Transcrição da Entrevista

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Transcrição da Entrevista"

Transcrição

1 Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Sonia Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 5 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista: 13min. 47seg. COR PRETA - Relatos do Entrevistado COR VERDE - Comentários da Entrevistadora Estou aqui com a Sonia. Sonia você tem quantos anos? Eu tenho treze. 1. O que significa dança para você? Para mim a dança significa uma coisa muito boa, porque antes de fazer eu era uma pessoa que ficava em casa, não saia muito. E agora com esse compromisso de eu vir a dança, de eu poder me movimentar mais... estou sentindo muitos benefícios para mim e para o meu corpo e inclusive no intercambio que faço com minhas amigas da Dança. Inclusive porque o núcleo é um espaço que me sinto muito bem, ali sou feliz por estar vivendo com um grupo que é bacana. A Dança representa uma forma de conhecimento que posso utilizar para me compreender melhor, e é isso! 2. Você percebe se a dança ajudou a modificar a sua vida de alguma forma? Sim. Porque antes eu fazia dança, eu sempre fui uma aluna muito boa, mas hoje eu fazia dança, eu estava relaxando... porque eu só ficava em casa, não tinha aquele compromisso de fazer o dever de casa esses negócios tudo. Aí depois da dança eu tive que manter minhas notas para poder continuar, porque se não o meu castigo de casa seria sair e então isso me motivou a ir na escola também. 3. Dançar transformou alguma coisa no corpo de você desde quando você começou a dançar até hoje? 1

2 Sim. Porque antes eu era uma adolescente sedentária, eu comia muito, não me controlava e era muito mais gorda do que era agora. Desde que eu entrei na dança meu corpo modificou muito, eu parei com o sedentarismo, comecei a me movimentar mais e emagreci muito. Ficando mais coordenada nos movimentos porque treinamos muito, e tenho mais flexibilidade com os alongamentos da aula. 3. Dançar trás sensações de melhor convivência com as pessoas que frequentam o Núcleo de Arte? Dançar trás para você um melhor relacionamento com os colegas que estão aqui? Você acha que você convive melhor com eles? Sim. Porque a gente tem as danças em duplas e a dança individual. A dança individual é uma coisa mais sua, que você tem que tomar conta dos seus passos, mas na dança em dupla você tem que ajudar o colega quando ele não consegue fazer o passo, você tem que acertar o tempo dele quando ele erra e muitas outras coisas que ajudam nisso. 4. Você acha que a experiência de dançar possibilitou em você novas formas de sentir e expressar seus sentimentos e emoções? Ou seja, na dança você consegue perceber melhor sentimentos e emoções de vocês quando você está dançando? Sim, porque desperta uma coisa em nós, que às vezes, não entendemos. E quando a gente faz dança junto com a música acaba entendendo aquilo. E as coisas, vão se aproximando de nós e entendemos melhor todos nossos sentimentos ruins e bons, como a raiva que sinto ao brigar com minha mãe, o amor pela minha professora de Dança, tudo é sentimento e emoção, na Dança sinto isso!. 5. Dançar trás sensações de melhor convivência com as pessoas que frequentam o Núcleo de Arte? Dançar trás para você um melhor relacionamento com os colegas que estão aqui? Você acha que você convive melhor com eles? Sim, porque a gente tem as danças em duplas e a dança individual. A dança individual é uma coisa mais sua que você tem que tomar conta dos seus passos, mas na dança em dupla você tem que ajudar o colega quando ele não consegue fazer o passo, você tem que acertar o tempo dele quando ele erra e muitas outras coisas que ajudam nisso. 2

3 6. E em relação em casa? Você acha que mudou alguma coisa o fato de você dançar aqui no Núcleo de Arte? E influenciou no relacionamento em casa com os parentes? Sim. Porque antes eu não era muito próxima do meu pai porque ele é separado da minha mãe, e junto com esse negócio de dança ele sempre que ele pode... eu não danço só aqui, eu danço na minha igreja também. Sempre que ele pode ele vem me ver apresentar e eu não tinha contato com ele. 7. Você acha que dançar pode ser um caminho para as pessoas serem valorizadas na sociedade, serem reconhecidas? A dança pode trazer isso? Uma profissão, uma valorização... Poxa, aquele bailarino dança muito! Você acha que pode ser o caminho? Sim, porque é uma maneira da gente se expor mais através da dança e isso ajuda muito porque eu além de fazer a dança eu faço outras oficinas como: teatro, eu também já fiz o teclado e isso me aproxima muito de outras pessoas, pessoas que eu nem conhecia e que agora eu estou conhecendo através disso. 8. O Núcleo de Arte é importante para você? Por quê? Dê exemplos de algumas experiências que foram muito importantes para o seu crescimento aqui dentro. Sim. Foi muito importante porque antes eu tinha muito medo de subir no palco, de errar alguma coisa quando eu fosse falar, desse negócios todos... e a dança me ajudou muito nisso. A professora também me ajudou porque eu tinha um pouco de medo de palco, medo de público e isso me ajudou muito. 9. Você acha que dançando você podem melhorar a convivência na sociedade? Sociedade está incluída: escola, a igreja, os amigos do bairro onde vocês moram... Então você acha que melhora? Você vem aqui, você dançam e a dança pode transformar você e você vive na proposta... Você acha que melhora essa convivência sim ou não? Sim. Porque todas as pessoas que sabem que quando tem alguma coisa aqui ou apresentação... algumas vem outras não, mas a gente não está apresentando só aqui, a gente apresenta em vários lugares então as pessoas conhecem mais ou menos a gente que participa dali e fica aqui, fica dali esse negócio todo. E rola uma interatividade com ela? Sim... Sim... Sempre que podemos sim. 3

4 10. O Núcleo de Arte é considerado o local que você consegue se modificar se transformar? Você acha que aqui você consegue se transformar? Você vê nele novas possibilidades de desenvolvimento artístico? Desenvolvimento artístico é o conhecimento da arte, por exemplo, você está dançando, a arte é considerada uma linguagem, o teatro, a música... Então você está aprendendo coisas na dança, novos passos novos movimentos... então você acha que a dança ajuda nisso? Ajuda sim... Porque a gente pode desenvolver novos movimentos no corpo porque a gente não conseguia fazer, a gente desenvolveu a elasticidade do corpo um pouco maior e outras coisas como: crescimento, a alimentação muda também, tudo muda na nossa vida... a dança muda tudo. 11. Você acha que a comunidade, comunidade que moram por aqui ou comunidade onde você mora, ou bairro onde você mora. Eles participam dos eventos aqui do Núcleo, vem assistir quando você vai dançar lá fora... eles vem sempre? Bom, aqueles que estão informados e que tem alguém, conhece um amigo que vem aqui sempre que eles podem vir eles vêm, mas às vezes a gente tem que chamar para eles poderem vir. Mas sempre que eles sabem, ficam sabendo eles procuram vir sim 12. Você percebe se a escola poderia ser mais entrosada com o Núcleo de Arte? O que você acha que falta para melhorar essa ligação entre elas? Com certeza, poderiam fazer mais eventos juntos, trocar parceria nos projetos, se tornar uma grande familia. 13. Vamos falar agora a respeito da sua professora de dança. Você acha que a sua professora de dança tem um papel importante para o seu crescimento artístico e pessoal... enquanto pessoa é ela te ajuda nas suas relações e nas suas dificuldades, nos seus problemas, ela é uma pessoa carinhosa ou ela não é, não ajuda... cada um é de um jeito, se for você fala a verdade...como ela é para você? Sim. Eu acho que ela ajuda sim porque eu pude desenvolver novas amizades aqui, junto com ela que ela me apresentava. Eu pude perceber os sentimentos que eu sentia, mas não sabia identificar qual e ajuda em muitas outras coisas, além disso. 4

5 14. O que de mais importante você aprendeu nas aulas de dança? Os sentimentos que nos desenvolvemos e soubemos identificar mais eles, as amizades que nós temos cada vez mais, e muitas outras coisas. Além disso, na Dança o que eu mais gosto, foi que aprendi a gostar mais de mim, do meu jeito de dançar porque também sou capaz de dançar muito bem. 15. O que menos vocês gostam nas aulas de dança? Pode ser em ralação a aula ou em exercícios da aula, atividades da própria dança em si ou pode ser em relação as pessoas que estão fazendo aula com você. O que vocês menos gostam ali dentro? Quando a pessoa vê que está todo mundo fazendo e fica olhando sem tentar fazer, mesmo que não saiba tentar fazer... ela fala assim Eu não sei fazer e não quero. Muito obrigada! 5

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Igor Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 05 de dezembro de 2013 Horário: 15:05 Duração da entrevista:

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Fabrício Local: Núcleo de Arte do Neblon Data: 26.11.2013 Horário: 14h30 Duração da entrevista: 20min COR PRETA

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex Praticante Denise Local: Núcleo de Arte Albert Einstein Data: 03.12.2013 Horário: 10 h30 Duração da entrevista: 1h.

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Maria Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 01.10.2013 Horário: 14h09 Duração da entrevista: 22min COR PRETA -

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex Praticante Iago Local: Núcleo de Arte Copacabana Data: 29.11.2013 Horário: 9h25 Duração da entrevista: 1h. COR PRETA

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Diretor André Local: Núcleo de Arte Albert Einstein Data: 24/09/2012 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h. COR PRETA

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Praticante Maicon Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 03.12.2013 Horário: 10 h30 Duração da entrevista: 1h. COR PRETA -

Leia mais

Anexo 1 Versão Provisória do Questionário. Questionário Corpo, Dança e Comunidade.

Anexo 1 Versão Provisória do Questionário. Questionário Corpo, Dança e Comunidade. Anexo 1 Versão Provisória do Questionário Questionário Corpo, Dança e Comunidade. Este questionário faz parte de um estudo de Doutorado em Dança associado à Faculdade de Motricidade Humana (Lisboa, Portugal)

Leia mais

Anexo 2.2- Entrevista G1.2

Anexo 2.2- Entrevista G1.2 Entrevistado: E1.2 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência 53 anos Masculino Cabo-Verde 40 anos em Portugal: Escolaridade: 4ª classe Imigrações prévias : -- Língua materna: Outras línguas: Agregado

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex Praticante Danilo Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14 h Duração da entrevista: 1h. COR PRETA

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante David Local: Núcleo de Arte Neblon Data: 26.11.2013 Horário: 13h55 Duração da entrevista: 1h. COR PRETA

Leia mais

Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência

Identificação. ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 Identificação ML01 Duração da entrevista 21:39 Data da entrevista 4-8-2012 Ano de nascimento (Idade) 1953 (59) Local de nascimento/residência

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Professora: Valéria Local: Núcleo de Arte Nise da Silveira Data: 12 de dezembro de 2012 Horário: 7:52 Duração da entrevista:

Leia mais

CURSO DE SUPERVISORES

CURSO DE SUPERVISORES 2016 CURSO DE SUPERVISORES [Com Ferramentas de Coaching] AULA 7 Bruno Monteiro AAULA 7 APRENDENDO A DESAFIAR A EQUIPE A CRESCERR Os bons líderes precisam viver o que eu chamo de melhoria contínua. Ou seja,

Leia mais

Anexo Entrevista G2.5

Anexo Entrevista G2.5 Entrevista G2.4 Entrevistado: E2.5 Idade: 38 anos Sexo: País de origem: Tempo de permanência em Portugal: Feminino Ucrânia 13 anos Escolaridade: Imigrações prévias: --- Ensino superior (professora) Língua

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 3 Data: 18/10/2010 Hora: 19h00 Duração: 22:25 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Mini Curso Parte I As Forças que controlam a sua vida Página 2 de 6 Como te falei, essa é a primeira etapa do mini-curso Superando

Leia mais

Centro Paula Souza Etec Carapicuíba Processos Fotográficos Lilian Rodrigues Oliveira Nathalia Mendes Machado de Sousa

Centro Paula Souza Etec Carapicuíba Processos Fotográficos Lilian Rodrigues Oliveira Nathalia Mendes Machado de Sousa Centro Paula Souza Etec Carapicuíba Processos Fotográficos Lilian Rodrigues Oliveira Nathalia Mendes Machado de Sousa Diário de Bordo Desmitificação das Profissões Artísticas 2017 Para a elaboração da

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ALINE PELLEGRINO II

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ALINE PELLEGRINO II CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ALINE PELLEGRINO II (depoimento) 2014 FICHA TÉCNICA ENTREVISTA CEDIDA PARA PUBLICAÇÃO NO REPOSITÓRIO DIGITAL

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Professora: Cloudine Local: Núcleo de Arte Albert Eistein Data: 18 de junho Horário: 14h Duração da entrevista: 18min.

Leia mais

Olhando o Aluno Deficiente na EJA

Olhando o Aluno Deficiente na EJA Olhando o Aluno Deficiente na EJA ConhecendoJoice e Paula Lúcia Maria Santos Tinós ltinos@ffclrp.usp.br Apresentando Joice e Paula Prazer... Eu sou a Joice Eu sou a (...), tenho 18 anos, gosto bastante

Leia mais

Os Principais Tipos de Objeções

Os Principais Tipos de Objeções Os Principais Tipos de Objeções Eu não sou como você" Você tem razão, eu não estou procurando por pessoas que sejam como eu. Sou boa no que faço porque gosto de mim como eu sou. Você vai ser boa no que

Leia mais

a confusão do final do ano e as metas para o próximo

a confusão do final do ano e as metas para o próximo o que fazer se o ano que passou foi ruim? o que fazer nesse próximo ano? a confusão do final do ano e as metas para o próximo Enéas Guerriero www.equilibriocontinuo.com.br O que vamos falar hoje? 1) Estresse

Leia mais

Minha História de amor

Minha História de amor Minha História de amor Hoje eu vou falar um pouco sobre a minha história de amor! Bem, eu namoro à distância faz algum tempinho. E não é uma distância bobinha não, são 433 km, eu moro em Natal-Rn, e ela

Leia mais

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015

Integração entre Serviços e Benefícios. VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 Integração entre Serviços e Benefícios VI Seminário Estadual de Gestores e trabalhadores da Política de Assistência Social Santa Catariana/ 2015 A desproteção e a vulnerabilidade são multidimensionais

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS LEILA MARIA SETTINERI

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS LEILA MARIA SETTINERI CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS LEILA MARIA SETTINERI (depoimento) 2015 CEME-ESEF-UFRGS FICHA TÉCNICA Projeto:

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 10

Transcrição de Entrevista nº 10 Transcrição de Entrevista nº 10 E Entrevistador E10 Entrevistado 10 Sexo Feminino Idade 31 anos Área de Formação Engenharia Informática E - Acredita que a educação de uma criança é diferente perante o

Leia mais

como diz a frase: nois é grossa mas no fundo é um amor sempre é assim em cima da hora a pessoa muda numa hora ela fica com raiva, triste, feliz etc.

como diz a frase: nois é grossa mas no fundo é um amor sempre é assim em cima da hora a pessoa muda numa hora ela fica com raiva, triste, feliz etc. SEGUIR EM FRENTE seguir sempre em frente, nunca desistir dos seus sonhos todos nós temos seu nivel ou seja todos nós temos seu ponto fraco e siga nunca desistir e tentar até voce conseguir seu sonho se

Leia mais

ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares

ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares AN O ANTES NUNCA, DO QUE TARDE DEMAIS! Obra Teatral de Carlos José Soares o Literária ata Soares OC. ento Social. Dois casais discutem a vida conjugal, sofrendo a influências mútuas. Os temas casamento,

Leia mais

ELOGIO DESCRITIVO: Uma alternativa à crítica.

ELOGIO DESCRITIVO: Uma alternativa à crítica. ELOGIO DESCRITIVO: Uma alternativa à crítica. Profª Gabriela Caldeira Aranha Apresentação da professora Pós-graduação: Relações Interpessoais e a Construção da Autonomia Moral. Unifran. Ética, valores

Leia mais

Suelen e Sua História

Suelen e Sua História Suelen e Sua História Nasci em Mogi da Cruzes, no maternidade Santa Casa de Misericórdia no dia 23 de outubro de 1992 às 18 horas. Quando eu tinha 3 anos de idade fui adotada pela tia da minha irmã, foi

Leia mais

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde

TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde TRANSCRIÇÃO PRÉVIA PROJETO PROFALA TRANSCRITOR(A): Késsia Araújo 65ª ENTREVISTA (J.D.T.S) Cabo Verde PERGUNTAS METALINGUÍSTICAS Doc.: J. quais são as línguas que você fala " Inf.: eu " (+) inglês né falo

Leia mais

TABUADA DAS OBJEÇÕES

TABUADA DAS OBJEÇÕES TABUADA DAS OBJEÇÕES Você já sentiu acuada, sem palavras ao ouvir alguma objeção de sua potencial iniciada!? As pessoas que você vai abordar são tão especiais quanto você e se elas disserem não, lembre-se

Leia mais

O que. fazer diante do. ciúmes

O que. fazer diante do. ciúmes O que fazer diante do ciúmes Todas as pessoas e de todas as idades já sentiram ciúmes, seja uma ponta de ciúmes ou uma loucura de ciúmes, ele pode ser manifestado por um turbilhão de emoções e por muitas

Leia mais

6 Dicas para Ter uma Conversa Interessante Em Encontros

6 Dicas para Ter uma Conversa Interessante Em Encontros 6 Dicas para Ter uma Conversa Interessante Em Encontros Saiba como ter uma conversa agradável que conquiste o homem Eu imagino que você possa provavelmente estar rindo e pensando, Eu nunca tive problemas

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS CINTIA SWIDZIKIEWICZ

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS CINTIA SWIDZIKIEWICZ CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS CINTIA SWIDZIKIEWICZ (depoimento) 2016 CEME-ESEF-UFRGS FICHA TÉCNICA Projeto:

Leia mais

MÃE, QUANDO EU CRESCER...

MÃE, QUANDO EU CRESCER... MÃE, QUANDO EU CRESCER... Dedico este livro a todas as pessoas que admiram e valorizam a delicadeza das crianças! Me chamo Carol, mas prefiro que me chamem de Cacau, além de ser um apelido que acho carinhoso,

Leia mais

O jogo curativo com os dedos

O jogo curativo com os dedos O jogo curativo com os dedos Para pais de família, educadores infantis e tutores de creches serve de guia para jogar e representar róis com os meninos. Através deste jogo você pode reconhecer problemas

Leia mais

Apêndice C Relatórios dos alunos

Apêndice C Relatórios dos alunos 132 Apêndice C Relatórios dos alunos Segundo os alunos dessa 8ª série, até então nunca tinham feito um relatório, tendo sido essa sua primeira oportunidade para fazer um. Alguns alunos, que entenderam

Leia mais

O Poder da Sua Mente!

O Poder da Sua Mente! O Poder da Sua Mente! Se você acredita que pode, então você pode. Se você acredita que não pode, você está certa. Mary Kay Ash Quem sou eu? Juliana David Yamazaki Diretora Sênior de Vendas Independente

Leia mais

Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela

Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela do reino. Era também meiga, inteligente e talentosa. Todos a admiravam. Todos queriam estar perto dela. Todos queriam fazê-la feliz, pois o seu sorriso iluminava

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS RODRIGO DOS SANTOS

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS RODRIGO DOS SANTOS CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS RODRIGO DOS SANTOS (depoimento) 2013 CEME-ESEF-UFRGS FICHA TÉCNICA Projeto:

Leia mais

Entrevista Jessica

Entrevista Jessica Entrevista 1.10 - Jessica (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento).

Leia mais

Minha Vida Profissional Projeto 306. Por David Batty

Minha Vida Profissional Projeto 306. Por David Batty Minha Vida Profissional Projeto 306 Por David Batty 2 Nome: Minha Vida Profissional Data de Início: Projeto 307 Data de término: Quantas horas na sua vida você gastou trabalhando? Muitas! Algumas pessoas

Leia mais

Real Brazilian Conversations #37 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com

Real Brazilian Conversations #37 Premium PDF Guide Brazilian Portuguese Podcast, by RLP reallylearnportuguese.com Subjects on this conversation: The life in Montes Claros, hobbies and life in general. Context: In this conversation André talks to his cousins, Melissa e Larissa. They about their lives, what they like

Leia mais

Classifique-se conforme a seguinte escala, respondendo com números de 1 a 10. Nunca Às vezes Com frequência. 1. Não consigo decidir o que quero fazer?

Classifique-se conforme a seguinte escala, respondendo com números de 1 a 10. Nunca Às vezes Com frequência. 1. Não consigo decidir o que quero fazer? 1. Não consigo decidir o que quero fazer? 2. Tenho dificuldades de me manter concentrado numa tarefa? 3. Sou hiperativo? 4. Sinto dificuldade de desacelerar? 5. Logo perco o interesse em muitas atividades

Leia mais

Identificação. F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de nascimento/residência

Identificação. F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de nascimento/residência 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Identificação F03 Duração da entrevista 18:12 Data da entrevista 4-5-2011 Ano de nascimento (Idade) 1974 (36) Local de

Leia mais

GRELHA DE ANÁLISE DA ENTREVISTA EFETUADA À FUNCIONÁRIA C. A entrevistada tem 31 anos e é casada. Tem o 12º ano de escolaridade.

GRELHA DE ANÁLISE DA ENTREVISTA EFETUADA À FUNCIONÁRIA C. A entrevistada tem 31 anos e é casada. Tem o 12º ano de escolaridade. GRELHA DE ANÁLISE DA ENTREVISTA EFETUADA À FUNCIONÁRIA C CATEGORIAS DE ANÁLISE Caracterização sociodemográfica Idade Sexo Estado civil Grau de escolaridade / habilitações Experiência profissional Função

Leia mais

coleção Conversas #21 - ABRIL e t m o se? Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #21 - ABRIL e t m o se? Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. Sou bem que ele mais v coleção Conversas #21 - ABRIL 2015 - m o c está l e g i o h a que e l apenas por in e t. er e s se? Será Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

Leia mais

UnitedHealth Group Our Culture Video Portuguese

UnitedHealth Group Our Culture Video Portuguese UnitedHealth Group Our Culture Video Portuguese O que faz a UnitedHealth Group uma opção irresistível de carreira? Nossa Cultura é composta de cinco valores fundamentais. Integridade Compaixão Relacionamentos

Leia mais

Isso nós sabemos, e nosso poeta Cazuza, escreveu uma música dizendo isso.

Isso nós sabemos, e nosso poeta Cazuza, escreveu uma música dizendo isso. TUDO PASSA Adriana C. De Oliveira O tempo não pára. Isso nós sabemos, e nosso poeta Cazuza, escreveu uma música dizendo isso. E a nossa mente? É fascinante o nosso corpo. Mais ainda o nosso cérebro. Onde

Leia mais

O Sorriso de Clarice

O Sorriso de Clarice O Sorriso de Clarice Clarice era uma mulher meio menina sabem,doce,meiga,amiga,e apaixonada,aqueles seres que contagiam com seu sorriso, ela tinha algo único conquistava todos com seu sorriso,ninguém sabia

Leia mais

ELA. por Raquel Schaedler. Peça para três personagens: O homem A mulher ELA

ELA. por Raquel Schaedler. Peça para três personagens: O homem A mulher ELA ELA por Raquel Schaedler Peça para três personagens: O homem A mulher ELA Você comeu? Comi. Você tá com fome? Um pouquinho. quer um miojo? Não. Você não tem um chocolate aí? Tenho. Tem? O que você tem?

Leia mais

coleção Conversas #24 Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #24 Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #24 Eu Posso sou me G ay. curar? Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo de facilitar

Leia mais

Capítulo 4. É bom estar de volta. Sabia que ele iria voltar. Só passou algum tempo. Aquilo que me transformou permitiu-me visualizar o Mundo.

Capítulo 4. É bom estar de volta. Sabia que ele iria voltar. Só passou algum tempo. Aquilo que me transformou permitiu-me visualizar o Mundo. Capítulo 4 É bom estar de volta Sabia que ele iria voltar. Só passou algum tempo. Aquilo que me transformou permitiu-me visualizar o Mundo. Só queria que fosses feliz. Tens de ouvir uma coisa. O nosso

Leia mais

Para que serve abordagem fria? Realizar uma nova venda; Fidelizar cliente; Novos inícios.

Para que serve abordagem fria? Realizar uma nova venda; Fidelizar cliente; Novos inícios. ABORDAGEM FRIA Receita do sucesso Para que serve abordagem fria? Realizar uma nova venda; Fidelizar cliente; Novos inícios. Abordagem fria E agora? Como fazer? Para quem não sabe o que é, significa você

Leia mais

coaching para o sucesso

coaching para o sucesso coaching para o sucesso Como o coaching pode trazer benefícios reais para vários segmentos da sua vida? O coaching é um processo de autoconhecimento que leva o cliente a perceber os seus talentos e o seu

Leia mais

INTERVENÇÕES NO DESENVOLVIMENTO DE UMA SESSÃO DE REGRESSÃO DE MEMÓRIA

INTERVENÇÕES NO DESENVOLVIMENTO DE UMA SESSÃO DE REGRESSÃO DE MEMÓRIA INTERVENÇÕES NO DESENVOLVIMENTO DE UMA SESSÃO DE REGRESSÃO DE MEMÓRIA IDENTIFICAÇÃO DO PERSONAGEM 1- Inicial: Cliente pode começar pelo personagem, pelo local, pela situação, pelo sentimento, pela sensação

Leia mais

Anexo 2.8- Entrevista G2.3

Anexo 2.8- Entrevista G2.3 Entrevista G2.3 Entrevistado: E2.3 Idade: Sexo: País de origem: Tempo de permanência e 45 anos Masculino Ucrânia 14 anos m Portugal: Escolaridade: Imigrações prévias: Ensino superior Polónia Língua materna:

Leia mais

Em Círculos. Mateus Milani

Em Círculos. Mateus Milani Em Círculos Mateus Milani Que eu não perca a vontade de ter grandes amigos, mesmo sabendo que, com as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas Ariano Suassuna. Sinopse Círculos. A vida

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Diretora Érika Local: Núcleo de Avenida dos Desfiles Data: 11.12.2012 Horário: h Duração da entrevista: 1h. COR PRETA

Leia mais

Se você ainda não tem clientes, não tem problemas! Você pode criar um Mapa de Empatia baseada em uma audiência mínima viável:

Se você ainda não tem clientes, não tem problemas! Você pode criar um Mapa de Empatia baseada em uma audiência mínima viável: MAPA DE EMPATIA O que é? O mapa de Empatia é uma ferramenta visual, que te ajuda a descrever o perfil de uma Pessoa ou de um grupo de pessoas. O Mapa de Empatia permite que você estruture Uma verdadeira

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 73 Discurso na cerimónia de inauguração

Leia mais

Problemática 1 Percurso na vida associativa. Dimensões Entrevista E2 Análise

Problemática 1 Percurso na vida associativa. Dimensões Entrevista E2 Análise Problemática 1 Percurso na vida associativa Início da prática associativa (local e idade) Tipo de trabalho desenvolvido Associações que está envolvido «Comecei aqui na JS ( )» (P.1) «18 anos( )» (P. 2)

Leia mais

O Principezinho. Antoine de Saint-Exupéry. com aguarelas do autor

O Principezinho. Antoine de Saint-Exupéry. com aguarelas do autor Antoine de Saint-Exupéry com aguarelas do autor ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY 10 Então, pensei muito nas aventuras da selva e, com um lápis de cor, consegui fazer o meu primeiro desenho. O meu desenho número

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO SANTA RITA MA AGO A OUT 16

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO SANTA RITA MA AGO A OUT 16 RELATÓRIO FOTOGRÁFICO SANTA RITA MA AGO A OUT 16 Coordenação: Parceria: Apropriação Participar do projeto durante a minha gestação foi importante, porque tomei outro rumo na minha vida. Participei de atividades

Leia mais

Sala de Leitura Parceira Escola Estadual João XXIII

Sala de Leitura Parceira Escola Estadual João XXIII Sala de Leitura Parceira Escola Estadual João XXIII Professor(es) Apresentador(es): Arlete Ajudarte Realização: Foco do Projeto A Sala de Leitura do Programa Ensino Integral deve ter, como principal foco,

Leia mais

Quando temos pessoas especiais temos também momentos especiais. E essas pessoas especiais foram ótimas para mim nesse ano de 2011.

Quando temos pessoas especiais temos também momentos especiais. E essas pessoas especiais foram ótimas para mim nesse ano de 2011. Quando temos pessoas especiais temos também momentos especiais. E essas pessoas especiais foram ótimas para mim nesse ano de 2011. Pessoas que marcaram minha vida de modo SIMPLES ou de modo ESPETACULAR.

Leia mais

E6- mais ou menos. Correu uma beca pó torto. E- Eu sei, a Laura disse-me, eu não tava nesse dia não puder ir. Gostavas que tivesse corrido melhor?

E6- mais ou menos. Correu uma beca pó torto. E- Eu sei, a Laura disse-me, eu não tava nesse dia não puder ir. Gostavas que tivesse corrido melhor? E- Vá, então eu queria-te perguntar sobre o teatro, o que é que tu achas do teatro. E6- Bué fixe. E- Ya e quando soubeste que ias fazer teatro ficaste contente ou triste? E6- Bué contente. E- Porquê? E6-

Leia mais

Subjects on this conversation: Nathanael s first contact with Portuguese and his experience living in Brazil.

Subjects on this conversation: Nathanael s first contact with Portuguese and his experience living in Brazil. Subjects on this conversation: Nathanael s first contact with Portuguese and his experience living in Brazil. Context: In this conversation André talks to his friend Nathanael, who has lived in Brazil

Leia mais

ANEXO 14A Protocolo da Entrevista à Beatriz (Mãe do Diogo) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA Grupo focal (FG6)

ANEXO 14A Protocolo da Entrevista à Beatriz (Mãe do Diogo) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA Grupo focal (FG6) ANEXO 14A Protocolo da Entrevista à Beatriz (Mãe do Diogo) FASE 1 TRANCRIÇÃO DE ENTREVISTA Grupo focal (FG6) E 1 O que contribui para o bem-estar/qualidade de vida () do seu filho(a)? B 2 O que é que eu

Leia mais

O Amor se resume em se sentir bem, especial, incrivelmente Feliz. Um estado espiritual destinado a trazer muitas coisas boas. As vezes ele existe em

O Amor se resume em se sentir bem, especial, incrivelmente Feliz. Um estado espiritual destinado a trazer muitas coisas boas. As vezes ele existe em O Amor O Amor se resume em se sentir bem, especial, incrivelmente Feliz. Um estado espiritual destinado a trazer muitas coisas boas. As vezes ele existe em ter alguém por perto ou fazer algo que goste.

Leia mais

Porque crescer na carreira?

Porque crescer na carreira? Porque crescer na carreira? PODER VERMELHO NOITE DO PIJAMA Crédito Mary Kay Você VIP no VIVA 2018 Bônu$ Lifestyle Reconhecimentos SEUS SONHOS NOSSA MISSÃO Encontre suas novas consultoras...... em suas

Leia mais

ACTIVIDADES PARA O 1º CICLO

ACTIVIDADES PARA O 1º CICLO ACTIVIDADES PARA O 1º CICLO Actividade 1 Diário dos Sentimentos Através do diálogo, o professor deve ajudar as crianças a identificar os sentimentos que vivenciam nas diversas situações do dia a dia. Poderá

Leia mais

FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO:

FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: SEXO: IDADE: ESCOLARIZAÇÃO: LOCALIDADE: PROFISSÃO: DOCUMENTADORA: TRANSCRITORA: DIGITADORA: DURAÇÃO: FICHA SOCIAL Nº 123 INFORMANTE: M.A.M.B. SEXO: Masculino IDADE: 27 anos - Faixa II ESCOLARIZAÇÃO: 9 a 11 anos (2º grau incompleto) LOCALIDADE: Batateira - Zona Urbana PROFISSÃO: Comerciante DOCUMENTADORA:

Leia mais

COMO TER SUA ESPOSA DE VOLTA

COMO TER SUA ESPOSA DE VOLTA COMO TER SUA ESPOSA DE VOLTA Trechos selecionados do livro Estratégias poderosas para fazê-la voltar para você. www.salveseucasamento.com.br Mark Love E-book gratuito Esse e-book gratuito é composto de

Leia mais

Projeto: Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória

Projeto: Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória Projeto: Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória Instituição responsável: Nota Musical Comunicação www.quilombosdojequitinhonha.com.br Entrevistada: Vicencia de Souza Oliveira Comunidade de

Leia mais

PORTFÓLIO DE PRÁTICA DE FORMAÇÃO

PORTFÓLIO DE PRÁTICA DE FORMAÇÃO PROFESSOR EM FORMAÇÃO: 1º A ma Nº PORTFÓLIO DE PRÁTICA DE FORMAÇÃO Registro das atividades de Prática de Formação, realizadas no Instituto de Educação Professor Erasmo Pilotto e no Campo de Estágio, em

Leia mais

TODO AMOR TEM SEGREDOS

TODO AMOR TEM SEGREDOS TODO AMOR TEM SEGREDOS VITÓRIA MORAES TODO AMOR TEM SEGREDOS TODO AMOR TEM SEGREDOS 11 19 55 29 65 41 77 87 121 99 135 111 145 É NÓIS! 155 11 12 1 2 10 3 9 4 8 7 6 5 TODO AMOR TEM SEGREDOS. Alguns a

Leia mais

Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016

Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016 Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016 Digamos onde acordou tudo alegre e assim permaneceu. Acho completamente impossível tentar descrever nas palavras o sentimento que sinto aqui dentro

Leia mais

Ações comuns, geram resultados comuns. Ações diferentes, geram resultados extraordinários!

Ações comuns, geram resultados comuns. Ações diferentes, geram resultados extraordinários! Ações comuns, geram resultados comuns. Ações diferentes, geram resultados extraordinários! O QUE É UMA OBJEÇÃO? É a contestação, oposição, réplica ou obstáculo. É aquilo que se opõe, que se posiciona do

Leia mais

Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram

Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram CAPÍTULO UM Os e mails de Amy começaram no fim de julho e continuaram chegando durante todo o verão. Cada um deixava Matthew um pouco mais tenso: Para: mstheworld@gmail.com Assunto: Estou feliz! Acabo

Leia mais

Inquérito por questionário Alunos

Inquérito por questionário Alunos Inquérito por questionário Alunos INSTRUÇÕES A seguir apresentamos-te um conjunto de perguntas sobre as tuas aulas. Não há respostas certas nem erradas, por isso pedimos-te que respondas com verdade. Obrigado

Leia mais

ESTE INSTRUMENTO NAO DEVE SER APLICADO INDIVIDUALMENTE, MAS SIM EM CONJUNTO COM O INSTRUMENTO WHOQOL-BREF

ESTE INSTRUMENTO NAO DEVE SER APLICADO INDIVIDUALMENTE, MAS SIM EM CONJUNTO COM O INSTRUMENTO WHOQOL-BREF WHOQOL-OLD Instruções ESTE INSTRUMENTO NAO DEVE SER APLICADO INDIVIDUALMENTE, MAS SIM EM CONJUNTO COM O INSTRUMENTO WHOQOL-BREF Este questionário pergunta a respeito dos seus pensamentos, sentimentos e

Leia mais

E-Book - Postura no Altar Parte 3

E-Book - Postura no Altar Parte 3 E-Book - Postura no Altar Parte 3 Postura no Arte Postura dos Bailarinos e Ministros no Altar Parte 3 Esta é a terceira parte do nosso E-book POSTURA NO ALTAR Para quem ainda não baixou a primeira parte

Leia mais

coleção Conversas #5 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #5 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. coleção Conversas #5 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo de facilitar diálogos que muitas vezes podem

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

AS MELHORES PRÁTICAS PARA ATRAIR CLIENTES PARA O SEU NEGÓCIO

AS MELHORES PRÁTICAS PARA ATRAIR CLIENTES PARA O SEU NEGÓCIO AS MELHORES PRÁTICAS PARA ATRAIR CLIENTES PARA O SEU NEGÓCIO João Carlos Nunes INTRODUÇÃO Não interessa se você tem uma academia, um estúdio ou mesmo se é um treinador pessoal, o seu negócio não teria

Leia mais

Na internet Leitura: atividades

Na internet Leitura: atividades Na internet Leitura: atividades 1. Com base no que você leu neste texto, enumere as vantagens e as desvantagens de se paquerar pelo computador. Você encontrou alguma dica nova ou diferente das que você

Leia mais

COMO DIZER NÃO FALANDO SIM. Um guia rápido para pais que desejam se reconectar aos seus filhos

COMO DIZER NÃO FALANDO SIM. Um guia rápido para pais que desejam se reconectar aos seus filhos COMO DIZER NÃO FALANDO SIM Um guia rápido para pais que desejam se reconectar aos seus filhos Índice Introdução Capítulo 1 Autoconhecimento Capítulo 2 Curiosidade Capítulo 3 Elogios Capítulo 4 Sentimentos

Leia mais

www. brunopinheiro.me

www. brunopinheiro.me >>SE VOCÊ ESTA PENSANDO EM ENTRAR NA INTERNET PENSANDO EM VENDER, VAI SE DAR MAL >> ENTRE PENSANDO EM CONQUISTAR CLIENTES CONQUISTE, EDUCANDO-OS >> QUANDO VOCÊ CONQUISTA UM CLIENTE, VOCÊ TEM UM MULTICOMPRADOR

Leia mais

Transcrição da Entrevista

Transcrição da Entrevista Transcrição da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Professora: Lúcia Local: Núcleo de Arte Leblon Data:07/12/2013 Horário:15h Duração da entrevista: 31min. 7seg. COR PRETA

Leia mais

da quando me chama de palito de fósforo e ri de um jeito tão irritante que me deixa louco da vida, com vontade de inventar apelidos horripilantes

da quando me chama de palito de fósforo e ri de um jeito tão irritante que me deixa louco da vida, com vontade de inventar apelidos horripilantes Chiquinho MIOLO 3/8/07 9:34 AM Page 14 Meu nome é Chiquinho Meu pai é alto e magro e se chama Chico. Meu avô é baixo e gordo e se chama Francisco. Eu me chamo Chiquinho e ainda não sei como sou. Já andei

Leia mais

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Língua Portuguesa

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Língua Portuguesa COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Língua Portuguesa Nome: Ano: 5º Ano 2º Etapa 2014 Colégio Nossa Senhora da Piedade Área do Conhecimento: Códigos e Linguagens

Leia mais

Tais (risos nervosos) Tem muita gente ne? (Se assusta com alguém que esbarra na corda) as pessoas ficam todas se esbarrando

Tais (risos nervosos) Tem muita gente ne? (Se assusta com alguém que esbarra na corda) as pessoas ficam todas se esbarrando Não me leve a mal Começa a cena no meio de um bloco. Ao redor há confetes, purpurinas e latas de bebida para todo o lado. A música está alta. No centro há um grupo de foliões delimitados por uma corda

Leia mais

Mapa Cultural Paulista Biênio 2015/2016. Indicador de satisfação - Artistas

Mapa Cultural Paulista Biênio 2015/2016. Indicador de satisfação - Artistas Mapa Cultural Paulista Biênio 2015/2016 Indicador de satisfação - Artistas Indicador de satisfação do artistas participantes do Mapa Cultural Paulista. Esse indicador tem como objetivo evidenciar, através

Leia mais

Obrigado por aceitar ser entrevistado neste estudo coordenado por.

Obrigado por aceitar ser entrevistado neste estudo coordenado por. ESCALA DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DA EQUIPE TÉCNICA COM OS SERVIÇOS DE SAÚDE MENTAL (SATIS-BR) Bandeira, M., Pitta, AMF e Mercier,C (000). Escalas Brasileiras de Avaliação da Satisfação (SATIS-BR) e da

Leia mais

É Preciso Saber Viver

É Preciso Saber Viver É Preciso Saber Viver Quem espera que a vida Seja feita de ilusão Pode até ficar maluco Ou morrer na solidão É preciso ter cuidado Pra mais tarde não sofrer É preciso saber viver Toda pedra no caminho

Leia mais

PROTOCOLO DA ENTREVISTA

PROTOCOLO DA ENTREVISTA [Legitimação da entrevista] Ent. Em relação ao primeiro bloco, o objetivo específico é conhecer as razões e motivações que levam a educadora a utilizar a metodologia do trabalho de projeto. A primeira

Leia mais

ANEXO X. "às vezes [as tarefas] são um bocado difíceis"

ANEXO X. às vezes [as tarefas] são um bocado difíceis Afeto Atitudes dos alunos - 1º momento Cognição Competência percebida Valor Instrumental Comportamento Empenho Notas.ºP Alunos Positivo Negativo Não tenho Tenho algumas Tenho muitas Quotidiano Contexto

Leia mais