ESCOLA SECUNDÁRIA DE ANADIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESCOLA SECUNDÁRIA DE ANADIA"

Transcrição

1 ESCOLA SECUNDÁRIA DE ANADIA Bateria de Exercícios Andebol NÚCLEO DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

2 ANDEBOL BATERIA DE EXERCÍCIOS Este documento pretende acima de tudo fornecer ao professor uma quantidade considerável de situações de aprendizagem para a modalidade. Os exercícios que a seguir apresentamos constituem progressões de aprendizagem para os diversos elementos, cabendo ao professor a tarefa de escolher/adaptar os exercícios correspondentes ao nível de desempenho dos seus alunos. 1. PEGA DA BOLA Exercício 1: Descrição: O aluno atira a bola ao ar, e executa a recepção da mesma através de uma pega correcta. Material: Cada aluno com uma bola. Objectivo: Exercitação da pega da bola. Critério de êxito: Executar correctamente a pega da bola. Variante: Igual ao anterior mas em corrida 2. PASSE E RECEPÇÃO Exercício 2: Material: Uma bola para cada dois alunos. Descrição: Dois alunos a uma distância de seis metros passam a bola entre si. Objectivo: Introdução à técnica do passe. Critérios de êxito: O aluno realizam o passe, segundo o correcto padrão de execução. X o X Bateria de Exercícios de Voleibol 2

3 Exercício 3: Material: Uma bola para cada dois alunos. Descrição: Dois alunos a uma distância de 6 metros passam a bola entre si, em deslocamento. Objectivo: Exercitar o passe de ombro e passe picado em deslocamento. Critérios de êxito: Utilizar o braço direito e braço esquerdo, armar o cotovelo e dirigir a bola no sentido da corrida do colega. Xo X Exercício 4: Material: Duas bolas para cada 3 alunos. Descrição: Grupos de 3 alunos em linha, em que o aluno que está no meio executa passes sucessivos para os dois lados. Objectivo: Exercitar o passe em deslocamento Xo X ox Critérios de êxito: Exercitar o passe em deslocamento, tendo em conta todas as componentes críticas do passe. Exercício 5: Material: Duas bolas para cada 8 alunos Descrição: Grupos de 2 alunos, organizados em colunas formando um losango, realizando um deslocamento de retorno para a mesma fila Objectivo: Exercitar o passe em deslocamento. Critérios de êxito: Exercitar o passe em deslocamento, tendo em conta todas as componentes críticas do passe e respeitar as componentes dos deslocamentos Variante: Posteriormente com um e dois defensores, perturbando o passe; utilizando mais que uma bola. Bateria de Exercícios de Voleibol 3

4 Exercício 6: Material: Duas bolas para cada 8 alunos Descrição: Grupos de 2 alunos, organizados em colunas formando um losango, realizando um deslocamento para a fila do lado direito Objectivo: Exercitar o passe em deslocamento. Critérios de êxito: Exercitar o passe em deslocamento, tendo em conta todas as componentes críticas do passe e respeitar as componentes dos deslocamentos Variante: Posteriormente com um e dois defensores, perturbando o passe; utilizando mais que uma bola. Bateria de Exercícios de Voleibol 4

5 Exercício 7: Material: Duas bolas para cada 8 alunos Descrição: Grupos de 2 alunos, organizados em colunas formando um losango, realizando um deslocamento para a fila que está em frente. Objectivo: Exercitar o passe em deslocamento. Critérios de êxito: Exercitar o passe em deslocamento, tendo em conta todas as componentes críticas do passe e respeitar as componentes dos deslocamentos Variante: Posteriormente com um e dois defensores, perturbando o passe; utilizando mais que uma bola. 3. DRIBLE COM BOLA Exercício 8: Material: Uma bola para cada aluno. Descrição: Cada aluno tem de driblar a bola até ao colega colocado à sua frente, sempre com a cabeça levantada. Objectivo: Aperfeiçoar e consolidar a técnica de drible com bola. X X X Xo X X X X Critérios de êxito: críticas. Todas as componentes Bateria de Exercícios de Voleibol 5

6 Exercício 9: Material: uma bola para cada aluno. Descrição: um de cada vez, dribla a bola, contornando o cone de sinalização e regressando à posição de partida. Objectivo: Aperfeiçoar e consolidar a técnica de drible com bola. X Xo Critérios de êxito: Driblar a bola, sem olhar para esta, fazendo posteriormente o passe ao colega, respeitando as componentes críticas dos gestos Exercício 10: Material: uma bola para cada aluno. Descrição: um de cada vez, dribla a bola, contornando os cones de sinalização e regressando à posição de partida, pelo lado direito Xo Xo Objectivo: Aperfeiçoamento do drible realizando mudanças de direcção. Critérios de êxito: Contornar os pinos, através de mudanças de direcção em drible. 4. REMATE Exercício 11: Material: Grupos de 3 ou 4 com uma bola Descrição: Grupos de 4 alunos, organizados em colunas à frente de uma parede. O primeiro da fila remata contra a parede e corre para o final da fila. O segundo da fila deixa a bola ressaltar no chão, agarrando-a depois e realizando o remate parado. Objectivo: Exercitar o remate Critérios de êxito: Respeitando as componentes críticas do remate, realiza-o com força suficiente para a bola ressaltar Bateria de Exercícios de Voleibol 6

7 Exercício 12: Material: Duas filas, os alunos de uma das filas tem bolas a outra não Descrição: Uma das filas encontra-se numa posição central, enquanto a outra fila encontra lateralmente. Ambas as filas estão direccionadas par a parede. Objectivo: Exercitar o remate parado e em suspensão Critérios de êxito: Respeitando as componentes críticas do remate Variantes: Remate das diferentes posições atacantes de primeira linha e de segunda linha. Bateria de Exercícios de Voleibol 7

8 A sucessão de quadros que passamos apresentar apresentam diferentes estruturas de exercícios utilizados com grupos de alunos diversificados que servem para abordar os diferentes gestos técnicos em situações de vantagem confronto: S.V.C.: 2x0 recepção e remate em suspensão, em zona central S.V.C.: 2x0 recepção e remate em suspensão, numa zona lateral S.V.C.: 3x0 recepção e remate em suspensão, em zona central S.V.C.: 3x0 recepção e remate em suspensão, numa zona lateral Bateria de Exercícios de Voleibol 8

9 S.V.C.: 3x0 suspensão, numa zona lateral S.V.C.: 4x0 suspensão, numa zona lateral S.V.C.: 4x0 suspensão, numa zona lateral S.V.C.: 4x0 suspensão, numa zona lateral Bateria de Exercícios de Voleibol 9

10 S.V.C.: 2x2 recepção e remate, com oposição S.V.C.: 3x2 suspensão, com oposição S.V.C.: 3x3 suspensão, com oposição, S.V.C.: 3x4 suspensão, em inferioridade numérica Bateria de Exercícios de Voleibol 10

11 BIBLIOGRAFIA Oliveira, Fernando J. (1995). Ensinar o Andebol, Porto: Campo das Letras Editores Barata, João; Coelho, Olímpio (1998), Hoje há Educação Física, Texto Editora. Batista, Paula (1997/98), Sebenta de Didáctica do 3º ano da FCDEF-UC Graça, Amândio; Oliveira, José (1995), O Ensino dos Jogos Desportivos Colectivos, FCDEF-UP. Programas de Educação Física do 7º,8º e 9º Anos de Escolaridade do Ensino Básico. Bateria de Exercícios de Voleibol 11

Jogos Lúdicos como Aquecimento na Aula de Ed. Física

Jogos Lúdicos como Aquecimento na Aula de Ed. Física JOGOS LÚDICOS PARA AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 5.1. JOGOS LÚDICOS SEM BOLA GAVIÃO Andebol, Futebol, Corfebol, Rugby. Aquecimento Não Específico: Atletismo, Ginástica, Voleibol. Material: 4 Cones, para delinear

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 10ª Classe

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 10ª Classe PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 10ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Formação Geral Ficha Técnica Título Programa de Educação Física - 10ª Classe Formação de Professores do 1º

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO: 2013/2014

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO: 2013/2014 INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ANO LETIVO: 2013/2014 ENSINO BÁSICO 6º ANO DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA CÓDIGO 28 MODALIDADE PROVA ESCRITA E PROVA PRÁTICA INTRODUÇÃO: O presente documento

Leia mais

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL CONSELHO DE ARBITRAGEM CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 Tomar, 5 de Agosto de 2007 ÉPOCA 2007/2008

Leia mais

Curso de Educação e Formação

Curso de Educação e Formação Curso de Educação e Formação Curso de Tipo 3 - - Ano letivo 2014/2015 1. Introdução A disciplina de desempenha hoje um papel fundamental no desenvolvimento da criança e do jovem, já que se mantém no currículo

Leia mais

Andebol 2. . Anna Volossovitch. O ensino do Jogo dos 11 aos 14 anos. Miguel Ribeiro. autores. Um corpo de Conhecimentos

Andebol 2. . Anna Volossovitch. O ensino do Jogo dos 11 aos 14 anos. Miguel Ribeiro. autores. Um corpo de Conhecimentos Andebol 2 O ensino do Jogo dos 11 aos 14 anos autores Miguel Ribeiro. Anna Volossovitch Um corpo de Conhecimentos UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA 3 FACULDADE DE MOTRICIDADE

Leia mais

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida no parágrafo anterior e do programa de disciplina.

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida no parágrafo anterior e do programa de disciplina. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO FÍSICA 1ª e 2ª Fase Prova 26 2015 9ºAno/3.º Ciclo do Ensino Básico Prova Escrita/Prática 1. Introdução O presente documento visa

Leia mais

CONSELHO DE ARBITRAGEM

CONSELHO DE ARBITRAGEM CONSELHO DE ARBITRAGEM Avaliação Época 2014/2015 Setúbal, 20 de Setembro de 2014 Observadores Distritais TESTE ESCRITO (a) 1. Identifique o comportamento e sinalética que estão estabelecidos numa situação

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 7º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 7º ANO PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 7º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO 7º ANO METAS ATIVIDADES DESPORTIVAS O aluno cumpre o nível INTRODUÇÃO de cinco matérias diferentes distribuídas da seguinte

Leia mais

Corrida de Barreiras. José Carvalho. Federação Portuguesa de Atletismo

Corrida de Barreiras. José Carvalho. Federação Portuguesa de Atletismo Corrida de Barreiras José Carvalho F P A Federação Portuguesa de Atletismo CORRIDAS DE BARREIRAS José Carvalho Objectivo Ser capaz de realizar uma corrida com barreiras - ritmada em velocidade máxima.

Leia mais

ACÇÃO INTERMÉDIA DE AVALIAÇÃO E REFLEXÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS

ACÇÃO INTERMÉDIA DE AVALIAÇÃO E REFLEXÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL CONSELHO DE ARBITRAGEM ACÇÃO INTERMÉDIA DE AVALIAÇÃO E REFLEXÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 Leiria, 20 de Janeiro de 2007 ÉPOCA 2006/2007 TESTE ESCRITO

Leia mais

FITNESSGRAM. O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde.

FITNESSGRAM. O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde. Professora de Educação Física HelenaMiranda FITNESSGRAM O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde. Todos os elementos incluídos no Fitnessgram foram

Leia mais

Catálogo. Linha 25 Linha 30 Linha 42 Suprema. Visite nosso website: www.alsev.com.br

Catálogo. Linha 25 Linha 30 Linha 42 Suprema. Visite nosso website: www.alsev.com.br Catálogo 2 Linha 25 Linha 30 Linha 42 Suprema Janelas e Portas de Correr Linha 25 Z-115 0,634 Kg/m P-157 1,355 Kg/m P-254 1,323 Kg/m Janelas e Portas de Correr Linha 25 Desenvolvido por WLD E-186 1,043

Leia mais

Bitoque Râguebi. Criação do Bitoque Râguebi. História

Bitoque Râguebi. Criação do Bitoque Râguebi. História Bitoque Râguebi História A lenda da criação do râguebi teve início por William Webb Ellis, um estudante de Londres. Foi dito que, durante uma partida de futebol em Novembro de 1823 na Rugby School, o tal

Leia mais

AEC Atividade Física e Desportiva. Orientações pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC Atividade Física e Desportiva. Orientações pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO 2014/2015 AEC Atividade Física e Desportiva Orientações pedagógicas 1.º Ciclo do Ensino Básico A proposta de trabalho que se segue resulta de uma adaptação

Leia mais

O Rugby na Escola. Acção de Formação Maia Saudável Junho 2009. Francisco Carvalho - "Maia Saudável" - 2009

O Rugby na Escola. Acção de Formação Maia Saudável Junho 2009. Francisco Carvalho - Maia Saudável - 2009 O Rugby na Escola Acção de Formação Maia Saudável Junho 2009 História do Jogo O rugby teve origem em Inglaterra quando um estudante, Web Wellis do Colégio de Rugby, durante um jogo de futebol, segurou

Leia mais

Os norte-americanos distinguem sit-ups e crunches (ver as figuras abaixo). Nós vamos chamar-lhe apenas abdominais tradicionais.

Os norte-americanos distinguem sit-ups e crunches (ver as figuras abaixo). Nós vamos chamar-lhe apenas abdominais tradicionais. Sit-Up e Crunch (ABDOMINAIS TRADICIONAIS) nunca mais. Por: António Guerra Em grande parte, este artigo apoia-se num artigo de Anthony Renna, que tem um ginásio em Nova Iorque Five Iron Fitness e é um preparador

Leia mais

Gestos Técnicos e Exercícios. de Mini-Volei

Gestos Técnicos e Exercícios. de Mini-Volei Gestos Técnicos e Exercícios de Mini-Volei Extraído de: La grammatica del gioco della pallavolo M. Gori S.S.S. & Il manuale della pallavolo G. Volpicella Idea Libri (Tradução: Miguel Margalho) Exercícios

Leia mais

Basquetebol A transição defesa-ataque nos escalões de sub-14 e sub-16: como fazer e como construir

Basquetebol A transição defesa-ataque nos escalões de sub-14 e sub-16: como fazer e como construir Basquetebol A transição defesa-ataque nos escalões de sub-14 e sub-16: como fazer e como construir Helder Silva Considerações gerais Índice Proposta de ensino do tema Transição Defesa Ataque O que é?,

Leia mais

Plano de Exercícios Para Segunda-Feira

Plano de Exercícios Para Segunda-Feira Plano de Exercícios Para Segunda-Feira ALONGAMENTO DA MUSCULATURA LATERAL DO PESCOÇO - Inclinar a cabeça ao máximo para a esquerda, alongando a mão direita para o solo - Alongar 20 segundos, em seguida

Leia mais

Treino da Velocidade dos Jovens no Voleibol Exercícios para o Desenvolvimento do Tempo de Reacção Complexo e da Velocidade de Execução

Treino da Velocidade dos Jovens no Voleibol Exercícios para o Desenvolvimento do Tempo de Reacção Complexo e da Velocidade de Execução Treino da Velocidade dos Jovens no Voleibol Exercícios para o Desenvolvimento do Tempo de Reacção Complexo e da Velocidade de Execução (1) UTAD Portugal Francisco Gonçalves (1;2) ; Ágata Aranha (1;2) (2)

Leia mais

Previsão de Hospedagem Por Dia

Previsão de Hospedagem Por Dia Chegada - 1º dia 28/out Comis. Organizad. 1 2 0 0 2 2 28/out 2º dia Comis. Organizad. 1 2 0 0 2 29/out Chegada - 1º dia Comis. Organizad. 2 6 0 0 6 8 29/out 3º dia Comis. Organizad. 1 2 0 0 2 2º dia 30/out

Leia mais

O que medir? Parâmetros de medição pelo Bioswim. É possível cronometrar o tempo de nado. O principal problema seria a detecção de partida.

O que medir? Parâmetros de medição pelo Bioswim. É possível cronometrar o tempo de nado. O principal problema seria a detecção de partida. BIOSWIM O que medir? Parâmetros de medição pelo Bioswim Parâmetros do desempenho Tempo de Nado É possível cronometrar o tempo de nado. O principal problema seria a detecção de partida. Número de piscinas

Leia mais

Elenco modular e critérios de avaliação dos cursos vocacionais

Elenco modular e critérios de avaliação dos cursos vocacionais AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCOCHETE Elenco modular e critérios de avaliação dos cursos vocacionais 3º Ciclo e secundário Grupo disciplinar de Educação Física Ano Lectivo 2015/2016 Documento elaborado pelo

Leia mais

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011 Plano [1] Guia de Acesso à Formação Online 2011 [2] ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Metodologia Formativa...4 3. Actividades...4 4. Apoio e Acompanhamento do Curso...5 5. Avaliação...6 6. Apresentação

Leia mais

Cartões de recurso pedagógico

Cartões de recurso pedagógico Cartões de recurso pedagógico Aplicação em Jogos 1. Pontaria - Acerte o Alvo 2. Pontaria - Acertar o alvo 3. Movimentação - Arranca fita 4. Revezamento - Estafetas 5. Lançamento e recepção - Rolando a

Leia mais

Livro de Exercícios de Ginástica Artística / Play GYM para o Desporto Escolar

Livro de Exercícios de Ginástica Artística / Play GYM para o Desporto Escolar Livro de Exercícios de Ginástica Artística / Play GYM para o Desporto Escolar Documento de Apoio a Professores Responsáveis por Grupo/Equipa de Ginástica Artística Janeiro 2008 Livro de Exercícios de Ginástica

Leia mais

APOSTILA 2015 EDUCAÇÃO FÍSICA PROFESSOR: BRUNO. EDUCAÇÃO FÍSICA ENSINO MÉDIO 2º ANO - 2015 Página 1

APOSTILA 2015 EDUCAÇÃO FÍSICA PROFESSOR: BRUNO. EDUCAÇÃO FÍSICA ENSINO MÉDIO 2º ANO - 2015 Página 1 APOSTILA 2015 EDUCAÇÃO FÍSICA PROFESSOR: BRUNO EDUCAÇÃO FÍSICA ENSINO MÉDIO 2º ANO - 2015 Página 1 Sumário TEORIA E PRÁTICA DO VOLEIBOL...6 HISTÓRIA DO VOLEI...6 CARACTERÍSTICAS DO JOGO:...6 ÁREA DE JOGO...7

Leia mais

Como acontece em vários esportes, há divergências no que se refere à história de origem do futsal. Alguns acreditam que o mesmo tenha se originado na

Como acontece em vários esportes, há divergências no que se refere à história de origem do futsal. Alguns acreditam que o mesmo tenha se originado na FUTSAL O futebol de salão conhecido apenas como futsal é uma prática adaptada do futebol. Em uma quadra esportiva são formados times de cinco jogadores e assim como no futebol, o principal objetivo é colocar

Leia mais

TAG RUGBY NA ESCOLA DOSSIERDO PROFESSOR

TAG RUGBY NA ESCOLA DOSSIERDO PROFESSOR TAG RUGBY NA ESCOLA DOSSIERDO PROFESSOR APOIO PRODUÇÃO www.fpr.pt ÍNDICE > TAG RUGBY: O MODELO DE INICIAÇÃO NAS ESCOLAS PORTUGUESAS 02 > O QUE É O TAG RUGBY? 03 > KIT TAG RUGBY 04 > O CINTO TAG 04 > VALORES

Leia mais

FUTSAL CONTEXTO HISTÓRICO DO FUTSAL

FUTSAL CONTEXTO HISTÓRICO DO FUTSAL FUTSAL CONTEXTO HISTÓRICO DO FUTSAL Brasileiro ou uruguaio? É com esta dúvida que se começa a explicar o nascimento do futsal, que surgiu com o nome de futebol de salão e em 1989, quando passou para a

Leia mais

Curso: Ensino Fundamental II Disciplina: MATEMÁTICA Professor: Álvaro / Leandro

Curso: Ensino Fundamental II Disciplina: MATEMÁTICA Professor: Álvaro / Leandro Nome do aluno: nº série/turma 9 Curso: Ensino Fundamental II Disciplina: MATEMÁTICA Professor: Álvaro / Leandro Data: De 17 a 21/08/2009 Bimestre: 3º Tipo de atividade: Lista de Exercícios A REFLEXÃO DA

Leia mais

«Coaching ABM» Gabinete Técnico 05/06 Cadetes

«Coaching ABM» Gabinete Técnico 05/06 Cadetes Gabinete Técnico 0/06 Cadetes Gabinete Técnico 0/06 Cadetes Gabinete Técnico 0/06 Cadetes «Coaching ABM» GABINETE TÉCNICO DA ABM João Paulo Silva (Juca) Carlos Sousa - Quando se viaja em direcção a um

Leia mais

Movimentação de Campo

Movimentação de Campo Movimentação de Campo Introdução Este tema tem relevante importância para a evolução dos nossos atletas, pois se estes não automatizarem os seus deslocamentos dentro do campo dificilmente atingiram elevadas

Leia mais

Escola E.B. 2/3 dos Olivais

Escola E.B. 2/3 dos Olivais Escola E.B. 2/3 dos Olivais Esta planificação foi concebida como um instrumento necessário. Os objectivos da Educação Física no ensino básico bem como os princípios de organização das actividades nas aulas,

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE CANOAGEM Manual de Defesa e Ataque de Kayak-Polo

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE CANOAGEM Manual de Defesa e Ataque de Kayak-Polo Indice DEFESA... 4 Defesa à Zona... 4 Defesa 2-2-1... 5 Defesa 2-2-1 com dois caçadores/perseguidores... 6 Defesa 1-3-1... 6 Movimentos Típicos... 7 Pontos Essenciais da Defesa à zona... 9 1 Manter a posição...

Leia mais

Relaxar a musculatura dos braços. Entrelace os dedos de ambas as mãos com suas palmas para cima e levante os braços por 10 segundos.

Relaxar a musculatura dos braços. Entrelace os dedos de ambas as mãos com suas palmas para cima e levante os braços por 10 segundos. por Christian Haensell A flexibilidade do corpo e das juntas é controlada por vários fatores: estrutura óssea, massa muscular, tendões, ligamentos, e patologias (deformações, artroses, artrites, acidentes,

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGO PÚBLICO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SERTANEJA, PARANÁ

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGO PÚBLICO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SERTANEJA, PARANÁ CADERNO DE PROVA PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA N.º DE INSCRIÇÃO DO(A) CANDIDATO(A) Domingo, 18 de janeiro de 2015. 1 6 11 16 21 2 7 12 17 22 3 8 13 18 23 4 9 14 19 24 5 10 15 20 25 ANTES DE INICIAR A PROVA,

Leia mais

Badminton. História. Regulamento da modalidade

Badminton. História. Regulamento da modalidade Badminton História As origens do Badminton deixam dúvidas nos historiadores, assim temos: China no ano 3500 a.c, Índia, na cidade de Poona, por volta do ano de 1800. Em 1862, o duque Beaufort organizou

Leia mais

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina.

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina. INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CARNAXIDE - 171487 EDUCAÇÃO FÍSICA PROVA 311 2014 12.º ANO DE ESCOLARIDADE 1. INTRODUÇÃO O presente documento divulga informação

Leia mais

DOR NAS COSTAS EXERCÍCIOS ESPECIALIZADOS PARA O TRATAMENTO DA DOR NAS COSTAS. www.doresnascostas.com.br. Página 1 / 10

DOR NAS COSTAS EXERCÍCIOS ESPECIALIZADOS PARA O TRATAMENTO DA DOR NAS COSTAS. www.doresnascostas.com.br. Página 1 / 10 DOR NAS COSTAS EXERCÍCIOS ESPECIALIZADOS PARA O TRATAMENTO DA DOR NAS COSTAS www.doresnascostas.com.br Página 1 / 10 CONHEÇA OS PRINCÍPIOS DO COLETE MUSCULAR ABDOMINAL Nos últimos anos os especialistas

Leia mais

Cartões de recurso pedagógico

Cartões de recurso pedagógico Cartões de recurso pedagógico Movimentações e habilidades 1. Movimentação - Sem bola 2. Adaptação à bola - Manipulação da bola 3. Movimentação - Com bola 4. Habilidades de lançamento - Rolamento 5. Habilidades

Leia mais

Catálogo de Perguntas e Repostas (IHF)

Catálogo de Perguntas e Repostas (IHF) Catálogo de Perguntas e Repostas (IHF) IHF CATÁLOGO DE PERGUNTAS SOBRE AS REGRAS DE JOGO BASEADO NO LIVRO DE REGRAS EDIÇÃO: 1º DE JULHO DE 2010 Muitas perguntas têm mais de uma resposta correta! 1. Que

Leia mais

Guia de Acesso à Formação Online Formando

Guia de Acesso à Formação Online Formando Guia de Acesso à Formação Online Formando Copyright 2008 CTOC / NOVABASE ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Metodologia Formativa...4 3. Actividades...5 4. Apoio e Acompanhamento do Curso...6 5. Avaliação...7

Leia mais

O sistema de Alarme deve ser instalado como na figura:

O sistema de Alarme deve ser instalado como na figura: !" #$ % Alarme Selm Características: Sistema de Alarme por detecção de Infravermelhos: Sirene Interior 100 db Até 6 Controlos Remotos e 7 detectores, nomeadamente incêndio, gás, intrusão e contacto magnético.

Leia mais

Simulação Losango. Valor de 500,00 ate 1.000,00 no carne na tabela de 14.99% para clientes novos e clientes que já possuem cadastro losango...

Simulação Losango. Valor de 500,00 ate 1.000,00 no carne na tabela de 14.99% para clientes novos e clientes que já possuem cadastro losango... Simulação Losango Índice Índice de simulação de credito pessoal Simulação no carne e cheque para cliente novos e clientes que já possuem cadastro na losango Valor de 500,00 ate 1.000,00 no carne na tabela

Leia mais

METODOLOGIA COMPARTILHAR DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL

METODOLOGIA COMPARTILHAR DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL METODOLOGIA COMPARTILHAR DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL 2012 Todo material didático-pedagógico contido neste documento é fruto da experiência de diversos profissionais, principalmente professores de educação

Leia mais

Relacionamento professor-aluno e os procedimentos de ensino

Relacionamento professor-aluno e os procedimentos de ensino Relacionamento professor-aluno e os procedimentos de ensino Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Relacionamento professor-aluno Professor:

Leia mais

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA

UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA UNIVERSIDADE DO PORTO GLOSSÁRIO DA ÁREA DA EDUCAÇÃO CONTÍNUA Acção de formação Módulo, curso, curso livre, curso multidisciplinar ou seminário realizado no âmbito da Educação Contínua ou da Aprendizagem

Leia mais

OS SINAIS DO ÁRBITRO. Entender o árbitro para entender o jogo. Tradução : Xavier Vouga & Pierre Paparemborde

OS SINAIS DO ÁRBITRO. Entender o árbitro para entender o jogo. Tradução : Xavier Vouga & Pierre Paparemborde OS SINAIS DO ÁRBITRO Entender o árbitro para entender o jogo. Tradução : Xavier Vouga & Pierre Paparemborde Os 49 sinais do árbitro têm como objetivo facilitar a comunicação com os jogadores e o público

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

EDUCAÇÃO FÍSICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Agrupamento de escolas de Santa Maria dos Olivais Escola Secundária António Damásio Escola Básica 2-3 dos Olivais GRUPO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 620 EDUCAÇÃO FÍSICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 3.º Ciclo e Ensino

Leia mais

Corrida com Barreiras

Corrida com Barreiras 1 Corrida com Barreiras Mário Paiva (*) e Sara Fernandes (**) Esta corrida de velocidade associa a aptidão de percorrer determinada distância o mais rápido possível à capacidade de transpor obstáculos

Leia mais

Global Training. The finest automotive learning

Global Training. The finest automotive learning Global Training. The finest automotive learning Cuidar da saúde com PREFÁCIO O Manual de Ergonomia para o Motorista que você tem em agora em mãos, é parte de um programa da Mercedes-Benz do Brasil para

Leia mais

NEW HOLLAND VX7090. Máquina de vindimar New Holland polivalente e de alto rendimento, para vinhas e olivais

NEW HOLLAND VX7090. Máquina de vindimar New Holland polivalente e de alto rendimento, para vinhas e olivais NEW HOLLAND VX7090 Máquina de vindimar New Holland polivalente e de alto rendimento, para vinhas e olivais A NEW HOLLAND E A TECNOLOGIA BRAUD: A EXCELÊNCIA EM VINHAS DE TODO O MUNDO DESDE HÁ MAIS DE 30

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE EXERCÍCIOS

PADRONIZAÇÃO DE EXERCÍCIOS LOMBAR EXTENSÃO DE TRONCO- Em decúbito ventral apoiado no banco romano ou no solo, pernas estendidas, mãos atrás da cabeça ou com os braços entrelaçados na frente do peito. Realizar uma flexão de tronco

Leia mais

AULAS TÉCNICAS DE CRAWL Musculatura Utilizada. Posição do Corpo e de Seus Segmentos. Posição do Corpo Erros Causas Correções

AULAS TÉCNICAS DE CRAWL Musculatura Utilizada. Posição do Corpo e de Seus Segmentos. Posição do Corpo Erros Causas Correções SUMÁRIO AULAS TÉCNICAS DE CRAWL... 3 Respiração Lateral... 6 Entrada de Mão... 8 Recuperação da Braçada de Crawl... 11 Puxada... 13 Deslize... 15 Posição do Pé para Execução da Pernada de Crawl... 17 Aceleração...

Leia mais

«Coaching ABM» Gabinete Técnico 05/06 Iniciados

«Coaching ABM» Gabinete Técnico 05/06 Iniciados Gabinete Técnico 0/06 Iniciados Gabinete Técnico 0/06 Iniciados Gabinete Técnico 0/06 Iniciados «Coaching ABM» GABINETE TÉCNICO DA ABM João Paulo Silva (Juca) Carlos Sousa "O valor das coisas não está

Leia mais

Qualidade de vida laboral

Qualidade de vida laboral Qualidade de vida laboral Qualidade de vida laboral INTRODUÇÃO: Prevenir doenças ocupacionais (DORT Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho / LER Lesões por Esforços Repetitivos) decorrentes

Leia mais

Instruções resumidas para acesso às parcelas do Módulo ComCerrado no Parque Estadual do Rio Preto

Instruções resumidas para acesso às parcelas do Módulo ComCerrado no Parque Estadual do Rio Preto Instruções resumidas para acesso às parcelas do Módulo ComCerrado no Parque Estadual do Rio Preto Elaborado por Fernando Pinho, Guilherme Ferreira, Izabela Barata e Lívia Dias Núcleo Biotrópicos/UFVJM

Leia mais

Critérios de Avaliação de Educação Física. Agrupamento de Escola de Caneças

Critérios de Avaliação de Educação Física. Agrupamento de Escola de Caneças Critérios de Avaliação de Educação Física Agrupamento de Escola de Caneças 2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO A avaliação dos alunos do 2º ciclo do ensino básico na disciplina de

Leia mais

DATA E LOCAL 16 e 17 de Maio Piscinas Municipais de Odivelas.

DATA E LOCAL 16 e 17 de Maio Piscinas Municipais de Odivelas. [Type text] [Type text] [Type text] FPN FESTIVAL ESTRELAS DO MAR 16 E 17 DE MAIO 2015 CADERNO DE ENCARGOS FESTIVAL DE ESTRELAS 1 REGULAMENTO ÂMBITO O presente regulamento aplica-se ao 10º Festival de Estrelas,

Leia mais

Grupo I... 70 Cada resposta certa...10 Grupo II...130 1...35 3...30 1.1...15 3.1...10 1.2...10 3.2...20 1.3...10 4...35 2...30 4.1...5 2.1...

Grupo I... 70 Cada resposta certa...10 Grupo II...130 1...35 3...30 1.1...15 3.1...10 1.2...10 3.2...20 1.3...10 4...35 2...30 4.1...5 2.1... Material necessário: Material de escrita. Máquina de calcular científica (não gráfica). A prova é constituída por dois grupos, I e II. O grupo I inclui 7 questões de escolha múltipla. Para cada uma delas,

Leia mais

Orientador da Faculdade (FMH) Mestre Acácio Gonçalves. Orientador da Escola (EBSGB) Mestre José Pedro Ribeiro. Estagiário.

Orientador da Faculdade (FMH) Mestre Acácio Gonçalves. Orientador da Escola (EBSGB) Mestre José Pedro Ribeiro. Estagiário. UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE GAMA BARROS PLANO DA SEGUNDA UNIDADE DE ENSINO DA 3ª ETAPA Orientador da Faculdade (FMH) Mestre Acácio Gonçalves

Leia mais

2014 / 2015 Lista de manuais escolares adotados

2014 / 2015 Lista de manuais escolares adotados Português 5º ano 978-972-0-20005-1 Inglês 5º ano 978-972-47-4870-2 História e Geografia de Portugal 5º ano 978-989-23-2651-1 Matemática 5º ano 978-972-680-950-0 Ciências da Natureza 5º ano 978-972-47-4867-2

Leia mais

ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 2. HISTÓRIA DA MODALIDADE 5 3. CARACTERIZAÇÃO DA MODALIDADE 7

ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 2. HISTÓRIA DA MODALIDADE 5 3. CARACTERIZAÇÃO DA MODALIDADE 7 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 2. HISTÓRIA DA MODALIDADE 5 3. CARACTERIZAÇÃO DA MODALIDADE 7 3.1. CAMPO DE JOGO 7 3.2. POSTES E CESTO 8 3.3. BOLA 8 3.4. JOGADORES 9 3.5. ÁRBITRO 9 3.6. CRONOMETRISTA 10 3.7. JUIZES

Leia mais

Conteúdo de prova 2ª etapa 6º ano Fundamental

Conteúdo de prova 2ª etapa 6º ano Fundamental Conteúdo de prova 2ª etapa 6º ano Fundamental Jogos Populares Os jogos populares buscam resgatar jogos culturais e tradicionais de várias regiões do mundo. Vários costumes e acontecimentos na antiguidade

Leia mais

4º par craneano - nervo troclear

4º par craneano - nervo troclear 4º par craneano - nervo troclear O 4º par craneano é responsável pela inervação do músculo oblíquo superior, tendo este como principal acção a infraducção do olho, principalmente quando este se encontra

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE O DESENVOLVIMENTO INFANTIL E A PRÁTICA DAS EDUCADORAS DA CRECHE. CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA DE HENRI WALLON

REFLEXÕES SOBRE O DESENVOLVIMENTO INFANTIL E A PRÁTICA DAS EDUCADORAS DA CRECHE. CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA DE HENRI WALLON REFLEXÕES SOBRE O DESENVOLVIMENTO INFANTIL E A PRÁTICA DAS EDUCADORAS DA CRECHE. CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA DE HENRI WALLON O tema desenvolvimento infantil foi um dos temas abordados no interior da pesquisa

Leia mais

Fundamentos do Treino de Jovens no Ténis: O Desenvolvimento Técnico

Fundamentos do Treino de Jovens no Ténis: O Desenvolvimento Técnico Fundamentos do Treino de Jovens no Ténis: O Desenvolvimento Técnico Pedro Felner 2012 Aspectos Decisivos para o Desenvolvimento de uma Técnica Eficiente FLUIDEZ NO MOVIMENTO Aproveitamento do Peso da Raquete:

Leia mais

FÍSICA ÓPTICA GEOMÉTRICA FÍSICA 1

FÍSICA ÓPTICA GEOMÉTRICA FÍSICA 1 2014_Física_2 ano FÍSICA Prof. Bruno ÓPTICA GEOMÉTRICA FÍSICA 1 1. (Uftm 2012) Uma câmara escura de orifício reproduz uma imagem de 10 cm de altura de uma árvore observada. Se reduzirmos em 15 m a distância

Leia mais

para a organização do jogo

para a organização do jogo Futebol: Referências para a organização do jogo 1 João do Nascimento Quina Futebol: Referências para a organização do jogo 59 João do Nascimento Quina Futebol: Referências para a organização do jogo SÉRIE

Leia mais

ESCOLA E.B 2,3 DA SEQUEIRA. Guarda

ESCOLA E.B 2,3 DA SEQUEIRA. Guarda ESCOLA E.B 2,3 DA SEQUEIRA Guarda DOCUMENTO ORIENTADOR PARA A PROVA GLOBAL Departamento de Educação Física Índice Geral Pág. I INTRODUÇÃO. 1 II UNIDADE DIDÁCTICA DE VOLEIBOL.. 2 2.1 Caracterização da modalidade..2

Leia mais

Nome: Turma : N.º. Grupo 1 (24 %) Basquetebol (Cada questão 3%)

Nome: Turma : N.º. Grupo 1 (24 %) Basquetebol (Cada questão 3%) Teste Escrito 1 Educação Física 3º CEB 1.º Período 2011/2012 Nome: Turma : N.º O Professor Encarregado de Educação Avaliação Lê atentamente as afirmações e as opções de resposta. De seguida, assinala na

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 1

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 1 EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 12.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto Programas novos e Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 635/11 Págs. Duração da prova: 150

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA DE ENSINO FUNDAMENTAL COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA DE ENSINO FUNDAMENTAL COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Copa do Mestre 2007 Raul de Jesus Lustosa Filho Prefeito Municipal de Palmas Danilo de Melo Souza Secretário Municipal da Educação e Cultura Zenóbio Cruz da Silva Arruda Júnior Chefe de Gabinete da Secretaria

Leia mais

APRESENTAÇÃO Quem pode participar? Como chegar ao evento? Quem organiza? O que é necessário para participar? Em que consiste a Feira da Saúde?

APRESENTAÇÃO Quem pode participar? Como chegar ao evento? Quem organiza? O que é necessário para participar? Em que consiste a Feira da Saúde? APRESENTAÇÃO 24horas de Desporto e Saúde, mais que um evento, UMA CAUSA SOCIAL desporto para todos em prol de uma vida longa e saudável. Começa dia 18 de Maio às 20h e tem como objectivos: Fazer a ponte

Leia mais

MANUAL DO TREINADOR NÍVEL I LANÇAMENTO DO PESO

MANUAL DO TREINADOR NÍVEL I LANÇAMENTO DO PESO LANÇAMENTO DO PESO REGRAS DO LANÇAMENTO DO PESO Local da Competição A prova do lançamento do peso disputa-se num local específico da pista de atletismo, que deverá ter um círculo de lançamentos com 2,135

Leia mais

Organização do treino de Badminton

Organização do treino de Badminton Organização do treino de Badminton Introdução O treino tem sempre uma variabilidade de factores enorme, qual o objectivo, a quem se destina, iniciação ou alto rendimento, qual a altura da época que nos

Leia mais

8º Festival de Estrelas

8º Festival de Estrelas 8º Festival de Estrelas REGULAMENTO ÂMBITO O presente regulamento aplica-se ao 8º Festival de Estrelas, actividade prevista no Programa de Desenvolvimento Desportivo (PDD) Estrelas-do-mar, a realizar nos

Leia mais

Serviço de Atendimento Online. Manual de ajuda para uma melhor utilização dos programas de apoio ao serviço de atendimento online: Skype

Serviço de Atendimento Online. Manual de ajuda para uma melhor utilização dos programas de apoio ao serviço de atendimento online: Skype Serviço de Atendimento Online Manual de ajuda para uma melhor utilização dos programas de apoio ao serviço de atendimento online: Skype ÍNDICE SKYPE Dicas de utilização... 3 1. O que é... 3 2. Requisitos

Leia mais

ÍNDICE Perguntas e respostas 2005 Leis do Jogo

ÍNDICE Perguntas e respostas 2005 Leis do Jogo ÍNDICE Perguntas e respostas 2005 Leis do Jogo Lei Respostas Página 1 O terreno de jogo 1. 7. 4 2 A bola 1. 3. 6 3 Número de jogadores 1. 29. 7 4 Equipamento dos jogadores 1. 11. 15 5 O árbitro 1. 15.

Leia mais

A linguagem corporal no mundo do trabalho

A linguagem corporal no mundo do trabalho TEMA DO TRABALHO: A linguagem corporal no mundo do trabalho NOME COMPLETO E LEGÍVEL: EMPRESA QUE TRABALHA: FAÇA UM X DIA E TURMA DA SUA SIMULTANEIDADE: 2ª feira ( ) 3ª feira ( ) 4ª feira ( ) 5ª feira (

Leia mais

Tarefas prescritas de levante, movimentação e transferência de doentes

Tarefas prescritas de levante, movimentação e transferência de doentes Tarefas prescritas de levante, movimentação e transferência de doentes Modo de proceder na preparação da tarefa com o doente (ACSS 2008; Alexandre & Rogante, 2000; Coelho, 2010; Elkin, Perry, & Potter,

Leia mais

Sumário. Guia do Aluno

Sumário. Guia do Aluno Sumário Guia do Aluno 1. Roteiro de estudo...3 2. Acessando seu ambiente acadêmico...5 3. Ferramentas...6 3.1 Avisos...6 3.2 Calendário...7 3.3 Tarefas...8 3.4 Informações pessoais...9 3.5 Minhas notas

Leia mais

ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA -CENTRO COMERCIAL

ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA -CENTRO COMERCIAL 2013 ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA -CENTRO COMERCIAL IAB ADMINISTRADORA DE BENS LTDA, CNPJ 08.111.520/0001 POMERODE/SC 03/10/2013 Dados do Projeto O projeto trata-se do empreendimento de um Centro Comercial

Leia mais

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual de Utilização Direcção dos Serviços de Economia do Governo da RAEM Novembro de 2014 SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual

Leia mais

CATÁLOGO 2014. Aquah Cisternas Verticais PLUVIAIS E POTÁVEIS

CATÁLOGO 2014. Aquah Cisternas Verticais PLUVIAIS E POTÁVEIS CATÁLOGO 2014 Aquah Cisternas Verticais PLUVIAIS E POTÁVEIS CISTERNAS VERTICAIS Nossa linha de Cisternas Verticais foi desenvolvida para se adaptar às mais diversas estruturas e, atráves de vasos comunicantes,

Leia mais

Arquivo. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2008/2009

Arquivo. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2008/2009 Arquivo Escola Secundaria de Paços de Ferreira Arquivo 2008/2009 Trabalho realizado por: Mafalda Neves 11ºS Discp: Técnicas de Secretariado Prof.: Adelina Silva Modulo 15 2 Índice Índice.3 Introdução..4

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA 02 COMPETÊNCIA 01/2012 CGSN 03 NÚMERO DO CNPJ 13.051.824/0001-32

MINISTÉRIO DA FAZENDA 02 COMPETÊNCIA 01/2012 CGSN 03 NÚMERO DO CNPJ 13.051.824/0001-32 MINISTÉRIO DA FAZENDA 02 COMPETÊNCIA 01/2012 DOCUMENTO DE ARRECADAÇÃO DO SIMPLES NACIONAL 04 DATA DE VENCIMENTO 12/03/2012 3,77 Número do Documento: 01.08.13206.0201095-9 08 VALOR TOTAL 48,29 85870000000-6

Leia mais

Prova Objetiva. Grupo: 03 Cargo: 17 PROFESSOR HABILITADO 5ª A 8ª SÉRIES EDUCAÇÃO FÍSICA. Leia atentamente as Instruções

Prova Objetiva. Grupo: 03 Cargo: 17 PROFESSOR HABILITADO 5ª A 8ª SÉRIES EDUCAÇÃO FÍSICA. Leia atentamente as Instruções PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DA BOA VISTA - PE CONCURSO PÚBLICO 2007 Prova Objetiva Grupo: 03 Cargo: 17 PROFESSOR HABILITADO 5ª A 8ª SÉRIES EDUCAÇÃO FÍSICA Nome do Candidato: Número do documento

Leia mais

CAPOTRASTE ou BRAÇADEIRA VOCÊ SABE COMO USAR?

CAPOTRASTE ou BRAÇADEIRA VOCÊ SABE COMO USAR? CAPOTRASTE ou BRAÇADEIRA VOCÊ SABE COMO USAR? MARCAS - FABRICANTES As Fotos mostram alguns modelos mais usados de Capotraste. Teoricamente o capotraste ou braçadeira, uma vez adaptado ao braço do violão,

Leia mais

6.1. História da Modalidade

6.1. História da Modalidade 6.1. História da Modalidade VI. Unidade Didáctica de Atletismo O Atletismo é a modalidade desportiva mais antiga que se conhece. A história do Atletismo, e o seu aparecimento, confunde-se com o da própria

Leia mais

O TREINO EM IMAGENS. por Sebastião Mota TREINO DA FORÇA COM CARGAS CURL DOS BÌCEPS FLEXÃO TRONCO À FRENTE (BONS DIAS)

O TREINO EM IMAGENS. por Sebastião Mota TREINO DA FORÇA COM CARGAS CURL DOS BÌCEPS FLEXÃO TRONCO À FRENTE (BONS DIAS) 1 O TREINO EM IMAGENS por Sebastião Mota TREINO DA FORÇA COM CARGAS SUPINO CURL DOS BÌCEPS FLEXÃO TRONCO À FRENTE (BONS DIAS) HIPER EXTENSÃO DORSO-LOMBAR COM CARGAS AGACHAMENTO ( COSTAS E Á FRENTE) 2 AGACHAMENTO

Leia mais

PONTOS ALTOS. Cinco maneiras de reduzir riscos nos sítios de construção. Para sítios de construções pequenos. Para pequenas empresas de construção

PONTOS ALTOS. Cinco maneiras de reduzir riscos nos sítios de construção. Para sítios de construções pequenos. Para pequenas empresas de construção OS 5 PONTOS ALTOS Cinco maneiras de reduzir riscos nos sítios de construção Para sítios de construções pequenos Para pequenas empresas de construção Para trabalhadores H S E Como Trabalhar Bem Juntos A

Leia mais

DIÂMETRO ÓSSEO. Prof.Moisés Mendes

DIÂMETRO ÓSSEO. Prof.Moisés Mendes DIÂMETRO ÓSSEO INTRODUÇÃO CONCEITO: É definido pela menor distância entre duas extremidades ósseas. FINALIDADES: São usadas para determinar a constituição física,para fins ergonômicos,para fins de assimetria

Leia mais

INTRODUÇÃO... 3 ACESSO AO SISTEMA BANCA VIRTUAL... 3 BANCA VIRTUAL PARA O AVALIADOR... 6 AVALIAÇÃO DE TRABALHOS...6 CONSIDERAÇÕES FINAIS...

INTRODUÇÃO... 3 ACESSO AO SISTEMA BANCA VIRTUAL... 3 BANCA VIRTUAL PARA O AVALIADOR... 6 AVALIAÇÃO DE TRABALHOS...6 CONSIDERAÇÕES FINAIS... SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 ACESSO AO SISTEMA BANCA VIRTUAL... 3 BANCA VIRTUAL PARA O AVALIADOR... 6 AVALIAÇÃO DE TRABALHOS...6 CONSIDERAÇÕES FINAIS... 9 2 INTRODUÇÃO O sistema Banca Virtual possibilita que

Leia mais

O treino invisível para aumento do rendimento desportivo

O treino invisível para aumento do rendimento desportivo O treino invisível para aumento do rendimento desportivo Carlos Sales, Fisioterapeuta Federação Portuguesa de Ciclismo Luís Pinho, Fisioterapeuta Federação Portuguesa de Ciclismo Ricardo Vidal, Fisioterapeuta

Leia mais

IMPACTOS Agudos / de Momento e Crónicos / Constantes.

IMPACTOS Agudos / de Momento e Crónicos / Constantes. Wash Scoring (Limpar a Pontuação) por Tom Tait (treinador de Voleibol dos EUA Penn State University e ex-adjunto das Selecções Sénior Masculinas; USA All-Time Great Coach Award) UM POUCO DE HISTÓRIA Em

Leia mais

REGRAS DE JOGO POOL (8) e (9)

REGRAS DE JOGO POOL (8) e (9) REGRAS DE JOGO POOL (8) e (9) Introdução 1. Elementos intervenientes 1. 1. Um delegado 1. 2. Um árbitro 1. 3. Dois Jogadores (Conforme a competição), equipados de acordo com o estipulado pelo Bilhar Clube

Leia mais

INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DA BAIRRADA

INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DA BAIRRADA INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DA BAIRRADA Proposta de regulamento da BIBLIOTECA escolar I - CONCEITO A Biblioteca Escolar é um núcleo de organização pedagógica da Escola e deve ser entendida como um centro

Leia mais