Capacitação do Núcleo de Evidências em Saúde / Estação BVS da ESP / SES -MG em

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capacitação do Núcleo de Evidências em Saúde / Estação BVS da ESP / SES -MG em"

Transcrição

1 Capacitação do Núcleo de Evidências em Saúde / Estação BVS da ESP / SES -MG em Formulação de Políticas de Saúde e Tomada de Decisões Informadas por Evidências Sessão 5 Como usar evidências de pesquisa para estruturar e caracterizar opções Belo Horizonte, novembro de 2013

2 Objetivos Familiarizar-se com uma lista de questões a serem consideradas para estruturar opções com o objetivo de enfrentar um problema Entender como respostas diferentes a estas questões podem ter implicações importantes para os tipos de evidências que buscamos (ou para que tipos de opções escolheremos) Conhecer ferramentas de busca de evidências sobre as opções escolhidas

3 Visão geral das ferramentas SUPPORT Lavis et al 2009 p.15 3

4 Três cenários possíveis: 1) A decisão já foi tomada 2) A decisão está em vias de ser tomada 3) Um processo de formulação de política 4

5 Importância de caracterizar as opções Três situações que demandam opções de políticas: Situação 1: A proposta temática já está na agenda de decisão política para enfrentar o problema. Neste caso, o melhor que se pode fazer é: Identificar como maximizar os benefícios desta opção já selecionada Minimizar os danos potenciais Otimizar os impactos obtidos pelo dinheiro a ser gasto (caso existam incertezas sobre os custos e consequências da opção Desenvolver um plano de monitoramento e avaliação 5

6 Importância de caracterizar as opções Situação 2: Tomadores de decisão e gestores estão engajados ativamente com as opções em discussão (ou em processo de implementação) Neste caso, é preciso avaliar as opções, o problema e as forças políticas envolvidas no processo e que determinarão se as opções serão seriamente consideradas pelos decisores. Situação 3: começando do zero: Oportunidade para definir o problema; enquadrar as opções e identificar forças políticas que podem permitir e ajudar na aprovação e implementação 6

7 Importância de caracterizar as opções Evidências, principalmente sobre benefícios, danos e custos podem ajudar a informar se a opção pode ser considerada viável Uma opção pode ser considerada apropriada se: For tecnicamente factível Ajustar-se aos valores dominantes e ao "humor" da sociedade For aceitável em termos orçamentários e do apoio ou da oposição política 7

8 Questões a serem consideradas na caracterização das opções 1 - Foi identificado um conjunto apropriado de opções para resolver um problema? 2 - Quais benefícios são importantes para aqueles que serão afetados e quais benefícios podem ser obtidos com cada opção? 3 - Quais danos são importantes para aqueles que serão afetados e quais danos podem surgir com cada opção? 4 - Quais são os custos locais de cada opção e existem evidências locais sobre a sua relação custo-benefício? 5 - Quais adaptações podem ser feitas nas opções dadas e tais adaptações podem alterar os benefícios, prejuízos e custos de tais opções? 6 - Quais opiniões e experiências das partes envolvidas podem influenciar na aceitação de uma opção, bem como nos seus benefícios, prejuízos e custos?

9 Foi identificado um conjunto apropriado de opções para resolver um problema? Estratégias para identificar potenciais opções: Considerar mecanismos alternativos de prestação, financiamento e governança/gestão (de serviços) para resolver o problema ou suas causas subjacentes Use modelos teóricos desenvolvidos para atender necessidades específicas Considere intervenções descritas em revisões sistemáticas e meta-análises Considere como outros têm abordado o problema Consulte informantes-chave Brain storming (chuva de ideias)

10 Deve ficar claro como as opções foram selecionadas A escolha das opções apresentadas numa síntese de evidências para políticas muitas vezes flui logicamente a partir da descrição do problema, em particular, da análise da causa do problema e seus fatores relacionados A justificativa para a escolha das opções deve ser explicitada no início da seção da síntese de evidências para políticas, onde são descritas as opções consideradas Sempre que necessário inclua um parágrafo sobre por quê as outras opções que foram consideradas foram excluídas

11 Foi identificado um conjunto apropriado de opções para resolver um problema? Os problemas dos sistemas de saúde são complexos As causas e soluções para esses problemas também podem ser complexas As opções específicas podem ser complexas ex.: organizar um sistema de recrutamento, apoio de transporte e manutenção de agentes comunitários de saúde para prestar cuidados à mães e recém-nascidos Além disso, pode ser necessário considerar "pacotes" de intervenção Incluir diferentes mecanismos de prestação, financiamento e gestão/governança (de serviços)

12 Decida quais opções devem ser descritas em uma síntese de evidências para política Pode exigir mais voltas Considere uma variedade de opções Em seguida, ajuste segundo a viabilidade, aceitação e a avaliação da evidência para cada uma Considere potenciais mecanismos de prestação, financiamento e gestão/governança de serviços como elementos potenciais das opções a serem escolhidas Em seguida, avalie a evidência para cada elemento Depois, determine quando e como juntar ou empacotar os elementos viáveis como opções de políticas. Considere potenciais soluções Em seguida, considere que mudanças adicionais nos arranjos de prestação, financiamento e gestão/governança podem ser necessários juntamente com as soluções viáveis

13 Foi identificado um conjunto apropriado de opções para resolver um problema? Uma ampla estrutura para as questões dos sistemas de saúde Arranjos de prestação de serviços: A quem está orientado o programa, serviço ou medicamento; quem e onde se presta o cuidado e com que tecnologia de informação e comunicação se utiliza; e com qual sistema de segurança e qualidade? Arranjos de gestão/governança: Quem tem a responsabilidade e a autoridade política e de negócios, organizacional e comercial sobre as partes do sistema de saúde que podem desempenhar um papel na resolução do problema? Arranjos financeiros: Quem financia o sistema, serviço ou programa, como as organizações são financiadas para fornecer o programa ou serviço, como recompensa os profissionais, como oferece incentivos aos pacientes / usuários, como os recursos são alocados?

14 Quadro sobre o financiamento da saúde

15 Benefícios Quais benefícios são importantes para aqueles que serão afetados e quais benefícios podem ser obtidos com cada opção? Estudos de efetividade Qual a efetividade de medidas para aumentar a motivação? Que efeitos podem ter nos serviços prestados ao usuário? Estudos sobre opções que ajudam na motivação de pessoal de saúde Pessoas (tipos de profissionais) Opção (incentivo financeiro) Comparação (entre um benefício e outro; ou entre enfermeira e médicos) Resultado (a retenção ou a diminuição da mortalidade materna)

16 Riscos - Danos Quais danos são importantes para aqueles que serão afetados e quais danos podem ocorrer em cada opção? Estudos desenhados exatamente com este fim

17 Custo e custo-efetividade Qual é o custo no Brasil de cada opção e a evidência sobre o custo-efetividade? Avaliações econômicas conduzidas no país ou em situações similares

18 Adaptações das Opções Quais adaptações podem ser feitas nas opções propostas e quais adaptações podem alterar os benefícios, prejuízos e custos de tais opções? Estudos qualitativos com enfermeiras e com a população (chamados de avaliações de processos) realizados em conjunto com estudos dos efeitos Haverá interesse significativo, ou pressão, para adaptar uma opção que tenha sido experimentada em outros lugares?

19 Outras influências Quais opiniões e experiências das partes envolvidas podem influenciar na aceitação de uma opção, bem como nos seus benefícios, prejuízos e custos? Estudos qualitativos

20 Opções de política Opção de política Opção 1 Opção 2 Opção 3 Descrição Benefícios Riscos Custos Aceitação

21 Opções de política Opção de política Opção 1 Opção 2 Opção 3 Barreiras à implementação Estratégias facilitadoras da implementação

22 Exemplo OPÇÕES Opção 1: Utilizar produtos químicos/agentes biológicos no controle do vetor da dengue, em sua forma alada e larval. Opção 2: Promover ações educacionais em saúde em nível comunitário e junto aos profissionais de saúde para a identificação precoce e manejo adequado dos casos de dengue, bem como o controle dos criadouros do vetor. Opção 3: Monitorar permanentemente as relações intersetoriais desenvolvidas para a prevenção e controle da dengue.

23 Opção 1: Utilizar produtos químicos/agentes biológicos no controle do vetor da dengue, na forma alada e larval.

24

25 Fontes de evidência Repositórios/Ferramentas de busca BVS Cochrane Library Health Evidence Heath System Evidence

26 Trabalho em grupo Descrever 2-3 opções para enfrentar o problema de acordo com a discussão desta sessão Se possível, identificar uma fonte de informação inicial sobre onde procurar evidências dos impactos potenciais das opções descritas

Definição e caracterização de opções para enfrentar o problema

Definição e caracterização de opções para enfrentar o problema Oficina Estratégica - EVIPNet Brasil Ferramentas SUPPORT para Políticas Informadas por Evidências Definição e caracterização de opções para enfrentar o problema Sessão 6 Definição e caracterização de opções

Leia mais

Sessão 4 Como usar evidências de pesquisa para estruturar opções. Brasília, 10 a 13 dezembro 2012

Sessão 4 Como usar evidências de pesquisa para estruturar opções. Brasília, 10 a 13 dezembro 2012 Sessão 4 Como usar evidências de pesquisa para estruturar opções Brasília, 10 a 13 dezembro 2012 Objetivos Familiarizar-se com uma lista de questões a serem consideradas para estruturar opções com o objetivo

Leia mais

Oficina de Trabalho OIPSS/EVIPNet Decisão informada por evidências nas políticas de saúde: promovendo o uso do conhecimento para a tomada de decisão

Oficina de Trabalho OIPSS/EVIPNet Decisão informada por evidências nas políticas de saúde: promovendo o uso do conhecimento para a tomada de decisão brasil.evipnet.org Oficina de Trabalho OIPSS/EVIPNet Decisão informada por evidências nas políticas de saúde: promovendo o uso do conhecimento para a tomada de decisão Sessão 9 Como usar evidências de

Leia mais

Unidade 4: Caracterizando as opções para a política

Unidade 4: Caracterizando as opções para a política Unidade 4: Caracterizando as opções para a política Objetivo desta Unidade Considerar de forma sistemática e transparente as opções escolhidas para abordar o problema de política definido anteriormente

Leia mais

Sessão 03 Preparando sínteses de evidências Definição do problema. Brasília, 10 a 13 dezembro 2012

Sessão 03 Preparando sínteses de evidências Definição do problema. Brasília, 10 a 13 dezembro 2012 Sessão 03 Preparando sínteses de evidências Definição do problema Brasília, 10 a 13 dezembro 2012 Objetivos Familiarizar-se com uma lista de questões a considerar para esclarecer um problema Entender como

Leia mais

Informação e evidência científica Plataformas de apoio à tomada de decisão em políticas de saúde

Informação e evidência científica Plataformas de apoio à tomada de decisão em políticas de saúde Informação e evidência científica Plataformas de apoio à tomada de decisão em políticas de saúde VerônicaAbdala BIREME/OPAS/OMS Apoiando a tomada de decisões informadas por Evidência Metodologia/Ferramentas

Leia mais

Unidade 1: Tradução do conhecimento e EVIPNet

Unidade 1: Tradução do conhecimento e EVIPNet Unidade 1: Tradução do conhecimento e EVIPNet Objetivos da unidade Conhecer alguns dos desafios para a vinculação dos achados de pesquisas aos processos de formulação de políticas Discutir o conceito de

Leia mais

Escola de Políticas Públicas

Escola de Políticas Públicas Escola de Políticas Públicas Política pública na prática A construção de políticas públicas tem desafios em todas as suas etapas. Para resolver essas situações do dia a dia, é necessário ter conhecimentos

Leia mais

Região da América Latina e Caribe e a Rede de Desenvolvimento Humano com o generoso apoio do Fundo Espanhol de Avaliação do Impacto

Região da América Latina e Caribe e a Rede de Desenvolvimento Humano com o generoso apoio do Fundo Espanhol de Avaliação do Impacto Arianna Legovini Chefe da Iniciativa de Avaliação do Impacto sobre o Desenvolvimento (DIME) Banco Mundial Avaliação do Impacto para a Tomada de Decisão em Tempo Real Região da América Latina e Caribe e

Leia mais

PAINEL: TEMAS ATUAIS PAGAMENTO POR PERFORMANCE BENEFÍCIOS E RISCOS POTENCIAIS. Jorge Barreto, MSc, PhD Fundação Oswaldo Cruz, Fiocruz

PAINEL: TEMAS ATUAIS PAGAMENTO POR PERFORMANCE BENEFÍCIOS E RISCOS POTENCIAIS. Jorge Barreto, MSc, PhD Fundação Oswaldo Cruz, Fiocruz PAINEL: TEMAS ATUAIS PAGAMENTO POR PERFORMANCE BENEFÍCIOS E RISCOS POTENCIAIS Jorge Barreto, MSc, PhD Fundação Oswaldo Cruz, Fiocruz 1 Evidence brief Introdução Pay-for-performance (P4P): transferência

Leia mais

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA,

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA, Carta de Campinas Nos dias 17 e 18 de junho de 2008, na cidade de Campinas (SP), gestores de saúde mental dos 22 maiores municípios do Brasil, e dos Estados-sede desses municípios, além de profissionais

Leia mais

Oficina de Trabalho OIPSS/EVIPNet Decisão informada por evidências nas políticas de saúde: promovendo o uso do conhecimento para a tomada de decisão

Oficina de Trabalho OIPSS/EVIPNet Decisão informada por evidências nas políticas de saúde: promovendo o uso do conhecimento para a tomada de decisão brasil.evipnet.org Oficina de Trabalho OIPSS/EVIPNet Decisão informada por evidências nas políticas de saúde: promovendo o uso do conhecimento para a tomada de decisão Sessão 10 Localizando revisões sistemáticas

Leia mais

Capítulo 10 ABORDAGEM INTEGRADA DO PLANEJAMENTO E DO GERENCIAMENTO DOS RECURSOS TERRESTRES

Capítulo 10 ABORDAGEM INTEGRADA DO PLANEJAMENTO E DO GERENCIAMENTO DOS RECURSOS TERRESTRES Capítulo 10 ABORDAGEM INTEGRADA DO PLANEJAMENTO E DO GERENCIAMENTO DOS RECURSOS TERRESTRES Introdução 10.1. A terra costuma ser definida como uma entidade física, em termos de sua topografia e sua natureza

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

PROGRAMA DE MELHORIA CONTÍNUA DA QUALIDADE DOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM (PMCQCE)

PROGRAMA DE MELHORIA CONTÍNUA DA QUALIDADE DOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM (PMCQCE) PROGRAMA DE MELHORIA CONTÍNUA DA QUALIDADE DOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM (PMCQCE) INSTITUIÇÃO Nome Morada Código Postal CONTEXTO PRÁTICA CLÍNICA ou UNIDADE DE SAÚDE FUNCIONAL Nome CONTATOS Enfermeiro(a) Chefe

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental Objetivos da Aula Sistema de Gestão Ambiental 1. Sistemas de gestão ambiental em pequenas empresas Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental

Leia mais

CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS

CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS VI.1. Introdução A avaliação de riscos inclui um amplo espectro de disciplinas e perspectivas que vão desde as preocupações

Leia mais

EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL:

EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL: EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL: AÇÃO TRANSFORMADORA IV Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública Belo Horizonte Março de 2013 Quem sou eu? A que grupos pertenço? Marcia Faria Westphal Faculdade

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos Elaboração de Projetos 1 Elaboração de Projetos - objetivo da Cooperação Técnica; - a importância do Planejamento na elaboração de um projeto; - o significado de projeto; - detalhamento da ação; - trabalhando

Leia mais

Alertas Para Existência De Problemas: Oportunidade

Alertas Para Existência De Problemas: Oportunidade Tomar Decisão É o processo de escolher um curso de ação entre várias alternativas para se defrontar com um problema ou oportunidade 2 Uma decisão ocorre sempre que se apresenta alternativas. As Fontes

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Medicina de Família e Comunidade. Evidência na gestão: relato da Rede de Políticas Informadas por Evidências Brasil

XII Congresso Brasileiro de Medicina de Família e Comunidade. Evidência na gestão: relato da Rede de Políticas Informadas por Evidências Brasil XII Congresso Brasileiro de Medicina de Família e Comunidade Evidência na gestão: relato da Rede de Políticas Informadas por Evidências Brasil - EVIPNet Brasil - Nathan M Souza, MD, MMedEd, PhD(c) DECIT/SCTIE/MS

Leia mais

Escassez de profissionais de saúde na APS em áreas de difícil fixação no Brasil

Escassez de profissionais de saúde na APS em áreas de difícil fixação no Brasil Escassez de profissionais de saúde na APS em áreas de difícil fixação no Brasil Decit/SCTIE/MS EVIPNet Brasil Capacitação Ferramentas SUPPORT para políticas informadas por evidencias Bireme, SP 27 a 30

Leia mais

Implementação das opções

Implementação das opções Oficina Estratégica - EVIPNet Brasil Ferramentas SUPPORT para Políticas Informadas por Evidências Implementação das opções Sessão 8 - Identificação de barreiras e facilitadores para a implementação das

Leia mais

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT Proposta do CDG-SUS Desenvolver pessoas e suas práticas de gestão e do cuidado em saúde. Perspectiva da ética e da integralidade

Leia mais

Gerenciamento de Riscos

Gerenciamento de Riscos Gerenciamento de Riscos o Processo sistemático o Análise e resposta aos riscos do projeto o Minimizar as consequências dos eventos negativos o Aumento dos eventos positivos Gerenciamento de Riscos o Principais

Leia mais

PESQUISA-AÇÃO DICIONÁRIO

PESQUISA-AÇÃO DICIONÁRIO PESQUISA-AÇÃO Forma de pesquisa interativa que visa compreender as causas de uma situação e produzir mudanças. O foco está em resolver algum problema encontrado por indivíduos ou por grupos, sejam eles

Leia mais

2.1 Os projetos que demonstrarem resultados (quádrupla meta) serão compartilhados na Convenção Nacional.

2.1 Os projetos que demonstrarem resultados (quádrupla meta) serão compartilhados na Convenção Nacional. O Prêmio Inova+Saúde é uma iniciativa da SEGUROS UNIMED que visa reconhecer as estratégias de melhoria e da qualidade e segurança dos cuidados com a saúde dos pacientes e ao mesmo tempo contribua com a

Leia mais

Oficina de Planejamento Estratégico

Oficina de Planejamento Estratégico Oficina de Planejamento Estratégico Conselho Estadual de Saúde Secretaria Estadual da Saúde Paraná, agosto de 2012 Planejamento Estratégico Planejamento: atividade inerente ao ser humano Cada um de nós

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

Domínios, Competências e Padrões de Desempenho do Design Instrucional (DI)

Domínios, Competências e Padrões de Desempenho do Design Instrucional (DI) Domínios, Competências e Padrões de Desempenho do Design Instrucional (DI) (The Instructional Design (ID) Domains, Competencies and Performance Statements) International Board of Standards for Training,

Leia mais

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO)

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) Objeto, princípios e campo de aplicação 35.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece princípios e requisitos para gestão da segurança

Leia mais

Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas

Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas Os esforços devem se concentrar em garantir que cesáreas sejam feitas nos casos em que são necessárias, em vez de buscar atingir uma taxa específica de cesáreas.

Leia mais

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Os papéis do executivo de RH Pessoas são os principais ativos de uma empresa e o executivo de Recursos Humanos (RH), como responsável por administrar

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL...

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL... Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. Baseado na NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Portaria N 1.748 de 30 de Agosto de 2011. HOSPITAL... Validade

Leia mais

Plano de Formação. Psicologia e Orientação em Contexto Escolar 2014/2015

Plano de Formação. Psicologia e Orientação em Contexto Escolar 2014/2015 Plano de Formação Psicologia e Orientação em Contexto Escolar 2014/2015 Enquadramento A evolução tecnológica e a incerteza com que atualmente todas as sociedades se confrontam colocam desafios acrescidos

Leia mais

Capítulo 8 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO

Capítulo 8 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO Capítulo 8 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO 8 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO 8.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução,

Leia mais

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil 1 A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO MUNDO GLOBALIZADO 1 Introdução Área de atuação. A Carta de Bangkok (CB) identifica ações, compromissos e garantias requeridos para atingir os determinantes

Leia mais

NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER

NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER NUCLEARINSTALLATIONSAFETYTRAININGSUPPORTGROUP DISCLAIMER Theinformationcontainedinthisdocumentcannotbechangedormodifiedinanywayand shouldserveonlythepurposeofpromotingexchangeofexperience,knowledgedissemination

Leia mais

Estratégia Nacional de Promoção da Alimentação Complementar Saudável

Estratégia Nacional de Promoção da Alimentação Complementar Saudável Estratégia Nacional de Promoção da Alimentação Complementar Saudável Janeiro/2009 1. Introdução A introdução de alimentos na dieta da criança após os seis meses de idade tem a função de complementar as

Leia mais

AVALIAÇÃO E EDUCAÇÃO PERMANENTE DE SAÚDE

AVALIAÇÃO E EDUCAÇÃO PERMANENTE DE SAÚDE MOVE 2015 AVALIAÇÃO E EDUCAÇÃO PERMANENTE DE SAÚDE II CONGRESSO TODOS JUNTOS CONTRA O CANCER MOVE 2015 PRINCIPAIS MENSAGENS 01 AVALIAÇÃO É FUNDAMENTAL PARA GARANTIR A QUALIFICAÇÃO DOS PROCESSOS DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Workshop SESI SC Florianopolis 27 Setembro

Workshop SESI SC Florianopolis 27 Setembro Workshop SESI SC Florianopolis 27 Setembro 1. Por que Promoção da Saúde no Trabalho (PST)? 2. PST funciona? 3. Tendências Globais e Programas em PST 4. Guias e Critérios Internacionais de Qualidade 5.

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ADMINISTRAÇÃO DE ENFERMAGEM AVALIANDO O QUE ESTUDAMOS 1. A Supervisão de Enfermagem é fundamental para o desenvolvimento dos recursos humanos, através da educação

Leia mais

EDITAL CHAMADA DE CASOS

EDITAL CHAMADA DE CASOS EDITAL CHAMADA DE CASOS INICIATIVAS INOVADORAS EM MONITORAMENTO DO DESENVOLVIMENTO LOCAL E AVALIAÇÃO DE IMPACTO O Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (GVces) e as empresas

Leia mais

Uma organização pode ser descrita como um arranjo sistemático, onde esforços individuais são agregados em prol de um resultado coletivo

Uma organização pode ser descrita como um arranjo sistemático, onde esforços individuais são agregados em prol de um resultado coletivo Aula 03 1 2 Uma organização pode ser descrita como um arranjo sistemático, onde esforços individuais são agregados em prol de um resultado coletivo Exemplos: Empresas; Associações; Órgãos governamentais,

Leia mais

VIGILÂNCIA SOCIAL E A GESTÃO DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO

VIGILÂNCIA SOCIAL E A GESTÃO DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO VIGILÂNCIA SOCIAL E A GESTÃO DA INFORMAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO CONCEITUANDO... Vigilância Social : Produção e sistematização de informações territorializadas sobre

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais PREMIO CHICO RIBEIRO SOBRE INFORMAÇÃO DE CUSTOS E QUALIDADE DO GASTO NO SETOR Público O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o

Leia mais

RAG - 2006 O RELATÓRIO DA AÇÃO GOVERNAMENTAL

RAG - 2006 O RELATÓRIO DA AÇÃO GOVERNAMENTAL RAG - 2006 O RELATÓRIO DA AÇÃO GOVERNAMENTAL RELATÓRIO DE QUE? AVALIAÇÃO: Avaliação anual avaliamos a execução durante o ano, a entrega dos produtos e os seus impactos. AVALIAÇÃO PARA QUE? OBJETIVOS: Prestar

Leia mais

Desafios para a gestão do setor público no Ceará Liderança e Instituições

Desafios para a gestão do setor público no Ceará Liderança e Instituições Desafios para a gestão do setor público no Ceará Liderança e Instituições Banco Mundial 24 maio 2012 O exército da Macedônia era brilhante enquanto liderado por Alexandre......mas o exército romano era

Leia mais

MODELO PROJETO: PRÊMIO POR INOVAÇÃO E QUALIDADE

MODELO PROJETO: PRÊMIO POR INOVAÇÃO E QUALIDADE MODELO PROJETO: PRÊMIO POR INOVAÇÃO E QUALIDADE 1 Identificação Título Câncer de Colo de útero: a importância de diagnostico precoce. Área temática Comunicação, Promoção e Educação em Saúde Lotação Boninal

Leia mais

Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE 1 Experiência: VIGILÂNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Nome fantasia: Projeto de volta prá casa Instituições: Núcleo de Epidemiologia do Serviço de Saúde Comunitária da Gerência de saúde Comunitária

Leia mais

Grau de Evidência em Infecção Hospitalar

Grau de Evidência em Infecção Hospitalar Grau de Evidência em Infecção Hospitalar Lucieni de Oliveira Conterno Faculdade de Medicina de Marília Disciplina de Infectologia Núcleo de Epidemiologia Clinica SCIH- Santa Casa de Marília ISENÇÃO DE

Leia mais

Indicadores Gerais para a Avaliação Inclusiva

Indicadores Gerais para a Avaliação Inclusiva PROCESSO DE AVALIAÇÃO EM CONTEXTOS INCLUSIVOS PT Preâmbulo Indicadores Gerais para a Avaliação Inclusiva A avaliação inclusiva é uma abordagem à avaliação em ambientes inclusivos em que as políticas e

Leia mais

Overview. Safety on Roads. Síntese. Segurança nas Estradas

Overview. Safety on Roads. Síntese. Segurança nas Estradas Overview Safety on Roads WHAT S THE VISION? Síntese Segurança nas Estradas QUAL É A VISÃO? As Sínteses constituem-se em excertos de publicações da OCDE. Elas são disponíveis livremente na biblioteca Online

Leia mais

2. Provas presenciais avaliação presencial das duas disciplinas cursadas, visando testar os conhecimentos obtidos nas atividades on-line;

2. Provas presenciais avaliação presencial das duas disciplinas cursadas, visando testar os conhecimentos obtidos nas atividades on-line; Encontro Presencial Introdução ao Marketing e Marketing de Serviços Caro aluno, Conheça as três atividades distintas que ocorrerão durante o Encontro Presencial... 1. Revisão estudo, orientado pelo Professor-Tutor,

Leia mais

Aplicabilidade do Tele Eletrocardiograma nos serviços públicos de saúde

Aplicabilidade do Tele Eletrocardiograma nos serviços públicos de saúde Aplicabilidade do Tele Eletrocardiograma nos serviços públicos de saúde Franco, SOB - Sidnei Otávio Vicente Franco SMSDC RJ Rendeiro, MMP Márcia Maria Pereira Rendeiro SMSDC RJ / UERJ Maia ER - Eduardo

Leia mais

DIRETOR(A) DE SEDE ESCRITÓRIO TETO BRASIL BAHIA

DIRETOR(A) DE SEDE ESCRITÓRIO TETO BRASIL BAHIA DIRETOR(A) DE SEDE ESCRITÓRIO TETO BRASIL BAHIA Identificação do Cargo Departamento / Área Cargo a que reporta (Liderança direta) Cargos sob sua dependência (Liderança direta) Organograma Diretoria de

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

Pesquisa Etnográfica

Pesquisa Etnográfica Pesquisa Etnográfica Pesquisa etnográfica Frequentemente, as fontes de dados têm dificuldade em dar informações realmente significativas sobre a vida das pessoas. A pesquisa etnográfica é um processo pelo

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

a) Situação-problema e/ou demanda inicial que motivou e/ou requereu o desenvolvimento desta iniciativa;

a) Situação-problema e/ou demanda inicial que motivou e/ou requereu o desenvolvimento desta iniciativa; TÍTULO DA PRÁTICA: PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS DE TUBERCULOSE DO DISTRITO SANITÁRIO CENTRO 2011: apresentação regular dos dados de tuberculose as unidades do Distrito Sanitário Centro CÓDIGO DA PRÁTICA:

Leia mais

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior 5.1 Nome da iniciativa ou Projeto Academia Popular da Pessoa idosa 5.2 Caracterização da Situação Anterior O envelhecimento é uma realidade da maioria das sociedades. No Brasil, estima-se que exista, atualmente,

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DE UMA DIRETORIA DE PROJETOS

CONTRIBUIÇÃO DE UMA DIRETORIA DE PROJETOS www.tecnologiadeprojetos.com.br Diretoria de Acompanhamento e Avaliação de Projetos da Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais DAPE/SEE-MG RELATÓRIO DE PESQUISA 1 : CONTRIBUIÇÃO DE UMA DIRETORIA

Leia mais

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 CARTA DE OTTAWA PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 A Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde, realizada em Ottawa, Canadá, em novembro

Leia mais

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO TERRITÓRIO A SAÚDE ATUAÇÃO DO AGENTE COMUNITÁRIO

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO TERRITÓRIO A SAÚDE ATUAÇÃO DO AGENTE COMUNITÁRIO ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA E A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO TERRITÓRIO A SAÚDE ATUAÇÃO DO AGENTE COMUNITÁRIO Marlúcio Alves UFU Bolsista programa CAPES/FCT Jul/dez 2011 A ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA - ESF

Leia mais

AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. Apresentação Geral, Objetivos e Diretrizes

AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. Apresentação Geral, Objetivos e Diretrizes AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO BÁSICA PROJETO AVALIAÇÃO PARA MELHORIA DA QUALIDADE DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA Apresentação Geral, Objetivos e Diretrizes Outubro de 2005 Justificativa A grande expansão da estratégia

Leia mais

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1 Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I Atenção Básica e a Saúde da Família 1 O acúmulo técnico e político dos níveis federal, estadual e municipal dos dirigentes do SUS (gestores do SUS) na implantação

Leia mais

Material didático ESR

Material didático ESR Material didático ESR 1 Sessão de aprendizagem 1 Modelo de conteúdo do material didático 2 Jean Caminha Introdução 3 A ação e interação dos objetivos com as incertezas originam ao risco, que se apresenta

Leia mais

DESENVOLVER E GERIR COMPETÊNCIAS EM CONTEXTO DE MUDANÇA (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Julho/Agosto 2004)

DESENVOLVER E GERIR COMPETÊNCIAS EM CONTEXTO DE MUDANÇA (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Julho/Agosto 2004) DESENVOLVER E GERIR COMPETÊNCIAS EM CONTEXTO DE MUDANÇA (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Julho/Agosto 2004) por Mónica Montenegro, Coordenadora da área de Recursos Humanos do MBA em Hotelaria e

Leia mais

1 em cada 4 pessoas são afetadas por um problema de saúde mental a cada ano. Vamos falar sobre isso?

1 em cada 4 pessoas são afetadas por um problema de saúde mental a cada ano. Vamos falar sobre isso? 1 em cada 4 pessoas são afetadas por um problema de saúde mental a cada ano Vamos falar sobre isso? Algumas estatísticas sobre Saúde Mental Transtornos mentais são frequentes e afetam mais de 25% das pessoas

Leia mais

Gestão do Conhecimento na prática The Stocker Group S.A. La Concepción 177, Of. 11A Providencia Santiago - Chile Tel: (56-2) 8920220 The Stocker Group Perú SAC Pasaje Mártir Olaya 129, Oficina 1203 Centro

Leia mais

Modelagem e Simulação Material 02 Projeto de Simulação

Modelagem e Simulação Material 02 Projeto de Simulação Modelagem e Simulação Material 02 Projeto de Simulação Prof. Simão Sirineo Toscani Projeto de Simulação Revisão de conceitos básicos Processo de simulação Etapas de projeto Cuidados nos projetos de simulação

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

Guião para a Organização de Projetos de Melhoria Contínua da Qualidade dos Cuidados de Enfermagem

Guião para a Organização de Projetos de Melhoria Contínua da Qualidade dos Cuidados de Enfermagem SECÇÃO REGIONAL SUL DA ORDEM DOS ENFERMEIROS Guião para a Organização de Projetos de Melhoria Contínua da Qualidade dos Cuidados de Enfermagem Programa Padrões de Qualidade dos Cuidados de Enfermagem CONSELHO

Leia mais

Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos

Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos Fevereiro/2014 AGENDA Gestão de Riscos Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos AGENDA Gestão de Riscos Metodologia de Gestão

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Elaborado por: GT Especial do ABNT/CB-25 Grupo de Aperfeiçoamento do

Leia mais

IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE

IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE IMAGEM E REPUTAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO: A PESQUISA E RESULTADOS NO IMAGE E MARKET SHARE GEduc 2012 - Novos Rumos para a Gestão Educacional Pág 1 Temas Pressupostos teórico-metodológicos As necessidades

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO Citação de Dr. Emílio Rui Vilar 2 Tempo de mudanças sociais Estamos no início de um século que se adivinha difícil e instável nos seus Problemas Globais

Leia mais

Administração Judiciária

Administração Judiciária Administração Judiciária Planejamento e Gestão Estratégica Claudio Oliveira Assessor de Planejamento e Gestão Estratégica Conselho Superior da Justiça do Trabalho Gestão Estratégica Comunicação da Estratégia

Leia mais

Resolução CC-52, de 23-6-2004

Resolução CC-52, de 23-6-2004 Resolução CC-52, de 23-6-2004 ANEXO I Institui a Política e o Plano Estratégico de Uso de Software na Administração Pública Estadual O Secretário-Chefe da Casa Civil, na qualidade de Presidente do Comitê

Leia mais

Desafio 100 Cidades Resilientes

Desafio 100 Cidades Resilientes Desafio 100 Cidades Resilientes Inscreva-se até 24 de novembro de 2015 www.100resilientcities.org/challenge O Desafio 100 Cidades Resilientes quer identificar 100 cidades que estejam preparadas para construir

Leia mais

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que

EDITAL SENAI SESI DE INOVAÇÃO. Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui. Complexidade das tecnologias critério de avaliação que ANEXO II Caráter inovador projeto cujo escopo ainda não possui registro em base de patentes brasileira. Também serão considerados caráter inovador para este Edital os registros de patente de domínio público

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Nº de Páginas: 1 / 5 1. OBJETIVOS Os objetivos desta Política de Segurança da Informação são estabelecer orientações gerais de segurança da informação no âmbito da Braslight, fornecendo o apoio conceitual

Leia mais

Desigualdades em saúde - Mortalidade infantil. Palavras-chave: mortalidade infantil; qualidade de vida; desigualdade.

Desigualdades em saúde - Mortalidade infantil. Palavras-chave: mortalidade infantil; qualidade de vida; desigualdade. Desigualdades em saúde - Mortalidade infantil Ruth Rangel * Fernanda Azevedo * Palavras-chave: mortalidade infantil; qualidade de vida; desigualdade. Resumo A redução das desigualdades sociais tem sido

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. Oficina EVIPNet Brasil. Ferramentas SUPPORT para Políticas Informadas por Evidências. Brasília DF, 9-10; 16-17 de setembro de 2014

RELATÓRIO TÉCNICO. Oficina EVIPNet Brasil. Ferramentas SUPPORT para Políticas Informadas por Evidências. Brasília DF, 9-10; 16-17 de setembro de 2014 Ministério da Saúde do Brasil Secretaria de Ciência, Tecnologia, Insumos Estratégicos (SCTIE) Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) Coordenação Geral de Gestão do Conhecimento (CGGC) RELATÓRIO TÉCNICO

Leia mais

I CICLO ITINERANTE DE FORMAÇÃO PARA O TERCEIRO SETOR

I CICLO ITINERANTE DE FORMAÇÃO PARA O TERCEIRO SETOR I CICLO ITINERANTE DE FORMAÇÃO PARA O TERCEIRO SETOR ELABORAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS: modelos, condições e experiências Jéferson Weber dos Santos Porto Alegre, 16 de agosto de 2012 1 O Projeto

Leia mais

Tópicos Abordados. Pesquisa de Mercado. Aula 1. Contextualização

Tópicos Abordados. Pesquisa de Mercado. Aula 1. Contextualização Pesquisa de Mercado Aula 1 Prof. Me. Ricieri Garbelini Tópicos Abordados 1. Identificação do problema ou situação 2. Construção de hipóteses ou determinação dos objetivos 3. Tipos de pesquisa 4. Métodos

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

Capítulo 1. Introdução a Cochrane. Nome é homenagem ao epidemiologista Archie Cochrane

Capítulo 1. Introdução a Cochrane. Nome é homenagem ao epidemiologista Archie Cochrane Capítulo 1 Introdução a Cochrane Nome é homenagem ao epidemiologista Archie Cochrane Objetivo Ajudar na tomada de decisão sobre à saúde preparando, mantendo e promovendo revisões sistemáticas. Ciência

Leia mais

Diretrizes Consolidadas sobre Prevenção, Diagnóstico, Tratamento e Cuidados em HIV para as Populações-Chave

Diretrizes Consolidadas sobre Prevenção, Diagnóstico, Tratamento e Cuidados em HIV para as Populações-Chave Diretrizes Consolidadas sobre Prevenção, Diagnóstico, Tratamento e Cuidados em HIV para as Populações-Chave Gabriela Calazans FCMSCSP, FMUSP II Seminário Nacional sobre Vacinas e novas Tecnologias de Prevenção

Leia mais

Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. Cora Coralina

Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. Cora Coralina Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina Instituto Serzedello Corrêa - ISC É uma unidade de apoio estratégico ligada à Presidência do TCU. Criado pela Lei Orgânica do

Leia mais

Capítulo 3. Sumário do Capítulo. Sumário do Capítulo. Desenho da Pesquisa

Capítulo 3. Sumário do Capítulo. Sumário do Capítulo. Desenho da Pesquisa Capítulo 3 Desenho da Pesquisa 3-1 Sumário do Capítulo 1) Introdução 2) Desenho da Pesquisa: Definição 3) Desenho da Pesquisa: Classificação 4) Pesquisa Exploratória 5) Pesquisa Descritiva i. Desenho Secção

Leia mais

Política Nacional de Mobilidade Urbana Os Desafios para Efetivação da Lei nº. 12.587/2012

Política Nacional de Mobilidade Urbana Os Desafios para Efetivação da Lei nº. 12.587/2012 Política Nacional de Mobilidade Urbana Os Desafios para Efetivação da Lei nº. 12.587/2012 André Dantas Matteus de Paula Freitas Arthur Oliveira Belo Horizonte (MG), 15/02/2012 1 ESTRUTURA 1. Contexto;

Leia mais

MODELO LÓGICO DE UM PROJETO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM DOENÇA FALCIFORME PARA PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NO ESTADO DE MINAS GERAIS

MODELO LÓGICO DE UM PROJETO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM DOENÇA FALCIFORME PARA PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NO ESTADO DE MINAS GERAIS MODELO LÓGICO DE UM PROJETO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM DOENÇA FALCIFORME PARA PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NO ESTADO DE MINAS GERAIS José Nélio Januário; André Luiz Freitas Dias; Heloísa de

Leia mais

I Fórum Nacional de Produtos para Saúde no Brasil. Cenário Atual e Perspectivas Futuras para ATS de Equipamentos Médicos e Diagnósticos.

I Fórum Nacional de Produtos para Saúde no Brasil. Cenário Atual e Perspectivas Futuras para ATS de Equipamentos Médicos e Diagnósticos. I Fórum Nacional de Produtos para Saúde no Brasil Cenário Atual e Perspectivas Futuras para ATS de Equipamentos Médicos e Diagnósticos Murilo Contó CONITEC Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias

Leia mais

O papel da remuneração no engajamento profissional

O papel da remuneração no engajamento profissional O papel da remuneração no engajamento profissional 15 de Maio de 2014 Agenda 1. Sobre o Hay Group 2. Contexto de mercado 3. Estudo global: O papel da remuneração no engajamento 4. Estudo Brasil: Melhores

Leia mais