Utilização da e-health em gestão do peso: programas em desenvolvimento na Universidade do Minho

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Utilização da e-health em gestão do peso: programas em desenvolvimento na Universidade do Minho"

Transcrição

1 Nº34 Out-Dez 2014 Pág Cátia Silva, Eva Conceição, Ana Vaz, Paulo P. P. Machado Grupo de Estudos das Perturbações Alimentares Unidade de Investigação em Psicoterapia e Psicopatologia CIPsi, Escola de Psicologia, Universidade do Minho Utilização da e-health em gestão do peso: programas em desenvolvimento na Universidade do Minho Palavras-chave: Tecnologias; Mudança comportamental; Obesidade Infantil, Cirurgia bariátrica; Gestão do Peso; E-health; Monitorização Resumo A obesidade, definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como acumulação excessiva de gordura no corpo, está associada a um conjunto de problemas físicos e psicossociais que prejudicam a saúde do indivíduo. Com o aumento da prevalência, a obesidade tem sido identificada como um dos problemas de saúde pública mais graves do mundo. Neste sentido, há uma necessidade acrescida de criar programas inovadores capazes de intervir e diminuir a prevalência da obesidade em Portugal, assim como a necessidade de criar estratégias capazes de promover o desenvolvimento de comportamentos saudáveis, como por exemplo uma dieta saudável e um nível de atividade física adequado. O recurso às novas tecnologias tem vindo a ser testado em várias áreas, incluindo na área da promoção comportamentos de saúde e da modificação de comportamentos de risco, tendo já demonstrado resultados preliminares promissores em diversas populações. Este artigo apresenta os programas que estão neste momento a ser desenvolvidos pelo Grupo de Estudos de Perturbações Alimentares da Universidade do Minho (GEPA-UM). O primeiro desenvolvido para crianças e adolescentes e o segundo para pacientes pós-cirurgia bariátrica. Introdução A obesidade, considerada a epidemia do século XXI, tem vindo a aumentar a sua prevalência nos últimos anos. Este drástico aumento tem conduzido a uma preocupação da comunidade científica e médica 1, devido aos problemas físicos (e.g. diabetes), psicológicos (e.g. baixa autoestima) e sociais (e.g. isolamento social) associados, sendo ainda considerada um risco para a obesidade ao longo da vida adulta 2. A procura de estratégias eficazes de promoção de comportamentos de saúde e modificação de comportamentos de risco constitui um desafio tanto para clínicos como para investigadores. A utilização de novas tecnologias nos cuidados de saúde encontra-se em rápida expansão e tem vindo a mostrar bons resultados com diversas populações 3. No contexto das intervenções de saúde, as novas tecnologias têm o potencial de poderem complementar e, em alguns casos substituir, as abordagens tradicionais face-a-face, ao mesmo tempo que se apresentam como uma alternativa, eventualmente, mais racional em termos de custoeficácia 4. Por exemplo, a utilização da internet para programas de intervenção permite a sua disseminação em larga escala. São, portanto, reconhecidas várias vantagens à utilização de novas tecnologias em saúde, nomeadamente o seu baixo custo, serem uma forma de difusão de tratamento facilmente acessível, a possibilidade de chegarem a um maior número de pessoas ou, por exemplo, possibilitarem por vezes, o anonimato na sua utilização e na procura de ajuda. No entanto, existem também desvantagens na sua utilização, nomeadamente, dificuldade em garantir a privacidade na utilização da internet ou garantia de proteção de dados, diminuição do contacto com o terapeuta/clínico ou contribuir para um aumento da frustração, no caso de interven- 102

2 estes programas devem incluir estratégias que a literatura tem mostrado serem eficazes na perda e gestão do peso, como por exemplo a automonitorização, ao mesmo tempo que devem tomar partido das vantagens da internet, como o seu potencial de interatividade ções ineficazes, limitando nova procura de ajuda profissional. A gestão de peso e a monitorização do comportamento alimentar têm vindo a ser alvo de intervenções com base nas novas tecnologias. Se com paradas com a intervenção tradicional face-aface, estas podem ter enorme impacto clínico se conseguirem chegar a um maior número de sujeitos 5. no entanto, tal como referem Arem e irwin 5, apesar de as intervenções através da internet para a gestão de peso poderem ser eficazes e se apresentarem como uma estratégia lógica, esta forma de intervenção tem sido relativamente pouco utilizada e subavaliada em termos dos seus resultados. na revisão realizada pelos autores, estes referem a necessidade de mais estudos controlados e chamam a atenção para a grande variabilidade dos estudos no que se refere ao contacto com os participantes, tamanho da amostra ou tempo de seguimento, o que limita a validação da sua eficácia. Além disso, os estudos conduzidos para a gestão de peso, reportam muitas vezes, elevados valores de abandono do estudo ou pouca adesão terapêutica, o que tem implicações óbvias no potencial clínico destas intervenções 5, 6, na medida em que coloca em causa as referidas vantagens de maior acessibilidade destas intervenções. neve e colaboradores 6, numa revisão efetuada sobre as intervenções baseadas na internet para a perda e manutenção de peso, referem-se às diferenças nos componentes dos tratamentos testados como um aspeto a ter em linha de conta nas avaliações dos resultados nestas intervenções, uma vez que nos estudos realizados existe uma grande variabilidade nos componentes incluídos no programa de perda de peso, como por exemplo automonitorização, prescrição de plano alimentar, prescrição de atividade física, o que limita as considerações sobre a eficácia dos mesmos. nos vários estudos realizados para a gestão de peso através da internet, parece-nos importante refletir sobre quais devem ser os componentes de tratamento numa intervenção baseada na internet para a gestão de peso e comportamento alimentar. estes programas devem incluir estratégias que a literatura tem mostrado serem eficazes na perda e gestão do peso, como por exemplo a automonitorização, ao mesmo tempo que devem tomar partido das vantagens da internet, como o seu potencial de interatividade. neste sentido, parecenos importante a inclusão nestes programas de ferramentas de feedback sobre os comportamentos- -chave a modificar, sessões de chat com terapeuta/clínico, possibilidade de contacto regular com clínico via , entre outros. no entanto, muitos dos programas de gestão de peso não incluem ainda estas ferramentas 6. numa altura em que vários estudos estão a ser conduzidos com intervenções baseadas na tecnologia para a gestão de peso, é necessário que os mesmos consigam responder à questão da identificação dos indivíduos para quem estas intervenções são eficazes e qual deve ser o lugar das mesmas relativamente às várias opções terapêuticas. Ao mesmo tempo, nenhum estudo, até ao momento inclui uma análise de custo-eficácia destas intervenções, o que permitiria melhor enquadrar clinicamente, o papel destas intervenções como alternativa às intervenções face-a-face. A investigação tem sublinhado a necessidade de examinar quais os elementos específicos das intervenções baseadas na internet que podem ter um impacto positivo nos resultados terapêuticos, bem como quais os aspetos que aumentam a adesão e participação nestes programas 4. este conhecimento deverá assistir clínicos e investigadores no desenvolvimento de intervenções efetivas e que retenham um grande número de indivíduos e respondam às atuais necessidades de intervenção junto de populações com excesso de peso e obesidade. 103

3 Nº34 Out-Dez 2014 Pág nas próximas secções deste artigo daremos exemplo de formas de utilização da e-health em gestão do peso em programas que estão a ser testados na Universidade do Minho, no contexto das atividades do Grupo de estudos das Perturbações Alimentares e Obesidade (gepa.cipsi.uminho.pt). Utilização de novas tecnologias na promoção de comportamentos saudáveis em crianças e adolescentes em Portugal, a prevalência de excesso de peso e obesidade aumentou nas últimas décadas, sendo considerado um dos países europeus com maior prevalência de obesidade infantil. este facto reforça a necessidade de desenvolver programas de intervenção e prevenção eficazes no tratamento da obesidade infantil. Segundo a World Health Organization (WHO), uma dieta saudável e um nível de atividade física adequado devem ser os principais alvos de mudança para um estilo de vida saudável. O uso de mensagens de texto por telemóvel, para além de poder ser uma ferramenta promissora em termos de avaliação, pode ser utilizado para monitorizar e reforçar comportamentos Tem-se observado um interesse crescente na utilização de novas tecnologias para a promover a mudança comportamental e estilos de vida mais saudáveis. efetivamente, vários estudos referiram que esta pode ser uma ferramenta útil e inovadora na promoção de comportamentos de saudáveis. Por exemplo, o uso de mensagens de texto por telemóvel, para além de poder ser uma ferramenta promissora em termos de avaliação 7, pode ser utilizado para monitorar e reforçar comportamentos. Algumas vantagens apresentadas por esta tecnologia são a rápida e fácil acessibilidade e a capacidade de gerar feedback imediato 8. Bauer e colaboradores 9 desenvolveram um programa informático que usa Short Message Service (SMS) dos telemóveis como ferramenta de suporte e feedback específico para determinado comportamentos saudáveis associados a hábitos alimentares e atividade física. Shapiro e colaboradores 10 realizaram um estudo para testar a eficácia e a adesão ao programa de SMS, concluindo que este pode ser uma ferramenta útil de automonitorização para os comportamentos saudáveis em crianças dos 5 aos 13 anos de idade, na medida em que fornece feedback automático e imediato com base nos objetivos dos participantes e, ainda, aumenta também a adesão à própria técnica de automonitorização. O programa de software, desenvolvido por Bauer e colaboradores 8, foi recentemente adaptado em Portugal pelo Grupo de estudos das Perturbações alimentares da Universidade do Minho. inspirados no trabalho de Shapiro e colaboradores 10, o Grupo da Universidade do Minho desenvolveu o programa para monitorar três comportamentos saudáveis e para a gerar feedback automático acerca dos mesmos. O objetivo é incentivar os participantes e utilizadores do programa a realizar mudanças comportamentais ao nível da alimentação saudável (consumo de frutas e vegetais) e da atividade física (aumentar o número de passos e diminuir o tempo de ecrã). Para funcionar corretamente, os participantes são instruídos para enviar mensagens de texto (SMS) com os dados relativos a cada um dos comportamentos. estas mensagens serão recebidas por um modem, conectado a um servidor de web, que imediatamente e automaticamente grava e avalia as mensagens de acordo com um algoritmo. O algoritmo do programa é baseado nos seguintes critérios: 1) quantos objetivos comportamentais o participante atingiu e 2) se há melhoria ou deterioração do comportamento quando comparado com o dia anterior 10. Assim sendo, o programa avalia especificamente se o objetivo comportamental é alcançado pelo participante e se este resultado é melhor ou pior do que no dia anterior. de seguida, e tendo em consideração esta informação, é gerada uma mensagem de feedback de acordo com o resultado apresentado (por exemplo: «conseguiste! O teu esforço revê-se nos resultados. Bom trabalho»). Bauer et al. 8 e Shapiro et al. 10 descreveram o presente programa detalhadamente, referindo o desenvolvimento de 900 mensagens de feedback 104

4 foram desenvolvidas especificamente para este programa. O mesmo grupo de mensagens foi traduzido do inglês para português e adaptadas para o contexto português, substituindo as bebidas açucaradas ou refrigerantes pelo consumo de frutas e vegetais. O programa SMS foi utilizado em dois estudos diferentes apresentados de seguida. Genericamente, a ideia central foi a de implementar esta ferramenta em contextos diferentes: primeiro, em contexto escolar e, em seguida, em contexto hospitalar. O objetivo dos estudos é o de avaliar a eficácia desta ferramenta em ambos contextos. O estudo desenvolvido em contexto hospitalar com crianças e adolescentes com excesso de peso em tratamento ainda está em curso, sendo por isso apresentado de forma mais genérica. O primeiro estudo teve como objetivo implementar e avaliar a eficácia do programa SMS para promover o aumento do consumo frutas e legumes e a atividade física, e a diminuição o tempo de ecrã (TV e computador) em crianças com idade compreendidas entre os 8 e os 10 anos, em contexto escolar. cento e trinta e nove crianças portuguesas, agrupados por sala de aula, foram aleatoriamente distribuídos para a intervenção (de duas sessões psicoeducativas + 8 semanas de monitoramento mais feedback) ou para a condição controlo (duas sessões psicoeducativas). Os comportamentos-chave de cada um dos participantes foram avaliados no início, pósintervenção (após as 8 semanas) e follow-up (passado seis meses da última avaliação). Os resultados mostraram que o programa de feedback de monitorização aumentou significativamente o consumo de frutas e vegetais ao longo do tempo 11. contudo, há uma necessidade de investigar mais profundamente a utilização deste programa noutros contextos, uma vez que 39,6% das crianças desta amostra apresentavam sobrepeso ou obesidade. Assim, a adaptação deste programa e a sua potencialidade em outros contextos deverá ser explorada. O segundo estudo pretende implementar e testar a eficácia de um programa de monitorização e feedback automático que utiliza mensagens escritas (SMS) para avaliar, monitorar e promover comportamentos saudáveis em crianças e adolescentes com excesso de peso e obesidade que estão a iniciar o tratamento habitual do Hospital. especificamente, através deste programa, espera-se promover mudanças comportamentais ao nível da alimentação e da atividade física em crianças e adolescentes com excesso de peso e obesidade. Os participantes do estudo e os respetivos pais serão avaliados em três momentos: início do tratamento (primeira consulta), Pós-intervenção (na segunda consulta, passado 10 semanas) e Follow-up (terceira consulta, passado seis meses). na primeira consulta, os pacientes serão distribuídos aleatoriamente por dois grupos: o grupo da condição experimental e o grupo da condição controlo. Após a primeira avaliação, os participantes do grupo de intervenção terão que enviar mensagens de texto diárias para o programa durante 10 semanas, monitorando e recebendo feedback diário sobre os comportamentos sugeridos (consumo de frutas e vegetais, número de passos e tempo de ecrã). no final das 10 semanas, o programa SMS termina e os participantes de ambos os grupos serão avaliados pela segunda vez, seguindo por fim o follow-up na terceira consulta. Atualmente, o estudo encontra- -se em fase de recolha de dados. Para este estudo, espera-se encontrar resultados estatisticamente significativos ao nível do aumento do consumo de frutas e vegetais e da atividade física (especifi - camente, do número de passos) e ao nível da di minuição do tempo de ecrã. espera-se, inclusivamente, que as mudanças comportamentais sejam estatisticamente mais significativas no grupo de intervenção do que no grupo de controlo. em relação à adesão, espera-se encontrar uma percentagem elevada de adesão ao programa SMS e satisfação em relação ao mesmo. Por fim, espera- -se encontrar mudanças interessantes ao longo do tempo em termos de variáveis físicas (por exemplo, uma diminuição do Índice de Massa corporal) e as variáveis psicológicas (por exemplo, alimentação menos disfuncional, melhor qualidade de vida, entre outros). 105

5 Nº34 Out-Dez 2014 Pág Novas tecnologias na cirurgia da obesidade: pertinência e objectivos de intervenção A variância dos resultados na perda de peso após cirurgia bariátrica para tratamento da obesidade severa tem vindo a ser motivo de preocupação de profissionais da área. na verdade, a investigação mostra que há uma percentagem significativa de pacientes que apresentam um aumento de peso significativo apesar do sucesso inicial 12. diferentes comportamentos alimentares, como a compulsão alimentar e o petisco contínuo 13, 14 têm vindo a ser associados ao aumento de peso pós-cirúrgico Apesar de dados poucos consistentes no que respeita ao valor preditivo do comportamos alimentar antes da cirurgia 19, e dada a grande variabilidade de trajetórias individuais e a extrema alteração do comportamento alimentar com o procedimento cirúrgico 20, parece ser a emergência de comportamentos alimentares após a cirurgia que mais se relaciona com os resultados do tratamento 14, A evidência tem salientado a importância do foco no momento pós-cirúrgico para o acompanhamento e intervenção nestes pacientes Além disso, o aumento de peso parece verificar-se a longo prazo, em particular cerca de dois anos após a cirurgia, e depois de um período considerado de sucesso 24, 25. não obstante, o aparecimento de comportamentos de risco poderá preceder este retrocesso e o valor prospetivo para o aumento de peso de comportamentos alimentares de risco tem sido documentado 25, 13, 28. estes dados salientam a importância da monitorização contínua de comportamentos alimentares que coloquem os pacientes em risco, como forma de prevenção precoce de aumento de peso. deste modo, intervenções capazes de abordar estes comportamentos de forma sistemática e pouco invasiva deverão ser consideradas estratégias prioritárias no acompanhamento desta população 21, 20. Além disso, piores resultados têm vindo a ser associados também a piores níveis de adesão aos requisitos do tratamento e a menor participação de consultas médicas 29. neste sentido, as intervenções pós-cirúrgicas parecem contribuir significativamente para o aumento da adesão ao tratamento 19, 27, da motivação e confiança 32, e aumento da identificação de comportamentos alimentares disfuncionais 18. O problema na abordagem destes pacientes prende-se com a questão de como continuar a monitorizar e oferecer apoio, particularmente a longo prazo, num ambiente de recursos humanos limitados para lidar com uma população crescente 33. Assim, a gestão do peso nestes contextos requer uma estratégia com boa relação custo-eficácia e tempo-eficácia para todos os pacientes que se submetem a este tratamento. Uma das grandes dificuldades na abordagem destes pacientes é a acessibilidade a centros de tratamento especializados, particularmente em áreas rurais ou com menos infraestruturas médicas. desta forma, o desenvolvimento de estratégias alternativas para entrega de tratamento tem vindo a ganhar atenção 5, 34. O uso de programas com recurso às novas tecnologias oferece vantagens únicas: grande acessibilidade, portabilidade e disseminação, o acesso em zonas isoladas, e o facto de permitirem o acesso a informação quando necessária, aumentando assim o controlo da intervenção por parte dos participantes, são centrais para esta população. Além disto, os reduzidos custos associados para os serviços de saúde e a necessidade de poucos recursos humanos disponíveis para um grande número de participantes enfatiza a pertinência destas abordagens. em suma, numa perspetiva de abordagem por passos em que deverá ser entregue ao paciente o tipo de tratamento necessário em cada momento, acreditamos que estratégias mais simples baseadas na internet poderão servir como forma de monitorizar comportamentos de risco, incentivar e alertar para problemas emergentes, e identificar pacientes que necessitem de uma ajuda mais especializada. APOLO Um programa baseado na internet de acompanhamento pós-cirúrgico de pacientes bariátricos O APOLO surgiu da necessidade de criar uma ponte entre os serviços de saúde e o paciente para que haja um acompanhamento frequente direcionado às características da pessoa. desenhado para facilitar a identificação precoce de comportamentos de risco para pessoas submetidas a cirurgia bariátrica, o APOLO permite oferecer estratégias simples para a gestão de comportamentos desadaptativos direcionadas para o participante. Além disso, representa também uma estratégia de reforço de sucessos e de manutenção dos resultados. com o APOLO, pretendemos contribuir para a prevenção de aumento de peso e para a otimização dos resultados desta população, promovendo comportamentos adequados e a motivação para o tratamento e para a manutenção de estilos de vida saudáveis. O APOLO não pretende, contudo, oferecer acompanhamento psicoterapêutico, podendo, no entanto, funcionar como forma de 106

6 identificação de participantes que necessitem de reencaminhamento para ajuda especializada. O APOLO é constituído por três componentes: A) um componente de intervenção manualizada com cerca de 12 temas diferentes e que abordam tópicos relevantes ao longo do tempo pós-cirúrgico; B) um sistema de monitorização de comportamentoschave. de entre estes, particular atenção será dada à perda de controlo sobre a alimentação, ao petisco contínuo e ao exercício físico; c) Sessões de chat interativas com profissionais treinados que permitam o esclarecimento, a gestão de problemas comportamentais, a promoção de adesão ao tratamento e a ventilação de preocupações do participante. Apesar de ter sido desenvolvido para a população bariátrica, acreditamos que as ferramentas do APOLO podem facilmente ser ajustadas a tempos de intervenção e comportamentos chave para a gestão de peso de população com outras características. em resumo, e como esperamos ter demostrado ao longo do artigo, as novas tecnologias abrem interessantes perspetivas de intervenção na área da saúde e promoção de comportamentos saudáveis. O nosso grupo de investigação tem integrado estratégias de e-health na intervenção com pacientes com perturbações do comportamento alimentar e obesidade e esperamos deste modo poder contribuir para uma intervenção mais eficaz junto de populações necessitadas. Agradecimentos este trabalho foi parcialmente financiado pela Fundação para a ciência e Tecnologia, Portugal, através de bolsas de investigação atribuídas a eva conceição (SFRH/BPd/78896/2011) e a Paulo Machado (PTdc/PSi-PcL/099981/2008) e bolsas de pós-doutoramento a eva conceição, (SFRH/BPd/94490/ 2013) e Ana Rita Vaz ( SFRH / Bd / / 2011). O programa de SMS foi desenvolvido pelo Center for Psychotherapy Research, University Hospital Heidelberg (Alemanha). Agradecemos à dr. Stephanie Bauer e dr. Markus Moessner o apoio efetuado durante a implementação do programa, à Margarida Silva e diana costa pelo apoio com as sessões educacionais, e a Lutfi Arikan pela assistência técnica. Referências 1. Seidell J. The epidemiology Of Obesity: A Global Perspective. in d. crawford & R. W. Jeffery (eds). Obesity Prevention and Public Health. Oxford: University Press Pp Lobstein T, Baur LA, Jackson-Leach R.. The childhood Obesity epidemic. in e. Waters, B. Swinburn, J. Seidell & R. Uauy (eds), Preventing childhood Obesity: evidence policy and Pratice. Oxford: Wiley-Blackwell pp Krishna S, Boren SA., Balas ea.. Healthcare via cell phones: a systematic review. Telemedicine and e-health. 2009;15: Khokhar B, Jones J, Ronksley Pe., et al. effectiveness of mobile electronic devices in weight loss among overweight and obese populations: a systematic review and metaanalysis. BMc Obesity. 2014;1: Arem H, irwin M. A review of web-based weight loss interventions in adults. Obesity Reviews. 2011; 12: e236-e neve M., Morgan PJ., Jones PR., et al.. effectiveness of web-based interventions in achieving weight loss and weight loss maintenance in overweight and obese adults: a systematic review with meta-analysis..obesity Reviews. 2010, 11: carter M, Burley V, nykjaer c, et al. My Meal Mate : validation of the diet measures captured on a smartphone application to facilitate weight loss. Br J nutr. 2013;109: Bauer S, de niet J, Timman R., Kordy H. enhancement of care through self-monitoring and tailored feedback via text messaging and their use in the treatment of childhood overweight. Patient education and counseling. 2010;79: Bauer S, Percevic R, Okon e. et al. Use of text messaging in the aftercare of patients with bulimia nervosa. european eating disorders Review 2003: 11: Shapiro JR, Bauer S, Hamer RM., et al.. Use of text messaging for monitoring sugarsweetened beverages, physical activity & Screen time in children: a pilot study. Journal of nutrition education and Behavior. 2008: 40, Silva c, Fassnacht d, Ali K., et al. (in press). Promoting Health Behaviour in Portuguese children via Short Message Service (SMS): The efficacy of a Text-Messaging Program. Journal Of Health Psychology. 12. Hsu L, Benotti Pn, dwyerj, et al. nonsurgical Factors That influence the Outcome of Bariatric Surgery: A Review. Psychosomatic Medicine.2008: 60: conceição e, Mitchell J, engel S, et al.. What is grazing? Reviewing its definition, frequency, clinical characteristics and impact on bariatric surgery outcomes and proposing a standardized definition. Surgery for Obesity and Related diseasese. 2014; 10: Meany G, conceição e, Mitchell J.. Binge eating, binge eating disorder and loss of control eating: effects on weight outcomes after bariatric surgery. european eating disorders Review. 2014; Bocchieri e, Meana M.,Fisher BL. A Review of Psychosocial Outcomes of Surgery for Morbid Obesity. Journal of Psychosomatic Research. 2002; colles SL, dixon JB, O Brien Pe.. Grazing and loss of control related to eating: Two high-risk factors following bariatric surgery. Obesity. 2008; 16: Mitchell Je, Lancaster KL, Burgard MA., et al. Long-term Follow-up of Patients Status after Gastric Bypass. Obesity Surgery. 2001; 11: Saunders R. "Grazing : A High-Risk Behavior. Obesity Surgery. 2004; 14; van Hout GcM, Verschure SKM., van Heck GL.. Psychosocial Predictors of Success Following Bariatric Surgery. Obesity Surgery , Saunders R.. compulsive eating and Gastric Bypass Surgery: What does Hunger have to do with it? Obesity Surgery. 2001; 11: conceição e, Mitchell J, Vaz A, et al.. The presence of maladaptive eating behaviors after bariatric surgery: importance of picking or nibbling on weight regain. eating behaviors. 2014;15: Hsu LK.G, Betancourt S, Sullivan SP. eating disturbances Before and After Vertical Banded Gastroplasty: A Pilot Study. international Journal of eating disorders. 1996: 19: Pekkarinen T, Koskela K., Huikuri K, et al.. Long-Term Results of Gastroplasty for Morbid Obesity: Binge-eating as a Predictor of Poor Outcome. Obesity Surgery. 1994; 4: Hsu LKG., Sullivan SP, Benotti Pn.. eating disturbances and Outcome of Gastric Bypass Surgery: A Pilot Study. international Journal of eating disorders. 1997; 21: White MA., Kalarchian MA., Masheb RM. et al.. Loss of control over eating predicts outcomes in bariatric surgery patients: A prospective, 24-month follow-up study. Journal of clinical Psychiatry. 2010; 71: Livhits M, Mercado c, Yermilov i., et al.. is social support associated with greater weight loss after bariatric surgery?: A systematic review. Obesity Reviews. 2011: 12: Livhits M, Mercado c, Yermilova i.et al.. Patient behaviors associated with weight regain after laparoscopic gastric bypass. Obesity Research & clinical Practice. 2011;5: e258 e conceição e, Bastos A, Brandao i, et al. Loss of control eating and Weight outcomes after bariatric surgery: a study with a Portuguese sample. eat Weight disord. 2013: 19, Robinson AH, Adler S, Stevens HB., et al.. What variables are associated with successful weight loss outcomes for bariatric surgery after 1 year? Surg Obes Relat dis. 2014;10: Kaiser KA, Franks SF, Smith AB. Positive relationship between support group attendance and one-year postoperative weight loss in gastric banding patients. Surgery for Obesity and Related diseases. 2011; 7: Orth WS, Madan AK, Taddeucci RJ, et al.. Support Group Meeting Attendance is Associated with Better Weight Loss Obesity Surgery, 2008;18: Stewart Ke, Olbrisch Me, Bean MK. Back on Track: confronting Post-Surgical Weight Gain Bariatric nursing and Surgical Patient care. 2010; 5: Buchwald H, Oien dm. Metabolic/Bariatric Surgery Worldwide Obesity Surgery. 2009; 19: Myers Tc, Swan-Kremeier L, Wonderlich S, et al. The Use of Alternative delivery Systems and new Technologies in the Treatment of Patients with eating disorders. international Journal of eating disorders. 2004; 36:

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO EM OBESIDADE INFANTIL. Centro de Saúde da Marinha Grande Ana Laura Baridó

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO EM OBESIDADE INFANTIL. Centro de Saúde da Marinha Grande Ana Laura Baridó PROGRAMA DE INTERVENÇÃO EM OBESIDADE INFANTIL Centro de Saúde da Marinha Grande Ana Laura Baridó 1 A obesidade é considerada a epidemia do séc. XXI (OMS) Em Portugal tem vindo a aumentar vertiginosamente

Leia mais

Worldwide Charter for Action on Eating Disorders

Worldwide Charter for Action on Eating Disorders Worldwide Charter for Action on Eating Disorders - CARTA MUNDIAL DE ACÇÃO PARA AS PARTURBAÇÕES ALIMENTARES- DIREITOS E EXPECTATIVAS PARA PESSOAS COM PERTURBAÇÕES ALIMENTARES E AS SUAS FAMÍLIAS PREÂMBULO

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

Investigação em Anatomia Patológica. Álcool e Jovens em Idade Escolar: Comportamentos e Conhecimentos Associados ao Consumo

Investigação em Anatomia Patológica. Álcool e Jovens em Idade Escolar: Comportamentos e Conhecimentos Associados ao Consumo de Janeiro de 2013 Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa Investigação em Anatomia Patológica Álcool e Jovens em Idade Escolar: Comportamentos e Conhecimentos

Leia mais

Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto

Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto Outubro de 2015 Índice 1. Introdução... 3 2. Caraterização do Estudo... 4 3. Resultado Global dos Cursos de Lisboa

Leia mais

Transformando a pergunta de pesquisa em estratégia de busca. Elisabeth Biruel BIREME/OPAS/OMS

Transformando a pergunta de pesquisa em estratégia de busca. Elisabeth Biruel BIREME/OPAS/OMS Transformando a pergunta de pesquisa em estratégia de busca Elisabeth Biruel BIREME/OPAS/OMS Etapas da pesquisa!! Conhecimento prévio do assunto Observação da realidade Formulação da pergunta de pesquisa

Leia mais

Dos 1004 alunos que frequentavam as aulas de Educação Física, um em cada cinco, tinham excesso de peso ou obesidade.

Dos 1004 alunos que frequentavam as aulas de Educação Física, um em cada cinco, tinham excesso de peso ou obesidade. Conclusões e Sugestões (1/5) As principais conclusões a que pudemos chegar de acordo com os objectivos a que nos propusemos, nomeadamente o de conhecer o índice da massa corporal dos alunos da escola onde

Leia mais

Prémio Inovação em Intervenção Psicológica

Prémio Inovação em Intervenção Psicológica Prémio Inovação em Intervenção Psicológica ABRIL 2015 Índice 03 05 11 1. Programa OPP Inovação em Intervenção Psicológica 1.1. Prémio Inovação em Intervenção Psicológica 1.2. Summer Camp - Inovação em

Leia mais

Factores preditivos da perda de peso após cirurgia bariátrica

Factores preditivos da perda de peso após cirurgia bariátrica 7 11 Factores preditivos da perda de peso após cirurgia bariátrica Joana Guimarães 1, D Rodrigues 1, MV Campos 1, M Melo 1, M Bastos 1, A Milheiro 2, C Manso 2, F Castro e Sousa 2, M Carvalheiro 1 1 Serviço

Leia mais

O resultado de uma boa causa. Apresentação de resultados da campanha pela Obesidade do programa Saúde mais Próxima

O resultado de uma boa causa. Apresentação de resultados da campanha pela Obesidade do programa Saúde mais Próxima O resultado de uma boa causa. Apresentação de resultados da campanha pela Obesidade do programa Saúde mais Próxima Saúde mais próxima. Por causa de quem mais precisa. Saúde mais Próxima é um programa da

Leia mais

PARTILHAR em São Tomé

PARTILHAR em São Tomé PARTILHAR em São Tomé 1. Enquadramento De acordo com as notícias do país, as doenças crónicas não transmissíveis têm estado a ganhar terreno alarmante nos últimos anos em São Tomé e Príncipe. Não se sabe

Leia mais

Copyright Medical Port 2015 PROGRAMA DE PERDA DE PESO!

Copyright Medical Port 2015 PROGRAMA DE PERDA DE PESO! PROGRAMA DE PERDA DE PESO Agenda O método holístico de Perda de Peso Apresentação do corpo clínico Diferentes programas de perda de peso Unidades de saúde O Método holístico de Perda de Peso The importance

Leia mais

Guião para a Organização de Projetos de Melhoria Contínua da Qualidade dos Cuidados de Enfermagem

Guião para a Organização de Projetos de Melhoria Contínua da Qualidade dos Cuidados de Enfermagem SECÇÃO REGIONAL SUL DA ORDEM DOS ENFERMEIROS Guião para a Organização de Projetos de Melhoria Contínua da Qualidade dos Cuidados de Enfermagem Programa Padrões de Qualidade dos Cuidados de Enfermagem CONSELHO

Leia mais

Estudos Avançados em Atividade Física Relacionada à Saúde: Avaliação de programas de saúde pela proposta RE-AIM

Estudos Avançados em Atividade Física Relacionada à Saúde: Avaliação de programas de saúde pela proposta RE-AIM March 6, 2014 Estudos Avançados em Atividade Física Relacionada à Saúde: Avaliação de programas de saúde pela proposta RE-AIM Fabio Almeida, PhD, MSW (falmeida@vt.edu) Virginia Tech Translational Obesity

Leia mais

Victor Manuel da Conceição Viana

Victor Manuel da Conceição Viana - A informação introduzida nas fichas individuais é da inteira responsabilidade do autor - Victor Manuel da Conceição Viana Professor Associado Convidado Habilitações Académicas Formação Pré-Graduada em

Leia mais

PHC Mensagens SMS. Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC

PHC Mensagens SMS. Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC PHCMensagens SMS DESCRITIVO O módulo PHC Mensagens SMS permite o envio de mensagens a múltiplos destinatários em simultâneo, sem ser necessário criar e enviar uma a uma. Comunique com mais sucesso: ganhe

Leia mais

A Gestão da experiência do consumidor é essencial

A Gestão da experiência do consumidor é essencial A Gestão da experiência do consumidor é essencial Sempre que um cliente interage com a sua empresa, independentemente do canal escolhido para efetuar esse contacto, é seu dever garantir uma experiência

Leia mais

Introdução. O que é um survey? Projeto de Surveys. Tópicos Especiais em E.S.: Surveys. Cleidson de Souza. representatividade de amostras;

Introdução. O que é um survey? Projeto de Surveys. Tópicos Especiais em E.S.: Surveys. Cleidson de Souza. representatividade de amostras; Introdução Tópicos Especiais em E.S.: Surveys Cleidson de Souza LABES - DI - UFPA cdesouza@ufpa.br! Um dos principais exemplos de pesquisa empírica:! Pesquisas de votos;! Pesquisas de opinião pública;!

Leia mais

Prevalência da inadequação nutricional em crianças portuguesas. Maria Ana Carvalho Universidade Atlântica

Prevalência da inadequação nutricional em crianças portuguesas. Maria Ana Carvalho Universidade Atlântica Prevalência da inadequação nutricional em crianças portuguesas Maria Ana Carvalho Universidade Atlântica Infância A infância representa um período que compreende modificações importantes: Crescimento do

Leia mais

FORMAÇÃO ACREDITADA PARA PROFESSORES 2015/2016

FORMAÇÃO ACREDITADA PARA PROFESSORES 2015/2016 FORMAÇÃO ACREDITADA PARA PROFESSORES 2015/2016 QUEM SOMOS A APF Associação para o Planeamento da Família, é uma Organização Não Governamental com estatuto de IPSS (Instituição Particular de Solidariedade

Leia mais

CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE

CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE Quem somos A nossa equipa apresenta um atendimento personalizado ao nível da Osteopatia através de uma abordagem multidisciplinar de qualidade, avaliação, diagnóstico e

Leia mais

PROGRAMA (Ação cofinanciada pelo Fundo Social Europeu PRO-EMPREGO) Nutrição Pediátrica da Primeira Infância à Adolescência

PROGRAMA (Ação cofinanciada pelo Fundo Social Europeu PRO-EMPREGO) Nutrição Pediátrica da Primeira Infância à Adolescência PROGRAMA (Ação cofinanciada pelo Fundo Social Europeu PRO-EMPREGO) 1. Designação da Ação de Formação: 2. Formador: Nutrição Pediátrica da Primeira Infância à Adolescência Dr.ª Vera Berbereia 3. Razões

Leia mais

Sessão 4 Como usar evidências de pesquisa para estruturar opções. Brasília, 10 a 13 dezembro 2012

Sessão 4 Como usar evidências de pesquisa para estruturar opções. Brasília, 10 a 13 dezembro 2012 Sessão 4 Como usar evidências de pesquisa para estruturar opções Brasília, 10 a 13 dezembro 2012 Objetivos Familiarizar-se com uma lista de questões a serem consideradas para estruturar opções com o objetivo

Leia mais

Plano de Formação. Psicologia e Orientação em Contexto Escolar 2014/2015

Plano de Formação. Psicologia e Orientação em Contexto Escolar 2014/2015 Plano de Formação Psicologia e Orientação em Contexto Escolar 2014/2015 Enquadramento A evolução tecnológica e a incerteza com que atualmente todas as sociedades se confrontam colocam desafios acrescidos

Leia mais

PHC Mensagens SMS CS

PHC Mensagens SMS CS PHC Mensagens SMS CS O potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC O envio de mensagens a múltiplos destinatários em simultâneo. Uma comunicação com sucesso: ganhos de tempo e de dinheiro

Leia mais

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL CADERNOS DE MUSEOLOGIA Nº 28 2007 135 GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL INTRODUÇÃO Os Sistemas da Qualidade

Leia mais

ADAPTAÇÃO DE TRÊS QUESTIONÁRIOS PARA A POPULAÇÃO PORTUGUESA BASEADOS NA TEORIA DE AUTO-DETERMINAÇÃO. Sónia Mestre, José Pais Ribeiro

ADAPTAÇÃO DE TRÊS QUESTIONÁRIOS PARA A POPULAÇÃO PORTUGUESA BASEADOS NA TEORIA DE AUTO-DETERMINAÇÃO. Sónia Mestre, José Pais Ribeiro Referência Mestre, S., & Pais Ribeiro, J. (2008). Adaptação de três questionários para a população portuguesa baseados na teoria de auto-determinação. In: I.Leal, J.Pais-Ribeiro, I. Silva & S.Marques (Edts.).

Leia mais

NOTA. preveníveis. parte da. doenças colocam. doenças. Vacinação (PNV). como o. o PNV bem. vacinação. da sua. em saúde

NOTA. preveníveis. parte da. doenças colocam. doenças. Vacinação (PNV). como o. o PNV bem. vacinação. da sua. em saúde NOTA INFORMATIVA A implementação generalizada de programas de vacinação nas últimas décadas permitiu atingir ganhos notáveis no controlo das doenças preveníveis por vacinação. Contudo, este controlo tem

Leia mais

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas EXPOSIÇÃO 4:

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas EXPOSIÇÃO 4: Modelo de Atenção às Condições Crônicas Seminário II Laboratório de Atenção às Condições Crônicas EXPOSIÇÃO 4: O MODELO DE ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS POR QUE UM MODELO DE ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS

Leia mais

Estudos de Imagem e Notoriedade

Estudos de Imagem e Notoriedade Estudos de Imagem e Notoriedade 1- Enquadramento O Serviço: Relatórios Avaliação da Imagem e Notoriedade das organizações, bem como da força de marca e posicionamento face à concorrência. Para que Serve:

Leia mais

2.1 Os projetos que demonstrarem resultados (quádrupla meta) serão compartilhados na Convenção Nacional.

2.1 Os projetos que demonstrarem resultados (quádrupla meta) serão compartilhados na Convenção Nacional. O Prêmio Inova+Saúde é uma iniciativa da SEGUROS UNIMED que visa reconhecer as estratégias de melhoria e da qualidade e segurança dos cuidados com a saúde dos pacientes e ao mesmo tempo contribua com a

Leia mais

A actividade física e o desporto: um meio para melhorar a saúde e o bem-estar

A actividade física e o desporto: um meio para melhorar a saúde e o bem-estar A actividade física e o desporto: um meio para melhorar a saúde e o bem-estar A actividade física e os desportos saudáveis são essenciais para a nossa saúde e bem-estar. Actividade física adequada e desporto

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

Perceção de valor das análises clínicas

Perceção de valor das análises clínicas Perceção de valor das análises clínicas Maio Abril 2013 OBJETIVOS DA INVESTIGAÇÃO» Grau de preocupação com os cuidados de saúde;» Hábitos/ comportamentos de procura de informação sobre saúde;» Hábitos

Leia mais

Capacitação do Núcleo de Evidências em Saúde / Estação BVS da ESP / SES -MG em

Capacitação do Núcleo de Evidências em Saúde / Estação BVS da ESP / SES -MG em Capacitação do Núcleo de Evidências em Saúde / Estação BVS da ESP / SES -MG em Formulação de Políticas de Saúde e Tomada de Decisões Informadas por Evidências Sessão 5 Como usar evidências de pesquisa

Leia mais

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR DENOMINAÇÃO DO CARGO: ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Desenvolver e implantar sistemas informatizados, dimensionando requisitos e funcionalidades do

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

BLUEWORKS MEDICAL EXPERT DIAGNOSIS, LDA.

BLUEWORKS MEDICAL EXPERT DIAGNOSIS, LDA. BLUEWORKS MEDICAL EXPERT DIAGNOSIS, LDA. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A BlueWorks Medical Expert Diagnosis, Lda. é uma start-up de Coimbra que se dedica ao desenvolvimento

Leia mais

Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology

Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology RESIDÊNCIA MÉDICA Seminário de Residência Médica de Cancerologia Clínica Seminar of Residence in Clinical Oncology José Luiz Miranda Guimarães* Neste número estamos divulgando o resultado parcial do Seminário

Leia mais

APOGOM. Compromissos da indústria alimentar sobre Alimentação, Actividade Física e Saúde

APOGOM. Compromissos da indústria alimentar sobre Alimentação, Actividade Física e Saúde APOGOM Compromissos da indústria alimentar sobre Alimentação, Actividade Física e Saúde É hoje amplamente reconhecido que o aumento significativo de certas doenças não transmissíveis (tais como as doenças

Leia mais

Serviço externo de Psicologia para Empresas

Serviço externo de Psicologia para Empresas Serviço externo de Psicologia para Empresas.Porque as pessoas são a essência da empresa. Cada vez mais ouvimos falar na necessidade urgente de locais de trabalho saudáveis e são diversas as campanhas que

Leia mais

Uma globalização consciente

Uma globalização consciente Uma globalização consciente O apelo a uma globalização mais ética tornou se uma necessidade. Actores da globalização como as escolas, devem inspirar por estes valores às responsabilidades que lhes são

Leia mais

! Pesquisas de votos; ! Serviços de qualidade; ! Pesquisas de opinião pública; ! Em quem você vai votar em Outubro?

! Pesquisas de votos; ! Serviços de qualidade; ! Pesquisas de opinião pública; ! Em quem você vai votar em Outubro? Introdução Tópicos Especiais em E.S.: Surveys Cleidson de Souza LABES - DI - UFPA cdesouza@ufpa.br! Um dos principais exemplos de pesquisa empírica:! Pesquisas de votos;! Serviços de qualidade;! Pesquisas

Leia mais

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite que a FCT me dirigiu para

Leia mais

REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO JOVEM

REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO JOVEM REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO JOVEM APROVADO POR MAIORIA EM ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 20 DE NOVEMBRO DE 2010 Proposta

Leia mais

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Revisões ISO ISO Revisions Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Processos vs procedimentos: o que isto significa? O conceito da gestão de processo

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA SAÚDE E CLÍNICA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA SAÚDE E CLÍNICA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA SAÚDE E CLÍNICA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS E/OU INCAPACIDADES NO ENSINO E FORMAÇÃO PROFISSIONAIS SÍNTESE

PARTICIPAÇÃO DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS E/OU INCAPACIDADES NO ENSINO E FORMAÇÃO PROFISSIONAIS SÍNTESE PARTICIPAÇÃO DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS E/OU INCAPACIDADES NO ENSINO E FORMAÇÃO PROFISSIONAIS Contexto político SÍNTESE Os dados internacionais mostram que as pessoas com incapacidades

Leia mais

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal 1 Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal As alterações verificadas no comportamento dos consumidores, consequência dos novos padrões

Leia mais

Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. Orientações Programáticas

Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. Orientações Programáticas Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável Orientações Programáticas 1 - Enquadramento Portugal era um dos poucos países Europeus que não dispunha de um programa nacional de alimentação,

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE 01 CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE A obesidade é uma doença crónica que se caracteriza pelo excesso de gordura corporal e que atinge homens, mulheres e crianças de todas as etnias e idades. A sua prevalência

Leia mais

Os programas de promoção da qualidade de vida buscam o desenvolvimento

Os programas de promoção da qualidade de vida buscam o desenvolvimento 9 Estilo de Vida Ativo: A Importância do Estímulo por parte dos Adultos Erika da Silva Maciel Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos - USP Os programas de promoção da qualidade de vida buscam o desenvolvimento

Leia mais

Estudo de investigação sobre a comunicação no âmbito do programa Janela Aberta à Família. Introdução

Estudo de investigação sobre a comunicação no âmbito do programa Janela Aberta à Família. Introdução Estudo de investigação sobre a comunicação no âmbito do programa Janela Aberta à Família Introdução O programa Janela Aberta à Família (website em www.janela-aberta-familia.org) teve início no Algarve

Leia mais

Instrumentos de Triagem para consumo de Bebidas Alcoólicas e Outras Drogas

Instrumentos de Triagem para consumo de Bebidas Alcoólicas e Outras Drogas Instrumentos de Triagem para consumo de Bebidas Alcoólicas e Outras Drogas DIFERENTES NÍVEIS DE CONSUMO ÁLCOOL ABSTINÊNCIA USO EXPERIMENTAL USO MODERADO ABUSO Leve DEPENDÊNCIA Moderada Grave Cerca de 10

Leia mais

DESENVOLVER E GERIR COMPETÊNCIAS EM CONTEXTO DE MUDANÇA (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Julho/Agosto 2004)

DESENVOLVER E GERIR COMPETÊNCIAS EM CONTEXTO DE MUDANÇA (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Julho/Agosto 2004) DESENVOLVER E GERIR COMPETÊNCIAS EM CONTEXTO DE MUDANÇA (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Julho/Agosto 2004) por Mónica Montenegro, Coordenadora da área de Recursos Humanos do MBA em Hotelaria e

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MAFRA PLANO DE INTERVENÇÃO PRIORITÁRIA PIP 2 PREVENÇÃO E COMBATE DA INDISCIPLINA ANO LETIVO 2014 2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MAFRA PLANO DE INTERVENÇÃO PRIORITÁRIA PIP 2 PREVENÇÃO E COMBATE DA INDISCIPLINA ANO LETIVO 2014 2015 PLANO DE INTERVENÇÃO PRIORITÁRIA PIP 2 PREVENÇÃO E COMBATE DA INDISCIPLINA ANO LETIVO 2014 2015 PROJETO DE INTERVENÇÃO AO NÍVEL DA INDISCIPLINA 1- FUNDAMENTAÇÃO A Equipa Multidisciplinar foi constituída

Leia mais

Programa de Controle de Peso Corporal

Programa de Controle de Peso Corporal 15 Programa de Controle de Peso Corporal Denis Marcelo Modeneze Mestre em Educação Física na Área de Atividade Física, Adaptação e Saúde na UNICAMP principal objetivo de desenvolver este tema com os alunos

Leia mais

XLM Innovation & Technology

XLM Innovation & Technology 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A XLM, sedeada em Aveiro, iniciou a sua atividade em 1995. Nesta data, a sua área de atuação cingia-se à venda, instalação e assistência técnica

Leia mais

Parecer sobre Estratégia Nacional para a Promoção da Atividade Física, da Saúde e do Bem-estar.

Parecer sobre Estratégia Nacional para a Promoção da Atividade Física, da Saúde e do Bem-estar. Parecer sobre Estratégia Nacional para a Promoção da Atividade Física, da Saúde e do Bem-estar. Sociedade Portuguesa de Educação Física Conselho Nacional das Associações de Professores e Profissionais

Leia mais

Compreender a Sintomatologia Depressiva após a Cirurgia Bariátrica: o Papel do Peso, da Alimentação e da Imagem Corporal

Compreender a Sintomatologia Depressiva após a Cirurgia Bariátrica: o Papel do Peso, da Alimentação e da Imagem Corporal Compreender a Sintomatologia Depressiva após a Cirurgia Bariátrica: o Papel do Peso, da Alimentação e da Imagem Corporal Understanding Depressive Symptoms after Bariatric Surgery: the Role of Weight, Eating

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO. webqda - SOFTWARE DE APOIO À ANÁLISE QUALITATIVA. Entidade de formação credenciada e homologada

CURSO DE FORMAÇÃO. webqda - SOFTWARE DE APOIO À ANÁLISE QUALITATIVA. Entidade de formação credenciada e homologada CURSO DE FORMAÇÃO webqda - SOFTWARE DE APOIO À ANÁLISE QUALITATIVA Entidade de formação credenciada e homologada 1. Fundamentação A investigação nas ciências humanas e sociais tem passado nas últimas décadas

Leia mais

Apresentação de Solução

Apresentação de Solução Apresentação de Solução Solução: Gestão de Altas Hospitalares Unidade de negócio da C3im: a) Consultoria e desenvolvimento de de Projectos b) Unidade de Desenvolvimento Área da Saúde Rua dos Arneiros,

Leia mais

Solução de gestão de frota automóvel

Solução de gestão de frota automóvel Solução de gestão de frota automóvel Gisgeo Information Systems www.gisgeo.pt UPTEC Parque de Ciência e Tecnologia R. Actor Ferreira da Silva, 100 gisgeo@gisgeo.pt 4200-298 Porto +351 220301572 Portugal

Leia mais

Obesidade pediátrica: a doença que ainda não teve direito a ser reconhecida. A propósito do 1º Simpósio Português sobre Obesidade Pediátrica.

Obesidade pediátrica: a doença que ainda não teve direito a ser reconhecida. A propósito do 1º Simpósio Português sobre Obesidade Pediátrica. Obesidade pediátrica: a doença que ainda não teve direito a ser reconhecida. A propósito do 1º Simpósio Português sobre Obesidade Pediátrica. Carla Rego*, Diana Silva*, António Guerra*, Manuel Fontoura*,

Leia mais

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo)

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) Duração: 5 Sessões (45 minutos) Público-Alvo: 6 a 7 anos (1º Ano) Descrição: O programa A Família é constituído por uma série de cinco actividades. Identifica o

Leia mais

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Na parte final da fase 1 do projecto Processo de Avaliação em Contextos Inclusivos foi discutido o conceito processo de avaliação inclusiva e prepararam-se

Leia mais

Este trabalho possui como objetivo a aplicação prática dos

Este trabalho possui como objetivo a aplicação prática dos 22 Proposta de Intervenção em Empresa de Desenvolvimento de Tecnologias de Informática com Programa de Reeducação Alimentar Márcia Martino Especialista em Gestão da Qualidade de Vida na Empresa - UNICAMP

Leia mais

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia.

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Bem-vindos à Conferência da ANACOM. Antes de mais gostaria de agradecer

Leia mais

Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas

Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas Os esforços devem se concentrar em garantir que cesáreas sejam feitas nos casos em que são necessárias, em vez de buscar atingir uma taxa específica de cesáreas.

Leia mais

Organização de serviços para o tratamento da dependência química

Organização de serviços para o tratamento da dependência química Organização de serviços para o tratamento da dependência química Coordenação: Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Apresentação: Dr. Elton P. Rezende UNIAD /INPAD/UNIFESP Agradecimentos: Dr. Marcelo Ribeiro Fatores

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

Declaração de Odense. O ABC para a Equidade Educação e Saúde. 4.ª Conferência Europeia das Escolas Promotoras de Saúde:

Declaração de Odense. O ABC para a Equidade Educação e Saúde. 4.ª Conferência Europeia das Escolas Promotoras de Saúde: Declaração de Odense O ABC para a Equidade Educação e Saúde 4.ª Conferência Europeia das Escolas Promotoras de Saúde: Equidade, Educação e Saúde 7-9 outubro 2013 A 4ª Conferência Europeia sobre escolas

Leia mais

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação CobiT 5 Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? 2013 Bridge Consulting All rights reserved Apresentação Sabemos que a Tecnologia da

Leia mais

A GESTÃO DAS VENDAS COMO UMA FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA

A GESTÃO DAS VENDAS COMO UMA FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA A GESTÃO DAS VENDAS COMO UMA FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA DE QUE FORMA OS GESTORES DE VENDAS ADICIONAM VALOR À SUA ORGANIZAÇÃO? Desenvolver Gestores de Vendas eficazes tem sido uma das grandes preocupações

Leia mais

PLANOS DE CONTINGÊNCIAS

PLANOS DE CONTINGÊNCIAS PLANOS DE CONTINGÊNCIAS ARAÚJO GOMES Capitão SC PMSC ARAÚJO GOMES defesacivilgomes@yahoo.com.br PLANO DE CONTINGÊNCIA O planejamento para emergências é complexo por suas características intrínsecas. Como

Leia mais

7º Congresso Unidas de

7º Congresso Unidas de 7º Congresso Unidas de Gestão o de Assistência à Saúde Dra. Rozana Ciconelli Centro Paulista de Economia da Saúde Escola Paulista de Medicina A epidemia da obesidade Como as doenças crônicas afetam a gestão

Leia mais

GETINGE ONLINE OBTENHA ACESSO A INFORMAÇÕES EM QUALQUER LUGAR

GETINGE ONLINE OBTENHA ACESSO A INFORMAÇÕES EM QUALQUER LUGAR GETINGE ONLINE OBTENHA ACESSO A INFORMAÇÕES EM QUALQUER LUGAR 2 Getinge Online TRABALHE DE FORMA MAIS INTELIGENTE E OBTENHA UM TEMPO DE FUNCIONAMENTO MAIOR Tradicionalmente, o status do processo de esterilização

Leia mais

Tendências dos Contact Centers para 2015 23 de Abril Das 11h às 11:45h

Tendências dos Contact Centers para 2015 23 de Abril Das 11h às 11:45h Webinar : Tendências dos Contact Centers para 2015 23 de Abril Das 11h às 11:45h Agenda Sobre a Voxtron Que tipo de atendimento procuram os clientes Tendências dos Contact Centers para 2015 De que forma

Leia mais

TRABALHO LABORATORIAL NO ENSINO DAS CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE FUTUROS PROFESSORES DE BIOLOGIA E GEOLOGIA

TRABALHO LABORATORIAL NO ENSINO DAS CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE FUTUROS PROFESSORES DE BIOLOGIA E GEOLOGIA TRABALHO LABORATORIAL NO ENSINO DAS CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE FUTUROS PROFESSORES DE BIOLOGIA E GEOLOGIA DOURADO, LUÍS Instituto de Educação e Psicologia, Universidade do Minho. Palavras

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE PREVENÇÃO DAS RESISTÊNCIAS AOS ANTIMICROBIANOS

PROGRAMA NACIONAL DE PREVENÇÃO DAS RESISTÊNCIAS AOS ANTIMICROBIANOS PROGRAMA NACIONAL DE PREVENÇÃO DAS RESISTÊNCIAS AOS ANTIMICROBIANOS Novembro de 2009 PROGRAMA NACIONAL DE PREVENÇÃO DAS RESISTÊNCIAS AOS ANTIMICROBIANOS ÍNDICE Pág. I. INTRODUÇÃO... 2 II. ENQUADRAMENTO...

Leia mais

O BULLYING NAS ESCOLAS PORTUGUESAS

O BULLYING NAS ESCOLAS PORTUGUESAS O BULLYING NAS ESCOLAS PORTUGUESAS Susana Fonseca Carvalhosa Universidade de Bergen, Noruega Instituto Superior de Psicologia Aplicada, Portugal scarvalhosa@netcabo.pt BULLYING EM PORTUGAL: O QUE SE PASSA

Leia mais

Tema 1, Nº 1 Junho 2001

Tema 1, Nº 1 Junho 2001 Tema 1, Nº 1 Junho 2001 Margarida Gaspar de Matos e Susana Fonseca Carvalhosa Equipa do Aventura Social e Saúde Estudo realizado no âmbito do protocolo entre a Faculdade de Motricidade Humana e o Gabinete

Leia mais

Visão 360º do seu cliente no Contact Center!

Visão 360º do seu cliente no Contact Center! Visão 360º do seu cliente no Contact Center! Visão 360º do seu cliente no Contact Center! A solução global para a sua empresa Com o FScontact é possível fazer fazer tudo aquilo que sempre precisou no seu

Leia mais

Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 1 Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Nome fantasia: Projeto de volta prá casa Instituições: Núcleo de Epidemiologia do Serviço de Saúde Comunitária da Gerência de saúde Comunitária

Leia mais

Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente

Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente 16 Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente Leidiane Silva Oliveira Chagas Gestora de Recursos Humanos - Anhanguera Educacional

Leia mais

ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL

ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL 1. ENVELHECIMENTO ACTIVO A Organização Mundial da Saúde e a Comissão da União Europeia consideram de grande importância todas as medidas, políticas e práticas, que contribuam para

Leia mais

Sumário executivo. From: Aplicação da avaliação ambiental estratégica Guia de boas práticas na cooperação para o desenvolvimento

Sumário executivo. From: Aplicação da avaliação ambiental estratégica Guia de boas práticas na cooperação para o desenvolvimento From: Aplicação da avaliação ambiental estratégica Guia de boas práticas na cooperação para o desenvolvimento Access the complete publication at: http://dx.doi.org/10.1787/9789264175877-pt Sumário executivo

Leia mais

Tabagismo e Adolescência. Divisão de Controle do Tabagismo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva INCA/MS

Tabagismo e Adolescência. Divisão de Controle do Tabagismo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva INCA/MS Tabagismo e Adolescência Divisão de Controle do Tabagismo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva INCA/MS Adolescência e Uso de Tabaco A iniciação do tabagismo na adolescência está associada

Leia mais

Colaborações em ambientes online predispõem a criação de comunidades de

Colaborações em ambientes online predispõem a criação de comunidades de Ficha de Leitura Tipo de documento: Artigo Título: Colaboração em Ambientes Online na Resolução de Tarefas de Aprendizagem Autor: Miranda Luísa, Morais Carlos, Dias Paulo Assunto/Sinopse/Resenha: Neste

Leia mais

Projeto de Ações de Melhoria

Projeto de Ações de Melhoria DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVES REDOL, VILA FRANCA DE XIRA- 170 770 SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALVES REDOL 400 014 Projeto de Ações de Melhoria 2012/2013

Leia mais

Aliança para um Futuro Livre de Cárie

Aliança para um Futuro Livre de Cárie Creme dental com alto teor de fluoreto Resumo completo Descrição: Os dentifrícios fluoretados foram introduzidos pela primeira vez na década de 1950. [1] O primeiro dentifrício fluoretado continha fluoreto

Leia mais

de CriAtividade ABRINDO PORTAS PARA O FUTURO!

de CriAtividade ABRINDO PORTAS PARA O FUTURO! ABRINDO PORTAS PARA O FUTURO! PROMOTOR O Torrance Center (www.tcportugal.org) é uma associação científico-pedagógica, sem fins lucrativos, que tem por objetivo promover o desenvolvimento da criatividade

Leia mais

1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo

1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo 1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Oficina de Formação de Professores em Empreendedorismo 2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO: PROBLEMA/NECESSIDADE DE FORMAÇÃO IDENTIFICADO Esta formação de professores visa

Leia mais

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E EDUCAÇÃO FÍSICA: APROXIMAÇÕES A PARTIR DO GRUPO DE EPIDEMIOLOGIA DA ATIVIDADE FÍSICA - ATENÇÃO BÁSICA

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E EDUCAÇÃO FÍSICA: APROXIMAÇÕES A PARTIR DO GRUPO DE EPIDEMIOLOGIA DA ATIVIDADE FÍSICA - ATENÇÃO BÁSICA SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E EDUCAÇÃO FÍSICA: APROXIMAÇÕES A PARTIR DO GRUPO DE EPIDEMIOLOGIA DA ATIVIDADE FÍSICA - ATENÇÃO BÁSICA Área Temática: Saúde Fabricio Boscolo Del Vecchio (Coordenador da Ação de

Leia mais

COMPORTAMENTOS NÃO SAUDÁVEIS ASSOCIADOS À INATIVIDADE FÍSICA NO LAZER EM TRABALHADORES DAS INDÚSTRIAS DO SUL DO BRASIL

COMPORTAMENTOS NÃO SAUDÁVEIS ASSOCIADOS À INATIVIDADE FÍSICA NO LAZER EM TRABALHADORES DAS INDÚSTRIAS DO SUL DO BRASIL COMPORTAMENTOS NÃO SAUDÁVEIS ASSOCIADOS À INATIVIDADE FÍSICA NO LAZER EM TRABALHADORES DAS INDÚSTRIAS DO SUL DO BRASIL Autores: Rodrigo de Rosso Krug (1), Giovâni Firpo Del Duca (1), Kelly Samara da Silva

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

ORDEM DOS FARMACÊUTICOS - RESPOSTA A PEDIDO DE CREDITAÇÃO

ORDEM DOS FARMACÊUTICOS - RESPOSTA A PEDIDO DE CREDITAÇÃO Filipe Leonardo De: suporte@sensocomum.pt Enviado: terça-feira, 16 de Outubro de 2012 18:05 Para: mguedes.silva@mjgs.pt ; joanaviveiro@ordemfarmaceuticos.pt; joaomartinho@ordemfarmaceuticos.pt Assunto:

Leia mais