METODOLOGIA DO TREINO I ESTUDO DO FACTOR TÁCTICO DESPORTIVO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "METODOLOGIA DO TREINO I ESTUDO DO FACTOR TÁCTICO DESPORTIVO"

Transcrição

1 ESTUDO DO FACTOR TÁCTICO DESPORTIVO

2 1. Limitação Conceptual: Estratégia, Táctica e acção táctica 2. Natureza do Comportamento Táctico 3. Características do Comportamento Táctico 4. Factores Condicionantes do Comportamento Táctico 5. As Fases do Comportamento Táctico 6. Metodologia do Treino da Táctica 7. Aplicações Práticas

3 Delimitação Conceptual CLASSIFICAÇÃO DAS MODALIDADES DESPORTIVAS EM FUNÇÃO DA TÉCNICA MODALIDADES DE ESTRUTURA COMPLEXA DESPORTOS DE COMBATE JOGOS DESPORTIVOS COLECTIVOS MODALIDADES DE FORÇA EXPLOSIVA SALTOS LANÇAMENTOS HALTEROFILIA etc... MODALIDADES DE EXACTIDÃO MODALIDADES DE RESISTÊNCIA GINÁSTICA G. RÍTMICA TIRO etc.. NATAÇÃO REMO CICLISMO etc... PREDOMINANTEMENTE TÁCTICAS

4 Delimitação Conceptual ESTRATÉGIA sistema planos acção e alternativas cisão Hagedorn et. al. (1982) plano táctico especial e outras medidas anteriores ao jogo que precem a táctica Teodorescu (1977) finição objectivos para a competição

5 Delimitação Conceptual TÁCTICA totalida das acções individuais e colectivas dos jogadores uma equipa, organizadas e coornadas racionalmente e uma forma unitária nos limites do regulamento do jogo Teodorescu (1977) eleição dos meios para realizar o plano estratégico Duricek (1985) finição meios (comos?; quandos?) para a resolução dos problemas competitivos

6 Delimitação Conceptual ESTRATÉGIA objectivos Ataque Diminuir ritmo ritmo do do jogo jogo Forçar Forçar a fesa fesa a fenr com com tempo tempo Fazer Fazer uma uma aposta aposta clara clara no no jogo jogo interior interior Defesa Defesa Dificultar os os lançamentos na na zona zona pintada pintada Diminuir para para 35% 35% a eficácia do do jogo jogo exterior exterior adversário Impedir alterações ritmo ritmo -- ritmo ritmo lento lento COERÊNCIA TÁCTICA meios Ataque Posses bola no ataque em 15 com forte ênfase na recuperação fensiva Cada posse com 3 mudanças lado Leitura do bloqueio entre postes na linha final do movimento 5 e lado Defesa 2c1 no poste e respectivas rotações fensivas Passar em comboio todos os bloqueios para fora #13 e 7 (quando estiverem em campo) não comandam o ataque

7 Delimitação Conceptual ESTRATÉGIA TÁCTICA Treinador Antes e pois do jogo Aspectos exteriores ao jogo Pensamento Regulação da competição Jogador Durante o jogo Aspectos do jogo propriamente dito Acção Condução do jogo Perspectiva Linear e Dicotómica da Estratégia e da Táctica; adaptado Garganta, J. e Oliveira, J; 1997

8 Delimitação Conceptual TÁCTICA em sentido estrito: a ACÇÃO Táctica PROCESO INTELECTUAL DE SOLUÇÃO DOS PROBLEMAS COMPETITIVOS, SENDO UMA COMPONENTE INDISSOCIÁVEL DA ACTIVIDADE, DEVENDO SER RÁPIDO E DELIBERADO, VISANDO O MAIOR GRAU DE EFICIÊNCIA POSSÍVEL ENCONTRAR SOLUÇÕES PARA A RESOLUÇÃO PRÁTICA DOS DIFERENTES PROBLEMAS POSTOS PELAS DIVERSIFICADAS SITUAÇÕES COMPETITIVAS Mahlo, (1966)

9 Natureza do Comportamento Táctico COMPORTAMENTO COMPORTAMENTO ORIENTADO ORIENTADO TÁCTICA PARTICIPAÇÃO PARTICIPAÇÃO DA DA CONSCIÊNCIA CONSCIÊNCIA EXPRESSÃO EXPRESSÃO DE DE UM UM PENSAMENTO PENSAMENTO PRODUTOR PRODUTOR Objectivo Objectivo Tomada Tomada cisão cisão Criativida Criativida

10 FLUIDEZ Características do Comportamento Táctico ORIGINALIDADE TÁCTICA ANTECIPAÇÃO ADAPTABILIDADE EXECUÇÃO REESTRUTURAÇÃO

11 FACTORES CONDICIONADORES DO COMP. TÁCTICO Características da situação competitiva Qualida da observação dos jogadores Fundamentos reais dos conhecimentos e das experiências Solução associativa dos problemas tácticos Capacidas memória Rapiz dos jogadores a reconhecer as invariantes da situação Factores emotivo-psicológicos

12 As Fases do Comportamento Táctico Memória Análise do Resultado Percepção e Análise Da Situação Solução Mental Do Problema Solução Motora Do Problema Resultado + - (O Acto Táctico no Jogo; Mahlo, 1966)

13 ATLETA PRINCIPIANTE A informação visual é pontual e correspon a um conjunto acontecimentos. A informação é tratada sobretudo através visão central. A leitura dos diferentes acontecimentos é feita em orm cronológica das suas aparições. Um número importante acontecimentos é analisado. O tempo (duração) total análise é elevado. O tempo stinado a consultar cada um dos acontecimentos é curto; a informação é incompleta. Um longo período tempo entre a recepção da informação e o sencaamento da resposta. ATLETA EXPERIENTE A informação visual é inter-relacional. A informação Implica complementarmente a visão central e periférica. A leitura é antecipada. O olhar é dirigido na direcção precisa on o acontecimento vai aparecer. Só os acontecimentos pertinentes são analisados O tempo (duração) total análise é reduzido. O tempo para a análise cada acontecimento é longo; a informação ten a ser completa. A resposta é sencaada durante a análise da situação INADEQUADA Probabilida resposta APROPRIADA

14 Metodologia do Treino da Táctica Perspectiva Tradicional Faseamento do processo ensino e treino da táctica. VISÃO ANALÍTICA DO TREINO TÁCTICO EXERCÍCIO, o meio treino por excelência

15 Metodologia do Treino da Táctica Perspectiva Ecológica Entendimento que o JOGO é o terreno por excelência para a aprendizagem e consolidação das técnicas e das tácticas: faseamento dos níveis jogo. VISÃO INTEGRADA DO TREINO TÁCTICO O JOGO, como meio treino por excelência

16 Metodologia do Treino da Táctica FASES DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DA TÁCTICA (perspectiva tradicional) 1º Fase FASE DE APRENDIZAGEM E APERFEIÇOAMENTO DA HABILIDADES MOTORAS Aprendizagem dos elementos técnicos Consolidação dos elementos técnicos 2º Fase FASE DE APRENDIZAGEM, ESTABILIZAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DAS ACÇÕES TECNICO-TÁCTICAS 3º Fase FASE DE DESENVOLVIMENTO, ESTABILIZAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DA CAPACIDADE COMPETITIVA GLOBAL Situações competitivas sob condições facilitadas Situações competitivas próximas da competição Situações competitivas mais difíceis do que as colocadas pela realida da competição 4ª Fase UTILIZAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DA CAPACIDADE COMPETITIVA GLOBAL EM COMPETIÇÕES OFICIAIS (Konzag, 1983)

17 Metodologia do Treino da Táctica Níveis Complexida dos Exercícios Situações Tipo 1 habilidas simples sem oposição Situações Tipo 2 combinação habilidas sem oposição (Rink, 1985)

18 Metodologia do Treino da Táctica Situações Tipo 3 oposição simplificada passiva, condicionada ou reduzida (cooperante) Situações Tipo 4 semelhantes ao jogo formal nível oposição idêntica à formalida competitiva (oposição activa) (Rink, 1985)

19 Metodologia do Treino da Táctica Perspectiva Ecológica Principais Iias Chave Simplificação do jogo formal em diferentes tipos jogo Formas exercitação relacionadas com os tipos jogo Integração da exercitação e dos tipos jogo no curso da instrução

20 Metodologia do Treino da Táctica Perspectiva Ecológica Exercita-se muito...joga-se pouco A.P. Ferreira, 2002 Que tipo JOGO? 1 - Preserve a AUTENTICIDADE representando um conceito idêntico ao jogo formal 2 - CONTEMPLE os elementos fundamentais 3 - Coexistam a PRESENÇA relações entre oposição/cooperação 4 - Possua uma CONTINUIDADE do fluxo entre as fases: ataque/fesa 5 - NÃO condicione a execução a situações RESPOSTA FECHADA

21 Metodologia do Treino da Táctica Perspectiva Ecológica - Aprenr a Jogar, Jogando... (Barreto, 2001) Formas Formas Jogadas Jogadas transformação transformação exercícios exercícios com com uma uma predominância predominância mais mais técnica técnica em em situações situações on on o o carácter carácter lúdico lúdico é é introduzido introduzido através através da da presença presença da da competição, competição, mediante mediante um um qualquer qualquer sistema sistema pontuações pontuações com com a a presença presença ou ou ausência ausência opositores opositores reais reais Exemplos Exemplos Práticos Práticos 1-estafetas 1-estafetas 2-jogos 2-jogos lançamento lançamento 3-remates 3-remates precisão precisão 4-jogos 4-jogos passe passe Etc... Etc... Jogos Jogos Reduzidos Reduzidos simplificações simplificações da da formalida formalida competitiva competitiva do do JDC, JDC, caracterizando-se caracterizando-se por por formas formas competição competição em em que que se se reduz reduz o o número número jogadores jogadores e e o o espaço espaço em em que que o o jogo jogo corre. corre. Exemplos Exemplos Práticos Práticos 1c1, 1c1, 3c3, 3c3, passando passando pelas pelas formas formas superiorida superiorida do do ataque ataque (2c1, (2c1, 3c2, 3c2, etc...) etc...) ou ou da da fesa fesa (1c2, (1c2, 2c3, 2c3, etc...) etc...) Etc... Etc... Jogos Jogos Modificados Modificados caracterizam-se caracterizam-se pela pela modificação/alteração modificação/alteração um um conjunto conjunto variáveis variáveis estruturais estruturais do do jogo jogo formal formal que que permitem permitem o o treinador treinador centrar-se centrar-se sobre sobre um um terminado terminado conteúdo conteúdo eminentemente eminentemente mais mais táctico. táctico.

22 Metodologia do Treino da Táctica VARIÁVEL MODIFICAÇÃO POSSÍVEL Alterar a dimensão do terreno jogo. Alterar a dimensão, a forma ou o número cestos ou balizas. Restringir áreas jogáveis. (áreas on não se po finalizar, pisar, on só se po estar um tempo terminado, etc...) ESPAÇO Incorporar zonas finalização obrigatória. (Ex: só lançar ntro da área restritiva no caso do Basquetebol, só rematar entre as linhas 6 e 9 m no Anbol, etc...) Obrigar os jogadores a mudar posições que ocupam durante o senvolvimento do jogo. Obrigar os jogadores a manter uma distância terminada uns dos outros e relativamente à bola. etc...etc...

23 Metodologia do Treino da Táctica VARIÁVEL TEMPO MODIFICAÇÃO POSSÍVEL Limitar o tempo para a realização terminadas acções. (Ex: tempo para finalizar, tempo posse bola, etc...) Limitar o tempo permanência em terminadas áreas ou zonas (seja a permanências dos jogadores ou da bola). Determinar passivida se não se jogar a um terminado ritmo imposto. Acelerar/Desacelerar o ritmo do jogo perante condições finidas. etc...etc...

24 Metodologia do Treino da Táctica VARIÁVEL MODIFICAÇÃO POSSÍVEL Variar o sistema pontuação. (Ex: se a bola tocar a re -1 ponto, se tocar o aro - 2 pontos, se entrar no cesto 3 pontos; transferir o mesmo princípio para as várias zonas da baliza) Eliminar algumas regras que eventualmente ainda não sejam compreensão finitiva. Introduzir novas regras. (Ex:proibir passes recíprocos, proibir passes para trás, obrigar a passar ao sexo contrário, estipular um número passes entes finalizar, etc...) REGRA Modificar o número, a forma, o tamanho ou a composição da bola (móvel). Determinar um número contactos com a bola (móvel) Situações condicionem o uso terminadas acções. (Ex: só é possível lançar na passada, só é possível rematar, em apoio, etc...) Variar o número jogadores em situações diferenciadas. etc...etc...

25 Metodologia do Treino da Táctica PRINCÍPIOS METODOLÓGICOS DO TREINO TÁCTICO 1 a SISTEMATIZAÇÃO do conteúdo táctico. 2 o carácter ALTERNATIVO do conteúdo táctico. 3 - unida entre a formação TÁCTICA SIMPLES e a formação TÁCTICA COMPLEXA. 4 - unida entre a formação TÁCTICA INDIVIDUAL e a formação TÁCTICA COLECTIVA. 5 - unida entre a formação TÁCTICA PRÁTICA e a formação TÁCTICA TEÓRICA. 6 interacção entre INDUÇÃO e a DEDUÇÃO comportamental.

PLANIFICAÇÃO ANUAL 6ºANO DE ESCOLARIDADE

PLANIFICAÇÃO ANUAL 6ºANO DE ESCOLARIDADE Departamento Educação Física e Desporto Escolar PLANIFICAÇÃO ANUAL 6ºANO DE ESCOLARIDADE ANO LETIVO 2013/2014 Departamento Educação Física e Desporto Escolar Planificação Anual do 6.º ano escolarida Capacidas

Leia mais

DISCIPLINA: ESTAFETAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

DISCIPLINA: ESTAFETAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ESTAFETAS 192 DOMÍNIO DAS TÉCNICAS III FASE - APERFEIÇOAMENTO TÉCNICO B FASES / NÍVEIS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS I- Ensino / Aprendizagem - Aquisição da noção de transmissão, através de jogos. - Aquisição

Leia mais

TER AS IDEIAS CLARAS!!!

TER AS IDEIAS CLARAS!!! TER AS IDEIAS CLARAS!!! O jogo de Andebol poderá resumir-se a uma atividade acíclica cujos principais movimentos são abertos e realizados com intervalos de pausas de recuperação incompleta (3 a7 ), a uma

Leia mais

Associação de Futebol da Guarda

Associação de Futebol da Guarda Cronograma: Curso de Treinadores de Futsal 1º Nível Aulas Teóricas Dezembro/08 Janeiro/09 As Capacidades Motoras 17 / Janeiro 19 / Janeiro 21 / Janeiro Avaliação Teórica Avaliação Prática 04 / Fevereiro

Leia mais

ÍNDICE GERAL ÍNDICE DE TABELAS.. INDICE DE QUADROS.. ÍNDICE DE FIGURAS.. ÍNDICE DE ANEXOS ABREVIATURAS.. CAPÍTULO I:. 1 INTRODUÇÃO..

ÍNDICE GERAL ÍNDICE DE TABELAS.. INDICE DE QUADROS.. ÍNDICE DE FIGURAS.. ÍNDICE DE ANEXOS ABREVIATURAS.. CAPÍTULO I:. 1 INTRODUÇÃO.. ÍNDICE GERAL ÍNDICE DE TABELAS.. INDICE DE QUADROS.. ÍNDICE DE FIGURAS.. ÍNDICE DE ANEXOS ABREVIATURAS.. CAPÍTULO I:. 1 INTRODUÇÃO.. 2 1.1. Apresentação do problema.. 2 1.2. Pertinência do estudo. 3 1.3.

Leia mais

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES:

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: 1. Activação geral 2. Técnica Individual 3. Acções Colectivas Elementares

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 11º ANO 12º ANO

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 11º ANO 12º ANO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 11º ANO e 12º ANO JOGOS DESPORTIVOS COLECTIVOS (11.º ano e 12.º ano) ACÇÕES PSICO-MOTORAS Futebol Voleibol Basquetebol Andebol Em situação de jogo 4x4 ou 5x5 - Enquadra-se ofensivamente

Leia mais

UNIVERSIDADE DE COIMBRA. Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física

UNIVERSIDADE DE COIMBRA. Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física UNIVERSIDADE DE COIMBRA Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física Parametrização das Estruturas Tácticas em Jogos Desportivos Colectivos Investigação Aplicada à Equipa Campeã Nacional no Escalão

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL EDUCAÇÃO FÍSICA. Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva OBJETIVOS TRANSVERSAIS

PLANIFICAÇÃO ANUAL EDUCAÇÃO FÍSICA. Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva OBJETIVOS TRANSVERSAIS PLANIFICAÇÃO ANUAL 2012.13 EDUCAÇÃO FÍSICA Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva OBJETIVOS TRANSVERSAIS COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS Promoção da educação para a cidadania Promover: a

Leia mais

Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III

Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III UNIDADES DE FORMAÇÃO HORAS 1. CARACTERIZAÇÃO DO JOGO 6 2. REGRAS DO JOGO E REGULAMENTOS ESPECÍFICOS 4 3. MEIOS DE ENSINO DO JOGO 20 4. COMPONENTES

Leia mais

Recuperação Defensiva

Recuperação Defensiva Recuperação Defensiva - - - Moncho Lopez e Rui Alves Clinic da Festa do Basquetebol Juvenil Abril 2009 Introdução: Num desporto como o basquetebol, a utilização das habilidades específicas não se faz de

Leia mais

Santa Cruz do Bispo, 13 de Junho 2009 I CONGRESSO DE FUTSAL DE FORMAÇÃO. Guarda-redes. Posturas de Prontidão Desportiva.

Santa Cruz do Bispo, 13 de Junho 2009 I CONGRESSO DE FUTSAL DE FORMAÇÃO. Guarda-redes. Posturas de Prontidão Desportiva. Santa Cruz do Bispo, 13 de Junho 2009 I CONGRESSO DE FUTSAL DE FORMAÇÃO Guarda-redes Posturas de Prontidão Desportiva Posturas de Prontidão Desportiva no Guarda-redes de Futsal Posturas de prontidão desportiva

Leia mais

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - CEF 2º ano Ano letivo

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - CEF 2º ano Ano letivo Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - 2º ano Ano letivo 2012 2013 1º PERIODO Testes de Condição Física Avaliação da velocidade, flexibilidade, força muscular, agilidade e medidas

Leia mais

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque 2012 / 2013 Programa Nestum Rugby nas Escolas Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque Introdução O que é o TAG RUGBY? O Tag Rugby é usado como uma alternativa de ensino do rugby de XV nas escolas, ou como

Leia mais

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Nível 2 Tag-Rugby e Bitoque

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Nível 2 Tag-Rugby e Bitoque 2012 / 2013 Programa Nestum Rugby nas Escolas Nível 2 Tag-Rugby e Bitoque Introdução O que é o TAG RUGBY? O Tag Rugby é usado como uma alternativa de ensino do rugby de XV nas escolas, ou como um jogo

Leia mais

Disciplina - 1º e 2º ano

Disciplina - 1º e 2º ano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AMADORA OESTE Ano Letivo 2014/2015 Planificação Bianual Disciplina - 1º e 2º ano Cursos Vocacionais de 3º Ciclo A- Planificação da Área Curricular de Desporto Tendo em conta as Competências

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 10º ANO. Grupo Disciplinar de Educação Física

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 10º ANO. Grupo Disciplinar de Educação Física CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 10º ANO Grupo Disciplinar de Educação Física JOGOS DESPORTIVOS COLECTIVOS Futebol Voleibol Basquetebol Andebol Em situação de jogo 4x4 ou 5x5 - Enquadra-se ofensivamente e realiza

Leia mais

ACTIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA ORIENTAÇÕES PROGRAMÁTICAS ANO DE ESCOLARIDADE 4º ANO 1º ANO 3º ANO 2º ANO

ACTIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA ORIENTAÇÕES PROGRAMÁTICAS ANO DE ESCOLARIDADE 4º ANO 1º ANO 3º ANO 2º ANO ACTIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA ORIENTAÇÕES PROGRAMÁTICAS DE ESCOLARIDADE ÁREA FÍSICAS DESPORTIVAS AVALIAÇÃO MATÉRIAS 1 - Exploração da Natureza Descoberta do meio ambiente, através da sua exploração. 2

Leia mais

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES:

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: 1. Activação geral 2. Técnica Individual 3. Acções Colectivas Complexas

Leia mais

2016/17 Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro PLANO ANUAL - AEC DE ATIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA

2016/17 Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro PLANO ANUAL - AEC DE ATIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA 2016/17 Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro PLANO ANUAL - AEC DE ATIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA Plano Anual de Atividades da Atividade Física e Desportiva Ano Letivo 2016/2017 Introdução A Atividade

Leia mais

Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto. Guifões 21/05/2012. Conceitos defensivos a desenvolver nos S14

Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto. Guifões 21/05/2012. Conceitos defensivos a desenvolver nos S14 Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto Guifões 21/05/2012 Introdução: Os jogadores Conceitos defensivos a desenvolver nos S14 Os nossos jogadores sabem cada

Leia mais

TEORIA E METODOLOGIA DO TREINO ESPECÍFICO

TEORIA E METODOLOGIA DO TREINO ESPECÍFICO TEORIA E METODOLOGIA DO TREINO ESPECÍFICO AULA 3 LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA ACTIVIDADE FÍSICA HUMANA ORGANIZAÇÃO E CONDUÇÃO DO PROCESSO DE TREINO As Componentes da Carga de Treino A Carga...no esforço

Leia mais

Planificação Anual PAFD 10º D Ano Letivo Plano de Turma Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva

Planificação Anual PAFD 10º D Ano Letivo Plano de Turma Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Calendarização Objetivos Conteúdos Avaliação PRÁTICAS DE ATIVIDADES FÍSICAS E DESPORTIVAS Módulo: Fisiologia do Esforço 1º, 2º e 3º períodos 1. Reconhecer o papel da fisiologia do esforço quando aplicada

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASTRO VERDE Projecto Curricular de Turma 8º A e 8º B Planificação - Educação Física (2010/2011) - 1

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASTRO VERDE Projecto Curricular de Turma 8º A e 8º B Planificação - Educação Física (2010/2011) - 1 1º Período Projecto Curricular de Turma 8º A e 8º B Planificação - Educação Física (2010/2011) - 1 - Melhora a aptidão física elevando as capacidades motoras de modo harmonioso e adequado às suas necessidades

Leia mais

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Pressionar a bola torna o drible e o passe mais difíceis, e aumenta as chances de ocorrer um erro do ataque. O objectivo principal é impedir

Leia mais

Estrutura do Processo de Treino

Estrutura do Processo de Treino Estrutura do Processo de Treino http://www.cdnacional.pt/press.asp Índice do tema: 1- Passos Antecedentes à Elaboração de Planeamento de Treino; 2 Modelos de Periodização do Treino; 3 Organização das Estruturas

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso DESPORTO Ano letivo 2015-16 Unidade Curricular PRÁTICA DE DESPORTOS I - FUTEBOL ECTS 3 Regime Obrigatório Ano 1 Semestre 1º Horas de trabalho globais Docente (s) Carlos Nuno Pires Lourenço Sacadura

Leia mais

1 - Parte Introdutória A Parte Introdutória prepara cognitiva e animicamente o praticante para a realização da sessão e para o esforço físico e de con

1 - Parte Introdutória A Parte Introdutória prepara cognitiva e animicamente o praticante para a realização da sessão e para o esforço físico e de con SESSÃO DE TREINO 1 - Parte Introdutória A Parte Introdutória prepara cognitiva e animicamente o praticante para a realização da sessão e para o esforço físico e de concentração nela envolvidos. Pode ser

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SEBASTIÃO DA GAMA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SEBASTIÃO DA GAMA INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA - Prova teórica e prática 2016 Prova 28. 2º Ciclo do Ensino Básico 1. OBJETO DE AVALIAÇÃO A prova de Educação Física tem por referência o programa

Leia mais

Disciplina - Desporto

Disciplina - Desporto AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AMADORA OESTE Ano Letivo 2014/2015 Planificação Anual Disciplina - Desporto Cursos Vocacionais de 2º Ciclo A- Planificação da Área Curricular de Desporto Tendo em conta as Competências

Leia mais

PLANO ANUAL EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO

PLANO ANUAL EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO PLANO ANUAL EDUCAÇÃO 3º CICLO Ano Letivo 2012/2013 Rua Marquês de Olhão Bairro da Madre de Deus Telefone 21 8610100 Fax 218683995 1900-330 Lisboa E-Mail: eb23.lantonioverney@escolas.min-edu.pt 1 Competências

Leia mais

Grupo I Voleibol (25 pontos)

Grupo I Voleibol (25 pontos) Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO 2014 1ª FASE PROVA DE EDUCAÇÃO FÍSICA Duração da prova: 45 minutos --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DA MAIA

ESCOLA SECUNDÁRIA DA MAIA : 90 MINUTOS PROVA TEÓRICA GRUPO I Conhecer os princípios sobre alimentação e saúde Identificar os efeitos e lesões mais frequentes do exercício físico na vida atual Aptidão Física Desporto e Saúde - Condição

Leia mais

DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CURSOS PROFISSIONAIS - 11º ANO TAGD COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS

DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CURSOS PROFISSIONAIS - 11º ANO TAGD COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CURSOS PROFISSIONAIS - 11º ANO TAGD COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS Promoção da educação para a cidadania Promover: a iniciativa e a responsabilidade pessoal,

Leia mais

INICIAÇÃO AO FUTEBOL. Concepções metodológicas do treinamento INTRODUÇÃO:

INICIAÇÃO AO FUTEBOL. Concepções metodológicas do treinamento INTRODUÇÃO: INICIAÇÃO AO FUTEBOL Concepções metodológicas do treinamento INTRODUÇÃO: O jogo de futebol não é feito apenas de fundamentos (movimentos técnicos), a relação com a bola é uma das competências essênciais

Leia mais

I - DISTRIBUIÇÃO DE ESPAÇOS E RESPECTIVA CARGA HORÁRIA PARA DESENVOLVIMENTO DOS 10 BLOCOS DE ACTIVIDADES 7.º ANO

I - DISTRIBUIÇÃO DE ESPAÇOS E RESPECTIVA CARGA HORÁRIA PARA DESENVOLVIMENTO DOS 10 BLOCOS DE ACTIVIDADES 7.º ANO I - DISTRIBUIÇÃO DE ESPAÇOS E RESPECTIVA CARGA HORÁRIA PARA DESENVOLVIMENTO DOS 10 BLOCOS DE ACTIVIDADES 7.º ANO DOCENTE 7.º ANO 1 Sequência de Espaços por Docentes/Turmas e Estimativa de Carga Horária

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência

Informação - Prova de Equivalência à Frequência Informação - Prova de Equivalência à Frequência Ensino Secundário Prova de Equivalência à Frequência de Educação Física Ano letivo 2014/2015 I. INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

MATRIZ A Prova Global do Agrupamento

MATRIZ A Prova Global do Agrupamento Compor e realizar Ginástica. Destrezas elementares de solo e aparelhos (Plinto e mini trampolim), em esquemas individuais, aplicando os critérios de correcção técnica e apreciando os esquemas de acordo

Leia mais

TEORIA GERAL DO TREINO DESPORTIVO

TEORIA GERAL DO TREINO DESPORTIVO TEORIA GERAL DO TREINO DESPORTIVO AULA 1 LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA ACTIVIDADE FÍSICA HUMANA Organização da Disciplina Repartição Lectiva Carga Horária Semestral (S2) Aulas Teórica- Práticas 4ª Feira

Leia mais

Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão. Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol

Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão. Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol Faculdade de Motricidade Humana Escola Secundária Fernando Namora Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol Orientadores: Professores Estagiários:

Leia mais

26 EDUCAÇÃO FÍSICA alunos abrangidos pela Portaria n.º 23/2015, de 27 de fevereiro escrita e prática 3.ºciclo do ENSINO BÁSICO 20

26 EDUCAÇÃO FÍSICA alunos abrangidos pela Portaria n.º 23/2015, de 27 de fevereiro escrita e prática 3.ºciclo do ENSINO BÁSICO 20 informação-prova de equivalência à frequência data:. 0 5. 2 0 26 EDUCAÇÃO FÍSICA alunos abrangidos pela Portaria n.º 23/2015, de 27 de fevereiro escrita e prática 3.ºciclo do ENSINO BÁSICO 20 1.O B J E

Leia mais

CRONOGRAMA ANUAL DA ATIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA

CRONOGRAMA ANUAL DA ATIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA CRONOGRAMA ANUAL DA ATIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA 1º e 2º Anos de Escolaridade 3º e 4º anos de Escolaridade 1º Período 2º Período 3º Período ATIVIDADES FÍSICAS A ABORDAR Perícia e Manipulação Atividades

Leia mais

CRONOGRAMA DA DISCIPLINA 11/04 Teoria geral dos JDC 16/04 Transfert e ressignificação (Prática) 23/04 Métodos de Ensino dos JDC 25/04 Fundamentos

CRONOGRAMA DA DISCIPLINA 11/04 Teoria geral dos JDC 16/04 Transfert e ressignificação (Prática) 23/04 Métodos de Ensino dos JDC 25/04 Fundamentos CLAUDE BAYER CRONOGRAMA DA DISCIPLINA 11/04 Teoria geral dos JDC 16/04 Transfert e ressignificação (Prática) 23/04 Métodos de Ensino dos JDC 25/04 Fundamentos técnicos (Prática) 02/05 Aspectos táticos

Leia mais

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Modelo Dep-01 Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Ano: 6º ano Ano letivo: 201.2014 Disciplina: Educação Física Turmas: A, B, C, D, E, F, G,

Leia mais

ESCOLA: Escola Básica 2,3 D. Miguel de Almeida DISCIPLINA: Educação Física ANO: 6.º ANO LETIVO 2013/2014

ESCOLA: Escola Básica 2,3 D. Miguel de Almeida DISCIPLINA: Educação Física ANO: 6.º ANO LETIVO 2013/2014 ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Nº de Abrantes ESCOLA: Escola Básica, D. Miguel de Almeida DISCIPLINA: Educação Física ANO:.º ANO LETIVO 0/0 METAS DE APRENDIZAGEM: Domínio da Aptidão Física (EDF00);

Leia mais

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Modelo Dep-01 Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Ano: 5º ano Ano letivo: 201.201 Disciplina: Educação Física Turmas: A, B, C, D, E, F, G,

Leia mais

VELOCIDADE E ESTAFETAS III

VELOCIDADE E ESTAFETAS III VELOCIDADE E ESTAFETAS III 1. O Treino da Velocidade com Jovens Quando falamos de Velocidade é importante em primeiro lugar conhecer o conceito de movimento ciclíco, que correcponde a um movimento que

Leia mais

Assim, uma habilidade motora pode corresponder a um gesto técnico,

Assim, uma habilidade motora pode corresponder a um gesto técnico, 1 H ABILIDADES E C APACIDADES MOTORAS 1.1 D EFINIÇÃO DE HABILIDADES MOTORAS Por habilidade motora entende-se qualquer tarefa, simples ou complexa que, por intermédio da exercitação, pode passar a ser efectuada

Leia mais

PROGRAMA. O bloco de Basquetebol I apresenta como objectivos específicos os seguintes alvos:

PROGRAMA. O bloco de Basquetebol I apresenta como objectivos específicos os seguintes alvos: FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA universidade técnica de lisboa UNIDADE ORGÂNICA DE CIÊNCIAS DO DESPORTO DIDÁCTICA DAS ACTIVIDADES FÍSICAS BASQUETEBOL I Professor: Prof. Aux. António Paulo Ferreira 1. Introdução

Leia mais

Processo para o ensino e desenvolvimento do futebol e futsal: ESTÁGIOS DE INICIANTES, AVANÇADOS E DE DOMÍNIO

Processo para o ensino e desenvolvimento do futebol e futsal: ESTÁGIOS DE INICIANTES, AVANÇADOS E DE DOMÍNIO Processo para o ensino e desenvolvimento do futebol e futsal: ESTÁGIOS DE INICIANTES, AVANÇADOS E DE DOMÍNIO Processo para o ensino do futebol/ futsal A metodologia para o ensino do futebol até a especialização

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO TORNEIOS JOVENS CORFEBOL

REGULAMENTO ESPECIFICO TORNEIOS JOVENS CORFEBOL REGULAMENTO ESPECIFICO TORNEIOS JOVENS CORFEBOL ÍNDICE INTRODUÇÃO 1. ESCALÕES ETÁRIOS, BOLA, DURAÇÃO DO JOGO E VARIANTES DA MODALIDADE 2. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA 3. ARBITRAGEM 4. QUADRO COMPETITIVO E CRITÉRIOS

Leia mais

UNIDADE DIDÁCTICA DE FUTSAL

UNIDADE DIDÁCTICA DE FUTSAL ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS MARQUÊS DE POMBAL EDUCAÇÃO FÍSICA UNIDADE DIDÁCTICA DE FUTSAL DOCUMENTO DE APOIO 7º ANO BREVE HISTÓRIA DA MODALIDADE O Futsal surge no final do século XX, na década de 90,

Leia mais

1 OBJETO DE AVALIAÇÃO

1 OBJETO DE AVALIAÇÃO Informação- Prova de Equivalência à Frequência Educação Física Prova 28 2016 2º Ciclo do Ensino Básico O presente documento divulga informação relativa à prova de equivalência à frequência do 2º Ciclo

Leia mais

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico. Despacho Normativo nº 1-G/2016 de 6 de abril

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico. Despacho Normativo nº 1-G/2016 de 6 de abril INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-G/2016 de 6 de abril Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA - PCA Código: 28 Tipo de Prova: ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Planificação Detalhada Anual : 8º Ano Educação Física

Planificação Detalhada Anual : 8º Ano Educação Física Planificação Detalhada Anual : 8º Ano Educação Física DOMÍNIO/TEMA Aptidão SUB TEMA (Conteúdos) Resistência Força Velocidade Flexibilidade Coordenação Equilíbrio OBJETIVOS GERAIS Elevar o nível funcional

Leia mais

CAPACIDADES MOTORAS:

CAPACIDADES MOTORAS: CAPACIDADES MOTORAS: Na área da Educação Física e do desporto, capacidades motoras são pressupostos dos movimentos que permitem que as qualidades inatas de uma pessoa, como um talento, ou um potencial

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA TEÓRICA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 12º Ano de Escolaridade Duração: 90 minutos

EDUCAÇÃO FÍSICA. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA TEÓRICA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 12º Ano de Escolaridade Duração: 90 minutos Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA TEÓRICA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA Código 311 2015 12º Ano de Escolaridade Duração: 90 minutos Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho I OBJECTO DE

Leia mais

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto

Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto ì Educação Física! Agrupamento de Escolas Martim de Freitas! Francisco Pinto Caraterização! Voleibol! Caraterização Voleibol é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas, separadas por uma

Leia mais

Planificação Detalhada Anual : 9º Ano Educação Física. Ao longo do ano* Testes Fitnessgram (opcional)

Planificação Detalhada Anual : 9º Ano Educação Física. Ao longo do ano* Testes Fitnessgram (opcional) DOMÍNIO/TEMA: Atletismo DOMÍNIO/TEMA Aptidão físicas Direção de Serviços da Região Norte Planificação Detalhada Anual : 9º Ano Educação Física Resistência Força Velocidade Flexibilidade Coordenação Equilíbrio

Leia mais

SUGESTÕES PARA REALIZAR AS TROCAS DE JOGADORAS DURANTE O JOGO

SUGESTÕES PARA REALIZAR AS TROCAS DE JOGADORAS DURANTE O JOGO SUGESTÕES PARA REALIZAR AS TROCAS DE JOGADORAS DURANTE O JOGO ORNIDES CINTRA KINDELÁN Resumo: o constante aperfeiçoamento das formas, das vias e dos métodos para o desenvolvimento do jogo de basquetebol

Leia mais

Versão Referenciais de FORMAÇÃO BADMINTON

Versão Referenciais de FORMAÇÃO BADMINTON Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO BADMINTON Grau II Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO BADMINTON Grau II Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação de Portuguesa

Leia mais

352)(6625 5(1$72 2/,9(,5$ Documento da Modalidade BADMINTON ',6&,3/,1$ '( EDUCAÇÃO FÍSICA

352)(6625 5(1$72 2/,9(,5$ Documento da Modalidade BADMINTON ',6&,3/,1$ '( EDUCAÇÃO FÍSICA Documento da Modalidade BADMINTON EDUCAÇÃO FÍSICA COMPONENTE TÉCNICA 1. POSIÇÃO FUNDAMENTAL Esta posição, também denominada de posição básica, coloca o jogador numa posição de espera dinâmica que lhe permite

Leia mais

Métodos de Ensino para o Futebol

Métodos de Ensino para o Futebol 08/09/2014 Métodos de Ensino para o Futebol Métodos Analítico, Global e Situacional Conhecimentos Técnicos e Táticos TÉCNICA EFICIÊNCIA: MELHORES RESULTADOS EM MENOS TEMPO EFICÁCIA: MOVIMENTOS CULTURALMENTE

Leia mais

Evento de corridas, saltos e lançamentos REGULAMENTO 3. COMPOSIÇÃO DAS EQUIPAS 8. RECEPÇÃO DAS EQUIPAS 13. CENTRAL DE INFORMAÇÃO

Evento de corridas, saltos e lançamentos REGULAMENTO 3. COMPOSIÇÃO DAS EQUIPAS 8. RECEPÇÃO DAS EQUIPAS 13. CENTRAL DE INFORMAÇÃO Kids athletics Evento de corridas, saltos e lançamentos REGULAMENTO 1. 6. REGRAS TREINADOR 11. EQUIPAMENTOS 2. QUADRO COMPETITIVO 7. INSCRIÇÃO DOS ATLETAS 12. SEGUROS 3. COMPOSIÇÃO DAS EQUIPAS 8. RECEPÇÃO

Leia mais

29 de Março de H00. Atletismo

29 de Março de H00. Atletismo 29 de Março de 2014 15H00 Atletismo 18/02/2014 Índice Introdução... 3 Evento Convívio Jovem GAU... 3 Regulamento das provas... 3 Estações... 4 40m planos... 4 Lançamento do dardo... 4 Salto em comprimento...

Leia mais

EB 2,3 MARTIM DE FREITAS EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/2012 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO, ELEMENTAR E AVANÇADO. JOGOS PRÉ DESPORTIVOS (excepto Raquetes) 5º Ano

EB 2,3 MARTIM DE FREITAS EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/2012 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO, ELEMENTAR E AVANÇADO. JOGOS PRÉ DESPORTIVOS (excepto Raquetes) 5º Ano EB 2,3 MARTIM DE FREITAS EDUCAÇÃO FÍSICA 2011/2012 2º CICLO NÍVEIS INTRODUTÓRIO, ELEMENTAR E AVANÇADO JOGOS PRÉ DESPORTIVOS (excepto Raquetes) 5º Ano 1. Se tem a bola, passar a um companheiro liberto 2.

Leia mais

Periodização do Treino no Futebol

Periodização do Treino no Futebol Curso de Preparadores Físicos 9 de Fevereiro de 2013 Periodização do Treino no Futebol João Aroso Periodizar Modelo Teórico Desenvolvimento do processo de treino no tempo A periodização do treino tem vindo

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO. Campeonato de Abertura CORFEBOL

REGULAMENTO ESPECIFICO. Campeonato de Abertura CORFEBOL REGULAMENTO ESPECIFICO Campeonato de Abertura CORFEBOL CAMPEONATO DE ABERTURA ENQUADRAMENTO O Campeonato de Abertura surge como complemento às competições seniores da Federação Portuguesa de Corfebol:

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CÓDIGO DA PROVA:28

Informação Prova de Equivalência à Frequência Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CÓDIGO DA PROVA:28 DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CICLO: 2º CÓDIGO DA PROVA:28 ANO DE ESCOLARIDADE:6º Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência à frequência da disciplina

Leia mais

Convívio Jovem. Grupo Alegre Unido. 25 Outubro de H Outubro 2014 Pelo Departamento de Atletismo do GAU

Convívio Jovem. Grupo Alegre Unido. 25 Outubro de H Outubro 2014 Pelo Departamento de Atletismo do GAU Convívio Jovem Grupo Alegre Unido 25 Outubro de 2014 15H00 10 Outubro 2014 Pelo Departamento de Atletismo do GAU Índice Introdução... 3 Evento Convívio Jovem GAU... 3 Regulamento das provas... 3 Estações...

Leia mais

SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas. Barreiras 60m barreiras 80m barreiras (F) 100m barreiras (M) 250m barreiras Meio-Fundo

SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas. Barreiras 60m barreiras 80m barreiras (F) 100m barreiras (M) 250m barreiras Meio-Fundo PROGRAMA DE PROVAS DOS ESCALÕES JOVENS VERSÃO FINAL (Infantis, Iniciados e juvenis) SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas 60m 150m 4x 60m 80m 250m 4x 80m 100m 200m 300m 4x 100m Barreiras

Leia mais

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol. Grau

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol. Grau Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau I Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau I Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação de Andebol de

Leia mais

CAPÍTULO III METODOLOGIA

CAPÍTULO III METODOLOGIA CAPÍTULO III METODOLOGIA 1. Amostra Para a realização deste trabalho foram recolhidos dados de 4 jogos completos de Hóquei em Patins, relativos ao Campeonato Europeu de Juvenis, nos quais havia necessariamente

Leia mais

O basquetebol actual não tem segredos e é cada vez mais simples.

O basquetebol actual não tem segredos e é cada vez mais simples. INTRODUÇÂO: O basquetebol actual não tem segredos e é cada vez mais simples. Sistemas ofensivos baseados na aplicação dos conceitos elementares e fundamentos técnicos As equipas jogam no ataque quase todos

Leia mais

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico. Despacho Normativo nº 6A/2015 de 5 de março

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico. Despacho Normativo nº 6A/2015 de 5 de março INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 6A/2015 de 5 de março Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA Código: 28 Tipo de Prova: ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Porto de Mós

Agrupamento de Escolas de Porto de Mós Prova de Equivalência à Frequência Educação Física Prova Código 28-2016 2º Ciclo do Ensino Básico 6º Ano de Escolaridade 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da Prova de

Leia mais

Federação Portuguesa de Basquetebol

Federação Portuguesa de Basquetebol Federação Portuguesa de Basquetebol UM RUMO PARA A APROXIMAÇÃO EUROPEIA Orlando Simões 2009 UM RUMO PARA A APROXIMAÇÃO EUROPEIA Enquanto técnico com larga experiência, não duvidamos nem por um momento

Leia mais

Torneio das Habilidades

Torneio das Habilidades Torneio das Habilidades de maio de 2016 10:45 h Regulamento Torneio das Habilidades O torneio das habilidades decorrerá no Complexo Desportivo de Amarante, no dia a partir das 10:15h. Este torneio é destinado

Leia mais

TEORIA E METODOLOGIA DO TREINO ESPECÍFICO

TEORIA E METODOLOGIA DO TREINO ESPECÍFICO TEORIA E METODOLOGIA DO TREINO ESPECÍFICO AULA 2 LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA ACTIVIDADE FÍSICA HUMANA BASES CONCEPTUAIS PARA A CONSTRUÇÃO DOS EXERCÍCIOS DE TREINO Fundamentação Biológica do Treino Na temática

Leia mais

DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA 2 ºCICLO PATINAGEM:

DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA 2 ºCICLO PATINAGEM: (Currículo Regional do Ensino 5,8,9,10 e 14 - Compreender e valorizar a prática da patinagem como factor de desenvolvimento pessoal e de melhor qualidade de vida; - Conhecer as características da Patinagem

Leia mais

Escola EBS de Pinheiro. Metodologias a utilizar. Testes de Condição Física; fichas de autoavaliação;

Escola EBS de Pinheiro. Metodologias a utilizar. Testes de Condição Física; fichas de autoavaliação; Escola EBS de Pinheiro Ano Letivo 2012/2013 Turma 10A Educação Física Professora: Ana Cristina Correia da Silva Botelho Matérias/Conteúdos CAPACIDADES MOTORAS (Condicionais e Coordenativas) FORÇA VELOCIDADE

Leia mais

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO

REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE LEÇA DA PALMEIRA/STA. CRUZ DO BISPO Ano Letivo de 20012/2013 O que é o andebol? REGRAS DE ANDEBOL 7º ANO O Andebol é um desporto coletivo inventado por um alemão, Karl

Leia mais

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO Técnico/táctica individual ofensiva com e sem bola (procedimentos gerais) a) Os aspectos da técnica e táctica ofensiva prevalecem sobre os defensivos

Leia mais

F M H ANÁLISE DO FLUXO DE TRABALHO. Ano Lectivo 2009/2010 OBJECTIVOS:

F M H ANÁLISE DO FLUXO DE TRABALHO. Ano Lectivo 2009/2010 OBJECTIVOS: Ano Lectivo 2009/2010 F M Recursos Humanos H ANÁLISE DO FLUXO DE TRABALHO OBJECTIVOS: Analisar o fluxo de trabalho, identificando as entradas, as actividades e as saídas na produção de bens e serviços;

Leia mais

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau II Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau II Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação de Andebol

Leia mais

PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES. Leiria, 12 de Novembro de 2011

PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES. Leiria, 12 de Novembro de 2011 PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES Leiria, 12 de Novembro de 2011 Índice Objectivos do Treino -Gerais - Específicos - Prioritários Meios de Treino - Exemplos Objectivos do Treino GERAIS Gosto pelo

Leia mais

GRUPO DE ACTIVIDADES FÍSICAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Cursos Técnico Profissionais

GRUPO DE ACTIVIDADES FÍSICAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Cursos Técnico Profissionais 1 / 5 DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA GERAL - Intificação do objectivo da modalida sportiva e do modo execução das principais acções técnico-tácticas, aquando as suas acções a esse conhecimento. 1. Área da

Leia mais

O que é o Basquetebol? O Campo Jogadores

O que é o Basquetebol? O Campo Jogadores Caraterização Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto O que é o? A equipa e o Campo O é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas, cujos objectivos são introduzir

Leia mais

Habilidades motoras específicas do basquetebol e formação técnica do treinador

Habilidades motoras específicas do basquetebol e formação técnica do treinador Lecturas: Educación Física y Deportes, Revista Digital. Buenos Aires, Año 13, Nº 122, Julio de 2008. http://www.efdeportes.com/efd122/habilidades-motoras-especificas-do-basquetebol.htm Habilidades motoras

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DO FUNDÃO GRUPO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 09_10 PRINCIPIOS BÁSICOS DA MODALIDADE. Badminton

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DO FUNDÃO GRUPO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 09_10 PRINCIPIOS BÁSICOS DA MODALIDADE. Badminton ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DO FUNDÃO GRUPO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 09_10 PRINCIPIOS BÁSICOS DA MODALIDADE Badminton FUNDÃO, MARÇO DE 2010 Professor Frederico Dias APRESENTAÇÃO / CONTEXTUALIZAÇÃO

Leia mais

História APRESENTAÇÃO DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 2

História APRESENTAÇÃO DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 2 DOCUMENTO ORIENTADOR DE KIN-BALL 2 História APRESENTAÇÃO O desporto KIN-BALL foi criado no Quebec (Canadá), em 1986, por Mario Demers, bacharel em educação física. É um professor reconhecido e experiente

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL. ENSINO SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Educação Física ANO: 10º ANO LETIVO 2011/2012

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL. ENSINO SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Educação Física ANO: 10º ANO LETIVO 2011/2012 ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ENSINO SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Educação Física ANO: 10º ANO LETIVO 2011/2012 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS

Leia mais

1 OBJETO DE AVALIAÇÃO

1 OBJETO DE AVALIAÇÃO Informação- Prova de Equivalência à Frequência Educação Física Prova escrita e prática Prova 26 2016 3º Ciclo do Ensino Básico O presente documento divulga informação relativa à prova de equivalência à

Leia mais

Normas Olimpíadas Desporto

Normas Olimpíadas Desporto Normas Olimpíadas Desporto Atletismo 1. Elementos por equipa Sem critérios 2. Provas As provas escolhidas para as Olimpíadas foram: 60 Metros; 1500 Metros; 3. Sistema de competição 60 Metros: 1ª Fase (+60)

Leia mais

AEC Atividade Física e Desportiva. Orientações pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC Atividade Física e Desportiva. Orientações pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO 2016/2017 AEC Atividade Física e Desportiva Orientações pedagógicas 1.º Ciclo do Ensino Básico A proposta de trabalho que se segue resulta de uma adaptação

Leia mais

Didáctica das Actividades Físicas Basquetebol

Didáctica das Actividades Físicas Basquetebol Didáctica das Actividades Físicas Basquetebol Docentes: Prof. Aux. António Paulo Ferreira Ass. Conv. Bruno Regalo Objectivos 1 - Conhecer a estrutura formal e funcional do basquetebol como jogo de cooperação-oposição.

Leia mais

CONVÍVIO DE MINI-HÓQUEI EM PATINS REGULAMENTO. Setembro 2016 DTN Luis Sénica

CONVÍVIO DE MINI-HÓQUEI EM PATINS REGULAMENTO. Setembro 2016 DTN Luis Sénica CONVÍVIO DE MINI-HÓQUEI EM PATINS REGULAMENTO Setembro 2016 DTN Luis Sénica 1. INTRODUÇÃO O principal objetivo do Mini HP é permitir a crianças de ambos os sexos a sua primeira experiência no Hóquei em

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Porto de Mós

Agrupamento de Escolas de Porto de Mós Prova de Equivalência à Frequência Educação Física Prova Código 26-2015 3º Ciclo do Ensino Básico 9º Ano de Escolaridade 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da Prova de

Leia mais

Andebol. Andebol. Andebol. Andebol. Andebol Caraterização. O que é o Andebol? O Campo. Os Jogadores

Andebol. Andebol. Andebol. Andebol. Andebol Caraterização. O que é o Andebol? O Campo. Os Jogadores Caraterização Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto O que é o? O andebol é um jogo desportivo colectivo, praticado por duas equipas, cada uma delas com 7 jogadores em

Leia mais

Prova Escrita GRUPO I ATLETISMO

Prova Escrita GRUPO I ATLETISMO INFORMAÇÕES PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2014 2015 (Ao abrigo da alínea a) do ponto 1.º, artigo 29.º, Capítulo IV do Despacho Normativo n.º 5 A/2014) Disciplina / Código: Educação Física /26 Ano

Leia mais