AJES - FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DO VALE DO JURUENA ESPECIALIZAÇÃO EM MBA - GESTÃO EM AUDITORIA E CONTROLADORIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AJES - FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DO VALE DO JURUENA ESPECIALIZAÇÃO EM MBA - GESTÃO EM AUDITORIA E CONTROLADORIA"

Transcrição

1 AJES - FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DO VALE DO JURUENA ESPECIALIZAÇÃO EM MBA - GESTÃO EM AUDITORIA E CONTROLADORIA A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS EVELYN DE BRITO ALMEIDA ORIENTADOR: PROF. ILSO FERNANDES DO CARMO COMODORO/2014

2 AJES - FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DO VALE DO JURUENA ESPECIALIZAÇÃO EM MBA - GESTÃO EM AUDITORIA E CONTROLADORIA A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS EVELYN DE BRITO ALMEIDA ORIENTADOR: PROF. ILSO FERNANDES DO CARMO "Trabalho apresentado como exigência parcial para a obtenção do título de Especialização em MBA Gestão em Auditoria e Controladoria." COMODORO/2014

3 RESUMO A pesquisa traz um estudo interessante e de grande relevância sobre a importância da comunicação nas organizações empresariais. Tema este amplamente estudado por autores renomados, cujas teorias possibilitaram compreender logo de primeiro momento que a comunicação não só é importante, como é a base, o alicerce que dá forma à organização, fazendo-a ser aquilo que ela é. Buscamos ampliar essa pesquisa bibliográfica através de artigos em material físico e online, ampliando com isso os conceitos e também as análises, utilizando de um método bastante simples, mas eficaz, o de levantamento de dados e análises comparativas entre os autores. Ao aprofundar os estudos confirmamos que de fato, quanto se trata do tema comunicação no âmbito profissional, é fundamental investir na motivação dos funcionários, fornecendo possibilidades de novas idéias e estratégias, possibilitando a flexibilização quando acharem necessária, criando um ambiente comunicativo. Além de percebermos também que a comunicação é realmente necessária aos membros de organizações profissionais, para que haja entendimento entre as pessoas que convivem diariamente numa rotina profissional. Ela desempenha um importante papel nas organizações contemporâneas, contribuindo para a obtenção de um melhor resultado no relacionamento entre empresas e seus diversos públicos. Palavras Chave: Comunicação relacionamento empresas.

4 SUMÁRIO INTRODUÇÃO CAPÍTULO I REFERENCIAL TEÓRICO A COMUNICAÇÃO E SUA IMPORTÂNCIA Definições de Comunicação Objetivos da Comunicação A Comunicação nas Organizações Empresariais COMUNICAÇÃO INTERNA COMUNICAÇÃO EXTERNA AÇÕES DE COMUNICAÇÃO CORPORATIVA Propaganda corporativa Relações com a mídia Comunicações financeiras Relações com os empregados Relações com o governo Comunicação de crise CAPÍTULO II METODOLOGIA CAPÍTULO III ANÁLISE E DISCUSSÃO DE DADOS A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES 19 EMPRESARIAIS Principais fatores que influenciam na comunicação organizacional Ideal de comunicação entre gerência e funcionário Benefícios da comunicação eficiente entre organização, funcionários e clientes CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 27

5 INTRODUÇÃO Partindo do princípio de que a comunicação é essencial na vida das pessoas e que é através dela que se estabelecem os relacionamentos que possibilita o entendimento dos indivíduos, surgiu o interesse, como tema da presente pesquisa, verificar qual a importância da comunicação nas organizações empresariais, uma vez que a comunicação é um fato nas organizações, ou seja, não existe nenhuma organização sem uma prática comunicativa. O objetivo Geral que norteou o presente trabalho foi demonstrar a importância da comunicação nas organizações. Já os objetivos específicos pautaram-se em identificar os principais fatores que influenciam na comunicação organizacional; apontar o ideal de comunicação entre gerencia e funcionários; e, apresentar os benefícios da comunicação eficiente entre organização, funcionários e clientes. Sabe-se que o sucesso de uma organização depende das habilidades de comunicação de todos os envolvidos no processo, mas na visão do pesquisador, existem algumas situações, hipóteses, que acabam impossibilitando essa comunicação, haja vista que esse tema é conhecido superficialmente pela maioria das pessoas e acaba não sendo valorizado nas empresas e organizações, especialmente por parte dos funcionários. É um assunto complexo, que requer dedicação e estudo para obter maior compreensão sobre o mesmo. Sua aplicação na prática cotidiana depende de certo esforço, pois pode ser facilmente banalizada sua aplicação. É importante salientar que do ponto de vista empresarial é preciso considerar o relacionamento na qualidade de funcionários, existe uma comunicação eficiente que favoreça a sua preparação para o trabalho que desempenha? Será que Internamente, a empresa se preocupa com a preparação de seus funcionários? E externamente, como se dá esse processo relacional? Portanto, a pesquisa está disposta em três capítulos, sendo que logo no Primeiro Capítulo discorremos sobre as principais teorias que envolvem o tema pesquisado, com os seguintes descritores de artigos científicos:

6 05 comunicação, relacionamentos, e empresas. No Segundo Capítulo, é descrito como se deu os caminhos da pesquisa, ou seja, como foi realizado o trabalho através dos procedimentos metodológicos. No Terceiro e último Capítulo, é exposto o resultado do estudo, tendo como principais tópicos os fatores que influenciam na comunicação organizacional, o ideal de comunicação entre gerência e funcionário e os benefícios da comunicação eficiente entre organização, funcionários e clientes.

7 CAPÍTULO I REFERENCIAL TEÓRICO 1.1. A COMUNICAÇÃO E SUA IMPORTÂNCIA Desde os tempos mais remotos a comunicação foi objeto de descoberta e de aprendizagem dentro dos povos que habitavam na terra. Com o desenvolvimento e domínio da linguagem o homem passa a ser dono do seu próprio destino e começa a traçar suas primeiras conquistas, dentre elas a organização da sociedade como sendo um meio de sobrevivência distinta entre as nações. Ao dominar a linguagem, o homem vem vencendo as barreiras e descobrindo novas maneiras de relacionamentos que contribuem para um avanço mais significativo no uso de suas habilidades, bem como descobrindo na comunicação a interação e vantagens que proporciona maior produtividade no meio comercial. A globalização tal como disponibilização de novas tecnologias que estão contribuindo para a busca de se alcançar à necessidade de uma comunicação eficiente, o mercado passa a exigir daqueles que o compõem, que se tornem cada vez mais conscientes dos processos atuais de comunicação e das novas convenções transculturais, fazendo da fala um discurso necessário para o bom andamento de uma instituição, seja esta pública ou privada. Na busca desses entendimentos STONE elucida muito bem sobre a importância da comunicação quando diz que A comunicação eficaz é importante para as organizações por dois motivos. Primeiro porque é o processo través da qual os administradores realizam as funções de planejamento, organização, liderança e controle. Segundo, por ser a comunicação uma atividade à qual os administradores dedicam uma enorme proporção de seu tempo. (STONE e FREEMAN, 1999, p.526). Fazer com que os funcionários percebam a extensão e a velocidade das transformações no ambiente organizacional é uma oportunidade preciosa para a melhoria desse processo de comunicação no mundo dos negócios. A comunicação, nesta era da informação, é basicamente o processo de troca de informações, este processo é fundamental na vida de uma organização, porque nenhum indivíduo pode gerar sozinho todas as informações necessárias para a tomada de uma decisão.

8 07 Ainda para o entendimento desse tema KATZ e KAHN, contribuem com sua fala quando desmitificam a comunicação como sendo um intercâmbio nas informações dizendo: A comunicação é um intercâmbio de informações e transmissão de significados, é a própria essência de um sistema social ou uma organização. O insumo de energia física é dependente da informação a seu respeito e o insumo de energia humana é possibilitado por intermédio de atos comunicativos, semelhantes à transformação de energia (a realização de trabalho) depende da comunicação entre pessoas em cada subsistemas (KATZ e KAHN, 1974, p. 256). A comunicação é um fator de grande importância na vida dos indivíduos, pois ela é essencial na vida das pessoas e das organizações DEFINIÇÕES DE COMUNICAÇÃO De acordo com o dicionário Aurélio (1999), a comunicação é ato ou efeito de comunicar-se; ato ou efeito de emitir, transmitir e receber mensagens por meio de métodos ou processos convencionados quer através da linguagem falada ou escrita, quer de outros sinais signos ou símbolos. (FERREIRA, 2009, p. 512). Nesse sentido, podemos afirmar que a comunicação é o processo pelo qual a informação é trocada, compreendida e compartilhada por duas ou mais pessoas, geralmente com intenções de influenciar o comportamento. Não significa apenas enviar uma informação e sim torná-la comum entre as pessoas envolvidas. CHIAVENATO define comunicação como sendo a Troca de informações entre indivíduos, por isso constitui um dos processos fundamentais da experiência humana e da organização social. Comunicar significa tornar algo comum. A comunicação é uma ponte que transporta esse algo de uma pessoa a outra de uma organização para outra. (1999, p. 271). É considerado um elo importante entre os indivíduos, por isso ela requer um código para formular uma mensagem e a envia na forma de um sinal como ondas sonoras, letras impressas, símbolos por meio de um determinado canal como ar, fios, papel, a um receptor da mensagem que a decodifica e interpreta o seu significado. Na comunicação pessoal direta falada, ou seja, na conversão, emprega-se a linguagem como código, sendo reforçada por elementos de comunicação não verbal (sem uso de palavras), como movimento do corpo, olhares, gestos, expressões

9 08 faciais. A resposta, nesse tipo de comunicação é direta. A comunicação interpessoal também se pode dar distância, usando a escrita ou o telefone para transmitir as mensagens. Sendo assim THAYER considera que A comunicação é como um processo mediante o qual duas ou mais pessoas se endentem; é a mútua troca de idéias através de qualquer meio efetivo; transmissão ou intercâmbio de pensamentos, opiniões ou informações através da fala, da escrita, ou de simbolos, é a combinação de estímulos ambientais para produzir certo comportamento desejado por parte do organismo (1972, p. 31). No entanto a comunicação é uma atividade administrativa que tem, segundo THAYER (1972), dois propósitos principais, quais sejam: Proporcionar informações e compreensão necessária para que as pessoas possam conduzir-se nas suas tarefas. Proporcionar as atitudes necessárias que promovam motivação, cooperação e satisfação nos cargos. Estes dois propósitos, em conjunto, promovem um ambiente que conduz a um espírito de equipe e a um melhor desempenho nas tarefas, a comunicação significa compartilhar, e não apenas falar ou escrever. Ela envolve uma ponte de duas mãos, um tráfego duplo onde transitam significados que tornam comuns entre duas ou mais pessoas. De acordo com CHIAVENATO a comunicação, in verbis Através de confiança e calor humano no relacionamento; Através de preocupação com relação as pessoas; Através de um comportamento aberto; Através de disposição para mudanças; Quando o objetivo é ajudar e não penalizar; Quando a retroação não causa dano nenhum a ninguém; Através de um bom relacionamento com as pessoas; Através da percepção do impacto da comunicação sobre as pessoas. (1998, p. 623). Ou seja, a acomunicação, é a troca de idéias, opiniões, consulta aos demais, além de tornar algo comum, legível, fazer-se compreendido, entender as pessoas sem precisar fazer nenhum esforço para que a mensagem seja recebida com clareza e eficácia OBJETIVOS DA COMUNICAÇÃO

10 09 O objetivo da comunicação nas organizações, conforme BERLO (1999), é o de tornar os funcionários influentes, é influenciar os outros, o ambiente físico e a si próprio, tornar os colaboradores determinantes, e ter opção no andamento das coisas. Comunicação é antes de tudo, interação e diálogo, não podendo ser confundida com a simples transmissão unilateral de informações, mas no ambiente das organizações, a dimensão da comunicação quase sempre esta reduzida a um instrumento de divulgação e controle. Na análise das comunicações, BERLO (1999), aponta que se devem considerar os seguintes pontos: O que, o comunicador desejava que ocorresse como resultado de sua mensagem; O que pretendia que os outros acreditassem que pudessem fazer, que dissessem em conseqüência de sua comunicação; Tais questões parecem obvias, entretanto, freqüentemente os funcionários perdem de vista os propósitos de comunicação, e estes são formulados de tal modo que não é possível afirmar se estão sendo atingindo, ou não. BERLO possui o seguinte posicionamento Dissemos que o objetivo da comunicação é influenciar contudo esta discussão implica que o homem desconhece ou esqueci o seu objetivo. Isso não quer dizer que haja um objetivo próprio e que o homem deva estar ciente dele. Quer dizer que á um objetivo na comunicação do qual muitas vezes não estamos cônscios em nossa própria conduta (1999, p.13). Transportando essa consideração para o objetivo do estudo, o mundo organizacional, é possível verificar que muitos profissionais de organizações esquecem que estão procurando influenciar seus funcionários, preocupam-se em fazer reuniões ou concluir programas, mas de forma ineficiente causando uma percepção errônea de outra parte. Esse tipo de conduta organizacional, na verdade, contraria os fatores mais essenciais para tornar a comunicação eficiente, para fazer com que a mensagem seja percebida de maneira correta. Seguindo a análise de REDFIELD (1996), esses fatores resumem-se ao conhecimento nos seguintes pontos: Seguindo a análise de REDFIELD (1996), esses fatores resumem-se ao conhecimento nos seguintes pontos:

11 10 - Quem é o receptor pretendido? - Que objetivo tinha o emissor ao empenhar-se na comunicação? - Como pretende a fonte ou o receptor influenciar o comportamento? - Que espécie de efeito quer produzir? Após análise desse ponto a comunicação deve ser estabelecida, visualizando o bom andamento daquilo que se pretende alcançar, cabe aqui ressaltar que os interesses devem ser bem direcionados aos objetivos e ao tempo estabelecidos porque se não a comunicação ficará sem propósito. Segundo REDFIELD, a comunicação pode ser a permuta ou a troca de notícias in verbis: O propósito de qualquer comunicação é assegurar uma resposta positiva. Algumas respostas veem imediatamente e outras são demoradas; Na verdade, algumas tardam tanto que, não parecem mais relacionar-se com um estimulo particular. A resposta final pouco importando quão demorada, ou diminuta será, matematicamente falando, uma função do interesse e aceitação do destinatário com relação à mensagem (1966 p. 312) A COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Fazendo uma breve pesquisa na rede social verificamos que o tema comunicação é bastante amplo e tem muitos estudos a respeito, do mesmo modo encontramos uma infinidade de teóricos que discorre sobre o assunto com muita propriedade, apresentando a comunicação como sendo algo essencial nos dias atuais como tem sido ao longo dos séculos. Analisando do ponto de vista empresarial não é diferente, trata-se de um assunto extremamente importante, pois como bem define GONÇALVES (2003), a comunicação permite à organização comercial realizar melhor os seus projetos, ser mais performativa nos objetivos que lança como desafios. Além de ser mais unitária e mais comunitária, com prospectiva ante as múltiplas situações que surgem no caminho. O autor argumenta também que a comunicação visa conquistar a simpatia e a boa vontade, tendo em vista que o último objetivo da comunicação organizacional é veicular e consolidar o capital de confiança junto dos seus

12 11 públicos (internos e externos), carreando para a instituição credibilidade e reputação. Mas a magia publicitária ou técnicas avulsas de marketing não podem saldar o desinvestimento organizacional na invenção e realização das práticas mais cotidianas, pois...a ação comunicacional é um processo complexo e permanente e nem o mais apurado trabalho de marketing, nem a publicidade mais inventiva podem substituir a verdade e o comportamento organizacional. (GONÇALVES, 2003, p.504). Existe ainda uma outra questão, trata-se da equação simples que define mais facilmente a comunicação como o resultado de uma soma entre emissor, mensagem, receptor e feedback, isso na concepção de MATOS (2006), que a esse respeito diz que o receptor é considerado o maior obstáculo para a comunicação, pois muitos encaram a comunicação como uma simples troca de dados, o que, em sua opinião, é uma forma reducionista de classificar a comunicação humana. Portanto, comunicar-se não é tarefa fácil, depende de uma série de elementos favoráveis para se alcança o objetivo, especialmente porque necessita de um emissor preparado e um receptor disposto a ouvir. E, quando transferimos essa responsabilidade para o campo comercial, enfrentamos os mesmos desafios, pois o emissor que podemos nomear como sendo um vendedor, por exemplo, deseja vender seu produto, mas o receptor, que nesse caso classificamos como comprador, precisa estar disposto a, pelo menos, informarse sobre o esse produto e, sendo esta comunicação positiva, o vendedor pode até alcançar êxito e chegar à venda do produto. Contudo, essa comunicação dependerá de uma série de fatores COMUNICAÇÃO INTERNA Ocorre dentro das empresas, preparando os funcionários para alcançar os objetivos traçados pelas mesmas, nesse caso a comunicação é imprescindível, podemos dizer até que é algo fundamental, pois não existe possibilidade de transmissão de conhecimento sobre algo se não houver a comunicação.

13 12 Na concepção de MOREL, VIAN e NOVAES (2008), a comunicação interna é aquela voltada para os clientes internos da empresa, ou seja, os colaboradores que fazem parte do quadro de funcionários. Afinal, a comunicação interna deve transmitir as mensagens de acordo com as estratégias definidas pela área de recursos humanos e, nesse caso, a comunicação interna deve ser o elo entre a organização e os funcionários, ampliando essa comunicação para outros campos essenciais da empresa, como os clientes que buscam atendimento segundo suas necessidades, ampliar o diálogo é necessário, pois A comunicação interna tão-somente escolheria os melhores caminhos para atingir os objetivos que foram traçados pelos recursos humanos, ou seja, informar e conscientizar os colaboradores de quais são as ações que a empresa tem tomado e, ou, irá tomar para cumprir metas e objetivos propostos. (NEVES, 1998, p. 93). Nesse caso, há de se enxergar a comunicação internamente sem deixar de projetar o externo, haja vista que ambos são essenciais para se alcançar o esperado COMUNICAÇÃO EXTERNA Recorremos a GONÇALVES (2003), para dizer que junto dos públicos externos, a comunicação visa construir a informação pertinente e ajustada aos propósitos da organização, divulgando o seu projeto e promovendo as suas performances, colocando as, para apreciação e julgamento, ao alcance dos stakeholders, num processo de conquista de visibilidade e legitimidade. E que a comunicação constitui o ambiente favorável à construção do capital de confiança e proteção de que necessitam os que com ela interagem: dos potenciais consumidores dos seus serviços aos seus prescritores, sem esquecer os líderes de opinião e sua influência na construção da desejada imagem positiva AÇÕES DE COMUNICAÇÃO CORPORATIVA PROPAGANDA CORPORATIVA Pode ser definida, segundo MENDONÇA e ANDRADE (2003), como propaganda institucional que tem como objetivo a divulgação de uma organização

14 13 em seu todo, sendo forjada pela expressão norte-americana corporate advertising. Nela, a imagem e a identidade da organização são freqüentemente refletidas. Aqui o que se procura vender não é um produto ou serviço, mas sim a própria organização para grupos completamente diferenciados dos próprios clientes. Definem ainda que, normalmente a propaganda é constituída de mensagens pagas em veículos de comunicação de massa com o objetivo de criar, reformar ou transformar imagens e atitudes em favor da própria organização para grupos completamente diferenciados dos próprios clientes RELAÇÕES COM A MÍDIA Ainda na concepção de MENDONÇA e ANDRADE (2003), sobre a comunicação, as relações com a mídia objetiva moldar a imagem da organização por meio de terceiros. Dela ocupam-se especialistas que deve estar apto a realizarem pesquisas junto aos escritores e produtores, treinar gerentes para entrevistas, bem como controlar relações com repórteres e editores dos meios de comunicação. Trata-se, portanto, de uma atividade crítica considerando a competitividade nos negócios, de forma que, a partir dela, espera-se apresentar uma imagem positiva aos acionistas e a outros componentes críticos COMUNICAÇÕES FINANCEIRAS Também chamadas de relações com investidores ou relações com acionistas. Parafraseando MENDONÇA e ANDRADE (2003), nada mais é do que uma área que se destacou da comunicação corporativa, tendo um rápido crescimento e despertando um grande interesse em todas as organizações. Ela lida com analistas de mercado, que são normalmente uma fonte direta para a mídia financeira especializada. As comunicações financeiras também envolvem contato direto com grandes e pequenos investidores, além de produzir e divulgar publicamente demonstrações financeiras e relatórios anuais especializados.

15 RELAÇÕES COM OS EMPREGADOS Não há duvida alguma sobre a necessidade de se estabelecer uma comunicação aberta e direta com os funcionários, especialmente se considerarmos que Os empregados tornaram-se uma audiência diretamente ligada à imagem corporativa. A necessidade de manutenção de uma mão-de-obra cada vez mais especializada, com características demográficas diferentes e valores variáveis, demanda uma ação focada sobre os empregados por meio da denominada comunicação interna que hoje se ocupa em explicar os complicados pacotes de benefícios, a alteração de leis que afetam os empregados e as mudanças no mercado que podem transformar a organização no futuro (MENDONÇA e ANDRADE, 2003,p. 44). Com o surgimento da industrialização, segundo KUNSCH (2006), ocorreram mudanças que obrigaram as empresas a inovar a abordagem utilizada até então na comunicação com o público interno, por meio de publicações dirigidas especialmente aos empregados, e com o público externo, por meio de publicações centradas nos produtos, no caso as propagandas, para fazer frente à concorrência e a um novo processo de comercialização. KUNSCH (2006), esclarece ainda, que com todo processo de evolução e tendo sua importância aumentada nos processos de gestão e na divulgação institucional propriamente dita, a comunicação começou então a transformar suas características, sendo mais produzida, tecnicamente, e baseando-se em pesquisas de opinião junto aos diferentes públicos, até chegar ao estágio em que se encontra hoje em muitas organizações top e/ou modernas, onde atinge um grau de sofisticação na sua elaboração e, também, um caráter estratégico, tanto no âmbito dos negócios quanto no conjunto dos objetivos corporativos. Nesse sentido, DAMANTE e LOPES (2003), alertavam para importância de se valorizar a comunicação junto aos funcionários, haja vista que em razão do avanço das organizações modernas, a comunicação e recursos humanos já assumem igualmente a responsabilidade pelo relacionamento com os funcionários numa demonstração de que essa parceria contribui para o desenvolvimento não só dos negócios, mas da longevidade das empresas, sucesso das marcas e produtos. Desta feita, recorremos a concepção de VIGNERON (2000), para dizer que não há como negar que a comunicação é um instrumento

16 15 importante que permite resolver os problemas com muito mais facilidade e, assim, evitar os conflitos ou resolvê-los quando eles aparecem. Para o relacionamento e a cooperação funcionarem corretamente é necessário, segundo DAMANTE e LOPES (2003), ter organogramas claros, que deixem transparentes os circuitos oficiais e paralelos de comunicação, facilitando, assim, a interação horizontal e vertical na organização. A comunicação, na visão de VIGNERON (2000), provoca mudanças no comportamento dos indivíduos, através do desenvolvimento de atividades positivas em relação ao próprio desempenho, que culmina com a satisfação profissional. Os funcionários são parte integrante das empresas e depende deles o sucesso dos negócios, pois atuam em todas as fases e setores. Isso significa que, conforme DAMANTE e LOPES (2003), precisam estar inteirados da política da empresa, precisam do acesso direto com seus superiores, além da autonomia no desempenho de suas funções. Assim sendo, a comunicação se faz necessária cotidianamente RELAÇÕES COM O GOVERNO A comunicação também é necessária no âmbito do governo, haja vista os encargos e autorizações que as empresas dependem. As relações com o governo É normalmente denominada de negócios públicos (publicaffairs), sendo mais importante para alguns setores industriais do que para outros. Considerando a forte regulamentação, as relações com os governos, em todos os níveis, são negociadas por esses setores ou até mesmo dentro de um esforço individual. (MENDONÇA; ANDRADE, 2003, p.44). Surge daí a importância de se estabelecer um canal direito de comunicação, seja ela oral ou escrita, com o intuito de se garantir as necessidades da empresa junto ao governo competente COMUNICAÇÕES DE CRISE

17 16 Embora não seja uma ação cotidiana como as demais, segundo orientação de MENDONÇA e ANDRADE (2003), respostas potenciais a crises precisam ser planejadas e coordenadas por pessoal especializado em comunicação corporativa. MARCHIORI (1999), já dizia que as organizações têm mudando em razão da necessidade de ser mais competitiva, mais pró ativa, tendendo a um maior nível de comunicação informal do que formal, em função da necessidade das pessoas interagirem, sentirem-se mais próximas umas das outras. É importante esclarecer que segundo SILVA (2013), geralmente uma crise tem origem de situações negativas, naturais ou pessoais, e independentemente da origem, será necessário enfrenta-la com fatores como proatividade e comunicação efetiva. Diz ainda que ignorar um foco, um início de crise, considerando que com o tempo será esquecida, ou não dando a devida importância é certamente um grande erro. Por outro lado, a empresa deve ter o bom senso de não fazer alarde e sim, conduzir a situação com um tratamento mais profissional possível, e manifestar-se da forma que transmite um mínimo de humildade e o máximo de segurança.

18 CAPÍTULO II METODOLOGIA Para alcançar os objetivos desse trabalho, necessário se fez traçar caminhos embasados em metodologias de pesquisa científica, buscando a interpretação em lugar da mensuração, à descoberta em lugar da constatação, valorizando a indução e assumindo que fatos e valores estão intimamente relacionados, tornando-se inaceitável a postura neutra do pesquisador. A pesquisa bibliográfica, identifica e descreve as práticas do que se observa, buscando os significados que os teóricos apontam visando compreender como elas se estabelecem. É possível que nesse processo o investigador inserido no campo delineado para levantamento e estudo de dados bibliográficos, passe a conhecer e interagir com as situações nas quais se está investigando, pois... o caso se destaca por se constituir numa unidade dentro de um sistema mais amplo (...) incide naquele que ele tem de único, de particular, mesmo que posteriormente venham a ficar evidentes certas semelhanças com outros casos ou situações (LUDKE; ANDRÉ, 1986, p. 17) Portanto, a presente pesquisa trata-se de um estudo bibliográfico, estudo no qual foi realizado através de levantamento bibliográfico por meio de artigos na área de administração, gestão de pessoas e comunicação disponíveis na base de dados da Scielo e Google acadêmico. Os seguintes descritores foram utilizados para levantamento dos artigos científicos: comunicação, relacionamentos, e empresas. Seguindo essa vertente, é apresentado um levantamento de dados bibliográficos de teóricos renomados sobre o assunto, buscando nos seus conceitos, o suporte teórico que possibilitou uma análise, simples, mas bem fundamentada das principais ideias em torno do tema. Para amparar as averiguações, no período de janeiro a maio do corrente ano, realizamos estudo bibliográfico sobre as teorias relacionadas ao tema, sendo os autores os que mais se destacaram na pesquisa, SANTOS, MENDONÇA e ANDRADE, MATOS, CARDOSO, KUNSCH,

19 18 PESSONI e PORTUGAL, BRUAM entre outros relacionados nas referências bibliográficas. Esse processo metodológico possibilitou a verificação e fundamentação das análises dos dados com maior segurança, pois pudemos analisar os dados bibliográficos, confrontando as teorias de diferentes autores, possibilitando com isso a confirmação de que a comunicação no âmbito empresarial é essencial e está presente em todas as relações que se estabelece nesse ambiente, entre tantos outros apontamentos que apresentamos no presente trabalho.

20 CAPÍTULO III APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS DADOS 3.1. A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS A comunicação é essencial na vida das pessoas, seja no âmbito formal, seja no informal. É através dela que se estabelecem os relacionamentos que possibilita o entendimento dos indivíduos. E o mais interessante é que isso ocorre desde o surgimento do homem socialmente organizado, não há como negar a importância dessa ferramenta relacional em todas as áreas sociais, especialmente nas organizações empresariais de grande, médio ou pequeno porte. Todas precisam se valer da comunicação para alcançar seus mais simples objetivos. Recorremos a CARDOSO (2006), para dizer que no campo profissional, a comunicação é um fato nas organizações, ou seja, não existe nenhuma organização sem uma prática comunicativa, ainda que os processos comunicativos não sejam institucionalizados. Eles são essenciais para a operação da entidade e estão intimamente vinculados às formas de significar, valorar e expressar uma organização, isto é, ao processo comunicacional e constitutivo da cultura da organização, e de sua identidade, configurando imagens reconhecidas por seus diversos públicos internos e externos. CARDOSO (2006), define também que a comunicação pode ser entendida, então, como um alicerce que dá forma à organização, fazendo-a ser aquilo que ela é. Porém, isso não significa que a comunicação seja algo autônomo, porque ela será sempre correspondente à forma de ser daquilo que a engendra, neste caso, a empresa ou instituição. Contudo, a comunicação organizacional precisa ser compreendida, num âmbito mais geral,... como elemento que atravessa todas as ações de uma empresa ou organização e que configura, de forma permanente, a construção de sua cultura e identidade. Cada vez mais, torna-se claro como os processos de comunicação contribuem para desenvolver formas de inter-relação mais participativas e, portanto, mais comprometidas, dando maior flexibilidade às

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) - PCS A Política de Comunicação do Serviço

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores)

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) Negociação: conceitos e aplicações práticas Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) 2 a edição 2009 Comunicação na Negociação Comunicação, visão sistêmica

Leia mais

O gerenciamento da Comunicação Organizacional

O gerenciamento da Comunicação Organizacional O gerenciamento da Comunicação Organizacional Hilbert Reis Comunicação Social Jornalismo UFOP Pesquisador PIP/UFOP Índice 1 Otimização da comunicação integrada 1 2 Estratégias, planejamentos e a gestão

Leia mais

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS Amplitude de Controle Conceito Também denominada amplitude administrativa ou ainda amplitude de supervisão, refere-se ao número de subordinados que um

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Ana Carolina Trindade e-mail: carolinatrindade93@hotmail.com Karen

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE ITAPETININGA CURSO CBMAE ARTIGO DE NEGOCIAÇÃO. A importância da comunicação na negociação. Aluna: Bruna Graziela Alves Cleto

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE ITAPETININGA CURSO CBMAE ARTIGO DE NEGOCIAÇÃO. A importância da comunicação na negociação. Aluna: Bruna Graziela Alves Cleto ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE ITAPETININGA CURSO CBMAE ARTIGO DE NEGOCIAÇÃO A importância da comunicação na negociação Aluna: Bruna Graziela Alves Cleto TUTOR: EDUARDO VIEIRA 13/05/2013 1 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Público Interno e crises organizacionais: um estudo abordando a incidência de demissões motivadas pelo uso inadequado das redes sociais digitais

Público Interno e crises organizacionais: um estudo abordando a incidência de demissões motivadas pelo uso inadequado das redes sociais digitais Público Interno e crises organizacionais: um estudo abordando a incidência de demissões motivadas pelo uso inadequado das redes sociais digitais Penélope da Silva Almeida SANTOS Universidade Sagrado Coração

Leia mais

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs Vendas - Cursos Curso Completo de Treinamento em Vendas com - 15 DVDs O DA VENDA Esta palestra mostra de maneira simples e direta como planejar o seu trabalho e, também, os seus objetivos pessoais. Através

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Recursos Humanos Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 1.

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

Comunicação Empresarial e Processo Decisório. Prof. Ana Claudia Araujo Coelho

Comunicação Empresarial e Processo Decisório. Prof. Ana Claudia Araujo Coelho Prof. Ana Claudia Araujo Coelho Comunicar significa transmitir ideias, sentimentos ou experiências de uma pessoa para outra, tornar comum, participar, fazer saber, transmitir. ANDRADE (2008, p. 45) O resultado

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO Apesar de as empresas brasileiras estarem despertando para o valor das ações de educação corporativa em prol dos seus negócios, muitos gestores ainda

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação O artigo fala sobre os vários aspectos e desafios que devem ser levados em consideração quando se deseja transformar ou fortalecer uma cultura organizacional, visando a implementação de uma cultura duradoura

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014 Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 Este relatório baseia-se nas respostas apresentadas no Inventário de Análise Pessoal comportamentos observados através questionário

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa Como implementar Social Media na empresa 1 As razões: Empresas ainda desconhecem benefícios do uso de redes sociais Das 2,1 mil empresas ouvidas em estudo do SAS Institute e da Harvard Business Review,

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA)

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) A administração participativa é uma filosofia ou política de administração de pessoas, que valoriza sua capacidade de tomar decisões e resolver problemas,

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

Plano de Marketing. Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing

Plano de Marketing. Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing Plano de Marketing Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing 1 Plano de Marketing É o resultado de um processo de planejamento. Define o quevai ser vendido, por quanto,

Leia mais

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues.

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Ao longo da historia da Administração, desde seus primórdios, a partir dos trabalhos de Taylor e Fayol, muito se pensou em termos

Leia mais

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica

Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica Sistemas de Remuneração Tradicionais e a Remuneração Estratégica por Camila Hatsumi Minamide* Vivemos em um ambiente com transformações constantes: a humanidade sofre diariamente mudanças nos aspectos

Leia mais

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO Fábio William da Silva Granado 1 Marluci Silva Botelho 2 William Rodrigues da Silva 3 Prof Ms. Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO Realizou-se uma análise

Leia mais

CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL. LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO

CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL. LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO A presente pesquisa aborda os conceitos de cultura e clima organizacional com o objetivo de destacar a relevância

Leia mais

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS 1 FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS MAURICIO SEBASTIÃO DE BARROS 1 RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar as atuais

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional Política de Comunicação Institucional POLÍTICA PÚBLICA P DE COMUNICAÇÃO O homem é um ser social. O intercâmbio de suas experiências e de seus conhecimentos possibilitou que as pessoas se apropriassem dos

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

O Manual Tático do Marketing de Conteúdo

O Manual Tático do Marketing de Conteúdo O Manual Tático do Marketing de Conteúdo Um guia prático de como montar e executar uma estratégia de sucesso 2 ÍNDICE >> Como usar esse manual 3 >> A fundação de sua estratégia 5 >> Produção de Conteúdo

Leia mais

O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações

O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações Mariane Frascareli Lelis Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho UNESP, Bauru/SP e-mail: mariane_lelis@yahoo.com.br;

Leia mais

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Já passou a época em que o pedagogo ocupava-se somente da educação infantil. A pedagogia hoje dispõe de uma vasta

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

ATIVIDADE DE NEGOCIÇÃO

ATIVIDADE DE NEGOCIÇÃO ATIVIDADE DE NEGOCIÇÃO A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO NA NEGOCIAÇÃO RIO BRANCO- ACRE 2013 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...3 1- A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO...4 2- COMUNICAÇÃO E NEGOCIAÇÃO...6 2.1 Os quatros conceitos

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 2ª Série Processos Gerenciais CST em Gestão Financeira A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto

Leia mais

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil 10Minutos Futuro do trabalho Pesquisa sobre impactos e desafios das mudanças no mundo do trabalho para as organizações no B O futuro do trabalho Destaques Escassez de profissionais, novos valores e expectativas

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS Nadia Al-Bdywoui (nadia_alb@hotmail.com) Cássia Ribeiro Sola (cassiaribs@yahoo.com.br) Resumo: Com a constante

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Elisa Maçãs IDÉIAS & SOLUÇÕES Educacionais e Culturais Ltda www.ideiasesolucoes.com 1

Leia mais

Rua Baronesa do Engenho Novo, 189 Eng. Novo - Rio de Janeiro - RJ. Rua Buenos Aires, 12 / 12 o andar Centro - Rio de Janeiro - RJ

Rua Baronesa do Engenho Novo, 189 Eng. Novo - Rio de Janeiro - RJ. Rua Buenos Aires, 12 / 12 o andar Centro - Rio de Janeiro - RJ Manual do Cursista Copyright COP EDITORA LTDA. Todos os direitos reservados a COP EDITORA LTDA. Essa é uma co-edição entre a COP EDITORA LTDA e a FUNAGER - Fundação Nacional de Apoio Gerencial. Proibida

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL RESUMO Caroline Ferreira 1 O objetivo deste artigo é falar sobre Noticia institucional e o interesse cada vez maior das empresas em cuidar da sua imagem institucional.

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas

Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas Aula 05 Prof. Esp. Gladimir Ceroni Catarino gccatarino@senacrs.edu.br gladimir@gmail.com SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução.

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução. CÓDIGO DE ÉTICA Introdução. Os princípios Éticos que formam a consciência e fundamentam nossa imagem no segmento de recuperação de crédito e Call Center na conduta de nossa imagem sólida e confiável. Este

Leia mais

Auditoria Interna Como assessoria das entidades

Auditoria Interna Como assessoria das entidades Auditoria Interna Como assessoria das entidades Francieli Hobus 1 Resumo A auditoria interna vem se tornando a cada dia, uma ferramenta indispensável para as entidades. Isso está ocorrendo devido à preocupação

Leia mais

LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra

LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra INTRODUÇÃO As organizações vivem em um ambiente em constante transformação que exige respostas rápidas e efetivas, respostas dadas em função das especificidades

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Antes de tudo como sugestão aos donos de construtoras, incorporadoras, imobiliárias e escritórios de arquitetura

Leia mais

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO.

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

METAS E INDICADORES COMO DEFINIR OS INDICADORES?

METAS E INDICADORES COMO DEFINIR OS INDICADORES? METAS E INDICADORES COMO DEFINIR OS INDICADORES? Os indicadores permitem avaliação do desempenho da instituição, segundo três aspectos relevantes: controle, comunicação e melhoria. (MARTINS & MARINI, 2010,

Leia mais

Ora, é hoje do conhecimento geral, que há cada vez mais mulheres licenciadas, com mestrado, doutoramentos, pós-docs e MBA s.

Ora, é hoje do conhecimento geral, que há cada vez mais mulheres licenciadas, com mestrado, doutoramentos, pós-docs e MBA s. Bom dia a todos e a todas, Não é difícil apontar vantagens económicas às medidas de gestão empresarial centradas na igualdade de género. Em primeiro lugar, porque permitem atrair e reter os melhores talentos;

Leia mais

Imagem corporativa e as novas mídias

Imagem corporativa e as novas mídias Imagem corporativa e as novas mídias Ellen Silva de Souza 1 Resumo: Este artigo irá analisar a imagem corporativa, mediante as novas e variadas formas de tecnologias, visando entender e estudar a melhor

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais.

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais. Unidade de Projetos de Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais Branding Agosto de 2009 Elaborado em: 3/8/2009 Elaborado por: Apex-Brasil Versão: 09 Pág: 1 / 8 LÍDER DO GRUPO

Leia mais

Revista Inteligência Competitiva José Fonseca de Medeiros ABRAIC E A PROFISSÃO DE ANALISTA DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NO BRASIL

Revista Inteligência Competitiva José Fonseca de Medeiros ABRAIC E A PROFISSÃO DE ANALISTA DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NO BRASIL 244 ABRAIC E A PROFISSÃO DE ANALISTA DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NO BRASIL 1 Entrevista com Francisco Diretor de Articulação Nacional da ABRAIC, sobre a profissão de analista de inteligência competitiva

Leia mais

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado.

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. TECNICAS E TECNOLOGIAS DE APOIO CRM Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. Empresas já não podem confiar em mercados já conquistados. Fusões e aquisições

Leia mais

Implementação de estratégias

Implementação de estratégias Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Implementação de estratégias Agenda: Implementação de Estratégias Visão Corporativa sobre

Leia mais

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP Fatores e Indicadores de Desempenho ADP RESPONSABILIDADE / COMPROMETIMENTO COM A INSTITUIÇÃO - Assumir o compromisso na realização das atribuições - Atuar com disposição para mudanças - Buscar qualidade

Leia mais

7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO. 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo

7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO. 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo 7. POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO 7.1- Comunicação 7.2- Publicidade 7.3- Promoção 7.4- Marketing directo A COMUNICAÇÃO Comunicar Comunicar no marketing emitir mensagem para alguém emitir mensagem para o mercado

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Gerencial. Conexã Gerencial

Programa de Desenvolvimento Gerencial. Conexã Gerencial Conexão Gerencial é um programa modular de Desenvolvimento Gerencial cujos principais objetivos são: Promover um choque de cultura e competência gerencial e tornar mais efetivo o papel dos Gestores. Alinhar

Leia mais

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo 5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo Este estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão do uso das mídias sociais, como principal ferramenta de marketing da Casar é Fácil, desde o momento da sua

Leia mais

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL COD: NOR 312 APROVAÇÃO: Resolução DIREX Nº 009/2012 de 30/01/2012 NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO 1/17 ÍNDICE

Leia mais

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa. DIREITO DOS CLIENTES O que esperar de sua empresa de Executive Search Uma pesquisa de executivos envolve um processo complexo que requer um investimento substancial do seu tempo e recursos. Quando você

Leia mais

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ Acadêmica de Administração Geral na Faculdade Metropolitana de Maringá /PR - 2005 RESUMO: A atividade comercial

Leia mais

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores!

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Empreendedores Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Por meio de um método de aprendizagem único,

Leia mais

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes 1 SÉRIE DESENVOLVIMENTO HUMANO FORMAÇÃO DE LÍDER EMPREENDEDOR Propiciar aos participantes condições de vivenciarem um encontro com

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Gerência de projetos: arte ou disciplina? By André Barcaui, MsC, PMP is a consultant and management coach, Brazil. bbbrothers@bbbrothers.com.

Gerência de projetos: arte ou disciplina? By André Barcaui, MsC, PMP is a consultant and management coach, Brazil. bbbrothers@bbbrothers.com. Gerência de projetos: arte ou disciplina? By André Barcaui, MsC, PMP is a consultant and management coach, Brazil bbbrothers@bbbrothers.com.br O equilíbrio necessário para se tornar um excelente gerente

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

MARKETING EM REDES SOCIAIS RESUMO

MARKETING EM REDES SOCIAIS RESUMO MARKETING EM REDES SOCIAIS Bruna Karine Ribeiro Simão Instituto Federal de Mato Grosso do Sul Campus Nova Andradina bruna_simao@hotmail.com Rodrigo Silva Duran Instituto Federal de Mato Grosso do Sul Campus

Leia mais

6 Considerações Finais

6 Considerações Finais 6 Considerações Finais Este capítulo apresenta as conclusões deste estudo, as recomendações gerenciais e as recomendações para futuras pesquisas, buscadas a partir da análise dos casos das empresas A e

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais