SIMPLES NACIONAL, Lucro Presumido Cenário Atual e Mudanças para 2016

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SIMPLES NACIONAL, Lucro Presumido Cenário Atual e Mudanças para 2016"

Transcrição

1 SIMPLES NACIONAL, Lucro Presumido Cenário Atual e Mudanças para 2016 Rafael Borin Consultor Tributário da Fecomércio RS Sócio de Rafael Pandolfo Advogados associados

2 LINHA DO TEMPO Simples Federal, Regimes Especiais Estaduais e Regimes Municipais UNIFICAÇÃO ICMS, IPI, ISS UNIVERSALIZAÇÃO FATURAMENTO até 3,6 MI 2016 FATURAMENTO até 14,4 MI e ICMS POR FORA Lei Complementar 123 Unificação dos Regimes Lei Complementar 147 Universalização do Simples PL nº 448/2014 Majoração do faturamento 2

3 LC 147/14 NOVAS ATIVIDADES Anexo I - Comércio (4% a 11,61%) ou Anexo II Indústria (4,5% a 12,11%) + Comércio atacadista e Produção de refrigerantes, inclusive águas saborizadas gaseificadas; preparações compostas. Vigência: ; Anexo III (6% a 17,42%) + transporte intermunicipal e interestadual de passageiros fluvial ou urbano, metropolitano ou fretamento contínuo de trabalhadores e estudantes, Fisioterapia, Corretagem de seguros, serviços vinculados à locação de bens imóveis e corretagem de imóveis e Farmácias de manipulação. Vigência: 2015; Anexo IV (4,5% a 16,85% + CPP por fora ) serviços de vigilância, limpeza ou conservação + Advocacia. Vigência: ; Anexo V (de 8% a 22,90%, conforme fator r + ISS do Anexo IV) academias, elaboração e lincenciamento de softwares, planejamento, elaboração e manutenção de páginas eletrônicas, laboratórios, próteses + administração e locação de imóveis de terceiros (não mais cumulativamente). Vigência: 2015.

4 Anexo VI (16,93% a 22,45%): Vigência: medicina, inclusive laboratorial e enfermagem; medicina veterinária; odontologia; psicologia, psicanálise, terapia ocupacional, acupuntura, podologia, fonoaudiologia e de clínicas de nutrição, de vacinação e bancos de leite; serviços de comissária, de despachantes, de tradução e de interpretação; arquitetura, engenharia, medição, cartografia, topografia, suporte e análises técnicas e tecnológicas, pesquisa, agronomia; perícia, leilão e avaliação; auditoria, economia, consultoria, gestão, organização, controle e administração; design, jornalismo e publicidade; agenciamento, exceto de mão-de-obra; outras atividades do setor de serviços decorrentes do exercício de ATIVIDADE INTELECTUAL, DE NATUREZA TÉCNICA, CIENTÍFICA, DESPORTIVA, ARTÍSTICA OU CULTURAL, que constitua PROFISSÃO REGULAMENTADA OU NÃO, desde que não sujeitas à tributação na forma dos Anexos III, IV ou V da LC 123/2006.

5 Adesão ao Simples Nacional Atividade CNAE TOTAL 1º - Escritórios de Advocacia º - Corretores de Seguro º - Atividades Odontológicas º - Atividade de Fisioterapia º - Corretagem na compra e venda e avaliação de imóveis Fonte: Portal Simples Nacional, para o ano de 2015.

6

7 Carga Tributária Escritórios de Advocacia antes da LC 147/14. Lucro Presumido: Carga mínima de 11,33% (PIS/COFINS, IRPJ sem adicional, CSLL); Algumas obrigações acessórias; INSS: 20% sobre a folha de salários; ISS fixo por profissional; Contribuições a Terceiros: 5,8%.

8 Carga Tributária Escritórios de Advocacia após a LC 147/14. Simples Nacional: Alíquota varia de 4,5% a 16,85% sobre Receita Bruta; Uma única obrigação acessória; INSS: 21% sobre a folha de salários ( por fora do SIMPLES); ISS sobre Receita Bruta; Contribuições a Terceiros (5,8%): isento.

9 O Simples Nacional está mais vantajoso que o lucro presumido e como ficará esse comparativo em 2016?

10 SIMULAÇÃO 1 (2015) Serviços de Advocacia

11 11,33% ISS FIXO INSS: 26,8% 11,33% ISS FIXO INSS: 26,8% 4,50% INSS: 21% 6,54% INSS: 21%

12 11,33% ADICIONAL IRPJ ISS FIXO INSS: 26,8% 11,51% INSS: 21% 11,33% ISS FIXO INSS: 26,8% 8,49% INSS: 21%

13 15,50% INSS: 21% 11,33% INSS: 26,8% 13,25% INSS: 21%

14 MAIO ABRIL JUNHO JULHO AGOSTO SETEMBRO , MIL 170 MIL 180 MIL 1,3 MILHÃO 285 MIL 315 MIL HONORÁRIOS DE ÊXITO Receita Bruta Anual Alíquota SN R$ ,00 13,25% Receita Bruta Anual Alíquota SN R$ ,00 16,85% Lucro Presumido 11,33%

15 Conclusões para 2015 Nas faixas iniciais o SIMPLES é mais vantajoso Acima de 3 milhões/ano o LUCRO PRESUMIDO é mais econômico Fatores favorecedores do SIMPLES: alíquotas reduzidas de IRPJ, CSLL, PIS e COFINS e a isenção do INSS sobre terceiros (5,8%) Fatores prejudiciais ao SIMPLES: ISS de 5% sobre a receita bruta e o IRPJ de 6,12% A transição para o lucro presumido será mais tranquila

16 E o que esperar para 2016? Aumento do Limite da Receita Bruta (abrangência até 14,4 milhões); Inclusão da CPP na alíquota do Simples; ISS calculado dentro do SIMPLES com alíquotas de 5%, exceto na primeira faixa (2%).

17 Serviços de Advocacia Receita Bruta Anual Alíquota 2015 Alíquota Efetiva 2016 *CPP por dentro 180 mil reais 4,50% 6% 360 mil reais 6,54% 8,53% 720 mil reais 8,49% 11% 1,5 milhões de reais 9,78% 14% 2,16 milhões de reais 13,25% 16% 3,06 milhões de reais 15,50% 17% 3,6 milhões de reais 16,85% 27% 7,2 milhões de reais - 24% 10 milhões de reais - 25% 14 milhões de reais - 26%

18 SIMULAÇÃO 2 (2016) Serviços de Advocacia

19 6,54% 8,53% 4,50% 6 %

20 11,33% ISS FIXO INSS: 26,8 4,50% 14% 11,33% 8,49% 11 %

21 11,33% 15,50% 17% 11,33% 13,25% 16%

22 Comparativos Serviços de Consultoria (Anexo VI) Lucro Presumido Simples Nacional (LC nº 123/2006)

23 17,72% 16,33% INSS: 26,8% 16,93%

24 11,33% INSS 26,8% 21,17% 11,33% INSS 26,8% 18,77%

25 Conclusões Finais Os benefícios do SIMPLES dependem do estudo de caso. A experiência de outros países que também possuem um sistema simplificado revela a grande adesão face à desburocratização do sistema. Enfrentamento de um questionamento: o SIMPLES será um sistema de simplificação e/ou de redução de tributos? É possível relativizar o tratamento favorecido previsto na CF?

26 MUITO OBRIGADO

ANEXO I Partilha do Simples Nacional Comércio Abrange: IRPJ - CSLL - COFINS - PIS - CPP - ICMS Efeitos a partir de 01/01/2018

ANEXO I Partilha do Simples Nacional Comércio Abrange: IRPJ - CSLL - COFINS - PIS - CPP - ICMS Efeitos a partir de 01/01/2018 ANEXO I Partilha do Simples Nacional Comércio Abrange: IRPJ - CSLL - COFINS - PIS - CPP - ICMS 1a. Faixa De 0,00 a 180.000,00 15.000,00 4,00% 0,00 0,000% a 4,000% 2a. Faixa De 180.000,01 a 360.000,00 30.000,00

Leia mais

ANEXO I Partilha do Simples Nacional Comércio Abrange: IRPJ - CSLL - COFINS - PIS - CPP - ICMS Efeitos a partir de 01/01/2018

ANEXO I Partilha do Simples Nacional Comércio Abrange: IRPJ - CSLL - COFINS - PIS - CPP - ICMS Efeitos a partir de 01/01/2018 ANEXO I Partilha do Simples Nacional Comércio Abrange: IRPJ - CSLL - COFINS - PIS - CPP - ICMS Receita Bruta em 12 meses Simulação Efetiva 1a. De 0,00 a 180.000,00 15.000,00 4,00% 0,00 0,00% a 4,00% 2a.

Leia mais

Anexo I Partilha do Simples Nacional Comércio Efeitos a partir de 01/01/2015

Anexo I Partilha do Simples Nacional Comércio Efeitos a partir de 01/01/2015 Anexo I Partilha do Simples Nacional Comércio Receita Bruta em 12 meses (em R$) Média ICMS Rio de Janeiro Nova Alíquota Alíquota IRPJ CSLL Cofins PIS/Pasep CPP ICMS Mensal Alíquota Redução Simples RJ Até

Leia mais

COMO ABRIR SUA EMPRESA

COMO ABRIR SUA EMPRESA COMO ABRIR SUA EMPRESA Ricardo Coelho Redução na Tributação com base nos tipos de contratação CLT Pessoa Jurídica TIPOS DE CONTRATAÇÃO: CLT, AUTÔNOMO, PESSOA JURÍDICA TRIBUTAÇÃO DA PESSOA FÍSICA: 27,5%

Leia mais

SIMPLES NACIONAL PARA 2018 ALTERAÇÕES DA LEGISLAÇÃO

SIMPLES NACIONAL PARA 2018 ALTERAÇÕES DA LEGISLAÇÃO SIMPLES NACIONAL PARA 2018 ALTERAÇÕES DA LEGISLAÇÃO Apresentador: Márcio Schuch Silveira, Contador, Mestre em Ciências Contábeis, Empresário Contábil, Vice-Presidente Técnico do CRCRS e professor universitário.

Leia mais

/COP

/COP Proposição n. 49.0000.2013.002651-0/COP Origem: Diretoria do Conselho Federal da OAB. Assunto: Simples Nacional. Escritório de Advocacia. Projeto de Lei do Senado n. 467/2008. Relator: Conselheiro Federal

Leia mais

Palestra. expert PDF. Trial. As mudanças no Simples Nacional. Novembro Elaborado por:

Palestra. expert PDF. Trial. As mudanças no Simples Nacional. Novembro Elaborado por: Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SOCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS UnUCSEH MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SOCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS UnUCSEH MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SOCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS UnUCSEH MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI Anna Laura Lins Teixeira Anápolis GO 2014 3. Trabalhista Com exceção

Leia mais

2015, SEBRAE/RS. Atualização: Outubro 2017

2015, SEBRAE/RS. Atualização: Outubro 2017 SIMPLES NACIONAL 2015, SEBRAE/RS Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Sul É proibida a duplicação ou a reprodução deste volume, total ou parcialmente, por quaisquer meios, sem

Leia mais

ASSUNTO: Simples Nacional e a Lei Complementar 155/2016 O que passa a valer em 2017 e 2018

ASSUNTO: Simples Nacional e a Lei Complementar 155/2016 O que passa a valer em 2017 e 2018 NOTA TÉCNICA nº 003/2017 ASSUNTO: Simples Nacional e a Lei Complementar 155/2016 O que passa a valer em 2017 e 2018 DATA: 19/01/2017 1. Introdução A fonte de todo esse material é a Lei Complementar 155/2017,

Leia mais

Tabela Completa Lei Complementar 123 Anexo I - Atividades de Comércio Receita Bruta em 12 meses (em R$) ALÍQUOTA TOTAL CSLL COFINS PIS/PASEP INSS ICMS

Tabela Completa Lei Complementar 123 Anexo I - Atividades de Comércio Receita Bruta em 12 meses (em R$) ALÍQUOTA TOTAL CSLL COFINS PIS/PASEP INSS ICMS Tabela Completa Lei Complementar 123 Anexo I - Atividades de Comércio Receita Bruta em 12 meses (em R$) ALÍQUOTA IRPJ TOTAL CSLL COFINS PIS/PASEP INSS ICMS Até 120.000,00 4,00% 0,00% 0,21% 0,74% 0,00%

Leia mais

Estudo regime tributário Empresas de Arquitetura e Urbanismo

Estudo regime tributário Empresas de Arquitetura e Urbanismo www.caubr.gov.br Estudo regime tributário Empresas de Arquitetura e Urbanismo Histórico A Lei Complementar nº 147, de 7 de agosto de 2014, alterou a Lei Complementar nº 123, de 2006,que institui o Estatuto

Leia mais

O QUE MUDA NO SIMPLES NACIONAL PARA 2018 Com base na Lei Complementar nº 155/16. Ana Paula Haskel & Filipe Rocha Batista Gomes

O QUE MUDA NO SIMPLES NACIONAL PARA 2018 Com base na Lei Complementar nº 155/16. Ana Paula Haskel & Filipe Rocha Batista Gomes O QUE MUDA NO SIMPLES NACIONAL PARA 2018 Com base na Lei Complementar nº 155/16 & Filipe Rocha Batista Gomes Programa: 1 - DEFINIÇÃO E CONCEITOS BÁSICOS - MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE 1.1 -

Leia mais

Simples Nacional Novas Regras para 2018

Simples Nacional Novas Regras para 2018 Simples Nacional Novas Regras para 2018 Centro de Estudos Especial Josefina do Nascimento Pinto 26-11-2017 Conteúdo programático 1 Lei Complementar nº 155/2016 2 Novo Limite do Simples Nacional 3 Novas

Leia mais

SIMPLES NACIONAL IMPEDIMENTOS. Rafael Borin Consultor Tributário da Fecomércio RS Juiz do TARF Sócio de Rafael Pandolfo Advogados Associados

SIMPLES NACIONAL IMPEDIMENTOS. Rafael Borin Consultor Tributário da Fecomércio RS Juiz do TARF Sócio de Rafael Pandolfo Advogados Associados SIMPLES NACIONAL IMPEDIMENTOS Rafael Borin Consultor Tributário da Fecomércio RS Juiz do TARF Sócio de Rafael Pandolfo Advogados Associados 9 milhões 602 Mil MPE s 53% dos empregos formais do Brasil estão

Leia mais

ANEXO III Partilha do Simples Nacional SERVIÇOS

ANEXO III Partilha do Simples Nacional SERVIÇOS SERVIÇOS LOCAÇÃO DE BENS MÓVEIS Receitas decorrentes da locação de bens móveis; A receita decorrente da locação de bens móveis é tão-somente aquela decorrente da exploração de atividade não definida na

Leia mais

Simples Nacional Principais Alterações com efeitos a partir de 1º

Simples Nacional Principais Alterações com efeitos a partir de 1º EDIÇÃO EXTRA - 23 de janeiro de 2017 Simples Nacional Principais Alterações com efeitos a partir de 1º.01.2018 Por meio da Lei Complementar nº 155, de 27.10.2016, publicada na edição do DOU de 28.10.2016,

Leia mais

SIMPLES NACIONAL. Corretor de Imóveis

SIMPLES NACIONAL. Corretor de Imóveis SIMPLES NACIONAL Corretor de Imóveis MARIA RICARTE CRC-CE: 016078/O-9 Contadora, graduada em Ciências Contábeis pela Universidade Estadual do Ceará UECE. Profissional com vastos conhecimentos nas áreas:

Leia mais

SIMPLES NACIONAL - ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO LEI COMPLEMENTAR 155/2016

SIMPLES NACIONAL - ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO LEI COMPLEMENTAR 155/2016 SIMPLES NACIONAL - ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO LEI COMPLEMENTAR 155/2016 EFEITOS A PARTIR DE 28/10/2016 (DATA DA PUBLICAÇÃO) PARCELAMENTO DO SIMPLES NACIONAL EM ATÉ 120 MESES Criado o parcelamento de débitos

Leia mais

TABELAS DE ALÍQUOTAS A PARTIR DE 2015 ANEXO I DA LEI COMPLEMENTAR 123, DE 14 12 2006. Até 180.000,00 4,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 2,75% 1,25%

TABELAS DE ALÍQUOTAS A PARTIR DE 2015 ANEXO I DA LEI COMPLEMENTAR 123, DE 14 12 2006. Até 180.000,00 4,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 2,75% 1,25% ... Informativo 0 Página 0 Ano 2015 TABELAS DE ALÍQUOTAS A PARTIR DE 2015 ANEXO I DA LEI COMPLEMENTAR 123, DE 14 12 2006 Alíquotas e Partilha do Simples Nacional Comércio Receita Bruta em 12 meses (em

Leia mais

Alterações do Simples Nacional Lei Complementar 155/2016

Alterações do Simples Nacional Lei Complementar 155/2016 Alterações do Simples Nacional Lei Complementar 155/2016 Faturamento Vigência: 2018 De R$3.600.000,00 para R$4.800.000,00; Majoração apenas para tributos federais; ISS e ICMS devem ser recolhidos de forma

Leia mais

SIMPLES NACIONAL NOVAS REGRAS PARA 2018 Daniel Augusto Hoffmann

SIMPLES NACIONAL NOVAS REGRAS PARA 2018 Daniel Augusto Hoffmann SIMPLES NACIONAL NOVAS REGRAS PARA 2018 Daniel Augusto Hoffmann NOVOS LIMITES PARA MEI e EPP TRIBUTOS FEDERAIS: MEI R$ 81.000,00/ANO (R$ 6.750/mês); ME - igual ou inferior a R$ 360.000,00 / ANO; EPP maior

Leia mais

Simples nacional / lucro presumido

Simples nacional / lucro presumido Simples nacional / lucro presumido Exemplo 1: Anexo I comércio Uma Empresa comercial, que não auferiu receita decorrente de venda de mercadorias sujeitas à substituição tributária ou receita de exportação,

Leia mais

Simples Nacional: noções básicas e alterações trazidas pela LC 155/2016 Silas Santiago

Simples Nacional: noções básicas e alterações trazidas pela LC 155/2016 Silas Santiago Simples Nacional: noções básicas e alterações trazidas pela LC 155/2016 Silas Santiago Secretário-Executivo Comitê Gestor do Simples Nacional Ministério da Fazenda 1 Parte 1: Noções básicas 2 1. Introdução:

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste

Universidade Estadual do Centro-Oeste INFORMATIVO Nº 02/2016-DICON Assunto: IRRF Imposto de Renda Retido na Fonte Fato Gerador Em se tratando de retenção de IRRF o fato gerador, que ocasiona a retenção são AS IMPORTÂNCIAS E/OU RENDIMENTOS

Leia mais

SIMPLES NACIONAL Novas Regras

SIMPLES NACIONAL Novas Regras SIMPLES NACIONAL Novas Regras Aprovadas pela LC 155 27/10/2016 novembro de 2016 Introdução A Lei Complementar 155 altera profundamente as regras do regime tributário conhecido como SIMPLES NACIONAL, mas

Leia mais

A regulamentação e o aperfeiçoamento da Lei Geral da MPE no campo tributário. Lei Geral da Micro e Pequena Empresa

A regulamentação e o aperfeiçoamento da Lei Geral da MPE no campo tributário. Lei Geral da Micro e Pequena Empresa A regulamentação e o aperfeiçoamento da Lei Geral da MPE no campo tributário. Correção dos valores estipulados pela lei. Índices Período abrangido IGP-M IGP-DI INPC 18,39 17,20 18,42 +R$ 2.880.000,00 Vigência

Leia mais

Departamento de Desenvolvimento Profissional

Departamento de Desenvolvimento Profissional Departamento de Desenvolvimento Profissional Análise das Regras Tributárias Atuais do Simples Nacional - MPE Samanta Pinheiro da Silva samanta@consultoriainovar.com.br Rio de Janeiro - RJ Setembro - 2017

Leia mais

Objetivo SIMPLES NACIONAL 2015. Lucro Real. Outros Modelos de Tributação. Compreender como funciona o SIMPLES

Objetivo SIMPLES NACIONAL 2015. Lucro Real. Outros Modelos de Tributação. Compreender como funciona o SIMPLES Objetivo SIMPLES NACIONAL 2015 Vicente Sevilha Junior setembro/2014 Compreender como funciona o SIMPLES Entender quais atividades podem ou não optar pelo SIMPLES Analisar as tabelas e percentuais do SIMPLES

Leia mais

Altera a LC 123/2006 para reorganizar e simplificar a metodologia de apuração do imposto.

Altera a LC 123/2006 para reorganizar e simplificar a metodologia de apuração do imposto. Altera a LC 123/2006 para reorganizar e simplificar a metodologia de apuração do imposto. Altera outros dispositivos de Leis SIMPLES NACIONAL ALTERAÇÕES DA LEI COMPLEMENTAR 123/2006 INCLUÍDAS PELA LEI

Leia mais

1) TRIBUTOS FEDERAIS (aplicados ao Comércio ) 2) PERFIL DO CONTADOR MODERNO

1) TRIBUTOS FEDERAIS (aplicados ao Comércio ) 2) PERFIL DO CONTADOR MODERNO 1) TRIBUTOS FEDERAIS (aplicados ao Comércio ) 2) PERFIL DO CONTADOR MODERNO Maria Alzirene Mota de Brito Empresária da Contabilidade (92) 99981-9878 / 99116-6622 TÓPICOS PARA ABORDAGEM 1) QUAIS TRIBUTOS

Leia mais

Simples nacional: legislação, alíquotas, vantagens e desvantagens para as empresas optantes

Simples nacional: legislação, alíquotas, vantagens e desvantagens para as empresas optantes Simples nacional: legislação, alíquotas, vantagens e desvantagens para as empresas optantes Por: Ademar Cardec Seccatto O Simples Nacional foi instituído pela Lei Complementar 123, de 15 de dezembro de

Leia mais

FISCAL. NFC-e NOTA FISCAL DE CONSUMIDOR ELETRÔNICA. II Contribuintes com faturamento superior a R$ ,00 01/11/

FISCAL. NFC-e NOTA FISCAL DE CONSUMIDOR ELETRÔNICA. II Contribuintes com faturamento superior a R$ ,00 01/11/ BOLETIM INFORMATIVO DUARTE BENETTI CONTABILIDADE ANO XXX Nº 131 SETEMBRO / 2014 Fiscal...1 Pessoal... 3 Assuntos Diversos...3 Feriado e Agenda Obrigações...4 Mensagem...5 FISCAL NFC-e NOTA FISCAL DE CONSUMIDOR

Leia mais

FÓRUM SIMPLES NACIONAL - Alterações introduzidas pela Lei Complementar nº 147/2014

FÓRUM SIMPLES NACIONAL - Alterações introduzidas pela Lei Complementar nº 147/2014 - Alterações introduzidas pela Lei Complementar nº 147/2014 Palestrantes: Juliana Maurília Martins Márcia Assumpção Lima Momm Filipe Rocha Batista Gomes MÓDULO I SIMPLES NACIONAL Juliana M. Martins 3 SIMPLES

Leia mais

O SUPER SIMPLES E AS EMPRESAS DO RAMO DE SAÚDE José Alberto C. Muricy e. Colaboração: Daniel Queiroz Filho Outubro/2014

O SUPER SIMPLES E AS EMPRESAS DO RAMO DE SAÚDE José Alberto C. Muricy e. Colaboração: Daniel Queiroz Filho Outubro/2014 O SUPER SIMPLES E AS EMPRESAS DO RAMO DE SAÚDE José Alberto C. Muricy e Jorge Pereira de Souza Colaboração: Daniel Queiroz Filho Outubro/2014 PROGRAMA A INTRODUÇÃO DO SUPER SIMPLES PARA OS SERVIÇOS DE

Leia mais

Caminho Jurídico do Empreendedor

Caminho Jurídico do Empreendedor Caminho Jurídico do Empreendedor Introdução Início de Atividade Empresária requer: Modelo de empresas/tipos societários; Contrato social, Registro de marcas e patentes; Elaboração e estudo de contratos

Leia mais

MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS. Alessandro Dessimoni

MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS. Alessandro Dessimoni MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS Alessandro Dessimoni Temas abordados 1. Alta carga tributária; 2. A burocracia e entraves da legislação; 3. Interpretação restritiva do Fisco sobre

Leia mais

SIMPLES NACIONAL PROF. DR. AMAURY JOSE REZENDE

SIMPLES NACIONAL PROF. DR. AMAURY JOSE REZENDE SIMPLES NACIONAL PROF. DR. AMAURY JOSE REZENDE SIMPLES NACIONAL Tributo federal Lei Complementar 123/2006 e 128/2008 Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas

Leia mais

IRPJ, CSLL, PIS, COFINS

IRPJ, CSLL, PIS, COFINS Alguns Clientes O objetivo da Studio Fiscal é oferecer serviços de consultoria tributária, buscando otimizar a carga tributária das empresas com base em trabalhos que envolvem gestão contábil, fiscal e

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Super simples lei complementar 123/2006 Valdivino Alves de Sousa * Antes de entrar no assunto primeiro vou esclarecer o que é uma Lei complementar conforme o nosso ordenamento jurídico.

Leia mais

1.LEI COMPLEMENTAR Nº 155, DE 27 DE OUTUBRO DE 2016

1.LEI COMPLEMENTAR Nº 155, DE 27 DE OUTUBRO DE 2016 Este material não substitui a norma completa, e não deve ser utilizado como única fonte de consulta sobre o tema Simples Nacional. Nosso objetivo é apresentar de forma didática e objetiva as principais

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 155, DE 27 DE OUTUBRO DE 2016

LEI COMPLEMENTAR Nº 155, DE 27 DE OUTUBRO DE 2016 VIGÊNCIA IMEDIATA (após a regulamentação) 1 - SIMPLES NACIONAL - PARCELAMENTO COM 120 PARCELAS - ART. 9º - PROCEDIMENTOS a) OPÇÃO PRÉVIA E EFEITOS SOBRE A EXCLUSÃO (por meio de ADE/2016) O contribuinte

Leia mais

A Lei Geral da MPE. SEBRAE Rio de Janeiro 05 de outubro de 2004

A Lei Geral da MPE. SEBRAE Rio de Janeiro 05 de outubro de 2004 A Lei Geral da MPE A Lei Geral da MPE SEBRAE Rio de Janeiro 05 de outubro de 2004 Ricardo Tortorella: Economista, Mestrado em Finanças Públicas, Consultor do Fundo Monetário Internacional, do Banco Mundial

Leia mais

CURSO ANALISTA FISCAL FORTALEZA/CE - TURMA 18

CURSO ANALISTA FISCAL FORTALEZA/CE - TURMA 18 CURSO ANALISTA FISCAL FORTALEZA/CE - TURMA 18 A função de Analista Fiscal é uma das mais nobres na área fiscal de um estabelecimento, tendo em vista sua importância na verificação do processamento de todo

Leia mais

Simples Nacional: noções básicas e alterações trazidas pela LC 155/2016

Simples Nacional: noções básicas e alterações trazidas pela LC 155/2016 Simples Nacional: noções básicas e alterações trazidas pela LC 155/2016 Silas Santiago Secretário-Executivo Comitê Gestor do Simples Nacional Ministério da Fazenda 1 Parte 1: Noções básicas 2 1. Introdução:

Leia mais

Código de Situação Tributária

Código de Situação Tributária Código de Situação O código da situação tributária será composto de três dígitos, onde o 1 dígito indicará a origem da mercadoria, com base na Tabela A e os dois últimos dígitos a tributação pelo ICMS,

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO. Simples Nacional JANEIRO Simples Nacional. Simples Nacional

DIREITO TRIBUTÁRIO. Simples Nacional JANEIRO Simples Nacional. Simples Nacional DIREITO TRIBUTÁRIO Simples Nacional JANEIRO 2015 1 Simples Nacional Art. 146, III, d, CF Tratamento diferenciado e favorecido para ME e EPP Regime único de arrecadação opção do contribuinte; Art. 94 do

Leia mais

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO VISÃO ESTRATÉGICA

PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO VISÃO ESTRATÉGICA PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO VISÃO ESTRATÉGICA O que é Planejamento Tributário? O conceito administrativo da palavra planejamento pode ser entendido como: Processo organizacional de criação de um plano, utilizando

Leia mais

Informativo CG. IOF - Imposto sobre Operações Financeiras Fatos geradores referentes ao 3º decêndio de MAIO/2014

Informativo CG. IOF - Imposto sobre Operações Financeiras Fatos geradores referentes ao 3º decêndio de MAIO/2014 Número: 188 Junho/2014 Publicação da CG Contadores Associados S/S Informativo CG 04 Obrigações IOF - Imposto sobre Operações Financeiras Fatos geradores referentes ao 3º decêndio de MAIO/2014 05 ISSQN

Leia mais

RELAÇÃO DAS PONTUAÇÕES MÁXIMAS E MÍNIMAS, POR CURSO, DA 1ª EDIÇÃO DO SISU/UFMG

RELAÇÃO DAS PONTUAÇÕES MÁXIMAS E MÍNIMAS, POR CURSO, DA 1ª EDIÇÃO DO SISU/UFMG ADMINISTRACAO ANTROPOLOGIA AQUACULTURA ARQUITETURA E URBANISMO ARQUITETURA E URBANISMO ARQUIVOLOGIA BIBLIOTECONOMIA BIBLIOTECONOMIA 1 685,24 742,64 2 685,34 716,34 3 697,34 715,52 4 683,7 720,16 AMPLA

Leia mais

Tabela 1: : Número de inscrições por vaga no SiSU/ UFMG 2015/1 por curso

Tabela 1: : Número de inscrições por vaga no SiSU/ UFMG 2015/1 por curso Tabela 1: : Número de inscrições por vaga no SiSU/ UFMG 2015/1 por curso Número de inscrições no SiSU 2015/1 para a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) ADMINISTRAÇÃO Bacharelado - Noturno 7.421

Leia mais

Tributação nas Principais Operações Fiscais

Tributação nas Principais Operações Fiscais Tributação nas Principais Operações Fiscais (Regiões Sul e Sudeste) Adriana Manni Peres Advogada especialista em tributos indiretos. Pós-graduada em Direito Tributário pela Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

GUIA DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL. Tudo o que você precisa saber para formalizar o seu negócio.

GUIA DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL. Tudo o que você precisa saber para formalizar o seu negócio. GUIA DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Tudo o que você precisa saber para formalizar o seu negócio. 2 Apresentação Milhões de brasileiros já estão aproveitando os benefícios de ser um Microempreendedor Individual.

Leia mais

SIMPLES NACIONAL/2013

SIMPLES NACIONAL/2013 SIMPLES NACIONAL/2013 Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Micro e Empresas de Pequeno Porte Lei Compementar 123 de 2006 LC 127/2007, 128/2008, 133/2009 Lei

Leia mais

Atividades impedidas ao Simples Nacional por CNAE

Atividades impedidas ao Simples Nacional por CNAE Atividades impedidas ao Simples Nacional por CNAE Subclasse Códigos previstos na CNAE impeditivos ao Simples Nacional 0910-6/00 ATIVIDADES DE APOIO À EXTRAÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL 1111-9/01 FABRICAÇÃO

Leia mais

Simples Nacional CNAEs Impeditivos e Ambiguos Para 2012 (Lei Complementar 139 de 2011 e Resolução CGSN 94 de 2011)

Simples Nacional CNAEs Impeditivos e Ambiguos Para 2012 (Lei Complementar 139 de 2011 e Resolução CGSN 94 de 2011) Simples Nacional CNAEs Impeditivos e Ambiguos Para 2012 (Lei Complementar 139 de 2011 e Resolução CGSN 94 de 2011) RELAÇÃO DOS CNAEs IMPEDITIVOS E AMBIGUOS À OPÇÃO PELO SIMPLES A relação de CNAEs IMPEDITIVOS

Leia mais

Palestra. SIMPLES Nacional - Atualização. Outubro Elaborado por: Claudimir Gonçalves Dias

Palestra. SIMPLES Nacional - Atualização. Outubro Elaborado por: Claudimir Gonçalves Dias Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

INFORMATIVO DO SIMPLES NACIONAL COMISSÃO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS OAB/RO

INFORMATIVO DO SIMPLES NACIONAL COMISSÃO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS OAB/RO INFORMATIVO DO SIMPLES NACIONAL COMISSÃO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS OAB/RO 2014 INTRODUÇÃO: A necessária inclusão no Simples Nacional, e a vitória da advocacia! Foi aprovada recentemente a inclusão das sociedades

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 189 - Data 31 de julho de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA RETIDO NA FONTE - IRRF PAGAMENTO. PRESTAÇÃO DE

Leia mais

Módulo 1 Princípios Básicos do Setor de Energia Elétrica

Módulo 1 Princípios Básicos do Setor de Energia Elétrica TRIBUTAÇÃO SOBRE ENERGIA ELÉTRICA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Módulo 1 Princípios Básicos do Setor de Energia Elétrica 1 Modelo atual do setor elétrico brasileiro a partir de 2004 2 Marcos Regulatórios do Novo

Leia mais

PALESTRANTE: MAGNA DE JESUS

PALESTRANTE: MAGNA DE JESUS PALESTRANTE: MAGNA DE JESUS Contadora, Proprietária da TAVARES FERREIRA Assessoria Contábil, Pós-graduada em Auditoria, Gestão de Tributos, Direito Tributário e Direito Processual pela PUC/GO e ATAME/SP,

Leia mais

Abreviaturas Notas da 2ª Edição Notas da 3ª Edição Notas da 4ª Edição Notas da 5ª Edição Introdução...

Abreviaturas Notas da 2ª Edição Notas da 3ª Edição Notas da 4ª Edição Notas da 5ª Edição Introdução... S GESTÃO TRIBUTÁRIA DE CONTRATOS E CONVÊNIOS 5ª EDIÇÃO 11 SUMÁRIO Abreviaturas... 19 Notas da 2ª Edição... 21 Notas da 3ª Edição... 23 Notas da 4ª Edição... 25 Notas da 5ª Edição... 27 Introdução... 29

Leia mais

As principais mudanças no Simples Nacional para 2018

As principais mudanças no Simples Nacional para 2018 ISSN Eletrônico: 2525-5908 www.revistafarol.com.br As principais mudanças no Simples Nacional para 2018 Jaqueline da Silva Mirian Guelis da Silva Sirlene da Silva Guele Izidio Vanda Mota Caetano Ronaldo

Leia mais

Intenção Cursos 1º C

Intenção Cursos 1º C Intenção Cursos º C - 009 Medicina Direito Med. Veterinária Agrononia Eng. Ambiental Administração Design Moda Agronegocio Arquitetura Eng. Civil Eng. Mecânica Mecanografia 0 Sistema de Informação Ciência

Leia mais

Microempreendedor Individual Aspectos Tributários

Microempreendedor Individual Aspectos Tributários Microempreendedor Individual Aspectos Tributários SILAS SANTIAGO CÂMARA DOS DEPUTADOS/CFT Audiência PúblicaP Brasília, 26 de maio de 2009. Gestão o do Simples Nacional Gestão o do Simples Nacional Comitê-Gestor

Leia mais

Alíquotas e Partilha do Simples Nacional - Receitas decorrentes da prestação de serviços

Alíquotas e Partilha do Simples Nacional - Receitas decorrentes da prestação de serviços Tabela V - Simples Nacional 2012 Receitas decorrentes da prestação de serviços - S & W Contabilidade TABELA DO SIMPLES NACIONAL ANEXO V (Vigência a Partir de 01.01.2012) Alíquotas e Partilha do Simples

Leia mais

ANALISTA FISCAL E TRIBUTÁRIO. Conhecimentos e Práticas Tributárias e Fiscais

ANALISTA FISCAL E TRIBUTÁRIO. Conhecimentos e Práticas Tributárias e Fiscais ANALISTA FISCAL E TRIBUTÁRIO Conhecimentos e Práticas Tributárias e Fiscais Objetivos do Workshop 1 Conhecer e Atualizar os Conhecimentos acerca da Legislação Tributária e Fiscal Vigente 2 Adotar Procedimentos

Leia mais

Unidade I Teoria Geral dos Tributos. Capítulo 1 Conceito de Tributo e suas Espécies...3. Capítulo 2 Os Impostos Capítulo 3 As Taxas...

Unidade I Teoria Geral dos Tributos. Capítulo 1 Conceito de Tributo e suas Espécies...3. Capítulo 2 Os Impostos Capítulo 3 As Taxas... S u m á r i o Unidade I Teoria Geral dos Tributos Capítulo 1 Conceito de Tributo e suas Espécies...3 1.1. Conceito de Tributo... 3 1.2. As Espécies Tributárias... 8 Capítulo 2 Os Impostos... 18 2.1. Teoria

Leia mais

ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS ABERTURA DA EMPRESA 12/10/ VIABILIDADE LEGAL (E LOCAL)

ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS ABERTURA DA EMPRESA 12/10/ VIABILIDADE LEGAL (E LOCAL) ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc ABERTURA DA EMPRESA 1. VIABILIDADE LEGAL (E LOCAL) Levantamento de fatores que influenciam na atuação da empresa Estudo da legislação

Leia mais

NOTAS DE CORTE UFS Instituição Local da oferta Curso Turno. AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL (Tecnológico) SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (Bacharelado)

NOTAS DE CORTE UFS Instituição Local da oferta Curso Turno. AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL (Tecnológico) SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (Bacharelado) NOTAS DE CORTE 2015 Instituição Local da oferta Curso Turno Nota de Corte AGROECOLOGIA (Tecnológico) Matutino 589,93 ALIMENTOS (Tecnológico) Matutino 580,24 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL (Tecnológico) Noturno 600,34

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 040, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 L E I : Art. 1º. Fica revogado o Parágrafo único do artigo 17 da Lei Complementar nº 002/2001.

LEI COMPLEMENTAR Nº 040, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 L E I : Art. 1º. Fica revogado o Parágrafo único do artigo 17 da Lei Complementar nº 002/2001. LEI COMPLEMENTAR Nº 040, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 Dispõe sobre Alterações no Código Tributário Municipal VALDECI OLIVEIRA, Prefeito Municipal, em exercício, do Município de Santa Maria, Estado do Rio

Leia mais

CARTILHA NACIONAL SIMPLES. Entenda o resumo da tributação da sua Micro ou Pequena Empresa.

CARTILHA NACIONAL SIMPLES. Entenda o resumo da tributação da sua Micro ou Pequena Empresa. CARTILHA NACIONAL SIMPLES Entenda o resumo da tributação da sua Micro ou Pequena Empresa. O que é Simples Nacional? Como enquadro minha empresa no Nacional Simples? O Simples Nacional é um regime tributário

Leia mais

Unidade I PLANEJAMENTO CONTÁBIL TRIBUTÁRIO. Profa. Ma. Divane A. Silva

Unidade I PLANEJAMENTO CONTÁBIL TRIBUTÁRIO. Profa. Ma. Divane A. Silva Unidade I PLANEJAMENTO CONTÁBIL TRIBUTÁRIO Profa. Ma. Divane A. Silva Objetivos gerais: Capacitar os estudantes a adquirir conhecimentos necessários para desenvolvimento das seguintes competências: Desenvolver

Leia mais

Consultoria tributária

Consultoria tributária Consultoria tributária Cliente: GIZ German Cooperation Elaborado por: Adriano Gonçalves Daniela Moreira Agosto/2015 Sumário 1. Introdução 3 2. Desenvolvimento 5 3. Planejamento Tributário 6 3.1-1º Cenário:

Leia mais

MARIA EDUARDA SIMÕES 1

MARIA EDUARDA SIMÕES 1 MARIA EDUARDA SIMÕES 1 PRINCIPAIS ALTERAÇÕES TRIBUTÁRIAS: SISTEMA TRIBUTÁRIO - REVISÃO DESONERAÇÃO DA FOLHA DECISÕES DO STF 2 PRINCIPAIS ALTERAÇÕES TRIBUTÁRIAS: IMPOSTOS - NOTAS FISCAIS LEGISLAÇÃO SÃO

Leia mais

O SIMPLES FEDERAL LEI N O 9.317, DE 5 DE DEZEMBRO DE 1997

O SIMPLES FEDERAL LEI N O 9.317, DE 5 DE DEZEMBRO DE 1997 O SIMPLES FEDERAL LEI N O 9.317, DE 5 DE DEZEMBRO DE 1997 João pretende abrir uma pequena empresa, mas demonstra muita preocupação com respeito aos tributos que irá pagar. Realmente sua preocupação procede,

Leia mais

O disposto neste item aplica-se, inclusive, à pessoa jurídica que explore atividade rural.

O disposto neste item aplica-se, inclusive, à pessoa jurídica que explore atividade rural. LUCRO PRESUMIDO O Lucro Presumido é a forma de tributação simplificada do Imposto de Renda (IR) e Contribuição Social sobre o Lucro (CSLL). A sistemática de tributação pelo Lucro Presumido é regulamentada

Leia mais

Simples Nacional Instrutora: Deise Parisotto

Simples Nacional Instrutora: Deise Parisotto Programa de Cursos CRCRS e SESCON-RS Simples Nacional Instrutora: Deise Parisotto Roteiro 2016 Sumário Simples Nacional Instrutora: Deise Parisotto Pg. 1. Enquadramento 03 1.1 Conceito de ME e EPP 03 1.2

Leia mais

Abreviaturas Notas da 2ª Edição Notas da 3ª Edição Notas da 4ª Edição Introdução... 27

Abreviaturas Notas da 2ª Edição Notas da 3ª Edição Notas da 4ª Edição Introdução... 27 GESTÃO TRIBUTÁRIA DE CONTRATOS E CONVÊNIOS 4ª EDIÇÃO 11 Sumário S Abreviaturas... 19 Notas da 2ª Edição... 21 Notas da 3ª Edição... 23 Notas da 4ª Edição... 25 Introdução... 27 Capítulo 1... 29 1.1. Principais

Leia mais

Mantenedora Nº de vagas ENEM Turno Nome Curso

Mantenedora Nº de vagas ENEM Turno Nome Curso Mantenedora Nº de vagas ENEM Turno Nome Curso Anhaguera 5 MATUTINO ADMINISTRAÇÃO Anhaguera 5 NOTURNO ADMINISTRAÇÃO Anhaguera 1 MATUTINO ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEM Anhaguera 1 NOTURNO ANÁLISE E

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Simples Nacional e a transferência de créditos de PIS/COFINS Paulo Nadir Rosa de Moura* A Constituição Federal (CF) de 1988, no artigo 146, inciso III, alínea "d", dispõe que lei

Leia mais

Estratégias para reduzir custos fiscais Estaduais e Federais de sua empresa

Estratégias para reduzir custos fiscais Estaduais e Federais de sua empresa Encontro Jurídico Tributário Estratégias para reduzir custos fiscais Estaduais e Federais de sua empresa Novembro / 2016 Qual é o caminho para reduzir a carga tributária de sua empresa? Planejamento e

Leia mais

Secretaria de Avaliação Institucional SAI

Secretaria de Avaliação Institucional SAI Universidade Federal do Rio Grande do Sul www.ufrgs.br Secretaria de Avaliação Institucional SAI www.ufrgs.br/sai AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO Cursos/ Anos e Conceitos 2004 Agronomia 5 Educação Física

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

Relação candidato X vaga

Relação candidato X vaga Pág.: Coordenação de Processos de Seleção e Ingresso Data: //5 :59:6 PAVE X (-5) - Etapa Administração (Bacharelado) 5,75 Universal 8 8 Sistema B Administracao (Noturno) (Bacharelado) 5,5 Universal 6 Sistema

Leia mais

TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012

TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012 TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS LIÇÕES: BONS E MAUS EXEMPLOS 1 O PROJETO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais

Declaração Eletrônica das Sociedades Uniprofissionais (D-SUP)

Declaração Eletrônica das Sociedades Uniprofissionais (D-SUP) Declaração Eletrônica das Sociedades Uniprofissionais (D-SUP) Programa de Regularização de Débitos (PRD) RAPHAEL MORETH GOMES Auditor Fiscal Tributário Municipal Secretaria de Finanças e Desenvolvimento

Leia mais

Microempreendedor Individual MEI: Constituição e Tributação

Microempreendedor Individual MEI: Constituição e Tributação Microempreendedor Individual MEI: Constituição e Tributação Quem é o Microempreendedor Individual? É a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Para ser um microempreendedor

Leia mais

Aula 3 Imposto de Renda Pessoa Jurídica CSLL Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Prof. Dr. Érico Hack

Aula 3 Imposto de Renda Pessoa Jurídica CSLL Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. Prof. Dr. Érico Hack Aula 3 Imposto de Renda Pessoa Jurídica CSLL Contribuição Social sobre o Lucro Líquido Prof. Dr. Érico Hack IR Pessoa Jurídica Pessoa Física equiparada à pessoa jurídica (Empresas individuais) Empresário

Leia mais

Visando a correta emissão das notas de serviço e seus respectivos impostos, seguem as seguintes instruções:

Visando a correta emissão das notas de serviço e seus respectivos impostos, seguem as seguintes instruções: Circular 006/2011 Instruções para emissão de NF-em da PMJ com retenção de impostos Visando a correta emissão das notas de serviço e seus respectivos impostos, seguem as seguintes instruções: Preenchimento

Leia mais

PEC 491/2010. Medicamentos de uso humano e seus Insumos. Audiência Pública Câmara dos Deputados. (Imunidade Constitucional) Brasília-DF, 11/06/2014

PEC 491/2010. Medicamentos de uso humano e seus Insumos. Audiência Pública Câmara dos Deputados. (Imunidade Constitucional) Brasília-DF, 11/06/2014 PEC 491/2010 (Deputado Luiz Carlos Hauly) Medicamentos de uso humano e seus Insumos (Imunidade Constitucional) Audiência Pública Câmara dos Deputados Brasília-DF, 11/06/2014 1 Considerações Iniciais Tributação

Leia mais

Anexo III - Serviços A partir de 01.01.2015

Anexo III - Serviços A partir de 01.01.2015 Anexo III - Serviços A partir de 01.01.2015 TABELAS DO SIMPLES NACIONAL VIGENTES A PARTIR DE 01.01.2015 RESOLUÇÃO CGSN 94 DE 29.11.2011 (Art. 25-A e Anexo III) Art. 25-A. O valor devido mensalmente pela

Leia mais

Diagnóstico Fiscal. No Brasil gastam-se 2600 horas com o cumprimento de obrigações tributárias.

Diagnóstico Fiscal. No Brasil gastam-se 2600 horas com o cumprimento de obrigações tributárias. Diagnóstico Fiscal Diagnóstico Fiscal No Brasil gastam-se 2600 horas com o cumprimento de obrigações tributárias. Estudos da PWC: www.pwc.com.br/pt/sala-de-imprensa/assets/release-paying-taxes-nov09.pdf

Leia mais

COMITÊ GESTOR DE TRIBUTAÇÃO DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE

COMITÊ GESTOR DE TRIBUTAÇÃO DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE MINISTÉRIO DA FAZENDA COMITÊ GESTOR DE TRIBUTAÇÃO DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE RESOLUÇÃO Nº 6, DE 18 DE JUNHO DE 2007 Dispõe sobre os códigos de atividades econômicas previstos na Classificação

Leia mais

Desonerações Instituídas em 2014

Desonerações Instituídas em 2014 30/04/2014 MP 644 (Vigência encerrada) IRPF 25/04/2014 Decreto 8.231 IOF 13/05/2014 12.973 55 13/05/2014 12.973 102 IPI 23/05/2014 Decreto 8.247 II, IPI, PIS, COFINS, CIDE, IRPJ 29/05/2014 Decreto 8.257

Leia mais

Expansão das Universidades Públicas Brasileiras:

Expansão das Universidades Públicas Brasileiras: Expansão das Universidades Públicas Arthur Roquete de Macedo Maio 2010 Qualidade Acadêmica relação direta Financiamento da Universidade Ensino Pesquisa Extensão Custeio Investimento Recursos Humanos Expansão

Leia mais

1 PARÂMETROS DA EMPRESA

1 PARÂMETROS DA EMPRESA Título: Como configurar o sistema para realizar o cálculo do Simples Nacional para atividade de Serviços com anexo V a partir de 2009, conforme Lei Complementar 128/2008? 1 PARÂMETROS DA EMPRESA 1.1 Acesse

Leia mais

Jd Soft Informática Ltda F o n e : ( )

Jd Soft Informática Ltda F o n e : ( ) !"#$ %&'$% (% - ') & *& -! "#!$"%#!""#&#!#" '())$&*% - +!,-.&/01..1023040. %& '') $* 5671205. 230.5, +&#!8/0179-.8,!-(".%% / "#!0-,!"1#".%% -! ".%%, 2"3 " # " #! / 0#" 4! / -"5 6 &%+!*4 :;'" +."5#!8/01

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDOR INDIVIDUAL 1 Oportunidade de regularização para os empreendedores individuais, desde a vendedora de cosméticos, da carrocinha de cachorro-quente ao pipoqueiro. 2 Receita Bruta de até R$ 36

Leia mais

PIS/COFINS e REFORMA TRIBUTÁRIA

PIS/COFINS e REFORMA TRIBUTÁRIA PIS/COFINS e REFORMA TRIBUTÁRIA Novos cenários do projeto de Reforma Tributária e PIS/COFINS - o setor de SERVIÇOS 25.05.2017 Cenários da Reforma Tributária AMEAÇA IMPREVISÍVEL ELEMENTOS DO CENÁRIO Esfera

Leia mais