA C. A entrevistada tem 31 anos e é casada. Tem o 12º ano de escolaridade. GRELHA DE ANÁLISE DA ENTREVISTA EFETUADA À FUNCIONÁRIA C CATEGORIAS DE ANÁLISE Caracterização sociodemográfica Idade Sexo Estado civil Grau de escolaridade / habilitações Experiência profissional Função

Leia mais

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde PERGUNTAS METALINGUÍSTICAS Doc.: J. quais são as línguas que você fala " Inf.: eu " (+) inglês né falo

Leia mais

O criador de ilusões

O criador de ilusões O criador de ilusões De repente do escuro ficou claro, deu para ver as roupas brancas entre aventais e máscaras e foi preciso chorar, logo uma voz familiar misturada com um cheiro doce e agradável de

Leia mais

Anexo 2.8- Entrevista G2.3

Anexo 2.8- Entrevista G2.3 Entrevista G2.3 Entrevistado: E2.3 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência e 45 anos Masculino Ucrânia 14 anos m Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias: Ensino superior Polónia Língua materna:

Leia mais

BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO

BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO PROFESSORA Bom dia meninos, estão bons? TODOS Sim. PROFESSORA Então a primeira pergunta que eu vou fazer é se vocês gostam

Leia mais

ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares

ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares AN O ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares o Literária ata Soares OC. ento Social. Dois casais discutem a vida conjugal, sofrendo a influências mútuas. Os temas casamento,

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 3 Data: 18/10/2010 Hora: 19h00 Duração: 22:25 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

A paz já lá está A paz já lá está, Página 1

A paz já lá está A paz já lá está, Página 1 A paz já lá está! A paz já lá está, Página 1 A minha mensagem é muito, muito simples. Muitas pessoas vêm ouvir-me e sentam-se aí, meio tensas: "O que é que eu vou ouvir?" E eu digo-lhes sempre: "Relaxem."

Leia mais

A DOCUMENTAÇÃO DA APRENDIZAGEM: A VOZ DAS CRIANÇAS. Ana Azevedo Júlia Oliveira-Formosinho

A DOCUMENTAÇÃO DA APRENDIZAGEM: A VOZ DAS CRIANÇAS. Ana Azevedo Júlia Oliveira-Formosinho A DOCUMENTAÇÃO DA APRENDIZAGEM: A VOZ DAS CRIANÇAS Ana Azevedo Júlia Oliveira-Formosinho Questões sobre o portfólio respondidas pelas crianças: 1. O que é um portfólio? 2. Gostas do teu portfólio? Porquê?

Leia mais

Este é o vosso tempo Este é o vosso tempo, Página 1

Este é o vosso tempo Este é o vosso tempo, Página 1 Este é o vosso tempo! Este é o vosso tempo, Página 1 Há uma coisa muito simples de que quero falar. Eu sei que as pessoas vieram para ouvir falar de paz. Já lá irei. Porque isso não é difícil, isso é fácil.

Leia mais

Stª Maria da Feira/ Carcavelos Grau de escolaridade + elevada

Stª Maria da Feira/ Carcavelos Grau de escolaridade + elevada 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Identificação M10 Duração da entrevista 44:40 Data da entrevista Idade 1944 (67) Local de nascimento/residência Stª Maria da Feira/

Leia mais

Puxa Conversa. Guia do Marido Bom de Papo. Programa AMOR DE MARIDO

Puxa Conversa. Guia do Marido Bom de Papo. Programa AMOR DE MARIDO Puxa Conversa Guia do Marido Bom de Papo Programa AMOR DE MARIDO Olá amigo, é comum ouvir de nossas mulheres que nós, maridos, não gostamos muito de termos conversas íntimas com elas, de saber como foi

Leia mais

Anexo A Escala de Autoconceito

Anexo A Escala de Autoconceito Anexo A Escala de Autoconceito - Piers-Harris Children s Self-Concept Scale - Orientações para Administração ESCALA DE AUTO-CONCEITO (Piers-Harris Children s Self-Concept Scale 2) Nome: Idade: Data de

Leia mais

PROTOCOLO DA ENTREVISTA

PROTOCOLO DA ENTREVISTA [Legitimação da entrevista] Ent. Em relação ao primeiro bloco, o objetivo específico é conhecer as razões e motivações que levam a educadora a utilizar a metodologia do trabalho de projeto. A primeira

Leia mais

Minha História de amor

Minha História de amor Minha História de amor Hoje eu vou falar um pouco sobre a minha história de amor! Bem, eu namoro à distância faz algum tempinho. E não é uma distância bobinha não, são 433 km, eu moro em Natal-Rn, e ela

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 13

Transcrição de Entrevista nº 13 Transcrição de Entrevista nº 13 E Entrevistador E13 Entrevistado 13 Sexo Masculino Idade 30anos Área de Formação Engenharia Informática Investigação - Docente Ensino Superior E - Acredita que a educação

Leia mais

Que Nevão! Teresa Dangerfield

Que Nevão! Teresa Dangerfield Que Nevão! Teresa Dangerfield Que Nevão! Teresa Dangerfield Mamã, Mamã, está tudo branquinho lá fora! gritou o Tomás muito contente assim que se levantou e espreitou pela janela. Mariana, vem ver depressa!

Leia mais

FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO:

FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO: FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: M.A.M.B. SEXO: Masculino IDADE: 27 anos - Faixa II ESCOLARIZAÇÃO: 9 a 11 anos (2º grau incompleto) LOCALIDADE: Batateira - Zona Urbana PROFISSÃO: Comerciante DOCUMENTADORA:

Leia mais

I CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM NEONATAL Bioética e Biodireito na Atenção Neonatal FILIAÇÃO UNISSEXUAL. Profª Drª Luciana Moas

I CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM NEONATAL Bioética e Biodireito na Atenção Neonatal FILIAÇÃO UNISSEXUAL. Profª Drª Luciana Moas I CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM NEONATAL Bioética e Biodireito na Atenção Neonatal FILIAÇÃO UNISSEXUAL O IMPACTO DAS INOVAÇÕES BIOTECNOLÓGICAS NO PARENTESCO: A DISTINÇÃO ENTRE PAI E GENITOR Meu Deus

Leia mais

Transcrição da Entrevista Entrevistado do grupo amostral constituído por indivíduos com orientação heterossexual 3

Transcrição da Entrevista Entrevistado do grupo amostral constituído por indivíduos com orientação heterossexual 3 Transcrição da Entrevista Entrevistado do grupo amostral constituído por indivíduos com orientação heterossexual 3 [Sexo: homem] Entrevistador: Boa tarde! Entrevistado: Boa tarde. Entrevistador: Vamos

Leia mais

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05

Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/ :19:05 11/06/ :19:05 Parte Um Minha_Vida_Agora.indd 7 11/06/2012 16:19:05 Minha_Vida_Agora.indd 8 11/06/2012 16:19:06 1 Meu nome é Elizabeth, mas ninguém nunca me chamou assim. Meu pai deu uma olhada em mim quando nasci e

Leia mais

Os Principais Tipos de Objeções

Os Principais Tipos de Objeções Os Principais Tipos de Objeções Eu não sou como você" Você tem razão, eu não estou procurando por pessoas que sejam como eu. Sou boa no que faço porque gosto de mim como eu sou. Você vai ser boa no que

Leia mais

Daniel Sampaio (D. S.) Bom dia, João.

Daniel Sampaio (D. S.) Bom dia, João. Esfera_Pag1 13/5/08 10:57 Página 11 João Adelino Faria (J. A. F.) Muito bom dia. Questionamo- -nos muitas vezes sobre quando é que se deve falar de sexo com uma criança, qual é a idade limite, como é explicar

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Igor Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 05 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista:

Leia mais

Dança ao ritmo da existência

Dança ao ritmo da existência www.possibilidade.pt Dança ao ritmo da existência! Dança ao ritmo da existência, Página 1 Aquilo que eu gostava de vos dizer é algo que, quando eu era muito novo, ouvia o meu pai dizer quando discursava.

Leia mais

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 Integração entre Serviços e Benefícios VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 A desproteção e a vulnerabilidade são multidimensionais

Leia mais

Dança ao ritmo da existência

Dança ao ritmo da existência www.possibilidade.pt Dança ao ritmo da existência! Dança ao ritmo da existência, Página 1 Aquilo que eu gostava de vos dizer é algo que, quando eu era muito novo, ouvia o meu pai dizer quando discursava.

Leia mais

FAÇA A SUA ESCOLHA JOSUÉ

FAÇA A SUA ESCOLHA JOSUÉ Filho está na hora de ir à igreja, vamos! Você já leu sua Bíblia hoje? Então, vamos logo. FAÇA A SUA ESCOLHA JOSUÉ 24.14-16 Talvez você também vá à igreja ou leia a Bíblia porque sua mãe (ou alguém outro)

Leia mais

Suelen e Sua História

Suelen e Sua História Suelen e Sua História Nasci em Mogi da Cruzes, no maternidade Santa Casa de Misericórdia no dia 23 de outubro de 1992 às 18 horas. Quando eu tinha 3 anos de idade fui adotada pela tia da minha irmã, foi

Leia mais

A mulher que matou os peixes 14/11/12 14:49 Página 9

A mulher que matou os peixes 14/11/12 14:49 Página 9 14/11/12 14:48 Página 8 14/11/12 14:49 Página 9 Essa mulher que matou os peixes infelizmente sou eu. Mas juro a vocês que foi sem querer. Logo eu! que não tenho coragem de matar uma coisa viva! Até deixo

Leia mais

ANEXO 11A Protocolo da Entrevista ao Alberto (pai do Francisco) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA E3

ANEXO 11A Protocolo da Entrevista ao Alberto (pai do Francisco) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA E3 ANEXO A Protocolo da Entrevista ao Alberto (pai do Francisco) FASE TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA E3 Duração da entrevista: h35m A Não vou pedir uma cadeira se não me faz falta, não vou inclui-la no nível geral,

Leia mais

Entrevista Rodrigo

Entrevista Rodrigo Entrevista 1.17 - Rodrigo (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento)

Leia mais

Guião da Lição 25 SOMOS A IGREJA QUE ELE FUNDOU

Guião da Lição 25 SOMOS A IGREJA QUE ELE FUNDOU Guião da Lição 25 SOMOS A IGREJA QUE ELE FUNDOU A família e os nossos amigos mais próximos, que são como uma família, são muito importantes para nós. Tratam-se todos, de uma comunidade de pessoas ligadas

Leia mais

Nome: Responsáveis: Paróquia: Meus melhores amigos:

Nome: Responsáveis: Paróquia: Meus melhores amigos: EDITORA AVE-MARIA Nome: Responsáveis: Paróquia: Meus melhores amigos: 1. Somos amigos de Jesus Somos um grupo de amigos: Maíra, Cassilda, Babo, Moscão e Matilda. Somos amigos porque nossas famílias são

Leia mais

Uma Aflição Imperial.

Uma Aflição Imperial. Uma Aflição Imperial. Amanda Silva C. Prefácio Uma aflição Imperial conta a história de uma garota chamada Anna que é diagnosticada com tipo raro de câncer leucemia sua mãe é paisagista e tem apenas um

Leia mais

da quando me chama de palito de fósforo e ri de um jeito tão irritante que me deixa louco da vida, com vontade de inventar apelidos horripilantes

da quando me chama de palito de fósforo e ri de um jeito tão irritante que me deixa louco da vida, com vontade de inventar apelidos horripilantes Chiquinho MIOLO 3/8/07 9:34 AM Page 14 Meu nome é Chiquinho Meu pai é alto e magro e se chama Chico. Meu avô é baixo e gordo e se chama Francisco. Eu me chamo Chiquinho e ainda não sei como sou. Já andei

Leia mais

As varetas e as estacas. TU. SEXUALIDADE E AFETIVIDADE

As varetas e as estacas. TU. SEXUALIDADE E AFETIVIDADE UNIDADE 2: As varetas e as estacas. TU. SEXUALIDADE E AFETIVIDADE 1ºESO 2ºESO Quem é você? Reconhecer minha sexualidade e meus afetos me ajuda a conhecer. Na igualdade e a diferença. No amor. 4. Meus primeiros

Leia mais

(Ex. vice-presidente do Conselho Executivo) Como se constitui este Agrupamento, como surgiu. Porque surgiu?

(Ex. vice-presidente do Conselho Executivo) Como se constitui este Agrupamento, como surgiu. Porque surgiu? Protocolo da entrevista Professora Cristina EC (Ex. vice-presidente do Conselho Executivo) Como se constitui este Agrupamento, como surgiu. Porque surgiu? Os Agrupamentos horizontais apareceram com a possível

Leia mais

Classifique-se conforme a seguinte escala, respondendo com números de 1 a 10. Nunca Às vezes Com frequência. 1. Não consigo decidir o que quero fazer?

Classifique-se conforme a seguinte escala, respondendo com números de 1 a 10. Nunca Às vezes Com frequência. 1. Não consigo decidir o que quero fazer? 1. Não consigo decidir o que quero fazer? 2. Tenho dificuldades de me manter concentrado numa tarefa? 3. Sou hiperativo? 4. Sinto dificuldade de desacelerar? 5. Logo perco o interesse em muitas atividades

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Mini Curso Parte I As Forças que controlam a sua vida Página 2 de 6 Como te falei, essa é a primeira etapa do mini-curso Superando

Leia mais

79 Dias. por. Ton Freitas

79 Dias. por. Ton Freitas 79 Dias por Ton Freitas Registro F.B.N.: 684988 Contato: ton.freitas@hotmail.com INT. HOSPITAL/QUARTO - DIA Letreiro: 3 de março de 1987. HELENA, branca, 28 anos, está grávida e deitada em uma cama em

Leia mais

ALDO CALVET TEATRO. CARMELA - ( Corta ) Sem percorrer o mundo e sem experimentar a vida?

ALDO CALVET TEATRO. CARMELA - ( Corta ) Sem percorrer o mundo e sem experimentar a vida? SUBLIME MENTIRA PERSONAGENS: GISELA - mãe CARMELA - filha CONRADO - o noivo JÚLIA - criada CENÁRIO: Sala de residência de família abastada. ÉPOCA: 1928 AÇÃO: São Luis do Maranhão TRECHOS: Drama romântico

Leia mais

Orientação Vocacional e Coaching Carlos Gomes

Orientação Vocacional e Coaching Carlos Gomes Índice Introdução... 2 Método Orienta... 3 Técnica das frases para completar... 6 Realização do Teste Vocacional... 8 Autoavaliação do Teste Vocacional... 9 Exploração de Valores... 10 Autoconhecimento...

Leia mais

À procura do inato !!!!!!!!!!!!!!

À procura do inato !!!!!!!!!!!!!! À procura do inato Prem Rawat foi convidado a falar no Teatro Verdi de Pádua, em Itália, sob o patrocínio do Presidente da República Italiana, do Ministério da Justiça, da Região de Veneto e da Província

Leia mais

Garoto extraordinário

Garoto extraordinário Garoto extraordinário (adequada para crianças de 6 a 8 anos) Texto: Lucas 2:40-52 Princípio: ser como Jesus Você vai precisar de um fantoche de cara engraçada, um adulto para manipular o fantoche atrás

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 8 Data: 28/10/2010 Hora: 13h00 Duração: 26:31 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Era domingo e o céu estava mais

Era domingo e o céu estava mais Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Era domingo e o céu estava mais azul que o azul mais azul que se possa imaginar. O sol de maio deixava o dia ainda mais bonito

Leia mais

Poucos são os casais que, em fase de namoro, falam entre si da forma de. educar os filhos que terão e quais as expectativas dos resultados alcançados

Poucos são os casais que, em fase de namoro, falam entre si da forma de. educar os filhos que terão e quais as expectativas dos resultados alcançados Refletindo sobre a Parentalidade em Portugal Parentalidade Privada/ efeitos públicos Alexandra Soares A vida não refletida, não merece ser vivida" Sócrates Crónica: A opinião desta mulher Poucos são os

Leia mais

Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram

Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram CAPÍTULO UM Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram chegando durante todo o verão. Cada um deixava Matthew um pouco mais tenso: Para: mstheworld@gmail.com Assunto: Estou feliz! Acabo

Leia mais

Ele ajudou-me muito, é um Santo, que Deus o tenha, a sua alma em eterno descanso.

Ele ajudou-me muito, é um Santo, que Deus o tenha, a sua alma em eterno descanso. ENTREVISTA C2: A entrevista começa com a pergunta: Como vão as coisas lá por casa. As coisas agora, vão melhor, porque estou no centro de dia, e lá sinto-me muito bem, mas passo a noite em casa da minha

Leia mais

UMA HISTÓRIA DE AMOR

UMA HISTÓRIA DE AMOR UMA HISTÓRIA DE AMOR Nunca fui de acreditar nessa história de amor "á primeira vista", até conhecer Antonio. Eu era apenas uma menina, que vivia um dia de cada vez sem pretensões de me entregar novamente,

Leia mais

Dimensões. Institucionalização. Entrevistado

Dimensões. Institucionalização. Entrevistado Dimensões Institucionalização Entrevistado F 2 Imagem sobre a velhice Entristece-me muito chegar aqui e olhar para determinados idosos que estão aqui, venho cá três vezes por semana no mínimo e nunca vejo

Leia mais

A Professora de Horizontologia

A Professora de Horizontologia A Professora de Horizontologia Já tinha parado a chuva e Clara Luz estava louca que a Gota voltasse. Felizmente a Fada-Mãe veio com uma novidade: Minha filha, hoje vem uma professora nova. Você vai ter

Leia mais

Sem Cerimónia nem Papéis Um estudo sobre as Uniões de facto em Portugal. Ficha de Caracterização dos Entrevistados e Cônjuges Parte I

Sem Cerimónia nem Papéis Um estudo sobre as Uniões de facto em Portugal. Ficha de Caracterização dos Entrevistados e Cônjuges Parte I Sem Cerimónia nem Papéis Um estudo sobre as Uniões de facto em Portugal Ficha de Caracterização dos Entrevistados e Cônjuges Parte I Q1. Sexo M F Concelho de Residência / Distrito --------------- Q2. Situação

Leia mais

Uma lição de vida. Graziele Gonçalves Rodrigues

Uma lição de vida. Graziele Gonçalves Rodrigues Uma lição de vida Graziele Gonçalves Rodrigues Ele: Sente sua falta hoje na escola, por que você não foi? Ela: É, eu tive que ir ao médico. Ele: Ah, mesmo? Por que? Ela: Ah, nada. Consultas anuais, só

Leia mais

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1 Entrevista G1.1 Entrevistado: E1.1 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 51 anos Masculino Cabo-verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias : São Tomé (aos 11 anos) Língua materna:

Leia mais

A MULHER VESTIDA DE PRETO

A MULHER VESTIDA DE PRETO A MULHER VESTIDA DE PRETO Uma Mulher abre as portas do seu coração em busca de uma nova vida que possa lhe dar todas as oportunidades, inclusive de ajudar a família. Ela encontra nesse caminho a realização

Leia mais

PARABÉNS POR ESTE BEBÉ COM T21? SIM, MUITOS PARABÉNS!

PARABÉNS POR ESTE BEBÉ COM T21? SIM, MUITOS PARABÉNS! PARABÉNS PARABÉNS POR ESTE BEBÉ COM T21? SIM, MUITOS PARABÉNS! É natural que esta situação nova e inesperada o deixe confuso, triste e até revoltado. Afinal, foi mãe ou pai, mas não do bebé com que sonhou

Leia mais

Nº 8 C Domingo II do Tempo Comum Do Evangelho de hoje, retiramos vários ensinamentos para a nossa vida. Naquele casamento, onde estava Jesus,

Nº 8 C Domingo II do Tempo Comum Do Evangelho de hoje, retiramos vários ensinamentos para a nossa vida. Naquele casamento, onde estava Jesus, Nº 8 C Domingo II do Tempo Comum-20.1.13 Do Evangelho de hoje, retiramos vários ensinamentos para a nossa vida. Naquele casamento, onde estava Jesus, ia haver uma grande tristeza, porque o vinho se tinha

Leia mais

(18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA?

(18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA? (18/04/2008) (EU): OIE BB (VC): OIIIIIIIIIIIIIII (EU): TUDO CERTO (VC): TUDO CERTIN.. (EU): CONSEGUINDO LEVAR A VIDA REAL A SERIO AGORA? (VC): HUAHSUASHUAHSUAHSUA SEI LÁ (EU): ENTENDO TUDO NO REAL TA DESABANDO

Leia mais

KYLE GRAY. Boas Vibrações. Práticas e Exercícios Espirituais para Elevar a Sua Energia. Tradução de: Elsa T. S. Vieira. Pergaminho

KYLE GRAY. Boas Vibrações. Práticas e Exercícios Espirituais para Elevar a Sua Energia. Tradução de: Elsa T. S. Vieira. Pergaminho Boas Vibrações KYLE GRAY Boas Vibrações Práticas e Exercícios Espirituais para Elevar a Sua Energia Tradução de: Elsa T. S. Vieira Pergaminho Sentir as vibrações A energia não pode ser criada ou destruída,

Leia mais

SEXUALIDADE - definição

SEXUALIDADE - definição A sexualidade SEXUALIDADE - definição É uma energia que nos motiva a procurar o amor, contacto, ternura, intimidade; que se integra no modo como nos sentimos, movemos, tocamos, e somos tocados; é ser-se

Leia mais

musas TAMBÉM PODE SER UMA MULHER GQ. DESPE-SE DE PRECONCEITOS E MOSTRA ANA HUGO, EX-CONCORRENTE QUE UMA MULHER COM CURVAS DO PROGRAMA PESO PESADO,

musas TAMBÉM PODE SER UMA MULHER GQ. DESPE-SE DE PRECONCEITOS E MOSTRA ANA HUGO, EX-CONCORRENTE QUE UMA MULHER COM CURVAS DO PROGRAMA PESO PESADO, musas ANA HUGO, EX-CONCORRENTE DO PROGRAMA PESO PESADO, DESPE-SE DE PRECONCEITOS E MOSTRA QUE UMA MULHER COM CURVAS TAMBÉM PODE SER UMA MULHER GQ. TEXTO RITA DE LA BLÉTIÈRE. "Qualquer mulher pode ser sexy,

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 7 Data: 22/10/2010 Hora: 19h30 Duração: 30:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

[Comentários sobre isso. Não transcrito, mas explicado em diário de campo]

[Comentários sobre isso. Não transcrito, mas explicado em diário de campo] [Visionamento das fotos] [Comentários sobre isso. Não transcrito, mas explicado em diário de campo] E- Então o que é que achaste das fotos? E7- Boas. Tá fixe. E- Faz-te lembrar coisas boas ou más? E7-

Leia mais

SEM DESTINO. (Contos) Clóvis Oliveira Cardoso

SEM DESTINO. (Contos) Clóvis Oliveira Cardoso Índice 01 Índice; 02 SEM DESTINO (Contos) 03 Agradecimentos; 04 SENHOR... 05 Sigmund Freud; 06 Para Tânia; 07 DEUS sobre todas as coisas; 08 Beberam do próprio veneno; 12 A falta de experiência; 16 Um

Leia mais

Rosália do Vale COMO FAZER UMA FANPAGE DE SUCESSO SEM GASTAR NADA!

Rosália do Vale COMO FAZER UMA FANPAGE DE SUCESSO SEM GASTAR NADA! Rosália do Vale COMO FAZER UMA FANPAGE DE SUCESSO SEM GASTAR NADA! Sobre o e-book Antes de começar O Facebook é sem dúvida a principal rede social atualmente. Fazer uma fanpage da sua empresa ou do seu

Leia mais

ANEXOS. Pedro André Pinho Gomes Impacto da Cultura sob os Valores Sociais: Estudo Comparativo com Portugueses a Residir em Macau e em Portugal

ANEXOS. Pedro André Pinho Gomes Impacto da Cultura sob os Valores Sociais: Estudo Comparativo com Portugueses a Residir em Macau e em Portugal ANEXOS i ANEXO 1: Medida de Valores Sociais: versão reduzida do PVQ (Portrait Values Questionaire; Schwartz, 2001 in Ramos, 2006) O presente questionário faz parte de um estudo empírico que está a ser

Leia mais

Foram todos excelentes. Dez.

Foram todos excelentes. Dez. Categoria Sub-categoria Unidades de registo Ent. -Sobre a equipa técnicopedagógica(1 a 10) 10 excelente 10. Se é excelente tenho de dar 10. Entre o 9 e 10 tenho de dar se é excelente. A2 10 A3 Até agora,

Leia mais

VITRINI SAÚDE E BELEZA

VITRINI SAÚDE E BELEZA VITRINI_SAUDE_FINAL.pmd 1 17/06/2011, 21:11 Foto/Divulgação 14 VITRINI SAÚDE E BELEZA VITRINI_SAUDE_FINAL.pmd 14 ENTREVISTA Bate-papo com Laura Müller Ela conversa sobre sexo e temas tabus ligados à sexualidade

Leia mais

IGUALDADE NÃO É (SÓ) QUESTÃO DE MULHERES

IGUALDADE NÃO É (SÓ) QUESTÃO DE MULHERES IGUALDADE NÃO É (SÓ) QUESTÃO DE MULHERES TERESA MANECA LIMA SÍLVIA ROQUE DIFERENÇAS ENTRE HOMENS E MULHERES APENAS UMA QUESTÃO DE SEXO? SEXO GÉNERO SEXO: conjunto de características biológicas e reprodutivas

Leia mais

Olhando o Aluno Deficiente na EJA

Olhando o Aluno Deficiente na EJA Olhando o Aluno Deficiente na EJA ConhecendoJoice e Paula Lúcia Maria Santos Tinós ltinos@ffclrp.usp.br Apresentando Joice e Paula Prazer... Eu sou a Joice Eu sou a (...), tenho 18 anos, gosto bastante

Leia mais

29/11/2009. Entrevista do Presidente da República

29/11/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na chegada ao hotel Villa Itália Cascais-Portugal, 29 de novembro de 2009 Jornalista: (incompreensível) Presidente:

Leia mais

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com

Real Brazilian Conversations #21 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com Subjects on this conversation: How it is like to live in Uberlândia MG. Context: In this conversation André talks to his aunt Edmárcia, about the city of Uberlândia, in Minas Gerais state. She tells us

Leia mais

História de uma Baleia

História de uma Baleia SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 03 / / 0 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 3.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

Adolescentes portugueses e suas família: bem-estar e crise económica

Adolescentes portugueses e suas família: bem-estar e crise económica Adolescentes portugueses e suas família: bem-estar e crise económica Margarida Gaspar de Matos, PhD mmatos@fmh.ulisboa.pt www.aventurasocial.com www.hbsc.org HBSC - HEALTH BEHAVIOUR IN SCHOOL-AGED CHILDRE

Leia mais

7 DICAS PARA CRIAR UM FILHO RESPONSÁVEL

7 DICAS PARA CRIAR UM FILHO RESPONSÁVEL 7 DICAS PARA CRIAR UM FILHO RESPONSÁVEL É preciso ensinar o filho a ter responsabilidade desde cedo: O quarto do seu filho é uma bagunça sem fim? Ele vive perdendo os materiais escolares ou quebrando seus

Leia mais

DAWN DAIS. Mãe Sofre! Um guia para sobreviver ao primeiro ano de vida do seu bebé. Tradução de: Marta Elias. Pergaminho

DAWN DAIS. Mãe Sofre! Um guia para sobreviver ao primeiro ano de vida do seu bebé. Tradução de: Marta Elias. Pergaminho Mãe Sofre! DAWN DAIS Mãe Sofre! Um guia para sobreviver ao primeiro ano de vida do seu bebé Tradução de: Marta Elias Pergaminho As Minhas Mães na Linha da Frente Não há um modo certo de fazer as coisas

Leia mais

Líderes em Gestão Escolar 2º seminário Currículo, padrões educacionais e legislação. Paula Louzano 06 de outubro de 2009

Líderes em Gestão Escolar 2º seminário Currículo, padrões educacionais e legislação. Paula Louzano 06 de outubro de 2009 Líderes em Gestão Escolar 2º seminário Currículo, padrões educacionais e legislação Paula Louzano 06 de outubro de 2009 Por que um seminário sobre currículo, padrões e lesgislação educacional? Demanda

Leia mais

IGUALDADE DE GÉNERO Margareta Winberg: As mulheres não são livres sem dinheiro

IGUALDADE DE GÉNERO Margareta Winberg: As mulheres não são livres sem dinheiro SOCIEDADE» IGUALDADE DE GÉNERO IGUALDADE DE GÉNERO Margareta Winberg: As mulheres não são livres sem dinheiro 13/3/2016, 19:28 1.907 PARTILHAS Para a antiga vice-primeira-ministra sueca, Margareta Winberg,

Leia mais

GJI 2 - Jardim de Infância da Figueira - 22 alunos de 4 e 5 anos - 19 de Maio

GJI 2 - Jardim de Infância da Figueira - 22 alunos de 4 e 5 anos - 19 de Maio GJI 2 - Jardim de Infância da Figueira - 22 alunos de 4 e 5 anos - 19 de Maio Monitora 1 Onde é que nós estamos? Alunos 1 Na Fábrica. Monitora 2 Mas em que espaço? Ora reparem à vossa volta. Alunos 2 Numa

Leia mais

como comprar uma franquia FranquIa Não basta querer. Você precisa conhecer o sistema e saber se está preparado para comprar uma franquia.

como comprar uma franquia FranquIa Não basta querer. Você precisa conhecer o sistema e saber se está preparado para comprar uma franquia. minha primeira FranquIa como comprar uma franquia Não basta querer. Você precisa conhecer o sistema e saber se está preparado para comprar uma franquia. O nosso propósito! Redes franqueadoras que apoiam

Leia mais

PARTE 1. O que você sempre quis saber

PARTE 1. O que você sempre quis saber PARTE 1 O que você sempre quis saber Vamos ser francos. Namoro é um dos temas mais falados entre os jovens cristãos. As reações à abordagem repetitiva do tema combinam fascínio e cansaço. Por quê? Acreditamos

Leia mais

Estrutura familiar e dinâmica social

Estrutura familiar e dinâmica social Estrutura familiar e dinâmica social Introdução Neste trabalho pretendendo tratar minuciosamente sobre o conceito e relevância social do parentesco; a família enquanto grupo específico e diferenciado de

Leia mais

Uma Boa Prenda. Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor.

Uma Boa Prenda. Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor. Uma Boa Prenda Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor. Prenda essa que pode Ser dada por um qualquer Seja rico ou seja pobre Simples homem ou mulher.

Leia mais

ANEXO 12A Protocolo da Entrevista à Catarina (Mãe do Miguel) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA E4

ANEXO 12A Protocolo da Entrevista à Catarina (Mãe do Miguel) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA E4 ANEXO 12A Protocolo da Entrevista à Catarina (Mãe do Miguel) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA E4 Duração da entrevista: 40 minutos C 1 - Não sei se a Lurdes lhe disse. Eu no ano passado estive doente (

Leia mais

Mensagem do dia 02 de Março Suas escolhas. Mensagem do dia 02 de Março de 2013 Suas escolhas

Mensagem do dia 02 de Março Suas escolhas. Mensagem do dia 02 de Março de 2013 Suas escolhas Mensagem do dia 02 de Março Suas escolhas Mensagem do dia 02 de Março de 2013 Suas escolhas Acredite: você é aquilo que acredita ser. Você tem aquilo que acredita poder ter. Você recebe da vida aquilo

Leia mais

A novela chegou ao fim. O atacante Robinho foi apresentado pelo Santos no início da

A novela chegou ao fim. O atacante Robinho foi apresentado pelo Santos no início da Volta para a casa: Robinho é apresentado e já quer jogar clássico Presidente entrega a camisa 7 ao ídolo do Santos, que já se coloca à disposição de Oswaldo de Oliveira para o duelo com o Corinthians,

Leia mais

MÃE, QUANDO EU CRESCER...

MÃE, QUANDO EU CRESCER... MÃE, QUANDO EU CRESCER... Dedico este livro a todas as pessoas que admiram e valorizam a delicadeza das crianças! Me chamo Carol, mas prefiro que me chamem de Cacau, além de ser um apelido que acho carinhoso,

Leia mais

Nº 5 C Natal e Sagrada Família

Nº 5 C Natal e Sagrada Família Nº 5 C Natal e Sagrada Família Esta semana celebramos nascimento de Jesus, no dia de Natal e depois a festa da Sagrada Família. A Sagrada Família é composta por Maria, José e o Menino Jesus. A Sagrada

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Pesquisa e Consultoria Relatório Síntese PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL RODADA 72 CNT 21 a 23 de Setembro de 2004 SAS Q 06 - Lote 03 - Bloco J Rua Grão Pará, 737-4º andar Ed. Camilo Cola - 2 o andar

Leia mais