Operações Estruturadas sob o Conceito de Parceria Público Privado -PPP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Operações Estruturadas sob o Conceito de Parceria Público Privado -PPP"

Transcrição

1 Operações Estruturadas sob o Conceito de Parceria -PPP

2 Premissas: Modelos apresentados são meramente exemplificativos; Não há comprometimento do BB na concessão de crédito ou prestação de garantia; Trata-se de assunto novo, sem experiência brasileira sobre o tema (marcos regulatórios em elaboração); Essa apresentação reflete principalmente a visão do financiador sobre o tema.

3 M O T I V A Ç Õ E S ESCASSEZ DE RECURSOS PÚBLICOS GARANTIA DE REMUNERAÇÃO PARA A INICIATIVA PRIVADA DIFERIMENTO DOS DESEMBOLSOS ORÇAMENTÁRIOS MULTIPLICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA COMPROMETIMENTO DA INICIATIVA PRIVADA MENOR DIFICULDADE NA OBTENÇÃO DE FUNDING

4 Definições: Art. 2º... o contrato do Parceria -Privada é o acordo firmado entre a Administração Pública e entes s, que estabelece vínculo obrigacional para implantação ou gestão, no todo ou em parte, de serviços, empreendimentos e atividades de interesse público, em que o financiamento e a responsabilidade pelo investimento incumbem ao ente privado... Art 3º, 2º... a Administração Pública poderá oferecer ao parceiro privado contraprestação adicional à tarifa cobrada do usuário, ou, em casos justificados, arcar integralmente com sua remuneração...

5 Grau de atratividade em relação à PPP GRAU DE ATRATIVIDADE Lei 8987/95 PROJETOS FINANCEIRAMENTE AUTO-SUSTENTÁVEIS PROJETOS QUE REQUEREM APORTE PARCIAL DE RECURSOS FISCAIS PROJETOS PRIVADOS PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS INVESTIDORES FOCO PARA PROJETOS PÚBLICOS TRADICIONAIS Lei 8666/95

6 Contrato Tradicional Contrato Parceria Privada (PPP) Custos não programados Custos estimados de investimento Nenhum pagamento Custos não até a Pagamento baseado na programados finalização performance (metas) da Custos estimados construção anos anos Atraso Fase de Construção Fase de Operação Fase de Construção Fase de Operação OBTENÇÃO DE FINANCIAMENTO

7 O modelo PPP proporciona ganhos de natureza sistêmica: Utiliza a expertise administrativa do setor privado na alocação de recursos e no gerenciamento das obras. Estabelece requisitos contratuais de performance associados ao pagamento da remuneração, garantindo a realização da obra no tempo estabelecido e a prestação de serviços de qualidade aos usuários. O governo trata com apenas um ente privado, a Sociedade de Propósito Específico, que por sua vez realiza todas as demais contratações decorrentes da construção, financiamento e prestação de serviços, trazendo significativos ganhos administrativos para a união.

8 Estrutura Básica de PPP A estrutura de financiamento do projeto funda-se no pagamento da Remuneração pelo poder concedente e na garantia do Fundo Fiduciário Administração Administração Pública Pública Parceiro Financiadores Usuários Usuários serviços serviços s s Construtora Investidor em participações Prestadores de de Serviços Bancos e outros financiadores Serviços Contas Órgão Órgão Estatal Estatal Órgão Órgão financeiro financeiro do do Ente Ente Remuneração Fundo Fiduciário Contratos de PPP SPE Sociedade de Propósito Especifico S.A. Contrato de Construção Contrato de Operação Recursos financeiros Garantias Financiamento de longo prazo Mercado de Capitais Investidores Institucionais (Fundos de Pensão)

9 Requer o estabelecimento de um marco regulatório específico (fundamental para a criação do ambiente institucional apropriado e redução de riscos); Acrescenta rigidez aos orçamentos futuros; Necessita de modelagem técnica e econômicofinanceira antes da contração. LIMITAÇÕES Apresenta estrutura contratual complexa; Elaboração detalhada de critérios de performance; Implica em custos de captação elevados;

10 Formatar o Projeto De Viabilidade Econômicofinanceira Administrador das Garantias (Trustee) Assessoramento no processo de licitação Originação do Negócio - Proposta de Estruturação Constituição e Liderança de Sindicato de Bancos (Syndicated Loan) Elaboração do Roteiro de Informações Assessoramento junto aos órgãos intervenientes na condução do projeto Coordenação e elaboração dos contratos

11 Análise Técnica Premissas Básicas: Projeto Ente privado e Ente público Análise de Viabilidade Econômico-Financeira Análise dos riscos envolvidos Alocação de riscos

12 Garantias das operações de crédito Contas Reservas (serviço da dívida e contingência); Penhor (ações, direitos emergentes, Indenizações e encampações); Cessão de recebíveis; Seguros e auditorias.

13 Outras Obrigações: O credor sempre exigirá no mínimo que: o projeto será concluído (fiança dos sócios privados e seguros - completion); o projeto irá gerar caixa suficiente (metas de desempenho e qualidade devem ser cumpridas); os sócios privados têm capacidade de quitar dívidas se as operações do projeto forem interrompidas. RECOMENDAÇÃO: é interessante que uma das condições da licitação seja que o licitante apresente promessa de financiamento de instituições financeiras que atendam aos requisitos de solidez e segurança definidos no edital.

14 Matriz de Risco do Projeto - 1 Obra Pública P P P Concessão Organização do processo Projeto básico Projeto executivo Engenharia Construção Operação e Manutenção Aquisição de Terras Compartilhado Compartilhado Risco de Receita / Demanda Risco Ambiental

15 Matriz de Risco do Projeto - 2 Obra Pública P P P Concessão Força Maior Risco Político Riscos Jurídicos Risco Regulamentação Risco Performance / Obsolescência Risco de Taxa de Juro Risco Cambial Compartilhado Risco de Financiamento Risco de Inflação

16 Fontes de Financiamento OPERAÇÕES ESTRUTURADAS SOB O CONCEITO DE PPP Instrumentos de Crédito Legislação / Edital Definição precisa dos serviços Legislação / Edital Garantias / Seguros Fontes de Financiamento Regras do setor econômico Especificação dos padrões de desempenho e qualidade Correta alocação dos riscos

17 Exemplo de Estrutura de Financiamento Total do Projeto 90% Capital Nacional BNDES 80% NÃO FINANC. pelo BNDES 20% BNDES Direto 30% BNDES Repasse 70% EQUITY SALDO Ações 30% Debêntures Convers. 70% BNDESPAR 30% Bancos 70% 10% Capital Estrangeiro Empréstimo Sindicalizado

18 F I M

19 RODOVIAS FERROVIAS Licitação de serviços, empreendimentos e atividade de interesse público, tais como: INFRA-ESTRUTURA TRANSPORTE URBANO SANEAMENTO ENERGIA ELÉTRICA PORTOS ARMAZENAGEM SERVIÇOS PRÉDIOS PÚBLICOS ESCOLAS HOSPITAIS HABITAÇÃO AEROPORTOS PENITENCIÁRIAS METRÔS

20 Ativo Componentes de Remuneração IMPORTANTE: o pagamento do Serviço Financeira parceiro privado Seguros Impostos estará sempre Taxa de Juros Amortização do Operação e Retorno s/ o Investimento Manutenção Investimento (ROE) vinculado a metas e padrões de Variação Cambial e SWAP qualidade e disponibilidade previamente Contraprestação definidos, da Administração inclusive, Pública: poderá pagamento em ser dinheiro instituída remuneração outorga de direitos sobre bens públicos outros variável meios, desde que em admitidos face por lei dessas metas. cessão créditos não tributários outorga de direitos em face da Administração Pública

21 Garantias ao parceiro privado: Fundos Garantidores: Dotações orçamentárias; Imóveis pertencentes ao estado; Ações de empresas estatais, desde que não acarrete perdas do controle acionário; Outros ativos não financeiros.

22 Funding Banco de Desenvolvimento (BNDES) Específicas Órgãos de assistência governamentais Fundos Regionais ou Setoriais Organismos multilaterais (Banco Mundial, BID)

23 Exemplo Fundo Private Equity Debêntures F I D C

24 Estruturação do Fundo Recebíveis (R$ 120 milhões) (REMUNERAÇÃO) S P E Originador Cota Subordinada $ F I D C $ R$ 100 milhoes Investidor R$ 100 milhões - deságio Cotas Senior Consultoria Jurídica Custódia Liquidação Rating Auditoria Repres. Cotistas

SEMINÁRIO PPP SALVADOR BAHIA 2014

SEMINÁRIO PPP SALVADOR BAHIA 2014 SEMINÁRIO PPP SALVADOR BAHIA 2014 BF CAPITAL TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 1 A imagem não pode ser exibida. Talvez o computador não tenha memória suficiente para abrir a imagem ou talvez ela esteja corrompida.

Leia mais

PROJETO DE LEI DAS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS

PROJETO DE LEI DAS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS PROJETO DE LEI DAS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS 9 PROJETO DE LEI Institui normas gerais para licitação e contratação de parceria público-privada, no âmbito da administração pública. O CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

Programa Minas PCH Viabilizando Investimentos em PCH no Estado de Minas Gerais

Programa Minas PCH Viabilizando Investimentos em PCH no Estado de Minas Gerais Viabilizando Investimentos em PCH no Estado de Minas Gerais Criação Instituído através do Decreto Estadual Nº 43.914 e lançado pela Cemig através de Chamada Pública. Objeto da Chamada: Convocação de Empresas

Leia mais

Prof. Murillo Sapia Gutier. www.murillogutier.com.br

Prof. Murillo Sapia Gutier. www.murillogutier.com.br Prof. Murillo Sapia Gutier www.murillogutier.com.br é acordo firmado entre Administração Pública e pessoa do setor privado; Objetivo: implantação ou gestão de serviços públicos, com eventual execução de

Leia mais

A Experiência do BNDES na Estruturação de Projetos

A Experiência do BNDES na Estruturação de Projetos A Experiência do BNDES na Estruturação de Projetos 1 Roteiro 1. Importância da Estruturação de um Projeto Identificação do Projeto Elaboração dos Estudos Procedimento Licitatório Execução 2. Como selecionar

Leia mais

Programa de Engenharia de Transportes COPPE/UFRJ

Programa de Engenharia de Transportes COPPE/UFRJ Programa de Engenharia de Transportes COPPE/UFRJ O financiamento de sistemas de transporte coletivo público envolve: As fontes de recursos de capital para investimento e A recuperação do capital investido

Leia mais

PPP s em Projetos de Infraestrutura 8º Encontro de Logística e Transportes

PPP s em Projetos de Infraestrutura 8º Encontro de Logística e Transportes PPP s em Projetos de Infraestrutura 8º Encontro de Logística e Transportes Maio, 2013 Índice Contexto do Surgimento da LEI das PPPs Comparação Fazer uma PPP não é fácil Características e Requisitos das

Leia mais

Parceria P ú blico-privada PPP. Novembro/2003 -

Parceria P ú blico-privada PPP. Novembro/2003 - Parceria P ú blico-privada PPP Novembro/2003 - Definição de Contrato de PPP Execução Clique de para obras, editar serviços os estilos e do atividades texto de mestre interesse Segundo público, cuja nível

Leia mais

9º Encontro Nacional SINAENCO Novas formas de contratação 1º. de dezembro de 2011

9º Encontro Nacional SINAENCO Novas formas de contratação 1º. de dezembro de 2011 A Estruturadora Brasileira de Projetos tem por missão desenvolver, com imparcialidade e transparência, projetos de infraestrutura que contribuam para o desenvolvimento econômico e social brasileiro criando

Leia mais

OPORTUNIDADES PARA O DESENVOLVIMENTO DA INFRAESTRUTURA BRASILEIRA

OPORTUNIDADES PARA O DESENVOLVIMENTO DA INFRAESTRUTURA BRASILEIRA OPORTUNIDADES PARA O DESENVOLVIMENTO DA INFRAESTRUTURA BRASILEIRA 1) ATUALIZAR LEIS SOBRE CONTRATOS ADMINISTRATIVOS (RDC E OUTRAS LEIS) A) ENGENHARIA NACIONAL E PROJETOS A.1 Estabelecer critérios diferenciados

Leia mais

PROJECT FINANCE NO BRASIL - Fortaleza 2.009

PROJECT FINANCE NO BRASIL - Fortaleza 2.009 Desmitificando o Project Finance O Project Finance não é uma técnica em si, mas um conjunto de técnicas conhecidas e testadas, que devem conviver harmoniosamente e coordenadas entre si, permitindo que

Leia mais

LEI Nº 9.038, DE 14 DE JANEIRO DE 2005. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.038, DE 14 DE JANEIRO DE 2005. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 9.038, DE 14 DE JANEIRO DE 2005 Dispõe sobre o Programa Municipal de Parcerias Público- Privadas. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte

Leia mais

Contratos Teoria Geral dos Contratos

Contratos Teoria Geral dos Contratos Ailton Cardozo Contratos Teoria Geral dos Contratos A) Contrato Conceito B) Visão Liberal (pacta sunt servanda) x Visão Social ( proporcionalidade e razoabilidade) C) O Direito Público x Direito Privado

Leia mais

Os Contratos de Parceria Público - Privada

Os Contratos de Parceria Público - Privada Os Contratos de Parceria Público - Privada 1 Apresentação O Projeto de Lei das PPP S que foi aprovado pelo Congresso Nacional em 2005 tem por objetivo de garantir recursos privados para a execução e operação

Leia mais

CAIXA: POSSIBILIDADES DE ATUAÇÃO EM CONCESSÕES DE INFRAESTRUTURA

CAIXA: POSSIBILIDADES DE ATUAÇÃO EM CONCESSÕES DE INFRAESTRUTURA CAIXA: POSSIBILIDADES DE ATUAÇÃO EM CONCESSÕES DE INFRAESTRUTURA 85º Encontro Nacional da Indústria da Construção Rogério de Paula Tavares Diretor Executivo de Infraestrutura e Saneamento Fortaleza/CE,

Leia mais

XIV SIMPÓSIO NACIONAL DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS

XIV SIMPÓSIO NACIONAL DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS XIV SIMPÓSIO NACIONAL DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS DIMENSÃO DO PROJETO BÁSICO NA CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS PRECEDIDOS DA EXECUÇÃO DE OBRA PÚBLICA Cezar Augusto Pinto Motta TCE-RS / Ibraop Pedro

Leia mais

Fundamentos de Parcerias Público-Privadas (PPPs)

Fundamentos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) Fundamentos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) Organização: Unidade de Parcerias Público-Privadas - Secretaria de Estado de Economia e Planejamento (SEP) Vitória, 26.11.2010 Objetivos do Curso Apresentar

Leia mais

PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS III Fórum Brasileiro sobre a Reforma do Estado Carlos Ari Sundfeld SITUANDO O TEMA DA PPP escassez de recursos orçamentários para projetos de alto custo déficit de projetos

Leia mais

TIPOS DE RELACIONAMENTO COM A INICIATIVA PRIVADA E FORMAS DE ESTRUTURAÇÃO DE PROJETOS

TIPOS DE RELACIONAMENTO COM A INICIATIVA PRIVADA E FORMAS DE ESTRUTURAÇÃO DE PROJETOS TIPOS DE RELACIONAMENTO COM A INICIATIVA PRIVADA E FORMAS DE ESTRUTURAÇÃO DE PROJETOS terça-feira, 10 de novembro de 2015 Objetivo Apresentar os alguns dos tipos de relacionamento estabelecidos entre a

Leia mais

LEI Nº 9.548, DE 22 DE ABRIL DE 2015. A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIÂNIA, Estado de Goiás, aprova e eu, PREFEITO MUNICIPAL, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.548, DE 22 DE ABRIL DE 2015. A CÂMARA MUNICIPAL DE GOIÂNIA, Estado de Goiás, aprova e eu, PREFEITO MUNICIPAL, sanciono a seguinte Lei: 1 Gabinete do Prefeito LEI Nº 9.548, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Institui o Programa Municipal de Parcerias Público-Privadas, cria a Comissão Gestora de Parcerias Público-Privadas de Goiânia e dá outras providências.

Leia mais

O Plano Empresário é um financiamento destinado às incorporadoras/construtoras para a construção de imóveis residenciais e/ou comerciais.

O Plano Empresário é um financiamento destinado às incorporadoras/construtoras para a construção de imóveis residenciais e/ou comerciais. O Plano Empresário é um financiamento destinado às incorporadoras/construtoras para a construção de imóveis residenciais e/ou comerciais. Para a contratação do Plano Empresário, o Itaú realizará uma análise

Leia mais

P.P.P. PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS O porque das Parcerias Público Privadas Impossibilidade de obtenção de recursos públicos A crise da economia

P.P.P. PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS O porque das Parcerias Público Privadas Impossibilidade de obtenção de recursos públicos A crise da economia P.P.P. PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS O porque das Parcerias Público Privadas Impossibilidade de obtenção de recursos públicos A crise da economia causada pelo endividamento público Limitação provocada pela

Leia mais

Gestão de Contratos de PPP. Bancabilidade, Financiamento e Garantias

Gestão de Contratos de PPP. Bancabilidade, Financiamento e Garantias Gestão de Contratos de PPP Bancabilidade, Financiamento e Garantias Roteiro da Apresentação Bloco 1 Alinhamento Conceitual Aspectos Legais dos Financiamentos Evolução da modelagem (BNB) Bloco 2 Riscos

Leia mais

Proposta preliminar para discussão com. Versão de 23 de abril de 2004. Potenciais Parceiros Privados

Proposta preliminar para discussão com. Versão de 23 de abril de 2004. Potenciais Parceiros Privados Proposta preliminar para discussão com Versão de 23 de abril de 2004 Potenciais Parceiros Privados Apresentação O Governo do Estado de Minas Gerais, com a publicação da Lei nº 14.868, de 16 de dezembro

Leia mais

SEMINÁRIO REGIONAL NORDESTE CONCESSÕES E PARCERIAS

SEMINÁRIO REGIONAL NORDESTE CONCESSÕES E PARCERIAS SEMINÁRIO REGIONAL NORDESTE CONCESSÕES E PARCERIAS Dificuldades na Constituição de Garantias nos Financiamentos de Projetos Fortaleza, Outubro de BF CAPITAL TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 1 A BF Capital

Leia mais

PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS RISCOS FISCAIS

PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS RISCOS FISCAIS SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA Subsecretaria de Política Fiscal Órgão da SEFAZ PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS RISCOS FISCAIS Breves reflexões sobre o tema. George Santoro BREVE HISTÓRICO: DO ESTADO BUROCRÁTICO

Leia mais

A atuação da EBP no desenvolvimento da infraestrutura

A atuação da EBP no desenvolvimento da infraestrutura A Estruturadora Brasileira de Projetos tem por missão desenvolver, com imparcialidade e transparência, projetos de infraestrutura que contribuam para o desenvolvimento econômico e social brasileiro criando

Leia mais

Pro r je j c e t t Fi F nanc n e c

Pro r je j c e t t Fi F nanc n e c Project Finance Tópicos da Apresentação Garantia Projeto Arena Fonte Nova Fluxo de Pagamentos das PPPs Fundo Garantidor Baiano de Parcerias FGBP Garantia PPP do Metrô Projeto Arena Fonte Nova Demolição,

Leia mais

NOTA DA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL - Perguntas e Respostas sobre o processo de concessão Viernes 30 de Septiembre de 2011 17:32

NOTA DA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL - Perguntas e Respostas sobre o processo de concessão Viernes 30 de Septiembre de 2011 17:32 There are no translations available. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL Perguntas e Respostas sobre o processo de concessão A concessão Por que o governo resolveu fazer a concessão? Nos

Leia mais

PPPS E ILUMINAÇÃO PÚBLICA SOB

PPPS E ILUMINAÇÃO PÚBLICA SOB PPPS E ILUMINAÇÃO PÚBLICA SOB A GESTÃO DOS MUNICÍPIOS Caso não haja nova prorrogação, por determinação da ANEEL, até 31/12/2014, as distribuidoras de iluminação pública deverão concluir a transferência

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 12.234, DE 13 DE JANEIRO DE 2005. (publicada no DOE nº 09, de 14 de janeiro de 2005) Dispõe sobre normas para

Leia mais

Financiamentos para Empreendimentos Públicos de Saneamento e Urbanização

Financiamentos para Empreendimentos Públicos de Saneamento e Urbanização 8º ENAENCO Financiamentos para Empreendimentos Públicos de Saneamento e Urbanização ROGÉRIO DE PAULA TAVARES Superintendente Nacional Saneamento e Infra-estrutura São Paulo, 29 de novembro de 2007 Fonte:

Leia mais

Formação em Parcerias Público Privadas. Desenvolvimento de uma carteira de projetos

Formação em Parcerias Público Privadas. Desenvolvimento de uma carteira de projetos Formação em Parcerias Público Privadas Desenvolvimento de uma carteira de projetos Novembro de 2013 1. Contexto Atual 2. Análise das Demandas do Setor Público 3. Como Estruturar um Procedimento 4. Como

Leia mais

Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Carga TRANSPORTE E LOGÍSTICA NO BRASIL VISÃO DO SETOR PRIVADO

Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Carga TRANSPORTE E LOGÍSTICA NO BRASIL VISÃO DO SETOR PRIVADO Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Carga TRANSPORTE E LOGÍSTICA NO BRASIL VISÃO DO SETOR PRIVADO SEMINÁRIO SOBRE TRANSPORTE E LOGÍSTICA BANCO MUNDIAL / MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Eng Luis

Leia mais

Concessões e Parcerias: Ampliação das Oportunidades de Negócios

Concessões e Parcerias: Ampliação das Oportunidades de Negócios Concessões e Parcerias: Ampliação das Oportunidades de Negócios André Dabus 15/09/2015 Agenda Breve apresentação AD; Financiabilidade, Riscos e Garantias no Segmento de Infraestrutura; Identificação e

Leia mais

Aspectos Legais sobre Investimentos no Brasil

Aspectos Legais sobre Investimentos no Brasil Aspectos Legais sobre Investimentos no Brasil Carlos Alberto Rossi Cenário Atual: Eliminação da discriminação entre de empresa brasileira com capital nacional e empresa estrangeira, pela Emenda Constitucional

Leia mais

Cézar Manoel de Medeiros*

Cézar Manoel de Medeiros* CRISE GLOBAL E O PAPEL DO SETOR PÚBLICO NO BRASIL ALGUMAS PROPOSIÇÕES PARA DISCUSSÃO Cézar Manoel de Medeiros* O Brasil reúne condições propícias para manter o novo ciclo duradouro de crescimento econômico

Leia mais

PAINEL 2014 PACTO PELA INFRAESTRUTURA NACIONAL E EFICIÊNCIA LOGÍSTICA TEMA: CENÁRIOS PARA INVESTIMENTOS

PAINEL 2014 PACTO PELA INFRAESTRUTURA NACIONAL E EFICIÊNCIA LOGÍSTICA TEMA: CENÁRIOS PARA INVESTIMENTOS PAINEL 2014 PACTO PELA INFRAESTRUTURA NACIONAL E EFICIÊNCIA LOGÍSTICA TEMA: CENÁRIOS PARA INVESTIMENTOS BRASÍLIA, 03 DE SETEMBRO DE 2014 Luis Henrique T. Baldez Presidente Executivo OBJETIVOS E PRINCÍPIOS

Leia mais

Apoio à Inovação. Agosto, 2015

Apoio à Inovação. Agosto, 2015 Apoio à Inovação Agosto, 2015 Quem somos vídeo institucional Classificação de Porte utilizada Porte da Empresa Receita Operacional Bruta Anual M P M Es Micro Pequena Média Até R$ 2,4 milhões Até R$ 16

Leia mais

Felipe Jens Odebrecht Investimentos em Infraestrutura 29 de novembro de 2009

Felipe Jens Odebrecht Investimentos em Infraestrutura 29 de novembro de 2009 Inovações nas infraestruturas de transporte Felipe Jens Odebrecht Investimentos em Infraestrutura 29 de novembro de 2009 Agenda Organização ODEBRECHT Desafios para o Crescimento Sustentável da América

Leia mais

Financiamento para o desenvolvimento. Novembro/2012

Financiamento para o desenvolvimento. Novembro/2012 Financiamento para o desenvolvimento Novembro/2012 Agenda Contexto dos investimentos em infraestrutura no Brasil Desafios para a realização de investimentos em infraestrutura 1 Brasil Média Global Países

Leia mais

Gestão de contratos de PPP

Gestão de contratos de PPP Gestão de contratos de PPP Workshop Aperfeiçoando as PPP no Brasil Bruno Ramos Pereira Salvador 26 de fevereiro de 2014 Estrutura Apresentação do PPP Brasil CenáriodasPPPsnoBrasil Contexto Riscos e desafios

Leia mais

Agencias De Fomento e Garantias em Contratos de Parcerias Público Privadas: perspectivas e possibilidades

Agencias De Fomento e Garantias em Contratos de Parcerias Público Privadas: perspectivas e possibilidades Agencias De Fomento e Garantias em Contratos de Parcerias Público Privadas: perspectivas e Marcus Vinicius Macedo Pessanha Sócio Coordenador de Direito Regulatório Escritório Nelson Wilians e Advogados

Leia mais

ANEXO VI - INFORMAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL SUMÁRIO. Seção I Informações Gerais... Erro! Indicador não definido.

ANEXO VI - INFORMAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL SUMÁRIO. Seção I Informações Gerais... Erro! Indicador não definido. ANEXO VI - INFORMAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL SUMÁRIO Seção I Informações Gerais... Erro! Indicador não definido. Seção II Aspectos da Proposta Comercial... Erro! Indicador não definido.

Leia mais

O Plano de Negócios deverá ser apresentado de acordo com os quadros apresentados abaixo.

O Plano de Negócios deverá ser apresentado de acordo com os quadros apresentados abaixo. ANEXO 7 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL O objetivo da PROPOSTA COMERCIAL é a definição, por parte da LICITANTE, do valor da oferta pela Outorga da Concessão da Prestação do Serviço Público

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 492. O GOVERNADOR DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte

LEI COMPLEMENTAR Nº 492. O GOVERNADOR DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte LEI COMPLEMENTAR Nº 492 Institui o Programa de Parcerias Público- Privadas do Estado do Espírito Santo e dá outras providências. Lei: O GOVERNADOR DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa

Leia mais

LOCAÇÃO DE ATIVOS UMA NOVA MODALIDADE DE CONTRATAR OBRAS PÚBLICAS. Aldo Dórea Mattos i

LOCAÇÃO DE ATIVOS UMA NOVA MODALIDADE DE CONTRATAR OBRAS PÚBLICAS. Aldo Dórea Mattos i LOCAÇÃO DE ATIVOS UMA NOVA MODALIDADE DE CONTRATAR OBRAS PÚBLICAS Aldo Dórea Mattos i Ante a realidade do grande déficit de infraestrutura do país e a dificuldade de obtenção de recursos por parte do governo,

Leia mais

Projetos de PPP na STM. Jurandir Fernandes Secretário dos Transportes Metropolitanos

Projetos de PPP na STM. Jurandir Fernandes Secretário dos Transportes Metropolitanos Projetos de PPP na STM Jurandir Fernandes Secretário dos Transportes Metropolitanos São Paulo, 18/03/2013 Regiões metropolitanas do Estado de São Paulo América do Sul Brasil A.U. Jundiaí R.M Vale R.M.

Leia mais

Prefeitura Municipal de Catanduva Banco Interamericano de Desenvolvimento. Programa de Desenvolvimento Urbano Integrado de Catanduva

Prefeitura Municipal de Catanduva Banco Interamericano de Desenvolvimento. Programa de Desenvolvimento Urbano Integrado de Catanduva Prefeitura Municipal de Catanduva Banco Interamericano de Desenvolvimento Programa de Desenvolvimento Urbano Integrado de Catanduva ESTRUTURA DE ORGANIZACIONAL DO PROGRAMA O esquema organizacional do Programa,

Leia mais

Nota da reunião de 30 de abril de 2009 na qual foi debatido o Programa Habitacional do Governo Federal

Nota da reunião de 30 de abril de 2009 na qual foi debatido o Programa Habitacional do Governo Federal 1 Nota da reunião de 30 de abril de 2009 na qual foi debatido o Programa Habitacional do Governo Federal O do NRE-Poli discutiu aspectos do Programa Minha Casa, Minha Vida, com enfoque nos seus principais

Leia mais

EGON BOCKMANN MOREIRA

EGON BOCKMANN MOREIRA EGON BOCKMANN MOREIRA Advogado. Doutor em Direito. Prof. Faculdade de Direito UFPR Prof. Visitante da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Prof. Convidado da Faculdade de Direito da Universidade

Leia mais

Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico

Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico As competências constitucionais Competência para prestação de serviços públicos locais (CF, art. 30) Compete aos Municípios:... V - organizar e

Leia mais

Programa de Investimento em Logística

Programa de Investimento em Logística Programa de Investimento em Logística HÉLIO MAURO FRANÇA Empresa de Planejamento e Logística Logística e Desenvolvimento Econômico Imperativos para o desenvolvimento acelerado e sustentável: Ampla e moderna

Leia mais

ANEXO IV DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL

ANEXO IV DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL ANEXO IV DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL 1. INTRODUÇÃO Este anexo objetiva apresentar as informações necessárias a orientar a LICITANTE quanto à apresentação e conteúdo da sua PROPOSTA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL PUBLICADA NO DOE Nº 2.137, DE 31-03-06 LEI Nº 1424, DE 14 DE MARÇO DE 2006.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL PUBLICADA NO DOE Nº 2.137, DE 31-03-06 LEI Nº 1424, DE 14 DE MARÇO DE 2006. PUBLICADA NO DOE Nº 2.137, DE 31-03-06 LEI Nº 1424, DE 14 DE MARÇO DE 2006. Faço saber que: Institui o Programa de Parcerias Público- Privadas do Município de Palmas, Estado do Tocantins, e dá outras providências.

Leia mais

Privadas O Projeto de Lei em tramitação

Privadas O Projeto de Lei em tramitação BNDES BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL Parcerias Público-Privadas Privadas O Projeto de Lei em tramitação MAURÍCIO PORTUGAL RIBEIRO CONSULTOR JURÍDICO DA UNIDADE DE PPP DO MINISTÉRIO

Leia mais

Aspectos Relevantes da Assessoria Técnica Prestada ao Projeto do Aeroporto Internacional de Pouso Alegre Francisco Humberto Vignoli

Aspectos Relevantes da Assessoria Técnica Prestada ao Projeto do Aeroporto Internacional de Pouso Alegre Francisco Humberto Vignoli Aspectos Relevantes da Assessoria Técnica Prestada ao Projeto do Aeroporto Internacional de Pouso Alegre Francisco Humberto Vignoli Coordenador de Projetos Data: 21 de outubro de 2015 AGENTES ENVOLVIDOS

Leia mais

A regulamentação da Parceria Público Privada (PPP) em 2004, permitindo maior flexibilidade no compartilhamento de riscos entre o setor público e

A regulamentação da Parceria Público Privada (PPP) em 2004, permitindo maior flexibilidade no compartilhamento de riscos entre o setor público e 6 Conclusão Apesar dos pilares que permeiam o Project Finance terem sua origem nas relações mercantis, há centenas de anos atrás, a história moderna de aplicação do modelo começa somente na década de 70

Leia mais

ANEXO III PROPOSTA ECONÔMICO FINANCEIRA DA SABESP PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA - RMBS MUNICÍPIO DE SANTOS

ANEXO III PROPOSTA ECONÔMICO FINANCEIRA DA SABESP PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA - RMBS MUNICÍPIO DE SANTOS ANEXO III PROPOSTA ECONÔMICO FINANCEIRA DA SABESP PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA - RMBS MUNICÍPIO DE SANTOS 1 Sumário 1. Equilíbrio econômico-financeiro metropolitano...3 2. Proposta econômico-financeira

Leia mais

www.santanabertolami.com.br

www.santanabertolami.com.br www.santanabertolami.com.br Apresentação O Escritório tem como objetivo prestar serviços jurídicos de alto nível a clientes nacionais e estrangeiros. Fundado em 2005, o Escritório busca a combinação equilibrada

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

O PAPEL DOS AGENTES FINANCIADORES NO APOIO AOS PROJETOS DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS

O PAPEL DOS AGENTES FINANCIADORES NO APOIO AOS PROJETOS DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS O PAPEL DOS AGENTES FINANCIADORES NO APOIO AOS PROJETOS DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS AGENDA 1. PERFIL OPERACIONAL DO BANCO DO NORDESTE DO BRASIL 2. PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS NO BNB Principais Atividades

Leia mais

A contabilização das PPP pelo Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público (MCASP), publicado pela STN. Henrique Ferreira Souza Carneiro

A contabilização das PPP pelo Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público (MCASP), publicado pela STN. Henrique Ferreira Souza Carneiro A contabilização das PPP pelo Manual Contabilida Aplicada ao Setor Público (MCASP), publicado pela STN Henrique Ferreira Souza Carneiro Contexto: Padronização Contábil - MCASP 1. Procedimentos Contábeis

Leia mais

Relatório Gerencial do 3º Trimestre de 2014 CSHG Realty Development FIP. list.imobiliario@cshg.com.br

Relatório Gerencial do 3º Trimestre de 2014 CSHG Realty Development FIP. list.imobiliario@cshg.com.br CSHG Realty Development FIP list.imobiliario@cshg.com.br Com objetivo de participar do investimento em projetos de desenvolvimento imobiliário nos segmentos de shopping centers, edifícios corporativos

Leia mais

Av. Ataulfo de Paiva, 245-3º andar Leblon CEP: 22440-032 www.animaeducacao.com.br/ri Rio de Janeiro Tel.: +55 (21) 3550-1630. www.genuscapital.com.

Av. Ataulfo de Paiva, 245-3º andar Leblon CEP: 22440-032 www.animaeducacao.com.br/ri Rio de Janeiro Tel.: +55 (21) 3550-1630. www.genuscapital.com. Av. Ataulfo de Paiva, 245-3º andar Leblon CEP: 22440-032 Rio de Janeiro Tel.: +55 (21) 3550-1630 www.genuscapital.com.br A EMPRESA A Genus Capital Group é uma gestora independente centrada em produtos

Leia mais

Project Finance João Tiago Silveira II Curso Pós-Graduado em Corporate Finance Centro de Investigação de Direito Privado 17 de dezembro 2015

Project Finance João Tiago Silveira II Curso Pós-Graduado em Corporate Finance Centro de Investigação de Direito Privado 17 de dezembro 2015 Project Finance João Tiago Silveira II Curso Pós-Graduado em Corporate Finance Centro de Investigação de Direito Privado 17 de dezembro 2015 Sumário 1. Noção de project finance 2. Distinção de Parceria

Leia mais

Eixo de integração Centro-Oeste - Logística ABDE

Eixo de integração Centro-Oeste - Logística ABDE Eixo de integração Centro-Oeste - Logística ABDE AIE/DELOG/GESET Novembro/2011 Agenda Vetores Estratégicos e Metas a Alcançar Centro-Oeste: Desafios e Oportunidades Conclusão Atuação do BNDES 2 Vetores

Leia mais

Parecer da Auditoria Independente

Parecer da Auditoria Independente Parecer da Auditoria Independente 113 Parecer da Auditoria Independente 114 Informação Padronizada Relatório Anual 2008 115 Informação Padronizada Relatório Anual 2008 116 117 000 01 118 119 Resultado

Leia mais

Regulação em Projetos Transnacionais de Infraestrutura Aspectos Econômicos. Arthur Barrionuevo FGV - Escolas de Administração e Direito

Regulação em Projetos Transnacionais de Infraestrutura Aspectos Econômicos. Arthur Barrionuevo FGV - Escolas de Administração e Direito Regulação em Projetos Transnacionais de Infraestrutura Aspectos Econômicos Arthur Barrionuevo FGV - Escolas de Administração e Direito Introdução Infraestrutura Características da Infraestrutura Projetos

Leia mais

PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS, CONCESSÕES EMPRESARIAIS E PROJECTOS DE INFRA- ESTRUTURAS

PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS, CONCESSÕES EMPRESARIAIS E PROJECTOS DE INFRA- ESTRUTURAS PASSAPORTE PARA MOÇAMBIQUE Auditório SIBS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS, CONCESSÕES EMPRESARIAIS E PROJECTOS DE INFRA- ESTRUTURAS 27 de Outubro DIOGO XAVIER DA CUNHA ÍNDICE Enquadramento Lei n.º 15/2011 Âmbito

Leia mais

PROJETO ARENA FONTE NOVA. São Paulo, 27 de novembro de 2014

PROJETO ARENA FONTE NOVA. São Paulo, 27 de novembro de 2014 São Paulo, 27 de novembro de 2014 CONTRATOS PPP/BA CONTRATOS ASSINADOS % EM RELAÇÃO A RCL 2014 2015 2016 2017 2018 Contrato n 30/2010 - Hospital do Subúrbio 0,655% 0,635% 0,613% 0,592% 0,571% Contrato

Leia mais

A Importância do Planejamento e da Estruturação de Projetos nas Obras Públicas

A Importância do Planejamento e da Estruturação de Projetos nas Obras Públicas A Importância do Planejamento e da Estruturação de Projetos nas Obras Públicas Pinheiro IBRE/FGV IE/UFRJ Porto Alegre, 11 Dezembro 2014 Estrutura Déficit brasileiro de infraestrutura não está melhorando

Leia mais

Atuação do BNDES na Estruturação e Financiamento de concessões/ppps. Rio de Janeiro, 25 de setembro de 2015

Atuação do BNDES na Estruturação e Financiamento de concessões/ppps. Rio de Janeiro, 25 de setembro de 2015 Atuação do BNDES na Estruturação e Financiamento de concessões/ppps Rio de Janeiro, 25 de setembro de 2015 Roteiro 1. Área de Estruturação de Projeto do BNDES - AEP 2. Financiamento de PPPs pela Área Social

Leia mais

Apoio do BNDES a Concessões e PPPs em Infraestrutura. Rio de Janeiro Abril de 2012

Apoio do BNDES a Concessões e PPPs em Infraestrutura. Rio de Janeiro Abril de 2012 Apoio do BNDES a Concessões e PPPs em Infraestrutura Rio de Janeiro Abril de 2012 O que apoiamos Projetos de Infraestrutura Energia elétrica; Telecomunicações; Saneamento Ambiental; Logística e transportes;

Leia mais

COORDENAÇÃO-GERAL DE NORMAS DE CONTABILIDADE APLICADAS À FEDERAÇÃO - CCONF GERÊNCIA DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE GESTÃO FISCAL - GENOP

COORDENAÇÃO-GERAL DE NORMAS DE CONTABILIDADE APLICADAS À FEDERAÇÃO - CCONF GERÊNCIA DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE GESTÃO FISCAL - GENOP COORDENAÇÃO-GERAL DE NORMAS DE CONTABILIDADE APLICADAS À FEDERAÇÃO - CCONF GERÊNCIA DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE GESTÃO FISCAL - GENOP Fundos Públicos REUNIÃO DO GRUPO TÉCNICO DE PADRONIZAÇÃO DE RELATÓRIOS

Leia mais

Programa Minas PCH Viabilizando Investimentos em PCHs. Belo Horizonte, 23 de abril de 2008

Programa Minas PCH Viabilizando Investimentos em PCHs. Belo Horizonte, 23 de abril de 2008 Viabilizando Investimentos em PCHs Belo Horizonte, 23 de abril de 2008 Criação Instituído através do Decreto Estadual Nº 43.914 e lançado pela Cemig através de Chamada Pública. Objeto da Chamada: Convocação

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTO PÚBLICO Atualizado em 16/10/2015 ORÇAMENTO PÚBLICO O orçamento anual da União é composto pelos orçamentos: Fiscal, da Seguridade Social e de Investimento

Leia mais

Como as empresas financiam investimentos em meio à crise financeira internacional

Como as empresas financiam investimentos em meio à crise financeira internacional 9 dez 2008 Nº 58 Como as empresas financiam investimentos em meio à crise financeira internacional Por Fernando Pimentel Puga e Marcelo Machado Nascimento Economistas da APE Levantamento do BNDES indica

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA

CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA CONSELHO FEDERAL DE ECONOMIA RESOLUÇÃO Nº 1.868, DE 31 DE MARÇO DE 2012. Define as bases referenciais para valoração dos honorários por serviços prestados por economistas profissionais e por empresas prestadoras

Leia mais

PLANEJAMENTO E PROJETO: AS FERRAMENTAS ESSENCIAIS PARA CONSTRUIR UM BRASIL MELHOR

PLANEJAMENTO E PROJETO: AS FERRAMENTAS ESSENCIAIS PARA CONSTRUIR UM BRASIL MELHOR PLANEJAMENTO E PROJETO: AS FERRAMENTAS ESSENCIAIS PARA CONSTRUIR UM BRASIL MELHOR Contribuições da Arquitetura e da Engenharia de Projetos para os candidatos ao Governo Federal Agosto de 2010 O Brasil

Leia mais

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. 6 a 8 de fevereiro de 2012

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. 6 a 8 de fevereiro de 2012 EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Disciplina: D 3.3 Fundamentos do Direito Público (20h) (Aula 4: Parcerias na Administração Pública) Professores: Eduardo Xavier e Wellington Márcio Kublisckas 6 a 8 de fevereiro

Leia mais

PROJETO RESSANEAR SANEAMENTO E RESÍDUOS SÓLIDOS EM PAUTA

PROJETO RESSANEAR SANEAMENTO E RESÍDUOS SÓLIDOS EM PAUTA PROJETO RESSANEAR SANEAMENTO E RESÍDUOS SÓLIDOS EM PAUTA POLÍTICA NACIONAL DE SANEAMENTO JOHNNY FERREIRA DOS SANTOS Diretor de Água e Esgoto - Porto Alegre, 01 de Setembro de 2011 MARCOS LEGAIS E POLÍTICO-INSTITUCIONAIS

Leia mais

Estratégias para atuação do Instituto de Ciência e Tecnologia da UFF no município de Rio das Ostras

Estratégias para atuação do Instituto de Ciência e Tecnologia da UFF no município de Rio das Ostras Estratégias para atuação do Instituto de Ciência e Tecnologia da UFF no município de Rio das Ostras Rio das Ostras RJ Setembro de 2012 Sumário da apresentação Panorama de Rio das Ostras Instituto de Ciência

Leia mais

DESMISTIFICANDO AS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS

DESMISTIFICANDO AS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS DESMISTIFICANDO AS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS UMA IMPORTANTE ALTERNATIVA PARA O AVANÇO DA INFRAESTRUTURA BRASILEIRA Daniel R. Figueiredo Especialista em Estruturação de Projetos de PPP e Concessões 26/08/2015

Leia mais

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS VERIFICAÇÕES PRELIMINARES Art. 3, caput e 1 ; 1. O objeto do convênio ou contrato de repasse guarda relação com a atividade do convenente? 2.

Leia mais

PPP em Saneamento: Fatores críticos de sucesso

PPP em Saneamento: Fatores críticos de sucesso PPP em Saneamento: Fatores críticos de sucesso Rubens Teixeira e Leonardo Grilo Workshop Parcerias Público-Privadas em Saneamento Básico Secretaria de Estado de Economia e Planejamento - Unidade PPP Novembro

Leia mais

O processo de análise do crédito. Dicas para Melhores Práticas de Gestão de Crédito

O processo de análise do crédito. Dicas para Melhores Práticas de Gestão de Crédito O processo de análise do crédito Dicas para Melhores Práticas de Gestão de Crédito Tópicos: Project Finance; Análise de Crédito; e Governança Corporativa Project Finance Financiamento relacionado a projeto:

Leia mais

X Seminário Nacional Metroferroviário: PPP no financiamento da Mobilidade Urbana. Março/2014

X Seminário Nacional Metroferroviário: PPP no financiamento da Mobilidade Urbana. Março/2014 X Seminário Nacional Metroferroviário: PPP no financiamento da Mobilidade Urbana Março/2014 Características dos investimentos no setor Montante elevado de recursos Longo prazo de implantação Modicidade

Leia mais

FORTALECIMENTO DO CONTROLE INTERNO

FORTALECIMENTO DO CONTROLE INTERNO FORTALECIMENTO DO CONTROLE INTERNO O Brasil vive momento determinante do seu futuro, em que a sociedade exige novos paradigmas nas relações comerciais entre o poder público e atores privados. Esse cenário

Leia mais

A Estruturadora Brasileira de Projetos tem por missão desenvolver, com imparcialidade e transparência, projetos de infraestrutura que contribuam para

A Estruturadora Brasileira de Projetos tem por missão desenvolver, com imparcialidade e transparência, projetos de infraestrutura que contribuam para A Estruturadora Brasileira de Projetos tem por missão desenvolver, com imparcialidade e transparência, projetos de infraestrutura que contribuam para o desenvolvimento econômico e social brasileiro criando

Leia mais

Análise da. Resolução CMN 4.275. que altera a Resolução CMN 3.792

Análise da. Resolução CMN 4.275. que altera a Resolução CMN 3.792 Análise da Resolução CMN 4.275 que altera a Resolução CMN 3.792 Novembro de 2013 1. Introdução O presente documento tem a proposta de apresentar um breve resumo das principais alterações decorrentes da

Leia mais

Rev. Data Resp. Téc/Proj. Resp. Téc/Concess. ANTT Verificado. - ANTT Aprovado - ANTT

Rev. Data Resp. Téc/Proj. Resp. Téc/Concess. ANTT Verificado. - ANTT Aprovado - ANTT Código RT-BR0000364-000-0.000-0-0P3-Y05-400 Rev. 00 Emissão: 14/04/2015 Folha 1 / 62 Resp. Técnico / Projetista: Resp. Técnico / Concessionária: Lote: Edital de Chamamento Público Nº 4/2014 Rodovia: BR-364

Leia mais

81º ENIC Encontro Nacional da Indústria da Construção. PAINEL Saneamento: Desafios para a Universalização

81º ENIC Encontro Nacional da Indústria da Construção. PAINEL Saneamento: Desafios para a Universalização 81º ENIC Encontro Nacional da Indústria da Construção PAINEL Saneamento: Desafios para a Universalização Rogério de Paula Tavares Superintendente Nacional de Saneamento e Infra-estrutura Rio de Janeiro,

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Roteiro para Análise de Fluxo de Caixa para Outorga de Concessões

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Roteiro para Análise de Fluxo de Caixa para Outorga de Concessões ANEXO 8 ROTEIRO DE ANÁLISE DE FLUXO DE CAIXA PARA OUTOGA DE CONCESSÕES Índice Geral 1. OBJETIVO... 4 2. ANÁLISE PRELIMINAR DAS PLANILHAS... 5 2.1. Análise das fórmulas e vínculos das planilhas... 6 3.

Leia mais

ESTRUTURA E GERENCIAMENTO DE RISCOS NO BRDE

ESTRUTURA E GERENCIAMENTO DE RISCOS NO BRDE ESTRUTURA E GERENCIAMENTO DE RISCOS NO BRDE JULHO/2014 1. Objetivos O gerenciamento de riscos no BRDE tem como objetivo mapear os eventos de riscos, sejam de natureza interna ou externa, que possam afetar

Leia mais

SERVIÇO DE DRAGAGEM NA NOVA LEI DOS PORTOS

SERVIÇO DE DRAGAGEM NA NOVA LEI DOS PORTOS SERVIÇO DE DRAGAGEM NA NOVA LEI DOS PORTOS Fernão Justen de Oliveira Doutor em Direito do Estado pela UFPR Sócio da Justen, Pereira, Oliveira e Talamini 1. A disciplina jurídica brasileira sobre dragagem

Leia mais

12 portos marítimos (+8 terminais privados de uso misto) 409.473 km de rodovias. 18 aeroportos (9 internacionais)

12 portos marítimos (+8 terminais privados de uso misto) 409.473 km de rodovias. 18 aeroportos (9 internacionais) Fórum Nacional Eólico Carta dos Ventos Financiamento de Projetos José Maria Vilar Superintendente do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) Natal, 19.06.2009 Nordeste do Brasil: Infraestrutura 12 portos marítimos

Leia mais

CPI DOS FUNDOS DE PENSÃO Apresentação do Ex-Diretor de Investimentos da FUNCEF Demósthenes Marques Período de julho de 2004 a abril de 2012

CPI DOS FUNDOS DE PENSÃO Apresentação do Ex-Diretor de Investimentos da FUNCEF Demósthenes Marques Período de julho de 2004 a abril de 2012 Câmara dos Deputados CPI DOS FUNDOS DE PENSÃO Apresentação do Ex-Diretor de Investimentos da FUNCEF Demósthenes Marques Período de julho de 2004 a abril de 2012 Brasília, 26 de novembro de 2015 Demósthenes

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICA PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO PAÍS

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICA PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO PAÍS MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO 2007-2010 INFRA-ESTRUTURA SOCIAL E URBANA SANEAMENTO PANORAMA DO SANEAMENTO

Leia mais

Novo Mercado: Gestão de Propriedades e Abertura de Capital

Novo Mercado: Gestão de Propriedades e Abertura de Capital Novo Mercado: Gestão de Propriedades e Abertura de Capital 2 Crescimento do Agronegócio Brasileiro Fluxo de caixa/custos Evolução da Gestão Vendas Futuras 90/00 Evolução de Comercialização Produtividade

Leia mais