FORMAÇÃO PRÁTICA LEAN

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FORMAÇÃO PRÁTICA LEAN"

Transcrição

1 TREINAMENTOS PRESENCIAIS PRÁTICOS FORMAÇÃO PRÁTICA LEAN Oportunidade ideal para gerar resultados reais na sua carreira e empresa. Capacitação com implementação prática de projeto KPO Fevereiro 2016

2 Informações técnicas do Curso Composto por 08 (oito) módulos técnicos. Desenvolvimento profissional combinando capacitação conceitual, técnica e comportamental para implementação real de um projeto. 64h em 8 dias Objetivo: Ao final do treinamento o aluno vai: Obter maior poder de análise e identificar a melhor ferramenta a ser aplicada de acordo com a atual necessidade da empresa; Entender a situação dos processos, das pessoas, dos métodos, das máquinas e das matérias primas para identificar indicadores, ineficiências e oportunidades de melhorias; Reconhecer qual a ferramenta adequada para alinhamento das diretrizes e decisão estratégica; Garantir a aplicação das melhorias na empresa para o crescimento e a sustentabilidade competitiva; Conduzir eventos Kaizen; Estará habilitado para entender a fluxo de valor. Benefícios: Por que fazer este treinamento? Ao aplicar os conceitos deste treinamento, sua empresa irá formar consultores de Lean. Pessoal especializado em fazer na prática as mudanças necessárias para se tornar enxuto e reduzir os desperdícios, para isso estará apta à: Desenvolver um cronograma realista para cada etapa do programa de melhoria; Aprender como superar com sucesso o desafio da implantação do programa de melhoria; Desenvolver novos colaboradores na filosofia Lean; Melhoramentos quantificáveis nas áreas de redução de custo, qualidade, segurança e retorno sobre os investimentos. Programa Modular Aplicação Projeto Método Certificados

3 Módulo 01 Planejamento do Programa de Melhoria Contínua Objetivo: Uma ferramenta que dá ao empresário as condições para tornar sua empresa humana, rentável, segura e competitiva. Ao final deste módulo o aluno estará apto a identificar quais projetos reais e potenciais e empresa deve implementar. Identificar os principais tipos de desperdícios entre os processos e propor melhorias efetivas para modificar a situação atual. Eliminando os principais desperdícios. O que será aprendido: O que define uma empresa que prospera a longo prazo? Como estamos abordando a melhoria de processo? Entendendo os processos Análise de Valor; Níveis e efeitos da nossa abordagem de gestão atual; Hoshin Estratégico A3 Estratégico estabelecendo a condição alvo; Entendendo as ferramentas e suas aplicações: Lean Enterprise, Lean Manufacturing, Lean Office, 6Sigma; Gestão pelos números certos 4

4 transformando as oportunidades em valores financeiros; Estruturação do Programa de Melhoria Contínua; Análise de risco do Programa de Melhoria Contínua; Criando valor para o cliente principal do Programa de Melhoria Contínua; Acompanhamento da evolução do Programa de Melhoria Contínua. 5

5 O que será aprendido: A Filosofia LEAN; Aprendendo a desenhar o VSM; Aprendendo a localizar a perda através do VSM; Gerando melhorias e inovações através do VSM; O que os clientes desejam: VALOR!; O que é valor agregado; O que é o Mapeamento de Valor Agregado - VSM; Enxergando o Fluxo de Valor através do VSM; Como enxergar as PERDAS através do VSM 6

6 O que será aprendido: O que é um sintoma? Os efeitos do comportamento diário na análise de problemas; Definição de problemas; Análises científicas e empíricas; Mapeamento e Redesenho de Processos; ARA - Análise da Realidade Atual; Análises científicas e empíricas; Ferramentas para observação, descrição, detalhamento e tomada de decisão: Técnica do Brainstorming; Plano de Ações 5W + 2H; Planejar evita problemas; Metodologia da Matriz MASP; Técnica dos 5 Por Quês?; As sete ferramentas: Lista de verificação; Estratificação. Histograma; Diagrama de Ishikawa; Gráfico de Pareto; Diagrama de Dispersão; Gráfico de Controle; Metodologia da Matriz MASP; Matriz de tomada de decisão; Aplicação prática do PDCA; 7

7 Desdobramento de Indicadores Hoshin Kanri / A3 Objetivo: Aprimore sua capacidade analítica na busca das causas dos problemas! Através da Metodologia Hoshin, os participantes conhecerão os principais conceitos e técnicas para desdobrar os seus objetivos empresariais em kaizens e projetos, medidos por um eficaz sistema de indicadores de desempenho, criando um ambiente dinâmico e focado na melhoria contínua dos resultados. O Hoshin constitui, juntamente com o A3 um dos dois pilares mais importantes da Gestão LEAN. Através da Metodologia Hoshin, desdobre os seus objetivos empresariais em kaizens e projetos, medidos por um eficaz sistema de indicadores de desempenho. O que será aprendido: O conceito do Hoshin Kanri; Metodologia; 8

8 Desdobrando os objetivos em estratégia, indicadores táticos e operacionais; Diagnóstico; Desdobramento dos objetivos em estratégias; B.S.C. - Balanced Scorecard; Desdobramento das estratégias em indicadores; Desdobramento dos indicadores do B.S.C. em indicadores operacionais; Plano de comunicação das ações. Hoshin/A3 para definir as estratégias de melhorias. 9

9 Módulo 02 Liderança e o Agente Lean Objetivo: Antes de enxugar um processo, identifique os potenciais ganhos através desta poderosa ferramenta. No final deste módulo, o aluno vai entender de forma prática o conceito de liderança no Gemba. Aplicar ferramentas de melhoria na prática com equipe focada e criativa na solução de problemas, aumentar a produtividade expondo as causas dos problemas, proporcionando aos alunos classificar a aplicar as melhorias. O que será aprendido: Sistemas e Técnicas no ambiente Lean; A meta. O propósito; Transformando a nossa percepção de liderança e gestão; Conhecer a si mesmo - Ideia central sobre quem somos; Propósito definido - Mente aberta e mudança; Poder de escolha e responsabilidade; O poder da percepção; Liderança Situacional; 10

10 Papel do Líder no Pensamento A3; Diferença entre mudar e transformar; Motivando equipes; Administração de conflitos; A importância da comunicação no ambiente enxuto (Lean); Comunicação e gestão à vista. 11

11 Os Tipos de Kaizen Objetivo: Da filosofia à técnica o caminho para o comprometimento das pessoas. Como fazer o seu planejamento, definir as equipes, montar as táticas operacionais necessárias para os resultados sustentáveis. O que será aprendido: Como sensibilizar e motivar as pessoas a fazerem Kaizen; Como nasceu a filosofia Kaizen / Histórico; O que é KAI e o que é ZEN; Como é o processo de iniciação do Kaizen na empresa, através do ZEN; A Semana Kaizen como estratégia de melhoria; Os tipos aplicados de Kaizen; Como registrar os Kaizens realizados, auditoria e premiação dos colaboradores; Como mudar a cultura da empresa para o Kaizen; Kaizen orientado para o processo em todos os níveis; numa empresa; 12

12 Módulo 03 Otimização de Processos Administrativos Lean Office Objetivo: Resultados positivos contínuos dependem de processos eficazes. Conscientizar os participantes da importância da otimização dos processos administrativos e da Filosofia LEAN OFFICE para enxergar a organização pelo prisma dos processos (visão horizontal), garantindo a melhoria contínua dos processos chaves, em termos de eficiência, eficácia e consistência a fim de orientar a organização para os resultados. No desenvolvimento de processos administrativos e de apoio, há muitas e muitas variáveis, conceitos, filosofias e tecnologias que surgem frequentemente. Funções administrativas, apoio e desenvolvimento podem representar 80% do custo de se fazer negócios. Eliminar os desperdícios das funções administrativas é uma maneira de aumentar a margem de lucro. Implementar melhorias Lean nestas áreas é uma parte vital para a criação de empresas inovadoras em seu modelo de negócio. 13

13 Implementar processos Ágeis e, especialmente, desenvolvimento e gerenciamento de projeto Lean, dentro da empresa não é uma tarefa pequena, dada todas as restrições que conhecemos. O que será aprendido: Noções de Lean Office; Dinâmica: Desenhando seus processos chaves; Como medir os processos: Indicadores de desempenho; Dinâmica: Mapeando o seu processo; Análise de Valor: enxergando as PERDAS; Dinâmica: Mapeando seu processo Enxergar a organização pelo prisma dos processos (visão horizontal): 14

14 Mapeamento dos processos (AS IS); Melhoria e Redesenho (TO BE); ARA - Árvore da Realidade Atual: Enxergando as causas das PERDAS; Dinâmica: Montando a ARA do seu processo; Como classificar e priorizar as propostas de melhoria; Planejando a implementação das melhorias; Dinâmica: Brainstorming e classificação das propostas; Redesenhando seu processo com as melhorias; 15

15 Módulo 04 Ferramentas Lean - Criando a Estabilidade Básica Estabilidade Básica Procedimento operacional padrão em funcionamento em vários turnos simultaneamente. Enxergar os desperdícios em vários turnos Trabalho padronizado; Células Lean; Gerenciamento Visual; Housekeeping / 5S Manutenção Autônoma. A integração do trabalho padronizado, gerenciamento visual, 5S, segurança do trabalho e manuteção autônoma; Objetivo da padronização; Tipos de padronização; Estratégia para o estabelecimento de processos e procedimentos padronizados; Padrões ambientais, de qualidade e de segurança; Trabalho padronizado como base para melhoria contínua; Takt-time como parâmetro de projeto; Importância dos controles visuais; A padronização é uma ferramenta de eliminação de perdas; 16

16 Aplicando as ferramentas na prática Criando a estabilidade básica. 17

17 Criando sistema puxado - One Peace Flow na prática. Takt Time - Gráfico de Balanceamento das Operações 18

18 O que será aprendido: Como sensibilizar e motivar as pessoas a fazerem o trabalho padronizado; Como é o processo; Sistemas e Técnicas no ambiente Lean; Trabalho Padronizado: Conceitos preliminares; Diferença entre Trabalho Padronizado X Padrões de Trabalho; Medindo o trabalho: colete e fale com dados do Gemba; Implementando o Trabalho Padronizado (exercício de fixação); 19

19 Principais desafios de sua implementação; Planejando as células de manufatura; Tipos de Células de Manufatura;O que muda nas pessoas com as células de manufatura; Takt-Time x Balanceamento de Fluxo; Balanceamento de Carga; Housekeeping: Os novos 5S + 3S; Técnicas para iniciar a implementação do Housekeeping: Dia da Limpeza e Cartão Vermelho; Técnicas para perpetuar o Housekeeping: Programa SOL Show Room para visitantes; Open House (empresa aberta); Como planejar a implantação na empresa. Como envolver os colaboradores no processo; conseguindo sua participação espontânea e com motivação; O Facilitador 5 S na empresa, o verdadeiro catalizador de ideias; O papel dos 5 S na caminhada rumo à Excelência em gestão; 20

20 Módulo 05 Produção Just in Time O trabalho padronizado e o Relatório A3 são Princípios Básicos de JIT; O Sistema JIT; O Sistema Kanban: Inventários; Um sistema para estimular a produtividade; Implementação do Sistema; Kanban e MRPs; Criando Fluxo Contínuo Fluxo unitário de peças é o ideal; Por que o Fluxo? Menos é mais evitando e controlando a superprodução; Estratégia para criação de fluxo; Critérios para o estabelecimento de fluxo; Máquinas, materiais e Layout para criação de fluxo; Distribuindo o trabalho; Sistema Puxado; Vinculando-se ao cliente e regulando o Fluxo; 21

21 Criando fluxo em operações separadas; Nivelamento de Produção: A distribuição Lean: O papel do transporte; os três tipos de sistema puxado; O paradoxo do nivelamento; Heijunka proporciona um centro padronizado para o planejamento de Pontos de controle para a administração do estoque; A programação nivelada controla o reabastecimento; Criando o Sistema Puxado Nivelado; Adequando a capacidade do sistema de produção a demanda; Criando o processo puxador; Controlando a produção de processos anteriores; Expandindo o sistema; Sustentando e melhorando; 22

22 Kanban - Sistema de Controle de Produção e Entrega de Materiais. Apresentar a estratégia de puxar a produção e os materiais com o uso do Sistema Kanban para reduzir os estoques, dar fluxo ao processo; o fluxo de materiais entre as estações de trabalho e aumentar a produtividade expondo os problemas (perdas), proporcionando uma priorização das ações a serem tomadas. No final deste treinamento, o aluno vai entender de forma prática o conceito Just in Time / Kanban, estratégia de puxar a produção e os materiais com o uso do sistema de informação Kanban e suas variações para produzir os estoques, dar fluxo ao processo de materiais entre as estações de trabalho e aumentar a produtividade expondo os problemas e suas causas, proporcionando aos alunos classificar a aplicar as melhorias. O que será aprendido: A Ferramenta Kanban; Controle dos materiais com Kanban (Kanban de movimentação); Controle da produção com Kanbans (Kanban de produção); 23

23 A melhor técnica para um sistema de puxar a cadeia de abastecimento Dimensionamento do número de Kanbans; Regras de funcionamento do Kanban; Simulação com o painel Porta Kanban; Kanban nos diversos ambientes de produção (repetitiva, indústrias de processo, sob encomenda, projeto, etc.); Desvantagens do Kanban; Kanban e MRP; Implementação do Sistema Kanban; Aplicação Prática. A evolução do Kanban (Eletrônico, RFID, entre outros); Kanban nos diversos ambientes de produção (repetitiva, indústrias de processo, sob encomenda, projeto, etc.); Vantagens do Kanban; Metodologia de implementação; Implementação do Sistema Kanban; 24

24 Módulo 06 Construindo Cultura para Resolver Problemas Desenvolvimento da Cultura: Aplicando a sabedoria e a inteligência para produzir com qualidade na fonte. O terrível desperdício do material Humano; Atividades que apóiam o envolvimento; O papel do JIDOKA: Máquinas com automonitoramento; Desenvolvimento do Conceito de Jidoka; Por que Jidoka/Poka-Yoke; Sistema de Inspeção e controle de zonas; Usando Poka-Yokes; 25

25 Módulo 07 Melhoria das Operações Setup - Sistema e Técnica de Troca RápidaTPM - Manutenção Produtiva Total SMED TRF Troca Rápida de Ferramentas: Viabilizando a fabricação em lotes competitivos. No final deste treinamento, o aluno vai entender de forma prática o conceito SMED, estaremos desenvolvendo o pensamento enxuto para eliminar as atividade internas de alto tempo. Melhoria de Setup troca de ferramentas e matrizes; Técnicas de troca Rápida de Ferramenta; Quatro estágios conceituais da TRF; Melhoria das operações principais; Separação do trabalhador de máquina; Capacitar os profissionais na redução do tempo de Setup para o aumento da flexibilidade, bem como adotar, na prática, a metodologia de rápidas trocas e ajustes de ferramentas. Simplificar as atividades externas e aumentar a Eficiência Global de nossos equipamentos. Capacitar os profissionais na redução do tempo de Setup para o aumento da flexibilidade, bem como adotar, na prática, a metodologia de rápidas trocas e ajustes de ferramentas. 26

26 O que será aprendido: Problemas da fabricação em grandes lotes; Lotes econômicos versus Tempo de Setup; A necessidade da fabricação em pequenos lotes; Aumentando a flexibilidade através do Setup rápido; Aumentando a flexibilidade através do Setup rápido; Tipos e prioridades da Troca Rápida; Técnicas para redução do Setup; O necessário envolvimento das pessoas; Problemas da fabricação em grandes lotes; Lotes econômicos versus Tempo de Setup; A necessidade da fabricação em pequenos lotes; O que é Setup rápido; Elementos de um Setup; Os oito passos para um projeto de redução do Setup; Metodologia para observação e análise do Setup; O investimento no Setup; SMED: Setup em menos de 10 minutos; Aplicação prática da metodologia SMED; Ao aplicar os conceitos deste treinamento, a empresa irá criar uma equipe focada no aumento da produtividade e da eficiência global de seus equipamentos. O participante entenderá os princípios do Sistema Puxado integrado com o SMED, proporcionando inúmeras reduções drástica de seus estoques, otimização do fluxo de produção, redução das perdas (atividades que não agregam valor ao produto e nem ao serviço) e aumento da flexibilidade. Entender a real importância da Troca Rápida e implementar um processo através de uma metodologia simples e de fácil assimilação 27

27 por parte de todos os envolvidos. TPM Manutenção Produtiva Total: Os custos de Manutenção; Determinando as metas do TPM; Garantindo a capacidade do equipamento; Eliminar o erro Humano; No final deste módulo, o aluno vai entender de forma prática abordagem estratégica do TPM, promovendo a aplicação efetiva com resultados surpreendentes. O TPM desenvolve conhecimentos técnicos através do aprendizado sob o funcionamento dos equipamentos, prevenindo contra o maior veneno, as quebras. Criar uma equipe flexível de operadores operadores dominando o conhecimento dos equipamentos, se antecipando a qualquer possível parada é uma necessidade após a implementação do Gerenciamento visual, 5S e Trabalho padronizado. Qualquer empresa, de qualquer tamanho, pode melhorar com a implementação da TPM. O que será aprendido: Evolução dos métodos de manutenção; MPT - Manutenção Produtiva Total; O que é MPT?; Principais Objetivos da MPT; Integração dos conceitos MPT/LEAN; Os pilares da MPT; As Grandes Perdas na MPT; Perda Crônica vs. Esporádica; Quebra Zero; 28

28 A base da Qualidade Total, da Estabilidade Básica e da Melhoria Contínua Medidas para atingir Quebra Zero; Medidas contra a deterioração; Eficiência Global dos Equipamentos (OEE); Etapas para implementação da MPT; Estabelecimento de Metas; Seleção de equipamentos chaves; Operacionalizando a MPT; Treinar (Plano de Treinamento e Lição Ponto-a-Ponto); Conhecer as máquinas; Limpar e verificar (5'S); Detectar (Etiquetagem, 5 por quês, causa-efeito); Executar (Pequenos Reparos, Lubrificação); Manutenção Autônoma; Manutenção Planejada; Planejamento da Implementação; 29

29 Ferramentas Lean Módulo 08 Estabilidade Sustentando os Resultados com Auditoria Lean Cultura e Gestão Lean 5,0 4,5 4,0 3,5 3,0 2,5 2,0 1,5 1,0 0,5 0,0 Flexibilidade 5S/Ger.Visual Just in Time Jidoka Elaboração do relatório de auditoria; Acompanhamento das ações corretivas; Declaração dos itens em não conformidade; Calculando os ganhos com o Programa; 30

TREINAMENTOS PRESENCIAIS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO CURSOS. Formação prática em ferramentas essenciais para a. redução de desperdícios.

TREINAMENTOS PRESENCIAIS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO CURSOS. Formação prática em ferramentas essenciais para a. redução de desperdícios. TREINAMENTOS PRESENCIAIS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO 2016 CURSOS Formação prática em ferramentas essenciais para a melhoria dos processos e redução de desperdícios. Desenvolvimento de 1 Pessoas Propósito é o

Leia mais

Portfólio de Treinamentos. Exo Excelência Operacional // 2014

Portfólio de Treinamentos. Exo Excelência Operacional // 2014 Portfólio de Treinamentos Exo Excelência Operacional // 2014 Treinamentos Exo Excelência Operacional A Exo Excelência Operacional traz para você e sua empresa treinamentos fundamentais para o desenvolvimento

Leia mais

GembaConsulting. Aumentamos a LUCRATIVIDADE e COMPETITIVIDADE. de nossos clientes

GembaConsulting. Aumentamos a LUCRATIVIDADE e COMPETITIVIDADE. de nossos clientes Aumentamos a LUCRATIVIDADE e COMPETITIVIDADE de nossos clientes Atuação em todos os processos e atividades industriais ou administrativas que ocorrem entre a realização do pedido e a entrega do produto

Leia mais

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING MANUFATURA ENXUTA DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING A ORIGEM DA PALAVRA LEAN O termo LEAN foi cunhado originalmente no livro A Máquina que Mudou o Mundo de Womack, Jones e Roos, publicado nos EUA em 1990.

Leia mais

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes 1 SÉRIE PRODUTIVIDADE MELHORIA CONTÍNUA / KAIZEN CONCEITOS FUNDAMENTAIS Conceituar Melhoria Contínua e sua importância no contexto

Leia mais

www.cursosglm.com.br contato@cursosglm.com.br

www.cursosglm.com.br contato@cursosglm.com.br www.cursosglm.com.br contato@cursosglm.com.br Cursos GLM Palestras, Treinamentos & Consultoria Nossa História... Fundação Janeiro de 2007. Segmentos Modalidades Gestão de Manufatura e Qualidade; Gestão

Leia mais

LEAN-CURSOS E WORKSHOPS Cursos otimizados para as necessidades do Cliente Cursos Padrão Workshops de Capacitação

LEAN-CURSOS E WORKSHOPS Cursos otimizados para as necessidades do Cliente Cursos Padrão Workshops de Capacitação LEAN-CURSOS E WORKSHOPS Cursos otimizados para as necessidades do Cliente Cursos Padrão Workshops de Capacitação Serviços : Cursos e workshops especialmente criados para capacitar a sua organização no

Leia mais

Lean manufacturing ou Toyotismo

Lean manufacturing ou Toyotismo ou Toyotismo Gestão da Qualidade Resultados impressionantes 1 Trimestre 2007 Toyota supera GM como líder mundial em vendas Vendas Mundiais 1º Trimestre Nº Carros Toyota 2.348.000 GM 2.260.000 2007 termina

Leia mais

Considerações sobre a Parte I - Histórico e componentes do lean, 74

Considerações sobre a Parte I - Histórico e componentes do lean, 74 Sumário Prefácio, xi Introdução, 1 Parte I - HISTÓRICO E COMPONENTES DO LEAN, 5 1 Conceito Enxuto: das Origens à Consolidação, 6 As indústrias da produção em massa, 8 Crise na indústria automobilística

Leia mais

processos de qualidade como um todo. Este conceito, muitas vezes como parte de uma iniciativa mais ampla "gestão enxuta", muitas organizações abraçam

processos de qualidade como um todo. Este conceito, muitas vezes como parte de uma iniciativa mais ampla gestão enxuta, muitas organizações abraçam 2 1 FILOSOFIA KAIZEN Segundo IMAI, MASAAKI (1996) KAIZEN é uma palavra japonesa que traduzida significa melhoria continua, que colabora em melhorias sequenciais na empresa como um todo, envolvendo todos

Leia mais

Excelência Operacional

Excelência Operacional Excelência Operacional Inter-relação entre Lean Manufacturing e TPM ( Total Productive Management) Paulo Yida - Diretor Solving Efeso America do Sul Renato Cosloski Iamondi Consultor Senior Solving Efeso

Leia mais

O Círculo de Kaizen para a sustentação do Lean. I. Círculo de Kaizen: objetivos, estrutura, vínculos com os negócios e benefícios

O Círculo de Kaizen para a sustentação do Lean. I. Círculo de Kaizen: objetivos, estrutura, vínculos com os negócios e benefícios O Círculo de Kaizen para a sustentação do Lean Marino Kishida* As empresas que iniciaram a jornada lean frequentemente empolgam-se com os ganhos iniciais de produtividade, produção, qualidade, redução

Leia mais

Implantação do processo de manutenção de conjunto de força de locomotivas da EFC

Implantação do processo de manutenção de conjunto de força de locomotivas da EFC Implantação do processo de manutenção de conjunto de força de locomotivas da EFC Tiago Tenório 1 *, Jediel Grangeiro 1, Evanaldo Brandão 2 1 lanejamento e recursos de material rodante EFC Vale S.A. 2 Manutenção

Leia mais

O sistema Just-In-Time. Professor: Dannilo Barbosa Guimarães

O sistema Just-In-Time. Professor: Dannilo Barbosa Guimarães O sistema Just-In-Time Professor: Dannilo Barbosa Guimarães Introdução ao JIT O Just-In-Time surgiu no Japão na década de 70 na Toyota Motor Company (Taiichi Ohno). O JIT visa o combate ao desperdício

Leia mais

Lean manufacturing ou Toyotismo. Lean manufacturing

Lean manufacturing ou Toyotismo. Lean manufacturing ou Toyotismo Resultados impressionantes 1 Trimestre 2007 Toyota supera GM como líder mundial em vendas Vendas Mundiais 1º Trimestre Nº Carros Toyota 2.348.000 GM 2.260.000 2007 termina empatado tecnicamente

Leia mais

CONGRESSO LEAN SIX SIGMA 2010

CONGRESSO LEAN SIX SIGMA 2010 CONGRESSO LEAN SIX SIGMA 2010 Lean Six Sigma e seu relacionamento com outras metodologias Alberto Pezeiro pezeiro@setadg.com.br TEL.+55.19.3707-1535 CEL.+55.11.8111-0026 www.setadg.com.br 1 Seta Desenvolvimento

Leia mais

Conservação de Água e Energia Elétrica 14 de outubro de 2014

Conservação de Água e Energia Elétrica 14 de outubro de 2014 Conservação de Água e Energia Elétrica 14 de outubro de 2014 Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Outubro 2014 Instituto Sindipeças de Educação Corporativa

Leia mais

RELAÇÃO DE TREINAMENTOS IN COMPANY

RELAÇÃO DE TREINAMENTOS IN COMPANY RELAÇÃO DE TREINAMENTOS IN COMPANY 1. Qualidade Tipos de treinamento 1.1 Interpretação das normas ISO 9000 - Requisitos Específicos da Norma ISO 9001 24 1.2 Interpretação da especificação técnica ISO/TS

Leia mais

Qualidade é o grau no qual um conjunto de características inerentes satisfaz a requisitos. ISO 9001:2008

Qualidade é o grau no qual um conjunto de características inerentes satisfaz a requisitos. ISO 9001:2008 1 Sumário 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. Introdução...3 Ferramentas da Qualidade...4 Fluxograma...5 Cartas de Controle...7 Diagrama de Ishikawa...9 Folha de Verificação...11 Histograma...13 8. 9. 10. Gráfico de

Leia mais

www.gestaoleanmanufacturing.com.br

www.gestaoleanmanufacturing.com.br www.gestaoleanmanufacturing.com.br www.gestaoleanmanufacturing.com.br Master em Lean Manufacturing Processo de Solução de Problemas Competitividade nas Empresas Gestão de Processos & Produção x Eficiência

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DA QUALIDADE

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DA QUALIDADE ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DA QUALIDADE Atualizado em 03/12/2015 GESTÃO DA QUALIDADE As ideias principais que baseiam o significado atual da qualidade são, basicamente, as seguintes: Atender às expectativas,

Leia mais

Profitability Engineers

Profitability Engineers Profitability Engineers Lean Experts 2015 Lean Experts É uma abordagem sistematizada de melhoria contínua, cujo âmbito está na procura metódica da melhoria dos processos através da redução de desperdícios

Leia mais

Vendas na Empresa Lean

Vendas na Empresa Lean Vendas na Empresa Lean Autor: Alexandre Cardoso Publicado: 29/04/2011 Introdução Em uma empresa, a área de Vendas é de extrema importância para o sucesso do negócio. Aprimorar o seu desempenho tem sido

Leia mais

FUNDAMENTOS DA EMPRESA ENXUTA

FUNDAMENTOS DA EMPRESA ENXUTA FUNDAMENTOS DA EMPRESA ENXUTA Prof. Darli Rodrigues Vieira darli@darli.com.br O QUE ESTÁ POR TRÁS DA IDÉIA DE EMPRESA ENXUTA? ELIMINAÇÃO DE TODO TIPO DE DESPERDÍCIO NO SUPPLY VELOCIDADE FLEXIBILIDADE QUALIDADE

Leia mais

A Profitability Engineers

A Profitability Engineers CATÁLOGO DE FORMAÇÃO A Profitability Engineers Em Portugal desde 1999, a ProfitAbility Engineers é uma empresa de consultoria e formação, especializada na melhoria qualidade e da produtividade; Somos

Leia mais

Lean enterprise: a gestão enxuta em busca da excelência

Lean enterprise: a gestão enxuta em busca da excelência Lean enterprise: a gestão enxuta em busca da excelência José Mauro Mendes Pelosi* 1. O conceito atual de competitividade O processo de globalização e a evolução econômica de países emergentes, como China,

Leia mais

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS E DO CONTROLE DA QUALIDADE E PROCESSO

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS E DO CONTROLE DA QUALIDADE E PROCESSO 1 ANÁLISE DAS FERRAMENTAS E DO CONTROLE DA QUALIDADE E PROCESSO Solange de Fátima Machado 1 Renato Francisco Saldanha Silva 2 Valdecil de Souza 3 Resumo No presente estudo foi abordada a análise das ferramentas

Leia mais

Introdução ao Lean Manufacturing. Dário Spinola

Introdução ao Lean Manufacturing. Dário Spinola Introdução ao Lean Manufacturing Dário Spinola Dário Uriel P. Spinola Sócio da Táktica Consultoria em Manufatura MBA em Conhecimento, Tecnologia e Inovação pela FIA/FEA USP Mestrando e Engenheiro de Produção

Leia mais

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços 05 Lean Office

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços 05 Lean Office Processos da Indústria de Serviços (LOQ4208) 5 Lean Office Isto não é... LEAN OFFICE 1 Aqui parece ser... LEAN OFFICE Lean Thinking: Os 5 Princípios Fundamentais 1. Definir o que é VALOR sob a ótica do

Leia mais

FACULDADE DE JAGUARIÚNA

FACULDADE DE JAGUARIÚNA Redução de estoques em processos na linha de terminais móveis de pagamento eletrônico Renata da Silva Alves (Eng. De Produção - FAJ) alvesresilva@gmail.com Prof. Me. Eduardo Guilherme Satolo (Eng. De Produção

Leia mais

Produção Enxuta. Lean Manufacturing

Produção Enxuta. Lean Manufacturing Produção Enxuta Lean Manufacturing Produção Enxuta Principais ferramentas Ferramentas do STP 5S; SMED ; Gestão Visual; Poka-Yoke; TPM Kanban; Kaizen; VSM Casa do STP 5 Sensos Filosofia cujo objetivo é

Leia mais

LEAN OFFICE - ELIMINANDO OS DESPERDÍCIOS NAS ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS

LEAN OFFICE - ELIMINANDO OS DESPERDÍCIOS NAS ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS LEAN OFFICE - ELIMINANDO OS DESPERDÍCIOS NAS ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS 1. Por que adotar o Lean Office? Parabéns! Você já conseguiu estabelecer o fluxo contínuo em suas atividades do chão de fábrica.

Leia mais

Conectando a Montagem aos Processos em Lotes através de Sistemas Puxados Básicos

Conectando a Montagem aos Processos em Lotes através de Sistemas Puxados Básicos Conectando a Montagem aos Processos em Lotes através de Sistemas Puxados Básicos Art Smalley Tradução: Diogo Kosaka Sistemas puxados são uma parte fundamental da manufatura lean e freqüentemente são mal

Leia mais

Módulo 5. Implementação do BSC para um negócio específico, definição de objetivos, apresentação de casos reais e exercícios

Módulo 5. Implementação do BSC para um negócio específico, definição de objetivos, apresentação de casos reais e exercícios Módulo 5 Implementação do BSC para um negócio específico, definição de objetivos, apresentação de casos reais e exercícios Implementando BSC para um negócio específico O BSC é uma estrutura para desenvolvimento

Leia mais

A Solução mais simples para sua organização

A Solução mais simples para sua organização A Solução mais simples para sua organização Consultoria Sistemas de Gestão da Qualidade - ISO 9001 / ISO TS 16949 Sistema de Gestão Ambiental ISO 14001 OHSAS 18001 Acreditação ONA PALC Programa de Acreditação

Leia mais

Toyota Way. FDEABrandão. (Fonte de Força Competitiva da Toyota) Antes de você dizer que não consegue fazer alguma coisa, experimente!

Toyota Way. FDEABrandão. (Fonte de Força Competitiva da Toyota) Antes de você dizer que não consegue fazer alguma coisa, experimente! (Fonte de Força Competitiva da Toyota) Antes de você dizer que não consegue fazer alguma coisa, experimente! Sakichi Toyoda - Fundador do grupo TOYOTA. (Fonte de Força Competitiva da Toyota) O é um Ideal,

Leia mais

Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte

Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte Estratégico Previsão do Negócio Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte Mercados e demandas de longo prazo. Competidores. Fatores econômicos,

Leia mais

ajfa@dem.isel.ipl.pt Seminário - Manutenção e Gestão Lean Auditório da Sede da Ordem dos Engenheiros, Lisboa 9 de Novembro de 2011

ajfa@dem.isel.ipl.pt Seminário - Manutenção e Gestão Lean Auditório da Sede da Ordem dos Engenheiros, Lisboa 9 de Novembro de 2011 O Papel da Cultura Lean no Contexto Actual António Abreu ajfa@dem.isel.ipl.pt Seminário - Manutenção e Gestão Lean Auditório da Sede da Ordem dos Engenheiros, Lisboa 9 de Novembro de 2011 Sumário i. O

Leia mais

Estruturando o Fluxo Puxado - Sistema Puxado e Nivelado

Estruturando o Fluxo Puxado - Sistema Puxado e Nivelado 1 SÍNTESE E CONCLUSÃO Como acoplar ou integrar gerencialmente uma cadeia de valor (ou etapas de um processo produtivo) no âmbito da filosofia Lean? SISTEMA PUXADO NIVELADO SISTEMA PUXADO NIVELADO: É o

Leia mais

Gestão da Qualidade 10/04/2011. Os 5 S. Histórico dos 5S. Histórico dos 5S

Gestão da Qualidade 10/04/2011. Os 5 S. Histórico dos 5S. Histórico dos 5S Gestão da Qualidade Os 5 S Histórico dos 5S A gestão da Qualidade é primordial para o estabelecimento e sobrevivência de uma instituição e para viabilizar o controle de atividades,informações e documentos.

Leia mais

P G Q P. Gestão de Produtividade. Ivan De Pellegrin. Alexandre Soares. Produttare Consultores Associados. Medabil Sistemas Construtivos

P G Q P. Gestão de Produtividade. Ivan De Pellegrin. Alexandre Soares. Produttare Consultores Associados. Medabil Sistemas Construtivos P G Q P Gestão de Produtividade Ivan De Pellegrin Produttare Consultores Associados Alexandre Soares Medabil Sistemas Construtivos Plano de Vôo 1. Introdução a. Produtividade um dos requisitos... b. Indicadores

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS 2ª OFICINA MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR Lean Manufacturing é a busca da perfeição do processo através da eliminação de desperdícios Definir Valor Trabalhar

Leia mais

Os desafios de levar o lean aos fornecedores: a experiência da Bosch

Os desafios de levar o lean aos fornecedores: a experiência da Bosch Os desafios de levar o lean aos fornecedores: a experiência da Bosch Cid Fontana Lopez Diretor de Desenvolvimento de Fornecedores da Robert Bosch - América Latina As empresas que se propõe a trazer os

Leia mais

LEAD TIME PRODUTIVO: UMA FERRAMENTA PARA OTIMIZAÇÃO DOS CUSTOS PRODUTIVOS

LEAD TIME PRODUTIVO: UMA FERRAMENTA PARA OTIMIZAÇÃO DOS CUSTOS PRODUTIVOS LEAD TIME PRODUTIVO: UMA FERRAMENTA PARA OTIMIZAÇÃO DOS CUSTOS PRODUTIVOS Sandra Mara Matuisk Mattos (DECON/UNICENTRO) smattos@unicentro.br, Juliane Sachser Angnes (DESEC/UNICENTRO), Julianeangnes@gmail.com

Leia mais

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010)

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) 1) Fale a respeito de sua formação profissional e atuação. Sou engenheiro de produção pela Escola

Leia mais

Benefícios da implementação do Trabalho Padronizado na ThyssenKrupp

Benefícios da implementação do Trabalho Padronizado na ThyssenKrupp Benefícios da implementação do Trabalho Padronizado na ThyssenKrupp Kishida, Marino (Lean Institute Brasil) Silva, Adriano Henrique (ThyssenKrupp) Guerra, Ezequiel (ThyssenKrupp) Este artigo mostra os

Leia mais

Prof. Sérgio Roberto Sigrist srsigris@hotmail.com

Prof. Sérgio Roberto Sigrist srsigris@hotmail.com Prof. Sérgio Roberto Sigrist srsigris@hotmail.com Palavras-chave Melhores práticas, inovação, geração de valor, qualidade, serviços, gestão de serviços, suporte em TI, melhoria contínua, orientação a processos,

Leia mais

LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS

LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING SUPPLY CHAIN (INCLUI LOGÍSTICA) 2 2 INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING 3 INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING Pensar fora da caixa... Lean

Leia mais

Módulo 3 Estrutura da norma ISO/TS 16949:2009 Requisito 5, Exercícios

Módulo 3 Estrutura da norma ISO/TS 16949:2009 Requisito 5, Exercícios Módulo 3 Estrutura da norma ISO/TS 16949:2009 Requisito 5, Exercícios 5 - Responsabilidade da direção 5.1 - Comprometimento da direção Quem: Alta Direção = Pessoa ou grupo de pessoas que dirige e controla

Leia mais

GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS

GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MBA GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS DISCIPLINAS E EMENTAS SINTONIZANDO PERCEPÇÕES E UNIFORMIZANDO A LINGUAGEM

Leia mais

Declaração de Conflitos de Interesse. Diretor da NKB Medicina Diagnóstica

Declaração de Conflitos de Interesse. Diretor da NKB Medicina Diagnóstica Declaração de Conflitos de Interesse Diretor da NKB Medicina Diagnóstica Lean na Microbiologia Conceito de Lean Cláudio Pereira Diretor Regional NKB RJ Agenda Lean Thinking Sistema de Produção da Toyota

Leia mais

Para entendermos melhor a evolução da qualidade, precisamos rememorar alguns pontos na história.

Para entendermos melhor a evolução da qualidade, precisamos rememorar alguns pontos na história. SISTEMA DE QUALIDADE EAD MÓDULO XIX - RESUMO Para entendermos melhor a evolução da qualidade, precisamos rememorar alguns pontos na história. Posteriormente, ocorreu a Revolução Industrial, em que a subsistência

Leia mais

A PROGRAMAÇÃO DA PRODUÇÃO PUXADA PELO CLIENTE: ESTUDO DE CASO NA INDÚSTRIA TÊXTIL

A PROGRAMAÇÃO DA PRODUÇÃO PUXADA PELO CLIENTE: ESTUDO DE CASO NA INDÚSTRIA TÊXTIL A PROGRAMAÇÃO DA PRODUÇÃO PUXADA PELO CLIENTE: ESTUDO DE CASO NA INDÚSTRIA TÊXTIL Sigfrid Hornburg (UFSC) shornburg@karsten.com.br Dalvio Ferrari Tubino (UFSC) tubino@deps.ufsc.br Natalia Emerich Ladeira

Leia mais

Reduzindo o lead time no desenvolvimento de produtos através da padronização

Reduzindo o lead time no desenvolvimento de produtos através da padronização Reduzindo o lead time no desenvolvimento de produtos através da padronização Lando T. Nishida O prazo ou lead time desde a concepção do produto até o lançamento no mercado é um dos fatores mais importantes

Leia mais

Treinamentos Técnicos de Engenharia de Manutenção. JWB Engenharia

Treinamentos Técnicos de Engenharia de Manutenção. JWB Engenharia Treinamentos Técnicos de Engenharia de Manutenção Palestrante: Eng. José Wagner Braidotti Junior - Treinamentos 1) Indicadores de Desempenho da Manutenção Benchmarking 16 horas 2) 5 S Base para a Manutenção

Leia mais

Otimização. Processos I

Otimização. Processos I Saiba Como o Six Sigma Convive com Outras Metodologias de Gestão e Como Otimização Alinhadas Podem Promover de a Otimização de Processos e Resultados Expressivos Processos I Alberto Pezeiro pezeiro@setadg.com.br

Leia mais

Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS

Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS 3.4 O PROJETO DE MELHORIA DE PROCESSOS 3.4.1 - CONCEITO DE PROJETO

Leia mais

Luiz Jung Gerente de Operações Balanças Saturno

Luiz Jung Gerente de Operações Balanças Saturno Luiz Jung Gerente de Operações Balanças Saturno Graduado em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Possui MBA em Finanças pela Fundação Getúlio Vargas.

Leia mais

Qualidade, Processos e Otimização Industrial

Qualidade, Processos e Otimização Industrial Qualidade, Processos e Otimização Industrial Qualidade, ambiente e segurança p. 161 Otimização dos processos p. 165 Otimização industrial p. 168 O sucesso das organizações depende da sua capacidade de

Leia mais

Curso de Especialização em Gestão Industrial

Curso de Especialização em Gestão Industrial Curso de Especialização em Gestão Industrial Operacionalização: Pós graduação lato sensu da Universidade de São Paulo (USP) O Curso de Especialização em Gestão Industrial aborda, de maneira conceitual

Leia mais

Análise da Utilização de Conceitos de Produção Enxuta em uma Pequena Empresa do Setor Metal Mecânico

Análise da Utilização de Conceitos de Produção Enxuta em uma Pequena Empresa do Setor Metal Mecânico Análise da Utilização de Conceitos de Produção Enxuta em uma Pequena Empresa do Setor Metal Mecânico Matheus Castro de Carvalho (matheus_c_carvalho@hotmail.com / CESUPA) Resumo: A aplicação dos conceitos

Leia mais

JOGO DE NEGÓCIO SIMULADOR DOS EFEITOS POSITIVOS DA APLICAÇÃO DAS FERRAMENTAS LEAN PARA FUNCIONÁRIOS OPERACIONAIS E LIDERANÇAS DO CHÃO DE FÁBRICA

JOGO DE NEGÓCIO SIMULADOR DOS EFEITOS POSITIVOS DA APLICAÇÃO DAS FERRAMENTAS LEAN PARA FUNCIONÁRIOS OPERACIONAIS E LIDERANÇAS DO CHÃO DE FÁBRICA JOGO DE NEGÓCIO SIMULADOR DOS EFEITOS POSITIVOS DA APLICAÇÃO DAS FERRAMENTAS LEAN PARA FUNCIONÁRIOS OPERACIONAIS E LIDERANÇAS DO CHÃO DE FÁBRICA Gece Wallace Santos Reno (UFSCar) gece.reno@uol.com.br Carolina

Leia mais

KANBAN. Kanban. Just in Time. Desperdícios. A Simplicidade no Controle das Operações

KANBAN. Kanban. Just in Time. Desperdícios. A Simplicidade no Controle das Operações KANBAN Kanban A Simplicidade no Controle das Operações Desmistificando JIT e Kanban; O Problema dos altos estoques; O Sistema MRP Os desperdícios 1 2 Just in Time Desperdícios A Filosofia Just in Time

Leia mais

15/09/2011. Historico / Conceito. Lean Production é um programa corporativo ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II. Evolucao do Conceito LEAN THINKING

15/09/2011. Historico / Conceito. Lean Production é um programa corporativo ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II. Evolucao do Conceito LEAN THINKING Historico / Conceito Lean : década de 80 James Womack (MIT) Projeto de pesquisa: fabricantes de motores automotivos; ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II Lean Production é um programa corporativo composto por

Leia mais

CURSOS E TREINAMENTOS... 5 WORKSHOPS LEAN...

CURSOS E TREINAMENTOS... 5 WORKSHOPS LEAN... SUMÁRIO CURSOS E TREINAMENTOS... 5 WORKSHOPS LEAN... 6 WORKSHOP KAIZEN TEIAN... 6 WORKSHOP SINGLE MINUTE EXCHANGE OF DIE (SMED)... 7 WORKSHOP TRABALHO PADRONIZADO... 8 WORKSHOP MAPEAMENTO DE FLUXO DE VALOR

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO EM CONTABILIDADE NA MODALIDADE A DISTÂNCIA - 2010/1

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO EM CONTABILIDADE NA MODALIDADE A DISTÂNCIA - 2010/1 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR TÉCNICO EM CONTABILIDADE NA MODALIDADE A DISTÂNCIA - 2010/1 DC 5080 25/03/2010 Rev. 00 1. Dados Legais Autorizado pelo Parecer 470 do Conselho Estadual de Educação de 24 de novembro

Leia mais

CARLA ANDREIA DE ALMEIDA IMPLANTAÇÃO DA MANUFATURA ENXUTA EM UMA CÉLULA DE PRODUÇÃO JOINVILLE - SC

CARLA ANDREIA DE ALMEIDA IMPLANTAÇÃO DA MANUFATURA ENXUTA EM UMA CÉLULA DE PRODUÇÃO JOINVILLE - SC CARLA ANDREIA DE ALMEIDA IMPLANTAÇÃO DA MANUFATURA ENXUTA EM UMA CÉLULA DE PRODUÇÃO JOINVILLE - SC 2007 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGIAS CCT DEPARTAMENTO

Leia mais

Treinamentos Técnicos de Engenharia de Manutenção. JWB Engenharia

Treinamentos Técnicos de Engenharia de Manutenção. JWB Engenharia Treinamentos de de Manutenção Treinamentos Técnicos de de Manutenção Treinamentos de de Manutenção Treinamentos 1) Indicadores de Desempenho da Manutenção Benchmarking 16 horas 2) 5 S Base para a Manutenção

Leia mais

Relato de um caso dos primeiros passos sobre a aplicação da produção enxuta em processos administrativos

Relato de um caso dos primeiros passos sobre a aplicação da produção enxuta em processos administrativos Relato de um caso dos primeiros passos sobre a aplicação da produção enxuta em processos administrativos Eberson de Andrade Moreira (SULZER) eng_eberson@hotmail.com Paulo Augusto Cauchick Miguel (USP)

Leia mais

Excelência na Gestão de Ativos

Excelência na Gestão de Ativos Excelência na Gestão de Ativos 2015 Mudanças em Tempos Difíceis Em tempos difíceis é que as mudanças são necessárias, e a habilidades dos navegantes são testadas. Neste contexto a NT Desenvolvimento Gerencial

Leia mais

COMUNICADO CEM/CP 1/2016

COMUNICADO CEM/CP 1/2016 COMUNICADO CEM/CP 1/2016 DIVULGA RELAÇÃO DE DISCIPLINAS RECOMENDADAS COMO OPTATIVAS PARA O 2º SEMESTRE LETIVO DE 2016 DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA DO CAMPUS CAMPINAS DA UNIVERSIDADE SÃO

Leia mais

Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira

Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira 3º semestre CONCEITOS CONCEITOS Atividade Ação executada que tem por finalidade dar suporte aos objetivos da organização. Correspondem

Leia mais

Gestão da Produção - Optimizar a produção através do LEAN

Gestão da Produção - Optimizar a produção através do LEAN Gestão da Produção - Optimizar a produção através do LEAN Introdução Lean é uma filosofia de produção nascida após a segunda guerra mundial no sector automóvel com intuito de optimizar o sistema de produção.

Leia mais

Gestão de Economias com o Serviço de Tratamento de Esgoto Melhorias no Processo para a Universalização do Saneamento.

Gestão de Economias com o Serviço de Tratamento de Esgoto Melhorias no Processo para a Universalização do Saneamento. Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento PNQS Inovação da Gestão em Saneamento IGS Gestão de Economias com o Serviço de Tratamento de Esgoto Melhorias no Processo para a Universalização do Saneamento.

Leia mais

Ciclos de Melhoria Contínua no Chão de Fábrica

Ciclos de Melhoria Contínua no Chão de Fábrica Ciclos de Melhoria Contínua no Chão de Fábrica Estrutura, Ferramentas e Lições Aprendidas Palestrante: Fernando Coelho Apresentação: Fernando Coelho Formação: Técnico em Eletrônica pela Escola Téc. Federal

Leia mais

Portugal. Alemanha. França. Rússia. Holanda. Directivas Comunitárias. Fundada em 1978. UP - Serpins. UP - Serpins II

Portugal. Alemanha. França. Rússia. Holanda. Directivas Comunitárias. Fundada em 1978. UP - Serpins. UP - Serpins II EMPRESA FABRIL DE PRODUTOS ELÉCTRICOS, SA O Lean Lean na EFAPEL Carlos Ramos Gestão de Operações carlos.ramos@efapel.pt A EFAPEL no Mundo Exportamos para mais de 40 países da Europa,, Ásia, Europa Ásia,

Leia mais

GRUPO XII GRUPO DE ESTUDO DE E ASPECTOS TÉCNICOS E GERENCIAIS DE MANUTENÇÃO EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS - GMI

GRUPO XII GRUPO DE ESTUDO DE E ASPECTOS TÉCNICOS E GERENCIAIS DE MANUTENÇÃO EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS - GMI SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GMI 06 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO XII GRUPO DE ESTUDO DE E ASPECTOS TÉCNICOS E GERENCIAIS DE EM INSTALAÇÕES

Leia mais

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br

PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO. ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br PROCESSOS PODEROSOS DE NEGÓCIO ideiaconsultoria.com.br 43 3322 2110 comercial@ideiaconsultoria.com.br POR QUE ESCREVEMOS ESTE E-BOOK? Nosso objetivo com este e-book é mostrar como a Gestão de Processos

Leia mais

APLICABILIDADE DA FILOSOFIA LEAN MANUFACTURING NAS ORGANIZAÇÕES: produção enxuta

APLICABILIDADE DA FILOSOFIA LEAN MANUFACTURING NAS ORGANIZAÇÕES: produção enxuta APLICABILIDADE DA FILOSOFIA LEAN MANUFACTURING NAS ORGANIZAÇÕES: produção enxuta RESUMO Danieli Tavares Rates da Silva 1 Rogério de Souza 2 Anderson da Silva 3 Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI

Leia mais

CRIAR VALOR NAS OPERAÇÕES LOGÍSTICAS

CRIAR VALOR NAS OPERAÇÕES LOGÍSTICAS CRIAR VALOR NAS OPERAÇÕES LOGÍSTICAS ISEL / António Abreu Sumário i. Cadeia de Valor ii. iii. iv. Eliminação dos desperdícios Cultura Magra Redes de colaboração Melhoria Continua / Inovação 2 Cadeia de

Leia mais

COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE. Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software

COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE. Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE PRODUÇÃO Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software Objetivo Apresentar conceitos e ferramentas atuais para melhorar eficiência da produção

Leia mais

SEGURANÇA HOSPITALAR

SEGURANÇA HOSPITALAR SEGURANÇA HOSPITALAR Brasil, abril 2014. ESTUDO CONCEITUAL. Depois da leitura de muitos artigos sobre o tema de Segurança do Paciente e perceber o viés técnico das posições, gostaríamos de mostrar um modelo

Leia mais

AREA DE ATUAÇÃO. Gestão de Processos. Sistema da Qualidade. Logística Integrada. Segurança e Meio Ambiente. WCM / Lean. Organização da Produção

AREA DE ATUAÇÃO. Gestão de Processos. Sistema da Qualidade. Logística Integrada. Segurança e Meio Ambiente. WCM / Lean. Organização da Produção AREA DE ATUAÇÃO Gestão de Processos Organização da Produção Sistema da Qualidade Logística Integrada Segurança e Meio Ambiente WCM / Lean GESTÃO DE PROCESSOS - Análise do fluxo de atividades e redefinição

Leia mais

Resultados, Sustentabilidade, Desempenho, Foco. Sim, sabemos que a sua organização quer chegar lá. Mas você sabe o melhor caminho?

Resultados, Sustentabilidade, Desempenho, Foco. Sim, sabemos que a sua organização quer chegar lá. Mas você sabe o melhor caminho? Resultados, Sustentabilidade, Desempenho, Foco. Sim, sabemos que a sua organização quer chegar lá. Mas você sabe o melhor caminho? Nossa Empresa A MasterQual é uma consultoria brasileira que tem como principal

Leia mais

Técnicas de Logística Enxuta [6 de 11]

Técnicas de Logística Enxuta [6 de 11] Técnicas de Logística Enxuta [6 de 11] Introdução Rogério Bañolas ProLean Logística Enxuta No artigo anterior, vimos uma seqüência recomendada para implementação, bem como uma explicação sucinta de como

Leia mais

Iniciando com a Logística Enxuta [1 de 11]

Iniciando com a Logística Enxuta [1 de 11] Iniciando com a Logística [1 de 11] Rogério Bañolas Consultoria ProLean Logística Esta série de artigos foi elaborada de tal forma que os artigos fazem referências uns aos outros. Portanto, para melhor

Leia mais

FERRAMENTAS DE GESTÃO

FERRAMENTAS DE GESTÃO FERRAMENTAS DE GESTÃO GUIA PARA EXECUTIVOS Professo MSc Lozano 2015 FERRAMENTAS DE GESTÃO Técnicas gerenciais utilizadas pelas organizações para aumentar competitividade. Ferramentas Básicas para Gestão

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011

IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 IMPLANTAÇÃO DOS PILARES DA MPT NO DESEMPENHO OPERACIONAL EM UM CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE COSMÉTICOS. XV INIC / XI EPG - UNIVAP 2011 Rogério Carlos Tavares 1, José Luis Gomes da Silva² 1 Universidade de

Leia mais

MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTAL (TPM) COMO FERRAMENTA PARA MELHORIA DA EFICIÊNCIA GLOBAL DE EQUIPAMENTO (OEE)

MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTAL (TPM) COMO FERRAMENTA PARA MELHORIA DA EFICIÊNCIA GLOBAL DE EQUIPAMENTO (OEE) MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTAL (TPM) COMO FERRAMENTA PARA MELHORIA DA EFICIÊNCIA GLOBAL DE EQUIPAMENTO (OEE) Layla Duana dos Santos Silva (UFG ) layladuana@hotmail.com Andre Alves de Resende (UFG ) aaresende@gmail.com

Leia mais

Lean Office O fluxo de informação enxuto

Lean Office O fluxo de informação enxuto Lean Office O fluxo de informação enxuto Antonio Rentes Visão Ampla do Lean Thinking Identificação e eliminação sistemática e sustentável de desperdícios na cadeia produtiva Desperdício: Qualquer atividade

Leia mais

7º Encontro de Pesquisa Clínica. Metodologia Lean

7º Encontro de Pesquisa Clínica. Metodologia Lean 7º Encontro de Pesquisa Clínica Metodologia Lean 2 1 Áreas de Atuação Estratégico Planejamento Estratégico Diagnóstico Lean Sustentabilidade Processos Produtividade Qualidade Custo Sistemas de Gestão Pessoas

Leia mais

QUEM SOMOS? O QUE FAZEMOS? A REALIDADE ATUAL DOS NEGÓCIOS: ONTEM: Custo+ Lucro= Preço de Venda. HOJE: Preço de venda= Custo+ Lucro

QUEM SOMOS? O QUE FAZEMOS? A REALIDADE ATUAL DOS NEGÓCIOS: ONTEM: Custo+ Lucro= Preço de Venda. HOJE: Preço de venda= Custo+ Lucro A REALIDADE ATUAL DOS NEGÓCIOS: QUEM SOMOS? O QUE FAZEMOS? ONTEM: Custo+ Lucro= Preço de Venda HOJE: Preço de venda= Custo+ Lucro Somos uma empresa especializada em consultoria de FÁBRICA e CUSTOS. QUEM

Leia mais

Gestão da qualidade. Conceito e histórico da qualidade. Prof. Dr. Gabriel Leonardo Tacchi Nascimento

Gestão da qualidade. Conceito e histórico da qualidade. Prof. Dr. Gabriel Leonardo Tacchi Nascimento Gestão da qualidade Conceito e histórico da qualidade Prof. Dr. Gabriel Leonardo Tacchi Nascimento Como é vista a qualidade Redução de custos Aumento de produtividade Conceito básico de qualidade Satisfação

Leia mais

TPM -Total Productive Maintenance. (Gestão da Manutenção)

TPM -Total Productive Maintenance. (Gestão da Manutenção) TPM -Total Productive Maintenance (Gestão da Manutenção) 1 MANUTENÇÃO À MODA ANTIGA Nada de prevenção! Só se conserta quando quebrar e parar de funcionar. Use até acabar... Manutenção não tem nada em comum

Leia mais

A e1.conceito é um compromisso com você e com sua empresa para atingirem seus objetivos.

A e1.conceito é um compromisso com você e com sua empresa para atingirem seus objetivos. A e1.conceito é um compromisso com você e com sua empresa para atingirem seus objetivos. Nossa missão Promover o desenvolvimento e fortalecimento empresarial com projetos que tragam, sempre, resultados

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DE MELHORIA CONTÍNUA.

OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DE MELHORIA CONTÍNUA. OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS ATRAVÉS DE FERRAMENTAS DE MELHORIA CONTÍNUA. Palestrante: Recife, Pernambuco LEAN THINK DEFINIÇÃO O Lean Manufacture é uma filosofia de administração da manufatura, surgida no Japão,

Leia mais

Propriedade Intelectual da Simples Soluções Slide 0

Propriedade Intelectual da Simples Soluções Slide 0 Propriedade Intelectual da Simples Soluções Slide 0 Antes de começar, algumas informações de ordem administrativa... 1. Roteiro / Intervalos 2. Ligações Telefônicas (Celulares,...) 3. Questionário de Avaliação

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília AVALIAÇÃO DA ADOÇÃO DE BPM NO BRASIL: ERROS, APRENDIZADOS E BOAS PRÁTICAS Leandro Jesus INVESTIR EM PROCESSOS:

Leia mais

CURSO: GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS

CURSO: GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS CURSO: GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS INTRODUÇÃO Repousa nas mãos dos profissionais do setor de gente e gestão (GG), antigo setor de recursos humanos (RH), a responsabilidade de cuidar da maior riqueza

Leia mais

σ LEAN LEAN SEIS SIGMA FORMAÇÃO GREEN BELT TURMA REDUZIDA INÍCIO EM JANEIRO DE 2015

σ LEAN LEAN SEIS SIGMA FORMAÇÃO GREEN BELT TURMA REDUZIDA INÍCIO EM JANEIRO DE 2015 6 σ LEAN FORMAÇÃO GREEN BELT TURMA REDUZIDA INÍCIO EM JANEIRO DE 2015 FORMAÇÃO GREEN BELT ORIGENS DO A metodologia Seis Sigma surgiu na Motorola, na década de 1980, e foi posteriormente implementada na

Leia mais