ÍNDICE. 1. Introdução Metodologia Contexto e Caracterização Geral do Agrupamento de Escolas Resultados Académicos...

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÍNDICE. 1. Introdução... 3 2. Metodologia... 4 3. Contexto e Caracterização Geral do Agrupamento de Escolas... 5. 4. Resultados Académicos..."

Transcrição

1 ÍNDICE 1. Introdução Metodologia Contexto e Caracterização Geral do Agrupamento de Escolas CONTEXTO FÍSICO E SOCIAL 3.2 DIMENSÃO E CONDIÇÕES FÍSICAS DO AGRUPAMENTO 3.3 CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO DISCENTE 3.4 CARACTERIZAÇÃO DO PESSOAL DOCENTE 3.5 CARACTERIZAÇÃO PESSOAL NÃO DOCENTE 4. Resultados Académicos RESULTADOS SOCIAIS DA EDUCAÇÃO 5. Prestação do serviço educativo ARTICULAÇÃO E SEQUENCIALIDADE 5.2 ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA LECTIVA EM SALA DE AULA 5.3 DIFERENCIAÇÃO E APOIOS 5.4 ABRANGÊNCIA DO CURRÍCULO E VALORIZAÇÃO DOS SABERES E DA APRENDIZAGEM 6. Organização e gestão escolar CONCEPÇÃO, PLANEAMENTO E DESENVOLVIMENTO DA ACTIVIDADE 6.2 GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS PESSOAL DOCENTE PESSOAL NÃO DOCENTE 6.3 GESTÃO DE RECURSOS MATERIAIS 6.4 GESTÃO DOS RECURSOS FINANCEIROS 7. Ligação à comunidade ARTICULAÇÃO E PARTICIPAÇÃO DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO NA VIDA ESCOLAR 7.2 PARCERIAS, PROTOCOLOS E PROJECTOS 8. Clima e ambiente educativos COMPORTAMENTO E DISCIPLINA 8.2 ASSIDUIDADE DOS DISCENTES 8.3 MOTIVAÇÃO E EMPENHO 8.4 PARTICIPAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CÍVICO 9. Liderança VISÃO E ESTRATÉGIA 9.2 MOTIVAÇÃO E EMPENHO 10. Considerações finais Bibliografia Anexos... 30! " # $

2 ! % & $! ' ( # ) ' ( # * ' ( # ' ( # $ ( " $ ) '*, " $

3 1. Introdução $ # -. / / " $. 0 $ - $ #., % / 2 23 $ -* *'88-8! / 0 -.$ $ # 0 #.-1 # 9 (.$ # ", " $.0,. / $ % : $ ( 0, $ #..( 5; ( ; - ) - 0 ; * - "! - < - =! > ( ; # -... # -.. 0, &- $. 9 0, -.. $ $ $ < 0 # 9.5 1, ( # $. )$ # $ & 1 $ $? 1. ( -,?, $ (.? / 9 '9 0, - $ & $ -. #. )$ #?..., 1. #.., 1 /?0 3 1 $ / 0, $ $ A &0 &/. ( 0 #.., &- $

4 2. Metodologia Relatório de Avaliação Interna 2007/08. $ # &, 0., 1#. ( -$ 10 A., $. $ # $ &-. ( #, 1# 1 / $ 1 -. &- $ 1 - ( -( B /. -.$ # -.$ 1# -" 0 $ #.. A. &. 0 /.. (!. 0 / C. 1! D* D E D* 8* % & $ " # $ ( # D FF8 D *D *G6 Quadro I Número dos questionários disponibilizados e respondidos. %1., " $?. ) * E $ (." A, 1$ # $ ) $ A E. & %# $ A.' ( # 0 ) $. $ A / $ 3

5 3. Contexto e Caracterização Geral do Agrupamento de Escolas 3.1 Contexto físico e social 1( H$ -., HC< 3-1(, 1( ) I.. H $ -; C- H, -% < 3 ; ( ( &1 $ - ( -" B B -0 - ( $, &0 0 $ A(. H$ 1 88* E& - 1! % H $ J ( E*'K ; 0 -H$ E*< K ; C $ - D6-G 0, &- F- & *G-*.& - $. $ - - $ # - # $ ( ( 88*-..# *D *- " 10 **-..# (.. L-* 3.2 Dimensão e condições físicas do Agrupamento A(. 1 $ 5. ) -* - ).# - ".# E*< K ; C -* I - : / ( $ - * )* # H )* # H 3 ( )0 3 B )* 1& )*..; I )*( &.$ -...$ " -.$, (.$ # (. & $ $.

6 Relatório de Avaliação Interna 2007/08 E*< K.-.# " E*'K ; 0. F-*. 9 * $ "..& * ". 0 AK )) 1M.-* 9 *... & ( 3.3 Caracterização da população discente A (. )FD-" DF-6" 1.$ B 1 " 3 ) 3 '0 " ) *L A.1/ *8 (. -. F ( 1 (.( ). /. & -. $ B.. $ - 1 (. DF8-0.( $ 5 ) ) D8?* *4? 4? *D4?C F? %! 4L " 0 (. 1* A I 0. << B $ I $ - ".#. $ (. ( - I & ( *88 * ** 4G *8 **8 8 *F8! **8 * Quadro II - Alunos apoiados pela Acção Social Escolar

7 3.4 Caracterização do Pessoal docente A. (. - : F8 -., 0 # & -. " 1 ( - ) 0 $ )( 5 N N O A ) )))) )))) * D * 4 * *8 ** F * *F Quadro III Situação profissional do pessoal docente no ano lectivo 2007/ Caracterização Pessoal não docente A. (..41 &- : F* - $ " 1, 0 # 9 &$ *. )0.( (.1 5 ) $ (. 5 *, 1 $ # $? D $?* (."?*D" # $?* /,?: /,?FAP )$ ;.HC< 3 5 # $?" #?F" # $ 1 4. Resultados Académicos 4.1 Resultados sociais da educação A., ( 3 ( - 0 -!. '=.!.,! & 11( 1.& # 0. 9 A 0. F- L 4..$ 1# " -. $

8 . &N H- ) ( * E. (.48- E-$ GFGL! " #$ %# & %# %# & %# & * 8'8 G'G ' 8'4 D'8 G'* L'F F8'G F'F ' '4 L' F 6'L 6'L L'L ' #$ %# & %# & %# & %# & D F'F8 F8'G D'F4 FF'FF L F4'F D*'F6 F'F* F4'F4 ' #$ %# & %# & %# & %# & G D8' L'D8 F'F* FD'F 6 D*'F F'D DG'D* FG'D 4 F8'L F'F L'* DL'F Quadro IV Sucesso Educativo (Total alunos / alunos que transitaram) H1 ) ( I $ - $ 0 13 $ & * E. ( ) 68 *88? E $ ) ( - 6L *88. I E- 0 :.$ -. ( 0 " -$ LL48. 0 $ # 1 # 9.$ 1# 7 ( ( ; & H-$ 1 ) $ 88L'88G (. 1 0 " ; & L :. ( (. % 4º Ano 6º Ano Língua Portuguesa 2006/07 () *, - () * % Matemática 2006/07 () *, - () * % Língua Portuguesa 2007/08 () *, - () * % Matemática 2007/08 () *, - () * % G 64-* L4 6* 4L-F 64-D 4L-F D-F G-D D4 4 4-F 6L 6*-6 Quadro V Níveis de Sucesso das Provas de Aferição (%)

9 A( &1 ( # Relatório de Avaliação Interna 2007/08 $ < $ 1# ; & F ; & L ,4 90,8 2006/ /08 Média Agrupamento Média Nacional , ,8 2006/ /08 = &1 *= &1 7 ( ( F $ < $ 1# 7 ( ( L ,4 89,1 89,5 2006/ /08 Média Agrupamento Média Nacional ".! ' " 93 93,4 85, / /08 = &1 = &1 F

10 /. " 4 88G'886- (. 1 ( 0 " - 1 #. < ) 1 # 9 " ( B ( B $ 1..$ - ; &. ( ( $.$ 2005/ / /2008 % Português Matemática Português Matemática Português Matemática Média Agrupamento 58,1 33,2 86,1 19, Média Nacional 54,6 36,2 86,3 27,2 84,9 57 Quadro VI Níveis de sucesso dos Exames do 9º ano (%) ".! ' " $ < " 4 7 ( (!/" /!/"!/'!!!/. () *, - () * % = &1 D $ < " 4 ; & ".! ' " ' ' / ' / / ". /! = &1 L () *, - () * %

11 5. Prestação do serviço educativo 5.1 Articulação e sequencialidade Relatório de Avaliação Interna 2007/08 1 $ - 1# 9. 1M.1* 0 ( 0 & -.3 # -., D. #.1F - 1# $ # $ & / )- $ ( ( ; & 1 E- # & H C < 3 $ $. # $. 4 (. - 0.(, / $ M 0 # $ -. 3 ( # / 9 4 -,. 5.2 Acompanhamento da prática lectiva em sala de aula 0 $ #.& (. ".# ( * E $ $.( 1# ; & - 9,. 1 0 # 0 I - $ $ $.,. # $ # ( :1 # ( I.( & A.1 & $ $ 0,.$ 1 -., &. 1 # 9 0 :.1 $ " # :. #. $ & & -$ 1 # I. # ( $ 0. 9 ( #

12 5.3 Diferenciação e apoios A I $. - $ 1 N H- *4F 0 ) 1 " #$ #$ ' #$ ) 6 F * F G F L 8 * L D D *G! ) G 6 F *4 Quadro VII - Número de alunos com necessidades educativas especiais B. $ $ $ 88G'86- ** -. 0 ( $ /.1. 0.,... 3 ( 0 : $ 0,.B ), ( #. ( 0, 0. # % # C. -. M ;.. 0 / # ;. 1 ) 9 -. &- ( 5, " $ - 3 ( -! 1.. $ # 1/ 0 #.( 1. / ( - E-.., :, " $ - 1. / ( -. ; & -7 ( ( - ( B -% B % )N -,.. $.- # 9-1., $ / - (.( J 1, (. <A # 9 / A * E, $ /.. - $ ( -.1 $.#.$ # 0, A ( 1. " 7 ( ( 7 )-. $ ( # 0 B...( B -, & - $ # 9 <0 Q

13 5.4 Abrangência do currículo e valorização dos saberes e da aprendizagem. M ;.- 1 * E- 5 % -0 B - ( B - ". % &C1 (.. $ ".# &C1 A ) -. M ;.- $ /. # ; - 1-.,. # $. B / -B B % )N -1..( -..&.( 3 ( $ ". A(.. $ $.B./ # ( 1# #.9 & 3 $ - 2 ; 3 $ R-..&...1/. $ - ( S ". ( * E K )) 1M - E0 1& $ 1 $ $ # ; N 3 $ 1 1 $ (. 1 %. - A. < 1& B # 9 %#! # # 9 <0 Q.9 C../ &$ & 1.3 " $ A(. $.: 0-0 ( $ 5 <I? T 0 F? E?!.? A1? % B? ( B? # $? ;?? :? S (? : 0 " C ) 7 L8)S,? K $?= 0. -$ I. <I 1 6. Organização e gestão escolar 6.1 Concepção, planeamento e desenvolvimento da actividade 3 ( (. 1 1 # : $ C( A. U ( = 1 # 9., ( 3 (, $ 1 # 0 # 3 ( ( $ $ ) ( (.

14 $ / 0-3 (. # (. - 0 # 3 ( A 3 ( ( 0 1.., -, & 0 # 1 # 9. $ - & ( 0 # #.0 " -, " $ -. - / #, 1.,, 1 # 9 : $ <( 1. -., " $ M. -. $ $ # A, ( 3 ( 3 ( & $ $.$ ( 1" A. $.. 0 : $ (,.: $. $ A1 0. (., " $ -. 0 $ , #.. 0 #.., A : (. ( / #. - ( # 9. &. - $ # 0 /.: 6.2 Gestão de recursos humanos Pessoal Docente " 0 # $ # 9 ( - B -..$ (., - ( 0 # # 9.. #.1.1 # 9 # 9..1$ 1. #.. #,.. $.. $ ' '.1 $ # $ - # $.1. ( - ". ( $ #

15 0 ".. ( #. -..$ / -., 1 # 9 (. - # 9 -., " $ (.., - 0 ( / # 1 $ # (., " 0. 1.B $ $. ( 1B 0 0, J ( 5 & " :1. #.8 7 $ " 0 88F)8D D8L L)8G 8-6 Quadro VIII Taxa de absentismo (%) " 0 0 " ) ( B $ I 0 -$ 1 ) I..1 - $ I Tipo de faltas 8F'8D 8D'8L 8L'8G %..1 LF G 64 % :1 ))))) )))))) *.1 F F4 L8 Quadro IX Número de faltas do pessoal docente A $ 0 - " (.. $ 1B.1-0 # -.# B $ 1 $ 0 #

16 6.2.2 Pessoal Não Docente.3 & -.1 &- )1. $ -, ).,. 1 $ $ & $ # - $ ( 1# 0 $ - E0 - C.( 1-. E1-0. $ #.$ -0 $ ( 1# ( #. -..$ /., 1 # 9 ( $ ( A".,.. $ (. $., 1$ # #! & " # $ Quadro X Número de faltas do pessoal docente A I 1 & (. 1 $ $ $ & $ # - & 0 1 # 9 -" ( 1#. $ # :( 11 & $ $ ( M.# -. - :.# <. &$. $ &$ # -. $. 1# )0 # 1 1 # 9 -..$ -.1$ # $..1 # 9 0, 1 & 0.9 " # 1 ( " 11.#.(./ " 0 0 0, 1 & ( ( 1- #. ( " -. )$ &( Tipo de faltas 8F'8D 8D'8L 8L'8G %..1 *L *8 *-D % :1 ))))) )))))) ))))) * 2 6 L A1 & $ $ 0,.$ - )..- ( ) - B 1 &- $ 0 :0 " A0, 1 &, $ / -1 $.

17 ! ( 1# F $ 1 & 1 & # 9 1#.. 1 # ( " U ( = " N ( (.0-0.., " $. &.# ".0 # - ( 1 / - $ 1! ( - ).. ( Serviços Administrativos # 9 <. 0.# <$ # $ - ( 0 -., & $ $ A 1 1 & $ # $. 0 /.&. 1 - & -. << $ # # 0 ". A 1 & $. 0 # 9 0, &., 1 # 9-0. A, 1 <$ # $ ). # : $.0 : 0 ( $.$ / # $ 1 & 0 $ $ $ - $ ( # 1# 9 &.0 -. # 9 :- 1/ 0 # $ 1, &)! 1 ),. ". ( ( / # 1 # Gestão de recursos materiais # 9 -.#. - $ # 0 - ".. # -..# # - ( # 0 # B 1 $ & $ # ( B B A!..

18 . ( (. " ( B $ # A.# " ' 1 0. # 9 <. 0.# E0 'C & 1., -.# - $, $.# $.# 1 $ I 0,.1. # 9 ( / 1 A , *. 1( C$, 3 - * 2 * 4 *, 5 24 (. - ) ( * 8 * 9 ) 1 B.#.0,.1? )%.# $. ( #? )!. 1& 1? )1. 1& 1 0? )C 0 1? ) A # 9 * # 9 ) A.# 13 1? )&0 10.? )& $ $ " /? ) % )1( ( 1, " $ #? )% # 9../? )A0 & ( &. 1.$? )(.. 1? )%0, " ( $ 3 )A 0 E*; 0. # 9 &. #, $.# 1 ( -. &(.$ &0

19 1?.&$ $, 1.$ 11? )%." : E*; 0-1 1$? )* 1? )! 1 # 9 I E*; 0? ) # ,? )<0 #.$, 0, -$ / " &. 1./? )% 0,.1? )%& -" " -( # -(. ) # -, - - ) ) 0 1? )%. ". &../.3 " 0,? )% 0? )%$ # ". &? )%&.( " -$ - : * - * 2; )J ( 0,., & " < : )A 0. # 9 &. # -.(, $ $? ) ". ( B $ # *. ) 1 /? )%&? )% #.../? )% ( 3 I? )%1 & / # 0 $ & # - 1, $.0 B (

20 6.4 Gestão dos recursos financeiros Relatório de Avaliação Interna 2007/08 Orçamento Estado Orçamento com compensação em receita , , , , , ,47 Quadro XI Orçamento do Estado A A# $ # 0 R B B 1.1# $ 0 1 1B, 0 I M -(. ( ( ( $ 0.3. B., $ #. A (...:. (. 1 5 = 0 V - -B H$ -<I - -;!. 0 0 (.1.., ( A# &,, $ 0 ( # 1. $ -(..1 $ # $ " 0 - # 1-.$ / 0 / # $ Ligação à comunidade 7.1 Articulação e participação dos pais e Encarregados de Educação na vida escolar ( $ ( $ ( # $ - 1$ - $ $ - $ I - " - # A..# ( # 9 ' 13-0 : 3 ( 9 -., & -. $ &&. -( $ # -.(. / (

21 @ M # 0, " B 1 (. -$.0 1# 9 $ -, - ). ( # 1 # ( 9 $ ( $ $ $ J 0. 0 #..0 :! $ $ & #. ) * E- ' ( #..1 $ $ - E$ 1 ) $ $ A. 0 /. ( # - 1# 9 $. $ - -..$,.$ ( # - ) 1" $ 0, & $ $ B ( #. 11 / B ( # (. $ " #, ( 3 (, = -.$ 9 ( # 7.2 Parcerias, protocolos e projectos A (. 0 # 9 -.,,.&,. 0 : $ -1 ) (.., " $, 1 = 6. 3 ( ( ( $ -. ( # ; # 1$ 0 / (., " $. $ $. $ $ -.. ;.HC< 3 -K %( H$ - <I H C < 3 - % # C- I ; 3 ( < C- #!.$ E" = -! # C( # ( $ - E0 ;. H C < 3 - W $ ( $ - = C <( - C E0 E" = -< C $ - # 2; R- # ( # H$

22 8. Clima e ambiente educativos 8.1 Comportamento e disciplina A.: $ $ / $ $.B A (. 1# $ - ( * 0, 5 = ( * * *, 6E ( *. 6E!.. ( D. 1 0 $ 4E 1 C. 6 ( V *. GE 1V C. ( D 1 C. LE ( V *. LE ( V. 6E ( *. 6E ( *. D 1( *. D 1( *. L 1( *.! L 13 C. ( L ( $ 0 *. L %. *...$ LE..$ *. 6..$ C. ( 6..$ *. 6..$ *. 6..$ *. 6..$ F. 6 D. X 7 8'888! / 0 Quadro XII Procedimentos Disciplinares # 9.. $ 1 (. C( - (. $ $ # $ ( )&( 1-

23 ! 0 -( -, " $ -.. # / # # $ $ Y & 0-1 &-. #. $ I 1 $, # 8.2 Assiduidade dos discentes (.. ) 0 - $ ) # ( # $ / I." 1 I Ano lectivo Nível de escolaridade Nº Alunos 2005/ /07 9º ano /08 7º ano 1 8º ano 3 Quadro XIII O número de alunos excluídos por excesso de faltas. 0 1# $ $.., " $ :. $ ( # - 1.$ $ " Motivação e empenho $ $ $ ) $.#, 0.. $!, : 1# 9 I -, &- & -, &$ # D $.! 1/ $.# - ), 0 1, 1$. ). -, 0 -) -/ $ ) $.# $ $ B -. $ / -., ( # * -.1&, ( ( $ ).. $. -( -. $ (. A - - ( / )( ( A 1. ( $, 1 -.: 0 $ 1# 1

24 $ - -. I $ ".. 9 < ) 10, 8.4 Participação e desenvolvimento cívico A ) $ $.. / ( - ( $. $ $ ( $ - $ 0 - %# $,.. %# $ 1.#.$ ( $ ( # C( -$ 0.0 ( A.1- $ / #.: " C ) 7 L8 ) S,.,. -, 3....$ # 0 9. Liderança 9.1 Visão e estratégia A: $ 1B ".,. $ $ $ $ 88L' #... & " " -1 #.( # $ / - ).. " / # ( $ ) # 0 : $ ( ( &.& 1 1( 5 5 :, #. $. 1 $ $ E5 & 1 - M : $. $ $ - ( $ $ 5! & $. $.

25 ! 5" # 1) $ $..# $ &( " $ $ 9.2 Motivação e empenho # 9. (. -.".$./ - #.,, " $.$., $ # ( 0.1. A " B # ( - $..# $ )..,.(. M 1- " 0 0 0,! ( -.1. )., 1 $ $ - 0,,. $ (. B 0 ( 1-$ / & 1B ( Considerações finais. )(. 11 (. 0 2 > )A0.? )A.,.1? )C/ " 0.? )E 0,? ) ( -$ $.$..1 #? )A $ $.. $ &? ) " 0 1*? )< $? ) " B $ B? )E $ # ( -, ( ( # # 9? )E.,.? ) 1#. 0 $.&(? ) 1 B $ &$ #. E0 -C.( 1.-E1?

26 )% ( 1,? ) 1 ( / #? Relatório de Avaliação Interna 2007/08 ) " B. )$ # - 1B? 0 2 > )B.# 1? ).# 1 1. I - $ $? );, $ - $ 1 #."? )%" # $? )%3? )%& 1&? ) $ $ ( # $?.9 )( - * * 0 : $, 1 & 5 )J (. $ # 9.# 1? ) # & 1&? )C( / #! 1 &)1 :.#.$ ( #? ) 1/ # # -.( $ #? )<0 $.# E 'C # 9? )( /. ( &? ).. 0 ".1? );, $ - $ 1 #."? ) $ - : #.- $ $ ( # -. E? ) 1.# ( &-.# 0, 3? ) 1# 0 &"! " # 0,.& $ &# 9.0. # , &? 0.# 1 $, # 9 1# ; & * E- 9 # 9,.( 3 (

27 " #.: $ 1 -. ) $ $ ( , -0 ( :&0

28 ( Z

29 11. Bibliografia 7 O -H88)$ # 5 # 9 < $ (. H$ -88G'86 : (. H$ 886)8** : $ (. H$ 88L)884 C( 88L)884 7 *'88-8! / 0 S S S ( ). S S S (.( $.

30 12. Anexos

31 %? 5*D 7 ( 5<)< < % %< %) %< <0 *, # C( D8 F *D = L * G < )(., G6 * *8 F 1 1 G *L * D A! ( :$ 1 FL F * L A.1. $.$.0 '( 9 LG *8 G A! ( 6L D *8 6 A, " $ &.0 G * 4 A ( $. $ $ ( $ LF * F *8 A : $. 6 *8 G ** $.11 $ # 4* L * ( 0.0 LD * *F * A.1B.. # ( ( L8 *L F *F 1 &, 1 # 9 FG 8 *D A1 &)$. 1 F* G *L A.1)$. 1 L4 *8 * *G A.1I ).. 0 $ $ $ F L D *6 # 1 1 / L* * *6 *4 $ /, 0, - $ $ LD * 8 10 $ " ) - 50!. G6 *D G * 1 $ " ) FL G G A$ # /. DL 6 *L. 0 / $ - 1&. G *6 *8 ). / ( A.1/ $ ( 1# # - F 6D *8 L. / ( 3 D " D6 F G L $ / 1-0 DG * G A.1$.( 1.,.. / ( G *D * 6,. $ ( 1# #.$. / ( L8 *F L 4.$ 1# 0 $ DF *G 4

32 7 ( 5<)< %) %< <0 < % %< 8 $ $.: $ && FL * * #. D F *F A..&.&$ DD F ** A.1 : L F *F F A.1. G 4 *6 D 1 ( / # DL F 8 L... 1 L* *L G A! 0 ( # 6 G *8 6 A.1 $ $ $., & D6 *G L 4 H 1 B.&( 6 LL L F8,.M..1$ F* 8 4 F* $ $.: # 0 1B D6 *F G F A.(.. L8 * *4 F A, & 0 $. LL ** FF A.1. L G *8 FD. (./. DF *4 L FL < - -. I $ ".. 9 L* D *F FG A!.$..# ' ( #. ). / ( L L F6 A.1 $ $ # /.# G8 *6 * F4 1$ $ $ B & $ D8 6 D8.. D F D*...$ # 0 GF *F D $ 1 :# 1.( 3 ( FL L 6 D A.1 ) # 9 0 DG *8 DF A.1 ), &0 0, 3 L* F *D DD A.1/ $ ' ( 1$..#. ). / ( L8 *6 DL 10 $ / G8 *4 *8 DG =, 6F *8 L D6 < ) ( 6D ** F D4 1.. G8 *6 * L8. $ $ DD * L* 1 DD L 4 L 1 E0 GF *6 6 L 1 C.( 1 LL ** LF 1. L 8 G LD 1 $ # 0 1 G *D * LL 1 $ # F D LG 1 # 9 D6 *6 L6 1 # L4 *6 *F L4 1.# " ' D4 * *8 G8 # 9 0 $ # -, ( ( # F F* *G G* 0. $ # -, ( ( # # 9 G6 *F 6 G.. )0 0 0, L *G

33 %? 5GL 7 ( 5<)< < % %< %) %< <0 *, # C( G D = 6L * < )(., 6F ** D F 1 1 4* G D A! ( :$ 1 L L * L A.1. $.$.0 '( G A! ( 4* D F 6 A, " $ &.0 L 8 *G 4 A ( $. $ $ ( $ G 8 *6 *8 A : $. 6 G * ** $.11 $ # 66 * ** * ( 0.0 GL *L 6 * A.1B.. # ( ( LG *F *6 *F 1 &, 1 # 9 DG * *D A1 &)$. 1 D* 8 4 *L A.1)$. 1 GL F 8 *G A.1I ).. 0 $ $ $ L D *6 # 1 1 / D4 *6 *4 $ /, 0, - $ $ GF 6 * $ " ) - 50!. 64 ** 8 * 1 $ " ) G6 4 * A$ # /. G8 4 *. 0 / $ - 1&. ). / ( G 6 8 A.1/ $ ( 1# # - F. / ( 3 L *6 *6 D " G6 *F 6 L $ / 1-0 G6 D *G G A.1$.( 1.,.. / ( G4 * 8 6,. $ ( 1# #.$. / ( L *G * 4.$ 1# 0 $ D * L

34 7 ( 5<)< % %< <0 < % %< 8 $ $.: $ && G4 G *F * #. L* 6 * A..&.&$ DG * A.1 : 6F 4 G F A D 1 ( / # L *G 8 L... 1 G6 G *L G A! 0 ( # 4G 8 6 A.1 $ $ $., & L* H 1 B.&( F4 6 * F8,.M..1$ D FD F* $ $.: # 0 1B L 4 4 F A.(.. G6 4 * F A, & 0 $. D4 * 8 FF A.1. LG F 4 FD. (./. G G * FL < - -. I $ ".. 9 G6 *F 6 FG A!.$..# ' ( #. ). / ( GL 4 * F6 A.1 $ $ # /.# 6 F *F F4 1$ $ $ B & $ D4 *G F D8.. G8 *F *L D*...$ # 0 G4 ** ** D $ 1 :# 1.( 3 ( LF 6 6 D A.1 ) # G D DF A.1 ), &0 0, 3 G G * DD A.1/ $ ' ( 1$..#. ). / ( 6 F * DL 10 $ / 66 G D DG =, 66 ** * D6 < ) ( 66 6 F D * G L8. $ $ G * *F L* 1 G6 *L G L 1 E0 4L * L 1 C.( 1 4G * * LF 1. 6G * * LD 1 $ # 0 1 GF F LL 1 $ # L *L LG 1 # 9 L* *6 * L6 1 # G* *6 ** L4 1.# " ' G8 6 G8 # 9 0 $ # -, ( ( # D8 L F G* 0. $ # -, ( ( # # 9 G4 *F G G.. )0 0 0, G* *L *

35 %?! 5*D" # $ * <)< 1 %) <<1 %< <0 E (; E = 5 ( " A B $ C D? A $ < % %< < 2 5, # C( LG G G, # : $ L8 G A =.$. 1"... 0 $ $ $ 1 &) F8 ( B 1. 9 ( 9. = F8 8 F8 8 8., ) $ G 8 * % # $ - - $ 3-9 G 8 G A= $ ( 1# 9 L8 8 F8 < ).. ( * < )..! * < ).. * # 0, * G 0 # 0, # G * A0,, $ /.= G G 8, B $ -.1 ( * # ( / # 1 : D * 1, " $. $ $ #., 1 LG 8 8 * 8 1 =. $ $ #., 1 G 8 8 G 8 <.. # 9 1#.:.( 1 -. $ #., G FG G. # 9 1#. / #,, & $ # # 9 1# 1 ),., D G 8 # 9 1# 1 G LG G A, " $.$..#! 1# 9 I -( # 0 L8 8 8 A0,. &.,, 1 # 9 * A! &1/ $.1.$ B ) &0, 4 8 G A = ). # :.0 ( 6G 8 * L, " $ $! F8 G G = $! L8 * G 6 A, " $ 1/ 0 (.# LG * 8 < (

36 7 ( 5<)< 1 %) <<1 %< <0 E Relatório de Avaliação Interna 2007/08 (; E < % %< = <1# < E ; E 4 A!, 1 # 9. $ 1 * A, " $ * A, " $ M 68 G * A, " $ # 1 # LG 8 * A= # 1 # G G 8 F A= $.. -$ 0 4 G 8 D A, " $,. $ ( 1# D *.$. / ( / #.! L A<$ # $ / $ (.., D G F8. # ( G # 9 0, * 8 F8 F8 G 6.$.$ # 0 6G 8 * 4 (.$ FG G FG F8 A 0,,. $! - - # - G G LG F* 1 $ #., 1 G * F8 8 8 F A1 && $ $ 0,.$ 68 * G F A, & L8 G * $ FF 0 # ( / # 0, 8 G D 8 8 FD.# " ' 8 G G FG 8 FL <! G F8 F8 * 8 FG $ # -, ( ( # # * LG 8 F6 # G F8 * F4 A$ # G L8 * D8 # 9 8 * FG G D* A$ # 8 G D G * D $ / 1 4 G 8 D 0 0, G G 8

37 %?! 5D% & $ * > <)< 1 %) <<1 %< <0 E (; E = 5, 1<$ # < B C? < (%< B? < < % < 2 5, # C( , # : $ L8 F8 8 A=.$. 1"... 0 $ $ $ 1 &) 8 *88 ( B 1. 9 ( 9.= L , ) $ % # $ - - $ *88 8 A= $ ( 1# L8 < ).. ( F8 8 L8 < )..! * < ) # 0, L8 0 # 0, # L8 A0,, $ /.= 8 8 L8, B $ -.1 ( * # ( / # 1 : F8 8 L8 1, " $. $ $ #., =. $ $ #., 1 * <.. # 9 1#.:.( 1 -. $ # ,. # 9 1#. / #,, & $ # # 9 1# 1 ),., # 9 1# 1 8 *88 8 A, " $.$..#! 1# 9 I -( # A0,. &.,, 1 # 9 * A! & 1/ $.1.$ B ) &0, F8 8 L8 A = ). # :.0 ( L, " $ $! 8 8 L8 G = $! 8 8 L8 6 A, " $ 1/ 0 (.# F8 8 L8 < (

38 = 7 ( 5<)< 1 <1# %) <<1 %< <0 E < E ; E (; E < % %< 4 A!, 1 # 9. $ 1 * A, " $. F8 8 L8 * A, " $ M * A, " $ # 1 # F8 8 L8 A= # 1 # F A= $.. -$ D A, " $,. $ ( 1# F8 8 L8.$. / ( / #.! L A<$ # $ / $ (.., * # ( G # 9 0, 8 8 F8 L8 8 6.$.$ # (.$ 8 8 L8 F8 A 0,,. $! - - # F* 1 $ #., 1 L F A1 && $ $ 0,.$ F A, & $ FF 0 # ( / # 0, FD.# " ' *88 8 FL <! FG $ # -, ( ( # # F6 # F4 A$ # F8 L8 8 D8 # * D* A$ # L8 8 D $ / 1 * D 0 0, 8 8 L8 8 8 %?!

39 <)< 1 %) <<1 %< <0 E (; E < % %< = <1# < E ; E *, # C(.!, # : $ A, " $ - 0 # 0, - #! " ' #..1 F A, " $ - #, ( 3 ( - 0 #, &-1/.$ B $ " ' D A, " $ (!.1.B ( - # - # -.- L A, " $ $.$ 1 :.1! ',., G A, " $. $ ( $ 1$ -.!... ' 0 6 A, " $. $.1 / - - $ 10, $ (,.. / (! 4 A, " $ - #, ( 3 ( - /!! " 1#.. *8 A, " $, $ / 0,.1 "! ** A, " $ ). # :.0 " ( * A, " $.. -# 9 " ' * A, " $ - # 1 # $ *F A, " $.$ $ #! *D A, " $, & " $ *L A, " $.. *G A, " $ M! " *6 A, " $ 1 & *4 A, " $ $ $ # - 8 A, " $. 9 * A, " $ $.1 1 ' # 9! / #, 1 -. $ & < &! '., 1 # 9.$ $ &I -( # -.$ #.3. 0 F.9 $ - I 1 -.., 1 # 9 D. $.,., $, " '! ' [ L 0 # 9 " ' G A!.$ 10,.$.1.! 6, &0 # ( #! 4. $ 1#. $ $! ".B.. 8! $ $ 0,.$ - ( ( & * W / ( 1# #.( 3 ( "

40 $ $..1 $ / 1-0 " 6 <)< 1 %) <<1 %< <0 E (; E < < = <1# < E ; E % # $ - - $ F6 F.&( 8 8 LF *L D 1 ( / # " L ,! G (.$! 6 "! ' 4 A!..$ 0,.$.1 (!. - ( / # / #! & F8 A!..1$ 0, /.! F* A!. /.# 1" $ ' F A!. 1.1!. 0 # 9, ( 3 (.! F A!.. 1# "..!. FF A!. $.1.. $ 1# $.$! FD A!..$ & # 9.& FL A!.. 0.1!. / #! " FG A!.!. $ ( / / " F6 A!. $ &&.!. $ /! " F4 A 0 3.,. 1 ). / ( " D8 E0 ' C 1 ' D* E0 'C &-( -1.,! ' D A, &E0 ' D A, & $ ' DF A<$ # $! ' ' DD.# " ' " DL $ #, ( # 9! " DG <1! " D6 <! 5. 1&! 0.# 0, ' 7 ( # " D4 # ' '! L8 0 1 " L* # 9 ' L L E0 "! LF C.( 1 '! LD.!! LL 1# 9 $ " "!! LG A.. $ 0 1!! L6 < ).. ( " L4 < )..! " G8 < ).. "

41 %? ' ( # ) )L 7 ( 5<)< 1 %) <<1 %< <0 E (; E *, # : $ DF D *, # C( FL FL 6, # $ D F F A S N N < 2 5 < ( 6 F D D *4 D ( #., 8 D8 * *D L.# ( # # 8 L *D 8 G < ' - 0.( 66 * A 1 ' ' ( #, & A, & 1' 6D 6 6 *8 A1' 1" $, & D 6 6 ** <..1' 11 / B 4 F F * A ' ( # $.. $ 66 F 6 * < )..1 6D F * *F < )..% & *D, # $.. 1# 9-1/ # 9 L4 G F *L (. $ $ *G,, " B.. 3 (.. (.. K %( H$ LD * F *6 A. $ 0.,.. / ( 6* * 6 *4, 1'( D6 G *D 8 10 F 6 *4 * * F * 8 A. 1. $ -7 (. ( DF 6 * 6 8 A$ #. E0 -C.( 1-. D * D * 6 F A$ # 6 *4 D6 *D 8 D A.# " ' 8 DF D * 8 L A ' ( # $.. # : $ G A1' - -, &0 0, 3 6.$ - (.. / ( L *D GG * * 66 6 F

42 4. $ # 8, & (.$ ' ( # 7 ( 5<)< 1 %) <<1 %< <0 E (; E Relatório de Avaliação Interna 2007/08 S G 6 *4 L N G * < 2 5 < ( * 0 # 1' 1.$ * F D8 *D 8 " $.. F G F F. $ # -, ( ( # # 9 8 G DF *4 8 F A% & )11 / B D A$ # 0 / 0. LD * L A *D 6 D8 *D * G A < *4 F D6 *D F 6 A, & < G * *D 4 A$ # < B # 9. 0.# LD *4 *D F8 A % &, 0.I 0. - " # $ - $ ( - 1 & L *D. 1 F* $ 3 ' ( # 1 B - # * , F A ' ( # $. 1 4L 8 F F 1. 9 ' ( # # F 6 * F FF, 1 # 1 4L 8 F FD, 1 # % & 4L 8 F FL FG (....$ # 0 A 1 ( $ :# 1.( 3 ( A B $ 0 1# 9 F6, /. $. ' ( # F4 C# * DF * D 66 6 F 8 6 *4 D6 *D D* # ' ( # F F G D6 6 D # 6 6 G F D H1 ( *88 8 DF. $ $ LD D DD %#. # * 66 DL.# 9 # D8 D8

43 DG., $ 1 ( 0, Relatório de Avaliação Interna 2007/08 D6.# 9 ' ( # -. $ 4 6 D4, #.( G G %? ' ( # * ) )D8 7 ( 5<)< 1 %) < <1 %< <0 E ( ; E *, # : $ DF 6 6, # C( L 6 *8, # $ GF F F A 6D S *D N < 2 5 < ( 8 8 LL * D ( #., 8 *8 F8 F8 *8 L.# ( # # " *8 6 DF G < ' - 0 4F L 8.( 1 6 A1' ' ( # 46 8, & 4 A, & 1' 4F L 8 *8 A 1 ' 1" $, & ** <..1' 11 / B 4F 8 L * A ' ( # $.. LF 8 L $ * < ) *F < )..% & 4 F F *D, # $.. 1# 9-1/ # 9 *L (. $ $ ,, " B.. 3 (. *G. (.. K %( H $ A. $ 0.,.. / ( *6 6F * 6 F 6L 6 L 66 * 8 66 *8 *4, 1'( DL 6 L L8 *6 * 6 *F F

44 A. 1. $ - 7 (. ( Relatório de Avaliação Interna 2007/08 6 L 6 L A$ #. E0 -C.( F8 * F A$ # *L * 8 F8 * D A.# " ' L L L8 *6 *8 L A ' ( # $.. # : $ G A 1 ' - -, &0 0, 3 6.$ - (.. / ( 4. $ # 8, & (.$ ' ( # 7 ( 5<)< 1 %) < <1 %< <0 E ( ; E * 0 # 1' 1.$ " $.. D L 48 F L 4 L 4 L 6L 6 S N L < 2 5 < ( L 8 L *8 6 8 D8 *F 6. $ # -, ( ( # # 9 F L F F *F F A% & )11 / B 4F F D A$ # 0 / 0. 6F F * L A F L F8 L *F G A < 8 6 F8 F8 * 6 A, & < 4 L 4 A$ # < B # 9. 0.# 48 F L F8 A % &, 0.I 0. - " # $ - $ ( - 1 & 66 L L. 1 F* $ 3 ' ( # 1 B - # 4L F 8 -, F A ' ( # $. 1 4L F 1. 9 ' ( # # 6 *6 F8 8 F FF, 1 # 1 4L 8 F FD, 1 # % & 48 6

45 FL FG (....$ # 0 A 1 ( $ :# 1.( 3 ( A B $ 0 1# 9 F6, /. $. ' ( # F4 C# 1 Relatório de Avaliação Interna 2007/ DL * * *8 DF L D* # ' ( # 8 F 6 D6 *8 D # 8 *8 6 F 6 D H1 ( 4L F DF. $ $ F D6 DD %#. # F GL DL.# 9 # D8 D8 DG., $ 1 ( 0, *88 8 D6.# 9 ' ( # -. $ 4 6 D4, #.( 48 *8 %? ' ( # ) )D* <)< 1 %) < <1 %< <0 E ( ; E *, # : $ DD D *8 S N NS, # C( G* *6 *, # $ D4 D L F < 2 5 < ( 4 FG *8 D ( #., L FG * L.# ( # # " F * G 4 G < 1-..! L F.( 1 6 A! ' ( # *88 8 8, & 4 A, &! 66 * 8 *8 A! 1" $, & *L ** <..! 11 / B 46 8

46 * A ' ( # $.. $ G* *6 * * < )..1 6F *F *F < )..% & 46 8 *D, # $.. 1# 9-1/ # 9 6 L * *L (. $ $ L L 6 *G.$ 1# 0 $ FD 6 FG *6 *4,, " B.. 3 (.. (.. K %( H $ A. $ 0.,.. / ( GL *8 *F 4 F F 8, 1'( D4 6 * 1 0 $ " ) - 5 G6 *6 F 0!. $ " ) G 6 4 *6 6 A. 1. $ - 7 (. ( - F A$ #. E0 -C.( 1-. F *6 * *F F 8 4 DG *8 D A$ # *F F D G *8 L A$ # E1 *8 6 G FG 6 G A.# " ' F D D* 6 6 A ' ( # $.. # : $ 4 A1 - -, &0 0, 3 8.$ - (.. / ( *. $ # <)< 1 %) < <1 %< <0 E ( ; E 0 #! 1. $ " $... " " '! "!! "! " S N < 2 5 < ( L 8 FD G *L *L 4 G * F $ # -, ( ( # # 9 L * D F *F D A% & )11 / B 4F F L A$ # 0 / 0. 6F *8 L G A 8 *8 4 D* *8

47 6 A < * L * 4 * 4 A, & < 66 *8 F8 A$ # < B # 9. 0.# 68 *F L F* A % &, 0.I 0. - " # $ - $ ( - 1 & $ 3 ' ( # F 1 B - # 48 *8 8 -, F, & (.$ ' ( # L4 *6 *F FF A ' ( # 4 L FD 1. 9 ' ( # # *F *8 F G L FL, 1 # 1 66 *8 FG, 1 # % & 6 6 *8 F6 F4 (....$ # 0 A 1 ( $ :# 1.( 3 ( A B $ 0 1# 9 D8, /. $. ' ( # D* C# 1 6F 6 6 D4 *6 F * L F DG * D # ' ( # 8 * D DD 6 D # * 6 F D * DF H1 ( 48 *8 DD. $ $ 4 L* DL %#. # * 66 DG.# 9 # D4 F* D6., $ 1 ( 0, D4.# 9 ' ( # -. $, #.(. L8 %? ' ( # ) )D* 46 6F 6L *L *F

48 <)< 1 %) < <1 %< <0 E ( Relatório de Avaliação Interna 2007/08 ; E *, # : $ D8 F* 4, # C( G8 G, # $ LL F A S N < 2 5 < ( 8 G F D G D ( #., 8 G F6 F L.# ( # # " 8 4 DD 8 G < 1-..! ( 1 6 A! ' ( # *88 8 8, & 4 A, &! 6L *F 8 *8 A! 1" $, & L ** ** <..! 11 / B 4* G * A ' ( # $.. $ DD F ** * < )..1 4* D D *F < )..% & 4 D *D, # $.. 1# 9-1/ # 9 6 G ** *L (. $ $ L6 4 *G.$ 1# 0 $ DG 8 F *6 *4,, " B.. 3 (.. (.. K %( H $ A. $ 0.,.. / ( 6 ** G 64 D G 8, 1'( LF 8 G * 1 0 $ " ) - 5 L6 4 0!. $ " ) *6 4 DD *F D A. 1. $ - 7 (. ( - F A$ #. E0 -C.( 1-. *F D F6 G G D *F F* 4 D A$ # 4 *L FD G L A$ # E1 ** G FD D G A.# " ' ** D8 D

49 6 A ' ( # $.. # : $ 4 A1 - -, &0 0, 3 8.$ - (.. / ( *. $ # <)< 1 %) < <1 %< <0 E ( ; E 0 #! 1. $ " $... Relatório de Avaliação Interna 2007/08 L L G G G 8 G G 8 GD ** *F S N < 2 5 < ( *L F *L *6 *6 F* *6 D F $ # -, ( ( # # 9 ** 4 F* F D D A% & )11 / B 4 D L A$ # 0 / 0. 6L ** G A 8 ** G F G 6 A < G G D8 D 4 A, & < 64 G D F8 A$ # < B # 9. 0.# 68 ** 4 F* A % &, 0.I 0. - " # $ - $ ( - 1 & GD *F **. 1 $ 3 ' ( # F 1 B - # 4 D -, F, & (.$ ' ( # G ** *L FF A ' ( # 4* 8 4 FD 1. 9 ' ( # # 8 4 F6 *L G FL, 1 # 1 64 D G FG, 1 # % & 64 D G F6 F4 D8 (....$ # 0 A 1 ( $ :# 1.( 3 ( A B $ 0 1# 9, /. $. ' ( # GG G *L F6 ** F* *88 8 8

50 D* C# 1 Relatório de Avaliação Interna 2007/08 ** L L *F D # ' ( # 4 FD 4 D D # ** G F* 4 DF H1 ( 4* 4 DD. $ $ 4 L* DL %#. # *6 6 DG.# 9 # D8 D8 D6., $ 1 ( 0, D4.# 9 ' ( # -. $, #.(. L8 46 4D D 4* 4 %? 1 $ ( "! " "# $ " %" & " & ' ( ) * " # #,%* -, #. / # $ 0 #1 # %

51 5! " 6, 3 $ %# 7! # %)8% 9 : $ ) ;! # <! = % ( < # >! $# ' / & % & :% $ #8 < A # B %! % & * 3 $ % :%%# 0 <? # 2 4 C # 3 %% $!A 8 < D ) =C$E %>< ) & $! A 9 & % (; A 8'> = (,> = (( * % %> = (- )8%

52 (/ ( 0 ) ( 2 ) %? 1 $ ) '* * = ' \ < ) ( -., -( \ $ 1/ )( $ 1/ \. $ $ $ \ : # 0 \ F K \ A:, $ \ D 1 0 \! $ $ $., & \ L, ] : \ 8" # 9 G ; 1 \ ( \ 6 W / \ \ H.&( \ 4 $ " ) 5 1/ \ = \ *8 1.) 1 \! $ $ #.# / A 1 ) 0 \ A.1. $. $.0 ( 9. ** )0.1 &< #.\ <.& -.&$ \ * A.' #.11 &\ *.( \ *F. \. ( \ A.1 :\ *D / $ # 1.E0 (. 8" #$ 9 *L..) ( #. 1, \ *G A.1. *6 = 1 \ *4 A$ # 0 ( / -B 0 \ 8" # 9 8 A :) 1 -. \ 8" # 9E $ 0 $ 1/ \ * A 1/ C \, $ \ = 1/ 'H\

53 %? 1, " $ *N $ ) B 0 # '0 # 0, < $ &3 (.( 3 ( **<#. \ A. \ $ ) / ( # * - 6 B F $ / 0, 1..1! 1\ F6?, * - * 3 F - / \ 1 # $ \ 1\.\ \! 1 # \ C.\ F*C# * 2 $ &.)( $ $ 1 F G # 9 $ ) DA. 0 0, ".! ( D*$ 2 - * H *.1-,., \ N \ L B -, I * - * * 9 \ G.) ". $ 1#. - \ * * - 6 * 5 C.. \ J $ -..I \ 6 # 9 - $ *- \ ^..# \ 6?, 0 4 *,, 5 - * 0 $ \ Y & 1 #. \ 0. \ 6FA.. $.. $ \ 4C,.M * 2-5 $. / ( / # \!! *8 0 5 I - -.,,.&, **A-. 0 /..1%.. <( -,.. *AF $ $ \ K &. 1, & \ *! 1) * 2 * J 5 * 0 H * \ $ \ *F ( # ( *D ( # *L 5 * - > A. 0 1, \

54 ) 1/ # 1# )0 ( 0, *GA./ #.# \ = &\ Relatório de Avaliação Interna 2007/08 *6$ * * *.1\ N. B $ ( / # $ (. *40 50 % #, #.. *. ) 8A0 % " 1 1 & *! 1 # ), $.,.- -., $ # C# - ) *, \ %/ (.\ F0. 1 * * * D / 2 - $ & 3 ( (. L). $.,. F - F." B N \ ].# , - -, G?, 5..$ '1 \. ( $ '1 # 9 1 \

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS I Os cinco domínios 1. Resultados 2. Prestação do serviço educativo 3. Organização e gestão escolar 4. Liderança 5. Capacidade de auto-regulação

Leia mais

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE DEPARTAMENTO DA QUALIDADE PLANO DE MELHORIA ESA 2013-2016 Objetivos gerais do Plano de Melhoria 1. Promover o sucesso educativo e melhorar a sua qualidade 2. Melhorar os processos e resultados pedagógicos

Leia mais

Auto-avaliação do Agrupamento - Principais resultados

Auto-avaliação do Agrupamento - Principais resultados Auto-avaliação do Agrupamento - Principais resultados Equipa de autoavaliação Julieta Martins Adília Rodrigues (coords.) Conselho Geral, 17setembro 2013 Agrupamento Vertical de Escolas Ordem de Santiago

Leia mais

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Liderança 1.1 1.2 1.3 1.4 1. As decisões tomadas pelo Conselho Pedagógico, pela Direção e pelo Conselho Geral são disponibilizadas atempadamente. 2. Os vários

Leia mais

Escola Secundária Ibn Mucana. Resultados da implementação da CAF

Escola Secundária Ibn Mucana. Resultados da implementação da CAF Escola Secundária Ibn Mucana Resultados da implementação da CAF Fases do Projecto 2 3 Fases do Projecto 1. Constituição da equipa de auto-avaliação 2. Explicação do modelo à equipa auto-avaliação 3. Elaboração

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE MURÇA EB 2,3/S DE MURÇA

AGRUPAMENTO VERTICAL DE MURÇA EB 2,3/S DE MURÇA AGRUPAMENTO VERTICAL DE MURÇA EB 2,3/S DE MURÇA REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR I. Introdução Nos termos do art.º 22º da Lei nº 30/2002, de 20 de Dezembro, alterada

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Moita. Plano de Melhoria. P r o v i s ó r i o P p P r o. Ano letivo 2013-14

Agrupamento de Escolas da Moita. Plano de Melhoria. P r o v i s ó r i o P p P r o. Ano letivo 2013-14 Agrupamento de Escolas da Moita Plano de Melhoria P r o v i s ó r i o P p P r o Ano letivo 2013-14 Moita, 22 de abril de 2015 A COMISSÃO DE AUTOAVALIAÇÃO o Célia Romão o Hélder Fernandes o Ana Bela Rodrigues

Leia mais

CIRCULAR. Assunto: Avaliação na Educação Pré- Escolar

CIRCULAR. Assunto: Avaliação na Educação Pré- Escolar CIRCULAR Data: 11/04/2011 Circular nº.: 4 /DGIDC/DSDC/2011 Assunto: Avaliação na Educação Pré- Escolar Para: Inspecção-Geral de Educação Direcções Regionais de Educação Secretaria Regional Ed. da Madeira

Leia mais

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4

ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1- CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO... 4 1.1- DOCENTES:... 4 1.2- NÃO DOCENTES:... 5 1.2.1- TÉCNICAS SUPERIORES EM EXERCÍCIO DE FUNÇÕES... 5 1.2.2- ASSISTENTES OPERACIONAIS EM EXERCÍCIO

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Venda do Pinheiro. Reunião 25 setembro. Representantes Encarregados de Educação 2.º e 3.º ciclos

Agrupamento de Escolas da Venda do Pinheiro. Reunião 25 setembro. Representantes Encarregados de Educação 2.º e 3.º ciclos Agrupamento de Escolas da Venda do Pinheiro Reunião 25 setembro Representantes Encarregados de Educação 2.º e 3.º ciclos Projeto Educativo Saber Ser, Saber Estar e Saber Fazer Projeto Educativo Alicerces:

Leia mais

Resultados dos Questionários de Satisfação dos Estudantes

Resultados dos Questionários de Satisfação dos Estudantes Resultados dos Questionários de Satisfação dos Estudantes Ano Lectivo 2011/2012 1 Os resultados apresentados reflectem a análise dos Questionários de Satisfação dos Estudantes/Formandos Ano Lectivo 2011/2012

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA 2012-2015 PLANO DE MELHORIA (2012-2015) 1. CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROCESSO Decorreu em finais de 2011 o novo processo de Avaliação Externa

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VERGÍLIO FERREIRA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VERGÍLIO FERREIRA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VERGÍLIO FERREIRA REGULAMENTO DOS PRÉMIOS DE MÉRITO Preâmbulo De acordo com o artigo 7.º da Lei nº 51/ 2012, de 5 de setembro, o aluno tem direito a: d) «ver reconhecidos e valorizados

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Turismo sobre a ESEC 4 3.2. Opinião dos alunos sobre

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES. Preâmbulo

ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES. Preâmbulo ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES Preâmbulo Considerando a criação e o desenvolvimento de uma Rede de Bibliotecas Escolares, assumida como política articulada entre

Leia mais

Relatório. Turística

Relatório. Turística Relatório anual de avaliação de curso Gestão do Lazer e da Animação Turística 2008 2009 Estoril, Março 200 Francisco Silva Director de Curso de GLAT Conteúdo Introdução... 3 2 Dados do Curso... 3 3 Avaliação

Leia mais

PROJECTO MAIS SUCESSO ESCOLAR A MATEMÁTICA

PROJECTO MAIS SUCESSO ESCOLAR A MATEMÁTICA PROJECTO MAIS SUCESSO ESCOLAR A MATEMÁTICA 2010/2011 Coordenadora Elvira Maria Azevedo Mendes Projecto: Mais Sucesso Escolar Grupo de Matemática 500 1 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJECTO 1.1 Nome do projecto:

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014 / 2017

PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014 / 2017 PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014 / 2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PRADO Plano Estratégico de Melhoria 2014/2017 O Plano de Melhoria da Escola é um instrumento fundamental para potenciar o desempenho

Leia mais

Avaliação da Aprendizagem

Avaliação da Aprendizagem Avaliação da Aprendizagem A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos adquiridos e capacidades desenvolvidas pelo aluno. A avaliação

Leia mais

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação Versão de Setembro de 2013 APRESENTAÇÃO DO PEDIDO A1. Instituição de ensino superior

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL Nº 02/2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE IBIRAREMA - SP ANEXO II PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES DOS EMPREGOS PÚBLICOS

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL Nº 02/2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE IBIRAREMA - SP ANEXO II PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES DOS EMPREGOS PÚBLICOS Cargos Básica I Peb I Disciplina Educação Artística Disciplina Educação Física Atribuições -Ministra aulas, aplicando exercícios para que as crianças desenvolvam as funções específicas necessárias à aprendizagem

Leia mais

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS.

DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS. AÇÃO Nº 1 DESIGNAÇÃO DA AÇÃO: CONCEBER E APLICAR ESTRATÉGIAS/METODOLOGIAS CONDUCENTES À MELHORIA DOS RESULTADOS. BREVE DESCRIÇÃO DA AÇÃO: conceber, discutir e aplicar planificações, metodologias, práticas

Leia mais

para um novo ano lectivo

para um novo ano lectivo Ano Lectivo 2008/09 20 medidas de política para um novo ano lectivo Este documento apresenta algumas medidas para 2008/09: Apoios para as famílias e para os alunos Modernização das escolas Plano Tecnológico

Leia mais

O Que São os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO)?

O Que São os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO)? O Que São os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO)? São unidades especializadas de apoio educativo multidisciplinares que asseguram o acompanhamento do aluno, individualmente ou em grupo, ao longo

Leia mais

Colaborar com as várias estruturas da escola nas tarefas inerentes ao cargo.

Colaborar com as várias estruturas da escola nas tarefas inerentes ao cargo. Atualizar e divulgar a composição da equipa. Divulgar as atividades. Atualizar e divulgar diversos materiais. ano lectivo Informação/divulgação dos serviços especializados na página da escola /EE Representar

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE REDONDO PROJETO EDUCATIVO. Indicações para Operacionalização 2012-2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE REDONDO PROJETO EDUCATIVO. Indicações para Operacionalização 2012-2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE REDONDO PROJETO EDUCATIVO Indicações para Operacionalização 2012-2015 O Plano Anual de Atividades do Agrupamento é relevante para toda a Comunidade Educativa. Por ele se operacionalizam

Leia mais

Nº 13 AEC - Papel e Acção na Escola. e-revista ISSN 1645-9180

Nº 13 AEC - Papel e Acção na Escola. e-revista ISSN 1645-9180 1 A Escola a Tempo Inteiro em Matosinhos: dos desafios estruturais à aposta na formação dos professores das AEC Actividades de Enriquecimento Curricular Correia Pinto (*) antonio.correia.pinto@cm-matosinhos.pt

Leia mais

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação Versão de 31 de Agosto de 2011 APRESENTAÇÃO DO PEDIDO A1. Instituição de ensino

Leia mais

CONSTRUÇÃO DO REFERENCIAL

CONSTRUÇÃO DO REFERENCIAL Programa de Apoio à Avaliação do Sucesso Académico DIMENSÃO DE CONSTRUÍDO (Avaliação Formativa) MATRIZ DE CONSTRUÇÃO DO REFERENCIAL Página 1 IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO ESCOLAR Agrupamento de Escolas

Leia mais

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR)

Nota Introdutória. Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Nota Introdutória Objetivos da Biblioteca Escolar (de acordo com o MANIFESTO IFLA/UNESCO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR) Apoiar e promover os objetivos educativos definidos de acordo com as finalidades e currículo

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS INICIATIVA ESCOLAS, PROFESSORES E COMPUTADORES PORTÁTEIS EQUIPAMENTOS DO PROJECTO. Ano Lectivo 2006 / 07

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS INICIATIVA ESCOLAS, PROFESSORES E COMPUTADORES PORTÁTEIS EQUIPAMENTOS DO PROJECTO. Ano Lectivo 2006 / 07 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS DO PROJECTO INICIATIVA ESCOLAS, PROFESSORES E COMPUTADORES PORTÁTEIS Ano Lectivo 2006 / 07 O equipamento informático afecto ao Projecto será partilhado por vários

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO SABUGAL. Relatório de AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO SABUGAL. Relatório de AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO SABUGAL * * * Relatório de AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE GRELHA DE OBJECTIVOS INDIVIDUAIS DO PESSOAL DOCENTE (Decreto Regulamentar Nº 2/2008, de 10 de Janeiro) Identificação

Leia mais

Plano de Transição 2012

Plano de Transição 2012 Plano de Transição 2012 A transição entre ciclos de ensino é hoje reconhecida por todos como um dos pontos críticos dos sistemas educativos, não só em virtude de envolver a transição de alunos de uma escola

Leia mais

Jornada Pedagógica Pastoral. Recife, 2012

Jornada Pedagógica Pastoral. Recife, 2012 Jornada Pedagógica Pastoral Recife, 2012 Josenildo Costa e Telma Pereira Sistema Marista de Avaliação SIMA O SIMA é um instrumento de avaliação acadêmica utilizado em todas as Unidades Educacionais da

Leia mais

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação Versão de Abril de 2014 APRESENTAÇÃO DO PEDIDO A1. Instituição de ensino superior

Leia mais

Educação Especial. 2. Procedimentos de Referenciação e Avaliação e Elaboração do Programa Educativo Individual

Educação Especial. 2. Procedimentos de Referenciação e Avaliação e Elaboração do Programa Educativo Individual Educação Especial O Grupo da Educação Especial tem como missão fundamental colaborar na gestão da diversidade, na procura de diferentes tipos de estratégias que permitam responder às necessidades educativas

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE Apresentação geral do Decreto Regulamentar (a publicar em breve) - diferenciação; Princípios orientadores - distinção pelo mérito (diferenciação pela positiva);

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão do Instituto Politécnico de Portalegre. Joaquim Mourato Conferência Inovação no Ensino Superior - Évora 23/01/2007

Sistema Integrado de Gestão do Instituto Politécnico de Portalegre. Joaquim Mourato Conferência Inovação no Ensino Superior - Évora 23/01/2007 Sistema Integrado de Gestão do Instituto Politécnico de Portalegre Joaquim Mourato Conferência Inovação no Ensino Superior - Évora 23/01/2007 Objectivos e Metodologia Sistema Integrado de Gestão Análise

Leia mais

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade

Leia mais

AVES DESCLASSIFICADAS CANÁRIOS DE COR

AVES DESCLASSIFICADAS CANÁRIOS DE COR CC001 852 Q FOB BB 0044 2107 06 0029 MANCHA(S) AMARELAS NA COR DE FUNDO VERMELHA CC001 6821 Q FOB FK 0289 0018 06 0030 CC001 11673 I FOB KA 0040 0078 06 0900 CC002 2286 Q FOB CE 0004 0230 06 0800 HARMONIA

Leia mais

OBSERVAÇÃO E ANÁLISE DA RETENÇÃO NO ENSINO BÁSICO NO ANO LECTIVO DE 2006/2007

OBSERVAÇÃO E ANÁLISE DA RETENÇÃO NO ENSINO BÁSICO NO ANO LECTIVO DE 2006/2007 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA OBSERVAÇÃO E ANÁLISE DA RETENÇÃO NO ENSINO BÁSICO NO ANO LECTIVO DE 2006/2007 RELATÓRIO FINAL ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO

Leia mais

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO PLANO DE MELHORIA DO 2015-2017 Conservatório de Música do Porto, 30 de outubro de 2015 1. Introdução... 3 2. Relatório de Avaliação Externa... 5 Pontos Fortes... 5 Áreas de Melhoria... 6 3. Áreas Prioritárias...

Leia mais

AVALIAÇÃO EXTERNA DE ESCOLAS Plano de Ações de Melhoria

AVALIAÇÃO EXTERNA DE ESCOLAS Plano de Ações de Melhoria AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ARRONCHES AVALIAÇÃO EXTERNA DE ESCOLAS Plano de Ações de Melhoria JANEIRO 2014 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ANÁLISE QUALITATIVA... 1 3.... 5 3.1. Áreas de Melhoria... 5 3.2. Identificação

Leia mais

PLANO DE AÇÃO E MELHORIA DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALPENDORADA 1. INTRODUÇÃO

PLANO DE AÇÃO E MELHORIA DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALPENDORADA 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Lei nº 31/2012, de 20 de Dezembro, veio aprovar o sistema de avaliação dos estabelecimentos de educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário, definindo orientações para a autoavaliação

Leia mais

Caracterização dos cursos de licenciatura

Caracterização dos cursos de licenciatura Caracterização dos cursos de licenciatura 1. Identificação do ciclo de estudos em funcionamento Os cursos de 1º ciclo actualmente em funcionamento de cuja reorganização resultam os novos cursos submetidos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE EIXO Escola Básica Integrada de Eixo. Ano letivo 2012/2013

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE EIXO Escola Básica Integrada de Eixo. Ano letivo 2012/2013 RELATÓRIO FINAL DE EXECUÇÃO DO PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES RELATIVO A 2012/2013 1 - Enquadramento O presente relatório tem enquadramento legal no artigo 13.º alínea f, do Decreto -Lei nº 75/2008, de 22

Leia mais

REFORÇAR Objectivo 1. Melhorar a divulgação da missão/visão para o agrupamento de escolas em toda a comunidade educativa

REFORÇAR Objectivo 1. Melhorar a divulgação da missão/visão para o agrupamento de escolas em toda a comunidade educativa CORECARD > MONITORIZAÇÃO Organização e Processos de Gestão Estratégica Liderar e criar uma cultura de escola Melhorar a divulgação da missão/visão para o agrupamento de escolas em toda a comunidade educativa

Leia mais

Modelo de Auto-avaliação. Biblioteca Escolar. * Actions, not positions; * Evidence, not advocacy. Ross Todd (2003)

Modelo de Auto-avaliação. Biblioteca Escolar. * Actions, not positions; * Evidence, not advocacy. Ross Todd (2003) Modelo de Auto-avaliação Biblioteca Escolar * Actions, not positions; * Evidence, not advocacy. Ross Todd (2003) Auto-avaliar a BE Porquê avaliar a Biblioteca? Quais são os objectivos da auto-avaliação?

Leia mais

Compromissos na educação

Compromissos na educação Compromissos na educação Comentário Paulo Santiago Direcção da Educação e das Competências, OCDE Ciclo de Seminários Sextas da Reforma Lisboa, 23 de Maio de 2014 Organização do Banco de Portugal, do Conselho

Leia mais

DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013. Critérios de avaliação

DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013. Critérios de avaliação DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013 Critérios de avaliação 0 MATRIZ CURRICULAR DO 1º CICLO COMPONENTES DO CURRÍCULO Áreas curriculares disciplinares de frequência obrigatória: Língua Portuguesa;

Leia mais

Serviço de Educação e Bolsas

Serviço de Educação e Bolsas Serviço de Educação e Bolsas CONCURSO DE APOIO A BIBLIOTECAS ESCOLARES/CENTROS DE RECURSOS 2005 REGULAMENTO A Fundação Calouste Gulbenkian tem vindo a apoiar projectos de criação, actualização e dinamização

Leia mais

Relatório Parcial Referente às Atividades da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em 2014

Relatório Parcial Referente às Atividades da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em 2014 Relatório Parcial Referente às Atividades da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em 2014 Introdução Ao longo do primeiro semestre de 2014, a Comissão Própria de Avaliação (CPA), em trabalho conjunto de

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO ANO LETIVO 2015-2016

PLANO ESTRATÉGICO ANO LETIVO 2015-2016 PLANO ESTRATÉGICO ANO LETIVO 2015-2016 1. INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO Nos termos do Artigo 15.º, do Despacho Normativo n.º7/2013, 11 de julho No final de cada ano escolar, o conselho pedagógico avalia o

Leia mais

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria www.anotherstep.pt 2 Sumário Ponto de situação Plano de Ações de Melhoria PAM Enquadramento e planeamento Selecção das Ações de Melhoria Fichas de

Leia mais

Agrupamento de Escolas Professor Noronha Feio

Agrupamento de Escolas Professor Noronha Feio Avaliação efectuada pelo Coordenador e Departamento de ducação special Grelha de Avaliação da Observação da Aula Avaliado: Avaliador: Disciplina/Área Data / / A Preparação e organização das actividades

Leia mais

Projeto global de autoavaliação do Agrupamento de Escolas Mosteiro e Cávado

Projeto global de autoavaliação do Agrupamento de Escolas Mosteiro e Cávado Projeto global de autoavaliação do Agrupamento de Escolas Mosteiro e Cávado 1. Introdução O Agrupamento de Escolas Mosteiro e Cávado (AEMC) entende a autoavaliação como um processo ao serviço do seu desenvolvimento

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE COIMBRA

ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE COIMBRA COIMBRA ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE COIMBRA A EB1 APPC Pertence à Rede Escolar Ministério da Educação e ao Agrupamento de Escolas Maria Alice Gouveia. Público alvo 3 grupos de crianças com PC ou

Leia mais

NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/01786 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Évora A.1.a. Outra(s)

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 068/2009

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 068/2009 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 068/2009 Estabelece Critérios e Procedimentos para a Avaliação do Desempenho Docente nos Cursos de Graduação da UnC. O Reitor da Universidade do Contestado no uso de suas atribuições,

Leia mais

Gestão do Lazer e Animação Turística Apresentação do curso

Gestão do Lazer e Animação Turística Apresentação do curso Gestão do Lazer e Animação Turística Apresentação do curso Francisco Silva francisco.silva@eshte.pt Director do Curso de Gestão do Lazer e Animação Turística Maio 2011 ESHTE Curso de Gestão do Lazer e

Leia mais

GESTÃO CURRICULAR NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E NO ENSINO BÁSICO

GESTÃO CURRICULAR NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E NO ENSINO BÁSICO INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO GESTÃO CURRICULAR NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR E NO ENSINO BÁSICO Relatório 2009-2010 Colecção Relatórios FICHA TÉCNICA Título Gestão Curricular na Educação Pré-Escolar e no Ensino

Leia mais

Encarregados de Educação. Plano de Actividades 2007/2008

Encarregados de Educação. Plano de Actividades 2007/2008 Associação de Pais e Encarregados de Educação Plano de Actividades 2007/2008 A nível interno 1. Promover o bom Funcionamento administrativo da Associação Objectivo: Continuar a melhorar a organização e

Leia mais

O relatório de avaliação do plano é aprovado pelo Conselho Pedagógico e apresentado na última reunião do ano letivo do Conselho Geral.

O relatório de avaliação do plano é aprovado pelo Conselho Pedagógico e apresentado na última reunião do ano letivo do Conselho Geral. Nos termos do Artigo 15.º, do Despacho Normativo n.º7/2013, 11 de julho No final de cada ano escolar, o conselho pedagógico avalia o impacto que as atividades desenvolvidas tiveram nos resultados escolares

Leia mais

De Lisboa para o Mundo

De Lisboa para o Mundo De Lisboa para o Mundo www.ulisboa.pt UNIVERSIDADE DE LISBOA 1290 A primeira universidade portuguesa é criada em Lisboa 1537 A universidade é deslocada para Coimbra Século XIX Diversas escolas universitárias

Leia mais

DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE SÃO VICENTE ESCOLAS DE TEMPO INTEGRAL (Modelo 2006) EDITAL DE CREDENCIAMENTO

DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE SÃO VICENTE ESCOLAS DE TEMPO INTEGRAL (Modelo 2006) EDITAL DE CREDENCIAMENTO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE SÃO VICENTE ESCOLAS DE TEMPO INTEGRAL (Modelo 2006) EDITAL DE CREDENCIAMENTO A Dirigente Regional de Ensino da Diretoria de Ensino Região de São Vicente torna pública a abertura

Leia mais

Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos

Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos Análise dos resultados da informação relativa à aprendizagem dos alunos Avaliação do impacto das atividades desenvolvidas nos resultados escolares de 2014/2015 Plano estratégico para 2015/2016 (Conforme

Leia mais

Avaliação Externa das Escolas Relatório de escola. Agrupamento de Escolas Infante D. Henrique VISEU

Avaliação Externa das Escolas Relatório de escola. Agrupamento de Escolas Infante D. Henrique VISEU Avaliação Externa das Escolas Relatório de escola Agrupamento de Escolas Infante D. Henrique VISEU Delegação Regional do Centro da IGE Datas da visita: 22, 23 e 26 de Janeiro de 2009 2 I INTRODUÇÃO A Lei

Leia mais

ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LECTIVO 2011 / 2012 TIC@CIDADANIA. Proposta de planos anuais. 1.º Ciclo do Ensino Básico

ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LECTIVO 2011 / 2012 TIC@CIDADANIA. Proposta de planos anuais. 1.º Ciclo do Ensino Básico ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LECTIVO 2011 / 2012 TIC@CIDADANIA Proposta de planos anuais 1.º Ciclo do Ensino Básico Introdução O objetivo principal deste projeto é promover e estimular

Leia mais

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE PARTE A (a preencher pelo coordenador do departamento curricular ou pelo conselho executivo se o avaliado for coordenador de um departamento curricular)

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA 2013-2017 Agrupamento de Escolas do Fundão Página 1 Perante o diagnóstico realizado, o Agrupamento assume um conjunto de prioridades

Leia mais

RELATÓRIO-SÍNTESE DE AVALIAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DAS UNIDADES CURRICULARES

RELATÓRIO-SÍNTESE DE AVALIAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DAS UNIDADES CURRICULARES RELATÓRIO-SÍNTESE DE AVALIAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DAS UNIDADES CURRICULARES ANO LECTIVO 2011/2012 ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Avaliação do Funcionamento das Unidades Curriculares... 4 1º Semestre - Resultados

Leia mais

RELATÓRIO MateMática - 3º ciclo

RELATÓRIO MateMática - 3º ciclo RELATÓRIO MateMática - 3º ciclo 1 1. IDENTIFICAÇÃO DA ACTIVIDADE Este documento é o relatório final da Actividade designada (+) Conhecimento, que se insere na Acção nº 4, designada Competência (+), do

Leia mais

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014

Processo de melhoria. Informação escolar. Processo de avaliação. Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Processo de melhoria Relatório de execução do plano de melhoria 2013-2014 Recomendações do conselho pedagógico Não houve recomendações emanadas do Conselho Pedagógico. Data de apresentação à direção/ conselho

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Comunicação e Design Multimédia

Leia mais

Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017

Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017 Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017 um fruto não se colhe às pressas. Leva seu tempo, de verde-amargo até maduro-doce Mia Couto

Leia mais

PROJETO INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO

PROJETO INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO PROJETO INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO Belo Horizonte, março de 2013. PROJETO INSTITUCIONAL DE NIVELAMENTO 1. Introdução No âmbito da Educação Superior, entendemos como princípio básico que é preciso propiciar

Leia mais

NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/14/00981 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Do Porto A.1.a.

Leia mais

DOCUMENTO METODOLÓGICO

DOCUMENTO METODOLÓGICO REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DOCUMENTO METODOLÓGICO Inquérito ao Sistema Educativo Regional Código: 47 Versão: 1.0 INTRODUÇÃO A necessidade de formular Políticas

Leia mais

REDE TEMÁTICA DE ACTIVIDADE FÍSICA ADAPTADA

REDE TEMÁTICA DE ACTIVIDADE FÍSICA ADAPTADA REDE TEMÁTICA DE ACTIVIDADE FÍSICA ADAPTADA Patrocinada e reconhecida pela Comissão Europeia no âmbito dos programas Sócrates. Integração social e educacional de pessoas com deficiência através da actividade

Leia mais

Programa Educativo Individual

Programa Educativo Individual Programa Educativo Individual Ano Lectivo / Estabelecimento de Ensino: Agrupamento de Escolas: Nome: Data de Nascimento: Morada: Telefone: Nível de Educação ou Ensino: Pré-Escolar 1ºCEB 2º CEB 3ºCEB E.

Leia mais

Avaliação Externa das escolas. Desafios e oportunidades de melhoria na qualidade do ensino.

Avaliação Externa das escolas. Desafios e oportunidades de melhoria na qualidade do ensino. Avaliação Externa das escolas. Desafios e oportunidades de melhoria na qualidade do ensino. Isabel Fialho Universidade de Évora ifialho@evora.pt Resumo O presente estudo teve como ponto de partida a análise

Leia mais

Avaliação do Projecto Curricular

Avaliação do Projecto Curricular Documento de Reflexão Avaliação do Projecto Curricular 2º Trimestre Ano Lectivo 2006/2007 Actividade Docente desenvolvida Actividade não lectiva Com base na proposta pedagógica apresentada no Projecto

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2013-2014

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2013-2014 AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2013-2014 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. CORREIA MATEUS RESPOSTA AO CONTRADITÓRIO ANÁLISE DO CONTRADITÓRIO Realizada a Avaliação Externa nos dias 17 a 20 de fevereiro de 2014,

Leia mais

No uso de suas atribuições, o diretor-geral do Campus Osório do IFRS, institui a Norma Operacional de número 001/2010.

No uso de suas atribuições, o diretor-geral do Campus Osório do IFRS, institui a Norma Operacional de número 001/2010. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS OSÓRIO Osório, 08 de novembro de 2010. No uso de

Leia mais

Aprender a Estudar 2013/2014

Aprender a Estudar 2013/2014 Aprender a Estudar 2013/2014 Enquadramento O projeto Aprender a estudar, implementado no Agrupamento de Escola Vale Aveiras no ano letivo de 2011/2012, surgiu então, tal como procura agora, operacionalizar

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Santa Catarina CALDAS DA RAINHA

Agrupamento de Escolas de Santa Catarina CALDAS DA RAINHA Grupo de Trabalho para o novo ciclo da Avaliação Externa das Escolas (2011) RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO EXTERNA Agrupamento de Escolas de Santa Catarina CALDAS DA RAINHA Delegação Regional de Lisboa e Vale

Leia mais

Avaliação Externa das Escolas Relatório de escola. Agrupamento de Escolas D. Sancho I PONTÉVEL

Avaliação Externa das Escolas Relatório de escola. Agrupamento de Escolas D. Sancho I PONTÉVEL Avaliação Externa das Escolas Relatório de escola Agrupamento de Escolas D. Sancho I PONTÉVEL Delegação Regional de Lisboa e Vale do Tejo da IGE Datas da visita: 4 a 6 de Março de 2009 I INTRODUÇÃO A Lei

Leia mais

Agrupamento de Escolas Sto. Onofre Escola Básica de Sto. Onofre - Caldas da Rainha Complemento ao plano de formação vocacional e pré profissional

Agrupamento de Escolas Sto. Onofre Escola Básica de Sto. Onofre - Caldas da Rainha Complemento ao plano de formação vocacional e pré profissional Agrupamento de Escolas Sto. Onofre Escola Básica de Sto. Onofre - Caldas da Rainha Complemento ao plano de formação vocacional e pré profissional PROJECTO (III) Ano Lectivo 2008/2009 (compostagem, horta,

Leia mais

ANEXOS APRESENTAÇÃO DA ACTIVIDADE

ANEXOS APRESENTAÇÃO DA ACTIVIDADE ANEXOS APRESENTAÇÃO DA ACTIVIDADE PREVISTA NO PAA (Plano Anual de Actividades) ADITAMENTO AO PAA Nº ACTIVIDADE / DESCRIÇÃO 1 OBJECTIVOS Visita de Estudo a Lisboa: Proporcionar uma abordagem estimulante

Leia mais

REDESENHAR, REORIENTAR, REAJUSTAR:

REDESENHAR, REORIENTAR, REAJUSTAR: REDESENHAR, REORIENTAR, REAJUSTAR: Ponto de partida 2006/ 2007 Convite para integrar o Programa TEIP Territórios Educativos de Intervenção Prioritária Insucesso Escolar Violência e indisciplina Agrupamento

Leia mais

A divulgação desta apresentação por Cd-Rom e no Web site do programa Educação do Instituto do Banco Mundial e feita com a autorização do autor.

A divulgação desta apresentação por Cd-Rom e no Web site do programa Educação do Instituto do Banco Mundial e feita com a autorização do autor. A divulgação desta apresentação por Cd-Rom e no Web site do programa Educação do Instituto do Banco Mundial e feita com a autorização do autor. A ESCOLA PRECISA SER VISTA COMO UMA UNIDADE FUNDAMENTAL PARA

Leia mais

Avaliação Externa das Escolas Relatório de escola. Agrupamento de Escolas de Monte de Caparica ALMADA

Avaliação Externa das Escolas Relatório de escola. Agrupamento de Escolas de Monte de Caparica ALMADA Avaliação Externa das Escolas Relatório de escola Agrupamento de Escolas de Monte de Caparica ALMADA Delegação Regional de Lisboa e Vale do Tejo da IGE Datas da visita: 24 a 26 de Novembro de 2008 2 I

Leia mais

Caracterização. Curso de formação de Línguas Estrangeiras para Fins Específicos. (Francês / Inglês / Alemão / Espanhol / Português p/ Estrangeiros)

Caracterização. Curso de formação de Línguas Estrangeiras para Fins Específicos. (Francês / Inglês / Alemão / Espanhol / Português p/ Estrangeiros) CLEA Curso de Línguas Estrangeiras Aplicadas Pedro Reis _ Janeiro 2005 Caracterização Curso de formação de Línguas Estrangeiras para Fins Específicos (Francês / Inglês / Alemão / Espanhol / Português p/

Leia mais

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DE MANUEL DA FONSECA PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES A intervenção do Psicólogo na escola baseia-se num modelo relacional e construtivista, que fundamenta uma prática psicológica

Leia mais

Matriz de Responsabilidades. PAE: Programa Aproximar Educação Página 1 de 6 Contrato de Educação e Formação Municipal

Matriz de Responsabilidades. PAE: Programa Aproximar Educação Página 1 de 6 Contrato de Educação e Formação Municipal A - Políticas Educativas A2. Políticas de avaliação institucional A1. Planeamento Estratégico A3. Relação escola/comunidade 1 Definição geral de políticas educativas nacionais Informado Informado 2 Definição

Leia mais

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fundação Minerva - Cultura - Ensino E Investigação

Leia mais

CONHECER OS DIREITOS E DEVERES DOS ALUNOS

CONHECER OS DIREITOS E DEVERES DOS ALUNOS ESTATUTO DO ALUNO DIREITOS E DEVERES - LEI 39/2010, DE 2 DE SETEMBRO Artigo 7.º Responsabilidade dos alunos 1. Os alunos são responsáveis, em termos adequados à sua idade e capacidade de discernimento,

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR 2013 / 2015

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR 2013 / 2015 REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO HOSPITALAR 2013 / 2015 ÍNDICE 1. Introdução 1 2. Finalidades e objectivos educacionais 2 3. Organização interna do CEAH 2 4. Habilitações de acesso

Leia mais