PROGRAMA. O bloco de Basquetebol I apresenta como objectivos específicos os seguintes alvos:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA. O bloco de Basquetebol I apresenta como objectivos específicos os seguintes alvos:"

Transcrição

1 FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA universidade técnica de lisboa UNIDADE ORGÂNICA DE CIÊNCIAS DO DESPORTO DIDÁCTICA DAS ACTIVIDADES FÍSICAS BASQUETEBOL I Professor: Prof. Aux. António Paulo Ferreira 1. Introdução PROGRAMA O jogo de basquetebol é uma actividade desportiva popular e cuja prrática está massificada na escola, no clube e nos espaços de lazer que preenchem o quotidiano dos jovens. A necessidade de conhecer o jogo, as suas especfcidades técnicas e tácticas, assim como o fundamental da sua didáctica, são domínios do conhecimento indispensáveis ao profissional Educação Física e Desporto que se hablite ao exercício profissional nos mais diversos terrenos que se lhe oferecem. É neste enquadramento e tendo como base estes objectivos que o bloco de Basquetebol I se fundamenta. A vivência do aluno ao longo do bloco está concentrada no conhecimento que os estudantes devem possuir acerca do como e do que deve ser ensinado, das dificuldades que o processo de aprendizagem vai colocando a quem aprende e de como se deve conduzir a aprendizagem enquanto a evolução dos praticantes vai ocorrendo. 2. Objectivos O bloco de Basquetebol I apresenta como objectivos específicos os seguintes alvos: Conhecer a estrutura formal e funcional do basquetebol como jogo de cooperação-oposição. Caracterizar os diferentes níveis de jogo Jogo Anárquico, Nível I e Nível II - e perceber as difculdades associadas ao processo de ensino-aprendizagem de cada uma das etapas. Analisar e interpretar a execução dos comportamentos tecnico-tácticos básicos relacionados com os níveis de jogo abordados. Dominar os mínimos exigidos para a execução dos comportamentos técnico-tácticos requeridos para os Níveis I e II como objectivos mínimos para a conclusão do bloco. Identificar os principais problemas didácticos que o ensino do jogo coloca e a sua consequente evolução requer. 3. Conteúdos Programáticos O desenvolvimento do bloco de Basquetebol I assenta no desenvolvimento dos temas apresentados abaixo: 1. As grandes fases do jogo de basquetebol. Simbologia e sinalética do basquetebol. 2. Caracterização do Jogo Anárquico, do Nível I e Nível II. 3. A desmontagem do jogo anárquico. O papel da Defesa e das Regras no processo de ensinoaprendizagem: o condicionamento da defesa à bola, a defesa ao jogador sem bola nesta fase. 4. A ocupação racional do espaço e a continuidade da sua conservação ao longo do ataque. 5. Os quandos e os comos da execuão dos gestos técnicos fundamentais. 6. O lançamento: características técnicas, tipos e utilização no contexto do jogo. Análise das componentes de controlo adapatadas à etapa de aprendizagem.

2 7. O drible: características técnicas gerais, tipos e utilização no contexto do jogo. Análise das componentes de controlo adapatadas à etapa de aprendizagem. 8. O passe e a recepção: características técnicas gerais, tipos e utilização no contexto do jogo. Análise das componentes de controlo adapatadas à etapa de aprendizagem. 9. A transição do jogo de Nível I para o jogo de Nível II. 4. Organização Curricular do Bloco Aula 1 Aula 2 Aula 3 Aula 4 Aula 5 Aula 6 Aula 7 Aula 8 Aula 9 Aula 10 Aula 11 Aula 12 Apresentação do programa da disciplina de DAF I Basquetebol: objectivos, pré-requisitos, conteúdos, metodologia de trabalho ao lonogo do bloco e avaliação. Recomendação bibliográfica recomendada para o cumprimento do programa. As grandes fases do jogo de basquetebol. Definição e caracterização. Simbologia e sinalética específica utilizada para a representação das acções do jogo de basquetebol. Avaliação inicial do nível de jogo: jogo formal em 5 contra 5. A caracterização do jogo anárquico. A noção de eficiência mínima. Definição das linhas metodológicas orientadoras do ensino do jogo de basquetebol: o ataque e a defesa, a técnica e a táctica, o jogo reduzido e o jogo formal, o exercício e o jogo, o papel da regra no ensino do jogo de basquetebol, a observação e intervenção do professor na gestão dos comportamentos dos aprendizes. Análise e situações da prática do jogo formal em 5 contra 5. O condicionamento da defesa ao jogador com bola. Definição das noções de enquadramento defensivo, linha da bola e linha da bola-cesto. O condicionamento da defesa ao jogador com bola. Definição das noções de enquadramento defensivo, linha da bola e linha da bola-cesto. O condicionamento da defesa ao jogador sem bola: a noção de triângulo perceptivo. A passagem da defesa de um jogador sem bola à necessidade da defesa ao jogador com bola: a adequação e manutenção de distâncias como condição para o critério de êxito. Análise e situações da prática do jogo formal em 5 contra 5. A ocupação racional do espaço em ataque: desde a transição ao ataque organizado. A posição da bola, as posições dos jogadores e a relatividade das ocupações espaciais face à bola e aos atacantes sem bola. A posição básica ofensiva com e sem bola. Análise e situações da prática do jogo formal em 5 contra 5. A sistematização dos quandos da utilização das técnicas: o lançamento, o passe, o drible. O trabalho sem bola como uma dimensão decisiva da manutenção da dinâmica do jogo. As grandes perguntas dos atacantes quando em ataque: (1) o que fazer e não fazer após o passe?; (2) a definição de primeira e segunda linha de passe e os critérios técnicos de leitura para agir. Definição de critérios de leitura para a tomada de decisão do jogador com e sem bola. A noção de aclaramento e da sua provocação. A ultrapassagem do jogo anárquico e a definição das características do jogo de nível I. Objectivos terminais do jogo de nível I. O lançamento. Os diversos tipos de lançamento e as componentes de controlo fundamentais. A metodologia do ensino do lançamento. O drible. Os diversos tipos de drible e respectivas componentes de controlo. A metodologia do ensino do drible. O passe. Os diversos tipos de passe e respectivas componentes de controlo. A metodologia do ensino do passe. A passagem do nível I para o nível II. Definição do nível II e caracterização dos comportamentos que o definem: objectivos comportamentais de nível. Teste escrito. 5. Avaliação O processo de avaliação admite dois modelos: a avaliação contínua e a avaliação final. A Avaliação Contínua implica a presença do aluno no mínimo a 2/3 das aulas. De acordo com o total de aulas previstas trata-se da presença mínima em 8 unidades curriculares. Desde que a participaçao do aluno esteja limitada (independentemente das razões apresentadas) e não permita a sua presença efectiva nos respectivos 2/3 de aulas, o aluno fica de imediato ao abrigo do regime de avaliação final. O modelo de avaliação contínua apresenta duas componentes: a prática e a teórica.

3 A componente prática concorre com uma ponderação de 50% para a nota final obtida no bloco; a componente teórica constitui 50% da mesma classificação. No percurso da aprendizagem a que cada aluno estará sujeito, a componente prática será sujeita a um processo de avaliação continuada que decorre de três vertentes: (1) do nível de desempenho motor apresentado para a resolução dos problemas postos pelo jogo, (2) do empenhamento colocado nas tarefas propostas e (3) na participação e assiduidade reveladas nas auas e actividades. Os intervalos de nível de domínio das competências do jogo e a respectiva cassificação asociada encontra-se apresentado no quadro abaixo. NÍVEIS ATAQUE DEFESA 1 (10-12) 2 (13-14) 3 (14-15) 4 (16-17) Recebe a bola, orienta a sua posição corporal face ao cesto Posição básica ofensiva Após entrar em posse de bola assume claramente a atitude de leitura da situação (ver para escolher e decidir) Desloca-se no campo de forma a não perder a visão da bola Distingue as situações que requerem a utilização do passe e do drible, cumprindo os respectivos objectivos ofensivos (fazendo avançar a bola) e ainda do lançamento (quanto está só e tem o cesto ao alcance) Distingue as situações que requerem a utilização dos diferentes tipos de passe (passe de peito, passe de ombro, passe picado) Ocupa racionalmente o espaço, tendo em atenção as distâncias relativas para a bola e para os companheiros Reconhece que a exploração da ofensividade difere consoante a distância da bola em relação ao cesto (maior distância-acções ofensivas mais rápidas, menor distância-acções ofensivas mais elaboradas) Reconhece as situações de lançamento e distingue a possibilidade de utilizar aos apoios para finalizar ou a paragem para subir Associa o acto de lançamento com a necessidade de apoiar o que dele resulta ida ao ressalto ofensivo Usa o drible com ofensividade aquando da transição defesa-ataque quando tem bola, quando não a possui distingue se tem condições para ir á frente da linha da bola ou não No ataque de posição joga sem bola utilizando acções de afastamento e aproximação do cesto/bola (mantendo as distâncias relativas da bola) Associa a recepção à noção de tripla ameaça Interpreta o 1c1 com intencionalidade e ofensividade. Liga o drible à penetração, ao domínio dos apoios e ao lançamento ou ao passe) Associa o acto de lançamento não apenas ao acto de lançamento como também ao de balanço defensivo Escolhe as linhas de passe mais ofensivas, percebendo que as linhas de passe interior constituem um privilégio que o ataque não deve deixar de assistir Interpreta a ocupação espacial em ataque com um dispositivo organizado, mantendo a integridade das movimentações globais (o corte, a reposição, o aclaramento são noções perfeitamente integradas) Distingue a exploração da ofensividade em função da recuperação da posse de bola associando os três momentos da fase de ataque: contra-ataque, ataque rápido e de posição Liga a recuperação da posse de boa no ressalto defensivo com a saída rápida da área descongestionada e reconhece a importância do primeiro passe desencadeamento do contraataque Revela uma intencionalidade objectiva nas acções com bola, estudando as possíveis soluções que a posse de bola possa ter (usa como recurso os tipos de arranque, as diferentes formas Associa o momento da perda da posse de bola com o inicio da fase de defesa, dispondo-se para ir de encontro aos adversários atacantes Distingue os comportamentos exigíveis para a permanência numa defesa em campo todo logo após a perda da posse de bola, e a recuperação defensiva para posterior organização de uma defesa individual em meio campo Defende o jogador com bola em todas as suas acções salvaguardando os dois aspectos mais críticos: manutenção do enquadramento defensivo e mantendo a distância necessária para não ser ultrapassado Assume interesse pela recuperação da posse de bola nas situações em que esta se disputa: ressalto, bola perdida, bola ao ar Defende o jogador com bola fazendo uma gestão equilibrada do espaço a oferecer ao atacante em função do seu nível de domínio do jogo: mais espaço para o deixar ler o jogo, mais pressão quando o nível de prática do jogo é uniforme entre ambos Acompanha na maioria das situações o atacante sem bola em todas as suas acções ofensivas, mantendo sempre a ideia de que a sua posição deve ter a preocupação de se situar entre as três referências: bola, cesto atacante Tenta sobremarcar uma linha de primeiro passe, fechando claramente a linha de passe, denotando-se claramente a sua distinção face à defesa de uma segunda linha de passe Controla o jogador com bola em todo o campo e em meio campo, distinguindo a necessidade de obrigar o atacante a encontrar zonas menos ofensivas, gerindo a sua posição defensiva básica em termos de distância da bola e pressão sobre a mesma Distingue a necessidade de ajudar o atacante que faz um passe penetrante e sobremarcar a linha de primeiro passe após um passe de segurança de um jogador que antes tinha a posse de bola Manifesta uma atitude defensiva sempre pronta a intervir sobre a bola sempre que esta coloque em causa a capacidade colectiva da defesa ajuda defensivamente uma penetração ou um passe interior Distingue defensivamente o lado da bola do lado contrário à bola no lado da bola sobremarca, no lado da bola ajuda defensivamente Bloqueia objectivamente o seu atacante directo (no lado da bola) na tentativa de disputar intencionalmente o ressalto defensivo com vantagem Transita com facilidade de diferentes solicitações defensivas que o jogo coloca sem nunca perder a capacidade para pressionar a bola quando se pretende, defender o corte quando necessário, ajudar e ressaltar, mantendo uma posição defensiva básica genericamente presente Distingue a defesa de uma linha de primeiro passe, segundo passe seja no lado da bola ou no lado contrário da mesma Define com total clareza as posições de ajuda em todas as linhas de passe situadas no lado contrário da bola

4 5 (18-20) de finta para desequilibrar o defensor seja para passar, arrancar ou lançar) Dá resposta cada vez mais oportuna e ajustada ás três situações de aclaramento (ao passe, aos drible e à sobremarcação) Distingue claramente as suas responsabilidades e a dos companheiros face ao lançamento. A ida ao ressalto ou o balanço defensivo Domina os fundamentos ofensivos com um grau de eficácia elevados seja em termos de domínio motor seja de acordo com o ajustamento da decisão face ao requisito do jogo Encontra soluções técnico-tácticas originais para a resolução dos problemas que o jogo lhe coloca (seja nas fases de transposição ou ataque de posição) Manifesta a possibilidade para no lado contrário da bola, face à necessidade de disputar o ressalto defensivo, dirigir-se para o seu atacante e bloquear defensivamente (em ajuda e face ao lançamento controla o atacante e só depois parte para o ressalto) Liga qualquer que seja a acção de natureza defensiva com a possibilidade de à recuperação da posse de bola transformá-la numa situação de vantagem numérica Domina com um elevado nível de eficácia as diferentes situações da defesa: com bola, sem bola nas diferentes situações, a defesa dos cortes e a procura de ganhar vantagem nas bolas divididas Encontra novas soluções defensivas para a resolução dos problemas que o ataque vai colocando A componente teórica consiste no desempenho obtido através da realização de um teste escrito que contempla toda a matéria desenvolvida nas aulas práticas e que é realizado no último dia de aulas do bloco. Deste modo o modelo de avaliação contínua é dado pela expressão: Licenciatura em Ciências do Desporto Clasificação Final do Bloco = 50% Componente Prática + 50% Componente Teórica Licenciatura em Gestão do Desporto Clasificação Final do Bloco = 40% Componente Prática + 60% Componente Teórica A Avaliação Final consiste na realização de um exame escrito e um exame oral-prático. No exame oralprático admite-se que se possa tratar de uma prova ndividual apesar do Basquetebol se tratar de um jogo de equipa. Nos casos em que o número de alunos propostos neste modelo de avaliação não permita a realização de situações de jogo formal, admite-se a oral e a forma reduzida de jogo como duas formas de avaliação que e designa por oral-prática. 6. Bibliografia Fundamental Adelino, J. (1994). As coisas simples do basquetebol (2º ed.). Lisboa. Associação Nacional de Treinadores de Basquetebol. Barreto, H; Gomes, M. (1989). Concretização de uma unidade didáctica em basquetebol. IDAF, Colecção Fundamentos/1. Barreto, H. (2000). Basquetebol, Orientações para a aprendizagem. Manual do bloco de basquetebol. Graça, A.; Oliveira, J. (1994). O ensino dos jogos desportivos. Centro de Estudos dos Jogos Desportivos. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física. Universidade do Porto. Complementar Adelino, J.; Vieira, J.; Coelho, O. (1999). Treino dos jovens. O que todos precisam de saber. Lisboa, Centro de Estudos de Formação Desportiva, Instituto do Desporto Português. Barreto, H. (1984). Técnica individual ofensiva. Horizonte, Revista de Educação Física e Desporto, 1 (4), p Barreto, H. (1986). Técnica individual e transição. O Treinador, 15, p Barreto, H. (1988). Abordagem ao ensino ao ressalto. Horizonte, Revista de Educação Física e Desporto, 5 (25), p Bayer, C. (1994). O ensino dos desportos colectivos. Éditions Vigot, Paris. Beja, E. (1984). Transposição da defesa, um caminho a percorrer. Horizonte, Revista de Educação Física e Desporto, 1 (1), dossier.

5 Coelho, O. (1992). Lançamento na passada: aprender a técnica ou desenvolver capacidades? Horizonte, Revista de Educação Física e Desporto, 8 (46), p Coelho, O. (1998). Os jogos desportivos colectivos na educação física curricular: algumas sugestões de organização das situações de jogo. Horizonte, Revista de Educação Física e Desporto, 1 (4), p Franco, O. (1984). O papel das regras na abordagem do basquetebol. O Treinador, 11, p Garganta, J. (2000). Horizontes e órbitas no treino dos jogos desportivos. centro de estudos dos jogos desportivos. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física. Universidade do Porto.

Didáctica das Actividades Físicas Basquetebol

Didáctica das Actividades Físicas Basquetebol Didáctica das Actividades Físicas Basquetebol Docentes: Prof. Aux. António Paulo Ferreira Ass. Conv. Bruno Regalo Objectivos 1 - Conhecer a estrutura formal e funcional do basquetebol como jogo de cooperação-oposição.

Leia mais

Didáctica das Actividades Físicas Basquetebol

Didáctica das Actividades Físicas Basquetebol 0-0-00 Didáctica das Actividades Físicas Basquetebol Docentes: Prof. Aux. António Paulo Ferreira Ass. Conv. Bruno Regalo Basquetebol II º Semestre Objectivos - Conhecer a estrutura formal e funcional do

Leia mais

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO

CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO CONTEÚDOS TÉCNICOS E TÁCTICOS DOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO Técnico/táctica individual ofensiva com e sem bola (procedimentos gerais) a) Os aspectos da técnica e táctica ofensiva prevalecem sobre os defensivos

Leia mais

Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto. Guifões 21/05/2012. Conceitos defensivos a desenvolver nos S14

Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto. Guifões 21/05/2012. Conceitos defensivos a desenvolver nos S14 Ação de Formação para Treinadores organizada pela Associação de Basquetebol do Porto Guifões 21/05/2012 Introdução: Os jogadores Conceitos defensivos a desenvolver nos S14 Os nossos jogadores sabem cada

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 11º ANO 12º ANO

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 11º ANO 12º ANO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 11º ANO e 12º ANO JOGOS DESPORTIVOS COLECTIVOS (11.º ano e 12.º ano) ACÇÕES PSICO-MOTORAS Futebol Voleibol Basquetebol Andebol Em situação de jogo 4x4 ou 5x5 - Enquadra-se ofensivamente

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 10º ANO. Grupo Disciplinar de Educação Física

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 10º ANO. Grupo Disciplinar de Educação Física CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 10º ANO Grupo Disciplinar de Educação Física JOGOS DESPORTIVOS COLECTIVOS Futebol Voleibol Basquetebol Andebol Em situação de jogo 4x4 ou 5x5 - Enquadra-se ofensivamente e realiza

Leia mais

Federação Portuguesa de Basquetebol

Federação Portuguesa de Basquetebol Federação Portuguesa de Basquetebol UM RUMO PARA A APROXIMAÇÃO EUROPEIA Orlando Simões 2009 UM RUMO PARA A APROXIMAÇÃO EUROPEIA Enquanto técnico com larga experiência, não duvidamos nem por um momento

Leia mais

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - CEF 2º ano Ano letivo

Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - CEF 2º ano Ano letivo Escola Básica da Madalena Grelha de Conteúdos Educação Física - 2º ano Ano letivo 2012 2013 1º PERIODO Testes de Condição Física Avaliação da velocidade, flexibilidade, força muscular, agilidade e medidas

Leia mais

O ENSINO DAS FORMAS REDUZIDAS 1X1

O ENSINO DAS FORMAS REDUZIDAS 1X1 O ENSINO DAS FORMAS REDUZIDAS 3X3 O ENSINO DAS FORMAS REDUZIDAS X António Paulo Ferreira FC Barreirense INTRODUÇÃO Todos reconhecemos a obra de Adelino (99), designada de As Coisas Simples do Basquetebol,

Leia mais

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Basquetebol

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Basquetebol Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Basquetebol Grau II Referenciais de FORMAÇÃO Basquetebol Grau II Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação Portuguesa de

Leia mais

Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão. Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol

Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão. Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol Faculdade de Motricidade Humana Escola Secundária Fernando Namora Intervenção nos Jogos Desportivos Coletivos de Invasão Pontos comuns entre o Basquetebol, Andebol e Futebol Orientadores: Professores Estagiários:

Leia mais

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau II Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau II Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação de Andebol

Leia mais

Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III

Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III Unidades de Formação e Cargas Horárias Andebol - Grau III UNIDADES DE FORMAÇÃO HORAS 1. CARACTERIZAÇÃO DO JOGO 6 2. REGRAS DO JOGO E REGULAMENTOS ESPECÍFICOS 4 3. MEIOS DE ENSINO DO JOGO 20 4. COMPONENTES

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASTRO VERDE Projecto Curricular de Turma 8º A e 8º B Planificação - Educação Física (2010/2011) - 1

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASTRO VERDE Projecto Curricular de Turma 8º A e 8º B Planificação - Educação Física (2010/2011) - 1 1º Período Projecto Curricular de Turma 8º A e 8º B Planificação - Educação Física (2010/2011) - 1 - Melhora a aptidão física elevando as capacidades motoras de modo harmonioso e adequado às suas necessidades

Leia mais

ÍNDICE GERAL ÍNDICE DE TABELAS.. INDICE DE QUADROS.. ÍNDICE DE FIGURAS.. ÍNDICE DE ANEXOS ABREVIATURAS.. CAPÍTULO I:. 1 INTRODUÇÃO..

ÍNDICE GERAL ÍNDICE DE TABELAS.. INDICE DE QUADROS.. ÍNDICE DE FIGURAS.. ÍNDICE DE ANEXOS ABREVIATURAS.. CAPÍTULO I:. 1 INTRODUÇÃO.. ÍNDICE GERAL ÍNDICE DE TABELAS.. INDICE DE QUADROS.. ÍNDICE DE FIGURAS.. ÍNDICE DE ANEXOS ABREVIATURAS.. CAPÍTULO I:. 1 INTRODUÇÃO.. 2 1.1. Apresentação do problema.. 2 1.2. Pertinência do estudo. 3 1.3.

Leia mais

A AGRESSIVIDADE OFENSIVA

A AGRESSIVIDADE OFENSIVA TEMA: A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DE PÉS COMO FUNDAMENTO PARA A AGRESSIVIDADE OFENSIVA por MANUEL CAMPOS TEMA: A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DE PÉS COMO FUNDAMENTO PARA A AGRESSIVIDADE OFENSIVA Muitos treinadores

Leia mais

Unidade Didáctica de Ultimate Frisbee. Professor José Amoroso

Unidade Didáctica de Ultimate Frisbee. Professor José Amoroso Unidade Didáctica de Ultimate Frisbee Professor José Amoroso Nota: Começo por informar que esta unidade didáctica destina-se a alunos do 10ºano de escolaridade, onde se utiliza o disco de 175 gramas, especifico

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ENSINO SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Educação Física CURSO: Profissionais ANO: 10º ANO LETIVO 2011/2012 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ATIVIDADES

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. Normas de referência para a definição do sucesso em Educação Física

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. Normas de referência para a definição do sucesso em Educação Física CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Normas de referência para a definição do sucesso em Estas normas têm o propósito de tornar mais claras, visíveis e coerentes as condições genéricas de obtenção das classificações

Leia mais

Recuperação Defensiva

Recuperação Defensiva Recuperação Defensiva - - - Moncho Lopez e Rui Alves Clinic da Festa do Basquetebol Juvenil Abril 2009 Introdução: Num desporto como o basquetebol, a utilização das habilidades específicas não se faz de

Leia mais

PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS Educação Física 5.º ano

PERFIL DE APRENDIZAGENS ESPECÍFICAS Educação Física 5.º ano Jogos Pré-Desportivos Educação Física 5.º ano Conhecer o objetivo do jogo, o funcionamento e as regras do jogo. Jogos sem bola: Em situação de ataque cria oportunidades com superioridade numérica para

Leia mais

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque 2012 / 2013 Programa Nestum Rugby nas Escolas Introdução ao Tag-Rugby e ao Bitoque Introdução O que é o TAG RUGBY? O Tag Rugby é usado como uma alternativa de ensino do rugby de XV nas escolas, ou como

Leia mais

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Pressionar a bola torna o drible e o passe mais difíceis, e aumenta as chances de ocorrer um erro do ataque. O objectivo principal é impedir

Leia mais

INICIAÇÃO AO FUTEBOL. Concepções metodológicas do treinamento INTRODUÇÃO:

INICIAÇÃO AO FUTEBOL. Concepções metodológicas do treinamento INTRODUÇÃO: INICIAÇÃO AO FUTEBOL Concepções metodológicas do treinamento INTRODUÇÃO: O jogo de futebol não é feito apenas de fundamentos (movimentos técnicos), a relação com a bola é uma das competências essênciais

Leia mais

UNIVERSIDADE DE COIMBRA. Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física

UNIVERSIDADE DE COIMBRA. Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física UNIVERSIDADE DE COIMBRA Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física Parametrização das Estruturas Tácticas em Jogos Desportivos Colectivos Investigação Aplicada à Equipa Campeã Nacional no Escalão

Leia mais

1ª/2ª Fase. As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do programa da disciplina.

1ª/2ª Fase. As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do programa da disciplina. Agrupamento de Escolas de Barrancos INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO EDUCAÇÃO FÍSICA abril de 2015 Prova 26 2015 1ª/2ª Fase 3.º Ciclo do Ensino Básico Tipo de Prova: Escrita

Leia mais

26 EDUCAÇÃO FÍSICA alunos abrangidos pela Portaria n.º 23/2015, de 27 de fevereiro escrita e prática 3.ºciclo do ENSINO BÁSICO 20

26 EDUCAÇÃO FÍSICA alunos abrangidos pela Portaria n.º 23/2015, de 27 de fevereiro escrita e prática 3.ºciclo do ENSINO BÁSICO 20 informação-prova de equivalência à frequência data:. 0 5. 2 0 26 EDUCAÇÃO FÍSICA alunos abrangidos pela Portaria n.º 23/2015, de 27 de fevereiro escrita e prática 3.ºciclo do ENSINO BÁSICO 20 1.O B J E

Leia mais

TER AS IDEIAS CLARAS!!!

TER AS IDEIAS CLARAS!!! TER AS IDEIAS CLARAS!!! O jogo de Andebol poderá resumir-se a uma atividade acíclica cujos principais movimentos são abertos e realizados com intervalos de pausas de recuperação incompleta (3 a7 ), a uma

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL. ENSINO SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Educação Física ANO: 11º ANO LETIVO 2011/2012

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL. ENSINO SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Educação Física ANO: 11º ANO LETIVO 2011/2012 ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ENSINO SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Educação Física ANO: 11º ANO LETIVO 2011/2012 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS

Leia mais

Curso de Treinadores Grau 2 Federação de Andebol de Portugal CONTRA-ATAQUE CONTRA-ATAQUE. Departamento Técnico FAP

Curso de Treinadores Grau 2 Federação de Andebol de Portugal CONTRA-ATAQUE CONTRA-ATAQUE. Departamento Técnico FAP CONTRA-ATAQUE CICLO DE JOGO Jogo livre Jogo dirigido Jogo construído Sistema Ofensivo Organização/Ocupação Baliza 4,5, 6 jogadores Contra-Ataque Apoiado atacar conservar Bola 1, 2, 3 jogadores Contra-Ataque

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL. ENSINO SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Educação Física ANO: 10º ANO LETIVO 2011/2012

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL. ENSINO SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Educação Física ANO: 10º ANO LETIVO 2011/2012 ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ENSINO SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Educação Física ANO: 10º ANO LETIVO 2011/2012 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Sé - Guarda Escola Básica Carolina Beatriz Ângelo Grupo Disciplinar de Educação Física

Agrupamento de Escolas da Sé - Guarda Escola Básica Carolina Beatriz Ângelo Grupo Disciplinar de Educação Física Agrupamento de Escolas da Sé - Guarda Escola Básica Carolina Beatriz Ângelo Grupo Disciplinar de Educação Física 9º ANO - 1º PERÍODO UNIDADE DIDÁTICA TESTES DE C.F. ATLETISMO GINÁSTICA SOLO Conteúdos -

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA 11º ANO PLANIFICAÇÃO

EDUCAÇÃO FÍSICA 11º ANO PLANIFICAÇÃO ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO GONÇALVES ZARCO-402011 Objetivos gerais: Realizar atividades de forma autónoma, responsável e criativa Cooperar com outros em tarefas e projetos comuns Relacionar harmoniosamente

Leia mais

I - DISTRIBUIÇÃO DE ESPAÇOS E RESPECTIVA CARGA HORÁRIA PARA DESENVOLVIMENTO DOS 10 BLOCOS DE ACTIVIDADES 8.º ANO. 3º 3-7 Jan Dez Jan-

I - DISTRIBUIÇÃO DE ESPAÇOS E RESPECTIVA CARGA HORÁRIA PARA DESENVOLVIMENTO DOS 10 BLOCOS DE ACTIVIDADES 8.º ANO. 3º 3-7 Jan Dez Jan- I - DISTRIBUIÇÃO DE ESPAÇOS E RESPECTIVA CARGA HORÁRIA PARA DESENVOLVIMENTO DOS 10 BLOCOS DE ACTIVIDADES 8.º ANO DOCENTE 8.º ANO 1 Blocos Av. Inic. 19Set-21 Out Sequência de Espaços por Docentes/Turmas

Leia mais

Planificação Detalhada Anual : 9º Ano Educação Física. Ao longo do ano* Testes Fitnessgram (opcional)

Planificação Detalhada Anual : 9º Ano Educação Física. Ao longo do ano* Testes Fitnessgram (opcional) DOMÍNIO/TEMA: Atletismo DOMÍNIO/TEMA Aptidão físicas Direção de Serviços da Região Norte Planificação Detalhada Anual : 9º Ano Educação Física Resistência Força Velocidade Flexibilidade Coordenação Equilíbrio

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso DESPORTO Ano letivo 2015-16 Unidade Curricular PRÁTICA DE DESPORTOS I - FUTEBOL ECTS 3 Regime Obrigatório Ano 1 Semestre 1º Horas de trabalho globais Docente (s) Carlos Nuno Pires Lourenço Sacadura

Leia mais

Referenciais de FORMAÇÃO

Referenciais de FORMAÇÃO Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO HÓQUEI PATINS Grau I Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO HÓQUEI PATINS Grau I Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação

Leia mais

O TREINO DOS GUARDA- REDES

O TREINO DOS GUARDA- REDES O TREINO DOS GUARDA- REDES Antes de mais deve ter-se em conta que os guarda-redes (GR) têm uma influência decisiva no jogo. No entanto, a maioria dos treinadores acaba por dedicar uma pequena percentagem

Leia mais

Planificação Detalhada Anual : 8º Ano Educação Física

Planificação Detalhada Anual : 8º Ano Educação Física Planificação Detalhada Anual : 8º Ano Educação Física DOMÍNIO/TEMA Aptidão SUB TEMA (Conteúdos) Resistência Força Velocidade Flexibilidade Coordenação Equilíbrio OBJETIVOS GERAIS Elevar o nível funcional

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO DE SANTARÉM ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM. Planificação de Educação Física

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO DE SANTARÉM ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM. Planificação de Educação Física AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO DE SANTARÉM ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM 2.º CICLO (2010-2011) Planificação de Educação Física Unidade Didáctica 5.º Ano Competências a Conteúdos Conceitos Adquirir Objectivos/Competências

Leia mais

Designação Judo na escola - da Educação Física ao Desporto Escolar. Região de Educação Área de Formação A B C D

Designação Judo na escola - da Educação Física ao Desporto Escolar. Região de Educação Área de Formação A B C D Acções de Formação c/despacho > Imprimir (id #89993) Ficha da Acção Designação Judo na escola - da Educação Física ao Desporto Escolar Região de Educação Área de Formação A B C D Classificação Formação

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Desporto Ano letivo 2015/2016 Unidade Curricular Prática dos Desportos III - Andebol ECTS 3 Regime Obrigatório Ano 2º Semestre 1º Semestre Horas de trabalho globais Docente (s) Teresa Fonseca Total

Leia mais

ACTIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA ORIENTAÇÕES PROGRAMÁTICAS ANO DE ESCOLARIDADE 4º ANO 1º ANO 3º ANO 2º ANO

ACTIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA ORIENTAÇÕES PROGRAMÁTICAS ANO DE ESCOLARIDADE 4º ANO 1º ANO 3º ANO 2º ANO ACTIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA ORIENTAÇÕES PROGRAMÁTICAS DE ESCOLARIDADE ÁREA FÍSICAS DESPORTIVAS AVALIAÇÃO MATÉRIAS 1 - Exploração da Natureza Descoberta do meio ambiente, através da sua exploração. 2

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ANADIA

ESCOLA SECUNDÁRIA DE ANADIA ESCOLA SECUNDÁRIA DE ANADIA Bateria de Exercícios Andebol NÚCLEO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2000.200 ANDEBOL BATERIA DE EXERCÍCIOS Este documento pretende acima de tudo fornecer ao professor uma quantidade

Leia mais

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol. Grau

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Andebol. Grau Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau I Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Andebol Grau I Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação de Andebol de

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ENSINO SECUNDÁRIO EDUCAÇÃO FÍSICA

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ENSINO SECUNDÁRIO EDUCAÇÃO FÍSICA EDUCAÇÃO FÍSICA A Prova de Equivalência à Frequência na disciplina de Educação Física é constituída por uma Prova Prática e outra Escrita, ambas com 90 minutos de duração, e uma cotação de 200 pontos em

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã 0 E n s i n o S e c u n d á r i o

P L A N I F I C A Ç Ã 0 E n s i n o S e c u n d á r i o P L A N I F I C A Ç Ã 0 E n s i n o S e c u n d á r i o 2016-2017 DISCIPLINA / ANO: Educação Física / 11º Ano MANUAL ADOTADO: Em Movimento 10/11/12 Edições ASA II, S.A. GESTÃO DO TEMPO 1º PERÍODO Nº de

Leia mais

I - DISTRIBUIÇÃO DE ESPAÇOS E RESPECTIVA CARGA HORÁRIA PARA DESENVOLVIMENTO DOS 10 BLOCOS DE ACTIVIDADES 7.º ANO

I - DISTRIBUIÇÃO DE ESPAÇOS E RESPECTIVA CARGA HORÁRIA PARA DESENVOLVIMENTO DOS 10 BLOCOS DE ACTIVIDADES 7.º ANO I - DISTRIBUIÇÃO DE ESPAÇOS E RESPECTIVA CARGA HORÁRIA PARA DESENVOLVIMENTO DOS 10 BLOCOS DE ACTIVIDADES 7.º ANO DOCENTE 7.º ANO 1 Sequência de Espaços por Docentes/Turmas e Estimativa de Carga Horária

Leia mais

CURSO DE TREINADOR DE DESPORTO. Prof. Fernando Espiga

CURSO DE TREINADOR DE DESPORTO. Prof. Fernando Espiga A OBSERVAÇÃO É CADA VEZ MAIS UTILIZADA NO DESPORTO. O OBJETIVO: DIAGNOSTICAR AS CONDUTAS MOTORAS. IDENTIFICAR E AVALIAR A TÉCNICA E A TÁTICA. COMPREENDER E MODIFICAR COMPORTAMENTOS ALVO. MAXIMIZAR OS PROCESSOS

Leia mais

Jogos Desportivos Coletivos

Jogos Desportivos Coletivos ... DEPARTAMENTO DE Educação Física DISCIPLINA: Educação Física 7ºAno COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS Competências a desenvolver Conteúdos Aulas previstas Jogos Desportivos Coletivos Andebol Cooperar com os companheiros

Leia mais

Fundamentos técnicos do Handebol

Fundamentos técnicos do Handebol Resumo com autoria de Edvaldo Soares de Araújo Neto e Anália Beatriz A. S. Almeida. Fundamentos técnicos do Handebol Recepção Conceito: ato de receber a bola normalmente com as duas mãos; Objetivo: amortecer

Leia mais

INTRODUÇÃO: FASES DA TRANSIÇÃO

INTRODUÇÃO: FASES DA TRANSIÇÃO INTRODUÇÃO: O pioneiro do contra ataque Ward Lambert Purdue-1915 1937- alteração á regra que eliminou a bola ao ar no circulo central após cada cesto convertido, o basquetebol... fica mais rápido e mais

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DA MAIA

ESCOLA SECUNDÁRIA DA MAIA : 90 MINUTOS PROVA TEÓRICA GRUPO I Conhecer os princípios sobre alimentação e saúde Identificar os efeitos e lesões mais frequentes do exercício físico na vida atual Aptidão Física Desporto e Saúde - Condição

Leia mais

História do Basquetebol

História do Basquetebol História do Basquetebol Foi inventado por um professor Canadiano, James Naismith no ano de 1891. Em Dezembro do mesmo ano, teve lugar o primeiro jogo, no Springfield College, nos EUA. O seu primeiro nome

Leia mais

CRONOGRAMA DA DISCIPLINA 11/04 Teoria geral dos JDC 16/04 Transfert e ressignificação (Prática) 23/04 Métodos de Ensino dos JDC 25/04 Fundamentos

CRONOGRAMA DA DISCIPLINA 11/04 Teoria geral dos JDC 16/04 Transfert e ressignificação (Prática) 23/04 Métodos de Ensino dos JDC 25/04 Fundamentos CLAUDE BAYER CRONOGRAMA DA DISCIPLINA 11/04 Teoria geral dos JDC 16/04 Transfert e ressignificação (Prática) 23/04 Métodos de Ensino dos JDC 25/04 Fundamentos técnicos (Prática) 02/05 Aspectos táticos

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA TEÓRICA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 12º Ano de Escolaridade Duração: 90 minutos

EDUCAÇÃO FÍSICA. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA TEÓRICA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 12º Ano de Escolaridade Duração: 90 minutos Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA TEÓRICA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA Código 311 2015 12º Ano de Escolaridade Duração: 90 minutos Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho I OBJECTO DE

Leia mais

2.1. História da Modalidade

2.1. História da Modalidade 2.1. História da Modalidade II. Unidade Didáctica de Basquetebol O Basquetebol, considerado um dos desportos mais praticados em todo o mundo, foi criado em Dezembro de 1891, na Universidade de Springfield

Leia mais

Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Francisco Pinto

Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Francisco Pinto Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto Caraterização O que é o? O andebol é um jogo desportivo colectivo, praticado por duas equipas, cada uma delas com 7 jogadores em

Leia mais

Andebol. Andebol. Andebol. Andebol. Andebol Caraterização. O que é o Andebol? O Campo. Os Jogadores

Andebol. Andebol. Andebol. Andebol. Andebol Caraterização. O que é o Andebol? O Campo. Os Jogadores Caraterização Educação Física Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Francisco Pinto O que é o? O andebol é um jogo desportivo colectivo, praticado por duas equipas, cada uma delas com 7 jogadores em

Leia mais

CAPÍTULO III METODOLOGIA

CAPÍTULO III METODOLOGIA CAPÍTULO III METODOLOGIA 1. Amostra Para a realização deste trabalho foram recolhidos dados de 4 jogos completos de Hóquei em Patins, relativos ao Campeonato Europeu de Juvenis, nos quais havia necessariamente

Leia mais

Versão Referenciais de FORMAÇÃO BADMINTON. Grau

Versão Referenciais de FORMAÇÃO BADMINTON. Grau Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO BADMINTON Grau I Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO BADMINTON Grau I Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação de Portuguesa

Leia mais

IVÁN MARTÍN LEÓN MELHORIA DOS FUNDAMENTOS NOS. ESCALÕES DE FORMAÇÃO Clinic A.B. Lisboa Apontamentos João Cardoso

IVÁN MARTÍN LEÓN MELHORIA DOS FUNDAMENTOS NOS. ESCALÕES DE FORMAÇÃO Clinic A.B. Lisboa Apontamentos João Cardoso BLOQUEIOS DIRECTOS E BLOQUEIOS INDIRECTOS IVÁN MARTÍN LEÓN Design: PlanetaBasket MELHORIA DOS FUNDAMENTOS NOS ESCALÕES DE FORMAÇÃO Clinic A.B. Lisboa 2010 Apontamentos João Cardoso INTRODUÇÃO Ao ver o

Leia mais

INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017

INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS POETA ANTÓNIO ALEIXO INFORMAÇÃO DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ADAPTADA) 2017 Despacho normativo nº1-a/2017 de 10 de fevereiro DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA Ano de Escolaridade:

Leia mais

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem

Exercícios para Aperfeiçoamento da Defesa Individual Homem-a-Homem Defesa Exercícios em 2x2 Defesa Exercícios em 2x2Correr para ajudar 1º passo O exercício começa com o X1 no lado esquerdo do campo, a defender o atacante com bola tentando levá-lo para a linha de fundo.

Leia mais

PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR

PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR PROGRAMA DE UNIDADE CURRICULAR Curso: Licenciatura em língua Gestual portuguesa Ciclo: 1º Ciclo Ramo: Ano: 1º Ano Designação: DESPORTO E RECREAÇÃO Créditos: 5 Departamento: Ciências da Comunicação e da

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência

Informação - Prova de Equivalência à Frequência Informação - Prova de Equivalência à Frequência Ensino Secundário Prova de Equivalência à Frequência de Educação Física Ano letivo 2014/2015 I. INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

O Espaço do Treinador

O Espaço do Treinador O Espaço do Treinador Autor: Carlos Bio Boletim nº Mês de Novembro Ano 00 Um Pouco de Mim! Esta foto é para mim o momento mais alto da minha carreira, depois de já ter treinado duas gerações (Pais e filhos)

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 3º CICLO

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 3º CICLO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS Ano letivo 2016/2017 PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 3º CICLO Ano/Turma 7º/8º/9º Período N.º aulas previstas

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO: TGEQ 10º ano (2012 / 2015) DISCIPLINA: Educação Física N.º TOTAL DE MÓDULOS: 5 1 20 JCD I Andebol e Futsal e respeito pelos companheiros,

Leia mais

Escola Secundária de Alfredo dos Reis Silveira

Escola Secundária de Alfredo dos Reis Silveira Escola Secundária de Alfredo dos Reis Silveira UNIDADE DIDÁCTICA DE BADMINTON NÚCLEO DE ESTÁGIO 2001/2002 CRISTÓVÃO SILVA RUI VIEIRA ÍNDICE ÍNDICE... 1 INTRODUÇÃO... 2 NOTA METODOLÓGICA... 3 DEFINIÇÃO

Leia mais

PLANO ANUAL EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO

PLANO ANUAL EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO PLANO ANUAL EDUCAÇÃO 3º CICLO Ano Letivo 2012/2013 Rua Marquês de Olhão Bairro da Madre de Deus Telefone 21 8610100 Fax 218683995 1900-330 Lisboa E-Mail: eb23.lantonioverney@escolas.min-edu.pt 1 Competências

Leia mais

Realizada em cada período, no 2º e 3º ciclo, é expressa numa escala qualitativa: Insuficiente, Suficiente, Bom e Muito Bom

Realizada em cada período, no 2º e 3º ciclo, é expressa numa escala qualitativa: Insuficiente, Suficiente, Bom e Muito Bom Avaliação na disciplina de Educação Física Avaliação inicial Realizada no início do ano lectivo, de acordo com o protocolo definido, no 2º e 3º ciclo, e tem por objectivo a identificação: dos alunos que

Leia mais

Unidade didática de Basquetebol Objetivos gerais do Basquetebol

Unidade didática de Basquetebol Objetivos gerais do Basquetebol Livro do Professor 117 Unidade didática de Basquetebol Objetivos gerais do Basquetebol Cooperar com os companheiros no objetivo do Basquebol, desempenhando com oportunidade e correção as ações solicitadas

Leia mais

Aula Teórica. Prof. Cláudio Gomes

Aula Teórica. Prof. Cláudio Gomes Aula Teórica História do Basquetebol Em 1891, o director da secção de Educação Física do Springfield College (USA), pediu o Professor James Naismith para criar um actividade que satisfizesse o interesse

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO PROVA 26 / 2017 (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova

Leia mais

Referenciais de FORMAÇÃO

Referenciais de FORMAÇÃO Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO HÓQUEI PATINS Grau II Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO HÓQUEI PATINS Grau II Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação

Leia mais

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Modelo Dep-01 Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Ano: 5º ano Ano letivo: 201.201 Disciplina: Educação Física Turmas: A, B, C, D, E, F, G,

Leia mais

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas

Fase Preparatória Objectivos Operacionais Estratégias / Organização Objectivos comportamentais / Componentes críticas Professor: Rui Morcela Ano Lectivo: 2009/10 Ano: 8º Turma: A Nº Alunos: 20 Aula Nº: 11 e 12 Aula U.D. Nº: 7 e 8 de 10 Instalações: Pavilhão Data: 13-10-2009 Hora: 10h15min Duração: 75 minutos Unidade Didáctica:

Leia mais

Planificação Anual PAFD 10º D Ano Letivo Plano de Turma Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva

Planificação Anual PAFD 10º D Ano Letivo Plano de Turma Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Calendarização Objetivos Conteúdos Avaliação PRÁTICAS DE ATIVIDADES FÍSICAS E DESPORTIVAS Módulo: Fisiologia do Esforço 1º, 2º e 3º períodos 1. Reconhecer o papel da fisiologia do esforço quando aplicada

Leia mais

UNIDADE DIDÁCTICA DE FUTSAL

UNIDADE DIDÁCTICA DE FUTSAL ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS MARQUÊS DE POMBAL EDUCAÇÃO FÍSICA UNIDADE DIDÁCTICA DE FUTSAL DOCUMENTO DE APOIO 7º ANO BREVE HISTÓRIA DA MODALIDADE O Futsal surge no final do século XX, na década de 90,

Leia mais

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Nível 2 Tag-Rugby e Bitoque

2012 / Programa Nestum Rugby nas Escolas. Nível 2 Tag-Rugby e Bitoque 2012 / 2013 Programa Nestum Rugby nas Escolas Nível 2 Tag-Rugby e Bitoque Introdução O que é o TAG RUGBY? O Tag Rugby é usado como uma alternativa de ensino do rugby de XV nas escolas, ou como um jogo

Leia mais

Escola Secundária Dr. João Araújo Correia

Escola Secundária Dr. João Araújo Correia Escola Secundária Dr. João Araújo Correia CONTEÚDOS E CARGAS PARA O ESINO SECUNDÁRIO NO ANO LECTIVO 2015-2016 Considerando: - O Programa de Educação Física; - O documento de apoio elaborado por Docentes

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA ANO LETIVO 2016/2017

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA ANO LETIVO 2016/2017 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE EDUCAÇÃO FÍSICA ANO LETIVO 2016/2017 CÓDIGO DA PROVA: 311 MODALIDADE DA PROVA: PRÁTICA E ESCRITA DURAÇÃO DA PROVA: 90 minutos + 90 minutos 1. OBJETO DE

Leia mais

UMA REFLEXÃO CENTRADA NA APRENDIZAGEM NO JOGO DE BASQUETEBOL António Paulo Ferreira Faculdade de Motricidade Humana; Lisboa

UMA REFLEXÃO CENTRADA NA APRENDIZAGEM NO JOGO DE BASQUETEBOL António Paulo Ferreira Faculdade de Motricidade Humana; Lisboa UMA REFLEXÃO CENTRADA NA APRENDIZAGEM NO JOGO DE BASQUETEBOL António Paulo Ferreira Faculdade de Motricidade Humana; Lisboa Introdução Qualquer reflexão efectuada sobre o ensino do jogo de basquetebol,

Leia mais

CONTEÚDOS ANO DE ESCOLARIDADE 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º

CONTEÚDOS ANO DE ESCOLARIDADE 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º PROGRAMÁTICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2016-17 Capacidades Condicionais e Coordenativas Gerais Resistência Geral; Força Resistente; Força Rápida; Força Rápida; Velocidade de Reação Simples e Complexa; Velocidade

Leia mais

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES:

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: 1. Activação geral 2. Técnica Individual 3. Acções Colectivas Elementares

Leia mais

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias

Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Modelo Dep-01 Agrupamento de Escolas do Castêlo da Maia Planificação Anual Departamento Expressões e Tecnologias Ano: 6º ano Ano letivo: 201.2014 Disciplina: Educação Física Turmas: A, B, C, D, E, F, G,

Leia mais

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Basquetebol

Versão Referenciais de FORMAÇÃO. Basquetebol Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO Basquetebol Grau III Referenciais de FORMAÇÃO Basquetebol Grau III Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação Portuguesa de

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA Carlos Sacadura Outubro de 2011 Possibilitar a todas as crianças do nosso distrito a oportunidade de praticar futebol como um desporto de recreação, tempo livre e formação;

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PLANIFICAÇÃO DO 10ºANO COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS ANO LETIVO

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PLANIFICAÇÃO DO 10ºANO COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS ANO LETIVO COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS AULAS PREVISTAS Cooperar com os companheiros para o alcance do objetivo dos Jogos Desportivos Coletivos, realizando com oportunidade e correção as ações técnico-táticas elementares

Leia mais

ESCOLA: Escola Básica 2,3 D. Miguel de Almeida DISCIPLINA: Educação Física ANO: 6.º ANO LETIVO 2013/2014

ESCOLA: Escola Básica 2,3 D. Miguel de Almeida DISCIPLINA: Educação Física ANO: 6.º ANO LETIVO 2013/2014 ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Nº de Abrantes ESCOLA: Escola Básica, D. Miguel de Almeida DISCIPLINA: Educação Física ANO:.º ANO LETIVO 0/0 METAS DE APRENDIZAGEM: Domínio da Aptidão Física (EDF00);

Leia mais

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-a/2017, de 10 de fevereiro

INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-a/2017, de 10 de fevereiro INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-a/2017, de 10 de fevereiro Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA Código: 26 Tipo de Prova: ESCRITA E PRÁTICA O presente

Leia mais

Exercício de treino Mais do que uma repetição uma oportunidade para inovar!

Exercício de treino Mais do que uma repetição uma oportunidade para inovar! Exercício de treino Mais do que uma repetição uma oportunidade para inovar! Bruno Travassos 1 & Duarte Araújo 2 1 Universidade da Beira Interior / Faculdade Motricidade Humana - UTL 2 Faculdade Motricidade

Leia mais

PRINCIPIOS BÁSICOS DA CONSTRUÇÃO DE UMA DEFESA INDIVIDUAL PRESSIONANTE TODO O CAMPO

PRINCIPIOS BÁSICOS DA CONSTRUÇÃO DE UMA DEFESA INDIVIDUAL PRESSIONANTE TODO O CAMPO PRINCIPIOS BÁSICOS DA CONSTRUÇÃO DE UMA TODO O CAMPO (O MODELO ADOPTADO NAS SELECÇÕES NACIONAIS DE SUB 16 E 20 FEM. E NO C.N.T CALVÃO) RICARDO VASCONCELOS EUGÉNIO RODRIGUES Clinic Campeonatos Nacionais

Leia mais

!" # $ $ ( (* $ ( (+. %, $ ( (+ 1º ÁRBITRO 2º ÁRBITRO ZONA DE DEFESA DEFESA ATAQUE ATAQUE ZONA DE SUBSTITUIÇÃO BANCO SUPLENTES

! # $ $ ( (* $ ( (+. %, $ ( (+ 1º ÁRBITRO 2º ÁRBITRO ZONA DE DEFESA DEFESA ATAQUE ATAQUE ZONA DE SUBSTITUIÇÃO BANCO SUPLENTES º ÁRBITRO 9 metros ZONA DE DEFESA 3 metros 3 metros ZONA DE ATAQUE ZONA DE ATAQUE metros ZONA DE DEFESA ZONA DE SERVIÇO ZONA DE SERVIÇO metros ZONA DE SUBSTITUIÇÃO 2º ÁRBITRO BANCO SUPLENTES ZONA DE AQUECIMENTO

Leia mais

ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO

ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO INFORMAÇÃO-Prova de Equivalência à Frequência 3º Ciclo do Ensino Básico Despacho Normativo nº 1-G/2016, de 6 de abril Disciplina: EDUCAÇÃO FÍSICA Código: 26 Tipo de Prova: ESCRITA E PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

O basquetebol actual não tem segredos e é cada vez mais simples.

O basquetebol actual não tem segredos e é cada vez mais simples. INTRODUÇÂO: O basquetebol actual não tem segredos e é cada vez mais simples. Sistemas ofensivos baseados na aplicação dos conceitos elementares e fundamentos técnicos As equipas jogam no ataque quase todos

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA FUTSAL 1 SITUAÇÕES ESPECIAIS 1.1 PONTAPÉ DE SAÍDA 1.2 GUARDA-REDES 1.3 REPOSIÇÃO DA BOLA EM JOGO

EDUCAÇÃO FÍSICA FUTSAL 1 SITUAÇÕES ESPECIAIS 1.1 PONTAPÉ DE SAÍDA 1.2 GUARDA-REDES 1.3 REPOSIÇÃO DA BOLA EM JOGO EDUCAÇÃO FÍSICA FUTSAL O Futsal é um jogo desportivo colectivo praticado por duas equipas (cada equipa tem: 5 jogadores em campo e 7 suplentes), cujo objectivo é introduzir a bola na baliza adversária

Leia mais

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LECTIVO 2015/2016 DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA:EDUCAÇÃO FÍSICA 8º ANO COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LECTIVO 2015/2016 DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA:EDUCAÇÃO FÍSICA 8º ANO COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA:EDUCAÇÃO FÍSICA 8º ANO COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS 2º PERÍODO Competências a desenvolver Conteúdos Aulas previstas Cooperar com os companheiros para o alcance do objectivo

Leia mais

Versão Referenciais de FORMAÇÃO BADMINTON

Versão Referenciais de FORMAÇÃO BADMINTON Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO BADMINTON Grau II Versão 1.00 Referenciais de FORMAÇÃO BADMINTON Grau II Edição: Conteúdos: Data: Instituto Português do Desporto e Juventude, I.P. Federação de Portuguesa

Leia mais