Projeto s. GESTÃO PMI News Ano 2 N 5 São Paulo Maio/Junho de 2004

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto s. GESTÃO PMI News Ano 2 N 5 São Paulo Maio/Junho de 2004"

Transcrição

1 W Projeto s GESTÃO PMI News Ano 2 N 5 São Paulo Maio/Junho de 2004 BS Gerenciamento Editorial Prezados colegas, Nesta 5.a edição da Gestão PMI News temos os artigos : - Engenharia Civil e Engenharia de Software: Porque é tão diferente fechar o escopo?, agregando considerações na comparação entre a Engenharia Civil e a Engenharia de Software. - A Negociação Como Ferramenta do Gerente de Projetos, que explora uma habilidade gerencial tão importante do Gerente de Projetos. - Desmistificando o PMO Project Management Office, que embasa conceitos do escritório de projetos e traz uma enriquecedora pesquisa/entrevista com os profissionais executivos Paul Dinsmore, Wilson Ramos, André Onofre e Ana Cláudia Baumotte. Abraços, Augusto Camargos, PMP. Gestão PMI News Ano 2 No. 5 1/19

2 Índice Remissivo EDITORIAL... 1 ENGENHARIA CIVIL E ENGENHARIA DE SOFTWARE: PORQUE É TÃO DIFERENTE FECHAR O ESCOPO?... 3 A NEGOCIAÇÃO COMO FERRAMENTA DO GERENTE DE PROJETOS INTRODUÇÃO NEGOCIAÇÃO BASEADA EM POSIÇÕES NEGOCIAÇÃO BASEADA EM PRINCÍPIOS Como se proteger em uma negociação CONCLUSÃO... 8 DESMISTIFICANDO O PMO - PROJECT MANAGEMENT OFFICE TIPOS DE PMO, FUNÇÕES, POSIÇÕES E PAPÉIS POSSÍVEIS O QUE PENSAM 4 PROFISSIONAIS DA ÁREA A RESPEITO DO ASSUNTO ALGUMAS CONCLUSÕES Gestão PMI News Ano 2 No. 5 2/19

3 Engenharia Civil e Engenharia de Software: Porque é tão diferente fechar o escopo? Enock Godoy de Souza, MSc Existem vários artigos, inclusive alguns publicados neste periódico, como por exemplo Camargos (2003b) e Celestino (2004), que enfatizaram as semelhanças entre a Engenharia de Software e a Engenharia Civil e explicitaram aquilo que consideram uma diferença crucial: sua maturidade. Este artigo não busca de maneira alguma contrapor as idéias apresentadas pelos colegas, mas adicionar novos fatores, alguns deles até mais relevantes que a maturidade. Esses fatores, no meu entendimento, correspondem aos problemas mais críticos relacionados ao fechamento do escopo. O primeiro fator que gostaria de destacar é a menor tangibilidade do produto da Engenharia de Software. Devido à maturidade da Engenharia Civil, é muito mais fácil visualizar uma casa a partir da planta do que um sistema a partir dos seus diagramas de classes e de casos de uso. Na Engenharia Civil, na eventual dificuldade de visualizar o produto final, uma técnica muito útil é a construção de maquetes. Na Engenharia de Software, nossa maquete pode ser um protótipo descartável (throw away), ou mesmo um protótipo evolutivo. Vale ressaltar que essas maquetes da Engenharia de Software podem ser muito úteis no sentido de potencializar a conscientização do usuário a respeito do que o sistema deve fazer (Avgerou et al., 1998), adiantando a estabilidade do escopo contratado. Autores como Avgerou et al. (1998) e Ciborra (1993), da London School of Economics and Political Science, enfatizam o papel cognitivo da utilização de sistemas de informação. Em outras palavras, a utilização de sistemas de informação é um processo de aprendizado e, consequentemente, é natural esperar que pessoas criativas desenvolvam novas idéias a partir de um processo de aprendizado. Isso acontece também na área da Engenharia Civil, e o reflexo disso são ampliações nas casas, reformas etc. O problema, no caso da Engenharia de Software, é que isso acontece de uma forma muito mais dinâmica. Além disso, principalmente aos olhos dos usuários e também na visão de alguns profissionais de sistemas, colocar um if a mais no programa parece algo banal (Camargos, 2003a). Neste caso, a recomendação feita por Camargos (2003a) continua sendo o remédio mais eficaz: conscientização, negociação e detalhamento. Gestão PMI News Ano 2 No. 5 3/19

4 O importante é que, mesmo tendo a intenção de manter o escopo o mais estável possível, não podemos restringir a capacidade criativa do usuário e, consequentemente, a inovação que essa criatividade poderia e precisaria trazer. No fundo, precisamos de alguma forma gerenciar a capacidade criativa dos usuários. Afinal, não é à toa que o PMBOK (PMI, 2000) possui uma área de conhecimento chamada Gerenciamento do Escopo e não Engessamento do Escopo. Sobre o autor Enock Godoy de Souza é formado em Ciência da Computação pela USP, pós-graduado em Administração de Empresas pela EAESP/FGV, Mestrado em Gerenciamento de Sistemas de Informação pela London School of Economics and Political Science (LSE) e atua como líder de projetos em TI na área financeira em São Paulo. O autor é afiliado à AIS (Association for Information Systems) e à ACM (Association for Computing Machinery). Gestão PMI News Ano 2 No. 5 4/19

5 Referências Bibliográficas Avgerou, C, Cornford, T (1998) Developing Information Systems: Concepts, Issues and Practice. MacMillan Press Ltd: London. Camargos A A B (2003 a ) Fechamento do Escopo em TI: Árdua Missão, Gestão PMI News, Vol. Ano I, No. 2: 3-4. Camargos, A A B (2003b) Gestão de Projetos, Engenharia de Software E Engenharia Civil: Alguma Semelhança?, Gestão PMI News, Vol. Ano I, No. 1: 3-4. Celestino, P P (2004) Projetos de Software: Em que Ponto da História Estamos?, Gestão PMI News, Vol. Ano II, No. 4: 5-6. Ciborra, C U (1993) Teams, Markets and Systems: Business Innovation and Information Technology, Cambridge University Press: Cambridge, UK. Project Management Institute (2000) A Guide to the Project Management Body of Knowledge, Project Management Institute, Sylva, North Carolina, USA. Gestão PMI News Ano 2 No. 5 5/19

6 A Negociação como Ferramenta do Gerente de Projetos Augusto Camargos, PMP 1. Introdução A negociação é um processo presente desde a forma mais corriqueira até a forma mais estratégica na vida de qualquer ser humano e dentro das organizações. Querendo ou não estamos continuamente num processo de negociação que, dependendo da forma que for conduzido, pode resultar em acordos efetivos e positivos ou custar até mesmo nosso emprego ou relacionamentos. Em gerenciamento de projetos não poderia ser diferente. Faz parte do papel e da missão do gerente viabilizar o sucesso do projeto desde sua concepção, planejamento, execução, controle e encerramento usando para isso muita negociação junto à todos os stakeholders. Seja negociando prioridades com o patrocinador, contratos e metas com os fornecedores e sub-contratados, prioridades e alterações com o cliente, recursos com o gerente funcional, prioridades com as várias áreas da organização e uma infinidade de outras ações que passam por esta disciplina. Entende-se a negociação como um meio para se resolver disputas ou conflitos. Existe a arte e a ciência da negociação. A arte inclui as habilidades interpessoais que visam convencer ou ser convencido, fazer manobras de barganha e discernimento para saber quando usar a opção correta. A ciência é pautada na análise sistemática para resolver o problema. A forma mais comum de se conduzir uma negociação é a negociação baseada nas posições e a forma mais eficiente e sensata é a negociação baseada em princípios. 2. Negociação baseada em Posições A negociação baseada em posições é a forma mais intuitiva de se conduzir uma negociação. Este tipo de negociação tem as faces afável ou áspera, ou seja, ou se é áspero e tenta-se vencer a qualquer custo, derrotando o outro lado e tirando o máximo ou se aceita a pressão buscando o consenso e até fechando um acordo desvantajoso em prol do não confronto. Quando se vai a um mercado e tenta-se comprar um produto qualquer pelo menor preço usualmente usa-se a negociação baseada em posição, na qual o comprador quer pagar Gestão PMI News Ano 2 No. 5 6/19

7 10 o produto anunciado por 80 e então se estabelece uma disputa cansativa, muitas vezes demorada e nem sempre eficiente entre comprador e vendedor. 3. Negociação baseada em Princípios A negociação baseada em princípios ou méritos visa decidir as questões a partir de seus méritos, não centrado nas disposições das partes. Busca o benefício mútuo. Resolver os conflitos com base em padrões justos e obter o que é de direito agindo com decência. Este tipo de negociação provê acordos sensatos mais eficientes e amigáveis (aprimora ou mantém o relacionamento entre as partes). A negociação por princípios tem quatro pilares: Pessoas: Separe as pessoas dos problemas. Interesses: Concentre-se nos interesses e não nas posições. Opções: Crie alternativas com benefícios mútuos - relação ganha-ganha. Critérios/Padrões: Resultado baseado em padrões ou critérios justos e aceitos. Em contraposição à negociação por posições na negociação por princípios tem-se solucionadores de problemas, afabilidade entre as pessoas e aspereza com o problema, desvendamento dos interesses, procura por opções mutuamente atrativas, estabelecimento de critérios objetivos que sirvam de base para resolução de impasses e postura racional e aberta. Dentro de uma negociação identificam-se três grandes momentos dentro dos quais os quatro princípios são muito importantes: Análise: Fase de diagnóstico da situação. É o momento de se obter a informação, organizá-la e ponderar. É o momento ainda de identificar os interesses, opções e critérios. Planejamento: Fase onde surgem às idéias e decisões, definições e priorizações. Discussão: Fase na qual as partes se comunicam para chegar a um acordo. Tenta-se estabelecer uma compreensão dos interesses do outro, gerar opções mutuamente vantajosas e concordar com os padrões que embasarão as conversações. Gestão PMI News Ano 2 No. 5 7/19

8 1.1. Como se proteger em uma negociação A forma mais comum de se proteger é se estabelecer um piso mínimo, ou seja, quando se é o comprador o piso mínimo é o maior valor para a compra e quando se é o vendedor o piso mínimo é o menor valor para a venda. Se por um lado o piso mínimo ajuda no processo decisório e a não ceder a pressões por outro lado limita a criação de soluções criativas. A alternativa à adoção de um piso mínimo é a criação da MAANA (melhor alternativa à negociação de um acordo) ou BATNA (best alternative to a negotiated agreement). A MAANA é a alternativa que se tem no caso de não fechar o acordo ou ter-se um cenário não muito favorável que não seja compensatório o suficiente. Este mecanismo dá poder e flexibilidade ao negociador e cria padrões ou cenários alternativos que ajudarão a refletir quando o acordo não vale a pena ser fechado. Como fator de segurança adicional além da MAANA pode-se ter um cordão de isolamento que seria um limite que dispararia uma ação. Por exemplo, o chefe delega o poder de compra ao funcionário, mas, se o preço ultrapassar um certo teto, o funcionário deve acionar o chefe para troca de idéias. 4. Conclusão Parte do sucesso do projeto está na habilidade do gerente de projetos em resolver problemas e conflitos na organização. A negociação baseada em princípios que visa o fechamento de acordos sensatos, eficientes e amigáveis mostra-se uma poderosa ferramenta neste desafio. Gestão PMI News Ano 2 No. 5 8/19

9 Sobre o autor Antonio Augusto Camargos é formado em Computação pela UFSCar, pós-graduado em Marketing pela ESPM e Certificado no PMI (Project Management Institute) como PMP. Atua como Gerente de Projetos em TI na área financeira, como Palestrante, Instrutor do Curso Preparatório de Certificação PMP da Dinsmore Associates e Professor do Curso de Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos da FIAP (Faculdade de Informática e Administração Paulista). Referências Bibliográficas PMBOK Guide 2000 Edition Fischer, Roger; Getting to Yes: Negotiating Agreement Without Giving In/Roger Fischer, Willian Ury & Bruce Patton Raiffa, Howard; The Art and Science of Negotiation : How to Resolve Conflicts and Get the Best out of Bargaining Gestão PMI News Ano 2 No. 5 9/19

10 Desmistificando o PMO - Project Management Office Laury Oliveira do Amaral O PMO Project Management Office, ou Escritório de Projetos, é um dos melhores caminhos para garantir que seus projetos sejam concluídos com sucesso. O assunto vem sendo amplamente discutido em seminários e simpósios de Gerenciamento de Projetos, com muitos defensores e, ao mesmo tempo, com muitos críticos. A reportagem Destination: Competitive Advantage, publicada na edição de Agosto de 2003 da revista PM Network (p.28-36), aponta o Project Management Office (PMO) como uma saída para a manutenção da competitividade das organizações atuais. Quatro executivos (Andrew Christie, executive program manager da NCR Ltd; Steve Nickels, IT Program Management Office Manager da HP s Enterprise Systems Group in Europe, Middle East and África; Kasturirangan Rajagopalan, vice-president da Covansys Private Ltd., Chennai, Índia; Jaime Vasquez, Project manager da Copa Airlines, Panamá City, Republic of Panamá), discutem a próxima onda dos project management offices e sua contribuição para as empresas. Laury Oliveira do Amaral, Coordenador de Treinamento da Dinsmore Associates, fez perguntas semelhantes para quatro executivos brasileiros: Paul Campbell Dinsmore, autor do livro Creating the Project Office; Wilson Ramos, Consultor do Project Office da Petrobras - UN-RIO; André Onofre, Gerente de Projetos da Nortel Networks; Ana Cláudia Baumotte, Consultora do Project Office da Petrobras US-SUB. 1. Tipos de PMO, Funções, Posições e Papéis Possíveis De acordo com suas atribuições, mas principalmente, dependendo do tipo de organização na qual se implementa, pode-se distinguir até 4 tipos de PMO: Projeto Autônomo, Project Support Office, Enterprise Project Support Office (ou Program Office) e Virtual Project Management Office. O PMO estruturado como Projeto Autônomo é um escritório de projetos, separado das operações da empresa, destinado ao gerenciamento de um projeto ou programa Gestão PMI News Ano 2 No /19

11 específico. Nesse caso, tem total responsabilidade sobre os resultados deste projeto/programa. Pode ser implantado em organizações funcionais ou matriciais fracas. O Project Support Office, fazendo parte de um determinado departamento da organização, apóia diversos projetos simultaneamente. Suas principais funções são: fornecer suporte, ferramentas e serviços de planejamento, determinar padrões de prazos, custos e qualidade para os projetos, fornecer recursos técnicos e determinar metodologia de gerenciamento de projetos, além de determinar as interfaces entre o projeto e as demais áreas da organização. O Project Support Office é considerado um centro de competência em projetos. O Enterprise Project Support Office ou Program Office atua corporativamente na organização, gerenciando os projetos de forma estratégica. Suas principais funções são o planejamento estratégico dos projetos, o gerenciamento dos projetos corporativos e interdepartamentais, a gestão do conhecimento empresarial em projetos, além de representar a interface entre os envolvidos no projeto. O Enterprise Project Support Office é considerado um centro de excelência em projetos. O Virtual Project Management Office (VPMO) é um escritório de projeto que funciona virtualmente, sem nenhum espaço físico determinado, permitindo que distribua os seus trabalhos pelo time, integrando os resultados. Para isso, deve contar com uma forte infraestrutura de tecnologia e informática. O VPMO busca centralizar as informações, sendo um centro de apoio aos times de projeto, oferecendo um ambiente (virtual) de discussões (interna e externamente com o cliente). 2. O que pensam 4 profissionais da área a respeito do assunto I - Especificamente, como deve funcionar um PMO no sentido de aumentar as taxas de sucesso dos projetos? Sua empresa (ou a empresa em que você trabalha/trabalhou) seria tão bem sucedida sem a existência de um PMO? Paul Dinsmore: O PMO deve ter função de organizar, planejar, administrar recursos, controlar múltiplos projetos na empresa. Certamente o PMO (virtual) na nossa empresa contribui para aumentar nossa eficácia. Wilson Ramos: Nunca teremos uma solução única para todos os problemas. Para a definição da estrutura de PMO a ser aplicada nas Empresas. Deveremos, antes de tudo, levantar o nível de maturidade em Gerenciamento de Projetos e a facilidade de Gestão PMI News Ano 2 No /19

12 intercâmbio de informações entre os departamentos envolvidos com a implantação de Projetos. Desde as soluções de formador de processos e procedimentos até assumir toda a responsabilidade pelos resultados dos projetos das Empresas, há muito espaço para a participação do PMO. A maior dificuldade está em se avaliar a quanto uma estrutura de PMO está de fato contribuindo para o sucesso dos negócios, principalmente porque o contexto em que os projetos se desenvolvem está em constante mudança e nunca poderíamos avaliar como seria, caso não tivéssemos optado por uma alternativa. O fato concreto é que a maioria das organizações que implementou PMO s continua tendo sucesso nos negócios. André Onofre: O PMO deve funcionar como suporte para os Gerentes de Projeto de acordo com as definições da própria corporação (na geração de relatório, cronogramas, etc.). Em alguns casos o PMO pode ser até responsável diretamente pelo projeto. Com o suporte metodológico de GP que o PMO provê, a taxa de sucesso dos projetos deve aumentar. A empresa em que trabalho não possui um PMO, mas já existiu um no passado, que dava suporte aos Gerentes de Projeto na geração de relatórios e suporte geral. Ana Cláudia Baumotte: Na empresa (mais especificamente na área) em que estou atualmente trabalhando, o PMO tem um papel fundamental no que tange ao planejamento, acompanhamento e controle dos projetos gerenciados pela área, no intuito de garantir o sucesso dos mesmos e agregar valor para organização. Nem sempre, os profissionais com expertise técnico dão a devida importância ao gerenciamento do projeto, no mais amplo e completo sentido da palavra. Simplesmente saem executando e têm tudo em suas mentes. É aí que o PMO se encaixa como uma luva. Trata-se de uma vitória a cada dia, no sentido de vender a idéia do gerenciamento para esses profissionais e fazer com que percebam os benefícios de uma estrutura como essa. Na verdade, qualquer mudança só é aceita, quando se percebe seus benefícios. II - Você vê o PMO como direcionador dos projetos ou como uma ferramenta no nível executivo para priorizar um portfolio de projetos? Paul Dinsmore: Vejo o PMO na nossa empresa como impulsionador e controlador de projetos múltiplos. Gestão PMI News Ano 2 No /19

13 Wilson Ramos: Dentro das alternativas possíveis, creio que a que melhor se aplica é a participação na uniformização de processos, definição e adequação de ferramentas para gestão dos projetos e como suporte executivo para dar visibilidade aos resultados do portfolio de projetos da Empresa. André Onofre: Vejo o PMO como um direcionador dos projetos, no sentido de direcionar os métodos estados da arte em Gerenciamento de Projetos para os Projetos que ocorrem na empresa. Ana Cláudia Baumotte: No meu caso, o PMO está mais direcionado para o nível tático / operacional. Atuamos como uma estrutura de suporte aos gerentes / coordenadores de projetos. Estamos focados no planejamento, acompanhamento e controle dos projetos, além de estarmos criando padrões e procedimentos que dêem o apoio necessário ao gerenciamento. III - Quão autônomo deveria ser um PMO? Quanta autoridade, responsabilidade e acountabilidade deveriam os membros do PMO ter a fim de garantir o sucesso dos projetos? Paul Dinsmore: O PMO sempre deverá trabalhara de forma facilitadora, e não de maneira funcional. Sua função é a de ajudar a fazer acontecer, mas de modo geral a responsabilidade pelo sucesso reside nas áreas. Wilson Ramos: Como elemento normatizador de processos e padrões, é fundamental que a equipe do PMO seja reconhecida pelos envolvidos nos projetos e tenha a prerrogativa de exigir a aplicação dos padrões estabelecidos. A abertura de projetos e sua inclusão no portfólio da Empresa devem ter obrigatoriamente, a participação do PMO até como controle da liberação de verbas para a execução dos projetos. Na maioria dos casos, a responsabilidade pela execução dos Projetos e por seus resultados deve ficar com as áreas / departamentos responsáveis pela implementação, aproveitando, assim, o conhecimento e experiência dos profissionais destas áreas e agregando, ou adequando, métodos de trabalho para maximizar o sucesso dos projetos. André Onofre: Vai variar muito de acordo com as políticas organizacionais e da própria estrutura organizacional. Acredito que há casos de sucesso tanto quando o PMO é totalmente accountable pelo projeto quanto quando é facilitador e estrutura de suporte. Ana Cláudia Baumotte: Por se tratar de um PMO terceirizado, não temos acountabilidade pelos projetos. Na verdade, como dito anteriormente, atuamos como Gestão PMI News Ano 2 No /19

14 uma estrutura de suporte aos gerentes de projetos. Temos, sim, cada vez mais, sido vistos como referência para assuntos ligados ao gerenciamento dos projetos. IV - Qual a importância do seu PMO no gerenciamento da mudança e busca pelas melhores práticas? Como pode um PMO avançar em termos de objetivos estratégicos? O PMO tem função básica na melhoria de práticas. Em relação a objetivos estratégicos, o PMO pode ser o veiculo para assegurar que cada um dos objetivos se torne real? Paul Dinsmore: O PMO tem função básica na melhoria de práticas. Em relação a objetivos estratégicos, o PMO pode ser o veiculo para asseguar que cada um dos objetivos se torne real. Wilson Ramos: Em termos dos objetivos estratégicos, a administração do portfólio de projetos, ajuda muito o alinhamento dos projetos com os Balance Score Cards definidos pela Empresa, obrigando que todos os projetos tenham de fato, um objetivo na estratégia global da Empresa. Para o gerenciamento de mudanças, a participação do PMO tem grande aplicabilidade pela possibilidade de definição de padrões a serem definidos para uso por toda a Empresa, com a preocupação de dar a todos os envolvidos uma visão de impacto das mudanças propostas. Um bom mecanismo de identificação de mudanças, bem como, um sistema ágil de comunicação para os envolvidos, pode dar à Empresa maior agilidade de reação e de adaptação a novas situações. André Onofre: A empresa que trabalho não possui um PMO, mas já existiu um no passado que dava suporte aos Gerentes de Projeto na geração de relatórios e suporte geral. O PMO pode avançar em termos de objetivos estratégicos estando engajado nas metas traçadas pela Alta Administração. O papel do PMO neste caso será fornecer as ferramentas e métodos necessários aos Gerentes de Projetos para auxiliá-los a atingir as metas que estarão alinhadas aos objetivos estratégicos. Ana Cláudia Baumotte: O PMO atua como um grande fomentador e disseminador da cultura de gerenciamento de projetos. Alinhando o gerenciamento dos projetos com os objetivos e metas da organização, o PMO caminha cada vez mais em direção a um alinhamento estratégico. Dessa forma, deixa de ser simplesmente uma estrutura de Gestão PMI News Ano 2 No /19

15 suporte operacional (visão de curto prazo), para ser uma estrutura de pensamento estratégico (visão de médio / longo prazo). V - Quais indústrias têm saído na frente na adoção de uma estratégia de PMO? O que essas indústrias têm a mais ou a menos do que outras áreas profissionais? Paul Dinsmore: A área de engenharia e construção sempre trabalhou com formas de PMO, pelo menos em nível operacional. Mais recentemente telecomunicações vem adotando o conceito com graus diferentes de sucesso. A área farmacêutica internacionalmente também tem investido muito no assunto. Wilson Ramos: As Empresas de alta tecnologia (Telecomunicações, IT) tem se suportado em estruturas de PMO, buscando dar mais agilidade na implantação dos projetos. Por certo que as vantagens advindas da padronização de processos e a possibilidade evidente de execução dos projetos por um menor custo de implantação e em prazos previsíveis, tem despertado interesse de Empresas nos mais diversos mercados. André Onofre: Infelizmente não tenho acesso a esta informação. Ana Cláudia Baumotte: Pelo que tenho observado, sem dúvida, as áreas de TI e Telecom são as grandes compradoras da idéia. Porém, áreas mais tradicionais, como engenharia e construção, possuem, muitas vezes, estruturas que atuam como um PMO, sem necessariamente utilizar esse jargão. VI - Por que empresas maiores tendem mais a ter um PMO? Se um PMO estimula crescimento e objetivos estratégicos, não faria sentido pequenas empresas tomarem conhecimento dos benefícios do PMO? Paul Dinsmore: Sim, o conceito também é aplicável às pequenas empresas, desde que seja levado em conta seu custo/beneficio. Wilson Ramos: A estruturação de um PMO, por menor que possa ser esta estrutura, traz a evidente necessidade de investimentos tanto em recursos humanos como também em equipamentos e infra-estrutura de sistemas. As grandes empresas, geralmente, têm uma disponibilidade maior para investir na melhoria de processos para melhorar a performance dos projetos. Bem como, tendo um volume grande de projetos, existe uma maior possibilidade de diluição destes custos no contexto dos projetos em andamento. Creio que no ambiente das pequenas Empresas, a preocupação de melhoria de performance, Gestão PMI News Ano 2 No /19

16 estruturação de processos e maior assertividade quanto a prazos e custos, traz ganhos importantes na melhoria da competitividade destas Empresas menores, possibilitando a estas um crescimento e aumento de sua participação no mercado. André Onofre: Talvez porque empresas maiores já tenham percebido os resultados do PMO e as empresas menores, geralmente mais enxutas, ainda estejam procurando entender se realmente precisam de um PMO para suportar seus projetos. Ana Cláudia Baumotte: Trata-se de uma questão custo versus benefício. Empresas maiores tendem a poder investir mais, bem como, a ter maiores desafios para gerenciar projetos maiores e mais complexos. Mas nada impede que empresas menores percebam benefícios de criar uma estrutura provavelmente bem mais enxuta de PMO. VII - Como você justifica o investimento em um PMO? Você tem como mensurar benefícios alcançados com seu PMO? Paul Dinsmore: O que justifica é o retorno esperado em termos de eficácia. A mensuração ainda não foi aplicada na nossa empresa. Wilson Ramos: O ganho efetivo da implementação do PMO é muito difícil de ser comprovado, conforme dito anteriormente. Muitas Empresas buscam fazer uma análise por extremos, digo, considerando que tivéssemos uma economia nos custos de implementação dos projetos de, por exemplo, apenas 1%, este valor comparado com os custos de implementação, na grande maioria das vezes já se apresenta positivo. Portanto, a conclusão é que vale a pena investir na implementação do PMO, pois o retorno parece inquestionável. Para a avaliação dos benefícios da uniformização e padronização dos processos, a inclusão da filosofia de planejamento e controle nas equipes responsáveis pelo desenvolvimento dos projetos e a possibilidade de criação de sistemas de acompanhamento da performance de todo o portfólio de projetos da Empresa, teremos que comparar os resultados corporativos ao longo da implementação, contabilizando os resultados dos projetos ano após ano. André Onofre: Acredito que a melhor maneira é verificar a melhoria em índices e medidas pré-estabelecidas (índices como performance de custo e de cronograma, por exemplo). Ana Cláudia Baumotte: Essa mensuração não é fácil. Por aqui ainda não estamos medindo esse ganho, até porque tudo está muito no início. Acredito que a melhor forma Gestão PMI News Ano 2 No /19

17 seja definir alguns indicadores e avaliá-los periodicamente, de forma a enxergar os benefícios. VIII - Que conselho você daria para executivos que pretendem implantar um PMO? Paul Dinsmore: Verifique a real necessidade. Não subestime o desafio de vender o conceito ao resto da organização. Wilson Ramos: Firmeza na implementação e apoio incondicional pelos executivos da Empresa, combinados com uma equipe especializada em Gerenciamento de Projetos, em trabalho integrado com equipes da Empresa que conheçam profundamente o Business e tenham um bom relacionamento com todas as áreas da Empresa, farão com que a implementação do PMO possa estar focada e ser dirigida para atender às verdadeiras necessidades da Empresa. André Onofre: Um conselho seria primeiramente definir claramente os objetivos para o PMO (responsabilidade pelos projetos, funções de suporte, etc.) e então fazer o dimensionamento de recursos necessários para atingir os objetivos. Neste sentido, seria importante ouvir os próprios Gerentes de Projeto da organização para auxiliar na definição dos objetivos do PMO. Ana Cláudia Baumotte: Procure criar um PMO fitness to use, não se deixe levar por modismos e faça benchmarking. IX - Como irá a economia global afetar os desejos dos executivos de abraçar a idéia do PMO? Como você espera que o conceito de PMO evolua nos próximos anos? Paul Dinsmore: O conceito irá se desenvolver durante os próximos 10 anos. Posteriormente os conceitos de gerenciamento de projetos e os correspondentes sistemas de apoio serão tão incorporados na empresa, que o PMO se tornará menos necessário. Wilson Ramos: Competitividade é a chave dos negócios. Todos os que hoje têm uma posição confortável no Mercado, precisam estar preparados para as ameaças da concorrência. As Empresas com processos estruturados e sistemas de informações eficientes terão mais condições de enfrentar crises, oscilações de demanda e o turnover das equipes pelo assédio inevitável dos concorrentes a seus profissionais. Neste Gestão PMI News Ano 2 No /19

18 ambiente, o PMO se destaca como alternativa de preparar a Empresa para enfrentar adequadamente os desafios da manutenção dos negócios. André Onofre: Hoje em dia, o foco está cada vez mais em entregar projetos mais rapidamente e com menor custo. Neste sentido, acredito que o PMO possa trazer, através dos métodos e ferramentas de Gerenciamento de Projetos, um diferencial competitivo para as empresas que adotarem um PMO. Neste sentido, entendo também que a busca pela formação de PMO s deve aumentar nos próximos anos, tendência esta, que já vem ocorrendo nos últimos anos. Ana Cláudia Baumotte: Com o aumento de experiências bem sucedidas, a tendência será das empresas incorporarem o conceito e passarem a ter isso como uma estrutura necessária para o sucesso dos negócios. Porém, com o maior amadurecimento dos profissionais em gerenciamento de projetos, acredito que o PMO poderá, aos poucos, mudar de função, tornando-se muito mais uma estrutura fomentadora das melhores práticas nas organizações do que uma estrutura focada no controle dos projetos. 3. Algumas Conclusões As organizações precisam se questionar antes de se lançarem em um Project Office, O esforço realmente vale a pena para a empresa? Para algumas empresas a resposta pode ser Sim, mas para outras a resposta pode ser Não. Deve-se entender que algumas formas de Project Office acrescentam camadas à organização e essas camadas tornam-se filtros de informações. Os filtros de informações finalmente acrescentam custos injustificados a uma organização e tempo adicional às programações do projeto. Um Project Office bem construído pode trazer benefícios reais a uma organização. Ele pode reduzir o custo geral do projeto fornecendo melhor coordenação do mesmo, fomentar as melhores práticas para maximizar os sucessos do projeto e ajudar a nivelar os recursos dispendiosos em um projeto. Ao tornar disponível essa experiência a cada GP em todos os pontos críticos de cada projeto e ao fornecer apoio como uma base necessária, cada GP irá sentir-se mais seguro com sua habilidade de fornecer um alto nível de gerenciamento de projeto de qualidade para os projetos designados. Gestão PMI News Ano 2 No /19

19 O Project Office também irá servir à organização inteira fornecendo abordagens contínuas de melhoria de processo que, com o passar do tempo, irão fornecer uma oportunidade até maior para projetos bem sucedidos. Sobre o autor Laury Oliveira do Amaral é Gerente de Relacionamento do Núcleo de Gerência de Projetos da Dinsmore Associates, com MBA em Gerência de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas Gestão PMI News Ano 2 No /19

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis Vamos nos conhecer e definir as diretrizes de nosso curso??? www.eadistancia.com.br

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

www.pmbasis.com.br CONHEÇA TODAS AS SOLUÇÕES EM NEGÓCIOS, PROJETOS E FORMAÇÃO QUE A PMBASIS TEM PARA SUA EMPRESA OU INSTITUIÇÃO.

www.pmbasis.com.br CONHEÇA TODAS AS SOLUÇÕES EM NEGÓCIOS, PROJETOS E FORMAÇÃO QUE A PMBASIS TEM PARA SUA EMPRESA OU INSTITUIÇÃO. www.pmbasis.com.br CONHEÇA TODAS AS SOLUÇÕES EM NEGÓCIOS, PROJETOS E FORMAÇÃO QUE A PMBASIS TEM PARA SUA EMPRESA OU INSTITUIÇÃO. Crescer, Desenvolver, Multiplicar-se. Nossos melhores sonhos começam assim.

Leia mais

Oficina de Gestão de Portifólio

Oficina de Gestão de Portifólio Oficina de Gestão de Portifólio Alinhando ESTRATÉGIAS com PROJETOS através da GESTÃO DE PORTFÓLIO Gestão de portfólio de projetos pode ser definida como a arte e a ciência de aplicar um conjunto de conhecimentos,

Leia mais

TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA 5 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS 7 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA 5 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS 7 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA Líderes eficazes devem encontrar maneiras de melhorar o nível de engajamento, compromisso e apoio das pessoas, especialmente durante os períodos

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA A GESTÃO DE PROJETOS

IDENTIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA A GESTÃO DE PROJETOS IDENTIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA A GESTÃO DE PROJETOS Claudio Oliveira Aplicações de CRM Claudio Oliveira Apresentação Claudio Oliveira (cloliveira@usp.br) Professor da Fundação Vanzolini

Leia mais

Estabelecendo um Escritório de Projetos

Estabelecendo um Escritório de Projetos Estabelecendo um Escritório de Projetos Ricardo Viana Vargas, MSc, IPMA-B, PMP ricardo.vargas@macrosolutions.com.br Ricardo Viana Vargas, MSc, IPMA-B, PMP Ricardo Vargas é especialista em gerenciamento

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

Trilhas Técnicas SBSI - 2014

Trilhas Técnicas SBSI - 2014 brunoronha@gmail.com, germanofenner@gmail.com, albertosampaio@ufc.br Brito (2012), os escritórios de gerenciamento de projetos são importantes para o fomento de mudanças, bem como para a melhoria da eficiência

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

Portifólio de Serviços

Portifólio de Serviços Portifólio de Serviços A PM11K conta com uma abrangência de mercado muito grande graças ao seu modelo inovador. Aqui você contrata um consultor e, junto dele, mais centenas de outros consultores em rede,

Leia mais

PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos

PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos As organizações em torno do mundo estão implantando processos e disciplinas formais

Leia mais

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Estratégia de TI Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio 2011 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS Nadia Al-Bdywoui (nadia_alb@hotmail.com) Cássia Ribeiro Sola (cassiaribs@yahoo.com.br) Resumo: Com a constante

Leia mais

PMO DE SUCESSO PRECISA TER FOCO! Uma proposta de modelo para Escritórios de Projetos

PMO DE SUCESSO PRECISA TER FOCO! Uma proposta de modelo para Escritórios de Projetos PMO DE SUCESSO PRECISA TER FOCO! Uma proposta de modelo para Escritórios de Projetos por Mario Trentim em http://blog.mundopm.com.br/2013/01/21/pmo-de-sucesso-precisa-terfoco/ Caro amigo leitor, que tal

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1.

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1. Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 1.1 2 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 3 1 Leitura

Leia mais

O PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO:

O PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO: Central de Cases O PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO: Vendedor www.espm.br/centraldecases Central de Cases O PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO: Vendedor Preparado pelo Prof. Marcus S. Piaskowy, da ESPM-SP. Recomendado para

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS ISSN 1984-9354 GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS Emerson Augusto Priamo Moraes (UFF) Resumo Os projetos fazem parte do cotidiano de diversas organizações, públicas e privadas, dos mais diversos

Leia mais

Tipos de Escritórios de Projeto (PMO)

Tipos de Escritórios de Projeto (PMO) Tipos de Escritórios de Projeto (PMO) Ricardo Viana Vargas, MSc, IPMA-B, PMP ricardo.vargas@macrosolutions.com.br Ricardo Viana Vargas, MSc, IPMA-B, PMP Ricardo Vargas é especialista em gerenciamento de

Leia mais

Principais Desafios na Implementação de Escritórios de Programas e Projetos (PMO)

Principais Desafios na Implementação de Escritórios de Programas e Projetos (PMO) Principais Desafios na Implementação de Escritórios de Programas e Projetos (PMO) 3º. Seminário de Gerenciamento de Projetos PMI-GO José Carlos Gomes Torquato, PMP genda Conceitos de PMO Tipos e Funções

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 16º Seminário Nacional de Gestão de Projetos APRESENTAÇÃO

Pesquisa realizada com os participantes do 16º Seminário Nacional de Gestão de Projetos APRESENTAÇÃO Pesquisa realizada com os participantes do de APRESENTAÇÃO O perfil do profissional de projetos Pesquisa realizada durante o 16 Seminário Nacional de, ocorrido em Belo Horizonte em Junho de, apresenta

Leia mais

2. Gerenciamento de projetos

2. Gerenciamento de projetos 2. Gerenciamento de projetos Este capítulo contém conceitos e definições gerais sobre gerenciamento de projetos, assim como as principais características e funções relevantes reconhecidas como úteis em

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Desenvolvendo o Plano de Gerenciamento do Projeto. Coletando Requisitos. Declarando

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Em conformidade com a metodologia PMI 1 Apresentações Paulo César Mei, MBA, PMP Especialista em planejamento, gestão e controle de projetos e portfólios, sempre aplicando as melhores

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

PMO (Project Management Office) - Implantação de Escritório de Projetos

PMO (Project Management Office) - Implantação de Escritório de Projetos PMO (Project Management Office) - Implantação de Escritório de Projetos Orientações para o Projeto, Implantação, Gerenciamento e Avaliação de Maturidade do Escritório de Projetos Objetivo O que leva as

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions ISO 9001 Relatórios A importância do risco em gestao da qualidade Abordando a mudança BSI Group BSI/UK/532/SC/1114/en/BLD Contexto e resumo da revisão da ISO 9001:2015 Como uma Norma internacional, a ISO

Leia mais

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos Capítulo 1 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 2 1.1 DEFINIÇÃO DE PROJETOS O projeto é entendido como um conjunto de ações, executadas de forma coordenada por uma organização transitória, ao qual são

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Atual Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo, nesse

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS Vanice Ferreira 12 de junho de 2012 GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais DE QUE PROCESSOS ESTAMOS FALANDO? GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais

Leia mais

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Com uma abordagem inovadora e lúdica, o professor Paulo Gerhardt tem conquistado plateias em todo o Brasil. Seu profundo

Leia mais

Gerenciamento de Integração do Projeto Será que você está precisando de uma ajuda?

Gerenciamento de Integração do Projeto Será que você está precisando de uma ajuda? Resumo Integrar é procurar tornar partes distintas em um todo e que não percam seu objetivo. Gerenciar um projeto requer uma forte atuação integradora, visto que são muitas e complexas as funções a serem

Leia mais

EAD 615 Gerenciamento de Projetos. Estruturas Organizacionais para Gerenciamento de Projetos e o Papel do PMO

EAD 615 Gerenciamento de Projetos. Estruturas Organizacionais para Gerenciamento de Projetos e o Papel do PMO EAD 615 Gerenciamento de Projetos Estruturas Organizacionais para Gerenciamento de Projetos e o Papel do PMO Professores: Prof. Dr. Antonio C. Amaru Maximiano Prof. Dr. Roberto Sbragia Colaboradores: Benedito

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 1 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

GOVERNANÇA DE TI PMBoK (Project Management Body of Knowledge)

GOVERNANÇA DE TI PMBoK (Project Management Body of Knowledge) GOVERNANÇA DE TI PMBoK (Project Management Body of Knowledge) Governança de TI AULA 08 2011-1sem Governança de TI 1 Introdução ao Gerenciamento de Projetos HISTÓRIA PMI Project Management Institute: Associação

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidadade MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE

Questionário de Avaliação de Maturidadade MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE Extraído do Livro "Gerenciamento de Programas e Projetos nas Organizações" 4ª Edição (a ser lançada) Autor: Darci Prado Editora INDG-Tecs - 1999-2006

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Pós Graduação Lato Sensu Especialização São Paulo Berrini Os projetos têm presença obrigatória e alta importância no contexto da gestão da moderna empresa. Caminho de condução

Leia mais

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1 Governança de TI ITIL v.2&3 parte 1 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR ITIL 1 1 ITIL Gerenciamento de Serviços 2 2 Gerenciamento de Serviços Gerenciamento de Serviços 3 3 Gerenciamento de Serviços

Leia mais

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MECANISMOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O Ciclo da Governança de T.I. ALINHAMENTO

Leia mais

Gestão Estratégica de Marketing

Gestão Estratégica de Marketing Gestão Estratégica de Marketing A Evolução do seu Marketing Slide 1 O Marketing como Vantagem Competitiva Atualmente, uma das principais dificuldades das empresas é construir vantagens competitivas sustentáveis;

Leia mais

Carlos Henrique Santos da Silva

Carlos Henrique Santos da Silva GOVERNANÇA DE TI Carlos Henrique Santos da Silva Mestre em Informática em Sistemas de Informação UFRJ/IM Certificado em Project Management Professional (PMP) PMI Certificado em IT Services Management ITIL

Leia mais

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM CUSTOMER SUCCESS STORY Maio 2014 Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM PERFIL DO CLIENTE Empresa: Renova Energia Indústria: Energia Funcionários: 182 (2012) Faturamento:

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade

Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade Estruturando o modelo de RH: da criação da estratégia de RH ao diagnóstico de sua efetividade As empresas têm passado por grandes transformações, com isso, o RH também precisa inovar para suportar os negócios

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

Tutorial de Gerenciamento de Projetos. Erika Yamagishi Semana de Qualidade e Gestão Unicamp/FT 13 de maio de 2011

Tutorial de Gerenciamento de Projetos. Erika Yamagishi Semana de Qualidade e Gestão Unicamp/FT 13 de maio de 2011 Tutorial de Gerenciamento de Projetos Erika Yamagishi Semana de Qualidade e Gestão Unicamp/FT 13 de maio de 2011 Apresentação Erika Yamagishi Engenheira de Computação pela UNICAMP Consultora associada

Leia mais

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Já passou a época em que o pedagogo ocupava-se somente da educação infantil. A pedagogia hoje dispõe de uma vasta

Leia mais

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS PMO PROJETOS PROCESSOS MELHORIA CONTÍNUA PMI SCRUM COBIT ITIL LEAN SIX SIGMA BSC ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS DESAFIOS CULTURAIS PARA IMPLANTAÇÃO DANIEL AQUERE DE OLIVEIRA, PMP, MBA daniel.aquere@pmpartner.com.br

Leia mais

A ITIL e o Gerenciamento de Serviços de TI

A ITIL e o Gerenciamento de Serviços de TI A ITIL e o Gerenciamento de Serviços de TI A era da informação Informação, palavra derivada do verbo latim "informare", que significa "disciplinar", "ensinar", "instruir", juntamente com o seu significado

Leia mais

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS CUSTOMER SUCCESS STORY Junho 2014 Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS PERFIL DO CLIENTE Empresa: Renova Energia Indústria: Energia Funcionários:

Leia mais

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br POR QUE ESCREVEMOS ESTE E-BOOK? Nosso objetivo com este e-book é mostrar como a Gestão de Processos

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

Implantação da Governança a de TI na CGU

Implantação da Governança a de TI na CGU Implantação da Governança a de TI na CGU José Geraldo Loureiro Rodrigues Diretor de Sistemas e Informação Controladoria-Geral da União I Workshop de Governança de TI da Embrapa Estratégia utilizada para

Leia mais

Gerenciamento de projetos prof. Mário Garcia

Gerenciamento de projetos prof. Mário Garcia Gerenciamento de projetos prof. Mário Garcia MBA em Gestão de Energia PROPPEX Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Centro Universitário Fundação Santo André Gerenciamento de projetos prof.

Leia mais

Política de SI uma introdução ao tema. Política de SI uma introdução ao tema ARTIGO. Artigo Política, Conformidade, Normativo.

Política de SI uma introdução ao tema. Política de SI uma introdução ao tema ARTIGO. Artigo Política, Conformidade, Normativo. ARTIGO Política de SI uma introdução ao tema Artigo Política, Conformidade, Normativo Artigo 1 POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO UMA INTRODUÇÃO AO TEMA Nas organizações mais estruturadas, é comum que

Leia mais

MBA EM GERÊNCIA DE PROJETOS

MBA EM GERÊNCIA DE PROJETOS Ribeirão Preto, Franca, Araraquara e São Carlos MBA EM GERÊNCIA DE PROJETOS COORDENAÇÃO: Profº Edmarson Bacelar Mota, M.Sc APOIO: SOBRE O CURSO Com a abertura dos mercados e o enorme aumento da competitividade,

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Novo Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo e as empresas

Leia mais

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação O artigo fala sobre os vários aspectos e desafios que devem ser levados em consideração quando se deseja transformar ou fortalecer uma cultura organizacional, visando a implementação de uma cultura duradoura

Leia mais

Curso preparatório para a certificação COBIT 4.1 Fundation

Curso preparatório para a certificação COBIT 4.1 Fundation Curso preparatório para a certificação COBIT 4.1 Fundation Dentro do enfoque geral em conhecer e discutir os fundamentos, conceitos e as definições de Governança de TI - tecnologia da informação, bem como

Leia mais

CA Clarity PPM. Visão geral. Benefícios. agility made possible

CA Clarity PPM. Visão geral. Benefícios. agility made possible FOLHA DO PRODUTO CA Clarity PPM agility made possible O CA Clarity Project & Portfolio Management (CA Clarity PPM) o ajuda a inovar com agilidade, a transformar seu portfólio com confiança e a manter os

Leia mais

Características. Carga horária 24 horas presenciais.

Características. Carga horária 24 horas presenciais. 1 Características Sobre o curso As organizações que apresentam melhores resultados financeiros, são nitidamente as que aprendem a lidar com as incertezas de forma proativa. Em mercados em constante mudança

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

Gerência de projetos: arte ou disciplina? By André Barcaui, MsC, PMP is a consultant and management coach, Brazil. bbbrothers@bbbrothers.com.

Gerência de projetos: arte ou disciplina? By André Barcaui, MsC, PMP is a consultant and management coach, Brazil. bbbrothers@bbbrothers.com. Gerência de projetos: arte ou disciplina? By André Barcaui, MsC, PMP is a consultant and management coach, Brazil bbbrothers@bbbrothers.com.br O equilíbrio necessário para se tornar um excelente gerente

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Projetos tem por fornecer conhecimento teórico instrumental que

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade II GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade II GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade II GOVERNANÇA DE TI Estratégia e governança em TI Estratégia empresarial A palavra estratégia vem do grego strategus = "o general superior ou "generalíssimo. Strategia

Leia mais

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas 1) Resumo Executivo Descrição dos negócios e da empresa Qual é a ideia de negócio e como a empresa se chamará? Segmento

Leia mais

Ministério Público do Estado de Goiás

Ministério Público do Estado de Goiás Ministério Público do Estado de Goiás Apresentação Inicial PMO Institucional MP-GO 1 Um projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. Em muitos casos

Leia mais

Curso preparatório para exame de Certificação do ITIL V3.

Curso preparatório para exame de Certificação do ITIL V3. Curso preparatório para exame de Certificação do ITIL V3. Dentro do enfoque geral em conhecer e discutir os fundamentos, conceitos e as definições de Governança de TI - Tecnologia da Informação, bem como

Leia mais

Jonas de Souza H2W SYSTEMS

Jonas de Souza H2W SYSTEMS Jonas de Souza H2W SYSTEMS 1 Tecnólogo em Informática Fatec Jundiaí MBA em Gerenciamento de Projetos FGV Project Management Professional PMI Mestrando em Tecnologia UNICAMP Metodologia de apoio à aquisição

Leia mais

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação O Valor da TI Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Manual de administração

Manual de administração Manual de administração Como fazer outsourcing dos sistemas de informação Índice Introdução Passo 1 - Definir o enquadramento Passo 2 - Analisar os recursos e serviços internos Passo 3 - Analisar os recursos

Leia mais

PEN - Processo de Entendimento das Necessidades de Negócio Versão 1.4.0

PEN - Processo de Entendimento das Necessidades de Negócio Versão 1.4.0 PEN - Processo de Entendimento das Necessidades de Negócio Versão 1.4.0 Banco Central do Brasil, 2015 Página 1 de 14 Índice 1. FLUXO DO PEN - PROCESSO DE ENTENDIMENTO DAS NECESSIDADES DE NEGÓCIO... 3 2.

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE QUALITY MANAGEMENT PLAN Preparado por Mara Lúcia Menezes Membro do Time Versão 3 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 15/11/2010

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

1- Objetivo: Avaliar os conhecimentos adquiridos durante o auto treinamento de Governança de TI com as práticas da ITIL e Cobit.

1- Objetivo: Avaliar os conhecimentos adquiridos durante o auto treinamento de Governança de TI com as práticas da ITIL e Cobit. 1- Objetivo: Avaliar os conhecimentos adquiridos durante o auto treinamento de Governança de TI com as práticas da ITIL e Cobit. 2 Regras e Instruções: Antes de começar a fazer a avaliação leia as instruções

Leia mais

Modelagem de Processos de Negócio Departamento de Ciência da Computação - UFMG. Maturidade em BPM. (Business Process Management)

Modelagem de Processos de Negócio Departamento de Ciência da Computação - UFMG. Maturidade em BPM. (Business Process Management) Modelagem de Processos de Negócio Departamento de Ciência da Computação - UFMG Maturidade em BPM (Business Process Management) Douglas Rodarte Florentino Belo Horizonte, 21 de Junho de 2010 Agenda Introdução

Leia mais

Oracle Financing: A Maneira Mais Rápida e Acessível de Adquirir Soluções de TI

Oracle Financing: A Maneira Mais Rápida e Acessível de Adquirir Soluções de TI Oracle Financing: A Maneira Mais Rápida e Acessível de Adquirir Soluções de TI Para competir com eficácia, as empresas da atualidade precisam se adaptar a um ambiente tecnológico que sofre rápidas mudanças.

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

PRÁTICA O ESCRITÓRIO DE PROJETOS DA SUPERINTENDÊNCIA CENTRAL DE PLANEJAMENTO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS DO PAI

PRÁTICA O ESCRITÓRIO DE PROJETOS DA SUPERINTENDÊNCIA CENTRAL DE PLANEJAMENTO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS DO PAI PRÁTICA O ESCRITÓRIO DE PROJETOS DA SUPERINTENDÊNCIA CENTRAL DE PLANEJAMENTO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS DO PAI Secretaria/Órgão: Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PORTFOLIO DE SERVIÇOS

APRESENTAÇÃO DE PORTFOLIO DE SERVIÇOS APRESENTAÇÃO DE PORTFOLIO DE SERVIÇOS Versão 1 2010 A SIX SIGMA BRASIL apresenta a seguir seu portfolio de capacitação e consultoria de serviços de gerenciamento de projetos, processos (lean e seis sigma)

Leia mais

o planejamento, como instrumento de ação permanente; a organização do trabalho, como produto efetivo do planejamento;

o planejamento, como instrumento de ação permanente; a organização do trabalho, como produto efetivo do planejamento; FRANCISCO BITTENCOURT Consultor Sênior do MVC VISÃO, AÇÃO, RESULTADOS Visão sem ação é um sonho, sonho sem visão é um passatempo. Fred Polak INTRODUÇÃO No conhecido diálogo entre Alice e o gato Ceeshire,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 10 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 10 de Outubro de 2013. Revisão aula anterior Documento de Requisitos Estrutura Padrões Template Descoberta

Leia mais

PPG - Programa de Profissionalização da Gestão. Pequenas e Médias Empresas

PPG - Programa de Profissionalização da Gestão. Pequenas e Médias Empresas PPG - Programa de Profissionalização da Gestão Pequenas e Médias Empresas 2010 Comunidade de interesse em Gestão Empresarial + Convidados Discutir novas idéias e estimular o uso de conceitos e práticas

Leia mais

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br COBIT Governança de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Sobre mim Juvenal Santana Gerente de Projetos PMP; Cobit Certified; ITIL Certified; OOAD Certified; 9+ anos de experiência em TI; Especialista

Leia mais

Governança, risco e. compliance Chega de redundâncias. 24 KPMG Business Magazine

Governança, risco e. compliance Chega de redundâncias. 24 KPMG Business Magazine Governança, risco e compliance Chega de redundâncias 24 KPMG Business Magazine Programa Risk University transmite aos executivos uma visão abrangente dos negócios A crise financeira de 2008 ensinou algumas

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Resumo: A finalidade desse documento é apresentar o projeto de planejamento

Leia mais