Identificação. F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de nascimento/residência

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Identificação. F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de nascimento/residência"

Transcrição

1 Identificação F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de nascimento/residência Lisboa/Amadora Grau de escolaridade mais elevado 12 ano Estado civil Vive junta Sem filhos Local da entrevista Local de trabalho Comentários - P1 (2:22) E: podíamos dizer que o nosso mundo em geral e se calhar portugal em particular mudou bastante nos últimos trinta anos. em termos de sei-lá tecnologia a forma com as pessoas se relacionam como as pessoas vivem ã: será que a vida das mulheres mudou também? F03: sim bastante, penso que sim E: e em que aspetos? F03: ã: no aspeto do mercado de trabalho. nos últimos trinta anos acho que sim. (hum) ã: (.) há trinta anos atrás não havia tanta gente a trabalhar e se calhar vê-se isso pela geração da minha mãe. (hum) (xxx) a minha mãe trabalhava, a maior parte das minhas amigas os pais-- a mãe não trabalhava. (hum) hoje em dia acho que é quase improvável encontrar alguém da minha idade que esteja em casa a cuidar dos filhos. (hum) pelo-- pelo menos da- das pessoas que eu conheço obviamente, e de[:] das pessoas que me rodeiam é muito raro. e[:] quando[:] o fazem é normalmente é porque tiveram um segundo filho ou um (.) e[:] compensa ficarem em casa em vez de estar a trabalhar porque os ordenados das mulheres também são mais baixos que os dos homens (hum) [riso] (hum). e[:] nesse aspeto acho que nós-- mudou imenso. e[:] até a mentalidade, não é? (hum) (.) a minha geração acho que[:] tem outro comportamento, a pesar de eu não achar que está melhor ou pior [riso] está diferente [riso]. (hum) em relação à liberdade. temos muito mais liberdade. mas isso (hum) é geral! mas para as mulheres também. (E: hum, ok) são mais emancipadas acho eu. E: e assim em forma mais específica acha que a vida da sua[2:] mãe é dif- foi diferente da sua? F03: ã: da minha mãe talvez não tanto. (hum) porque a minha mãe já trabalhava fora, foi mãe solteira, portanto. isso acho que (hum) dá logo outra perspetiva (hum) [riso] (E: ok) é uma coisa que à partida dá outra perspetiva. E: e será que a vida das mulheres hoje em dia é mais difícil, ou mais fácil, podia-se pôr a for- a coisa desta forma? F03: difícil (.) talvez em-- no mercado de trabalho. (hum) em algumas coisas. talvez seja mais difícil, ã: e: ora por exemplo a nível de por exemplo universidade as mulheres estão muito à frente dos homens. (hum) [riso] (hum) trabalhei numa acho que há mesmo muito

2 mais mulheres e já frequentei ã: o-- a universidade, nunca conclui, (hum) a licenciatura, e[:] acho que há muita-- muito mais mulheres (hum) que homens no ensino superior. (hum) acho que até estatisticamente é o que dizem (hum) que há! embora uns cursos tenham mais homens e outros menos mas acho que a maioria de pessoas de que completam o ensino superior são mulheres. (hum) depois isso não se reflete no mercado de trabalho e nas (hum) acho eu. nos-- nas carreiras mais elevadas isso não se reflete. P2 (5:05) E: hum. ok. e existe-- na sua opinião existe igualdade entre homens e mulheres? F03: ( 2.0) ã: nas oportunidades de trabalho não! noutras coisas acho que as mulheres ã: afirmam a igualdade ã: às vezes à força (hum) mas conseguem-na. E: por exemplo em que[2:] aspetos. F03: ã: acho que é mais no aspeto relacional. (hum) que a pessoa às vezes tem que impor que[:] tem direito a[:] fazer a mesma coisa. (hum) mas acho que às vezes as mulheres também não é bem a igualdade que querem. (hum) querem igualdade com alguns privilégios de sexo frágil. [riso] (hum) às vezes tenho um bocado essa ideia. (hum) se calhar errada, mas-- E: //podia explicar isso?\ F03: /gostamos\\ do cavalheirismo, daquelas coisas que nos sabem bem, mas a parte que não nos sabe bem a gente não quer. (hum) portanto só queremos aqui- queremos o melhor dos dois mundos. não é? que é continuar a ter que os homens tenham determinados comportamentos (hum) que achamos elegantes, mas os outros-- carregar os sacos tudo bem, mas depois [riso] (E: [riso]) há outras coisas que não queremos. (hum) acho que no-- a igualdade é impossível. (xxx) eu[:] pessoalmente acho que a igualdade é impossível porque são diferentes. (hum) a questão da força, a questão de não se quê. porque aquelas coisas nós gostamos o querermos o melhor de dois mundos. portanto não é bem uma igualdade, é- - (hum) é uma igualdade de oportunidades em determinados aspetos, (hum) que foram conquistadas e que eu acho que podem continuar de ser, ã: a liberdade de[:] até de relacionamento e termos amigos fora de casa (hum) mais (xxx) quando uma pessoa tem uma relação. poder ter continuar a ter amigos e isso, essa liberdade é importante e contpodermos ter o nosso eu o eu o tu e o nós (hum) e[:] isso é uma conquista! porque antigamente as mulheres vivam em função do marido (hum). e[:] isso é uma conquista. agora a igualdade igualdade depende da perspetiva do que considerar a igualdade. (hum) não[:] acho que é isso que as mulheres queiram. (E: ok) é o melhor de dois mundos. (hum) queremos o melhor de dois mundos. P3 (7:00)

3 P4 (7:55) E: hum. está bem. e acha que-- portanto a [nome F3] disse que não tem filhos não é? //mas\ F03: /não\\ E: acha assim da maneira como vê as coisas, acha que a vida de uma mulher muda com a maternidade? F03: acho que sim! E: e em que aspetos por exemplo? F03: ( 1.5) depende da pessoa que tem ao lado também. acho que está a questão de[:] estar mais disponível ou não, (hum) para também ajudar, e se há uma partilha-- aí eu acho que devia de haver igualdade. (hum) é tanto o pai como a mãe. nos primeiros meses tudo bem precisa da mãe, mas também precisa do pai. quer dizer. (hum) se estão juntos então que partilhem estas tarefas. mas que muda, muda. (hum) porque normalmente a[:] maior parte da responsabilidade fica ( 2.0) para a mulher e não para o homem. isso por uma questão social. não sei se será se por uma questão das próprias mulheres assumirem esse papel. (hum) eu-- as minhas amigas todas têm filhos, (hum) parece-me que é um pouco isso. elas assumem esse papel e até nem gostam muito de partilhar nalgumas coisas. (hum) ele não sabe o que anda a fazer. (E: [riso]) [riso] não é[2:2] por mal acho que é uma questão maternal, é uma coisa que está muito (hum) enraizada no[:] (hum) ser mãe. (hum) não acredito que se tenha que deixar a profissão nada disso mas determinadas tarefas que são muito mãe, (hum) não se partilham. aquilo-- ele não está aí a fazer nada (E: [riso]) [riso] mas pronto! não é por experiência própria. é por aquilo que observo (hum) nas minhas amigas (E: sim) e conversas que elas têm. e que falam doutras. (hum) porque depois as mães relacionam-se todas umas com as outras. (E: pois) assim. criam assim uma proximidade, têm muita coisa em comum, (hum) e quem não tem filhos fica um pouco à parte mas acaba por se ouvir e[:] ver que realmente ah ele não sabe isso, fazer a papa isso não é com ele. que ele não percebe nada disso. (E: [riso]) ou dar banho ai não ele é desajeitado pode deixar cair. (E: [riso] ok) [riso] não é por mal. acho que é uma coisa que se assume por ser mãe, (hum) e que não tem propriamente a ver com o facto de[:] ser uma mãe trabalhadora ou não. (E: sim) de uma mãe de que[:] tem um emprego. (hum) tem o emprego na mesma mas-- há certas coisas que assumem sozinhas, (hum) mais porque querem do que propriamente até que eles não queiram assumir. (hum) ele depois também se fazem-- "ah não tenho jeito realmente. deixa-la estar. (hum) que é menos uma tarefa para eu fazer (hum) [riso] E: então a experiência de ser mãe será equivalente à de ser pai? F03: ( 3.5) diferente. (hum) ( 2.0) diferente dependerá de pessoa para pessoa mas acho que é diferente. ã: a mãe tem uma proximidade durante nove meses que o pai é impossível

4 alcançar. (hum) portanto logo isso acho que muda a relação. existente. (hum) na minha opinião. há uma relação prévia que o pai não tem-- nem como imaginar. pode ter aquela relação de ir lá ouvir de tocar e não se quê mas não é mesma coisa. E: hum. ok. ( 3.0) e como é que vê as mulheres não sei se é o seu caso, mas ã: como é que vê as mulheres que decidem não ter filhos. ( 1.5) F03: ã: E: assim de forma (.) eu não quero! F03: //ã:\ E: / eu não\\ vou ter! F03: ã: normalmente não são muito bem vistas pelas outras mulheres. (hum) por incrível que pareça. (E: pois) ( 2.0) o não querer (hum) ( 2.5) é visto como um ato de egoísmo. (.) (hum) eu não quero ter filhos -- (hum) isso é visto como um ato de egoísmo. não pelos homens mas pelas outras mulheres. eu acho que os homens nisso são mais compreensíveis. (hum) as mulheres não. então se tiverem filhos são mesmo ã: assim fundamentalistas e radicais. (hum) ( 2.0) é um ato de egoísmo. és é egoísta! (hum) e então se a pessoa tiver alguém ainda compreendem menos. (E: pois) também sei que algumas pessoas acabam por-- quando não podem dizer às outras pessoas olha, não quero! (hum) é mais fácil. (hum) a pessoa fica retraída mas (xxx) aquela coisa de coitadinha. e no meu caso é assim. eu não quero ter filhos. não[:] é uma coisa definitiva, uma coisa que pode acontecer, porque nunca se sabe. (hum) uma pessoa de hoje para amanhã pode-se (xxx) ou pode acontecer e se acontecesse não era uma coisa que me-- que eu ficasse-- ( 1.5) dissesse que não, não. mas não[:] é uma coisa que eu quisesse. E: hum. e como é que as pessoas reagem? F03: é[:] tipo ah és uma egoísta. não sei quê todas as mulheres querem! (hum) vocês são é egoístas! porque querem é andar a passear! (E: [riso]) [riso] é um bocado isso. (hum) e a reação é um bocado essa-- mais da parte das mulheres. (E: sim) por incrível ã:-- pelo menos sinto isso mais da parte das mulheres. (hum) também é normal porque sou filha única, eu até compreendo, (hum) mas não é essa a reação, é assim ah gostava mas-- mas da parte da-- dos amigos e isso é[:] mais a-- as amigas que[:] já têm filhos, porque por acaso enquadro-me num grupo que a maioria tem filhos, (hum) que acham que é um ato de egoísmo. (hum) ã: és egoísta, não queres fazer sacrifícios para ter um filho. (hum) eu não vejo um filho como um sacrifício, e s- e se eu vir assim então prefiro não ter. (hum) e[:] atualmente se calhar um filho ã: seria um sacrifício. (hum) a nível económico muito grande, e que eu se calhar não[:] (.) não estou disposta e não gostaria de[:] fazê-lo sentir isso. de ter que o fazer sentir que efetivamente está-- veio numa má altura, ou porque a pessoa não tem mesmo hipótese-- P5 (13:17)

5 P6 15:06

Anexo 2.2- Entrevista G1.2

Anexo 2.2- Entrevista G1.2 Entrevistado: E1.2 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 53 anos Masculino Cabo-Verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: 4ª classe Imigrações prévias : -- Língua materna: Outras línguas: Agregado

Leia mais

Anexo Entrevista G2.5

Anexo Entrevista G2.5 Entrevista G2.4 Entrevistado: E2.5 Idade: 38 anos Sexo: País de origem: Tempo de permanência em Portugal: Feminino Ucrânia 13 anos Escolaridade: Imigrações prévias: --- Ensino superior (professora) Língua

Leia mais

Equivalente ao 12º ano, já em idade adulta Estado civil

Equivalente ao 12º ano, já em idade adulta Estado civil 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Identificação ML11 Duração da entrevista 28:21 Data da entrevista 23-11-2012 Ano de nascimento (Idade) 1943 (69) Local de nascimento/residência

Leia mais

*veio para Lisboa com 1 ano Entrevista é interrompida 1 vez

*veio para Lisboa com 1 ano Entrevista é interrompida 1 vez 1 Identificação FL06 Duração da entrevista 28:24 Data da entrevista 24-09-2012 Ano de nascimento (Idade) 1974 (38) Local de nascimento/residência Moçambique*/Lisboa Grau de escolaridade mais elevado Licenciatura,

Leia mais

Identificação. FL14 Duração da entrevista 31:10 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1973 (39) Local de nascimento/residência

Identificação. FL14 Duração da entrevista 31:10 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1973 (39) Local de nascimento/residência 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 Identificação FL14 Duração da entrevista 31:10 Data da entrevista 2-3-2013 Ano de nascimento (Idade) 1973 (39) Local de nascimento/residência

Leia mais

musas TAMBÉM PODE SER UMA MULHER GQ. DESPE-SE DE PRECONCEITOS E MOSTRA ANA HUGO, EX-CONCORRENTE QUE UMA MULHER COM CURVAS DO PROGRAMA PESO PESADO,

musas TAMBÉM PODE SER UMA MULHER GQ. DESPE-SE DE PRECONCEITOS E MOSTRA ANA HUGO, EX-CONCORRENTE QUE UMA MULHER COM CURVAS DO PROGRAMA PESO PESADO, musas ANA HUGO, EX-CONCORRENTE DO PROGRAMA PESO PESADO, DESPE-SE DE PRECONCEITOS E MOSTRA QUE UMA MULHER COM CURVAS TAMBÉM PODE SER UMA MULHER GQ. TEXTO RITA DE LA BLÉTIÈRE. "Qualquer mulher pode ser sexy,

Leia mais

Dimensões. Institucionalização. Entrevistado

Dimensões. Institucionalização. Entrevistado Dimensões Institucionalização Entrevistado F 2 Imagem sobre a velhice Entristece-me muito chegar aqui e olhar para determinados idosos que estão aqui, venho cá três vezes por semana no mínimo e nunca vejo

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Fabrício Local: Núcleo de Arte do Neblon Data: 26.11.2013 Horário: 14h30 Duração da entrevista: 20min COR PRETA

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 11

Transcrição de Entrevista nº 11 Transcrição de Entrevista nº 11 E Entrevistador E11 Entrevistado 11 Sexo Masculino Idade 25anos Área de Formação Engenharia Informática E - Acredita que a educação de uma criança é diferente perante o

Leia mais

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde PERGUNTAS METALINGUÍSTICAS Doc.: J. quais são as línguas que você fala " Inf.: eu " (+) inglês né falo

Leia mais

Stª Maria da Feira/ Carcavelos Grau de escolaridade + elevada

Stª Maria da Feira/ Carcavelos Grau de escolaridade + elevada 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Identificação M10 Duração da entrevista 44:40 Data da entrevista Idade 1944 (67) Local de nascimento/residência Stª Maria da Feira/

Leia mais

Anexo 2.8- Entrevista G2.3

Anexo 2.8- Entrevista G2.3 Entrevista G2.3 Entrevistado: E2.3 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência e 45 anos Masculino Ucrânia 14 anos m Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias: Ensino superior Polónia Língua materna:

Leia mais

GJI 2 - Jardim de Infância da Figueira - 22 alunos de 4 e 5 anos - 19 de Maio

GJI 2 - Jardim de Infância da Figueira - 22 alunos de 4 e 5 anos - 19 de Maio GJI 2 - Jardim de Infância da Figueira - 22 alunos de 4 e 5 anos - 19 de Maio Monitora 1 Onde é que nós estamos? Alunos 1 Na Fábrica. Monitora 2 Mas em que espaço? Ora reparem à vossa volta. Alunos 2 Numa

Leia mais

A paz já lá está A paz já lá está, Página 1

A paz já lá está A paz já lá está, Página 1 A paz já lá está! A paz já lá está, Página 1 A minha mensagem é muito, muito simples. Muitas pessoas vêm ouvir-me e sentam-se aí, meio tensas: "O que é que eu vou ouvir?" E eu digo-lhes sempre: "Relaxem."

Leia mais

I CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM NEONATAL Bioética e Biodireito na Atenção Neonatal FILIAÇÃO UNISSEXUAL. Profª Drª Luciana Moas

I CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM NEONATAL Bioética e Biodireito na Atenção Neonatal FILIAÇÃO UNISSEXUAL. Profª Drª Luciana Moas I CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM NEONATAL Bioética e Biodireito na Atenção Neonatal FILIAÇÃO UNISSEXUAL O IMPACTO DAS INOVAÇÕES BIOTECNOLÓGICAS NO PARENTESCO: A DISTINÇÃO ENTRE PAI E GENITOR Meu Deus

Leia mais

Daniel Sampaio (D. S.) Bom dia, João.

Daniel Sampaio (D. S.) Bom dia, João. Esfera_Pag1 13/5/08 10:57 Página 11 João Adelino Faria (J. A. F.) Muito bom dia. Questionamo- -nos muitas vezes sobre quando é que se deve falar de sexo com uma criança, qual é a idade limite, como é explicar

Leia mais

01/09/2009. Entrevista do Presidente da República

01/09/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após cerimônia de encerramento do 27º Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA) Vitória-ES, 1º de setembro de 2009

Leia mais

GUIÃO DA ENTREVISTA. A Perfil sociodemográfico do cuidador informal

GUIÃO DA ENTREVISTA. A Perfil sociodemográfico do cuidador informal Data da entrevista: Numero: / / GUIÃO DA ENTREVISTA A Perfil sociodemográfico do cuidador informal 1) Género 2) Idade 3) Estado Civil Feminino Masculino 4) Composição do Agregado Familiar Anos Casado /União

Leia mais

Entrevista Rodrigo

Entrevista Rodrigo Entrevista 1.17 - Rodrigo (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento)

Leia mais

Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016

Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016 Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016 Digamos onde acordou tudo alegre e assim permaneceu. Acho completamente impossível tentar descrever nas palavras o sentimento que sinto aqui dentro

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 3 Data: 18/10/2010 Hora: 19h00 Duração: 22:25 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

IGUALDADE DE GÉNERO Margareta Winberg: As mulheres não são livres sem dinheiro

IGUALDADE DE GÉNERO Margareta Winberg: As mulheres não são livres sem dinheiro SOCIEDADE» IGUALDADE DE GÉNERO IGUALDADE DE GÉNERO Margareta Winberg: As mulheres não são livres sem dinheiro 13/3/2016, 19:28 1.907 PARTILHAS Para a antiga vice-primeira-ministra sueca, Margareta Winberg,

Leia mais

BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO

BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO PROFESSORA Bom dia meninos, estão bons? TODOS Sim. PROFESSORA Então a primeira pergunta que eu vou fazer é se vocês gostam

Leia mais

Actividades. portefólio( )

Actividades. portefólio( ) Categoria Sub-categoria Unidades de registo Ent. Actividades Com os profissionais: Com a profissional, ela orientou-nos sobre todo o processo( ) A3 -Explicação do processo de rvcc A primeira sessão foi

Leia mais

Livro Os Ciganos: História e Cultura - crianças e jovens - 12/15 anos

Livro Os Ciganos: História e Cultura - crianças e jovens - 12/15 anos Sugestões pedagógicas para orientar a leitura dos livros da Biblioteca Digital Livro Os Ciganos: História e Cultura - crianças e jovens - 12/15 anos Atividades para trabalhar os temas: Tolerância intercultural

Leia mais

Os Principais Tipos de Objeções

Os Principais Tipos de Objeções Os Principais Tipos de Objeções Eu não sou como você" Você tem razão, eu não estou procurando por pessoas que sejam como eu. Sou boa no que faço porque gosto de mim como eu sou. Você vai ser boa no que

Leia mais

Era domingo e o céu estava mais

Era domingo e o céu estava mais Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães Era domingo e o céu estava mais azul que o azul mais azul que se possa imaginar. O sol de maio deixava o dia ainda mais bonito

Leia mais

Puxa Conversa. Guia do Marido Bom de Papo. Programa AMOR DE MARIDO

Puxa Conversa. Guia do Marido Bom de Papo. Programa AMOR DE MARIDO Puxa Conversa Guia do Marido Bom de Papo Programa AMOR DE MARIDO Olá amigo, é comum ouvir de nossas mulheres que nós, maridos, não gostamos muito de termos conversas íntimas com elas, de saber como foi

Leia mais

M U L H E R E S D O B R A S I L

M U L H E R E S D O B R A S I L M U L H E R E S D O B R A S I L 2016 COMITÊ SOCIAL Vozes das Mulheres Palestras Andrea Chamma Cristina Schulman Inegociáveis Não advogamos em causa própria; Todo o trabalho deve ser coordenado nas ações

Leia mais

Este é o vosso tempo Este é o vosso tempo, Página 1

Este é o vosso tempo Este é o vosso tempo, Página 1 Este é o vosso tempo! Este é o vosso tempo, Página 1 Há uma coisa muito simples de que quero falar. Eu sei que as pessoas vieram para ouvir falar de paz. Já lá irei. Porque isso não é difícil, isso é fácil.

Leia mais

À CONVERSA COM UMA PROFISSIONAL

À CONVERSA COM UMA PROFISSIONAL À CONVERSA COM UMA PROFISSIONAL A 27 de abril de 2012, os alunos do 2º F do curso profissional de Técnico de Turismo, realizaram uma entrevista, a uma profissional da área. A entrevista foi previamente

Leia mais

-Oi Vô! Vamos pra água? -Calma! Ainda tem que pintar a canoa!

-Oi Vô! Vamos pra água? -Calma! Ainda tem que pintar a canoa! Sabedoria do mar Pesquisa: Fábio G. Daura Jorge, Biólogo. Leonardo L. Wedekin, Biólogo. Natália Hanazaki, Ecóloga. Roteiro: Maurício Muniz Fábio G. Daura Jorge Ilustração: Maurício Muniz Apresentação Esta

Leia mais

Projectos de vida de jovens com baixas qualificações escolares

Projectos de vida de jovens com baixas qualificações escolares Fórum de Pesquisas CIES 2008 Desigualdades Sociais em Portugal Projectos de vida de jovens com baixas qualificações escolares Maria das Dores Guerreiro (coord.) Frederico Cantante Margarida Barroso 1 Projecto

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Igor Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 05 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista:

Leia mais

29/11/2009. Entrevista do Presidente da República

29/11/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na chegada ao hotel Villa Itália Cascais-Portugal, 29 de novembro de 2009 Jornalista: (incompreensível) Presidente:

Leia mais

SOUSA GALITO, Maria (2009). Entrevista ao Dr. Francisco Mantero. CI-CPRI, E T-CPLP, º1, pp. 1-5.

SOUSA GALITO, Maria (2009). Entrevista ao Dr. Francisco Mantero. CI-CPRI, E T-CPLP, º1, pp. 1-5. SOUSA GALITO, Maria (2009). Entrevista ao Dr. Francisco Mantero. CI-CPRI, E T-CPLP, º1, pp. 1-5. E T-CPLP: Entrevistas sobre a CPLP CI-CPRI Entrevista ao Dr. Francisco Mantero Secretário-geral do Conselho

Leia mais

Dicas Crie um estilo pessoal

Dicas Crie um estilo pessoal Introdução Esse mini ebook foi feito especialmente para você que deseja conquistar lindas mulheres. Nas próximas páginas será compartilhado dicas práticas para que você conquiste mulheres de forma mais

Leia mais

A DOCUMENTAÇÃO DA APRENDIZAGEM: A VOZ DAS CRIANÇAS. Ana Azevedo Júlia Oliveira-Formosinho

A DOCUMENTAÇÃO DA APRENDIZAGEM: A VOZ DAS CRIANÇAS. Ana Azevedo Júlia Oliveira-Formosinho A DOCUMENTAÇÃO DA APRENDIZAGEM: A VOZ DAS CRIANÇAS Ana Azevedo Júlia Oliveira-Formosinho Questões sobre o portfólio respondidas pelas crianças: 1. O que é um portfólio? 2. Gostas do teu portfólio? Porquê?

Leia mais

da quando me chama de palito de fósforo e ri de um jeito tão irritante que me deixa louco da vida, com vontade de inventar apelidos horripilantes

da quando me chama de palito de fósforo e ri de um jeito tão irritante que me deixa louco da vida, com vontade de inventar apelidos horripilantes Chiquinho MIOLO 3/8/07 9:34 AM Page 14 Meu nome é Chiquinho Meu pai é alto e magro e se chama Chico. Meu avô é baixo e gordo e se chama Francisco. Eu me chamo Chiquinho e ainda não sei como sou. Já andei

Leia mais

Classifique-se conforme a seguinte escala, respondendo com números de 1 a 10. Nunca Às vezes Com frequência. 1. Não consigo decidir o que quero fazer?

Classifique-se conforme a seguinte escala, respondendo com números de 1 a 10. Nunca Às vezes Com frequência. 1. Não consigo decidir o que quero fazer? 1. Não consigo decidir o que quero fazer? 2. Tenho dificuldades de me manter concentrado numa tarefa? 3. Sou hiperativo? 4. Sinto dificuldade de desacelerar? 5. Logo perco o interesse em muitas atividades

Leia mais

Pensamento Positivo. Pr. Rodrigo Moraes

Pensamento Positivo. Pr. Rodrigo Moraes Pensamento Positivo Pr. Rodrigo Moraes Pensamento Positivo Pastor Rodrigo Moraes Igreja Nova Aliança Ministério Atraindo Vidas Para Deus - AVD 2015 Prefácio Esta é uma obra com o intuito de mostrar com

Leia mais

9 passos para criar um negócio sem largar o emprego

9 passos para criar um negócio sem largar o emprego 9 passos para criar um negócio sem largar o emprego Antes de mais nada gostaria de deixar claro uma coisa: Em um determinado momento você vai precisar escolher entre trabalhar para alguém e trabalhar para

Leia mais

Sem Cerimónia nem Papéis Um estudo sobre as Uniões de facto em Portugal. Ficha de Caracterização dos Entrevistados e Cônjuges Parte I

Sem Cerimónia nem Papéis Um estudo sobre as Uniões de facto em Portugal. Ficha de Caracterização dos Entrevistados e Cônjuges Parte I Sem Cerimónia nem Papéis Um estudo sobre as Uniões de facto em Portugal Ficha de Caracterização dos Entrevistados e Cônjuges Parte I Q1. Sexo M F Concelho de Residência / Distrito --------------- Q2. Situação

Leia mais

Garoto extraordinário

Garoto extraordinário Garoto extraordinário (adequada para crianças de 6 a 8 anos) Texto: Lucas 2:40-52 Princípio: ser como Jesus Você vai precisar de um fantoche de cara engraçada, um adulto para manipular o fantoche atrás

Leia mais

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 Integração entre Serviços e Benefícios VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 A desproteção e a vulnerabilidade são multidimensionais

Leia mais

Uma Aflição Imperial.

Uma Aflição Imperial. Uma Aflição Imperial. Amanda Silva C. Prefácio Uma aflição Imperial conta a história de uma garota chamada Anna que é diagnosticada com tipo raro de câncer leucemia sua mãe é paisagista e tem apenas um

Leia mais

manhã a minha irmã Inês vai ter o seu primeiro dia de escola. Há mais de uma semana que anda muito irrequieta e não para de me fazer perguntas,

manhã a minha irmã Inês vai ter o seu primeiro dia de escola. Há mais de uma semana que anda muito irrequieta e não para de me fazer perguntas, 5 6 manhã a minha irmã Inês vai ter o seu primeiro dia de escola. Há mais de uma semana que anda muito irrequieta e não para de me fazer perguntas, sempre a incomodar-me. Por vezes, eu divirto-me a responder.

Leia mais

como diz a frase: nois é grossa mas no fundo é um amor sempre é assim em cima da hora a pessoa muda numa hora ela fica com raiva, triste, feliz etc.

como diz a frase: nois é grossa mas no fundo é um amor sempre é assim em cima da hora a pessoa muda numa hora ela fica com raiva, triste, feliz etc. SEGUIR EM FRENTE seguir sempre em frente, nunca desistir dos seus sonhos todos nós temos seu nivel ou seja todos nós temos seu ponto fraco e siga nunca desistir e tentar até voce conseguir seu sonho se

Leia mais

ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares

ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares AN O ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares o Literária ata Soares OC. ento Social. Dois casais discutem a vida conjugal, sofrendo a influências mútuas. Os temas casamento,

Leia mais

Você Gostaria que Pessoalmente Eu Te Ajudasse a Dobrar, Triplicar ou Talvez Quadruplicar Suas Vendas, Sem te cobrar nada por isso?

Você Gostaria que Pessoalmente Eu Te Ajudasse a Dobrar, Triplicar ou Talvez Quadruplicar Suas Vendas, Sem te cobrar nada por isso? Você Gostaria que Pessoalmente Eu Te Ajudasse a Dobrar, Triplicar ou Talvez Quadruplicar Suas Vendas, Sem te cobrar nada por isso? Do escritório de Natanael Oliveira São Caetano do Sul São Paulo Julho

Leia mais

Os vinhateiros. Referência Bíblica: Mateus

Os vinhateiros. Referência Bíblica: Mateus Os vinhateiros Referência Bíblica: Mateus 20. 1-16 Introdução: O que é de fato o Reino de Deus começa Jesus a explicar, circundado por muita gente que o escuta atentamente... Um senhor era dono de uma

Leia mais

A6- Boomwhackers. Eu- boomwhackers, mais? Tu consideras que aprendeste alguma coisa nova? A4 Aprender de novo acho que só, talvez algumas técnicas a

A6- Boomwhackers. Eu- boomwhackers, mais? Tu consideras que aprendeste alguma coisa nova? A4 Aprender de novo acho que só, talvez algumas técnicas a Entrevista 4 Alunos entrevistados: Aluno 1- Inês Bártolo Aluno 2 Inês Bento Aluno 3- João Duarte Aluno 4-Miguel Coelho Aluno 5- Daniel Silva Aluno 6- Diogo Marques Eu Antes de mais quero saber se vocês

Leia mais

Lembrando que não estou distribuindo nenhum manual, apenas repassando o que encontrei disponível na internet, ok! :wink:

Lembrando que não estou distribuindo nenhum manual, apenas repassando o que encontrei disponível na internet, ok! :wink: Manual básico mecânica de motos! Postado por Luciano - 2006/05/12 13:47 Pessoal, ai vai um exelente manual de mecânica de motos! http://www.4shared.com/dir/550706/a203c34/manuais.html Lembrando que não

Leia mais

A MULHER VESTIDA DE PRETO

A MULHER VESTIDA DE PRETO A MULHER VESTIDA DE PRETO Uma Mulher abre as portas do seu coração em busca de uma nova vida que possa lhe dar todas as oportunidades, inclusive de ajudar a família. Ela encontra nesse caminho a realização

Leia mais

.:. Aula 3.:. Educação Corporativa e Conflito de Gerações. Profª Daniela Cartoni

.:. Aula 3.:. Educação Corporativa e Conflito de Gerações. Profª Daniela Cartoni .:. Aula 3.:. Educação Corporativa e Conflito de Gerações Profª Daniela Cartoni daniela_cartoni@yahoo.com.br Conflito de Gerações Desafio do líder é gerir pessoas Mas, qual o perfil destas pessoas? Como

Leia mais

À procura do inato !!!!!!!!!!!!!!

À procura do inato !!!!!!!!!!!!!! À procura do inato Prem Rawat foi convidado a falar no Teatro Verdi de Pádua, em Itália, sob o patrocínio do Presidente da República Italiana, do Ministério da Justiça, da Região de Veneto e da Província

Leia mais

Vila Praia de Âncora Monopólio privado do 3º ciclo com escola pública disponível do outro lado da Rua.

Vila Praia de Âncora Monopólio privado do 3º ciclo com escola pública disponível do outro lado da Rua. Vila Praia de Âncora Monopólio privado do 3º ciclo com escola pública disponível do outro lado da Rua. N a verdade, na escola básica do Vale do Âncora, em Vila Praia de Âncora, podemos usar, e com mais

Leia mais

Ligue o som e clique pra avançar QUANDO O TEU(TUA) FILHO(A) DISSER: PAI, MÃE NÃO SE METAM NA MINHA VIDA!

Ligue o som e clique pra avançar QUANDO O TEU(TUA) FILHO(A) DISSER: PAI, MÃE NÃO SE METAM NA MINHA VIDA! Ligue o som e clique pra avançar QUANDO O TEU(TUA) FILHO(A) DISSER: PAI, MÃE NÃO SE METAM NA MINHA VIDA! Texto criado por um sacerdote. Hoje que estou aprofundando meus estudos teológicos na Família, seus

Leia mais

Juro lealdade à bandeira dos Estados Unidos da... autch! No terceiro ano, as pessoas adoram dar beliscões. Era o Zezinho-Nelinho-Betinho.

Juro lealdade à bandeira dos Estados Unidos da... autch! No terceiro ano, as pessoas adoram dar beliscões. Era o Zezinho-Nelinho-Betinho. ÍTULO 1 Juro lealdade à bandeira dos Estados Unidos da... autch! No terceiro ano, as pessoas adoram dar beliscões. Era o Zezinho-Nelinho-Betinho. Julinho sussurrou. Vou pensar no teu caso respondi -lhe,

Leia mais

CATEQUESE 6 - A PAZ NA VIDA DO HOMEM

CATEQUESE 6 - A PAZ NA VIDA DO HOMEM CATEQUESE 6 - A PAZ NA VIDA DO HOMEM Em cada frase indicar em que sentido se fala da paz como: dom, conquista ou compromisso. Se a frase tiver vários sentidos, assinalá-lo. CATEQUESE 7 - A VERDADE COMO

Leia mais

Alô terroristas? 07-Jan-2009

Alô terroristas? 07-Jan-2009 Alô terroristas? 07-Jan-2009 As bombas que caem neste momento na Faixa de Gaza e que matam cada vez mais civis são acompanhadas de panfletos enviados por Israel.Num desses panfletos faz-se um apelo para

Leia mais

Eu queria desejar a você toda a felicidade do mundo e Obrigado, vô.

Eu queria desejar a você toda a felicidade do mundo e Obrigado, vô. Parabéns para o Dan Tocou o telefone lá em casa. Meu pai atendeu na sala. Alô. Meu avô, pai do meu pai, do outro lado da linha, fez voz de quem não gostou da surpresa. Eu liguei pra dar parabéns ao Dan.

Leia mais

É Preciso Saber Viver

É Preciso Saber Viver É Preciso Saber Viver Quem espera que a vida Seja feita de ilusão Pode até ficar maluco Ou morrer na solidão É preciso ter cuidado Pra mais tarde não sofrer É preciso saber viver Toda pedra no caminho

Leia mais

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1

Anexo 2.1 - Entrevista G1.1 Entrevista G1.1 Entrevistado: E1.1 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 51 anos Masculino Cabo-verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias : São Tomé (aos 11 anos) Língua materna:

Leia mais

coleção Conversas #21 - ABRIL e t m o se? Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #21 - ABRIL e t m o se? Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. Sou bem que ele mais v coleção Conversas #21 - ABRIL 2015 - m o c está l e g i o h a que e l apenas por in e t. er e s se? Será Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

Leia mais

ANEXOS PUC-Rio - Certificação Digital Nº /CA

ANEXOS PUC-Rio - Certificação Digital Nº /CA ANEXOS 33+ ROTEIRO DAS PALESTRAS Situações determinantes do psiquismo humano: história mítica (situações anteriores à concepção e ao nascimento de uma criança), projeção do futuro da criança. primeiro

Leia mais

Primeira Estação Jesus é condenado à Morte

Primeira Estação Jesus é condenado à Morte Primeira Estação Jesus é condenado à Morte Várias pessoas falam ao mesmo tempo e no meio dessas vozes uma pessoa diz: Pessoa 1 - Vamos levar Jesus até Pilatos. Pessoa 2 - É Pilatos quem decide se ele morre

Leia mais

Uma lição de vida. Graziele Gonçalves Rodrigues

Uma lição de vida. Graziele Gonçalves Rodrigues Uma lição de vida Graziele Gonçalves Rodrigues Ele: Sente sua falta hoje na escola, por que você não foi? Ela: É, eu tive que ir ao médico. Ele: Ah, mesmo? Por que? Ela: Ah, nada. Consultas anuais, só

Leia mais

Relacionamento Abusivo

Relacionamento Abusivo CARLA EGÍDIO LEMOS PSICÓLOGA Relacionamento Abusivo Relacionamento Abusivo Quando ouvimos falar de Relacionamento Abusivo geralmente nos lembramos da relação amorosa em que a mulher é sempre a vítima,

Leia mais

Copycat Chronogirl. Os vilões espalham o terror! Inclui duas histórias!

Copycat Chronogirl. Os vilões espalham o terror! Inclui duas histórias! 2 2 As Aventuras de Ladybug As Aventuras de Ladybug As Aventuras de Ladybug Lê as histórias dos teus super-heróis favoritos! O Theo tem uma paixoneta pela Ladybug e morre de ciúmes do Gato Noir. O Falcão-Traça

Leia mais

Associação Tenda Espírita Pai Joaquim D Angola e Vovó Cambina

Associação Tenda Espírita Pai Joaquim D Angola e Vovó Cambina Associação Tenda Espírita Pai Joaquim D Angola e Vovó Cambina Psicografias Julho de 2014 Sumário Rogério Santos Costa... 2 Michele Pereira da Silva... 3 Paulo Soares... 4 Djalma Ferreira... 5 Antenor da

Leia mais

DISSUASÃO. DESCRIMiNALIZAÇÃO. Da Estratégia à Tática 15 ANOS DEPOIS. Cristina Sousa Santos Psicóloga Técnica Superior na CDT de Faro

DISSUASÃO. DESCRIMiNALIZAÇÃO. Da Estratégia à Tática 15 ANOS DEPOIS. Cristina Sousa Santos Psicóloga Técnica Superior na CDT de Faro DISSUASÃO Da Estratégia à Tática Cristina Sousa Santos Psicóloga Técnica Superior na CDT de Faro DESCRIMiNALIZAÇÃO Porto, 8 e 9 de Novembro de 2016 15 ANOS DEPOIS Beja, 9 de Julho de 2001 Eu: Bom Dia C.!

Leia mais

Não Fale com Estranhos

Não Fale com Estranhos Não Fale com Estranhos Texto por: Aline Santos Sanches PERSONAGENS Cachorro, Gato, Lobo, Professora, Coelho SINOPSE Cachorro e Gato são colegas de classe, mas Gato é arisco e resolve falar com um estranho.

Leia mais

Minha História de amor

Minha História de amor Minha História de amor Hoje eu vou falar um pouco sobre a minha história de amor! Bem, eu namoro à distância faz algum tempinho. E não é uma distância bobinha não, são 433 km, eu moro em Natal-Rn, e ela

Leia mais

UnitedHealth Group Our Culture Video Portuguese

UnitedHealth Group Our Culture Video Portuguese UnitedHealth Group Our Culture Video Portuguese O que faz a UnitedHealth Group uma opção irresistível de carreira? Nossa Cultura é composta de cinco valores fundamentais. Integridade Compaixão Relacionamentos

Leia mais

Modo de vida antigamente na Ilha São Jorge

Modo de vida antigamente na Ilha São Jorge Modo de vida antigamente na Ilha São Jorge Antigamente Segundo as entrevistas que fizemos, a vida em São Jorge não era nada fácil. As famílias, eram muito numerosas, umas tinham 10 filhos outras tinham

Leia mais

No princípio Deus criou o céu e a terra

No princípio Deus criou o céu e a terra No princípio Deus criou o céu e a terra No início Deus criou céu e terra. Ele sempre pensou em todos nós e impulsionado pelo seu grande amor, Deus quis criar o mundo. Como um pai e uma mãe que preparam

Leia mais

Olhando o Aluno Deficiente na EJA

Olhando o Aluno Deficiente na EJA Olhando o Aluno Deficiente na EJA ConhecendoJoice e Paula Lúcia Maria Santos Tinós ltinos@ffclrp.usp.br Apresentando Joice e Paula Prazer... Eu sou a Joice Eu sou a (...), tenho 18 anos, gosto bastante

Leia mais

7 DICAS PARA CRIAR UM FILHO RESPONSÁVEL

7 DICAS PARA CRIAR UM FILHO RESPONSÁVEL 7 DICAS PARA CRIAR UM FILHO RESPONSÁVEL É preciso ensinar o filho a ter responsabilidade desde cedo: O quarto do seu filho é uma bagunça sem fim? Ele vive perdendo os materiais escolares ou quebrando seus

Leia mais

WY XP. WyExperience Vivenciando o conhecimento. 2 meses longe de casa. Imersão em Ciência & Tech. Capacitação em empreendedorismo & inovação

WY XP. WyExperience Vivenciando o conhecimento. 2 meses longe de casa. Imersão em Ciência & Tech. Capacitação em empreendedorismo & inovação WY XP WyExperience Vivenciando o conhecimento Imersão em Ciência & Tech 2 meses longe de casa Capacitação em empreendedorismo & inovação Procura-se! Estudante apaixonado por conhecimento, que sonhe com

Leia mais

Uma Boa Prenda. Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor.

Uma Boa Prenda. Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor. Uma Boa Prenda Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor. Prenda essa que pode Ser dada por um qualquer Seja rico ou seja pobre Simples homem ou mulher.

Leia mais

sugestões para planos de sessão e exercícios

sugestões para planos de sessão e exercícios Parte II sugestões para planos de sessão e exercícios 315 316 317 318 319 320 Tema: Papéis sociais, paradigmas e estereótipos em Igualdade de oportunidades Exercício 1 Objectivo: Identificar estereótipos

Leia mais

i dos pais O jovem adulto

i dos pais O jovem adulto i dos pais O jovem adulto O desenvolvimento humano é um processo de mudanças emocionais, comportamentais, cognitivas, físicas e psíquicas. Através do processo, cada ser humano desenvolve atitudes e comportamentos

Leia mais

MOTIVAÇÃO PARA O TRABALHO VOLUNTÁRIO

MOTIVAÇÃO PARA O TRABALHO VOLUNTÁRIO MOTIVAÇÃO PARA O TRABALHO VOLUNTÁRIO CVL - Centro Voluntário de Londrina (VÍDEO DA ESCADA) O QUE É SER UM VOLUNTÁRIO Ser voluntário é doar seu tempo, trabalho e talento para causas de interesse social

Leia mais

(Ex. vice-presidente do Conselho Executivo) Como se constitui este Agrupamento, como surgiu. Porque surgiu?

(Ex. vice-presidente do Conselho Executivo) Como se constitui este Agrupamento, como surgiu. Porque surgiu? Protocolo da entrevista Professora Cristina EC (Ex. vice-presidente do Conselho Executivo) Como se constitui este Agrupamento, como surgiu. Porque surgiu? Os Agrupamentos horizontais apareceram com a possível

Leia mais

E- Queria começar por te perguntar quanto tu soubeste que ias para o teatro como é que foi a tua reação, ficaste entusiasmado, não ficaste E4- Fiquei

E- Queria começar por te perguntar quanto tu soubeste que ias para o teatro como é que foi a tua reação, ficaste entusiasmado, não ficaste E4- Fiquei E- Queria começar por te perguntar quanto tu soubeste que ias para o teatro como é que foi a tua reação, ficaste entusiasmado, não ficaste E4- Fiquei entusiasmado. E- E porque é que gostavas de já tinhas

Leia mais

Diretora Nacional Sênior

Diretora Nacional Sênior Diretora Nacional Sênior AULA ESPECIAL c Unidades com crescimento de 20% Oração Área Nacional Obrigada Senhor por esse dia maravilhoso que temos em nossas mãos. Agradeço pelo oportunidade de estarmos reunidas

Leia mais

GRELHA DE ANÁLISE DA ENTREVISTA EFETUADA À FUNCIONÁRIA C. A entrevistada tem 31 anos e é casada. Tem o 12º ano de escolaridade.

GRELHA DE ANÁLISE DA ENTREVISTA EFETUADA À FUNCIONÁRIA C. A entrevistada tem 31 anos e é casada. Tem o 12º ano de escolaridade. GRELHA DE ANÁLISE DA ENTREVISTA EFETUADA À FUNCIONÁRIA C CATEGORIAS DE ANÁLISE Caracterização sociodemográfica Idade Sexo Estado civil Grau de escolaridade / habilitações Experiência profissional Função

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 75 Discurso na cerimónia de posse

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 5

Transcrição de Entrevista nº 5 Transcrição de Entrevista nº 5 E Entrevistador E5 Entrevistado 5 Sexo Feminino Idade 31 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica e Telecomunicações E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

como comprar uma franquia FranquIa Não basta querer. Você precisa conhecer o sistema e saber se está preparado para comprar uma franquia.

como comprar uma franquia FranquIa Não basta querer. Você precisa conhecer o sistema e saber se está preparado para comprar uma franquia. minha primeira FranquIa como comprar uma franquia Não basta querer. Você precisa conhecer o sistema e saber se está preparado para comprar uma franquia. O nosso propósito! Redes franqueadoras que apoiam

Leia mais

A sanita mutante! Coleção. Os Mutantes. Já publicados A sanita mutante. A publicar Os óculos mutantes A esferográfica mutante

A sanita mutante! Coleção. Os Mutantes. Já publicados A sanita mutante. A publicar Os óculos mutantes A esferográfica mutante Coleção A sanita mutante! Os Mutantes Já publicados A sanita mutante A publicar Os óculos mutantes A esferográfica mutante O prego mutante Frutas mutantes Estrela mutante A irmã mutante Maio de 2016 20

Leia mais

TRANSCRIÇÃO. Metodologias de Investigação em Educação. Professor Doutor J. António Moreira

TRANSCRIÇÃO. Metodologias de Investigação em Educação. Professor Doutor J. António Moreira DESCRIÇÃO DA AMOSTRA: Docente Escola Básica 2, 3 nº 2 de Elvas, pertence ao quadro do agrupamento. TRANSCRIÇÃO DA ENTREVISTA: Muito obriga pela sua disponibilide. A entrevista terá uma duração curta. Gostaria

Leia mais

Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram

Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram CAPÍTULO UM Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram chegando durante todo o verão. Cada um deixava Matthew um pouco mais tenso: Para: mstheworld@gmail.com Assunto: Estou feliz! Acabo

Leia mais

10 PASSOS PARA EMPREGABILIDADE

10 PASSOS PARA EMPREGABILIDADE 10 PASSOS PARA EMPREGABILIDADE 1 - Capacitação - É indiscutível, que o mínimo necessário para ter acesso ao mundo do trabalho vem através da capacitação. Isso não é novidade. Portanto, o que falta? Ação!

Leia mais

PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA

PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA A menina PETRA NASCEU COMO TODAS AS CRIANÇAS. ERA UMA menina alegre e muito curiosa. O que a diferenciava das outras crianças é que desde muito pequenina ela passava horas na Floresta do Sol conversando

Leia mais

Meninos e Meninas Brincando

Meninos e Meninas Brincando Meninos e Meninas Brincando J. C. Ryle "As praças da cidade se encherão de meninos e meninas, que nelas brincarão." (Zc.8:5) Queridas crianças, o texto acima fala de coisas que acontecerão. Deus está nos

Leia mais

da Hortas Cidade Projecto Espiral

da Hortas Cidade Projecto Espiral as da Hortas Cidade Projecto Espiral O projecto Espiral - financiado ao abrigo do Contrato Local de Desenvolvimento Social coordenado pelo CESIS Centro de Estudos para a Intervenção Social, iniciou a sua

Leia mais

Acesse: Segredo da Atração

Acesse:  Segredo da Atração Segredo da Atração Direitos Autorais: Este e-book não pode ser editado ou modificado, mas pode ser compartilhado livremente! Tire as suas conclusões e divirta-se!! Nós vimos um pouco sobre atração no E-book

Leia mais

Suelen e Sua História

Suelen e Sua História Suelen e Sua História Nasci em Mogi da Cruzes, no maternidade Santa Casa de Misericórdia no dia 23 de outubro de 1992 às 18 horas. Quando eu tinha 3 anos de idade fui adotada pela tia da minha irmã, foi

Leia mais