1) TRIBUTOS FEDERAIS (aplicados ao Comércio ) 2) PERFIL DO CONTADOR MODERNO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1) TRIBUTOS FEDERAIS (aplicados ao Comércio ) 2) PERFIL DO CONTADOR MODERNO"

Transcrição

1 1) TRIBUTOS FEDERAIS (aplicados ao Comércio ) 2) PERFIL DO CONTADOR MODERNO Maria Alzirene Mota de Brito Empresária da Contabilidade (92) /

2 TÓPICOS PARA ABORDAGEM 1) QUAIS TRIBUTOS FEDERAIS SÃO APLICADOS AS EMPRESAS COMERCIAIS? 2) QUAIS TRIBUTOS FEDERAIS SÃO APLICADOS AS ATIVIDADES COMERCIAIS? 3) LEGISLAÇÃO PERTINENTE. 4) ALÍQUOTAS E DATA DE VENCIMENTO. 5) OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS. 6) PERFIL DO CONTADOR MODERNO.

3 1) TRIBUTOS FEDERAIS APLICADOS AS EMPRESAS COMERCIAIS EMPRESA COMERCIAL é aquela que pratica compra e venda de produtos ou serviços (governo estadual), através do ato de comércio, tendo por objetivo o lucro. REGIMES DE TRIBUTAÇÃO que podem ser adotados pelas empresas: Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real. QUAL IMPORTÂNCIA DA ESCOLHA CORRETA DO RT??: A importância está em não pagar tributos além do que é devido. Da mesma forma que não se deve pagar menos do que o devido. Simples Nacional é um regime tributário diferenciado, simplificado e favorecido previsto na Lei Complementar nº 123, de 14/12/06.

4 1) TRIBUTOS FEDERAIS APLICADOS AS EMPRESAS COMERCIAIS (continuação SN) Podem optar pelo SN as microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP) que não incorram em nenhuma das vedações previstas na Lei Complementar 123/2006. O SN unifica os impostos federais, estaduais e municipais (IRPJ, CSLL, PIS, COFINS, INSS, IPI, ICMS e ISS). No lugar de várias guias de recolhimento, com várias datas e cálculos diferentes, haverá apenas um pagamento, com data e cálculo único de quitação.

5 1) TRIBUTOS FEDERAIS APLICADOS AS EMPRESAS COMERCIAIS (continuação SN) TABELA DO SIMPLES NACIONAL - COMÉRCIO ANEXO I (Vigência a Partir de ) Alíquotas e Partilha Receita Bruta 12 meses (em R$) Alíquota IRPJ CSLL COFINS PIS/Pasep CPP ICMS Até ,00 4,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 2,75% 1,25% De ,01 a ,00 5,47% 0,00% 0,00% 0,86% 0,00% 2,75% 1,86% De ,01 a ,00 6,84% 0,27% 0,31% 0,95% 0,23% 2,75% 2,33% De ,01 a ,00 7,54% 0,35% 0,35% 1,04% 0,25% 2,99% 2,56% De ,01 a ,00 7,60% 0,35% 0,35% 1,05% 0,25% 3,02% 2,58% De ,01 a ,00 8,28% 0,38% 0,38% 1,15% 0,27% 3,28% 2,82% De ,01 a ,00 8,36% 0,39% 0,39% 1,16% 0,28% 3,30% 2,84% De ,01 a ,00 9,03% 0,42% 0,42% 1,25% 0,30% 3,57% 3,07% De ,01 a ,00 9,12% 0,43% 0,43% 1,26% 0,30% 3,60% 3,10% De ,01 a ,00 11,61% 0,54% 0,54% 1,60% 0,38% 4,60% 3,95%

6 1) TRIBUTOS FEDERAIS APLICADOS AS EMPRESAS COMERCIAIS (continuação). TRIBUTOS QUE A EMPRESA (Ñ OPTANTE SN) DEVE PAGAR: 1) IRPJ Imposto de Renda Pessoa Jurídica. 2) CSLL Contribuição Social sobre o Lucro. 3) PIS/PASEP Programa de Integração Social. 4) COFINS Contribuição p/ Financiamento da Seguridade social. 5) INSS Previdência Social. Obs: PIS COFINS (Regime cumulativo e não cumulativo).

7 2) TRIB FEDERAIS APLICADOS AS ATIVIDADES COMERCIAIS Atividade comercial é uma atividade econômica classificada como secundária (CNAE SECUNDÁRIO). TÍTULO DO ESTABELECIMENTO (NOME DE FANTASIA) ******** CÓDIGO E DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE ECONÔMICA PRINCIPAL Comércio varejista de móveis TÍTULO DO E DESCRIÇÃO ESTABELECIMENTO DA ATIVIDADE (NOME ECONÔMICA DE FANTASIA) PRINCIPAL CÓDIGO E DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS SECUNDÁRIAS ******** Comércio varejista de móveis Chaveiros Comércio atacadista de mármores e granitos Comércio a varejo de pneumáticos e câmaras-de-ar Comércio a varejo de peças e acessórios novos p/veíc automot Serviços de alinhamento e balanceamento de veíc automotores Comércio a varejo de peças e acessórios usados p/veíc automot Comércio por atacado de pneumáticos e câmaras-de-ar

8 2) TRIB FEDERAIS APLICADOS AO COMÉRCIO (Cont ) PERCENTUAIS DE PRESUNÇÃO DO LUCRO SOBRE A RECEITA BRUTA ESPÉCIES DE ATIVIDADES: % sobre a Receita Revenda a varejo de combustíveis e gás natural 1,6% Venda de mercadorias ou produtos 8% Transporte de cargas Atividades imobiliárias (compra, vda, loteamento, incorp e constr imóveis) Serviços hospitalares Atividade Rural Industrialização com materiais fornecidos pelo encomendante Outras atividades não especificadas (exceto prestação de serviços) Serviços de transporte (exceto o de cargas) 16% Serviços gerais com receita bruta até R$ /ano ver nota (1) Serviços profissionais (Sociedades Simples-SS, médicos, dentistas, 32% advogados, contadores, auditores, engenheiros, consultores, economistas, etc.) Intermediação de negócios. Administração, locação ou cessão de bens móveis/imóveis ou direitos. Serviços de construção civil, quando a prestadora não empregar materiais de sua propriedade nem se responsabilizar pela execução da obra. Serviços em geral, para os quais não haja previsão de percentual específico. No caso de exploração de atividades diversificadas, será aplicado sobre a receita bruta de cada atividade o respectivo percentual. 1,6 a 32%

9 2) TRIB FEDERAIS APLICADOS AO COMÉRCIO (Cont ) DEDUÇÕES DO IMPOSTO Para efeito de pagamento, a pessoa jurídica poderá deduzir do imposto devido no período de apuração, o imposto pago ou retido na fonte sobre as receitas que integram a base de cálculo, bem como o imposto de renda pago indevidamente em períodos anteriores (artigo 10 da Lei 9.532/1997). OPÇÃO PELO REGIME LP a opção somente poderá ser exercida no mês de janeiro ou no mês do início de atividades, mediante anotação na Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF) relativa ao mês de adoção do regime.

10 3) LEGISLAÇÃO PERTINENTE SN LEI COMPLEMENTAR 123/2006 e suas alterações. LP ou LR LEI 9249/1995. LEI 9430/1996 LEI 9430/1996 LEI 10833/2003 OPÇÃO LP ou LR IN RFB 1079/2010 LEI 12546/2011 IN RFB 1605/2015 (DCTF) IN 1234/2012 (Retenção na Fonte 5,85%)

11 4) ALÍQUOTAS E DATA DE VENCIMENTO. SN até o dia 20 (vinte) do mês subsequente àquele em que houver sido auferida a receita bruta. Observação: Quando não houver expediente bancário no dia do vencimento, o DAS deverá ser pago até o dia útil imediatamente posterior (para prazos normais, sem prorrogação). PIS e COFINS O pagamento das Contribuições para o PIS/PASEP e da COFINS deverá ser efetuado até o 25º (vigésimo quinto) dia do mês subsequente ao mês de ocorrência dos fatos geradores. IRPJ e CSLL O imposto apurado em um trimestre pode ser pago até o último dia útil do mês seguinte ao do encerramento, em quota única. À opção da PJ o imposto pode ser parcelado em três quotas mensais, com incidência dos juros SELIC a partir da 2ª quota.

12 5) OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS. EFD CONTRIBUIÇÕES (mensal) Estão obrigados á geração de arquivo da EFD Contribuições as PJ de direito privado em geral e as que lhes são equiparadas pela legislação do Imposto de Renda, que apuram: - Contribuição para o PIS/Pasep; - Contribuição p/ o Financiamento da Seguridade Social COFINS e; - Contribuição Previdenciária incidente sobre a Receita). PRAZO DE ENTREGA será transmitida mensalmente ao SPED até o 10º (décimo) dia útil do 2º (segundo) mês subsequente ao que se refira a escrituração, inclusive nos casos de extinção, incorporação, fusão e cisão total ou parcial.

13 5) OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS (continuação). DCTF - Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais DCTF (PJ inativas) obrigatoriedade de entrega. ECD Escrituração Contábil Digital (foi instituída para fins fiscais e previdenciários). Evidencia o Lucro x Distribuição aos sócios x incidência de IR... ECF Escrituração Contábil Fiscal (objetivo é interligar as informações contábeis e fiscais referentes à apuração do IRPJ e da CSLL, de forma que o acesso do fisco às informações seja agilizado e a fiscalização ocorra de maneira mais eficiente com o cruzamento de informações através da auditoria eletrônica dos dados).

14 6) PERFIL DO CONTADOR MODERNO!! O perfil do Contador moderno é o de um profissional que precisa acumular muitos conhecimentos, devido as grandes modificações que nos estão sendo impostas, para que possamos corresponder aos compromissos com a evolução. A nossa sociedade requer um cientista do patrimônio, aquele que tem capacidade para entender os números e determinar que rumos devem ser seguidos pela empresa, pela instituição. A ECD e ECF é um grande desafio para os contadores. A obrigação acessória é bastante complexa e envolve um grande número de informações, além disso, é necessário que a entrega da ECF seja feita dentro do prazo legal, para evitar a geração de multa de até 3% do valor das transações da pessoa jurídica. Portanto, é importante que o contador moderno encontre-se atualizado com relação à legislação e às informações a serem declaradas nas obrigações acessórias, pois, devido às mudanças impostas na lei, a ECD e ECF podem trazer diversos problemas aos clientes e um contador bem atualizado poderá impedir que isso ocorra...

15 Até o próximo encontro! OBRIGADA! Uma chave importante para o sucesso é a autoconfiança. Uma chave importante para a autoconfiança é a preparação. Arthur Ashe Tenista norte-americano

Caminho Jurídico do Empreendedor

Caminho Jurídico do Empreendedor Caminho Jurídico do Empreendedor Introdução Início de Atividade Empresária requer: Modelo de empresas/tipos societários; Contrato social, Registro de marcas e patentes; Elaboração e estudo de contratos

Leia mais

Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS. Slide 2. Slide 3 DADOS DISPONÍVEIS AO FISCO

Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS. Slide 2. Slide 3 DADOS DISPONÍVEIS AO FISCO Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS Nilson José Goedert Contador 2016 Slide 2 Obrigações Federais para Pessoas Jurídicas em Geral: 1. SPED Sistema Público de Escrituração

Leia mais

O disposto neste item aplica-se, inclusive, à pessoa jurídica que explore atividade rural.

O disposto neste item aplica-se, inclusive, à pessoa jurídica que explore atividade rural. LUCRO PRESUMIDO O Lucro Presumido é a forma de tributação simplificada do Imposto de Renda (IR) e Contribuição Social sobre o Lucro (CSLL). A sistemática de tributação pelo Lucro Presumido é regulamentada

Leia mais

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO CONTABILIDADE E Prof. Cássio Marques da Silva 2016 IRPJ LUCRO PRESUMIDO É uma forma de tributação simplificada para determinação da base de cálculo do imposto de renda e da contribuição social das pessoas

Leia mais

GUIA DIÁRIO DE ALTERAÇÕES ICMS Santa Catarina Não foi publicada nenhuma alteração até o fechamento dessa edição do Guia.

GUIA DIÁRIO DE ALTERAÇÕES ICMS Santa Catarina Não foi publicada nenhuma alteração até o fechamento dessa edição do Guia. GUIA DIÁRIO DE ALTERAÇÕES 19.10.2015 1. ICMS Santa Catarina Não foi publicada nenhuma alteração até o fechamento dessa edição do Guia. 2. Legislação Federal SOLUÇÃO DE CONSULTA DISIT/SRRF07 Nº 7045, DE

Leia mais

OBRIGAÇÕES ÁREA FEDERAL MÊS JUNHO 2014

OBRIGAÇÕES ÁREA FEDERAL MÊS JUNHO 2014 OBRIGAÇÕES ÁREA FEDERAL MÊS JUNHO 2014 04/06-4 Feira Último dia para recolhimento do Imposto de Renda na Fonte referente a juros sobre o capital próprio, aplicações financeiras, títulos de capitalização;

Leia mais

PIS e COFINS. Aspectos conceituais. Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto

PIS e COFINS. Aspectos conceituais. Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto PIS e COFINS Aspectos conceituais Núcleo de Estudos em Controladoria e Contabilidade Tributária Prof. Amaury

Leia mais

Disciplina: Contabilidade Tributária II /2 - UNIDADE II LUCRO PRESUMIDO

Disciplina: Contabilidade Tributária II /2 - UNIDADE II LUCRO PRESUMIDO ROTEIRO 1. INTRODUÇÃO 2. OPÇÃO 3. APURAÇÃO DO LUCRO PRESUMIDO 3.1. Percentuais de presunção 3.2. Ajuste a valor presente 3.3. Serviços públicos 3.4. Redução do percentual 3.5. Ganho de capital 3.6. Variações

Leia mais

ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). FGTS

ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). FGTS TABELA DE OBRIGAÇÕES PARA SETEMBRO DE 2011 Até dia Obrigação Histórico 5 IRRF Pagamento dos salários mensais. Nota: O prazo para pagamento dos salários mensais é até o 5º dia útil do mês subsequente ao

Leia mais

CURSO PIS COFINS CUMULATIVO E NÃO CUMULATIVO. Prof. André Gomes

CURSO PIS COFINS CUMULATIVO E NÃO CUMULATIVO. Prof. André Gomes CURSO PIS COFINS CUMULATIVO E NÃO CUMULATIVO Prof. André Gomes 1 Contribuição para PIS/PASEP PIS contribuição para o Programa de Integração Social funcionários das empresas do setor privado; PASEP contribuição

Leia mais

RETENÇÕES TRIBUTÁRIAS E PREVIDENCIÁRIAS

RETENÇÕES TRIBUTÁRIAS E PREVIDENCIÁRIAS IBEF-RIO - TREINAMENTO RETENÇÕES TRIBUTÁRIAS E PREVIDENCIÁRIAS P R O G R A M A Módulo 01 - Retenções Tributárias 1º Módulo - Contribuições sociais (CSLL, PIS, COFINS) Serviços sujeitos a retenção: Definição

Leia mais

SPED. Cruzamento das Informações: CRUZAMENTOS: Aspectos conceituais 24/09/2009. Acompanhamento Diferenciado: DACON DIRF DIPJ DCOMP DCTF DARF

SPED. Cruzamento das Informações: CRUZAMENTOS: Aspectos conceituais 24/09/2009. Acompanhamento Diferenciado: DACON DIRF DIPJ DCOMP DCTF DARF Cruzamento das Informações: DACON DIRF SPED DCTF DIPJ DCOMP DARF Palestrante: Thamara Jardim CRUZAMENTOS: Aspectos conceituais Acompanhamento Diferenciado: Art. 2º O acompanhamento diferenciado deverá

Leia mais

Onde são informadas atualmente?

Onde são informadas atualmente? EFD-Reinf O que é EFD-Reinf? Escrituração Fiscal Digital das Retenções e Informações da Contribuição Previdenciária Substituída (CPRB). A EFD-Reinf abarca todas as retenções do contribuinte sem relação

Leia mais

D C T F MENSAL - 2.5

D C T F MENSAL - 2.5 CNPJ: 44.990.901/0001-43 Mês/Ano: DEZ 2014 Dados Iniciais Período: 01/12/2014 a 31/12/2014 Declaração Retificadora: NÃO Situação: Normal Meses com ausência de débito a declarar: Qualificação da Pessoa

Leia mais

ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS ABERTURA DA EMPRESA 12/10/ VIABILIDADE LEGAL (E LOCAL)

ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS ABERTURA DA EMPRESA 12/10/ VIABILIDADE LEGAL (E LOCAL) ASPECTOS JURÍDICOS E TRIBUTÁRIOS Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc ABERTURA DA EMPRESA 1. VIABILIDADE LEGAL (E LOCAL) Levantamento de fatores que influenciam na atuação da empresa Estudo da legislação

Leia mais

CURSO PIS COFINS CUMULATIVO E NÃO CUMULATIVO. Prof. André Gomes

CURSO PIS COFINS CUMULATIVO E NÃO CUMULATIVO. Prof. André Gomes CURSO PIS COFINS CUMULATIVO E NÃO CUMULATIVO Prof. André Gomes 1 QUANDO O GOVERNO É HONESTO, O PAÍS TEM SEGURANÇA; MAS, QUANDO O GOVERNO COBRA IMPOSTOS DEMAIS, A NAÇÃO ACABA EM DESGRAÇA Provérbios, 29:4

Leia mais

MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS. Alessandro Dessimoni

MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS. Alessandro Dessimoni MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS Alessandro Dessimoni Temas abordados 1. Alta carga tributária; 2. A burocracia e entraves da legislação; 3. Interpretação restritiva do Fisco sobre

Leia mais

PEPC 2016 CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: EPC Auditores QTG BCB SUSEP. EPC Responsável Técnico.

PEPC 2016 CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: EPC Auditores QTG BCB SUSEP. EPC Responsável Técnico. CAPACITADORA: 100 % AUDIT (PE-00028) CONTATO: 3242-2406 COACH CONTÁBIL PE-01023 40h 40 40 40 0 CAPACITADORA: 4M TREINAMENTOS EMPRESARIAIS E ASESSORIA (PE-00022) CONTATO: 3465.7495 CREDITOS PIS/PASEP E

Leia mais

Pejotização. Risco aos Produtores Rurais. Superintendência Técnica Coordenação do Núcleo Econômico

Pejotização. Risco aos Produtores Rurais. Superintendência Técnica Coordenação do Núcleo Econômico Pejotização Risco aos Produtores Rurais Superintendência Técnica Coordenação do Núcleo Econômico Câmara Temática de Crédito, Seguro e Comercialização do Agronegócio Reunião Ordinária nº 02 29.09.2016 Auditório

Leia mais

Mapeando o SPED PIS/COFINS

Mapeando o SPED PIS/COFINS Mapeando o SPED PIS/COFINS 1 SPED PIS/COFINS Instrução Normativa RFB nº 1.052, de 5 de julho de 2010 2 BLOCO DESCRIÇÃO QTDE REGISTROS 0 Abertura, Identificação e Referências 16 A Documentos Fiscais - Serviços

Leia mais

ANO XXVII ª SEMANA DE SETEMBRO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 38/2016

ANO XXVII ª SEMANA DE SETEMBRO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 38/2016 ANO XXVII - 2016-3ª SEMANA DE SETEMBRO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 38/2016 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA ELEIÇÕES, CANDIDATOS E PARTIDOS POLÍTICOS - ASPECTOS TRIBUTÁRIOS... Pág. 559 TRIBUTOS FEDERAIS

Leia mais

SISTEMA PUBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL - SPED

SISTEMA PUBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL - SPED SISTEMA PUBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL - SPED OUT/2010 REGIME NÃO-CUMULATIVO REGIME CUMULATIVO TRIBUTAÇÃO MONOFÁSICA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA VENDAS COM SUSPENSÃO VENDAS A ALÍQUOTA ZERO VENDAS COM ISENÇÃO

Leia mais

D C T F MENSAL - 2.4

D C T F MENSAL - 2.4 CNPJ: 43.018.225/0001-88 Mês/Ano: DEZ 2012 Dados Iniciais Período: 01/12/2012 a 31/12/2012 Declaração Retificadora: NÃO Situação: Normal Meses com ausência de débito a declarar: Qualificação da Pessoa

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDOR INDIVIDUAL 1 Oportunidade de regularização para os empreendedores individuais, desde a vendedora de cosméticos, da carrocinha de cachorro-quente ao pipoqueiro. 2 Receita Bruta de até R$ 36

Leia mais

TABELA DE OBRIGAÇÕES ANUAIS

TABELA DE OBRIGAÇÕES ANUAIS TABELA DE OBRIGAÇÕES ANUAIS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PERIODICIDADE PRAZO DATAS MULTA BASE LEGAL 1 - Advertência; 2 - Multa de 1% do valor da operação; COAF - Conselho de Controle de Atividades Financeiras 24

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA O MÊS DE OUTUBRO/2011

AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA O MÊS DE OUTUBRO/2011 AGENDA DE OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA O MÊS DE OUTUBRO/2011 Até do dia Obrigação Histórico correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 30.09.2011, incidente sobre rendimentos de: 05 IRRF

Leia mais

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade II PLANEJAMENTO CONTÁBIL TRIBUTÁRIO

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade II PLANEJAMENTO CONTÁBIL TRIBUTÁRIO Profa. Ma. Divane A. Silva Unidade II PLANEJAMENTO CONTÁBIL TRIBUTÁRIO A disciplina está dividida em duas unidades. Unidade I 1. Objetivo do Planejamento Tributário 2. Sociedades Simples e Empresária 3.

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.199, de 14 de outubro de 2011

Instrução Normativa RFB nº 1.199, de 14 de outubro de 2011 Instrução Normativa RFB nº 1.199, de 14 de outubro de 2011 DOU de 17.10.2011 Dispõe sobre procedimentos fiscais dispensados aos consórcios constituídos nos termos dos arts. 278 e 279 da Lei nº 6.404, de

Leia mais

RECIBO DE ENTREGA DA DECLARAÇÃO DE DÉBITOS E CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS FEDERAIS D C T F MENSAL - 2.5

RECIBO DE ENTREGA DA DECLARAÇÃO DE DÉBITOS E CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS FEDERAIS D C T F MENSAL - 2.5 RECIBO DE ENTREGA DA CNPJ: 33.040.767/0001-01 Mês/Ano: JUN 2014 Nome Empresarial: SONY PICTURES RELEASING OF BRASIL INC. Declaração Retificadora: NÃO Situação Especial: NÃO Data do Evento: TOTALIZAÇÃO

Leia mais

PIS COFINS. Imposto de Renda Retido na Fonte - IRRF. Retenção na fonte de CSLL, PIS e COFINS MENSAL MENSAL MENSAL MENSAL

PIS COFINS. Imposto de Renda Retido na Fonte - IRRF. Retenção na fonte de CSLL, PIS e COFINS MENSAL MENSAL MENSAL MENSAL PIS PIS - FOLHA DE PAGAMENTO COFINS COFINS - Somente sobre as receitas auferidas que estejam fora do objeto social da entidade. Imposto de Renda Retido na Fonte - IRRF TRIBUTOS VENCIMENTO PERIODICIDADE

Leia mais

ANO XXVI ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 48/2015

ANO XXVI ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 48/2015 ANO XXVI - 2015-4ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 48/2015 ASSUNTOS CONTÁBEIS IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE - TRATAMENTO CONTÁBIL... Pág. 705 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA GANHOS

Leia mais

PERDCOMP (Pedido de Eletronico de Ressarcimento ou Restituição e Declaração de Compensação)

PERDCOMP (Pedido de Eletronico de Ressarcimento ou Restituição e Declaração de Compensação) (Pedido de Eletronico de Ressarcimento ou Restituição e Declaração de Compensação) contato@agmcontadores.com.br 2015 Atualizada em março-2015 2 PER/DCOMP - PEDIDO ELETRÔNICO DE RESSARCIMENTO OU RESTITUIÇÃO

Leia mais

Caso não consiga visualizar este , acesse o link: 0231/11

Caso não consiga visualizar este  , acesse o link:  0231/11 Página 1 de 5 Caso não consiga visualizar este e-mail, acesse o link: 0231/11 05/12/2011 SIMPLES NACIONAL - CONSOLIDAÇÃO DAS NORMAS E REGULAMENTAÇÃO DA LC 139/2011 Senhor Presidente, No dia 1º de dezembro

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS - FEVEREIRO/16

OBRIGAÇÕES FISCAIS - FEVEREIRO/16 edição 7 ano 2016 OBRIGAÇÕES FISCAIS - FEVEREIRO/16 02 de fevereiro de 2016 FEDERAL DIA 03 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção na fonte nos pagamentos ou créditos decorrentes

Leia mais

AGENDA TRIBUTÁRIA: DE 11 A 17 DE AGOSTO DE 2016

AGENDA TRIBUTÁRIA: DE 11 A 17 DE AGOSTO DE 2016 AGENDA TRIBUTÁRIA: DE 11 A 17 DE AGOSTO DE 2016 Até: Quinta-feira, dia 11 dígito do CNPJ corresponda a 1, devem efetuar o registro eletrônico dos documentos fiscais na Secretaria da Fazenda. Nota Na hipótese

Leia mais

Í N D I C E A N A L Í T I C O

Í N D I C E A N A L Í T I C O Í N D I C E A N A L Í T I C O I - REGRAS GERAIS... 15 I.1 - Introdução... 15 I.2 - Conceitos e definições... 15 I.2.1 - Restituição... 15 I.2.2 - Compensação... 16 I.2.3 - Ressarcimento... 16 I.2.4 - Reembolso...

Leia mais

Julho de /07 (3ª. Feira) Diversos. DARF - 2 vias. * Operações de crédito - Pessoa Física. * Operações de câmbio - Entrada de Moeda

Julho de /07 (3ª. Feira) Diversos. DARF - 2 vias. * Operações de crédito - Pessoa Física. * Operações de câmbio - Entrada de Moeda 05/07 (3ª. Feira) IR Retido na Fonte - Apurado no Período do Fato Gerador - 21 a 30 de Junho de 2011. IRRF - Juros sobre Capital Próprio e Aplicações Financeiras, Prêmios e outros rendimentos de Capital

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DO SISTEMA DE ARRECADAÇÃO E COBRANÇA

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DO SISTEMA DE ARRECADAÇÃO E COBRANÇA MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DO SISTEMA DE ARRECADAÇÃO E COBRANÇA ATO DECLARATÓRIO Nº 45, de 28 de setembro de 1999. O COORDENADOR-GERAL DO SISTEMA DE ARRECADAÇÃO

Leia mais

CALENDÁRIO OBRIGAÇÕES FISCAIS SETEMBRO/16

CALENDÁRIO OBRIGAÇÕES FISCAIS SETEMBRO/16 edição 35 ano 2016 CALENDÁRIO OBRIGAÇÕES FISCAIS SETEMBRO/16 02 de setembro de 2016 OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS SETEMBRO/2016 DIA 05 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação, xiii

SUMÁRIO. Apresentação, xiii SUMÁRIO Apresentação, xiii 1 A Contabilidade e a Gestão Tributária, 1 1.1 Introdução, 1 1.2 Os objetivos da atividade de gestão tributária, 1 1.3 Características profissionais exigidas para o cargo de

Leia mais

Escrituração fiscal das escolas no Simples Nacional

Escrituração fiscal das escolas no Simples Nacional Diogo José Mendes Tenório Auditor Fiscal de Tributos Municipais Escrituração fiscal das escolas no Simples Nacional Conforme: Lei Complementar 123/2006; Resolução do CGSN nº 94/2011 O que será abordado?

Leia mais

RESUMO DA CARTILHA DA RECEITA FEDERAL

RESUMO DA CARTILHA DA RECEITA FEDERAL RESUMO DA CARTILHA DA RECEITA FEDERAL Cartilha PUBLICADA AGORA EM SETEMBRO PELO TSE/RECEITA FEDERAL CAPTURADO URL: http://www.justicaeleitoral.jus.br/arquivos/cartilha-tse-e-receita-federaleleicoes-2016

Leia mais

OS IMPACTOS DOS REGIMES TRIBUTÁRIOS SOBRE O RESULTADO DOS EXERCÍCIOS

OS IMPACTOS DOS REGIMES TRIBUTÁRIOS SOBRE O RESULTADO DOS EXERCÍCIOS OS IMPACTOS DOS REGIMES TRIBUTÁRIOS SOBRE O RESULTADO DOS EXERCÍCIOS Edilson Cardoso de SOUZA 1 RESUMO: O presente artigo discorre sobre os impactos causados pelos regimes tributários sobre os resultados

Leia mais

Dos Créditos a Descontar na Apuração da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins

Dos Créditos a Descontar na Apuração da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins Assunto: Contribuição para PIS/PASEP e COFINS Instrução Normativa SRF nº 594, de 26 de dezembro de 2005 Dispõe sobre a incidência da Contribuição para o PIS/Pasep, da Cofins, da Contribuição para o PIS/Pasep-Importação

Leia mais

ECF Obrigatoriedade, prazo e multas

ECF Obrigatoriedade, prazo e multas ECF Obrigatoriedade, prazo e multas 4 de abril de 2016 Escrituração Contábil Fiscal (ECF) substitui a DIPJ desde 2015 A ECF referente ao ano-calendário 2015 deve ser entregue até 30 de junho de 2016. A

Leia mais

ANO XXVII ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 47/2016

ANO XXVII ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 47/2016 ANO XXVII - 2016-4ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 47/2016 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA EXTINÇÃO DA PESSOA JURÍDICA - ASPECTOS TRIBUTÁRIOS GERAIS... Pág. 663 SIMPLES NACIONAL PROCEDIMENTOS

Leia mais

Obrigações Acessórias Hipóteses e limites. Efeitos do descumprimento.

Obrigações Acessórias Hipóteses e limites. Efeitos do descumprimento. Simples Nacional em Debate Obrigações Acessórias Hipóteses e limites. Efeitos do descumprimento. Patrícia Lenz Koinaski Porto Alegre, 1º/10/2007 INSCRIÇÃO, OPÇÃO E CADASTRO Obrigação de inscrição nos entes

Leia mais

INFORMATIVO DO SIMPLES NACIONAL COMISSÃO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS OAB/RO

INFORMATIVO DO SIMPLES NACIONAL COMISSÃO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS OAB/RO INFORMATIVO DO SIMPLES NACIONAL COMISSÃO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS OAB/RO 2014 INTRODUÇÃO: A necessária inclusão no Simples Nacional, e a vitória da advocacia! Foi aprovada recentemente a inclusão das sociedades

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DO SISTEMA DE ARRECADAÇÃO E COBRANÇA

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DO SISTEMA DE ARRECADAÇÃO E COBRANÇA MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL COORDENAÇÃO-GERAL DO SISTEMA DE ARRECADAÇÃO E COBRANÇA ATO DECLARATÓRIO Nº 20, de 30 de maio de 1997. atribuições, declara: O COORDENADOR-GERAL DO SISTEMA

Leia mais

Orientações ao Microempreendedor Individual - MEI Qua, 01 de Julho de :09 - Última atualização Qua, 01 de Julho de :30

Orientações ao Microempreendedor Individual - MEI Qua, 01 de Julho de :09 - Última atualização Qua, 01 de Julho de :30 Abordaremos neste trabalho as regras gerais aplicáveis ao Microempreendedor Individual (MEI), no âmbito do Simples Nacional, tomando como base a publicação da Resolução CGSN nº 58, de 27 de abril de 2009,

Leia mais

Operação Tributável (base de cálculo = quantidade vendida x alíquota por unidade de produto)

Operação Tributável (base de cálculo = quantidade vendida x alíquota por unidade de produto) 1. Finalidade do CST Para a elaboração dos arquivos digitais da Escrituração Fiscal Digital (EFD), bem como para a geração do conteúdo das Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e), foram instituídos através da

Leia mais

Palestra Simples Nacional

Palestra Simples Nacional Palestra Simples Nacional Secretaria da Receita Federal do Brasil Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 8ª RF RITS - Ritsutada Takara Srrf08 A RECEITA FEDERAL DO BRASIL NÃO É DONA DO

Leia mais

9ª REGIÃO FISCAL - DIVISÃO DE TRIBUTAÇÃO

9ª REGIÃO FISCAL - DIVISÃO DE TRIBUTAÇÃO 9ª REGIÃO FISCAL - DIVISÃO DE TRIBUTAÇÃO SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 240, DE 9 DE SETEMBRO DE 2008: A substituição de embalagens de produtos, alterando sua apresentação, exceto se destinada unicamente ao transporte

Leia mais

AGENDA TRIBUTÁRIA PAULISTA: FEVEREIRO DE COM. CAT Nº 2, DE 26/01/2017

AGENDA TRIBUTÁRIA PAULISTA: FEVEREIRO DE COM. CAT Nº 2, DE 26/01/2017 AGENDA TRIBUTÁRIA PAULISTA: FEVEREIRO DE 2017 - COM. CAT Nº 2, DE 26/01/2017 Declara as datas fixadas para cumprimento das obrigações principais e acessórias do mês de fevereiro de 2017. O Coordenador

Leia mais

Ao clicar no botão NOVO, o contribuinte deverá fazer o preenchimento da BASE LEGAL, seguinte forma:

Ao clicar no botão NOVO, o contribuinte deverá fazer o preenchimento da BASE LEGAL, seguinte forma: ORIENTAÇÕES SOBRE O PREENCHIMENTO DA DMS PARA OS OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL Conforme a Resolução CGSN Nº 010 de 28/06/2007 do Comitê Gestor do Simples Nacional, as microempresas (ME) e as empresas de

Leia mais

SPED Um ano de grandes mudanças

SPED Um ano de grandes mudanças SPED 2016 - Um ano de grandes mudanças Palestra: EFD-REINF Luis Claudio Palese Março 2016 O que é EFD-Reinf? Quem está obrigado? Blocos EFD-Reinf esocial vs. EFD-Reinf Estrutura EFD-Reinf vs esocial Integração

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE ABRIL 2016.: (ÂMBITO FEDERAL) :.

OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE ABRIL 2016.: (ÂMBITO FEDERAL) :. OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE ABRIL 2016.: (ÂMBITO FEDERAL) :. PRAZO NATUREZA DISCRIMINAÇÃO 01.04 05.04 05.04 05.04 05.04 05.04 06.06 07.04 GPS SALÁRIOS CAGED GUIA DA

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 19 - Data 1 de março de 2016 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL Na espécie, relativamente a fatos geradores ocorridos

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 358, de 9 de setembro de 2003

Instrução Normativa SRF nº 358, de 9 de setembro de 2003 Instrução Normativa SRF nº 358, de 9 de setembro de 2003 Altera a Instrução Normativa SRF nº 247, de 21 de novembro de 2002, que dispõe sobre o PIS/Pasep e a Cofins. O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL, no

Leia mais

ANO XXV ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014

ANO XXV ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014 ANO XXV - 2014-1ª SEMANA DE MAIO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2014 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA DIPJ 2014 - PESSOAS JURÍDICAS E EQUIPARADAS - DISPOSIÇÕES GERAIS... Pág. 276 SIMPLES NACIONAL DASN-SIMEI

Leia mais

SPED Escrituração Contábil Fiscal (ECF)

SPED Escrituração Contábil Fiscal (ECF) SPED Escrituração Contábil Fiscal (ECF) Este tutorial destina-se a empresas de Regime Lucro Real. A exportação para o SPED Escrituração Contábil Fiscal (ECF) no Sistema LedWin, deverá ser feita da seguinte

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS - ABRIL/16

OBRIGAÇÕES FISCAIS - ABRIL/16 edição 17 ano 2016 OBRIGAÇÕES FISCAIS - ABRIL/16 05 de abril de 2016 OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS DIA 05 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção na fonte nos pagamentos ou créditos

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS 1ª PARTE

OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS 1ª PARTE OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS 1ª PARTE OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE JANEIRO (ÂMBITO FEDERAL) PRAZO NATUREZA DISCRIMINAÇÃO 02.01 04.01 (4ª feira)

Leia mais

PAUTA DA ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF)

PAUTA DA ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) PAUTA DA ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) O que é ECF? Escrituração Contábil Fiscal - (ECF) é uma obrigação imposta às Pessoas Jurídicas estabelecidas no Brasil exigidas pela RFB que substituiu a Declaração

Leia mais

4ª SEMANA OUTUBRO/2016

4ª SEMANA OUTUBRO/2016 Federal Mês: 11/2016 Dia: 03 IRRF/CSLL/PIS/COFINS Retidos na Fonte - Órgão Público Federal - Semanal 4ª SEMANA Os órgãos da administração pública federal direta, autarquias e fundações federais estão obrigadas

Leia mais

Escrituração Contábil Fiscal Destaques MP 627/03

Escrituração Contábil Fiscal Destaques MP 627/03 www.pwc.com Câmara Técnica de Contabilidade e Finanças - Aesbe Escrituração Contábil Fiscal Destaques MP 627/03 Maio de 2014 Índice ECF Escrituração Contábil Fiscal Sugestão de mudança Alguns comentários

Leia mais

Unidade I PLANEJAMENTO CONTÁBIL TRIBUTÁRIO. Profa. Ma. Divane A. Silva

Unidade I PLANEJAMENTO CONTÁBIL TRIBUTÁRIO. Profa. Ma. Divane A. Silva Unidade I PLANEJAMENTO CONTÁBIL TRIBUTÁRIO Profa. Ma. Divane A. Silva Objetivos gerais: Capacitar os estudantes a adquirir conhecimentos necessários para desenvolvimento das seguintes competências: Desenvolver

Leia mais

Federal Mês: 01/2016

Federal Mês: 01/2016 Federal Mês: 01/2016 Dia: 06 IOF - Imposto sobre Operações Financeiras 3º DECENDIO O IOF incide sobre as operações de crédito, operações de câmbio, operações de seguro realizadas por seguradoras, operações

Leia mais

Agenda Tributária: de 16 a 24 de fevereiro de 2016

Agenda Tributária: de 16 a 24 de fevereiro de 2016 Agenda Tributária: de 16 a 24 de fevereiro de 2016 Dia: 16 SP - Guia de Informação e Apuração - GIA - Regime mensal - I.E. finais 0 e 1 Os contribuintes com a inscrição estadual final 0 ou 1, deverão apresentar

Leia mais

SIMPLES NACIONAL, Lucro Presumido Cenário Atual e Mudanças para 2016

SIMPLES NACIONAL, Lucro Presumido Cenário Atual e Mudanças para 2016 SIMPLES NACIONAL, Lucro Presumido Cenário Atual e Mudanças para 2016 Rafael Borin Consultor Tributário da Fecomércio RS Sócio de Rafael Pandolfo Advogados associados LINHA DO TEMPO Simples Federal, Regimes

Leia mais

Assunto: Contabilização do pagamento da Contribuição ao Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público PIS/PASEP

Assunto: Contabilização do pagamento da Contribuição ao Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público PIS/PASEP Nota Técnica n 003/2012/GECON Vitória, 08 de Março de 2012. Assunto: Contabilização do pagamento da Contribuição ao Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público PIS/PASEP

Leia mais

Boletim de Atualização Tributária BOLETIM DE ATUALIZAÇÃO TRIBUTÁRIA. Código das Melhores Práticas de

Boletim de Atualização Tributária BOLETIM DE ATUALIZAÇÃO TRIBUTÁRIA. Código das Melhores Práticas de BOLETIM DE ATUALIZAÇÃO TRIBUTÁRIA Código das Melhores Práticas de N 40 Data 02.12.2016 Período Governança pesquisado: Atos publicados entre 25.11.2016 a 02.12.2016 RECEITA FEDERAL DO BRASIL Data da publicação:

Leia mais

AS ELEIÇÕES, OS CANDIDATOS, OS TRABALHADORES E A RECEITA FEDERAL

AS ELEIÇÕES, OS CANDIDATOS, OS TRABALHADORES E A RECEITA FEDERAL AS ELEIÇÕES, OS CANDIDATOS, OS TRABALHADORES E A RECEITA FEDERAL INFORMAÇÕES E ESCLARECIMENTOS SOBRE AS OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS NAS ELEIÇÕES DE 2016 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL MINISTÉRIO

Leia mais

Plantão de Dúvidas Tema: Obrigações Acessórias

Plantão de Dúvidas Tema: Obrigações Acessórias Plantão de Dúvidas Tema: Obrigações Acessórias (Dirf, Rais, Dmed, Dimob, Decred, entre outras) e esclarecimento sobre Per/Dcomp) com Lázaro Rosa da Silva 1 - Gostaria de saber se as entidades isentas do

Leia mais

PER/DCOMP - Práticas de Preenchimento - Atualização

PER/DCOMP - Práticas de Preenchimento - Atualização Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

ECF DIPJ INCLUÍDA NO SPED

ECF DIPJ INCLUÍDA NO SPED ECF DIPJ INCLUÍDA NO SPED O que é ECF Escrituração Contábil Fiscal? Demonstra o cálculo do IRPJ e da CSLL Sucessora da DIPJ Faz parte do projeto SPED Instituída pela Instrução Normativa RFB 1.422/2013

Leia mais

Cape contabilidade DCTF

Cape contabilidade DCTF DCTF (Fatos geradores ocorridos a partir de 2011) 1. O QUE DEVE SER DECLARADO Através da Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF), o contribuinte prestará informações relativas aos

Leia mais

SPED PIS/COFINS e Cordilheira Software Contábil

SPED PIS/COFINS e Cordilheira Software Contábil SPED PIS/COFINS e Cordilheira Software Contábil Bloco 0 Abertura do arquivo Operações de serviços Bloco A Operações de CTRC e outros serviços com ICMS Apuração dos valores dos impostos Fechamento do arquivo

Leia mais

Escrituração Contábil Fiscal - ECF

Escrituração Contábil Fiscal - ECF EMPRESAS LUCRO PRESUMIDO As empresas que são tributadas pelo Lucro Presumido, pagam o IRPJ e a CSLL aplicando uma alíquota de presunção, definida por lei, sobre as suas receitas, e sobre esse valor é aplicado

Leia mais

Abreviaturas Notas da 2ª Edição Notas da 3ª Edição Notas da 4ª Edição Introdução... 27

Abreviaturas Notas da 2ª Edição Notas da 3ª Edição Notas da 4ª Edição Introdução... 27 GESTÃO TRIBUTÁRIA DE CONTRATOS E CONVÊNIOS 4ª EDIÇÃO 11 Sumário S Abreviaturas... 19 Notas da 2ª Edição... 21 Notas da 3ª Edição... 23 Notas da 4ª Edição... 25 Introdução... 27 Capítulo 1... 29 1.1. Principais

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL EFD CONTRIBUIÇÕES FINANCEIRAS E ASSEMELHADAS

MANUAL OPERACIONAL EFD CONTRIBUIÇÕES FINANCEIRAS E ASSEMELHADAS MANUAL OPERACIONAL EFD CONTRIBUIÇÕES FINANCEIRAS E ASSEMELHADAS SUMÁRIO Introdução... 1 Sobre o Suporte Técnico... 1 EFD Contribuições Financeiras e Assemelhadas...2 Contrib Retida Fonte F600... 2 Receitas

Leia mais

Comissão Direito do Terceiro Setor. Dra. Lúcia Maria Bludeni - Presidente. Coordenação de Atualização Legislativa para o Terceiro Setor

Comissão Direito do Terceiro Setor. Dra. Lúcia Maria Bludeni - Presidente. Coordenação de Atualização Legislativa para o Terceiro Setor Comissão Direito do Terceiro Setor Dra. Lúcia Maria Bludeni - Presidente Coordenação de Atualização Legislativa para o Terceiro Setor Dra. Vanessa Ruffa Rodrigues Atualização Legislativa de 01/02/ a 29/02/

Leia mais

SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS 1.1. O que é Simples Nacional? O Simples Nacional é um regime tributário diferenciado, simplificado e favorecido pre

SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS 1.1. O que é Simples Nacional? O Simples Nacional é um regime tributário diferenciado, simplificado e favorecido pre SIMPLES NACIONAL SIMPLES NACIONAL 1. NOÇÕES GERAIS 1.1. O que é Simples Nacional? O Simples Nacional é um regime tributário diferenciado, simplificado e favorecido previsto na Lei Complementar nº 123,

Leia mais

AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL: DEZEMBRO DE 2015 - ADE CODAC Nº 37, DE 20/11/2015

AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL: DEZEMBRO DE 2015 - ADE CODAC Nº 37, DE 20/11/2015 AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL: DEZEMBRO DE 2015 - ADE CODAC Nº 37, DE 20/11/2015 Divulga a Agenda Tributária do mês de dezembro de 2015. O COORDENADOR-GERAL DE ARRECADAÇÃO E COBRANÇA, no uso da atribuição

Leia mais

Agenda Tributária: de 28 a 31 de janeiro de 2016

Agenda Tributária: de 28 a 31 de janeiro de 2016 Agenda Tributária: de 28 a 31 de janeiro de 2016 Dia: 29 Agências de Propaganda - Comprovante de Rendimentos e Retenção na Fonte ANO-CALENDÁRIO DE 2015 A agência de propaganda deverá fornecer ao anunciante

Leia mais

PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS

PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS PIS/ COFINS EM NOTÍCIAS I SUSPENSO O PAGAMENTO DE PIS/COFINS SOBRE A VENDA DE PRODUTOS SUÍNOS E AVICULÁRIOS E DE DETERMINADOS INSUMOS RELACIONADOS E CONCEDE CRÉDITO PRESUMIDO EM DETERMINADAS OPERAÇÕES

Leia mais

Clipping Legis. Publicação de legislação e jurisprudência fiscal. Nº 195 Conteúdo - Atos publicados em junho de 2016 Divulgação em julho de 2016

Clipping Legis. Publicação de legislação e jurisprudência fiscal. Nº 195 Conteúdo - Atos publicados em junho de 2016 Divulgação em julho de 2016 www.pwc.com.br Clipping Legis IOF/Câmbio e títulos ou valores mobiliários - Esclarecimentos - IN RFB nº 1.649/2016 Consolidação de débitos objetos da reabertura dos parcelamentos da Lei nº 11.941/2009

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA JUNHO DE 2015

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA JUNHO DE 2015 AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA JUNHO DE 2015 Até dia Obrigação Histórico 03 IRRF Recolhimento do Imposto de Renda Retido na Fonte correspondente a fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.05.2015,

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 15 14 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 202 - Data 11 de julho de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL Há redução dos percentuais relativos ao PIS/Pasep

Leia mais

Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais SEF/MG. Subsecretaria da Receita Estadual - SRE. Superintendência de Tributação - SUTRI

Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais SEF/MG. Subsecretaria da Receita Estadual - SRE. Superintendência de Tributação - SUTRI Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais SEF/MG Subsecretaria da Receita Estadual - SRE Superintendência de Tributação - SUTRI ALTERAÇÕES NO SIMPLES NACIONAL E AS IMPLICAÇÕES NO ÂMBITO ESTADUAL

Leia mais

Federal Mês: 05/2016

Federal Mês: 05/2016 Federal Mês: 05/2016 Dia: 04 IOF - Imposto sobre Operações Financeiras 3º DECENDIO O IOF incide sobre as operações de crédito, operações de câmbio, operações de seguro realizadas por seguradoras, operações

Leia mais

Procedimento. Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto. Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA

Procedimento. Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto. Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA Procedimento Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA O contribuinte substituído, sujeito ao Regime Periódico de Apuração - RPA que,

Leia mais

Distrito Federal > Setembro/2016

Distrito Federal > Setembro/2016 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Distrito Federal

Leia mais

Tabela Tabela Outros Produtos e Operações Sujeitos a Alíquotas Diferenciadas (CST 02): Crédito Alíquotas COFINS %

Tabela Tabela Outros Produtos e Operações Sujeitos a Alíquotas Diferenciadas (CST 02): Crédito Alíquotas COFINS % Tabela 4.3.17 - Tabela Outros Produtos e Operações Sujeitos a Alíquotas Diferenciadas (CST 02): Contribuição Contribuição Crédito Alíquotas Alíquotas Alíquotas Código Descrição do Produto NCM PIS COFINS

Leia mais

Descrição da Obrigação

Descrição da Obrigação CALENDÁRIO Notas Cenofisco: 1ª) Tendo em vista que o Calendário foi elaborado com base na legislação vigente em 09/09/2013, o assinante deverá manter-se alerta quanto a eventuais alterações posteriores,

Leia mais

Janeiro-Dezembro/2014

Janeiro-Dezembro/2014 IRRF - Décimo terceiro salário 2014 - Roteiro Aqui serão analisados os aspectos gerais relacionados à retenção do Imposto de Renda incidente no pagamento do décimo terceiro salário. Introdução Os rendimentos

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE AGOSTO 2016.: (ÂMBITO FEDERAL) :.

OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE AGOSTO 2016.: (ÂMBITO FEDERAL) :. OBRIGAÇÕES FISCAIS, TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS PARA O MÊS DE AGOSTO 2016.: (ÂMBITO FEDERAL) :. PRAZO NATUREZA DISCRIMINAÇÃO 01.08 03.08 03.08 03.08 03.08 03.08 05.08 05.08 GPS SALÁRIOS CAGED GUIA DA

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Simples Nacional e a transferência de créditos de PIS/COFINS Paulo Nadir Rosa de Moura* A Constituição Federal (CF) de 1988, no artigo 146, inciso III, alínea "d", dispõe que lei

Leia mais

BÔNUS DE ADIMPLÊNCIA FISCAL

BÔNUS DE ADIMPLÊNCIA FISCAL BÔNUS DE ADIMPLÊNCIA FISCAL Instituído pela Lei nº 10.637, de 2002 1) CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO LÍQUIDO (CSLL) * Silvério das Neves * Adherbal Corrêa Bernardes 1.1) Alíquotas O art. 6º da Medida

Leia mais

Unidade I Teoria Geral dos Tributos. Capítulo 1 Conceito de Tributo e suas Espécies...3. Capítulo 2 Os Impostos Capítulo 3 As Taxas...

Unidade I Teoria Geral dos Tributos. Capítulo 1 Conceito de Tributo e suas Espécies...3. Capítulo 2 Os Impostos Capítulo 3 As Taxas... S u m á r i o Unidade I Teoria Geral dos Tributos Capítulo 1 Conceito de Tributo e suas Espécies...3 1.1. Conceito de Tributo... 3 1.2. As Espécies Tributárias... 8 Capítulo 2 Os Impostos... 18 2.1. Teoria

Leia mais