Plano de Negócios. Super Atacado de Peças Ltda.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano de Negócios. Super Atacado de Peças Ltda."

Transcrição

1 Instituto de Educação Tecnológica Ricardo de Araujo Camargos Plano de Negócios Super Atacado de Peças Ltda. Belo Horizonte Junho, 2011

2 Ricardo de Araujo Camargos Plano de Negócios Super Atacado de Peças Ltda. Trabalho de conclusão do curso de MBA em Gestão de Negócios do Instituto de Educação Tecnológica, turma 20, como requisito parcial a obtenção do título de pós-graduado em MBA Gestão de Negócios. Orientador: Eleonora Cruz Santos Belo Horizonte Junho, 2011

3 Listas de Ilustrações QUADRO 1 Apresentação da empresa e currículo executivo... 5 QUADRO 2 Definição do Negócio... 6 QUADRO 3 Análise Ambiental... 8 QUADRO 4 Análise Swot... 9 QUADRO 5 Análise dos Concorrentes do Super Atacado de Peças Ltda TABELA 1 Análise de mercado FIGURA 1 Modelo de promoção QUADRO 6 Funcionários QUADRO 8 Encargos sobre folha de pagamento QUADRO 9 Análise dos Investimentos necessários QUADRO 10 vendas x recebimentos QUADRO 11 Investimento inicial QUADRO 12 DRE primeiro ano de funcionamento QUADRO 13 DRE dos cinco primeiros anos QUADRO 14 Fluxo de caixa... 24

4 Sumário 1 INTRODUÇÃO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO objetivos quantitativos e qualitativos ANÁLISE AMBIENTAL OPÇÃO ESTRATÉGICA PLANO DE MARKETING Mercado Alvo Potencial de Mercado, Posicionamento Potencial de Vendas, portfólio de marcas O Produto O Preço Promoção O Ponto de vendas Plano de ação PESSOAL PROJETO DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRO Demonstrativo de Investimento Conclusão Referências... 26

5 5 1 INTRODUÇÃO Super Atacado será uma empresa que atua no comércio atacadista de peças para motores diesel estacionários. O foco do trabalho é atender o comercio varejista de peças de reposição de motores, oficinas de montagem que tenham maior porte e grandes consumidores que podemos tratar de frotistas. QUADRO 1 Apresentação da empresa e currículo executivo Nome comercial: Super Atacado. Razão Social da Empresa: Super Atacado Ltda Ramo de Atividade: Empresa atacadista de motores diesel, motobombas, grupos geradores de força e peças de reposição. Endereço e CEP: Av. Barão Homem de Melo, 1429 Bairro Estoril Belo Horizonte - MG Telefone, fax, Proprietário: Ricardo de Araújo Camargos Cargo: Diretor Qualificações: - Marketólogo. Registro no conselho regional de Administração /D - 20 anos de experiência conjunta em vendas e compras. - Venda interna, externa, telemarketing. - Expertise em compras de produtos para comercialização, com foco na geração de diferencial competitivo. - Sólido network no segmento de peças para motores diesel estacionários Yanmar e Agrale. - Banco de dados com literatura técnica, carteira de fornecedores e clientes qualificados

6 6 2 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO O quadro abaixo sintentiza os aspectos mais relevantes para o delienamento do planejamento estratégico. ASPECTO Definição do negócio sob a visão míope Definição do negócio sob a visão estratégica Missão Visão Princípios QUADRO 2 Definição do Negócio DESCRIÇÃO Venda de peças e equipamentos Fornecimento de consultoria, solução e logística Fornecer solução, consultoria e logística em vendas de peças e equipamentos para empresas ligadas ao agronegócio, preocupando sempre com o meio ambiente Em três anos ser referência em fornecimento de solução, consultoria e logística em vendas de peças e equipamentos para empresas ligadas ao agronegócio, sem abrir mão da sustentabilidade Estabelecer parcerias com clientes, fornecedores e demais stakeholders Respeitar a legislação vigente. Perdemos o negócio, mas jamais o cliente. Só fazemos compromissos que temos condições de cumprir. Trabalhamos sempre focados na defesa do meio ambiente. O respeito ao ser humano em primeiro lugar. Fonte: Dados da pesquisa

7 7 2.1 Objetivos quantitativos e qualitativos. Quantitativos: Alcançar o patamar de faturamento no valor de R$ ,00 mês a partir do terceiro ano de funcionamento do negócio. Alcançar o primeiro lugar em venda de peças originais Agrale no Brasil ao final do segundo ano de funcionamento. Estar entre os dez maiores revendedores de peças originais Yanmar do Brasil ao final do segundo ano de funcionamento. Qualitativos: Conquistar parceiros de negócios no mercado, dominar o segmento nas regiões norte e nordeste do país, treinamento da equipe do almoxarifado nas indústrias ao final do segundo ano de funcionamento, formação de uma equipe de vendas ao final do segundo ano de funcionamento, implantação da linha de máquinas ao final do terceiro ano de funcionamento.

8 8 3 ANÁLISE AMBIENTAL QUADRO 3 Análise Ambiental EVENTOS AMEAÇAS OPORTUNIDADES SUGESTÕES Econômico: 1. Aumento do dólar; Aumento no preço dos importados. Melhor remuneração dos produtos do campo o que gera melhores Agressivo trabalho de marketing. Ambiente propicio a investimentos no campo. 2. Valorização do real Redução do preços dos produtos do campo investimentos. Redução do custo dos produtos importados dos fornecedores do atacado. Focar na venda de peças e maquinas importadas que estarão mais baratas. 3.0 Oferta de crédito. Risco de inadimplência Aquisição de equipamentos no Focar na venda de maquinas com crédito consignado campo Político/legal: Mudança na legislação do Recolhimento de ICMS Nenhuma. Investir em uma consultoria bastante competente na legislação de todo o território nacional. Tecnológico: Implantação de energia elétrica no campo. Novos tratores com motores Yanmar. Treinamento da equipe de vendas para os lançamentos da indústria. Natural: Chuva Excessiva. Seca Focar o trabalho nas regiões onde a seca estiver presente. Fonte: Dados da pesquisa

9 9 Analise SWOT. Força Fraqueza Ameaça Oporturnidade QUADRO 4 Análise Swot CRM Foco no relacionamento Agregação de valor Encantar o cliente Empresa nova no mercado Poucos recursos financeiros Poucas linhas de crédito Pressão dos fornecedores Ataques da concorrência Demora no ressarcimento da ST A concorrência não usa o relacionamento A concorrência não faz pós venda. Fonte: Dados da pesquisa A base do trabalho da organização e seu diferencial competitivo e focar no relacionamento, agregando valor no atendimento. Marcar presença nas redes sociais participando da vida do clientes vinte e quatro horas por dia. As fraquezas são inerentes de um negócio que esta começando com pouco dinheiro e sob muita pressão do mercado, para conseguir manter um portfólio de marcas de peso dentro da organização. As principais ameaças são o foco que todo concorrente faz para derrubar o comércio adversário e um possível atraso no ressarcimento da ST por parte do governo, no caso das vendas fora do estado de MG que representam 60% do faturamento da empresa. A oportunidade aparece justamente no uso das mais modernas técnicas de atendimento onde se usa o relacionamento e o pós venda, o que por enquanto a concorrência não faz.

10 10 QUADRO 5 Análise dos Concorrentes do Super Atacado de Peças Ltda. Aspectos Analisados GEMAPE AGRAM SUPER ATACADO Forte Fraco Forte Fraco Forte Fraco Pessoal x x X Qualidade produtos X x X Equipamentos x x x Capacidade instalada X X X Tecnologia X x X Finanças X X X Recursos Financeiros X X X Possibilidade de Obten- X X X ção de empréstimo Marketing X x X Preço x X X Distribuição X x X Promoção/Comunicação X x X Propaganda X X X Equipe de Vendas X X x Localização X X X CRM X X X Fonte: Dados da pesquisa

11 11 O quadro acima aponta o que talvez seja o maior problema deste segmento que é conseguir mão de obra especializada. O problema, no entanto, não é uma particularidade do Super Atacado mas de todas as empresas do setor. Como não é possível conduzir com segurança sem mais pessoas qualificadas a estratégia e buscar profissionais na concorrência a medida que o negócio vai se desenvolvendo. Fica claro também a grande força do Super Atacado em relação as empresas concorrentes que é a implantação do relacionamento com o cliente gerando parcerias e fidelização. 4 OPÇÃO ESTRATÉGICA O Super Atacado vai optar pela diferenciação. Esta opção se baseia no trabalho focado no relacionamento com o cliente, que é a brecha deste mercado, e no Just in time fazendo com que o cliente use o estoque do atacado como solução. 5 PLANO DE MARKETING 5.1 Mercado Alvo Visto que o negócio é um atacado o relacionamento é focado na pessoa jurídica. Revendedores de peças, oficinas de maquinário agrícola, retíficas de motores e fazendas com grande número de motores o que podemos chamar de frotistas. 5.2 Potencial de Mercado, Posicionamento Trabalho neste ramo há vinte anos não posso deixar de levar em consideração a minha experiência prática. Para definir o tamanho do mercado vou considerar o posicionamento da organização dentro dos dois principais fornecedores de motores diesel estacionário do Brasil, são eles: Yanmar South America e Agrale S/A.

12 12 Com uma retirada de peças na Yanmar de R$ ,00 a organização consegue se posicionar como a sétima maior revenda de peças de reposição no Brasil. No caso da Agrale uma retirada de R$ ,00 coloca a organização entre os cinco maiores revendedores Agrale do Brasil. O ranking é divulgado pelas indústrias no primeiro trimestre do ano seguinte. Não temos com isso um tamanho exato do mercado, mas, é possível algum dimensionamento a partir destes valores. A importância deste posicionamento se refere diretamente a condições de fornecimento. O chamado Top Ten, consegue negociações diferenciadas e em função disso um diferencial competitivo em relação ao preço das demais revendas do Brasil, a saber, mais de quatrocentas. Não é interessante, em um primeiro momento, assumir uma postura mais agressiva dentro das indústrias porque isso implicaria em metas de compras maiores sem necessariamente conseguir uma melhoria nas condições de negociação. A sétima e quinta posição nas indústrias torna possível o que está apontado na visão da organização. 5.3 Potencial de Vendas, portfólio de marcas Yanmar e Agrale comandam a venda de produtos, não é possível montar o negócio sem a presença desta parceria que fornece o produto original. No entanto é o mercado paralelo que proporciona mais lucro. Vejamos a Tabela 1. FORNECEDORES COMPRAS ANO R$ MARKUP EM % META POR FORNECEDOR R$ AGRALE , ,00 B&H 9.600, ,00 BRUBOM , ,00 C.YANMACHITA , ,00 CEMMI , ,00 ECOPARTS , ,00 ERNESTO GROSS , ,00 FIMAX 6.000, ,00 IBM , ,00 JD DISTRIBUIDORA , ,00 JUNTAS PAR , ,00 MANUFATURA ZONA OESTE , ,00 MJW 8.400, ,00 NAUT 8.400, ,00 ORGUEL , ,00 PURIAR , ,00 RETIFOZ 6.000, ,00 ROLAMENTOS MC , ,00 RUBERKITS 3.600, ,00 SMAGON , ,00 SUSIN FRANCESCUTTI , ,00 TRATORRES 8.400, ,00 YANMAR , ,00 TOTAL DE COMPRAS / ANO ,00 RECEITA / ANO ,00 MÉDIA DE COMPRAS MÊS ,33 MÉDIA MARKUP 51,30 MÉDIA DE VENDAS MÊS ,33

13 13 O quadro mostra toda a cadeia de fornecimento da organização, seus respectivos fornecedores e a meta de compras necessária para que se possa praticar os markups mencionados, com base nas informações do mercado. Como vemos a receita ano com base no ressuprimento e markup de mercado sugere um faturamento médio de R$ ,33 e anual de R$ ,00. No entanto em função dos custos fixos do negócio somente um faturamento mínimo mensal de R$ ,00 e de R$ ,00 ano tornam o negócio viável, como vai ficar claro analisando a DRE do negócio e seu fluxo de caixa. 5.4 O Produto O foco são peças de reposição e o produto principal motores diesel estacionários Yanmar e Agrale. Completando o portfólio agregamos novas linhas ligadas ao mesmo público alvo como motobombas, micro tratores, motores de outros fabricantes e uma linha de compressores. O complemento vai acontecendo conforme forem disponibilizadas linhas saudáveis de financiamento e o andamento do negócio. 5.5 O Preço O foco da precificação é o mercado e a margem de lucro se baseia na administração de custos. Com base em boas negociações são conseguidos diferenciais em termos de preço em relação à concorrência, o setor de compras segue então como o principal administrador do negócio no que diz respeito a lucro e diferencial competitivo quanto a preço de venda. 5.6 Promoção Uma característica do negócio entre organizações é que a negociação do dia a dia acontece entre profissionais de compra e técnicos de montagem. A parte ruim é que fica mais difícil fazer parceiros, visto que é um público onde a emoção vai representar muito pouco na tomada de decisão de compra. Por outro lado você tem

14 14 um público que conhece tecnicamente o produto e suas principais marcas, fica bem mais barato e prático promover o produto para este público. Mostro abaixo um modelo de promoção com o qual tenho trabalhado nos últimos quinze anos e que tem atendido bem. O que muda ao longo do tempo são pequenas melhorias na apresentação e hoje além do correio usamos o , a transferência de arquivos via MSN para apresentar a promoção ao cliente. O público consegue decodificar a informação com excelência fazendo com que o gasto com telefone se resuma ao momento do pedido ou uma conversação breve. A possibilidade do envio por torna possível mudar e enviar a promoção rapidamente. Isso é importante em função do dinamismo dos negócios hoje, no momento em que se encontra uma boa oportunidade em compras ela vira uma promoção em vendas e o cliente é imediatamente informado. Um bom exemplo deste modelo é o que a americanas.com e submarino entre outros fazem. Quem se cadastra nestes sites de compra recebe uma promoção todos os dias praticamente e às vezes mais de uma vez por dia. São modelos simples, de fácil elaboração, muito baratos e com resultados consideráveis. A Figura 1 abaixo segue sem cabeçalho e rodapé com informações adicionais para não atrapalhar a configuração do restante do trabalho.

15 15 KITS DE MOTOR DO JEITO QUE VOCÊ PRECISA, CONFIRA. MODELO ORIGINAL SEMI ORIGINAL PARALELO NS50 120,00 105,00 90,00 NS75 140,00 120,00 100,00 NS90 160,00 130,00 110,00 NS11 195,00 150,00 120,00 NS18 230,00 190,00 150,00 B9 130,00 100,00 80,00 B10 150,00 120,00 100,00 A MELHOR CONDIÇÃO DE PAGAMENTO DO BRASIL COMPRANDO R$ 200,00 45 DIAS COMPRANDO R$ 300,00 30/60 DIAS COMPRANDO R$ 450,00 30/60/90 DIAS A PARTIR DE 2.000,00 30/60/90/120 DIAS

16 O Ponto de vendas Com o objetivo de reduzir custos o ponto de vendas será em Belo Horizonte em imóvel alugado. O imóvel no bairro Estoril com 120 metros quadrados na Avenida Barão Homem de melo, permite boa circulação e deslocamento para as regiões das principais transportadoras a serem utilizadas. 5.7 Plano de ação Estabelecidas as parcerias com os principais fornecedores e montado o estoque inicial que será somente de peças de reposição, montamos tabelas de preço, promoções e literatura técnica. Os clientes são imediatamente abordados via marketing, MSN, mala direta, fax e telemarketing. Não existe venda de balcão. Os pedidos feitos até as 17:00 são despachados no mesmo dia nas transportadoras os demais no dia seguinte.

17 17 6 PESSOAL No primeiro ano de funcionamento da empresa, o negócio vai contar apenas com três funcionários. Um almoxarife, uma secretária e uma faxineira. QUADRO 7 Funcionários Cargo Quantidade Salário (R$) Encargo Social (R$) Total (R$) Almoxarife ,00 398, ,18 Secretária ,00 398, ,18 Faxineira ,00 199,09 744,09 Total ,00 995, ,45 Fonte: Dados da pesquisa Os três funcionários são à base da continuidade na gestão de pessoas. Uma vez que capacitem novos integrantes os mesmos receberam cursos de aperfeiçoamento até terem condições de alcançarem o nível tático dentro da organização. Esta pratica deverá acontecer quando a análise de investimento da organização identificar o lucro operacional que deve acontecer na proximidade do quarto ano de funcionamento da empresa. O valor do encargo social foi elaborado considerando 36,53% sobre o valor de cada salário conforme orienta o professor Dilson Campos em sua apostila de estrutura de custos de bens e serviços na página 19. Apostila do IETEC módulo I Aperfeiçoamento em Engenharia de Vendas Julho 2010, na coluna da empresa optante pelo SIMPLES. Vejamos abaixo o quadro do professor Dilson.

18 18 QUADRO 8 Encargos sobre folha de pagamento ITENS Empresa de Grande e Médio Porte Empresa de Pequeno Porte Optante pelo SIMPLES 1 Encargos Mensais recolhidos Total Guia INSS empresa FGTS 28,8% 8,0% 0,00% 8,0% Total do grupo 1 36,8% 8,00% 2 Encargos Mensais Apropriados 13º Salário Férias (30 dias) (+) 1/3 abono de férias Faltas justificadas/abonadas 8,33% 8,33% 2,78% 1,20% 8,33% 8,33% 2,78% 1,20% Total do grupo 2 20,64% 20,64% 3 Incidência Grupo 1 x Grupo 2 7,60% 1,65% 4 Verbas Rescisórias* Multa FGTS (dados estimados) Aviso Prévio Indenizado (média) 3,20% 3,04% 3,20% 3,04% Total Encargos Sociais s/folha pagamento 71,28% 36,53% Fonte: Dados da pesquisa *valores estimados O quadro é uma sugestão prática para apropriação do custo financeiro com encargos sociais (Base = folha de pagamento mensal)*

19 19 7 PROJETO DE VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRO A partir deste ponto será abordada a viabilidade econômica do Super Atacado de Peças. 7.1 Demonstrativo de Investimento Item QUADRO 9 Análise dos Investimentos necessários Valor Unit. Valor Total Discriminação Unid. Quant. R$ R$ TOTAL ,00 1 Máquinas e Equipamentos Computadores un , ,00 Frigobar un , ,00 Multifuncional un , ,00 Aparelhos de telefone sem fio un ,00 480,00 Fax un ,00 600,00 Equipamentos de rede un , ,00 2 Móveis e Utensílios Estante para catálogos un ,00 600,00 Armário un ,00 600,00 Mesa un , ,00 Cadeira giratória un , ,00 3 Outros Sistema operacional un , ,00 Fonte: Dados da pesquisa A empresa fará um investimento inicial no valor de R$ ,00

20 20 MÊS CUSTO DO QUADRO 10 vendas x recebimentos FATURAMENTO RECEBIMENTO RECEBIMENTO CAIXA DO DE MÊS ACUMULADO DENTRO DO ACUMULADO MÊS VENDA MÊS 1º , , ( ,23) 2º , , , ,00 (90.657,23) 3º , , , , ,77 4º , , , , ,77 Fonte: Dados da pesquisa A compra dos produtos e pagamento dos demais custos acontece dentro do mês, mas a condição de pagamento ofertada aos clientes pelo mercado é 30/60/90 dias. Em função disso existe uma diferença entre o que a empresa fatura e o que ela recebe dentro do mês visto que o cliente efetua o pagamento em parcelas. O saldo devedor do caixa acumulado nos três primeiros meses é de R$ ,69 nesta simulação não esta sendo considerada a inadimplência que existe em todo negócio. QUADRO 11 Investimento inicial Reforço de caixa para os três primeiros meses R$ ,46 Investimento inicial em equipamento e software R$ ,00 Margem de segurança contra inadimplência em 10% do acumulado no 4º mês. R$ ,00 Valor total do investimento para abertura da empresa R$ ,46 Fonte: Dados da pesquisa Na DRE do primeiro ano de funcionamento mostrada abaixo fica claro o valor do custo total mês subtraindo o valor do resultado operacional, R$ 9.342,77, do valor do faturamento do mês que é R$ ,00 onde temos o custo mês de R$ ,23 usado no quadro de vendas x recebimento.

21 21 QUADRO 12 DRE primeiro ano de funcionamento DRE DO PRIMEIRO ANO DE FUNCIONAMENTO - SIMPLES. DESCRIÇÃO MARÇO DE 2011 MÉDIA MENSAL R$ ANUAL R$ RECEITA OPERACIONAL BRUTA , ,00 RECEITA COM PEÇAS , ,00 (-) DEDUÇÃO DE VENDAS , ,00 ICMS ST MG 15,04% 7.896, ,00 35% ICMS NORTE, NORDESTE, CENTRO OESTE 7% 6.300, ,00 60% ICMS SUL 12% 900, ,00 5% 9,17% DE SIMPLES , ,00 (=) RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA , ,00 (-) CUSTOS DAS MERCADORIAS VENDIDAS , ,36 CUSTO DAS PEÇAS VENDIDAS , ,36 (-) CUSTOS VARIÁVEIS 0,00 0,00 (=) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO , ,64 (-) CUSTO FIXO , ,40 CONTADOR 545, ,00 ALARME E VIGILANCIA 600, ,00 MANUTENÇÃO DIVERSA 500, ,00 AGUA,LUZ, BANDA LARGA 400, ,00 TELEFONE 700, ,00 ALUGUEL / IPTU 3.000, ,00 DEPRECIAÇÃO 200, ,00 SALÁRIOS 2.725, ,00 ENCARGOS 995, ,40 MATERIAIS PUBLICITÁRIOS 1.000, ,00 CUSTO COM TRANSPORTE 2.000, ,00 (=) RESULTADO OPERACIONAL 9.342, ,24 (=) RESULTADO LÍQUIDO 9.342, ,24 Fonte: Dados da pesquisa

22 22 DRE DOS CINCO PRIMEIROS ANOS DE FUNCIONAMENTO - SIMPLES. DESCRIÇÃO EM JUNHO DE º ANO 2º ANO 3º ANO 4º ANO 5º ANO RECEITA OPERACIONAL BRUTA , , , ,900, ,00 RECEITA COM PEÇAS , , , ,900, ,00 (-) DEDUÇÃO DE VENDAS , , , , ,47 ICMS ST MG 15,04% , , , , ,54 35% ICMS NORTE, NORDESTE, CENTRO OESTE 7% , , , , ,29 60% ICMS SUL 12% , , , , ,47 5% 9,17% DE SIMPLES , , , , ,17 (=) RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA , , , , ,53 (-) CUSTOS DAS MERCADORIAS VENDIDAS , , , , ,35 CUSTO DAS PEÇAS VENDIDAS , , , , ,35 (-) CUSTOS VARIÁVEIS 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 (=) MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO , , , , ,18 (-) CUSTO FIXO , , , , ,60 CONTADOR 6.540, , , , ,92 ALARME E VIGILANCIA 7.200, , , , ,96 MANUTENÇÃO DIVERSA 6.000, , , , ,72 AGUA,LUZ, BANDA LARGA 4.800, , , , ,60 TELEFONE 8.400, , , , ,00 ALUGUEL / IPTU , , , , ,56 DEPRECIAÇÃO 2.400, , , , ,20

23 23 SALÁRIOS , , , , ,00 ENCARGOS , , , , ,52 MATERIAIS PUBLICITÁRIOS , , , , ,12 CUSTO COM TRANSPORTE , , , , ,12 (=) RESULTADO OPERACIONAL , , , , ,58 (=) RESULTADO LÍQUIDO , , , , ,58 Fonte: Dados da pesquisa Nesta projeção o faturamento cresceu 10% no segundo e terceiro ano. No quarto e quinto o aumento foi de 5%. As despesas cresceram 5% com exceção do custo com telefone que, em função da internet e da redução do valor da ligação teve o custo inalterado

24 24 QUADRO 14 Fluxo de caixa FLUXO DE CAIXA DO SUPER ATACADO LTDA. FLUXO DE CAIXA DO 1º AO 5º PB. SIMPLES -FL.ACUMULADO PAYBACK DESCONTADO ACUMULADO ANO , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,95 VPL ,94 TOTAL ,95 TIR 32% VP FLUXOS POSITIVOS ,41 TAXA 20,00% VP FLUXOS NEGATIVOS ,46 PB. SIMPLES 2,52 ANOS SOMA ,95 PB. DESCONTADO 3,64 ANOS Fonte: Dados da pesquisa A organização vai ser criada com capital próprio a uma taxa de retorno de 20% a.a. Os indicadores mostram que o Atacado de Peças Ltda correspondeu a expectativa de ganho com folga.

25 25 8 Conclusão A organização se encaixa perfeitamente dentro do mercado e está devidamente preparada para atender o público alvo. Os números mostram que o negócio é lucrativo remunerando o investimento feito nele acima do esperado Com o passar do tempo a organização deverá ganhar mercado podendo em função disso melhorar ainda mais a margem de lucro e crescer.

26 26 Referências CAMPOS, Dilson. Estrutura de custos de bens e serviços. Belo Horizonte: IETEC, Apostila do curso Engenharia de Vendas, módulo 4.1, IETEC.

27 27 ANEXO 02 - Autorização de Divulgação do Plano de Negócios AUTORIZAÇÃO DE PUBLICAÇÃO X AUTORIZO A PUBLICAÇÃO DE NOSSO TRABALHO NA INTERNET, JORNAIS E REVISTAS TÉCNICAS DO IETEC. NÃO AUTORIZO A PUBLICAÇÃO OU DIVULGAÇÃO DO NOSSO TRABALHO. BELO HORIZONTE, _03_/_06_/_2011_ CURSO: MBA GESTÃO DE NEGÓCIOS SEMESTRE/ANO: 1º SEMESTRE DE 2011 TURMA: 20 TÍTULO DO TRABALHO: Super Atacado de Peças Ltda. NOME (LEGÍVEL) ASSINATURA Ricardo de Araujo Camargos

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS Maio/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00.

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00. ESPE/Un SERE 2013 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento válido para

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO 1 Informações sobre o responsável pela proposta. Nome : Identidade: Órgão Emissor: CPF: Endereço: Bairro: Cidade: Estado: CEP: Telefone: FAX: E-mail Formação Profissional: Atribuições

Leia mais

ANEXO 28c MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS - PINS SOLIDÁRIO. Identificação

ANEXO 28c MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS - PINS SOLIDÁRIO. Identificação ANEXO 28c MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS - PINS SOLIDÁRIO Nome da Entidade Identificação Razão Social CGC/CNPJ Inscrição Estadual Inscrição Municipal Descreva as Pricipais Atividades Desenvolvidas pela Entidade

Leia mais

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio Plano de Negócios Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa Modelo de Planejamento prévio Fraiburgo, 2015 Plano de Negócios Um plano de negócios é uma descrição do negócio

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO No Modelo de Plano de Negócio, disponível no seu ambiente do Concurso você terá um passo a passo para elaborar o seu Plano, bem como todo o conteúdo necessário

Leia mais

Prof. Carlos Barretto

Prof. Carlos Barretto Unidade IV CONTABILIDADE FINANCEIRA Prof. Carlos Barretto Objetivos gerais Capacitar os estudantes a adquirir conhecimentos necessários para o desenvolvimento das seguintes competências: consciência ética

Leia mais

Sobre as Franquias Honing Brasil A Honing Brasil é a marca de roupa masculina inspirada no Hóquei no Gelo canadense. A paixão dos canadenses por este esporte e a garra de seus praticantes inspiram a Honing,

Leia mais

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio.

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Plano de negócios estruturado ajuda na hora de conseguir financiamento. Veja dicas de especialistas e saiba itens que precisam constar

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda, uma

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais/CVB s 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda,

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA FRALDAS DESCARTAVEIS Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA Fevereiro/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio

Leia mais

www.analise-grafica.com SIMULAÇÃO DE VIABILIDADE DE NEGÓCIOS INTRODUÇÃO

www.analise-grafica.com SIMULAÇÃO DE VIABILIDADE DE NEGÓCIOS INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO 1 INTRODUÇÃO 2 Olá! Tudo Bem? JOSÉ CARLOS GONÇALVES falando! Muito Obrigado por ter comprado este infoproduto! Espero que você tenha lido o e-book GERIR CUSTOS & FORMAR PREÇOS que disponibilizei

Leia mais

REALINHAMENTO DE EMPRESAS

REALINHAMENTO DE EMPRESAS REALINHAMENTO DE EMPRESAS REALINHAMENTO DE EMPRESAS FATORES QUE AFETAM SUA PERFORMANCE GERENCIAMENTO MARGEM DE LUCRO CAPITAL DE GIRO ESCALA DO NEGÓCIO FLUXO DE CAIXA GERENCIAMENTO Objetivo e comando do

Leia mais

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos 5 Plano Financeiro Investimento total Nessa etapa, você irá determinar o total de recursos a ser investido para que a empresa comece a funcionar. O investimento total é formado pelos: investimentos fixos;

Leia mais

Plano de Negócios Faculdade Castro Alves Cursos de Administração.

Plano de Negócios Faculdade Castro Alves Cursos de Administração. TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PLANO DE NEGÓCIIOS Prroff.. Carrllos Mellllo Saal lvvaaddoorr JJANEI IRO/ /22000066 Introdução Preparar um Plano de Negócios é uma das coisas mais úteis que um empresário

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Graduação em Administração Educação Presencial 2011 1 Trabalho de Conclusão de Curso - TCC O curso de Administração visa formar profissionais capacitados tanto para

Leia mais

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul O segredo do sucesso da sua empresa é conhecer e entender o que entra e o que sai do caixa durante um dia, um mês ou um ano. 1 Fluxo de caixa: organize

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini agosto 2015

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini agosto 2015 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini agosto 2015 GESTÃO DO ESTOQUE DE UNIDADES PRONTAS Eco, MBA R.E., Mestre em Eng. Civil, Alfredo Eduardo Abibi Filho Dir. Inc. Jal Empreendimentos

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS OFICINA EMPRESARIAL COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS - ATENDIMENTO COLETIVO - 01 Como tudo começou... Manuais da série Como elaborar Atividade 02 Por que as empresas fecham? Causas das dificuldades e

Leia mais

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira darianer@fia.com.br www.fia.com.br/proced Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira 1 Objetivo Planejamento

Leia mais

Relação de Documentos para Análise. Constam os documentos PESSOA JURIDICA: SIM NÃO

Relação de Documentos para Análise. Constam os documentos PESSOA JURIDICA: SIM NÃO Nome da Empesa: CNPJ: Contato: Telefone: Relação de Documentos para Análise Constam os documentos PESSOA JURIDICA: SIM NÃO 1 Ficha cadastral e Autorização de Consulta de Restritivos assinada (Anexo); 2

Leia mais

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa V Pagamento de fornecedores Retenção de IRF sobre serviços Retenção de IRF sobre salários Pró-labore Integralização de capital em dinheiro Integralização de capital em bens Depreciação ICMS sobre vendas

Leia mais

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos FORMAR SEU PREÇO Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender TODOS OS DIREITOS RESERVADOS Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio. Informações e Contatos Mania de

Leia mais

Eline Cristina Miranda 0501006001. Administração Financeira e Orçamentária

Eline Cristina Miranda 0501006001. Administração Financeira e Orçamentária UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO EM CIENCIAS CONTÁBEIS PROF: HÉBER LAVOR MOREIRA Eline Cristina Miranda 0501006001 Administração

Leia mais

Questionário de entrevista com o Franqueador

Questionário de entrevista com o Franqueador Questionário de entrevista com o Franqueador O objetivo deste questionário é ajudar o empreendedor a elucidar questões sobre o Franqueador, seus planos de crescimento e as diretrizes para uma parceria

Leia mais

Plano de Negócio. (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva

Plano de Negócio. (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva Plano de Negócio (Projeto de Viabilidade Econômica) Escritório de Contabilidade na Cidade de Marialva Caracterização do Empreendimento Trata o presente de análise de viabilidade de mercado e de viabilidade

Leia mais

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO 04 APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE nas mais diversas áreas: organização empresarial, finanças, marketing,

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua

Leia mais

PROPOSTA MICRO-FRANQUIAS

PROPOSTA MICRO-FRANQUIAS PROPOSTA MICRO-FRANQUIAS ON-LINE Alterada dia 13/01/2015-13h00 Venha fazer parte do sucesso de vendas de camisetas que mais cresce na Internet... Já são mais de 100 micro-franqueados e franqueados no Brasil!

Leia mais

! Revisão de conceitos importantes! Fluxo com VRG diluído! Fluxo com VRG no final do contrato! Comparação com outras alternativas de financiamento

! Revisão de conceitos importantes! Fluxo com VRG diluído! Fluxo com VRG no final do contrato! Comparação com outras alternativas de financiamento CAVALCANTE & COMO MONTAR O FLUXO DE CAIXA EM! Revisão de conceitos importantes! Fluxo com VRG diluído! Fluxo com VRG no final do contrato! Comparação com outras alternativas de financiamento Autores: Francisco

Leia mais

Fornecedores. Apresentação. www.grupoquantica.com. Nosso desafio é o seu sucesso!

Fornecedores. Apresentação. www.grupoquantica.com. Nosso desafio é o seu sucesso! Fornecedores www.grupoquantica.com Apresentação 2010 A idéia Fundado e idealizado por Cleber Ferreira, Consultor de Marketing e Vendas, autor do livro Desperte o Vendedor Interior com Técnicas de Vendas

Leia mais

Empresário Empreendedor

Empresário Empreendedor Empresas x Tributação Empresário Empreendedor Carga Tributária Obrigações acessórias Receita Federal Receita Estadual Previdência Social Receita Municipal Situação Tributária do Negócio Para o Empresário

Leia mais

O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional

O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional O guia online Vitrine de Guarulhos é um dos produtos do Grupo Vitrine X3, lançado no dia 11/11/11 com o objetivo de promover

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE JANEIRO DE 2014 PONTA GROSSA Este relatório, referente ao mês de Janeiro de 2014, da Pesquisa Conjuntural

Leia mais

Prezado empreendedor,

Prezado empreendedor, Prezado empreendedor, Caderno do Empreendedor Este é o Caderno do Empreendedor, criado para facilitar o dia-a-dia da sua empresa. Com ele você poderá controlar melhor suas despesas, saber quanto está vendendo

Leia mais

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto 1 Sumário Executivo (O que é o plano de negócios) 2 Agradecimentos 3 Dedicatória 4 Sumário ( tópicos e suas respectivas páginas) 5 Administrativo - Introdução (O que foi feito no módulo administrativo)

Leia mais

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS.

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. Resumo efetuado a partir do Manual Como Elaborar um plano de negócios SEBRAE/ 2013 Profa. Célia Regina Beiro da Silveira ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS PARA O 1º CONCURSO

Leia mais

ANEXO 2 MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA O PARTICIPANTE

ANEXO 2 MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA O PARTICIPANTE ANEXO 2 MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA O PARTICIPANTE 1. APRESENTAÇÃO Abaixo estão as principais informações que você precisa saber sobre o 7º Concurso Estadual de Planos de Negócio para Universitários SEBRAE/SC.

Leia mais

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007 PLANO DE S FOLHA: 000001 1 - ATIVO 1.1 - ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 - DISPONÍVEL 1.1.1.01 - BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.0001 - (0000000001) - CAIXA 1.1.1.02 - DEPÓSITOS BANCÁRIOS 1.1.1.02.0001 - (0000000002)

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Apresentação ao Shopping

Apresentação ao Shopping Apresentação ao Shopping O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua rede de franquias Você Sabia? Há trinta anos os Estados Unidos adotaram um modelo inovador

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0401 01 IDENTIFICAÇÃO Título: CONTABILIDADE E EFICIÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO DO NEGÓCIO Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: ACOMPANHAMENTO CONTÁBIL O QUE É : Este é

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

REGIMES CONTÁBEIS RECEITAS E DESPESAS

REGIMES CONTÁBEIS RECEITAS E DESPESAS CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA I ELEMENTOS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REGIMES CONTÁBEIS RECEITAS E DESPESAS Prof. Emanoel Truta ELEMENTOS DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Os Elementos das Demonstrações Contábeis

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Cleber Alcir Tavares Baía 06117000601

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Cleber Alcir Tavares Baía 06117000601 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Cleber Alcir Tavares Baía 06117000601 Pedro Elildo da Silva Lima 07117000701 Estudo da Viabilidade

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante)

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) FLUXO DE CAIXA Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) Brainstorming: Chuva de ideias ou Toró de parpite: O QUE É FLUXO DE CAIXA? (Objetivo: Saber

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO RESUMO DO EMPREENDIMENTO 01 EMPREENDIMENTO 02 NEGÓCIO E MERCADO: DESCRIÇÃO 2.1 ANÁLISE MERCADOLÓGICA 2.2 MISSÃO DA EMPRESA 03 CONCORRÊNCIA 04 FORNECEDORES 05 PLANO

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

RELATÓRIOS GERENCIAIS

RELATÓRIOS GERENCIAIS RELATÓRIOS GERENCIAIS Neste treinamento vamos abordar o funcionamento dos seguintes relatórios gerenciais do SisMoura: Curva ABC Fluxo de Caixa Semanal Análise de Lucratividade Análise Financeira o Ponto

Leia mais

Você está prestes a assumir a administração de uma empresa simulada. Aproveite esta oportunidade para desenvolver as suas habilidades gerenciais.

Você está prestes a assumir a administração de uma empresa simulada. Aproveite esta oportunidade para desenvolver as suas habilidades gerenciais. Você está prestes a assumir a administração de uma empresa simulada. Aproveite esta oportunidade para desenvolver as suas habilidades gerenciais. O que é? Simulação Gerencial - Simulação Empresarial Jogo

Leia mais

Administração Financeira: princípios,

Administração Financeira: princípios, Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Claudio Miessa Rigo Material de apoio para aulas Administração Financeira:

Leia mais

FRANQUIA HOME OFFICE

FRANQUIA HOME OFFICE FRANQUIA HOME OFFICE SUMÁRIO QUEM SOMOS PREMIAÇÕES ONDE ESTAMOS NOSSO NEGÓCIO MULTIMARCAS MULTISERVIÇOS PERFIL DO FRANQUEADO VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE TURISMO DESCRITIVO DO INVESTIMENTO PROCESSO DE SELEÇÃO

Leia mais

A Carreira Muller. As melhores soluções para sua empresa

A Carreira Muller. As melhores soluções para sua empresa ABRIL 2.013 A Carreira Muller ESTUDO REEMBOLSO QUILOMETRAGEM ABRIL 2013 As melhores soluções para sua empresa A Carreira Muller é uma empresa de consultoria empresarial que desenvolve e implanta soluções

Leia mais

MODELO PLANO DE NEGÓCIO

MODELO PLANO DE NEGÓCIO MODELO PLANO DE NEGÓCIO Resumo dos Tópicos 1 EMPREENDEDOR... 3 1.1. O EMPREENDIMENTO... 3 1.2. OS EMPREENDEDORES... 3 2 GESTÃO... 4 2.1. DESCRIÇÃO DO NEGÓCIO... 4 2.3. PLANO DE OPERAÇÕES... 4 2.4. NECESSIDADE

Leia mais

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio.

Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Seja um parceiro Xact Tecnologia e ofereça ao mercado nossas soluções, voltadas para gerenciamento total dos processos críticos do negócio. Participe da rede de distribuição dos produtos exclusivos da

Leia mais

Este Plano de Negócios foi elaborado em Junho de 2014

Este Plano de Negócios foi elaborado em Junho de 2014 ESPETO VACA LOUCA Pc TUBAL VILELA Nº 0 CENTRO- UBERLANDIA MG (34) 9876-5432 contato@vacalouca.com Ademir Gonçalves Filho Diretor Administrativo Gustavo Rodovalho Oliveira - Diretor de Marketing Jhonata

Leia mais

APURAÇÃO DO RESULTADO (1)

APURAÇÃO DO RESULTADO (1) APURAÇÃO DO RESULTADO (1) Isnard Martins - UNESA Rodrigo de Souza Freitas http://www.juliobattisti.com.br/tutoriais/rodrigosfreitas/conhecendocontabilidade012.asp 1 Apuração do Resultado A maioria das

Leia mais

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações Contabilidade: é objetivamente um sistema de informação e avaliação, destinado a prover seus usuários com demonstrações e análise de natureza econômica financeira. tratar as informações de natureza repetitiva

Leia mais

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso 01 Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE-SP nas seguintes áreas: Organização Empresarial Finanças

Leia mais

BALANCETES E RELATÓRIOS

BALANCETES E RELATÓRIOS Matéria - Contabilidade SUMÁRIO 1. Considerações Iniciais 2. Balancetes NBC T 2.7 3. Modelos de Balancetes 4. Relatórios 4.1. Relatórios por área de responsabilidade BALANCETES E RELATÓRIOS 5. Balancetes

Leia mais

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS 11 MODELO DE PLANO DE CONTAS Apresentamos a seguir uma sugestão de plano de contas, para as empresas de construção civil, utilizável também por aquelas que trabalham com obras por empreitada MODELO DE

Leia mais

MÓDULO IX - CUSTOS. A gestão de custos como ferramenta de apoio a tomada de decisão

MÓDULO IX - CUSTOS. A gestão de custos como ferramenta de apoio a tomada de decisão MÓDULO IX - CUSTOS A gestão de custos como ferramenta de apoio a tomada de decisão 1 Conteúdo Objetivo do custeio Conceito de valor Gestão de Custos versus Gestão Estratégica Componentes básicos de custos

Leia mais

AVALIAÇÃO DE EMPRESAS

AVALIAÇÃO DE EMPRESAS 1 2 sem/11 AVALIAÇÃO DE EMPRESAS Prof. Alcides T. Lanzana 2 AVALIAÇÃO DE EMPRESAS Introdução Valuation Métodos de atribuição de valor à empresa 3 USOS DO VALUATION Compra e Venda Fusões e Incorporações

Leia mais

Métricas empresariais

Métricas empresariais Métricas empresariais 1 Índice 1. Lista de Indicadores Setoriais Pág. 4 2. Métricas de Marketing Geral Pág. 5. Métricas de Propaganda Pág. 4. Métricas de Promoção Pág. 7 5. Métricas de Distribuição Pág.

Leia mais

08 Capital de giro e fluxo de caixa

08 Capital de giro e fluxo de caixa 08 Capital de giro e fluxo de caixa Qual o capital que sua empresa precisa para funcionar antes de receber o pagamento dos clientes? Como calcular os gastos, as entradas de dinheiro, e as variações de

Leia mais

Apostila de. Finanças e Turismo. 2º semestre de 2013 Glauber Eduardo de Oliveira Santos

Apostila de. Finanças e Turismo. 2º semestre de 2013 Glauber Eduardo de Oliveira Santos Apostila de Finanças e Turismo 2º semestre de 2013 Glauber Eduardo de Oliveira Santos SUMÁRIO 1 Introdução às Finanças... 4 1.1 Avaliação de investimentos... 4 1.2 Empréstimos e juros... 5 1.3 Alternativas

Leia mais

Análise e Avaliação Financeira de Investimentos

Análise e Avaliação Financeira de Investimentos 1 Análise e Avaliação Financeira de Investimentos O objetivo desse tópico é apresentar uma das metodologias de análise e avaliação financeira de investimentos. A análise de investimentos depende do ramo

Leia mais

PDV: DE OLHO NA RENTABILIDADE

PDV: DE OLHO NA RENTABILIDADE PDV: DE OLHO NA RENTABILIDADE Muitas vezes o desconhecimento sobre políticas de estoque, finanças e parcerias comerciais é a principal explicação das dificuldades que muitas empresas têm em progredir ou

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0405 05 IDENTIFICAÇÃO: Título: ORÇAMENTO EMPRESARIAL Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO O QUE É : É um instrumento de planejamento

Leia mais

CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO BALSAMO E PONTO DE ATENDIMENTO BALSAMO

CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO BALSAMO E PONTO DE ATENDIMENTO BALSAMO CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO BALSAMO E PONTO DE ATENDIMENTO BALSAMO BALSAMO PERFUMES Olá sou Elcio Pires presidente da Balsamo Perfumes, estou muito feliz por receber seu contato e pelo seu interesse em se tornar

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS DE CUSTOS INDUSTRIAIS

LISTA DE EXERCÍCIOS DE CUSTOS INDUSTRIAIS LISTA DE EXERCÍCIOS DE CUSTOS INDUSTRIAIS 1) O desembolso à vista ou a prazo para obtenção de bens ou serviços, independentemente de sua destinação dentro da empresa, denomina-se : a) gasto b) investimento

Leia mais

Plano de Negócio (Projeto de Viabilidade Econômica) Loja de Roupas Femininas na cidade de Marialva

Plano de Negócio (Projeto de Viabilidade Econômica) Loja de Roupas Femininas na cidade de Marialva Plano de Negócio (Projeto de Viabilidade Econômica) Loja de Roupas Femininas na cidade de Marialva Caracterização do Empreendimento Trata o presente de análise de viabilidade de mercado e de viabilidade

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE DEZEMBRO DE 2013 CURITIBA E R.M Este relatório, referente ao mês de Dezembro de 2013, da Pesquisa Conjuntural

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1

ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1 ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1 Jéssica Schreiber Boniati 2, Eusélia Pavéglio Vieira 3. 1 Trabalho de conclusão de curso apresentado ao curso

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9

FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9 FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9 Índice 1. Lucro presumido...3 2. Lucro real...4 2 Dentre os regimes tributários, os mais adotados são os seguintes: 1. LUCRO PRESUMIDO Regime de tributação colocado

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

CONHEÇA NOSSA EMPRESA:

CONHEÇA NOSSA EMPRESA: CONHEÇA NOSSA EMPRESA: HISTÓRICO A RC Consultoria esta em atividade desde o ano de 2007 na área de consultoria em gestão empresarial, levando para os nossos clientes um otimo portfólio de serviços para

Leia mais

GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES

GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES No fascículo anterior tratamos da importância de desenvolver e treinar os profissionais que trabalham no consultório médico e o quanto são importantes para que a empresa seja

Leia mais

II SIMPÓSIO DE PESQUISA E DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS 2014 ANAIS

II SIMPÓSIO DE PESQUISA E DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS 2014 ANAIS BUSINESS GAME UGB VERSÃO 2 Luís Cláudio Duarte Graduação em Administração de Empresas APRESENTAÇÃO (DADOS DE IDENTIFICAÇÃO) O Business Game do Centro Universitário Geraldo Di Biase (BG_UGB) é um jogo virtual

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios Modelo de Plano de Negócios COLEÇÃO DEBATES EM ADMINISTRAÇÃO Empreendedorismo Modelo de Plano de Negócios Elaboração Marcelo Marinho Aidar Escola de Administração de Empresas de São Paulo (EAESP) F U N

Leia mais

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO O Sr. Fúlvio Oliveira, empresário de uma loja de confecções, está seriamente preocupado com seu negócio. As dívidas não param de crescer. Vamos entender sua situação.

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

PESQUISA DE MERCADO - 2015 SINDILEQ-MG

PESQUISA DE MERCADO - 2015 SINDILEQ-MG PESQUISA DE MERCADO - 2015 SINDILEQ-MG Conhecendo as empresas 100% 90% 80% 70% 60% 94% QUAIS OS PRINCIPAIS NEGÓCIOS DA EMPRESA? Locação Venda de Equipamentos/Peças 50% 40% 30% 20% 10% 0% 17% 17% Área de

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO

FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO INFORMAÇÕES INICIAIS - Eduardo G. Quiza Skype: eduardoquiza quiza@invespark.com.br (41) 3250-8500 - Real Estate: Fundamentos para análise de Investimentos. Elsevier, 2010. 2 MBA

Leia mais

Table of Contents. Sobre o material. Geo Studio. Apresentação. Mercado de Rastreadores. Mercado de Rastreadores. Equipamentos. Estrutura.

Table of Contents. Sobre o material. Geo Studio. Apresentação. Mercado de Rastreadores. Mercado de Rastreadores. Equipamentos. Estrutura. Table of Contents Sobre o material Geo Studio Apresentação Mercado de Rastreadores Mercado de Rastreadores Equipamentos Estrutura Estrutrua Localização Pessoal Mercadoria Produtividade da Empresa Automação

Leia mais

Formação do Preço de Venda

Formação do Preço de Venda CURSO DE ADM - 5º PERÍODO - FASF Objetivo Refletir sobre a importância de se conhecer e identificar a FORMAÇÃO DE PREÇO, como fator determinante para a sobrevivência da exploração da atividade da empresa.

Leia mais

Etapas para a preparação de um plano de negócios

Etapas para a preparação de um plano de negócios 1 Centro Ensino Superior do Amapá Curso de Administração Disciplina: EMPREENDEDORISMO Turma: 5 ADN Professor: NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO Aluno: O PLANO DE NEGÓCIO A necessidade de um plano de negócio

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

VENHA FAZER PARTE DA NOSSA EQUIPE DE VENCEDORES! PROPOSTA DISTRIBUIDOR LA POZZI

VENHA FAZER PARTE DA NOSSA EQUIPE DE VENCEDORES! PROPOSTA DISTRIBUIDOR LA POZZI VENHA FAZER PARTE DA NOSSA EQUIPE DE VENCEDORES! PROPOSTA DISTRIBUIDOR LA POZZI INTRODUÇÃO A LaPozzi Professional Cosméticos fornece ao mercado de cosméticos capilar profissional, produtos inovadores,

Leia mais

ETEP TÉCNICO EM CONTABILIDADE MÓDULO 3 INFORMÁTICA 3 2012 PÓS MÉDIO

ETEP TÉCNICO EM CONTABILIDADE MÓDULO 3 INFORMÁTICA 3 2012 PÓS MÉDIO 2012 TÉCNICO EM CONTABILIDADE MÓDULO 3 INFORMÁTICA 3 PÓS MÉDIO 1 AULA 1 Verificação de Erros cometidos no Domínio Escrita Fiscal Para verificar o que já foi realizado no domínio escrita fiscal (e também

Leia mais