LEAN-CURSOS E WORKSHOPS Cursos otimizados para as necessidades do Cliente Cursos Padrão Workshops de Capacitação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEAN-CURSOS E WORKSHOPS Cursos otimizados para as necessidades do Cliente Cursos Padrão Workshops de Capacitação"

Transcrição

1 LEAN-CURSOS E WORKSHOPS Cursos otimizados para as necessidades do Cliente Cursos Padrão Workshops de Capacitação Serviços : Cursos e workshops especialmente criados para capacitar a sua organização no desenvolvimento da cultura da melhoria contínua sustentável sempre trabalhando ombro a ombro com o seu pessoal. Contato: Gemba Consulting Telefone: : Site:

2 ESTRUTURAÇÃO DO MODELO DE TREINAMENTO. Envolvimento da Liderança, Suporte, Staff e Gestão Módulo 0 - Metodologia, Princípios e Ferramentas Kaizen Diário Envolvimento dos Colaboradores orientados pela Liderança Módulo 1 Organização Básica dos Times Módulo 2 Uso das Melhores Práticas Módulo 3 Melhoria Conbtínua dos Processos Módulo 4- Trabalho dos Times Autônomos Adoção do Sistema Direção Kaizen Escritório Kaizen Kaizen Blitz Kaizen Diário Duas séries de módulos de Cursos e Workshops especialmente desenhados para agregar valor ao seu projeto de Implementação do Sistema de Melhoria Contínua Sustentável Série azul dedicada a capacitar seu pessoal de liderança, suporte, staff e gestão para os novos conceitos lean. Série vermelha dedicada á formação do seu pessoal de liderança operacional, com o objetivo de capacitá-lo a treinar seus subordinados visando sustentar a cultura de melhoria contínua no dia-a-dia.

3 CURSOS E TREINAMENTOS LEAN 3

4 Objetivos Os participantes deste curso vão compreender os objetivos e métodos da filosofia Just in Time e poder participar na introdução dos princípios de fluxo contínuo. Vão estar aptos a identificar desperdícios na produção e sistematicamente eliminá-los utilizando as ferramentas aprendidas. Com isto vão estar preparados a contribuir no esforço de atingir uma empresa flexível e enxuta. Princípios da produção Just in time Percepção dos desperdícios através da superprodução e estoques excessivos. Entendimento da produção em lotes contra a em fluxo contínuo Adaptação ao ciclo do cliente e ao fluxo unitário Tipos de desenho de linha Cuidados ergonômicos Trabalho Padronizado Cadeias de Fornecimento Sistemas puxados Kanban Supermercado Nivelamento e tempo de setup Público Alvo Pessoas responsáveis pela implementação e desempenho da metodologia Lean. Pessoal de Produção, PCP, PCP, Controle de Materiais, Educação e Treinamento 1 dia - das 8:00 ás 17:00 horas. 3 4

5 Objetivos Os participantes deste curso iram aprender a organizar e facilitar um Evento Kaizen Blitz e auxiliar os colaboradores a implementar práticas Lean visando eliminar desperdícios, melhorar; a qualidade,a disponibilidade e a lucratividade. Preparação Análise Inicial Execução do Kaizen Blitz Follow Up e Sustentabilidade das melhorias Lideranças e pessoas envolvidas com produção, manutenção, gestão da qualidade, serviços técnicos, educação e treinamento Nota: O pré requisito para este curso é o conhecimento do conteúdo do seminário 0.2-Fundamentos de Lean- página 4. 1 dia - das 8:00 ás 17:00 horas. 5

6 Objetivos Os participantes deste curso iram aprender a constituição da célula de manufatura num agrupamento de máquinas e equipamentos capazes de processar uma dada família de peças. Conhecer suas bases nos conceitos de Tecnologia de Grupo e na formação dessa família de peças. Análise Inicial Layout com foco no Produto Layout com foco no Processo Layout com foco na Tecnologia de Grupo Vantagens Desvantagens Exercício de Simulação Lideranças e pessoas envolvidas com produção, manutenção, gestão da qualidade, serviços técnicos, educação e treinamento com foco no Produto 1 dia - das 8:00 ás 17:00 horas. 6

7 Objetivos Os participantes iram aprender por que a Redução de Set-up é fundamental para o Lean. O treinamento irá ilustrar claramente os princípios da redução. Este evento prático,na forma de Kaizen Blitz, gera uma cadeia de melhorias em tempos e custos de setup.a velocidade e a urgência desta abordagem mudam paradigmas e geram benefícios imediatos. Preparação para o evento Escolha do time Evento Follow up e sustentabilidade das das melhorias implementadas Lideranças e pessoas envolvidas com setups ; produção, manutenção, PCP e ferramentaria. Preparação I 1 dia - das 8:00 ás 17:00 horas. Preparação II 1 dia - das 8:00 ás 17:00 horas Evento Kaizen Blitz 5 dias das 8:00 ás 17:00 Follow up I - 1 dia - das 8:00 ás 17:00 horas Follow up II - 1 dia - das 8:00 ás 17:00 horas 7

8 Objetivos Os alunos deste curso aprendem a planejar e implementar um sistema visual de reposição de materiais controlado pelos funcionários. Aprendem também como implementar sistemas de puxar repetitivos e não repetitivos, calcular os níveis de estoque, e balancear lotes com capacidade, ao invés de lotes econômicos. O que é? Regras Como funciona? Tipos de kanban Organização Dimensionando o kanban Vantagens e desvantagens Lideranças e pessoas envolvidas com setups ; produção, manutenção, PCP e ferramentaria. 2 dias - das 8:00 ás 17:00 horas. 8

9 1.2-MANUTENÇÃO AUTONOMA (EQUIPAMENTO PILOTO) Objetivos Transmitir técnicas do TPM para o envolvimento dos operadores na rotina de manutenção, nos projetos de melhoria e em reparos simples. O uso dos operadores em atividades diárias, tais como, lubrificação, limpeza, ajustes e inspeção do equipamento Histórico e conceitos do TPM; Os pilares do TPM; Cálculo do OEE (Overall Equipment Effectiveness); Sistema de melhoria; Selecionando as máquinas e equipamentos para manutenção autônoma; Aplicação prática: Levantamento de dados; Limpeza inicial; Análise de falhas; Elaboração do plano de ação; Kaizen de manutenção; Manutenção autônoma Operadores, engenheiros, gerentes, supervisores e outros agentes de mudança. 2 dias - das 8:00 ás 17:00 horas. 9

10 1.4-PRINCÍPIOS DE MANUFATURA ENXUTA Objetivos Um jogo de simulação onde os participantes do curso operam uma fábrica simulada e a redesenham com os conceitos recém apresentados. Os participantes então operam a sua nova fábrica e medem, veem e experimentam a mudança dos resultados. O workshop explica os conceitos básicos, elementos e técnicas e comos eles interagem. Propícia a estrutura emocional e intelectual correta para compreensão da Manufatura Enxuta. O que é Valor Visão do Fluxo de Valor Fluxo contínuo Sistemas de Puxar A busca da Perfeição Operadores e pessoas responsáveis usuárias da metodologia Lean. Pessoal de Produção, PCP, PCP, Controle de Materiais, Educação e Treinamento 1 dia - das 8:00 ás 17:00 horas. 10

11 1.6-PROGRAMA 5 S NUMA ÁREAOU MÁQUINA PILOTO Objetivos Este workshop Kaizen Blitz implementa o 5S de uma forma abrangente. Até 5 times de várias áreas de trabalho participam de treinamento em classe seguido de intenso Kaizen Blitz para por as idéias em prática. Inicialmente implementam os passos de CLASSIFICAÇÃO, ORDEM e LIMPEZA. Em paralelo, O Comitê de Gestão recebe treinamento em sala e ajuda para seu papel com os passos de NORMALIZAÇÃO e MANUTENÇÃO e disseminação para as áreas restantes. Num treinamento em separado, o pessoal de suporte (engenharia, manutenção) é orientado no apoio á iniciativa 5S. Avaliação da Situação Atual Avaliação das condições logísticas Ações 1º S Ações 2º S Ações 3º S Eliminação de fontes de sujeira e locais de difícil acesso Ações 4º S Ações 5º S Evolução indicadores Ordem visual Apresentação final Operadores e pessoas responsáveis usuárias da metodologia Lean. Pessoal de Produção, PCP, PCP, Controle de Materiais, Educação e Treinamento 6 dias - das 8:00 ás 17:00 horas. Antes Depois 11

12 2.2-TWI JI- INSTRUÇÕES DE TRABALHO Objetivos Neste curso, os Líderes dos Times treinam os funcionários a fazer qualquer trabalho desenvolvendo desta forma, rapidamente, uma força de trabalho multifuncional e bem treinada; O Método IT é implementado usando-se a Matriz de Habilidades e seguindo-se o processo de instrução descrito nos cartões IT Pessoas responsáveis por transmitir instruções; Líderes de Produção, Educação e Treinamento 1 dia - das 8:00 ás 17:00 horas

13 2.4-TRABALHO PADRONIZADO Objetivos Neste curso é discutida a documentação da melhor prática em uso,formando uma base para a melhoria contínua. Á medida que o padrão é melhorado, transforma-se numa nova base para novas melhorias num ciclo repetitivo sem fim.trabalho padronizado constituise basicamente de 3 elementos: Tempo takt, A sequência precisa na qual o operador faz as tarefas dentro do takt. O estoque padronizado, inclusive o que fica entre as máquinas. Líderes de Produção, pessoal de Educação e Treinamento 1 dia - das 8:00 ás 17:00 horas

14 2.6-CADEIA DE AJUDA Objetivos Neste curso, o participante irá aprender a desenhar e implementar uma cadeia multi-nível de recursos que: Preserve produção na ocorrência de problemas. Resolva rápidamente os problemas até á causa raiz. Elimine desperdícios Tenha definições claras e concisas em cada nível. Defina quando sinalizar a necessidade de ajuda? Defina como sinalizar por ajuda? Defina que resposta vai ocorrer? Defina quanto demora a resposta? Estabeleça como priorozar e responder em casos de múltipla ajuda. Definição da Cadeia de Ajuda; Acionamento da Cadeia de Ajuda; Desenho da estrutura funcional e da frequência de apoio; Definição das responsabilidades dos integrantes Início do processo e suas consequências; Implementação Capacitar 14Líderes para que possam treinar seus operadores 1 dia - das 8:00 ás 17:00 horas

15 3.2-QUALIDADE NA FONTE Objetivos Neste workshop, serão ensinadas formas de garantir o Zero Defeito para o próximo processo. Em alguns casos, essa é uma meta muito ousada, mas devemos sempre buscar a perfeição e quebrar paradigmas. Usando a tabela do Controle de Qualidade Total, buscamos alcançar o nível máximo, mantendo a qualidade dentro do processo que estamos trabalhando Modelo da Qualidade Matriz da Auto-qualidade Princípios Jogo da Galinha Codificação Criação Prática Capacitar Líderes para que possam treinar seus operadores 15 5 dias- das 8:00 ás 17:00 horas

16 3.4-RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS Objetivos O participante neste workshop irá trabalhar na resolução de problemas, requer as habilidades de um investigador e a de fazer experimentações científicas além de ser uma grande oportunidade de descobrir coisas novas a serem melhoradas. A alta administração, deverá dar apoio abrangente para esta prática que deve ser disseminada para todos, principalmente para os e times do chão de fábrica. Apresentação Resoluçãode problemas (RP) Jogo simulação RP Passo 1 Seleção do Problema Passo 2 Descrição do Problema Passo 3 Objectivos gerais e detalhados (por problema de qualidade) Apresentação e seleção das ferramentas básicas de resolução de problemas Passo 4 Análise de problemas Passo 5 Solução de problemas Implementação do plano de acções Passo 6 Verificação (indicadores) Passo 7 Normalização Passo 8 Comunicação Capacitar Líderes para que possam treinar seus operadores 16 5 dias- das 8:00 ás 17:00 horas

17 3.6-MAPEAMENTO DE FLUXO DE VALOR Objetivos deste curso Auxiliar a visualização das fontes de desperdício e gargalos Proporcionar uma linguagem comum É a base do plano de implementação de melhorias Ferramenta altamente eficaz para a comunicação Melhorias no fluxo de valor X Melhorias nos processos; Exercício: desenhando o mapa do estado atual da Estamparia ABC; Aplicação prática: mapeando o estado atual de uma família de produtos da empresa; O que é um fluxo de valor lean? Eficiência individual X Eficiência sistêmica; Produzir para supermercado ou para expedição? Fazendo em fluxo contínuo; Programando em um único ponto; Exercício: desenhando o estado futuro da Estamparia ABC; Aplicação prática: projetando o estado futuro para a família de produtos estudada; Como criar um plano para alcançar o estado futuro; Aplicação prática: desenvolvendo o plano de implementação do estado futuro projetado Capacitar Líderes para que possam treinar seus operadores 17 2 dias- das 8:00 ás 17:00 horas

18 4.2-DESDOBRAMENTO DE INDICADORES Objetivos Neste curso o participante irá desdobrar as diretrizes e metas estratégicas do Negócio para toda a organização, com associação aos Indicadores de Desempenho (KPIs), definição de metas, estruturação dos planos de ações, execução das ações de melhoria e implantação de controles que perpetuem as melhorias obtidas e tornem os processos robustos. Paradigmas e mudança de cultura -Filme Ferramentas e T'ecnicasde desdobramento de indicadores Capacitar Líderes para que possam treinar seus operadores 2 dias- das 8:00 ás 17:00 horas

19 4.4-ORDEM VISUAL Baseado no método desenvolvido pela Dra.Gwendolyn D.Galsworth-Visual Systems Objetivos O local de trabalho visual é o local onde milhares de mensagens referentes ao produto, qualidade, produtividade, programação e segurança são transmitidas de forma rápida e precisa. O objetivo é deste workshop é transmitir métodos para implementação de sistemas visuais simples que melhoram a comunicação e a produtividade. Que se estabeleça um local seguro, limpo, organizado onde há um lugar para cada coisa e itens não utilizados são imediatamente descartados. Onde o trabalho seja feito com clareza, precisão e confiança: Sem passeios Sem esperas Sem adivinhações Sem ficar perdido Sem adicionais Sem acidentes Sem desperdícios Definir padrões e informações Compartilhar visualmente Verificar aderência Construir Padrões no local de trabalho. Detectar defeitos Elimnar fonte de defeitos Lideranças e pessoas envolvidas com produção, manutenção, gestão da qualidade, serviços técnicos, educação e treinamento Nota: O pré requisito para este curso é o conhecimento do conteúdo do seminário 1.6-PROGRAMA 5 S NUMA ÁREA OU MÁQUINA PILOTO 3 dias- das 8:00 ás 17:00 horas

20 4.6-TWI-JR RELAÇÕES NO TRABALHO Objetivos deste workshop Os Líderes dos Times vão cuidar para desenvolver e manter um relacionamento positivo com os funcionários previnindo que problemas pessoais e emocionais atrapalhem o relacionamento no trabalho Eles devem também aprender a resolver efetivamente conflitos que podem surgir no time.o método JR é implementadao usando regras simples e comprovadas e seguindo um Processo Comportamental descrito nos cartões JR (ver abaixo) Cinco necessidades de um Líder Responsabilidades de um Líder Fundamentos do bom relacionamneto Gráfico Individual O caso "José Silva Como os problemas chegam Quatro passos do método de relações do trabalho A importância de JUNTAR OS FATOS O caso "Tina Demonstrações voluntárias A importância de PONDERAR E DECIDIR O Caso "Miguel A Importância de TOMAR AÇÃO As novas responsabilidades do líder Demonstrações voluntárias A importância de VERIFICAR OS RESULTADOS Demonstrações voluntárias Resumo e conclusão Capacitar Líderes para que possam treinar seus operadores 3 dias- das 8:00 ás 17:00 horas. 20

Portfólio de Treinamentos. Exo Excelência Operacional // 2014

Portfólio de Treinamentos. Exo Excelência Operacional // 2014 Portfólio de Treinamentos Exo Excelência Operacional // 2014 Treinamentos Exo Excelência Operacional A Exo Excelência Operacional traz para você e sua empresa treinamentos fundamentais para o desenvolvimento

Leia mais

FORMAÇÃO PRÁTICA LEAN

FORMAÇÃO PRÁTICA LEAN TREINAMENTOS PRESENCIAIS PRÁTICOS FORMAÇÃO PRÁTICA LEAN Oportunidade ideal para gerar resultados reais na sua carreira e empresa. Capacitação com implementação prática de projeto KPO Fevereiro 2016 Informações

Leia mais

TPM Total Productive Maintenance. ENG 90017 Manutenção e Confiabilidade Flávio Fogliatto

TPM Total Productive Maintenance. ENG 90017 Manutenção e Confiabilidade Flávio Fogliatto TPM Total Productive Maintenance ENG 90017 Manutenção e Confiabilidade Flávio Fogliatto Histórico e panorâmica da sistemática Surgida no Japão, é considerada evolução natural da manutenção corretiva (reativa)

Leia mais

15/09/2011. Historico / Conceito. Lean Production é um programa corporativo ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II. Evolucao do Conceito LEAN THINKING

15/09/2011. Historico / Conceito. Lean Production é um programa corporativo ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II. Evolucao do Conceito LEAN THINKING Historico / Conceito Lean : década de 80 James Womack (MIT) Projeto de pesquisa: fabricantes de motores automotivos; ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II Lean Production é um programa corporativo composto por

Leia mais

TREINAMENTOS PRESENCIAIS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO CURSOS. Formação prática em ferramentas essenciais para a. redução de desperdícios.

TREINAMENTOS PRESENCIAIS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO CURSOS. Formação prática em ferramentas essenciais para a. redução de desperdícios. TREINAMENTOS PRESENCIAIS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO 2016 CURSOS Formação prática em ferramentas essenciais para a melhoria dos processos e redução de desperdícios. Desenvolvimento de 1 Pessoas Propósito é o

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS 2ª OFICINA MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR Lean Manufacturing é a busca da perfeição do processo através da eliminação de desperdícios Definir Valor Trabalhar

Leia mais

Excelência Operacional

Excelência Operacional Excelência Operacional Inter-relação entre Lean Manufacturing e TPM ( Total Productive Management) Paulo Yida - Diretor Solving Efeso America do Sul Renato Cosloski Iamondi Consultor Senior Solving Efeso

Leia mais

Lean manufacturing ou Toyotismo

Lean manufacturing ou Toyotismo ou Toyotismo Gestão da Qualidade Resultados impressionantes 1 Trimestre 2007 Toyota supera GM como líder mundial em vendas Vendas Mundiais 1º Trimestre Nº Carros Toyota 2.348.000 GM 2.260.000 2007 termina

Leia mais

GembaConsulting. Aumentamos a LUCRATIVIDADE e COMPETITIVIDADE. de nossos clientes

GembaConsulting. Aumentamos a LUCRATIVIDADE e COMPETITIVIDADE. de nossos clientes Aumentamos a LUCRATIVIDADE e COMPETITIVIDADE de nossos clientes Atuação em todos os processos e atividades industriais ou administrativas que ocorrem entre a realização do pedido e a entrega do produto

Leia mais

Impactos humanos da PE CLIENTE. Impactos humanos da PE. Impactos humanos da PE. Impactos humanos da PE. Impactos humanos da PE

Impactos humanos da PE CLIENTE. Impactos humanos da PE. Impactos humanos da PE. Impactos humanos da PE. Impactos humanos da PE Menor Lead Time Estrutura do STP Just-In-Time Fluxo Contínuo Takt Time Produção Puxada Kanban Custo Mais Baixo CLIENTE Segurança Moral Jidoka Separação Homem/ Máquina Poka-Yoke Inspeção Fonte Ação Imediata

Leia mais

Ciclo de Formação e Treino em Manutenção e TPM

Ciclo de Formação e Treino em Manutenção e TPM Manutenção e A MANUTENÇÃO O PILAR ESSENCIAL DOS SISTEMAS PRODUTIVOS Não seria excelente se existisse um sistema de manutenção que reparasse o seu equipamento antes de ele avariar? Sim, pois quando os equipamentos

Leia mais

Conectando a Montagem aos Processos em Lotes através de Sistemas Puxados Básicos

Conectando a Montagem aos Processos em Lotes através de Sistemas Puxados Básicos Conectando a Montagem aos Processos em Lotes através de Sistemas Puxados Básicos Art Smalley Tradução: Diogo Kosaka Sistemas puxados são uma parte fundamental da manufatura lean e freqüentemente são mal

Leia mais

Considerações sobre a Parte I - Histórico e componentes do lean, 74

Considerações sobre a Parte I - Histórico e componentes do lean, 74 Sumário Prefácio, xi Introdução, 1 Parte I - HISTÓRICO E COMPONENTES DO LEAN, 5 1 Conceito Enxuto: das Origens à Consolidação, 6 As indústrias da produção em massa, 8 Crise na indústria automobilística

Leia mais

www.gestaoleanmanufacturing.com.br

www.gestaoleanmanufacturing.com.br www.gestaoleanmanufacturing.com.br www.gestaoleanmanufacturing.com.br Master em Lean Manufacturing Processo de Solução de Problemas Competitividade nas Empresas Gestão de Processos & Produção x Eficiência

Leia mais

A Cadeia de Ajuda para Manter a Estabilidade Produtiva

A Cadeia de Ajuda para Manter a Estabilidade Produtiva A Cadeia de Ajuda para Manter a Estabilidade Produtiva Sergio Kamada* Este artigo tem como objetivo descrever a importância da Cadeia de Ajuda no processo de estabilização produtiva e apresentar métodos

Leia mais

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING MANUFATURA ENXUTA DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING A ORIGEM DA PALAVRA LEAN O termo LEAN foi cunhado originalmente no livro A Máquina que Mudou o Mundo de Womack, Jones e Roos, publicado nos EUA em 1990.

Leia mais

Universidade Federal de Sergipe Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Núcleo de Engenharia de Produção Disciplina Engenharia de Produto

Universidade Federal de Sergipe Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Núcleo de Engenharia de Produção Disciplina Engenharia de Produto Universidade Federal de Sergipe Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Núcleo de Engenharia de Produção Disciplina Engenharia de Produto Prof. Andréa Cristina dos Santos, Dr. Eng. andreaufs@gmail.com

Leia mais

Lean manufacturing ou Toyotismo. Lean manufacturing

Lean manufacturing ou Toyotismo. Lean manufacturing ou Toyotismo Resultados impressionantes 1 Trimestre 2007 Toyota supera GM como líder mundial em vendas Vendas Mundiais 1º Trimestre Nº Carros Toyota 2.348.000 GM 2.260.000 2007 termina empatado tecnicamente

Leia mais

Aplicando lean em indústrias de processo

Aplicando lean em indústrias de processo Aplicando lean em indústrias de processo Alexandre Cardoso* Os setores de alimentos, químico, farmacêutico e de cosméticos, que na sua essência são indústrias de processo, têm obtido sucesso na aplicação

Leia mais

PRODUÇÃO ENXUTA. Eng. Liane Freitas, MsC.

PRODUÇÃO ENXUTA. Eng. Liane Freitas, MsC. PRODUÇÃO ENXUTA Eng. Liane Freitas, MsC. O que será visto neste capítulo? 1 O significado a filosofia JIT 2 O JIT versus a prática tradicional 3 As técnicas JIT de gestão 4 As técnicas JIT de planejamento

Leia mais

TPM -Total Productive Maintenance. (Gestão da Manutenção)

TPM -Total Productive Maintenance. (Gestão da Manutenção) TPM -Total Productive Maintenance (Gestão da Manutenção) 1 MANUTENÇÃO À MODA ANTIGA Nada de prevenção! Só se conserta quando quebrar e parar de funcionar. Use até acabar... Manutenção não tem nada em comum

Leia mais

Lean na Indústria Farmacêutica Quebrando paradigmas

Lean na Indústria Farmacêutica Quebrando paradigmas Lean na Indústria Farmacêutica Quebrando paradigmas Neste artigo, apresento um breve relato pessoal de como vivenciei de perto a transformação lean em um ambiente farmacêutico e como alguns paradigmas

Leia mais

Questionário - Proficiência Clínica

Questionário - Proficiência Clínica Tema: Elaborador: ENGENHARIA DE PROCESSOS NO LABORATÓRIO CLÍNICO Fernando de Almeida Berlitz. Farmacêutico-Bioquímico (UFRGS). MBA Gestão Empresarial e Marketing (ESPM). Lean Six Sigma Master Black Belt.

Leia mais

COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE. Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software

COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE. Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE PRODUÇÃO Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software Objetivo Apresentar conceitos e ferramentas atuais para melhorar eficiência da produção

Leia mais

TPM no Coração do Lean Autor: Art Smalley. Tradução: Odier Araújo.

TPM no Coração do Lean Autor: Art Smalley. Tradução: Odier Araújo. TPM no Coração do Lean Autor: Art Smalley. Tradução: Odier Araújo. A Manutenção Produtiva Total (TPM) tem sido uma ferramenta muito importante para os setores de manufatura intensivos em equipamentos.

Leia mais

Comparando as metodologias Lean Enterprise, Six Sigma e de Gestão da Qualidade

Comparando as metodologias Lean Enterprise, Six Sigma e de Gestão da Qualidade Página 1 de 6 NOTÍCIAS CARREIRAS & GESTÂO CURSOS & SEMINÁRIOS LIVROS DANÇA DAS CADEIRAS PESQUISAS COMPRAS ENTREVISTAS EM VÍDEO LAZER & TURISMO HOME Artigos Comparando as metodologias Lean Enterprise, Six

Leia mais

O sistema Just-In-Time. Professor: Dannilo Barbosa Guimarães

O sistema Just-In-Time. Professor: Dannilo Barbosa Guimarães O sistema Just-In-Time Professor: Dannilo Barbosa Guimarães Introdução ao JIT O Just-In-Time surgiu no Japão na década de 70 na Toyota Motor Company (Taiichi Ohno). O JIT visa o combate ao desperdício

Leia mais

Introdução ao Lean Manufacturing. Dário Spinola

Introdução ao Lean Manufacturing. Dário Spinola Introdução ao Lean Manufacturing Dário Spinola Dário Uriel P. Spinola Sócio da Táktica Consultoria em Manufatura MBA em Conhecimento, Tecnologia e Inovação pela FIA/FEA USP Mestrando e Engenheiro de Produção

Leia mais

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços 05 Lean Office

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços 05 Lean Office Processos da Indústria de Serviços (LOQ4208) 5 Lean Office Isto não é... LEAN OFFICE 1 Aqui parece ser... LEAN OFFICE Lean Thinking: Os 5 Princípios Fundamentais 1. Definir o que é VALOR sob a ótica do

Leia mais

Mapeamento do Fluxo de Valor

Mapeamento do Fluxo de Valor Mapeamento do Fluxo de Valor O que é Fluxo de Valor É um conjunto de ações as que agregam valor, bem como as que não agregam valor necessárias para viabilizar o produto: da concepção ao lançamento do produto

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO ENXUTA APLICADOS EM UMA ESTAMPARIA

O DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO ENXUTA APLICADOS EM UMA ESTAMPARIA O DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO ENXUTA APLICADOS EM UMA ESTAMPARIA Alexandro Gilberto Silva 1 Eduardo Gonçalves Magnani 2 Sabrina G. Cabral 3 RESUMO: Neste trabalho é feito uma análise da diferença

Leia mais

LAYOUT IMPACTANDO DIRETAMENTE NOS CUSTOS DE PRODUÇÃO: LUCRO NA PRODUÇÃO COM ÊNFASE NO JUST-IN- TIME

LAYOUT IMPACTANDO DIRETAMENTE NOS CUSTOS DE PRODUÇÃO: LUCRO NA PRODUÇÃO COM ÊNFASE NO JUST-IN- TIME 1 LAYOUT IMPACTANDO DIRETAMENTE NOS CUSTOS DE PRODUÇÃO: LUCRO NA PRODUÇÃO COM ÊNFASE NO JUST-IN- TIME Marcio Alves Suzano, M.Sc. Marco Antônio Ribeiro de Almeida, D.Sc. José Augusto Dunham, M.Sc. RESUMO.

Leia mais

Toyota Way. FDEABrandão. (Fonte de Força Competitiva da Toyota) Antes de você dizer que não consegue fazer alguma coisa, experimente!

Toyota Way. FDEABrandão. (Fonte de Força Competitiva da Toyota) Antes de você dizer que não consegue fazer alguma coisa, experimente! (Fonte de Força Competitiva da Toyota) Antes de você dizer que não consegue fazer alguma coisa, experimente! Sakichi Toyoda - Fundador do grupo TOYOTA. (Fonte de Força Competitiva da Toyota) O é um Ideal,

Leia mais

TPM. José Pedro A. R. Silva

TPM. José Pedro A. R. Silva CICLOS DE FORMAÇÃO EMPRESARIAL Metodologias Avançadas para a Indústria e Serviços TPM José Pedro A. R. Silva 1 CICLOS DE FORMAÇÃO EMPRESARIAL Ciclo de formação e treino em Lean TPM Ciclo de formação e

Leia mais

Análise da Utilização de Conceitos de Produção Enxuta em uma Pequena Empresa do Setor Metal Mecânico

Análise da Utilização de Conceitos de Produção Enxuta em uma Pequena Empresa do Setor Metal Mecânico Análise da Utilização de Conceitos de Produção Enxuta em uma Pequena Empresa do Setor Metal Mecânico Matheus Castro de Carvalho (matheus_c_carvalho@hotmail.com / CESUPA) Resumo: A aplicação dos conceitos

Leia mais

Aplicação de Layout Celular na Recuperação de. Eficiência na Remanufatura

Aplicação de Layout Celular na Recuperação de. Eficiência na Remanufatura Aplicação de Layout Celular na Recuperação de Produtos: Uma Proposta Lean para Aumentar a Eficiência na Remanufatura (UFSC) - marinabouzon@gmail.com Carlos M. Taboada Rodriguez taboada@deps.ufsc.br Abelardo

Leia mais

Treinamentos Técnicos de Engenharia de Manutenção. JWB Engenharia

Treinamentos Técnicos de Engenharia de Manutenção. JWB Engenharia Treinamentos Técnicos de Engenharia de Manutenção Palestrante: Eng. José Wagner Braidotti Junior - Treinamentos 1) Indicadores de Desempenho da Manutenção Benchmarking 16 horas 2) 5 S Base para a Manutenção

Leia mais

Definição. Kaizen na Prática. Kaizen para a Administração. Princípios do Just in Time. Just in Time 18/5/2010

Definição. Kaizen na Prática. Kaizen para a Administração. Princípios do Just in Time. Just in Time 18/5/2010 Uninove Sistemas de Informação Teoria Geral da Administração 3º. Semestre Prof. Fábio Magalhães Blog da disciplina: http://fabiotga.blogspot.com Semana 15 e 16 Controle e Técnicas de controle de qualidade

Leia mais

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010)

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) 1) Fale a respeito de sua formação profissional e atuação. Sou engenheiro de produção pela Escola

Leia mais

Por que Lean & Six Sigma?

Por que Lean & Six Sigma? CONTEÚDO DA PALESTRA O O que é LEAN? O O que é Six Sigma? Por que? LEAN LEAN ORIGEM DO LEAN A metodologia Lean já existe há algum tempo: A Ford foi pioneira no início do século XX 33 horas para concluir

Leia mais

processos de qualidade como um todo. Este conceito, muitas vezes como parte de uma iniciativa mais ampla "gestão enxuta", muitas organizações abraçam

processos de qualidade como um todo. Este conceito, muitas vezes como parte de uma iniciativa mais ampla gestão enxuta, muitas organizações abraçam 2 1 FILOSOFIA KAIZEN Segundo IMAI, MASAAKI (1996) KAIZEN é uma palavra japonesa que traduzida significa melhoria continua, que colabora em melhorias sequenciais na empresa como um todo, envolvendo todos

Leia mais

TPM. Manutenção Produtiva Total ou Total Productive Maintenance

TPM. Manutenção Produtiva Total ou Total Productive Maintenance TPM Manutenção Produtiva Total ou Total Productive Maintenance ORIGEM DA TPM Durante muito tempo as indústrias funcionaram com o sistema de manutenção corretiva. Com isso, ocorriam: Desperdícios; Retrabalhos;

Leia mais

LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS

LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING SUPPLY CHAIN (INCLUI LOGÍSTICA) 2 2 INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING 3 INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING Pensar fora da caixa... Lean

Leia mais

Como implementar melhoria contínua (Lean e Six Sigma) alinhado à orientação por processos. Viviane Salyna

Como implementar melhoria contínua (Lean e Six Sigma) alinhado à orientação por processos. Viviane Salyna Como implementar melhoria contínua (Lean e Six Sigma) alinhado à orientação por processos Viviane Salyna Estrutura da Apresentação Muitas abordagem de processos geram: Processos devem gerar resultados

Leia mais

Lean Seis Sigma e Benchmarking

Lean Seis Sigma e Benchmarking Lean Seis Sigma e Benchmarking Por David Vicentin e José Goldfreind O Benchmarking elimina o trabalho de adivinhação observando os processos por trás dos indicadores que conduzem às melhores práticas.

Leia mais

Just in Time Massagista JIT?

Just in Time Massagista JIT? Just Just in Time Time Massagista JIT? Planejamento e Controle Just-in-Time Fornecimento de produtos e serviços Recursos de produção Just-in-Time Entrega de produtos e serviços apenas quando são necessários

Leia mais

EVOLUÇÃO DA MANUTENÇÃO PLANEJADA NA COSIPA (1)

EVOLUÇÃO DA MANUTENÇÃO PLANEJADA NA COSIPA (1) EVOLUÇÃO DA MANUTENÇÃO PLANEJADA NA COSIPA (1) Wilson Roberto Nassar (2) Siméia Mendes do Amparo Dias (3) RESUMO A eliminação das lacunas na gestão da manutenção, com base na metodologia TPM, possibilita

Leia mais

MRP MRP. Módulo 5 MRP e JIT. Demanda de produtos e serviços. Fornecimento de produtos e serviços

MRP MRP. Módulo 5 MRP e JIT. Demanda de produtos e serviços. Fornecimento de produtos e serviços Módulo 5 MRP e JIT Adm Prod II 1 MRP Fornecimento de produtos e serviços Recursos de produção MRP Decisão de quantidade e momento do fluxo de materiais em condições de demanda dependente Demanda de produtos

Leia mais

REDUZINDO AS QUEBRAS ATRAVÉS DA MANUTENÇÃO PROFISSIONAL

REDUZINDO AS QUEBRAS ATRAVÉS DA MANUTENÇÃO PROFISSIONAL REDUZINDO AS QUEBRAS ATRAVÉS DA MANUTENÇÃO PROFISSIONAL Luiz Rodrigo Carvalho de Souza (1) RESUMO O alto nível de competitividade exige que as empresas alcancem um nível de excelência na gestão de seus

Leia mais

TPM Planejamento, organização, administração

TPM Planejamento, organização, administração TPM Planejamento, organização, administração A UU L AL A Durante muito tempo as indústrias funcionaram com o sistema de manutenção corretiva. Com isso, ocorriam desperdícios, retrabalhos, perda de tempo

Leia mais

GESTÃO DE PROCESSOS E MELHORIA OPERACIONAL O CASO DA ELETROBRAS

GESTÃO DE PROCESSOS E MELHORIA OPERACIONAL O CASO DA ELETROBRAS GESTÃO DE PROCESSOS E MELHORIA OPERACIONAL O CASO DA ELETROBRAS Alberto Wajzenberg Gerente de Desenvolvimento Organizacional alberto.wajzenberg@eletrobras.com Brasilia 7 de novembro de 2013 GESTÃO DE PROCESSOS

Leia mais

JOGO DE NEGÓCIO SIMULADOR DOS EFEITOS POSITIVOS DA APLICAÇÃO DAS FERRAMENTAS LEAN PARA FUNCIONÁRIOS OPERACIONAIS E LIDERANÇAS DO CHÃO DE FÁBRICA

JOGO DE NEGÓCIO SIMULADOR DOS EFEITOS POSITIVOS DA APLICAÇÃO DAS FERRAMENTAS LEAN PARA FUNCIONÁRIOS OPERACIONAIS E LIDERANÇAS DO CHÃO DE FÁBRICA JOGO DE NEGÓCIO SIMULADOR DOS EFEITOS POSITIVOS DA APLICAÇÃO DAS FERRAMENTAS LEAN PARA FUNCIONÁRIOS OPERACIONAIS E LIDERANÇAS DO CHÃO DE FÁBRICA Gece Wallace Santos Reno (UFSCar) gece.reno@uol.com.br Carolina

Leia mais

Portugal. Alemanha. França. Rússia. Holanda. Directivas Comunitárias. Fundada em 1978. UP - Serpins. UP - Serpins II

Portugal. Alemanha. França. Rússia. Holanda. Directivas Comunitárias. Fundada em 1978. UP - Serpins. UP - Serpins II EMPRESA FABRIL DE PRODUTOS ELÉCTRICOS, SA O Lean Lean na EFAPEL Carlos Ramos Gestão de Operações carlos.ramos@efapel.pt A EFAPEL no Mundo Exportamos para mais de 40 países da Europa,, Ásia, Europa Ásia,

Leia mais

17/02/2015 JIT KANBAN. Uma técnica que se utiliza de várias normas e regras para modificar o ambiente produtivo.

17/02/2015 JIT KANBAN. Uma técnica que se utiliza de várias normas e regras para modificar o ambiente produtivo. ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO JIT KANBAN - JIT Uma técnica que se utiliza de várias normas e regras para modificar o ambiente produtivo. Técnica voltada para a otimização da produção. PODE SER APLICADA TANTO

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA - IV REGIÃO (SP)

CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA - IV REGIÃO (SP) CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA - IV REGIÃO (SP) Introdução ao Lean Thinking Ministrante: Christopher Thompson Lean Institute Brasil Contatos: lean@lean.org.br Apoio São Paulo, 16 de setembro de 2010 Observação:

Leia mais

Formação Interempresas 2015

Formação Interempresas 2015 Formação Interempresas 2015 1 1 Formação Interempresas 2015 As ferramentas e metodologias seleccionadas têm como objectivo apoiar as organizações a adquirir conhecimentos que lhes permitam eliminar os

Leia mais

KANBAN. Kanban. Just in Time. Desperdícios. A Simplicidade no Controle das Operações

KANBAN. Kanban. Just in Time. Desperdícios. A Simplicidade no Controle das Operações KANBAN Kanban A Simplicidade no Controle das Operações Desmistificando JIT e Kanban; O Problema dos altos estoques; O Sistema MRP Os desperdícios 1 2 Just in Time Desperdícios A Filosofia Just in Time

Leia mais

Treinamentos Técnicos de Engenharia de Manutenção. JWB Engenharia

Treinamentos Técnicos de Engenharia de Manutenção. JWB Engenharia Treinamentos de de Manutenção Treinamentos Técnicos de de Manutenção Treinamentos de de Manutenção Treinamentos 1) Indicadores de Desempenho da Manutenção Benchmarking 16 horas 2) 5 S Base para a Manutenção

Leia mais

SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF.

SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF. SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF. SKF 2011 Os direitos autorais desta publicação pertencem ao editor e seu conteúdo não pode ser reproduzido (mesmo em parte) sem uma permissão por escrito.

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning

ERP Enterprise Resource Planning ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Evolução dos SI s CRM OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO OPERACIONAL TÁTICO ESTRATÉGICO SIT SIG SAE SAD ES EIS

Leia mais

Artigo Lean Seis Sigma e Benchmarking

Artigo Lean Seis Sigma e Benchmarking Artigo Lean Seis Sigma e Benchmarking David Vicentin e José Goldfreind Benchmarking pode ser definido como o processo de medição e comparação de nossa empresa com as organizações mundiais best-in-class.

Leia mais

Benefícios da implementação do Trabalho Padronizado na ThyssenKrupp

Benefícios da implementação do Trabalho Padronizado na ThyssenKrupp Benefícios da implementação do Trabalho Padronizado na ThyssenKrupp Kishida, Marino (Lean Institute Brasil) Silva, Adriano Henrique (ThyssenKrupp) Guerra, Ezequiel (ThyssenKrupp) Este artigo mostra os

Leia mais

Logística Lean para a Eliminação do Warehouse

Logística Lean para a Eliminação do Warehouse Logística Lean para a Eliminação do Warehouse Nelson Eiji Takeuchi Uma cadeia logística convencional é composta por logística inbound, logística outbound, warehouse e movimentação interna. Fala-se que

Leia mais

Redução do impacto ambiental através das práticas lean Autor: Lando Tetsuro Nishida.

Redução do impacto ambiental através das práticas lean Autor: Lando Tetsuro Nishida. Redução do impacto ambiental através das práticas lean Autor: Lando Tetsuro Nishida. O sistema de gerenciamento ambiental está se tornando cada vez mais uma prioridade na gestão das empresas. Em diversas

Leia mais

Melhoria sistêmica do processo de manutenção de motores de tração de locomotivas na EFC

Melhoria sistêmica do processo de manutenção de motores de tração de locomotivas na EFC Melhoria sistêmica do processo de manutenção de motores de tração de locomotivas na EFC Allan James Ferreira Maciel 1 *, Jediel Pinheiro Grangeiro 2, Sandro Pereira Silva 3 12 Planejamento e Recursos de

Leia mais

Guia básico para implementação da PRODUÇÃO ENXUTA. Reduza suas perdas e melhore seus resultados.

Guia básico para implementação da PRODUÇÃO ENXUTA. Reduza suas perdas e melhore seus resultados. Guia básico para implementação da PRODUÇÃO ENXUTA Reduza suas perdas e melhore seus resultados. INSTITUCIONAL A Consustec é uma empresa com menos de um ano de mercado, com espírito jovem e um time extremamente

Leia mais

Trabalho padrão do líder: uma das chaves para sustentar os ganhos de desempenho. Joe Murli

Trabalho padrão do líder: uma das chaves para sustentar os ganhos de desempenho. Joe Murli Trabalho padrão do líder: uma das chaves para sustentar os ganhos de desempenho Joe Murli O trabalho padrão do líder, incluindo o comportamento de liderança lean, é um elemento integral de um sistema de

Leia mais

APLICAÇÃO DA TÉCNICA CROSS DOCKING NA LOGÍSTICA DE EXPEDIÇÃO EM BUSCA DA REDUÇÃO DE TEMPO DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS

APLICAÇÃO DA TÉCNICA CROSS DOCKING NA LOGÍSTICA DE EXPEDIÇÃO EM BUSCA DA REDUÇÃO DE TEMPO DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS APLICAÇÃO DA TÉCNICA CROSS DOCKING NA LOGÍSTICA DE EXPEDIÇÃO EM BUSCA DA REDUÇÃO DE TEMPO DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS Tatiane Vaz Ferreira Daudte 1, Vilma da Silva Santos 2, Edson Aparecida de Araújo

Leia mais

Deming (William Edwards Deming)

Deming (William Edwards Deming) Abordagens dos principais autores relativas ao Gerenciamento da Qualidade. Objetivo: Estabelecer base teórica para o estudo da Gestão da Qualidade Procura-se descrever, a seguir, as principais contribuições

Leia mais

GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS

GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MBA GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS DISCIPLINAS E EMENTAS SINTONIZANDO PERCEPÇÕES E UNIFORMIZANDO A LINGUAGEM

Leia mais

ABR/MAI.2015 WORKSHOPS TEMÁTICOS

ABR/MAI.2015 WORKSHOPS TEMÁTICOS ABR/MAI.2015 TEMÁTICOS REGIÃO CENTRO ÁREA INOVAÇÃO NP4457:2007 SENSIBILIZAÇÃO E CASOS DE SUCESSO No final da sessão os participantes deverão estar aptos a: Alinhar a Estratégia de negócio incorporando

Leia mais

A Utilização de Etiquetas de Detecção de Inconveniências na Manutenção Autônoma do TPM

A Utilização de Etiquetas de Detecção de Inconveniências na Manutenção Autônoma do TPM XIII SIMPEP Bauru, SP, Brasil, 6 a 8 de novembro de 6. A Utilização de Etiquetas de Detecção de Inconveniências na Manutenção Autônoma do TPM Marcos Roberto Bormio (UNESP) mbormio@feb.unesp.br Nilson Damaceno

Leia mais

CONFIRA UMA BREVE DESCRIÇÃO DAS VANTAGENS COMPETITIVAS OBTIDAS A PARTIR DE CADA META COMPETITIVA VANTAGEM DA QUALIDADE

CONFIRA UMA BREVE DESCRIÇÃO DAS VANTAGENS COMPETITIVAS OBTIDAS A PARTIR DE CADA META COMPETITIVA VANTAGEM DA QUALIDADE CHÃO DE FÁBRICA A PRODUÇÃO COMPETITIVA CONFIRA UMA BREVE DESCRIÇÃO DAS VANTAGENS COMPETITIVAS OBTIDAS A PARTIR DE CADA META COMPETITIVA VANTAGEM DA QUALIDADE Foco principal das empresas que competem com

Leia mais

PRINCÍPIO: PERFEIÇÃO SISTEMA DE PRODUÇÃO VOLKSWAGEN

PRINCÍPIO: PERFEIÇÃO SISTEMA DE PRODUÇÃO VOLKSWAGEN PRINCÍPIO: PERFEIÇÃO SISTEMA DE PRODUÇÃO VOLKSWAGEN 1 SISTEMA DE PRODUÇÃO VOLKSWAGEN PRINCÍPIO: PERFEIÇÃO Manutenção Produtiva Total MANTER CONSERVAR PREVENIR REPARAR SUBSTITUIR ADEQUAR MELHORAR PRODUÇÃO

Leia mais

Implantação do processo de manutenção de conjunto de força de locomotivas da EFC

Implantação do processo de manutenção de conjunto de força de locomotivas da EFC Implantação do processo de manutenção de conjunto de força de locomotivas da EFC Tiago Tenório 1 *, Jediel Grangeiro 1, Evanaldo Brandão 2 1 lanejamento e recursos de material rodante EFC Vale S.A. 2 Manutenção

Leia mais

Técnicas de Logística Enxuta [6 de 11]

Técnicas de Logística Enxuta [6 de 11] Técnicas de Logística Enxuta [6 de 11] Introdução Rogério Bañolas ProLean Logística Enxuta No artigo anterior, vimos uma seqüência recomendada para implementação, bem como uma explicação sucinta de como

Leia mais

JUST-IN-TIME & KANBAN

JUST-IN-TIME & KANBAN JUST-IN-TIME & KANBAN Prof. Darli Rodrigues Vieira darli@darli.com.br 1 OBJETIVO DA AULA OBJETIVO: EVIDENCIAR O QUE É JUST IN TIME E QUAL É SUA UTILIDADE EM PROJETOS DE OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS EM OPERAÇÕES

Leia mais

MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTAL (TPM) COMO FERRAMENTA PARA MELHORIA DA EFICIÊNCIA GLOBAL DE EQUIPAMENTO (OEE)

MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTAL (TPM) COMO FERRAMENTA PARA MELHORIA DA EFICIÊNCIA GLOBAL DE EQUIPAMENTO (OEE) MANUTENÇÃO PRODUTIVA TOTAL (TPM) COMO FERRAMENTA PARA MELHORIA DA EFICIÊNCIA GLOBAL DE EQUIPAMENTO (OEE) Layla Duana dos Santos Silva (UFG ) layladuana@hotmail.com Andre Alves de Resende (UFG ) aaresende@gmail.com

Leia mais

CONCURSO PETROBRAS DRAFT. Planejamento da Produção e Sistemas de Produção. Questões Resolvidas. Produzido por Exatas Concursos www.exatas.com.

CONCURSO PETROBRAS DRAFT. Planejamento da Produção e Sistemas de Produção. Questões Resolvidas. Produzido por Exatas Concursos www.exatas.com. CONCURSO PETROBRAS ENGENHEIRO(A) DE PRODUÇÃO JÚNIOR ENGENHEIRO(A) JÚNIOR - ÁREA: PRODUÇÃO Planejamento da Produção e Sistemas de Produção Questões Resolvidas QUESTÕES RETIRADAS DE PROVAS DA BANCA CESGRANRIO

Leia mais

Logística Lean: conceitos básicos

Logística Lean: conceitos básicos Logística Lean: conceitos básicos Lando Nishida O gerenciamento da cadeia de suprimentos abrange o planejamento e a gerência de todas as atividades da logística. Inclui também a coordenação e a colaboração

Leia mais

As ferramentas e metodologias seleccionadas têm como objectivo apoiar as organizações a adquirir conhecimentos que lhes permitam eliminar os

As ferramentas e metodologias seleccionadas têm como objectivo apoiar as organizações a adquirir conhecimentos que lhes permitam eliminar os Formação Interempresas 2016 11 Formação Interempresas 2016 As ferramentas e metodologias seleccionadas têm como objectivo apoiar as organizações a adquirir conhecimentos que lhes permitam eliminar os desperdícios,

Leia mais

Capítulo V. Planejamento e organização da manutenção Por Igor Mateus de Araújo e João Maria Câmara* Manutenção elétrica industrial

Capítulo V. Planejamento e organização da manutenção Por Igor Mateus de Araújo e João Maria Câmara* Manutenção elétrica industrial 46 Capítulo V Planejamento e organização da manutenção Por Igor Mateus de Araújo e João Maria Câmara* A busca incessante do lucro pelas empresas, focada relegando-a a uma posição secundária ou a ser vista

Leia mais

7º Encontro de Pesquisa Clínica. Metodologia Lean

7º Encontro de Pesquisa Clínica. Metodologia Lean 7º Encontro de Pesquisa Clínica Metodologia Lean 2 1 Áreas de Atuação Estratégico Planejamento Estratégico Diagnóstico Lean Sustentabilidade Processos Produtividade Qualidade Custo Sistemas de Gestão Pessoas

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Plano de Desenvolvimento Relação Ergonomia e Moda e Educação Corporativa Ilca Maria Moya de Oliveira Segundo Dutra (2004), a preparação para o futuro exige investimentos simultâneos: um na modernização

Leia mais

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO ACTIO 2015

CATÁLOGO DE FORMAÇÃO ACTIO 2015 Catálogo de Formação ACTIO 2015 Lean - Nível Executivo Lean Production Executivo Manutenção Lean Executivo Six Sigma - Champion Lean - Nível Master Lean Production Master Manutenção Lean Master Lean nos

Leia mais

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes 1 SÉRIE PRODUTIVIDADE MELHORIA CONTÍNUA / KAIZEN CONCEITOS FUNDAMENTAIS Conceituar Melhoria Contínua e sua importância no contexto

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Normas de qualidade de software - introdução Encontra-se no site da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) as seguintes definições: Normalização

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Os atalhos para a implantação da TPM Haroldo Ribeiro

Os atalhos para a implantação da TPM Haroldo Ribeiro Os atalhos para a implantação da TPM Haroldo Ribeiro Embora no Japão e Estados Unidos exista uma adesão vertiginosa por parte das indústrias para a Manutenção Produtiva Total (TPM), no resto do mundo são

Leia mais

Programa 5S s UDESC/CCT/GQL

Programa 5S s UDESC/CCT/GQL Programa 5S s UDESC/CCT/GQL Prof. Alan Schmitt 1 Estágios de LIMPEZA Limpeza pode ser entendida como inspeção, para encontrar e eliminar problemas que possam se apresentar Limpeza Geral Limpar tudo Varrer

Leia mais

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting Soluções personalizadas para acelerar o crescimento do seu negócio Estratégia Operacional Projeto e Otimização de Redes Processos de Integração Eficácia

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Formação Interempresas 2015 2.º semestre

Formação Interempresas 2015 2.º semestre Formação Interempresas 2015 2.º semestre 1 1 Formação Interempresas 2015 As ferramentas e metodologias seleccionadas têm como objectivo apoiar as organizações a adquirir conhecimentos que lhes permitam

Leia mais

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Em 2013, a Duratex lançou sua Plataforma 2016, marco zero do planejamento estratégico de sustentabilidade da Companhia. A estratégia baseia-se em três

Leia mais

Gestão da Qualidade Políticas. Elementos chaves da Qualidade 19/04/2009

Gestão da Qualidade Políticas. Elementos chaves da Qualidade 19/04/2009 Gestão da Qualidade Políticas Manutenção (corretiva, preventiva, preditiva). Elementos chaves da Qualidade Total satisfação do cliente Priorizar a qualidade Melhoria contínua Participação e comprometimento

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais 2 www.nbs.com.br Soluções eficazes em Gestão de Negócios. Nossa Visão Ser referência em consultoria de desenvolvimento e implementação de estratégias, governança, melhoria

Leia mais

Antes de começar... Perguntas no final da apresentação. Tempo de duração: 30' Celular no modo silencioso

Antes de começar... Perguntas no final da apresentação. Tempo de duração: 30' Celular no modo silencioso Antes de começar... Celular no modo silencioso Tempo de duração: 30' Perguntas no final da apresentação Jornada Excelência e Eficiência Operacional Seja Lean: diga não ao desperdício Planejament o preciso:

Leia mais

SOLMIX Consultoria Empresarial - Fone: 011 99487 7751

SOLMIX Consultoria Empresarial - Fone: 011 99487 7751 Objetivos Nosso Objetivo é Colocar a disposição das empresas, toda nossa Experiência Profissional e metodologia moderna, dinâmica e participativa, para detectar as causas sintomáticas e seus efeitos. Realizar

Leia mais

Balanced Scorecard. by Edmilson J. Rosa

Balanced Scorecard. by Edmilson J. Rosa Balanced Scorecard Balanced Scorecard O Balanced Scorecard, sistema de medição de desempenho das empresas, foi criado por Robert Kaplan e David Norton, professores da Harvard Business School. Tendo como

Leia mais

APLICABILIDADE DA FILOSOFIA LEAN MANUFACTURING NAS ORGANIZAÇÕES: produção enxuta

APLICABILIDADE DA FILOSOFIA LEAN MANUFACTURING NAS ORGANIZAÇÕES: produção enxuta APLICABILIDADE DA FILOSOFIA LEAN MANUFACTURING NAS ORGANIZAÇÕES: produção enxuta RESUMO Danieli Tavares Rates da Silva 1 Rogério de Souza 2 Anderson da Silva 3 Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI

Leia mais